SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 8
Baixar para ler offline
UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA – UEPB
        CIÊNCIAS DA NATUREZA, MATEMÁTICA E LINGUAGEM
PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA – PIBID
           SUBPROJETO DE LETRAS - LÍNGUA PORTUGUESA
ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROFESSOR RAUL
                           CÓRDULA

             COORDENADORA: MAGLIANA RODRIGUES
                   SUPERVISORA: DIANA NUNES
BOLSISTAS: ALESCA J. DA COSTA SILVA; LUCIANA VIEIRA ALVES; MARIA
          DO LIVRAMENTO;MARCIANA DA SILVA MILÂNEZ




                     PROJETO DE PESQUISA




              “NAS TRILHAS DA LÍNGUA PORTUGUESA:
                         O texto em foco”




                      CAMPINA GRANDE - PB
AGOSTO /2011
      ALESCA J. DA COSTA SILVA
       LUCIANA VIEIRA ALVES
       MARIA DO LIVRAMENTO
    MARCIANA DA SILVA MILÂNEZ




“NAS TRILHAS DA LÍNGUA PORTUGUESA:
           O texto em foco”




                Projeto de pesquisa apresentado ao Programa
                Institucional    de   Bolsa   de   Iniciação   à
                Docência (Pibid), sob coordenação da professora
                Magliana Rodrigues, do curso de Letras da
                Universidade Estadual da Paraíba; e supervisão
                da professora Diana Nunes, da E.E.E.F.M. Prof.
                Raul Córdula .




       CAMPINA GRANDE – PB
           AGOSTO / 2011
Introdução
       Com o advento das discussões lingüísticas no meio acadêmico, o ensino de língua
materna e suas especificidades encontram-se no centro das análises e dos estudos dessas
discussões lingüísticas.Isso posto, dado o fato de o ensino da língua ainda se basear em
questões morfossintáticas desvinculadas do dia-a-dia,ou seja, a não adequação do conteúdo ao
cotidiano dos alunos, reforçando o desinteresse pelo estudo, o que distancia a funcionalidade
do ensino e, dessa forma,os alunos não conseguem vislumbrar a necessidade de estudar
morfologia, sintaxe e semântica, desconhecendo que estes três aspectos do português
permeiam o uso da língua.

       Partindo disso, o presente trabalho objetiva propor uma oficina que resgate o interesse
dos discentes através de metodologias atrativas relacionadas ao meio que estão inseridos,
colocando o texto como o foco do processo ensino-aprendizagem do idioma, pois há de se ter
em mente que um ensino mais produtivo da língua está vinculado ao conhecimento de como
o léxico atua na organização e produção de textos.

        Diante dos questionamentos dos alunos acerca da (des) necessidade em estudar língua
portuguesa, por estarem “acostumados” a um ensino desvinculado do cotidiano e da indicação
dos PCN’s em trabalhar a gramática em função do texto e das práticas sociais de uso da
língua, o presente trabalho permite sinalizar para que os professores tenham uma visão mais
crítica em relação ao ensino de gramática, a partir de tal prática é possível iniciar um trabalho
em sala de aula visando uma integração entre as áreas básicas que se dividem e se estruturam
no ensino de língua materna: ensino de gramática, ensino de leitura (compreensão de textos),
ensino de redação (produção textual) e ensino de vocabulário, o que favorece uma formação
mais completa.

       Visto isso, o presente trabalho objetiva propor uma oficina que resgate o
comprometimento dos discentes, em sala de aula, através de metodologias atrativas
relacionadas ao meio em que estão inseridos. Para isso, faremos uso de recursos audiovisuais,
como: vídeos, músicas, propagandas ,charges, etc.


Plano da natureza do problema


       Ao observarmos a realidade do corpo discente da escola escolhida para o projeto,
percebemos um acentuado desinteresse nas aulas de língua portuguesa. Isso nos levou a
refletir as possíveis razões da desmotivação surgindo assim alguns questionamentos: Até que
ponto a disciplina língua portuguesa não é atrativa? Seria a falta de gosto, ou é a metodologia
do professor que não favorece “o gostar”? E até que ponto a disciplina tem relação ou
funcionalidade com o cotidiano do aluno?
Plano da natureza das hipóteses


       No primeiro momento da vivência escolar, tivemos oportunidade de entrar na sala de
aula, o que nos permitiu observar o processo de ensino, e investigá-lo com maior propriedade.
Sabe-se que o sistema educacional “falha” em diversos aspectos, não apenas na escola aqui
conveniada, mas também nas demais escolas, principalmente públicas, do nosso país. As
teorias sempre propõem um ensino pautado numa relação com o cotidiano, imbuído de
funcionalidade, para assim o aluno perceber a relevância do conteúdo que é/está sendo
estudado, e para que o próprio discente consiga estabelecer essa relação. Se o aluno não está
percebendo isso, ou se o processo de ensino está apresentando algum problema, algo não está
funcionando bem. Pode ser que o próprio corpo estudantil não esteja cooperando com o
processo; ou talvez isso ocorra por conta da metodologia adotada pelo professor, o que
ocasiona um desestímulo, e uma menor assimilação do conteúdo.


Objetivos


       Incentivar o interesse pelo aprendizado, por parte dos alunos, nas aulas de língua
portuguesa.


    Demonstrar a relevância do estudo de língua portuguesa através de exposições
       dinâmicas do conteúdo;
    Mostrar a funcionalidade da língua através dos textos;
    Trabalhar a leitura e a escrita a partir de recursos audiovisuais;
    Resgatar a participação dos discentes em sala de aula;
    Estabelecer uma relação do conteúdo com a vida;
    Propor atividades interdisciplinares.


Justificativa
       Uma das constantes justificativas que discorre a cerca dos problemas sociais do nosso
país encontra-se na falta de investimentos por parte do governo para uma educação de
qualidade, muito se fala que a base para o desenvolvimento de uma nação está entrelaçada a
uma boa educação, contudo pode-se observar iniciativas por parte do governo na criação de
projetos que busquem amenizar os problemas educacionais do país, embora esses
investimentos não consigam alcançar efetivamente uma educação de qualidade.
         Atentando para essa realidade, é possível observar que a escola hoje desempenha o seu
papel desvinculado das necessidades sociais, o mundo para o qual a escola trabalha está
distante do mundo que é vivido do outro lado do muro pela maioria dos alunos. A idéia de
que a escola faz parte da vida está se dissolvendo na mente da sociedade, contribuindo para o
agravante da situação educacional que vive hoje o Brasil.
         Diante disso, faz-se necessário um olhar mais atento ao processo de ensino, ao que
tange o trabalho em sala de aula de forma criativa e interativa, dando aos alunos a
possibilidade de se conhecerem e conhecer as múltiplas facetas do mundo, através do estudo
da língua portuguesa, pelas vias da fala, leitura e da escrita, objetivando o resgate ou até
mesmo a aquisição do prazer de estudar, procurando fazê-los entender que o muro que separa
a escola e a vida é bem menor do que presumiram.
         As diversas formas de representação da fala, da leitura e da escrita tem sido
vislumbrada e apreciada de forma exorbitante em nosso cotidiano, isso graças aos avanços
tecnológicos e ao advento da línguistica que tem permitido essa dinamicidade quanto às
formas de linguagem. Sendo assim, não acompanhar essa realidade no ambiente escolar é
negar um ensino inovador atrativo e consequentemente proveitoso. Em face deste contexto,
faz-se necessário repensar o processo de ensino, atentando então para um trabalho na sala de
aula que apele por mostrar a relação entre o conteúdo dado em sala de aula e o cotidiano do
aluno.
         Visto isso, não se questiona a relevância de um projeto que busque suprir as lacunas
deixadas por um processo que foi prejudicado por fatores históricos e sociais, pois a sociedade
atual só tende a ser beneficiada com tais atenuantes.


Metodologia
         Ao sentir a necessidade de resgatar a importância da língua portuguesa na vida social
dos alunos, partiremos da concepção de que, ensinar uma língua, é potencializar os
argumentos do outro, para elaboramos um planejamento bem organizado com a realização de
uma seqüência didática que atrelada a tal concepção contemple de maneira eficaz a
importância e o uso concreto da língua portuguesa no cotidiano dos alunos, através da leitura
e da escrita.
O trabalho com os textos permite a integração com a realidade dos alunos, porque
tanto os textos verbais, não-verbais e orais estão presentes na mídia e consequentemente no
dia-a-dia dos alunos.

        Tendo em vista que a finalidade do ensino de gramática é fazer com que os alunos
saibam utilizá-la em seus vários níveis de formalidade, adequadamente, na escrita e na
oralidade, faz-se necessário a utilização dos textos para ampliar a expressão verbal dos alunos
e também permitir que estes vejam a funcionalidade da gramática e a importância de ensiná-
la. É fundamental deixar o aluno falar /escrever de todas as formas, tendo como meta a
organização dos textos. Essa constatação reafirma o que disse Geraldi (1997) “A produção de
textos (orais e escritos) é o ponto de partida e chegada de todo processo ensino aprendizagem
da língua, [...] porque é no texto que a língua se revela na sua totalidade, quer enquanto
conjunto de formas e de seu reaparecimento, quer enquanto discurso. [...]”

       Diante disso, pode-se perceber que as aulas de língua portuguesa hoje, estão
dissociadas entre literatura, leitura/escrita e gramática, vê-se dessa forma as grandes lacunas
que permeiam os problemas para conceber as competências lingüísticas e textuais dos alunos
em aulas de língua portuguesa.
       Sabendo disso, é fundamental trabalhar de forma integrada, e, sobretudo, de maneira
coerente as aulas de gramática e leitura/ escrita, pois se torna inconcebível a utilização de uma
sem os conhecimentos da outra. O texto é o condutor das analises lingüísticas e, sabendo
como utilizá-las, encontraremos a funcionalidade de um texto.
       Partindo desse pressuposto pretende-se trabalhar nas aulas de língua portuguesa o
falar, ouvir, ler e escrever, tendo como principal objeto de estudo o texto, pois este se
encontra no eixo das discussões lingüísticas, por ser entendido como a forma mais completa
de aprender a língua, sendo este o suporte que mostra a língua em uso, é considerado também
a base de toda forma de conversação.
       Dessa forma vê-se que os estudos da gramática da língua portuguesa devem está
centrados na capacitação do aluno no domínio da língua para sua utilização comunicativa,
como afirma Travaglia (2009) “Ao ensinar gramática queremos que o aluno domine a língua,
para ter uma competência comunicativa nessa língua. [...]”. Porém, é perceptível que as aulas
de português estão centradas em ensinos fragmentados, e na utilização das regras de uma
gramática que simplesmente os falantes ignoram por não precisarem conhecê-la para falar a
língua e conseguir ter uma boa comunicação com os demais falantes.
       Sendo assim como resgatar a importância desse ensino para os alunos?E como superar
essa dicotomia gramática/produção textual? Tais questões já foram levantadas e estão sendo
aos poucos respondidas por estudiosos e professores que tentam trabalhar a língua de forma
integrada, a leitura (interpretação), redação ( produção textual), a gramática e estudo do
vocabulário, pois como dito anteriormente tudo o que é gramatical é textual e vice-
versa.Porque a gramática é toda produção de sentido que se manifesta por meio de textos da
língua.




Cronograma


Cronograma de atividades referente ao primeiro semestre de 2011

                  AGOSTO   SETEMBRO       OUTUBRO    NOVEMBRO     DEZEMBRO



Vivência              X
escolar e
aplicação do
questionário
Elaboração do         X
projeto escrito

Reescrita do         X                X
projeto

Início das           X
atividades

Execução do                       X              X          X
projeto

Análise dos                                                           X
resultados



Referências


TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Gramática e interação: uma proposta para o ensino de
gramática. 13ªed. São Paulo: Cortez, 2009.


ANTUNES, Maria Irandé. Aula de Português-encontro e interação. São Paulo: Parábola,
2003.
GERALDI, João Wanderley (org.). O texto na sala de aula. 3ª Ed. São Paulo: Ática,2000.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ensino/aprendisagem de Inglês em uma visão intercultural
Ensino/aprendisagem de Inglês em uma visão interculturalEnsino/aprendisagem de Inglês em uma visão intercultural
Ensino/aprendisagem de Inglês em uma visão interculturalUNEB
 
Pcn 3 e 4 ciclos para blog
Pcn 3 e 4 ciclos para blogPcn 3 e 4 ciclos para blog
Pcn 3 e 4 ciclos para blogThiagogui
 
Monografia de Josiélia Oliveira Pereira
Monografia de Josiélia Oliveira PereiraMonografia de Josiélia Oliveira Pereira
Monografia de Josiélia Oliveira PereiraUNEB
 
Educação fundamental orintações gerais português e matemática
Educação fundamental   orintações gerais português e matemáticaEducação fundamental   orintações gerais português e matemática
Educação fundamental orintações gerais português e matemáticapedagogiaaoaopedaletra.com Mendonca
 
A leitura em sala de aula de língua inglesa
A leitura em sala de aula de língua inglesaA leitura em sala de aula de língua inglesa
A leitura em sala de aula de língua inglesaUNEB
 
O ensino na língua portuguesa
O ensino na língua portuguesaO ensino na língua portuguesa
O ensino na língua portuguesalagunaedu
 
Metodologia do ensino de lingua inglesa avaliação - Adriana Yuri Takamori Seichi
Metodologia do ensino de lingua inglesa avaliação - Adriana Yuri Takamori SeichiMetodologia do ensino de lingua inglesa avaliação - Adriana Yuri Takamori Seichi
Metodologia do ensino de lingua inglesa avaliação - Adriana Yuri Takamori SeichiAdriana Takamori
 
Seminário academico. O Ensino da Língua Portuguesa: Perspectivas e Contradições
Seminário academico. O Ensino da Língua Portuguesa: Perspectivas e ContradiçõesSeminário academico. O Ensino da Língua Portuguesa: Perspectivas e Contradições
Seminário academico. O Ensino da Língua Portuguesa: Perspectivas e Contradiçõeslagunaedu
 
Monografia de Kelly Tainan Santos Oliveira
Monografia de Kelly Tainan Santos OliveiraMonografia de Kelly Tainan Santos Oliveira
Monografia de Kelly Tainan Santos OliveiraUNEB
 
Monografia de Wagner Simões de Oliveira
Monografia de Wagner Simões de OliveiraMonografia de Wagner Simões de Oliveira
Monografia de Wagner Simões de OliveiraUNEB
 
Monografia de Deiseluce de Oliveira Ramos
Monografia de Deiseluce de Oliveira RamosMonografia de Deiseluce de Oliveira Ramos
Monografia de Deiseluce de Oliveira RamosUNEB
 
A construção da autonomia no processo de aprendizagem de Língua Inglesa na es...
A construção da autonomia no processo de aprendizagem de Língua Inglesa na es...A construção da autonomia no processo de aprendizagem de Língua Inglesa na es...
A construção da autonomia no processo de aprendizagem de Língua Inglesa na es...UNEB
 

Mais procurados (17)

Memorial (1)
Memorial (1)Memorial (1)
Memorial (1)
 
Ensino/aprendisagem de Inglês em uma visão intercultural
Ensino/aprendisagem de Inglês em uma visão interculturalEnsino/aprendisagem de Inglês em uma visão intercultural
Ensino/aprendisagem de Inglês em uma visão intercultural
 
Pcn 3 e 4 ciclos para blog
Pcn 3 e 4 ciclos para blogPcn 3 e 4 ciclos para blog
Pcn 3 e 4 ciclos para blog
 
Monografia de Josiélia Oliveira Pereira
Monografia de Josiélia Oliveira PereiraMonografia de Josiélia Oliveira Pereira
Monografia de Josiélia Oliveira Pereira
 
Educação fundamental orintações gerais português e matemática
Educação fundamental   orintações gerais português e matemáticaEducação fundamental   orintações gerais português e matemática
Educação fundamental orintações gerais português e matemática
 
A leitura em sala de aula de língua inglesa
A leitura em sala de aula de língua inglesaA leitura em sala de aula de língua inglesa
A leitura em sala de aula de língua inglesa
 
O ensino na língua portuguesa
O ensino na língua portuguesaO ensino na língua portuguesa
O ensino na língua portuguesa
 
Metodologia do ensino de lingua inglesa avaliação - Adriana Yuri Takamori Seichi
Metodologia do ensino de lingua inglesa avaliação - Adriana Yuri Takamori SeichiMetodologia do ensino de lingua inglesa avaliação - Adriana Yuri Takamori Seichi
Metodologia do ensino de lingua inglesa avaliação - Adriana Yuri Takamori Seichi
 
04 ekalinovskitrabalhocompleto
04 ekalinovskitrabalhocompleto04 ekalinovskitrabalhocompleto
04 ekalinovskitrabalhocompleto
 
Seminário academico. O Ensino da Língua Portuguesa: Perspectivas e Contradições
Seminário academico. O Ensino da Língua Portuguesa: Perspectivas e ContradiçõesSeminário academico. O Ensino da Língua Portuguesa: Perspectivas e Contradições
Seminário academico. O Ensino da Língua Portuguesa: Perspectivas e Contradições
 
Monografia de Kelly Tainan Santos Oliveira
Monografia de Kelly Tainan Santos OliveiraMonografia de Kelly Tainan Santos Oliveira
Monografia de Kelly Tainan Santos Oliveira
 
Monografia de Wagner Simões de Oliveira
Monografia de Wagner Simões de OliveiraMonografia de Wagner Simões de Oliveira
Monografia de Wagner Simões de Oliveira
 
Daiana godinho
Daiana godinhoDaiana godinho
Daiana godinho
 
Monografia de Deiseluce de Oliveira Ramos
Monografia de Deiseluce de Oliveira RamosMonografia de Deiseluce de Oliveira Ramos
Monografia de Deiseluce de Oliveira Ramos
 
Artigo especialização linguistica
Artigo especialização linguisticaArtigo especialização linguistica
Artigo especialização linguistica
 
A construção da autonomia no processo de aprendizagem de Língua Inglesa na es...
A construção da autonomia no processo de aprendizagem de Língua Inglesa na es...A construção da autonomia no processo de aprendizagem de Língua Inglesa na es...
A construção da autonomia no processo de aprendizagem de Língua Inglesa na es...
 
O uso de ferramentas mediáticas
O uso de ferramentas mediáticasO uso de ferramentas mediáticas
O uso de ferramentas mediáticas
 

Destaque

Módulo 2 verbo
Módulo 2   verboMódulo 2   verbo
Módulo 2 verboBeto Batis
 
PIBID - Letras - Verbos
PIBID - Letras - VerbosPIBID - Letras - Verbos
PIBID - Letras - VerbosBeto Batis
 
Pibid letras - Variação Linguística
Pibid letras - Variação LinguísticaPibid letras - Variação Linguística
Pibid letras - Variação LinguísticaBeto Batis
 
Sequência didática do módulo 2 - Verbos
Sequência didática do módulo 2 - VerbosSequência didática do módulo 2 - Verbos
Sequência didática do módulo 2 - VerbosBeto Batis
 
Aula 04 variacao linguistica
Aula 04   variacao linguisticaAula 04   variacao linguistica
Aula 04 variacao linguisticaMarcia Simone
 
Seqüência didática do projeto
Seqüência didática do projetoSeqüência didática do projeto
Seqüência didática do projetoBeto Batis
 
Variedades Linguísticas
Variedades LinguísticasVariedades Linguísticas
Variedades Linguísticas7 de Setembro
 

Destaque (9)

Módulo 2 verbo
Módulo 2   verboMódulo 2   verbo
Módulo 2 verbo
 
PIBID - Letras - Verbos
PIBID - Letras - VerbosPIBID - Letras - Verbos
PIBID - Letras - Verbos
 
Oficina variacoes
Oficina variacoesOficina variacoes
Oficina variacoes
 
Pibid letras - Variação Linguística
Pibid letras - Variação LinguísticaPibid letras - Variação Linguística
Pibid letras - Variação Linguística
 
Sequência didática do módulo 2 - Verbos
Sequência didática do módulo 2 - VerbosSequência didática do módulo 2 - Verbos
Sequência didática do módulo 2 - Verbos
 
Variedades linguísticas
Variedades linguísticasVariedades linguísticas
Variedades linguísticas
 
Aula 04 variacao linguistica
Aula 04   variacao linguisticaAula 04   variacao linguistica
Aula 04 variacao linguistica
 
Seqüência didática do projeto
Seqüência didática do projetoSeqüência didática do projeto
Seqüência didática do projeto
 
Variedades Linguísticas
Variedades LinguísticasVariedades Linguísticas
Variedades Linguísticas
 

Semelhante a Projeto PIBID

O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR, NOVAS PERSPECTIVAS PAR...
O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR, NOVAS PERSPECTIVAS PAR...O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR, NOVAS PERSPECTIVAS PAR...
O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR, NOVAS PERSPECTIVAS PAR...Andreia Medeiros
 
Projeto de Intervenção Socioeducativa - 2011
Projeto de Intervenção Socioeducativa - 2011Projeto de Intervenção Socioeducativa - 2011
Projeto de Intervenção Socioeducativa - 2011EC306norte
 
Izabel maria de matos artigo sobre linguística
Izabel maria de matos artigo sobre linguísticaIzabel maria de matos artigo sobre linguística
Izabel maria de matos artigo sobre linguísticaIzabel Maria de Matos
 
Slide li análise de contexto de ensino e aprendizado na escola pública 2
Slide li análise de contexto de ensino e aprendizado na escola pública 2Slide li análise de contexto de ensino e aprendizado na escola pública 2
Slide li análise de contexto de ensino e aprendizado na escola pública 2Myrian Conor
 
Livro aprender mais_portugues_anos_finais
Livro aprender mais_portugues_anos_finaisLivro aprender mais_portugues_anos_finais
Livro aprender mais_portugues_anos_finaiselannialins
 
O BLOG COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA NO ENSINO DE GRAMÁTICA DA LÍNGUA INGLESA: P...
O BLOG COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA NO ENSINO DE GRAMÁTICA DA LÍNGUA INGLESA: P...O BLOG COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA NO ENSINO DE GRAMÁTICA DA LÍNGUA INGLESA: P...
O BLOG COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA NO ENSINO DE GRAMÁTICA DA LÍNGUA INGLESA: P...Joyce Fettermann
 
Currículo referência lingua portuguesa 6º ao 9º ano
Currículo referência lingua portuguesa 6º ao 9º anoCurrículo referência lingua portuguesa 6º ao 9º ano
Currículo referência lingua portuguesa 6º ao 9º anotecnicossme
 
Izabel maria de matos monografia sobre linguística
Izabel maria de matos monografia sobre linguísticaIzabel maria de matos monografia sobre linguística
Izabel maria de matos monografia sobre linguísticaIzabel Maria de Matos
 
Relatório de estágio 11 (reparado) (1)
Relatório de estágio  11 (reparado) (1)Relatório de estágio  11 (reparado) (1)
Relatório de estágio 11 (reparado) (1)Natália Ferreira
 
Relato de experiência hanna e caique
Relato de experiência  hanna e caiqueRelato de experiência  hanna e caique
Relato de experiência hanna e caiquepibid ING
 
Documento
DocumentoDocumento
Documentodricaaa
 
A TEORIA DOS GÊNEROS E O SÓCIO-INTERACIONISMO: ABORDAGENS PARA O ENSINO-APREN...
A TEORIA DOS GÊNEROS E O SÓCIO-INTERACIONISMO: ABORDAGENS PARA O ENSINO-APREN...A TEORIA DOS GÊNEROS E O SÓCIO-INTERACIONISMO: ABORDAGENS PARA O ENSINO-APREN...
A TEORIA DOS GÊNEROS E O SÓCIO-INTERACIONISMO: ABORDAGENS PARA O ENSINO-APREN...Eva Dos Reis
 
PPGLA/Unisinos - Projetos de Pesquisa
PPGLA/Unisinos - Projetos de PesquisaPPGLA/Unisinos - Projetos de Pesquisa
PPGLA/Unisinos - Projetos de Pesquisarove2013
 
MONOGRAFIA DE ANA ZILÁ RAMOS OLIVEIRA DA SILVA
MONOGRAFIA DE ANA ZILÁ RAMOS OLIVEIRA DA SILVAMONOGRAFIA DE ANA ZILÁ RAMOS OLIVEIRA DA SILVA
MONOGRAFIA DE ANA ZILÁ RAMOS OLIVEIRA DA SILVAUNEB
 

Semelhante a Projeto PIBID (20)

O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR, NOVAS PERSPECTIVAS PAR...
O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR, NOVAS PERSPECTIVAS PAR...O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR, NOVAS PERSPECTIVAS PAR...
O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR, NOVAS PERSPECTIVAS PAR...
 
Projeto de Intervenção Socioeducativa - 2011
Projeto de Intervenção Socioeducativa - 2011Projeto de Intervenção Socioeducativa - 2011
Projeto de Intervenção Socioeducativa - 2011
 
generosTextuaisNaPandemia.pdf
generosTextuaisNaPandemia.pdfgenerosTextuaisNaPandemia.pdf
generosTextuaisNaPandemia.pdf
 
Izabel maria de matos artigo sobre linguística
Izabel maria de matos artigo sobre linguísticaIzabel maria de matos artigo sobre linguística
Izabel maria de matos artigo sobre linguística
 
Slide li análise de contexto de ensino e aprendizado na escola pública 2
Slide li análise de contexto de ensino e aprendizado na escola pública 2Slide li análise de contexto de ensino e aprendizado na escola pública 2
Slide li análise de contexto de ensino e aprendizado na escola pública 2
 
Livro aprender mais_portugues_anos_finais
Livro aprender mais_portugues_anos_finaisLivro aprender mais_portugues_anos_finais
Livro aprender mais_portugues_anos_finais
 
O BLOG COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA NO ENSINO DE GRAMÁTICA DA LÍNGUA INGLESA: P...
O BLOG COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA NO ENSINO DE GRAMÁTICA DA LÍNGUA INGLESA: P...O BLOG COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA NO ENSINO DE GRAMÁTICA DA LÍNGUA INGLESA: P...
O BLOG COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA NO ENSINO DE GRAMÁTICA DA LÍNGUA INGLESA: P...
 
Currículo referência lingua portuguesa 6º ao 9º ano
Currículo referência lingua portuguesa 6º ao 9º anoCurrículo referência lingua portuguesa 6º ao 9º ano
Currículo referência lingua portuguesa 6º ao 9º ano
 
Tecnologias
TecnologiasTecnologias
Tecnologias
 
Monografia urca 2009
Monografia urca 2009Monografia urca 2009
Monografia urca 2009
 
Izabel maria de matos monografia sobre linguística
Izabel maria de matos monografia sobre linguísticaIzabel maria de matos monografia sobre linguística
Izabel maria de matos monografia sobre linguística
 
Monografia urca 2009
Monografia urca 2009Monografia urca 2009
Monografia urca 2009
 
Pesquisa e ensino em geografia a linguagem imagética para …
Pesquisa e ensino em geografia a linguagem imagética para …Pesquisa e ensino em geografia a linguagem imagética para …
Pesquisa e ensino em geografia a linguagem imagética para …
 
Relatório de estágio 11 (reparado) (1)
Relatório de estágio  11 (reparado) (1)Relatório de estágio  11 (reparado) (1)
Relatório de estágio 11 (reparado) (1)
 
Gestão de fronteiras entre saberes na operacionalização da transversalidade d...
Gestão de fronteiras entre saberes na operacionalização da transversalidade d...Gestão de fronteiras entre saberes na operacionalização da transversalidade d...
Gestão de fronteiras entre saberes na operacionalização da transversalidade d...
 
Relato de experiência hanna e caique
Relato de experiência  hanna e caiqueRelato de experiência  hanna e caique
Relato de experiência hanna e caique
 
Documento
DocumentoDocumento
Documento
 
A TEORIA DOS GÊNEROS E O SÓCIO-INTERACIONISMO: ABORDAGENS PARA O ENSINO-APREN...
A TEORIA DOS GÊNEROS E O SÓCIO-INTERACIONISMO: ABORDAGENS PARA O ENSINO-APREN...A TEORIA DOS GÊNEROS E O SÓCIO-INTERACIONISMO: ABORDAGENS PARA O ENSINO-APREN...
A TEORIA DOS GÊNEROS E O SÓCIO-INTERACIONISMO: ABORDAGENS PARA O ENSINO-APREN...
 
PPGLA/Unisinos - Projetos de Pesquisa
PPGLA/Unisinos - Projetos de PesquisaPPGLA/Unisinos - Projetos de Pesquisa
PPGLA/Unisinos - Projetos de Pesquisa
 
MONOGRAFIA DE ANA ZILÁ RAMOS OLIVEIRA DA SILVA
MONOGRAFIA DE ANA ZILÁ RAMOS OLIVEIRA DA SILVAMONOGRAFIA DE ANA ZILÁ RAMOS OLIVEIRA DA SILVA
MONOGRAFIA DE ANA ZILÁ RAMOS OLIVEIRA DA SILVA
 

Último

A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...DominiqueFaria2
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfceajajacu
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesGilbraz Aragão
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSdjgsantos1981
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 

Último (20)

A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
 

Projeto PIBID

  • 1. UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA – UEPB CIÊNCIAS DA NATUREZA, MATEMÁTICA E LINGUAGEM PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA – PIBID SUBPROJETO DE LETRAS - LÍNGUA PORTUGUESA ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROFESSOR RAUL CÓRDULA COORDENADORA: MAGLIANA RODRIGUES SUPERVISORA: DIANA NUNES BOLSISTAS: ALESCA J. DA COSTA SILVA; LUCIANA VIEIRA ALVES; MARIA DO LIVRAMENTO;MARCIANA DA SILVA MILÂNEZ PROJETO DE PESQUISA “NAS TRILHAS DA LÍNGUA PORTUGUESA: O texto em foco” CAMPINA GRANDE - PB
  • 2. AGOSTO /2011 ALESCA J. DA COSTA SILVA LUCIANA VIEIRA ALVES MARIA DO LIVRAMENTO MARCIANA DA SILVA MILÂNEZ “NAS TRILHAS DA LÍNGUA PORTUGUESA: O texto em foco” Projeto de pesquisa apresentado ao Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid), sob coordenação da professora Magliana Rodrigues, do curso de Letras da Universidade Estadual da Paraíba; e supervisão da professora Diana Nunes, da E.E.E.F.M. Prof. Raul Córdula . CAMPINA GRANDE – PB AGOSTO / 2011
  • 3. Introdução Com o advento das discussões lingüísticas no meio acadêmico, o ensino de língua materna e suas especificidades encontram-se no centro das análises e dos estudos dessas discussões lingüísticas.Isso posto, dado o fato de o ensino da língua ainda se basear em questões morfossintáticas desvinculadas do dia-a-dia,ou seja, a não adequação do conteúdo ao cotidiano dos alunos, reforçando o desinteresse pelo estudo, o que distancia a funcionalidade do ensino e, dessa forma,os alunos não conseguem vislumbrar a necessidade de estudar morfologia, sintaxe e semântica, desconhecendo que estes três aspectos do português permeiam o uso da língua. Partindo disso, o presente trabalho objetiva propor uma oficina que resgate o interesse dos discentes através de metodologias atrativas relacionadas ao meio que estão inseridos, colocando o texto como o foco do processo ensino-aprendizagem do idioma, pois há de se ter em mente que um ensino mais produtivo da língua está vinculado ao conhecimento de como o léxico atua na organização e produção de textos. Diante dos questionamentos dos alunos acerca da (des) necessidade em estudar língua portuguesa, por estarem “acostumados” a um ensino desvinculado do cotidiano e da indicação dos PCN’s em trabalhar a gramática em função do texto e das práticas sociais de uso da língua, o presente trabalho permite sinalizar para que os professores tenham uma visão mais crítica em relação ao ensino de gramática, a partir de tal prática é possível iniciar um trabalho em sala de aula visando uma integração entre as áreas básicas que se dividem e se estruturam no ensino de língua materna: ensino de gramática, ensino de leitura (compreensão de textos), ensino de redação (produção textual) e ensino de vocabulário, o que favorece uma formação mais completa. Visto isso, o presente trabalho objetiva propor uma oficina que resgate o comprometimento dos discentes, em sala de aula, através de metodologias atrativas relacionadas ao meio em que estão inseridos. Para isso, faremos uso de recursos audiovisuais, como: vídeos, músicas, propagandas ,charges, etc. Plano da natureza do problema Ao observarmos a realidade do corpo discente da escola escolhida para o projeto, percebemos um acentuado desinteresse nas aulas de língua portuguesa. Isso nos levou a refletir as possíveis razões da desmotivação surgindo assim alguns questionamentos: Até que ponto a disciplina língua portuguesa não é atrativa? Seria a falta de gosto, ou é a metodologia do professor que não favorece “o gostar”? E até que ponto a disciplina tem relação ou funcionalidade com o cotidiano do aluno?
  • 4. Plano da natureza das hipóteses No primeiro momento da vivência escolar, tivemos oportunidade de entrar na sala de aula, o que nos permitiu observar o processo de ensino, e investigá-lo com maior propriedade. Sabe-se que o sistema educacional “falha” em diversos aspectos, não apenas na escola aqui conveniada, mas também nas demais escolas, principalmente públicas, do nosso país. As teorias sempre propõem um ensino pautado numa relação com o cotidiano, imbuído de funcionalidade, para assim o aluno perceber a relevância do conteúdo que é/está sendo estudado, e para que o próprio discente consiga estabelecer essa relação. Se o aluno não está percebendo isso, ou se o processo de ensino está apresentando algum problema, algo não está funcionando bem. Pode ser que o próprio corpo estudantil não esteja cooperando com o processo; ou talvez isso ocorra por conta da metodologia adotada pelo professor, o que ocasiona um desestímulo, e uma menor assimilação do conteúdo. Objetivos Incentivar o interesse pelo aprendizado, por parte dos alunos, nas aulas de língua portuguesa.  Demonstrar a relevância do estudo de língua portuguesa através de exposições dinâmicas do conteúdo;  Mostrar a funcionalidade da língua através dos textos;  Trabalhar a leitura e a escrita a partir de recursos audiovisuais;  Resgatar a participação dos discentes em sala de aula;  Estabelecer uma relação do conteúdo com a vida;  Propor atividades interdisciplinares. Justificativa Uma das constantes justificativas que discorre a cerca dos problemas sociais do nosso país encontra-se na falta de investimentos por parte do governo para uma educação de qualidade, muito se fala que a base para o desenvolvimento de uma nação está entrelaçada a uma boa educação, contudo pode-se observar iniciativas por parte do governo na criação de
  • 5. projetos que busquem amenizar os problemas educacionais do país, embora esses investimentos não consigam alcançar efetivamente uma educação de qualidade. Atentando para essa realidade, é possível observar que a escola hoje desempenha o seu papel desvinculado das necessidades sociais, o mundo para o qual a escola trabalha está distante do mundo que é vivido do outro lado do muro pela maioria dos alunos. A idéia de que a escola faz parte da vida está se dissolvendo na mente da sociedade, contribuindo para o agravante da situação educacional que vive hoje o Brasil. Diante disso, faz-se necessário um olhar mais atento ao processo de ensino, ao que tange o trabalho em sala de aula de forma criativa e interativa, dando aos alunos a possibilidade de se conhecerem e conhecer as múltiplas facetas do mundo, através do estudo da língua portuguesa, pelas vias da fala, leitura e da escrita, objetivando o resgate ou até mesmo a aquisição do prazer de estudar, procurando fazê-los entender que o muro que separa a escola e a vida é bem menor do que presumiram. As diversas formas de representação da fala, da leitura e da escrita tem sido vislumbrada e apreciada de forma exorbitante em nosso cotidiano, isso graças aos avanços tecnológicos e ao advento da línguistica que tem permitido essa dinamicidade quanto às formas de linguagem. Sendo assim, não acompanhar essa realidade no ambiente escolar é negar um ensino inovador atrativo e consequentemente proveitoso. Em face deste contexto, faz-se necessário repensar o processo de ensino, atentando então para um trabalho na sala de aula que apele por mostrar a relação entre o conteúdo dado em sala de aula e o cotidiano do aluno. Visto isso, não se questiona a relevância de um projeto que busque suprir as lacunas deixadas por um processo que foi prejudicado por fatores históricos e sociais, pois a sociedade atual só tende a ser beneficiada com tais atenuantes. Metodologia Ao sentir a necessidade de resgatar a importância da língua portuguesa na vida social dos alunos, partiremos da concepção de que, ensinar uma língua, é potencializar os argumentos do outro, para elaboramos um planejamento bem organizado com a realização de uma seqüência didática que atrelada a tal concepção contemple de maneira eficaz a importância e o uso concreto da língua portuguesa no cotidiano dos alunos, através da leitura e da escrita.
  • 6. O trabalho com os textos permite a integração com a realidade dos alunos, porque tanto os textos verbais, não-verbais e orais estão presentes na mídia e consequentemente no dia-a-dia dos alunos. Tendo em vista que a finalidade do ensino de gramática é fazer com que os alunos saibam utilizá-la em seus vários níveis de formalidade, adequadamente, na escrita e na oralidade, faz-se necessário a utilização dos textos para ampliar a expressão verbal dos alunos e também permitir que estes vejam a funcionalidade da gramática e a importância de ensiná- la. É fundamental deixar o aluno falar /escrever de todas as formas, tendo como meta a organização dos textos. Essa constatação reafirma o que disse Geraldi (1997) “A produção de textos (orais e escritos) é o ponto de partida e chegada de todo processo ensino aprendizagem da língua, [...] porque é no texto que a língua se revela na sua totalidade, quer enquanto conjunto de formas e de seu reaparecimento, quer enquanto discurso. [...]” Diante disso, pode-se perceber que as aulas de língua portuguesa hoje, estão dissociadas entre literatura, leitura/escrita e gramática, vê-se dessa forma as grandes lacunas que permeiam os problemas para conceber as competências lingüísticas e textuais dos alunos em aulas de língua portuguesa. Sabendo disso, é fundamental trabalhar de forma integrada, e, sobretudo, de maneira coerente as aulas de gramática e leitura/ escrita, pois se torna inconcebível a utilização de uma sem os conhecimentos da outra. O texto é o condutor das analises lingüísticas e, sabendo como utilizá-las, encontraremos a funcionalidade de um texto. Partindo desse pressuposto pretende-se trabalhar nas aulas de língua portuguesa o falar, ouvir, ler e escrever, tendo como principal objeto de estudo o texto, pois este se encontra no eixo das discussões lingüísticas, por ser entendido como a forma mais completa de aprender a língua, sendo este o suporte que mostra a língua em uso, é considerado também a base de toda forma de conversação. Dessa forma vê-se que os estudos da gramática da língua portuguesa devem está centrados na capacitação do aluno no domínio da língua para sua utilização comunicativa, como afirma Travaglia (2009) “Ao ensinar gramática queremos que o aluno domine a língua, para ter uma competência comunicativa nessa língua. [...]”. Porém, é perceptível que as aulas de português estão centradas em ensinos fragmentados, e na utilização das regras de uma gramática que simplesmente os falantes ignoram por não precisarem conhecê-la para falar a língua e conseguir ter uma boa comunicação com os demais falantes. Sendo assim como resgatar a importância desse ensino para os alunos?E como superar essa dicotomia gramática/produção textual? Tais questões já foram levantadas e estão sendo aos poucos respondidas por estudiosos e professores que tentam trabalhar a língua de forma
  • 7. integrada, a leitura (interpretação), redação ( produção textual), a gramática e estudo do vocabulário, pois como dito anteriormente tudo o que é gramatical é textual e vice- versa.Porque a gramática é toda produção de sentido que se manifesta por meio de textos da língua. Cronograma Cronograma de atividades referente ao primeiro semestre de 2011 AGOSTO SETEMBRO OUTUBRO NOVEMBRO DEZEMBRO Vivência X escolar e aplicação do questionário Elaboração do X projeto escrito Reescrita do X X projeto Início das X atividades Execução do X X X projeto Análise dos X resultados Referências TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Gramática e interação: uma proposta para o ensino de gramática. 13ªed. São Paulo: Cortez, 2009. ANTUNES, Maria Irandé. Aula de Português-encontro e interação. São Paulo: Parábola, 2003.
  • 8. GERALDI, João Wanderley (org.). O texto na sala de aula. 3ª Ed. São Paulo: Ática,2000.