SlideShare uma empresa Scribd logo
Enrico Bertolini
João Felipe Gomes
Matheus Franco

 Mário de Andrade nasceu no dia 9 de
Outubro de 1893 na cidade de São
Paulo
 O autor dedicou-se ao estudo da
música, mas desistiu da profissão
depois da perda do irmão mais novo
em 1913.
 Em 1917 teve seu primeiro contato com
o modernismo em uma exposição de
Anita Malfatti.
 Em 1920 é apresentado ao público por
Oswald de Andrade.
Vida
(Mário de Andrade)

 Em 1922 Mário de Andrade participou da
organização da Semana de Arte Moderna e
publicou Pauliceia Desvairada, que o
introduziu ao modernismo brasileiro.
 Mário constituiu o grupo dos cinco, junto a
Menotti del Picchia, Oswald de Andrade,
Anita Malfatti e Tarsila do Amaral.
 Em 1928 publicou Macunaíma - o Herói sem
nenhum caráter, onde inova com audácia e
rebela-se contra a mesmice das normas
vigentes.
 O autor morreu no dia 25 de Fevereiro de
1945 na sua casa em São Paulo, vítima de
um ataque cardíaco.
Vida
(Cartaz de divulgação da Semana
de Arte Moderna de 22. Arte de
Di Cavalcanti)

 Mário de Andrade foi pioneiro e
um dos mais importantes autores
modernistas brasileiros, além de
músico, pesquisador do folclore
brasileiro e crítico de artes.
 Estilos: Poesia, prosa de ficção,
crônicas e críticas.
 Temas: Dentre os temas
abordados por Mário os
principais são o folclore
brasileiro e o cotidiano.
Obra
(Capa do Livro Pauliceia Desvairada)
 Poesia:
 Pauliceia Desvairada;
 O losango caqui;
 Clã do jabuti;
 Remate de males;
 Poesias;
 Liras paulistanas;
 Prosa de ficção:
 Amar, verbo intransitivo;
 Macunaíma;
 Os contos de Belazarte;
 Contos novos;
Principais Obras
(Cena do filme Macunaíma, inspirado na obra de
Mário de Andrade)

 O livro de poesias, Pauliceia desvairada, foi o segundo
livro de Mário de Andrade. Publicado em 1922
introduziu o autor ao movimento modernista
Brasileiro.
 Pauliceia desvairada significou o rompimento
absoluto entre o Modernismo e as escolas literárias
anteriores.
 O livro faz uma análise da sociedade paulista do
início do século XX, de forma irônica e áspera, de
acordo com o próprio autor.
Pauliceia desvairada
 No “Prefácio interessantíssimo” de Pauliceia desvairada é
podemos notar o rompimento do modernismo com as escolas
anteriores pelos ideais nele defendidos.
Pauliceia desvairada
Leitor:
Este prefácio, apesar de interessante, inútil.
*
Quando sinto a impulsão lírica escrevo sem pensar tudo que meu
inconsciente me grita. Penso depois: não só para corrigir, como para
justificar o que escrevi. Daí a razão deste Prefácio Interessantíssimo.
ANDRADE, Mário de. Pauliceia desvairada.
 No trecho acima podemos notar a negação às formas e padrões.
O autor defende a poesia como fruto do sentimento e não da
reflexão.

 Podemos notar no livro a crítica feita a classe
burguesa e o tom irônico com o qual essa crítica é
construída, como no poema “Ode ao Burguês”.
Pauliceia desvairada
Eu insulto o burguês! O burguês-níquel,
o burguês-burguês!
A digestão bem-feita de São Paulo!
O homem-curva! O homem-nádegas!
O homem que sendo francês, brasileiro, italiano,
é sempre um cauteloso pouco-a-pouco!
ANDRADE, Mário de. Pauliceia desvairada.

 https://www.youtube.com/watch?v=1Oih3j1TAEU
Macunaíma

 http://www.releituras.com/marioandrade_bio.asp
 http://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%A1rio_de_Andra
de#Obra
 https://www.youtube.com/watch?v=1Oih3j1TAEU
 http://www.infoescola.com/livros/pauliceia-
desvairada/
 http://www.mac.usp.br/mac/templates/projetos/jogo/
pauliceia.asp
 http://www.passeiweb.com/estudos/livros/ode_ao_bur
gues
 http://guiadoestudante.abril.com.br/estudar/literatura/
macunaima-analise-obra-mario-andrade-700315.shtml
Referências bibliográficas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Manuel Bandeira
Manuel BandeiraManuel Bandeira
Pré modernismo-slides
Pré modernismo-slidesPré modernismo-slides
Pré modernismo-slides
Zenia Ferreira
 
2ª fase modernista (prosa)
2ª fase modernista (prosa)2ª fase modernista (prosa)
2ª fase modernista (prosa)
rillaryalvesj
 
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
Mara Virginia
 
Carlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de AndradeCarlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de Andrade
Cláudia Heloísa
 
Álvares de Azevedo
Álvares de AzevedoÁlvares de Azevedo
Álvares de Azevedo
Cláudia Heloísa
 
Macunaíma...
Macunaíma...Macunaíma...
Macunaíma...
Ana Paula Custodio
 
Semana de arte moderna
Semana de arte modernaSemana de arte moderna
Semana de arte moderna
Robson Oliveira
 
Modernismo no Brasil
Modernismo no BrasilModernismo no Brasil
Modernismo no Brasil
alinesantana1422
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
Cláudia Heloísa
 
Modernismo fases
Modernismo fasesModernismo fases
Modernismo fases
Matheus Italo Nascimento
 
Mario de Andrade
Mario de AndradeMario de Andrade
Mario de Andrade
Maria Luisa Bonizio
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Primeira fase do Modernismo
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Primeira fase do Modernismowww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Primeira fase do Modernismo
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Primeira fase do Modernismo
Annalu Jannuzzi
 
Manuel Bandeira
Manuel BandeiraManuel Bandeira
Manuel Bandeira
martinsramon
 
Modernismo Brasileiro (1ª fase)
Modernismo Brasileiro (1ª fase)Modernismo Brasileiro (1ª fase)
Modernismo Brasileiro (1ª fase)
Blog Estudo
 
A semana de arte moderna (1922) apresentação
A semana de arte moderna (1922) apresentaçãoA semana de arte moderna (1922) apresentação
A semana de arte moderna (1922) apresentação
Zenia Ferreira
 
Mario de andrade
Mario de andradeMario de andrade
Mario de andrade
Anne Kelly Pendeloski
 
Carlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de AndradeCarlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de Andrade
Adriana Masson
 
Murilo Mendes
Murilo MendesMurilo Mendes
Murilo Mendes
Beatriz Ramos
 
Modernismo 1ª fase apresentação
Modernismo 1ª fase apresentaçãoModernismo 1ª fase apresentação
Modernismo 1ª fase apresentação
Zenia Ferreira
 

Mais procurados (20)

Manuel Bandeira
Manuel BandeiraManuel Bandeira
Manuel Bandeira
 
Pré modernismo-slides
Pré modernismo-slidesPré modernismo-slides
Pré modernismo-slides
 
2ª fase modernista (prosa)
2ª fase modernista (prosa)2ª fase modernista (prosa)
2ª fase modernista (prosa)
 
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
 
Carlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de AndradeCarlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de Andrade
 
Álvares de Azevedo
Álvares de AzevedoÁlvares de Azevedo
Álvares de Azevedo
 
Macunaíma...
Macunaíma...Macunaíma...
Macunaíma...
 
Semana de arte moderna
Semana de arte modernaSemana de arte moderna
Semana de arte moderna
 
Modernismo no Brasil
Modernismo no BrasilModernismo no Brasil
Modernismo no Brasil
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Modernismo fases
Modernismo fasesModernismo fases
Modernismo fases
 
Mario de Andrade
Mario de AndradeMario de Andrade
Mario de Andrade
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Primeira fase do Modernismo
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Primeira fase do Modernismowww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Primeira fase do Modernismo
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Primeira fase do Modernismo
 
Manuel Bandeira
Manuel BandeiraManuel Bandeira
Manuel Bandeira
 
Modernismo Brasileiro (1ª fase)
Modernismo Brasileiro (1ª fase)Modernismo Brasileiro (1ª fase)
Modernismo Brasileiro (1ª fase)
 
A semana de arte moderna (1922) apresentação
A semana de arte moderna (1922) apresentaçãoA semana de arte moderna (1922) apresentação
A semana de arte moderna (1922) apresentação
 
Mario de andrade
Mario de andradeMario de andrade
Mario de andrade
 
Carlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de AndradeCarlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de Andrade
 
Murilo Mendes
Murilo MendesMurilo Mendes
Murilo Mendes
 
Modernismo 1ª fase apresentação
Modernismo 1ª fase apresentaçãoModernismo 1ª fase apresentação
Modernismo 1ª fase apresentação
 

Destaque

Mário de andrade
Mário de andradeMário de andrade
Mário de andrade
Jessica Silva
 
Mário de Andrade
Mário de AndradeMário de Andrade
Mário de Andrade
Miguel D' Amorim
 
Macunaíma
MacunaímaMacunaíma
Macunaíma
poradinhaa
 
trabalho de literatura sobre Mário de Andrade
trabalho de literatura sobre Mário de Andradetrabalho de literatura sobre Mário de Andrade
trabalho de literatura sobre Mário de Andrade
arthuremilioholdefer
 
Macunaíma
MacunaímaMacunaíma
Macunaíma
iara campanha
 
Mário de Andrade / Macunaima / Modernismo
Mário de Andrade / Macunaima / ModernismoMário de Andrade / Macunaima / Modernismo
Mário de Andrade / Macunaima / Modernismo
Edmar Ruvsel
 
Mario de andrade
Mario de andradeMario de andrade
Mario de andrade
nanda_paulino
 
Parnasianismo
ParnasianismoParnasianismo
Parnasianismo
rafabebum
 
Macunaíma
MacunaímaMacunaíma
Macunaíma
Marcos Torquato
 
Macunaína
MacunaínaMacunaína
Macunaíma – Mário de Andrade
Macunaíma – Mário de AndradeMacunaíma – Mário de Andrade
Macunaíma – Mário de Andrade
Dani Bertollo
 
Macunaíma uma experiência literária
Macunaíma   uma experiência literáriaMacunaíma   uma experiência literária
Macunaíma uma experiência literária
Matheus Bastos
 
Apresentação Modernismo Brasileiro
Apresentação Modernismo BrasileiroApresentação Modernismo Brasileiro
Apresentação Modernismo Brasileiro
Kleiner Paulo Geraldi
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
Thalles Yvson
 
Modernismo brasil 1ª fase
Modernismo brasil 1ª faseModernismo brasil 1ª fase
Modernismo brasil 1ª fase
rillaryalvesj
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
newtonbonfim
 
Folharural29 p2p6
Folharural29 p2p6Folharural29 p2p6
Folharural29 p2p6
Barao do Pirapora
 
Macunaíma, de Mário de Andrade - análise
Macunaíma, de Mário de Andrade - análiseMacunaíma, de Mário de Andrade - análise
Macunaíma, de Mário de Andrade - análise
jasonrplima
 
Resumo macunaíma
Resumo   macunaímaResumo   macunaíma
Resumo macunaíma
Andreia Solange
 
Trabalho Das Drogas F.CíVica
Trabalho Das Drogas F.CíVicaTrabalho Das Drogas F.CíVica
Trabalho Das Drogas F.CíVica
7iesdr
 

Destaque (20)

Mário de andrade
Mário de andradeMário de andrade
Mário de andrade
 
Mário de Andrade
Mário de AndradeMário de Andrade
Mário de Andrade
 
Macunaíma
MacunaímaMacunaíma
Macunaíma
 
trabalho de literatura sobre Mário de Andrade
trabalho de literatura sobre Mário de Andradetrabalho de literatura sobre Mário de Andrade
trabalho de literatura sobre Mário de Andrade
 
Macunaíma
MacunaímaMacunaíma
Macunaíma
 
Mário de Andrade / Macunaima / Modernismo
Mário de Andrade / Macunaima / ModernismoMário de Andrade / Macunaima / Modernismo
Mário de Andrade / Macunaima / Modernismo
 
Mario de andrade
Mario de andradeMario de andrade
Mario de andrade
 
Parnasianismo
ParnasianismoParnasianismo
Parnasianismo
 
Macunaíma
MacunaímaMacunaíma
Macunaíma
 
Macunaína
MacunaínaMacunaína
Macunaína
 
Macunaíma – Mário de Andrade
Macunaíma – Mário de AndradeMacunaíma – Mário de Andrade
Macunaíma – Mário de Andrade
 
Macunaíma uma experiência literária
Macunaíma   uma experiência literáriaMacunaíma   uma experiência literária
Macunaíma uma experiência literária
 
Apresentação Modernismo Brasileiro
Apresentação Modernismo BrasileiroApresentação Modernismo Brasileiro
Apresentação Modernismo Brasileiro
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
 
Modernismo brasil 1ª fase
Modernismo brasil 1ª faseModernismo brasil 1ª fase
Modernismo brasil 1ª fase
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
 
Folharural29 p2p6
Folharural29 p2p6Folharural29 p2p6
Folharural29 p2p6
 
Macunaíma, de Mário de Andrade - análise
Macunaíma, de Mário de Andrade - análiseMacunaíma, de Mário de Andrade - análise
Macunaíma, de Mário de Andrade - análise
 
Resumo macunaíma
Resumo   macunaímaResumo   macunaíma
Resumo macunaíma
 
Trabalho Das Drogas F.CíVica
Trabalho Das Drogas F.CíVicaTrabalho Das Drogas F.CíVica
Trabalho Das Drogas F.CíVica
 

Semelhante a Mário de andrade

Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
PATRICIA VIANA
 
Oswald de Andrade
Oswald de AndradeOswald de Andrade
Oswald de Andrade
Beatriz Damasceno
 
semana de arte moderna.pptx
semana de              arte moderna.pptxsemana de              arte moderna.pptx
semana de arte moderna.pptx
eulaliamedusp
 
A semana-da-arte-moderna
A semana-da-arte-modernaA semana-da-arte-moderna
A semana-da-arte-moderna
Mirceya Lima
 
Oswalddeandrade
OswalddeandradeOswalddeandrade
Oswalddeandrade
Gustavo Victor
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
Jornal Ovale
 
O modernismo no brasil
O modernismo no brasilO modernismo no brasil
O modernismo no brasil
Claudinei Jesus
 
A semana de arte moderna
A semana de arte modernaA semana de arte moderna
A semana de arte moderna
Over Lane
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo Desdobramentos
Modernismo DesdobramentosModernismo Desdobramentos
Modernismo Desdobramentos
ISJ
 
Modernismo
ModernismoModernismo
A
AA
Modernismo - 1ª Geração.docx
Modernismo - 1ª Geração.docxModernismo - 1ª Geração.docx
Modernismo - 1ª Geração.docx
CAMILACRISTINASILVAB
 
Modernismo – 1ª fase – de 22 a 30
Modernismo – 1ª fase – de 22 a 30Modernismo – 1ª fase – de 22 a 30
Modernismo – 1ª fase – de 22 a 30
guest276c9
 
Semana da arte moderna 1992
Semana da arte moderna 1992Semana da arte moderna 1992
Semana da arte moderna 1992
GabrielaLimaPereira
 
Modernismo primeira fase
Modernismo  primeira faseModernismo  primeira fase
Modernismo primeira fase
Gabriel Monteiro
 
Modernismo
Modernismo Modernismo
Modernismo
Ligia Mayara
 
Modernismo.
Modernismo.Modernismo.
Modernismo.
Bruna
 

Semelhante a Mário de andrade (20)

Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
 
Oswald de Andrade
Oswald de AndradeOswald de Andrade
Oswald de Andrade
 
semana de arte moderna.pptx
semana de              arte moderna.pptxsemana de              arte moderna.pptx
semana de arte moderna.pptx
 
A semana-da-arte-moderna
A semana-da-arte-modernaA semana-da-arte-moderna
A semana-da-arte-moderna
 
Oswalddeandrade
OswalddeandradeOswalddeandrade
Oswalddeandrade
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
O modernismo no brasil
O modernismo no brasilO modernismo no brasil
O modernismo no brasil
 
A semana de arte moderna
A semana de arte modernaA semana de arte moderna
A semana de arte moderna
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
 
Modernismo Desdobramentos
Modernismo DesdobramentosModernismo Desdobramentos
Modernismo Desdobramentos
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
 
A
AA
A
 
Modernismo - 1ª Geração.docx
Modernismo - 1ª Geração.docxModernismo - 1ª Geração.docx
Modernismo - 1ª Geração.docx
 
Modernismo – 1ª fase – de 22 a 30
Modernismo – 1ª fase – de 22 a 30Modernismo – 1ª fase – de 22 a 30
Modernismo – 1ª fase – de 22 a 30
 
Semana da arte moderna 1992
Semana da arte moderna 1992Semana da arte moderna 1992
Semana da arte moderna 1992
 
Modernismo primeira fase
Modernismo  primeira faseModernismo  primeira fase
Modernismo primeira fase
 
Modernismo
Modernismo Modernismo
Modernismo
 
Modernismo.
Modernismo.Modernismo.
Modernismo.
 

Último

Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 

Último (20)

Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 

Mário de andrade

  • 1. Enrico Bertolini João Felipe Gomes Matheus Franco
  • 2.   Mário de Andrade nasceu no dia 9 de Outubro de 1893 na cidade de São Paulo  O autor dedicou-se ao estudo da música, mas desistiu da profissão depois da perda do irmão mais novo em 1913.  Em 1917 teve seu primeiro contato com o modernismo em uma exposição de Anita Malfatti.  Em 1920 é apresentado ao público por Oswald de Andrade. Vida (Mário de Andrade)
  • 3.   Em 1922 Mário de Andrade participou da organização da Semana de Arte Moderna e publicou Pauliceia Desvairada, que o introduziu ao modernismo brasileiro.  Mário constituiu o grupo dos cinco, junto a Menotti del Picchia, Oswald de Andrade, Anita Malfatti e Tarsila do Amaral.  Em 1928 publicou Macunaíma - o Herói sem nenhum caráter, onde inova com audácia e rebela-se contra a mesmice das normas vigentes.  O autor morreu no dia 25 de Fevereiro de 1945 na sua casa em São Paulo, vítima de um ataque cardíaco. Vida (Cartaz de divulgação da Semana de Arte Moderna de 22. Arte de Di Cavalcanti)
  • 4.   Mário de Andrade foi pioneiro e um dos mais importantes autores modernistas brasileiros, além de músico, pesquisador do folclore brasileiro e crítico de artes.  Estilos: Poesia, prosa de ficção, crônicas e críticas.  Temas: Dentre os temas abordados por Mário os principais são o folclore brasileiro e o cotidiano. Obra (Capa do Livro Pauliceia Desvairada)
  • 5.  Poesia:  Pauliceia Desvairada;  O losango caqui;  Clã do jabuti;  Remate de males;  Poesias;  Liras paulistanas;  Prosa de ficção:  Amar, verbo intransitivo;  Macunaíma;  Os contos de Belazarte;  Contos novos; Principais Obras (Cena do filme Macunaíma, inspirado na obra de Mário de Andrade)
  • 6.   O livro de poesias, Pauliceia desvairada, foi o segundo livro de Mário de Andrade. Publicado em 1922 introduziu o autor ao movimento modernista Brasileiro.  Pauliceia desvairada significou o rompimento absoluto entre o Modernismo e as escolas literárias anteriores.  O livro faz uma análise da sociedade paulista do início do século XX, de forma irônica e áspera, de acordo com o próprio autor. Pauliceia desvairada
  • 7.  No “Prefácio interessantíssimo” de Pauliceia desvairada é podemos notar o rompimento do modernismo com as escolas anteriores pelos ideais nele defendidos. Pauliceia desvairada Leitor: Este prefácio, apesar de interessante, inútil. * Quando sinto a impulsão lírica escrevo sem pensar tudo que meu inconsciente me grita. Penso depois: não só para corrigir, como para justificar o que escrevi. Daí a razão deste Prefácio Interessantíssimo. ANDRADE, Mário de. Pauliceia desvairada.  No trecho acima podemos notar a negação às formas e padrões. O autor defende a poesia como fruto do sentimento e não da reflexão.
  • 8.   Podemos notar no livro a crítica feita a classe burguesa e o tom irônico com o qual essa crítica é construída, como no poema “Ode ao Burguês”. Pauliceia desvairada Eu insulto o burguês! O burguês-níquel, o burguês-burguês! A digestão bem-feita de São Paulo! O homem-curva! O homem-nádegas! O homem que sendo francês, brasileiro, italiano, é sempre um cauteloso pouco-a-pouco! ANDRADE, Mário de. Pauliceia desvairada.
  • 10.   http://www.releituras.com/marioandrade_bio.asp  http://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%A1rio_de_Andra de#Obra  https://www.youtube.com/watch?v=1Oih3j1TAEU  http://www.infoescola.com/livros/pauliceia- desvairada/  http://www.mac.usp.br/mac/templates/projetos/jogo/ pauliceia.asp  http://www.passeiweb.com/estudos/livros/ode_ao_bur gues  http://guiadoestudante.abril.com.br/estudar/literatura/ macunaima-analise-obra-mario-andrade-700315.shtml Referências bibliográficas