SlideShare uma empresa Scribd logo
Oficina Teste de Usabilidade   ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Programação ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Definição ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Critérios ,[object Object],[object Object],[object Object]
Definição ,[object Object],[object Object]
Tipos ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Possíveis objetivos ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Métricas ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Benefícios não-quantificáveis ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Benefícios não-quantificáveis
Planejamento Laboratório ,[object Object]
Preparação técnica Laboratório
Preparação técnica  Laboratório
Preparação técnica  Laboratório
Preparação técnica Laboratório ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Preparação técnica  Laboratório ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Preparação técnica  Morae ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Preparação técnica  Morae
Exercícios ,[object Object],[object Object]
Preparação conceitual  Planejamento ,[object Object],[object Object],[object Object]
Preparação conceitual  Recrutamento ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Preparação conceitual  Princípios de recrutamento ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Preparação conceitual  Exemplo de screening ,[object Object]
Preparação conceitual  Número de usuários ,[object Object],[object Object],[object Object],Nielsen
Preparação conceitual  Onde encontrar usuários ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Nielsen
Exercícios ,[object Object],[object Object],[object Object]
Preparação conceitual  Estrutura do teste ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Preparação conceitual  Análise de tarefas ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Preparação conceitual  Visualização de tarefas ,[object Object],Entrou na loja Vai às estantes Pergunta Procura seção Procura produto Paga Procura algo específico? Pergunta ao  atendente? Procura  o caixa? Encontra algo interessante? Deseja  algo mais? Vai  embora? Encontrou  o Produto? S Entra  na loja Sai da loja S S N N N N S S S S N N N
Preparação conceitual  Teste orientado a tarefas ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Exercícios ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Preparação conceitual  Protótipos ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Preparação conceitual  Software para prototipação ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Preparação conceitual  "O Mágico de Oz" Evaluating speech-enabled multimodal dialogue systems
Execução Facilitação ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Execução Perigos ou oportunidades ,[object Object],[object Object],[object Object]
Execução Protocolo "Pensar alto" ,[object Object],[object Object],O que você está procurando? Eu não estou entendendo porque esse ícone apareceu de novo... No que você está pensando?
Execução Protocolo Semiótico ,[object Object],[object Object],[object Object]
Execução Exemplo de script ,[object Object]
Exercícios ,[object Object],[object Object],[object Object]
Execução Questionário de satisfação ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Execução Exemplo de Questionário
Execução QUIZ
Exercício ,[object Object]
Execução Recompensa ,[object Object],[object Object]
Execução Recompensa ,[object Object],[object Object],[object Object]
Teste piloto ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Checklist para teste ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Exercício ,[object Object]
Interpretação de dados ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Etiquetas de expressões
Comunicação de resultados ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Referência ,[object Object]
Exercício ,[object Object]
Érico Fernandes Fileno, M.Sc.  - Designer de Interação  - Especialista em Experiência do Usuário - Pesquisador em Usabilidade [email_address] http://ericofileno.wordpress.com @efileno Contato

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Design para empreendedores
Design para empreendedoresDesign para empreendedores
Design para empreendedores
Catarinas Design de Interação
 
UX Design, Services Design & Design Thinking
UX Design, Services Design & Design ThinkingUX Design, Services Design & Design Thinking
UX Design, Services Design & Design Thinking
Marcelo Negrini
 
10 coisas que você precisa saber sobre Service Design
10 coisas que você precisa saber sobre Service Design10 coisas que você precisa saber sobre Service Design
10 coisas que você precisa saber sobre Service Design
Victor Gonçalves
 
O que é Design de Serviços?
O que é Design de Serviços?O que é Design de Serviços?
O que é Design de Serviços?
Victor Gonçalves
 
Workshop • UX design •
Workshop • UX design •  Workshop • UX design •
Workshop • UX design •
Suzi Sarmento
 
Interaction South America 2015 - Concepção de um framework para definição em ...
Interaction South America 2015 - Concepção de um framework para definição em ...Interaction South America 2015 - Concepção de um framework para definição em ...
Interaction South America 2015 - Concepção de um framework para definição em ...
Catarinas Design de Interação
 
Aula Design de Serviços
Aula Design de ServiçosAula Design de Serviços
Aula Design de Serviços
Fernando Arruda
 
Projetando experiencias por meio do Service Design
Projetando experiencias por meio do Service DesignProjetando experiencias por meio do Service Design
Projetando experiencias por meio do Service Design
Igor Drudi
 
Experience Design - Projetando para a experiência
Experience Design - Projetando para a experiênciaExperience Design - Projetando para a experiência
Experience Design - Projetando para a experiência
Igor Drudi
 
Service Design para startups - Melhorando a experiência do usuário do começo ...
Service Design para startups - Melhorando a experiência do usuário do começo ...Service Design para startups - Melhorando a experiência do usuário do começo ...
Service Design para startups - Melhorando a experiência do usuário do começo ...
Catarinas Design de Interação
 
Metodologias de Design de Interação
Metodologias de Design de InteraçãoMetodologias de Design de Interação
Metodologias de Design de Interação
UTFPR
 
Design de Serviços
Design de ServiçosDesign de Serviços
Design de Serviços
Arco | Hub de Inovação
 
Design Centrado no Usuário
Design Centrado no UsuárioDesign Centrado no Usuário
Design Centrado no Usuário
Guilherme Marques
 
UX para desenvolvedores - UX Conf BR 2015
UX para desenvolvedores - UX Conf BR 2015UX para desenvolvedores - UX Conf BR 2015
UX para desenvolvedores - UX Conf BR 2015
Samantha Rosa
 
Service Design Thinking - Design de Serviços em TI
Service Design Thinking - Design de Serviços em TIService Design Thinking - Design de Serviços em TI
Service Design Thinking - Design de Serviços em TI
Victor Gonçalves
 
UX Design como estratégia para conquistar mais clientes e impactar negócios
UX Design como estratégia para conquistar mais clientes e impactar negóciosUX Design como estratégia para conquistar mais clientes e impactar negócios
UX Design como estratégia para conquistar mais clientes e impactar negócios
Catarinas Design de Interação
 
Design thinking
Design thinkingDesign thinking
Design thinking
Alessandra Rosa
 
User Experience: O que sua empresa pode ganhar com isso.
User Experience: O que sua empresa pode ganhar com isso.User Experience: O que sua empresa pode ganhar com isso.
User Experience: O que sua empresa pode ganhar com isso.
Catarinas Design de Interação
 
Como melhorar as chances de sucesso da minha startup investindo em User Exper...
Como melhorar as chances de sucesso da minha startup investindo em User Exper...Como melhorar as chances de sucesso da minha startup investindo em User Exper...
Como melhorar as chances de sucesso da minha startup investindo em User Exper...
Catarinas Design de Interação
 
Innovation sprint using design thinking
Innovation sprint using design thinkingInnovation sprint using design thinking
Innovation sprint using design thinking
Heller de Paula
 

Mais procurados (20)

Design para empreendedores
Design para empreendedoresDesign para empreendedores
Design para empreendedores
 
UX Design, Services Design & Design Thinking
UX Design, Services Design & Design ThinkingUX Design, Services Design & Design Thinking
UX Design, Services Design & Design Thinking
 
10 coisas que você precisa saber sobre Service Design
10 coisas que você precisa saber sobre Service Design10 coisas que você precisa saber sobre Service Design
10 coisas que você precisa saber sobre Service Design
 
O que é Design de Serviços?
O que é Design de Serviços?O que é Design de Serviços?
O que é Design de Serviços?
 
Workshop • UX design •
Workshop • UX design •  Workshop • UX design •
Workshop • UX design •
 
Interaction South America 2015 - Concepção de um framework para definição em ...
Interaction South America 2015 - Concepção de um framework para definição em ...Interaction South America 2015 - Concepção de um framework para definição em ...
Interaction South America 2015 - Concepção de um framework para definição em ...
 
Aula Design de Serviços
Aula Design de ServiçosAula Design de Serviços
Aula Design de Serviços
 
Projetando experiencias por meio do Service Design
Projetando experiencias por meio do Service DesignProjetando experiencias por meio do Service Design
Projetando experiencias por meio do Service Design
 
Experience Design - Projetando para a experiência
Experience Design - Projetando para a experiênciaExperience Design - Projetando para a experiência
Experience Design - Projetando para a experiência
 
Service Design para startups - Melhorando a experiência do usuário do começo ...
Service Design para startups - Melhorando a experiência do usuário do começo ...Service Design para startups - Melhorando a experiência do usuário do começo ...
Service Design para startups - Melhorando a experiência do usuário do começo ...
 
Metodologias de Design de Interação
Metodologias de Design de InteraçãoMetodologias de Design de Interação
Metodologias de Design de Interação
 
Design de Serviços
Design de ServiçosDesign de Serviços
Design de Serviços
 
Design Centrado no Usuário
Design Centrado no UsuárioDesign Centrado no Usuário
Design Centrado no Usuário
 
UX para desenvolvedores - UX Conf BR 2015
UX para desenvolvedores - UX Conf BR 2015UX para desenvolvedores - UX Conf BR 2015
UX para desenvolvedores - UX Conf BR 2015
 
Service Design Thinking - Design de Serviços em TI
Service Design Thinking - Design de Serviços em TIService Design Thinking - Design de Serviços em TI
Service Design Thinking - Design de Serviços em TI
 
UX Design como estratégia para conquistar mais clientes e impactar negócios
UX Design como estratégia para conquistar mais clientes e impactar negóciosUX Design como estratégia para conquistar mais clientes e impactar negócios
UX Design como estratégia para conquistar mais clientes e impactar negócios
 
Design thinking
Design thinkingDesign thinking
Design thinking
 
User Experience: O que sua empresa pode ganhar com isso.
User Experience: O que sua empresa pode ganhar com isso.User Experience: O que sua empresa pode ganhar com isso.
User Experience: O que sua empresa pode ganhar com isso.
 
Como melhorar as chances de sucesso da minha startup investindo em User Exper...
Como melhorar as chances de sucesso da minha startup investindo em User Exper...Como melhorar as chances de sucesso da minha startup investindo em User Exper...
Como melhorar as chances de sucesso da minha startup investindo em User Exper...
 
Innovation sprint using design thinking
Innovation sprint using design thinkingInnovation sprint using design thinking
Innovation sprint using design thinking
 

Destaque

Usabilidade - Uma introdução
Usabilidade - Uma introduçãoUsabilidade - Uma introdução
Usabilidade - Uma introdução
Erico Fileno
 
Service Thinking
Service ThinkingService Thinking
Service Thinking
Erico Fileno
 
Inovação Centrada no Usuário
Inovação Centrada no UsuárioInovação Centrada no Usuário
Inovação Centrada no Usuário
Erico Fileno
 
Percepção das Tecnologias - INTERACTION 09
Percepção das Tecnologias - INTERACTION 09Percepção das Tecnologias - INTERACTION 09
Percepção das Tecnologias - INTERACTION 09
Erico Fileno
 
Diseño interacción en Brasil
Diseño interacción en BrasilDiseño interacción en Brasil
Diseño interacción en Brasil
Erico Fileno
 
Wud2009 - Curitiba
Wud2009 - CuritibaWud2009 - Curitiba
Wud2009 - Curitiba
Erico Fileno
 
UX at emergent market in Brazil
UX at emergent market in Brazil UX at emergent market in Brazil
UX at emergent market in Brazil
Erico Fileno
 
Homo Experientia
Homo ExperientiaHomo Experientia
Homo Experientia
Erico Fileno
 
Aula 3 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 3 - Minicurso sobre Design Centrado no UsuárioAula 3 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 3 - Minicurso sobre Design Centrado no UsuárioErico Fileno
 
Workshop - Service Design
Workshop - Service DesignWorkshop - Service Design
Workshop - Service Design
Erico Fileno
 
Inovação em serviços através do uso do design centrado nas pessoas
Inovação em serviços através do uso do design centrado nas pessoas �Inovação em serviços através do uso do design centrado nas pessoas �
Inovação em serviços através do uso do design centrado nas pessoas
Erico Fileno
 
Aula 2 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 2 - Minicurso sobre Design Centrado no UsuárioAula 2 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 2 - Minicurso sobre Design Centrado no UsuárioErico Fileno
 
Busca Mobile
Busca MobileBusca Mobile
Busca Mobile
Erico Fileno
 
Barack Obama de sua infancia até a presidencia
Barack Obama   de sua infancia até a presidenciaBarack Obama   de sua infancia até a presidencia
Barack Obama de sua infancia até a presidencia
Amadeu Wolff
 
Design Centrado Usuario
Design Centrado UsuarioDesign Centrado Usuario
Design Centrado Usuario
Erico Fileno
 
Storytelling Inspiration - Cubo - 2016
Storytelling Inspiration - Cubo - 2016Storytelling Inspiration - Cubo - 2016
Storytelling Inspiration - Cubo - 2016
Fabricio Dore
 
DesignThinkers Academy - Região Sul
DesignThinkers Academy - Região SulDesignThinkers Academy - Região Sul
DesignThinkers Academy - Região Sul
Erico Fileno
 
Design de Interação e Inovação
Design de Interação e InovaçãoDesign de Interação e Inovação
Design de Interação e Inovação
Erico Fileno
 
Questionário Sobre Teste de Software
Questionário Sobre Teste de SoftwareQuestionário Sobre Teste de Software
Questionário Sobre Teste de Software
Mayara Mônica
 
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no UsuárioAula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Erico Fileno
 

Destaque (20)

Usabilidade - Uma introdução
Usabilidade - Uma introduçãoUsabilidade - Uma introdução
Usabilidade - Uma introdução
 
Service Thinking
Service ThinkingService Thinking
Service Thinking
 
Inovação Centrada no Usuário
Inovação Centrada no UsuárioInovação Centrada no Usuário
Inovação Centrada no Usuário
 
Percepção das Tecnologias - INTERACTION 09
Percepção das Tecnologias - INTERACTION 09Percepção das Tecnologias - INTERACTION 09
Percepção das Tecnologias - INTERACTION 09
 
Diseño interacción en Brasil
Diseño interacción en BrasilDiseño interacción en Brasil
Diseño interacción en Brasil
 
Wud2009 - Curitiba
Wud2009 - CuritibaWud2009 - Curitiba
Wud2009 - Curitiba
 
UX at emergent market in Brazil
UX at emergent market in Brazil UX at emergent market in Brazil
UX at emergent market in Brazil
 
Homo Experientia
Homo ExperientiaHomo Experientia
Homo Experientia
 
Aula 3 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 3 - Minicurso sobre Design Centrado no UsuárioAula 3 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 3 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
 
Workshop - Service Design
Workshop - Service DesignWorkshop - Service Design
Workshop - Service Design
 
Inovação em serviços através do uso do design centrado nas pessoas
Inovação em serviços através do uso do design centrado nas pessoas �Inovação em serviços através do uso do design centrado nas pessoas �
Inovação em serviços através do uso do design centrado nas pessoas
 
Aula 2 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 2 - Minicurso sobre Design Centrado no UsuárioAula 2 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 2 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
 
Busca Mobile
Busca MobileBusca Mobile
Busca Mobile
 
Barack Obama de sua infancia até a presidencia
Barack Obama   de sua infancia até a presidenciaBarack Obama   de sua infancia até a presidencia
Barack Obama de sua infancia até a presidencia
 
Design Centrado Usuario
Design Centrado UsuarioDesign Centrado Usuario
Design Centrado Usuario
 
Storytelling Inspiration - Cubo - 2016
Storytelling Inspiration - Cubo - 2016Storytelling Inspiration - Cubo - 2016
Storytelling Inspiration - Cubo - 2016
 
DesignThinkers Academy - Região Sul
DesignThinkers Academy - Região SulDesignThinkers Academy - Região Sul
DesignThinkers Academy - Região Sul
 
Design de Interação e Inovação
Design de Interação e InovaçãoDesign de Interação e Inovação
Design de Interação e Inovação
 
Questionário Sobre Teste de Software
Questionário Sobre Teste de SoftwareQuestionário Sobre Teste de Software
Questionário Sobre Teste de Software
 
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no UsuárioAula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
 

Semelhante a Oficina teste de usabilidade

Oficina de Teste de Usabilidade
Oficina de Teste de UsabilidadeOficina de Teste de Usabilidade
Oficina de Teste de Usabilidade
UTFPR
 
Teste de usabilidade
Teste de usabilidadeTeste de usabilidade
Teste de usabilidade
Lourdes Martins
 
Teste de usabilidade
Teste de usabilidadeTeste de usabilidade
Teste de usabilidade
Lourdes Martins
 
Transformational Design Thinking - Aula 9
Transformational Design Thinking - Aula 9Transformational Design Thinking - Aula 9
Transformational Design Thinking - Aula 9
Lu Terceiro
 
Empreendedorismo UFMG - Design Sprint
Empreendedorismo UFMG - Design SprintEmpreendedorismo UFMG - Design Sprint
Empreendedorismo UFMG - Design Sprint
Ana Paula Batista
 
Palestra: Por que é importante fazer testes de usabilidade - e como começar já!
Palestra: Por que é importante fazer testes de usabilidade - e como começar já!Palestra: Por que é importante fazer testes de usabilidade - e como começar já!
Palestra: Por que é importante fazer testes de usabilidade - e como começar já!
Elisa Volpato
 
User Experience Boot Camp
User Experience Boot CampUser Experience Boot Camp
User Experience Boot Camp
UTFPR
 
Hack2B - Design Sprint Workshop
Hack2B - Design Sprint WorkshopHack2B - Design Sprint Workshop
Hack2B - Design Sprint Workshop
Ana Paula Batista
 
Workshop: Ouvindo usuários e stakeholders
Workshop: Ouvindo usuários e stakeholdersWorkshop: Ouvindo usuários e stakeholders
Workshop: Ouvindo usuários e stakeholders
Neue Labs
 
O que é e como fazer um Teste de Usabilidade
O que é e como fazer um Teste de UsabilidadeO que é e como fazer um Teste de Usabilidade
O que é e como fazer um Teste de Usabilidade
Gustavo Silveira
 
Workshop - Personas
Workshop - PersonasWorkshop - Personas
Workshop - Personas
Voël
 
Apresentação do vídeo introdutório do workshop inception enxuta
Apresentação do vídeo introdutório do workshop inception enxutaApresentação do vídeo introdutório do workshop inception enxuta
Apresentação do vídeo introdutório do workshop inception enxuta
Mayra de Souza
 
Palestra - Testes de Usabilidade
Palestra - Testes de UsabilidadePalestra - Testes de Usabilidade
Palestra - Testes de Usabilidade
Luiz Agner
 
Como fazer testes de usabilidade
Como fazer testes de usabilidadeComo fazer testes de usabilidade
Como fazer testes de usabilidade
UTFPR
 
Levantamento Ágil de Requisitos
Levantamento Ágil de RequisitosLevantamento Ágil de Requisitos
Levantamento Ágil de Requisitos
Paulo Furtado
 
Oficina Design Thinking para Educadores - por Davi Moreno
Oficina Design Thinking para Educadores - por Davi MorenoOficina Design Thinking para Educadores - por Davi Moreno
Oficina Design Thinking para Educadores - por Davi Moreno
Davi Moreno
 
MTA1 Aula-01. Introdução
MTA1 Aula-01. IntroduçãoMTA1 Aula-01. Introdução
MTA1 Aula-01. Introdução
Alan Vasconcelos
 
Teste de Usabilidade Como planejar e executar
Teste de Usabilidade Como planejar e executarTeste de Usabilidade Como planejar e executar
Teste de Usabilidade Como planejar e executar
Marconi Pacheco
 
Usabilidade Curso Digital
Usabilidade Curso DigitalUsabilidade Curso Digital
Usabilidade Curso Digital
guestca350
 
Transformational Design Thinking - Aula 10
Transformational Design Thinking - Aula 10Transformational Design Thinking - Aula 10
Transformational Design Thinking - Aula 10
Lu Terceiro
 

Semelhante a Oficina teste de usabilidade (20)

Oficina de Teste de Usabilidade
Oficina de Teste de UsabilidadeOficina de Teste de Usabilidade
Oficina de Teste de Usabilidade
 
Teste de usabilidade
Teste de usabilidadeTeste de usabilidade
Teste de usabilidade
 
Teste de usabilidade
Teste de usabilidadeTeste de usabilidade
Teste de usabilidade
 
Transformational Design Thinking - Aula 9
Transformational Design Thinking - Aula 9Transformational Design Thinking - Aula 9
Transformational Design Thinking - Aula 9
 
Empreendedorismo UFMG - Design Sprint
Empreendedorismo UFMG - Design SprintEmpreendedorismo UFMG - Design Sprint
Empreendedorismo UFMG - Design Sprint
 
Palestra: Por que é importante fazer testes de usabilidade - e como começar já!
Palestra: Por que é importante fazer testes de usabilidade - e como começar já!Palestra: Por que é importante fazer testes de usabilidade - e como começar já!
Palestra: Por que é importante fazer testes de usabilidade - e como começar já!
 
User Experience Boot Camp
User Experience Boot CampUser Experience Boot Camp
User Experience Boot Camp
 
Hack2B - Design Sprint Workshop
Hack2B - Design Sprint WorkshopHack2B - Design Sprint Workshop
Hack2B - Design Sprint Workshop
 
Workshop: Ouvindo usuários e stakeholders
Workshop: Ouvindo usuários e stakeholdersWorkshop: Ouvindo usuários e stakeholders
Workshop: Ouvindo usuários e stakeholders
 
O que é e como fazer um Teste de Usabilidade
O que é e como fazer um Teste de UsabilidadeO que é e como fazer um Teste de Usabilidade
O que é e como fazer um Teste de Usabilidade
 
Workshop - Personas
Workshop - PersonasWorkshop - Personas
Workshop - Personas
 
Apresentação do vídeo introdutório do workshop inception enxuta
Apresentação do vídeo introdutório do workshop inception enxutaApresentação do vídeo introdutório do workshop inception enxuta
Apresentação do vídeo introdutório do workshop inception enxuta
 
Palestra - Testes de Usabilidade
Palestra - Testes de UsabilidadePalestra - Testes de Usabilidade
Palestra - Testes de Usabilidade
 
Como fazer testes de usabilidade
Como fazer testes de usabilidadeComo fazer testes de usabilidade
Como fazer testes de usabilidade
 
Levantamento Ágil de Requisitos
Levantamento Ágil de RequisitosLevantamento Ágil de Requisitos
Levantamento Ágil de Requisitos
 
Oficina Design Thinking para Educadores - por Davi Moreno
Oficina Design Thinking para Educadores - por Davi MorenoOficina Design Thinking para Educadores - por Davi Moreno
Oficina Design Thinking para Educadores - por Davi Moreno
 
MTA1 Aula-01. Introdução
MTA1 Aula-01. IntroduçãoMTA1 Aula-01. Introdução
MTA1 Aula-01. Introdução
 
Teste de Usabilidade Como planejar e executar
Teste de Usabilidade Como planejar e executarTeste de Usabilidade Como planejar e executar
Teste de Usabilidade Como planejar e executar
 
Usabilidade Curso Digital
Usabilidade Curso DigitalUsabilidade Curso Digital
Usabilidade Curso Digital
 
Transformational Design Thinking - Aula 10
Transformational Design Thinking - Aula 10Transformational Design Thinking - Aula 10
Transformational Design Thinking - Aula 10
 

Mais de Erico Fileno

História da UX no Brasil - v1.1
História da UX no Brasil - v1.1História da UX no Brasil - v1.1
História da UX no Brasil - v1.1
Erico Fileno
 
Artigos Interaction South America 2010
Artigos  Interaction South America 2010Artigos  Interaction South America 2010
Artigos Interaction South America 2010
Erico Fileno
 
História da UX no Brasil
História da UX no BrasilHistória da UX no Brasil
História da UX no Brasil
Erico Fileno
 
Empathy and Otherness
Empathy and OthernessEmpathy and Otherness
Empathy and Otherness
Erico Fileno
 
IxD and sustentability
IxD and sustentabilityIxD and sustentability
IxD and sustentabilityErico Fileno
 
Wireframe
WireframeWireframe
Wireframe
Erico Fileno
 
Card Sorting
Card SortingCard Sorting
Card Sorting
Erico Fileno
 
Percepção das Tecnologias
Percepção das TecnologiasPercepção das Tecnologias
Percepção das Tecnologias
Erico Fileno
 
Storyboard
StoryboardStoryboard
Storyboard
Erico Fileno
 
Modelos Conceituais 2
Modelos Conceituais 2Modelos Conceituais 2
Modelos Conceituais 2
Erico Fileno
 
Prototipos de Baixa e Alta Fidelidade
Prototipos de Baixa e Alta FidelidadePrototipos de Baixa e Alta Fidelidade
Prototipos de Baixa e Alta Fidelidade
Erico Fileno
 

Mais de Erico Fileno (11)

História da UX no Brasil - v1.1
História da UX no Brasil - v1.1História da UX no Brasil - v1.1
História da UX no Brasil - v1.1
 
Artigos Interaction South America 2010
Artigos  Interaction South America 2010Artigos  Interaction South America 2010
Artigos Interaction South America 2010
 
História da UX no Brasil
História da UX no BrasilHistória da UX no Brasil
História da UX no Brasil
 
Empathy and Otherness
Empathy and OthernessEmpathy and Otherness
Empathy and Otherness
 
IxD and sustentability
IxD and sustentabilityIxD and sustentability
IxD and sustentability
 
Wireframe
WireframeWireframe
Wireframe
 
Card Sorting
Card SortingCard Sorting
Card Sorting
 
Percepção das Tecnologias
Percepção das TecnologiasPercepção das Tecnologias
Percepção das Tecnologias
 
Storyboard
StoryboardStoryboard
Storyboard
 
Modelos Conceituais 2
Modelos Conceituais 2Modelos Conceituais 2
Modelos Conceituais 2
 
Prototipos de Baixa e Alta Fidelidade
Prototipos de Baixa e Alta FidelidadePrototipos de Baixa e Alta Fidelidade
Prototipos de Baixa e Alta Fidelidade
 

Oficina teste de usabilidade

Notas do Editor

  1. A análise preditiva é realizada quando os avaliadores tentam prever que tipo de problemas os usuários enfrentarão. Esta análise pode ser feita através de uma inspeção da interface ou em função de técnicas de modelagem. (Ex: percurso cognitivo) A análise interpretativa é realizada quando os avaliadores procuram explicar os fenômenos que ocorreram durante uma interação. (Ex: diário de uso continuado / observações) e é feita sobre dados coletados em ambientes naturais sem interferência dos observadores nas atividades. Os dados coletados em ambientes controlados, embora esta análise também dependa da interpretação do avaliador, são denominadas de experimental (Ex: testes de usabilidade)
  2. A análise preditiva é realizada quando os avaliadores tentam prever que tipo de problemas os usuários enfrentarão. Esta análise pode ser feita através de uma inspeção da interface ou em função de técnicas de modelagem. (Ex: percurso cognitivo) A análise interpretativa é realizada quando os avaliadores procuram explicar os fenômenos que ocorreram durante uma interação. (Ex: diário de uso continuado / observações) e é feita sobre dados coletados em ambientes naturais sem interferência dos observadores nas atividades. Os dados coletados em ambientes controlados, embora esta análise também dependa da interpretação do avaliador, são denominadas de experimental (Ex: testes de usabilidade)
  3. A análise preditiva é realizada quando os avaliadores tentam prever que tipo de problemas os usuários enfrentarão. Esta análise pode ser feita através de uma inspeção da interface ou em função de técnicas de modelagem. (Ex: percurso cognitivo) A análise interpretativa é realizada quando os avaliadores procuram explicar os fenômenos que ocorreram durante uma interação. (Ex: diário de uso continuado / observações) e é feita sobre dados coletados em ambientes naturais sem interferência dos observadores nas atividades. Os dados coletados em ambientes controlados, embora esta análise também dependa da interpretação do avaliador, são denominadas de experimental (Ex: testes de usabilidade)
  4. A análise preditiva é realizada quando os avaliadores tentam prever que tipo de problemas os usuários enfrentarão. Esta análise pode ser feita através de uma inspeção da interface ou em função de técnicas de modelagem. (Ex: percurso cognitivo) A análise interpretativa é realizada quando os avaliadores procuram explicar os fenômenos que ocorreram durante uma interação. (Ex: diário de uso continuado / observações) e é feita sobre dados coletados em ambientes naturais sem interferência dos observadores nas atividades. Os dados coletados em ambientes controlados, embora esta análise também dependa da interpretação do avaliador, são denominadas de experimental (Ex: testes de usabilidade)
  5. A análise preditiva é realizada quando os avaliadores tentam prever que tipo de problemas os usuários enfrentarão. Esta análise pode ser feita através de uma inspeção da interface ou em função de técnicas de modelagem. (Ex: percurso cognitivo) A análise interpretativa é realizada quando os avaliadores procuram explicar os fenômenos que ocorreram durante uma interação. (Ex: diário de uso continuado / observações) e é feita sobre dados coletados em ambientes naturais sem interferência dos observadores nas atividades. Os dados coletados em ambientes controlados, embora esta análise também dependa da interpretação do avaliador, são denominadas de experimental (Ex: testes de usabilidade)
  6. A análise preditiva é realizada quando os avaliadores tentam prever que tipo de problemas os usuários enfrentarão. Esta análise pode ser feita através de uma inspeção da interface ou em função de técnicas de modelagem. (Ex: percurso cognitivo) A análise interpretativa é realizada quando os avaliadores procuram explicar os fenômenos que ocorreram durante uma interação. (Ex: diário de uso continuado / observações) e é feita sobre dados coletados em ambientes naturais sem interferência dos observadores nas atividades. Os dados coletados em ambientes controlados, embora esta análise também dependa da interpretação do avaliador, são denominadas de experimental (Ex: testes de usabilidade)
  7. A análise preditiva é realizada quando os avaliadores tentam prever que tipo de problemas os usuários enfrentarão. Esta análise pode ser feita através de uma inspeção da interface ou em função de técnicas de modelagem. (Ex: percurso cognitivo) A análise interpretativa é realizada quando os avaliadores procuram explicar os fenômenos que ocorreram durante uma interação. (Ex: diário de uso continuado / observações) e é feita sobre dados coletados em ambientes naturais sem interferência dos observadores nas atividades. Os dados coletados em ambientes controlados, embora esta análise também dependa da interpretação do avaliador, são denominadas de experimental (Ex: testes de usabilidade)
  8. A análise preditiva é realizada quando os avaliadores tentam prever que tipo de problemas os usuários enfrentarão. Esta análise pode ser feita através de uma inspeção da interface ou em função de técnicas de modelagem. (Ex: percurso cognitivo) A análise interpretativa é realizada quando os avaliadores procuram explicar os fenômenos que ocorreram durante uma interação. (Ex: diário de uso continuado / observações) e é feita sobre dados coletados em ambientes naturais sem interferência dos observadores nas atividades. Os dados coletados em ambientes controlados, embora esta análise também dependa da interpretação do avaliador, são denominadas de experimental (Ex: testes de usabilidade)
  9. A análise preditiva é realizada quando os avaliadores tentam prever que tipo de problemas os usuários enfrentarão. Esta análise pode ser feita através de uma inspeção da interface ou em função de técnicas de modelagem. (Ex: percurso cognitivo) A análise interpretativa é realizada quando os avaliadores procuram explicar os fenômenos que ocorreram durante uma interação. (Ex: diário de uso continuado / observações) e é feita sobre dados coletados em ambientes naturais sem interferência dos observadores nas atividades. Os dados coletados em ambientes controlados, embora esta análise também dependa da interpretação do avaliador, são denominadas de experimental (Ex: testes de usabilidade)
  10. A análise preditiva é realizada quando os avaliadores tentam prever que tipo de problemas os usuários enfrentarão. Esta análise pode ser feita através de uma inspeção da interface ou em função de técnicas de modelagem. (Ex: percurso cognitivo) A análise interpretativa é realizada quando os avaliadores procuram explicar os fenômenos que ocorreram durante uma interação. (Ex: diário de uso continuado / observações) e é feita sobre dados coletados em ambientes naturais sem interferência dos observadores nas atividades. Os dados coletados em ambientes controlados, embora esta análise também dependa da interpretação do avaliador, são denominadas de experimental (Ex: testes de usabilidade)
  11. A análise preditiva é realizada quando os avaliadores tentam prever que tipo de problemas os usuários enfrentarão. Esta análise pode ser feita através de uma inspeção da interface ou em função de técnicas de modelagem. (Ex: percurso cognitivo) A análise interpretativa é realizada quando os avaliadores procuram explicar os fenômenos que ocorreram durante uma interação. (Ex: diário de uso continuado / observações) e é feita sobre dados coletados em ambientes naturais sem interferência dos observadores nas atividades. Os dados coletados em ambientes controlados, embora esta análise também dependa da interpretação do avaliador, são denominadas de experimental (Ex: testes de usabilidade)
  12. A análise preditiva é realizada quando os avaliadores tentam prever que tipo de problemas os usuários enfrentarão. Esta análise pode ser feita através de uma inspeção da interface ou em função de técnicas de modelagem. (Ex: percurso cognitivo) A análise interpretativa é realizada quando os avaliadores procuram explicar os fenômenos que ocorreram durante uma interação. (Ex: diário de uso continuado / observações) e é feita sobre dados coletados em ambientes naturais sem interferência dos observadores nas atividades. Os dados coletados em ambientes controlados, embora esta análise também dependa da interpretação do avaliador, são denominadas de experimental (Ex: testes de usabilidade)
  13. A análise preditiva é realizada quando os avaliadores tentam prever que tipo de problemas os usuários enfrentarão. Esta análise pode ser feita através de uma inspeção da interface ou em função de técnicas de modelagem. (Ex: percurso cognitivo) A análise interpretativa é realizada quando os avaliadores procuram explicar os fenômenos que ocorreram durante uma interação. (Ex: diário de uso continuado / observações) e é feita sobre dados coletados em ambientes naturais sem interferência dos observadores nas atividades. Os dados coletados em ambientes controlados, embora esta análise também dependa da interpretação do avaliador, são denominadas de experimental (Ex: testes de usabilidade)
  14. A análise preditiva é realizada quando os avaliadores tentam prever que tipo de problemas os usuários enfrentarão. Esta análise pode ser feita através de uma inspeção da interface ou em função de técnicas de modelagem. (Ex: percurso cognitivo) A análise interpretativa é realizada quando os avaliadores procuram explicar os fenômenos que ocorreram durante uma interação. (Ex: diário de uso continuado / observações) e é feita sobre dados coletados em ambientes naturais sem interferência dos observadores nas atividades. Os dados coletados em ambientes controlados, embora esta análise também dependa da interpretação do avaliador, são denominadas de experimental (Ex: testes de usabilidade)
  15. A análise preditiva é realizada quando os avaliadores tentam prever que tipo de problemas os usuários enfrentarão. Esta análise pode ser feita através de uma inspeção da interface ou em função de técnicas de modelagem. (Ex: percurso cognitivo) A análise interpretativa é realizada quando os avaliadores procuram explicar os fenômenos que ocorreram durante uma interação. (Ex: diário de uso continuado / observações) e é feita sobre dados coletados em ambientes naturais sem interferência dos observadores nas atividades. Os dados coletados em ambientes controlados, embora esta análise também dependa da interpretação do avaliador, são denominadas de experimental (Ex: testes de usabilidade)
  16. A análise preditiva é realizada quando os avaliadores tentam prever que tipo de problemas os usuários enfrentarão. Esta análise pode ser feita através de uma inspeção da interface ou em função de técnicas de modelagem. (Ex: percurso cognitivo) A análise interpretativa é realizada quando os avaliadores procuram explicar os fenômenos que ocorreram durante uma interação. (Ex: diário de uso continuado / observações) e é feita sobre dados coletados em ambientes naturais sem interferência dos observadores nas atividades. Os dados coletados em ambientes controlados, embora esta análise também dependa da interpretação do avaliador, são denominadas de experimental (Ex: testes de usabilidade)
  17. A análise preditiva é realizada quando os avaliadores tentam prever que tipo de problemas os usuários enfrentarão. Esta análise pode ser feita através de uma inspeção da interface ou em função de técnicas de modelagem. (Ex: percurso cognitivo) A análise interpretativa é realizada quando os avaliadores procuram explicar os fenômenos que ocorreram durante uma interação. (Ex: diário de uso continuado / observações) e é feita sobre dados coletados em ambientes naturais sem interferência dos observadores nas atividades. Os dados coletados em ambientes controlados, embora esta análise também dependa da interpretação do avaliador, são denominadas de experimental (Ex: testes de usabilidade)
  18. A análise preditiva é realizada quando os avaliadores tentam prever que tipo de problemas os usuários enfrentarão. Esta análise pode ser feita através de uma inspeção da interface ou em função de técnicas de modelagem. (Ex: percurso cognitivo) A análise interpretativa é realizada quando os avaliadores procuram explicar os fenômenos que ocorreram durante uma interação. (Ex: diário de uso continuado / observações) e é feita sobre dados coletados em ambientes naturais sem interferência dos observadores nas atividades. Os dados coletados em ambientes controlados, embora esta análise também dependa da interpretação do avaliador, são denominadas de experimental (Ex: testes de usabilidade)
  19. A análise preditiva é realizada quando os avaliadores tentam prever que tipo de problemas os usuários enfrentarão. Esta análise pode ser feita através de uma inspeção da interface ou em função de técnicas de modelagem. (Ex: percurso cognitivo) A análise interpretativa é realizada quando os avaliadores procuram explicar os fenômenos que ocorreram durante uma interação. (Ex: diário de uso continuado / observações) e é feita sobre dados coletados em ambientes naturais sem interferência dos observadores nas atividades. Os dados coletados em ambientes controlados, embora esta análise também dependa da interpretação do avaliador, são denominadas de experimental (Ex: testes de usabilidade)