SlideShare uma empresa Scribd logo
ATIVIDADES DO 1º BIMESTRE
PRIMEIRA ATIVIDADE AVALIATIVA 11/04/2014
SEGUNDA ATIVIDADE AVALIATIVA 25/04/2014
CONTEÚDO PARA AS ATIVIDADES AVALIATIVAS
CAPÍTULO 1 E 6 – PRIMEIRA ATIVIDADE AVALIATIVA
CAPÍTULO 6 – SEGUNDA ATIVIDADE AVALIATIVA
OBS: EM CASO DE FALTA, APRESENTAR JUSTIFICATIVA
PARA A COORDERNAÇÃO E NÃO PARA O PROFESSOR.
INTRODUÇÃO À HISTÓRIA
CONCEITO: “A HISTÓRIA É A CIÊNCIA QUE ESTUDA OS
HOMENS” (MARC BLOCH)
A HISTÓRIA É FEITA A PARTIR DAS FONTES HISTÓRICAS
(FONTES ESCRITAS, ICONOGRÁFICAS, ARQUITETÔNICAS
E ORAIS)
NÃO EXISTE UMA VERSÃO DEFINITIVA E EXATA SOBRE
OS FATOS QUE ACONTECERAM NO PASSADO.
OS HISTORIADORES TÊM “INTERPRETAÇÕES” DO
PASSADO.
O PASSADO NÃO EXISTE: UMA “INTERPRETAÇÃO DO
PASSADO” EXISTE.
POR ISSO, A HISTÓRIA BUSCA ENTENDER AS
“POSSIBILIDADES” DE SE INTERPRETAR O PASSADO.
O TEMPO NA HISTÓRIA
• A NOÇÃO DE TEMPO É FUNDAMENTAL NO
ESTUDO DA HISTÓRIA
• EXISTEM CONCEITOS COMO
MILÊNIO, SÉCULO, DÉCADA, QUARTEL, ANO...
QUE SÃO MUITO UTILIZADOS PELOS ESTUDIOSOS
DO PASSADO.
• O CALENDÁRIO TAMBÉM É UMA FORMA DE
CONTAR O TEMPO.
• CADA SOCIEDADE POSSUI UM CALENDÁRIO. OS
CALENDÁRIOS COMEÇAM A CONTAR O TEMPO A
PARTIR DE UM FATO HISTÓRICO IMPORTANTE.
Primeira aula 1 ano 2014
A DIVISÃO TRADICIONAL DA HISTÓRIA
• OS HISTORIADORES COSTUMAM DIVIDIR O
ESTUDO TRADICIONAL DA HISTÓRIA DA
SEGUINTE FORMA: IDADE ANTIGA, IDADE
MÉDIA, IDADE MODERNA E IDADE
CONTEMPORÂNEA.
• ESSA É UMA DIVISÃO MUITO QUESTIONADA
PELOS ESTUDIOSOS, UMA VEZ QUE LEVA EM
CONSIDERAÇÃO APENAS OS FATOS
HISTÓRICOS DA EUROPA.
Primeira aula 1 ano 2014
A HISTÓRIA DO HOMEM
• EXISTEM DUAS TEORIAS IMPORTANTES SOBRE
A ORIGEM DOS SERES HUMANOS: O
CRIACIONISMO E O EVOLUCIONISMO.
• O GÊNERO HOMO SURGIU HÁ MAIS OU
MENOS 2 MILHÕES DE ANOS ATRÁS NA
ÁFRICA E DE LÁ SE ESPALHARAM PARA
OUTROS CONTINENTES.
• A NOSSA ESPÉCIE (HOMO SAPIENS SAPIENS)
SURGIU HÁ 120 MIL ANOS ATRÁS.
A PRÉ-HISTÓRIA
• É O PRIMEIRO PERÍODO DA HISTÓRIA.
• ESTÁ DIVIDA EM TRÊS PARTES:
PALEOLÍTICO, NEOLÍTICO E IDADE DOS
METAIS.
• A DESCOBERTA DO FOGO, A DOMESTICAÇÃO
DE ANIMAIS, A AGRICULTURA E O
SURGIMENTO DAS CIDADES ACONTECEM
NESSE PERÍODO.
Primeira aula 1 ano 2014
Primeira aula 1 ano 2014
Primeira aula 1 ano 2014
(UECE) Por muito tempo, os historiadores acreditavam que
deveriam e poderiam reproduzir os fatos "tal como haviam
ocorrido".
Dentre as características do conhecimento histórico que assim
produziam, podemos assinalar corretamente:
a) Ao privilegiarem a realidade dos fatos, os historiadores
esperavam produzir um conhecimento científico, que
analisasse os processos e seus significados.
b) Era uma história linear, cronológica, de nomes, fatos e
datas, que pretendia uma verdade absoluta, expressão da
neutralidade do historiador.
c) Como se percebeu ser impossível chegar à verdadeira face
do que "realmente aconteceu", todo o conhecimento
histórico ficou marcado pelo relativismo total.
d) Os fatos privilegiados seriam aqueles poucos que eram
amplamente documentados, como as festas populares e a
cultura das pessoas comuns.
(UFPE) História é a ciência que:
a) estuda os acidentes históricos e geográficos do
planeta Terra.
b) se fundamenta unicamente em documentos
escritos.
c) estuda os acontecimentos do passado dos
homens utilizando-se dos vestígios que a
humanidade deixou.
d) estuda os acontecimentos presentes para prever
o futuro da humanidade.
e) estuda a causalidade dos fenômenos físicos e
sociais com base no empirismo.
(UnB-DF) Pelo olhar do poeta, também é possível compreender determinados aspectos
essenciais para a conceituação da História. Leia, por exemplo, Carlos Drummond de Andrade:
"Aconteceu há mil anos?
Continua acontecendo.
Nos mais desbotados panos
Estou me lendo e relendo."
Ou, ainda, do mesmo autor:
"O tempo é minha matéria, o tempo presente, os homens presentes, a vida (presente.)"
Com o auxílio das observações de Drummond, julgue os seguintes itens, referentes ao conceito
de História e ao ofício do historiador.
(1) Tendo por objeto o estudo do passado, a História parte das contingências da "vida presente"
para inquirir aquilo que passou.
(2) Especialmente em épocas de crise generalizada, sobressai o papel que se espera do
historiador: lembrar o que os outros esqueceram.
(3) O quarteto acima traz a idéia de que o passado é continuamente reescrito, a partir de cada
presente e de seus novos interesses, eliminando, assim, a possibilidade de a História conter um
caráter científico.
(4) A reconstrução do passado, exatamente como ele ocorreu, é o que fazem os historiadores,
independentemente de suas convicções ideológicas e pessoais.
(ENEM) Para o registro de processos naturais e
sociais, devem ser utilizadas diferentes escalas de tempo.
Por exemplo, para a datação do sistema solar, é
necessária uma escala de bilhões de anos, enquanto para
a história do Brasil basta uma escala de centenas de anos.
Assim, para os estudos relativos ao surgimento da vida no
planeta e para os estudos relativos ao surgimento da
escrita, seria adequado utilizar, respectivamente, escalas
de:
a) milhares de anos; centenas de anos
b) milhões de anos; centenas de anos
c) milhões de anos; milhares de anos
d) bilhões de anos; milhões de anos
e) bilhões de anos; milhares de anos
Os quatro calendários apresentados abaixo mostram a variedade na
contagem do tempo em diversas sociedades.
Com base nas informações apresentadas, pode-se afirmar que:
a) o final do milênio, 1999/2000, é um fator comum às diferentes
culturas e tradições.
b) embora o calendário cristão seja hoje adotado em âmbito
internacional, cada cultura registra seus eventos marcantes em calendário
próprio.
c) o calendário cristão foi adotado universalmente porque, sendo solar, é
mais preciso que os demais.
d) a religião não foi determinante na definição dos calendários.
e) o calendário cristão tornou-se dominante por sua antiguidade.
(ENEM) Suponha que o universo tenha 15 bilhões de anos de idade e que toda a sua história seja
distribuída ao longo de 1 ano — o calendário cósmico —, de modo que cada segundo corresponda a 475
anos reais e, assim, 24 dias do calendário cósmico equivaleriam a cerca de 1 bilhão de anos reais. Suponha,
ainda, que o universo comece em 1.º de janeiro a zero hora no calendário cósmico e o tempo presente
esteja em 31 de dezembro às 23 h 59 min 59,99 s. A escala abaixo traz o período em que ocorreram alguns
eventos importantes nesse calendário.
Se a arte rupestre representada ao lado fosse inserida na escala, de acordo com o período em que foi
produzida, ela deveria ser colocada na posição indicada pela seta de número
a) 1.
b) 2.
c) 3.
d) 4.
e) 5.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Conceitos basicos historia
Conceitos basicos historiaConceitos basicos historia
Conceitos basicos historia
Dênis Valério Martins
 
O que é historia
O que é historiaO que é historia
O que é historia
alinemaiahistoria
 
Introdução à história
Introdução à históriaIntrodução à história
Introdução à história
Zé Knust
 
Lista de exercícios 1 - Introdução à História
Lista de exercícios 1 - Introdução à HistóriaLista de exercícios 1 - Introdução à História
Lista de exercícios 1 - Introdução à História
Zé Knust
 
Introdução ao estudo da história pps
Introdução ao estudo da história ppsIntrodução ao estudo da história pps
Introdução ao estudo da história pps
William Cirilo Teixeira Rodrigues
 
Introdução - O trabalho do Historiador
Introdução - O trabalho do HistoriadorIntrodução - O trabalho do Historiador
Introdução - O trabalho do Historiador
Andre Lucas
 
Introdução ao estudo da história
Introdução ao estudo da históriaIntrodução ao estudo da história
Introdução ao estudo da história
Murilo Benevides
 
Prevupe - Introdução aos estudos históricos
Prevupe - Introdução aos estudos históricosPrevupe - Introdução aos estudos históricos
Prevupe - Introdução aos estudos históricos
Rodrigo Ferreira
 
Exercícios conceito de história primeiro ano
Exercícios conceito de história  primeiro anoExercícios conceito de história  primeiro ano
Exercícios conceito de história primeiro ano
jacoanderle
 
Aula históriaeotempo
Aula históriaeotempoAula históriaeotempo
Aula históriaeotempo
Rosely Monteiro
 
Módulo 0
Módulo 0Módulo 0
Módulo 0
cattonia
 
História 6º ano
História 6º anoHistória 6º ano
História 6º ano
Eloy Souza
 
Introdução a historia - fontes históricas
Introdução a historia - fontes históricasIntrodução a historia - fontes históricas
Introdução a historia - fontes históricas
Isabel Aguiar
 
Introdução à História
Introdução à HistóriaIntrodução à História
Introdução à História
Luiz Valentim
 
6º ano introdução aos estudos históricos
6º ano   introdução aos estudos históricos6º ano   introdução aos estudos históricos
6º ano introdução aos estudos históricos
João Ferreira
 
Introdução a historia
Introdução a historiaIntrodução a historia
Introdução a historia
Marcio Cicchelli
 
Introdução ao estudo da história
Introdução ao estudo da históriaIntrodução ao estudo da história
Introdução ao estudo da história
robson30
 
Aulas história 6_ano
Aulas história 6_anoAulas história 6_ano
Aulas história 6_ano
tyromello
 
Revisão 6 ano 1 trim parcial b
Revisão   6 ano 1 trim parcial bRevisão   6 ano 1 trim parcial b
Revisão 6 ano 1 trim parcial b
Carlos Zaranza
 

Mais procurados (19)

Conceitos basicos historia
Conceitos basicos historiaConceitos basicos historia
Conceitos basicos historia
 
O que é historia
O que é historiaO que é historia
O que é historia
 
Introdução à história
Introdução à históriaIntrodução à história
Introdução à história
 
Lista de exercícios 1 - Introdução à História
Lista de exercícios 1 - Introdução à HistóriaLista de exercícios 1 - Introdução à História
Lista de exercícios 1 - Introdução à História
 
Introdução ao estudo da história pps
Introdução ao estudo da história ppsIntrodução ao estudo da história pps
Introdução ao estudo da história pps
 
Introdução - O trabalho do Historiador
Introdução - O trabalho do HistoriadorIntrodução - O trabalho do Historiador
Introdução - O trabalho do Historiador
 
Introdução ao estudo da história
Introdução ao estudo da históriaIntrodução ao estudo da história
Introdução ao estudo da história
 
Prevupe - Introdução aos estudos históricos
Prevupe - Introdução aos estudos históricosPrevupe - Introdução aos estudos históricos
Prevupe - Introdução aos estudos históricos
 
Exercícios conceito de história primeiro ano
Exercícios conceito de história  primeiro anoExercícios conceito de história  primeiro ano
Exercícios conceito de história primeiro ano
 
Aula históriaeotempo
Aula históriaeotempoAula históriaeotempo
Aula históriaeotempo
 
Módulo 0
Módulo 0Módulo 0
Módulo 0
 
História 6º ano
História 6º anoHistória 6º ano
História 6º ano
 
Introdução a historia - fontes históricas
Introdução a historia - fontes históricasIntrodução a historia - fontes históricas
Introdução a historia - fontes históricas
 
Introdução à História
Introdução à HistóriaIntrodução à História
Introdução à História
 
6º ano introdução aos estudos históricos
6º ano   introdução aos estudos históricos6º ano   introdução aos estudos históricos
6º ano introdução aos estudos históricos
 
Introdução a historia
Introdução a historiaIntrodução a historia
Introdução a historia
 
Introdução ao estudo da história
Introdução ao estudo da históriaIntrodução ao estudo da história
Introdução ao estudo da história
 
Aulas história 6_ano
Aulas história 6_anoAulas história 6_ano
Aulas história 6_ano
 
Revisão 6 ano 1 trim parcial b
Revisão   6 ano 1 trim parcial bRevisão   6 ano 1 trim parcial b
Revisão 6 ano 1 trim parcial b
 

Semelhante a Primeira aula 1 ano 2014

Avaliação
AvaliaçãoAvaliação
Avaliação
Alexandra Becchi
 
O Tempo e a Historia - Ensino Médio
O Tempo e a Historia - Ensino MédioO Tempo e a Historia - Ensino Médio
O Tempo e a Historia - Ensino Médio
Diego Bian Filo Moreira
 
Histor 04
Histor 04Histor 04
Revisão galielu
Revisão galieluRevisão galielu
Revisão galielu
Privada
 
Histor 09
Histor 09Histor 09
O Tempo e a História - 6 ANO
O Tempo e a História - 6 ANOO Tempo e a História - 6 ANO
O Tempo e a História - 6 ANO
Diego Bian Filo Moreira
 
Revisão galielu
Revisão galieluRevisão galielu
Revisão galielu
Privada
 
Histor 10
Histor 10Histor 10
História 6º ano
História 6º anoHistória 6º ano
História 6º ano
Eloy Souza
 
Histor 08
Histor 08Histor 08
Aula de introdução aos estudos Históricos
Aula de introdução aos estudos Históricos  Aula de introdução aos estudos Históricos
Aula de introdução aos estudos Históricos
Mariana Willendorff Oliveira
 
Histor 01
Histor 01Histor 01
Conceito de História
Conceito de HistóriaConceito de História
Conceito de História
João Medeiros
 
A ciência histórica.pptx
A ciência histórica.pptxA ciência histórica.pptx
A ciência histórica.pptx
FlviaCristina51
 
Introdução à história 6 ano.pdf
Introdução à história 6 ano.pdfIntrodução à história 6 ano.pdf
Introdução à história 6 ano.pdf
AlineAugusto9
 
Introdução à história em
Introdução à história emIntrodução à história em
Introdução à história em
Adriana Gomes Messias
 
Povoamento do Município de Ermo, SC
Povoamento do Município de Ermo, SCPovoamento do Município de Ermo, SC
Povoamento do Município de Ermo, SC
Brenner Cardoso
 
História, breve introdução ao estudo. Da pré História ao surgimento da escrita
História, breve introdução ao estudo. Da pré História ao surgimento da escritaHistória, breve introdução ao estudo. Da pré História ao surgimento da escrita
História, breve introdução ao estudo. Da pré História ao surgimento da escrita
Sheila Soarte
 
AULAS-2-3-Introd aos Est. da Hist.-FONTES HISTÓRICAS-25-01-2019.pptx
AULAS-2-3-Introd aos Est. da Hist.-FONTES HISTÓRICAS-25-01-2019.pptxAULAS-2-3-Introd aos Est. da Hist.-FONTES HISTÓRICAS-25-01-2019.pptx
AULAS-2-3-Introd aos Est. da Hist.-FONTES HISTÓRICAS-25-01-2019.pptx
Elisa Maria Gomide
 
Histor 11
Histor 11Histor 11

Semelhante a Primeira aula 1 ano 2014 (20)

Avaliação
AvaliaçãoAvaliação
Avaliação
 
O Tempo e a Historia - Ensino Médio
O Tempo e a Historia - Ensino MédioO Tempo e a Historia - Ensino Médio
O Tempo e a Historia - Ensino Médio
 
Histor 04
Histor 04Histor 04
Histor 04
 
Revisão galielu
Revisão galieluRevisão galielu
Revisão galielu
 
Histor 09
Histor 09Histor 09
Histor 09
 
O Tempo e a História - 6 ANO
O Tempo e a História - 6 ANOO Tempo e a História - 6 ANO
O Tempo e a História - 6 ANO
 
Revisão galielu
Revisão galieluRevisão galielu
Revisão galielu
 
Histor 10
Histor 10Histor 10
Histor 10
 
História 6º ano
História 6º anoHistória 6º ano
História 6º ano
 
Histor 08
Histor 08Histor 08
Histor 08
 
Aula de introdução aos estudos Históricos
Aula de introdução aos estudos Históricos  Aula de introdução aos estudos Históricos
Aula de introdução aos estudos Históricos
 
Histor 01
Histor 01Histor 01
Histor 01
 
Conceito de História
Conceito de HistóriaConceito de História
Conceito de História
 
A ciência histórica.pptx
A ciência histórica.pptxA ciência histórica.pptx
A ciência histórica.pptx
 
Introdução à história 6 ano.pdf
Introdução à história 6 ano.pdfIntrodução à história 6 ano.pdf
Introdução à história 6 ano.pdf
 
Introdução à história em
Introdução à história emIntrodução à história em
Introdução à história em
 
Povoamento do Município de Ermo, SC
Povoamento do Município de Ermo, SCPovoamento do Município de Ermo, SC
Povoamento do Município de Ermo, SC
 
História, breve introdução ao estudo. Da pré História ao surgimento da escrita
História, breve introdução ao estudo. Da pré História ao surgimento da escritaHistória, breve introdução ao estudo. Da pré História ao surgimento da escrita
História, breve introdução ao estudo. Da pré História ao surgimento da escrita
 
AULAS-2-3-Introd aos Est. da Hist.-FONTES HISTÓRICAS-25-01-2019.pptx
AULAS-2-3-Introd aos Est. da Hist.-FONTES HISTÓRICAS-25-01-2019.pptxAULAS-2-3-Introd aos Est. da Hist.-FONTES HISTÓRICAS-25-01-2019.pptx
AULAS-2-3-Introd aos Est. da Hist.-FONTES HISTÓRICAS-25-01-2019.pptx
 
Histor 11
Histor 11Histor 11
Histor 11
 

Mais de Vitor Ferreira

O processo de independência (1808 1822)
O processo de independência (1808 1822)O processo de independência (1808 1822)
O processo de independência (1808 1822)
Vitor Ferreira
 
O congresso de viena
O congresso de vienaO congresso de viena
O congresso de viena
Vitor Ferreira
 
O processo de independência (1808 1822)
O processo de independência (1808 1822)O processo de independência (1808 1822)
O processo de independência (1808 1822)
Vitor Ferreira
 
Conjurações coloniais
Conjurações coloniaisConjurações coloniais
Conjurações coloniais
Vitor Ferreira
 
O período napoleônico (1799 1815)
O período napoleônico (1799 1815)O período napoleônico (1799 1815)
O período napoleônico (1799 1815)
Vitor Ferreira
 
A revolução francesa (1789)
A revolução francesa (1789)A revolução francesa (1789)
A revolução francesa (1789)
Vitor Ferreira
 
A expansão territorial na américa portuguesa
A expansão territorial na américa portuguesaA expansão territorial na américa portuguesa
A expansão territorial na américa portuguesa
Vitor Ferreira
 
Capítulo 6 a economia na américa portuguesa
Capítulo 6 a economia na américa portuguesaCapítulo 6 a economia na américa portuguesa
Capítulo 6 a economia na américa portuguesa
Vitor Ferreira
 
Capítulo 5 Organização político-administrativa na América Portuguesa
Capítulo 5 Organização político-administrativa na América PortuguesaCapítulo 5 Organização político-administrativa na América Portuguesa
Capítulo 5 Organização político-administrativa na América Portuguesa
Vitor Ferreira
 
Quarto capítulo colonização da américa inglesa e francesa
Quarto capítulo colonização da américa inglesa e francesaQuarto capítulo colonização da américa inglesa e francesa
Quarto capítulo colonização da américa inglesa e francesa
Vitor Ferreira
 
As culturas indígenas da america
As culturas indígenas da americaAs culturas indígenas da america
As culturas indígenas da america
Vitor Ferreira
 
3 capitulo a colonização espanhola na américa
3 capitulo a colonização espanhola na américa3 capitulo a colonização espanhola na américa
3 capitulo a colonização espanhola na américa
Vitor Ferreira
 
Segunda aula 2104 a grécia antiga
Segunda aula 2104 a grécia antigaSegunda aula 2104 a grécia antiga
Segunda aula 2104 a grécia antiga
Vitor Ferreira
 
Segunda aula 2104 a grécia antiga
Segunda aula 2104 a grécia antigaSegunda aula 2104 a grécia antiga
Segunda aula 2104 a grécia antiga
Vitor Ferreira
 
Primeira aula 2 ano cca 2014
Primeira aula 2 ano cca 2014Primeira aula 2 ano cca 2014
Primeira aula 2 ano cca 2014
Vitor Ferreira
 

Mais de Vitor Ferreira (15)

O processo de independência (1808 1822)
O processo de independência (1808 1822)O processo de independência (1808 1822)
O processo de independência (1808 1822)
 
O congresso de viena
O congresso de vienaO congresso de viena
O congresso de viena
 
O processo de independência (1808 1822)
O processo de independência (1808 1822)O processo de independência (1808 1822)
O processo de independência (1808 1822)
 
Conjurações coloniais
Conjurações coloniaisConjurações coloniais
Conjurações coloniais
 
O período napoleônico (1799 1815)
O período napoleônico (1799 1815)O período napoleônico (1799 1815)
O período napoleônico (1799 1815)
 
A revolução francesa (1789)
A revolução francesa (1789)A revolução francesa (1789)
A revolução francesa (1789)
 
A expansão territorial na américa portuguesa
A expansão territorial na américa portuguesaA expansão territorial na américa portuguesa
A expansão territorial na américa portuguesa
 
Capítulo 6 a economia na américa portuguesa
Capítulo 6 a economia na américa portuguesaCapítulo 6 a economia na américa portuguesa
Capítulo 6 a economia na américa portuguesa
 
Capítulo 5 Organização político-administrativa na América Portuguesa
Capítulo 5 Organização político-administrativa na América PortuguesaCapítulo 5 Organização político-administrativa na América Portuguesa
Capítulo 5 Organização político-administrativa na América Portuguesa
 
Quarto capítulo colonização da américa inglesa e francesa
Quarto capítulo colonização da américa inglesa e francesaQuarto capítulo colonização da américa inglesa e francesa
Quarto capítulo colonização da américa inglesa e francesa
 
As culturas indígenas da america
As culturas indígenas da americaAs culturas indígenas da america
As culturas indígenas da america
 
3 capitulo a colonização espanhola na américa
3 capitulo a colonização espanhola na américa3 capitulo a colonização espanhola na américa
3 capitulo a colonização espanhola na américa
 
Segunda aula 2104 a grécia antiga
Segunda aula 2104 a grécia antigaSegunda aula 2104 a grécia antiga
Segunda aula 2104 a grécia antiga
 
Segunda aula 2104 a grécia antiga
Segunda aula 2104 a grécia antigaSegunda aula 2104 a grécia antiga
Segunda aula 2104 a grécia antiga
 
Primeira aula 2 ano cca 2014
Primeira aula 2 ano cca 2014Primeira aula 2 ano cca 2014
Primeira aula 2 ano cca 2014
 

Primeira aula 1 ano 2014

  • 1. ATIVIDADES DO 1º BIMESTRE PRIMEIRA ATIVIDADE AVALIATIVA 11/04/2014 SEGUNDA ATIVIDADE AVALIATIVA 25/04/2014 CONTEÚDO PARA AS ATIVIDADES AVALIATIVAS CAPÍTULO 1 E 6 – PRIMEIRA ATIVIDADE AVALIATIVA CAPÍTULO 6 – SEGUNDA ATIVIDADE AVALIATIVA OBS: EM CASO DE FALTA, APRESENTAR JUSTIFICATIVA PARA A COORDERNAÇÃO E NÃO PARA O PROFESSOR.
  • 2. INTRODUÇÃO À HISTÓRIA CONCEITO: “A HISTÓRIA É A CIÊNCIA QUE ESTUDA OS HOMENS” (MARC BLOCH) A HISTÓRIA É FEITA A PARTIR DAS FONTES HISTÓRICAS (FONTES ESCRITAS, ICONOGRÁFICAS, ARQUITETÔNICAS E ORAIS) NÃO EXISTE UMA VERSÃO DEFINITIVA E EXATA SOBRE OS FATOS QUE ACONTECERAM NO PASSADO. OS HISTORIADORES TÊM “INTERPRETAÇÕES” DO PASSADO. O PASSADO NÃO EXISTE: UMA “INTERPRETAÇÃO DO PASSADO” EXISTE. POR ISSO, A HISTÓRIA BUSCA ENTENDER AS “POSSIBILIDADES” DE SE INTERPRETAR O PASSADO.
  • 3. O TEMPO NA HISTÓRIA • A NOÇÃO DE TEMPO É FUNDAMENTAL NO ESTUDO DA HISTÓRIA • EXISTEM CONCEITOS COMO MILÊNIO, SÉCULO, DÉCADA, QUARTEL, ANO... QUE SÃO MUITO UTILIZADOS PELOS ESTUDIOSOS DO PASSADO. • O CALENDÁRIO TAMBÉM É UMA FORMA DE CONTAR O TEMPO. • CADA SOCIEDADE POSSUI UM CALENDÁRIO. OS CALENDÁRIOS COMEÇAM A CONTAR O TEMPO A PARTIR DE UM FATO HISTÓRICO IMPORTANTE.
  • 5. A DIVISÃO TRADICIONAL DA HISTÓRIA • OS HISTORIADORES COSTUMAM DIVIDIR O ESTUDO TRADICIONAL DA HISTÓRIA DA SEGUINTE FORMA: IDADE ANTIGA, IDADE MÉDIA, IDADE MODERNA E IDADE CONTEMPORÂNEA. • ESSA É UMA DIVISÃO MUITO QUESTIONADA PELOS ESTUDIOSOS, UMA VEZ QUE LEVA EM CONSIDERAÇÃO APENAS OS FATOS HISTÓRICOS DA EUROPA.
  • 7. A HISTÓRIA DO HOMEM • EXISTEM DUAS TEORIAS IMPORTANTES SOBRE A ORIGEM DOS SERES HUMANOS: O CRIACIONISMO E O EVOLUCIONISMO. • O GÊNERO HOMO SURGIU HÁ MAIS OU MENOS 2 MILHÕES DE ANOS ATRÁS NA ÁFRICA E DE LÁ SE ESPALHARAM PARA OUTROS CONTINENTES. • A NOSSA ESPÉCIE (HOMO SAPIENS SAPIENS) SURGIU HÁ 120 MIL ANOS ATRÁS.
  • 8. A PRÉ-HISTÓRIA • É O PRIMEIRO PERÍODO DA HISTÓRIA. • ESTÁ DIVIDA EM TRÊS PARTES: PALEOLÍTICO, NEOLÍTICO E IDADE DOS METAIS. • A DESCOBERTA DO FOGO, A DOMESTICAÇÃO DE ANIMAIS, A AGRICULTURA E O SURGIMENTO DAS CIDADES ACONTECEM NESSE PERÍODO.
  • 12. (UECE) Por muito tempo, os historiadores acreditavam que deveriam e poderiam reproduzir os fatos "tal como haviam ocorrido". Dentre as características do conhecimento histórico que assim produziam, podemos assinalar corretamente: a) Ao privilegiarem a realidade dos fatos, os historiadores esperavam produzir um conhecimento científico, que analisasse os processos e seus significados. b) Era uma história linear, cronológica, de nomes, fatos e datas, que pretendia uma verdade absoluta, expressão da neutralidade do historiador. c) Como se percebeu ser impossível chegar à verdadeira face do que "realmente aconteceu", todo o conhecimento histórico ficou marcado pelo relativismo total. d) Os fatos privilegiados seriam aqueles poucos que eram amplamente documentados, como as festas populares e a cultura das pessoas comuns.
  • 13. (UFPE) História é a ciência que: a) estuda os acidentes históricos e geográficos do planeta Terra. b) se fundamenta unicamente em documentos escritos. c) estuda os acontecimentos do passado dos homens utilizando-se dos vestígios que a humanidade deixou. d) estuda os acontecimentos presentes para prever o futuro da humanidade. e) estuda a causalidade dos fenômenos físicos e sociais com base no empirismo.
  • 14. (UnB-DF) Pelo olhar do poeta, também é possível compreender determinados aspectos essenciais para a conceituação da História. Leia, por exemplo, Carlos Drummond de Andrade: "Aconteceu há mil anos? Continua acontecendo. Nos mais desbotados panos Estou me lendo e relendo." Ou, ainda, do mesmo autor: "O tempo é minha matéria, o tempo presente, os homens presentes, a vida (presente.)" Com o auxílio das observações de Drummond, julgue os seguintes itens, referentes ao conceito de História e ao ofício do historiador. (1) Tendo por objeto o estudo do passado, a História parte das contingências da "vida presente" para inquirir aquilo que passou. (2) Especialmente em épocas de crise generalizada, sobressai o papel que se espera do historiador: lembrar o que os outros esqueceram. (3) O quarteto acima traz a idéia de que o passado é continuamente reescrito, a partir de cada presente e de seus novos interesses, eliminando, assim, a possibilidade de a História conter um caráter científico. (4) A reconstrução do passado, exatamente como ele ocorreu, é o que fazem os historiadores, independentemente de suas convicções ideológicas e pessoais.
  • 15. (ENEM) Para o registro de processos naturais e sociais, devem ser utilizadas diferentes escalas de tempo. Por exemplo, para a datação do sistema solar, é necessária uma escala de bilhões de anos, enquanto para a história do Brasil basta uma escala de centenas de anos. Assim, para os estudos relativos ao surgimento da vida no planeta e para os estudos relativos ao surgimento da escrita, seria adequado utilizar, respectivamente, escalas de: a) milhares de anos; centenas de anos b) milhões de anos; centenas de anos c) milhões de anos; milhares de anos d) bilhões de anos; milhões de anos e) bilhões de anos; milhares de anos
  • 16. Os quatro calendários apresentados abaixo mostram a variedade na contagem do tempo em diversas sociedades. Com base nas informações apresentadas, pode-se afirmar que: a) o final do milênio, 1999/2000, é um fator comum às diferentes culturas e tradições. b) embora o calendário cristão seja hoje adotado em âmbito internacional, cada cultura registra seus eventos marcantes em calendário próprio. c) o calendário cristão foi adotado universalmente porque, sendo solar, é mais preciso que os demais. d) a religião não foi determinante na definição dos calendários. e) o calendário cristão tornou-se dominante por sua antiguidade.
  • 17. (ENEM) Suponha que o universo tenha 15 bilhões de anos de idade e que toda a sua história seja distribuída ao longo de 1 ano — o calendário cósmico —, de modo que cada segundo corresponda a 475 anos reais e, assim, 24 dias do calendário cósmico equivaleriam a cerca de 1 bilhão de anos reais. Suponha, ainda, que o universo comece em 1.º de janeiro a zero hora no calendário cósmico e o tempo presente esteja em 31 de dezembro às 23 h 59 min 59,99 s. A escala abaixo traz o período em que ocorreram alguns eventos importantes nesse calendário. Se a arte rupestre representada ao lado fosse inserida na escala, de acordo com o período em que foi produzida, ela deveria ser colocada na posição indicada pela seta de número a) 1. b) 2. c) 3. d) 4. e) 5.