SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 52
Baixar para ler offline
PLANO DE GERENCIAMENTO (PROJETOS E OBRAS)
SUMÁRIO:
 APRESENTAÇÃO DO TEMA E AUTOR - página 01
 INDÍCE GERAL - página 02
 CONCEITOS INTRODUTÓRIOS - página 03 a 08
 CONTROLE INTEGRADO DO GERENCIAMENTO DO PROJETO - página 09
 GERENCIANDO O ESCOPO - página 10 a 21
 GERENCIANDO O TEMPO - página 22 e 23
 GERENCIANDO O CUSTO - página 24 a 27
 GERENCIANDO A QUALIDADE E RISCOS - página 28 a 32
 GERENCIANDO A COMUNICAÇÃO E INTEGRAÇÃO - página 33 a 39
 GERENCIANDO A CONTRATAÇÃO E RH - página 40 a 47
 PROJETO DE RESTRUTURAÇÃO DA ORGANIZAÇÃO (Macro Fluxo - EAP) - página 48
 QUADRO COMPARATIVO ENTRE: NOVO MODELO DE GESTÃO x MODELO ESTAGNADO - página 49
 FRASES - página 50 e 51
 ENCERRAMENTO – página 52
DEFINIÇÕES PRELIMINARES
(segundo o guia PMI - Instituto de Gerenciamento de Projetos - “Project Management Institute”)
3
Gerenciamento de Projetos é a aplicação de Conhecimentos, Habilidades e Técnicas para a execução de projetos de forma Real e
Eficiente. Trata-se de uma competência Estratégica para Organizações, permitindo com que elas unam os resultados dos projetos
com os objetivos do negócio – e, assim, melhor competir em seus mercados.
3
Projeto é um conjunto de atividades temporárias (tem um início e um fim definidos); realizadas em grupo (indivíduos e
organizações), destinadas a produzir um produto, serviço ou um Resultado Exclusivo (ex.: a construção de um edifício).
3
Gerente de Projeto é a pessoa designada pela organização para atingir os Objetivos do projeto. Ele é o responsável pela
coordenação e Integração das atividades em várias linhas funcionais (estrutura da empresa) e gerenciar as Comunicações entre as
partes interessadas. Realiza o acima descrito, gerenciando o Escopo do projeto, o Tempo, Custo e Qualidade.
• QUAIS SÃO OS OBJETIVOS DO
GERENCIAMENTO DE UM
PROJETO?
 DESENVOLVER O “PRODUTO/SERVIÇO”
ESPERADO DENTRO DO PRAZO, CUSTO E
NÍVEL DE QUALIDADE DESEJADOS.
• QUAIS SÃO OS OBJETIVOS DA GESTÃO
DE EXECUÇÃO DE UM
EMPREENDIMENTO?
1) - CONCLUIR O EMPREENDIMENTO DENTRO
DO PRAZO PREVISTO.
2) - CONCLUIR O EMPREENDIMENTO DENTRO
DO CUSTO E ORÇAMENTO PREVISTO.
3) - SATISFAZER OS CLIENTES NAS SEGUINTES
QUESTÕES: PREÇO, QUALIDADE , PRAZO E
ATENDIMENTO.
4) – ATINGIR, FECHAR COM O RESULTADO
FINANCEIRO, DENTRO OU ACIMA DO ESPERADO OU
PREVISTO.
OS ENVOLVIDOS NO PROJETO
Definição: Chamados “Stakeholder” significa público estratégico. Em inglês Stake significa: interesse,
participação, risco. Holder significa: aquele que possui. Portanto, stakeholder significa, parte interessada ou
interveniente.
Objetivo: Designar as pessoas e grupos mais importantes para um planejamento estratégico ou plano de
negócios.
(Pessoa ou um grupo, que oficializa as ações de uma organização e que tem um papel direto ou indireto na gestão e
resultados dessa mesma organização. É formado pelos funcionários da empresa, gestores, gerentes, proprietários,
fornecedores, clientes e diversas outras pessoas ou empresas que estejam relacionadas com um Projeto).
Alta Gerência
Patrocinador
ex.: Diretor
Técnico
Organização
Equipe do Projeto Gerente do Projeto Cliente
pessoa com muito interesse
pelo projeto, que irá garantir
os recursos organizacionais
para que seja executado, com
disponibilidade, poder e
influência suficiente para
advogar em favor dos
propósitos do projeto
METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS (baseado no guia: PMBOK - 4ª edição)
DEFINIÇÃO: Project Management Body of Knowledge - aborda os cinco processos do Ciclo de Vida da Gestão de
Projetos - Iniciação, Planejamento, Execução, Controle, Finalização ; e ensina a gerir de forma coordenada
as nove Áreas de Conhecimento da ciência da Gestão de Projetos - o Escopo, o Tempo, o Custo, a
Qualidade, o Risco, a Comunicação, a Integração, a Contratação e o RH.
(05) CICLOS DE VIDA
PROCESSOS / AÇÕES
INICIAÇÃO /
CONCEPÇÃO
PLANEJAMENTO EXECUÇÃO CONTROLE FINALIZAÇÃO
(09)ÁREASDECONHECIMENTO
DEVEMSERGERENCIADAS
ESCOPO  Todo o trabalho a ser realizado para produzir o Projeto (como exemplo a Construção de
um empreendimento). Objetivo, Âmbito, Campo de Ação, Alvo em que se almeja alcançar.
 Garantir que o Projeto realize todo e somente o trabalho necessário para o seu Sucesso.
TEMPO  Garantir que o Projeto termine no Prazo desejado.
CUSTO  Garantir que o Projeto seja executado dentro do Orçamento aprovado.
QUALIDADE e
RISCOS
 Garantir através da política e dos procedimentos de planejamento, garantia e controle
da Qualidade, com atividades de melhoria contínua dos processos conduzidos do início ao
fim, conforme adequado.
 É o processo sistemático de identificar, analisar e responder aos Riscos do Projeto.
Maximiza os eventos positivos e minimiza os eventos negativos (ex. controle: fazer
CheckList – lista de verificações).
COMUNICAÇÃO e
INTEGRAÇÃO
 Garantir a geração, coleta, distribuição, armazenamento, recuperação e destinação final
das Informações sobre o Projeto de forma oportuna e adequada.
 Garantir que todos os elementos dentro do Projeto estejam devidamente Coordenados e
Integrados.
CONTRATAÇÃO e
RH
 Gerência da Aquisição de Produtos e Serviços para que atendam as necessidades para a
realização do escopo do Projeto.
 Criação / Definição da Equipe do Projeto (StakeHolders), que é composta de pessoas com
funções e responsabilidades atribuídas para o término do Projeto (devem estar envolvidos
em parte do planejamento e da tomadas de decisões).
MODELO “ILHA”
RH
ENGENHARIA
COMERCIALCOMPRAS
FINANCEIRO
MODELO “OS TRÊS
MOSQUETEIROS”
GERENCIAMENTO
/ INTEGRAÇÃO /
COMUNICAÇÃO /
ENGENHARIA
RH
COMPRAS
COMERCIAL
FINANCEIRO
“MODELOS DE GESTÕES ADVERSOS: "quando os membros de uma organização concentram-se apenas em sua função, eles NÃO se sentem responsáveis
pelos Resultados" (Peter Senge)
A VISÃO HOLÍSTCA de uma empresa equivale a se ter uma Imagem Única e Global. Portanto para e empresa o lucro deixa de ser o Objetivo, para se
tornar uma Consequência de todo os processos da empresa; o RH deixa de ser custo e os Clientes deixam de ser Receitas, para se tornarem
parte do TODO da empresa. A empresa ganha uma Nova Visão, valorizando todos os processos e departamentos, e tendo consciência que todos
têm a sua importância e que todos compõem a empresa, que a empresa não é mera soma de departamentos e processos, mas que são eles a
empresa. Traz a percepção da organização como uma série de processos e atividades interligadas. Uma empresa é um Processo que contém
vários Subprocessos de fabricação e serviços.
A Administração Holística tem como base que a empresa NÃO pode mais ser vista como um Conjunto de Departamentos (Departamentalização)
que executam atividades Isoladas, mas SIM como em Conjunto Único, um Sistema Aberto em continua Interação.
MUDANÇA ORGANIZACIONAL: As mudanças organizacionais, reestruturações, fusões, incorporações podem e devem ser considerados como PROJETOS para que os seus
resultados possam ser avaliados à medida que são implementados e gerem bons frutos. O QUE NÃO É MEDIDO, NÃO PODE SER MELHORADO!!!
Administrações Desorganizadas são fruto de Coletividades ociosas e indiferentes!
CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES:
a. Os temas enfatizados a seguir, tem como objetivo: agregar conhecimentos, sugestões
e informações úteis no gerenciamento de projetos e obras.
b. Serão estudados assuntos relacionados e vinculados à organização como um todo.
c. Utilizamos como diretriz e método didático, as nove áreas de conhecimento que, de
acordo com o apresentado na introdução, devem ser gerenciadas em um Projeto.
CONTROLE INTEGRADO DO
GERENCIAMENTO DE PROJETO
Gerenciando o ESCOPOi
A organização é, mais do que uma máquina, ela é mais do que econômica, definida pelos resultados alcançados pelo mercado. A
organização é acima de tudo social. São pessoas. Seu propósito deve ser o de tornar eficazes os pontos fortes das pessoas e
irrelevantes suas fraquezas. Na verdade, essa é a única coisa que a organização pode fazer – a única razão pela qual existe e
precisamos dela. As organizações serão moldadas de formas cada vez mais diferentes – por propósitos, tipos de atividade e cultura.
(Drucker, 1997)
ESCOPOS da ORGANIZAÇÃO:
 Idealizar, Projetar, Planejar, Comercializar,
Construir e Entregar Empreendimentos
Imobiliários (dentro do tempo, dentro do custo, com
qualidade e com lucratividade para a organização)
DEFINIÇÃO: Incorporadora é a Empresa responsável por administrar todo o processo de compra, construção e venda de
imóveis (empreendimentos imobiliários). Além disso, é papel da Incorporadora contratar e supervisionar a execução da
obra, que é feita pela Construtora, na qual, pode ser a mesma Organização.
Incorporadora
Construtora
Venda, Construção
e Entrega dos
Imóveis
=
Satisfação dos
Clientes, Parceiros
e Investidores
A ORGANIZAÇÃO - Construtora e Incorporadora - Qual é a nossa Visão de Futuro ou Plano Estratégico?
i
Missão: Qual o motivo inspirador e desafiante para o nosso negócio? / Quem somos e Por que existimos? (a razão de ser)
Visão: O que desejamos para nossa organização no futuro? / O que queremos ser? Onde queremos chegar? (como será notada pelos ambientes
interno/ externo)
Valores: Quais são as nossas atitudes e comportamentos ao longo da jornada? (conceitos, filosofias e crenças gerais que a organização respeita e
emprega)
Estratégia: O que vamos fazer para alcançar a visão e desempenhar a missão com sucesso?
Táticas: Como você vai conseguir desenvolver a sua missão e estratégia, bem como, quando e quanto vai custar a implementação?
A missão é o nosso desafio. A visão é o nosso ideal a ser alcançado. A estratégia é o Planejamento Macro, para consolidar a missão e concretizar a visão. As
táticas são os planos de ações que teremos de aplicar em nossa estratégia.
O R G A N O G R A M A - E S T R U T U R A D A O R G A N I Z A Ç Ã O
Revisão: 10/04/2014
PRESIDÊNCIA
sugestão: Júlio Serrão
DIRETORIA INCORPORAÇÕES
DIRETORIA
CONSTRUÇÕES
DEPARTAMENTO COMERCIAL /
MARKETING
GERENCIAMENTO DE
PORTFÓLIO E INTEGRAÇÃO
Gerenciamento de Portfólio (uma coleção de projetos) de Projetos é a arte e a ciência de aplicar um conjunto de conhecimento,
habilidades, ferramentas e técnicas sobre uma coleção de projetos com o objetivo de atingir ou exceder as necessidades e expectativas de
uma estratégia de uma organização
DEPARTAMENTO FINANCEIRO /
CONTÁBIL
DEPARTAMENTO RH
DEPARTAMENTO
COMPRAS
DEPARTAMENTO
PLANEJ. E PROJ.
EXECUTIVOS
DEPARTAMENTO
QUALIDADE
DEPARTAMENTO
TECNOLOGIA DA
INFORMÁTICA
DEPARTAMENTO
SEGURANÇA TRABALHO
GERENTE DE PROJETOS
I
GERENTE DEPROJETOS
II
DEPARTAMENTO
ASSIST. TÉCNICA / PÓS-
OBRA
obra 01 obra 07
obra 02 obra 08
obra 03 obra 09
obra 04 obra 10
obra 05 obra 11
obra 06 obra 12
EXEMPLO DE MISSÃO, VISÃO e VALORES:
MISSÃO
Oferecer produtos e serviços no mercado imobiliário,
cuja rentabilidade e satisfação dos clientes
assegurem a sustentabilidade da Empresa e a
valorização da marca Tecnisa.
VISÃO
Ser reconhecida como a melhor empresa do
segmento imobiliário, perpetuando nosso
negócio pela rentabilidade, qualidade de
entrega, inovação e relacionamento com
clientes, colaboradores e investidores.
VALORES
Integridade
Conduzimos nossos negócios de forma transparente e íntegra... Não garantimos que não vamos cometer erros, mas garantimos que sempre vamos
corrigi-los e aprender com eles.
Atitude
Pensamos e agimos como donos do negócio, ...Somos comprometidos, persistentes, proativos e tomamos riscos de forma responsável. Agimos com
cordialidade e respeito; temos senso de urgência e pontualidade. Lideramos com exemplos.
Resultado
Somos obstinados pela busca de resultados, ...Por meio deles, viabilizamos o crescimento, o sucesso e a perenidade do nosso negócio.
Meritocracia
Recompensamos e proporcionamos oportunidades para que as pessoas cresçam na razão direta de seus resultados, avaliados de forma clara, objetiva e
completa.
Gente
Recrutamos, retemos e desenvolvemos os melhores profissionais, que tenham entusiasmo, pro-atividade ...com a autoestima elevada para desenvolver
todo o nosso potencial criativo.
Excelência e Qualidade
Mantemos nossa obstinação pelas coisas bem feitas e pela busca dos mais altos padrões de qualidade. ...entregar produtos e serviços de alta qualidade e
dentro dos prazos acordados.
EXEMPLO DE ESTRATÉGIA EMPRESARIAL NA CONSTRUÇÃO CIVIL :
PESQUISA DE MERCADO - TIPO DE ESTRATÉGIA EMPRESARIAL
VALORES (R$) / M² "VENDA" - APARTAMENTOS DAS CONCORRENTES EM SOROCABA / SP
(fontes: Site das Construtoras e Jornal Ipanema - 2013/14)
CONSTRUTORA / IMOBILIÁRIA BAIRRO / REGIÃO PREÇO PARC./A VISTA (R$) - VENDA M² (A. ÚTIL) PREÇO DO APT. (R$) / M²
TRISUL VOTORANTIM 328.800,00 78,00 4.215,38
TRISUL CAMPOLIM 267.600,00 57,00 4.694,74
J. CARDOSO RES. MONT BLANC 200.000,00 60,00 3.333,33
J. CARDOSO JD. GONÇALVES 180.000,00 48,00 3.750,00
J. CARDOSO VL. JARDINI 160.000,00 71,00 2.253,52
J. CARDOSO JD. GONÇALVES 320.000,00 73,00 4.383,56
J. CARDOSO ÉDEN 152.000,00 66,00 2.303,03
MENDES ORTEGA CAMPOLIM 350.000,00 69,00 5.072,46
MENDES ORTEGA VL. GABRIEL 265.000,00 107,00 2.476,64
MENDES ORTEGA JD. PAGLIATO 220.000,00 51,00 4.313,73
MENDES ORTEGA PQ. SEVILHA 148.000,00 48,00 3.083,33
MENDES ORTEGA CAMPOLIM 180.000,00 47,00 3.829,79
MENDES ORTEGA ST. TEREZINHA 265.000,00 70,00 3.785,71
MENDES ORTEGA VL. GABRIEL 190.000,00 48,00 3.958,33
MRV VL. JARDINI 185.000,00 48,00 3.854,17
MAGNUM PRESTES BARROS 185.000,00 48,00 3.854,17
MÉDIA DE PREÇO DE VENDA DOS APT.º - SOROCABA (R$) / M² 3.697,62
1ª FORÇA: “Rivalidade entre os Concorrentes”
2ª FORÇA: “Poder de Negociação dos Clientes”
3ª FORÇA: “Poder de Negociação dos Fornecedores”
4ª FORÇA: “Ameaça de Entrada de Novos Concorrentes”
5ª FORÇA: “Ameaça de Produtos Substitutos”
“O modelo das Cinco Forças de Michael Porter destina-se
à análise da competição entre empresas. Considera cinco
fatores, as "forças" competitivas, que devem ser estudadas
para que se possa desenvolver uma Estratégia Empresarial
eficiente”.
Obs.: “Num determinado momento, uma ou algumas dessas
forças são mais importantes para um determinado setor
industrial, assumindo maior influência na definição de sua
lucratividade. A fim de se elaborar uma boa estratégia, é
necessário conhecer-se bem o setor e as características que
governam as suas forças competitivas.”
EXEMPLO DE ESTRATÉGIA EMPRESARIAL NA CONSTRUÇÃO CIVIL :
Os requisitos para definição dos INDICADORES DE DESEMPENHO tratam dos
processos de um Modelo da Administração e a busca a Maximização dos
RESULTADOS baseados em quatro (04) perspectivas que refletem a VISÃO e
ESTRATÉGIA Empresarial:
financeiro;
clientes;
processos internos;
aprendizado e crescimento.
INDICADORES DE DESEMPENHO :
DEMONSTRATIVO DE VALORES - Cálculo da TAXA INTERNA DE RETORNO (lucratividade) da
ORGANIZAÇÃO - por ( M² ) - Abril/20014
DISCRIMINAÇÃO M.C. R$ UNID. / OBS. / ÍNDICE % DOIS (02) EXEMPLOS DE ESTUDO:
BDI = 41,00% (fonte: TCPO/ PINI) A 1,4100 RESID. LIFE TATUÍ M. Calculo
C.C. = (CUSTO DIRETO + C. INDIRETO CONSTRUÇÃO) -> (fonte:
SindusConSP - março/14)
B C.D. + C.I./ M² = 1.219,44 1.219,44
71.025,13
M² apt. x R$
T.I.R.
CUSTO DE CONSTRUÇÃO + BDI C C.C. + BDI = 1.719,41 (com BDI) = x 1,41 5.113.809,51
x TOTAL apt.
PREÇO MÉDIO (M²) VENDA EM PLANTA / SOROCABA-SP D P.M.V. = 3.697,62
ver plan. página
anterior
100 VGV / ANO
L.L. = lucro
líquido
PREÇO MÉDIO (%) SERVIÇO DE CORRETAGEM / SOROCABA E P.M.C. = 147,90 estimativa JC 4,0%
300.000.000,00
VGV / ano
PREÇO MÉDIO (%) SERVIÇO DE MARKETING / SOROCABA F P.M.M. = 166,39 estimativa JC 4,5%
116.484.812,93
x % T.I.R.
PREÇO MÉDIO (M²) TERRENO / SOROCABA G P.M.T. = 1.363,00 estimativa JC 1363,00
RESULTADO PARCIAL (R$) / M² H R.P. = D-E-F-G 2.020,32 /M²
Descontados todos
os custos diretos,
indiretos, impostos,
riscos, adm. central,
(%) TAXA
INTERNA DE
RETORNO =
LUCRATIVIDADE
/ M²
CUSTO DE CONSTRUÇÃO SOBRE A. NÃO VENDÁVEL (area comum +
garagem + laser)
I C.C.A.N.V. = 584,60 /M² 0,340
R E S U L T A D O F I N A L ( R$ ) / M² J R.F. = H-I 1.435,72 /M² x 38,828
EXEMPLO DE ESTRATÉGIA EMPRESARIAL NA CONSTRUÇÃO CIVIL :informação
MÉDIA DE ÁREA
TOTAL DE
APARTAMENTOS
VENDÁVEL (M²)
POR
EMPREENDIMENTO
S - EZ TEC / 2014
empreendimento01
empreendimento02
empreendimento03
empreendimento04
empreendimento05
empreendimento06
empreendimento07
empreendimento08
numeração
A
13.192,50 16.200,00 9.180,00 14.040,00 14.400,00 12.240,00 14.400,00 14.040,00 11.040,00
total m²
informação
CALCULO DO VALOR MÉDIO R$ / M² DOS APARTAMENTOS DA CONSTRUTORA EZ TEC (São Paulo/SP) - 2014
VALOR MÉDIO VENDA R$
/M²
65 84 83 64 60 M² / apt.
447.000,00 585.000,00 681.000,00 513.000,00 337.500,00
valor (R$) total apt.
B 7.137,33
6.876,92 6.964,29 8.204,82 8.015,63 5.625,00
R$ /M²
CÁLCULO ESTIMADO do VGV da CONSTRUTORA EZ TEC - 2014
ITEM QUESTIONÁRIO RESPOSTA
1 POSIÇÃO NO RANKING ITC/2013 (em total de m² construído) 20º
2 TOTAL M² CONSTRUÍDO até 2013 1.175.871,95
3 EMPREENDIMENTOS EM CONSTRUÇÃO EM 2014 32
4 MÉDIA DE ÁREA TOTAL POR EMPREENDIMENTO (infor. A) 13.192,50
5 VALOR MÉDIO DE VENDA DE APARTAMENTO POR M² (inform. B) 7.137,33
6 CÁLCULO DO VGV => VGV = (item 3 x item 4 x item 5) = R$ 3.013.095.491,86
VGV significa Valor Geral de Vendas. É um valor calculado pela soma do valor potencial de venda de todas as unidades de um empreendimento a ser
lançado.
Qual a importância do VGV?
Além ajudar a indicar se o empreendimento é ou não viável do ponto de vista comercial, o VGV auxilia na definição do orçamento da obra, das verbas
administrativas da incorporadora, no desempenho da empresa no mercado, dentre outros.
Avaliação de empresas do
setor com alto potencial de
crescimento!!!
EXEMPLO DE ESTRATÉGIA EMPRESARIAL NA CONSTRUÇÃO CIVIL :
0
100000
200000
300000
400000
500000
600000
700000
800000
900000
2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013
TOTALM²ACUMULADO
LINHA DO TEMPO (4º AO 10º RANKING - ITC)
GRÁFICO DE EVOLUÇÃO DO CRESCIMENTO DA RIO VERDE ENGENHARIA
(Limeira/SP) - RANKING ITC (as 100 maiores da construção)
4º / 80* posição
5º / 61 posição
6º / 48 posição
7º / 54 posição
8º / 50 posição
9º / 33 posição
10º / 33 posição
ANÁLISE EM PONTOS PERCENTUAIS (%) DE CRESCIMENTO (M²) - ANO A ANO (RIO VERDE ENGENHARIA)
ANO 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013
M² CONSTRUÍDO / EM CONSTRUÇÃO
NO ANO
- 39.900,00 38.642,00 43.510,00 160.348,00 233.310,00 118.515,00
CRESCIMENTO NO ANO (%) comparado ao
ano anterior
-3,15% +12,60% +369% +146% -51%
produziu 51% do que
havia produzido no
ano passado
Avaliação de empresas do setor com
alto potencial de crescimento!!!
EXEMPLO DE ESTRATÉGIA EMPRESARIAL NA CONSTRUÇÃO CIVIL :
0
200000
400000
600000
800000
1000000
1200000
2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013
TOTALM²CONSTRUÍDOACUMULADO
LINHA DO TEMPO (4º AO 10º RANKING - ITC)
GRÁFICO DE EVOLUÇÃO DO CRESCIMENTO DA CONSTRUTORA MASA (Barueri/SP) -
RANKING ITC (as 100 maiores da construção)
4º / 71 posição
5º / 66 posição
6º / 43* posição
7º / 44* posição
8º / 51 posição
9º / 30 posição
10º / 24 posição
ANÁLISE EM PONTOS PERCENTUAIS (%) DE CRESCIMENTO (M²) - ANO A ANO (CONSTRUTORA MASA)
ANO 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013
M² construído no ano - 78.393,23 117.353,77 60.000,00 70.853,34 363.067,66 230.493,45
CRESCIMENTO NO ANO (%) comparado ao
ano anterior
+49,70% -51,1275% +18,09% +512,42% -63,49%
produziu 63,5% do que
havia produzido no
ano passado
Avaliação de empresas do setor com
alto potencial de crescimento!!!
PROJETOS e MEMORIAIS:
 IMPLANTAR SETOR DE PROJETOS (agregado ao
setor de Planejamento e ambos podem ser
terceirizados)
 Dentre as atribuições, estão:
 Compatibilização dos Projetos;
 Estudo de Opções de Plantas (apartamento
personalizado);
 Criação do Memorial Descritivo dos
empreendimentos (especificação dos
acabamentos – tamanhos, modelos, marcas,
cores);
 Implantar o sistema AutoDoc (Atualização
das Listas Mestra);
 Criar, Propor e Desenvolver a Padronização
dos Projetos: arquitetônico, estrutural,
instalações -> Objetivos: Integração entre as
disciplinas para Facilitar, Agilizar e Reduzir
Custos na Execução.
 Para os novos projetos, seguir as orientações
contidas na Nova Norma de Desempenho da
ABNT / NBR -15575/2013.
PLANEJAMENTO E PROJETOS EXECUTIVOS - SUGESTÕES:
 Formar Equipe (time) de Projetistas;
 Fechar CONTRATOS com fornecimento de
Projeto EXECUTIVO e Assessoria Técnica;
 Contratar Projetos específico de Solo -
FUNDAÇÃO e CONTENÇÕES;
 Contratar Projeto de Arquitetura (com
caderno de detalhes construtivos: tampos e
peças em granito; esquadrias de madeira e
metálicas; telhados; serralheria; áreas a
impermeabilizar).
 Tratar e acompanhar as Aprovações dos
Projetos Legais (prefeitura, ligações
definitivas, bombeiro,...);
 Buscar por Inovações e novas ferramentas e
softwares como o BIM (Modelagem de
Informação da Construção);
 Assegurar que o Resultado Final “Estético e
Arquitetônico" dos prédios (Fachadas),
estejam de acordo com o apresentado no
Portfólio ou Folder de VENDAS e constem no
orçamento da obra.
Gerenciando o TEMPO
TRANSPARÊNCIA E CONTROLE DAS
INFORMAÇÕES (FISICAMENTE)
 O Engenheiro da Obra tem que ter
Conhecimento do CRONOGRAMA DA
OBRA e Conferi-lo e Aceitá-lo (Checar os
Prazos e Validá-lo!);
 Realizar o Acompanhamento e
Atualização do mesmo (Controle através de
Gráficos -> Curva "S; implantar ferramenta: MS
Project);
 OBJETIVO: Sinalizar possíveis ATRAZOS e
propor PLANO DE AÇÃO para sua
Recuperação.
 Criar PLANO DE METAS DE PRODUÇÃO
“mensais”, para cobrar das equipes de
mão de obra, prestadores de serviços e
empreiteiros;
 Apresentar Relatório de Fotos “mensais”
com o Andamento dos Serviços na obra.
"IMPONENTE É O PROJETO PARA A CONSTRUÇÃO DE UMA CASA
NOBRE, NO ENTANTO, É INDISPENSÁVEL O SERVIÇO DA PICARETA
E DA PÁ, DO TIJOLO E DA PEDRA, PARA QUE A ARTE E O
RECONFORTO SE EXPRIMAM."
0
1
2
3
4
5
6
7
Apr-14
May-14
Jun-14
Jul-14
Aug-14
Sep-14
PREVISTO
REALIZADO
Gerenciando o CUSTO
TRANSPARÊNCIA E CONTROLE DAS
INFORMAÇÕES (FINANCEIRAS)
 O Engenheiro de Obra tem que ter
Conhecimento do Orçamento da Obra e
Concordar e Aceitá-lo. (Checar os números:
preços; quantidades e serviços e Validá-lo!) e
Fazer o Acompanhamento e sua Atualização
Financeira (Controle de Custo e Previsão
Trimestral).
 OBJETIVO: Sinalizar Possíveis ESTOUROS e
Propor PLANO DE AÇÃO para sua Recuperação
(ex.: Remanejamento de Verba).
 Apresentar Planilhas de Medição de Contratos
de Serviços e Empreitadas (mdo) com:
 Medição Atual;
 Medição Acumulada e Saldo À Pagar;
 Setor Financeiro responsável em Receber a Nf.
de Serviços /Empreiteiros (com Visto do
Engenheiro da Obra) + Planilha de Medição
(com Visto do Engenheiro e Contratado) + M.C.
(memória de cálculo).
"Dicas para uma boa Gestão Financeira” (fonte:
Sebrae)
1- Organizar os registros e conferir se todos os documentos
estão sendo devidamente controlados
2- Acompanhar as contas a pagar e as contas a receber,
montando um fluxo de pagamentos e recebimentos
3- Controlar o movimento de caixa e acompanhar os
controles bancários
4- Classificar custos e despesas em fixos e variáveis
5- Definir a retiradas (pró-labore)
6- Fazer previsão de vendas e de fluxo de caixa
7- Acompanhar a evolução do patrimônio da empresa,
conhecer sua lucratividade e rentabilidade.
-
200,000.00
400,000.00
600,000.00
gasto
previsto
gasto
real
P. unitário
MA+MO MATERIAL MÃO-DE-OBRA
0,65 0,35
I SERVIÇOS PRELIMINARES 218.255,01
I.1 CANTEIRO DE OBRA (INSTALAÇÃO, MANUTENÇÃO, DESMOBILIZAÇÃO) VB 1,00 60.000,00 39.000,00 21.000,00 60.000,00
I.2 LOCAÇÃO TOPOGRÁFICA DA OBRA m2 1.754,36 10,84 7,05 3,79 19.017,26
I.3 LIMPEZA FINAL DO PRÉDIO m2 3.162,50 1,34 0,87 0,47 4.237,75
1.4 ADAPTAÇÃO DE PROJETOS VB 1,00 80.000,00 52.000,00 28.000,00 80.000,00
1.5 CONTROLE TECNOLOGICO VB 1,00 16.000,00 10.400,00 5.600,00 16.000,00
1.6 LOCACAO DE ANDAIME METALICO TUBULAR TIPO TORRE VB 1,00 39.000,00 25.350,00 13.650,00 39.000,00
II CABINE DE SOLDA 474.189,86
III PRÉDIO B200 - 1o. MÓDULO 3.579.481,78
1 MOVIMENTO DE TERRA 41.570,51
1.1 ESCAVAÇÃO MANUAL M3 455,20 54,95 35,72 19,23 25.013,24
1.2 REATERRO COMPACTADO M3 351,43 24,04 15,63 8,41 8.448,38
1.3 REMOÇÃO DE TERRA EXCEDENTE M3 134,90 13,72 8,92 4,80 1.850,83
1.4
LIMPEZA MECANIZADA DO TERRENO COM REMOÇÃO DA COBERTURA
VEGETAL M2 1.754,36 3,14 2,04 1,10 5.508,69
1.5 COMPACTAÇÃO MANUAL FUNDO DE VALAS COM MAÇO=10 KG M2 176,74 4,24 2,75 1,48 749,38
2 FUNDAÇÕES E ESTRUTURAS 1.761.739,93
2.1 INFRAESTRUTURA 194.366,94
2.1.1
ESTACA ESCAVADA MECANICAMENTE DIAM 25CM CAPACIDADE ATE 20
TF M 260,00 37,30 24,24 13,06 9.698,00
2.1.2
ESTACA ESCAVADA MECANICAMENTE DIAM 30CM CAPACIDADE ATE 30
TF M 1.020,00 55,00 35,75 19,25 56.100,00
2.1.3 CORTE E REPARO EM CABEÇA DE ESTACA UN. 128,00 35,17 22,86 12,31 4.501,76
2.1.4 LASTRO DE CONCRETO MAGRO M2 9,56 558,56 363,06 195,50 5.339,32
2.1.5 FORMAS DE TÁBUAS DE PINHO - FUNDAÇÃO M2 831,50 38,31 24,90 13,41 31.854,77
2.1.6 ARMADURA CA-50/60 - FUNDAÇÃO KG 5.000,00 7,50 4,88 2,63 37.500,00
2.1.7
CONCRETO USINADO BOMBEADO FCK=40MPA, INCLUSIVE COLOCACAO,
ESPALHAMENTO E ADENSAMENTO MECÂNICO M3 94,93 520,10 338,07 182,03 49.373,09
2.2 SUPRAESTRUTURA 1.567.372,99
2.2.1
FORMA PLANA PARA CONCRETO APARENTE, EM COMPENSADO
PLASTIFICADO 12MM M2 5.293,59 107,55 69,91 37,64 569.325,60
2.2.2 ARMADURA CA-50/60 - ESTRUTURA KG 68.677,00 7,50 4,88 2,63 515.077,50
2.2.3 ARMACAO EM TELA SOLDADA Q-138 (ACO CA-60 4,2MM C/10CM) KG 2.405,00 7,45 4,84 2,61 17.917,25
2.2.4
CONCRETO USINADO BOMBEADO FCK=40MPA, INCLUSIVE COLOCACAO,
ESPALHAMENTO E ADENSAMENTO MECÂNICO M3 608,53 520,10 338,07 182,03 316.496,45
2.2.5 JUNTAS DE DILATAÇÃO TIPO JEENE M 55,00 519,10 337,42 181,68 28.550,50
2.2.6 DESFORMA DE ESTRUTURAS, ALT. OU PROFUND. MAIOR QUE 1,50M M2 5.293,59 22,67 14,74 7,93 120.005,69
3 FECHAMENTOS - PAREDES E DIVISÓRIAS: 330.430,15
3.1
ALVENARIA DE EMBASAMENTO EM BLOCO DE CONCRETO ESTRUTURAL
19x19x39CM M2 222,24 87,14 56,64 30,50 19.365,99
3.1 ALVENARIAS DE BLS DE CONCRETO 0,19X0,19XO,39M M2 1.094,39 59,21 38,49 20,72 64.798,83
3.2 ALVENARIAS DE BLS DE CONCRETO 0,14X0,19XO,39M M2 1.271,71 49,67 32,29 17,38 63.165,84
3.4
VERGA, CONTRAVERGA, OU CINTA EM CONCRETO ARMADO
FCK=20MPA, PREP. MECANICO, FORMA CANALETA (15X20X20), AÇO CA
60 5.0 M3 13,87 1.255,13 815,84 439,29 17.408,65
3.5 TELA TIPO DEPLOYER PARA REFORÇO DE ALVENARIA M2 107,52 2,77 1,80 0,97 297,83
3.3 DIVISÓRIA DE GRANILITE, ESP. 4CM M2 100,11 85,27 55,43 29,84 8.536,38
3.4 DIVISÓRIAS EM PAINÉIS "WALL" E PORTAS COMPLETAS REVESTIDAS DE
LAMINADO MELAMINICO M2 280,67 70,00 45,50 24,50 19.646,90
3.5 DIVISÓRIAS "DIVILUX DA EUCATEX" INCLUSIVE PORTAS COMPLETAS M2 452,30 303,36 197,18 106,18 137.209,73
4 REVESTIMENTOS DE PAREDES: 145.856,25
4.1 REVESTIMENTO DE CHAPISCO M2 3.566,25 4,71 3,06 1,65 16.797,04
4.2 REVESTIMENTO DE EMBOÇO M2 3.566,25 17,91 11,64 6,27 63.871,54
4.3 REVESTIMENTO DE REBOCO M2 3.056,50 14,67 9,54 5,13 44.838,86
4.5 LADRILHOS CERÂMICOS 30 X 30CM M2 509,74 39,92 25,95 13,97 20.348,82
5 REVESTIMENTOS DE PISO 313.121,74
5.1 LASTRO DE BRITA M3 54,44 110,18 71,62 38,56 5.998,20
5.2 CONTRAPISO EM ARGAMASSA TRACO 1:4 (CIMENTO E AREIA), M2 1.760,22 36,26 23,57 12,69 63.825,58
5.1 PISO DE ALTA RESISTÊNCIA POLIDO DE 10MM M2 2.311,08 85,35 55,48 29,87 197.250,68
5.2 PISO VINILICO DE 1,5MM M2 416,93 47,21 30,69 16,52 19.683,27
Preço unitario
TotalITEM DISCRIMINAÇÃO UNID.
QTDE. DO
NOVO PROJ.
EXEMPLOS DE CONTROLE DE CUSTOS (planilha e gráfico):
CENTRO TECNOLÓGICO DA MARINHA EM SÃO PAULO Revisão: 01
PLANILHA COMPARATIVA: MEDIÇÕES x GASTOS ACUMULADOS = "RESULTADO"
SUPERINTENDÊNCIA DO PROGRAMA NUCLEAR 21/12/2012
LABORATÓRIO DE MATERIAIS NÃO NUCLEARES - B200
GASTOS
ACUMULADOS
(R$)
MEDIÇÕES - VALORES (R$)
MEDIÇÃO
ACUMULADA
(R$)
PROJEÇÃO DO
RESULTADO
(R$)
CONTROLE FINANCEIRO DA
OBRA
MEDIÇÃO 1
(R$)
MEDIÇÃO 2
(R$)
MEDIÇÃO 3
(R$)
MEDIÇÃO 4
(R$)
MEDIÇÃO 5
(R$)
MEDIÇÃO 6
(R$)
MEDIÇÃO 7
(R$)
DATAS / ATUALIZAÇÕES / PROJEÇÕES 27/12/2012 jul/12 jul/12 ago/12 set/12 out/12 nov/12 dez/12 27/12/2012 21/12/2012
VALORES DA MEDIÇÃO - BRUTO
1.181.387,94
40.000,00 147.068,16 215.532,60 375.497,72 407.889,17 62.461,28 398.123,87 1.646.572,80 465.184,86
PERCENTUAL MÃO DE OBRA 35% 14.000,00 51.473,86 75.436,41 131.424,20 142.761,21 21.861,45 139.343,35
PERCENTUAL MATERIAL 65% 26.000,00 95.594,31 140.096,19 244.073,52 265.127,96 40.599,83 258.780,51
RETENÇÃO - INSS
11% 1.540,00 5.662,12 8.298,00 14.456,66 15.703,73 2.404,76 15.327,77 63.393,05 63.393,05
RETENÇÃO - PIS/COFINS/CSLL/IR
5,85% 2.340,00 8.603,49 12.608,66 21.966,62 23.861,52 3.653,98 23.290,25 96.324,51 96.324,51
VALOR DA PROJEÇÃO DE RESULTADO
- LÍQUIDO (exceto custo indireto - escritório
Mollinari - SP)
305.467,30
(200,000.00)
-
200,000.00
400,000.00
600,000.00
800,000.00
1,000,000.00
1,200,000.00
1,400,000.00
1,600,000.00
1,800,000.00
Jul-12 Aug-12 Sep-12 Oct-12 Nov-12 Dec-12 Jan-13 Feb-13 Mar-13 Apr-13 May-13 Jun-13
1 GASTO ACUM.
2 MEDIÇÃO ACUM.
3 RESULTADO
EXEMPLODEPREVISÃOFINANCEIRA:
Gerenciando a QUALIDADE e RISCOS
i
“Se fizermos um Bom Emprego e Controle da Qualidade em toda a Organização, os Riscos serão menores e mais fáceis de
serem previstos e controlados.” JC (18/03/14)
GESTÃO DA QUALIDADE:
Incorporação
Anteprojeto /
Projeto Legal e
Executivo
Gerenciadora /
Planejamento /
Integração
Qualidade /
Controle
Construtora
/ Execução
das Obras
SUGESTÕES:
 Implantar Novo SISTEMA DA QUALIDADE com
Procedimentos estabelecidos nos: (SGQ – Sistema de
Gestão da Qualidade; MQ – Manual da Qualidade da
Construtora e PQO's – Plano de Qualidade de cada
Obra) PARA APLICAÇÃO / UTILIZAÇÃO EM TODA A
ORGANIZAÇÃO;
 Criação do Sistema baseado nas normas contidas no:
a. ISO 9001:2008
b. PBQP-H
 Contratar empresa específica (eng. Qualidade) para
IMPLANTAÇÃO, TREINAMENTO E ASSESSORIA;
 Implantar programa 5S nos canteiros de obras;
 CRIAR “Cartilha / Manual” com Instruções Técnicas
de Execução, para ser seguida pela engenharia das
obras;
 Treinar Estagiários para controle e aplicação do SGQ
nas obras (além de outras funções);
 Contratar SEGURO DE “RISCO/ ACIDENTE” para as
Obras (vistoria prévia dos terrenos e proprietários
vizinhos - laudo pericial com relatório fotográfico);
 Criar mecanismos internos ou Contratar Empresa
Especializada para Implantar COMPLIANCE
(Procedimentos para Auditorias Internas Periódicas).
Os principais papéis dos 5S são: liberar áreas, evitar desperdícios, melhorar relacionamentos, facilitar as
atividades e localização de recursos disponíveis, melhorar e manter limpo o ambiente de trabalho, melhorar a
produtividade, evitar acidentes, bem estar físico e mental e trabalho em equipe.
Denominação Denominação Conceito Objetivo particular
Português Japonês
Utilização 整理, Seiri Separar o necessário do
desnecessário
Eliminar do espaço de
trabalho o que seja inútil
Ordenação 整頓, Seiton Colocar cada coisa em
seu devido lugar
Organizar o espaço de
trabalho de forma eficaz
Limpeza 清掃, Seisō Limpar e cuidar do
ambiente de trabalho
Melhorar o nível de
limpeza
Saúde 清潔, Seiketsu Tornar saudável o
ambiente de trabalho
Prevenir o aparecimento
de supérfluos e a
desordem
Autodisciplina 躾, Shitsuke Rotinizar e padronizar a
aplicação dos S
anteriores
Incentivar esforços de
aprimoramento
Exemplo de Planejamento de Processos:
Execução de Obras
Monitoramento do processo
• Cumprimento do cronograma
de contrato
• Satisfação do cliente contratante
Principais Atividades
• Todos os PO´s relacionados
a Obra (inclusive PQO)
Principais recursos
Equipamentos de produtos /
Inspeção
Pessoal qualificado
Insumos
PCMAT / PPRA/PCMSO
Equipamento de Telefonia
Saída – Entrega da Obra
Execução da Obra
Solicitação de Assistência
Técnica
Entrada
Contrato / proposta comercial
aprovada
Meta
• Cumprimento do cronograma
de contrato (média de 100% no prazo)
• Satisfação do cliente contratante (Média
de 80% dos clientes com satisfação entre
BOM e Excelente)
Anexo V do Manual da Qualidade. MQ.01-07.12 / versão julho de 2012
MACRO FLUXO BRADESCO PRIVATE BANK
CLIENTES
NecessidadedosClientes
PRODUTO
GESTÃO, MEDIÇÃO, MONITORAMENTO E CONTROLE
“Gestão de Projetos, Planejamento e Gerenciamento de
Obras, Incorporações, Construções e Manutenções de
Unidades Habitacionais, Comerciais e Industriais".
SATISFAÇÃODOSCLIENTES
PROSPEÇCÃO DE
OBRAS
ANÁLISE DE
VIABILIDADE
EXECUÇÃO DE
OBRAS
Processo Comercial
Suporte ao Produto
DEPARTAMENTO
COMERCIAL
Contabilidade
terceirizada
Macro Fluxo - Processos de uma Construtora: (Def.: fluxograma – Visão Geral da Organização)
Anexo II do Manual da Qualidade. MQ.01-07.12 / versão julho de 20
ASSISTÊNCIA
TÉCNICA
DEPARTAMENTO
ADM/FINANCEIRO
DEPARTAMENTO
RECURSOS HUMANOS
DEPARTAMENTO DE
SUPRIMENTOS
DEPARTAMENTO DA
QUALIDADE
APOIO
EXEMPLO DE POLÍTICA DA
QUALIDADE:
• “Prover aos nossos clientes soluções
em engenharia com foco na gestão
dos produtos, pessoas e processos,
garantindo melhores resultados,
proporcionando satisfação e
fidelização.”
• Departamento de Qualidade (Atribuições):
• Implementar e manter atualizado o sistema da qualidade, assegurando sua prática,
conforme SIQ Construtoras do PBQP-H, NBR ISO 9001:2008, Política da Qualidade e
Manual da Qualidade;
• Executar programas de auditorias internas do sistema da qualidade, procedendo à
retroalimentação necessária para as revisões gerenciais da alta administração da
empresa;
• Coordenar a implantação e melhoria do Sistema de Gestão da Qualidade por toda a
empresa;
• Orientar a implementação do sistema da qualidade para cada departamento/obra;
• Manter atualizado o Manual da Qualidade e os diversos procedimentos que
documentam o sistema da qualidade bem como controlar a atualização e
distribuição dos procedimentos adequados a cada departamento.
• Responsável pela Obra (Atribuições):
• Coordenar e supervisionar as atividades de obra (planejamento, custos, orçamentos, execução...)
• Supervisionar as atividades de análise crítica de documentos da obra;
• Estabelecer mecanismos de controle e retroalimentação nas obras visando revisões gerenciais;
• Executar em atendimento a melhor técnica de engenharia, a coordenação técnica das obras;
• Promover a capacitação dos recursos humanos nas obras;
• Estabelecer regras para a iniciação, acompanhamento e encerramento de obras, orientando inclusive a consolidação do acervo
técnico da empresa;
• Gerenciar e executar atividades de assistência técnica;
• Supervisionar os trabalhos técnicos e administrativos da obra;
• Realizar a supervisão do almoxarifado de materiais, equipamentos e instrumentos utilizados;
• Promover o treinamento para a qualificação do pessoal;
• Assegurar os cumprimentos dos requisitos do sistema da qualidade para os serviços subcontratados;
• Executar a inspeção final da obra.
• Apoiar, inclusive participando, de programas de motivação e conscientização na empresa como um todo;
• Promover a implementação da Política da Qualidade da empresa em toda a obra;
• Executar todo processo relacionado aos projetos;
• Executar o planejamento e controle da produção;
• Assegurar o cumprimento dos requisitos do sistema da qualidade na obra.
Gerenciando a COMUNICAÇÃO e INTEGRAÇÃO
 Criar Procedimentos Padrão de
COMUNICAÇÃO (e torná-los Regra), entre os
colaboradores de todos os Setores da
ORGANIZAÇÃO: Gerenciadora, Planejamento,
Projeto, Compras, RH (estes primeiros, tem
contato frequente com a obra), Financeiro, TI,
Assistência Técnica, Comercial,...
 Exemplos de Ferramentas de Comunicação:
 Site da empresa (veracidade nas informações);
 Sistemas Integrados e/ou Sistemas para
gerenciamento de projeto (Software técnicos -> ver
exemplos nas páginas seguinte);
 E-mail (enviar -> <- receber);
 Skype;
 Rádio NEXTEL;
 Relatórios impressos / Protocolos;
 Cartas com Comunicação Interna (C.I.);
 Conversas pessoais, passando o Feedback (Dar
Resposta / Retorno);
 Atas de Reunião com Pautas bem Definidas (horários
pré-estabelecidos, assinadas e arquivadas -> para
serem produtivas).
SUGESTÕES:
INTEGRAÇÃO  TRABALHO EM EQUIPE (= Grupo cria esforço Coletivo para resolver problemas)
“Obra é trabalho COLETIVO , ninguém é
tão capaz a ponto de não precisar da
ajuda de alguém” JC (fev./2010).
Escopo
Tempo
Custo Qualidade
Integração
Núcleo do
Gerenciamento
Comunicação Risco
Contratação
RH
SUGESTÕES:
 REUNIÃO DE ENGENHARIA – quinzenal ou
mensal (realizadas no escritório ou nas obras ->
troca de ideias entre os engenheiros e gestores:
sugestões, padronizações, propostas de
melhorias, novas técnicas construtivas).
 Promover, Incentivar a utilização de NOVAS
TÉCNICAS CONSTRUTIVAS, o emprego de
NOVOS MATERIAIS e EQUIPAMENTOS para
RACIONALIZAR e Aumentar a Produção da
obra e também melhorar a Qualidade do
PRODUTO FINAL (ex: solo grampeado, pré-
lajes, paredes e estruturas pré-moldadas, forma
metálica, laje nervurada - cubeta, argamassas
prontas e projetadas, shafts visitável,
tubulações aparente c/ carenagem e tipo PPR,
cimbramento metálico, cremalheiras, gruas,
skytrack, sistema água de reuso, reservatório
água cilíndrico externo , aquecimento solar,
forma-pronta, aço cortado e dobrado...)
 Criar INTEGRAÇÃO PADRÃO para as novas
CONTRATAÇÕES, com “vídeo de
apresentação” INSTITUCIONAL /
MOTIVACIONAL (competência do RH -> para
Colaboradores do escritório e obra).
IMAGENS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NA CONSTRUÇÃO:
IMAGENS de “Ruídos” na COMUNICAÇÃO:
I
“Os gestores estão cada vez mais atentos aos setores responsáveis pela Comunicação, haja visto que o aperfeiçoamento
dessa área gera Bons Resultados para as Empresas, que passam a ser vistas como uma área de investimento.
Quando a Comunicação ocorre de forma Positiva, colaboradores e clientes se fidelizam e a empresa pode prestar um
atendimento ainda melhor, pois as mensagens são transmitidas de maneira limpa, sem ruídos, trazendo benefícios para
gestores, funcionários e consumidores.”
TRABALHO EM EQUIPE:
i
“O comandante de um grande navio pode ser um gênio de sabedoria e bondade, mas toda a direção se
compromete, de imediato, se o mais obscuro cooperador da embarcação coloca uma bomba na casa de
máquinas.”
Gerenciando a CONTRATAÇÃO e RH
SUGESTÕES – SETOR DE COMPRAS:
 CRIAR LISTA DE FORNECEDORES CADASTRADOS COM AVALIÇÃO
MENSAL (deve ser Analisado e Aprovado tecnicamente pela
engenharia).
 ESTIPULAR "DATAS" PROGRAMADAS PARA A GESTÃO DE OBRA -
" SOLICITAR" OS SEUS MATERIAIS, EQUIPAMENTOS, SERVIÇOS
(ex: toda 2ª feira/ semana, ou todo dia: 10, 20 e 30/ mês).
 OS SETORES DE ENGENHARIA E COMPRAS DEVEM CRIAR:
CRONOGRAMAS DE CONTRATAÇÕES "SEMESTRAIS" (com datas
pré-definidas) PARA QUE CADA OBRA SOLICITE ITENS
ESPECÍFICOS – “Link/Integração” entre as obras (ex.: Maio/2014 -
solicitar esquadrias alumínio, Junho/2014 - cerâmica,....)
OBJETIVO: AUMENTAR "PODER DE NEGOCIAÇÃO" DA EMPRESA
(menor preço; maior qualidade; padronização; melhor prazo de
entrega e condição de pagamento).
 COMPRAS TÉCNICAS (ex.: elevadores, esquadrias de alumínio,
gruas, cremalheiras, escoramento metálico, serralheria, peças
em granito,...) OU SEJA, TODOS OS PROCESSOS DE
CONTRATAÇÃO QUE ENVOLVAM PROJETO E INFORMAÇÕES
TÉCNICAS, DEVEM SER ORÇADOS, NEGOCIADOS E FECHADOS
PELOR SETOR DE ENGENHARIA (gerente geral, coordenador,
gerente da obra ou diretor técnico).ATRAVÉS DE MAPAS DE
COTAÇÃO C/ VISTO DE APROVAÇÃO DOS RESPONSÁVEIS.
 ELIMINAR (ou fazer o DISTRATO) GRADUALMENTE OS
CONTRATOS DE PERMUTAS DE MATERIAIS E SERVIÇOS.
 APRIMORAR O RELATÓRIO DE ENVIO DE NF’s. (ver modelo
sugerido na próxima página).
 APRIMORAR, DETALHAR E ESPECIFICAR (com consistência
Técnica e Jurídica) CONTRATO DE SUBEMPREITADA (prestação
de serviços de empreiteiros – mão de obra terceirizada nas
obras).
SUGESTÕES – SETOR de RH (introduzir a Gestão de
Pessoas) e SEGURANÇA DO TRABALHO (NR-18/35):
 IMPLANTAR CRACHÁ DE IDENTIFICAÇÃO PARA OS
COLABORADORES.
 RELÓGIOS DE PONTO NAS OBRAS (controle de frequência dos
colaboradores).
 UNIFORMES PADRONIZADOS (calça e camisa com Logo da
empresa – tanto obra como escritório).
 ESTUDAR (a médio prazo) IMPLANTAÇÃO DE CATRATAS
ELETRÔNICAS NOS CANTEIROS DE OBRAS (controle de
acesso).
 CONTRATAR EMPRESA TERCEIRIZADA (ou direto pela
empresa) – PRESTAÇÃO DA SEGURANÇA DO TRABALHO
(com técnicos - TST em cada obra).
 CONTRATAR EMPRESA DE VIGILÂNCIA - 24Hs PARA OS
CANTEIROS DE OBRAS (c/ segurança/ porteiro).
 SEGURO DE VIDA PARA OS COLOBORADORES ENVOLVIDOS
COM A ADM. E GERENCIAMENTO DAS OBRAS.
 DESENVOLVER ESTRATÉGIA PARA O PROCESSO SELETIVO, -
RECRUTAMENTO – OBJETIVO: ENCONTRAR AS PESSOAS
CERTAS (talento, perfil, qualificação) PARA OS CARGOS
DISPONÍVEIS (ex.: mais de uma entrevista -> RH – GESTORES
– DIRETORIA).
 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS COLABORADORES (DOS
SUPERVISORES AOS SEUS SUBORDINADOS - semestral ou
anual) COM O FEEDBACK DO RESULTADO – ver modelo
(possibilidade para implantação: PLR – participação dos
lucros e resultados ou bonificações espontâneas).
DEPARTAMENTO DE COMPRAS:
CICLO DE
COMPRAS:
MAPA DE
COTAÇÕES,
EQUALIZADO:
MAPA DE COTAÇÃO
Obra: Laboratório de Mat. Avançados - B200-CTMSP / ARAMAR Data: 29/08/12
End.: Rod. Sorocaba-Iperó, Km 12,5 - Iperó / SP
Fornecedor
MILLS / JAHU BRASVIGA / MADEWAL ANDAIMES 3A
Tel.
19 - 3272-2332 / 19 - 9146-4690 19 - 3441-1981 19 - 7804-1541 15 - 3233-0802
Contato
FÁBIO EDUARDO DELIANE ROSSETTO LEANDRO SILVA
LOCAÇÃO MENSAL DE ESCORAMENTO METÁLICO (laje e viga)
e-mail.
feduardo.jahu@mills.com.br deliane@madewal.com.br locacao@andaimes3a.com.br PREVISÃO
GASTO
TOTALDescrição dos Materiais Unid. Quant. Preço Unit. Preço Total Preço Unit. Preço Total
ESCORAMENTO JAHU
1
ESCORAMENTO - PAV. SUPERIOR - 1ª ETAPA (eixos: 1 ao 4) / pé direito =
4,40m
m² 774,42 8,81 6.825,00 10,70 8.285,21 26,87 20.810,00
13.650,00
2
ESCORAMENTO - PAV. SUPERIOR - 2ª ETAPA (eixos: 4 ao 8) / pé direito =
4,40m
m² 774,48 8,82 6.830,00 11,33 8.773,81 25,59 19.820,00
13.660,00
3
ESCORAMENTO - PAV. COBERTURA - 1ª ETAPA (eixos: 8 ao 4) / pé direito
= 3,12m
m² 974,35 8,51 8.295,00 6,41 6.249,42 NÃO ORÇOU!!!
8.295,00
4
ESCORAMENTO - PAV. COBERTURA - 2ª ETAPA (eixos: 4 ao 1) / pé direito
= 3,12m
m² 847,45 7,40 6.270,00 9,04 7.659,92 NÃO ORÇOU!!!
6.270,00
5
REESCORAMENTO - PAV. SUPERIOR - 1ª ETAPA (eixos: 1 ao 4) / pé direito
= 4,40m
m² 774,42 1,76 1.365,00 2,06 1.599,00 NÃO ORÇOU!!!
2.047,50
6
REESCORAMENTO - PAV. SUPERIOR - 2ª ETAPA (eixos: 4 ao 8) / pé direito
= 4,40m
m² 774,48 1,77 1.370,00 2,17 1.678,95 NÃO ORÇOU!!!
2.055,00
7
REESCORAMENTO - PAV. COBERTURA - 1ª ETAPA (eixos: 8 ao 4) / pé
direito = 3,12m
m² 974,35 4,25 4.140,00 5,58 5.433,96 NÃO ORÇOU!!!
6.210,00
8
REESCORAMENTO - PAV. COBERTURA - 2ª ETAPA (eixos: 4 ao 1) / pé
direito = 3,12m
m² 847,45 2,87 2.430,00 1,19 1.006,88 NÃO ORÇOU!!!
3.645,00
SubTotal 37.525,00 40.687,15 40.630,00 55.832,50
Impostos - - -
Frete por conta do cliente por conta do cliente -
Total Geral valor mensal 37.525,00 valor mensal 40.687,15 40.630,00
Forma de Pagto Medição Mensal + 15 dias p/ Pag.º Faturado todo o dia 15 de cada mês
OBS: Projetos de Forma da Estrutura considerados p/ orçamento: EST-003-R07 e EST-004-R07.
Mão de Obra de montagem por conta da construtora. O contratado fornecerá projeto de montagem
e assist. técnica.
Autorizado por:
Prazo de Entrega
A COMBINAR A COMBINAR
EXEMPLO DE RELATÓRIO DE ENVIO DE NOTAS
(devem ser protocoladas, "assinadas” pelo engenheiro da obra)
CONSTRUTORA MOLLINARI LTDA.
Rua Corrientes, 239 - Lapa - Cep: 05076-010
São Paulo - S.P. - E-mail : mollinarisp@terra.com.br
Tel/fax (11) 3644-3124
RELATÓRIO DE NOTAS FISCAIS
EMPRESA: CONSTRUTORA MOLLINARI LTDA
x COMPRAS DIRETAS ( OBRA ) OBRA: LABORAT. DE MAT. NÃO NUCLEARES B200 - CTMSP/ARAMAR - Iperó/SP
RELATÓRIO: 030
COMPRAS NORMAIS DATA: 21/01/2013
SIMPLES REMESSA
ITEM FORNECEDOR DISCRIMINAÇÃO N.F. Nº
VALOR
LIQ.
EMISSÃO
VENCIMEN
TO
PEDIDO
RM
OBS.
1 WALSYWA IND.COM.DE PR METALÚRG.LTDA MATERRIAL USADO NA ALVENARIA ENTRE EIXOS 01 AO 04 1° ETAPA 5.434 1.331,22 08/01/2013 05/02/2013 NF C/BOLETO
2 LOCADORA COMERCIAL PORTO SEGURO LTDA LOCAÇÃO BETONEIRA 400L REF.PERIODO 06/01/2013 A 04/02/2013 21.167 165,00 08/01/2013 05/02/2013 FATURA S/BOLETO
3 RISATEC DISTRIBUID. DE FERRO E AÇO LTDA ARAME P/ LAJE EIXO 04 AO 01 4° ETAPA 46.743 219,45 10/01/2013 11/03/2013 NF S/BOLETO
4 RISATEC DISTRIBUID. DE FERRO E AÇO LTDA AÇO P/VIGAS DA CORBETURA PROG.13 EIXOS 04 AO 01 4°ETAPA 46.919 4.945,14 11/01/2013 10/02/2013 NF S/BOLETO
5 RISATEC DISTRIBUID. DE FERRO E AÇO LTDA AÇO P/VIGAS DA CORBETURA PROG.13 EIXOS 04 AO 01 4°ETAPA 46.919 4.943,65 11/01/2013 12/03/2013 NF S/BOLETO
6 RISATEC DISTRIBUID. DE FERRO E AÇO LTDA AÇO P/VIGAS DA CORBETURA PROG.13 EIXOS 04 AO 01 4°ETAPA 46.919 4.943,65 11/01/2013 11/04/2013 NF S/BOLETO
7 CORTE & DOBRA COMÉRCIO DE AÇO SERVIÇO LTDA SERVIÇO DE CORTE E DOBRA AÇO P/LAJE 4° ETAPA 27.500 1.666,56 14/01/2013 13/02/2013 NF S/BOLETO
8 DEGRAUS MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS PARA CONSTRUÇÃO CIVIL LTDA LOCAÇÃO VIBRADOR E MANGOTE REF. PERIODO 11/01/2013 A 09/02/2013 964.768 250,00 14/01/2013 11/02/2013 FATURA S/BOLETO
9 LOCADORA COMERCIAL PORTO SEGURO LTDA LOCAÇÃO DE BOMBA SUBMERSA 2" REF. PERIODO 12/01/2013 A 10/02/2013 21.224 200,00 14/01/2013 11/02/2013 FATURA S/BOLETO
10 ALEIXO MINERAÇÃO LTDA-EPP AREIA MÉDIA 6 METROS, REBOCO EIXOS 01 AO 04 14.308 312,00 14/01/2013 14/02/2013 NF C/BOLETO
11 ALEIXO MINERAÇÃO LTDA-EPP AREIA FINA 6 METROS, ALVENARIA EIXOS 01 AO 04 14.320 288,00 14/01/2013 14/02/2013 NF C/BOLETO
12 ALEIXO MINERAÇÃO LTDA-EPP PEDRISCO 6 METROS, P/EMBASAMENTO EIXOS 04 AO 08 14.321 420,00 14/01/2013 14/02/2013 NF C/BOLETO
13 ALEIXO MINERAÇÃO LTDA-EPP AREIA MÉDIA 6 METROS, REBOCO EIXOS 01 AO 04 14.338 312,00 15/01/2013 15/02/2013 NF C/BOLETO
14 ALEIXO MINERAÇÃO LTDA-EPP AREIA MÉDIA 6 METROS, REBOCO EIXOS 01 AO 04 14.371 312,00 17/01/2013 16/02/2013 NF S/BOLETO
15 NATANAIR ANTONIO DO NASCIMENTO ME MADEIRA P/ ANDAIMES, ESCADA CANTEIRO 1.357 1.120,38 14/01/2013 11/02/2013 NF S/BOLETO
16 VOTORANTIM CIMENTOS S/A CIMENTO P/ALVENARIA E REBOCO DOS EIXOS 01 AO 04 284.936 2.016,84 15/01/2013 05/02/2013 NF C/BOLETO
17 ELETROSOL MATERIAIS ELÉTRICOS LTDA MATERIAIS ELÉTRICOS P/ILUMINAÇÃO INTERNA DO EIXO 01 AO 04 93.909 620,56 15/01/2013 12/02/2013 NF S/BOLETO
18 ELETROSOL MATERIAIS ELÉTRICOS LTDA MATERIAIS ELÉTRICOS P/ILUMINAÇÃO INTERNA DO EIXO 01 AO 04 93.909 620,56 15/01/2013 19/02/2013 NF S/BOLETO
19 ELETROSOL MATERIAIS ELÉTRICOS LTDA MATERIAIS ELÉTRICOS P/ILUMINAÇÃO INTERNA DO EIXO 01 AO 04 93.909 620,55 15/01/2013 26/02/2013 NF S/BOLETO
20 MARINHA DO BRASIL CONTA TELEFONICA N°003/13 REF. DEZ/2013 003-13 109,72 14/01/2013 24/01/2013 DEPÓSITO BANCÁRIO
21 RISATEC DISTRIBUID. DE FERRO E AÇO LTDA AÇO P/LAJE 4° ETAPA 47.330 8.950,93 17/01/2013 16/02/2013 NF S/BOLETO
22 RISATEC DISTRIBUID. DE FERRO E AÇO LTDA AÇO P/LAJE 4° ETAPA 47.330 8.948,25 17/01/2013 18/03/2013 NF S/BOLETO
23 RISATEC DISTRIBUID. DE FERRO E AÇO LTDA AÇO P/LAJE 4° ETAPA 47.330 8.948,25 17/01/2013 17/04/2013 NF S/BOLETO
24 CORTE & DOBRA COMÉRCIO DE AÇO SERVIÇO LTDA SERVIÇO DE CORTE E DOBRAAÇO P/LAJE 4° ETAPA 27.607 2.939,73 18/01/2013 16/02/2013 NF S/BOLETO
25 ALEIXO MINERAÇÃO LTDA-EPP AREIA MÉDIA 6 METROS, REBOCO EIXOS 01 AO 04 14.407 312,00 18/01/2013 17/02/2013 NF S/BOLETO
26 F.PINHEIRO COMERCIO DE MAT PARA CONSTRUÇÃO LTDA MATERIAL P/ CHAPISCO E CONTRA-PISO DO PREDIO 94.871 2.390,00 18/01/2013 14/02/2013 NF C/BOLETO
27 LOCADORA COMERCIAL PORTO SEGURO LTDA LOCAÇÃO 2° BETONEIRA 400L REF.PERIODO 21/01/2013 A 19/02/2013 21.285 165,00 08/01/2013 05/02/2013 FATURA S/BOLETO
28 EMPREITEIRA CONCIDI LTDA MÃO DE OBRA CIVIL 6°MEDIÇÃO RECIBO 103.102,15 21/01/2013 23/01/2013
DADOS BANC. DEPÓSITO NO RECIBO - c.c. Rafael Constantino
(filho do Alemão) + PLANILHA MED.
29
30
ASSINATURA ENGº RESPONSÁVEL
TOTAL 161.173,59
ASS. RESPONSÁVEL - RECEBIMENTO (favor devolver uma via assinada para a obra)
ACUMULADO 161.173,59
CONTRATO DE SUBEMPREITADA
Pelo presente instrumento particular e na melhor forma de direito as partes:
Contratante: DMO ENGENHARIA E INCORPORAÇÕES LTDA.
Endereço: Av. Brigadeiro Faria Lima, 1800 - Piso P
Bairro: Jardim Paulistano CEP: 01451-001
Cidade: São Paulo U.F. São Paulo
CNPJ/MF 09.422.144 /0001-00 I.E. Isenta
pessoa jurídica de direito privado, doravante denominada simplesmente “CONTRATANTE”;
Interveniente Pagadora: VOSSOROCA DO BRASIL PROJETOS IMOBILIÁRIOS LTDA.
Endereço: Av. das Nações Unidas, 12.901 - Torre Norte - 6º andar
Bairro: Brooklin CEP: 04578-910
Cidade: São Paulo U.F.: São Paulo
CNPJ/MF 09.378.559/0001-24 I.E. : Isenta
pessoa jurídica de direito privado, doravante denominada simplesmente “INTERVENIENTE PAGADORA",
Interveniente Gerenciadora: HINES DO BRASIL EMPREENDIMENTOS LTDA.
Endereço: Av. das Nações Unidas, 12.901 - Torre Norte - 6º andar
Bairro: Brooklin CEP: 04578-910
Cidade: São Paulo U.F.: São Paulo
CNPJ/MF 02.541.350/0001-90 I.E. : Isenta
pessoa jurídica de direito privado, doravante denominada simplesmente “INTERVENIENTE
GERENCIADORA",
Contratado: ALMEIDA TOLEDO ENGENHARIA E CONSTRUTORA LTDA - EPP
Endereço: AV. SALVADOR MILEGO, 362A
Bairro: JARDIM VERA CRUZ II CEP: 18050-010
Cidade: SOROCABA U.F.: SP
CNPJ/MF 07.853.253/0001-57 I.E. : 669.601.310.110
pessoa jurídica de direito privado, doravante denominada simplesmente “CONTRATADO",
Considerando que:
(i) A CONTRATANTE pretende contratar terceiros prestadores de serviços de
fornecimento de mão de obra, materiais e equipamentos, denominados
simplesmente "SERVIÇO", visando a implantação do empreendimento.
Empreendimento: CONDOMÍNIO VISTA GARDEN
Endereço: RUA PROFESSOR ANTONIO RODRIGUES CLARO SOBRINHO, 200
Bairro: JARDIM SÃO CARLOS CEP: 18046-340
Cidade: SOROCABA U.F.: SÃO PAULO
C.E.I.: 51.204.32077/77
pessoa jurídica de direito privado, doravante denominada simplesmente “EMPREENDIMENTO".
(ii) A CONTRATADA presta os SERVIÇOS descritos no considerando (i) acima;
CONTRATANTE e CONTRATADA, doravante referidas em conjunto
simplesmente como “PARTES” resolvem, neste ato, de comum acordo, celebrar
o presente Contrato de Subempreitada (o “CONTRATO”), que será regido e
interpretado em conformidade com as seguintes cláusulas e condições, a que
se obrigam por si, seus herdeiros e sucessores a qualquer título, a saber:
1. OBJETO
1.1. Constitui o objeto do presente CONTRATO a prestação de serviços pela
CONTRATADA à CONTRATANTE, em regime de subempreitada global, a preço
fixo, de fornecimento de materiais, equipamentos, ferramentas e mão de obra
registrada, de acordo com as necessidades em termos de quantidade e
qualidade funcional, visando a integrar parte do empreendimento descrito no
item “i” dos considerandos, cuja edificação está a cargo da CONTRATANTE,
para a consecução das seguintes atividades, doravante designadas,
“SERVIÇOS”:
a) Fornecimento de:
0% Materiais
30% Equipamentos
TOTAL
DO
CONTR
ATO Mão de Obra
conforme especificado em planilha orçamentária, que passará a fazer parte
integrante do presente como ANEXO 01;
1.2. Os "SERVIÇOS" de que trata o presente "CONTRATO" deverão ser executados
conforme as especificações nele descritas, bem como as descritas no projeto
específico, no Cronograma de Serviços da Obra, este registrado em ATA
QUINZENAL, e/ou em Diário de obra, e, quando aplicável, no Procedimento de
Execução de Serviços (PES), que passará a fazer parte integrante do presente
como ANEXO 2, também registrado em Ata de Treinamento, quando aplicável.
2. PREÇO E FORMA DE PAGAMENTO
2.1. PREÇO
O preço global fechado para a subempreitada ora contratada é de:
R$ 270.619,72
DUZENTOS E SETENTA MIL, SEISCENTOS E DEZENOVE REAIS E
SETENTA E DOIS CENTAVOS.
sendo este valor dividodo da seginte forma:
70% ou seja R$ 189.433,80 referente a materiais.
0% ou seja R$ - referente a equipamentos.
30% ou seja R$ 81.185,92 referente a mão de obra.
a serem pagos pela CONTRATANTE à CONTRATADA da seguinte forma:
2.1.1. O valor correspondente a Materiais, deverá ser pago pela CONTRATANTE à
CONTRATADA conforme ANEXO 1.
2.1.2. O valor correspondente a Equipamentos, deverá ser pago pela CONTRATANTE
à CONTRATADA conforme ANEXO 1.
2.1.3. O valor correspondente a Mão de Obra, deverá ser pago pela CONTRATANTE à
CONTRATADA conforme as medições quinzenais, feitas pelo Gerente de Obras,
que determinará expressamente a liberação dos serviços efetivamente
executados.
Os valores referidos na cláusula 2.1.1., 2.1.2 e 2.1.3., acima deverão ser
respeitados para a composição das MEDIÇÕES dos SERVIÇOS executados,
conforme definido na cláusula 2.2. abaixo.
2.1.4. No que se refere ao preço total dos mateiriais e equipamentos descritos nas
cláusulas, 2.1.1. e 2.1.2. acima, tendo em vista a realização de pagamento
antecipado pela CONTRATANTE, deverá a CONTRATADA emitir uma Carta de Fiel
Depositário, que deverá ser devidamente assinada e com reconhecimento de
firma.
2.1.5. O equivalente a 95% (noventa e cinco por cento) do preço referente aos
SERVIÇOS será pago em parcelas, cujos valores e datas de
pagamento
encontram-se descritos no Cronograma de Serviços anexo ao
presente
CONTRATO, ficando desde já certo e ajustado entre as
PARTES que o
pagamento fica condicionado à execução efetiva dos SERVIÇOS,
que serão
auferidos por meio de “MEDIÇÕES”.
2.1.6.
O equivalente a 5% (cinco por cento) do preço referente a MÃO
DE OBRA
contratada, será retido pela CONTRATANTE a título de garantia dos
SERVIÇOS
executados a cada MEDIÇÃO, tornando-se devido após o
atendimento
cumulativodas seguintes condições:
a)
Os SERVIÇOS objeto deste contrato terem sido integralmente
concluídos e
aceitos pelo Gerente de Obra, respeitando-se os critérios dos
procedimentos e
FVS (Fichas de Verificaçãode Serviços).
b)
Tenham decorrido 60 (sessenta) dias da aceitaçãodos SERVIÇOS,
sem que
tenham sido constatadas quaisquer imperfeições nos mesmos;
c)
Tenham sido apresentados os documentos descritos no item
2.3. e seus
subitens.
2.1.7.
Verificado o atendimento destas condições, a CONTRATANTE
comunicará à
CONTRATADA sobre a disponibilidadedo pagamento.
2.1.8.
Sem prejuízo da obrigação da CONTRATADA, de realizartodos os
reparos que
se façam necessários para a perfeita execução dos SERVIÇOS,
caso a
CONTRATADA se recuse a proceder aos reparos apontados pela
CONTRATANTE,
o valor retido poderá, eventualmente, ser utilizado pela
CONTRATANTE para o
custeio total ou parcial destes reparos.
2.1.9.
Após a comunicaçãode que trata o item 2.1.7. acima, deverá a
CONTRATADA
emitir documento de cobrança do valor total ou parcial
colocado à sua
disposição e relativo à última parcela do preço, no qual
deverão ser
registrados os seguintes elementos:
a) Valor original da últimaparcela do preço;
b) Todos os dados mencionados na cláusula 2.3.;
c)
Cálculo do valor da atualizaçãomonetáriada citada parcela para fins
do seu
pagamento, se aplicável;
d)
Dedução dos valores relativos a eventuais penalidades
aplicadas à
CONTRATADA na forma deste CONTRATO, quando houver;
e)
Dedução dos valores gastos pela CONTRATANTE para reparo ou
conclusão dos
serviços objeto deste CONTRATO, quando houver;
2.1.10.
Decorridos 90 (noventa) dias da data do recebimento da
aludida
comunicaçãosem que a CONTRATADA tenha se interessado em
receber o valor
colocado à sua disposição, poderá a CONTRATANTE considerar como
quitada
a parcela de garantiae terminadoo CONTRATO.
2.2. MEDIÇÕES
2.2.1.
As MEDIÇÕES serão realizadas conjuntamente pelo Gerente de
Obra e pelo
representante da CONTRATADA (conformeindicado na cláusula
7.1.), sempre
nos dias 15 (quinze) e 30 (trinta)de cada mês, ocorrendo a primeira
no prazo
mínimo de 10 (dez) dias úteis da data de início da execução dos
SERVIÇOS.
2.2.1.1
A aceitação de cada MEDIÇÃO ocorrerá com a assinatura de
documento
descrevendo a MEDIÇÃO pelo Gerente de Obra. A MEDIÇÃO
igual teor e forma, na presença das 2 (duas) testemunhas.
São Paulo,29 agosto, 2011
DMO ENGENHARIA E INCORPORAÇÕES LTDA.
Contratante:
VOSSOROCA DO BRASIL PROJETOS IMOBILIÁRIOS LTDA.
Interveniente Pagadora:
HINES DO BRASIL EMPREENDIMENTOS LTDA.
Interveniente Gerenciadora:
ALMEIDA TOLEDO ENGENHARIA E CONSTRUTORA LTDA - EPP
Contratado:
Testemunha
Nome:
R.G.:
C.P.F.:
Testemunha
Nome:
R.G.:
C.P.F.:
Página 01 Página 02
Página 03
Página 13
MODELO DE CONTRATO DE
SUBEMPREITADA:
ESTRUTURA OPERACIONAL DA OBRA:
O R G A N O G R A M A D A S O B R A S
14/02/2014
DIRETOR CONSTRUÇÕES
sugestão: Júlio Serrão
DEPARTAMENTO
SEGURANÇA TRABALHO
/ TST
GERENTE DE
OBRAS
DEPARTAMENTO
ASSIST. TÉCNICA / PÓS-
OBRA
ENGENHEIRO
RESIDENTE
TÉCNICO SEG.
TRABALHO
ESTAGIÁRIOS ADMINISTRATIVO
MESTRE OBRAS
ALMOXARIFE
ENCARREGADOS
EMPREITEIROS MDO MDO PRÓPRIA
GESTÃO nas OBRAS E DESENVOLVIMENTO PROFISSIONALi
Descentralização: “O objetivo da delegação de poderes é ter colaboradores mais motivados e envolvidos nas decisões da empresa. Ao
sentirem que possuem mais responsabilidades, procuram soluções e tornam-se mais criativos porque sentem que estão contribuindo para o
rumo da empresa, e que pertencem de fato à organização. A autoconfiança, cooperação e pro-atividade também são estimuladas”.
“A organização deve delegar poderes e não concentrá-los” JC (15/03/14)
FILOSOFIA DO GERENCIAMENTO:
As funções do Gestor são em princípio, fixar as metas à
alcançar através do Planejamento; Analisar, Conhecer e
Solucionar os problemas; Organizar os recursos financeiros e
tecnológicos, ser um Comunicador, um Líder, ao dirigir e
motivar as pessoas, tomar decisões precisas e avaliar, controlar
todo o conjunto.
 AS OBRAS DEVEM SER ADMINISTRADAS COMO UMA
SUBEMPRESA DA ORGANIZAÇÃO (uma espécie de filial).
DEVEM SER GERIDAS COMO SENDO PARTE INTEGRANTE
DE TODO O CONJUNTO E COM UMA DEPENDÊNCIA
MÚTUA (administração central <–> obras).
 AUTONÔMIA AOS ENGENHEIROS NA GESTÃO DE SUAS
OBRAS (Ex.: Definir a sequência e prioridades dos serviços;
escolha e substituição da equipe de obra; participar da
definição dos sistemas construtivos; participação na
contratação de empreiteiros, equipamentos e Serviços
Técnicos).
 POSTURA DOS ENGENHEIROS:
 CONHECIMENTO e LIDERANÇA “COMPARTILHADA”
(INSTRUIR E DELEGAR TAREFAS);
 PRÓ-ATIVIDADE (ANTECIPAR-SE AOS PROBLEMAS);
 BUSCAR SOLUÇÕES E MELHORIAS (SER CRIATIVO);
 COMUNICADOR (BOM RELACIONAMENTO INTERPESSOAL).
QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL:
“...é a preparação para aprimorar suas habilidades, e
especializar-se em determinadas áreas para executar da melhor
forma suas atribuições.”
 SUGESTÕES:
 PROMOVER EVENTOS, PALESTRAS, CURSOS E
TREINAMENTOS PARA OS COLABORADORES
(estimulo a novas ideias, capacitação profissional e
autodesenvolvimento contínuo).
=
“mais produtividade, mais comprometimento e mais
rentabilidade dos negócios”
MACRO-FLUXO
FINALIZAÇÃO
Encerrar esta Fase do PRO
CONTROLE
Controlar e Monitorar todos os setores
envolvidos com o PRO. Gerente do Projeto
ou PMO (escritório de Gestão de Projetos
terceirizado)
FINANCEIRO
Envolve as obras
diretamente aos setores:
Planejamento, Projetos
Executivos e Qualidade.
Atualizar os orçamentos das
obras; Atualizar os
Cronogramas das obras
(Físico e Financeiro); Plano
de Ação para Reativar as
obras com Metas mensais;
Restrutrar Organograma da
obra (Estrutura
operacional); Gestão de
cada obra apresentar
Cronograma de
Contratações; Reimplantar
Sistema de Gestão da
Qualidade; Contratar
Projetistas segundo Novos
parametros de trabalho
(Novos Contratos); Gestão
de cada obra apresentar
Previsões Financeiras
(Trimestrais); Gestão de
cada obra Contratar novos
empreiteiros (mdo
terceirizada); Juntamente
com setor jurídico,
Desenvolver Novo Modelo
de Contrato de Prestação de
Renegociar ou Cancelar
Permutas de Materiais e
Serviços; Recadastrar
somente Fornecedores
"Qualificados"; Corrigir
Banco de Dados (Insumos)
do Sistema Integrado;
Reativar cotações e compras
solicitadas pelas obras (de
acordo com novas Normas -
Cronograma de Contratações)
Auditar as finanças;
Negociar com os Credores;
Controlar Fluxo de Caixa da
empresa (Entradas e Saídas
com Previsões Trimestrais
passadas pelas obras) ;
Disponibilizar Recursos
Financeiros (financiamento
bancário) para Reativar as
obras e liquidar dívidas.
COMERCIAL
Fazer a intermediação com
os proprietários
(possibilidade do Distrato
Contratual), após passar as
Novas Datas de Entrega das
obras
Gerenciar a Comunicação
entre os envolvidos do PRO.
Gerente do Projeto ou PMO
(escritório de Gestão de
Projetos terceirizado)
INTEGRAÇÃO
Gerenciar e Orientar o trabalho do
Projeto de Restruturação da
Organização (PRO) Gerente do
Projeto ou PMO (escritório de
Gestão de Projetos terceirizado)
RECURSOS HUMANOS
Contratar e mobilizar equipe do Projeto
de Restruturação da Organização (PRO)
Demissões funcionários descalificados.
Contratar Segurança do Trabalho, T.I. e
A.T. Restruturar todos os departamentos
Desenvolver o Plano de
gerenciamento do Projeto de
Restruturação da Organização
(abreviado: PRO)
EXECUÇÃO
ENGENHARIA COMPRAS
COMUNICAÇÕES
PLANEJAMENTO
RISCOS
Planejar, prever identificar
possíveis Riscos que
possam comprometer ou
prejudicar a Restruturação
da Organização e planejar
respostas
CONTRATAÇÃO
Planejar e definir aquisições
para Restruturação da
Organização. Ex: sistemas de
controle de gestão on line,
programas de softwares
específicos, contratação de
empresas terceirizadas,...
QUALIDADE
Planejar o gerenciamento
da Qualidade da
Restruturação da
Organização
COMUNICAÇÕES
Planejar o gerenciamento
das Comunicações da
Restruturação da
Organização. Definir as
ferramentas de interação
entre os envolvidos
INTEGRAÇÃO
INICIAÇÃO
INTEGRAÇÃO
tema: criação do Projeto de
Restruturação da
Organização (Abreviado:
PRO )
RECURSOS HUMANOS
Definir os StakeHolders
(partes interessadas) no
PRO
RECURSOS HUMANOS
Planejar e definir
atribuições e
responsabilidades da
equipe da Restruturação da
Organização
ESCOPO
Planejamento do
gerenciamento e definição
da Restruturação da
Organização
CUSTO
Planejar e estimar um Custo
/ Orçamento da
Restruturação da
Organização
TEMPO
Planejar e definir
cronograma da
Restruturação da
Organização. Definir as
atividades e suas
sequências
NOVOMODELODEGESTÃOxGESTÃOESTAGNADA PLANEJAR X IMPROVISAR
INOVAR X ESTAGNAR
INFORMAR X DESINFORMAR
QUALIFICAÇÃO
PROFISSIONAL
X
DESQUALIFICAÇÃO
PROFISSIONAL
AUTO-ESTIMA
PROFISSIONAL
X
BAIXA AUTO-ESTIMA
PROFISSIONAL
PRODUTIVIDADE X IMPRODUTIVIDADE
CONTROLE X DESCONTROLE
QUALIDADE X DEFICIÊNCIA
ECONOMIA X DESPERDÍCIO
COMPROMETIMENTO X DESCOMPROMETIMENTO
ORGANIZADA X DESORGANIZADA
LUCRO X PREJUÍZO
FRASES DE FAMOSOS:
FRASES MOTIVACIONAIS:
Plano de gerenciamento projetos e obras júlio cesar serrão maio-14

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fluxo de Processos do Guia PMBOK® – 6ª Edição (Versão simplificada)
Fluxo de Processos do Guia PMBOK® – 6ª Edição (Versão simplificada)Fluxo de Processos do Guia PMBOK® – 6ª Edição (Versão simplificada)
Fluxo de Processos do Guia PMBOK® – 6ª Edição (Versão simplificada)Ricardo Viana Vargas
 
Projeto de Construção de Casa
Projeto de Construção de CasaProjeto de Construção de Casa
Projeto de Construção de CasaMarco Coghi
 
Planejamento e controle da produção na construção
Planejamento e controle da produção na construçãoPlanejamento e controle da produção na construção
Planejamento e controle da produção na construçãoRicardo Mendes Jr
 
5.aula instalações prediais de gás
5.aula instalações prediais de gás5.aula instalações prediais de gás
5.aula instalações prediais de gásLucia Mendes
 
28 planta baixa e corte- passo a passo
28 planta baixa e corte- passo a passo28 planta baixa e corte- passo a passo
28 planta baixa e corte- passo a passoFamília Schmidt
 
Metodologia de aia ibama
Metodologia de aia ibamaMetodologia de aia ibama
Metodologia de aia ibamaCarina Haddad
 
Gerenciamento de projetos, MPS.BR e qualidade em software
Gerenciamento de projetos, MPS.BR e qualidade em softwareGerenciamento de projetos, MPS.BR e qualidade em software
Gerenciamento de projetos, MPS.BR e qualidade em softwareelliando dias
 
Metodologia Executiva das estacas pré moldadas de Concreto
Metodologia Executiva das estacas pré moldadas de ConcretoMetodologia Executiva das estacas pré moldadas de Concreto
Metodologia Executiva das estacas pré moldadas de ConcretoEdgar Pereira Filho
 
Gestão de Projetos na Construção Civil
Gestão de Projetos na Construção CivilGestão de Projetos na Construção Civil
Gestão de Projetos na Construção CivilFabricio Henrique
 
Unidade 3 Projeto de terraplenagem
Unidade 3   Projeto de terraplenagemUnidade 3   Projeto de terraplenagem
Unidade 3 Projeto de terraplenagemAlexandre Esmeraldo
 
Topografia unidade 2 planimetria
Topografia unidade 2 planimetriaTopografia unidade 2 planimetria
Topografia unidade 2 planimetriavanilsonsertao01
 
Índice de Suporte Califórnia -CBR
Índice de Suporte Califórnia -CBRÍndice de Suporte Califórnia -CBR
Índice de Suporte Califórnia -CBROzi Carvalho
 
Projeto Casa Nova
Projeto Casa NovaProjeto Casa Nova
Projeto Casa NovaMarco Coghi
 

Mais procurados (20)

Gestão de Obras
Gestão de ObrasGestão de Obras
Gestão de Obras
 
Fluxo de Processos do Guia PMBOK® – 6ª Edição (Versão simplificada)
Fluxo de Processos do Guia PMBOK® – 6ª Edição (Versão simplificada)Fluxo de Processos do Guia PMBOK® – 6ª Edição (Versão simplificada)
Fluxo de Processos do Guia PMBOK® – 6ª Edição (Versão simplificada)
 
Projeto de Construção de Casa
Projeto de Construção de CasaProjeto de Construção de Casa
Projeto de Construção de Casa
 
Planejamento e controle da produção na construção
Planejamento e controle da produção na construçãoPlanejamento e controle da produção na construção
Planejamento e controle da produção na construção
 
5.aula instalações prediais de gás
5.aula instalações prediais de gás5.aula instalações prediais de gás
5.aula instalações prediais de gás
 
28 planta baixa e corte- passo a passo
28 planta baixa e corte- passo a passo28 planta baixa e corte- passo a passo
28 planta baixa e corte- passo a passo
 
Metodologia de aia ibama
Metodologia de aia ibamaMetodologia de aia ibama
Metodologia de aia ibama
 
Gerenciamento de projetos, MPS.BR e qualidade em software
Gerenciamento de projetos, MPS.BR e qualidade em softwareGerenciamento de projetos, MPS.BR e qualidade em software
Gerenciamento de projetos, MPS.BR e qualidade em software
 
Metodologia Executiva das estacas pré moldadas de Concreto
Metodologia Executiva das estacas pré moldadas de ConcretoMetodologia Executiva das estacas pré moldadas de Concreto
Metodologia Executiva das estacas pré moldadas de Concreto
 
Nbr 13133
Nbr 13133Nbr 13133
Nbr 13133
 
Gestão de Projetos na Construção Civil
Gestão de Projetos na Construção CivilGestão de Projetos na Construção Civil
Gestão de Projetos na Construção Civil
 
Unidade 3 Projeto de terraplenagem
Unidade 3   Projeto de terraplenagemUnidade 3   Projeto de terraplenagem
Unidade 3 Projeto de terraplenagem
 
Planejamento de obra aula 01 e 02
Planejamento de obra   aula 01 e 02Planejamento de obra   aula 01 e 02
Planejamento de obra aula 01 e 02
 
Aula 05 Planejamento e Controle de Obras
Aula 05 Planejamento e Controle de ObrasAula 05 Planejamento e Controle de Obras
Aula 05 Planejamento e Controle de Obras
 
Topografia unidade 2 planimetria
Topografia unidade 2 planimetriaTopografia unidade 2 planimetria
Topografia unidade 2 planimetria
 
Índice de Suporte Califórnia -CBR
Índice de Suporte Califórnia -CBRÍndice de Suporte Califórnia -CBR
Índice de Suporte Califórnia -CBR
 
Sodramar Manual Cascatas
Sodramar Manual CascatasSodramar Manual Cascatas
Sodramar Manual Cascatas
 
Projeto Casa Nova
Projeto Casa NovaProjeto Casa Nova
Projeto Casa Nova
 
Analise de Valor Agregado - EVA
Analise de Valor Agregado - EVAAnalise de Valor Agregado - EVA
Analise de Valor Agregado - EVA
 
Est 01
Est   01Est   01
Est 01
 

Destaque

PORTIFÓLIO_ PROJ VERTICAL
PORTIFÓLIO_ PROJ VERTICALPORTIFÓLIO_ PROJ VERTICAL
PORTIFÓLIO_ PROJ VERTICALLuciano Fonseca
 
Gerenciamento de Obras e Projetos
Gerenciamento de Obras e ProjetosGerenciamento de Obras e Projetos
Gerenciamento de Obras e Projetosfarmacoterapiacpg
 
Orçamento, planejamento e controle de obras
Orçamento, planejamento e controle de obrasOrçamento, planejamento e controle de obras
Orçamento, planejamento e controle de obrasAndrea Chociay
 
Exemplodeplanodegerenciamentodeprojeto 100726151218-phpapp02
Exemplodeplanodegerenciamentodeprojeto 100726151218-phpapp02Exemplodeplanodegerenciamentodeprojeto 100726151218-phpapp02
Exemplodeplanodegerenciamentodeprojeto 100726151218-phpapp02Evandro Madeira
 
Nocoesdeorcamentoeplanejamentodeobras
NocoesdeorcamentoeplanejamentodeobrasNocoesdeorcamentoeplanejamentodeobras
NocoesdeorcamentoeplanejamentodeobrasLucas Araújo
 
Macrosolutions Consultoria: Elaboração do Plano de Carreiras em Gerenciamento...
Macrosolutions Consultoria: Elaboração do Plano de Carreiras em Gerenciamento...Macrosolutions Consultoria: Elaboração do Plano de Carreiras em Gerenciamento...
Macrosolutions Consultoria: Elaboração do Plano de Carreiras em Gerenciamento...Macrosolutions SA
 
Plano gerenciamento de projeto
Plano gerenciamento de projetoPlano gerenciamento de projeto
Plano gerenciamento de projetoMarjorie
 
Termo+de+abertura+do+projeto[1]
Termo+de+abertura+do+projeto[1]Termo+de+abertura+do+projeto[1]
Termo+de+abertura+do+projeto[1]mateixeira1983
 
Termo de abertura do projeto - beauty
Termo de abertura do projeto - beautyTermo de abertura do projeto - beauty
Termo de abertura do projeto - beautyMLGV
 
TCC Planejamento e controle de obras verticais
TCC Planejamento e controle de obras verticaisTCC Planejamento e controle de obras verticais
TCC Planejamento e controle de obras verticaisGéssica Bueno
 
Aula03 - Termo de Abertura de Projeto
Aula03 - Termo de Abertura de ProjetoAula03 - Termo de Abertura de Projeto
Aula03 - Termo de Abertura de ProjetoDaniela Brauner
 
Noções de Orçamento e Planejamento de Obras
Noções de Orçamento e Planejamento de ObrasNoções de Orçamento e Planejamento de Obras
Noções de Orçamento e Planejamento de ObrasGéssica Bueno
 

Destaque (20)

PORTIFÓLIO_ PROJ VERTICAL
PORTIFÓLIO_ PROJ VERTICALPORTIFÓLIO_ PROJ VERTICAL
PORTIFÓLIO_ PROJ VERTICAL
 
Gerenciamento de Obras e Projetos
Gerenciamento de Obras e ProjetosGerenciamento de Obras e Projetos
Gerenciamento de Obras e Projetos
 
Orçamento, planejamento e controle de obras
Orçamento, planejamento e controle de obrasOrçamento, planejamento e controle de obras
Orçamento, planejamento e controle de obras
 
Exemplodeplanodegerenciamentodeprojeto 100726151218-phpapp02
Exemplodeplanodegerenciamentodeprojeto 100726151218-phpapp02Exemplodeplanodegerenciamentodeprojeto 100726151218-phpapp02
Exemplodeplanodegerenciamentodeprojeto 100726151218-phpapp02
 
PORTIFÓLIO_01
PORTIFÓLIO_01PORTIFÓLIO_01
PORTIFÓLIO_01
 
Nocoesdeorcamentoeplanejamentodeobras
NocoesdeorcamentoeplanejamentodeobrasNocoesdeorcamentoeplanejamentodeobras
Nocoesdeorcamentoeplanejamentodeobras
 
Declaracao de escopo de um projecto
Declaracao de escopo de um projectoDeclaracao de escopo de um projecto
Declaracao de escopo de um projecto
 
Guia rápido em Gestão de Projetos
Guia rápido em Gestão de ProjetosGuia rápido em Gestão de Projetos
Guia rápido em Gestão de Projetos
 
Macrosolutions Consultoria: Elaboração do Plano de Carreiras em Gerenciamento...
Macrosolutions Consultoria: Elaboração do Plano de Carreiras em Gerenciamento...Macrosolutions Consultoria: Elaboração do Plano de Carreiras em Gerenciamento...
Macrosolutions Consultoria: Elaboração do Plano de Carreiras em Gerenciamento...
 
TCE - O papel do gerenciamento nas obras públicas, por Salles.
TCE - O papel do gerenciamento nas obras públicas, por Salles. TCE - O papel do gerenciamento nas obras públicas, por Salles.
TCE - O papel do gerenciamento nas obras públicas, por Salles.
 
Termo de abertura do programa MPSC no enfrentamento da corrupção
Termo de abertura do programa MPSC no enfrentamento da corrupçãoTermo de abertura do programa MPSC no enfrentamento da corrupção
Termo de abertura do programa MPSC no enfrentamento da corrupção
 
Termo de abertura do programa penas e medidas alternativas
Termo de abertura do programa penas e medidas alternativasTermo de abertura do programa penas e medidas alternativas
Termo de abertura do programa penas e medidas alternativas
 
O papel do gerenciamento na obras públicas: um meio de evitar corrupção e des...
O papel do gerenciamento na obras públicas: um meio de evitar corrupção e des...O papel do gerenciamento na obras públicas: um meio de evitar corrupção e des...
O papel do gerenciamento na obras públicas: um meio de evitar corrupção e des...
 
Plano gerenciamento de projeto
Plano gerenciamento de projetoPlano gerenciamento de projeto
Plano gerenciamento de projeto
 
Termo+de+abertura+do+projeto[1]
Termo+de+abertura+do+projeto[1]Termo+de+abertura+do+projeto[1]
Termo+de+abertura+do+projeto[1]
 
Termo de abertura do projeto - beauty
Termo de abertura do projeto - beautyTermo de abertura do projeto - beauty
Termo de abertura do projeto - beauty
 
TCC Planejamento e controle de obras verticais
TCC Planejamento e controle de obras verticaisTCC Planejamento e controle de obras verticais
TCC Planejamento e controle de obras verticais
 
Aula03 - Termo de Abertura de Projeto
Aula03 - Termo de Abertura de ProjetoAula03 - Termo de Abertura de Projeto
Aula03 - Termo de Abertura de Projeto
 
Noções de Orçamento e Planejamento de Obras
Noções de Orçamento e Planejamento de ObrasNoções de Orçamento e Planejamento de Obras
Noções de Orçamento e Planejamento de Obras
 
Planejamento De Projetos
Planejamento De ProjetosPlanejamento De Projetos
Planejamento De Projetos
 

Semelhante a Plano de gerenciamento projetos e obras júlio cesar serrão maio-14

FWAE Avaliação U4 - Mario Augusto T Souza - v0
FWAE Avaliação U4 - Mario Augusto T Souza - v0FWAE Avaliação U4 - Mario Augusto T Souza - v0
FWAE Avaliação U4 - Mario Augusto T Souza - v0matsouza60
 
Msb consult in company
Msb consult in companyMsb consult in company
Msb consult in companyMSB Consult
 
Gerenciamento de integração de projetos
Gerenciamento de integração de projetosGerenciamento de integração de projetos
Gerenciamento de integração de projetosJúnior Rodrigues
 
E-book - Gestão de Projetos.pdf
E-book - Gestão de Projetos.pdfE-book - Gestão de Projetos.pdf
E-book - Gestão de Projetos.pdfLuisAlexandreBerto1
 
Gestão e gerência de projetos 2010
Gestão e gerência de projetos   2010Gestão e gerência de projetos   2010
Gestão e gerência de projetos 2010Gilda Almeida Sandes
 
Gestão e gerência de projetos 2010
Gestão e gerência de projetos   2010Gestão e gerência de projetos   2010
Gestão e gerência de projetos 2010Gilda Almeida Sandes
 
Elaboração de projetos minicurso
Elaboração de projetos   minicursoElaboração de projetos   minicurso
Elaboração de projetos minicursoDenise Nascimento
 
A Gerencia Intuitiva
A Gerencia IntuitivaA Gerencia Intuitiva
A Gerencia IntuitivaAbraao Dahis
 
A Gerencia Intuitiva
A Gerencia IntuitivaA Gerencia Intuitiva
A Gerencia Intuitivaguest576a1e
 
A importância de gerenciar projetos
A importância de gerenciar projetosA importância de gerenciar projetos
A importância de gerenciar projetosAmauri Damasceno
 
O que é gerenciamento de projetos
O que é gerenciamento de projetosO que é gerenciamento de projetos
O que é gerenciamento de projetosSidia Samsung
 
TCC - Pós Graduação - Gerencia de Projetos - PMI
TCC - Pós Graduação - Gerencia de Projetos - PMITCC - Pós Graduação - Gerencia de Projetos - PMI
TCC - Pós Graduação - Gerencia de Projetos - PMIEduardo Paiossin
 
Palestra Gerenciamento de Projetos sempre agrega, seja qual for o seu negócio
Palestra Gerenciamento de Projetos sempre agrega, seja qual for o seu negócioPalestra Gerenciamento de Projetos sempre agrega, seja qual for o seu negócio
Palestra Gerenciamento de Projetos sempre agrega, seja qual for o seu negócioCRA - MG
 

Semelhante a Plano de gerenciamento projetos e obras júlio cesar serrão maio-14 (20)

FWAE Avaliação U4 - Mario Augusto T Souza - v0
FWAE Avaliação U4 - Mario Augusto T Souza - v0FWAE Avaliação U4 - Mario Augusto T Souza - v0
FWAE Avaliação U4 - Mario Augusto T Souza - v0
 
Gestão de projetos
Gestão de projetosGestão de projetos
Gestão de projetos
 
Msb consult in company
Msb consult in companyMsb consult in company
Msb consult in company
 
Gerenciamento de integração de projetos
Gerenciamento de integração de projetosGerenciamento de integração de projetos
Gerenciamento de integração de projetos
 
Aula 5 semana
Aula 5 semanaAula 5 semana
Aula 5 semana
 
E-book - Gestão de Projetos.pdf
E-book - Gestão de Projetos.pdfE-book - Gestão de Projetos.pdf
E-book - Gestão de Projetos.pdf
 
Gestão e gerência de projetos 2010
Gestão e gerência de projetos   2010Gestão e gerência de projetos   2010
Gestão e gerência de projetos 2010
 
Gestão de Projectos
Gestão de ProjectosGestão de Projectos
Gestão de Projectos
 
Gestão e gerência de projetos 2010
Gestão e gerência de projetos   2010Gestão e gerência de projetos   2010
Gestão e gerência de projetos 2010
 
Artigo oquegp
Artigo oquegpArtigo oquegp
Artigo oquegp
 
Elaboração de projetos minicurso
Elaboração de projetos   minicursoElaboração de projetos   minicurso
Elaboração de projetos minicurso
 
A Gerencia Intuitiva
A Gerencia IntuitivaA Gerencia Intuitiva
A Gerencia Intuitiva
 
A Gerencia Intuitiva
A Gerencia IntuitivaA Gerencia Intuitiva
A Gerencia Intuitiva
 
Artigo sobre práticas de gerenciamento de projetos
Artigo sobre práticas de gerenciamento de projetosArtigo sobre práticas de gerenciamento de projetos
Artigo sobre práticas de gerenciamento de projetos
 
Artigo gp
Artigo gpArtigo gp
Artigo gp
 
A importância de gerenciar projetos
A importância de gerenciar projetosA importância de gerenciar projetos
A importância de gerenciar projetos
 
Project Methodologies and Best Practices
Project Methodologies and Best PracticesProject Methodologies and Best Practices
Project Methodologies and Best Practices
 
O que é gerenciamento de projetos
O que é gerenciamento de projetosO que é gerenciamento de projetos
O que é gerenciamento de projetos
 
TCC - Pós Graduação - Gerencia de Projetos - PMI
TCC - Pós Graduação - Gerencia de Projetos - PMITCC - Pós Graduação - Gerencia de Projetos - PMI
TCC - Pós Graduação - Gerencia de Projetos - PMI
 
Palestra Gerenciamento de Projetos sempre agrega, seja qual for o seu negócio
Palestra Gerenciamento de Projetos sempre agrega, seja qual for o seu negócioPalestra Gerenciamento de Projetos sempre agrega, seja qual for o seu negócio
Palestra Gerenciamento de Projetos sempre agrega, seja qual for o seu negócio
 

Mais de Júlio Cesar Serrão de Araujo

Mais de Júlio Cesar Serrão de Araujo (20)

Não abra mão de seus valores
Não abra mão de seus valoresNão abra mão de seus valores
Não abra mão de seus valores
 
Otimista sempre
Otimista sempreOtimista sempre
Otimista sempre
 
Seja você a mudança
Seja você a mudançaSeja você a mudança
Seja você a mudança
 
Trate os outros como você quer que te tratem
Trate os outros como você quer que te tratemTrate os outros como você quer que te tratem
Trate os outros como você quer que te tratem
 
Ajudando ao próximo
Ajudando ao próximoAjudando ao próximo
Ajudando ao próximo
 
Sete perigos para virtude humana
Sete perigos para virtude humanaSete perigos para virtude humana
Sete perigos para virtude humana
 
Faça o que a maioria não faz
Faça o que a maioria não fazFaça o que a maioria não faz
Faça o que a maioria não faz
 
Afaste se das pessoas idiotas
Afaste se das pessoas idiotasAfaste se das pessoas idiotas
Afaste se das pessoas idiotas
 
Redobrada vontade
Redobrada vontadeRedobrada vontade
Redobrada vontade
 
Alma humana
Alma humanaAlma humana
Alma humana
 
Renovar sempre
Renovar sempreRenovar sempre
Renovar sempre
 
Quem pede recebe
Quem pede recebeQuem pede recebe
Quem pede recebe
 
Nunca fale derrota
Nunca fale derrotaNunca fale derrota
Nunca fale derrota
 
No tempo determinado
No tempo determinadoNo tempo determinado
No tempo determinado
 
Humanos mais humanos
Humanos mais humanosHumanos mais humanos
Humanos mais humanos
 
Vem das suas próprias ações
Vem das suas próprias açõesVem das suas próprias ações
Vem das suas próprias ações
 
Ter fé é acreditar
Ter fé é acreditarTer fé é acreditar
Ter fé é acreditar
 
Para que serve os obstáculos
Para que serve os obstáculosPara que serve os obstáculos
Para que serve os obstáculos
 
O sol sempre volta a brilhar
O sol sempre volta a brilharO sol sempre volta a brilhar
O sol sempre volta a brilhar
 
Nunca desistir
Nunca desistirNunca desistir
Nunca desistir
 

Plano de gerenciamento projetos e obras júlio cesar serrão maio-14

  • 1. PLANO DE GERENCIAMENTO (PROJETOS E OBRAS)
  • 2. SUMÁRIO:  APRESENTAÇÃO DO TEMA E AUTOR - página 01  INDÍCE GERAL - página 02  CONCEITOS INTRODUTÓRIOS - página 03 a 08  CONTROLE INTEGRADO DO GERENCIAMENTO DO PROJETO - página 09  GERENCIANDO O ESCOPO - página 10 a 21  GERENCIANDO O TEMPO - página 22 e 23  GERENCIANDO O CUSTO - página 24 a 27  GERENCIANDO A QUALIDADE E RISCOS - página 28 a 32  GERENCIANDO A COMUNICAÇÃO E INTEGRAÇÃO - página 33 a 39  GERENCIANDO A CONTRATAÇÃO E RH - página 40 a 47  PROJETO DE RESTRUTURAÇÃO DA ORGANIZAÇÃO (Macro Fluxo - EAP) - página 48  QUADRO COMPARATIVO ENTRE: NOVO MODELO DE GESTÃO x MODELO ESTAGNADO - página 49  FRASES - página 50 e 51  ENCERRAMENTO – página 52
  • 3. DEFINIÇÕES PRELIMINARES (segundo o guia PMI - Instituto de Gerenciamento de Projetos - “Project Management Institute”) 3 Gerenciamento de Projetos é a aplicação de Conhecimentos, Habilidades e Técnicas para a execução de projetos de forma Real e Eficiente. Trata-se de uma competência Estratégica para Organizações, permitindo com que elas unam os resultados dos projetos com os objetivos do negócio – e, assim, melhor competir em seus mercados. 3 Projeto é um conjunto de atividades temporárias (tem um início e um fim definidos); realizadas em grupo (indivíduos e organizações), destinadas a produzir um produto, serviço ou um Resultado Exclusivo (ex.: a construção de um edifício). 3 Gerente de Projeto é a pessoa designada pela organização para atingir os Objetivos do projeto. Ele é o responsável pela coordenação e Integração das atividades em várias linhas funcionais (estrutura da empresa) e gerenciar as Comunicações entre as partes interessadas. Realiza o acima descrito, gerenciando o Escopo do projeto, o Tempo, Custo e Qualidade. • QUAIS SÃO OS OBJETIVOS DO GERENCIAMENTO DE UM PROJETO?  DESENVOLVER O “PRODUTO/SERVIÇO” ESPERADO DENTRO DO PRAZO, CUSTO E NÍVEL DE QUALIDADE DESEJADOS. • QUAIS SÃO OS OBJETIVOS DA GESTÃO DE EXECUÇÃO DE UM EMPREENDIMENTO? 1) - CONCLUIR O EMPREENDIMENTO DENTRO DO PRAZO PREVISTO. 2) - CONCLUIR O EMPREENDIMENTO DENTRO DO CUSTO E ORÇAMENTO PREVISTO. 3) - SATISFAZER OS CLIENTES NAS SEGUINTES QUESTÕES: PREÇO, QUALIDADE , PRAZO E ATENDIMENTO. 4) – ATINGIR, FECHAR COM O RESULTADO FINANCEIRO, DENTRO OU ACIMA DO ESPERADO OU PREVISTO.
  • 4. OS ENVOLVIDOS NO PROJETO Definição: Chamados “Stakeholder” significa público estratégico. Em inglês Stake significa: interesse, participação, risco. Holder significa: aquele que possui. Portanto, stakeholder significa, parte interessada ou interveniente. Objetivo: Designar as pessoas e grupos mais importantes para um planejamento estratégico ou plano de negócios. (Pessoa ou um grupo, que oficializa as ações de uma organização e que tem um papel direto ou indireto na gestão e resultados dessa mesma organização. É formado pelos funcionários da empresa, gestores, gerentes, proprietários, fornecedores, clientes e diversas outras pessoas ou empresas que estejam relacionadas com um Projeto). Alta Gerência Patrocinador ex.: Diretor Técnico Organização Equipe do Projeto Gerente do Projeto Cliente pessoa com muito interesse pelo projeto, que irá garantir os recursos organizacionais para que seja executado, com disponibilidade, poder e influência suficiente para advogar em favor dos propósitos do projeto
  • 5. METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS (baseado no guia: PMBOK - 4ª edição) DEFINIÇÃO: Project Management Body of Knowledge - aborda os cinco processos do Ciclo de Vida da Gestão de Projetos - Iniciação, Planejamento, Execução, Controle, Finalização ; e ensina a gerir de forma coordenada as nove Áreas de Conhecimento da ciência da Gestão de Projetos - o Escopo, o Tempo, o Custo, a Qualidade, o Risco, a Comunicação, a Integração, a Contratação e o RH. (05) CICLOS DE VIDA PROCESSOS / AÇÕES INICIAÇÃO / CONCEPÇÃO PLANEJAMENTO EXECUÇÃO CONTROLE FINALIZAÇÃO (09)ÁREASDECONHECIMENTO DEVEMSERGERENCIADAS ESCOPO  Todo o trabalho a ser realizado para produzir o Projeto (como exemplo a Construção de um empreendimento). Objetivo, Âmbito, Campo de Ação, Alvo em que se almeja alcançar.  Garantir que o Projeto realize todo e somente o trabalho necessário para o seu Sucesso. TEMPO  Garantir que o Projeto termine no Prazo desejado. CUSTO  Garantir que o Projeto seja executado dentro do Orçamento aprovado. QUALIDADE e RISCOS  Garantir através da política e dos procedimentos de planejamento, garantia e controle da Qualidade, com atividades de melhoria contínua dos processos conduzidos do início ao fim, conforme adequado.  É o processo sistemático de identificar, analisar e responder aos Riscos do Projeto. Maximiza os eventos positivos e minimiza os eventos negativos (ex. controle: fazer CheckList – lista de verificações). COMUNICAÇÃO e INTEGRAÇÃO  Garantir a geração, coleta, distribuição, armazenamento, recuperação e destinação final das Informações sobre o Projeto de forma oportuna e adequada.  Garantir que todos os elementos dentro do Projeto estejam devidamente Coordenados e Integrados. CONTRATAÇÃO e RH  Gerência da Aquisição de Produtos e Serviços para que atendam as necessidades para a realização do escopo do Projeto.  Criação / Definição da Equipe do Projeto (StakeHolders), que é composta de pessoas com funções e responsabilidades atribuídas para o término do Projeto (devem estar envolvidos em parte do planejamento e da tomadas de decisões).
  • 6.
  • 7.
  • 8. MODELO “ILHA” RH ENGENHARIA COMERCIALCOMPRAS FINANCEIRO MODELO “OS TRÊS MOSQUETEIROS” GERENCIAMENTO / INTEGRAÇÃO / COMUNICAÇÃO / ENGENHARIA RH COMPRAS COMERCIAL FINANCEIRO “MODELOS DE GESTÕES ADVERSOS: "quando os membros de uma organização concentram-se apenas em sua função, eles NÃO se sentem responsáveis pelos Resultados" (Peter Senge) A VISÃO HOLÍSTCA de uma empresa equivale a se ter uma Imagem Única e Global. Portanto para e empresa o lucro deixa de ser o Objetivo, para se tornar uma Consequência de todo os processos da empresa; o RH deixa de ser custo e os Clientes deixam de ser Receitas, para se tornarem parte do TODO da empresa. A empresa ganha uma Nova Visão, valorizando todos os processos e departamentos, e tendo consciência que todos têm a sua importância e que todos compõem a empresa, que a empresa não é mera soma de departamentos e processos, mas que são eles a empresa. Traz a percepção da organização como uma série de processos e atividades interligadas. Uma empresa é um Processo que contém vários Subprocessos de fabricação e serviços. A Administração Holística tem como base que a empresa NÃO pode mais ser vista como um Conjunto de Departamentos (Departamentalização) que executam atividades Isoladas, mas SIM como em Conjunto Único, um Sistema Aberto em continua Interação. MUDANÇA ORGANIZACIONAL: As mudanças organizacionais, reestruturações, fusões, incorporações podem e devem ser considerados como PROJETOS para que os seus resultados possam ser avaliados à medida que são implementados e gerem bons frutos. O QUE NÃO É MEDIDO, NÃO PODE SER MELHORADO!!! Administrações Desorganizadas são fruto de Coletividades ociosas e indiferentes!
  • 9. CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES: a. Os temas enfatizados a seguir, tem como objetivo: agregar conhecimentos, sugestões e informações úteis no gerenciamento de projetos e obras. b. Serão estudados assuntos relacionados e vinculados à organização como um todo. c. Utilizamos como diretriz e método didático, as nove áreas de conhecimento que, de acordo com o apresentado na introdução, devem ser gerenciadas em um Projeto. CONTROLE INTEGRADO DO GERENCIAMENTO DE PROJETO
  • 10. Gerenciando o ESCOPOi A organização é, mais do que uma máquina, ela é mais do que econômica, definida pelos resultados alcançados pelo mercado. A organização é acima de tudo social. São pessoas. Seu propósito deve ser o de tornar eficazes os pontos fortes das pessoas e irrelevantes suas fraquezas. Na verdade, essa é a única coisa que a organização pode fazer – a única razão pela qual existe e precisamos dela. As organizações serão moldadas de formas cada vez mais diferentes – por propósitos, tipos de atividade e cultura. (Drucker, 1997) ESCOPOS da ORGANIZAÇÃO:  Idealizar, Projetar, Planejar, Comercializar, Construir e Entregar Empreendimentos Imobiliários (dentro do tempo, dentro do custo, com qualidade e com lucratividade para a organização) DEFINIÇÃO: Incorporadora é a Empresa responsável por administrar todo o processo de compra, construção e venda de imóveis (empreendimentos imobiliários). Além disso, é papel da Incorporadora contratar e supervisionar a execução da obra, que é feita pela Construtora, na qual, pode ser a mesma Organização. Incorporadora Construtora Venda, Construção e Entrega dos Imóveis = Satisfação dos Clientes, Parceiros e Investidores
  • 11. A ORGANIZAÇÃO - Construtora e Incorporadora - Qual é a nossa Visão de Futuro ou Plano Estratégico? i Missão: Qual o motivo inspirador e desafiante para o nosso negócio? / Quem somos e Por que existimos? (a razão de ser) Visão: O que desejamos para nossa organização no futuro? / O que queremos ser? Onde queremos chegar? (como será notada pelos ambientes interno/ externo) Valores: Quais são as nossas atitudes e comportamentos ao longo da jornada? (conceitos, filosofias e crenças gerais que a organização respeita e emprega) Estratégia: O que vamos fazer para alcançar a visão e desempenhar a missão com sucesso? Táticas: Como você vai conseguir desenvolver a sua missão e estratégia, bem como, quando e quanto vai custar a implementação? A missão é o nosso desafio. A visão é o nosso ideal a ser alcançado. A estratégia é o Planejamento Macro, para consolidar a missão e concretizar a visão. As táticas são os planos de ações que teremos de aplicar em nossa estratégia. O R G A N O G R A M A - E S T R U T U R A D A O R G A N I Z A Ç Ã O Revisão: 10/04/2014 PRESIDÊNCIA sugestão: Júlio Serrão DIRETORIA INCORPORAÇÕES DIRETORIA CONSTRUÇÕES DEPARTAMENTO COMERCIAL / MARKETING GERENCIAMENTO DE PORTFÓLIO E INTEGRAÇÃO Gerenciamento de Portfólio (uma coleção de projetos) de Projetos é a arte e a ciência de aplicar um conjunto de conhecimento, habilidades, ferramentas e técnicas sobre uma coleção de projetos com o objetivo de atingir ou exceder as necessidades e expectativas de uma estratégia de uma organização DEPARTAMENTO FINANCEIRO / CONTÁBIL DEPARTAMENTO RH DEPARTAMENTO COMPRAS DEPARTAMENTO PLANEJ. E PROJ. EXECUTIVOS DEPARTAMENTO QUALIDADE DEPARTAMENTO TECNOLOGIA DA INFORMÁTICA DEPARTAMENTO SEGURANÇA TRABALHO GERENTE DE PROJETOS I GERENTE DEPROJETOS II DEPARTAMENTO ASSIST. TÉCNICA / PÓS- OBRA obra 01 obra 07 obra 02 obra 08 obra 03 obra 09 obra 04 obra 10 obra 05 obra 11 obra 06 obra 12
  • 12. EXEMPLO DE MISSÃO, VISÃO e VALORES: MISSÃO Oferecer produtos e serviços no mercado imobiliário, cuja rentabilidade e satisfação dos clientes assegurem a sustentabilidade da Empresa e a valorização da marca Tecnisa. VISÃO Ser reconhecida como a melhor empresa do segmento imobiliário, perpetuando nosso negócio pela rentabilidade, qualidade de entrega, inovação e relacionamento com clientes, colaboradores e investidores. VALORES Integridade Conduzimos nossos negócios de forma transparente e íntegra... Não garantimos que não vamos cometer erros, mas garantimos que sempre vamos corrigi-los e aprender com eles. Atitude Pensamos e agimos como donos do negócio, ...Somos comprometidos, persistentes, proativos e tomamos riscos de forma responsável. Agimos com cordialidade e respeito; temos senso de urgência e pontualidade. Lideramos com exemplos. Resultado Somos obstinados pela busca de resultados, ...Por meio deles, viabilizamos o crescimento, o sucesso e a perenidade do nosso negócio. Meritocracia Recompensamos e proporcionamos oportunidades para que as pessoas cresçam na razão direta de seus resultados, avaliados de forma clara, objetiva e completa. Gente Recrutamos, retemos e desenvolvemos os melhores profissionais, que tenham entusiasmo, pro-atividade ...com a autoestima elevada para desenvolver todo o nosso potencial criativo. Excelência e Qualidade Mantemos nossa obstinação pelas coisas bem feitas e pela busca dos mais altos padrões de qualidade. ...entregar produtos e serviços de alta qualidade e dentro dos prazos acordados.
  • 13. EXEMPLO DE ESTRATÉGIA EMPRESARIAL NA CONSTRUÇÃO CIVIL : PESQUISA DE MERCADO - TIPO DE ESTRATÉGIA EMPRESARIAL VALORES (R$) / M² "VENDA" - APARTAMENTOS DAS CONCORRENTES EM SOROCABA / SP (fontes: Site das Construtoras e Jornal Ipanema - 2013/14) CONSTRUTORA / IMOBILIÁRIA BAIRRO / REGIÃO PREÇO PARC./A VISTA (R$) - VENDA M² (A. ÚTIL) PREÇO DO APT. (R$) / M² TRISUL VOTORANTIM 328.800,00 78,00 4.215,38 TRISUL CAMPOLIM 267.600,00 57,00 4.694,74 J. CARDOSO RES. MONT BLANC 200.000,00 60,00 3.333,33 J. CARDOSO JD. GONÇALVES 180.000,00 48,00 3.750,00 J. CARDOSO VL. JARDINI 160.000,00 71,00 2.253,52 J. CARDOSO JD. GONÇALVES 320.000,00 73,00 4.383,56 J. CARDOSO ÉDEN 152.000,00 66,00 2.303,03 MENDES ORTEGA CAMPOLIM 350.000,00 69,00 5.072,46 MENDES ORTEGA VL. GABRIEL 265.000,00 107,00 2.476,64 MENDES ORTEGA JD. PAGLIATO 220.000,00 51,00 4.313,73 MENDES ORTEGA PQ. SEVILHA 148.000,00 48,00 3.083,33 MENDES ORTEGA CAMPOLIM 180.000,00 47,00 3.829,79 MENDES ORTEGA ST. TEREZINHA 265.000,00 70,00 3.785,71 MENDES ORTEGA VL. GABRIEL 190.000,00 48,00 3.958,33 MRV VL. JARDINI 185.000,00 48,00 3.854,17 MAGNUM PRESTES BARROS 185.000,00 48,00 3.854,17 MÉDIA DE PREÇO DE VENDA DOS APT.º - SOROCABA (R$) / M² 3.697,62 1ª FORÇA: “Rivalidade entre os Concorrentes” 2ª FORÇA: “Poder de Negociação dos Clientes” 3ª FORÇA: “Poder de Negociação dos Fornecedores” 4ª FORÇA: “Ameaça de Entrada de Novos Concorrentes” 5ª FORÇA: “Ameaça de Produtos Substitutos” “O modelo das Cinco Forças de Michael Porter destina-se à análise da competição entre empresas. Considera cinco fatores, as "forças" competitivas, que devem ser estudadas para que se possa desenvolver uma Estratégia Empresarial eficiente”. Obs.: “Num determinado momento, uma ou algumas dessas forças são mais importantes para um determinado setor industrial, assumindo maior influência na definição de sua lucratividade. A fim de se elaborar uma boa estratégia, é necessário conhecer-se bem o setor e as características que governam as suas forças competitivas.”
  • 14. EXEMPLO DE ESTRATÉGIA EMPRESARIAL NA CONSTRUÇÃO CIVIL : Os requisitos para definição dos INDICADORES DE DESEMPENHO tratam dos processos de um Modelo da Administração e a busca a Maximização dos RESULTADOS baseados em quatro (04) perspectivas que refletem a VISÃO e ESTRATÉGIA Empresarial: financeiro; clientes; processos internos; aprendizado e crescimento. INDICADORES DE DESEMPENHO : DEMONSTRATIVO DE VALORES - Cálculo da TAXA INTERNA DE RETORNO (lucratividade) da ORGANIZAÇÃO - por ( M² ) - Abril/20014 DISCRIMINAÇÃO M.C. R$ UNID. / OBS. / ÍNDICE % DOIS (02) EXEMPLOS DE ESTUDO: BDI = 41,00% (fonte: TCPO/ PINI) A 1,4100 RESID. LIFE TATUÍ M. Calculo C.C. = (CUSTO DIRETO + C. INDIRETO CONSTRUÇÃO) -> (fonte: SindusConSP - março/14) B C.D. + C.I./ M² = 1.219,44 1.219,44 71.025,13 M² apt. x R$ T.I.R. CUSTO DE CONSTRUÇÃO + BDI C C.C. + BDI = 1.719,41 (com BDI) = x 1,41 5.113.809,51 x TOTAL apt. PREÇO MÉDIO (M²) VENDA EM PLANTA / SOROCABA-SP D P.M.V. = 3.697,62 ver plan. página anterior 100 VGV / ANO L.L. = lucro líquido PREÇO MÉDIO (%) SERVIÇO DE CORRETAGEM / SOROCABA E P.M.C. = 147,90 estimativa JC 4,0% 300.000.000,00 VGV / ano PREÇO MÉDIO (%) SERVIÇO DE MARKETING / SOROCABA F P.M.M. = 166,39 estimativa JC 4,5% 116.484.812,93 x % T.I.R. PREÇO MÉDIO (M²) TERRENO / SOROCABA G P.M.T. = 1.363,00 estimativa JC 1363,00 RESULTADO PARCIAL (R$) / M² H R.P. = D-E-F-G 2.020,32 /M² Descontados todos os custos diretos, indiretos, impostos, riscos, adm. central, (%) TAXA INTERNA DE RETORNO = LUCRATIVIDADE / M² CUSTO DE CONSTRUÇÃO SOBRE A. NÃO VENDÁVEL (area comum + garagem + laser) I C.C.A.N.V. = 584,60 /M² 0,340 R E S U L T A D O F I N A L ( R$ ) / M² J R.F. = H-I 1.435,72 /M² x 38,828
  • 15. EXEMPLO DE ESTRATÉGIA EMPRESARIAL NA CONSTRUÇÃO CIVIL :informação MÉDIA DE ÁREA TOTAL DE APARTAMENTOS VENDÁVEL (M²) POR EMPREENDIMENTO S - EZ TEC / 2014 empreendimento01 empreendimento02 empreendimento03 empreendimento04 empreendimento05 empreendimento06 empreendimento07 empreendimento08 numeração A 13.192,50 16.200,00 9.180,00 14.040,00 14.400,00 12.240,00 14.400,00 14.040,00 11.040,00 total m² informação CALCULO DO VALOR MÉDIO R$ / M² DOS APARTAMENTOS DA CONSTRUTORA EZ TEC (São Paulo/SP) - 2014 VALOR MÉDIO VENDA R$ /M² 65 84 83 64 60 M² / apt. 447.000,00 585.000,00 681.000,00 513.000,00 337.500,00 valor (R$) total apt. B 7.137,33 6.876,92 6.964,29 8.204,82 8.015,63 5.625,00 R$ /M² CÁLCULO ESTIMADO do VGV da CONSTRUTORA EZ TEC - 2014 ITEM QUESTIONÁRIO RESPOSTA 1 POSIÇÃO NO RANKING ITC/2013 (em total de m² construído) 20º 2 TOTAL M² CONSTRUÍDO até 2013 1.175.871,95 3 EMPREENDIMENTOS EM CONSTRUÇÃO EM 2014 32 4 MÉDIA DE ÁREA TOTAL POR EMPREENDIMENTO (infor. A) 13.192,50 5 VALOR MÉDIO DE VENDA DE APARTAMENTO POR M² (inform. B) 7.137,33 6 CÁLCULO DO VGV => VGV = (item 3 x item 4 x item 5) = R$ 3.013.095.491,86 VGV significa Valor Geral de Vendas. É um valor calculado pela soma do valor potencial de venda de todas as unidades de um empreendimento a ser lançado. Qual a importância do VGV? Além ajudar a indicar se o empreendimento é ou não viável do ponto de vista comercial, o VGV auxilia na definição do orçamento da obra, das verbas administrativas da incorporadora, no desempenho da empresa no mercado, dentre outros. Avaliação de empresas do setor com alto potencial de crescimento!!!
  • 16. EXEMPLO DE ESTRATÉGIA EMPRESARIAL NA CONSTRUÇÃO CIVIL : 0 100000 200000 300000 400000 500000 600000 700000 800000 900000 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 TOTALM²ACUMULADO LINHA DO TEMPO (4º AO 10º RANKING - ITC) GRÁFICO DE EVOLUÇÃO DO CRESCIMENTO DA RIO VERDE ENGENHARIA (Limeira/SP) - RANKING ITC (as 100 maiores da construção) 4º / 80* posição 5º / 61 posição 6º / 48 posição 7º / 54 posição 8º / 50 posição 9º / 33 posição 10º / 33 posição ANÁLISE EM PONTOS PERCENTUAIS (%) DE CRESCIMENTO (M²) - ANO A ANO (RIO VERDE ENGENHARIA) ANO 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 M² CONSTRUÍDO / EM CONSTRUÇÃO NO ANO - 39.900,00 38.642,00 43.510,00 160.348,00 233.310,00 118.515,00 CRESCIMENTO NO ANO (%) comparado ao ano anterior -3,15% +12,60% +369% +146% -51% produziu 51% do que havia produzido no ano passado Avaliação de empresas do setor com alto potencial de crescimento!!!
  • 17. EXEMPLO DE ESTRATÉGIA EMPRESARIAL NA CONSTRUÇÃO CIVIL : 0 200000 400000 600000 800000 1000000 1200000 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 TOTALM²CONSTRUÍDOACUMULADO LINHA DO TEMPO (4º AO 10º RANKING - ITC) GRÁFICO DE EVOLUÇÃO DO CRESCIMENTO DA CONSTRUTORA MASA (Barueri/SP) - RANKING ITC (as 100 maiores da construção) 4º / 71 posição 5º / 66 posição 6º / 43* posição 7º / 44* posição 8º / 51 posição 9º / 30 posição 10º / 24 posição ANÁLISE EM PONTOS PERCENTUAIS (%) DE CRESCIMENTO (M²) - ANO A ANO (CONSTRUTORA MASA) ANO 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 M² construído no ano - 78.393,23 117.353,77 60.000,00 70.853,34 363.067,66 230.493,45 CRESCIMENTO NO ANO (%) comparado ao ano anterior +49,70% -51,1275% +18,09% +512,42% -63,49% produziu 63,5% do que havia produzido no ano passado Avaliação de empresas do setor com alto potencial de crescimento!!!
  • 18. PROJETOS e MEMORIAIS:  IMPLANTAR SETOR DE PROJETOS (agregado ao setor de Planejamento e ambos podem ser terceirizados)  Dentre as atribuições, estão:  Compatibilização dos Projetos;  Estudo de Opções de Plantas (apartamento personalizado);  Criação do Memorial Descritivo dos empreendimentos (especificação dos acabamentos – tamanhos, modelos, marcas, cores);  Implantar o sistema AutoDoc (Atualização das Listas Mestra);  Criar, Propor e Desenvolver a Padronização dos Projetos: arquitetônico, estrutural, instalações -> Objetivos: Integração entre as disciplinas para Facilitar, Agilizar e Reduzir Custos na Execução.  Para os novos projetos, seguir as orientações contidas na Nova Norma de Desempenho da ABNT / NBR -15575/2013. PLANEJAMENTO E PROJETOS EXECUTIVOS - SUGESTÕES:  Formar Equipe (time) de Projetistas;  Fechar CONTRATOS com fornecimento de Projeto EXECUTIVO e Assessoria Técnica;  Contratar Projetos específico de Solo - FUNDAÇÃO e CONTENÇÕES;  Contratar Projeto de Arquitetura (com caderno de detalhes construtivos: tampos e peças em granito; esquadrias de madeira e metálicas; telhados; serralheria; áreas a impermeabilizar).  Tratar e acompanhar as Aprovações dos Projetos Legais (prefeitura, ligações definitivas, bombeiro,...);  Buscar por Inovações e novas ferramentas e softwares como o BIM (Modelagem de Informação da Construção);  Assegurar que o Resultado Final “Estético e Arquitetônico" dos prédios (Fachadas), estejam de acordo com o apresentado no Portfólio ou Folder de VENDAS e constem no orçamento da obra.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22. Gerenciando o TEMPO TRANSPARÊNCIA E CONTROLE DAS INFORMAÇÕES (FISICAMENTE)  O Engenheiro da Obra tem que ter Conhecimento do CRONOGRAMA DA OBRA e Conferi-lo e Aceitá-lo (Checar os Prazos e Validá-lo!);  Realizar o Acompanhamento e Atualização do mesmo (Controle através de Gráficos -> Curva "S; implantar ferramenta: MS Project);  OBJETIVO: Sinalizar possíveis ATRAZOS e propor PLANO DE AÇÃO para sua Recuperação.  Criar PLANO DE METAS DE PRODUÇÃO “mensais”, para cobrar das equipes de mão de obra, prestadores de serviços e empreiteiros;  Apresentar Relatório de Fotos “mensais” com o Andamento dos Serviços na obra. "IMPONENTE É O PROJETO PARA A CONSTRUÇÃO DE UMA CASA NOBRE, NO ENTANTO, É INDISPENSÁVEL O SERVIÇO DA PICARETA E DA PÁ, DO TIJOLO E DA PEDRA, PARA QUE A ARTE E O RECONFORTO SE EXPRIMAM." 0 1 2 3 4 5 6 7 Apr-14 May-14 Jun-14 Jul-14 Aug-14 Sep-14 PREVISTO REALIZADO
  • 23.
  • 24. Gerenciando o CUSTO TRANSPARÊNCIA E CONTROLE DAS INFORMAÇÕES (FINANCEIRAS)  O Engenheiro de Obra tem que ter Conhecimento do Orçamento da Obra e Concordar e Aceitá-lo. (Checar os números: preços; quantidades e serviços e Validá-lo!) e Fazer o Acompanhamento e sua Atualização Financeira (Controle de Custo e Previsão Trimestral).  OBJETIVO: Sinalizar Possíveis ESTOUROS e Propor PLANO DE AÇÃO para sua Recuperação (ex.: Remanejamento de Verba).  Apresentar Planilhas de Medição de Contratos de Serviços e Empreitadas (mdo) com:  Medição Atual;  Medição Acumulada e Saldo À Pagar;  Setor Financeiro responsável em Receber a Nf. de Serviços /Empreiteiros (com Visto do Engenheiro da Obra) + Planilha de Medição (com Visto do Engenheiro e Contratado) + M.C. (memória de cálculo). "Dicas para uma boa Gestão Financeira” (fonte: Sebrae) 1- Organizar os registros e conferir se todos os documentos estão sendo devidamente controlados 2- Acompanhar as contas a pagar e as contas a receber, montando um fluxo de pagamentos e recebimentos 3- Controlar o movimento de caixa e acompanhar os controles bancários 4- Classificar custos e despesas em fixos e variáveis 5- Definir a retiradas (pró-labore) 6- Fazer previsão de vendas e de fluxo de caixa 7- Acompanhar a evolução do patrimônio da empresa, conhecer sua lucratividade e rentabilidade. - 200,000.00 400,000.00 600,000.00 gasto previsto gasto real
  • 25. P. unitário MA+MO MATERIAL MÃO-DE-OBRA 0,65 0,35 I SERVIÇOS PRELIMINARES 218.255,01 I.1 CANTEIRO DE OBRA (INSTALAÇÃO, MANUTENÇÃO, DESMOBILIZAÇÃO) VB 1,00 60.000,00 39.000,00 21.000,00 60.000,00 I.2 LOCAÇÃO TOPOGRÁFICA DA OBRA m2 1.754,36 10,84 7,05 3,79 19.017,26 I.3 LIMPEZA FINAL DO PRÉDIO m2 3.162,50 1,34 0,87 0,47 4.237,75 1.4 ADAPTAÇÃO DE PROJETOS VB 1,00 80.000,00 52.000,00 28.000,00 80.000,00 1.5 CONTROLE TECNOLOGICO VB 1,00 16.000,00 10.400,00 5.600,00 16.000,00 1.6 LOCACAO DE ANDAIME METALICO TUBULAR TIPO TORRE VB 1,00 39.000,00 25.350,00 13.650,00 39.000,00 II CABINE DE SOLDA 474.189,86 III PRÉDIO B200 - 1o. MÓDULO 3.579.481,78 1 MOVIMENTO DE TERRA 41.570,51 1.1 ESCAVAÇÃO MANUAL M3 455,20 54,95 35,72 19,23 25.013,24 1.2 REATERRO COMPACTADO M3 351,43 24,04 15,63 8,41 8.448,38 1.3 REMOÇÃO DE TERRA EXCEDENTE M3 134,90 13,72 8,92 4,80 1.850,83 1.4 LIMPEZA MECANIZADA DO TERRENO COM REMOÇÃO DA COBERTURA VEGETAL M2 1.754,36 3,14 2,04 1,10 5.508,69 1.5 COMPACTAÇÃO MANUAL FUNDO DE VALAS COM MAÇO=10 KG M2 176,74 4,24 2,75 1,48 749,38 2 FUNDAÇÕES E ESTRUTURAS 1.761.739,93 2.1 INFRAESTRUTURA 194.366,94 2.1.1 ESTACA ESCAVADA MECANICAMENTE DIAM 25CM CAPACIDADE ATE 20 TF M 260,00 37,30 24,24 13,06 9.698,00 2.1.2 ESTACA ESCAVADA MECANICAMENTE DIAM 30CM CAPACIDADE ATE 30 TF M 1.020,00 55,00 35,75 19,25 56.100,00 2.1.3 CORTE E REPARO EM CABEÇA DE ESTACA UN. 128,00 35,17 22,86 12,31 4.501,76 2.1.4 LASTRO DE CONCRETO MAGRO M2 9,56 558,56 363,06 195,50 5.339,32 2.1.5 FORMAS DE TÁBUAS DE PINHO - FUNDAÇÃO M2 831,50 38,31 24,90 13,41 31.854,77 2.1.6 ARMADURA CA-50/60 - FUNDAÇÃO KG 5.000,00 7,50 4,88 2,63 37.500,00 2.1.7 CONCRETO USINADO BOMBEADO FCK=40MPA, INCLUSIVE COLOCACAO, ESPALHAMENTO E ADENSAMENTO MECÂNICO M3 94,93 520,10 338,07 182,03 49.373,09 2.2 SUPRAESTRUTURA 1.567.372,99 2.2.1 FORMA PLANA PARA CONCRETO APARENTE, EM COMPENSADO PLASTIFICADO 12MM M2 5.293,59 107,55 69,91 37,64 569.325,60 2.2.2 ARMADURA CA-50/60 - ESTRUTURA KG 68.677,00 7,50 4,88 2,63 515.077,50 2.2.3 ARMACAO EM TELA SOLDADA Q-138 (ACO CA-60 4,2MM C/10CM) KG 2.405,00 7,45 4,84 2,61 17.917,25 2.2.4 CONCRETO USINADO BOMBEADO FCK=40MPA, INCLUSIVE COLOCACAO, ESPALHAMENTO E ADENSAMENTO MECÂNICO M3 608,53 520,10 338,07 182,03 316.496,45 2.2.5 JUNTAS DE DILATAÇÃO TIPO JEENE M 55,00 519,10 337,42 181,68 28.550,50 2.2.6 DESFORMA DE ESTRUTURAS, ALT. OU PROFUND. MAIOR QUE 1,50M M2 5.293,59 22,67 14,74 7,93 120.005,69 3 FECHAMENTOS - PAREDES E DIVISÓRIAS: 330.430,15 3.1 ALVENARIA DE EMBASAMENTO EM BLOCO DE CONCRETO ESTRUTURAL 19x19x39CM M2 222,24 87,14 56,64 30,50 19.365,99 3.1 ALVENARIAS DE BLS DE CONCRETO 0,19X0,19XO,39M M2 1.094,39 59,21 38,49 20,72 64.798,83 3.2 ALVENARIAS DE BLS DE CONCRETO 0,14X0,19XO,39M M2 1.271,71 49,67 32,29 17,38 63.165,84 3.4 VERGA, CONTRAVERGA, OU CINTA EM CONCRETO ARMADO FCK=20MPA, PREP. MECANICO, FORMA CANALETA (15X20X20), AÇO CA 60 5.0 M3 13,87 1.255,13 815,84 439,29 17.408,65 3.5 TELA TIPO DEPLOYER PARA REFORÇO DE ALVENARIA M2 107,52 2,77 1,80 0,97 297,83 3.3 DIVISÓRIA DE GRANILITE, ESP. 4CM M2 100,11 85,27 55,43 29,84 8.536,38 3.4 DIVISÓRIAS EM PAINÉIS "WALL" E PORTAS COMPLETAS REVESTIDAS DE LAMINADO MELAMINICO M2 280,67 70,00 45,50 24,50 19.646,90 3.5 DIVISÓRIAS "DIVILUX DA EUCATEX" INCLUSIVE PORTAS COMPLETAS M2 452,30 303,36 197,18 106,18 137.209,73 4 REVESTIMENTOS DE PAREDES: 145.856,25 4.1 REVESTIMENTO DE CHAPISCO M2 3.566,25 4,71 3,06 1,65 16.797,04 4.2 REVESTIMENTO DE EMBOÇO M2 3.566,25 17,91 11,64 6,27 63.871,54 4.3 REVESTIMENTO DE REBOCO M2 3.056,50 14,67 9,54 5,13 44.838,86 4.5 LADRILHOS CERÂMICOS 30 X 30CM M2 509,74 39,92 25,95 13,97 20.348,82 5 REVESTIMENTOS DE PISO 313.121,74 5.1 LASTRO DE BRITA M3 54,44 110,18 71,62 38,56 5.998,20 5.2 CONTRAPISO EM ARGAMASSA TRACO 1:4 (CIMENTO E AREIA), M2 1.760,22 36,26 23,57 12,69 63.825,58 5.1 PISO DE ALTA RESISTÊNCIA POLIDO DE 10MM M2 2.311,08 85,35 55,48 29,87 197.250,68 5.2 PISO VINILICO DE 1,5MM M2 416,93 47,21 30,69 16,52 19.683,27 Preço unitario TotalITEM DISCRIMINAÇÃO UNID. QTDE. DO NOVO PROJ.
  • 26. EXEMPLOS DE CONTROLE DE CUSTOS (planilha e gráfico): CENTRO TECNOLÓGICO DA MARINHA EM SÃO PAULO Revisão: 01 PLANILHA COMPARATIVA: MEDIÇÕES x GASTOS ACUMULADOS = "RESULTADO" SUPERINTENDÊNCIA DO PROGRAMA NUCLEAR 21/12/2012 LABORATÓRIO DE MATERIAIS NÃO NUCLEARES - B200 GASTOS ACUMULADOS (R$) MEDIÇÕES - VALORES (R$) MEDIÇÃO ACUMULADA (R$) PROJEÇÃO DO RESULTADO (R$) CONTROLE FINANCEIRO DA OBRA MEDIÇÃO 1 (R$) MEDIÇÃO 2 (R$) MEDIÇÃO 3 (R$) MEDIÇÃO 4 (R$) MEDIÇÃO 5 (R$) MEDIÇÃO 6 (R$) MEDIÇÃO 7 (R$) DATAS / ATUALIZAÇÕES / PROJEÇÕES 27/12/2012 jul/12 jul/12 ago/12 set/12 out/12 nov/12 dez/12 27/12/2012 21/12/2012 VALORES DA MEDIÇÃO - BRUTO 1.181.387,94 40.000,00 147.068,16 215.532,60 375.497,72 407.889,17 62.461,28 398.123,87 1.646.572,80 465.184,86 PERCENTUAL MÃO DE OBRA 35% 14.000,00 51.473,86 75.436,41 131.424,20 142.761,21 21.861,45 139.343,35 PERCENTUAL MATERIAL 65% 26.000,00 95.594,31 140.096,19 244.073,52 265.127,96 40.599,83 258.780,51 RETENÇÃO - INSS 11% 1.540,00 5.662,12 8.298,00 14.456,66 15.703,73 2.404,76 15.327,77 63.393,05 63.393,05 RETENÇÃO - PIS/COFINS/CSLL/IR 5,85% 2.340,00 8.603,49 12.608,66 21.966,62 23.861,52 3.653,98 23.290,25 96.324,51 96.324,51 VALOR DA PROJEÇÃO DE RESULTADO - LÍQUIDO (exceto custo indireto - escritório Mollinari - SP) 305.467,30 (200,000.00) - 200,000.00 400,000.00 600,000.00 800,000.00 1,000,000.00 1,200,000.00 1,400,000.00 1,600,000.00 1,800,000.00 Jul-12 Aug-12 Sep-12 Oct-12 Nov-12 Dec-12 Jan-13 Feb-13 Mar-13 Apr-13 May-13 Jun-13 1 GASTO ACUM. 2 MEDIÇÃO ACUM. 3 RESULTADO
  • 28. Gerenciando a QUALIDADE e RISCOS i “Se fizermos um Bom Emprego e Controle da Qualidade em toda a Organização, os Riscos serão menores e mais fáceis de serem previstos e controlados.” JC (18/03/14) GESTÃO DA QUALIDADE: Incorporação Anteprojeto / Projeto Legal e Executivo Gerenciadora / Planejamento / Integração Qualidade / Controle Construtora / Execução das Obras SUGESTÕES:  Implantar Novo SISTEMA DA QUALIDADE com Procedimentos estabelecidos nos: (SGQ – Sistema de Gestão da Qualidade; MQ – Manual da Qualidade da Construtora e PQO's – Plano de Qualidade de cada Obra) PARA APLICAÇÃO / UTILIZAÇÃO EM TODA A ORGANIZAÇÃO;  Criação do Sistema baseado nas normas contidas no: a. ISO 9001:2008 b. PBQP-H  Contratar empresa específica (eng. Qualidade) para IMPLANTAÇÃO, TREINAMENTO E ASSESSORIA;  Implantar programa 5S nos canteiros de obras;  CRIAR “Cartilha / Manual” com Instruções Técnicas de Execução, para ser seguida pela engenharia das obras;  Treinar Estagiários para controle e aplicação do SGQ nas obras (além de outras funções);  Contratar SEGURO DE “RISCO/ ACIDENTE” para as Obras (vistoria prévia dos terrenos e proprietários vizinhos - laudo pericial com relatório fotográfico);  Criar mecanismos internos ou Contratar Empresa Especializada para Implantar COMPLIANCE (Procedimentos para Auditorias Internas Periódicas).
  • 29. Os principais papéis dos 5S são: liberar áreas, evitar desperdícios, melhorar relacionamentos, facilitar as atividades e localização de recursos disponíveis, melhorar e manter limpo o ambiente de trabalho, melhorar a produtividade, evitar acidentes, bem estar físico e mental e trabalho em equipe. Denominação Denominação Conceito Objetivo particular Português Japonês Utilização 整理, Seiri Separar o necessário do desnecessário Eliminar do espaço de trabalho o que seja inútil Ordenação 整頓, Seiton Colocar cada coisa em seu devido lugar Organizar o espaço de trabalho de forma eficaz Limpeza 清掃, Seisō Limpar e cuidar do ambiente de trabalho Melhorar o nível de limpeza Saúde 清潔, Seiketsu Tornar saudável o ambiente de trabalho Prevenir o aparecimento de supérfluos e a desordem Autodisciplina 躾, Shitsuke Rotinizar e padronizar a aplicação dos S anteriores Incentivar esforços de aprimoramento
  • 30. Exemplo de Planejamento de Processos: Execução de Obras Monitoramento do processo • Cumprimento do cronograma de contrato • Satisfação do cliente contratante Principais Atividades • Todos os PO´s relacionados a Obra (inclusive PQO) Principais recursos Equipamentos de produtos / Inspeção Pessoal qualificado Insumos PCMAT / PPRA/PCMSO Equipamento de Telefonia Saída – Entrega da Obra Execução da Obra Solicitação de Assistência Técnica Entrada Contrato / proposta comercial aprovada Meta • Cumprimento do cronograma de contrato (média de 100% no prazo) • Satisfação do cliente contratante (Média de 80% dos clientes com satisfação entre BOM e Excelente) Anexo V do Manual da Qualidade. MQ.01-07.12 / versão julho de 2012
  • 31. MACRO FLUXO BRADESCO PRIVATE BANK CLIENTES NecessidadedosClientes PRODUTO GESTÃO, MEDIÇÃO, MONITORAMENTO E CONTROLE “Gestão de Projetos, Planejamento e Gerenciamento de Obras, Incorporações, Construções e Manutenções de Unidades Habitacionais, Comerciais e Industriais". SATISFAÇÃODOSCLIENTES PROSPEÇCÃO DE OBRAS ANÁLISE DE VIABILIDADE EXECUÇÃO DE OBRAS Processo Comercial Suporte ao Produto DEPARTAMENTO COMERCIAL Contabilidade terceirizada Macro Fluxo - Processos de uma Construtora: (Def.: fluxograma – Visão Geral da Organização) Anexo II do Manual da Qualidade. MQ.01-07.12 / versão julho de 20 ASSISTÊNCIA TÉCNICA DEPARTAMENTO ADM/FINANCEIRO DEPARTAMENTO RECURSOS HUMANOS DEPARTAMENTO DE SUPRIMENTOS DEPARTAMENTO DA QUALIDADE APOIO
  • 32. EXEMPLO DE POLÍTICA DA QUALIDADE: • “Prover aos nossos clientes soluções em engenharia com foco na gestão dos produtos, pessoas e processos, garantindo melhores resultados, proporcionando satisfação e fidelização.” • Departamento de Qualidade (Atribuições): • Implementar e manter atualizado o sistema da qualidade, assegurando sua prática, conforme SIQ Construtoras do PBQP-H, NBR ISO 9001:2008, Política da Qualidade e Manual da Qualidade; • Executar programas de auditorias internas do sistema da qualidade, procedendo à retroalimentação necessária para as revisões gerenciais da alta administração da empresa; • Coordenar a implantação e melhoria do Sistema de Gestão da Qualidade por toda a empresa; • Orientar a implementação do sistema da qualidade para cada departamento/obra; • Manter atualizado o Manual da Qualidade e os diversos procedimentos que documentam o sistema da qualidade bem como controlar a atualização e distribuição dos procedimentos adequados a cada departamento. • Responsável pela Obra (Atribuições): • Coordenar e supervisionar as atividades de obra (planejamento, custos, orçamentos, execução...) • Supervisionar as atividades de análise crítica de documentos da obra; • Estabelecer mecanismos de controle e retroalimentação nas obras visando revisões gerenciais; • Executar em atendimento a melhor técnica de engenharia, a coordenação técnica das obras; • Promover a capacitação dos recursos humanos nas obras; • Estabelecer regras para a iniciação, acompanhamento e encerramento de obras, orientando inclusive a consolidação do acervo técnico da empresa; • Gerenciar e executar atividades de assistência técnica; • Supervisionar os trabalhos técnicos e administrativos da obra; • Realizar a supervisão do almoxarifado de materiais, equipamentos e instrumentos utilizados; • Promover o treinamento para a qualificação do pessoal; • Assegurar os cumprimentos dos requisitos do sistema da qualidade para os serviços subcontratados; • Executar a inspeção final da obra. • Apoiar, inclusive participando, de programas de motivação e conscientização na empresa como um todo; • Promover a implementação da Política da Qualidade da empresa em toda a obra; • Executar todo processo relacionado aos projetos; • Executar o planejamento e controle da produção; • Assegurar o cumprimento dos requisitos do sistema da qualidade na obra.
  • 33. Gerenciando a COMUNICAÇÃO e INTEGRAÇÃO  Criar Procedimentos Padrão de COMUNICAÇÃO (e torná-los Regra), entre os colaboradores de todos os Setores da ORGANIZAÇÃO: Gerenciadora, Planejamento, Projeto, Compras, RH (estes primeiros, tem contato frequente com a obra), Financeiro, TI, Assistência Técnica, Comercial,...  Exemplos de Ferramentas de Comunicação:  Site da empresa (veracidade nas informações);  Sistemas Integrados e/ou Sistemas para gerenciamento de projeto (Software técnicos -> ver exemplos nas páginas seguinte);  E-mail (enviar -> <- receber);  Skype;  Rádio NEXTEL;  Relatórios impressos / Protocolos;  Cartas com Comunicação Interna (C.I.);  Conversas pessoais, passando o Feedback (Dar Resposta / Retorno);  Atas de Reunião com Pautas bem Definidas (horários pré-estabelecidos, assinadas e arquivadas -> para serem produtivas). SUGESTÕES:
  • 34.
  • 35.
  • 36. INTEGRAÇÃO  TRABALHO EM EQUIPE (= Grupo cria esforço Coletivo para resolver problemas) “Obra é trabalho COLETIVO , ninguém é tão capaz a ponto de não precisar da ajuda de alguém” JC (fev./2010). Escopo Tempo Custo Qualidade Integração Núcleo do Gerenciamento Comunicação Risco Contratação RH SUGESTÕES:  REUNIÃO DE ENGENHARIA – quinzenal ou mensal (realizadas no escritório ou nas obras -> troca de ideias entre os engenheiros e gestores: sugestões, padronizações, propostas de melhorias, novas técnicas construtivas).  Promover, Incentivar a utilização de NOVAS TÉCNICAS CONSTRUTIVAS, o emprego de NOVOS MATERIAIS e EQUIPAMENTOS para RACIONALIZAR e Aumentar a Produção da obra e também melhorar a Qualidade do PRODUTO FINAL (ex: solo grampeado, pré- lajes, paredes e estruturas pré-moldadas, forma metálica, laje nervurada - cubeta, argamassas prontas e projetadas, shafts visitável, tubulações aparente c/ carenagem e tipo PPR, cimbramento metálico, cremalheiras, gruas, skytrack, sistema água de reuso, reservatório água cilíndrico externo , aquecimento solar, forma-pronta, aço cortado e dobrado...)  Criar INTEGRAÇÃO PADRÃO para as novas CONTRATAÇÕES, com “vídeo de apresentação” INSTITUCIONAL / MOTIVACIONAL (competência do RH -> para Colaboradores do escritório e obra).
  • 37. IMAGENS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NA CONSTRUÇÃO:
  • 38. IMAGENS de “Ruídos” na COMUNICAÇÃO: I “Os gestores estão cada vez mais atentos aos setores responsáveis pela Comunicação, haja visto que o aperfeiçoamento dessa área gera Bons Resultados para as Empresas, que passam a ser vistas como uma área de investimento. Quando a Comunicação ocorre de forma Positiva, colaboradores e clientes se fidelizam e a empresa pode prestar um atendimento ainda melhor, pois as mensagens são transmitidas de maneira limpa, sem ruídos, trazendo benefícios para gestores, funcionários e consumidores.”
  • 39. TRABALHO EM EQUIPE: i “O comandante de um grande navio pode ser um gênio de sabedoria e bondade, mas toda a direção se compromete, de imediato, se o mais obscuro cooperador da embarcação coloca uma bomba na casa de máquinas.”
  • 40. Gerenciando a CONTRATAÇÃO e RH SUGESTÕES – SETOR DE COMPRAS:  CRIAR LISTA DE FORNECEDORES CADASTRADOS COM AVALIÇÃO MENSAL (deve ser Analisado e Aprovado tecnicamente pela engenharia).  ESTIPULAR "DATAS" PROGRAMADAS PARA A GESTÃO DE OBRA - " SOLICITAR" OS SEUS MATERIAIS, EQUIPAMENTOS, SERVIÇOS (ex: toda 2ª feira/ semana, ou todo dia: 10, 20 e 30/ mês).  OS SETORES DE ENGENHARIA E COMPRAS DEVEM CRIAR: CRONOGRAMAS DE CONTRATAÇÕES "SEMESTRAIS" (com datas pré-definidas) PARA QUE CADA OBRA SOLICITE ITENS ESPECÍFICOS – “Link/Integração” entre as obras (ex.: Maio/2014 - solicitar esquadrias alumínio, Junho/2014 - cerâmica,....) OBJETIVO: AUMENTAR "PODER DE NEGOCIAÇÃO" DA EMPRESA (menor preço; maior qualidade; padronização; melhor prazo de entrega e condição de pagamento).  COMPRAS TÉCNICAS (ex.: elevadores, esquadrias de alumínio, gruas, cremalheiras, escoramento metálico, serralheria, peças em granito,...) OU SEJA, TODOS OS PROCESSOS DE CONTRATAÇÃO QUE ENVOLVAM PROJETO E INFORMAÇÕES TÉCNICAS, DEVEM SER ORÇADOS, NEGOCIADOS E FECHADOS PELOR SETOR DE ENGENHARIA (gerente geral, coordenador, gerente da obra ou diretor técnico).ATRAVÉS DE MAPAS DE COTAÇÃO C/ VISTO DE APROVAÇÃO DOS RESPONSÁVEIS.  ELIMINAR (ou fazer o DISTRATO) GRADUALMENTE OS CONTRATOS DE PERMUTAS DE MATERIAIS E SERVIÇOS.  APRIMORAR O RELATÓRIO DE ENVIO DE NF’s. (ver modelo sugerido na próxima página).  APRIMORAR, DETALHAR E ESPECIFICAR (com consistência Técnica e Jurídica) CONTRATO DE SUBEMPREITADA (prestação de serviços de empreiteiros – mão de obra terceirizada nas obras). SUGESTÕES – SETOR de RH (introduzir a Gestão de Pessoas) e SEGURANÇA DO TRABALHO (NR-18/35):  IMPLANTAR CRACHÁ DE IDENTIFICAÇÃO PARA OS COLABORADORES.  RELÓGIOS DE PONTO NAS OBRAS (controle de frequência dos colaboradores).  UNIFORMES PADRONIZADOS (calça e camisa com Logo da empresa – tanto obra como escritório).  ESTUDAR (a médio prazo) IMPLANTAÇÃO DE CATRATAS ELETRÔNICAS NOS CANTEIROS DE OBRAS (controle de acesso).  CONTRATAR EMPRESA TERCEIRIZADA (ou direto pela empresa) – PRESTAÇÃO DA SEGURANÇA DO TRABALHO (com técnicos - TST em cada obra).  CONTRATAR EMPRESA DE VIGILÂNCIA - 24Hs PARA OS CANTEIROS DE OBRAS (c/ segurança/ porteiro).  SEGURO DE VIDA PARA OS COLOBORADORES ENVOLVIDOS COM A ADM. E GERENCIAMENTO DAS OBRAS.  DESENVOLVER ESTRATÉGIA PARA O PROCESSO SELETIVO, - RECRUTAMENTO – OBJETIVO: ENCONTRAR AS PESSOAS CERTAS (talento, perfil, qualificação) PARA OS CARGOS DISPONÍVEIS (ex.: mais de uma entrevista -> RH – GESTORES – DIRETORIA).  AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS COLABORADORES (DOS SUPERVISORES AOS SEUS SUBORDINADOS - semestral ou anual) COM O FEEDBACK DO RESULTADO – ver modelo (possibilidade para implantação: PLR – participação dos lucros e resultados ou bonificações espontâneas).
  • 41. DEPARTAMENTO DE COMPRAS: CICLO DE COMPRAS: MAPA DE COTAÇÕES, EQUALIZADO: MAPA DE COTAÇÃO Obra: Laboratório de Mat. Avançados - B200-CTMSP / ARAMAR Data: 29/08/12 End.: Rod. Sorocaba-Iperó, Km 12,5 - Iperó / SP Fornecedor MILLS / JAHU BRASVIGA / MADEWAL ANDAIMES 3A Tel. 19 - 3272-2332 / 19 - 9146-4690 19 - 3441-1981 19 - 7804-1541 15 - 3233-0802 Contato FÁBIO EDUARDO DELIANE ROSSETTO LEANDRO SILVA LOCAÇÃO MENSAL DE ESCORAMENTO METÁLICO (laje e viga) e-mail. feduardo.jahu@mills.com.br deliane@madewal.com.br locacao@andaimes3a.com.br PREVISÃO GASTO TOTALDescrição dos Materiais Unid. Quant. Preço Unit. Preço Total Preço Unit. Preço Total ESCORAMENTO JAHU 1 ESCORAMENTO - PAV. SUPERIOR - 1ª ETAPA (eixos: 1 ao 4) / pé direito = 4,40m m² 774,42 8,81 6.825,00 10,70 8.285,21 26,87 20.810,00 13.650,00 2 ESCORAMENTO - PAV. SUPERIOR - 2ª ETAPA (eixos: 4 ao 8) / pé direito = 4,40m m² 774,48 8,82 6.830,00 11,33 8.773,81 25,59 19.820,00 13.660,00 3 ESCORAMENTO - PAV. COBERTURA - 1ª ETAPA (eixos: 8 ao 4) / pé direito = 3,12m m² 974,35 8,51 8.295,00 6,41 6.249,42 NÃO ORÇOU!!! 8.295,00 4 ESCORAMENTO - PAV. COBERTURA - 2ª ETAPA (eixos: 4 ao 1) / pé direito = 3,12m m² 847,45 7,40 6.270,00 9,04 7.659,92 NÃO ORÇOU!!! 6.270,00 5 REESCORAMENTO - PAV. SUPERIOR - 1ª ETAPA (eixos: 1 ao 4) / pé direito = 4,40m m² 774,42 1,76 1.365,00 2,06 1.599,00 NÃO ORÇOU!!! 2.047,50 6 REESCORAMENTO - PAV. SUPERIOR - 2ª ETAPA (eixos: 4 ao 8) / pé direito = 4,40m m² 774,48 1,77 1.370,00 2,17 1.678,95 NÃO ORÇOU!!! 2.055,00 7 REESCORAMENTO - PAV. COBERTURA - 1ª ETAPA (eixos: 8 ao 4) / pé direito = 3,12m m² 974,35 4,25 4.140,00 5,58 5.433,96 NÃO ORÇOU!!! 6.210,00 8 REESCORAMENTO - PAV. COBERTURA - 2ª ETAPA (eixos: 4 ao 1) / pé direito = 3,12m m² 847,45 2,87 2.430,00 1,19 1.006,88 NÃO ORÇOU!!! 3.645,00 SubTotal 37.525,00 40.687,15 40.630,00 55.832,50 Impostos - - - Frete por conta do cliente por conta do cliente - Total Geral valor mensal 37.525,00 valor mensal 40.687,15 40.630,00 Forma de Pagto Medição Mensal + 15 dias p/ Pag.º Faturado todo o dia 15 de cada mês OBS: Projetos de Forma da Estrutura considerados p/ orçamento: EST-003-R07 e EST-004-R07. Mão de Obra de montagem por conta da construtora. O contratado fornecerá projeto de montagem e assist. técnica. Autorizado por: Prazo de Entrega A COMBINAR A COMBINAR
  • 42. EXEMPLO DE RELATÓRIO DE ENVIO DE NOTAS (devem ser protocoladas, "assinadas” pelo engenheiro da obra) CONSTRUTORA MOLLINARI LTDA. Rua Corrientes, 239 - Lapa - Cep: 05076-010 São Paulo - S.P. - E-mail : mollinarisp@terra.com.br Tel/fax (11) 3644-3124 RELATÓRIO DE NOTAS FISCAIS EMPRESA: CONSTRUTORA MOLLINARI LTDA x COMPRAS DIRETAS ( OBRA ) OBRA: LABORAT. DE MAT. NÃO NUCLEARES B200 - CTMSP/ARAMAR - Iperó/SP RELATÓRIO: 030 COMPRAS NORMAIS DATA: 21/01/2013 SIMPLES REMESSA ITEM FORNECEDOR DISCRIMINAÇÃO N.F. Nº VALOR LIQ. EMISSÃO VENCIMEN TO PEDIDO RM OBS. 1 WALSYWA IND.COM.DE PR METALÚRG.LTDA MATERRIAL USADO NA ALVENARIA ENTRE EIXOS 01 AO 04 1° ETAPA 5.434 1.331,22 08/01/2013 05/02/2013 NF C/BOLETO 2 LOCADORA COMERCIAL PORTO SEGURO LTDA LOCAÇÃO BETONEIRA 400L REF.PERIODO 06/01/2013 A 04/02/2013 21.167 165,00 08/01/2013 05/02/2013 FATURA S/BOLETO 3 RISATEC DISTRIBUID. DE FERRO E AÇO LTDA ARAME P/ LAJE EIXO 04 AO 01 4° ETAPA 46.743 219,45 10/01/2013 11/03/2013 NF S/BOLETO 4 RISATEC DISTRIBUID. DE FERRO E AÇO LTDA AÇO P/VIGAS DA CORBETURA PROG.13 EIXOS 04 AO 01 4°ETAPA 46.919 4.945,14 11/01/2013 10/02/2013 NF S/BOLETO 5 RISATEC DISTRIBUID. DE FERRO E AÇO LTDA AÇO P/VIGAS DA CORBETURA PROG.13 EIXOS 04 AO 01 4°ETAPA 46.919 4.943,65 11/01/2013 12/03/2013 NF S/BOLETO 6 RISATEC DISTRIBUID. DE FERRO E AÇO LTDA AÇO P/VIGAS DA CORBETURA PROG.13 EIXOS 04 AO 01 4°ETAPA 46.919 4.943,65 11/01/2013 11/04/2013 NF S/BOLETO 7 CORTE & DOBRA COMÉRCIO DE AÇO SERVIÇO LTDA SERVIÇO DE CORTE E DOBRA AÇO P/LAJE 4° ETAPA 27.500 1.666,56 14/01/2013 13/02/2013 NF S/BOLETO 8 DEGRAUS MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS PARA CONSTRUÇÃO CIVIL LTDA LOCAÇÃO VIBRADOR E MANGOTE REF. PERIODO 11/01/2013 A 09/02/2013 964.768 250,00 14/01/2013 11/02/2013 FATURA S/BOLETO 9 LOCADORA COMERCIAL PORTO SEGURO LTDA LOCAÇÃO DE BOMBA SUBMERSA 2" REF. PERIODO 12/01/2013 A 10/02/2013 21.224 200,00 14/01/2013 11/02/2013 FATURA S/BOLETO 10 ALEIXO MINERAÇÃO LTDA-EPP AREIA MÉDIA 6 METROS, REBOCO EIXOS 01 AO 04 14.308 312,00 14/01/2013 14/02/2013 NF C/BOLETO 11 ALEIXO MINERAÇÃO LTDA-EPP AREIA FINA 6 METROS, ALVENARIA EIXOS 01 AO 04 14.320 288,00 14/01/2013 14/02/2013 NF C/BOLETO 12 ALEIXO MINERAÇÃO LTDA-EPP PEDRISCO 6 METROS, P/EMBASAMENTO EIXOS 04 AO 08 14.321 420,00 14/01/2013 14/02/2013 NF C/BOLETO 13 ALEIXO MINERAÇÃO LTDA-EPP AREIA MÉDIA 6 METROS, REBOCO EIXOS 01 AO 04 14.338 312,00 15/01/2013 15/02/2013 NF C/BOLETO 14 ALEIXO MINERAÇÃO LTDA-EPP AREIA MÉDIA 6 METROS, REBOCO EIXOS 01 AO 04 14.371 312,00 17/01/2013 16/02/2013 NF S/BOLETO 15 NATANAIR ANTONIO DO NASCIMENTO ME MADEIRA P/ ANDAIMES, ESCADA CANTEIRO 1.357 1.120,38 14/01/2013 11/02/2013 NF S/BOLETO 16 VOTORANTIM CIMENTOS S/A CIMENTO P/ALVENARIA E REBOCO DOS EIXOS 01 AO 04 284.936 2.016,84 15/01/2013 05/02/2013 NF C/BOLETO 17 ELETROSOL MATERIAIS ELÉTRICOS LTDA MATERIAIS ELÉTRICOS P/ILUMINAÇÃO INTERNA DO EIXO 01 AO 04 93.909 620,56 15/01/2013 12/02/2013 NF S/BOLETO 18 ELETROSOL MATERIAIS ELÉTRICOS LTDA MATERIAIS ELÉTRICOS P/ILUMINAÇÃO INTERNA DO EIXO 01 AO 04 93.909 620,56 15/01/2013 19/02/2013 NF S/BOLETO 19 ELETROSOL MATERIAIS ELÉTRICOS LTDA MATERIAIS ELÉTRICOS P/ILUMINAÇÃO INTERNA DO EIXO 01 AO 04 93.909 620,55 15/01/2013 26/02/2013 NF S/BOLETO 20 MARINHA DO BRASIL CONTA TELEFONICA N°003/13 REF. DEZ/2013 003-13 109,72 14/01/2013 24/01/2013 DEPÓSITO BANCÁRIO 21 RISATEC DISTRIBUID. DE FERRO E AÇO LTDA AÇO P/LAJE 4° ETAPA 47.330 8.950,93 17/01/2013 16/02/2013 NF S/BOLETO 22 RISATEC DISTRIBUID. DE FERRO E AÇO LTDA AÇO P/LAJE 4° ETAPA 47.330 8.948,25 17/01/2013 18/03/2013 NF S/BOLETO 23 RISATEC DISTRIBUID. DE FERRO E AÇO LTDA AÇO P/LAJE 4° ETAPA 47.330 8.948,25 17/01/2013 17/04/2013 NF S/BOLETO 24 CORTE & DOBRA COMÉRCIO DE AÇO SERVIÇO LTDA SERVIÇO DE CORTE E DOBRAAÇO P/LAJE 4° ETAPA 27.607 2.939,73 18/01/2013 16/02/2013 NF S/BOLETO 25 ALEIXO MINERAÇÃO LTDA-EPP AREIA MÉDIA 6 METROS, REBOCO EIXOS 01 AO 04 14.407 312,00 18/01/2013 17/02/2013 NF S/BOLETO 26 F.PINHEIRO COMERCIO DE MAT PARA CONSTRUÇÃO LTDA MATERIAL P/ CHAPISCO E CONTRA-PISO DO PREDIO 94.871 2.390,00 18/01/2013 14/02/2013 NF C/BOLETO 27 LOCADORA COMERCIAL PORTO SEGURO LTDA LOCAÇÃO 2° BETONEIRA 400L REF.PERIODO 21/01/2013 A 19/02/2013 21.285 165,00 08/01/2013 05/02/2013 FATURA S/BOLETO 28 EMPREITEIRA CONCIDI LTDA MÃO DE OBRA CIVIL 6°MEDIÇÃO RECIBO 103.102,15 21/01/2013 23/01/2013 DADOS BANC. DEPÓSITO NO RECIBO - c.c. Rafael Constantino (filho do Alemão) + PLANILHA MED. 29 30 ASSINATURA ENGº RESPONSÁVEL TOTAL 161.173,59 ASS. RESPONSÁVEL - RECEBIMENTO (favor devolver uma via assinada para a obra) ACUMULADO 161.173,59
  • 43.
  • 44. CONTRATO DE SUBEMPREITADA Pelo presente instrumento particular e na melhor forma de direito as partes: Contratante: DMO ENGENHARIA E INCORPORAÇÕES LTDA. Endereço: Av. Brigadeiro Faria Lima, 1800 - Piso P Bairro: Jardim Paulistano CEP: 01451-001 Cidade: São Paulo U.F. São Paulo CNPJ/MF 09.422.144 /0001-00 I.E. Isenta pessoa jurídica de direito privado, doravante denominada simplesmente “CONTRATANTE”; Interveniente Pagadora: VOSSOROCA DO BRASIL PROJETOS IMOBILIÁRIOS LTDA. Endereço: Av. das Nações Unidas, 12.901 - Torre Norte - 6º andar Bairro: Brooklin CEP: 04578-910 Cidade: São Paulo U.F.: São Paulo CNPJ/MF 09.378.559/0001-24 I.E. : Isenta pessoa jurídica de direito privado, doravante denominada simplesmente “INTERVENIENTE PAGADORA", Interveniente Gerenciadora: HINES DO BRASIL EMPREENDIMENTOS LTDA. Endereço: Av. das Nações Unidas, 12.901 - Torre Norte - 6º andar Bairro: Brooklin CEP: 04578-910 Cidade: São Paulo U.F.: São Paulo CNPJ/MF 02.541.350/0001-90 I.E. : Isenta pessoa jurídica de direito privado, doravante denominada simplesmente “INTERVENIENTE GERENCIADORA", Contratado: ALMEIDA TOLEDO ENGENHARIA E CONSTRUTORA LTDA - EPP Endereço: AV. SALVADOR MILEGO, 362A Bairro: JARDIM VERA CRUZ II CEP: 18050-010 Cidade: SOROCABA U.F.: SP CNPJ/MF 07.853.253/0001-57 I.E. : 669.601.310.110 pessoa jurídica de direito privado, doravante denominada simplesmente “CONTRATADO", Considerando que: (i) A CONTRATANTE pretende contratar terceiros prestadores de serviços de fornecimento de mão de obra, materiais e equipamentos, denominados simplesmente "SERVIÇO", visando a implantação do empreendimento. Empreendimento: CONDOMÍNIO VISTA GARDEN Endereço: RUA PROFESSOR ANTONIO RODRIGUES CLARO SOBRINHO, 200 Bairro: JARDIM SÃO CARLOS CEP: 18046-340 Cidade: SOROCABA U.F.: SÃO PAULO C.E.I.: 51.204.32077/77 pessoa jurídica de direito privado, doravante denominada simplesmente “EMPREENDIMENTO". (ii) A CONTRATADA presta os SERVIÇOS descritos no considerando (i) acima; CONTRATANTE e CONTRATADA, doravante referidas em conjunto simplesmente como “PARTES” resolvem, neste ato, de comum acordo, celebrar o presente Contrato de Subempreitada (o “CONTRATO”), que será regido e interpretado em conformidade com as seguintes cláusulas e condições, a que se obrigam por si, seus herdeiros e sucessores a qualquer título, a saber: 1. OBJETO 1.1. Constitui o objeto do presente CONTRATO a prestação de serviços pela CONTRATADA à CONTRATANTE, em regime de subempreitada global, a preço fixo, de fornecimento de materiais, equipamentos, ferramentas e mão de obra registrada, de acordo com as necessidades em termos de quantidade e qualidade funcional, visando a integrar parte do empreendimento descrito no item “i” dos considerandos, cuja edificação está a cargo da CONTRATANTE, para a consecução das seguintes atividades, doravante designadas, “SERVIÇOS”: a) Fornecimento de: 0% Materiais 30% Equipamentos TOTAL DO CONTR ATO Mão de Obra conforme especificado em planilha orçamentária, que passará a fazer parte integrante do presente como ANEXO 01; 1.2. Os "SERVIÇOS" de que trata o presente "CONTRATO" deverão ser executados conforme as especificações nele descritas, bem como as descritas no projeto específico, no Cronograma de Serviços da Obra, este registrado em ATA QUINZENAL, e/ou em Diário de obra, e, quando aplicável, no Procedimento de Execução de Serviços (PES), que passará a fazer parte integrante do presente como ANEXO 2, também registrado em Ata de Treinamento, quando aplicável. 2. PREÇO E FORMA DE PAGAMENTO 2.1. PREÇO O preço global fechado para a subempreitada ora contratada é de: R$ 270.619,72 DUZENTOS E SETENTA MIL, SEISCENTOS E DEZENOVE REAIS E SETENTA E DOIS CENTAVOS. sendo este valor dividodo da seginte forma: 70% ou seja R$ 189.433,80 referente a materiais. 0% ou seja R$ - referente a equipamentos. 30% ou seja R$ 81.185,92 referente a mão de obra. a serem pagos pela CONTRATANTE à CONTRATADA da seguinte forma: 2.1.1. O valor correspondente a Materiais, deverá ser pago pela CONTRATANTE à CONTRATADA conforme ANEXO 1. 2.1.2. O valor correspondente a Equipamentos, deverá ser pago pela CONTRATANTE à CONTRATADA conforme ANEXO 1. 2.1.3. O valor correspondente a Mão de Obra, deverá ser pago pela CONTRATANTE à CONTRATADA conforme as medições quinzenais, feitas pelo Gerente de Obras, que determinará expressamente a liberação dos serviços efetivamente executados. Os valores referidos na cláusula 2.1.1., 2.1.2 e 2.1.3., acima deverão ser respeitados para a composição das MEDIÇÕES dos SERVIÇOS executados, conforme definido na cláusula 2.2. abaixo. 2.1.4. No que se refere ao preço total dos mateiriais e equipamentos descritos nas cláusulas, 2.1.1. e 2.1.2. acima, tendo em vista a realização de pagamento antecipado pela CONTRATANTE, deverá a CONTRATADA emitir uma Carta de Fiel Depositário, que deverá ser devidamente assinada e com reconhecimento de firma. 2.1.5. O equivalente a 95% (noventa e cinco por cento) do preço referente aos SERVIÇOS será pago em parcelas, cujos valores e datas de pagamento encontram-se descritos no Cronograma de Serviços anexo ao presente CONTRATO, ficando desde já certo e ajustado entre as PARTES que o pagamento fica condicionado à execução efetiva dos SERVIÇOS, que serão auferidos por meio de “MEDIÇÕES”. 2.1.6. O equivalente a 5% (cinco por cento) do preço referente a MÃO DE OBRA contratada, será retido pela CONTRATANTE a título de garantia dos SERVIÇOS executados a cada MEDIÇÃO, tornando-se devido após o atendimento cumulativodas seguintes condições: a) Os SERVIÇOS objeto deste contrato terem sido integralmente concluídos e aceitos pelo Gerente de Obra, respeitando-se os critérios dos procedimentos e FVS (Fichas de Verificaçãode Serviços). b) Tenham decorrido 60 (sessenta) dias da aceitaçãodos SERVIÇOS, sem que tenham sido constatadas quaisquer imperfeições nos mesmos; c) Tenham sido apresentados os documentos descritos no item 2.3. e seus subitens. 2.1.7. Verificado o atendimento destas condições, a CONTRATANTE comunicará à CONTRATADA sobre a disponibilidadedo pagamento. 2.1.8. Sem prejuízo da obrigação da CONTRATADA, de realizartodos os reparos que se façam necessários para a perfeita execução dos SERVIÇOS, caso a CONTRATADA se recuse a proceder aos reparos apontados pela CONTRATANTE, o valor retido poderá, eventualmente, ser utilizado pela CONTRATANTE para o custeio total ou parcial destes reparos. 2.1.9. Após a comunicaçãode que trata o item 2.1.7. acima, deverá a CONTRATADA emitir documento de cobrança do valor total ou parcial colocado à sua disposição e relativo à última parcela do preço, no qual deverão ser registrados os seguintes elementos: a) Valor original da últimaparcela do preço; b) Todos os dados mencionados na cláusula 2.3.; c) Cálculo do valor da atualizaçãomonetáriada citada parcela para fins do seu pagamento, se aplicável; d) Dedução dos valores relativos a eventuais penalidades aplicadas à CONTRATADA na forma deste CONTRATO, quando houver; e) Dedução dos valores gastos pela CONTRATANTE para reparo ou conclusão dos serviços objeto deste CONTRATO, quando houver; 2.1.10. Decorridos 90 (noventa) dias da data do recebimento da aludida comunicaçãosem que a CONTRATADA tenha se interessado em receber o valor colocado à sua disposição, poderá a CONTRATANTE considerar como quitada a parcela de garantiae terminadoo CONTRATO. 2.2. MEDIÇÕES 2.2.1. As MEDIÇÕES serão realizadas conjuntamente pelo Gerente de Obra e pelo representante da CONTRATADA (conformeindicado na cláusula 7.1.), sempre nos dias 15 (quinze) e 30 (trinta)de cada mês, ocorrendo a primeira no prazo mínimo de 10 (dez) dias úteis da data de início da execução dos SERVIÇOS. 2.2.1.1 A aceitação de cada MEDIÇÃO ocorrerá com a assinatura de documento descrevendo a MEDIÇÃO pelo Gerente de Obra. A MEDIÇÃO igual teor e forma, na presença das 2 (duas) testemunhas. São Paulo,29 agosto, 2011 DMO ENGENHARIA E INCORPORAÇÕES LTDA. Contratante: VOSSOROCA DO BRASIL PROJETOS IMOBILIÁRIOS LTDA. Interveniente Pagadora: HINES DO BRASIL EMPREENDIMENTOS LTDA. Interveniente Gerenciadora: ALMEIDA TOLEDO ENGENHARIA E CONSTRUTORA LTDA - EPP Contratado: Testemunha Nome: R.G.: C.P.F.: Testemunha Nome: R.G.: C.P.F.: Página 01 Página 02 Página 03 Página 13 MODELO DE CONTRATO DE SUBEMPREITADA:
  • 45. ESTRUTURA OPERACIONAL DA OBRA: O R G A N O G R A M A D A S O B R A S 14/02/2014 DIRETOR CONSTRUÇÕES sugestão: Júlio Serrão DEPARTAMENTO SEGURANÇA TRABALHO / TST GERENTE DE OBRAS DEPARTAMENTO ASSIST. TÉCNICA / PÓS- OBRA ENGENHEIRO RESIDENTE TÉCNICO SEG. TRABALHO ESTAGIÁRIOS ADMINISTRATIVO MESTRE OBRAS ALMOXARIFE ENCARREGADOS EMPREITEIROS MDO MDO PRÓPRIA
  • 46. GESTÃO nas OBRAS E DESENVOLVIMENTO PROFISSIONALi Descentralização: “O objetivo da delegação de poderes é ter colaboradores mais motivados e envolvidos nas decisões da empresa. Ao sentirem que possuem mais responsabilidades, procuram soluções e tornam-se mais criativos porque sentem que estão contribuindo para o rumo da empresa, e que pertencem de fato à organização. A autoconfiança, cooperação e pro-atividade também são estimuladas”. “A organização deve delegar poderes e não concentrá-los” JC (15/03/14) FILOSOFIA DO GERENCIAMENTO: As funções do Gestor são em princípio, fixar as metas à alcançar através do Planejamento; Analisar, Conhecer e Solucionar os problemas; Organizar os recursos financeiros e tecnológicos, ser um Comunicador, um Líder, ao dirigir e motivar as pessoas, tomar decisões precisas e avaliar, controlar todo o conjunto.  AS OBRAS DEVEM SER ADMINISTRADAS COMO UMA SUBEMPRESA DA ORGANIZAÇÃO (uma espécie de filial). DEVEM SER GERIDAS COMO SENDO PARTE INTEGRANTE DE TODO O CONJUNTO E COM UMA DEPENDÊNCIA MÚTUA (administração central <–> obras).  AUTONÔMIA AOS ENGENHEIROS NA GESTÃO DE SUAS OBRAS (Ex.: Definir a sequência e prioridades dos serviços; escolha e substituição da equipe de obra; participar da definição dos sistemas construtivos; participação na contratação de empreiteiros, equipamentos e Serviços Técnicos).  POSTURA DOS ENGENHEIROS:  CONHECIMENTO e LIDERANÇA “COMPARTILHADA” (INSTRUIR E DELEGAR TAREFAS);  PRÓ-ATIVIDADE (ANTECIPAR-SE AOS PROBLEMAS);  BUSCAR SOLUÇÕES E MELHORIAS (SER CRIATIVO);  COMUNICADOR (BOM RELACIONAMENTO INTERPESSOAL). QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL: “...é a preparação para aprimorar suas habilidades, e especializar-se em determinadas áreas para executar da melhor forma suas atribuições.”  SUGESTÕES:  PROMOVER EVENTOS, PALESTRAS, CURSOS E TREINAMENTOS PARA OS COLABORADORES (estimulo a novas ideias, capacitação profissional e autodesenvolvimento contínuo). = “mais produtividade, mais comprometimento e mais rentabilidade dos negócios”
  • 47.
  • 48. MACRO-FLUXO FINALIZAÇÃO Encerrar esta Fase do PRO CONTROLE Controlar e Monitorar todos os setores envolvidos com o PRO. Gerente do Projeto ou PMO (escritório de Gestão de Projetos terceirizado) FINANCEIRO Envolve as obras diretamente aos setores: Planejamento, Projetos Executivos e Qualidade. Atualizar os orçamentos das obras; Atualizar os Cronogramas das obras (Físico e Financeiro); Plano de Ação para Reativar as obras com Metas mensais; Restrutrar Organograma da obra (Estrutura operacional); Gestão de cada obra apresentar Cronograma de Contratações; Reimplantar Sistema de Gestão da Qualidade; Contratar Projetistas segundo Novos parametros de trabalho (Novos Contratos); Gestão de cada obra apresentar Previsões Financeiras (Trimestrais); Gestão de cada obra Contratar novos empreiteiros (mdo terceirizada); Juntamente com setor jurídico, Desenvolver Novo Modelo de Contrato de Prestação de Renegociar ou Cancelar Permutas de Materiais e Serviços; Recadastrar somente Fornecedores "Qualificados"; Corrigir Banco de Dados (Insumos) do Sistema Integrado; Reativar cotações e compras solicitadas pelas obras (de acordo com novas Normas - Cronograma de Contratações) Auditar as finanças; Negociar com os Credores; Controlar Fluxo de Caixa da empresa (Entradas e Saídas com Previsões Trimestrais passadas pelas obras) ; Disponibilizar Recursos Financeiros (financiamento bancário) para Reativar as obras e liquidar dívidas. COMERCIAL Fazer a intermediação com os proprietários (possibilidade do Distrato Contratual), após passar as Novas Datas de Entrega das obras Gerenciar a Comunicação entre os envolvidos do PRO. Gerente do Projeto ou PMO (escritório de Gestão de Projetos terceirizado) INTEGRAÇÃO Gerenciar e Orientar o trabalho do Projeto de Restruturação da Organização (PRO) Gerente do Projeto ou PMO (escritório de Gestão de Projetos terceirizado) RECURSOS HUMANOS Contratar e mobilizar equipe do Projeto de Restruturação da Organização (PRO) Demissões funcionários descalificados. Contratar Segurança do Trabalho, T.I. e A.T. Restruturar todos os departamentos Desenvolver o Plano de gerenciamento do Projeto de Restruturação da Organização (abreviado: PRO) EXECUÇÃO ENGENHARIA COMPRAS COMUNICAÇÕES PLANEJAMENTO RISCOS Planejar, prever identificar possíveis Riscos que possam comprometer ou prejudicar a Restruturação da Organização e planejar respostas CONTRATAÇÃO Planejar e definir aquisições para Restruturação da Organização. Ex: sistemas de controle de gestão on line, programas de softwares específicos, contratação de empresas terceirizadas,... QUALIDADE Planejar o gerenciamento da Qualidade da Restruturação da Organização COMUNICAÇÕES Planejar o gerenciamento das Comunicações da Restruturação da Organização. Definir as ferramentas de interação entre os envolvidos INTEGRAÇÃO INICIAÇÃO INTEGRAÇÃO tema: criação do Projeto de Restruturação da Organização (Abreviado: PRO ) RECURSOS HUMANOS Definir os StakeHolders (partes interessadas) no PRO RECURSOS HUMANOS Planejar e definir atribuições e responsabilidades da equipe da Restruturação da Organização ESCOPO Planejamento do gerenciamento e definição da Restruturação da Organização CUSTO Planejar e estimar um Custo / Orçamento da Restruturação da Organização TEMPO Planejar e definir cronograma da Restruturação da Organização. Definir as atividades e suas sequências
  • 49. NOVOMODELODEGESTÃOxGESTÃOESTAGNADA PLANEJAR X IMPROVISAR INOVAR X ESTAGNAR INFORMAR X DESINFORMAR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL X DESQUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL AUTO-ESTIMA PROFISSIONAL X BAIXA AUTO-ESTIMA PROFISSIONAL PRODUTIVIDADE X IMPRODUTIVIDADE CONTROLE X DESCONTROLE QUALIDADE X DEFICIÊNCIA ECONOMIA X DESPERDÍCIO COMPROMETIMENTO X DESCOMPROMETIMENTO ORGANIZADA X DESORGANIZADA LUCRO X PREJUÍZO