SlideShare uma empresa Scribd logo
3ª Geração
Modernista
Geração
de 45
• A prosa (Romance ou contos)
literatura intimista, de sondagem
psicológica, introspectiva, principalmente
em Clarice Lispector
A literatura introspectiva/intimista busca
fixar-se na crise do próprio indivíduo, em
sua consciência e inconsciência.
regionalismo adquire nova dimensão com
Guimarães Rosa e sua recriação dos
costumes e da fala sertaneja, penetrando
fundo na psicologia do jagunço do Brasil
central.
Guimarães
Rosa
O médico que virou
peão de palavras
Características da obra
de Guimarães Rosa
• seus textos apresenta estruturas como as rimas, aliterações,
onomatopeias, neologismo etc.
• preocupa-se mais com o conteúdo do que em como o texto é
feito;
• a linguagem confere mais força ao imaginário mágico criado
em suas "estórias’’.
• apresenta uma prosa que abandona as ações dos
personagens, para valorizar os estados mentais e as suas
reações.
• quebra-se as barreiras temporais e com isso há uma perca da
noção do tempo.
• a estrutura temporal continua com os elementos da narrativa
e ao mesmo tempo funde com a intemporalidade própria da
poesia
EXEMPLO
“Suas lágrimas corriam atrás dela, como formiguinhas
brancas”
"Nunca tivera ela amantes! Não um. Não dois. Disse-se e
dizia isso Jó Joaquim. Reportava a lenda a embustes, falsas
lérias escabrosas. Cumpria-lhe descaluniá-la, obrigava-se
por tudo. Trouxe à boca de cena do mundo, de caso raso o
que fora tão claro como água suja. Demonstrando-o,
amatemático, contrário ao público pensamento e à lógica,
desde que Aristóteles a fundou."
Conto "Desenredo"
Clarice Lispector (1925 - 1977)
• Ucraniana, veio ainda bebê para o
Brasil - por isso, sentia se
“brasileira”.
• Principal nome da prosa intimista
da moderna literatura brasileira
• sua obra retrata o
questionamento do ser, do “estar-
no-mundo”.
• A pesquisa do ser humano resulta
no romance introspectivo.
Características da obra de
Clarice Lispector
• sondagem dos mecanismos mais profundos da mente
humana (predominância de impressões, de
sensações);
• introdução da técnica do fluxo da consciência;
• suas principais personagens são mulheres, mas não se
limitam ao espaço do ambiente familiar;
• visa a atingir valores essenciais humanos e universais
tais como a falsidade das relações humanas;
• Presença de epifania (com causa banal);
• uso de metalinguagem em associação com os
processos intimistas e psicológicos, político-sociais,
filosóficos e existenciais;
• Fusão da prosa com a poesia;
Poesia
Referência: João Cabral de Melo Neto.
• Criaram uma poesia inversa ao Modernismo de
1922.
• A poesia dessa geração oscila entre o
subjetivismo e a poética experimentalista.
• A palavra é valorizada do modo como ela é
escrita com o objetivo de restabelecer o formal.
• Essa geração utilizou como tema poético as
formas de expressão política, as contradições
internas do homem e os problemas de uma
sociedade. Isso fez com que a poesia se
voltasse mais para uma sondagem psicológica.
A poesia engajada de João Cabral de Melo
Neto
Característica da poesia de
João Cabral de Melo Neto
• apresenta um tendência à objetividade e imagens surrealistas e
relativas aos sonhos nos dois primeiros livros
• aprofunda a tendência à substantivação, à economia da linguagem,
submetendo as palavras a um processo crescente de depuração,
com uso de metáforas, personificações e alegorias
• procede à geometrização do poema, aproximando a arte do Poeta
à do Engenheiro; o repúdio ao sentimentalismo e ao irracionalismo
leva-o à elaboração do poema objeto.
• questiona o próprio ato de escrever e a função da poesia;
• Preocupação política e principalmente a denúncia social do
Nordeste e sua gente: os retirantes, as tradições e o folclore
regional, a estrutura agrária canavieira, injusta e desigual.
• Aparece ainda a paisagem da Espanha, que apresenta pontos em
comum com o cenário nordestino. Mantém viva e atuante a
reflexão sobre a Arte em suas várias manifestações, como a pintura
e a literatura.
Outros poetas
• Gilberto Mendonça Teles
• Mauro Mota
• Geir Campos
• Domingos Carvalho da Silva
• Ledo Ivo
• Péricles Eugênio da Silva Ramos
ANOS 50 NO BRASIL
A industrialição e a modernização do país
A chegada da Televisão
A urbanização acelerada
A pílula anticoncepcional
O Governo JK “Cinquenta anos em cinco”
Década de 50
CONCRETISMO NO BRASIL
O concretismo é um movimento
vanguardista surgido em 1950,
primeiramente na música, passando
para a poesia e artes plásticas.
Características das artes
• Utilização tanto no suporte como na matéria prima
de materiais industrializados, produzidos em série,
como ferro, alumínio, tinta esmalte, etc.
• Baseiam-se no rigor geométrico, na matemática,
que estrutura ritmos e relações.
• Eliminam o gesto, o sinal da mão. O desenho é
preciso, feito com régua e compasso.
Terceira geração modernista
GRUPO NOIGANDRES
Em 1952, Décio Pignatari e os irmãos Augusto e
Haroldo de Campos lançaram, o grupo e a revista
“Noigandres”, por onde divulgam uma nova forma
de fazer poesias
Características
• Ênfase no raciocínio, na ciência e na racionalidade
• Uso de figuras abstratas para compor as artes plásticas
• Versos foram banidos
• Fim da poesia intimista
• Linguagem geométrica
• Fim do eu-lírico
• Aproveitamento do espaço do papel utilizado
• Valorização do conteúdo visual e sonoro
• Possível variação de leituras através de diferentes
ângulos
• Recorrência ao Futurismo e Cubismo para inspiração
Terceira geração modernista
Beba Coca-Cola
Décio Pignatary
Giro
Haroldo de Campos
TERRA
Décio Pignatary
Nasce Morre
Haroldo de Campos
NEOCONCRETISMO
Encabeçados por Ferreira Gullar e Reinaldo Jardim,
organizaram-se como neoconcretos, admitindo a
presença de elementos subjetivos na estruturação
do poema.
Aos dois poetas reuniram-se em 1959, na Exposição
de Arte Neoconcreta no MAM do Rio, os artistas
Amílcar de Castro, Franz Weissmann, Lígia Clark,
Lígia Pape e Theon Spanudis.
As principais características do
movimento neoconcreto
• Oposição ao concretismo, materialismo,
cientificismo e positivismo
• Maior subjetividade e expressividade artística
• Liberdade de experimentações e criações artísticas
• Interação do público com a obra
• Abstracionismo e uso de cores e formas
geométricas
• Transcendência da arte
• Existencialismo e Humanismo
Amilcar de Castro
Franz Weissmann
Lígia Clark
Lígia Pape
Hélio Oiticica
Aluisio Carvão
Poesia Práxis
• A Poesia-Práxis representou um movimento literário
fundado pelo crítico e poeta Mário Chamie. Essa
denominação surgiu em crítica ao movimento de
vanguarda concretista, de forma que uma dissidência de
poetas, insatisfeitos com o rigor formal e o
academicismo, resolvem romper com o concretismo ao
propor uma nova estética poética.
• As principais características da poesia práxis:
Produção de múltiplas interpretações
Rejeição ao formalismo e academicismo concretista
Maior valorização do conteúdo em detrimento da
forma
Poesia Visual e Social
Terceira geração modernista
Poema-Processo
O poema/processo nasce de condições históricas e sociais
dominantes no Brasil e no mundo da época, que criaram no país uma
linguagem revolucionaria/racional próprias das aspirações de
renovação que ocorriam, as quais exigiam a necessidade de uma
abertura nos diversos caminhos da comunicação brasileira.
• Características do Poema/processo:
• Marca para os novos poetas um novo tipo de trabalho
intersemiótico que, ou ficava fora da literatura, ou a
dimensionava para além dos limites em que ela se estava
colocando;
• Afirmar que a poesia existente nos livros rasgados não
podia servir de modelo, pois estava superada e, ainda
mais, porque a poesia é invenção e não cópia;
• Questionar o verso como único elemento de força criadora
poética, diante da realidade técnica, informacional,
científica e cultural da época;
• Assumir uma ação/significante que se apresentasse
política no contexto daqueles duros anos;
PSIU
Augusto de Campos
Anos 70: Poesia Marginal
• "Veio uns ômi de saia
preta
cheiu di caixinha e pó
branco
qui eles disserum qui
chamava açucri
Aí eles falarum e nós
fechamu a cara
depois eles arrepetirum e
nós fechamu o corpo
Aí eles insistirum e nós
comemu eles"
Chacal
"O operário não tem nada com a minha dor
Bebemos a mesma cachaça por uma
questão de gosto
ri do meu cabelo
minha cara estúpida de vagabundo
dopado de manhã no meio do trânsito
torrando o dinheirinho miúdo a tomar
cachaça
pelo que aconteceu
pelo que não aconteceu
por uma agulha gelada furando o peito“
Charles
Epopéia (Cacaso)
"O poeta mostra o pinto para a namorada
E proclama: eis o reino animal!
Pupilas fascinadas fazem jejum"
Diário de bagos
quando você se abaixa pra pegar um disco
com seu vestido curtinho
delicioso
aparece a calcinha no rego moreno da bunda
curto muito
meu olhar derrete de prazer
não há como enganar a evidência
desculpe o volume do lado esquerdo da calça sem cueca
com tesão não se trinca
antes todos entendessem e se dedicassem de corpo e
cama
obs.: meu pau esquecidamente duro
cai no amolecimento

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ppt realismo (1)
Ppt realismo (1)Ppt realismo (1)
Ppt realismo (1)
Equipemundi2014
 
Modernismo 2 fase (geração de 30)
Modernismo 2 fase (geração de 30)Modernismo 2 fase (geração de 30)
Modernismo 2 fase (geração de 30)
Josie Ubiali
 
Aula intertextualidade
Aula intertextualidadeAula intertextualidade
Aula intertextualidade
Abrahão Costa de Freitas
 
Figuras de linguagem completo
Figuras de linguagem completoFiguras de linguagem completo
Figuras de linguagem completo
CDIM Daniel
 
A geração de 45
A geração de 45A geração de 45
A geração de 45
Claudia Ribeiro
 
Classicismo
ClassicismoClassicismo
Classicismo
Ana Paula Brisolar
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
Naldinho Amorim
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
Cláudia Heloísa
 
Semântica
SemânticaSemântica
Semântica
Cláudia Heloísa
 
Pré modernismo-slides
Pré modernismo-slidesPré modernismo-slides
Pré modernismo-slides
Zenia Ferreira
 
Modernismo e suas fases
Modernismo e suas fasesModernismo e suas fases
Modernismo e suas fases
Luan Victor
 
Humanismo
HumanismoHumanismo
Modernismo em Portugal
Modernismo em PortugalModernismo em Portugal
Modernismo em Portugal
Colégio Santa Luzia
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
Adrielle Itaparica
 
Fernando pessoa
Fernando pessoaFernando pessoa
Fernando pessoa
Colégio Santa Luzia
 
O que é Literatura?
O que é Literatura?O que é Literatura?
O que é Literatura?
Faell Vasconcelos
 
Literatura Contemporânea
Literatura  ContemporâneaLiteratura  Contemporânea
Literatura Contemporânea
clemildapetrolina
 
Poesia e poema
Poesia e poemaPoesia e poema
Poesia e poema
ionasilva
 
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Narracao
NarracaoNarracao

Mais procurados (20)

Ppt realismo (1)
Ppt realismo (1)Ppt realismo (1)
Ppt realismo (1)
 
Modernismo 2 fase (geração de 30)
Modernismo 2 fase (geração de 30)Modernismo 2 fase (geração de 30)
Modernismo 2 fase (geração de 30)
 
Aula intertextualidade
Aula intertextualidadeAula intertextualidade
Aula intertextualidade
 
Figuras de linguagem completo
Figuras de linguagem completoFiguras de linguagem completo
Figuras de linguagem completo
 
A geração de 45
A geração de 45A geração de 45
A geração de 45
 
Classicismo
ClassicismoClassicismo
Classicismo
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Semântica
SemânticaSemântica
Semântica
 
Pré modernismo-slides
Pré modernismo-slidesPré modernismo-slides
Pré modernismo-slides
 
Modernismo e suas fases
Modernismo e suas fasesModernismo e suas fases
Modernismo e suas fases
 
Humanismo
HumanismoHumanismo
Humanismo
 
Modernismo em Portugal
Modernismo em PortugalModernismo em Portugal
Modernismo em Portugal
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
 
Fernando pessoa
Fernando pessoaFernando pessoa
Fernando pessoa
 
O que é Literatura?
O que é Literatura?O que é Literatura?
O que é Literatura?
 
Literatura Contemporânea
Literatura  ContemporâneaLiteratura  Contemporânea
Literatura Contemporânea
 
Poesia e poema
Poesia e poemaPoesia e poema
Poesia e poema
 
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
 
Narracao
NarracaoNarracao
Narracao
 

Semelhante a Terceira geração modernista

Realismo 2 ano
Realismo 2 anoRealismo 2 ano
Realismo 2 ano
Marilene dos Santos
 
Contextualização literária de "Os Maias"
Contextualização literária de "Os Maias"Contextualização literária de "Os Maias"
Contextualização literária de "Os Maias"
Rita Costa
 
Pré-modernismo
Pré-modernismoPré-modernismo
Pré-modernismo
Walace Cestari
 
Ideologia mais escolas literarias
Ideologia mais  escolas literariasIdeologia mais  escolas literarias
Ideologia mais escolas literarias
Uniesp
 
Pré-modernismo
Pré-modernismoPré-modernismo
Pré-modernismo
José Levy
 
Pré-Modernismo
Pré-ModernismoPré-Modernismo
Pré-Modernismo
Faell Vasconcelos
 
Estudo da Literatura, História e Arte Brasileira
Estudo da Literatura, História e Arte BrasileiraEstudo da Literatura, História e Arte Brasileira
Estudo da Literatura, História e Arte Brasileira
portunhol
 
concretismo
concretismoconcretismo
concretismo
whybells
 
Modernismo iii fase(7)
Modernismo iii fase(7)Modernismo iii fase(7)
Modernismo iii fase(7)
claudia murta
 
Brasil45_1.ppt
Brasil45_1.pptBrasil45_1.ppt
Brasil45_1.ppt
SssyArajo
 
Revisão literatura - com exercícios
Revisão literatura - com exercíciosRevisão literatura - com exercícios
Revisão literatura - com exercícios
Robson Bertoldo
 
Revisão
RevisãoRevisão
Brasil-Neomodernismo-Geracao-de-1945 (2.0).pptx
Brasil-Neomodernismo-Geracao-de-1945 (2.0).pptxBrasil-Neomodernismo-Geracao-de-1945 (2.0).pptx
Brasil-Neomodernismo-Geracao-de-1945 (2.0).pptx
Nome Sobrenome
 
Panorama do modernismo no brasil
Panorama do modernismo no brasilPanorama do modernismo no brasil
Panorama do modernismo no brasil
Cláudia Simões Mariano
 
Considerações Sobre o Início da Poesia Concreta
Considerações Sobre o Início da Poesia ConcretaConsiderações Sobre o Início da Poesia Concreta
Considerações Sobre o Início da Poesia Concreta
Icaro Amorim
 
Literatura informativa
Literatura informativaLiteratura informativa
Literatura informativa
Solrac Solrac
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Chacal e a poesia marginal
Chacal e a poesia marginalChacal e a poesia marginal
Chacal e a poesia marginal
Ricardo Riso
 
Recordações do Escrivão Isaías Caminha - 3ª A - 2011
Recordações do Escrivão Isaías Caminha - 3ª A - 2011Recordações do Escrivão Isaías Caminha - 3ª A - 2011
Recordações do Escrivão Isaías Caminha - 3ª A - 2011
Daniel Leitão
 
Ultrarromantismo uma introdução
Ultrarromantismo uma introduçãoUltrarromantismo uma introdução
Ultrarromantismo uma introdução
Samara Silva
 

Semelhante a Terceira geração modernista (20)

Realismo 2 ano
Realismo 2 anoRealismo 2 ano
Realismo 2 ano
 
Contextualização literária de "Os Maias"
Contextualização literária de "Os Maias"Contextualização literária de "Os Maias"
Contextualização literária de "Os Maias"
 
Pré-modernismo
Pré-modernismoPré-modernismo
Pré-modernismo
 
Ideologia mais escolas literarias
Ideologia mais  escolas literariasIdeologia mais  escolas literarias
Ideologia mais escolas literarias
 
Pré-modernismo
Pré-modernismoPré-modernismo
Pré-modernismo
 
Pré-Modernismo
Pré-ModernismoPré-Modernismo
Pré-Modernismo
 
Estudo da Literatura, História e Arte Brasileira
Estudo da Literatura, História e Arte BrasileiraEstudo da Literatura, História e Arte Brasileira
Estudo da Literatura, História e Arte Brasileira
 
concretismo
concretismoconcretismo
concretismo
 
Modernismo iii fase(7)
Modernismo iii fase(7)Modernismo iii fase(7)
Modernismo iii fase(7)
 
Brasil45_1.ppt
Brasil45_1.pptBrasil45_1.ppt
Brasil45_1.ppt
 
Revisão literatura - com exercícios
Revisão literatura - com exercíciosRevisão literatura - com exercícios
Revisão literatura - com exercícios
 
Revisão
RevisãoRevisão
Revisão
 
Brasil-Neomodernismo-Geracao-de-1945 (2.0).pptx
Brasil-Neomodernismo-Geracao-de-1945 (2.0).pptxBrasil-Neomodernismo-Geracao-de-1945 (2.0).pptx
Brasil-Neomodernismo-Geracao-de-1945 (2.0).pptx
 
Panorama do modernismo no brasil
Panorama do modernismo no brasilPanorama do modernismo no brasil
Panorama do modernismo no brasil
 
Considerações Sobre o Início da Poesia Concreta
Considerações Sobre o Início da Poesia ConcretaConsiderações Sobre o Início da Poesia Concreta
Considerações Sobre o Início da Poesia Concreta
 
Literatura informativa
Literatura informativaLiteratura informativa
Literatura informativa
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Chacal e a poesia marginal
Chacal e a poesia marginalChacal e a poesia marginal
Chacal e a poesia marginal
 
Recordações do Escrivão Isaías Caminha - 3ª A - 2011
Recordações do Escrivão Isaías Caminha - 3ª A - 2011Recordações do Escrivão Isaías Caminha - 3ª A - 2011
Recordações do Escrivão Isaías Caminha - 3ª A - 2011
 
Ultrarromantismo uma introdução
Ultrarromantismo uma introduçãoUltrarromantismo uma introdução
Ultrarromantismo uma introdução
 

Último

Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 

Último (20)

Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 

Terceira geração modernista

  • 2. • A prosa (Romance ou contos) literatura intimista, de sondagem psicológica, introspectiva, principalmente em Clarice Lispector A literatura introspectiva/intimista busca fixar-se na crise do próprio indivíduo, em sua consciência e inconsciência. regionalismo adquire nova dimensão com Guimarães Rosa e sua recriação dos costumes e da fala sertaneja, penetrando fundo na psicologia do jagunço do Brasil central.
  • 3. Guimarães Rosa O médico que virou peão de palavras
  • 4. Características da obra de Guimarães Rosa • seus textos apresenta estruturas como as rimas, aliterações, onomatopeias, neologismo etc. • preocupa-se mais com o conteúdo do que em como o texto é feito; • a linguagem confere mais força ao imaginário mágico criado em suas "estórias’’. • apresenta uma prosa que abandona as ações dos personagens, para valorizar os estados mentais e as suas reações. • quebra-se as barreiras temporais e com isso há uma perca da noção do tempo. • a estrutura temporal continua com os elementos da narrativa e ao mesmo tempo funde com a intemporalidade própria da poesia
  • 5. EXEMPLO “Suas lágrimas corriam atrás dela, como formiguinhas brancas” "Nunca tivera ela amantes! Não um. Não dois. Disse-se e dizia isso Jó Joaquim. Reportava a lenda a embustes, falsas lérias escabrosas. Cumpria-lhe descaluniá-la, obrigava-se por tudo. Trouxe à boca de cena do mundo, de caso raso o que fora tão claro como água suja. Demonstrando-o, amatemático, contrário ao público pensamento e à lógica, desde que Aristóteles a fundou." Conto "Desenredo"
  • 6. Clarice Lispector (1925 - 1977) • Ucraniana, veio ainda bebê para o Brasil - por isso, sentia se “brasileira”. • Principal nome da prosa intimista da moderna literatura brasileira • sua obra retrata o questionamento do ser, do “estar- no-mundo”. • A pesquisa do ser humano resulta no romance introspectivo.
  • 7. Características da obra de Clarice Lispector • sondagem dos mecanismos mais profundos da mente humana (predominância de impressões, de sensações); • introdução da técnica do fluxo da consciência; • suas principais personagens são mulheres, mas não se limitam ao espaço do ambiente familiar; • visa a atingir valores essenciais humanos e universais tais como a falsidade das relações humanas; • Presença de epifania (com causa banal); • uso de metalinguagem em associação com os processos intimistas e psicológicos, político-sociais, filosóficos e existenciais; • Fusão da prosa com a poesia;
  • 8. Poesia Referência: João Cabral de Melo Neto. • Criaram uma poesia inversa ao Modernismo de 1922. • A poesia dessa geração oscila entre o subjetivismo e a poética experimentalista. • A palavra é valorizada do modo como ela é escrita com o objetivo de restabelecer o formal. • Essa geração utilizou como tema poético as formas de expressão política, as contradições internas do homem e os problemas de uma sociedade. Isso fez com que a poesia se voltasse mais para uma sondagem psicológica.
  • 9. A poesia engajada de João Cabral de Melo Neto
  • 10. Característica da poesia de João Cabral de Melo Neto • apresenta um tendência à objetividade e imagens surrealistas e relativas aos sonhos nos dois primeiros livros • aprofunda a tendência à substantivação, à economia da linguagem, submetendo as palavras a um processo crescente de depuração, com uso de metáforas, personificações e alegorias • procede à geometrização do poema, aproximando a arte do Poeta à do Engenheiro; o repúdio ao sentimentalismo e ao irracionalismo leva-o à elaboração do poema objeto. • questiona o próprio ato de escrever e a função da poesia; • Preocupação política e principalmente a denúncia social do Nordeste e sua gente: os retirantes, as tradições e o folclore regional, a estrutura agrária canavieira, injusta e desigual. • Aparece ainda a paisagem da Espanha, que apresenta pontos em comum com o cenário nordestino. Mantém viva e atuante a reflexão sobre a Arte em suas várias manifestações, como a pintura e a literatura.
  • 11. Outros poetas • Gilberto Mendonça Teles • Mauro Mota • Geir Campos • Domingos Carvalho da Silva • Ledo Ivo • Péricles Eugênio da Silva Ramos
  • 12. ANOS 50 NO BRASIL A industrialição e a modernização do país A chegada da Televisão A urbanização acelerada A pílula anticoncepcional O Governo JK “Cinquenta anos em cinco”
  • 13. Década de 50 CONCRETISMO NO BRASIL O concretismo é um movimento vanguardista surgido em 1950, primeiramente na música, passando para a poesia e artes plásticas.
  • 14. Características das artes • Utilização tanto no suporte como na matéria prima de materiais industrializados, produzidos em série, como ferro, alumínio, tinta esmalte, etc. • Baseiam-se no rigor geométrico, na matemática, que estrutura ritmos e relações. • Eliminam o gesto, o sinal da mão. O desenho é preciso, feito com régua e compasso.
  • 16. GRUPO NOIGANDRES Em 1952, Décio Pignatari e os irmãos Augusto e Haroldo de Campos lançaram, o grupo e a revista “Noigandres”, por onde divulgam uma nova forma de fazer poesias
  • 17. Características • Ênfase no raciocínio, na ciência e na racionalidade • Uso de figuras abstratas para compor as artes plásticas • Versos foram banidos • Fim da poesia intimista • Linguagem geométrica • Fim do eu-lírico • Aproveitamento do espaço do papel utilizado • Valorização do conteúdo visual e sonoro • Possível variação de leituras através de diferentes ângulos • Recorrência ao Futurismo e Cubismo para inspiração
  • 23. NEOCONCRETISMO Encabeçados por Ferreira Gullar e Reinaldo Jardim, organizaram-se como neoconcretos, admitindo a presença de elementos subjetivos na estruturação do poema. Aos dois poetas reuniram-se em 1959, na Exposição de Arte Neoconcreta no MAM do Rio, os artistas Amílcar de Castro, Franz Weissmann, Lígia Clark, Lígia Pape e Theon Spanudis.
  • 24. As principais características do movimento neoconcreto • Oposição ao concretismo, materialismo, cientificismo e positivismo • Maior subjetividade e expressividade artística • Liberdade de experimentações e criações artísticas • Interação do público com a obra • Abstracionismo e uso de cores e formas geométricas • Transcendência da arte • Existencialismo e Humanismo
  • 25. Amilcar de Castro Franz Weissmann Lígia Clark
  • 27. Poesia Práxis • A Poesia-Práxis representou um movimento literário fundado pelo crítico e poeta Mário Chamie. Essa denominação surgiu em crítica ao movimento de vanguarda concretista, de forma que uma dissidência de poetas, insatisfeitos com o rigor formal e o academicismo, resolvem romper com o concretismo ao propor uma nova estética poética. • As principais características da poesia práxis: Produção de múltiplas interpretações Rejeição ao formalismo e academicismo concretista Maior valorização do conteúdo em detrimento da forma Poesia Visual e Social
  • 29. Poema-Processo O poema/processo nasce de condições históricas e sociais dominantes no Brasil e no mundo da época, que criaram no país uma linguagem revolucionaria/racional próprias das aspirações de renovação que ocorriam, as quais exigiam a necessidade de uma abertura nos diversos caminhos da comunicação brasileira. • Características do Poema/processo: • Marca para os novos poetas um novo tipo de trabalho intersemiótico que, ou ficava fora da literatura, ou a dimensionava para além dos limites em que ela se estava colocando; • Afirmar que a poesia existente nos livros rasgados não podia servir de modelo, pois estava superada e, ainda mais, porque a poesia é invenção e não cópia; • Questionar o verso como único elemento de força criadora poética, diante da realidade técnica, informacional, científica e cultural da época; • Assumir uma ação/significante que se apresentasse política no contexto daqueles duros anos;
  • 31. Anos 70: Poesia Marginal
  • 32. • "Veio uns ômi de saia preta cheiu di caixinha e pó branco qui eles disserum qui chamava açucri Aí eles falarum e nós fechamu a cara depois eles arrepetirum e nós fechamu o corpo Aí eles insistirum e nós comemu eles" Chacal
  • 33. "O operário não tem nada com a minha dor Bebemos a mesma cachaça por uma questão de gosto ri do meu cabelo minha cara estúpida de vagabundo dopado de manhã no meio do trânsito torrando o dinheirinho miúdo a tomar cachaça pelo que aconteceu pelo que não aconteceu por uma agulha gelada furando o peito“ Charles
  • 34. Epopéia (Cacaso) "O poeta mostra o pinto para a namorada E proclama: eis o reino animal! Pupilas fascinadas fazem jejum"
  • 35. Diário de bagos quando você se abaixa pra pegar um disco com seu vestido curtinho delicioso aparece a calcinha no rego moreno da bunda curto muito meu olhar derrete de prazer não há como enganar a evidência desculpe o volume do lado esquerdo da calça sem cueca com tesão não se trinca antes todos entendessem e se dedicassem de corpo e cama obs.: meu pau esquecidamente duro cai no amolecimento