Relatório de estágio 11 (reparado) (1)

11.058 visualizações

Publicada em

Relatório de estágio letras unopar

Publicada em: Mídias sociais
  • Seja o primeiro a comentar

Relatório de estágio 11 (reparado) (1)

  1. 1. SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO LICENCIATURA EM LETRAS LÍNGUA PORTUGUESA E RESPECTIVAS LITERATURAS IARA REGINA DA SILVEIRA E SILVA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO I Diário de observação das aulas de língua portuguesa Palmas/TO 2014
  2. 2. IARA REGINA DA SILVEIRA E SILVA Palmas/TO 2014 2 ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO I Diário de observação das aulas de língua portuguesa Trabalho do curso de letras apresentado à Universidade Norte do Paraná - UNOPAR, como requisito parcial para a obtenção de média nas disciplinas de Metodologias do Ensino de Língua Portuguesa e Literatura, Estruturalismo e Sociolinguística, Literaturas de Língua Portuguesa e Seminário da Prática IV. Orientador: Prof. Antonio Lemes Guerra Junior, Rosemari Bendlin Calzavara, Juliana Fogaça Sanches Simm, Anderson Teixeira Rolim e Ana Paula Pinheiro da Silveira.
  3. 3. 1- INTRODUÇÃO 3 Relatório de estágio curricular obrigatório realizado no período de 03 de setembro a 29 de setembro de 2014 na Escola Centro Integrado de Cursos de Língua LTDA-ME, com orientação da Universidade Norte do Paraná e sob supervisão de campo da professora Pollyana Mendes Spigoloni. O trabalho aqui apresentado irá relatar por meio de um diário as observações das aulas de português com o intuito da progressão do conhecimento e do domínio de conteúdo e de turma, as turmas escolhidas para ser relatada fazem parte e é compreendida ao ensino fundamental do 6° ao 9° ano. Além disso, relata-se sobre diversos exemplos de como um professor regente pode exercer o seu papel em sala de aula, como está sendo trabalhado a leitura, interpretação e a compreensão de texto, atividades linguísticas, a gramática e a literatura infanto-juvenil. Fala-se sobre a maneira de como os alunos interagem com o professo em sala, o material didático na busca de conhecimento e a utilização de outros materiais que promovem o desenvolvimento e a criatividade do aluno. Em campo, podemos encontrar varias dificuldade que os professores encontram em sala de aula e como se lida com elas, algo que não se aprende no ambiente acadêmico, é importante sair em campo, pois o acadêmico vai poder compreender melhor a profissão que irá exercer no futuro.
  4. 4. 2- DADOS DE INDENTIFICAÇÃO: Unidade concedente do estágio: Razão social Centro integrado De Cursos De línguas LTDA-ME, Situada no endereço 104 Sul, SE-05, LT-39, S/N°, - Plano Diretor Norte - CEP: 77020-972 - Palmas/TO, inscrito sob o CNPJ 07485739000180 Telefone: (63) 3225-2228, horário de funcionamento ao público das 07h00min as 19h00min de segunda a sexta-feira, diretora da unidade escolar: Luciana Rodrigues Fracadosso; Supervisora de campo: Pollyana Mendes Spigoloni. Uma instituição privada em Palmas/TO e regida regularmente pelos critérios da secretaria de educação do município e estado. O nome da escola é uma homenagem ao escritor brasileiro Aurélio Buarque de Holanda Ferreira, professor Alagoanos que decidiu fazer o seu próprio dicionário e terminou no ano de 1975, nasceu na cidade de Passo de Camaragibe estado de Alagoas em 02 de Maio de 1910 e morreu em 28 de fevereiro de 1989 no Rio de Janeiro. 3- A EFICIÊNCIA NO VOCACIONADO DE SER PROFESSOR 4
  5. 5. 5 Baseado na leitura dos textos: Para onde vai o professor? Resgate do professor como sujeito de transformação, prática de ensino de língua portuguesa e estágio supervisionado: Questões a serem discutidas e Formação inicial de professores de língua portuguesa: O discurso sobre a sala de aula na voz dos estagiários. Para a desafiante experiência de ser professor, a estadia no desenvolvimento de sua profissão deve ser encarada de modo profissional demonstrando amor em sua prática pedagógica, uma visão que deve ser enxergada claramente como ponto básico para o crescimento humano da sociedade, o professor é o símbolo de formalidade para a inserção da ética para a progressão da humanidade, é necessário que no uso sala de aula possa fazer jus de todas estas beneficências que o educador recebe como adjetivos. Pelo feito do poder da educação ser imensamente gratificante para o exercício da cidadania, um tipo de escatologia pedagógica é decisiva e capaz de transformar o homem aplicando em forma de essência a educação, palavra chave para mudar o ambiente em que vivemos deixando positivamente seus efeitos na comunidade. Aliás, para a formação do ser humano é parceria do professo com a participação ativa da família, resgatando seus direitos e deveres contribuindo o indivíduo com a sua dignidade, fazer o melhor de si é tarefa árdua do professor sem adicional remunerável. Devido a necessidade da educação, o professor de língua portuguesa é uma soma para a continuidade da boa conduta e reflexo de bons costumes, não pode ser somente da escola o papel de educar a criança, a sociedade tem ser aliada em rumo ao formação de seus descendentes, a aprendizagem feita conjunto pode ser rica ao conhecimento do todo, toda unidade de ensino precisa ter o apoio da comunidade para a produção do homem pensante, crítico, mas coerente. Por outro lado, a especialidade do educador como profissional que rege a educação, é motivacional para reverter o índice de indisciplina, isto é, sua ação é vista como exemplos, mediante isto, precisa ser precisa e graciosa aos olhos do ambiente em que se encontra; Além do mais, ser professor é ter aptidão psicológica e não apenas profissão, passar para os alunos a magnitude de ser
  6. 6. 6 educador como mediador que mostra o caminho para ser a decisão de ser seguido, estimular a vida como fato a ter vontade de viver com a boa educação que lhes são oferecido. Diante dos fatos apresentados, é de responsabilidade do educador juntamente do poder mantenedor e sociedade repassar informações que servirão como espelho para o cumprimento dos deveres cívicos do cidadão com a comunidade, uma vez professor, sempre inteiro com as suas responsabilidades para com a escola, uma exposição de caráter e ajudando no futuro dos alunos com a estratégia que fornece o saber que gera competência para o pleito da perspectiva de vida, fornece uma ampla educação que apoia o paradoxo de que é preciso fazer algo para mudar a realidade. O professor atual tem como função percorrer a realidade do aluno e trazer algo semelhante para dentro da sala de aula trazendo consigo uma solução ou parte dela para compartilhar, há a necessidade da intervenção para que o educando receba assistência com a construção do conhecimento, de um lado coletivo, por único é de valor ainda não estimado. Fazer reflexão da sociedade pela a própria sociedade é uma das metas que o professor adota: “Cabe, pois, ao professor desembaraçar-se de uma posição reativa defensiva e partir para a autocrítica e (re) construção de sua proposta”. (Celso Vasconcellos) . Assim, a árdua missão de ensinar deve ser vista também com amor, mas, também é preciso renovar as propostas pedagógicas para obter maior consistência ao ser colocada em prática, o campo é grande e necessita maio alcance para haver influência da escola ao desenvolver um trabalho que induza uma crise de consciência no homem e que veja o professor como um emissário daquele que o constituiu educador. Vejamos o ser humano como alma vivente e dotada da capacidade de absorver tudo o que se encontra ao seu redor, com essas habilidades presentes em si, a educação estima-se que é necessário ter conhecimento para desvendar o mundo e suas propriedades, há a necessidade de separar o lixo do saber e isso só é possível através da boa formação que são tarefa de todos, hoje é vista como apenas do
  7. 7. professor, o que sobrecarrega o educador com práticas desnecessárias como, por exemplo, amarrar o cadarço do tênis, escovar os dentes, lavar as mãos, tomar banho, bons hábitos alimentares e etc. É de responsabilidade de todos os envolvidos e não apenas do professor. O papel da escola é também a do professor e carece que de uma boa conduta, a visão do mundo para o ambiente escolar é direcionada apenas o dever que deve cumprir com os alunos e se esquece de que a escola oferece boas referências para, também, ser cumprida por todos, a educação da criança é de dever de todos os envolvidos, colégio não é depósito de crianças e sim um espaço que ministra informação de mundo e conhecimento tendo o professor como mediador. Porque, um cidadão que sabe ler e escrever é capaz de desvendar segredos que a vida lhe oferece por meio da vivência secular; Mediante essas ações, o homem se torna mais ágio em seus aspectos fazendo com os ensinamentos da escola seja útil em sua vida. 4- A ORGANIZAÇÃO DA ESCOLA 7
  8. 8. 4.1- DADOS DE IDENTIFICAÇÃO: 8 Nome da escola: Centro integrado De Cursos De línguas LTDA-ME, Situada no endereço 104 Sul, SE-05, LT-39, S/N°, Plano Diretor Norte - Palmas/TO, entidade privada, funciona nos períodos matutino, vespertino. As séries ofertadas são do 1° ao 9° ano no período da manhã, do 8° ao Ensino médio a tarde; Tem 1.020 alunos. 4.2- ESTRUTURA FÍSICA E MATERIAL DA ESCOLA: 4.2. 1- Ambiente físico A Escola tem 20 salas de aula; Secretaria; 1 pátio interno; 1 pátio externo; 1 quadra aberta; 1 sanitários feminino e1 sanitários masculino; Sanitário para professores; Biblioteca; Sala de vídeo e TV e 1 laboratório de informática . 4.2.2- Material Quanto ao mobiliário, são 600 carteiras em sala de aula para os alunos; 20 mesas para os professores em sala; todas as salas possuem quadro para o uso de pincéis; no pátio 2 bebedouro; 1 Copiadora; 4 televisão; 1 video;1 dvd; 20 data show; 6 aparelhos de som; 60 computadores com acesso a internet. Alguns acervos na videoteca destinados a língua portuguesa. Os materiais didáticos destinados a língua portuguesa são os livros didáticos sistema Anglo-apostila. 4.3- PROFISSIONAIS Possui uma diretora para atender todos os turnos, o tempo de atuação da diretora nesta instituição é de 3 anos; 1 pedagogos; Atribuições da diretora são de caráter organizacional, isto é, conduzir a instituição de ensino acima citado com responsabilidade respondendo como a gestora que dirige as partes legais e burocrática em relação ao corpo docente e discente, o pedagogo que atua na função de orientação e supervisão do corpo docente e discente, o tempo de atuação do pedagogo nesta instituição é relativo, uma tem mais de 2 anos, desenvolvem atividades como auxílio psicológico ao todo colegiado além da contribuição na prática pedagógica, suas atribuições são de acordo com a necessidade do ambiente, são dispostos a encarar desafios quanto psicopedagogia;
  9. 9. 9 O conselho escolar são formados pelo apoio pedagógico, coordenação e diretora, suas atribuições é o total apoio aos alunos que necessitam da intervenção escolar para seguirem seus estudos, o grêmio estudantil é formado pelos presidentes de cada turma e suas atribuições são repassar informações dadas pela a escola além de levar suas críticas e necessidades a direção da escola, uma espécie de porta voz. O corpo docente da escola é formado por 35 funcionários em geral e 32 professores, todos licenciados, alguns graduados e outros pós-graduados, Existe 1 secretário que atuam nos diversos períodos, com mais de 2 anos de atuação nesta unidade de ensino, há 10 funcionários administrativos cuja função é a parte burocrática na escola, suas atribuições é cuidar dos arquivos e dossiês de funcionários e alunos, os auxiliares de serviços gerais são 6, suas atribuições básicas é a limpeza adequada do ambiente escolar. 5- ANÁLISE DA REALIDADE ESCOLAR A Escola Municipal Aurélio Buarque se situa na Rua Rio de Janeiro, QSE 01, S/N° - Praça da Feira Coberta – Jardim Aureny I – Palmas –TO. A sua principal missão é a aprendizagem que ocorre em relação a toda uma escala de valores, temos por objetivos dar continuidade à integração família /escola, bem como ensinar nossas crianças a serem generosas, a manterem relações de boa vizinhança com todos os povos, sem preconceitos de raça, credo religioso, ou de nacionalidade e a trabalharem para o bem da humanidade, a compreensão para com o outro e o perdão, pois estes valores formam cidadãos participativos, responsáveis, compromissados, críticos, honestos e solidários. Visando um ensino aprendizagem globalizado, onde a prática pedagógica alicerça-se nos pressupostos de uma teoria crítica viável, que porta da prática social e esteja compromissada em solucionar os problemas da educação e do ensino de nossa escola, ligada aos interesses da maioria da população. A organização da escola se dar por horário matutino, vespertino e noturno, somente uma diretora, senhora Áurea Martins Leite, pela manhã funciona das 7:30 às 11:30 com um número de, no máximo, 35 alunos por
  10. 10. 10 sala no total de 420 aluno nesse período, a tarde o atendimento é a partir das 13:30 até 17:30 com 420 alunos, sendo, também, de 30 a 35 alunos em cada sala, já a noite o número de alunos é reduzido, funciona apenas 6 sala de aula para alunos do EJA – Educação de jovens e adultos, são, no máximo, 30 aluno por sala totalizando 180 alunos. O ser humano nasce com certos comportamentos programados, inatos: são os reflexos e certas tendências que se incorporam às que ele vai aprendendo posteriormente. O que assegura a sobrevivência de uma pessoa, como povo e como espécie, é a própria capacidade de aprender uns com os outros, a partir do habitat natural em que vivem. As formas de aprender são múltiplas: observação, ensaio e erro, sempre com ajuda de outros. Todas essas aprendizagens se dão de forma absolutamente natural. Com isso a metodologia desta Unidade Escolar está ligada à teoria sociointeracionista de Vygotsky que diz “a aprendizagem da criança está ligada ao meio ambiente em que a mesma vive”. Nesta teoria o conhecimento é construído pela interação do sujeito com o meio social, e a sua apropriação se efetiva por meio da articulação entre os conceitos cotidianos e científicos, essa é a atitude adotada pela a escola para problemas indisciplinares para melhoramento dos alunos. A escola conta ainda com alguns projetos especiais que são desenvolvidos por esta EU; Os projetos são elaborados com o intuito de atingir um maior aproveitamento do aluno de modo geral. As ações são definidas e executadas de acordo com a necessidade e realidade da nossa clientela, com os objetivos claros e metodologia adequada, procuramos sempre interligar os temas dos projetos aos conteúdos do Plano de Curso, trabalhando também de forma interdisciplinar envolvendo o máximo da comunidade escolar e comunidade local e parceria com outras instituições. Alguns desses projetos são: I- “O mundo Mágico da Leitura” que visa a análise e o questionamento do LER, como algo de vital importância no processo da produção textual, possibilitando e viabilizando aos alunos o acesso ás leituras
  11. 11. condizentes com o seu meio e com todas as suas diferenças. 11 II- “Recreio Dirigido”, que visa propiciar aos alunos atividades psico-motoras e afetivos sociais, através da ludicidade e jogos monitorados na hora do recreio, minimizando algumas brincadeiras indesejadas que muitas vezes causam brigas e acidentes. III- “Plano de Ação Emergencial de Combate a Dengue”, com o intuito de diminuir os casos de dengue, bem como garantir maior conscientização por parte dos alunos e da comunidade. IV- “Cidadania e Civismo”,visa oportunizar aos alunos o conhecimento das datas comemorativas bem como temas pertinentes ás disciplinas básicas. V- “Leitura para a Prática Social” que objetiva trabalhar a interdisciplinaridade e a interação social, buscando incentivar os discentes dando margem a participação e a liberdade de expressão oral e escrita de produção de texto. Não há um projeto que trata de alunos portadores de necessidades especiais e a escola não está preparada para atender esses alunos, pois não há profissionais treinados para isso. Organização do currículo, a U.E tem por disciplinas as quais servem de base para a formação dos alunos, são elas: Língua Portuguesa que a base da leitura e da escrita sem fugir da regra da gramática; Matemática, o uso de número e problemas é constante no dia a dia; História, relatos que estudam o passado e a formação da comunidade, a cultura e a socialização política e organizacional; Ciências da natureza e sua s respectivas atuações, a ação do homem na natureza e a sua mobilidade no espaço em que vive; Geografia, um estudo detalhado para o reconhecimento do espaço; Línguas estrangeiras, inglês e espanhol, uma proposta curricular de terem influências de outras línguas, Sociologia, o estudo do pensamento e da auto reflexão; Artes, incentivar o uso da arte no cotidiano dos alunos. Há projetos que envolvam a comunidade na escola, exemplos disso
  12. 12. 12 são nas datas comemorativas, dia do índio, da árvore, feiras de ciências etc. A metodologia utilizada pelos professores desta Unidade de Ensino engloba, aulas expositivas e explicativas, debates, pesquisas, desenvolvimento de projetos, com o auxílio de recursos didáticos (livros, revistas, jornais, apostilas) e recursos tecnológicos (televisão, vídeo, som e retroprojetor). O acompanhamento do rendimento é feito através das avaliações que seguem, a escola adotou em conjunto com os professores um sistema avaliativo visando contribuir e valorizar o aproveitamento do aprendizado individual do aluno, sendo: • O qualitativo do aluno ------------------ 2.0 • Trabalhos e pesquisas ------------------ 3.0 • Avaliação escrita ------------------------- 5.0 Neste caso não há divisão de notas e sim, a somatória. Ex.: 2.0 + 3.0 +5.0 = 100 A Escola segue o calendário escolar do município, o calendário se encontra no anexo para observação. Para os professores, há programas de formação continuada para o aperfeiçoamento do profissional, o plano é a formação acadêmica de o professor ser cada vez mais rica, por sua vez colocam em prática dentro da sala de aula que reflete na sociedade, propõem metas e ações para melhorar o conhecimento dos alunos, os recurso são da prefeitura ou de próprio custo financeiro. Quanto à avaliação institucional interna tem como objetivo, observar os pontos negativos e positivos em todos os setores da instituição para que se possa corrigir as falhas e desenvolver um trabalho de melhor qualidade no ano seguinte procurando cada vez mais, trabalhar em direção à excelência, pois esta Unidade Escolar tem como missão assegurar um ensino de qualidade, garantindo o acesso e a permanência dos alunos na escola, formando cidadãos críticos, reflexivos e conscientes capazes de agir na transformação da sociedade. A finalidade da escola municipal Aurélio Buarque de Holanda é estimular a assimilação ativa dos conhecimentos sistematizados, das capacidades, habilidades e atividades necessárias à aprendizagem, tendo em vista a preparação
  13. 13. para o trabalho, para a família e para as demais exigências da vida social. A escola visa também, o desenvolvimento científico e cultural do povo, preparando as crianças, jovens e adultos, para a vida, para o trabalho e para a cidadania, através da educação inclusiva geral, intelectual e profissional. 6- ENTREVISTA COM O PROFESSOR REGENTE 1-Nome completo do professor entrevistado: Pollyana Mendes Spigoloni. 2- Ano em que concluiu a graduação: Concluí no ano de 2013. 3-Possui cursos de especialização? Área de curso de especialização. Não. 4-Tempo de magistério e locais de atuação. São dois (2) anos de magistério e letras. Trabalhei no Colégio Alvo e no Centro Integrado de Cursos de Línguas LTDA-ME. 5-Participa de cursos de capacitação ou formação continuada? Cite os últimos cursos. Sim. Os cursos de Capacitação relacionados a produção de texto. 13
  14. 14. 6-Visão sobre o ensino da língua portuguesa no ensino fundamental. É fundamental e indispensável para o desenvolvimento e intepretação em geral. 7-Rotina de trabalho nas aulas de língua portuguesa. As aulas são mistas de interpretação, gramática e produção textual. 8- Como desenvolve atividades de ensino de português: Utiliza diferentes gêneros textuais, inclusive os gêneros digitais? Desenvolve atividades voltadas para a análise linguística? Costuma utilizar textos imagéticos? Utiliza vídeos (Filmes/ desenhos) músicas, livros didáticos, computador, internet? A matéria utilizada é distribuída por capítulos, onde une texto, gramática e interpretação. Filmes são utilizados juntamente com produção textual. 9- Costuma desenvolver atividades voltadas para temas, como ‘’cultura afro-brasileira e africana’’ e cultura indígena, em sala de aula? Não, esse conteúdo ainda não foi trabalhado nas minhas aulas. 10- Recebe matérias de apoio enviado pela Secretaria Estadual de Educação ou Secretaria Municipal de Educação para trabalhar os temas citados acima? Cite os materiais. Não, Pois é um colégio particular. 11- Como trabalha a questão do ‘’meio ambiente’’ nas aulas de português? Geralmente lemos textos com diferentes opiniões e os alunos fazem uma produção expressando as vantagens e desvantagens de cada texto lido. 7- OBSERVAÇÃO DAS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA 14
  15. 15. Turma 1, 6° ano do ensino fundamental. Diário 1/2- Aulas 1/2. Escola Municipal Aurélio Buarque de Holanda. Nome do professor regente: Iracy Pires Macedo Sousa. Data: 02/09/2014. Horário da aula: das 19h00min às 20h30min. Esta foi à primeira aula observada para o cumprimento do estágio curricular obrigatório I.O conteúdo trabalhado foi: A escola da vida; Um texto proposto pelo livro didático cujo objetivo era a leitura e interpretação de texto, uma das dificuldades que encontrei é a presença de crianças, isto é, os alunos que trazem seus filhos para a sala de aula e tira a atenção dos demais, isto porque são turmas que fazem parte do programa EJA- Educação de Jovens e Adultos. Sobre a prática docente utilizada em sala, a professora desempenhava um papel de mediadora e auxiliadora para alcançar a meta do conteúdo, a leitura e a compreensão textual estavam sendo discutidas entre os alunos que tinha como foco principal o sentido que o autor passava sobre a vida, além da linguística utilizada, a gramática e a literatura infanto-juvenil. Além disso, no requisito de aprendizagem, os alunos tinha o papel de observadores, isto é, precisavam observar o texto entre linhas para retirar a resposta sem fugir da essência, este papel favorece no desenvolvimento do raciocínio lógico e não há inibição na absorção de conhecimento; A maioria dos alunos participa com perguntas para tirar suas dúvidas interagindo com a professora de modo simultaneamente o que é considerada boa para uma experiência escolar bem sucedida, ainda não a ideal, a progressão de aprendizagem ocorreu momentaneamente por serem leigos no assunto; Sobre o material didático, o livro didático foi fundamental nesta aula, não foi usado nenhum outro material além do livro didático que, por sua vez, promove o desenvolvimento da criatividade ao levar o aluno a raciocinar, tornar ser humano pensante e crítico ao que desrespeita a vida. Diário 1/2- Aulas 1/2. 15
  16. 16. Nome da escola: Escola Municipal Aurélio Buarque de Holanda. Nome do professor regente: Iracy Pires Macedo Sousa. Data: 09/09/2014. Horário da aula: das 19h00min às 20h30min. 16 Na observação neste segundo dia de aula, o conteúdo trabalhado foi: Substantivos- Classe de palavras que dá nome aos seres; A professora escreveu na lousa todo o conteúdo e explicou de maneira pausadamente, os substantivos se dividem em: Próprio, comum, concreto, abstrato, simples, composto, primitivo e derivado, uma aula prazerosa e produtiva para os alunos que atentaram para a explicação do assunto, mesmo assim, havia barulho de filhos de alunos que acompanhavam a aula, entravam e saiam causando desconforto, lugar quente e pouca ventilação. O papel desempenhado pela professora foi de ponte entre alunos e o livro, uma prática de grande importância na educação que favorece e em nada inibem o conhecimento. Nesta aula não houve um trabalho com literatura infanto-juvenil e sim a leitura e interpretação de texto, não necessitou a produção textual e trabalhou-se a oralidade das palavras, atividades linguística, a origem das palavras derivadas do substantivo, o foco deste conteúdo é a gramática; Os alunos, nesta aula, somente observam o primeiro período de ministração respondendo os exercícios no segundo período, portanto, desempenha o papel de observadores, prática que favorece muito ao prender atenção no quadro, uma inibição que encontrei foi à saída de alguns durante a aula, a professora não deixou a desejar na explicação. No momento da ministração, houve pouca participação e não fizeram perguntas e em poucos instantes colaboraram com seus conhecimentos, havia interesse e a evidência disso é atenção na professora que interagia com os alunos atentamente; Para mim, ainda não é a ideal para ser bem sucedida, é necessário que haja questionamento para fixar bem a matéria, a aprendizagem dos alunos ocorreu lentamente por um assunto novo, a maior participação da classe foi ao responderem as atividades, não houve a utilização do livro didático e os principais instrumentos foram o pincel e a lousa, os materiais usados não promovem a criatividade e sim a interpretação das questões, a escrita e o raciocínio. Diário 5
  17. 17. Nome da escola: Escola Municipal Aurélio Buarque de Holanda Nome do professor regente: Iracy Pires Macedo Sousa Data: 16/09/2014 Horário da aula observada: das 19h00min às 19h45min. 17 A professora encontrou dificuldade para continuar a aula, isso porque alguns alunos estavam desligando a luz de toda a escola, aconteceu três vezes com intervalo de quatro a cinco minutos. Houve gritaria e palavras obscenas de baixo calão. O conteúdo trabalhado foi a continuação da última aula do dia 09/09/2014: Substantivos- Classe de palavras que dá nome aos seres. De início, o conteúdo foi ministrado por meio de atividades xerocopiadas onde os alunos responderão mediante o conhecimento obtido anteriormente. Seguindo, no exercício da aula a professora desempenhava um papel muito importante que era de incentivador presente, cativava a entenderem o conteúdo, é uma postura profissional cabível ao educador e em nada inibem essa prática na absorção do conhecimento à classe. Não houve a necessidade de um trabalho com a literatura, porém existiu a leitura, a compreensão textual sem a produção de texto, mesmo assim, foi tratado a oralidade das palavras e a linguística quanto a gramática, o foco desta aula se deu na própria gramática que é a origem das palavras a partir de um radical do substantivo, os alunos desempenharam um papel de praticante aprendiz que colocam em prática o que aprenderam, esse ato favorece a aprender e não vejo inibição; A participação deles se deu ao exercitar seus conhecimentos, fizeram perguntas e colaboraram com seus conhecimentos de mundo, interagiam com a professora espontaneamente, isso é favorável sim e ideal para a educação resultando numa ao convivência escolar. A avaliação dos alunos se deu por meio de exercício propostos para avaliação dos mesmos além das perguntas e demonstração do interesse pela matéria, se interagem espontaneamente e respeitavelmente que é considerado de bom começo para a convivência, os alunos foram avaliados mediante exercícios ocorrendo uma progressão boa para alguns e lenta para outros, não houve a utilização dele, se fez uso de atividades xerocopiadas, pincel e lousa. No caso dos materiais utilizados (xérox, pincel e lousa), promovem um desenvolvimento criativo. Turma 2, 7° ano do ensino fundamental.
  18. 18. Diário 1/2- Aulas 1/2. Escola Municipal Aurélio Buarque de Holanda. Nome do professor regente: Iracy Pires Macedo Sousa. Data: 03/09/2014. Horário da aula: das 19h00min às 20h30min. Este é um relato a partir das aulas acompanhadas no 7° ano para observação na aplicação de conteúdos relacionados à língua portuguesa, aula geminada, neste dia houve uma violência verbal envolvendo aluno e professor de outra sala, mas que gerou um clima desconfortável percebi que a escola pública é difícil de trabalhar, isto por serem várias cabeças pensantes e, aparentemente, sem ‘’compromisso’’ nenhum com as disciplinas ofertadas, após o incidente citado a aula ocorreu normalmente. Aula que a professora desempenhou um papel de auxiliadora ao procurar mostrar aos alunos o caminho para encontrarem as respostas, esse ato é normal e favorável, porém, o auxílio não significa dar a resposta, com isso não há inibição se os alunos entenderem e a professora ficar satisfeita com o resultado final; Já os alunos, na aula, estavam trabalhando a leitura e a produção textual e com isso produzem outro texto formando a resposta, ficando ciente o trabalho da oralidade e a escrita, isto porque a linguística gramatical do texto foge da realidade dos alunos, um dos exemplos é quando falava de árvore que sangra e sucumbir, o texto não era literário infanto-juvenil e o foco é voltado para a descoberta de palavras contidas e que os alunos não conheciam, precisaram do auxílio de um dicionário da língua portuguesa, nesta aula os alunos eram leitores pesquisadores, ou seja, apesar de lerem o texto que relatava a vida sofrida de um caboclo da Amazônia ainda teriam que buscarem o significado de algumas palavras desconhecidas, o papel deles eram de extrema importância, a participação se dava a partir de perguntas, interagiam com a professora espontaneamente, nesta aula a avaliação foi exatamente a participação, o livro foi o principal instrumento usado, não houve outro recurso e desenvolvia a criatividade dos alunos porque insulta a pensarem além. Diário 1/2- Aulas 1/2. 18
  19. 19. Nome da escola: Escola Municipal Aurélio Buarque de Holanda. Nome do professor regente: Iracy Pires Macedo Sousa. Data: 10/09/2014. Horário da aula: das 19h00min às 20h30min. Aula geminada, o conteúdo trabalhado neste dia foi o uso da vírgula, um sinal de pontuação utilizado para marcar pequenas pausas dentro de uma frase e a sua importância dentro de um texto, todo o conteúdo foi copiado na lousa, letra de próprio punho para mediar o assunto que o livro já tinha proposto no currículo escolar, são informações que vão além do livro didático e complementos para a oralidade e a escrita, trabalhando a interpretação e a linguística gramatical. O papel desempenhado pela professora era de auxílio direto ao tirar as dúvidas frequentemente, uma prática que favorece a progressão de conhecimento dos alunos e não há inibição em nada; Não houve a necessidade de trabalho com a leitura e com a escrita da professora se viu a compreensão textual, linguística e a gramática, nisso, o principal foco era o uso da vírgula e seu efeito no texto, os alunos desempenhavam um papel de observadores e aprendizes onde se atentavam para a explicação, foi uma prática boa e não houve inibição, a participação dos alunos vieram com perguntas sobre o conteúdo e com a colaboração de seus conhecimentos expostos, uma evidência disso era o interesse demostrado ao fixar a atenção na explicação, houve uma interação entre alunos e professor o que favorece para uma experiência escolar bem sucedida na construção do ser humano crítico, racional e informado, a aprendizagem dos alunos eram absorvida por alguns e mais dificultoso para outros, nesta aula não houve a utilização do livro didático, foram utilizados, como instrumentos de ensino, o pincel, a lousa e atividades xerocopiadas, os materiais utilizados servem para repassar informações que induzem o desenvolvimento da escrita, oralidade e interpretação textual. Diário 5 19
  20. 20. Nome da escola: Escola Municipal Aurélio Buarque de Holanda Nome do professor regente: Iracy Pires Macedo Sousa Data: 17/09/2014 Horário da aula observada: das 19h45min às 20h30min. 20 Essa foi uma aula proveitosa, o conteúdo foi à continuação do uso da vírgula vista na última aula do dia 16/09/2014, livro didático páginas 38 e 39, um conteúdo mais detalhado sobre a vírgula e seus efeitos, o nome do texto estudado foi um projeto que leva desenvolvimento sustentável a Ana Lúcia, o uso do meio ambiente de maneira correta sem devastar, os assentados teriam sua renda tirada da natureza sem agredir o meio ambiente, leram esse texto e fizeram as atividades propostas, alguns alunos atrapalhavam ao entrarem e saírem da sala frequentemente, passeavam livremente pelos corredores da escola sem dar a mínima importância aos estudos, gritos no pátio tiravam a concentração dos demais. Sobre a professora, desempenhava o papel de mediadora entre o livro e os alunos, fazia a intervenção para melhor compreensão da turma, essa prática adotada é de fundamental importância ao favorecer o crescimento, consequentemente, não inibe os alunos; Usavam apenas o livro didático e trabalhavam a leitura para compreenderem os exercícios, a oralidade e a linguística, o foco era a compreensão textual e sua atividades, não houve literatura infanto-juvenil, o papel dos alunos era de observadores e participavam com perguntas e a evidência maior era o interesse demostrado, interagiam com a professora unilateralmente induzindo-os a focar no conteúdo, ainda não era ideal para ser bem sucedida e necessitavam de uma experiência mais profunda com o uso de mais recurso com vídeos, música, etc. A aprendizagem dos alunos é duvidosa quanto ao reterem as informações, isto mediante baseado no que observei sobre suas dúvidas, o livro didático foi a principal ferramenta utilizada e fonte de pesquisa para os alunos, além do livro não foram usados nenhum outro recurso, ele promovia o desenvolvimento da criatividade do aluno ao direcionar ao texto que tratavam de Ana Lúcia, um assentamento que foi beneficiado com um projeto de sustentabilidade aprendendo a tirar sua renda sem maltratar e agredir a natureza. Turma 3, 8° ano do ensino fundamental.
  21. 21. Diário 1/2- Aulas 1/2. Escola Municipal Aurélio Buarque de Holanda. Nome do professor regente: Iracy Pires Macedo Sousa. Data: 03/09/2014. Horário da aula: das 20h30min às 22h10min. Aula geminada, conteúdo trabalhado foi a classificação das palavras quanto a posição da sílaba tônica, livro didático nas páginas 34 e 35, a professora escreveu o conteúdo na lousa além do livro e explicou detalhadamente, haviam apenas 10 alunos na sala e o restante no pátio da escola, pouco interesse dos alunos, aula pouco proveitosa e sem muito sucesso. O papel desempenhado pela a professora era de informante ao escrever as informações na lousa, conduzindo os alunos a escreverem melhorando a escrita e a leitura, esse ato é considerado favorável e sem inibição ao desenvolvimento dos alunos, nesta aula não houve a leitura e nem interpretação de texto e sim matéria proposta pela escola no bimestre, uma revisão de provas prevista logo mais, os alunos eram observadores e praticante, observavam a explicação e respondiam os exercícios propostos sobre sílabas tônicas: Oxítonas, paroxítonas e proparoxítonas; A participação dos alunos se davam por meio das suas dúvidas que eram frequentes, interagiam demostrando interesse, alguns, evidência disso foram as respostas encontradas por eles nas atividades discutidas e dando exemplos do seu cotidiano, descrevo como uma avaliação da situação as dificuldades que encontraram os alunos, a progressão de conhecimento ainda foram fracas, mas eram alunos do programa EJA o que diferenciam um pouco dos demais, não houve a necessidade de utilizar o livro didático nesta aula, foram usados apenas o pincel e a lousa para repassar informações aos alunos, eles promoveram o desenvolvimento da criatividade, a escrita e leitura no conjunto de todas práticas adotadas pela a professora regente no momento da ministração do conteúdo. Diário 1/2- Aulas 1/2. 21
  22. 22. Nome da escola: Escola Municipal Aurélio Buarque de Holanda. Nome do professor regente: Iracy Pires Macedo Sousa. Data: 10/09/2014. Horário da aula: das 20h50min às 22h10min. Aula geminada, o conteúdo trabalhado foi à continuação da última aula sobre a classificação das palavras quanto a sua posição, palavras oxítonas, paroxítonas e proparoxítonas; Uma breve revisão de conteúdo do livro didático páginas 34 e 35 de língua portuguesa além de atividades propostas do próprio livro, revisão mais detalhada do assunto para a melhor memorização para a prova do final do bimestre. Nesta aula, a professora tinha o papel de mediadora entre os alunos e o livro, uma prática eu favorece o conhecimento obtido sem inibição nenhuma, estavam sendo trabalhados a leitura e a interpretação por meio do livro e com a mediação da professora, não houve produção de texto e sim exercícios, a fim de melhorar a oralidade com a compreensão do conteúdo, não tinha literatura infanto-juvenil e o foco maior era a gramática e sua aceitação, os alunos eram observadores e praticantes, ao mesmo tempo, papeis desempenhados por eles pois são leigos no assunto; No momento da ministração de conteúdos, a participação dos alunos eram por perguntas e colaboração de seus conhecimentos, mostravam interessados pelo conteúdo, o professor e alunos interagiam e creio que foram bem sucedidos e serviram para uma boa experiência escola que, com certeza, acarretará para o crescimento de mundo, a progressão de aprendizagem dá-se normalmente por alguns e menos por outros, o método utilizado para melhor avaliação foram as atividades propostas, não se usou o livro didático e sim pincéis e a lousa, os materiais utilizados promovem a criatividade por meio da leitura, escrita e interpretação, além melhorar o raciocínio lógico. Diário 5 22
  23. 23. Nome da escola: Escola Municipal Aurélio Buarque de Holanda Nome do professor regente: Iracy Pires Macedo Sousa Data: 17/09/2014 Horário da aula observada: das 19h45min às 20h30min. O conteúdo trabalhado nesta aula foi a formação dos adjetivos, é a palavra que indica um estado, qualidade ou características de um ser, podem ser classificados em simples, composto, primitivo e derivados, alguns apresentam como características o fato de se refletirem a países, estado, cidades etc. Quando tem originam nacional se chamam de adjetivos pátrios, exemplos: Natal- Natalenses; Palmas- Palmenses; Bahia- Baiano. A professora escreveu na lousa e trouxe um texto xerocopiado para ajudar na explicação. Desempenhava um papel de mestre, onde ensina e os alunos observam não deixando de ser mediadora, favorece no crescimento de conhecimento dos alunos e só há inibição para aqueles que não dão importância para a explicação, houve a leitura, a escrita e não literatura infanto-juvenil, não precisou ter produção de texto mas trabalhou a escrita, a leitura, a oralidade e gramática; Os alunos desempenharam o papel de aprendizes, por não saberem o assunto e serem leigos, na fato de se atentarem para a aula favorece para obter mais informações, acredito que não inibe se praticarem o conteúdo, isto porque tudo que é novo pode causa estranheza para os alunos, mas se faz necessário a prática para absorver melhor, a participação, mais uma vez, se deu por meio de perguntas e colaboração de conhecimentos de vida, com isso se interagem com a professora por meio espontâneo e livres para questionar, a avaliação se dar por meio dos exercícios propostos e a resposta obtida; Não houve a utilização do livro didático que, logicamente, não somou em nada nesta aula, os materiais utilizados foram pincéis, lousa e xérox que, por sua vez, desenvolveu a escrita e a leitura dos alunos que deve servir para toda a sua vida, o que são trabalhados hoje em sala de aula se torna guia para a formação do cidadão pensante e crítico, o que é favorável para a aquisição novos saberes. 8- CONSIDERAÇÕES FINAIS 23
  24. 24. O professor de língua portuguesa deve se posicionar de forma profissional para o uso correta da escrita sabendo utilizar a gramática de modo coerente, no estágio pôde compreender a tamanha importância desse processo na vida dos alunos, ensinar é mediar sem o dono do saber se colocando a disposição para mapear os caminhos para encontrarem as respostas desejadas, um espaço para conhecer a realidade da sala de aula, o estagiário tem a chance ver como irá trabalhar após se formar. Educar não é apenas plantar conhecimentos, é despertar potencialidades latentes, acordar riquezas que dormem dentro do coração dos educandos. (Sócrates) Somos educadores e temos que se capazes de tentar mudar a realidade dos alunos por meio da educação, prática favorável para a aquisição de conhecimento, esse estágio é o primeiro contato com a realidade escolar que escolhemos como profissão, lugar de aprendizado mútuo onde todos nós aprendemos juntos, encontrei estratégias e dificuldades em relação aos alunos, como estagiei em escola pública e no EJA, houve de tudo em sala, alunos que não queriam aprender e entravam e saiam livremente, outros desligavam as luzes. 9- REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 24
  25. 25. Projeto político pedagógico da Escola Municipal Aurélio Buarque de Holanda; LDB – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – 9394/96; SETÚBAL, M. A. Cidadania, projeto pedagógico e identidade da escola. In: Revista Atualidades Pedagógicas. Cadernos educação Básica (9), MEC/FNVAP, 1994, p. 31-39. NANTES, ELIZA, PAGNAN, CELSO LEOPOLDO, fundamentos do ensino de língua portuguesa, 2013, Pearson educacional do Brasil; PAGNAN, CELSO LEOPOLDO, literaturas de língua portuguesa, 2013, Pearson editora do Brasil. 10-ANEXOS 25
  26. 26. FOTO DO LOCAL: 26

×