SlideShare uma empresa Scribd logo
Os Navegadores e Comerciantes da Antiguidade
Localização Geográfica
Fenícia é nome dado a antiga
civilização que se desenvolveu ao
longo da regiões litorânea do
atual Líbano.
Síria
Líbano
Estado de Israel
Localização geográfica do Líbano, Síria e Israel.
Imagem da capital Beirute
(Líbano) - Página 163
Os fenícios ocupavam uma estreita faixa de terra
situada entre o litoral do Mediterrâneo (costa
oriental) e montanhas do atual Líbano.
Uma pequena parte do território
era fértil e a outra parte do território
era muito quente e árida, com secas
praticamente o ano inteiro.
As altas montanhas impediam os
fenícios de adentrar o continente,
assim eles voltaram seus esforços
para o mar, primeiramente a pesca,
e depois tornaram-se os.....
....GRANDES NAVEGANTES
DO MUNDO ANTIGO.
Principais cidades Fenícias
O mapa mostra as PRINCIPAIS CIDADES como
também as principais ROTAS COMERCIAIS usadas
pelos fenícios, além de algumas de suas COLÔNIAS.
Na Fenícia não havia
Estado unificado já
que suas cidades eram
cidades-Estados,
assim cada uma
destas constituía uma
unidade política
independente, que
frequentemente
entravam em conflito
entre si e podiam
dominar umas as
outras, embora
houvesse momentos
de alianças.
Atividades econômicas
O comércio marítimo
era a principal
atividades econômica,
tanto é que os fenícios
eram conhecidos como
os navegadores da
Antiguidade.
A área agricultável era
destinada ao cultivo de
CEREAIS, FRUTAS e
AZEITONAS.
Principais áreas de comércio da
Fenícia
Principais áreas de comércio da
Fenícia
Outra versão
de Mapa!
Os principais produtos comercializados
eram:
Cedro
Potes de Cerâmica Armas de bronze
Objetos e vasos de vidro
Página 163
Azeite de Oliva
Perfumes
Joiás
Objetos de marfim
Tecidos de algodão
Púrpura
Página 162
Os fenícios comercializavam tanto o que
produziam, quanto os produtos de outros povos,
como o papiro, linho, marfim e entre outros.
A atividade comercial era atividade econômica mais
importante, por isso os fenícios expandiram seus
territórios em direção da Europa e norte da África
onde fundaram colônias. As colônias serviam de
entrepostos comerciais (feitorias).
Os fenícios
trocavam suas
mercadorias por
METAIS (ouro,
prata e
estanho),
CEREAIS e
ESCRAVOS.
A navegação avançada permitiu aos
fenícios cruzar o Mar Mediterrâneo e
chegar até o Oceano Atlântico.
Página 163
Os fenícios fundaram várias colônias
chamadas empórios, na costa da
África e na da Espanha, voltadas para
o comércio e a troca de mercadorias.
Os Fenícios - 6º Ano (2018)
Porto fenício.
A sociedade Fenícia
O poder social
na Fenícia
estava
relacionado com
o mar e
concentrado nas
mãos de uma
pequena
aristocracia
(grandes
comerciantes).
Operários e marinheiros
Para registrar as transações comerciais com
mais facilidade os fenícios criaram o alfabeto,
que no início era composto com 22 sinais que
representavam o som de consoantes.
Foi a grande invenção
fenícia para o mundo!!!
Página 165
A religião dos fenícios era politeísta e antropomórfica, além
disso suas divindades religiosas estavam associadas às forças
da natureza, aos astros e a fertilidade.
A religião fenícia sofreu muito a influência dos mitos
mesopotâmicos e egípcios. Os deuses fenícios são chamados
Baal e Baalat, “senhor” e senhora”, porque era proibido
pronunciar seus verdadeiros nomes.
Estatuetas representando os
Deus fenício Baal.
Aspectos religiosos
Divindidades Fenícias
Cada cidade tinha seu deus, Baal
(senhor), associado muitas vezes a
uma entidade feminina - Baalat. O
Baal de Sidon era Eshmun (deus
da saúde). Biblos adorava Adônis
(deus da vegetação), cujo culto se
associava ao de Ashtart, deusa dos
bens terrestres, do amor e da
primavera, da fecundidade e da
alegria. Em Tiro rendia-se culto a
Melcart e Tanit.
A Fenícia se localizava em uma região de passagem entre os
povos da Ásia e o Egito. Por essa razão, todos os grandes
impérios da Antiguidade, formados nas proximidades do Mar
Mediterrâneo, apoderaram-se do território fenício. Foi o caso
dos impérios egípcio, assírio, caldeu, macedônico e romano. O
resultado disso foi que os fenícios receberam diversas
influências culturais, que depois eles se encarregaram de adaptar
e difundir pela região do Mediterrâneo.
Página 165
Existem registros que
indicam que
possivelmente os
fenícios chegaram na
América primeiramente
que os portugueses e
espanhóis.
PARA FECHAR...
Tarefa
Página 170 e 171
Nos
4, 5, 6 e 7.
Agora, anote no
seu caderno!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
Nefer19
 
6° hebreus,fenicios e persas
6° hebreus,fenicios e persas6° hebreus,fenicios e persas
6° hebreus,fenicios e persas
Ajudar Pessoas
 
O egito antigo
O egito antigoO egito antigo
O egito antigo
Espanhol Puríssimo
 
1° ano - Grécia Antiga
1° ano -  Grécia Antiga1° ano -  Grécia Antiga
1° ano - Grécia Antiga
Daniel Alves Bronstrup
 
A África antiga
A África antigaA África antiga
A África antiga
Ana Carvalho
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
cattonia
 
1° ano E.M. - Antigo Egito
1° ano E.M. -  Antigo Egito1° ano E.M. -  Antigo Egito
1° ano E.M. - Antigo Egito
Daniel Alves Bronstrup
 
Antigas civilizações
Antigas civilizações Antigas civilizações
Antigas civilizações
Adail Silva
 
Os Persas - 6º Ano (2018)
Os Persas - 6º Ano (2018)Os Persas - 6º Ano (2018)
Os Persas - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
Persas
PersasPersas
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
Daniel Alves Bronstrup
 
Antiguidade Oriental
Antiguidade OrientalAntiguidade Oriental
Antiguidade Oriental
José Augusto Fiorin
 
Fenícios
FeníciosFenícios
Fenícios
najlaghaouchee
 
Mundo Grego
Mundo GregoMundo Grego
Mundo Grego
Camila Brito
 
Fenícios E Persas
Fenícios E PersasFenícios E Persas
Fenícios E Persas
claudiaveiro
 
Grecia Antiga: Atenas e Esparta
Grecia Antiga: Atenas e EspartaGrecia Antiga: Atenas e Esparta
Grecia Antiga: Atenas e Esparta
Alexandre Protásio
 
Astecas maias e incas
Astecas maias e incasAstecas maias e incas
Astecas maias e incas
Fabiana Tonsis
 
Povos pré colombianos
Povos pré colombianosPovos pré colombianos
Povos pré colombianos
Nila Michele Bastos Santos
 
Grandes navegações
Grandes navegaçõesGrandes navegações
Grandes navegações
Fabiana Tonsis
 

Mais procurados (20)

A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
 
6° hebreus,fenicios e persas
6° hebreus,fenicios e persas6° hebreus,fenicios e persas
6° hebreus,fenicios e persas
 
O egito antigo
O egito antigoO egito antigo
O egito antigo
 
1° ano - Grécia Antiga
1° ano -  Grécia Antiga1° ano -  Grécia Antiga
1° ano - Grécia Antiga
 
A África antiga
A África antigaA África antiga
A África antiga
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
 
1° ano E.M. - Antigo Egito
1° ano E.M. -  Antigo Egito1° ano E.M. -  Antigo Egito
1° ano E.M. - Antigo Egito
 
Antigas civilizações
Antigas civilizações Antigas civilizações
Antigas civilizações
 
Os Persas - 6º Ano (2018)
Os Persas - 6º Ano (2018)Os Persas - 6º Ano (2018)
Os Persas - 6º Ano (2018)
 
Persas
PersasPersas
Persas
 
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
 
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
 
Antiguidade Oriental
Antiguidade OrientalAntiguidade Oriental
Antiguidade Oriental
 
Fenícios
FeníciosFenícios
Fenícios
 
Mundo Grego
Mundo GregoMundo Grego
Mundo Grego
 
Fenícios E Persas
Fenícios E PersasFenícios E Persas
Fenícios E Persas
 
Grecia Antiga: Atenas e Esparta
Grecia Antiga: Atenas e EspartaGrecia Antiga: Atenas e Esparta
Grecia Antiga: Atenas e Esparta
 
Astecas maias e incas
Astecas maias e incasAstecas maias e incas
Astecas maias e incas
 
Povos pré colombianos
Povos pré colombianosPovos pré colombianos
Povos pré colombianos
 
Grandes navegações
Grandes navegaçõesGrandes navegações
Grandes navegações
 

Semelhante a Os Fenícios - 6º Ano (2018)

Fenícios
Fenícios Fenícios
Fenícios
Izaac Erder
 
Os Fenícios (6º Ano - 2016)
Os Fenícios (6º Ano - 2016)Os Fenícios (6º Ano - 2016)
Os Fenícios (6º Ano - 2016)
Nefer19
 
Os Fenícios - 6º Ano (2017)
Os Fenícios - 6º Ano (2017)Os Fenícios - 6º Ano (2017)
Os Fenícios - 6º Ano (2017)
Nefer19
 
Fenícios.ppt
Fenícios.pptFenícios.ppt
Fenícios.ppt
wagnerwaj
 
Fenícios (2).ppt
Fenícios (2).pptFenícios (2).ppt
Fenícios (2).ppt
MaraMagana2
 
Fenícios
FeníciosFenícios
Fenícios
Lucas Reis
 
Fenicios
FeniciosFenicios
Fenicios
Paloma Meneses
 
FENÍCIOS, HEBREUS E PERSAS aula 30-05-2019.pptx
FENÍCIOS, HEBREUS E PERSAS aula 30-05-2019.pptxFENÍCIOS, HEBREUS E PERSAS aula 30-05-2019.pptx
FENÍCIOS, HEBREUS E PERSAS aula 30-05-2019.pptx
Elisa Maria Gomide
 
Hebreus, Fenícios e Persas
Hebreus, Fenícios e PersasHebreus, Fenícios e Persas
Hebreus, Fenícios e Persas
Fabiane Santana
 
Fenícios
FeníciosFenícios
Fenícios
Ramon Chieppe
 
Fenícios
FeníciosFenícios
Fenícios
Ramon Chieppe
 
Os fenícios
Os feníciosOs fenícios
Os fenícios
Fátima da História
 
Fenícios
FeníciosFenícios
Fenícios
FeníciosFenícios
Fenícios
FeníciosFenícios
Fenícios
Valeria Kosicki
 
Fenícios
FeníciosFenícios
Fenicios slide
Fenicios slideFenicios slide
Fenicios slide
Isabel Aguiar
 
A fenícia
A feníciaA fenícia
A fenícia
historiando
 
SLIDE(FENÍCIOS) 1° 1_240604_205606.pdf
SLIDE(FENÍCIOS) 1°    1_240604_205606.pdfSLIDE(FENÍCIOS) 1°    1_240604_205606.pdf
SLIDE(FENÍCIOS) 1° 1_240604_205606.pdf
AnglicadaCruz
 
Feníncios
FenínciosFeníncios

Semelhante a Os Fenícios - 6º Ano (2018) (20)

Fenícios
Fenícios Fenícios
Fenícios
 
Os Fenícios (6º Ano - 2016)
Os Fenícios (6º Ano - 2016)Os Fenícios (6º Ano - 2016)
Os Fenícios (6º Ano - 2016)
 
Os Fenícios - 6º Ano (2017)
Os Fenícios - 6º Ano (2017)Os Fenícios - 6º Ano (2017)
Os Fenícios - 6º Ano (2017)
 
Fenícios.ppt
Fenícios.pptFenícios.ppt
Fenícios.ppt
 
Fenícios (2).ppt
Fenícios (2).pptFenícios (2).ppt
Fenícios (2).ppt
 
Fenícios
FeníciosFenícios
Fenícios
 
Fenicios
FeniciosFenicios
Fenicios
 
FENÍCIOS, HEBREUS E PERSAS aula 30-05-2019.pptx
FENÍCIOS, HEBREUS E PERSAS aula 30-05-2019.pptxFENÍCIOS, HEBREUS E PERSAS aula 30-05-2019.pptx
FENÍCIOS, HEBREUS E PERSAS aula 30-05-2019.pptx
 
Hebreus, Fenícios e Persas
Hebreus, Fenícios e PersasHebreus, Fenícios e Persas
Hebreus, Fenícios e Persas
 
Fenícios
FeníciosFenícios
Fenícios
 
Fenícios
FeníciosFenícios
Fenícios
 
Os fenícios
Os feníciosOs fenícios
Os fenícios
 
Fenícios
FeníciosFenícios
Fenícios
 
Fenícios
FeníciosFenícios
Fenícios
 
Fenícios
FeníciosFenícios
Fenícios
 
Fenícios
FeníciosFenícios
Fenícios
 
Fenicios slide
Fenicios slideFenicios slide
Fenicios slide
 
A fenícia
A feníciaA fenícia
A fenícia
 
SLIDE(FENÍCIOS) 1° 1_240604_205606.pdf
SLIDE(FENÍCIOS) 1°    1_240604_205606.pdfSLIDE(FENÍCIOS) 1°    1_240604_205606.pdf
SLIDE(FENÍCIOS) 1° 1_240604_205606.pdf
 
Feníncios
FenínciosFeníncios
Feníncios
 

Mais de Nefer19

As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
China Antiga - 6º Ano (2018)
China Antiga - 6º Ano (2018)China Antiga - 6º Ano (2018)
China Antiga - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
O Renascimento - 7º Ano (2018)
O Renascimento - 7º Ano (2018)O Renascimento - 7º Ano (2018)
O Renascimento - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
Tectonismo e Vulcanismo - 6º Ano (2018)
Tectonismo e Vulcanismo -  6º Ano (2018)Tectonismo e Vulcanismo -  6º Ano (2018)
Tectonismo e Vulcanismo - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
As Diferentes Regionalizações do Brasil - 7º Ano (2018)
As Diferentes Regionalizações do Brasil - 7º Ano (2018)As Diferentes Regionalizações do Brasil - 7º Ano (2018)
As Diferentes Regionalizações do Brasil - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2018)
A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2018)A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2018)
A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
A Baixa Idade Média - 7º Ano (2018)
A Baixa Idade Média - 7º Ano (2018)A Baixa Idade Média - 7º Ano (2018)
A Baixa Idade Média - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2018)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2018)O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2018)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)
Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)
Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
Os Municípios e as Regiões Metropolitanas - 7º Ano (2018)
Os Municípios e as Regiões Metropolitanas - 7º Ano (2018)Os Municípios e as Regiões Metropolitanas - 7º Ano (2018)
Os Municípios e as Regiões Metropolitanas - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2018)
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2018)A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2018)
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
África Medieval - 7º Ano (2018)
África Medieval - 7º Ano (2018)África Medieval - 7º Ano (2018)
África Medieval - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
O Sistema Solar - 6º ANO (2018)
O Sistema Solar - 6º ANO (2018)O Sistema Solar - 6º ANO (2018)
O Sistema Solar - 6º ANO (2018)
Nefer19
 
O Brasil no Mundo - 7º Ano (2018)
O Brasil no Mundo - 7º Ano (2018)O Brasil no Mundo - 7º Ano (2018)
O Brasil no Mundo - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
Aspectos Populacionais do Brasil 3 - 7º Ano (2018)
Aspectos Populacionais do Brasil 3  - 7º Ano (2018)Aspectos Populacionais do Brasil 3  - 7º Ano (2018)
Aspectos Populacionais do Brasil 3 - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
Aspectos Populacionais do Brasil 2 - 7º Ano (2018)
Aspectos Populacionais do Brasil 2  - 7º Ano (2018)Aspectos Populacionais do Brasil 2  - 7º Ano (2018)
Aspectos Populacionais do Brasil 2 - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
Aspectos Populacionais do Brasil 1 - 7º Ano (2018)
Aspectos Populacionais do Brasil 1 - 7º Ano (2018)Aspectos Populacionais do Brasil 1 - 7º Ano (2018)
Aspectos Populacionais do Brasil 1 - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
O Universo - 6º Ano (2018)
O Universo - 6º Ano (2018)O Universo - 6º Ano (2018)
O Universo - 6º Ano (2018)
Nefer19
 

Mais de Nefer19 (20)

As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
 
China Antiga - 6º Ano (2018)
China Antiga - 6º Ano (2018)China Antiga - 6º Ano (2018)
China Antiga - 6º Ano (2018)
 
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
 
O Renascimento - 7º Ano (2018)
O Renascimento - 7º Ano (2018)O Renascimento - 7º Ano (2018)
O Renascimento - 7º Ano (2018)
 
Tectonismo e Vulcanismo - 6º Ano (2018)
Tectonismo e Vulcanismo -  6º Ano (2018)Tectonismo e Vulcanismo -  6º Ano (2018)
Tectonismo e Vulcanismo - 6º Ano (2018)
 
As Diferentes Regionalizações do Brasil - 7º Ano (2018)
As Diferentes Regionalizações do Brasil - 7º Ano (2018)As Diferentes Regionalizações do Brasil - 7º Ano (2018)
As Diferentes Regionalizações do Brasil - 7º Ano (2018)
 
A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2018)
A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2018)A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2018)
A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2018)
 
A Baixa Idade Média - 7º Ano (2018)
A Baixa Idade Média - 7º Ano (2018)A Baixa Idade Média - 7º Ano (2018)
A Baixa Idade Média - 7º Ano (2018)
 
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)
 
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2018)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2018)O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2018)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2018)
 
Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)
Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)
Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)
 
Os Municípios e as Regiões Metropolitanas - 7º Ano (2018)
Os Municípios e as Regiões Metropolitanas - 7º Ano (2018)Os Municípios e as Regiões Metropolitanas - 7º Ano (2018)
Os Municípios e as Regiões Metropolitanas - 7º Ano (2018)
 
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2018)
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2018)A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2018)
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2018)
 
África Medieval - 7º Ano (2018)
África Medieval - 7º Ano (2018)África Medieval - 7º Ano (2018)
África Medieval - 7º Ano (2018)
 
O Sistema Solar - 6º ANO (2018)
O Sistema Solar - 6º ANO (2018)O Sistema Solar - 6º ANO (2018)
O Sistema Solar - 6º ANO (2018)
 
O Brasil no Mundo - 7º Ano (2018)
O Brasil no Mundo - 7º Ano (2018)O Brasil no Mundo - 7º Ano (2018)
O Brasil no Mundo - 7º Ano (2018)
 
Aspectos Populacionais do Brasil 3 - 7º Ano (2018)
Aspectos Populacionais do Brasil 3  - 7º Ano (2018)Aspectos Populacionais do Brasil 3  - 7º Ano (2018)
Aspectos Populacionais do Brasil 3 - 7º Ano (2018)
 
Aspectos Populacionais do Brasil 2 - 7º Ano (2018)
Aspectos Populacionais do Brasil 2  - 7º Ano (2018)Aspectos Populacionais do Brasil 2  - 7º Ano (2018)
Aspectos Populacionais do Brasil 2 - 7º Ano (2018)
 
Aspectos Populacionais do Brasil 1 - 7º Ano (2018)
Aspectos Populacionais do Brasil 1 - 7º Ano (2018)Aspectos Populacionais do Brasil 1 - 7º Ano (2018)
Aspectos Populacionais do Brasil 1 - 7º Ano (2018)
 
O Universo - 6º Ano (2018)
O Universo - 6º Ano (2018)O Universo - 6º Ano (2018)
O Universo - 6º Ano (2018)
 

Último

Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
Faga1939
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Luzia Gabriele
 
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
GrazielaTorrezan
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
IsaiasJohaneSimango
 

Último (20)

Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
 
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
 

Os Fenícios - 6º Ano (2018)

  • 1. Os Navegadores e Comerciantes da Antiguidade
  • 2. Localização Geográfica Fenícia é nome dado a antiga civilização que se desenvolveu ao longo da regiões litorânea do atual Líbano.
  • 3. Síria Líbano Estado de Israel Localização geográfica do Líbano, Síria e Israel. Imagem da capital Beirute (Líbano) - Página 163
  • 4. Os fenícios ocupavam uma estreita faixa de terra situada entre o litoral do Mediterrâneo (costa oriental) e montanhas do atual Líbano.
  • 5. Uma pequena parte do território era fértil e a outra parte do território era muito quente e árida, com secas praticamente o ano inteiro. As altas montanhas impediam os fenícios de adentrar o continente, assim eles voltaram seus esforços para o mar, primeiramente a pesca, e depois tornaram-se os..... ....GRANDES NAVEGANTES DO MUNDO ANTIGO.
  • 6. Principais cidades Fenícias O mapa mostra as PRINCIPAIS CIDADES como também as principais ROTAS COMERCIAIS usadas pelos fenícios, além de algumas de suas COLÔNIAS.
  • 7. Na Fenícia não havia Estado unificado já que suas cidades eram cidades-Estados, assim cada uma destas constituía uma unidade política independente, que frequentemente entravam em conflito entre si e podiam dominar umas as outras, embora houvesse momentos de alianças.
  • 8. Atividades econômicas O comércio marítimo era a principal atividades econômica, tanto é que os fenícios eram conhecidos como os navegadores da Antiguidade. A área agricultável era destinada ao cultivo de CEREAIS, FRUTAS e AZEITONAS.
  • 9. Principais áreas de comércio da Fenícia
  • 10. Principais áreas de comércio da Fenícia Outra versão de Mapa!
  • 11. Os principais produtos comercializados eram: Cedro
  • 12. Potes de Cerâmica Armas de bronze Objetos e vasos de vidro Página 163
  • 16. Os fenícios comercializavam tanto o que produziam, quanto os produtos de outros povos, como o papiro, linho, marfim e entre outros.
  • 17. A atividade comercial era atividade econômica mais importante, por isso os fenícios expandiram seus territórios em direção da Europa e norte da África onde fundaram colônias. As colônias serviam de entrepostos comerciais (feitorias). Os fenícios trocavam suas mercadorias por METAIS (ouro, prata e estanho), CEREAIS e ESCRAVOS.
  • 18. A navegação avançada permitiu aos fenícios cruzar o Mar Mediterrâneo e chegar até o Oceano Atlântico. Página 163
  • 19. Os fenícios fundaram várias colônias chamadas empórios, na costa da África e na da Espanha, voltadas para o comércio e a troca de mercadorias.
  • 22. A sociedade Fenícia O poder social na Fenícia estava relacionado com o mar e concentrado nas mãos de uma pequena aristocracia (grandes comerciantes). Operários e marinheiros
  • 23. Para registrar as transações comerciais com mais facilidade os fenícios criaram o alfabeto, que no início era composto com 22 sinais que representavam o som de consoantes. Foi a grande invenção fenícia para o mundo!!! Página 165
  • 24. A religião dos fenícios era politeísta e antropomórfica, além disso suas divindades religiosas estavam associadas às forças da natureza, aos astros e a fertilidade. A religião fenícia sofreu muito a influência dos mitos mesopotâmicos e egípcios. Os deuses fenícios são chamados Baal e Baalat, “senhor” e senhora”, porque era proibido pronunciar seus verdadeiros nomes. Estatuetas representando os Deus fenício Baal. Aspectos religiosos
  • 25. Divindidades Fenícias Cada cidade tinha seu deus, Baal (senhor), associado muitas vezes a uma entidade feminina - Baalat. O Baal de Sidon era Eshmun (deus da saúde). Biblos adorava Adônis (deus da vegetação), cujo culto se associava ao de Ashtart, deusa dos bens terrestres, do amor e da primavera, da fecundidade e da alegria. Em Tiro rendia-se culto a Melcart e Tanit.
  • 26. A Fenícia se localizava em uma região de passagem entre os povos da Ásia e o Egito. Por essa razão, todos os grandes impérios da Antiguidade, formados nas proximidades do Mar Mediterrâneo, apoderaram-se do território fenício. Foi o caso dos impérios egípcio, assírio, caldeu, macedônico e romano. O resultado disso foi que os fenícios receberam diversas influências culturais, que depois eles se encarregaram de adaptar e difundir pela região do Mediterrâneo. Página 165
  • 27. Existem registros que indicam que possivelmente os fenícios chegaram na América primeiramente que os portugueses e espanhóis. PARA FECHAR...
  • 28. Tarefa Página 170 e 171 Nos 4, 5, 6 e 7. Agora, anote no seu caderno!

Notas do Editor

  1. Site da imagem: http://sala19.wordpress.com/tag/navegacao-fenicia/
  2. Ver site: http://www.google.com.br/imgres?imgurl=http://0.tqn.com/d/arthistory/1/0/l/k/aae_mfab_0809_02.jpg&imgrefurl=http://arthistory.about.com/od/from_exhibitions/ig/treasures_from_assyria/aae_mfab_0809_02.htm&usg=__1hewA-zHn1ikZ4NgnuZmK2kqaQ4=&h=1140&w=1200&sz=266&hl=pt-BR&start=19&zoom=1&um=1&itbs=1&tbnid=8Lhu7iIwa7rW3M:&tbnh=143&tbnw=150&prev=/images%3Fq%3DPhoenician%2Bivory%2Bobjects%26start%3D18%26um%3D1%26hl%3Dpt-BR%26sa%3DN%26ndsp%3D18%26tbs%3Disch:1
  3. http://www.tesorillo.com/oca/fenicia/fenicia.htm
  4. Site da imagem: http://clio-esteio.blogspot.com.br/2009_06_01_archive.html