SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 42
SEPLAG/RS | SES/RS
Estratégia mista, modulada e
pactuada para equilibrar prioridade
à vida com retomada econômica
Não é flexibilização aleatória
Não é abertura desordenada
Não é volta à normalidade
SEPLAG/RS | SES/RS
Um passo adiante que só agora
pode ser feito com racionalidade
 Agora há histórico do comportamento do vírus no RS;
 Maior base de dados, incluindo pesquisa proprietária e
inédita sobre a prevalência do vírus (UFPEL);
 Novo Sistema de Controle de Leitos em quase 300
hospitais.
SEPLAG/RS | SES/RS
PROTOCOLOS
SEGMENTAÇÃO REGIONAL
E SETORIAL
MONITORAMENTO
INTENSIVO, COM
DADOS E PROJEÇÕES
DIÁLOGO E
TRANSPARÊNCIA
Protocolos para a
população e atividades/
setores. Criar medidas de
engajamento apoiadas por
intensa comunicação e
incentivos
Uso de metodologias e
tecnologias para segmentar
regionalmente e setorialmente
saúde e atividade econômica,
dada a complexidade e
tamanho do Estado do RS.
Avanço por etapas.
PILARES DA ESTRATÉGIA
Saúde no centro
da estratégia
Ciência de dados e
colaboração com especialistas
para cenários informativos e
tomada de decisão
Participação de todos para
o sucesso da estratégia
FOCO NA VIDA
Segmentação Regional
SEPLAG/RS | SES/RS
 Existem 30 Regiões de Saúde e 7
Macrorregiões de Saúde no RS.
 Para o acompanhamento dos indicadores,
concatenaram-se algumas regiões de
Saúde: totalizando 20 regiões.
 Critério de concatenação: as 30 regiões
foram concatenadas de tal modo que,
dentro de cada uma das novas 20 regiões,
existam hospitais de referência para
leitos de UTI.
DEFINIÇÃO DAS REGIÕES
Definição das bandeiras
 As medidas são dividas em dois
grandes grupos: Propagação da
COVID-19 e Capacidade de
Atendimento do sistema de
saúde;
 Cada grupo de medidas possui
peso 5/10 (50%) para a definição
das bandeiras;
 No total, serão acompanhados
11 indicadores.
MEDIDA
PESO DA
MEDIDA
Nº DE
INDICADORES
PROPAGAÇÃO
 Velocidade do avanço 1,5 4
 Estágio da Evolução 1,0 1
 Incidência de novos
casos sobre a população
2,5 2
SUBTOTAL 5 7
CAPACIDADE DE
ATENDIMENTO
 Capacidade de
atendimento
2,5 2
 Mudança da Capacidade
de atendimento
2,5 2
SUBTOTAL 5 4
TOTAL 10 11
Medidas e pesos a serem atribuídos
SEPLAG RS | SES RS
DIMENSÕES DE CÁLCULO
CADA INDICADOR RECEBERÁ UMA BANDEIRA
AMARELA
PRETA
VERMELHA
LARANJA
SEPLAG RS | SES RS
SISTEMA DAS BANDEIRAS
 Cada indicador receberá uma bandeira, conforme o valor final
aferido e os pontos de corte definidos.
 A Bandeira Final é obtida por meio do arredondamento da
média ponderada das bandeiras dos indicadores (conforme
os pesos aplicados).
 Para fazer a média das bandeiras, atribuiu-se um valor à
bandeira de cada indicador: Amarela=0; Laranja=1;
Vermelha=2; Preta=3.
 Além disso, há uma regra de redução da bandeira: Se a região
obteve até cinco casos confirmados nos últimos 14 dias, a
bandeira é reduzida em um nível;
CADA INDICADOR RECEBERÁ UMA BANDEIRA
SEPLAG RS | SES RS
SISTEMA DAS BANDEIRAS
Divulgação 04.05 (dados até 27.4) Divulgação 11.05 (dados até 08.05)
R04 R05 Capão da Canoa (amarela >> laranja)
R11 Santo Ângelo (amarela >> laranja)
R12 Cruz Alta (amarela >> laranja)
R17 R18 R19 Passo Fundo (vermelha>> laranja)
Segmentação setorial
SEPLAG/RS | SES/RS
 Segmentação em 12 grupos
 Protocolos para 50 atividades (CNAE 2
dígitos)
 Informações complementares para níveis
de atividades mais desagregados:
 Indicador de Segurança;
 Emprego;
 % de Empresas no Simples Nacional
para subsetores;
 Tamanho Médio das Empresas.
ÍNDICE SETORIAL
Índice Setorial para Distanciamento
Controlado do RS
 Indicador de Segurança: construído para
cada Atividade, a partir do risco calculado
para cada uma de suas ocupações
(COPPE/UFRJ)
 Indicador de Impacto Econômico: a
partir do Valor Adicionado Bruto de cada
atividade (DEE/SEPLAG)
SEPLAG/RS | SES/RS
METODOLOGIA: Baseada na metodologia da COPPE/UFRJ
RISCO DAS OCUPAÇÕES: a partir de 3 perguntas da O*NET
(Departamento Americano de Trabalho e Emprego*)
1) Com qual frequência esse trabalho requer exposição a
doenças e infecções?
2) O quanto esse trabalho exige de contato com outros?
3) Em qual extensão esse trabalho requer a proximidade
física com outras pessoas?
TRADUÇÃO: Feita da SOC (classificação das ocupações
americanas) para Classificação Brasileira de Ocupações
(CBO).
Fonte: https://impactocovid.com.br/ , https://www.onetonline.org/.
*U.S. Department of Labor/Employment and Training Administration)
 Construído para cada Atividade Econômica, com base na segurança de suas ocupações
 Cada ocupação está atrelada a um risco de contágio
INDICADOR DE SEGURANÇA
Matriz de atividades
econômicas
SEPLAG RS
MATRIZ DE ATIVIDADES Considerou-se a ponderação:
Seguro
Seguro
Impacto
+
-
Impacto+-
 70% para Segurança
 30% para Atividade eco.
Flexibilidade
Flexibilidade
+
-
Nota:(*)Representamagregaçõesdeatividades2dígitos.
Grupos:
CNAE Atividade CNAE Atividade
1 Agricultura e Pecuária 32 Produtos Diversos
2 Produção Florestal 33 Manut. e Reparação
3 Pesca e Aqüicultura 41 Construção de Edifícios
5 Ext. de Carvão Mineral 42 Obras de Infraestrutura
10 Alimentos 43 Serviços de Construção
11 Bebidas 45 Comércio de Veículos
12 Fumo 46 Comércio Atacadista
13 Têxteis 47 Comércio Varejista
14 Vestuário 49 Transporte Terrestre
15 Couros e Calçados 50 Transporte aquaviário
16 Madeira 51 Transporte aéreo
17 Papel e Celulose 52 Armaz. de Transporte
18 Impressão e Reprod. 53 Correios
19 Derivados Petróleo 55 Alojamento
20 Químicos 56 Alimentação
22 Borracha e Plástico 68 Serv. Imobiliário
23 Minerais não metálicos 84 Adm Pública
24 Metalurgia 85 Educação
25 Produtos de Metal 97 Serv. Domésticos
26 Equip. Informática 100* Extr. de Petróleo e Minerais
27 Materiais Elétricos 101* Serv. Financeiros
28 Máquinas e Equip. 102* Serv. Profis., Cientif. e Técnicas
29 Veículos Automotores 103* Serv. Admin. e Auxiliares
30 Outros Equipamentos 104* Artes, Cult., Esportes e Lazer
31 Móveis 105* Outros Serv.
Atividades Essenciais (Não incluídas na análise Seguranca x Ativ. Econ.)
21 Farmoq. e Farmacêuticos 61 Telecomunicações
35 Eletric., Gás e Outras Util. 62 Serviços de TI
36 Capt., Trat. e Distr. Água 63 Serviços de Informação
37 Esgoto e Ativ. Relac. 80 Ativ.Vigilância, Segurança e Investig.
38 Coleta e Tratam. Resíduos 81 Serv. para Edifícios e Paisagismo
39 Descontam. Resíduos 86 Atenção à Saúde Humana
58 Edição 87 Atenção à Saúde com Assist.Social
59 Atividades Cinematográficas 88 Assistência Social sem Alojam.
60 Atividades de Rádio e de TV 96 Outras Atividades de Serv. Pessoais
MATRIZ DE ATIVIDADES
SEPLAG RS
MATRIZ DE ATIVIDADES Considerou-se a ponderação:
Seguro
Seguro
Impacto
+
-
Impacto+-
 70% para Segurança
 30% para Atividade eco.
Flexibilidade
Flexibilidade
+
-
Nota:(*)Representamagregaçõesdeatividades2dígitos.
Grupos:
CNAE Atividade CNAE Atividade
1 Agricultura e Pecuária 32 Produtos Diversos
2 Produção Florestal 33 Manut. e Reparação
3 Pesca e Aqüicultura 41 Construção de Edifícios
5 Ext. de Carvão Mineral 42 Obras de Infraestrutura
10 Alimentos 43 Serviços de Construção
11 Bebidas 45 Comércio de Veículos
12 Fumo 46 Comércio Atacadista
13 Têxteis 47 Comércio Varejista
14 Vestuário 49 Transporte Terrestre
15 Couros e Calçados 50 Transporte aquaviário
16 Madeira 51 Transporte aéreo
17 Papel e Celulose 52 Armaz. de Transporte
18 Impressão e Reprod. 53 Correios
19 Derivados Petróleo 55 Alojamento
20 Químicos 56 Alimentação
22 Borracha e Plástico 68 Serv. Imobiliário
23 Minerais não metálicos 84 Adm Pública
24 Metalurgia 85 Educação
25 Produtos de Metal 97 Serv. Domésticos
26 Equip. Informática 100* Extr. de Petróleo e Minerais
27 Materiais Elétricos 101* Serv. Financeiros
28 Máquinas e Equip. 102* Serv. Profis., Cientif. e Técnicas
29 Veículos Automotores 103* Serv. Admin. e Auxiliares
30 Outros Equipamentos 104* Artes, Cult., Esportes e Lazer
31 Móveis 105* Outros Serv.
Atividades Essenciais (Não incluídas na análise Seguranca x Ativ. Econ.)
21 Farmoq. e Farmacêuticos 61 Telecomunicações
35 Eletric., Gás e Outras Util. 62 Serviços de TI
36 Capt., Trat. e Distr. Água 63 Serviços de Informação
37 Esgoto e Ativ. Relac. 80 Ativ.Vigilância, Segurança e Investig.
38 Coleta e Tratam. Resíduos 81 Serv. para Edifícios e Paisagismo
39 Descontam. Resíduos 86 Atenção à Saúde Humana
58 Edição 87 Atenção à Saúde com Assist.Social
59 Atividades Cinematográficas 88 Assistência Social sem Alojam.
60 Atividades de Rádio e de TV 96 Outras Atividades de Serv. Pessoais
MATRIZ DE ATIVIDADES
SEPLAG RS
MATRIZ DE ATIVIDADES Considerou-se a ponderação:
Seguro
Seguro
Impacto
+
-
Impacto+-
 70% para Segurança
 30% para Atividade eco.
Flexibilidade
Flexibilidade
+
-
Nota:(*)Representamagregaçõesdeatividades2dígitos.
Grupos:
CNAE Atividade CNAE Atividade
1 Agricultura e Pecuária 32 Produtos Diversos
2 Produção Florestal 33 Manut. e Reparação
3 Pesca e Aqüicultura 41 Construção de Edifícios
5 Ext. de Carvão Mineral 42 Obras de Infraestrutura
10 Alimentos 43 Serviços de Construção
11 Bebidas 45 Comércio de Veículos
12 Fumo 46 Comércio Atacadista
13 Têxteis 47 Comércio Varejista
14 Vestuário 49 Transporte Terrestre
15 Couros e Calçados 50 Transporte aquaviário
16 Madeira 51 Transporte aéreo
17 Papel e Celulose 52 Armaz. de Transporte
18 Impressão e Reprod. 53 Correios
19 Derivados Petróleo 55 Alojamento
20 Químicos 56 Alimentação
22 Borracha e Plástico 68 Serv. Imobiliário
23 Minerais não metálicos 84 Adm Pública
24 Metalurgia 85 Educação
25 Produtos de Metal 97 Serv. Domésticos
26 Equip. Informática 100* Extr. de Petróleo e Minerais
27 Materiais Elétricos 101* Serv. Financeiros
28 Máquinas e Equip. 102* Serv. Profis., Cientif. e Técnicas
29 Veículos Automotores 103* Serv. Admin. e Auxiliares
30 Outros Equipamentos 104* Artes, Cult., Esportes e Lazer
31 Móveis 105* Outros Serv.
Atividades Essenciais (Não incluídas na análise Seguranca x Ativ. Econ.)
21 Farmoq. e Farmacêuticos 61 Telecomunicações
35 Eletric., Gás e Outras Util. 62 Serviços de TI
36 Capt., Trat. e Distr. Água 63 Serviços de Informação
37 Esgoto e Ativ. Relac. 80 Ativ.Vigilância, Segurança e Investig.
38 Coleta e Tratam. Resíduos 81 Serv. para Edifícios e Paisagismo
39 Descontam. Resíduos 86 Atenção à Saúde Humana
58 Edição 87 Atenção à Saúde com Assist.Social
59 Atividades Cinematográficas 88 Assistência Social sem Alojam.
60 Atividades de Rádio e de TV 96 Outras Atividades de Serv. Pessoais
MATRIZ DE ATIVIDADES
Participação da Sociedade
SEPLAG RS
Participantes encaminham, individualmente ou em bloco, sugestões
para adoção de indicadores e protocolos, observando OMS e
propostas de outros países e estados.
1
Duas rodadas abertas à participação da sociedade:
PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE
Recebidos
 202 e-mails recebidos, em diferentes formatos
 62% das contribuições oriundas de cidadãos
Tratamento
 classificação dos remetentes por setor
 classificação das sugestões em 3 critérios de
restrição e 12 critérios de prevenção,
identificados no quadro normativo vigente e em
práticas nacionais e internacionais
 classificação nas 50 atividades econômicas
SEPLAG RS
Disponibilização de planilha estruturada para que entidades
encaminhem sugestões de protocolos a serem aplicados em cada
uma das quatro bandeiras, para cada Atividade Econômica.
2
PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE
Critérios e Avaliação
 3 critérios de funcionamento (+) e 11 protocolos de prevenção (-)
 88 atividades econômicas (+) e 12 grupos (=)
 Índice Setorial para apoiar a avaliação da flexibilidade dos protocolos a serem aplicados
Recebidos
 75 e-mails recebidos, em diferentes formatos
 56 planilhas estruturadas (atividades em cada uma das bandeiras)
 224 sugestões por bandeira (atividades)
Tratamento
 tratamento e organização dos dados
 construção de painel BI >> para análise e incorporação
SEPLAG RS
PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE
https://tinyurl.com/ybjsyvjj
SEPLAG RS
PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE
https://tinyurl.com/ybjsyvjj
SEPLAG RS
PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE
https://tinyurl.com/ybjsyvjj
Protocolos
SEPLAG RS
Análise de protocolos nacionais e internacionais.
Sugestão de protocolos encaminhados pela sociedade, nas duas
rodadas de participação de entidades e cidadãos
Discussão e validação entre as equipes técnicas da Secretaria de
Planejamento e da Secretaria de Saúde.
Desagregação das 50 atividades inicialmente propostas. Identificação
de atividades essenciais e de atividades com tratamento particular na
norma (ex.: comércio de rua, Instituições de Longa Permanência de
Idosos, etc.).
CONSTRUÇÃO DOS PROTOCOLOS
SEPLAG RS | SES RS
PROTOCOLOS
CRITÉRIOS DE FUNCIONAMENTO
PROTOCOLOS DE PREVENÇÃO OBRIGATÓRIOS (todas as bandeiras)
PROTOCOLOS DE PREVENÇÃO RECOMENDADOS
(não obrigatórios, variáveis por bandeiras e atividades)
Teto de
operação
Modo de
operação
Horário de
Funcionamento
Máscara
(público e
trabalhadores)
Distanciamento
entre pessoas
Teto de
ocupação
Afastamento de
casos positivos
ou suspeitos
Atendimento
diferenciado
para grupo
de riscos
Higienização
(ambiente,
trabalhadores
e público)
EPIs
obrigatórios
Proteção de
grupos de risco
no trabalho
Cuidados no
atendimento
ao público
Restrição
específica à
atividade
Informativo
visível
Monitoramento
de temperatura
Testagem dos
colaboradores
SEPLAG RS | SES RS
EXEMPLO
SEPLAG RS | SES RS
EXEMPLOEXEMPLO
SEPLAG RS | SES RS
EXEMPLOEXEMPLO
SEPLAG RS | SES RS
EXEMPLOEXEMPLO
SEPLAG RS | SES RS
Modelo de Distanciamento
Controlado
SEPLAG RS
Conforme o grau de risco em saúde, cada região recebe uma bandeira
nas cores amarela, laranja, vermelha ou preta.
O monitoramento é semanal, com dados enviados pelos hospitais até
sexta-feira, 24h.
A divulgação das bandeiras ocorre aos sábados, com validade a partir
da segunda-feira seguinte.
Parceria da Procuradoria-Geral do Estado para elaboração da
regulamentação (Decreto nº 55.240 e decretos transitórios para cada
nova semana).
MODELO DE DISTANCIAMENTO CONTROLADO
SEPLAG RS | SES RS
SEPLAG RS
Construção do site de comunicação e divulgação do Modelo, em
parceria com a Procergs e a SECOM.
Acesso integral aos protocolos obrigatórios para todas as atividades
e os protocolos específicos para cada atividade.
Divulgação do mapa das bandeiras por região de saúde.
Ferramenta de pesquisa do protocolo específico por município e setor.
Divulgação de vídeos informativos sobre o modelo e os protocolos
(ex.: uso de máscara e protocolos no comércio de rua)
SITE DO DISTANCIAMENTO CONTROLADO
SEPLAG RS | SES RS
distanciamentocontrolado.rs.gov.br
SEPLAG RS | SES RS
SITE DO DISTANCIAMENTO CONTROLADO
SEPLAG RS | SES RS
distanciamentocontrolado.rs.gov.br
SITE DO DISTANCIAMENTO CONTROLADO
Atualização das bandeiras
SEMANA 2
SEPLAG RS | SES RS
Risco baixo
Risco médio
Risco alto
Risco altíssimo
Comparação com semana anterior
R03 Uruguaiana
amarela ► laranja
R29, R30 Lajeado
vermelha ► laranja
VIGÊNCIA 18/mai a 24/mai
R03
URUGUAIANA
PROPAGAÇÃO DA COVID-19 CAPACIDADE DO SISTEMA DE SAÚDE
Velocidade do avanço
Estágio da Evolução na
região
Incidência de novos casos sobre a
população
Capacidade de Atendimento Mudança da Capacidade de Atendimento
20 Regiões 7 Macrorregiões 7 Macrorregiões 7 Macrorregiões 20 Regiões 20 Regiões 20 Regiões 7 Macrorregiões Estado 7 Macrorregiões Estado
Possui até 5 casos
confirmados (RT-
PCR) nos últimos 14
dias?
Variação no n° de
casos semanais
Variação no n° de
internados por
SRAG em UTI
Variação no n° de
confirmados em leitos
clínicos
Variação no n° de
confirmados em UTI
Razão entre casos
ativos e recuperados
Incidência de novos
casos sobre a
população
Incidência de novos
óbitos sobre a
população
Nº de leitos de UTI
disponíveis para
atender COVID em
proporção de idosos
(60+)
Nº de leitos de UTI
disponíveis para
atender COVID em
proporção de idosos
(60+)
Variação no n° de
leitos de UTI
disponíveis para
atender COVID-19
Variação no n° de leitos
de UTI disponíveis para
atender COVID-19
Vigência entre
11.05 a 17.05
(dados até 08.05)
BANDEIRA AMARELA SIM ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■
Vigência entre
18.05 a 24.05
(dados até 15.05)
BANDEIRA LARANJA NÃO ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■
Antes
Depois
SEPLAG RS | SES RS
O fato predominante que fez a região de Uruguaiana ir da bandeira
amarela para a laranja é que nos últimos 14 dias houve mais de 5
casos confirmados por RT-PCR, ao contrário da semana anterior.
ANTES E DEPOIS
R29, R30
LAJEADO
PROPAGAÇÃO DA COVID-19 CAPACIDADE DO SISTEMA DE SAÚDE
Velocidade do avanço
Estágio da Evolução na
região
Incidência de novos casos sobre a
população
Capacidade de Atendimento Mudança da Capacidade de Atendimento
20 Regiões 7 Macrorregiões 7 Macrorregiões 7 Macrorregiões 20 Regiões 20 Regiões 20 Regiões 7 Macrorregiões Estado 7 Macrorregiões Estado
Possui até 5 casos
confirmados (RT-
PCR) nos últimos 14
dias?
Variação no n° de
casos semanais
Variação no n° de
internados por
SRAG em UTI
Variação no n° de
confirmados em leitos
clínicos
Variação no n° de
confirmados em UTI
Razão entre casos
ativos e recuperados
Incidência de novos
casos sobre a
população
Incidência de novos
óbitos sobre a
população
Nº de leitos de UTI
disponíveis para
atender COVID em
proporção de idosos
(60+)
Nº de leitos de UTI
disponíveis para
atender COVID em
proporção de idosos
(60+)
Variação no n° de
leitos de UTI
disponíveis para
atender COVID-19
Variação no n° de leitos
de UTI disponíveis para
atender COVID-19
Vigência entre
11.05 a 17.05
(dados até 08.05)
BANDEIRA VERMELHA NÃO ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■
Vigência entre
18.05 a 24.05
(dados até 15.05)
BANDEIRA LARANJA NÃO ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■
Antes
Depois
SEPLAG RS | SES RS
A melhora em dois indicadores de velocidade do avanço fizeram a
região de Lajeado ir da bandeira vermelha para a bandeira laranja.
ANTES E DEPOIS
Vigência entre 11/05 a 17/05 (dados até 08/05) Vigência entre 18/05 a 24/05 (dados até 15/05)
R03 Uruguaiana
amarela ► laranja
R29, R30 Lajeado
vermelha ► laranja
Regiões com mudança de bandeiraRisco baixo
Risco médio
Risco alto
Risco altíssimo
SEPLAG RS | SES RS
ANTES E DEPOIS
SEPLAG RS | SES RS
 O número de casos novos confirmados por RT-PCR* reduziu 6,08% no RS entre as duas
últimas semanas (444 para 417)
* considerando as informações disponíveis nos sábados pelas manhãs.
 O número de internados em UTI por SRAG reduziu 1,75% no Estado entre as duas últimas
sextas-feiras (229 para 225)
 O número de internados em leitos clínicos com COVID no RS aumentou 22,70% entre as duas
últimas sextas-feiras (141 para 173)
 O número de internados em leitos de UTI com COVID no RS aumentou 2,38% entre as duas
últimas sextas-feiras (126 para 129)
 O número de leitos de UTI adulto disponíveis para atender COVID no RS diminuiu 5,48% entre
as duas últimas sextas-feiras (de 493 para 466)
 O número de óbitos por Covid-19 diminuiu 6,25% entre as duas últimas semanas (de 32 para 30)
DESTAQUES
GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL
Governador: Eduardo Leite
Vice-Governador: Ranolfo Vieira Júnior
SECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO - SEPLAG
Secretária: Leany Lemos
Secretário-Adjunto de Planejamento e Orçamento: Gilberto Pompilio de Melo Filho
Secretário-Adjunto de Gestão: Marcelo Soares Alves
DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E ESTATÍSTICA
DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL
DEPARTAMENTO DE CAPTAÇÃO DE RECURSOS
ASSESSORIA DE GABINETE
ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO
SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE - SES
Secretária: Arita Bergmann
Secretária-Adjunta: Aglaé Regina da Silva
DEPARTAMENTO DE AÇÕES EM SAÚDE
DEPARTAMENTO DE AUDITORIA DO SUS
DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL
DEPARTAMENTO DE REGULAÇÃO ESTADUAL
CENTRO ESTADUAL DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Modelo de Distanciamento Controlado - Rio Grande do Sul

Sistema Viçosa de Cultivo do Tomateiro (87ª Semana do Fazendeiro) Viçosa, MG ...
Sistema Viçosa de Cultivo do Tomateiro (87ª Semana do Fazendeiro) Viçosa, MG ...Sistema Viçosa de Cultivo do Tomateiro (87ª Semana do Fazendeiro) Viçosa, MG ...
Sistema Viçosa de Cultivo do Tomateiro (87ª Semana do Fazendeiro) Viçosa, MG ...
equipeagroplus
 
Edição de setembro da Revista Indicadores da Agropecuária
Edição de setembro da Revista Indicadores da AgropecuáriaEdição de setembro da Revista Indicadores da Agropecuária
Edição de setembro da Revista Indicadores da Agropecuária
Rural Pecuária
 

Semelhante a Modelo de Distanciamento Controlado - Rio Grande do Sul (20)

Seminário Boas Práticas - Diálogo Sustentável - Economia Verde Instituto Idei...
Seminário Boas Práticas - Diálogo Sustentável - Economia Verde Instituto Idei...Seminário Boas Práticas - Diálogo Sustentável - Economia Verde Instituto Idei...
Seminário Boas Práticas - Diálogo Sustentável - Economia Verde Instituto Idei...
 
A IMPLEMENTAÇÃO DA GESTÃO DE RISCOS OCUPACIONAIS NAS EMPRESAS RURAIS
A IMPLEMENTAÇÃO DA  GESTÃO DE RISCOS OCUPACIONAIS  NAS EMPRESAS RURAISA IMPLEMENTAÇÃO DA  GESTÃO DE RISCOS OCUPACIONAIS  NAS EMPRESAS RURAIS
A IMPLEMENTAÇÃO DA GESTÃO DE RISCOS OCUPACIONAIS NAS EMPRESAS RURAIS
 
Ibco agronegócio 20150626 3
Ibco   agronegócio 20150626 3Ibco   agronegócio 20150626 3
Ibco agronegócio 20150626 3
 
6_NelsonPiccoli_ VWorkshop_UFV
6_NelsonPiccoli_ VWorkshop_UFV6_NelsonPiccoli_ VWorkshop_UFV
6_NelsonPiccoli_ VWorkshop_UFV
 
Painel II – Educar Para a Sustentabilidade: Joana Oliveira - 'LIPOR rumo à su...
Painel II – Educar Para a Sustentabilidade: Joana Oliveira - 'LIPOR rumo à su...Painel II – Educar Para a Sustentabilidade: Joana Oliveira - 'LIPOR rumo à su...
Painel II – Educar Para a Sustentabilidade: Joana Oliveira - 'LIPOR rumo à su...
 
Portifolio de serviços
Portifolio de serviçosPortifolio de serviços
Portifolio de serviços
 
Sistema Viçosa de Cultivo do Tomateiro (87ª Semana do Fazendeiro) Viçosa, MG ...
Sistema Viçosa de Cultivo do Tomateiro (87ª Semana do Fazendeiro) Viçosa, MG ...Sistema Viçosa de Cultivo do Tomateiro (87ª Semana do Fazendeiro) Viçosa, MG ...
Sistema Viçosa de Cultivo do Tomateiro (87ª Semana do Fazendeiro) Viçosa, MG ...
 
SGS Academy Formação Ambiente 2013
SGS Academy Formação Ambiente 2013SGS Academy Formação Ambiente 2013
SGS Academy Formação Ambiente 2013
 
Rima
RimaRima
Rima
 
Rima
RimaRima
Rima
 
Índice e controle de perdas de água em Santo André - Paulo Seiji Yamasaki, en...
Índice e controle de perdas de água em Santo André - Paulo Seiji Yamasaki, en...Índice e controle de perdas de água em Santo André - Paulo Seiji Yamasaki, en...
Índice e controle de perdas de água em Santo André - Paulo Seiji Yamasaki, en...
 
Meio Ambiente, Proteção e Defesa Civil
Meio Ambiente, Proteção e Defesa CivilMeio Ambiente, Proteção e Defesa Civil
Meio Ambiente, Proteção e Defesa Civil
 
Mozambique National Adaptation Roadmap Training
Mozambique National Adaptation Roadmap TrainingMozambique National Adaptation Roadmap Training
Mozambique National Adaptation Roadmap Training
 
A Influência Da Gestão Ambiental Na Segurança Do Trabalho.ppt
A Influência Da Gestão Ambiental Na Segurança Do Trabalho.pptA Influência Da Gestão Ambiental Na Segurança Do Trabalho.ppt
A Influência Da Gestão Ambiental Na Segurança Do Trabalho.ppt
 
A Influência da Gestão Ambiental na Segurança do Trabalho.ppt
A Influência da Gestão Ambiental na Segurança do Trabalho.pptA Influência da Gestão Ambiental na Segurança do Trabalho.ppt
A Influência da Gestão Ambiental na Segurança do Trabalho.ppt
 
Cv Funabashi
Cv FunabashiCv Funabashi
Cv Funabashi
 
Saúde e Segurança do Trabalho
Saúde e Segurança do TrabalhoSaúde e Segurança do Trabalho
Saúde e Segurança do Trabalho
 
Edição de setembro da Revista Indicadores da Agropecuária
Edição de setembro da Revista Indicadores da AgropecuáriaEdição de setembro da Revista Indicadores da Agropecuária
Edição de setembro da Revista Indicadores da Agropecuária
 
MANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DA CONSTRUÇÃO CIVIL PARA GRAND...
MANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DA CONSTRUÇÃO CIVIL PARA GRAND...MANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DA CONSTRUÇÃO CIVIL PARA GRAND...
MANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DA CONSTRUÇÃO CIVIL PARA GRAND...
 
Vigilância em Saúde de Populações Expostas à Poluição Atmosférica - VIGIAR
Vigilância em Saúde de Populações Expostas à Poluição Atmosférica - VIGIARVigilância em Saúde de Populações Expostas à Poluição Atmosférica - VIGIAR
Vigilância em Saúde de Populações Expostas à Poluição Atmosférica - VIGIAR
 

Mais de Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS

Mais de Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS (20)

O enfrentamento da Covid-19 pela Atenção Primária à Saúde em Uberlândia, Mina...
O enfrentamento da Covid-19 pela Atenção Primária à Saúde em Uberlândia, Mina...O enfrentamento da Covid-19 pela Atenção Primária à Saúde em Uberlândia, Mina...
O enfrentamento da Covid-19 pela Atenção Primária à Saúde em Uberlândia, Mina...
 
Banners – II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde
Banners – II Seminário da Planificação da Atenção à SaúdeBanners – II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde
Banners – II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde
 
A introdução de novas tecnologias para o manejo das condições crônicas na UBS...
A introdução de novas tecnologias para o manejo das condições crônicas na UBS...A introdução de novas tecnologias para o manejo das condições crônicas na UBS...
A introdução de novas tecnologias para o manejo das condições crônicas na UBS...
 
PIMENTEIRAS DO OESTE - RO
PIMENTEIRAS DO OESTE - ROPIMENTEIRAS DO OESTE - RO
PIMENTEIRAS DO OESTE - RO
 
CHECKLIST DA IMUNIZAÇÃO: um instrumento de melhoria e monitoramento do proces...
CHECKLIST DA IMUNIZAÇÃO: um instrumento de melhoria e monitoramento do proces...CHECKLIST DA IMUNIZAÇÃO: um instrumento de melhoria e monitoramento do proces...
CHECKLIST DA IMUNIZAÇÃO: um instrumento de melhoria e monitoramento do proces...
 
Da adesão aos resultados esperados no PlanificaSUS: um olhar sobre a importân...
Da adesão aos resultados esperados no PlanificaSUS: um olhar sobre a importân...Da adesão aos resultados esperados no PlanificaSUS: um olhar sobre a importân...
Da adesão aos resultados esperados no PlanificaSUS: um olhar sobre a importân...
 
INCORPORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS INOVADORAS NO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO...
INCORPORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS INOVADORAS NO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO...INCORPORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS INOVADORAS NO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO...
INCORPORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS INOVADORAS NO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO...
 
Melhorias na Unidade Laboratório do município de Pimenta Bueno/RO após a plan...
Melhorias na Unidade Laboratório do município de Pimenta Bueno/RO após a plan...Melhorias na Unidade Laboratório do município de Pimenta Bueno/RO após a plan...
Melhorias na Unidade Laboratório do município de Pimenta Bueno/RO após a plan...
 
Guia do Pré-Natal na Atenção Básica: a Planificação da Atenção à Saúde como E...
Guia do Pré-Natal na Atenção Básica: a Planificação da Atenção à Saúde como E...Guia do Pré-Natal na Atenção Básica: a Planificação da Atenção à Saúde como E...
Guia do Pré-Natal na Atenção Básica: a Planificação da Atenção à Saúde como E...
 
Jornada Interdisciplinar em Diabetes, Obesidade e Hipertensão
Jornada Interdisciplinar em Diabetes, Obesidade e HipertensãoJornada Interdisciplinar em Diabetes, Obesidade e Hipertensão
Jornada Interdisciplinar em Diabetes, Obesidade e Hipertensão
 
A Segurança do Paciente na Construção Social da APS
A Segurança do Paciente na Construção Social da APSA Segurança do Paciente na Construção Social da APS
A Segurança do Paciente na Construção Social da APS
 
Estratégias de Melhoria no Processo de Planificação da Região Leste do DF
Estratégias de Melhoria no Processo de Planificação da Região Leste do DFEstratégias de Melhoria no Processo de Planificação da Região Leste do DF
Estratégias de Melhoria no Processo de Planificação da Região Leste do DF
 
Cuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicas
Cuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicasCuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicas
Cuidados Paliativos no contexto do avanço das condições crônicas
 
Sala de Situação Regional de Saúde Sudoeste I
Sala de Situação  Regional de Saúde  Sudoeste I Sala de Situação  Regional de Saúde  Sudoeste I
Sala de Situação Regional de Saúde Sudoeste I
 
Por um cuidado certo - Sociedade Brasileira de Diabetes
Por um cuidado certo - Sociedade Brasileira de DiabetesPor um cuidado certo - Sociedade Brasileira de Diabetes
Por um cuidado certo - Sociedade Brasileira de Diabetes
 
O pediatra e sua presença na Assistência no Brasil
O pediatra e sua presença na Assistência no BrasilO pediatra e sua presença na Assistência no Brasil
O pediatra e sua presença na Assistência no Brasil
 
Notas Técnicas para Organização das Redes de Atenção à Saúde
Notas Técnicas para Organização das Redes de Atenção à SaúdeNotas Técnicas para Organização das Redes de Atenção à Saúde
Notas Técnicas para Organização das Redes de Atenção à Saúde
 
Ministério Público em Defesa da APS
Ministério Público em Defesa da APSMinistério Público em Defesa da APS
Ministério Público em Defesa da APS
 
II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...
II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...
II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde: “Desafios do SUS e a Planifi...
 
Usuário do SUS: as primeiras evidências
Usuário do SUS: as primeiras evidênciasUsuário do SUS: as primeiras evidências
Usuário do SUS: as primeiras evidências
 

Modelo de Distanciamento Controlado - Rio Grande do Sul

  • 1.
  • 2. SEPLAG/RS | SES/RS Estratégia mista, modulada e pactuada para equilibrar prioridade à vida com retomada econômica Não é flexibilização aleatória Não é abertura desordenada Não é volta à normalidade
  • 3. SEPLAG/RS | SES/RS Um passo adiante que só agora pode ser feito com racionalidade  Agora há histórico do comportamento do vírus no RS;  Maior base de dados, incluindo pesquisa proprietária e inédita sobre a prevalência do vírus (UFPEL);  Novo Sistema de Controle de Leitos em quase 300 hospitais.
  • 4. SEPLAG/RS | SES/RS PROTOCOLOS SEGMENTAÇÃO REGIONAL E SETORIAL MONITORAMENTO INTENSIVO, COM DADOS E PROJEÇÕES DIÁLOGO E TRANSPARÊNCIA Protocolos para a população e atividades/ setores. Criar medidas de engajamento apoiadas por intensa comunicação e incentivos Uso de metodologias e tecnologias para segmentar regionalmente e setorialmente saúde e atividade econômica, dada a complexidade e tamanho do Estado do RS. Avanço por etapas. PILARES DA ESTRATÉGIA Saúde no centro da estratégia Ciência de dados e colaboração com especialistas para cenários informativos e tomada de decisão Participação de todos para o sucesso da estratégia FOCO NA VIDA
  • 6. SEPLAG/RS | SES/RS  Existem 30 Regiões de Saúde e 7 Macrorregiões de Saúde no RS.  Para o acompanhamento dos indicadores, concatenaram-se algumas regiões de Saúde: totalizando 20 regiões.  Critério de concatenação: as 30 regiões foram concatenadas de tal modo que, dentro de cada uma das novas 20 regiões, existam hospitais de referência para leitos de UTI. DEFINIÇÃO DAS REGIÕES
  • 8.  As medidas são dividas em dois grandes grupos: Propagação da COVID-19 e Capacidade de Atendimento do sistema de saúde;  Cada grupo de medidas possui peso 5/10 (50%) para a definição das bandeiras;  No total, serão acompanhados 11 indicadores. MEDIDA PESO DA MEDIDA Nº DE INDICADORES PROPAGAÇÃO  Velocidade do avanço 1,5 4  Estágio da Evolução 1,0 1  Incidência de novos casos sobre a população 2,5 2 SUBTOTAL 5 7 CAPACIDADE DE ATENDIMENTO  Capacidade de atendimento 2,5 2  Mudança da Capacidade de atendimento 2,5 2 SUBTOTAL 5 4 TOTAL 10 11 Medidas e pesos a serem atribuídos SEPLAG RS | SES RS DIMENSÕES DE CÁLCULO
  • 9. CADA INDICADOR RECEBERÁ UMA BANDEIRA AMARELA PRETA VERMELHA LARANJA SEPLAG RS | SES RS SISTEMA DAS BANDEIRAS  Cada indicador receberá uma bandeira, conforme o valor final aferido e os pontos de corte definidos.  A Bandeira Final é obtida por meio do arredondamento da média ponderada das bandeiras dos indicadores (conforme os pesos aplicados).  Para fazer a média das bandeiras, atribuiu-se um valor à bandeira de cada indicador: Amarela=0; Laranja=1; Vermelha=2; Preta=3.  Além disso, há uma regra de redução da bandeira: Se a região obteve até cinco casos confirmados nos últimos 14 dias, a bandeira é reduzida em um nível;
  • 10. CADA INDICADOR RECEBERÁ UMA BANDEIRA SEPLAG RS | SES RS SISTEMA DAS BANDEIRAS Divulgação 04.05 (dados até 27.4) Divulgação 11.05 (dados até 08.05) R04 R05 Capão da Canoa (amarela >> laranja) R11 Santo Ângelo (amarela >> laranja) R12 Cruz Alta (amarela >> laranja) R17 R18 R19 Passo Fundo (vermelha>> laranja)
  • 12. SEPLAG/RS | SES/RS  Segmentação em 12 grupos  Protocolos para 50 atividades (CNAE 2 dígitos)  Informações complementares para níveis de atividades mais desagregados:  Indicador de Segurança;  Emprego;  % de Empresas no Simples Nacional para subsetores;  Tamanho Médio das Empresas. ÍNDICE SETORIAL Índice Setorial para Distanciamento Controlado do RS  Indicador de Segurança: construído para cada Atividade, a partir do risco calculado para cada uma de suas ocupações (COPPE/UFRJ)  Indicador de Impacto Econômico: a partir do Valor Adicionado Bruto de cada atividade (DEE/SEPLAG)
  • 13. SEPLAG/RS | SES/RS METODOLOGIA: Baseada na metodologia da COPPE/UFRJ RISCO DAS OCUPAÇÕES: a partir de 3 perguntas da O*NET (Departamento Americano de Trabalho e Emprego*) 1) Com qual frequência esse trabalho requer exposição a doenças e infecções? 2) O quanto esse trabalho exige de contato com outros? 3) Em qual extensão esse trabalho requer a proximidade física com outras pessoas? TRADUÇÃO: Feita da SOC (classificação das ocupações americanas) para Classificação Brasileira de Ocupações (CBO). Fonte: https://impactocovid.com.br/ , https://www.onetonline.org/. *U.S. Department of Labor/Employment and Training Administration)  Construído para cada Atividade Econômica, com base na segurança de suas ocupações  Cada ocupação está atrelada a um risco de contágio INDICADOR DE SEGURANÇA
  • 15. SEPLAG RS MATRIZ DE ATIVIDADES Considerou-se a ponderação: Seguro Seguro Impacto + - Impacto+-  70% para Segurança  30% para Atividade eco. Flexibilidade Flexibilidade + - Nota:(*)Representamagregaçõesdeatividades2dígitos. Grupos: CNAE Atividade CNAE Atividade 1 Agricultura e Pecuária 32 Produtos Diversos 2 Produção Florestal 33 Manut. e Reparação 3 Pesca e Aqüicultura 41 Construção de Edifícios 5 Ext. de Carvão Mineral 42 Obras de Infraestrutura 10 Alimentos 43 Serviços de Construção 11 Bebidas 45 Comércio de Veículos 12 Fumo 46 Comércio Atacadista 13 Têxteis 47 Comércio Varejista 14 Vestuário 49 Transporte Terrestre 15 Couros e Calçados 50 Transporte aquaviário 16 Madeira 51 Transporte aéreo 17 Papel e Celulose 52 Armaz. de Transporte 18 Impressão e Reprod. 53 Correios 19 Derivados Petróleo 55 Alojamento 20 Químicos 56 Alimentação 22 Borracha e Plástico 68 Serv. Imobiliário 23 Minerais não metálicos 84 Adm Pública 24 Metalurgia 85 Educação 25 Produtos de Metal 97 Serv. Domésticos 26 Equip. Informática 100* Extr. de Petróleo e Minerais 27 Materiais Elétricos 101* Serv. Financeiros 28 Máquinas e Equip. 102* Serv. Profis., Cientif. e Técnicas 29 Veículos Automotores 103* Serv. Admin. e Auxiliares 30 Outros Equipamentos 104* Artes, Cult., Esportes e Lazer 31 Móveis 105* Outros Serv. Atividades Essenciais (Não incluídas na análise Seguranca x Ativ. Econ.) 21 Farmoq. e Farmacêuticos 61 Telecomunicações 35 Eletric., Gás e Outras Util. 62 Serviços de TI 36 Capt., Trat. e Distr. Água 63 Serviços de Informação 37 Esgoto e Ativ. Relac. 80 Ativ.Vigilância, Segurança e Investig. 38 Coleta e Tratam. Resíduos 81 Serv. para Edifícios e Paisagismo 39 Descontam. Resíduos 86 Atenção à Saúde Humana 58 Edição 87 Atenção à Saúde com Assist.Social 59 Atividades Cinematográficas 88 Assistência Social sem Alojam. 60 Atividades de Rádio e de TV 96 Outras Atividades de Serv. Pessoais MATRIZ DE ATIVIDADES
  • 16. SEPLAG RS MATRIZ DE ATIVIDADES Considerou-se a ponderação: Seguro Seguro Impacto + - Impacto+-  70% para Segurança  30% para Atividade eco. Flexibilidade Flexibilidade + - Nota:(*)Representamagregaçõesdeatividades2dígitos. Grupos: CNAE Atividade CNAE Atividade 1 Agricultura e Pecuária 32 Produtos Diversos 2 Produção Florestal 33 Manut. e Reparação 3 Pesca e Aqüicultura 41 Construção de Edifícios 5 Ext. de Carvão Mineral 42 Obras de Infraestrutura 10 Alimentos 43 Serviços de Construção 11 Bebidas 45 Comércio de Veículos 12 Fumo 46 Comércio Atacadista 13 Têxteis 47 Comércio Varejista 14 Vestuário 49 Transporte Terrestre 15 Couros e Calçados 50 Transporte aquaviário 16 Madeira 51 Transporte aéreo 17 Papel e Celulose 52 Armaz. de Transporte 18 Impressão e Reprod. 53 Correios 19 Derivados Petróleo 55 Alojamento 20 Químicos 56 Alimentação 22 Borracha e Plástico 68 Serv. Imobiliário 23 Minerais não metálicos 84 Adm Pública 24 Metalurgia 85 Educação 25 Produtos de Metal 97 Serv. Domésticos 26 Equip. Informática 100* Extr. de Petróleo e Minerais 27 Materiais Elétricos 101* Serv. Financeiros 28 Máquinas e Equip. 102* Serv. Profis., Cientif. e Técnicas 29 Veículos Automotores 103* Serv. Admin. e Auxiliares 30 Outros Equipamentos 104* Artes, Cult., Esportes e Lazer 31 Móveis 105* Outros Serv. Atividades Essenciais (Não incluídas na análise Seguranca x Ativ. Econ.) 21 Farmoq. e Farmacêuticos 61 Telecomunicações 35 Eletric., Gás e Outras Util. 62 Serviços de TI 36 Capt., Trat. e Distr. Água 63 Serviços de Informação 37 Esgoto e Ativ. Relac. 80 Ativ.Vigilância, Segurança e Investig. 38 Coleta e Tratam. Resíduos 81 Serv. para Edifícios e Paisagismo 39 Descontam. Resíduos 86 Atenção à Saúde Humana 58 Edição 87 Atenção à Saúde com Assist.Social 59 Atividades Cinematográficas 88 Assistência Social sem Alojam. 60 Atividades de Rádio e de TV 96 Outras Atividades de Serv. Pessoais MATRIZ DE ATIVIDADES
  • 17. SEPLAG RS MATRIZ DE ATIVIDADES Considerou-se a ponderação: Seguro Seguro Impacto + - Impacto+-  70% para Segurança  30% para Atividade eco. Flexibilidade Flexibilidade + - Nota:(*)Representamagregaçõesdeatividades2dígitos. Grupos: CNAE Atividade CNAE Atividade 1 Agricultura e Pecuária 32 Produtos Diversos 2 Produção Florestal 33 Manut. e Reparação 3 Pesca e Aqüicultura 41 Construção de Edifícios 5 Ext. de Carvão Mineral 42 Obras de Infraestrutura 10 Alimentos 43 Serviços de Construção 11 Bebidas 45 Comércio de Veículos 12 Fumo 46 Comércio Atacadista 13 Têxteis 47 Comércio Varejista 14 Vestuário 49 Transporte Terrestre 15 Couros e Calçados 50 Transporte aquaviário 16 Madeira 51 Transporte aéreo 17 Papel e Celulose 52 Armaz. de Transporte 18 Impressão e Reprod. 53 Correios 19 Derivados Petróleo 55 Alojamento 20 Químicos 56 Alimentação 22 Borracha e Plástico 68 Serv. Imobiliário 23 Minerais não metálicos 84 Adm Pública 24 Metalurgia 85 Educação 25 Produtos de Metal 97 Serv. Domésticos 26 Equip. Informática 100* Extr. de Petróleo e Minerais 27 Materiais Elétricos 101* Serv. Financeiros 28 Máquinas e Equip. 102* Serv. Profis., Cientif. e Técnicas 29 Veículos Automotores 103* Serv. Admin. e Auxiliares 30 Outros Equipamentos 104* Artes, Cult., Esportes e Lazer 31 Móveis 105* Outros Serv. Atividades Essenciais (Não incluídas na análise Seguranca x Ativ. Econ.) 21 Farmoq. e Farmacêuticos 61 Telecomunicações 35 Eletric., Gás e Outras Util. 62 Serviços de TI 36 Capt., Trat. e Distr. Água 63 Serviços de Informação 37 Esgoto e Ativ. Relac. 80 Ativ.Vigilância, Segurança e Investig. 38 Coleta e Tratam. Resíduos 81 Serv. para Edifícios e Paisagismo 39 Descontam. Resíduos 86 Atenção à Saúde Humana 58 Edição 87 Atenção à Saúde com Assist.Social 59 Atividades Cinematográficas 88 Assistência Social sem Alojam. 60 Atividades de Rádio e de TV 96 Outras Atividades de Serv. Pessoais MATRIZ DE ATIVIDADES
  • 19. SEPLAG RS Participantes encaminham, individualmente ou em bloco, sugestões para adoção de indicadores e protocolos, observando OMS e propostas de outros países e estados. 1 Duas rodadas abertas à participação da sociedade: PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE Recebidos  202 e-mails recebidos, em diferentes formatos  62% das contribuições oriundas de cidadãos Tratamento  classificação dos remetentes por setor  classificação das sugestões em 3 critérios de restrição e 12 critérios de prevenção, identificados no quadro normativo vigente e em práticas nacionais e internacionais  classificação nas 50 atividades econômicas
  • 20. SEPLAG RS Disponibilização de planilha estruturada para que entidades encaminhem sugestões de protocolos a serem aplicados em cada uma das quatro bandeiras, para cada Atividade Econômica. 2 PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE Critérios e Avaliação  3 critérios de funcionamento (+) e 11 protocolos de prevenção (-)  88 atividades econômicas (+) e 12 grupos (=)  Índice Setorial para apoiar a avaliação da flexibilidade dos protocolos a serem aplicados Recebidos  75 e-mails recebidos, em diferentes formatos  56 planilhas estruturadas (atividades em cada uma das bandeiras)  224 sugestões por bandeira (atividades) Tratamento  tratamento e organização dos dados  construção de painel BI >> para análise e incorporação
  • 21. SEPLAG RS PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE https://tinyurl.com/ybjsyvjj
  • 22. SEPLAG RS PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE https://tinyurl.com/ybjsyvjj
  • 23. SEPLAG RS PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE https://tinyurl.com/ybjsyvjj
  • 25. SEPLAG RS Análise de protocolos nacionais e internacionais. Sugestão de protocolos encaminhados pela sociedade, nas duas rodadas de participação de entidades e cidadãos Discussão e validação entre as equipes técnicas da Secretaria de Planejamento e da Secretaria de Saúde. Desagregação das 50 atividades inicialmente propostas. Identificação de atividades essenciais e de atividades com tratamento particular na norma (ex.: comércio de rua, Instituições de Longa Permanência de Idosos, etc.). CONSTRUÇÃO DOS PROTOCOLOS SEPLAG RS | SES RS
  • 26. PROTOCOLOS CRITÉRIOS DE FUNCIONAMENTO PROTOCOLOS DE PREVENÇÃO OBRIGATÓRIOS (todas as bandeiras) PROTOCOLOS DE PREVENÇÃO RECOMENDADOS (não obrigatórios, variáveis por bandeiras e atividades) Teto de operação Modo de operação Horário de Funcionamento Máscara (público e trabalhadores) Distanciamento entre pessoas Teto de ocupação Afastamento de casos positivos ou suspeitos Atendimento diferenciado para grupo de riscos Higienização (ambiente, trabalhadores e público) EPIs obrigatórios Proteção de grupos de risco no trabalho Cuidados no atendimento ao público Restrição específica à atividade Informativo visível Monitoramento de temperatura Testagem dos colaboradores SEPLAG RS | SES RS
  • 32. SEPLAG RS Conforme o grau de risco em saúde, cada região recebe uma bandeira nas cores amarela, laranja, vermelha ou preta. O monitoramento é semanal, com dados enviados pelos hospitais até sexta-feira, 24h. A divulgação das bandeiras ocorre aos sábados, com validade a partir da segunda-feira seguinte. Parceria da Procuradoria-Geral do Estado para elaboração da regulamentação (Decreto nº 55.240 e decretos transitórios para cada nova semana). MODELO DE DISTANCIAMENTO CONTROLADO SEPLAG RS | SES RS
  • 33. SEPLAG RS Construção do site de comunicação e divulgação do Modelo, em parceria com a Procergs e a SECOM. Acesso integral aos protocolos obrigatórios para todas as atividades e os protocolos específicos para cada atividade. Divulgação do mapa das bandeiras por região de saúde. Ferramenta de pesquisa do protocolo específico por município e setor. Divulgação de vídeos informativos sobre o modelo e os protocolos (ex.: uso de máscara e protocolos no comércio de rua) SITE DO DISTANCIAMENTO CONTROLADO SEPLAG RS | SES RS
  • 34. distanciamentocontrolado.rs.gov.br SEPLAG RS | SES RS SITE DO DISTANCIAMENTO CONTROLADO
  • 35. SEPLAG RS | SES RS distanciamentocontrolado.rs.gov.br SITE DO DISTANCIAMENTO CONTROLADO
  • 37. SEPLAG RS | SES RS Risco baixo Risco médio Risco alto Risco altíssimo Comparação com semana anterior R03 Uruguaiana amarela ► laranja R29, R30 Lajeado vermelha ► laranja VIGÊNCIA 18/mai a 24/mai
  • 38. R03 URUGUAIANA PROPAGAÇÃO DA COVID-19 CAPACIDADE DO SISTEMA DE SAÚDE Velocidade do avanço Estágio da Evolução na região Incidência de novos casos sobre a população Capacidade de Atendimento Mudança da Capacidade de Atendimento 20 Regiões 7 Macrorregiões 7 Macrorregiões 7 Macrorregiões 20 Regiões 20 Regiões 20 Regiões 7 Macrorregiões Estado 7 Macrorregiões Estado Possui até 5 casos confirmados (RT- PCR) nos últimos 14 dias? Variação no n° de casos semanais Variação no n° de internados por SRAG em UTI Variação no n° de confirmados em leitos clínicos Variação no n° de confirmados em UTI Razão entre casos ativos e recuperados Incidência de novos casos sobre a população Incidência de novos óbitos sobre a população Nº de leitos de UTI disponíveis para atender COVID em proporção de idosos (60+) Nº de leitos de UTI disponíveis para atender COVID em proporção de idosos (60+) Variação no n° de leitos de UTI disponíveis para atender COVID-19 Variação no n° de leitos de UTI disponíveis para atender COVID-19 Vigência entre 11.05 a 17.05 (dados até 08.05) BANDEIRA AMARELA SIM ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ Vigência entre 18.05 a 24.05 (dados até 15.05) BANDEIRA LARANJA NÃO ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ Antes Depois SEPLAG RS | SES RS O fato predominante que fez a região de Uruguaiana ir da bandeira amarela para a laranja é que nos últimos 14 dias houve mais de 5 casos confirmados por RT-PCR, ao contrário da semana anterior. ANTES E DEPOIS
  • 39. R29, R30 LAJEADO PROPAGAÇÃO DA COVID-19 CAPACIDADE DO SISTEMA DE SAÚDE Velocidade do avanço Estágio da Evolução na região Incidência de novos casos sobre a população Capacidade de Atendimento Mudança da Capacidade de Atendimento 20 Regiões 7 Macrorregiões 7 Macrorregiões 7 Macrorregiões 20 Regiões 20 Regiões 20 Regiões 7 Macrorregiões Estado 7 Macrorregiões Estado Possui até 5 casos confirmados (RT- PCR) nos últimos 14 dias? Variação no n° de casos semanais Variação no n° de internados por SRAG em UTI Variação no n° de confirmados em leitos clínicos Variação no n° de confirmados em UTI Razão entre casos ativos e recuperados Incidência de novos casos sobre a população Incidência de novos óbitos sobre a população Nº de leitos de UTI disponíveis para atender COVID em proporção de idosos (60+) Nº de leitos de UTI disponíveis para atender COVID em proporção de idosos (60+) Variação no n° de leitos de UTI disponíveis para atender COVID-19 Variação no n° de leitos de UTI disponíveis para atender COVID-19 Vigência entre 11.05 a 17.05 (dados até 08.05) BANDEIRA VERMELHA NÃO ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ Vigência entre 18.05 a 24.05 (dados até 15.05) BANDEIRA LARANJA NÃO ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ ■ Antes Depois SEPLAG RS | SES RS A melhora em dois indicadores de velocidade do avanço fizeram a região de Lajeado ir da bandeira vermelha para a bandeira laranja. ANTES E DEPOIS
  • 40. Vigência entre 11/05 a 17/05 (dados até 08/05) Vigência entre 18/05 a 24/05 (dados até 15/05) R03 Uruguaiana amarela ► laranja R29, R30 Lajeado vermelha ► laranja Regiões com mudança de bandeiraRisco baixo Risco médio Risco alto Risco altíssimo SEPLAG RS | SES RS ANTES E DEPOIS
  • 41. SEPLAG RS | SES RS  O número de casos novos confirmados por RT-PCR* reduziu 6,08% no RS entre as duas últimas semanas (444 para 417) * considerando as informações disponíveis nos sábados pelas manhãs.  O número de internados em UTI por SRAG reduziu 1,75% no Estado entre as duas últimas sextas-feiras (229 para 225)  O número de internados em leitos clínicos com COVID no RS aumentou 22,70% entre as duas últimas sextas-feiras (141 para 173)  O número de internados em leitos de UTI com COVID no RS aumentou 2,38% entre as duas últimas sextas-feiras (126 para 129)  O número de leitos de UTI adulto disponíveis para atender COVID no RS diminuiu 5,48% entre as duas últimas sextas-feiras (de 493 para 466)  O número de óbitos por Covid-19 diminuiu 6,25% entre as duas últimas semanas (de 32 para 30) DESTAQUES
  • 42. GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Governador: Eduardo Leite Vice-Governador: Ranolfo Vieira Júnior SECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO - SEPLAG Secretária: Leany Lemos Secretário-Adjunto de Planejamento e Orçamento: Gilberto Pompilio de Melo Filho Secretário-Adjunto de Gestão: Marcelo Soares Alves DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E ESTATÍSTICA DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL DEPARTAMENTO DE CAPTAÇÃO DE RECURSOS ASSESSORIA DE GABINETE ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE - SES Secretária: Arita Bergmann Secretária-Adjunta: Aglaé Regina da Silva DEPARTAMENTO DE AÇÕES EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE AUDITORIA DO SUS DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL DEPARTAMENTO DE REGULAÇÃO ESTADUAL CENTRO ESTADUAL DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE