SlideShare uma empresa Scribd logo
NOS DOMÍNIOS 
DA MEDIUNIDADE 
Desdobramento em Serviço(Estudo 11 de 30) 
LEONARDO PEREIRA
NOS DOMÍNIOS 
DA MEDIUNIDADE 
QUESTÕES PARA ESTUDO
1 - Como definir a mediunidade de 
desdobramento?
2 - Existiriam condições inerentes ao médium para 
que este se torne mais eficiente na atividade de 
desdobramento?
3 - E existiriam também condições para os demais 
membros do grupo auxiliarem o médium?
4 - Qual a importância da oração para auxiliar o 
médium de desdobramento?
5 - Qual a importância da concentração 
do médium no momento da atividade?
• 6 - E do estudo constante?
• 7 - Comente a seguinte afirmação do Assistente 
Àulus: 
• "Raros espíritos encarnados conseguem absoluto 
domínio de si próprios, em romagens de serviço 
edificante fora do carro de matéria densa. 
• Habituados à orientação pelo corpo físico, ante 
qualquer surpresa menos agradável, na esfera de 
fenômenos inabituais, procuram instintivamente o 
retorno ao vaso carnal, à maneira do molusco que se 
refugia na própria concha, diante de qualquer 
impressão em desacordo com os seus movimentos 
rotineiros."
NOS DOMÍNIOS 
DA MEDIUNIDADE 
Desdobramento em Serviço(Estudo 11 de 30) 
LEONARDO PEREIRA
T R E C H O S D O C A P Í T U L O. 
(...) 
"Chegara a vez do médium Antônio Castro. 
Profundamente concentrado, denotava a confiança com 
que se oferecia aos objetivos de serviço. 
Aproximou-se dele o irmão Clementino e, à maneira do 
magnetizador comum, impôs-lhe as mãos, aplicando-lhe 
passes de longo circuito. 
Castro como que adormeceu devagarinho, inteiriçando-se 
lhe os membros. 
Do tórax emanava com abundância um vapor 
esbranquiçado que, em se acumulando à feição de uma 
nuvem, depressa se transformou, à esquerda do corpo 
denso, numa duplicata do médium, em tamanho 
ligeiramente maior.
O diretor espiritual da casa submetia 
o medianeiro a delicada intervenção 
magnética que não seria lícito 
perturbar ou interromper. 
O médium, assim desligado do 
veículo carnal, afastou-se dois 
passos, deixando ver o cordão 
vaporoso que o prendia ao campo 
somático.
Enquanto Clementino o encorajava com 
palavras amigas, o nosso orientador, certamente 
assinalando-nos a curiosidade, deu-se pressa 
em esclarecer: 
_Com o auxílio do supervisor, o médium foi 
convenientemente exteriorizado. A princípio, 
seu perispírito ou "corpo astral" estava 
revestido com os eflúvios vitais que asseguram 
o equilíbrio entre a alma e o corpo de carne, 
conhecidos aqueles, em seu conjunto, como 
sendo o
"duplo etérico", formado por emanações 
neuropsíquicas que pertencem ao campo 
fisiológico e que, por isso mesmo, não conseguem 
maior afastamento da organização terrestre, 
destinando-se à desintegração, tanto quanto 
ocorre ao instrumento carnal, por ocasião da morte 
renovadora.
• Para melhor ajustar-se ao nosso 
ambiente, Castro devolveu essas 
energias ao corpo inerme, 
garantindo assim o calor 
indispensável à colméia celular e 
desembaraçando-se, tanto 
quanto possível, para entrar no 
serviço que o aguarda. 
_Ah! - disse Hilário, com 
expressão admirativa - aqui 
vemos, desse modo, a 
exteriorização da 
sensibilidade!...
• _Sim, se algum 
pesquisador humano 
ferisse o espaço em que se 
encontra a organização 
perispirítica de nosso 
amigo, registraria ele, de 
imediato, a dor do golpe 
que se lhe desfechasse, 
queixando-se disto, 
através da língua física, 
porque, não obstante 
liberto do vaso somático, 
prossegue em comunhão 
com ele, por intermédio 
do laço fluídico de ligação.
• _Castro é ainda um iniciante no serviço. À medida que 
entesoure experiência, manejará possibilidades 
espirituais avançadas, assumindo os aspectos que deseje, 
considerando que o perispírito é constituído de 
elementos maleáveis, obedecendo ao comando do 
pensamento, seja nascido da nossa própria imaginação 
ou da imaginação de inteligências mais vigorosas que a 
nossa, mormente quando a nossa vontade se rende, 
irrefletida, à dominação de espíritos tirânicos ou viciosos, 
encastelados na sombra.
• _Pela concentração mental, qualquer Espírito se 
evidenciará na expressão que deseje, todavia, 
empregando nossa imaginação criadora, 
podemos e devemos mobilizar os recursos ao 
nosso alcance, aprimorando concepções artísticas 
no campo de nossas relações, uns com os outros. 
A Arte, tanto quanto a Ciência, entre nós, é muito 
mais rica que no círculo dos encarnados e, por 
ela, a educação se processa mais eficiente, no que 
tange à beleza e à cultura. (....) 
O médium, mais à vontade fora do corpo denso, 
recebia as instruções que Clementino lhe 
administrava, paternal.
• Dois guardas aproximaram-se dele e lhe 
aplicaram à cabeça um capacete em forma de 
antolhos. 
_Para a viagem que fará - avisou-nos o 
Assistente -, Castro não deve dispersar a 
atenção. Incipiente ainda nesse gênero de 
tarefa, precisa instrumentação adequada para 
reduzir a própria capacidade de observação, de 
modo a interferir o menos possível na tarefa a 
executar. 
Vimos o rapaz plenamente desdobrado alçar-se 
ao espaço, de mãos dadas com ambos os 
vigilantes.
• O trio volitou em sentido oblíquo, 
sob nossa confiante expectação. 
Desde esse momento, 
demonstrando manter segura 
comunhão com o veículo carnal, 
ouvimo-lo dizer através da boca 
física: 
_Seguimos por um trilho estreito 
e escuro!... Oh, tenho medo, 
muito medo...Rodrigo e Sérgio 
amparam-me na excursão, mas 
sinto receio!...Tenho a idéia de 
que nos achamos em pleno 
nevoeiro...
• Mas Raul, sob a inspiração 
do mentor da casa, elevou 
o padrão vibratório do 
conjunto, numa prece 
fervorosa em que rogava 
ao Alto forças 
multiplicadas para o irmão 
em serviço. 
Junto de nós, Áulus 
informou: 
_A oração do grupo, 
acompanhando-o na 
excursão e transmitida a 
ele, de imediato, constitui-lhe 
abençoado tônico 
espiritual.
• Interpretando os fatos sob nossa observação, o 
Assistente explicou: 
_Raros espíritos encarnados conseguem absoluto 
domínio de si próprios, em romagens de servióc 
edificante fora do carro de matéria densa. 
Habituados à orientação pelo corpo físico, ante 
qualquer surpresa menos agradável, na esfera de 
fenômenos inabituais, procuram instintivamente o 
retorno ao vaso carnal, à maneira do molusco que 
se refugia na própria concha, diante de qualquer 
impressão em desacordo com os seus movimentos 
rotineiros. Castro, porém, será treinado para a 
prestação de valioso concurso aos enfermos de 
qualquer posição.
O desdobramento 
em serviço estava 
findo e com a 
tarefa terminada 
havíamos 
recolhido preciosa 
lição.
NOS DOMÍNIOS 
DA MEDIUNIDADE 
Desdobramento em Serviço(Estudo 11 de 30) 
LEONARDO PEREIRA 
RESPOSTAS
1 - Como definir a mediunidade de 
desdobramento? 
• 
Desdobramento é o fenômeno pelo qual o espírito, sempre envolvido 
por seu perispírito, separa-se do corpo físico, ao qual se mantém ligado 
apenas por um laço fluídico conhecido como "cordão de prata" e vai 
estar em outros lugares. Este fenômeno pode ocorrer de forma anímica 
ou mediúnica, consciente ou inconscientemente, dependendo de 
existir ou não a interferência do plano espiritual e da vontade ou não do 
espírito que se desloca. 
• O caso narrado no capítulo que estamos estudando é de 
desdobramento mediúnico e consciente. O médium deslocou-se 
conscientemente ao plano espiritual, em espírito, com o objetivo de se 
encontrar com um antigo trabalhador da casa que desencarnara há 
pouco e de transmitir uma sua mensagem, deixando seu corpo no local 
onde se realizava o trabalho mediúnico
2 - Existiriam condições inerentes ao médium para que 
este se torne mais eficiente na atividade de 
desdobramento? 
Para produzir o fenômeno de desdobramento mediúnico 
consciente, o espírito deve contar já com algum 
adiantamento 
moral, que lhe possibilite, através do pensamento, 
desprender-se do corpo físico e desdobrar-se. Martins 
Peralva, na 
obra acima citada, elenca as condições que contribuem para 
a produção do fenômeno e que devem ser observadas 
pelo médium: vida pura, aspirações elevadas, potência 
mental, cultivo da prece e exercício constante.
3 - E existiriam também condições para os 
demais membros do grupo auxiliarem o 
médium? 
• (Como em todo trabalho mediúnico, o grupo 
deve ser uniforme, ter uma unidade de 
pensamento e de propósitos. Os 
componentes do grupo mediúnico, analisa o 
mesmo Autor, também devem observar 
determinados deveres para que 
possam prestar ao médium o auxílio necessário 
ao êxito do desprendimento: prece, 
concentração e exortação.
4 - Qual a importância da oração para 
auxiliar o médium de desdobramento? 
• 
Ao deixar o corpo físico, o espírito desdobrado ingressou em região 
próxima à Terra que recebia todas as emanações fluídicas negativas 
próprias de um mundo de provas e de expiações. A substância mental 
expelida pela humanidade encarnada do Planeta refletia o seu 
desequilíbrio, conseqüente das paixões inferiores, vícios, crimes, 
ódios e outros sentimentos nada nobres ainda comuns no plano 
terreno. Castro, o médium em desdobramento, ao ingressar nessa 
região, que descreveu como "... um trilho estreito e escuro...", sentiu-se 
amedrontado, imaginando achar-se em " ... 
pleno nevoeiro...". Uma prece realizada pelo grupo mediúnico elevou 
o seu padrão vibratório, fortalecendo o médium em serviço, que 
afirmou a ter recebido como "... um chuveiro de luz...". Vemos, pois, 
o valor da prece também nesse tipo de trabalho, renovando as forças 
e mantendo o grupo mediúnico numa sintonia elevada, com 
vibrações altamente positivas.
5 - Qual a importância da concentração do 
médium no momento da atividade? 
• 
É através da concentração mental que o 
espírito direciona o pensamento de modo a 
manejar seu perispírito, 
impulsionando o desprendimento do corpo 
físico e dando-lhe a forma como se 
apresentará durante o período de 
desdobramento.
6 - E do estudo constante? 
• 
Na Introdução do Livro dos Médiuns, Allan Kardec 
recomenda àquele que deseje lidar seriamente com a 
mediunidade que primeiro leia o Livro dos Espíritos. 
Estabeleceu, assim, o Codificador, como premissa 
para a prática de qualquer atividade mediúnica o 
estudo. Sem o conhecimento dos princípios básicos 
que regem a relação entre os dois planos de vida, o 
médium ficará sempre sujeito a produzir fenômeno 
mediúnico não confiável, refletindo o pensamento 
de espíritos perturbadores, que não têm nenhum 
compromisso como a seriedade do trabalho.
• 7 - Comente a seguinte afirmação do 
Assistente Àulus: "Raros espíritos encarnados 
conseguem absoluto domínio de si próprios, 
em romagens de serviço edificante fora do 
carro de matéria densa. Habituados à 
orientação pelo corpo físico, ante qualquer 
surpresa menos agradável, na esfera de 
fenômenos inabituais, procuram 
instintivamente o retorno ao vaso carnal, à 
maneira do molusco que se refugia na 
própria concha, diante de qualquer 
impressão em desacordo 
com os seus movimentos rotineiros."
• Quis o assistente Áulus demonstrar a 
dificuldade com que espíritos no nosso nível 
de evolução ainda se defrontam ao se 
liberarem do corpo físico. Como ainda se 
encontram fortemente impressionáveis pela 
influência da matéria, ante as mínimas 
dificuldades com que se defronta, a reação 
inconsciente do espírito, nestas 
circunstâncias, é buscar a fuga através do 
esconderijo do corpo físico, como faz o 
molusco com a própria concha, no exemplo 
citado pelo benfeitor. 
•
Bons estudos e 
iluminadas reflexões!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

4ª aula dos médiuns - classificação geral - coem
4ª aula   dos médiuns - classificação geral - coem4ª aula   dos médiuns - classificação geral - coem
4ª aula dos médiuns - classificação geral - coem
Wagner Quadros
 
Escolha das provas
Escolha das provasEscolha das provas
Escolha das provas
Ponte de Luz ASEC
 
Mediunidade através dos tempos, A-2,0h
Mediunidade através dos tempos, A-2,0hMediunidade através dos tempos, A-2,0h
Mediunidade através dos tempos, A-2,0h
home
 
Os Mensageiros Cap 35 - O culto Domestico
Os Mensageiros Cap 35 - O culto DomesticoOs Mensageiros Cap 35 - O culto Domestico
Os Mensageiros Cap 35 - O culto Domestico
Patricia Farias
 
Nos domínios da mediunidade aula12
Nos domínios da mediunidade aula12Nos domínios da mediunidade aula12
Nos domínios da mediunidade aula12
Leonardo Pereira
 
2.9.2 Possessos - Convulsionários
2.9.2   Possessos - Convulsionários2.9.2   Possessos - Convulsionários
2.9.2 Possessos - Convulsionários
Marta Gomes
 
Mediunidade aula 08 - efeitos inteligentes 1
Mediunidade   aula 08 - efeitos inteligentes 1Mediunidade   aula 08 - efeitos inteligentes 1
Mediunidade aula 08 - efeitos inteligentes 1
Augusto Luvisotto
 
Nos domínios da mediunidade aula15
Nos domínios da mediunidade aula15Nos domínios da mediunidade aula15
Nos domínios da mediunidade aula15
Leonardo Pereira
 
Sono e sonhos
Sono e sonhosSono e sonhos
Sono e sonhos
Victor Passos
 
Nos dominios da mediunidade - Cap5
Nos dominios da mediunidade - Cap5Nos dominios da mediunidade - Cap5
Nos dominios da mediunidade - Cap5
Patricia Farias
 
A missão de ser mãe na visão espírita.pdf
A missão de ser mãe na visão espírita.pdfA missão de ser mãe na visão espírita.pdf
A missão de ser mãe na visão espírita.pdf
Maria Ana de Paula
 
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 34 a 50
Estudando André Luiz   Nosso Lar cap.  34 a 50Estudando André Luiz   Nosso Lar cap.  34 a 50
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 34 a 50
Jose Luiz Maio
 
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
Wagner Quadros
 
Clarividencia e clariaudiencia
Clarividencia e clariaudienciaClarividencia e clariaudiencia
Clarividencia e clariaudiencia
Candice Gunther
 
12ª aula riscos da mediunidade, perda e suspensão da faculdade
12ª aula   riscos da  mediunidade, perda e suspensão da faculdade12ª aula   riscos da  mediunidade, perda e suspensão da faculdade
12ª aula riscos da mediunidade, perda e suspensão da faculdade
Wagner Quadros
 
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEASMANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
Jorge Luiz dos Santos
 
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros 01 conceitos fundamentais
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros  01 conceitos fundamentaisEstudando com Andre Luiz - Os Mensageiros  01 conceitos fundamentais
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros 01 conceitos fundamentais
Jose Luiz Maio
 
2.8.1 O sono e os sonhos
2.8.1   O sono e os sonhos2.8.1   O sono e os sonhos
2.8.1 O sono e os sonhos
Marta Gomes
 
Palestra Obsessao
Palestra ObsessaoPalestra Obsessao
Palestra Obsessao
ricardocapozzi1
 
Obsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessãoObsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessão
KATIA MARIA FARAH V DA SILVA
 

Mais procurados (20)

4ª aula dos médiuns - classificação geral - coem
4ª aula   dos médiuns - classificação geral - coem4ª aula   dos médiuns - classificação geral - coem
4ª aula dos médiuns - classificação geral - coem
 
Escolha das provas
Escolha das provasEscolha das provas
Escolha das provas
 
Mediunidade através dos tempos, A-2,0h
Mediunidade através dos tempos, A-2,0hMediunidade através dos tempos, A-2,0h
Mediunidade através dos tempos, A-2,0h
 
Os Mensageiros Cap 35 - O culto Domestico
Os Mensageiros Cap 35 - O culto DomesticoOs Mensageiros Cap 35 - O culto Domestico
Os Mensageiros Cap 35 - O culto Domestico
 
Nos domínios da mediunidade aula12
Nos domínios da mediunidade aula12Nos domínios da mediunidade aula12
Nos domínios da mediunidade aula12
 
2.9.2 Possessos - Convulsionários
2.9.2   Possessos - Convulsionários2.9.2   Possessos - Convulsionários
2.9.2 Possessos - Convulsionários
 
Mediunidade aula 08 - efeitos inteligentes 1
Mediunidade   aula 08 - efeitos inteligentes 1Mediunidade   aula 08 - efeitos inteligentes 1
Mediunidade aula 08 - efeitos inteligentes 1
 
Nos domínios da mediunidade aula15
Nos domínios da mediunidade aula15Nos domínios da mediunidade aula15
Nos domínios da mediunidade aula15
 
Sono e sonhos
Sono e sonhosSono e sonhos
Sono e sonhos
 
Nos dominios da mediunidade - Cap5
Nos dominios da mediunidade - Cap5Nos dominios da mediunidade - Cap5
Nos dominios da mediunidade - Cap5
 
A missão de ser mãe na visão espírita.pdf
A missão de ser mãe na visão espírita.pdfA missão de ser mãe na visão espírita.pdf
A missão de ser mãe na visão espírita.pdf
 
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 34 a 50
Estudando André Luiz   Nosso Lar cap.  34 a 50Estudando André Luiz   Nosso Lar cap.  34 a 50
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 34 a 50
 
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
 
Clarividencia e clariaudiencia
Clarividencia e clariaudienciaClarividencia e clariaudiencia
Clarividencia e clariaudiencia
 
12ª aula riscos da mediunidade, perda e suspensão da faculdade
12ª aula   riscos da  mediunidade, perda e suspensão da faculdade12ª aula   riscos da  mediunidade, perda e suspensão da faculdade
12ª aula riscos da mediunidade, perda e suspensão da faculdade
 
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEASMANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
 
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros 01 conceitos fundamentais
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros  01 conceitos fundamentaisEstudando com Andre Luiz - Os Mensageiros  01 conceitos fundamentais
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros 01 conceitos fundamentais
 
2.8.1 O sono e os sonhos
2.8.1   O sono e os sonhos2.8.1   O sono e os sonhos
2.8.1 O sono e os sonhos
 
Palestra Obsessao
Palestra ObsessaoPalestra Obsessao
Palestra Obsessao
 
Obsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessãoObsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessão
 

Destaque

Emancipação da Alma - Desdobramento
Emancipação da Alma - DesdobramentoEmancipação da Alma - Desdobramento
Emancipação da Alma - Desdobramento
contatodoutrina2013
 
Nos dominios da mediunidade cap. 4
Nos dominios da mediunidade cap. 4Nos dominios da mediunidade cap. 4
Nos dominios da mediunidade cap. 4
Leonardo Pereira
 
O apego e suas consequencias para o espirito imortal
O apego e suas consequencias para o espirito imortalO apego e suas consequencias para o espirito imortal
O apego e suas consequencias para o espirito imortal
Leonardo Pereira
 
Nos dominios da mediunidade
Nos dominios da mediunidadeNos dominios da mediunidade
Nos dominios da mediunidade
Antonio SSantos
 
Nos domínios da mediunidade aula14
Nos domínios da mediunidade aula14Nos domínios da mediunidade aula14
Nos domínios da mediunidade aula14
Leonardo Pereira
 
Nos domínios da mediunidade aula10
Nos domínios da mediunidade aula10Nos domínios da mediunidade aula10
Nos domínios da mediunidade aula10
Leonardo Pereira
 
Aula 19 - Nos domínios da mediunidade
Aula 19  - Nos domínios da mediunidadeAula 19  - Nos domínios da mediunidade
Aula 19 - Nos domínios da mediunidade
Leonardo Pereira
 
Tormentos da obsessao divaldo franco
Tormentos da obsessao   divaldo francoTormentos da obsessao   divaldo franco
Tormentos da obsessao divaldo franco
Francisco de Morais
 
Diversidade dos Carismas -Estudo e Pratica da Mediunidade
Diversidade dos Carismas -Estudo e Pratica da MediunidadeDiversidade dos Carismas -Estudo e Pratica da Mediunidade
Diversidade dos Carismas -Estudo e Pratica da Mediunidade
Patricia Farias
 
Nos domínios da mediunidade aula27
Nos domínios da mediunidade aula27Nos domínios da mediunidade aula27
Nos domínios da mediunidade aula27
Leonardo Pereira
 
Introdução aos upanishads
Introdução aos upanishadsIntrodução aos upanishads
Introdução aos upanishads
André Ricardo Marcondes
 
Aula 28 - Nos domínios da mediunidade
Aula 28  -  Nos domínios da mediunidadeAula 28  -  Nos domínios da mediunidade
Aula 28 - Nos domínios da mediunidade
Leonardo Pereira
 
Olm 100908-natureza das comunicações-sematologia-voz direta-psicografia
Olm 100908-natureza das comunicações-sematologia-voz direta-psicografiaOlm 100908-natureza das comunicações-sematologia-voz direta-psicografia
Olm 100908-natureza das comunicações-sematologia-voz direta-psicografia
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Nos dominios da mediunidade
Nos dominios da mediunidadeNos dominios da mediunidade
Nos dominios da mediunidade
guestae3c203
 
Nos domínios da mediunidade aula 3
Nos domínios da mediunidade aula 3Nos domínios da mediunidade aula 3
Nos domínios da mediunidade aula 3
Leonardo Pereira
 
Comunicação mediúnica - No
Comunicação mediúnica - NoComunicação mediúnica - No
Comunicação mediúnica - No
ADEP Portugal
 
Espiritismo e mediunidade 06
Espiritismo e mediunidade 06Espiritismo e mediunidade 06
Espiritismo e mediunidade 06
Leonardo Pereira
 
Nos domínios da mediunidade aula17
Nos domínios da mediunidade aula17Nos domínios da mediunidade aula17
Nos domínios da mediunidade aula17
Leonardo Pereira
 
O psicoscópio aula 2
O psicoscópio aula 2O psicoscópio aula 2
O psicoscópio aula 2
Leonardo Pereira
 
2013 cem - natureza das comunicações - parte a - 3a aula - final
2013   cem - natureza das comunicações  - parte a - 3a aula - final2013   cem - natureza das comunicações  - parte a - 3a aula - final
2013 cem - natureza das comunicações - parte a - 3a aula - final
Artomy Jado
 

Destaque (20)

Emancipação da Alma - Desdobramento
Emancipação da Alma - DesdobramentoEmancipação da Alma - Desdobramento
Emancipação da Alma - Desdobramento
 
Nos dominios da mediunidade cap. 4
Nos dominios da mediunidade cap. 4Nos dominios da mediunidade cap. 4
Nos dominios da mediunidade cap. 4
 
O apego e suas consequencias para o espirito imortal
O apego e suas consequencias para o espirito imortalO apego e suas consequencias para o espirito imortal
O apego e suas consequencias para o espirito imortal
 
Nos dominios da mediunidade
Nos dominios da mediunidadeNos dominios da mediunidade
Nos dominios da mediunidade
 
Nos domínios da mediunidade aula14
Nos domínios da mediunidade aula14Nos domínios da mediunidade aula14
Nos domínios da mediunidade aula14
 
Nos domínios da mediunidade aula10
Nos domínios da mediunidade aula10Nos domínios da mediunidade aula10
Nos domínios da mediunidade aula10
 
Aula 19 - Nos domínios da mediunidade
Aula 19  - Nos domínios da mediunidadeAula 19  - Nos domínios da mediunidade
Aula 19 - Nos domínios da mediunidade
 
Tormentos da obsessao divaldo franco
Tormentos da obsessao   divaldo francoTormentos da obsessao   divaldo franco
Tormentos da obsessao divaldo franco
 
Diversidade dos Carismas -Estudo e Pratica da Mediunidade
Diversidade dos Carismas -Estudo e Pratica da MediunidadeDiversidade dos Carismas -Estudo e Pratica da Mediunidade
Diversidade dos Carismas -Estudo e Pratica da Mediunidade
 
Nos domínios da mediunidade aula27
Nos domínios da mediunidade aula27Nos domínios da mediunidade aula27
Nos domínios da mediunidade aula27
 
Introdução aos upanishads
Introdução aos upanishadsIntrodução aos upanishads
Introdução aos upanishads
 
Aula 28 - Nos domínios da mediunidade
Aula 28  -  Nos domínios da mediunidadeAula 28  -  Nos domínios da mediunidade
Aula 28 - Nos domínios da mediunidade
 
Olm 100908-natureza das comunicações-sematologia-voz direta-psicografia
Olm 100908-natureza das comunicações-sematologia-voz direta-psicografiaOlm 100908-natureza das comunicações-sematologia-voz direta-psicografia
Olm 100908-natureza das comunicações-sematologia-voz direta-psicografia
 
Nos dominios da mediunidade
Nos dominios da mediunidadeNos dominios da mediunidade
Nos dominios da mediunidade
 
Nos domínios da mediunidade aula 3
Nos domínios da mediunidade aula 3Nos domínios da mediunidade aula 3
Nos domínios da mediunidade aula 3
 
Comunicação mediúnica - No
Comunicação mediúnica - NoComunicação mediúnica - No
Comunicação mediúnica - No
 
Espiritismo e mediunidade 06
Espiritismo e mediunidade 06Espiritismo e mediunidade 06
Espiritismo e mediunidade 06
 
Nos domínios da mediunidade aula17
Nos domínios da mediunidade aula17Nos domínios da mediunidade aula17
Nos domínios da mediunidade aula17
 
O psicoscópio aula 2
O psicoscópio aula 2O psicoscópio aula 2
O psicoscópio aula 2
 
2013 cem - natureza das comunicações - parte a - 3a aula - final
2013   cem - natureza das comunicações  - parte a - 3a aula - final2013   cem - natureza das comunicações  - parte a - 3a aula - final
2013 cem - natureza das comunicações - parte a - 3a aula - final
 

Semelhante a Nos domínios da mediunidade aula11

Desdobramento
DesdobramentoDesdobramento
Desdobramento
cab3032
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Desdobramento
Mocidade Espírita Chico Xavier - DesdobramentoMocidade Espírita Chico Xavier - Desdobramento
Mocidade Espírita Chico Xavier - Desdobramento
Sergio Lima Dias Junior
 
Livro dos Espiritos Questão 351 ESE cap28 item8
Livro dos Espiritos Questão 351 ESE cap28 item8Livro dos Espiritos Questão 351 ESE cap28 item8
Livro dos Espiritos Questão 351 ESE cap28 item8
Patricia Farias
 
08 os corpos espirituais
08  os corpos espirituais08  os corpos espirituais
08 os corpos espirituais
Antonio SSantos
 
INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptx
INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptxINFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptx
INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptx
GuilhermeTadeu11
 
Perispirito
PerispiritoPerispirito
Perispirito
Angelespirita
 
Estudo do livro Roteiro lição 6
Estudo do livro Roteiro lição 6Estudo do livro Roteiro lição 6
Estudo do livro Roteiro lição 6
Candice Gunther
 
Quarto Módulo - 1ª aula - O médiun e suas aptidões
Quarto Módulo - 1ª aula - O médiun e suas aptidõesQuarto Módulo - 1ª aula - O médiun e suas aptidões
Quarto Módulo - 1ª aula - O médiun e suas aptidões
CeiClarencio
 
Aula 3 perispírito
Aula 3   perispíritoAula 3   perispírito
Aula 3 perispírito
EHMANA
 
Apocalipse
ApocalipseApocalipse
Apocalipse
Eduardo Campadeli
 
O perispírito- unidade teórica 2 COEM
O perispírito- unidade teórica 2 COEMO perispírito- unidade teórica 2 COEM
O perispírito- unidade teórica 2 COEM
Carolina Bernardes
 
Aparelhos utilizados em reunião mediunica.pptx
Aparelhos utilizados em reunião mediunica.pptxAparelhos utilizados em reunião mediunica.pptx
Aparelhos utilizados em reunião mediunica.pptx
M.R.L
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 
Mediunidade o que é isso apostila 041
Mediunidade o que é isso   apostila 041Mediunidade o que é isso   apostila 041
Mediunidade o que é isso apostila 041
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Mediunidade o que é isso apostila 031
Mediunidade o que é isso   apostila 031Mediunidade o que é isso   apostila 031
Mediunidade o que é isso apostila 031
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Estudo do livro Roteiro lição 2
Estudo do livro Roteiro lição 2Estudo do livro Roteiro lição 2
Estudo do livro Roteiro lição 2
Candice Gunther
 
O papel do médium no mecanismo das comunicações 1,5hs
O papel do médium no mecanismo das comunicações 1,5hsO papel do médium no mecanismo das comunicações 1,5hs
O papel do médium no mecanismo das comunicações 1,5hs
home
 
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
Silvio Figueirôa
 
Regressão terapêutica espirita
Regressão terapêutica espiritaRegressão terapêutica espirita
Regressão terapêutica espirita
Anselmo Heib
 
AULA 112 EAE DM - ESTUDO DO PERISPÍRITO E DOS CENTROS DE FORÇA - 20210709v1
AULA 112 EAE DM - ESTUDO DO PERISPÍRITO E DOS CENTROS DE FORÇA - 20210709v1AULA 112 EAE DM - ESTUDO DO PERISPÍRITO E DOS CENTROS DE FORÇA - 20210709v1
AULA 112 EAE DM - ESTUDO DO PERISPÍRITO E DOS CENTROS DE FORÇA - 20210709v1
Daniel de Melo
 

Semelhante a Nos domínios da mediunidade aula11 (20)

Desdobramento
DesdobramentoDesdobramento
Desdobramento
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Desdobramento
Mocidade Espírita Chico Xavier - DesdobramentoMocidade Espírita Chico Xavier - Desdobramento
Mocidade Espírita Chico Xavier - Desdobramento
 
Livro dos Espiritos Questão 351 ESE cap28 item8
Livro dos Espiritos Questão 351 ESE cap28 item8Livro dos Espiritos Questão 351 ESE cap28 item8
Livro dos Espiritos Questão 351 ESE cap28 item8
 
08 os corpos espirituais
08  os corpos espirituais08  os corpos espirituais
08 os corpos espirituais
 
INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptx
INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptxINFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptx
INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptx
 
Perispirito
PerispiritoPerispirito
Perispirito
 
Estudo do livro Roteiro lição 6
Estudo do livro Roteiro lição 6Estudo do livro Roteiro lição 6
Estudo do livro Roteiro lição 6
 
Quarto Módulo - 1ª aula - O médiun e suas aptidões
Quarto Módulo - 1ª aula - O médiun e suas aptidõesQuarto Módulo - 1ª aula - O médiun e suas aptidões
Quarto Módulo - 1ª aula - O médiun e suas aptidões
 
Aula 3 perispírito
Aula 3   perispíritoAula 3   perispírito
Aula 3 perispírito
 
Apocalipse
ApocalipseApocalipse
Apocalipse
 
O perispírito- unidade teórica 2 COEM
O perispírito- unidade teórica 2 COEMO perispírito- unidade teórica 2 COEM
O perispírito- unidade teórica 2 COEM
 
Aparelhos utilizados em reunião mediunica.pptx
Aparelhos utilizados em reunião mediunica.pptxAparelhos utilizados em reunião mediunica.pptx
Aparelhos utilizados em reunião mediunica.pptx
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Mediunidade o que é isso apostila 041
Mediunidade o que é isso   apostila 041Mediunidade o que é isso   apostila 041
Mediunidade o que é isso apostila 041
 
Mediunidade o que é isso apostila 031
Mediunidade o que é isso   apostila 031Mediunidade o que é isso   apostila 031
Mediunidade o que é isso apostila 031
 
Estudo do livro Roteiro lição 2
Estudo do livro Roteiro lição 2Estudo do livro Roteiro lição 2
Estudo do livro Roteiro lição 2
 
O papel do médium no mecanismo das comunicações 1,5hs
O papel do médium no mecanismo das comunicações 1,5hsO papel do médium no mecanismo das comunicações 1,5hs
O papel do médium no mecanismo das comunicações 1,5hs
 
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
1 5. sono, sonambulismo, êxtase e dupla vista claudio c. conti
 
Regressão terapêutica espirita
Regressão terapêutica espiritaRegressão terapêutica espirita
Regressão terapêutica espirita
 
AULA 112 EAE DM - ESTUDO DO PERISPÍRITO E DOS CENTROS DE FORÇA - 20210709v1
AULA 112 EAE DM - ESTUDO DO PERISPÍRITO E DOS CENTROS DE FORÇA - 20210709v1AULA 112 EAE DM - ESTUDO DO PERISPÍRITO E DOS CENTROS DE FORÇA - 20210709v1
AULA 112 EAE DM - ESTUDO DO PERISPÍRITO E DOS CENTROS DE FORÇA - 20210709v1
 

Mais de Leonardo Pereira

Jesus " psicólogo por excelência"
Jesus " psicólogo por excelência" Jesus " psicólogo por excelência"
Jesus " psicólogo por excelência"
Leonardo Pereira
 
Jesus "o Cristo de nossos dias"
Jesus "o Cristo de nossos dias"Jesus "o Cristo de nossos dias"
Jesus "o Cristo de nossos dias"
Leonardo Pereira
 
E a morte o fim da vida
E a morte o fim da vidaE a morte o fim da vida
E a morte o fim da vida
Leonardo Pereira
 
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 09e 10
Escutando sentimentos cap 09e 10Escutando sentimentos cap 09e 10
Escutando sentimentos cap 09e 10
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 07e 08
Escutando sentimentos cap 07e 08Escutando sentimentos cap 07e 08
Escutando sentimentos cap 07e 08
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 06
Escutando sentimentos cap 06Escutando sentimentos cap 06
Escutando sentimentos cap 06
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 04
Escutando sentimentos cap 04Escutando sentimentos cap 04
Escutando sentimentos cap 04
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 03
Escutando sentimentos cap 03Escutando sentimentos cap 03
Escutando sentimentos cap 03
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 02
Escutando sentimentos cap 02Escutando sentimentos cap 02
Escutando sentimentos cap 02
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 1
Escutando sentimentos  cap 1Escutando sentimentos  cap 1
Escutando sentimentos cap 1
Leonardo Pereira
 
Consciência e evolução
Consciência e evolução Consciência e evolução
Consciência e evolução
Leonardo Pereira
 
Prisões mentais
Prisões mentaisPrisões mentais
Prisões mentais
Leonardo Pereira
 
Seminário Médiuns obsediados
Seminário Médiuns obsediadosSeminário Médiuns obsediados
Seminário Médiuns obsediados
Leonardo Pereira
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 

Mais de Leonardo Pereira (20)

Jesus " psicólogo por excelência"
Jesus " psicólogo por excelência" Jesus " psicólogo por excelência"
Jesus " psicólogo por excelência"
 
Jesus "o Cristo de nossos dias"
Jesus "o Cristo de nossos dias"Jesus "o Cristo de nossos dias"
Jesus "o Cristo de nossos dias"
 
E a morte o fim da vida
E a morte o fim da vidaE a morte o fim da vida
E a morte o fim da vida
 
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
 
Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12
 
Escutando sentimentos cap 09e 10
Escutando sentimentos cap 09e 10Escutando sentimentos cap 09e 10
Escutando sentimentos cap 09e 10
 
Escutando sentimentos cap 07e 08
Escutando sentimentos cap 07e 08Escutando sentimentos cap 07e 08
Escutando sentimentos cap 07e 08
 
Escutando sentimentos cap 06
Escutando sentimentos cap 06Escutando sentimentos cap 06
Escutando sentimentos cap 06
 
Escutando sentimentos cap 04
Escutando sentimentos cap 04Escutando sentimentos cap 04
Escutando sentimentos cap 04
 
Escutando sentimentos cap 03
Escutando sentimentos cap 03Escutando sentimentos cap 03
Escutando sentimentos cap 03
 
Escutando sentimentos cap 02
Escutando sentimentos cap 02Escutando sentimentos cap 02
Escutando sentimentos cap 02
 
Escutando sentimentos cap 1
Escutando sentimentos  cap 1Escutando sentimentos  cap 1
Escutando sentimentos cap 1
 
Consciência e evolução
Consciência e evolução Consciência e evolução
Consciência e evolução
 
Prisões mentais
Prisões mentaisPrisões mentais
Prisões mentais
 
Seminário Médiuns obsediados
Seminário Médiuns obsediadosSeminário Médiuns obsediados
Seminário Médiuns obsediados
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 

Nos domínios da mediunidade aula11

  • 1. NOS DOMÍNIOS DA MEDIUNIDADE Desdobramento em Serviço(Estudo 11 de 30) LEONARDO PEREIRA
  • 2. NOS DOMÍNIOS DA MEDIUNIDADE QUESTÕES PARA ESTUDO
  • 3. 1 - Como definir a mediunidade de desdobramento?
  • 4. 2 - Existiriam condições inerentes ao médium para que este se torne mais eficiente na atividade de desdobramento?
  • 5. 3 - E existiriam também condições para os demais membros do grupo auxiliarem o médium?
  • 6. 4 - Qual a importância da oração para auxiliar o médium de desdobramento?
  • 7. 5 - Qual a importância da concentração do médium no momento da atividade?
  • 8. • 6 - E do estudo constante?
  • 9. • 7 - Comente a seguinte afirmação do Assistente Àulus: • "Raros espíritos encarnados conseguem absoluto domínio de si próprios, em romagens de serviço edificante fora do carro de matéria densa. • Habituados à orientação pelo corpo físico, ante qualquer surpresa menos agradável, na esfera de fenômenos inabituais, procuram instintivamente o retorno ao vaso carnal, à maneira do molusco que se refugia na própria concha, diante de qualquer impressão em desacordo com os seus movimentos rotineiros."
  • 10. NOS DOMÍNIOS DA MEDIUNIDADE Desdobramento em Serviço(Estudo 11 de 30) LEONARDO PEREIRA
  • 11. T R E C H O S D O C A P Í T U L O. (...) "Chegara a vez do médium Antônio Castro. Profundamente concentrado, denotava a confiança com que se oferecia aos objetivos de serviço. Aproximou-se dele o irmão Clementino e, à maneira do magnetizador comum, impôs-lhe as mãos, aplicando-lhe passes de longo circuito. Castro como que adormeceu devagarinho, inteiriçando-se lhe os membros. Do tórax emanava com abundância um vapor esbranquiçado que, em se acumulando à feição de uma nuvem, depressa se transformou, à esquerda do corpo denso, numa duplicata do médium, em tamanho ligeiramente maior.
  • 12. O diretor espiritual da casa submetia o medianeiro a delicada intervenção magnética que não seria lícito perturbar ou interromper. O médium, assim desligado do veículo carnal, afastou-se dois passos, deixando ver o cordão vaporoso que o prendia ao campo somático.
  • 13. Enquanto Clementino o encorajava com palavras amigas, o nosso orientador, certamente assinalando-nos a curiosidade, deu-se pressa em esclarecer: _Com o auxílio do supervisor, o médium foi convenientemente exteriorizado. A princípio, seu perispírito ou "corpo astral" estava revestido com os eflúvios vitais que asseguram o equilíbrio entre a alma e o corpo de carne, conhecidos aqueles, em seu conjunto, como sendo o
  • 14. "duplo etérico", formado por emanações neuropsíquicas que pertencem ao campo fisiológico e que, por isso mesmo, não conseguem maior afastamento da organização terrestre, destinando-se à desintegração, tanto quanto ocorre ao instrumento carnal, por ocasião da morte renovadora.
  • 15. • Para melhor ajustar-se ao nosso ambiente, Castro devolveu essas energias ao corpo inerme, garantindo assim o calor indispensável à colméia celular e desembaraçando-se, tanto quanto possível, para entrar no serviço que o aguarda. _Ah! - disse Hilário, com expressão admirativa - aqui vemos, desse modo, a exteriorização da sensibilidade!...
  • 16. • _Sim, se algum pesquisador humano ferisse o espaço em que se encontra a organização perispirítica de nosso amigo, registraria ele, de imediato, a dor do golpe que se lhe desfechasse, queixando-se disto, através da língua física, porque, não obstante liberto do vaso somático, prossegue em comunhão com ele, por intermédio do laço fluídico de ligação.
  • 17. • _Castro é ainda um iniciante no serviço. À medida que entesoure experiência, manejará possibilidades espirituais avançadas, assumindo os aspectos que deseje, considerando que o perispírito é constituído de elementos maleáveis, obedecendo ao comando do pensamento, seja nascido da nossa própria imaginação ou da imaginação de inteligências mais vigorosas que a nossa, mormente quando a nossa vontade se rende, irrefletida, à dominação de espíritos tirânicos ou viciosos, encastelados na sombra.
  • 18. • _Pela concentração mental, qualquer Espírito se evidenciará na expressão que deseje, todavia, empregando nossa imaginação criadora, podemos e devemos mobilizar os recursos ao nosso alcance, aprimorando concepções artísticas no campo de nossas relações, uns com os outros. A Arte, tanto quanto a Ciência, entre nós, é muito mais rica que no círculo dos encarnados e, por ela, a educação se processa mais eficiente, no que tange à beleza e à cultura. (....) O médium, mais à vontade fora do corpo denso, recebia as instruções que Clementino lhe administrava, paternal.
  • 19. • Dois guardas aproximaram-se dele e lhe aplicaram à cabeça um capacete em forma de antolhos. _Para a viagem que fará - avisou-nos o Assistente -, Castro não deve dispersar a atenção. Incipiente ainda nesse gênero de tarefa, precisa instrumentação adequada para reduzir a própria capacidade de observação, de modo a interferir o menos possível na tarefa a executar. Vimos o rapaz plenamente desdobrado alçar-se ao espaço, de mãos dadas com ambos os vigilantes.
  • 20. • O trio volitou em sentido oblíquo, sob nossa confiante expectação. Desde esse momento, demonstrando manter segura comunhão com o veículo carnal, ouvimo-lo dizer através da boca física: _Seguimos por um trilho estreito e escuro!... Oh, tenho medo, muito medo...Rodrigo e Sérgio amparam-me na excursão, mas sinto receio!...Tenho a idéia de que nos achamos em pleno nevoeiro...
  • 21. • Mas Raul, sob a inspiração do mentor da casa, elevou o padrão vibratório do conjunto, numa prece fervorosa em que rogava ao Alto forças multiplicadas para o irmão em serviço. Junto de nós, Áulus informou: _A oração do grupo, acompanhando-o na excursão e transmitida a ele, de imediato, constitui-lhe abençoado tônico espiritual.
  • 22. • Interpretando os fatos sob nossa observação, o Assistente explicou: _Raros espíritos encarnados conseguem absoluto domínio de si próprios, em romagens de servióc edificante fora do carro de matéria densa. Habituados à orientação pelo corpo físico, ante qualquer surpresa menos agradável, na esfera de fenômenos inabituais, procuram instintivamente o retorno ao vaso carnal, à maneira do molusco que se refugia na própria concha, diante de qualquer impressão em desacordo com os seus movimentos rotineiros. Castro, porém, será treinado para a prestação de valioso concurso aos enfermos de qualquer posição.
  • 23. O desdobramento em serviço estava findo e com a tarefa terminada havíamos recolhido preciosa lição.
  • 24. NOS DOMÍNIOS DA MEDIUNIDADE Desdobramento em Serviço(Estudo 11 de 30) LEONARDO PEREIRA RESPOSTAS
  • 25. 1 - Como definir a mediunidade de desdobramento? • Desdobramento é o fenômeno pelo qual o espírito, sempre envolvido por seu perispírito, separa-se do corpo físico, ao qual se mantém ligado apenas por um laço fluídico conhecido como "cordão de prata" e vai estar em outros lugares. Este fenômeno pode ocorrer de forma anímica ou mediúnica, consciente ou inconscientemente, dependendo de existir ou não a interferência do plano espiritual e da vontade ou não do espírito que se desloca. • O caso narrado no capítulo que estamos estudando é de desdobramento mediúnico e consciente. O médium deslocou-se conscientemente ao plano espiritual, em espírito, com o objetivo de se encontrar com um antigo trabalhador da casa que desencarnara há pouco e de transmitir uma sua mensagem, deixando seu corpo no local onde se realizava o trabalho mediúnico
  • 26. 2 - Existiriam condições inerentes ao médium para que este se torne mais eficiente na atividade de desdobramento? Para produzir o fenômeno de desdobramento mediúnico consciente, o espírito deve contar já com algum adiantamento moral, que lhe possibilite, através do pensamento, desprender-se do corpo físico e desdobrar-se. Martins Peralva, na obra acima citada, elenca as condições que contribuem para a produção do fenômeno e que devem ser observadas pelo médium: vida pura, aspirações elevadas, potência mental, cultivo da prece e exercício constante.
  • 27. 3 - E existiriam também condições para os demais membros do grupo auxiliarem o médium? • (Como em todo trabalho mediúnico, o grupo deve ser uniforme, ter uma unidade de pensamento e de propósitos. Os componentes do grupo mediúnico, analisa o mesmo Autor, também devem observar determinados deveres para que possam prestar ao médium o auxílio necessário ao êxito do desprendimento: prece, concentração e exortação.
  • 28. 4 - Qual a importância da oração para auxiliar o médium de desdobramento? • Ao deixar o corpo físico, o espírito desdobrado ingressou em região próxima à Terra que recebia todas as emanações fluídicas negativas próprias de um mundo de provas e de expiações. A substância mental expelida pela humanidade encarnada do Planeta refletia o seu desequilíbrio, conseqüente das paixões inferiores, vícios, crimes, ódios e outros sentimentos nada nobres ainda comuns no plano terreno. Castro, o médium em desdobramento, ao ingressar nessa região, que descreveu como "... um trilho estreito e escuro...", sentiu-se amedrontado, imaginando achar-se em " ... pleno nevoeiro...". Uma prece realizada pelo grupo mediúnico elevou o seu padrão vibratório, fortalecendo o médium em serviço, que afirmou a ter recebido como "... um chuveiro de luz...". Vemos, pois, o valor da prece também nesse tipo de trabalho, renovando as forças e mantendo o grupo mediúnico numa sintonia elevada, com vibrações altamente positivas.
  • 29. 5 - Qual a importância da concentração do médium no momento da atividade? • É através da concentração mental que o espírito direciona o pensamento de modo a manejar seu perispírito, impulsionando o desprendimento do corpo físico e dando-lhe a forma como se apresentará durante o período de desdobramento.
  • 30. 6 - E do estudo constante? • Na Introdução do Livro dos Médiuns, Allan Kardec recomenda àquele que deseje lidar seriamente com a mediunidade que primeiro leia o Livro dos Espíritos. Estabeleceu, assim, o Codificador, como premissa para a prática de qualquer atividade mediúnica o estudo. Sem o conhecimento dos princípios básicos que regem a relação entre os dois planos de vida, o médium ficará sempre sujeito a produzir fenômeno mediúnico não confiável, refletindo o pensamento de espíritos perturbadores, que não têm nenhum compromisso como a seriedade do trabalho.
  • 31. • 7 - Comente a seguinte afirmação do Assistente Àulus: "Raros espíritos encarnados conseguem absoluto domínio de si próprios, em romagens de serviço edificante fora do carro de matéria densa. Habituados à orientação pelo corpo físico, ante qualquer surpresa menos agradável, na esfera de fenômenos inabituais, procuram instintivamente o retorno ao vaso carnal, à maneira do molusco que se refugia na própria concha, diante de qualquer impressão em desacordo com os seus movimentos rotineiros."
  • 32. • Quis o assistente Áulus demonstrar a dificuldade com que espíritos no nosso nível de evolução ainda se defrontam ao se liberarem do corpo físico. Como ainda se encontram fortemente impressionáveis pela influência da matéria, ante as mínimas dificuldades com que se defronta, a reação inconsciente do espírito, nestas circunstâncias, é buscar a fuga através do esconderijo do corpo físico, como faz o molusco com a própria concha, no exemplo citado pelo benfeitor. •
  • 33. Bons estudos e iluminadas reflexões!