SlideShare uma empresa Scribd logo
Absolutismo e Mercantilismo
Nelson Manuel Jesus Faustino
Antigo Regime
   Antigo Regime
       Século XVII e XVIII
       Caracterizava-se
           Por uma economia baseada na agricultura e no
            tráfego comercial;
           Por uma sociedade fortemente estratificada, onde
            dominavam os grupos privilegiados;
           Pelo poder absoluto do rei.
Antigo Regime - Portugal
   Agricultura Tradicional
       A maior parte da população vivia da agricultura;
       A terra pertencia ao Rei, ao Clero e à Nobreza;
       Os camponeses pagavam pesados impostos:
       As principais produções eram:
           O milho;
           A vinha;
           A oliveira.
Antigo Regime - Portugal




 Círculo vicioso
 da agricultura
   durante o
 Antigo Regime
Antigo Regime – Portugal
   Comércio colonial
       Produtos importantes:
           Açúcar   Brasil
           Tabaco
Mercantilismo em França
   Mercantilismo
       Política económica desenvolvida por Colbert;
           Ministro do rei Luís XIV

       Estabelecimento de um conjunto de medidas

                   Fomentar a Industrialização

                   Desenvolvimento comercial           6
Mercantilismo em França
   Para Colbert:
       A riqueza de um pais estava na quantidade de
        ouro que o pais conseguisse fazer entrar;
       Assim, as exportações deveriam aumentar e as
        importações diminuir.
Mercantilismo em França
   Medidas:
       Multiplicação de manufacturas:
           Têxteis:
               Concede subsídios;
               Isenção fiscal;
               Criação de Monopólios.


       Desenvolvimento de companhias de comércio:


                                                     8
Mercantilismo em Portugal
   Mercantilismo em Portugal
       Introduzido pelo Conde da Ericeira (D. Luís de
        Meneses




                                                         9
Mercantilismo em Portugal
    Medidas (I):
        Criação de Manufacturas:
            Lanifícios
            Sedas
            Chapéus
            Vidro
            Ferro.

        Importação de:
            Técnicos estrangeiros;
            Equipamentos.
                                      10
Mercantilismo em Portugal
    Medidas (II):
        Concessão de:
            Subsídios;
            Benefícios fiscais.
            Monopólios.

        Leis pragmáticas:
            Proibição do uso de artigos de luxo (panos, vidro e louça) de
             origem estrangeira.



                                                                        11
Mercantilismo em Portugal
   Porém, as medidas implementadas pelo
    Conde da Ericeira vão falhar:
       Razões:
           Descoberta de ouro e diamantes no Brasil
           Tratado de Methuen (1703):
               Realizado entre Portugal e Inglaterra.
               Portugal exporta vinhos e importa lanifícios de Inglaterra




                                                                             12
Mercantilismo em Portugal


Quanto mais
ouro vinha do
 Brasil, mais
   Portugal
  importava
 produtos de
  Inglaterra
Sociedade de Ordens




                      14
Sociedade de Ordens




                      15
Sociedade de Ordens




                      16
Absolutismo em França
   Regime político
    desenvolvido em França
    por Luís XIV e que se
    caracterizava pela
    centralização do poder
    na pessoa do monarca.



                             17
Absolutismo em França
   Segundo Luís (XIV)
       O rei tinha recebido o seu poder de Deus (poder
        divino) e era o seu representante na terra para
        poder governar sem contestação;
       O rei centralizava em si os três poderes:
           Poder legislativo;
           Poder executivo;
           Poder Judicial.

                                                          18
Absolutismo em Portugal
   Reinado de D. João V
       Regime alicerçado no ouro
        e diamantes do Brasil.

       Projecção de uma imagem
        de grandeza e esplendor:
           Construção do Convento de
            Mafra;
           Construção do Aqueduto das
            Águas Livres.                19
Convento de Mafra
O Antigo Regime
Absolutismo em Portugal
   Reinado de D. José I.
       Convida para Ministro Sebastião
        José de Carvalho e Melo (1750).

       Ficou conhecido como o
        Marquês de Pombal.




                                 D. José I   22
O Antigo Regime
Absolutismo em Portugal
   A acção do Marquês de Pombal:
       1755 – Terramoto de Lisboa
           Construção de uma nova cidade:
               Planta rectilínea e geométrica;
               Projecto igual para todos os edifícios;
               Proibição de marcas exteriores de riqueza;
               Alinhamento das fachadas das igrejas pela altura dos
                restantes edifícios.




                                                                       24
Absolutismo em Portugal
Terreiro do Paço
  Século XVIII
O Antigo Regime
Absolutismo em Portugal
   Reformas pombalinas
       Reforma do Estado:
           Junta de Comércio (1755)
               Para controlar a actividade e subsidiar a indústria;
           Real Mesa Censória (1758)
               Para vigiar as publicações
           Intendência-Geral da Polícia (1760)
               Para “manter a segurança e tranquilidade pública”
           Erário Régio (1761)
               Organizava a aplicação e cobrança dos impostos.
                                                                       27
Absolutismo em Portugal
   Reformas pombalinas
       Reforma Social:
           Controlo da Nobreza:
               Processo dos Távoras.
           Expulsão dos Jesuítas de Portugal;
           Fim da distinção entre Cristão-Velho e Cristão-Novo.
           Fim da Inquisição.



                                                                   28
O Antigo Regime
Absolutismo em Portugal
   Reformas pombalinas
       Reforma Comércio:
           Organização de grandes
            companhias comerciais
            (com monopólio);
           O comércio foi
            declarado actividade
            nobre.



                                     30
Absolutismo em Portugal
   Reformas pombalinas
       Reforma Ensino:
           Criação do ensino primário e secundário;
           Reforma da Universidade;
           Cria o Real Colégio dos Nobres




                                                       31

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

11 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 211 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 2
Carla Freitas
 
4 02 a europa dos estados absolutos e a europa dos parlamentos
4 02 a europa dos estados absolutos e a europa dos parlamentos4 02 a europa dos estados absolutos e a europa dos parlamentos
4 02 a europa dos estados absolutos e a europa dos parlamentos
Vítor Santos
 
O Despotismo Pombalino
O  Despotismo  PombalinoO  Despotismo  Pombalino
O Despotismo Pombalino
Rui Neto
 
A sociedade de ordens 11º ano
A sociedade de ordens 11º anoA sociedade de ordens 11º ano
A sociedade de ordens 11º ano
Carla Teixeira
 
5 05 a o legado do liberalismo na primeira metade do seculo xix alunos
5 05  a o legado do liberalismo na primeira metade do seculo xix alunos5 05  a o legado do liberalismo na primeira metade do seculo xix alunos
5 05 a o legado do liberalismo na primeira metade do seculo xix alunos
Vítor Santos
 
Guerra civil portuguesa
Guerra civil portuguesaGuerra civil portuguesa
Guerra civil portuguesa
13_ines_silva
 
Unidade 3 o_antigo_regime_europeu
Unidade 3 o_antigo_regime_europeuUnidade 3 o_antigo_regime_europeu
Unidade 3 o_antigo_regime_europeu
Vítor Santos
 
O novo ordenamento politico e socioeconomico
O novo ordenamento politico e socioeconomicoO novo ordenamento politico e socioeconomico
O novo ordenamento politico e socioeconomico
diariohistoria
 
O Antigo Regime
O Antigo RegimeO Antigo Regime
O Antigo Regime
cattonia
 
Vintismo
VintismoVintismo
Vintismo
Carla Teixeira
 
Portugal e as dificuldades económicas
Portugal e as dificuldades económicasPortugal e as dificuldades económicas
Portugal e as dificuldades económicas
Susana Simões
 
11 ha m4 u3 3
11 ha m4 u3 311 ha m4 u3 3
11 ha m4 u3 3
Carla Freitas
 
4 04 construção da modernidade europeia
4 04 construção da modernidade europeia4 04 construção da modernidade europeia
4 04 construção da modernidade europeia
Vítor Santos
 
História A - módulo 3, 4 e 6
História A - módulo 3, 4 e 6História A - módulo 3, 4 e 6
História A - módulo 3, 4 e 6
Joana Filipa Rodrigues
 
Mercantilismo francês
Mercantilismo francêsMercantilismo francês
Mercantilismo francês
ana pinho
 
11 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 111 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 1
Carla Freitas
 
Politica pombalina
Politica pombalinaPolitica pombalina
Politica pombalina
JoanaRitaSilva
 
O método experimental e o progresso do conhecimento
O método experimental e o progresso do conhecimentoO método experimental e o progresso do conhecimento
O método experimental e o progresso do conhecimento
Diogo.Verissimo
 
A revolução americana
A revolução americanaA revolução americana
A revolução americana
cattonia
 
5 02 a revolucao francesa.pptx
5 02 a revolucao francesa.pptx5 02 a revolucao francesa.pptx
5 02 a revolucao francesa.pptx
Vítor Santos
 

Mais procurados (20)

11 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 211 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 2
 
4 02 a europa dos estados absolutos e a europa dos parlamentos
4 02 a europa dos estados absolutos e a europa dos parlamentos4 02 a europa dos estados absolutos e a europa dos parlamentos
4 02 a europa dos estados absolutos e a europa dos parlamentos
 
O Despotismo Pombalino
O  Despotismo  PombalinoO  Despotismo  Pombalino
O Despotismo Pombalino
 
A sociedade de ordens 11º ano
A sociedade de ordens 11º anoA sociedade de ordens 11º ano
A sociedade de ordens 11º ano
 
5 05 a o legado do liberalismo na primeira metade do seculo xix alunos
5 05  a o legado do liberalismo na primeira metade do seculo xix alunos5 05  a o legado do liberalismo na primeira metade do seculo xix alunos
5 05 a o legado do liberalismo na primeira metade do seculo xix alunos
 
Guerra civil portuguesa
Guerra civil portuguesaGuerra civil portuguesa
Guerra civil portuguesa
 
Unidade 3 o_antigo_regime_europeu
Unidade 3 o_antigo_regime_europeuUnidade 3 o_antigo_regime_europeu
Unidade 3 o_antigo_regime_europeu
 
O novo ordenamento politico e socioeconomico
O novo ordenamento politico e socioeconomicoO novo ordenamento politico e socioeconomico
O novo ordenamento politico e socioeconomico
 
O Antigo Regime
O Antigo RegimeO Antigo Regime
O Antigo Regime
 
Vintismo
VintismoVintismo
Vintismo
 
Portugal e as dificuldades económicas
Portugal e as dificuldades económicasPortugal e as dificuldades económicas
Portugal e as dificuldades económicas
 
11 ha m4 u3 3
11 ha m4 u3 311 ha m4 u3 3
11 ha m4 u3 3
 
4 04 construção da modernidade europeia
4 04 construção da modernidade europeia4 04 construção da modernidade europeia
4 04 construção da modernidade europeia
 
História A - módulo 3, 4 e 6
História A - módulo 3, 4 e 6História A - módulo 3, 4 e 6
História A - módulo 3, 4 e 6
 
Mercantilismo francês
Mercantilismo francêsMercantilismo francês
Mercantilismo francês
 
11 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 111 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 1
 
Politica pombalina
Politica pombalinaPolitica pombalina
Politica pombalina
 
O método experimental e o progresso do conhecimento
O método experimental e o progresso do conhecimentoO método experimental e o progresso do conhecimento
O método experimental e o progresso do conhecimento
 
A revolução americana
A revolução americanaA revolução americana
A revolução americana
 
5 02 a revolucao francesa.pptx
5 02 a revolucao francesa.pptx5 02 a revolucao francesa.pptx
5 02 a revolucao francesa.pptx
 

Destaque

A sociedade de três ordens e a vida feudal
A sociedade de três ordens e a vida feudalA sociedade de três ordens e a vida feudal
A sociedade de três ordens e a vida feudal
Gilberto Amorim
 
A sociedade de ordens resumo
A sociedade de ordens resumoA sociedade de ordens resumo
A sociedade de ordens resumo
Escoladocs
 
A Sociedade De Ordens
A Sociedade De OrdensA Sociedade De Ordens
A Sociedade De Ordens
crie_historia8
 
Sociedade do Antigo Regime
Sociedade do Antigo RegimeSociedade do Antigo Regime
Sociedade do Antigo Regime
Susana Simões
 
Sociedade de ordens
Sociedade de ordensSociedade de ordens
Sociedade de ordens
Maria Gomes
 
Sociedade Antigo Regime
Sociedade Antigo RegimeSociedade Antigo Regime
Sociedade Antigo Regime
Isabel Ribeiro
 

Destaque (6)

A sociedade de três ordens e a vida feudal
A sociedade de três ordens e a vida feudalA sociedade de três ordens e a vida feudal
A sociedade de três ordens e a vida feudal
 
A sociedade de ordens resumo
A sociedade de ordens resumoA sociedade de ordens resumo
A sociedade de ordens resumo
 
A Sociedade De Ordens
A Sociedade De OrdensA Sociedade De Ordens
A Sociedade De Ordens
 
Sociedade do Antigo Regime
Sociedade do Antigo RegimeSociedade do Antigo Regime
Sociedade do Antigo Regime
 
Sociedade de ordens
Sociedade de ordensSociedade de ordens
Sociedade de ordens
 
Sociedade Antigo Regime
Sociedade Antigo RegimeSociedade Antigo Regime
Sociedade Antigo Regime
 

Semelhante a O Antigo Regime

Absolutismomercantilismo 120509173330-phpapp02(1)
Absolutismomercantilismo 120509173330-phpapp02(1)Absolutismomercantilismo 120509173330-phpapp02(1)
Absolutismomercantilismo 120509173330-phpapp02(1)
Mario Conde
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
Carlos Vieira
 
Absolutismo 8
Absolutismo 8Absolutismo 8
Absolutismo 8
Jorge Basílio
 
Mercantilismo português
Mercantilismo portuguêsMercantilismo português
Mercantilismo português
cattonia
 
Antigo regime
Antigo regimeAntigo regime
Antigo regime
helenacompleto
 
Política económica - século XVIII
Política económica - século XVIIIPolítica económica - século XVIII
Política económica - século XVIII
Maria Gomes
 
Resumo História Antigo Regime
Resumo História Antigo RegimeResumo História Antigo Regime
Resumo História Antigo Regime
Maria Catarina Santos
 
Resumo de História Antigo Regime
Resumo de História Antigo RegimeResumo de História Antigo Regime
Resumo de História Antigo Regime
Maria Catarina Santos
 
Marquês de pombal power-point
Marquês de pombal  power-pointMarquês de pombal  power-point
Marquês de pombal power-point
PAFB
 
Resumo De História do 8º Ano
Resumo De História do 8º AnoResumo De História do 8º Ano
Resumo De História do 8º Ano
Denis Best
 
Mercantilismo português
Mercantilismo portuguêsMercantilismo português
Mercantilismo português
cattonia
 
Portugal na Europa do Antigo Regime
Portugal na Europa do Antigo RegimePortugal na Europa do Antigo Regime
Portugal na Europa do Antigo Regime
Carlos Pinheiro
 
32 despotismo pombalino
32   despotismo pombalino32   despotismo pombalino
32 despotismo pombalino
Carla Freitas
 
O Antigo Regime em Portugal - Raquel Bruno nº25; Rosianne Raimundo nº28.pptx
O Antigo Regime em Portugal - Raquel Bruno nº25; Rosianne Raimundo nº28.pptxO Antigo Regime em Portugal - Raquel Bruno nº25; Rosianne Raimundo nº28.pptx
O Antigo Regime em Portugal - Raquel Bruno nº25; Rosianne Raimundo nº28.pptx
RosianneRaimundo
 
Mercantilismo português
Mercantilismo portuguêsMercantilismo português
Mercantilismo português
ana pinho
 
Resumos Para O Teste
Resumos Para O TesteResumos Para O Teste
Resumos Para O Teste
jdlimaaear
 
História- trabalho realizado pelo uma escola
História- trabalho realizado pelo uma escolaHistória- trabalho realizado pelo uma escola
História- trabalho realizado pelo uma escola
MariaCaneira1
 
O Antigo Regime PortuguêS
O Antigo Regime PortuguêSO Antigo Regime PortuguêS
O Antigo Regime PortuguêS
Sílvia Mendonça
 
O mercantilismo historia A joana aleida 11ºj
O mercantilismo historia A joana aleida 11ºjO mercantilismo historia A joana aleida 11ºj
O mercantilismo historia A joana aleida 11ºj
slidjuu
 
O mercantilismo histopria a joana aleida 11ºj
O mercantilismo histopria a joana aleida 11ºjO mercantilismo histopria a joana aleida 11ºj
O mercantilismo histopria a joana aleida 11ºj
slidjuu
 

Semelhante a O Antigo Regime (20)

Absolutismomercantilismo 120509173330-phpapp02(1)
Absolutismomercantilismo 120509173330-phpapp02(1)Absolutismomercantilismo 120509173330-phpapp02(1)
Absolutismomercantilismo 120509173330-phpapp02(1)
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
Absolutismo 8
Absolutismo 8Absolutismo 8
Absolutismo 8
 
Mercantilismo português
Mercantilismo portuguêsMercantilismo português
Mercantilismo português
 
Antigo regime
Antigo regimeAntigo regime
Antigo regime
 
Política económica - século XVIII
Política económica - século XVIIIPolítica económica - século XVIII
Política económica - século XVIII
 
Resumo História Antigo Regime
Resumo História Antigo RegimeResumo História Antigo Regime
Resumo História Antigo Regime
 
Resumo de História Antigo Regime
Resumo de História Antigo RegimeResumo de História Antigo Regime
Resumo de História Antigo Regime
 
Marquês de pombal power-point
Marquês de pombal  power-pointMarquês de pombal  power-point
Marquês de pombal power-point
 
Resumo De História do 8º Ano
Resumo De História do 8º AnoResumo De História do 8º Ano
Resumo De História do 8º Ano
 
Mercantilismo português
Mercantilismo portuguêsMercantilismo português
Mercantilismo português
 
Portugal na Europa do Antigo Regime
Portugal na Europa do Antigo RegimePortugal na Europa do Antigo Regime
Portugal na Europa do Antigo Regime
 
32 despotismo pombalino
32   despotismo pombalino32   despotismo pombalino
32 despotismo pombalino
 
O Antigo Regime em Portugal - Raquel Bruno nº25; Rosianne Raimundo nº28.pptx
O Antigo Regime em Portugal - Raquel Bruno nº25; Rosianne Raimundo nº28.pptxO Antigo Regime em Portugal - Raquel Bruno nº25; Rosianne Raimundo nº28.pptx
O Antigo Regime em Portugal - Raquel Bruno nº25; Rosianne Raimundo nº28.pptx
 
Mercantilismo português
Mercantilismo portuguêsMercantilismo português
Mercantilismo português
 
Resumos Para O Teste
Resumos Para O TesteResumos Para O Teste
Resumos Para O Teste
 
História- trabalho realizado pelo uma escola
História- trabalho realizado pelo uma escolaHistória- trabalho realizado pelo uma escola
História- trabalho realizado pelo uma escola
 
O Antigo Regime PortuguêS
O Antigo Regime PortuguêSO Antigo Regime PortuguêS
O Antigo Regime PortuguêS
 
O mercantilismo historia A joana aleida 11ºj
O mercantilismo historia A joana aleida 11ºjO mercantilismo historia A joana aleida 11ºj
O mercantilismo historia A joana aleida 11ºj
 
O mercantilismo histopria a joana aleida 11ºj
O mercantilismo histopria a joana aleida 11ºjO mercantilismo histopria a joana aleida 11ºj
O mercantilismo histopria a joana aleida 11ºj
 

Mais de Nelson Faustino

Desenvolvimento Económico Séculos XI-XII
Desenvolvimento Económico Séculos XI-XIIDesenvolvimento Económico Séculos XI-XII
Desenvolvimento Económico Séculos XI-XII
Nelson Faustino
 
A Reconquista e a Formação de Portugal
A Reconquista e a Formação de PortugalA Reconquista e a Formação de Portugal
A Reconquista e a Formação de Portugal
Nelson Faustino
 
Sociedade Medieval
Sociedade MedievalSociedade Medieval
Sociedade Medieval
Nelson Faustino
 
Revoluçao Agricola e Revolução Industrial
Revoluçao Agricola e Revolução IndustrialRevoluçao Agricola e Revolução Industrial
Revoluçao Agricola e Revolução Industrial
Nelson Faustino
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
Nelson Faustino
 
A Disputa dos Mares e a Afirmação do Capitalismo Comercial
A Disputa dos Mares e a Afirmação do Capitalismo ComercialA Disputa dos Mares e a Afirmação do Capitalismo Comercial
A Disputa dos Mares e a Afirmação do Capitalismo Comercial
Nelson Faustino
 
Roma
RomaRoma
Reformas religiosas
Reformas religiosasReformas religiosas
Reformas religiosas
Nelson Faustino
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
Nelson Faustino
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
Nelson Faustino
 

Mais de Nelson Faustino (10)

Desenvolvimento Económico Séculos XI-XII
Desenvolvimento Económico Séculos XI-XIIDesenvolvimento Económico Séculos XI-XII
Desenvolvimento Económico Séculos XI-XII
 
A Reconquista e a Formação de Portugal
A Reconquista e a Formação de PortugalA Reconquista e a Formação de Portugal
A Reconquista e a Formação de Portugal
 
Sociedade Medieval
Sociedade MedievalSociedade Medieval
Sociedade Medieval
 
Revoluçao Agricola e Revolução Industrial
Revoluçao Agricola e Revolução IndustrialRevoluçao Agricola e Revolução Industrial
Revoluçao Agricola e Revolução Industrial
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
A Disputa dos Mares e a Afirmação do Capitalismo Comercial
A Disputa dos Mares e a Afirmação do Capitalismo ComercialA Disputa dos Mares e a Afirmação do Capitalismo Comercial
A Disputa dos Mares e a Afirmação do Capitalismo Comercial
 
Roma
RomaRoma
Roma
 
Reformas religiosas
Reformas religiosasReformas religiosas
Reformas religiosas
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 

Último

Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 

O Antigo Regime

  • 1. Absolutismo e Mercantilismo Nelson Manuel Jesus Faustino
  • 2. Antigo Regime  Antigo Regime  Século XVII e XVIII  Caracterizava-se  Por uma economia baseada na agricultura e no tráfego comercial;  Por uma sociedade fortemente estratificada, onde dominavam os grupos privilegiados;  Pelo poder absoluto do rei.
  • 3. Antigo Regime - Portugal  Agricultura Tradicional  A maior parte da população vivia da agricultura;  A terra pertencia ao Rei, ao Clero e à Nobreza;  Os camponeses pagavam pesados impostos:  As principais produções eram:  O milho;  A vinha;  A oliveira.
  • 4. Antigo Regime - Portugal Círculo vicioso da agricultura durante o Antigo Regime
  • 5. Antigo Regime – Portugal  Comércio colonial  Produtos importantes:  Açúcar Brasil  Tabaco
  • 6. Mercantilismo em França  Mercantilismo  Política económica desenvolvida por Colbert;  Ministro do rei Luís XIV  Estabelecimento de um conjunto de medidas Fomentar a Industrialização Desenvolvimento comercial 6
  • 7. Mercantilismo em França  Para Colbert:  A riqueza de um pais estava na quantidade de ouro que o pais conseguisse fazer entrar;  Assim, as exportações deveriam aumentar e as importações diminuir.
  • 8. Mercantilismo em França  Medidas:  Multiplicação de manufacturas:  Têxteis:  Concede subsídios;  Isenção fiscal;  Criação de Monopólios.  Desenvolvimento de companhias de comércio: 8
  • 9. Mercantilismo em Portugal  Mercantilismo em Portugal  Introduzido pelo Conde da Ericeira (D. Luís de Meneses 9
  • 10. Mercantilismo em Portugal  Medidas (I):  Criação de Manufacturas:  Lanifícios  Sedas  Chapéus  Vidro  Ferro.  Importação de:  Técnicos estrangeiros;  Equipamentos. 10
  • 11. Mercantilismo em Portugal  Medidas (II):  Concessão de:  Subsídios;  Benefícios fiscais.  Monopólios.  Leis pragmáticas:  Proibição do uso de artigos de luxo (panos, vidro e louça) de origem estrangeira. 11
  • 12. Mercantilismo em Portugal  Porém, as medidas implementadas pelo Conde da Ericeira vão falhar:  Razões:  Descoberta de ouro e diamantes no Brasil  Tratado de Methuen (1703):  Realizado entre Portugal e Inglaterra.  Portugal exporta vinhos e importa lanifícios de Inglaterra 12
  • 13. Mercantilismo em Portugal Quanto mais ouro vinha do Brasil, mais Portugal importava produtos de Inglaterra
  • 17. Absolutismo em França  Regime político desenvolvido em França por Luís XIV e que se caracterizava pela centralização do poder na pessoa do monarca. 17
  • 18. Absolutismo em França  Segundo Luís (XIV)  O rei tinha recebido o seu poder de Deus (poder divino) e era o seu representante na terra para poder governar sem contestação;  O rei centralizava em si os três poderes:  Poder legislativo;  Poder executivo;  Poder Judicial. 18
  • 19. Absolutismo em Portugal  Reinado de D. João V  Regime alicerçado no ouro e diamantes do Brasil.  Projecção de uma imagem de grandeza e esplendor:  Construção do Convento de Mafra;  Construção do Aqueduto das Águas Livres. 19
  • 22. Absolutismo em Portugal  Reinado de D. José I.  Convida para Ministro Sebastião José de Carvalho e Melo (1750).  Ficou conhecido como o Marquês de Pombal. D. José I 22
  • 24. Absolutismo em Portugal  A acção do Marquês de Pombal:  1755 – Terramoto de Lisboa  Construção de uma nova cidade:  Planta rectilínea e geométrica;  Projecto igual para todos os edifícios;  Proibição de marcas exteriores de riqueza;  Alinhamento das fachadas das igrejas pela altura dos restantes edifícios. 24
  • 25. Absolutismo em Portugal Terreiro do Paço Século XVIII
  • 27. Absolutismo em Portugal  Reformas pombalinas  Reforma do Estado:  Junta de Comércio (1755)  Para controlar a actividade e subsidiar a indústria;  Real Mesa Censória (1758)  Para vigiar as publicações  Intendência-Geral da Polícia (1760)  Para “manter a segurança e tranquilidade pública”  Erário Régio (1761)  Organizava a aplicação e cobrança dos impostos. 27
  • 28. Absolutismo em Portugal  Reformas pombalinas  Reforma Social:  Controlo da Nobreza:  Processo dos Távoras.  Expulsão dos Jesuítas de Portugal;  Fim da distinção entre Cristão-Velho e Cristão-Novo.  Fim da Inquisição. 28
  • 30. Absolutismo em Portugal  Reformas pombalinas  Reforma Comércio:  Organização de grandes companhias comerciais (com monopólio);  O comércio foi declarado actividade nobre. 30
  • 31. Absolutismo em Portugal  Reformas pombalinas  Reforma Ensino:  Criação do ensino primário e secundário;  Reforma da Universidade;  Cria o Real Colégio dos Nobres 31