SlideShare uma empresa Scribd logo
REFLEXOS PRIMITIVOS
Os reflexos são movimentos involuntários, presentes
desde a vida fetal, funcionais ao nascer, controlados
subcorticalmente e que formam a base para as fases
posteriores do desenvolvimento motor.
O recém-nascido é dotado de um conjunto rico de
reflexos, reações inatas que são desencadeadas por
uma forma específica de estímulo.
Os reflexos estão intimamente ligados ao
funcionamento do sistema nervoso central e se
constituem na forma mais eficaz de avaliação
neurológica
Os reflexos são movimentos involuntários, presentes
desde a vida fetal, funcionais ao nascer, controlados
subcorticalmente e que formam a base para as fases
posteriores do desenvolvimento motor.
O recém-nascido é dotado de um conjunto rico de
reflexos, reações inatas que são desencadeadas por
uma forma específica de estímulo.
Os reflexos estão intimamente ligados ao
funcionamento do sistema nervoso central e se
constituem na forma mais eficaz de avaliação
neurológica
REFLEXOS PRIMITIVOS
Estão ligados à obtenção de alimentos
e à proteção do bebê.
Aparecem na vida fetal e
persistem(alguns) durante o 1º ano de
vida.
Exs: Moro, Sucção, Babinski
REFLEXOS POSTURAIS
Estão ligados à manutenção da
posição ereta.
Fazem lembrar movimentos
voluntários posteriores.
REFLEXO RESPOSTA SIGNIFICADO
BABINSKI
Os dedos do pé se distendem quando a
sola do pé é acariciada do calcanhar aos
dedos
Desconhecido
PISCAR
Os olhos se fecham em resposta à luz ou
ruídos fortes
Proteção dos
olhos
MORO
Extensão dos braços para fora e para
dentro em resposta a um ruído alto ou
outras situações
Possivelmente
ajuda o bebê a
se agarrar à
mãe
PREENSÃO
PALMAR
Agarra um objeto colocado na palma de sua
mão
Possivelmente
ligado à
alimentação
ROTAÇÃO
Quando a face é tocada, vira a cabeça na
direção do toque e abre a boca
Procura do
mamilo
MARCHA
Quando o bebê é seguro em pé e movido
para frente, começa a dar passos ritmados
Precursor do
andar
voluntário
SUCÇÃO
Suga quando um objeto é colocado em sua
boca
Alimentação
NOÇÕES DONOÇÕES DO
MÉTODO BOBATHMÉTODO BOBATH
Definição:Definição:
É uma técnica de reabilitaçãoÉ uma técnica de reabilitação
neuromuscular que utiliza os reflexosneuromuscular que utiliza os reflexos
e os estímulos sensitivos para inibir oue os estímulos sensitivos para inibir ou
provocar uma resposta motora sempreprovocar uma resposta motora sempre
respeitando os princípios darespeitando os princípios da
normalização de tônus e danormalização de tônus e da
experimentação de um movimento ouexperimentação de um movimento ou
de um controle estático normal.de um controle estático normal.
Histórico:Histórico:
Surgiu na década de 40 com aSurgiu na década de 40 com a
fisioterapeuta Berta Bobath e ofisioterapeuta Berta Bobath e o
neuropediatra Karel Bobath, com oneuropediatra Karel Bobath, com o
tratamento de crianças com paralisiatratamento de crianças com paralisia
cerebral.cerebral.
Enfoque na reabilitação deEnfoque na reabilitação de
pacientes que sofrem de lesãopacientes que sofrem de lesão
neuromotora de origem cerebral.neuromotora de origem cerebral.
Princípios de tratamento:Princípios de tratamento:
 Inibir a atividade reflexa e padrões deInibir a atividade reflexa e padrões de
movimento anormais;movimento anormais;
 Facilitar os padrões motores normais;Facilitar os padrões motores normais;
 Fornecer o máximo de informaçõesFornecer o máximo de informações
proprioceptivas e esteroceptivas;proprioceptivas e esteroceptivas;
 Realizar um atendimento individual;Realizar um atendimento individual;
 Tratar o paciente de forma global.Tratar o paciente de forma global.
SNC é um órgão de reação e não de ação, ouSNC é um órgão de reação e não de ação, ou
seja, ele responde a partir de estímulos internosseja, ele responde a partir de estímulos internos
e externos ao corpo que lhe são oferecidos.e externos ao corpo que lhe são oferecidos.
As células do SNC – excitar ou inibir – facilitandoAs células do SNC – excitar ou inibir – facilitando
atividades úteis e impedindo movimentosatividades úteis e impedindo movimentos
indesejados.indesejados.
Reabilitação e a aprendizagem= estimulação,Reabilitação e a aprendizagem= estimulação,
inibição ou facilitação.inibição ou facilitação.
Objetivos:Objetivos:
 Edificar reações posturais normaisEdificar reações posturais normais
 Opor-se as reações posturaisOpor-se as reações posturais
anormaisanormais
 Ajustar padrões funcionaisAjustar padrões funcionais
 Reduzir espasticidadeReduzir espasticidade
 Favorecer movimentos automáticos eFavorecer movimentos automáticos e
voluntários pré- funcionaisvoluntários pré- funcionais
 Evitar ou minimizar contraturas eEvitar ou minimizar contraturas e
deformidadesdeformidades
Técnicas:Técnicas:
• Pontos- ChavesPontos- Chaves
• Padrões de inibição reflexaPadrões de inibição reflexa
• Estimulação proprioceptiva e tátilEstimulação proprioceptiva e tátil
• Padrões de movimento ativoPadrões de movimento ativo
• Desenvolvimento neuromotorDesenvolvimento neuromotor
normalnormal
Indicações:Indicações:
 Melhorar controle postural e simetriaMelhorar controle postural e simetria
corporalcorporal
 Alongar músculosAlongar músculos
 Dar maior propriocepção articularDar maior propriocepção articular
 Adequar o tônus muscularAdequar o tônus muscular
 Estimular reações de proteção eEstimular reações de proteção e
equilíbrioequilíbrio
 Realizar dissociações de cinturasRealizar dissociações de cinturas
 Aprimorar a deambulaçãoAprimorar a deambulação
 Principais enfoques:Principais enfoques:
.Perturbações de SNC de crianças e.Perturbações de SNC de crianças e
adultos.adultos.
.Pacientes flácidos ou espásticos.Pacientes flácidos ou espásticos
(AVE,TCE,TRM,EM)(AVE,TCE,TRM,EM)
.Pacientes incoordenados(cerebelopatas).Pacientes incoordenados(cerebelopatas)
.Lesões extrapiramidais(Doença de.Lesões extrapiramidais(Doença de
Parkinson e outros).Parkinson e outros).
Materiais utilizados:Materiais utilizados:
 Bola BobathBola Bobath
 RoloRolo
 EspelhoEspelho
 TatameTatame
 Escada/RampaEscada/Rampa
 Prancha de equilíbrioPrancha de equilíbrio
 BrinquedosBrinquedos
Pontos-chaves:Pontos-chaves:
São pontos centrais do corpoSão pontos centrais do corpo
influindo em regiões mais distaisinfluindo em regiões mais distais
controlando o tônus e o movimentocontrolando o tônus e o movimento
provocando reaçõesprovocando reações
automáticas.São geralmente asautomáticas.São geralmente as
articulações.articulações.
Desenvolvimento Neuromotor normal:Desenvolvimento Neuromotor normal:
- Controle de cabeça- Controle de cabeça
- Rolar para os dois lados- Rolar para os dois lados
- Rolar para prono- Rolar para prono
- Braços sobre antebraços( puppy)- Braços sobre antebraços( puppy)
- Braços em extensão- Braços em extensão
- Controle de tronco- Controle de tronco
- Gato- Gato
- Sentar-se sobre os calcanhares- Sentar-se sobre os calcanhares
- Ajoelhado- Ajoelhado
- Semi-ajoelhado- Semi-ajoelhado
- Pé- Pé
APLICABILIDADE NAAPLICABILIDADE NA
TERAPIA INTENSIVATERAPIA INTENSIVA
PRONAÇÃOPRONAÇÃO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Exame Físico de Ombro
Exame Físico de Ombro Exame Físico de Ombro
Exame Físico de Ombro
Omar Mohamad Abdallah
 
Protocolos avaliacao-postural
Protocolos avaliacao-posturalProtocolos avaliacao-postural
Protocolos avaliacao-postural
Nuno Amaro
 
Cotovelo
CotoveloCotovelo
Joelho
JoelhoJoelho
Quadril
QuadrilQuadril
Testes especiais de coluna lombar e pelve em Fisioterapia
Testes especiais de coluna lombar e pelve em FisioterapiaTestes especiais de coluna lombar e pelve em Fisioterapia
Testes especiais de coluna lombar e pelve em Fisioterapia
Fisioterapeuta
 
Avaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marcha
Avaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marchaAvaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marcha
Avaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marcha
Natha Fisioterapia
 
Tônus muscular
Tônus muscularTônus muscular
Tônus muscular
Psicomotricidade
 
Desenvolvimentos dos reflexos
Desenvolvimentos dos reflexosDesenvolvimentos dos reflexos
Desenvolvimentos dos reflexos
becresforte
 
Coordenação motora
Coordenação motoraCoordenação motora
Coordenação motora
pauloalambert
 
Fisioterapia em ginecologia e obstetrícia
Fisioterapia em ginecologia e obstetríciaFisioterapia em ginecologia e obstetrícia
Fisioterapia em ginecologia e obstetrícia
Silvia  Monteiro
 
Avaliação da coluna lombar
Avaliação da coluna lombarAvaliação da coluna lombar
Avaliação da coluna lombar
Junio Alves
 
Desenvolvimento Motor no Primeiro Ano de Vida
Desenvolvimento Motor no Primeiro Ano de VidaDesenvolvimento Motor no Primeiro Ano de Vida
ESCALA MOTORA INFANTIL DE ALBERTA - AIMS
ESCALA MOTORA INFANTIL DE ALBERTA - AIMSESCALA MOTORA INFANTIL DE ALBERTA - AIMS
ESCALA MOTORA INFANTIL DE ALBERTA - AIMS
Sara Nunes
 
15 -amplitude_de_movimento
15  -amplitude_de_movimento15  -amplitude_de_movimento
15 -amplitude_de_movimento
Johnny Martins
 
Movimentos Do Pé
Movimentos Do PéMovimentos Do Pé
Movimentos Do Pé
arianepenna
 
Apostila de Anatomia Palpatória (produção independente)
Apostila de Anatomia Palpatória (produção independente)Apostila de Anatomia Palpatória (produção independente)
Apostila de Anatomia Palpatória (produção independente)
projetacursosba
 
Punho e mao
Punho e maoPunho e mao
Punho e mao
Natha Fisioterapia
 
Goniometria do cotovelo
Goniometria do cotoveloGoniometria do cotovelo
Goniometria do cotovelo
Daniel Brandão
 
Propriocepção
PropriocepçãoPropriocepção
Propriocepção
Psicomotricidade
 

Mais procurados (20)

Exame Físico de Ombro
Exame Físico de Ombro Exame Físico de Ombro
Exame Físico de Ombro
 
Protocolos avaliacao-postural
Protocolos avaliacao-posturalProtocolos avaliacao-postural
Protocolos avaliacao-postural
 
Cotovelo
CotoveloCotovelo
Cotovelo
 
Joelho
JoelhoJoelho
Joelho
 
Quadril
QuadrilQuadril
Quadril
 
Testes especiais de coluna lombar e pelve em Fisioterapia
Testes especiais de coluna lombar e pelve em FisioterapiaTestes especiais de coluna lombar e pelve em Fisioterapia
Testes especiais de coluna lombar e pelve em Fisioterapia
 
Avaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marcha
Avaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marchaAvaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marcha
Avaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marcha
 
Tônus muscular
Tônus muscularTônus muscular
Tônus muscular
 
Desenvolvimentos dos reflexos
Desenvolvimentos dos reflexosDesenvolvimentos dos reflexos
Desenvolvimentos dos reflexos
 
Coordenação motora
Coordenação motoraCoordenação motora
Coordenação motora
 
Fisioterapia em ginecologia e obstetrícia
Fisioterapia em ginecologia e obstetríciaFisioterapia em ginecologia e obstetrícia
Fisioterapia em ginecologia e obstetrícia
 
Avaliação da coluna lombar
Avaliação da coluna lombarAvaliação da coluna lombar
Avaliação da coluna lombar
 
Desenvolvimento Motor no Primeiro Ano de Vida
Desenvolvimento Motor no Primeiro Ano de VidaDesenvolvimento Motor no Primeiro Ano de Vida
Desenvolvimento Motor no Primeiro Ano de Vida
 
ESCALA MOTORA INFANTIL DE ALBERTA - AIMS
ESCALA MOTORA INFANTIL DE ALBERTA - AIMSESCALA MOTORA INFANTIL DE ALBERTA - AIMS
ESCALA MOTORA INFANTIL DE ALBERTA - AIMS
 
15 -amplitude_de_movimento
15  -amplitude_de_movimento15  -amplitude_de_movimento
15 -amplitude_de_movimento
 
Movimentos Do Pé
Movimentos Do PéMovimentos Do Pé
Movimentos Do Pé
 
Apostila de Anatomia Palpatória (produção independente)
Apostila de Anatomia Palpatória (produção independente)Apostila de Anatomia Palpatória (produção independente)
Apostila de Anatomia Palpatória (produção independente)
 
Punho e mao
Punho e maoPunho e mao
Punho e mao
 
Goniometria do cotovelo
Goniometria do cotoveloGoniometria do cotovelo
Goniometria do cotovelo
 
Propriocepção
PropriocepçãoPropriocepção
Propriocepção
 

Semelhante a Noções do Método Bobath

Nocoes do-metodo-bobath reflexos primitivos
Nocoes do-metodo-bobath reflexos primitivosNocoes do-metodo-bobath reflexos primitivos
Nocoes do-metodo-bobath reflexos primitivos
IAPES - Instituto Amazonense de Aprimoramento e Ensino em Saúde
 
Sinais e sintomas neurológicos aula2 ps
Sinais e sintomas neurológicos aula2 psSinais e sintomas neurológicos aula2 ps
Sinais e sintomas neurológicos aula2 ps
Sheila Schneiberg
 
Acidente vascular encefálico parte2
Acidente vascular encefálico parte2Acidente vascular encefálico parte2
Acidente vascular encefálico parte2
Jumooca
 
REEDUCAÇÃO FUNCIONAL - CONCEITOS E MÉTODOS
REEDUCAÇÃO FUNCIONAL - CONCEITOS E MÉTODOSREEDUCAÇÃO FUNCIONAL - CONCEITOS E MÉTODOS
REEDUCAÇÃO FUNCIONAL - CONCEITOS E MÉTODOS
sthefanycp19
 
Hidroterapia na paralisia cerebral
Hidroterapia na paralisia cerebralHidroterapia na paralisia cerebral
Hidroterapia na paralisia cerebral
Valmir Lira
 
Estabilização Segmentar associada a RPG como Recurso para a Ginástica Laboral
Estabilização Segmentar associada a RPG como Recurso para a Ginástica LaboralEstabilização Segmentar associada a RPG como Recurso para a Ginástica Laboral
Estabilização Segmentar associada a RPG como Recurso para a Ginástica Laboral
Fabio Mazzola
 
(20160917152454)REFLEXOS E REAÇÕES DO BEBÊ.pdf
(20160917152454)REFLEXOS E REAÇÕES DO BEBÊ.pdf(20160917152454)REFLEXOS E REAÇÕES DO BEBÊ.pdf
(20160917152454)REFLEXOS E REAÇÕES DO BEBÊ.pdf
MarthaEmanuely
 
Aula Relaçao do captor ocular com o sistema postural PDF.pdf
Aula Relaçao do captor ocular com o sistema postural PDF.pdfAula Relaçao do captor ocular com o sistema postural PDF.pdf
Aula Relaçao do captor ocular com o sistema postural PDF.pdf
IvonePessoa2
 
Reflex1 sn resp
Reflex1 sn respReflex1 sn resp
Reflex1 sn resp
Abdul Jussub
 
Desenvolvimento motor atípico
Desenvolvimento motor atípicoDesenvolvimento motor atípico
Desenvolvimento motor atípico
Camila Ferreira
 
A reabilitação do paciente em Estado Vegetativo Persistente
A reabilitação do paciente em Estado Vegetativo PersistenteA reabilitação do paciente em Estado Vegetativo Persistente
A reabilitação do paciente em Estado Vegetativo Persistente
Adriano Daudt
 
Paralisia Cerebral - PC (1).pptx
Paralisia Cerebral - PC (1).pptxParalisia Cerebral - PC (1).pptx
Paralisia Cerebral - PC (1).pptx
MrciaSilva27860
 
P1 - AV. NEURO - AULA 2_ok.pdf
P1 - AV. NEURO - AULA 2_ok.pdfP1 - AV. NEURO - AULA 2_ok.pdf
P1 - AV. NEURO - AULA 2_ok.pdf
JairVieira15
 
Coordenação14
Coordenação14Coordenação14
Coordenação14
pauloalambert
 
Coordenação16
Coordenação16Coordenação16
Coordenação16
pauloalambert
 
Coordenação
CoordenaçãoCoordenação
Coordenação
pauloalambert
 
Avaliação..rn
Avaliação..rnAvaliação..rn
Ciulla Clínica Psiquiátrica - Transtorno do Pânico TCC
Ciulla Clínica Psiquiátrica - Transtorno do Pânico TCCCiulla Clínica Psiquiátrica - Transtorno do Pânico TCC
Ciulla Clínica Psiquiátrica - Transtorno do Pânico TCC
clinicaciulla
 
JSExercício&Movimento.pptx
JSExercício&Movimento.pptxJSExercício&Movimento.pptx
JSExercício&Movimento.pptx
JeanJarrier
 
Paralisia cerebral
Paralisia cerebralParalisia cerebral
Paralisia cerebral
Nay Ribeiro
 

Semelhante a Noções do Método Bobath (20)

Nocoes do-metodo-bobath reflexos primitivos
Nocoes do-metodo-bobath reflexos primitivosNocoes do-metodo-bobath reflexos primitivos
Nocoes do-metodo-bobath reflexos primitivos
 
Sinais e sintomas neurológicos aula2 ps
Sinais e sintomas neurológicos aula2 psSinais e sintomas neurológicos aula2 ps
Sinais e sintomas neurológicos aula2 ps
 
Acidente vascular encefálico parte2
Acidente vascular encefálico parte2Acidente vascular encefálico parte2
Acidente vascular encefálico parte2
 
REEDUCAÇÃO FUNCIONAL - CONCEITOS E MÉTODOS
REEDUCAÇÃO FUNCIONAL - CONCEITOS E MÉTODOSREEDUCAÇÃO FUNCIONAL - CONCEITOS E MÉTODOS
REEDUCAÇÃO FUNCIONAL - CONCEITOS E MÉTODOS
 
Hidroterapia na paralisia cerebral
Hidroterapia na paralisia cerebralHidroterapia na paralisia cerebral
Hidroterapia na paralisia cerebral
 
Estabilização Segmentar associada a RPG como Recurso para a Ginástica Laboral
Estabilização Segmentar associada a RPG como Recurso para a Ginástica LaboralEstabilização Segmentar associada a RPG como Recurso para a Ginástica Laboral
Estabilização Segmentar associada a RPG como Recurso para a Ginástica Laboral
 
(20160917152454)REFLEXOS E REAÇÕES DO BEBÊ.pdf
(20160917152454)REFLEXOS E REAÇÕES DO BEBÊ.pdf(20160917152454)REFLEXOS E REAÇÕES DO BEBÊ.pdf
(20160917152454)REFLEXOS E REAÇÕES DO BEBÊ.pdf
 
Aula Relaçao do captor ocular com o sistema postural PDF.pdf
Aula Relaçao do captor ocular com o sistema postural PDF.pdfAula Relaçao do captor ocular com o sistema postural PDF.pdf
Aula Relaçao do captor ocular com o sistema postural PDF.pdf
 
Reflex1 sn resp
Reflex1 sn respReflex1 sn resp
Reflex1 sn resp
 
Desenvolvimento motor atípico
Desenvolvimento motor atípicoDesenvolvimento motor atípico
Desenvolvimento motor atípico
 
A reabilitação do paciente em Estado Vegetativo Persistente
A reabilitação do paciente em Estado Vegetativo PersistenteA reabilitação do paciente em Estado Vegetativo Persistente
A reabilitação do paciente em Estado Vegetativo Persistente
 
Paralisia Cerebral - PC (1).pptx
Paralisia Cerebral - PC (1).pptxParalisia Cerebral - PC (1).pptx
Paralisia Cerebral - PC (1).pptx
 
P1 - AV. NEURO - AULA 2_ok.pdf
P1 - AV. NEURO - AULA 2_ok.pdfP1 - AV. NEURO - AULA 2_ok.pdf
P1 - AV. NEURO - AULA 2_ok.pdf
 
Coordenação14
Coordenação14Coordenação14
Coordenação14
 
Coordenação16
Coordenação16Coordenação16
Coordenação16
 
Coordenação
CoordenaçãoCoordenação
Coordenação
 
Avaliação..rn
Avaliação..rnAvaliação..rn
Avaliação..rn
 
Ciulla Clínica Psiquiátrica - Transtorno do Pânico TCC
Ciulla Clínica Psiquiátrica - Transtorno do Pânico TCCCiulla Clínica Psiquiátrica - Transtorno do Pânico TCC
Ciulla Clínica Psiquiátrica - Transtorno do Pânico TCC
 
JSExercício&Movimento.pptx
JSExercício&Movimento.pptxJSExercício&Movimento.pptx
JSExercício&Movimento.pptx
 
Paralisia cerebral
Paralisia cerebralParalisia cerebral
Paralisia cerebral
 

Mais de IAPES - Instituto Amazonense de Aprimoramento e Ensino em Saúde

Mobilização precoce em pacientes críticos
Mobilização precoce em pacientes críticosMobilização precoce em pacientes críticos
Mobilização precoce em pacientes críticos
IAPES - Instituto Amazonense de Aprimoramento e Ensino em Saúde
 
Modos ventilatórios
 Modos ventilatórios  Modos ventilatórios
Tumores do sistema nervoso central
Tumores do sistema nervoso centralTumores do sistema nervoso central
Vm no trauma encefálico e neurointensivismo
Vm no trauma encefálico e neurointensivismoVm no trauma encefálico e neurointensivismo
Vm no trauma encefálico e neurointensivismo
IAPES - Instituto Amazonense de Aprimoramento e Ensino em Saúde
 
A importância da fisioterapia intensiva na uti oncológica
 A importância da fisioterapia intensiva na uti oncológica A importância da fisioterapia intensiva na uti oncológica
A importância da fisioterapia intensiva na uti oncológica
IAPES - Instituto Amazonense de Aprimoramento e Ensino em Saúde
 
Interpretação de curvas na vm
 Interpretação de curvas na vm Interpretação de curvas na vm
A HUMANIZAÇÃO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA (UTI) NA FUNDAÇÃO CENTRO DE CON...
A HUMANIZAÇÃO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA (UTI) NA FUNDAÇÃO CENTRO DE CON...A HUMANIZAÇÃO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA (UTI) NA FUNDAÇÃO CENTRO DE CON...
A HUMANIZAÇÃO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA (UTI) NA FUNDAÇÃO CENTRO DE CON...
IAPES - Instituto Amazonense de Aprimoramento e Ensino em Saúde
 
A história da Ventilação mecânica
A história da Ventilação mecânicaA história da Ventilação mecânica
Interação interdisciplinar na unidade de tratamento intensivo
Interação interdisciplinar na unidade de tratamento intensivoInteração interdisciplinar na unidade de tratamento intensivo
Interação interdisciplinar na unidade de tratamento intensivo
IAPES - Instituto Amazonense de Aprimoramento e Ensino em Saúde
 
Processo de Desmame Ventilatório e Extubação
Processo de Desmame Ventilatório e ExtubaçãoProcesso de Desmame Ventilatório e Extubação
Processo de Desmame Ventilatório e Extubação
IAPES - Instituto Amazonense de Aprimoramento e Ensino em Saúde
 
Análie das Estratégias de Ventilação Mecânica na Lesão Pulmonar Aguda e na Sí...
Análie das Estratégias de Ventilação Mecânica na Lesão Pulmonar Aguda e na Sí...Análie das Estratégias de Ventilação Mecânica na Lesão Pulmonar Aguda e na Sí...
Análie das Estratégias de Ventilação Mecânica na Lesão Pulmonar Aguda e na Sí...
IAPES - Instituto Amazonense de Aprimoramento e Ensino em Saúde
 
Doença de parkinson a relevância da abordagem fisioterapêutica nas principai...
Doença de parkinson  a relevância da abordagem fisioterapêutica nas principai...Doença de parkinson  a relevância da abordagem fisioterapêutica nas principai...
Doença de parkinson a relevância da abordagem fisioterapêutica nas principai...
IAPES - Instituto Amazonense de Aprimoramento e Ensino em Saúde
 
Distúrbios osteomusculares em fisioterapeutas
Distúrbios osteomusculares em fisioterapeutasDistúrbios osteomusculares em fisioterapeutas
Distúrbios osteomusculares em fisioterapeutas
IAPES - Instituto Amazonense de Aprimoramento e Ensino em Saúde
 
Benefícios da intervenção fisioterapêutica na esclerose lateral amiotrófica
Benefícios da intervenção fisioterapêutica na esclerose lateral amiotróficaBenefícios da intervenção fisioterapêutica na esclerose lateral amiotrófica
Benefícios da intervenção fisioterapêutica na esclerose lateral amiotrófica
IAPES - Instituto Amazonense de Aprimoramento e Ensino em Saúde
 
A influência do comprometimento neuromotor na aquisição de habilidades em par...
A influência do comprometimento neuromotor na aquisição de habilidades em par...A influência do comprometimento neuromotor na aquisição de habilidades em par...
A influência do comprometimento neuromotor na aquisição de habilidades em par...
IAPES - Instituto Amazonense de Aprimoramento e Ensino em Saúde
 
A importância da propriocepção no esporte
A importância da propriocepção no esporteA importância da propriocepção no esporte
A importância da propriocepção no esporte
IAPES - Instituto Amazonense de Aprimoramento e Ensino em Saúde
 
Relevância do hemograma na conduta fisioterapêutica em terapia intensiva
Relevância do hemograma na conduta fisioterapêutica em terapia intensivaRelevância do hemograma na conduta fisioterapêutica em terapia intensiva
Relevância do hemograma na conduta fisioterapêutica em terapia intensiva
IAPES - Instituto Amazonense de Aprimoramento e Ensino em Saúde
 
Pneumonia associada à ventilação mecânica (PAV)
Pneumonia associada à ventilação mecânica (PAV)Pneumonia associada à ventilação mecânica (PAV)
Pneumonia associada à ventilação mecânica (PAV)
IAPES - Instituto Amazonense de Aprimoramento e Ensino em Saúde
 
Manobra peep-zeep em Ventilação Mecânica
Manobra peep-zeep em Ventilação MecânicaManobra peep-zeep em Ventilação Mecânica
Manobra peep-zeep em Ventilação Mecânica
IAPES - Instituto Amazonense de Aprimoramento e Ensino em Saúde
 
Interação das drogas vasoativas e a fisioterapia em pacientes na Unidade de T...
Interação das drogas vasoativas e a fisioterapia em pacientes na Unidade de T...Interação das drogas vasoativas e a fisioterapia em pacientes na Unidade de T...
Interação das drogas vasoativas e a fisioterapia em pacientes na Unidade de T...
IAPES - Instituto Amazonense de Aprimoramento e Ensino em Saúde
 

Mais de IAPES - Instituto Amazonense de Aprimoramento e Ensino em Saúde (20)

Mobilização precoce em pacientes críticos
Mobilização precoce em pacientes críticosMobilização precoce em pacientes críticos
Mobilização precoce em pacientes críticos
 
Modos ventilatórios
 Modos ventilatórios  Modos ventilatórios
Modos ventilatórios
 
Tumores do sistema nervoso central
Tumores do sistema nervoso centralTumores do sistema nervoso central
Tumores do sistema nervoso central
 
Vm no trauma encefálico e neurointensivismo
Vm no trauma encefálico e neurointensivismoVm no trauma encefálico e neurointensivismo
Vm no trauma encefálico e neurointensivismo
 
A importância da fisioterapia intensiva na uti oncológica
 A importância da fisioterapia intensiva na uti oncológica A importância da fisioterapia intensiva na uti oncológica
A importância da fisioterapia intensiva na uti oncológica
 
Interpretação de curvas na vm
 Interpretação de curvas na vm Interpretação de curvas na vm
Interpretação de curvas na vm
 
A HUMANIZAÇÃO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA (UTI) NA FUNDAÇÃO CENTRO DE CON...
A HUMANIZAÇÃO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA (UTI) NA FUNDAÇÃO CENTRO DE CON...A HUMANIZAÇÃO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA (UTI) NA FUNDAÇÃO CENTRO DE CON...
A HUMANIZAÇÃO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA (UTI) NA FUNDAÇÃO CENTRO DE CON...
 
A história da Ventilação mecânica
A história da Ventilação mecânicaA história da Ventilação mecânica
A história da Ventilação mecânica
 
Interação interdisciplinar na unidade de tratamento intensivo
Interação interdisciplinar na unidade de tratamento intensivoInteração interdisciplinar na unidade de tratamento intensivo
Interação interdisciplinar na unidade de tratamento intensivo
 
Processo de Desmame Ventilatório e Extubação
Processo de Desmame Ventilatório e ExtubaçãoProcesso de Desmame Ventilatório e Extubação
Processo de Desmame Ventilatório e Extubação
 
Análie das Estratégias de Ventilação Mecânica na Lesão Pulmonar Aguda e na Sí...
Análie das Estratégias de Ventilação Mecânica na Lesão Pulmonar Aguda e na Sí...Análie das Estratégias de Ventilação Mecânica na Lesão Pulmonar Aguda e na Sí...
Análie das Estratégias de Ventilação Mecânica na Lesão Pulmonar Aguda e na Sí...
 
Doença de parkinson a relevância da abordagem fisioterapêutica nas principai...
Doença de parkinson  a relevância da abordagem fisioterapêutica nas principai...Doença de parkinson  a relevância da abordagem fisioterapêutica nas principai...
Doença de parkinson a relevância da abordagem fisioterapêutica nas principai...
 
Distúrbios osteomusculares em fisioterapeutas
Distúrbios osteomusculares em fisioterapeutasDistúrbios osteomusculares em fisioterapeutas
Distúrbios osteomusculares em fisioterapeutas
 
Benefícios da intervenção fisioterapêutica na esclerose lateral amiotrófica
Benefícios da intervenção fisioterapêutica na esclerose lateral amiotróficaBenefícios da intervenção fisioterapêutica na esclerose lateral amiotrófica
Benefícios da intervenção fisioterapêutica na esclerose lateral amiotrófica
 
A influência do comprometimento neuromotor na aquisição de habilidades em par...
A influência do comprometimento neuromotor na aquisição de habilidades em par...A influência do comprometimento neuromotor na aquisição de habilidades em par...
A influência do comprometimento neuromotor na aquisição de habilidades em par...
 
A importância da propriocepção no esporte
A importância da propriocepção no esporteA importância da propriocepção no esporte
A importância da propriocepção no esporte
 
Relevância do hemograma na conduta fisioterapêutica em terapia intensiva
Relevância do hemograma na conduta fisioterapêutica em terapia intensivaRelevância do hemograma na conduta fisioterapêutica em terapia intensiva
Relevância do hemograma na conduta fisioterapêutica em terapia intensiva
 
Pneumonia associada à ventilação mecânica (PAV)
Pneumonia associada à ventilação mecânica (PAV)Pneumonia associada à ventilação mecânica (PAV)
Pneumonia associada à ventilação mecânica (PAV)
 
Manobra peep-zeep em Ventilação Mecânica
Manobra peep-zeep em Ventilação MecânicaManobra peep-zeep em Ventilação Mecânica
Manobra peep-zeep em Ventilação Mecânica
 
Interação das drogas vasoativas e a fisioterapia em pacientes na Unidade de T...
Interação das drogas vasoativas e a fisioterapia em pacientes na Unidade de T...Interação das drogas vasoativas e a fisioterapia em pacientes na Unidade de T...
Interação das drogas vasoativas e a fisioterapia em pacientes na Unidade de T...
 

Noções do Método Bobath

  • 2. Os reflexos são movimentos involuntários, presentes desde a vida fetal, funcionais ao nascer, controlados subcorticalmente e que formam a base para as fases posteriores do desenvolvimento motor. O recém-nascido é dotado de um conjunto rico de reflexos, reações inatas que são desencadeadas por uma forma específica de estímulo. Os reflexos estão intimamente ligados ao funcionamento do sistema nervoso central e se constituem na forma mais eficaz de avaliação neurológica
  • 3. Os reflexos são movimentos involuntários, presentes desde a vida fetal, funcionais ao nascer, controlados subcorticalmente e que formam a base para as fases posteriores do desenvolvimento motor. O recém-nascido é dotado de um conjunto rico de reflexos, reações inatas que são desencadeadas por uma forma específica de estímulo. Os reflexos estão intimamente ligados ao funcionamento do sistema nervoso central e se constituem na forma mais eficaz de avaliação neurológica
  • 4. REFLEXOS PRIMITIVOS Estão ligados à obtenção de alimentos e à proteção do bebê. Aparecem na vida fetal e persistem(alguns) durante o 1º ano de vida. Exs: Moro, Sucção, Babinski
  • 5. REFLEXOS POSTURAIS Estão ligados à manutenção da posição ereta. Fazem lembrar movimentos voluntários posteriores.
  • 6. REFLEXO RESPOSTA SIGNIFICADO BABINSKI Os dedos do pé se distendem quando a sola do pé é acariciada do calcanhar aos dedos Desconhecido PISCAR Os olhos se fecham em resposta à luz ou ruídos fortes Proteção dos olhos MORO Extensão dos braços para fora e para dentro em resposta a um ruído alto ou outras situações Possivelmente ajuda o bebê a se agarrar à mãe PREENSÃO PALMAR Agarra um objeto colocado na palma de sua mão Possivelmente ligado à alimentação ROTAÇÃO Quando a face é tocada, vira a cabeça na direção do toque e abre a boca Procura do mamilo MARCHA Quando o bebê é seguro em pé e movido para frente, começa a dar passos ritmados Precursor do andar voluntário SUCÇÃO Suga quando um objeto é colocado em sua boca Alimentação
  • 7. NOÇÕES DONOÇÕES DO MÉTODO BOBATHMÉTODO BOBATH
  • 8. Definição:Definição: É uma técnica de reabilitaçãoÉ uma técnica de reabilitação neuromuscular que utiliza os reflexosneuromuscular que utiliza os reflexos e os estímulos sensitivos para inibir oue os estímulos sensitivos para inibir ou provocar uma resposta motora sempreprovocar uma resposta motora sempre respeitando os princípios darespeitando os princípios da normalização de tônus e danormalização de tônus e da experimentação de um movimento ouexperimentação de um movimento ou de um controle estático normal.de um controle estático normal.
  • 9. Histórico:Histórico: Surgiu na década de 40 com aSurgiu na década de 40 com a fisioterapeuta Berta Bobath e ofisioterapeuta Berta Bobath e o neuropediatra Karel Bobath, com oneuropediatra Karel Bobath, com o tratamento de crianças com paralisiatratamento de crianças com paralisia cerebral.cerebral. Enfoque na reabilitação deEnfoque na reabilitação de pacientes que sofrem de lesãopacientes que sofrem de lesão neuromotora de origem cerebral.neuromotora de origem cerebral.
  • 10. Princípios de tratamento:Princípios de tratamento:  Inibir a atividade reflexa e padrões deInibir a atividade reflexa e padrões de movimento anormais;movimento anormais;  Facilitar os padrões motores normais;Facilitar os padrões motores normais;  Fornecer o máximo de informaçõesFornecer o máximo de informações proprioceptivas e esteroceptivas;proprioceptivas e esteroceptivas;  Realizar um atendimento individual;Realizar um atendimento individual;  Tratar o paciente de forma global.Tratar o paciente de forma global.
  • 11. SNC é um órgão de reação e não de ação, ouSNC é um órgão de reação e não de ação, ou seja, ele responde a partir de estímulos internosseja, ele responde a partir de estímulos internos e externos ao corpo que lhe são oferecidos.e externos ao corpo que lhe são oferecidos. As células do SNC – excitar ou inibir – facilitandoAs células do SNC – excitar ou inibir – facilitando atividades úteis e impedindo movimentosatividades úteis e impedindo movimentos indesejados.indesejados. Reabilitação e a aprendizagem= estimulação,Reabilitação e a aprendizagem= estimulação, inibição ou facilitação.inibição ou facilitação.
  • 12. Objetivos:Objetivos:  Edificar reações posturais normaisEdificar reações posturais normais  Opor-se as reações posturaisOpor-se as reações posturais anormaisanormais  Ajustar padrões funcionaisAjustar padrões funcionais  Reduzir espasticidadeReduzir espasticidade  Favorecer movimentos automáticos eFavorecer movimentos automáticos e voluntários pré- funcionaisvoluntários pré- funcionais  Evitar ou minimizar contraturas eEvitar ou minimizar contraturas e deformidadesdeformidades
  • 13. Técnicas:Técnicas: • Pontos- ChavesPontos- Chaves • Padrões de inibição reflexaPadrões de inibição reflexa • Estimulação proprioceptiva e tátilEstimulação proprioceptiva e tátil • Padrões de movimento ativoPadrões de movimento ativo • Desenvolvimento neuromotorDesenvolvimento neuromotor normalnormal
  • 14. Indicações:Indicações:  Melhorar controle postural e simetriaMelhorar controle postural e simetria corporalcorporal  Alongar músculosAlongar músculos  Dar maior propriocepção articularDar maior propriocepção articular  Adequar o tônus muscularAdequar o tônus muscular  Estimular reações de proteção eEstimular reações de proteção e equilíbrioequilíbrio  Realizar dissociações de cinturasRealizar dissociações de cinturas  Aprimorar a deambulaçãoAprimorar a deambulação
  • 15.  Principais enfoques:Principais enfoques: .Perturbações de SNC de crianças e.Perturbações de SNC de crianças e adultos.adultos. .Pacientes flácidos ou espásticos.Pacientes flácidos ou espásticos (AVE,TCE,TRM,EM)(AVE,TCE,TRM,EM) .Pacientes incoordenados(cerebelopatas).Pacientes incoordenados(cerebelopatas) .Lesões extrapiramidais(Doença de.Lesões extrapiramidais(Doença de Parkinson e outros).Parkinson e outros).
  • 16. Materiais utilizados:Materiais utilizados:  Bola BobathBola Bobath  RoloRolo  EspelhoEspelho  TatameTatame  Escada/RampaEscada/Rampa  Prancha de equilíbrioPrancha de equilíbrio  BrinquedosBrinquedos
  • 17. Pontos-chaves:Pontos-chaves: São pontos centrais do corpoSão pontos centrais do corpo influindo em regiões mais distaisinfluindo em regiões mais distais controlando o tônus e o movimentocontrolando o tônus e o movimento provocando reaçõesprovocando reações automáticas.São geralmente asautomáticas.São geralmente as articulações.articulações.
  • 18. Desenvolvimento Neuromotor normal:Desenvolvimento Neuromotor normal: - Controle de cabeça- Controle de cabeça - Rolar para os dois lados- Rolar para os dois lados - Rolar para prono- Rolar para prono - Braços sobre antebraços( puppy)- Braços sobre antebraços( puppy) - Braços em extensão- Braços em extensão - Controle de tronco- Controle de tronco - Gato- Gato - Sentar-se sobre os calcanhares- Sentar-se sobre os calcanhares - Ajoelhado- Ajoelhado - Semi-ajoelhado- Semi-ajoelhado - Pé- Pé
  • 19. APLICABILIDADE NAAPLICABILIDADE NA TERAPIA INTENSIVATERAPIA INTENSIVA PRONAÇÃOPRONAÇÃO