SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 31
Baixar para ler offline
Mordomia
Cristã
Vivendo num mundo alugado
O princípio
da Mordomia
Salmos 24
1 Do Senhor é a terra e tudo o que nela
existe, o mundo e os que nele vivem;2
pois foi ele quem fundou-a sobre os mares
e firmou-a sobre as águas. (...)
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
2
Três
aplicações da
mordomia
O tempo
14.01
1
OTalento
21.01
2
OTesouro/Recurso
28.01
3
Tesouro
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
3
Que é
Mordomia?
Quando alguém ouve a palavra
mordomia logo pensa numa série de
benefícios desfrutados por políticos, altos
executivos da iniciativa privada e
funcionários públicos de alto escalão.
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
4
Que é
Mordomia?
É o ofício exercido pelo mordomo.
A palavra mordomo deriva da expressão
latina Major domus (Major ou Mor=maior
e domus= casa). Assim, o significado
original desta expressão é o principal
servo da casa.
Mordomo no grego é oikonomos
(oiko=casa e nomos=regra, lei) a
expressão significa o administrador da
casa.
Deste termo vem a palavra “economia”
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
5
Quem é o
Mordomo?
Na antiguidade o Mordomo era um
homem livre ou escravo a quem o dono
da casa confiava tudo o que possuía para
ser cuidado e desenvolvido: terras,
dinheiro, joias, esposa, filhos,
alimentação da família e administração
de suas riquezas (Gn. 39:4-6)
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
6
Quem é o
Mordomo?
A Bíblia fala acerca de Mordomos fiéis:
Eliezer, o damasceno, mordomo de Abraão
(Gn. 15:2)
José, filho de Jacó, mordomo do oficial
egípcio Potifar Gn. 39:1-6); tornado mordomo
do palácio de Faraó e governador de todo
Egito (Gn. 41:41-44)
Eunuco etíope, mordomo da rainha Candace
(At. 8:27)
Todo crente é um mordomo (Gn. 1:26-29; 1Pe
4:10; 1Co 4:1-2;Tito 1:7)
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
7
Quem é o
Mordomo?
Na Bíblia a Palavra Mordomo (da Casa; do
Palácio; do rei; dos bens), aparece também
como:
→ Administrador
→ Despenseiro
→ Encarregado
A exigência do Senhor é:
“Que o Mordomo seja achado Fiel” (1Co 4:2)
8
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
Que é
Mordomia?
Mordomia é o cuidado e a administração
daquilo que pertence a outra pessoa.
Embora falemos que as coisas são “nossas”,
a realidade é que tudo que temos e tudo
que somos pertence a outro – a Deus.
Paulo disse: “Que tens tu que não tenhas
recebido?” (1 Co 4.7).
Deus nos concedeu a vida e o tudo que há
nela, somos responsáveis por isso até que
Ele exija que lhe prestemos conta delas.
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
9
Que é
Mordomia?
A Mordomia cristã consiste em utilizar e
desenvolver o:
Tempo (e das oportunidades)
Templo (o corpo)
Talentos (e os dons)
Tesouro (o dinheiro e os bens materiais)
concedidos pelo Senhor para a glória dele.
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
10
Que é
Mordomia?
“O mordomo cristão sabe que nada
possui, que tudo pertence a Deus e
deve prestar contas.
Portanto, deve administrar tudo
que lhe foi concedido conforme a
vontade Dele, e para a Sua glória”
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
11
Que é
Mordomia?
O EVANGELHO PRODUZ MORDOMOS
Conforme declararam os apóstolos Pedro e Paulo
1 Pedro 4.10: Servi uns aos outros, cada um conforme o
dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme
graça de Deus.
1 Coríntios 4.1-2: 1 Assim, pois, importa que os homens
nos considerem como ministros de Cristo e despenseiros
dos mistérios de Deus. 2 Ora, além disso, o que se requer
dos despenseiros é que cada um deles seja encontrado fiel.
Tito 1.7: Porque é indispensável que o bispo seja
irrepreensível como despenseiro de Deus, não arrogante,
não irascível, não dado ao vinho, nem violento, nem
cobiçoso de torpe ganância;
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
12
Que é
Mordomia?
O EVANGELHO PRODUZ MORDOMOS
O crente ama ao Senhor com todo seu
coração, alma, forças e entendimento (Lc.
10.27). Por isso, sabe que não é dono de
nada, apenas mordomo daquilo que
pertence ao seu Senhor e que prestará
contas de tudo o que dEle recebeu (Mt.
25.14-29).
Assim, nosso viver deve glorificá-Lo (1 Co
10.31).
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
13
A Mordomia
do Tesouro
O HOMEM NATURAL E O DINHEIRO
A relação é geralmente centrada na
satisfação própria, confiança na sua própria
força, ansiedade e desejo de controle.
Variando de extremos entre a avareza e
consumismo, dissolução e ostentação.
O mundo secularizado prega que obter,
acumular e consumir a riqueza são os sinais
de uma vida plena e bem sucedida. (1Tm. 6.9-
10; 1Jo 2.16; o rico insensato Lc. 12:13-21)
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
14
A Mordomia
do Tesouro
O HOMEM NATURAL E O DINHEIRO
1Timóteo 6.8-10
por isso, tendo o que comer e com que vestir-nos, estejamos
com isso satisfeitos. Os que querem ficar ricos caem em
tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e
nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na
destruição, pois o amor ao dinheiro é raiz de todos os males.
Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé
e se atormentaram a si mesmas com muitos sofrimentos.
1 João 2.16
Pois tudo o que há no mundo — a cobiça da carne, a cobiça dos
olhos e a ostentação dos bens — não provém do Pai, mas do
mundo.
15
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
A Mordomia
do Tesouro
O HOMEM NATURAL E O DINHEIRO
A parábola do rico insensato
Lucas 12:16-21
“Então lhes contou esta parábola: "A terra de certo homem
rico produziu muito bem. Ele pensou consigo mesmo: ‘O que
vou fazer? Não tenho onde armazenar minha colheita’. "Então
disse: ‘Já sei o que vou fazer. Vou derrubar os meus celeiros e
construir outros maiores, e ali guardarei toda a minha safra e
todos os meus bens. E direi a mim mesmo: Você tem grande
quantidade de bens, armazenados para muitos anos. Descanse,
coma, beba e alegre-se’. "Contudo, Deus lhe disse: ‘Insensato!
Esta mesma noite a sua vida lhe será exigida. Então, quem
ficará com o que você preparou? ’ "Assim acontece com quem
guarda para si riquezas, mas não é rico para com Deus".
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
16
A Mordomia
do Tesouro
DEUS E O DINHEIRO
A bíblia mostra duas relações importantes
entre Deus e o dinheiro que devem ser
conhecidas pelos crentes.
PRIMEIRA: “toda riqueza pertence a Deus”
(Ag. 2:8)
→ Por direito de Criação: Gn. 1.1; Sl. 24.1
→ Por direito de Capacitação: Dt. 8.17-18; Sl.
127.11
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
17
A Mordomia
do Tesouro
DEUS E O DINHEIRO
SEGUNDA: “O Senhor tem propósitos para os
recursos que nos concede, ele os distribui e
determina o seu uso.
1º - suprir nossa necessidades e as da nossa
família: Mt. 6:31-32
2º - abençoar pessoas por nosso intermédio:
Sl. 10.14 e 68.5; Os. 14.3;Tg. 1.27
3º - sustentar sua obra: Ml. 3.10-11; Lc. 10.7;
1Tm. 5.18
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
18
A Mordomia
do Tesouro
CONTRIBUIR É GRAÇA DE DEUS!
Primeiro, a disposição para Contribuir é ação
do Espírito em nosso coração, pois somos
naturalmente apegados aos bens materiais.
Segundo, Contribuir é um privilégio que Deus
nos concede de abençoar pessoas por meio
dos Recursos que Ele mesmo nos deu.
Terceiro, Contribuir nos permite participar com
Ele do sustento e do cuidado do Seu povo. (2Co
8:1-5)
Paulo exorta aos demais crentes a seguirem
o exemplo dos crentes da Macedônia.
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
19
A Mordomia
do Tesouro
CONTRIBUIÇÃO PARA A OBRA
A questão do Dízimo no tempo atual
Para alguns membros das Igrejas históricas e
tradicionais tratar publicamente do tema
dízimos/ofertas soa como algo polêmico ou
no mínimo embaraçoso.
Mas porque isso acontece??
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
20
A Mordomia
do Tesouro
CONTRIBUIÇÃO PARA A OBRA
A questão do Dízimo no tempo atual
Eis, algumas das razões levantadas:
→ A adoção e propagação da teologia da
prosperidade por certas igrejas neopentecostais
→ A crença de que Cristo aboliu a Lei mosaica
desobrigado o crente de dizimar
→ Para alguns desigrejados o dízimo se tornou uma
artimanha para religiosos profissionais obterem o
sustento
→ Muitos não se sentiram financeiramente
abençoados por sua fidelidade de longa data
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
21
A Mordomia
do Tesouro
CONTRIBUIÇÃO PARA A OBRA
A questão do Dízimo no A.T.
A bíblia mostra que a instituição do dízimo
antecede à Lei de Moisés.
Abraão deu o dízimo de tudo a
Melquisedeque sacerdote do altíssimo: Gn.
14:18-20
Jacó em Betel: Gn. 28:18-22
Nos 2 casos a entrega do dízimo está
associadas ao ato de culto dos patriarcas
22
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
A Mordomia
do Tesouro
CONTRIBUIÇÃO PARA A OBRA
A questão do Dízimo no A.T.
Na Lei de Moisés o dízimo e as ofertas
passam a ser contribuições periódicas.
Levítico – 27:30-34
Números – 18:21-32
Deuteronômio – 12:1-14; 14:22-29
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
23
A Mordomia
do Tesouro
CONTRIBUIÇÃO PARA A OBRA
A questão do Dízimo no A.T.
Levítico, Números e Deuteronômio ensinam
4 pontos sobre o dízimo:
1ª => Entregar o dízimo de que?
2ª => Entregar o dízimo a quem?
3ª => Onde entregar o dízimo?
4ª => Quando entregar o dízimo?
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
24
A Mordomia
do Tesouro
CONTRIBUIÇÃO PARA A OBRA
A questão do Dízimo no A.T.
O profeta Malaquias declarou:
I – Quem deixar de entregar o dízimo rouba
a Deus (Ml. 3:8), e quebra o 8º
mandamento.
II – Deus pune o infiel com maldição (Ml. 3:9)
III – E derrama bençãos sobre o fiel, e além
disso, repreende ao devorador (Ml. 3:10-11)
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
25
A Mordomia
do Tesouro
CONTRIBUIÇÃO PARA A OBRA
A questão do Dízimo no A.T.
O profeta Malaquias declarou (Ml. 3:8-12):
Roubará o homem a Deus? Todavia, vós me roubais e dizeis: Em
que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas. Com maldição sois
amaldiçoados, porque a mim me roubais, vós, a nação toda.
Trazei todos os dízimos à casa do Tesouro, para que haja
mantimento na minha casa; e provai-me nisto, diz o SENHOR
dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não
derramar sobre vós bênção sem medida. Por vossa causa,
repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da
terra; a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos
Exércitos. (...)
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
26
A Mordomia
do Tesouro
CONTRIBUIÇÃO PARA A OBRA
A questão do Dízimo no N.T.
Vimos que no A. T. que o dízimo era
entendido como parte do culto e da adoração
que deviam serem prestados ao Senhor.
Então, para nós, cristãos do século 21, o
sistema de contribuição bíblico (dízimos e
ofertas) continuam válidos?
Se sim, possuem caráter legal e normativo?
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
27
A Mordomia
do Tesouro
CONTRIBUIÇÃO PARA A OBRA
A questão do Dízimo no N.T.
Examinando as Escrituras constatamos:
1. A prática do dízimo teve início antes da Lei
mosaica.
2. Os primeiros cristãos praticavam o dízimo.
3. Existe similaridade de propósito do dízimo na
igreja e no A.T.
4. Há diversas referências ao dizimo no N.T.
5. Verificamos que se trata de Graça,
ao invés de Lei.
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
28
A Mordomia
do Tesouro
JESUS ADVERTIU AOS DISCÍPULOS
“22 (...) não se preocupem com suas próprias vidas,
quanto ao que comer; nem com seus próprios corpos,
quanto ao que vestir.
23 A vida é mais importante do que a comida, e o
corpo, mais do que as roupas
31 Busquem, pois, o Reino de Deus, e essas coisas
lhes serão acrescentadas.
34 Pois onde estiver o seu tesouro, ali também estará
o seu coração".
Lucas 12:22-34 – Mateus 6:25-34
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
29
A Mordomia
do Tesouro
OS BENS MATERIAIS EM PROVÉRBIOS
3.9-10: Honre o Senhor com todos os seus recursos
e com os primeiros frutos de todas as suas
plantações; os seus celeiros ficarão plenamente
cheios, e os seus barris transbordarão de vinho.
19.17: Quem trata bem os pobres empresta ao
Senhor, e ele o recompensará.
22.9: Quem é generoso será abençoado, pois
reparte o seu pão com o pobre.
29.14: Se o rei julga os pobres com justiça, seu
trono estará sempre seguro.
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
30
O que a bíblia fala sobre dinheiro. Augustus
Nicodemus. 1 ed. - São Paulo: Mundo cristão, 2021.
"mordomia", in Dicionário Priberam da Língua
Portuguesa 2008-2024.
mor·do·mi·a - substantivo feminino. 1. Cargo ou
ofício de mordomo. 2. Regalia ou privilégio obtido
sem trabalho ou sem esforço.
https://dicionario.priberam.org/mordomia.
As referências ao texto bíblico são da Nova Versão
Internacional (NVI).
Referências
Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
31

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]
Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]
Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]
TH
 
Lição 6 – frutos da maturidade cristã
Lição 6 – frutos da maturidade cristãLição 6 – frutos da maturidade cristã
Lição 6 – frutos da maturidade cristã
Joanilson França Garcia
 

Mais procurados (20)

[Palestra] Educação Financeira e Orçamento Familiar - Igreja Batista Memorial...
[Palestra] Educação Financeira e Orçamento Familiar - Igreja Batista Memorial...[Palestra] Educação Financeira e Orçamento Familiar - Igreja Batista Memorial...
[Palestra] Educação Financeira e Orçamento Familiar - Igreja Batista Memorial...
 
Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]
Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]
Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]
 
Esperando a volta de jesus
Esperando a volta de jesusEsperando a volta de jesus
Esperando a volta de jesus
 
HERESIOLOGIA (AULA 04 - BÁSICO - IBADEP)
HERESIOLOGIA (AULA 04 - BÁSICO - IBADEP)HERESIOLOGIA (AULA 04 - BÁSICO - IBADEP)
HERESIOLOGIA (AULA 04 - BÁSICO - IBADEP)
 
EPÍSTOLAS DE PEDRO
EPÍSTOLAS DE PEDROEPÍSTOLAS DE PEDRO
EPÍSTOLAS DE PEDRO
 
Compromisso com Deus
Compromisso com DeusCompromisso com Deus
Compromisso com Deus
 
Disciplina de Arqueologia Bíblica
Disciplina de Arqueologia BíblicaDisciplina de Arqueologia Bíblica
Disciplina de Arqueologia Bíblica
 
Lição 10 - As manifestações do espírito santo
Lição 10 - As manifestações do espírito santoLição 10 - As manifestações do espírito santo
Lição 10 - As manifestações do espírito santo
 
Doutrina da mordomia cristã
Doutrina da mordomia cristãDoutrina da mordomia cristã
Doutrina da mordomia cristã
 
HERESIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
HERESIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)HERESIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
HERESIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
 
Discipulado um-a-um crescimento com qualidade
Discipulado um-a-um crescimento com qualidadeDiscipulado um-a-um crescimento com qualidade
Discipulado um-a-um crescimento com qualidade
 
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de CristoLição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
 
Lição 6 – frutos da maturidade cristã
Lição 6 – frutos da maturidade cristãLição 6 – frutos da maturidade cristã
Lição 6 – frutos da maturidade cristã
 
Salvação I
Salvação ISalvação I
Salvação I
 
Doutrina do homem
Doutrina do homemDoutrina do homem
Doutrina do homem
 
Treinamento obreiros e auxiliares
Treinamento obreiros e auxiliaresTreinamento obreiros e auxiliares
Treinamento obreiros e auxiliares
 
Carta aos Hebreus
Carta aos HebreusCarta aos Hebreus
Carta aos Hebreus
 
Lição 2 - O Propósito dos Dons Espirituais
Lição 2 - O Propósito dos Dons EspirituaisLição 2 - O Propósito dos Dons Espirituais
Lição 2 - O Propósito dos Dons Espirituais
 
EBD - A importância da Escola Bíblica Dominical
EBD - A importância da Escola Bíblica DominicalEBD - A importância da Escola Bíblica Dominical
EBD - A importância da Escola Bíblica Dominical
 
Santidade
SantidadeSantidade
Santidade
 

Semelhante a Mordomia Cristã do Tesouro

A multiforme sabedoria de Deus
A multiforme sabedoria de DeusA multiforme sabedoria de Deus
A multiforme sabedoria de Deus
Moisés Sampaio
 
A verdadeira fé não faz acepção de pessoas
A verdadeira fé não faz acepção de pessoasA verdadeira fé não faz acepção de pessoas
A verdadeira fé não faz acepção de pessoas
Moisés Sampaio
 
2° trimestre 2015 lição 10
2° trimestre 2015   lição 102° trimestre 2015   lição 10
2° trimestre 2015 lição 10
ebdadultos
 
23235300 evangelico-dizimos-e-ofertas-para-analisar (1)
23235300 evangelico-dizimos-e-ofertas-para-analisar (1)23235300 evangelico-dizimos-e-ofertas-para-analisar (1)
23235300 evangelico-dizimos-e-ofertas-para-analisar (1)
Carlos Almeida
 

Semelhante a Mordomia Cristã do Tesouro (20)

A multiforme sabedoria de Deus
A multiforme sabedoria de DeusA multiforme sabedoria de Deus
A multiforme sabedoria de Deus
 
A verdadeira fé não faz acepção de pessoas
A verdadeira fé não faz acepção de pessoasA verdadeira fé não faz acepção de pessoas
A verdadeira fé não faz acepção de pessoas
 
2° trimestre 2015 lição 10
2° trimestre 2015   lição 102° trimestre 2015   lição 10
2° trimestre 2015 lição 10
 
2° trimestre 2015 lição 10
2° trimestre 2015   lição 102° trimestre 2015   lição 10
2° trimestre 2015 lição 10
 
2° Trimestre 2015 - Lição 10
2° Trimestre 2015 - Lição 102° Trimestre 2015 - Lição 10
2° Trimestre 2015 - Lição 10
 
LBJ LIÇÃO 10 - A MANIFESTAÇÃO DO ANTICRISTO E O DIA DO SENHOR
LBJ LIÇÃO 10 - A MANIFESTAÇÃO DO ANTICRISTO E O DIA DO SENHORLBJ LIÇÃO 10 - A MANIFESTAÇÃO DO ANTICRISTO E O DIA DO SENHOR
LBJ LIÇÃO 10 - A MANIFESTAÇÃO DO ANTICRISTO E O DIA DO SENHOR
 
2° Trimestre 2015 Lição 10 Adultos
2° Trimestre 2015 Lição 10 Adultos2° Trimestre 2015 Lição 10 Adultos
2° Trimestre 2015 Lição 10 Adultos
 
Teologia econômica financeira
Teologia econômica financeira Teologia econômica financeira
Teologia econômica financeira
 
Lição 11 - Alerta Contra os Falsos Mestres e Suas Heresias
Lição 11 - Alerta Contra os Falsos Mestres e Suas HeresiasLição 11 - Alerta Contra os Falsos Mestres e Suas Heresias
Lição 11 - Alerta Contra os Falsos Mestres e Suas Heresias
 
Slide licao 5 3 t - 2019 - a mordomia da igreja local
Slide licao 5 3 t - 2019 - a mordomia da igreja localSlide licao 5 3 t - 2019 - a mordomia da igreja local
Slide licao 5 3 t - 2019 - a mordomia da igreja local
 
Lição 2 – Nem pobreza e nem riqueza, mas o necessário
Lição 2 – Nem pobreza e nem riqueza, mas o necessárioLição 2 – Nem pobreza e nem riqueza, mas o necessário
Lição 2 – Nem pobreza e nem riqueza, mas o necessário
 
Lição 7 - A Mordomia dos Dízimos e Ofertas
Lição 7 - A Mordomia dos Dízimos e OfertasLição 7 - A Mordomia dos Dízimos e Ofertas
Lição 7 - A Mordomia dos Dízimos e Ofertas
 
Pae ppt lição 12 a bênção de ofertarmos com sinceridade
Pae ppt lição 12 a bênção de ofertarmos com sinceridadePae ppt lição 12 a bênção de ofertarmos com sinceridade
Pae ppt lição 12 a bênção de ofertarmos com sinceridade
 
Lição 10 - Ética Cristã e Vida Financeira
Lição 10 - Ética Cristã e Vida FinanceiraLição 10 - Ética Cristã e Vida Financeira
Lição 10 - Ética Cristã e Vida Financeira
 
Slide licao 1 3 t - 2019 - cpad
Slide licao 1   3 t - 2019 - cpadSlide licao 1   3 t - 2019 - cpad
Slide licao 1 3 t - 2019 - cpad
 
Lição 10 - Ética Cristã e Vida Financeira
Lição 10 - Ética Cristã e Vida FinanceiraLição 10 - Ética Cristã e Vida Financeira
Lição 10 - Ética Cristã e Vida Financeira
 
Lição 12 - AS EPÍSTOLAS INSTRUEM E FORMAM O CRISTÃO.ppt
Lição 12 - AS EPÍSTOLAS INSTRUEM E FORMAM O CRISTÃO.pptLição 12 - AS EPÍSTOLAS INSTRUEM E FORMAM O CRISTÃO.ppt
Lição 12 - AS EPÍSTOLAS INSTRUEM E FORMAM O CRISTÃO.ppt
 
Reino de deus
Reino de deusReino de deus
Reino de deus
 
10 1 e 2 tessalonicenses.pptx
10  1 e 2 tessalonicenses.pptx10  1 e 2 tessalonicenses.pptx
10 1 e 2 tessalonicenses.pptx
 
23235300 evangelico-dizimos-e-ofertas-para-analisar (1)
23235300 evangelico-dizimos-e-ofertas-para-analisar (1)23235300 evangelico-dizimos-e-ofertas-para-analisar (1)
23235300 evangelico-dizimos-e-ofertas-para-analisar (1)
 

Mais de Secretaria de Estado da Tributação do RN

AUDITORIA FISCAL: UMA APLICAÇÃO DA LEI DE NEWCOMB-BENFORD ÀS SÉRIES DE RECOLH...
AUDITORIA FISCAL: UMA APLICAÇÃO DA LEI DE NEWCOMB-BENFORD ÀS SÉRIES DE RECOLH...AUDITORIA FISCAL: UMA APLICAÇÃO DA LEI DE NEWCOMB-BENFORD ÀS SÉRIES DE RECOLH...
AUDITORIA FISCAL: UMA APLICAÇÃO DA LEI DE NEWCOMB-BENFORD ÀS SÉRIES DE RECOLH...
Secretaria de Estado da Tributação do RN
 

Mais de Secretaria de Estado da Tributação do RN (20)

Curso de Teologia Reformada - Módulo IV -Escatologia_O MilÊnio de Apocalipse
Curso de Teologia Reformada - Módulo IV -Escatologia_O MilÊnio de ApocalipseCurso de Teologia Reformada - Módulo IV -Escatologia_O MilÊnio de Apocalipse
Curso de Teologia Reformada - Módulo IV -Escatologia_O MilÊnio de Apocalipse
 
UMA BREVE REFLEXÃO SOBRE MORDOMIA.pdf
UMA BREVE REFLEXÃO SOBRE MORDOMIA.pdfUMA BREVE REFLEXÃO SOBRE MORDOMIA.pdf
UMA BREVE REFLEXÃO SOBRE MORDOMIA.pdf
 
Interpretando Narrativas biblicas_texto revisado.pdf
Interpretando Narrativas biblicas_texto revisado.pdfInterpretando Narrativas biblicas_texto revisado.pdf
Interpretando Narrativas biblicas_texto revisado.pdf
 
Apocalipse 7 - A Igreja Selada - Texto da aula.pdf
Apocalipse 7 - A Igreja Selada - Texto da aula.pdfApocalipse 7 - A Igreja Selada - Texto da aula.pdf
Apocalipse 7 - A Igreja Selada - Texto da aula.pdf
 
Teologia do Pacto
Teologia do PactoTeologia do Pacto
Teologia do Pacto
 
Como ler e interpretar as narrativas bíblicas.
Como ler e interpretar as narrativas bíblicas.Como ler e interpretar as narrativas bíblicas.
Como ler e interpretar as narrativas bíblicas.
 
AUDITORIA FISCAL: UMA APLICAÇÃO DA LEI DE NEWCOMB-BENFORD ÀS SÉRIES DE RECOLH...
AUDITORIA FISCAL: UMA APLICAÇÃO DA LEI DE NEWCOMB-BENFORD ÀS SÉRIES DE RECOLH...AUDITORIA FISCAL: UMA APLICAÇÃO DA LEI DE NEWCOMB-BENFORD ÀS SÉRIES DE RECOLH...
AUDITORIA FISCAL: UMA APLICAÇÃO DA LEI DE NEWCOMB-BENFORD ÀS SÉRIES DE RECOLH...
 
Palestra educação financeira - Preparação para a Aposentação
Palestra educação financeira - Preparação para a  Aposentação Palestra educação financeira - Preparação para a  Aposentação
Palestra educação financeira - Preparação para a Aposentação
 
Slides da apresentação: Tributação do ICMS na atividade das Cooperativas
Slides da apresentação:   Tributação do ICMS na atividade das CooperativasSlides da apresentação:   Tributação do ICMS na atividade das Cooperativas
Slides da apresentação: Tributação do ICMS na atividade das Cooperativas
 
Introdução às Finanças Pessoais ]
Introdução às Finanças Pessoais ]Introdução às Finanças Pessoais ]
Introdução às Finanças Pessoais ]
 
Educação fiscal e evolução do índice de participação dos municípios
Educação fiscal e evolução do índice de participação dos municípiosEducação fiscal e evolução do índice de participação dos municípios
Educação fiscal e evolução do índice de participação dos municípios
 
Aula 20 - 13. O Parecer de Auditoria
Aula 20 - 13. O Parecer de AuditoriaAula 20 - 13. O Parecer de Auditoria
Aula 20 - 13. O Parecer de Auditoria
 
Aula 19 - 13. Relatórios de Auditoria
Aula 19 - 13. Relatórios de AuditoriaAula 19 - 13. Relatórios de Auditoria
Aula 19 - 13. Relatórios de Auditoria
 
Aula 18 - 12 Programas de Auditoria
Aula 18 - 12 Programas de AuditoriaAula 18 - 12 Programas de Auditoria
Aula 18 - 12 Programas de Auditoria
 
Aula 17 - 11. Papéis de Trabalho
Aula 17 - 11. Papéis de TrabalhoAula 17 - 11. Papéis de Trabalho
Aula 17 - 11. Papéis de Trabalho
 
Aula 16 - 10 Planejamento da Auditoria de demonstrações contábeis
Aula 16 - 10  Planejamento da Auditoria de demonstrações contábeisAula 16 - 10  Planejamento da Auditoria de demonstrações contábeis
Aula 16 - 10 Planejamento da Auditoria de demonstrações contábeis
 
Aulas 15 - 9 Normas de Auditoria - Estrutura Conceitual de Trabalhosde Asseg...
Aulas 15 -  9 Normas de Auditoria - Estrutura Conceitual de Trabalhosde Asseg...Aulas 15 -  9 Normas de Auditoria - Estrutura Conceitual de Trabalhosde Asseg...
Aulas 15 - 9 Normas de Auditoria - Estrutura Conceitual de Trabalhosde Asseg...
 
Aula 14 - 9 Normas de Auditoria
Aula 14 - 9 Normas de AuditoriaAula 14 - 9 Normas de Auditoria
Aula 14 - 9 Normas de Auditoria
 
Aulas 11, 12 e 13 - 8 testes de superavaliação e de subavaliação e demonstraç...
Aulas 11, 12 e 13 - 8 testes de superavaliação e de subavaliação e demonstraç...Aulas 11, 12 e 13 - 8 testes de superavaliação e de subavaliação e demonstraç...
Aulas 11, 12 e 13 - 8 testes de superavaliação e de subavaliação e demonstraç...
 
Aulas 9 e 10 - 7 Fundamentos de Auditoria
Aulas 9 e 10 - 7 Fundamentos de AuditoriaAulas 9 e 10 - 7 Fundamentos de Auditoria
Aulas 9 e 10 - 7 Fundamentos de Auditoria
 

Último

Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
StelaWilbert
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
MilyFonceca
 

Último (14)

Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - ApresentaçãoCurso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 

Mordomia Cristã do Tesouro

  • 2. O princípio da Mordomia Salmos 24 1 Do Senhor é a terra e tudo o que nela existe, o mundo e os que nele vivem;2 pois foi ele quem fundou-a sobre os mares e firmou-a sobre as águas. (...) Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 2
  • 3. Três aplicações da mordomia O tempo 14.01 1 OTalento 21.01 2 OTesouro/Recurso 28.01 3 Tesouro Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 3
  • 4. Que é Mordomia? Quando alguém ouve a palavra mordomia logo pensa numa série de benefícios desfrutados por políticos, altos executivos da iniciativa privada e funcionários públicos de alto escalão. Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 4
  • 5. Que é Mordomia? É o ofício exercido pelo mordomo. A palavra mordomo deriva da expressão latina Major domus (Major ou Mor=maior e domus= casa). Assim, o significado original desta expressão é o principal servo da casa. Mordomo no grego é oikonomos (oiko=casa e nomos=regra, lei) a expressão significa o administrador da casa. Deste termo vem a palavra “economia” Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 5
  • 6. Quem é o Mordomo? Na antiguidade o Mordomo era um homem livre ou escravo a quem o dono da casa confiava tudo o que possuía para ser cuidado e desenvolvido: terras, dinheiro, joias, esposa, filhos, alimentação da família e administração de suas riquezas (Gn. 39:4-6) Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 6
  • 7. Quem é o Mordomo? A Bíblia fala acerca de Mordomos fiéis: Eliezer, o damasceno, mordomo de Abraão (Gn. 15:2) José, filho de Jacó, mordomo do oficial egípcio Potifar Gn. 39:1-6); tornado mordomo do palácio de Faraó e governador de todo Egito (Gn. 41:41-44) Eunuco etíope, mordomo da rainha Candace (At. 8:27) Todo crente é um mordomo (Gn. 1:26-29; 1Pe 4:10; 1Co 4:1-2;Tito 1:7) Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 7
  • 8. Quem é o Mordomo? Na Bíblia a Palavra Mordomo (da Casa; do Palácio; do rei; dos bens), aparece também como: → Administrador → Despenseiro → Encarregado A exigência do Senhor é: “Que o Mordomo seja achado Fiel” (1Co 4:2) 8 Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
  • 9. Que é Mordomia? Mordomia é o cuidado e a administração daquilo que pertence a outra pessoa. Embora falemos que as coisas são “nossas”, a realidade é que tudo que temos e tudo que somos pertence a outro – a Deus. Paulo disse: “Que tens tu que não tenhas recebido?” (1 Co 4.7). Deus nos concedeu a vida e o tudo que há nela, somos responsáveis por isso até que Ele exija que lhe prestemos conta delas. Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 9
  • 10. Que é Mordomia? A Mordomia cristã consiste em utilizar e desenvolver o: Tempo (e das oportunidades) Templo (o corpo) Talentos (e os dons) Tesouro (o dinheiro e os bens materiais) concedidos pelo Senhor para a glória dele. Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 10
  • 11. Que é Mordomia? “O mordomo cristão sabe que nada possui, que tudo pertence a Deus e deve prestar contas. Portanto, deve administrar tudo que lhe foi concedido conforme a vontade Dele, e para a Sua glória” Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 11
  • 12. Que é Mordomia? O EVANGELHO PRODUZ MORDOMOS Conforme declararam os apóstolos Pedro e Paulo 1 Pedro 4.10: Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus. 1 Coríntios 4.1-2: 1 Assim, pois, importa que os homens nos considerem como ministros de Cristo e despenseiros dos mistérios de Deus. 2 Ora, além disso, o que se requer dos despenseiros é que cada um deles seja encontrado fiel. Tito 1.7: Porque é indispensável que o bispo seja irrepreensível como despenseiro de Deus, não arrogante, não irascível, não dado ao vinho, nem violento, nem cobiçoso de torpe ganância; Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 12
  • 13. Que é Mordomia? O EVANGELHO PRODUZ MORDOMOS O crente ama ao Senhor com todo seu coração, alma, forças e entendimento (Lc. 10.27). Por isso, sabe que não é dono de nada, apenas mordomo daquilo que pertence ao seu Senhor e que prestará contas de tudo o que dEle recebeu (Mt. 25.14-29). Assim, nosso viver deve glorificá-Lo (1 Co 10.31). Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 13
  • 14. A Mordomia do Tesouro O HOMEM NATURAL E O DINHEIRO A relação é geralmente centrada na satisfação própria, confiança na sua própria força, ansiedade e desejo de controle. Variando de extremos entre a avareza e consumismo, dissolução e ostentação. O mundo secularizado prega que obter, acumular e consumir a riqueza são os sinais de uma vida plena e bem sucedida. (1Tm. 6.9- 10; 1Jo 2.16; o rico insensato Lc. 12:13-21) Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 14
  • 15. A Mordomia do Tesouro O HOMEM NATURAL E O DINHEIRO 1Timóteo 6.8-10 por isso, tendo o que comer e com que vestir-nos, estejamos com isso satisfeitos. Os que querem ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição, pois o amor ao dinheiro é raiz de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram a si mesmas com muitos sofrimentos. 1 João 2.16 Pois tudo o que há no mundo — a cobiça da carne, a cobiça dos olhos e a ostentação dos bens — não provém do Pai, mas do mundo. 15 Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
  • 16. A Mordomia do Tesouro O HOMEM NATURAL E O DINHEIRO A parábola do rico insensato Lucas 12:16-21 “Então lhes contou esta parábola: "A terra de certo homem rico produziu muito bem. Ele pensou consigo mesmo: ‘O que vou fazer? Não tenho onde armazenar minha colheita’. "Então disse: ‘Já sei o que vou fazer. Vou derrubar os meus celeiros e construir outros maiores, e ali guardarei toda a minha safra e todos os meus bens. E direi a mim mesmo: Você tem grande quantidade de bens, armazenados para muitos anos. Descanse, coma, beba e alegre-se’. "Contudo, Deus lhe disse: ‘Insensato! Esta mesma noite a sua vida lhe será exigida. Então, quem ficará com o que você preparou? ’ "Assim acontece com quem guarda para si riquezas, mas não é rico para com Deus". Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 16
  • 17. A Mordomia do Tesouro DEUS E O DINHEIRO A bíblia mostra duas relações importantes entre Deus e o dinheiro que devem ser conhecidas pelos crentes. PRIMEIRA: “toda riqueza pertence a Deus” (Ag. 2:8) → Por direito de Criação: Gn. 1.1; Sl. 24.1 → Por direito de Capacitação: Dt. 8.17-18; Sl. 127.11 Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 17
  • 18. A Mordomia do Tesouro DEUS E O DINHEIRO SEGUNDA: “O Senhor tem propósitos para os recursos que nos concede, ele os distribui e determina o seu uso. 1º - suprir nossa necessidades e as da nossa família: Mt. 6:31-32 2º - abençoar pessoas por nosso intermédio: Sl. 10.14 e 68.5; Os. 14.3;Tg. 1.27 3º - sustentar sua obra: Ml. 3.10-11; Lc. 10.7; 1Tm. 5.18 Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 18
  • 19. A Mordomia do Tesouro CONTRIBUIR É GRAÇA DE DEUS! Primeiro, a disposição para Contribuir é ação do Espírito em nosso coração, pois somos naturalmente apegados aos bens materiais. Segundo, Contribuir é um privilégio que Deus nos concede de abençoar pessoas por meio dos Recursos que Ele mesmo nos deu. Terceiro, Contribuir nos permite participar com Ele do sustento e do cuidado do Seu povo. (2Co 8:1-5) Paulo exorta aos demais crentes a seguirem o exemplo dos crentes da Macedônia. Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 19
  • 20. A Mordomia do Tesouro CONTRIBUIÇÃO PARA A OBRA A questão do Dízimo no tempo atual Para alguns membros das Igrejas históricas e tradicionais tratar publicamente do tema dízimos/ofertas soa como algo polêmico ou no mínimo embaraçoso. Mas porque isso acontece?? Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 20
  • 21. A Mordomia do Tesouro CONTRIBUIÇÃO PARA A OBRA A questão do Dízimo no tempo atual Eis, algumas das razões levantadas: → A adoção e propagação da teologia da prosperidade por certas igrejas neopentecostais → A crença de que Cristo aboliu a Lei mosaica desobrigado o crente de dizimar → Para alguns desigrejados o dízimo se tornou uma artimanha para religiosos profissionais obterem o sustento → Muitos não se sentiram financeiramente abençoados por sua fidelidade de longa data Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 21
  • 22. A Mordomia do Tesouro CONTRIBUIÇÃO PARA A OBRA A questão do Dízimo no A.T. A bíblia mostra que a instituição do dízimo antecede à Lei de Moisés. Abraão deu o dízimo de tudo a Melquisedeque sacerdote do altíssimo: Gn. 14:18-20 Jacó em Betel: Gn. 28:18-22 Nos 2 casos a entrega do dízimo está associadas ao ato de culto dos patriarcas 22 Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos
  • 23. A Mordomia do Tesouro CONTRIBUIÇÃO PARA A OBRA A questão do Dízimo no A.T. Na Lei de Moisés o dízimo e as ofertas passam a ser contribuições periódicas. Levítico – 27:30-34 Números – 18:21-32 Deuteronômio – 12:1-14; 14:22-29 Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 23
  • 24. A Mordomia do Tesouro CONTRIBUIÇÃO PARA A OBRA A questão do Dízimo no A.T. Levítico, Números e Deuteronômio ensinam 4 pontos sobre o dízimo: 1ª => Entregar o dízimo de que? 2ª => Entregar o dízimo a quem? 3ª => Onde entregar o dízimo? 4ª => Quando entregar o dízimo? Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 24
  • 25. A Mordomia do Tesouro CONTRIBUIÇÃO PARA A OBRA A questão do Dízimo no A.T. O profeta Malaquias declarou: I – Quem deixar de entregar o dízimo rouba a Deus (Ml. 3:8), e quebra o 8º mandamento. II – Deus pune o infiel com maldição (Ml. 3:9) III – E derrama bençãos sobre o fiel, e além disso, repreende ao devorador (Ml. 3:10-11) Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 25
  • 26. A Mordomia do Tesouro CONTRIBUIÇÃO PARA A OBRA A questão do Dízimo no A.T. O profeta Malaquias declarou (Ml. 3:8-12): Roubará o homem a Deus? Todavia, vós me roubais e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas. Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, vós, a nação toda. Trazei todos os dízimos à casa do Tesouro, para que haja mantimento na minha casa; e provai-me nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós bênção sem medida. Por vossa causa, repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da terra; a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos. (...) Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 26
  • 27. A Mordomia do Tesouro CONTRIBUIÇÃO PARA A OBRA A questão do Dízimo no N.T. Vimos que no A. T. que o dízimo era entendido como parte do culto e da adoração que deviam serem prestados ao Senhor. Então, para nós, cristãos do século 21, o sistema de contribuição bíblico (dízimos e ofertas) continuam válidos? Se sim, possuem caráter legal e normativo? Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 27
  • 28. A Mordomia do Tesouro CONTRIBUIÇÃO PARA A OBRA A questão do Dízimo no N.T. Examinando as Escrituras constatamos: 1. A prática do dízimo teve início antes da Lei mosaica. 2. Os primeiros cristãos praticavam o dízimo. 3. Existe similaridade de propósito do dízimo na igreja e no A.T. 4. Há diversas referências ao dizimo no N.T. 5. Verificamos que se trata de Graça, ao invés de Lei. Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 28
  • 29. A Mordomia do Tesouro JESUS ADVERTIU AOS DISCÍPULOS “22 (...) não se preocupem com suas próprias vidas, quanto ao que comer; nem com seus próprios corpos, quanto ao que vestir. 23 A vida é mais importante do que a comida, e o corpo, mais do que as roupas 31 Busquem, pois, o Reino de Deus, e essas coisas lhes serão acrescentadas. 34 Pois onde estiver o seu tesouro, ali também estará o seu coração". Lucas 12:22-34 – Mateus 6:25-34 Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 29
  • 30. A Mordomia do Tesouro OS BENS MATERIAIS EM PROVÉRBIOS 3.9-10: Honre o Senhor com todos os seus recursos e com os primeiros frutos de todas as suas plantações; os seus celeiros ficarão plenamente cheios, e os seus barris transbordarão de vinho. 19.17: Quem trata bem os pobres empresta ao Senhor, e ele o recompensará. 22.9: Quem é generoso será abençoado, pois reparte o seu pão com o pobre. 29.14: Se o rei julga os pobres com justiça, seu trono estará sempre seguro. Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 30
  • 31. O que a bíblia fala sobre dinheiro. Augustus Nicodemus. 1 ed. - São Paulo: Mundo cristão, 2021. "mordomia", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa 2008-2024. mor·do·mi·a - substantivo feminino. 1. Cargo ou ofício de mordomo. 2. Regalia ou privilégio obtido sem trabalho ou sem esforço. https://dicionario.priberam.org/mordomia. As referências ao texto bíblico são da Nova Versão Internacional (NVI). Referências Escola Bíblica Dominical da Igreja Presbiteriana de Natal, jan/2024. Presbítero Saulo Campos 31