SlideShare uma empresa Scribd logo
CHINA ANTIGA
Sendo parte de uma das mais antigas e importante
civilizações do mundo Oriental, o Império Chinês já existia
antes mesmo da ascensão de Roma no mundo antigo, e
perdurou mesmo após a queda do Império Romano.
CHINA ANTIGA
• NEOLÍTICO (c. 7000 a.C)
- Observa-se a formação dos
primeiros grupos humanos nas
margens dos rios AMARELO
(Huang-Ho) e Azul (Yang-Tsé).
Pág. 176
Os grupos que viviam no vale do
rio Amarelo aproveitam das
águas (uso diário) e do solo de
loess (de cor amarelada e
extremamente fértil) para o cultivos
de cereais e da criação de animais.
CHINA ANTIGA
Entre os principais grupos destacam-se no período Neolítico estão:
• Culturas Yangshao;
• Cultura Longshan.
Pág. 177
Esse mapa mostra a área
aproximada dos culturas
Longshan e Yangshao, note que
as duas se desenvolveram ao
longo do rio Amarelo.
CHINA ANTIGA
• Nesse período esses grupos já desenvolviam:
- a agricultura (arroz, painço, hortaliças, frutas, nozes e entre outros);
- a pecuária (cachorros, porcos, cabras, bois, ovelhas e galinhas);  Página 176
- a artesanato (cerâmica e seda);  Página 177
- a metalurgia (cobre).
Como se desenvolveram as margens do rios Amarelo e Azul já tinham domínio
de técnicas de controle das águas.
CHINA ANTIGA
União de grupos de famílias (clãs), ao longo do Neolítico, fez surgir
governantes que passaram a suceder no poder, de modo hereditário. A história
de disputa é marcada pela disputa pelo poder (imperadores e nobres).
Fato que fez surgir:
DINASTIAS CHINESAS
CHINA ANTIGA
Esse mapa mostra a
expansão territorial
da China Antiga ao
longo das dinastias
que a governaram.
CHINA ANTIGA
Entre as principais DINASTIAS CHINESAS que destacaram-se na Antiguidade estão:
• CHIÁ (2000 a.C. a 1750 a.C)
- Marca o processo de origem do império chinês (através de alianças e disputas) ao
longo rio Amarelo
• SHANG (1750 a.C a 1122 a.C.)
- Deu início ao desenvolvimento do comércio na China.
• CHOU (1122 a.C. a 481 a.C)
- Mais longa dinastia a governar a China.
LEITURA
Pág. 179
CHINA ANTIGA
• Era dos Reinos Combatentes (481 a.C. a 221 a.C)
- Diferentes reinos disputam entre si o poder.
• CHIN (ou Qin) (221 a.C. a 210 a.C.)
- Rei CHIN CHE HUANG TI unificou a China.
- Construção da Grande Muralha da China.
• HAN (206 a.C. a 220)
- Desenvolvimento do comércio, através da Rota da Seda.
LEITURA
Pág. 179
China Antiga - 6º Ano (2018)
Período Chin
Foi a partir do governo do rei Chin Che Huang Ti (Chin
Huang Di) que passou a existir uma China unificada.
Principais fatos relacionados ao seu governo:
- Elaboração de um novo código de leis;
- Padronização dos pesos e medidas, da escrita e da moeda;
- Criação da Muralha da China, para proteger a China dos
ataques do norte.
Pág. 179
Muralha da China
Pág. 181
Soldados de terracota do rei Chin
Pág. 180
Período Han
Com a morte do rei Chin a China passou
por um período de turbulência, mas com
a chegada Liu Bang (funcionário imperial
de origem camponesa) ao poder tem-se
início o período Han.
No período da dinastia Han a China viveu
um período de grande prosperidade,
derivada principalmente do comércio da
Seda.
Pág. 182
Rota da Seda
Além da seda os
chineses
comercializavam
especiarias (canela,
cravo e gengibre),
cereais, ferro, bronze,
madeira e entre
outros.
Mesopotâmia
Persas
Gregos
Os chineses
compravam
principalmente
metais preciosos,
marfim, tecidos de
lã, linho, cavalo e
vinho.
Romanos
O Cultivo da Seda
Pág. 178
Fim do Período Han
Na falta de herdeiro legítimo (século III) para dar continuidade a Dinastia
Han a China passou por um período de grandes disputas pelo poder. O
povo fugia das suas terras para manter tentar se proteger. Fato que aumentou
ainda mais a pobreza devido a concentração das terras (latifundiários) nas mãos
de poucos.
Essa imensa diferença social gerou ainda mais
conflitos (cidades inteiras foram incendiadas) fato
que levou ao fim da dinastia Han.
A primeira dinastia a
governar a China na Idade
Média foi a Dinastia Jin
Sociedade na China Antiga
Nobreza
Mercadores e
artesãos
Trabalhadores pobres
Pág. 184
Imperador
Sociedade na China Antiga
Pertenciam a família do imperador ou
eram funcionários reais. Também faziam
parte desse grupo os intelectuais.
Possuíam as maiores e
melhores terras
cultivadas por inúmeros
camponeses.
Muitos nobres possuíam um
exército, fato que lhes dava um
enorme poder dentro e fora do
seu domínio.
Nas famílias nobres o
homem tinha
autoridade sobre
esposas e filhos.
Nobreza
Mercadores e
artesãos
Trabalhadores pobres
Imperador
Da nobreza saíam os altos funcionários
(coletores de impostos, juízes, chefes de
polícia e mandarins (auxiliares diretos
dos reis, como o vizir no Egito Antigo).
A imagem ao lado mostra a figura de um vizir, auxiliar do
imperador na China Antiga.
Sociedade na China Antiga
Eram principalmente comerciantes
(tecidos de seda, cerâmicas, instrumentos
de agricultura e entre outras mercadorias)
e artesãos. Com o tempo, o
desenvolvimento do comércio, a
sociedade imperial se diversificou,
aumento o números de artesãos,
comerciantes e funcionários públicos.
Nobreza
Mercadores e
artesãos
Trabalhadores pobres
Imperador
Sociedade na China Antiga
Representavam grande parcela
da população. Era composta
basicamente por agricultores
(ou construtores) e escravos.
Trabalhavam na terra dos nobres
em troca de uma pequena parte da
colheita, tinham o direito de cultivar
um pequeno terreno para o
sustento familiar.
Trabalham nas
grandes obras
públicas e serviam
como soldados em
períodos de guerra.
Nobreza
Mercadores e
artesãos
Trabalhadores pobres
Imperador
Quando ocorriam enchentes, guerras e
secas prolongadas os camponeses
passavam fome, daí a explicação para
os numerosos conflitos (dinastia
Han) iniciados por esse grupo.
Sociedade na China Antiga
Em épocas de guerra
todos os membros da
sociedade eram
recrutados para lutar no
exército e defender o
território.
Nobreza
Mercadores e
artesãos
Trabalhadores pobres
Imperador
Religião na China Antiga
Foi no período Han que difundiram três correntes religiosas na China Antiga:
CONFUCIONISMO
BUDISMO
TAOÍSMO
Pág. 184
Invenções Chinesas
Papel chinês
Impressa
Invenções Chinesas
Ábaco
Pipa
Porcelana
Invenções Chinesas
Guarda-Sol
Pincel
Pólvora (Fogos de
Artificio)
Invenções Chinesas
Técnicas de acupuntura
Macarrão
Invenções Chinesas
Bússola
Além disso os
chineses inventaram
fogos de artificio,
sismógrafo, técnicas
de engenharia, etc.
ATIVIDADES
• Página 187 Nº 6.
• Página 188 e 189 (Vozes do Passado).
• Página 190 e 191 (Cruzando Fontes e Você cidadão).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia
Daniel Alves Bronstrup
 
Povos germânicos
Povos germânicosPovos germânicos
Povos germânicos
Eduard Henry
 
Slide feudalismo 7 ano
Slide feudalismo 7 anoSlide feudalismo 7 ano
Slide feudalismo 7 ano
profbrenoazevedo
 
1° ano E.M. - Antigo Egito
1° ano E.M. -  Antigo Egito1° ano E.M. -  Antigo Egito
1° ano E.M. - Antigo Egito
Daniel Alves Bronstrup
 
Incas , astecas e maias
Incas , astecas e maiasIncas , astecas e maias
Incas , astecas e maias
Daniel Alves Bronstrup
 
A Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisA Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados Nacionais
Douglas Barraqui
 
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma AntigaRevisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Janaína Bindá
 
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
Nefer19
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
Daniel Alves Bronstrup
 
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
Fabiana Tonsis
 
1° ano - Grécia Antiga
1° ano -  Grécia Antiga1° ano -  Grécia Antiga
1° ano - Grécia Antiga
Daniel Alves Bronstrup
 
Grécia antiga período clássico
Grécia antiga   período clássicoGrécia antiga   período clássico
Grécia antiga período clássico
Fatima Freitas
 
Tempo e história
Tempo e históriaTempo e história
China antiga
China antigaChina antiga
China antiga
valdeck1
 
Conjuração Mineira e Baiana
Conjuração Mineira e BaianaConjuração Mineira e Baiana
Conjuração Mineira e Baiana
Aulas de História
 
Indígenas na américa
Indígenas na américaIndígenas na américa
Indígenas na américa
harlissoncarvalho
 
Astecas maias e incas
Astecas maias e incasAstecas maias e incas
Astecas maias e incas
Fabiana Tonsis
 
China Antiga - 6º Ano (2016)
China Antiga - 6º Ano (2016)China Antiga - 6º Ano (2016)
China Antiga - 6º Ano (2016)
Nefer19
 
Resumo china e índia
Resumo   china e índiaResumo   china e índia
Resumo china e índia
Claudenilson da Silva
 

Mais procurados (20)

1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia
 
Povos germânicos
Povos germânicosPovos germânicos
Povos germânicos
 
Slide feudalismo 7 ano
Slide feudalismo 7 anoSlide feudalismo 7 ano
Slide feudalismo 7 ano
 
1° ano E.M. - Antigo Egito
1° ano E.M. -  Antigo Egito1° ano E.M. -  Antigo Egito
1° ano E.M. - Antigo Egito
 
Incas , astecas e maias
Incas , astecas e maiasIncas , astecas e maias
Incas , astecas e maias
 
A Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisA Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados Nacionais
 
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma AntigaRevisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
 
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
 
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
1° ano - Grécia Antiga
1° ano -  Grécia Antiga1° ano -  Grécia Antiga
1° ano - Grécia Antiga
 
Grécia antiga período clássico
Grécia antiga   período clássicoGrécia antiga   período clássico
Grécia antiga período clássico
 
Tempo e história
Tempo e históriaTempo e história
Tempo e história
 
China antiga
China antigaChina antiga
China antiga
 
Conjuração Mineira e Baiana
Conjuração Mineira e BaianaConjuração Mineira e Baiana
Conjuração Mineira e Baiana
 
Indígenas na américa
Indígenas na américaIndígenas na américa
Indígenas na américa
 
Astecas maias e incas
Astecas maias e incasAstecas maias e incas
Astecas maias e incas
 
China Antiga - 6º Ano (2016)
China Antiga - 6º Ano (2016)China Antiga - 6º Ano (2016)
China Antiga - 6º Ano (2016)
 
Resumo china e índia
Resumo   china e índiaResumo   china e índia
Resumo china e índia
 

Semelhante a China Antiga - 6º Ano (2018)

China Antiga - 6º Ano (2017)
China Antiga - 6º Ano (2017)China Antiga - 6º Ano (2017)
China Antiga - 6º Ano (2017)
Nefer19
 
A china antiga
A china antigaA china antiga
A china antiga
Nelia Salles Nantes
 
Antiguidade clássica roma 7ano
Antiguidade clássica roma 7anoAntiguidade clássica roma 7ano
Antiguidade clássica roma 7ano
Leonardo Caputo
 
Roma antiga queda e ancensão
Roma antiga queda e ancensãoRoma antiga queda e ancensão
Roma antiga queda e ancensão
Adail Silva
 
1ano-imprioromano-completo-120528142621-phpapp01.pptx
1ano-imprioromano-completo-120528142621-phpapp01.pptx1ano-imprioromano-completo-120528142621-phpapp01.pptx
1ano-imprioromano-completo-120528142621-phpapp01.pptx
mariapinheiro710
 
Império Romano e Alta idade Média, História
Império Romano e Alta idade Média, HistóriaImpério Romano e Alta idade Média, História
Império Romano e Alta idade Média, História
Pedro Artigas Daiha
 
Índia e china antigas
Índia e china antigasÍndia e china antigas
Índia e china antigas
Julio Cesar Yusuf Cavalcanti
 
R O M A A N T I G A
R O M A  A N T I G AR O M A  A N T I G A
R O M A A N T I G A
guest991a823b
 
china antiga.pptx
china antiga.pptxchina antiga.pptx
china antiga.pptx
JulioCosta107411
 
Da república para o império roma antiga
Da república para o império   roma antigaDa república para o império   roma antiga
Da república para o império roma antiga
historiando
 
Império romano ascensão e crise
Império romano  ascensão e crise Império romano  ascensão e crise
Império romano ascensão e crise
Patrick Von Braun
 
Aula 03 roma
Aula 03   romaAula 03   roma
China
ChinaChina
PPT - Civilização Romana
PPT - Civilização RomanaPPT - Civilização Romana
PPT - Civilização Romana
josafaslima
 
China
ChinaChina
Roma antiga 2
Roma antiga 2Roma antiga 2
Roma antiga 2
Karoline Sena
 
O império romano
O império romanoO império romano
O império romano
Fatima Freitas
 
História de roma
História de romaHistória de roma
História de roma
vinivs
 
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
Valeria Kosicki
 
Em egito
Em egitoEm egito
Em egito
Kerol Brombal
 

Semelhante a China Antiga - 6º Ano (2018) (20)

China Antiga - 6º Ano (2017)
China Antiga - 6º Ano (2017)China Antiga - 6º Ano (2017)
China Antiga - 6º Ano (2017)
 
A china antiga
A china antigaA china antiga
A china antiga
 
Antiguidade clássica roma 7ano
Antiguidade clássica roma 7anoAntiguidade clássica roma 7ano
Antiguidade clássica roma 7ano
 
Roma antiga queda e ancensão
Roma antiga queda e ancensãoRoma antiga queda e ancensão
Roma antiga queda e ancensão
 
1ano-imprioromano-completo-120528142621-phpapp01.pptx
1ano-imprioromano-completo-120528142621-phpapp01.pptx1ano-imprioromano-completo-120528142621-phpapp01.pptx
1ano-imprioromano-completo-120528142621-phpapp01.pptx
 
Império Romano e Alta idade Média, História
Império Romano e Alta idade Média, HistóriaImpério Romano e Alta idade Média, História
Império Romano e Alta idade Média, História
 
Índia e china antigas
Índia e china antigasÍndia e china antigas
Índia e china antigas
 
R O M A A N T I G A
R O M A  A N T I G AR O M A  A N T I G A
R O M A A N T I G A
 
china antiga.pptx
china antiga.pptxchina antiga.pptx
china antiga.pptx
 
Da república para o império roma antiga
Da república para o império   roma antigaDa república para o império   roma antiga
Da república para o império roma antiga
 
Império romano ascensão e crise
Império romano  ascensão e crise Império romano  ascensão e crise
Império romano ascensão e crise
 
Aula 03 roma
Aula 03   romaAula 03   roma
Aula 03 roma
 
China
ChinaChina
China
 
PPT - Civilização Romana
PPT - Civilização RomanaPPT - Civilização Romana
PPT - Civilização Romana
 
China
ChinaChina
China
 
Roma antiga 2
Roma antiga 2Roma antiga 2
Roma antiga 2
 
O império romano
O império romanoO império romano
O império romano
 
História de roma
História de romaHistória de roma
História de roma
 
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
 
Em egito
Em egitoEm egito
Em egito
 

Mais de Nefer19

As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
Os Persas - 6º Ano (2018)
Os Persas - 6º Ano (2018)Os Persas - 6º Ano (2018)
Os Persas - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
Os Fenícios - 6º Ano (2018)
Os Fenícios - 6º Ano (2018)Os Fenícios - 6º Ano (2018)
Os Fenícios - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
O Renascimento - 7º Ano (2018)
O Renascimento - 7º Ano (2018)O Renascimento - 7º Ano (2018)
O Renascimento - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
Tectonismo e Vulcanismo - 6º Ano (2018)
Tectonismo e Vulcanismo -  6º Ano (2018)Tectonismo e Vulcanismo -  6º Ano (2018)
Tectonismo e Vulcanismo - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
As Diferentes Regionalizações do Brasil - 7º Ano (2018)
As Diferentes Regionalizações do Brasil - 7º Ano (2018)As Diferentes Regionalizações do Brasil - 7º Ano (2018)
As Diferentes Regionalizações do Brasil - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2018)
A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2018)A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2018)
A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
Egito Antigo - 6º Ano (2018)
Egito Antigo - 6º Ano (2018)Egito Antigo - 6º Ano (2018)
Egito Antigo - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
A Baixa Idade Média - 7º Ano (2018)
A Baixa Idade Média - 7º Ano (2018)A Baixa Idade Média - 7º Ano (2018)
A Baixa Idade Média - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2018)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2018)O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2018)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)
Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)
Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
Os Municípios e as Regiões Metropolitanas - 7º Ano (2018)
Os Municípios e as Regiões Metropolitanas - 7º Ano (2018)Os Municípios e as Regiões Metropolitanas - 7º Ano (2018)
Os Municípios e as Regiões Metropolitanas - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2018)
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2018)A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2018)
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
África Medieval - 7º Ano (2018)
África Medieval - 7º Ano (2018)África Medieval - 7º Ano (2018)
África Medieval - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
O Sistema Solar - 6º ANO (2018)
O Sistema Solar - 6º ANO (2018)O Sistema Solar - 6º ANO (2018)
O Sistema Solar - 6º ANO (2018)
Nefer19
 
O Brasil no Mundo - 7º Ano (2018)
O Brasil no Mundo - 7º Ano (2018)O Brasil no Mundo - 7º Ano (2018)
O Brasil no Mundo - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
Aspectos Populacionais do Brasil 3 - 7º Ano (2018)
Aspectos Populacionais do Brasil 3  - 7º Ano (2018)Aspectos Populacionais do Brasil 3  - 7º Ano (2018)
Aspectos Populacionais do Brasil 3 - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
Aspectos Populacionais do Brasil 2 - 7º Ano (2018)
Aspectos Populacionais do Brasil 2  - 7º Ano (2018)Aspectos Populacionais do Brasil 2  - 7º Ano (2018)
Aspectos Populacionais do Brasil 2 - 7º Ano (2018)
Nefer19
 

Mais de Nefer19 (20)

As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
 
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
 
Os Persas - 6º Ano (2018)
Os Persas - 6º Ano (2018)Os Persas - 6º Ano (2018)
Os Persas - 6º Ano (2018)
 
Os Fenícios - 6º Ano (2018)
Os Fenícios - 6º Ano (2018)Os Fenícios - 6º Ano (2018)
Os Fenícios - 6º Ano (2018)
 
O Renascimento - 7º Ano (2018)
O Renascimento - 7º Ano (2018)O Renascimento - 7º Ano (2018)
O Renascimento - 7º Ano (2018)
 
Tectonismo e Vulcanismo - 6º Ano (2018)
Tectonismo e Vulcanismo -  6º Ano (2018)Tectonismo e Vulcanismo -  6º Ano (2018)
Tectonismo e Vulcanismo - 6º Ano (2018)
 
As Diferentes Regionalizações do Brasil - 7º Ano (2018)
As Diferentes Regionalizações do Brasil - 7º Ano (2018)As Diferentes Regionalizações do Brasil - 7º Ano (2018)
As Diferentes Regionalizações do Brasil - 7º Ano (2018)
 
A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2018)
A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2018)A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2018)
A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2018)
 
Egito Antigo - 6º Ano (2018)
Egito Antigo - 6º Ano (2018)Egito Antigo - 6º Ano (2018)
Egito Antigo - 6º Ano (2018)
 
A Baixa Idade Média - 7º Ano (2018)
A Baixa Idade Média - 7º Ano (2018)A Baixa Idade Média - 7º Ano (2018)
A Baixa Idade Média - 7º Ano (2018)
 
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)
 
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2018)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2018)O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2018)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2018)
 
Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)
Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)
Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)
 
Os Municípios e as Regiões Metropolitanas - 7º Ano (2018)
Os Municípios e as Regiões Metropolitanas - 7º Ano (2018)Os Municípios e as Regiões Metropolitanas - 7º Ano (2018)
Os Municípios e as Regiões Metropolitanas - 7º Ano (2018)
 
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2018)
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2018)A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2018)
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2018)
 
África Medieval - 7º Ano (2018)
África Medieval - 7º Ano (2018)África Medieval - 7º Ano (2018)
África Medieval - 7º Ano (2018)
 
O Sistema Solar - 6º ANO (2018)
O Sistema Solar - 6º ANO (2018)O Sistema Solar - 6º ANO (2018)
O Sistema Solar - 6º ANO (2018)
 
O Brasil no Mundo - 7º Ano (2018)
O Brasil no Mundo - 7º Ano (2018)O Brasil no Mundo - 7º Ano (2018)
O Brasil no Mundo - 7º Ano (2018)
 
Aspectos Populacionais do Brasil 3 - 7º Ano (2018)
Aspectos Populacionais do Brasil 3  - 7º Ano (2018)Aspectos Populacionais do Brasil 3  - 7º Ano (2018)
Aspectos Populacionais do Brasil 3 - 7º Ano (2018)
 
Aspectos Populacionais do Brasil 2 - 7º Ano (2018)
Aspectos Populacionais do Brasil 2  - 7º Ano (2018)Aspectos Populacionais do Brasil 2  - 7º Ano (2018)
Aspectos Populacionais do Brasil 2 - 7º Ano (2018)
 

Último

Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 

Último (20)

Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 

China Antiga - 6º Ano (2018)

  • 1. CHINA ANTIGA Sendo parte de uma das mais antigas e importante civilizações do mundo Oriental, o Império Chinês já existia antes mesmo da ascensão de Roma no mundo antigo, e perdurou mesmo após a queda do Império Romano.
  • 2. CHINA ANTIGA • NEOLÍTICO (c. 7000 a.C) - Observa-se a formação dos primeiros grupos humanos nas margens dos rios AMARELO (Huang-Ho) e Azul (Yang-Tsé). Pág. 176
  • 3. Os grupos que viviam no vale do rio Amarelo aproveitam das águas (uso diário) e do solo de loess (de cor amarelada e extremamente fértil) para o cultivos de cereais e da criação de animais.
  • 4. CHINA ANTIGA Entre os principais grupos destacam-se no período Neolítico estão: • Culturas Yangshao; • Cultura Longshan. Pág. 177
  • 5. Esse mapa mostra a área aproximada dos culturas Longshan e Yangshao, note que as duas se desenvolveram ao longo do rio Amarelo.
  • 6. CHINA ANTIGA • Nesse período esses grupos já desenvolviam: - a agricultura (arroz, painço, hortaliças, frutas, nozes e entre outros); - a pecuária (cachorros, porcos, cabras, bois, ovelhas e galinhas);  Página 176 - a artesanato (cerâmica e seda);  Página 177 - a metalurgia (cobre). Como se desenvolveram as margens do rios Amarelo e Azul já tinham domínio de técnicas de controle das águas.
  • 7. CHINA ANTIGA União de grupos de famílias (clãs), ao longo do Neolítico, fez surgir governantes que passaram a suceder no poder, de modo hereditário. A história de disputa é marcada pela disputa pelo poder (imperadores e nobres). Fato que fez surgir: DINASTIAS CHINESAS
  • 8. CHINA ANTIGA Esse mapa mostra a expansão territorial da China Antiga ao longo das dinastias que a governaram.
  • 9. CHINA ANTIGA Entre as principais DINASTIAS CHINESAS que destacaram-se na Antiguidade estão: • CHIÁ (2000 a.C. a 1750 a.C) - Marca o processo de origem do império chinês (através de alianças e disputas) ao longo rio Amarelo • SHANG (1750 a.C a 1122 a.C.) - Deu início ao desenvolvimento do comércio na China. • CHOU (1122 a.C. a 481 a.C) - Mais longa dinastia a governar a China. LEITURA Pág. 179
  • 10. CHINA ANTIGA • Era dos Reinos Combatentes (481 a.C. a 221 a.C) - Diferentes reinos disputam entre si o poder. • CHIN (ou Qin) (221 a.C. a 210 a.C.) - Rei CHIN CHE HUANG TI unificou a China. - Construção da Grande Muralha da China. • HAN (206 a.C. a 220) - Desenvolvimento do comércio, através da Rota da Seda. LEITURA Pág. 179
  • 12. Período Chin Foi a partir do governo do rei Chin Che Huang Ti (Chin Huang Di) que passou a existir uma China unificada. Principais fatos relacionados ao seu governo: - Elaboração de um novo código de leis; - Padronização dos pesos e medidas, da escrita e da moeda; - Criação da Muralha da China, para proteger a China dos ataques do norte. Pág. 179
  • 14. Soldados de terracota do rei Chin Pág. 180
  • 15. Período Han Com a morte do rei Chin a China passou por um período de turbulência, mas com a chegada Liu Bang (funcionário imperial de origem camponesa) ao poder tem-se início o período Han. No período da dinastia Han a China viveu um período de grande prosperidade, derivada principalmente do comércio da Seda. Pág. 182
  • 16. Rota da Seda Além da seda os chineses comercializavam especiarias (canela, cravo e gengibre), cereais, ferro, bronze, madeira e entre outros. Mesopotâmia Persas Gregos Os chineses compravam principalmente metais preciosos, marfim, tecidos de lã, linho, cavalo e vinho. Romanos
  • 17. O Cultivo da Seda Pág. 178
  • 18. Fim do Período Han Na falta de herdeiro legítimo (século III) para dar continuidade a Dinastia Han a China passou por um período de grandes disputas pelo poder. O povo fugia das suas terras para manter tentar se proteger. Fato que aumentou ainda mais a pobreza devido a concentração das terras (latifundiários) nas mãos de poucos. Essa imensa diferença social gerou ainda mais conflitos (cidades inteiras foram incendiadas) fato que levou ao fim da dinastia Han. A primeira dinastia a governar a China na Idade Média foi a Dinastia Jin
  • 19. Sociedade na China Antiga Nobreza Mercadores e artesãos Trabalhadores pobres Pág. 184 Imperador
  • 20. Sociedade na China Antiga Pertenciam a família do imperador ou eram funcionários reais. Também faziam parte desse grupo os intelectuais. Possuíam as maiores e melhores terras cultivadas por inúmeros camponeses. Muitos nobres possuíam um exército, fato que lhes dava um enorme poder dentro e fora do seu domínio. Nas famílias nobres o homem tinha autoridade sobre esposas e filhos. Nobreza Mercadores e artesãos Trabalhadores pobres Imperador
  • 21. Da nobreza saíam os altos funcionários (coletores de impostos, juízes, chefes de polícia e mandarins (auxiliares diretos dos reis, como o vizir no Egito Antigo). A imagem ao lado mostra a figura de um vizir, auxiliar do imperador na China Antiga.
  • 22. Sociedade na China Antiga Eram principalmente comerciantes (tecidos de seda, cerâmicas, instrumentos de agricultura e entre outras mercadorias) e artesãos. Com o tempo, o desenvolvimento do comércio, a sociedade imperial se diversificou, aumento o números de artesãos, comerciantes e funcionários públicos. Nobreza Mercadores e artesãos Trabalhadores pobres Imperador
  • 23. Sociedade na China Antiga Representavam grande parcela da população. Era composta basicamente por agricultores (ou construtores) e escravos. Trabalhavam na terra dos nobres em troca de uma pequena parte da colheita, tinham o direito de cultivar um pequeno terreno para o sustento familiar. Trabalham nas grandes obras públicas e serviam como soldados em períodos de guerra. Nobreza Mercadores e artesãos Trabalhadores pobres Imperador
  • 24. Quando ocorriam enchentes, guerras e secas prolongadas os camponeses passavam fome, daí a explicação para os numerosos conflitos (dinastia Han) iniciados por esse grupo.
  • 25. Sociedade na China Antiga Em épocas de guerra todos os membros da sociedade eram recrutados para lutar no exército e defender o território. Nobreza Mercadores e artesãos Trabalhadores pobres Imperador
  • 26. Religião na China Antiga Foi no período Han que difundiram três correntes religiosas na China Antiga: CONFUCIONISMO BUDISMO TAOÍSMO Pág. 184
  • 30. Invenções Chinesas Técnicas de acupuntura Macarrão
  • 31. Invenções Chinesas Bússola Além disso os chineses inventaram fogos de artificio, sismógrafo, técnicas de engenharia, etc.
  • 32. ATIVIDADES • Página 187 Nº 6. • Página 188 e 189 (Vozes do Passado). • Página 190 e 191 (Cruzando Fontes e Você cidadão).