SlideShare uma empresa Scribd logo
FINANCIAMENTO
Assembleia  do  CONASS
Brasília,  19/10/2016
• EC  29/2000
Empenhado  do  ano  
anterior  corrigido  pela  
variação  nominal  do  
PIB
• EC  86/2015
15%  da  RCL  escalonado:  
13,2%,  13,7%,14,1%,  
14,5%  e  15%
Aplicação  da  União  em  ASPSAplicação  da  União  em  ASPS
Arcabouço  Legal
• PEC  01/2015
19,4%  da  RCL  
escalonado:  14,8%,  
15,5%,16,2%,  16,9%,  
17,9%,  18,3%  e  19,4%
• Saúde  +  10
10%  da  RCB
• EC  Nº  93/2016  
• Aumenta  a  DRU    de  20%  
para  30%  até  2023
• Cria  a  DRE  e  DRM  com  
30%  até  2023
• Excetua-­se  da  
desvinculação    a  Saúde  nas  
3  esferas  de  governo
• PLDO  2017
• Fase  final  de  aprovação  no  CN  
è substitutivo  PLDO  
• Antecipa  a  PEC  nº  241/2016  
èquanto  ao  limite  para  a  
despesa  primária  
• Define  para  saúde  empenho  
mínimo  de  %  aplicado  em  2016,  
corrigido  pela  variação  
acumulada  do  IPCA  de  2016
Aplicação  da  União  em  ASPSAplicação  da  União  em  ASPS
Arcabouço  Legal
• PEC  241/2016
• Instituir  o  Novo  Regime  Fiscal  por  20  anos  è teto  somente  para  
despesas  primárias    
• Desvincula  recurso  da  saúde  na  esfera  federal  è base  2017  =  15%  RCL
• Aprovada  em  1º  turno  em  10/10
Quadro  01  -­ Impacto  nas  despesas  com  ASPS  da  União  -­ EC86  
versus PEC241-­A  em  20  anos
R$  
bilhões
R$	
  
bilhões
R$	
  
bilhões	
  
de	
  2016
%	
  da	
  
RCL
R$	
  
bilhões
R$	
  
bilhões	
  
de	
  2016
%	
  da	
  
RCL
Em	
  %	
  do	
  
orçamento	
  
calculado	
  
pela	
  EC	
  86
Em	
  R$	
  
bilhões	
  
de	
  2016
2017 758,3 103,9 98,8 13,7	
  	
   113,7 108,2 15,0 9,5% 9,38
2018 808,3 114,0 103,8 14,1	
  	
   119,5 108,8 14,8 4,9% 5,08
2019 861,5 124,9 108,8 14,5	
  	
   124,9 108,8 14,5 0,0% 0,00
2020 918,3 137,7 114,8 15,0	
  	
   130,5 108,8 14,2 -­‐5,2% -­‐6,00	
  
2021 978,8 146,8 117,1 15,0	
  	
   136,4 108,8 13,9 -­‐7,1% -­‐8,30	
  
2022 1.043,3 156,5 119,5 15,0	
  	
   142,6 108,8 13,7 -­‐8,9% -­‐10,64	
  
2023 1.112,1 166,8 121,9 15,0	
  	
   149,0 108,8 13,4 -­‐10,7% -­‐13,03	
  
2024 1.185,4 177,8 124,3 15,0	
  	
   155,7 108,8 13,1 -­‐12,4% -­‐15,47	
  
2025 1.263,5 189,5 126,8 15,0	
  	
   162,7 108,8 12,9 -­‐14,2% -­‐17,96	
  
2026 1.346,8 202,0 129,3 15,0	
  	
   170,0 108,8 12,6 -­‐15,8% -­‐20,49	
  
2027 1.435,5 215,3 131,9 15,0	
  	
   177,7 108,8 12,4 -­‐17,5% -­‐23,08	
  
2028 1.530,1 229,5 134,6 15,0	
  	
   185,7 108,8 12,1 -­‐19,1% -­‐25,72	
  
2029 1.630,9 244,6 137,3 15,0	
  	
   194,0 108,8 11,9 -­‐20,7% -­‐28,41	
  
2030 1.738,4 260,8 140,0 15,0	
  	
   202,7 108,8 11,7 -­‐22,3% -­‐31,15	
  
2031 1.853,0 277,9 142,8 15,0	
  	
   211,9 108,8 11,4 -­‐23,8% -­‐33,95	
  
2032 1.975,1 296,3 145,7 15,0	
  	
   221,4 108,8 11,2 -­‐25,3% -­‐36,81	
  
2033 2.105,3 315,8 148,6 15,0	
  	
   231,4 108,8 11,0 -­‐26,7% -­‐39,72	
  
2034 2.244,0 336,6 151,5 15,0	
  	
   241,8 108,8 10,8 -­‐28,2% -­‐42,69	
  
2035 2.391,9 358,8 154,6 15,0	
  	
   252,6 108,8 10,6 -­‐29,6% -­‐45,73	
  
2036 2.549,5 382,4 157,7 15,0	
  	
   264,0 108,8 10,4 -­‐31,0% -­‐48,82	
  
Resultado	
  estimado: -­‐433,52	
  
Ano
RCL
Gasto	
  Federal	
  com	
  Saúde	
  (ASPS)
PEC	
  241	
  EC	
  86
Perda	
  com	
  a	
  PEC	
  241
Reunião  da  CIT  de  amanhã  
ü Impacto  no  financiamento  da  saúde  
com  a  aprovação  da  Proposta  de  
Emenda  à  Constituição  241/2016
-­ Marcos  Mendes,  Chefe  da  Assessoria
Especial  do  Ministro  da  Fazenda.
PROJETO DE LEI
ORÇAMENTÁRIA ANUAL
PLOA 2017
Assembleia  do  CONASS
Brasília,  19/10/2016
PROJETO  DE  LEI  Nº  18/2016-­CN  
CRONOGRAMA
N.  52|  13  de  outubro  de  2016
Prazo  para  apresentação  de  emendas  ao  PLOA  2017  encerra-­se  em  20/10.
Emendas  individuais,  por  parlamentar  :
-­ a  quantidade  máxima  25,  
-­ o  limite  financeiro  =  R$15.319.538,00,  sendo  R$  7.659.769,00  para  ASPS
Emendas  propostas  para  Unidade  Orçamentária  do  Ministério  da  Saúde  -­
Fundo  Nacional  da  Saúde  (UO  36901):  Custeio  e  Investimento.
Emendas  indicadas  na  Ação  Orçamentária  “Apoio  à  Manutenção  de  
Unidades  de  Saúde  (4525)”  exclusivas  para    GND  3  – Despesas  Correntes.  
E  emendas  de  recursos  correntes  para  manutenção  de  UBS  ou  especializada,  
públicas  ou  privadas,  que  integrem  o  SUS  são  destinadas  para:  
a)  auxílio  na  realização  de  despesas  correntes  e  na  aquisição  de  material  de  
consumo  e  médico-­hospitalar  necessário  ao  desenvolvimento  das  atividades;;  
b)  reforço  das  dotações  repassadas  a  título  de  PAB e  de  procedimentos  de  
MAC,  constituindo  tais  valores  acréscimos  aos  tetos  transferidos  pela  União  
para  cumprimento  de  metas  estabelecidas.  
Esta  ação  não  permite  a  execução  de  reformas  de  unidades  de  saúde,  para  
as  quais  existem  ações  próprias  de  ‘Estruturação’  e  nem  a  compra  de  
medicamentos.
Descrição Receita Despesa
A.	
  	
  Orçamento	
  Total	
   3.489,24 3.489,24
B.	
  	
  Refinanciamento	
  da	
  Dívida	
  Pública	
  Federal	
   946,41 946,41
C.	
  	
  Orçamento	
  Efetivo	
  =	
  (A	
  –	
  B)	
   2.542,84 2.542,84
D.	
  	
  Orçamento	
  de	
  Investimento	
  das	
  Empresas	
  Estatais	
   89,77 89,77
E.	
  	
  Orçamentos	
  Fiscal	
  e	
  da	
  Seguridade	
  Social	
  =(C	
  –	
  D)	
   2.453,06 2.453,06
	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  E.	
  1.	
  	
  Orçamento	
  Fiscal	
   1.784,96 1.515,01
	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  E.	
  2.	
  	
  Orçamento	
  da	
  Seguridade	
  Social	
   668,10 938,05
Fonte:	
  Texto	
  do	
  Projeto	
  de	
  Lei	
  Nº	
  18/2016-­‐CN	
  (PLOA	
  2017)
Estimativa	
  da	
  Receita	
  e	
  Fixação	
  da	
  Despesa	
  da	
  União	
  –	
  PLOA	
  2017.	
  (R$	
  Bilhões)
A	
  diferença	
  de	
  R$	
  269,65	
  bilhões	
  das	
  despesas	
  da	
  seguridade	
  social	
  será	
  coberta	
  
por	
  receitas	
  do	
  orçamento	
  fiscal.
Valor	
   % Valor	
   %
Orçamento	
  Fiscal	
   1.177,04 39,23 1.515,01 43,42 28,71
Orçamento	
  da	
  Seguridade	
  Social	
   841,38 28,04 938,05 26,88 11,49
Orçamento	
  de	
  Investimento	
  das	
  Empresas	
  Estatais	
   96,90 3,23 89,77 2,57 -­‐7,35
Orçamento	
  Efetivo	
   2.115,32 70,50 2.542,84 72,88 20,21
Refinanciamento	
  da	
  Dívida	
  Pública	
  Federal	
   885,00 29,50 946,41 27,12 6,94
Orçamento	
  Total	
   3.000,32 100,00 3.489,24 100,00 16,30
Fonte:	
  Texto	
  dos	
  Projetos	
  de	
  Lei	
  Nº	
  007/2015-­‐CN	
  (PLOA	
  2016)	
  e	
  Nº	
  18/2016-­‐CN	
  (PLOA	
  2017)
Tabela	
  2:	
  Distribuição	
  das	
  Despesas	
  da	
  União	
  –	
  	
  PLOA	
  2016	
  e	
  PLOA	
  2017(Em	
  R$	
  Bilhões)
Descrição
PLOA	
  2016 PLOA	
  2017 Variação	
  
%
Valor	
   % Valor	
   %
Orçamento	
  Fiscal	
   1.202,77 39,43 1.515,01 43,42 25,96
Orçamento	
  da	
  Seguridade	
  Social	
   865,77 28,38 938,05 26,88 8,35
Orçamento	
  de	
  Investimento	
  das	
  Empresas	
  Estatais	
   97,07 3,18 89,77 2,57 -­‐7,51
Orçamento	
  Efetivo	
   2.165,61 70,99 2.542,84 72,88 17,42
Refinanciamento	
  da	
  Dívida	
  Pública	
  Federal	
   885,00 29,01 946,41 27,12 6,94
Orçamento	
  Total	
   3.050,61 100,00 3.489,24 100,00 14,38
Fonte:	
  Texto	
  da	
  Lei	
  Nº	
  13.255/2016	
  (OA	
  2016)	
  e	
  dos	
  Projeto	
  de	
  Lei	
  Nº	
  18/2016-­‐CN	
  (PLOA	
  2017)
Tabela	
  3:	
  Distribuição	
  das	
  Despesas	
  da	
  União	
  –	
  	
  LOA	
  2016	
  e	
  PLOA	
  2017(Em	
  R$	
  Bilhões)
Descrição
LOA	
  2016 PLOA	
  2017 Variação	
  
%
9ª Assembleia – PLOA/MS 2017 e PEC 241/2016
O  ORÇAMENTO  DO  
MINISTÉRIO  DA  
SAÚDE
Demais	
  ações:	
  
R$	
  9,9	
  bilhões
Ações	
  e	
  Serviços	
  
Públicos	
  de	
  Saúde:	
  
R$	
  105,5	
  bilhões
üR$  115,5  bilhões  previstos  para  o  
Ministério  da  Saúde.
PLOA  2017
ü PLOA  2017ü PLOA  2017
Alocado  ASPS  
R$  105,5  bilhões  + (emendas)
R$          4,5  bilhões =
R$  110,0  bilhões è menor  que  o  valor  estimado  
PLDO  2017
PLDO  2017  =  R$  107  bilhões  +  7,2%  =  R$  114,7  bi
PEC  241/16  =  15%  da  RCL  =  R$  113,7  bi
10%  RCL  =  R$  147,5  bi
30%  OSS  =  R$  200,4  bi
2014 2015
2014-­
PLOA  
2017
2015-­
PLOA  
2017
2016-­
PLOA  
2017
MAC 34,74     43,13       40,72                         41,61       24,17 -­3,54   2,17
PAB  Variável 9,09         12,47       10,77                         10,66       37,16 -­14,54   -­1,08  
PAB  Fixo 4,52         4,94           5,07                             5,02           9,30 1,62 -­0,98  
Medicamentos  Comp.  Especial. 4,98         5,87           7,17                             7,20           17,84 22,75 0,49
Assist.  Farmacêutica  Básica   1,21         1,23           1,52                             1,50           1,32 22,04 -­1,29  
Vigilância  Sanitária   0,18         0,18           0,19                             0,19           -­1,51   3,55 0,00
Vigilância em Saúde -­ Incentivo
Financeiro
1,87         1,77           2,13                             2,30           -­5,18   30,00 7,88
Variação  %Executado LOA  2016  +  
Créditos  
Suplemen-­
tares
PLOA  
2017
Ações  Selecionadas  do  Ministério  da  Saúde,  PLOA  2017.  (Em  R$  Bilhões)
Ações  
MÉDIA  E  ALTA  COMPLEXIDADE  
AMBULATORIAL  E  HOSPITALAR  
(MAC)
Valor  em  R$  1,00
Diferença  com  o  PLOA  
2017  (ação  8585)
Teto  Mac  2016 39.430.970.874,72
FAEC  Estimado 4.663.837.285,70
Total  Teto  Mac    +  FAEC 44.094.808.160,42 -­2.487.365.448,42  
PLOA  2016 41.607.442.712,00
Diferença  PLOA  2017 -­2.487.365.448,42  
PLOA  2017
Atenção  à  Saúde  da  População  para  procedimentos  de  Média  e  Alta  
Complexidade
ASSISTÊNCIA  FARMACÊUTICA  -­
COMPONENTE  ESPECIALIZADO  
• R$  7,2  bilhões  (Expansão  de  R$  200  milhões  em  
relação  ao  PLOA  2016  mas  R$  35  milhões  da  LOA  +  
créditos).
• Absorção  do  impacto  financeiro  da  aprovação  pela  
CONITEC  de  novas  incorporações  de  medicamentos:
- R$ 4,1  milhões   – Tratamento  de  Transtorno  
Afetivo  Bipolar;;
- R$ 20,0  milhões – Tratamento  de  Autismo;;
- R$ 222,0  milhões – Tratamento  de  
problemas  no  metabolismo  do  cálcio  em  pacientes  
renais  crônicos.
- Alocado  somente  para  transferência  aos  estados
Local,  data
NÚCLEO DE FINANCIAMENTO DO SUS
Referência  Técnica  -­ SE/CONASS:  
Viviane  Rocha  de  Luiz  
Fone:  (61)  3222  3000      
site: www.conass.org.br
conass@conass.org.br
Obrigada!
9ª Assembleia – PLOA/MS 2017 e PEC 241/2016
ü LEI  DE  DIRETRIZES  ORÇAMENTÁRIAS  ü LEI  DE  DIRETRIZES  ORÇAMENTÁRIAS  
§ LDO  2017  -­ Projeto  de  Lei  nº  02/2016-­CN
Fase  final  de  aprovação  no  CN  è substitutivo  PLDO  2017.
Art.  3º  do  Substitutivo  è a elaboração  e  a  aprovação  do  
PLOA  2017  terão  como  limite  para  a  despesa  primária  
dos  orçamentos  fiscal  e  da  seguridade  social  a  previsão  
de  pagamento  em  2016,  corrigida  pela  projeção  do  
IPCA  para  2016  (antecipa  a  PEC  nº  241/2016).  
Art.  36,  § 8º  do  Substitutivo  è A  alocação  em  ASPS  no  
PLOA  2017  não  atende  a  regra  acima,  pois  a  previsão  de  
empenhamento  dessas  despesas  para  2016,  segundo  o  
Decreto  nº  8.670/2016  e  as  alterações,  encontra-­se  em  
torno  de  R$  107  bilhões,  que  corrigidos  pelo  IPCA  (7,2%)    
ensejaria  ao  menos  R$  114,7  bilhões  para  2017.  Tal  fato  
pode  indicar  veto  ao  dispositivo,  tal  como  ocorrido  para  
regra  similar  constante  do  autógrafo  da  LDO  2016.  
Alocado  no  PLOA  2017  R$  105,5  bi  acrescido  as  emendas
R$  4,5  bi  totalizará  R$  110,0  bi.  <  que  o  valor  estimado  
Art.  3º  do  Substitutivo  è a elaboração  e  a  aprovação  
do  PLOA  2017  terão  como  limite  para  a  despesa  
primária  dos  orçamentos  fiscal  e  da  seguridade  social  
a  previsão  de  pagamento  em  2016,  corrigida  pela  
projeção  do  IPCA  para  2016  (antecipa  a  PEC  nº  
241/2016).  
Art.  36,  § 8º  do  Substitutivo  è A  alocação  em  ASPS  
no  PLOA  2017  não  atende  a  regra  acima,  pois  a  
previsão  de  empenhamento  dessas  despesas  para  
2016,  segundo  o  Decreto  nº  8.670/2016   e  as  
alterações,  encontra-­se  em  torno  de  R$  107  bilhões,  
que  corrigidos  pelo  IPCA  (7,2%)    ensejaria  ao  menos  
R$  114,7  bilhões  para  2017.  Tal  fato  pode  indicar  
veto  ao  dispositivo,  tal  como  ocorrido  para  regra  
similar  constante  do  autógrafo  da  LDO  2016.  
ü PLANO  PLURIANUAL  -­ PPA
A  Lei  de  Responsabilidade  Fiscal  -­ LRF  
estabelece,  que  o  PLOA  deverá  ser  elaborado  de  
forma  compatível  com  o  PPA,  com  a  LDO e  com  
a  própria  LRF.  
ü PLANO  PLURIANUAL  -­ PPA
§ Lei  nº  13.249,  de  13  de  Janeiro  de  2016
O  PLOA  tem  compatibilidade  com  o  PPA.
èAltera  o  Ato  das  Disposições  Constitucionais  Transitórias  
para  prorrogar a  desvinculação  de  receitas  da  União e  
estabelecer a  desvinculação  de  receitas  dos  Estados,  
Distrito  Federal  e  Municípios.  
ü DRU =  20%  até  2015  è 30%  até  2023
O PLOA  2017  considera  os  efeitos  da  DRU  no  total  de  R$  
119,0  bilhões  (R$  104,6  bi  OSS  e  R$  14,4  bi  OF)  
ü Cria  DRE,  DRDF,  DRM  =  30%  até  2023
Excetuam-­se da  desvinculação  recursos  destinados  ao  
financiamento  das  ASPS  e  à  manutenção  e  desenvolvimento  
do  ensino
ü A EC  produziu  efeitos a  partir  de  1º  de  janeiro  de  2016.
EMENDA  CONSTITUCIONAL  Nº  93,  DE  08/09/16EMENDA  CONSTITUCIONAL  Nº  93,  DE  08/09/16
2014  –  VALOR  EMPENHADO  EM  ASPS:  R$  92,2  BILHÕES;;    
INSUFICIÊNCIA  ORÇAMENTÁRIA  ESTIMADA:  R$  3,8  BILHÕES  
1.PRINCIPAIS  PROBLEMAS  DECORRENTES:  Houve  atraso  nas  transferências  fundo  a  
fundo  para  Estados  e  Municípios  referentes  ao  mês  de  dezembro,  principalmente  para  os  
seguintes  grupos  de  despesas,  informados  pela  SPO/MS  na  reunião  da  COFIN/CNS  em  
1º/10/2015:  MAC  (R$  2,3  bilhões);;  PACS/PSF  (R$  651  milhões);;  Farmácia  Básica-­PAB  (R$  
76  milhões);;  e  Farmácia  Popular  (R$  129  milhões).  
2.SOLUÇÃO   ADOTADA:   Fazer   o   repasse   no   início   de   2015,   utilizando   recursos   do  
orçamento  de  2015,  conforme  informado  pela  SPO/MS  na  reunião  da  COFIN/CNS  em  
1º/10/2015.  
	
  
2015  –  ORÇAMENTO  PARA  ASPS:  101,8  BILHÕES¹;;    
INSUFICIÊNCIA  ORÇAMENTÁRIA  ESTIMADA:  R$  5,9  BILHÕES²  
1.PRINCIPAIS  PROBLEMAS  QUE  PODERÃO  OCORRER:  
1.1.Não  será  possível  manter  o  padrão  de  gasto  de  2014.  
1.2.Haverá  atraso  nas  transferências  fundo  a  fundo  para  Estados  e  Municípios  referentes  
aos  meses  de  novembro  e  dezembro,  como  por  exemplo,  para:  MAC  (R$  4,3  bilhões);;  PAB  
FIXO   (R$   249   milhões);;   PACS/PSF   (R$   334   milhões);;   Farmácia   Básica-­PAB   (R$   116  
milhões);;  e  Farmácia  Popular  (R$  226  milhões).  
1.3.Impossibilidade   de   cumprimento   da   aplicação   do   valor   integral   das   emendas  
parlamentares  impositivas.  
2.EVENTUAL  SOLUÇÃO:  É  muito  provável  que  se  repita  o  procedimento  adotado  no  final  
de   2014,   isto   é,   repassar   o   valor   projetado   da   insuficiência   de   2015   no   início   de   2016,  
utilizando  recursos  do  orçamento  de  2016.  
	
  
2016  –  ORÇAMENTO  PARA  ASPS:  100,3  BILHÕES;;    
INSUFICIÊNCIA  ORÇAMENTÁRIA  ESTIMADA:  R$  16,6  BILHÕES²  
1.PRINCIPAIS  PROBLEMAS  QUE  PODERÃO  OCORRER:  
1.1.Não  será  possível  manter  o  padrão  de  gasto  de  2014,  nem  assumir  a  herança  de  
2015;;  
1.2.Atraso  nas  transferências  fundo  a  fundo  para  Estados  e  Municípios  referentes  aos  
meses   de   outubro,   novembro   e   dezembro,   como   por   exemplo,   para:   MAC   (R$   14,8  
bilhões);;  PAB  FIXO  (R$  697  milhões);;  PACS/PSF  (R$  408  milhões);;  Farmácia  Básica-­
PAB  (R$  177  milhões);;  e  Farmácia  Popular  (R$  244  milhões).  
1.3.Impossibilidade   de   cumprimento   da   aplicação   do   valor   integral   das   emendas  
parlamentares  impositivas;;  
1.4.Encerrar  o  programa  “Farmácia  Popular”  (modalidade  co-­pagamento);;  
1.5.Redução  de  50%  do  orçamento  da  FUNASA;;  e  
1.6.Estagnação   dos   recursos   para   a   Atenção   Básica,   depois   de   um   processo   de  
crescimento  moderado  verificado  nos  últimos  anos  
2.EVENTUAL  SOLUÇÃO:  A  projeção  do  valor  da  insuficiência  de  2016  é  muito  elevada  
para  repetir  o  procedimento  adotado  no  final  de  2014.  
A  situação  é  ainda  mais  grave  se  considerarmos  que  foi  prevista  na  PLOA  2016  a  utilização  
de   recursos   oriundos   de   operação   de   crédito   (fonte   144/Emissão   de   Títulos   de  
Responsabilidade   do   Tesouro   Nacional)   para   o   financiamento   parcial   dos   R$100,3   bilhões  
destinados  para  ASPS³.  
	
  
Piso  de  Atenção  Básica  Fixo  -­  PAB  FIXO  (8577)
PAB  em  01/98 R$  10,00 Pop  2015
IPC R$  25,59 204.482.459                          
Percapita  
Atualizado
R$  35,59 Pop  2016
206.034.966                          
PLOA  2017
5.015.301.000,00    
R$  24,34
Novo  Percapita
Diferença  com  o  PLOA  
2017  (ação  8577)
R$  35,59 -­1.991.348.645,65  
Necessidade
7.278.348.645,65  
IPC  FIPE  Saúde  01/98  a  09/16 255,94%
PLOA  2017
9ª Assembleia – PLOA/MS 2017 e PEC 241/2016

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Construindo as condições para a retomada do crescimento
Construindo as condições para a retomada do crescimentoConstruindo as condições para a retomada do crescimento
Construindo as condições para a retomada do crescimento
Edgar Gonçalves
 
Oficina sobre a Portaria GM/MS n. 3992/17
Oficina sobre a Portaria GM/MS n. 3992/17Oficina sobre a Portaria GM/MS n. 3992/17
Oficina sobre a Portaria GM/MS n. 3992/17
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Governança na Gestão Pública
Governança na Gestão PúblicaGovernança na Gestão Pública
Governança na Gestão Pública
Luis Nassif
 
EC n. 95: Impactos e viabilidade
EC n. 95: Impactos e viabilidade EC n. 95: Impactos e viabilidade
EC n. 95: Impactos e viabilidade
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Nf.janeiro.final (1)
Nf.janeiro.final (1)Nf.janeiro.final (1)
Nf.janeiro.final (1)
Ascom Sefaz
 
Veja de onde vem o dinheiro do INSS para pagar as nossas aposentadorias, auxí...
Veja de onde vem o dinheiro do INSS para pagar as nossas aposentadorias, auxí...Veja de onde vem o dinheiro do INSS para pagar as nossas aposentadorias, auxí...
Veja de onde vem o dinheiro do INSS para pagar as nossas aposentadorias, auxí...
advogadoemidio
 
Apresentação – Reforma da Previdência (08/03/2017)
Apresentação – Reforma da Previdência (08/03/2017)Apresentação – Reforma da Previdência (08/03/2017)
Apresentação – Reforma da Previdência (08/03/2017)
Ministério da Economia
 
Novo Regime Fiscal: um balanço
Novo Regime Fiscal: um balançoNovo Regime Fiscal: um balanço
Novidades Legislativas Nº27 | 07/05/2013
Novidades Legislativas Nº27 | 07/05/2013Novidades Legislativas Nº27 | 07/05/2013
Novidades Legislativas Nº27 | 07/05/2013
Confederação Nacional da Indústria
 
INSS
INSSINSS
Medidas Adicionais de Redução do Gasto da União
Medidas Adicionais de Redução do Gasto da UniãoMedidas Adicionais de Redução do Gasto da União
Medidas Adicionais de Redução do Gasto da União
Palácio do Planalto
 
Apresentação call 1 t13_port
Apresentação call 1 t13_portApresentação call 1 t13_port
Apresentação call 1 t13_port
Arteris S.A.
 
Unidade segurança no Trabalho Flora Vezzá
Unidade segurança no Trabalho Flora VezzáUnidade segurança no Trabalho Flora Vezzá
Unidade segurança no Trabalho Flora Vezzá
ProImprensa
 
Proposta de Reforma do Modelo Brasileiro de Tributação de Bens e Serviços
Proposta de Reforma do Modelo Brasileiro de Tributação de Bens e ServiçosProposta de Reforma do Modelo Brasileiro de Tributação de Bens e Serviços
Proposta de Reforma do Modelo Brasileiro de Tributação de Bens e Serviços
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Piaui
PiauiPiaui
Retomada do Crescimento Econômico - PEC do Teto
Retomada do Crescimento Econômico - PEC do TetoRetomada do Crescimento Econômico - PEC do Teto
Retomada do Crescimento Econômico - PEC do Teto
Suno Research
 
LDO 2011
LDO 2011LDO 2011
LDO 2011
alaseplan
 
Relatório de investimentos de estatais - maio 2013
Relatório de investimentos de estatais - maio 2013Relatório de investimentos de estatais - maio 2013
Relatório de investimentos de estatais - maio 2013
Giovanni Sandes
 
Panorama do Setor Elétrico Brasileiro
Panorama do Setor Elétrico BrasileiroPanorama do Setor Elétrico Brasileiro
Panorama do Setor Elétrico Brasileiro
ANEEL - Agência Nacional de Energia Elétrica
 
Novidades Legislativas Nº14 | 03/04/2013
Novidades Legislativas Nº14 | 03/04/2013Novidades Legislativas Nº14 | 03/04/2013
Novidades Legislativas Nº14 | 03/04/2013
Confederação Nacional da Indústria
 

Mais procurados (20)

Construindo as condições para a retomada do crescimento
Construindo as condições para a retomada do crescimentoConstruindo as condições para a retomada do crescimento
Construindo as condições para a retomada do crescimento
 
Oficina sobre a Portaria GM/MS n. 3992/17
Oficina sobre a Portaria GM/MS n. 3992/17Oficina sobre a Portaria GM/MS n. 3992/17
Oficina sobre a Portaria GM/MS n. 3992/17
 
Governança na Gestão Pública
Governança na Gestão PúblicaGovernança na Gestão Pública
Governança na Gestão Pública
 
EC n. 95: Impactos e viabilidade
EC n. 95: Impactos e viabilidade EC n. 95: Impactos e viabilidade
EC n. 95: Impactos e viabilidade
 
Nf.janeiro.final (1)
Nf.janeiro.final (1)Nf.janeiro.final (1)
Nf.janeiro.final (1)
 
Veja de onde vem o dinheiro do INSS para pagar as nossas aposentadorias, auxí...
Veja de onde vem o dinheiro do INSS para pagar as nossas aposentadorias, auxí...Veja de onde vem o dinheiro do INSS para pagar as nossas aposentadorias, auxí...
Veja de onde vem o dinheiro do INSS para pagar as nossas aposentadorias, auxí...
 
Apresentação – Reforma da Previdência (08/03/2017)
Apresentação – Reforma da Previdência (08/03/2017)Apresentação – Reforma da Previdência (08/03/2017)
Apresentação – Reforma da Previdência (08/03/2017)
 
Novo Regime Fiscal: um balanço
Novo Regime Fiscal: um balançoNovo Regime Fiscal: um balanço
Novo Regime Fiscal: um balanço
 
Novidades Legislativas Nº27 | 07/05/2013
Novidades Legislativas Nº27 | 07/05/2013Novidades Legislativas Nº27 | 07/05/2013
Novidades Legislativas Nº27 | 07/05/2013
 
INSS
INSSINSS
INSS
 
Medidas Adicionais de Redução do Gasto da União
Medidas Adicionais de Redução do Gasto da UniãoMedidas Adicionais de Redução do Gasto da União
Medidas Adicionais de Redução do Gasto da União
 
Apresentação call 1 t13_port
Apresentação call 1 t13_portApresentação call 1 t13_port
Apresentação call 1 t13_port
 
Unidade segurança no Trabalho Flora Vezzá
Unidade segurança no Trabalho Flora VezzáUnidade segurança no Trabalho Flora Vezzá
Unidade segurança no Trabalho Flora Vezzá
 
Proposta de Reforma do Modelo Brasileiro de Tributação de Bens e Serviços
Proposta de Reforma do Modelo Brasileiro de Tributação de Bens e ServiçosProposta de Reforma do Modelo Brasileiro de Tributação de Bens e Serviços
Proposta de Reforma do Modelo Brasileiro de Tributação de Bens e Serviços
 
Piaui
PiauiPiaui
Piaui
 
Retomada do Crescimento Econômico - PEC do Teto
Retomada do Crescimento Econômico - PEC do TetoRetomada do Crescimento Econômico - PEC do Teto
Retomada do Crescimento Econômico - PEC do Teto
 
LDO 2011
LDO 2011LDO 2011
LDO 2011
 
Relatório de investimentos de estatais - maio 2013
Relatório de investimentos de estatais - maio 2013Relatório de investimentos de estatais - maio 2013
Relatório de investimentos de estatais - maio 2013
 
Panorama do Setor Elétrico Brasileiro
Panorama do Setor Elétrico BrasileiroPanorama do Setor Elétrico Brasileiro
Panorama do Setor Elétrico Brasileiro
 
Novidades Legislativas Nº14 | 03/04/2013
Novidades Legislativas Nº14 | 03/04/2013Novidades Legislativas Nº14 | 03/04/2013
Novidades Legislativas Nº14 | 03/04/2013
 

Semelhante a 9ª Assembleia – PLOA/MS 2017 e PEC 241/2016

20171013+mf+apres+oe21018.pptx
20171013+mf+apres+oe21018.pptx20171013+mf+apres+oe21018.pptx
20171013+mf+apres+oe21018.pptx
Rogério Faceira
 
Apresentação - Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 (31/08/2016)
Apresentação - Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 (31/08/2016)Apresentação - Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 (31/08/2016)
Apresentação - Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 (31/08/2016)
Ministério da Economia
 
Resultado do Tesouro Nacional - Novembro de 2015
Resultado do Tesouro Nacional - Novembro de 2015Resultado do Tesouro Nacional - Novembro de 2015
Resultado do Tesouro Nacional - Novembro de 2015
Ministério da Economia
 
Estabilização da Economia e Recuperação do Crescimento e Emprego
Estabilização da Economia e Recuperação do Crescimento e EmpregoEstabilização da Economia e Recuperação do Crescimento e Emprego
Estabilização da Economia e Recuperação do Crescimento e Emprego
Ministério da Economia
 
CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – Financiamento do SUS (Vi...
CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – Financiamento do SUS (Vi...CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – Financiamento do SUS (Vi...
CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – Financiamento do SUS (Vi...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Apresent vigep-clausulas-economicas-01-09-16
Apresent vigep-clausulas-economicas-01-09-16Apresent vigep-clausulas-economicas-01-09-16
Apresent vigep-clausulas-economicas-01-09-16
Jose Carlos
 
Apresentação – Programação fiscal 2017-2018 (15/08/2017)
Apresentação – Programação fiscal 2017-2018 (15/08/2017)Apresentação – Programação fiscal 2017-2018 (15/08/2017)
Apresentação – Programação fiscal 2017-2018 (15/08/2017)
Ministério da Economia
 
Os Entes Federados e o Financiamento do SUS
Os Entes Federados e o Financiamento do SUSOs Entes Federados e o Financiamento do SUS
Os Entes Federados e o Financiamento do SUS
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Apresentação dos Resultados do 2T08
Apresentação dos Resultados do 2T08Apresentação dos Resultados do 2T08
Apresentação dos Resultados do 2T08
Celesc
 
Resultado do Tesouro Nacional - Outubro de 2015
Resultado do Tesouro Nacional - Outubro de 2015Resultado do Tesouro Nacional - Outubro de 2015
Resultado do Tesouro Nacional - Outubro de 2015
Ministério da Economia
 
Rateios do FPE e do FPM
Rateios do FPE e do FPMRateios do FPE e do FPM
Rateios do FPE e do FPM
Alexandre A. Rocha
 
00seplan-4572-62d056f645585 (1).pptx
00seplan-4572-62d056f645585 (1).pptx00seplan-4572-62d056f645585 (1).pptx
00seplan-4572-62d056f645585 (1).pptx
Skall3
 
Principais receitas caem e Prefeitura do Recife leva susto em abril
Principais receitas caem e Prefeitura do Recife leva susto em abrilPrincipais receitas caem e Prefeitura do Recife leva susto em abril
Principais receitas caem e Prefeitura do Recife leva susto em abril
Portal NE10
 
Apresentação PLDO 2016
Apresentação PLDO 2016Apresentação PLDO 2016
Apresentação PLDO 2016
DenizecomZ
 
Rateios do FPE e do FPM
Rateios do FPE e do FPMRateios do FPE e do FPM
Rateios do FPE e do FPM
Alexandre A. Rocha
 
MUNICÍPIO DE Rio Grande da Serra - CONSOLIDADO GERAL
MUNICÍPIO DE Rio Grande da Serra - CONSOLIDADO GERALMUNICÍPIO DE Rio Grande da Serra - CONSOLIDADO GERAL
MUNICÍPIO DE Rio Grande da Serra - CONSOLIDADO GERAL
Rafael Duarte
 
Balanço da CNM sobre arrecadação
Balanço da CNM sobre arrecadaçãoBalanço da CNM sobre arrecadação
Balanço da CNM sobre arrecadação
Jornal do Commercio
 
Audiência Pública da Saúde 3º Quadrimestre de 2015 - Financeiro
Audiência Pública da Saúde 3º Quadrimestre de 2015 - FinanceiroAudiência Pública da Saúde 3º Quadrimestre de 2015 - Financeiro
Audiência Pública da Saúde 3º Quadrimestre de 2015 - Financeiro
Secretaria Municipal de Saúde de Iracemápolis
 
CNA divulga Nota Técnica sobre Plano Agrícola e Pecuário 2017/2018
CNA divulga Nota Técnica sobre Plano Agrícola e Pecuário 2017/2018CNA divulga Nota Técnica sobre Plano Agrícola e Pecuário 2017/2018
CNA divulga Nota Técnica sobre Plano Agrícola e Pecuário 2017/2018
Rural Pecuária
 
Como ficam o país e o Nordeste caso a EC 95 não seja derrubada?
Como ficam o país e o Nordeste caso a EC 95 não seja derrubada?Como ficam o país e o Nordeste caso a EC 95 não seja derrubada?
Como ficam o país e o Nordeste caso a EC 95 não seja derrubada?
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 

Semelhante a 9ª Assembleia – PLOA/MS 2017 e PEC 241/2016 (20)

20171013+mf+apres+oe21018.pptx
20171013+mf+apres+oe21018.pptx20171013+mf+apres+oe21018.pptx
20171013+mf+apres+oe21018.pptx
 
Apresentação - Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 (31/08/2016)
Apresentação - Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 (31/08/2016)Apresentação - Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 (31/08/2016)
Apresentação - Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 (31/08/2016)
 
Resultado do Tesouro Nacional - Novembro de 2015
Resultado do Tesouro Nacional - Novembro de 2015Resultado do Tesouro Nacional - Novembro de 2015
Resultado do Tesouro Nacional - Novembro de 2015
 
Estabilização da Economia e Recuperação do Crescimento e Emprego
Estabilização da Economia e Recuperação do Crescimento e EmpregoEstabilização da Economia e Recuperação do Crescimento e Emprego
Estabilização da Economia e Recuperação do Crescimento e Emprego
 
CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – Financiamento do SUS (Vi...
CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – Financiamento do SUS (Vi...CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – Financiamento do SUS (Vi...
CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – Financiamento do SUS (Vi...
 
Apresent vigep-clausulas-economicas-01-09-16
Apresent vigep-clausulas-economicas-01-09-16Apresent vigep-clausulas-economicas-01-09-16
Apresent vigep-clausulas-economicas-01-09-16
 
Apresentação – Programação fiscal 2017-2018 (15/08/2017)
Apresentação – Programação fiscal 2017-2018 (15/08/2017)Apresentação – Programação fiscal 2017-2018 (15/08/2017)
Apresentação – Programação fiscal 2017-2018 (15/08/2017)
 
Os Entes Federados e o Financiamento do SUS
Os Entes Federados e o Financiamento do SUSOs Entes Federados e o Financiamento do SUS
Os Entes Federados e o Financiamento do SUS
 
Apresentação dos Resultados do 2T08
Apresentação dos Resultados do 2T08Apresentação dos Resultados do 2T08
Apresentação dos Resultados do 2T08
 
Resultado do Tesouro Nacional - Outubro de 2015
Resultado do Tesouro Nacional - Outubro de 2015Resultado do Tesouro Nacional - Outubro de 2015
Resultado do Tesouro Nacional - Outubro de 2015
 
Rateios do FPE e do FPM
Rateios do FPE e do FPMRateios do FPE e do FPM
Rateios do FPE e do FPM
 
00seplan-4572-62d056f645585 (1).pptx
00seplan-4572-62d056f645585 (1).pptx00seplan-4572-62d056f645585 (1).pptx
00seplan-4572-62d056f645585 (1).pptx
 
Principais receitas caem e Prefeitura do Recife leva susto em abril
Principais receitas caem e Prefeitura do Recife leva susto em abrilPrincipais receitas caem e Prefeitura do Recife leva susto em abril
Principais receitas caem e Prefeitura do Recife leva susto em abril
 
Apresentação PLDO 2016
Apresentação PLDO 2016Apresentação PLDO 2016
Apresentação PLDO 2016
 
Rateios do FPE e do FPM
Rateios do FPE e do FPMRateios do FPE e do FPM
Rateios do FPE e do FPM
 
MUNICÍPIO DE Rio Grande da Serra - CONSOLIDADO GERAL
MUNICÍPIO DE Rio Grande da Serra - CONSOLIDADO GERALMUNICÍPIO DE Rio Grande da Serra - CONSOLIDADO GERAL
MUNICÍPIO DE Rio Grande da Serra - CONSOLIDADO GERAL
 
Balanço da CNM sobre arrecadação
Balanço da CNM sobre arrecadaçãoBalanço da CNM sobre arrecadação
Balanço da CNM sobre arrecadação
 
Audiência Pública da Saúde 3º Quadrimestre de 2015 - Financeiro
Audiência Pública da Saúde 3º Quadrimestre de 2015 - FinanceiroAudiência Pública da Saúde 3º Quadrimestre de 2015 - Financeiro
Audiência Pública da Saúde 3º Quadrimestre de 2015 - Financeiro
 
CNA divulga Nota Técnica sobre Plano Agrícola e Pecuário 2017/2018
CNA divulga Nota Técnica sobre Plano Agrícola e Pecuário 2017/2018CNA divulga Nota Técnica sobre Plano Agrícola e Pecuário 2017/2018
CNA divulga Nota Técnica sobre Plano Agrícola e Pecuário 2017/2018
 
Como ficam o país e o Nordeste caso a EC 95 não seja derrubada?
Como ficam o país e o Nordeste caso a EC 95 não seja derrubada?Como ficam o país e o Nordeste caso a EC 95 não seja derrubada?
Como ficam o país e o Nordeste caso a EC 95 não seja derrubada?
 

Mais de Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS

Modelo de Distanciamento Controlado - Rio Grande do Sul
Modelo de Distanciamento Controlado - Rio Grande do SulModelo de Distanciamento Controlado - Rio Grande do Sul
Modelo de Distanciamento Controlado - Rio Grande do Sul
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
O enfrentamento da Covid-19 pela Atenção Primária à Saúde em Uberlândia, Mina...
O enfrentamento da Covid-19 pela Atenção Primária à Saúde em Uberlândia, Mina...O enfrentamento da Covid-19 pela Atenção Primária à Saúde em Uberlândia, Mina...
O enfrentamento da Covid-19 pela Atenção Primária à Saúde em Uberlândia, Mina...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Banners – II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde
Banners – II Seminário da Planificação da Atenção à SaúdeBanners – II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde
Banners – II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
A introdução de novas tecnologias para o manejo das condições crônicas na UBS...
A introdução de novas tecnologias para o manejo das condições crônicas na UBS...A introdução de novas tecnologias para o manejo das condições crônicas na UBS...
A introdução de novas tecnologias para o manejo das condições crônicas na UBS...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
PIMENTEIRAS DO OESTE - RO
PIMENTEIRAS DO OESTE - ROPIMENTEIRAS DO OESTE - RO
CHECKLIST DA IMUNIZAÇÃO: um instrumento de melhoria e monitoramento do proces...
CHECKLIST DA IMUNIZAÇÃO: um instrumento de melhoria e monitoramento do proces...CHECKLIST DA IMUNIZAÇÃO: um instrumento de melhoria e monitoramento do proces...
CHECKLIST DA IMUNIZAÇÃO: um instrumento de melhoria e monitoramento do proces...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Da adesão aos resultados esperados no PlanificaSUS: um olhar sobre a importân...
Da adesão aos resultados esperados no PlanificaSUS: um olhar sobre a importân...Da adesão aos resultados esperados no PlanificaSUS: um olhar sobre a importân...
Da adesão aos resultados esperados no PlanificaSUS: um olhar sobre a importân...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
INCORPORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS INOVADORAS NO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO...
INCORPORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS INOVADORAS NO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO...INCORPORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS INOVADORAS NO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO...
INCORPORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS INOVADORAS NO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Melhorias na Unidade Laboratório do município de Pimenta Bueno/RO após a plan...
Melhorias na Unidade Laboratório do município de Pimenta Bueno/RO após a plan...Melhorias na Unidade Laboratório do município de Pimenta Bueno/RO após a plan...
Melhorias na Unidade Laboratório do município de Pimenta Bueno/RO após a plan...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Guia do Pré-Natal na Atenção Básica: a Planificação da Atenção à Saúde como E...
Guia do Pré-Natal na Atenção Básica: a Planificação da Atenção à Saúde como E...Guia do Pré-Natal na Atenção Básica: a Planificação da Atenção à Saúde como E...
Guia do Pré-Natal na Atenção Básica: a Planificação da Atenção à Saúde como E...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Jornada Interdisciplinar em Diabetes, Obesidade e Hipertensão
Jornada Interdisciplinar em Diabetes, Obesidade e HipertensãoJornada Interdisciplinar em Diabetes, Obesidade e Hipertensão
Jornada Interdisciplinar em Diabetes, Obesidade e Hipertensão
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
A Segurança do Paciente na Construção Social da APS
A Segurança do Paciente na Construção Social da APSA Segurança do Paciente na Construção Social da APS
A Segurança do Paciente na Construção Social da APS
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Estratégias de Melhoria no Processo de Planificação da Região Leste do DF
Estratégias de Melhoria no Processo de Planificação da Região Leste do DFEstratégias de Melhoria no Processo de Planificação da Região Leste do DF
Estratégias de Melhoria no Processo de Planificação da Região Leste do DF
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Cuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicas
Cuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicasCuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicas
Cuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicas
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Sala de Situação Regional de Saúde Sudoeste I
Sala de Situação  Regional de Saúde  Sudoeste I Sala de Situação  Regional de Saúde  Sudoeste I
Sala de Situação Regional de Saúde Sudoeste I
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Por um cuidado certo - Sociedade Brasileira de Diabetes
Por um cuidado certo - Sociedade Brasileira de DiabetesPor um cuidado certo - Sociedade Brasileira de Diabetes
Por um cuidado certo - Sociedade Brasileira de Diabetes
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
O pediatra e sua presença na Assistência no Brasil
O pediatra e sua presença na Assistência no BrasilO pediatra e sua presença na Assistência no Brasil
O pediatra e sua presença na Assistência no Brasil
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Notas Técnicas para Organização das Redes de Atenção à Saúde
Notas Técnicas para Organização das Redes de Atenção à SaúdeNotas Técnicas para Organização das Redes de Atenção à Saúde
Notas Técnicas para Organização das Redes de Atenção à Saúde
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Ministério Público em Defesa da APS
Ministério Público em Defesa da APSMinistério Público em Defesa da APS
Ministério Público em Defesa da APS
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...
II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...
II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 

Mais de Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS (20)

Modelo de Distanciamento Controlado - Rio Grande do Sul
Modelo de Distanciamento Controlado - Rio Grande do SulModelo de Distanciamento Controlado - Rio Grande do Sul
Modelo de Distanciamento Controlado - Rio Grande do Sul
 
O enfrentamento da Covid-19 pela Atenção Primária à Saúde em Uberlândia, Mina...
O enfrentamento da Covid-19 pela Atenção Primária à Saúde em Uberlândia, Mina...O enfrentamento da Covid-19 pela Atenção Primária à Saúde em Uberlândia, Mina...
O enfrentamento da Covid-19 pela Atenção Primária à Saúde em Uberlândia, Mina...
 
Banners – II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde
Banners – II Seminário da Planificação da Atenção à SaúdeBanners – II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde
Banners – II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde
 
A introdução de novas tecnologias para o manejo das condições crônicas na UBS...
A introdução de novas tecnologias para o manejo das condições crônicas na UBS...A introdução de novas tecnologias para o manejo das condições crônicas na UBS...
A introdução de novas tecnologias para o manejo das condições crônicas na UBS...
 
PIMENTEIRAS DO OESTE - RO
PIMENTEIRAS DO OESTE - ROPIMENTEIRAS DO OESTE - RO
PIMENTEIRAS DO OESTE - RO
 
CHECKLIST DA IMUNIZAÇÃO: um instrumento de melhoria e monitoramento do proces...
CHECKLIST DA IMUNIZAÇÃO: um instrumento de melhoria e monitoramento do proces...CHECKLIST DA IMUNIZAÇÃO: um instrumento de melhoria e monitoramento do proces...
CHECKLIST DA IMUNIZAÇÃO: um instrumento de melhoria e monitoramento do proces...
 
Da adesão aos resultados esperados no PlanificaSUS: um olhar sobre a importân...
Da adesão aos resultados esperados no PlanificaSUS: um olhar sobre a importân...Da adesão aos resultados esperados no PlanificaSUS: um olhar sobre a importân...
Da adesão aos resultados esperados no PlanificaSUS: um olhar sobre a importân...
 
INCORPORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS INOVADORAS NO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO...
INCORPORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS INOVADORAS NO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO...INCORPORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS INOVADORAS NO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO...
INCORPORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS INOVADORAS NO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO...
 
Melhorias na Unidade Laboratório do município de Pimenta Bueno/RO após a plan...
Melhorias na Unidade Laboratório do município de Pimenta Bueno/RO após a plan...Melhorias na Unidade Laboratório do município de Pimenta Bueno/RO após a plan...
Melhorias na Unidade Laboratório do município de Pimenta Bueno/RO após a plan...
 
Guia do Pré-Natal na Atenção Básica: a Planificação da Atenção à Saúde como E...
Guia do Pré-Natal na Atenção Básica: a Planificação da Atenção à Saúde como E...Guia do Pré-Natal na Atenção Básica: a Planificação da Atenção à Saúde como E...
Guia do Pré-Natal na Atenção Básica: a Planificação da Atenção à Saúde como E...
 
Jornada Interdisciplinar em Diabetes, Obesidade e Hipertensão
Jornada Interdisciplinar em Diabetes, Obesidade e HipertensãoJornada Interdisciplinar em Diabetes, Obesidade e Hipertensão
Jornada Interdisciplinar em Diabetes, Obesidade e Hipertensão
 
A Segurança do Paciente na Construção Social da APS
A Segurança do Paciente na Construção Social da APSA Segurança do Paciente na Construção Social da APS
A Segurança do Paciente na Construção Social da APS
 
Estratégias de Melhoria no Processo de Planificação da Região Leste do DF
Estratégias de Melhoria no Processo de Planificação da Região Leste do DFEstratégias de Melhoria no Processo de Planificação da Região Leste do DF
Estratégias de Melhoria no Processo de Planificação da Região Leste do DF
 
Cuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicas
Cuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicasCuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicas
Cuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicas
 
Sala de Situação Regional de Saúde Sudoeste I
Sala de Situação  Regional de Saúde  Sudoeste I Sala de Situação  Regional de Saúde  Sudoeste I
Sala de Situação Regional de Saúde Sudoeste I
 
Por um cuidado certo - Sociedade Brasileira de Diabetes
Por um cuidado certo - Sociedade Brasileira de DiabetesPor um cuidado certo - Sociedade Brasileira de Diabetes
Por um cuidado certo - Sociedade Brasileira de Diabetes
 
O pediatra e sua presença na Assistência no Brasil
O pediatra e sua presença na Assistência no BrasilO pediatra e sua presença na Assistência no Brasil
O pediatra e sua presença na Assistência no Brasil
 
Notas Técnicas para Organização das Redes de Atenção à Saúde
Notas Técnicas para Organização das Redes de Atenção à SaúdeNotas Técnicas para Organização das Redes de Atenção à Saúde
Notas Técnicas para Organização das Redes de Atenção à Saúde
 
Ministério Público em Defesa da APS
Ministério Público em Defesa da APSMinistério Público em Defesa da APS
Ministério Público em Defesa da APS
 
II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...
II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...
II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...
 

9ª Assembleia – PLOA/MS 2017 e PEC 241/2016

  • 2. • EC  29/2000 Empenhado  do  ano   anterior  corrigido  pela   variação  nominal  do   PIB • EC  86/2015 15%  da  RCL  escalonado:   13,2%,  13,7%,14,1%,   14,5%  e  15% Aplicação  da  União  em  ASPSAplicação  da  União  em  ASPS Arcabouço  Legal • PEC  01/2015 19,4%  da  RCL   escalonado:  14,8%,   15,5%,16,2%,  16,9%,   17,9%,  18,3%  e  19,4% • Saúde  +  10 10%  da  RCB
  • 3. • EC  Nº  93/2016   • Aumenta  a  DRU    de  20%   para  30%  até  2023 • Cria  a  DRE  e  DRM  com   30%  até  2023 • Excetua-­se  da   desvinculação    a  Saúde  nas   3  esferas  de  governo • PLDO  2017 • Fase  final  de  aprovação  no  CN   è substitutivo  PLDO   • Antecipa  a  PEC  nº  241/2016   èquanto  ao  limite  para  a   despesa  primária   • Define  para  saúde  empenho   mínimo  de  %  aplicado  em  2016,   corrigido  pela  variação   acumulada  do  IPCA  de  2016 Aplicação  da  União  em  ASPSAplicação  da  União  em  ASPS Arcabouço  Legal • PEC  241/2016 • Instituir  o  Novo  Regime  Fiscal  por  20  anos  è teto  somente  para   despesas  primárias     • Desvincula  recurso  da  saúde  na  esfera  federal  è base  2017  =  15%  RCL • Aprovada  em  1º  turno  em  10/10
  • 4. Quadro  01  -­ Impacto  nas  despesas  com  ASPS  da  União  -­ EC86   versus PEC241-­A  em  20  anos R$   bilhões R$   bilhões R$   bilhões   de  2016 %  da   RCL R$   bilhões R$   bilhões   de  2016 %  da   RCL Em  %  do   orçamento   calculado   pela  EC  86 Em  R$   bilhões   de  2016 2017 758,3 103,9 98,8 13,7     113,7 108,2 15,0 9,5% 9,38 2018 808,3 114,0 103,8 14,1     119,5 108,8 14,8 4,9% 5,08 2019 861,5 124,9 108,8 14,5     124,9 108,8 14,5 0,0% 0,00 2020 918,3 137,7 114,8 15,0     130,5 108,8 14,2 -­‐5,2% -­‐6,00   2021 978,8 146,8 117,1 15,0     136,4 108,8 13,9 -­‐7,1% -­‐8,30   2022 1.043,3 156,5 119,5 15,0     142,6 108,8 13,7 -­‐8,9% -­‐10,64   2023 1.112,1 166,8 121,9 15,0     149,0 108,8 13,4 -­‐10,7% -­‐13,03   2024 1.185,4 177,8 124,3 15,0     155,7 108,8 13,1 -­‐12,4% -­‐15,47   2025 1.263,5 189,5 126,8 15,0     162,7 108,8 12,9 -­‐14,2% -­‐17,96   2026 1.346,8 202,0 129,3 15,0     170,0 108,8 12,6 -­‐15,8% -­‐20,49   2027 1.435,5 215,3 131,9 15,0     177,7 108,8 12,4 -­‐17,5% -­‐23,08   2028 1.530,1 229,5 134,6 15,0     185,7 108,8 12,1 -­‐19,1% -­‐25,72   2029 1.630,9 244,6 137,3 15,0     194,0 108,8 11,9 -­‐20,7% -­‐28,41   2030 1.738,4 260,8 140,0 15,0     202,7 108,8 11,7 -­‐22,3% -­‐31,15   2031 1.853,0 277,9 142,8 15,0     211,9 108,8 11,4 -­‐23,8% -­‐33,95   2032 1.975,1 296,3 145,7 15,0     221,4 108,8 11,2 -­‐25,3% -­‐36,81   2033 2.105,3 315,8 148,6 15,0     231,4 108,8 11,0 -­‐26,7% -­‐39,72   2034 2.244,0 336,6 151,5 15,0     241,8 108,8 10,8 -­‐28,2% -­‐42,69   2035 2.391,9 358,8 154,6 15,0     252,6 108,8 10,6 -­‐29,6% -­‐45,73   2036 2.549,5 382,4 157,7 15,0     264,0 108,8 10,4 -­‐31,0% -­‐48,82   Resultado  estimado: -­‐433,52   Ano RCL Gasto  Federal  com  Saúde  (ASPS) PEC  241  EC  86 Perda  com  a  PEC  241
  • 5. Reunião  da  CIT  de  amanhã   ü Impacto  no  financiamento  da  saúde   com  a  aprovação  da  Proposta  de   Emenda  à  Constituição  241/2016 -­ Marcos  Mendes,  Chefe  da  Assessoria Especial  do  Ministro  da  Fazenda.
  • 6. PROJETO DE LEI ORÇAMENTÁRIA ANUAL PLOA 2017 Assembleia  do  CONASS Brasília,  19/10/2016
  • 7. PROJETO  DE  LEI  Nº  18/2016-­CN  
  • 9. N.  52|  13  de  outubro  de  2016 Prazo  para  apresentação  de  emendas  ao  PLOA  2017  encerra-­se  em  20/10. Emendas  individuais,  por  parlamentar  : -­ a  quantidade  máxima  25,   -­ o  limite  financeiro  =  R$15.319.538,00,  sendo  R$  7.659.769,00  para  ASPS Emendas  propostas  para  Unidade  Orçamentária  do  Ministério  da  Saúde  -­ Fundo  Nacional  da  Saúde  (UO  36901):  Custeio  e  Investimento. Emendas  indicadas  na  Ação  Orçamentária  “Apoio  à  Manutenção  de   Unidades  de  Saúde  (4525)”  exclusivas  para    GND  3  – Despesas  Correntes.   E  emendas  de  recursos  correntes  para  manutenção  de  UBS  ou  especializada,   públicas  ou  privadas,  que  integrem  o  SUS  são  destinadas  para:   a)  auxílio  na  realização  de  despesas  correntes  e  na  aquisição  de  material  de   consumo  e  médico-­hospitalar  necessário  ao  desenvolvimento  das  atividades;;   b)  reforço  das  dotações  repassadas  a  título  de  PAB e  de  procedimentos  de   MAC,  constituindo  tais  valores  acréscimos  aos  tetos  transferidos  pela  União   para  cumprimento  de  metas  estabelecidas.   Esta  ação  não  permite  a  execução  de  reformas  de  unidades  de  saúde,  para   as  quais  existem  ações  próprias  de  ‘Estruturação’  e  nem  a  compra  de   medicamentos.
  • 10. Descrição Receita Despesa A.    Orçamento  Total   3.489,24 3.489,24 B.    Refinanciamento  da  Dívida  Pública  Federal   946,41 946,41 C.    Orçamento  Efetivo  =  (A  –  B)   2.542,84 2.542,84 D.    Orçamento  de  Investimento  das  Empresas  Estatais   89,77 89,77 E.    Orçamentos  Fiscal  e  da  Seguridade  Social  =(C  –  D)   2.453,06 2.453,06                      E.  1.    Orçamento  Fiscal   1.784,96 1.515,01                      E.  2.    Orçamento  da  Seguridade  Social   668,10 938,05 Fonte:  Texto  do  Projeto  de  Lei  Nº  18/2016-­‐CN  (PLOA  2017) Estimativa  da  Receita  e  Fixação  da  Despesa  da  União  –  PLOA  2017.  (R$  Bilhões) A  diferença  de  R$  269,65  bilhões  das  despesas  da  seguridade  social  será  coberta   por  receitas  do  orçamento  fiscal.
  • 11. Valor   % Valor   % Orçamento  Fiscal   1.177,04 39,23 1.515,01 43,42 28,71 Orçamento  da  Seguridade  Social   841,38 28,04 938,05 26,88 11,49 Orçamento  de  Investimento  das  Empresas  Estatais   96,90 3,23 89,77 2,57 -­‐7,35 Orçamento  Efetivo   2.115,32 70,50 2.542,84 72,88 20,21 Refinanciamento  da  Dívida  Pública  Federal   885,00 29,50 946,41 27,12 6,94 Orçamento  Total   3.000,32 100,00 3.489,24 100,00 16,30 Fonte:  Texto  dos  Projetos  de  Lei  Nº  007/2015-­‐CN  (PLOA  2016)  e  Nº  18/2016-­‐CN  (PLOA  2017) Tabela  2:  Distribuição  das  Despesas  da  União  –    PLOA  2016  e  PLOA  2017(Em  R$  Bilhões) Descrição PLOA  2016 PLOA  2017 Variação   %
  • 12. Valor   % Valor   % Orçamento  Fiscal   1.202,77 39,43 1.515,01 43,42 25,96 Orçamento  da  Seguridade  Social   865,77 28,38 938,05 26,88 8,35 Orçamento  de  Investimento  das  Empresas  Estatais   97,07 3,18 89,77 2,57 -­‐7,51 Orçamento  Efetivo   2.165,61 70,99 2.542,84 72,88 17,42 Refinanciamento  da  Dívida  Pública  Federal   885,00 29,01 946,41 27,12 6,94 Orçamento  Total   3.050,61 100,00 3.489,24 100,00 14,38 Fonte:  Texto  da  Lei  Nº  13.255/2016  (OA  2016)  e  dos  Projeto  de  Lei  Nº  18/2016-­‐CN  (PLOA  2017) Tabela  3:  Distribuição  das  Despesas  da  União  –    LOA  2016  e  PLOA  2017(Em  R$  Bilhões) Descrição LOA  2016 PLOA  2017 Variação   %
  • 14. O  ORÇAMENTO  DO   MINISTÉRIO  DA   SAÚDE
  • 15. Demais  ações:   R$  9,9  bilhões Ações  e  Serviços   Públicos  de  Saúde:   R$  105,5  bilhões üR$  115,5  bilhões  previstos  para  o   Ministério  da  Saúde. PLOA  2017
  • 16. ü PLOA  2017ü PLOA  2017 Alocado  ASPS   R$  105,5  bilhões  + (emendas) R$          4,5  bilhões = R$  110,0  bilhões è menor  que  o  valor  estimado   PLDO  2017 PLDO  2017  =  R$  107  bilhões  +  7,2%  =  R$  114,7  bi PEC  241/16  =  15%  da  RCL  =  R$  113,7  bi 10%  RCL  =  R$  147,5  bi 30%  OSS  =  R$  200,4  bi
  • 17. 2014 2015 2014-­ PLOA   2017 2015-­ PLOA   2017 2016-­ PLOA   2017 MAC 34,74     43,13       40,72                         41,61       24,17 -­3,54   2,17 PAB  Variável 9,09         12,47       10,77                         10,66       37,16 -­14,54   -­1,08   PAB  Fixo 4,52         4,94           5,07                             5,02           9,30 1,62 -­0,98   Medicamentos  Comp.  Especial. 4,98         5,87           7,17                             7,20           17,84 22,75 0,49 Assist.  Farmacêutica  Básica   1,21         1,23           1,52                             1,50           1,32 22,04 -­1,29   Vigilância  Sanitária   0,18         0,18           0,19                             0,19           -­1,51   3,55 0,00 Vigilância em Saúde -­ Incentivo Financeiro 1,87         1,77           2,13                             2,30           -­5,18   30,00 7,88 Variação  %Executado LOA  2016  +   Créditos   Suplemen-­ tares PLOA   2017 Ações  Selecionadas  do  Ministério  da  Saúde,  PLOA  2017.  (Em  R$  Bilhões) Ações  
  • 18. MÉDIA  E  ALTA  COMPLEXIDADE   AMBULATORIAL  E  HOSPITALAR   (MAC)
  • 19. Valor  em  R$  1,00 Diferença  com  o  PLOA   2017  (ação  8585) Teto  Mac  2016 39.430.970.874,72 FAEC  Estimado 4.663.837.285,70 Total  Teto  Mac    +  FAEC 44.094.808.160,42 -­2.487.365.448,42   PLOA  2016 41.607.442.712,00 Diferença  PLOA  2017 -­2.487.365.448,42   PLOA  2017 Atenção  à  Saúde  da  População  para  procedimentos  de  Média  e  Alta   Complexidade
  • 20. ASSISTÊNCIA  FARMACÊUTICA  -­ COMPONENTE  ESPECIALIZADO   • R$  7,2  bilhões  (Expansão  de  R$  200  milhões  em   relação  ao  PLOA  2016  mas  R$  35  milhões  da  LOA  +   créditos). • Absorção  do  impacto  financeiro  da  aprovação  pela   CONITEC  de  novas  incorporações  de  medicamentos: - R$ 4,1  milhões   – Tratamento  de  Transtorno   Afetivo  Bipolar;; - R$ 20,0  milhões – Tratamento  de  Autismo;; - R$ 222,0  milhões – Tratamento  de   problemas  no  metabolismo  do  cálcio  em  pacientes   renais  crônicos. - Alocado  somente  para  transferência  aos  estados
  • 21. Local,  data NÚCLEO DE FINANCIAMENTO DO SUS Referência  Técnica  -­ SE/CONASS:   Viviane  Rocha  de  Luiz   Fone:  (61)  3222  3000       site: www.conass.org.br conass@conass.org.br Obrigada!
  • 23. ü LEI  DE  DIRETRIZES  ORÇAMENTÁRIAS  ü LEI  DE  DIRETRIZES  ORÇAMENTÁRIAS   § LDO  2017  -­ Projeto  de  Lei  nº  02/2016-­CN Fase  final  de  aprovação  no  CN  è substitutivo  PLDO  2017. Art.  3º  do  Substitutivo  è a elaboração  e  a  aprovação  do   PLOA  2017  terão  como  limite  para  a  despesa  primária   dos  orçamentos  fiscal  e  da  seguridade  social  a  previsão   de  pagamento  em  2016,  corrigida  pela  projeção  do   IPCA  para  2016  (antecipa  a  PEC  nº  241/2016).   Art.  36,  § 8º  do  Substitutivo  è A  alocação  em  ASPS  no   PLOA  2017  não  atende  a  regra  acima,  pois  a  previsão  de   empenhamento  dessas  despesas  para  2016,  segundo  o   Decreto  nº  8.670/2016  e  as  alterações,  encontra-­se  em   torno  de  R$  107  bilhões,  que  corrigidos  pelo  IPCA  (7,2%)     ensejaria  ao  menos  R$  114,7  bilhões  para  2017.  Tal  fato   pode  indicar  veto  ao  dispositivo,  tal  como  ocorrido  para   regra  similar  constante  do  autógrafo  da  LDO  2016.   Alocado  no  PLOA  2017  R$  105,5  bi  acrescido  as  emendas R$  4,5  bi  totalizará  R$  110,0  bi.  <  que  o  valor  estimado  
  • 24. Art.  3º  do  Substitutivo  è a elaboração  e  a  aprovação   do  PLOA  2017  terão  como  limite  para  a  despesa   primária  dos  orçamentos  fiscal  e  da  seguridade  social   a  previsão  de  pagamento  em  2016,  corrigida  pela   projeção  do  IPCA  para  2016  (antecipa  a  PEC  nº   241/2016).   Art.  36,  § 8º  do  Substitutivo  è A  alocação  em  ASPS   no  PLOA  2017  não  atende  a  regra  acima,  pois  a   previsão  de  empenhamento  dessas  despesas  para   2016,  segundo  o  Decreto  nº  8.670/2016   e  as   alterações,  encontra-­se  em  torno  de  R$  107  bilhões,   que  corrigidos  pelo  IPCA  (7,2%)    ensejaria  ao  menos   R$  114,7  bilhões  para  2017.  Tal  fato  pode  indicar   veto  ao  dispositivo,  tal  como  ocorrido  para  regra   similar  constante  do  autógrafo  da  LDO  2016.  
  • 25. ü PLANO  PLURIANUAL  -­ PPA A  Lei  de  Responsabilidade  Fiscal  -­ LRF   estabelece,  que  o  PLOA  deverá  ser  elaborado  de   forma  compatível  com  o  PPA,  com  a  LDO e  com   a  própria  LRF.   ü PLANO  PLURIANUAL  -­ PPA § Lei  nº  13.249,  de  13  de  Janeiro  de  2016 O  PLOA  tem  compatibilidade  com  o  PPA.
  • 26. èAltera  o  Ato  das  Disposições  Constitucionais  Transitórias   para  prorrogar a  desvinculação  de  receitas  da  União e   estabelecer a  desvinculação  de  receitas  dos  Estados,   Distrito  Federal  e  Municípios.   ü DRU =  20%  até  2015  è 30%  até  2023 O PLOA  2017  considera  os  efeitos  da  DRU  no  total  de  R$   119,0  bilhões  (R$  104,6  bi  OSS  e  R$  14,4  bi  OF)   ü Cria  DRE,  DRDF,  DRM  =  30%  até  2023 Excetuam-­se da  desvinculação  recursos  destinados  ao   financiamento  das  ASPS  e  à  manutenção  e  desenvolvimento   do  ensino ü A EC  produziu  efeitos a  partir  de  1º  de  janeiro  de  2016. EMENDA  CONSTITUCIONAL  Nº  93,  DE  08/09/16EMENDA  CONSTITUCIONAL  Nº  93,  DE  08/09/16
  • 27. 2014  –  VALOR  EMPENHADO  EM  ASPS:  R$  92,2  BILHÕES;;     INSUFICIÊNCIA  ORÇAMENTÁRIA  ESTIMADA:  R$  3,8  BILHÕES   1.PRINCIPAIS  PROBLEMAS  DECORRENTES:  Houve  atraso  nas  transferências  fundo  a   fundo  para  Estados  e  Municípios  referentes  ao  mês  de  dezembro,  principalmente  para  os   seguintes  grupos  de  despesas,  informados  pela  SPO/MS  na  reunião  da  COFIN/CNS  em   1º/10/2015:  MAC  (R$  2,3  bilhões);;  PACS/PSF  (R$  651  milhões);;  Farmácia  Básica-­PAB  (R$   76  milhões);;  e  Farmácia  Popular  (R$  129  milhões).   2.SOLUÇÃO   ADOTADA:   Fazer   o   repasse   no   início   de   2015,   utilizando   recursos   do   orçamento  de  2015,  conforme  informado  pela  SPO/MS  na  reunião  da  COFIN/CNS  em   1º/10/2015.    
  • 28. 2015  –  ORÇAMENTO  PARA  ASPS:  101,8  BILHÕES¹;;     INSUFICIÊNCIA  ORÇAMENTÁRIA  ESTIMADA:  R$  5,9  BILHÕES²   1.PRINCIPAIS  PROBLEMAS  QUE  PODERÃO  OCORRER:   1.1.Não  será  possível  manter  o  padrão  de  gasto  de  2014.   1.2.Haverá  atraso  nas  transferências  fundo  a  fundo  para  Estados  e  Municípios  referentes   aos  meses  de  novembro  e  dezembro,  como  por  exemplo,  para:  MAC  (R$  4,3  bilhões);;  PAB   FIXO   (R$   249   milhões);;   PACS/PSF   (R$   334   milhões);;   Farmácia   Básica-­PAB   (R$   116   milhões);;  e  Farmácia  Popular  (R$  226  milhões).   1.3.Impossibilidade   de   cumprimento   da   aplicação   do   valor   integral   das   emendas   parlamentares  impositivas.   2.EVENTUAL  SOLUÇÃO:  É  muito  provável  que  se  repita  o  procedimento  adotado  no  final   de   2014,   isto   é,   repassar   o   valor   projetado   da   insuficiência   de   2015   no   início   de   2016,   utilizando  recursos  do  orçamento  de  2016.    
  • 29. 2016  –  ORÇAMENTO  PARA  ASPS:  100,3  BILHÕES;;     INSUFICIÊNCIA  ORÇAMENTÁRIA  ESTIMADA:  R$  16,6  BILHÕES²   1.PRINCIPAIS  PROBLEMAS  QUE  PODERÃO  OCORRER:   1.1.Não  será  possível  manter  o  padrão  de  gasto  de  2014,  nem  assumir  a  herança  de   2015;;   1.2.Atraso  nas  transferências  fundo  a  fundo  para  Estados  e  Municípios  referentes  aos   meses   de   outubro,   novembro   e   dezembro,   como   por   exemplo,   para:   MAC   (R$   14,8   bilhões);;  PAB  FIXO  (R$  697  milhões);;  PACS/PSF  (R$  408  milhões);;  Farmácia  Básica-­ PAB  (R$  177  milhões);;  e  Farmácia  Popular  (R$  244  milhões).   1.3.Impossibilidade   de   cumprimento   da   aplicação   do   valor   integral   das   emendas   parlamentares  impositivas;;   1.4.Encerrar  o  programa  “Farmácia  Popular”  (modalidade  co-­pagamento);;   1.5.Redução  de  50%  do  orçamento  da  FUNASA;;  e   1.6.Estagnação   dos   recursos   para   a   Atenção   Básica,   depois   de   um   processo   de   crescimento  moderado  verificado  nos  últimos  anos   2.EVENTUAL  SOLUÇÃO:  A  projeção  do  valor  da  insuficiência  de  2016  é  muito  elevada   para  repetir  o  procedimento  adotado  no  final  de  2014.   A  situação  é  ainda  mais  grave  se  considerarmos  que  foi  prevista  na  PLOA  2016  a  utilização   de   recursos   oriundos   de   operação   de   crédito   (fonte   144/Emissão   de   Títulos   de   Responsabilidade   do   Tesouro   Nacional)   para   o   financiamento   parcial   dos   R$100,3   bilhões   destinados  para  ASPS³.    
  • 30. Piso  de  Atenção  Básica  Fixo  -­  PAB  FIXO  (8577) PAB  em  01/98 R$  10,00 Pop  2015 IPC R$  25,59 204.482.459                           Percapita   Atualizado R$  35,59 Pop  2016 206.034.966                           PLOA  2017 5.015.301.000,00     R$  24,34 Novo  Percapita Diferença  com  o  PLOA   2017  (ação  8577) R$  35,59 -­1.991.348.645,65   Necessidade 7.278.348.645,65   IPC  FIPE  Saúde  01/98  a  09/16 255,94% PLOA  2017