SlideShare uma empresa Scribd logo
MIC- Metodologias de Investigação Científica


             Aulas de Metodologias de Investigação Científica


             http://paginas.fe.up.pt/~eol/PRODEI/mic0708.htm


        1. Uma Visão sobre Teorias acerca do desenvolvimento e
               da caracterização da Investigação Científica


                         Eugénio Oliveira- 2007/2008




Eugénio Oliveira- 2007    MIC- Metodologias de Investigação Científica




               Questionar a Investigação Científica
 • Características básicas:
     • Acumulativa versus reformuladora desde os princípios


•Mas:
        •Thomas Kuhn
         (Harvard, Berkley, Princeton, MIT até 91. +96)
        “The Structure of Scientific Revolutions” 1962.

                   • Descobre o papel na Investigação Científica (IC) do
                   desenvolvimento de novos paradigmas definidos
                   como:
                       “descobertas científicas universalmente
                       reconhecidas que durante um certo tempo
                       apresentam um modelo para problemas e
                       soluções a uma comunidade de práticos e
                       experimentalistas”
Eugénio Oliveira- 2007    MIC- Metodologias de Investigação Científica
Questionar a Investigação Científica

     • Paradigmas suportam teorias a partir de conceitos, fenómenos e
     técnicas para ajudar a explicar novos factos ou informações.

• A ciência progride por rupturas sucessivas dependendo dos
paradigmas aceites.

 Paradigmas correspondem a “diferentes olhares” sobre a realidade
influenciados por outros aspectos que não os científicos:
Wittgenstein e o pato-??????…




         L.Wittgenstein “Tractatus Logico-Philosophicus


Eugénio Oliveira- 2007   MIC- Metodologias de Investigação Científica




               Questionar a Investigação Científica

  • A interpretação científica é afectada por aspectos Sociais e até
  Psicológicos.

  • Irracionalidade e Ciência. Contestado em:
        • Kuhn, T.S.
         “Black-Body Theory and the Quantum Discontinuity”, 1987.

  Mas : Mudança de Paradigma à Ciência não cumulativa


  • Exemplos de rupturas que levaram a mudanças de paradigma:

      • A visão de Ptolomeu alterada pela visão de Copérnico
      sobre o sistema Solar;
      • A passagem da Física Newtoneana às Físicas Quânticas
      (incerteza, determinismo…) e Relativistas (Espaço-Tempo).


Eugénio Oliveira- 2007   MIC- Metodologias de Investigação Científica
Questionar a Investigação Científica


    • Karl Popper (London S. E., + 94)

         • “The Logic of Scientific Discover”, Basic Books, 1959 (1ªEd Ing)

         • Conjecture and Refutations, Harper & Row, 1968

         • Idealista desenvolve o método científico como uma epistmologia
           (uma maneira de conhecer) independente de uma valoração

    • T. Khun e Feyerabend (1993) criticaram este ponto de vista,
       mostrando como a ciência é guiada pelo valor, não sendo de todo
       idealista




Eugénio Oliveira- 2007   MIC- Metodologias de Investigação Científica




               Questionar a Investigação Científica

  • Proposta do “Racionalismo Crítico” à defesa da “falseabilidade”
  como um critério da demarcação entre a ciência e a não-ciência,



• Popper argumentou que a teoria científica será sempre conjectural
e provisória.

Não é possível confirmar a veracidade de uma teoria pela simples
constatação de que os resultados de uma previsão efectuada com
base naquela teoria se verificaram.

Essa teoria deverá gozar apenas do estatuto de uma teoria não (ou
ainda não) contrariada pelos factos.



Eugénio Oliveira- 2007   MIC- Metodologias de Investigação Científica
Questionar a Investigação Científica

• Crítica ao Verificacionismo:
• Generalização: casos particulares corroboram
asserções universais

A observação X, sendo uma instância da Teoria T
aumenta a probabilidade da correcção da Teoria T
• O “paradoxo do Corvo Preto”:
• O “paradoxo do Corvo Preto” por Hempel:
                "Todos corvos são pretos" é logicamente equivalente a
                 "Tudo que não é preto não é corvo".
                        ∀x(Cx ? Px) = ∀ x(¬Px ? ¬Cx)
• Assim, se ∃ x(Cx ∧ Px) corrobora ∀ x(Cx? Px),
                então ∃ x(¬Px ∧ ¬Cx) corrobora ∀ x(¬Px? ¬Cx) que,
                sendo aquivalente a ∀ x(Cx? Px),
                esta seria corroborada também.


Eugénio Oliveira- 2007   MIC- Metodologias de Investigação Científica




               Questionar a Investigação Científica

• Crítica ao Verificacionismo:
• Generalização: casos particulares corroboram
asserções universais


  • “Existem maçãs (não-corvos) não-pretas”
  corrobora que “Todos os corvos são pretos”

  • Se o verificacionismo (generalização) fosse
  aceitável, qualquer evidência banal podia
  estar a sustentar uma Teoria
  Há várias tentativas de resolução do paradoxo.
  A “falsificabilidade” proposta por KP propõe
  que mantendo a proposição existencial permite
  saber que se existir outra proposição existencial contrária, tal falsifica
  a Teoria T !!

Eugénio Oliveira- 2007   MIC- Metodologias de Investigação Científica
Investigação Científica


  • Características básicas:

       • Envolve Metodologia(s) e Técnicas de Investigação

    • A- Metodologia inclui o estudo dos vários métodos aplicáveis
      ou seja, os processos de conduzir cada projecto de investigação
      específico

    • B- Técnicas referem os meios, as ferramentas específicas,
      as abordagens que permitem a aquisição de informações
      relevantes, a respectiva análise (dos dados) assim como
      Inferências sub-sequentes a realizar




Eugénio Oliveira- 2007   MIC- Metodologias de Investigação Científica




              Dimensões do Método de Investigação


  • A- Metodologias
  • dependendo da MOTIVAÇÃO:

           • ‘Investigação Pura’:
                • Contribuindo para a compreensão teórica e formulação mais
                abstracta de fenómenos
         • ‘Investigação Instrumentalista’:
               • Contribuindo para tornar mais efectiva a intervenção humana
               em ambientes do mundo real.

             • Identificam-se duas sub-categorias:
                        • ‘Investigação Aplicada’
                        • ‘Investigação Orientada-ao-Problema’




Eugénio Oliveira- 2007   MIC- Metodologias de Investigação Científica
Dimensões do Método de Investigação


 • ‘Investigação Aplicada’.
      • Partindo de uma Tecnologia (aparelhos, técnicas, ambas as coisas)
      usando-a em processos (físicos, organizacionais, sociais, pessoais,...)




    • ‘Investigação Orientada-ao-Problema’.
             • Começando pelo enunciado do problema e procurando as
               técnicas adequadas para o resolver.




Eugénio Oliveira- 2007       MIC- Metodologias de Investigação Científica




              Dimensões do Método de Investigação


 • dependendo da Teoria na base da Investigação:

   • ‘Descritiva’, dos aspectos significativos dos domínios

   • ‘Explicativa’, do comportamento dos fenómenos

   • ‘Preditiva’ do futuro

   • ‘Prescritiva’, indo além da predição pode prescrever e aplicar normas e
                   processos em determinadas circunstâncias específicas

        (A investigação em SI deve ser deste tipo)




Eugénio Oliveira- 2007       MIC- Metodologias de Investigação Científica
Dimensões do Método de Investigação


 • dependendo da tradição numa dada área ou Domínio do conhecimento:


          i) ‘Investigação Científica tradicional’ que é mais quantitativa

          ii) ‘Investigação Interpretativa’ que é mais qualitativa

          iii) ‘Investigação orientada pela Engenharia’




     • A Investigação nas disciplinas de SI em geral e as
     Actividades de Interacção Electrónica AIE
     (NE ou CE, e-Gov., e-Learn., …) em particular?



Eugénio Oliveira- 2007   MIC- Metodologias de Investigação Científica




                   Investigação Científica tradicional


   • A Investigação científica tradicional é baseada no pensamento racional
    positivista:

       • Das observações constroem-se Teorias que tentam explicar o que é
         observado.

       • As Teorias são expressas na forma Dedutiva por Axiomas e
         Postulados operados pela Lógica.

       • Teorias Científicas, segundo K. Popper, são capazes de gerar
       inferências que são, em princípio, refutáveis por referência ao
       mundo real.

       • O resultado de testar as hipóteses realimenta a Teoria, verificando-a
       ou detectando eventuais “anomalias” (T.Kuhn).


Eugénio Oliveira- 2007   MIC- Metodologias de Investigação Científica
Investigação Científica tradicional



• Se a observação é do mundo real ela é dita empírica e torna-se relevante
 em duas situações:

    • durante a formação do próprio corpo teórico através de observações
      passivas

    • durante a verificação de hipóteses, recolhendo informação de forma
      activa e guiada pela própria teoria.




Eugénio Oliveira- 2007   MIC- Metodologias de Investigação Científica




                 Investigação Científica tradicional


  • Quando não existe teoria disponível, faz-se ‘investigação exploratória’
  onde os estudos são abertos, não guiados pela teoria, fornecendo um
  Conhecimento empírico que podem postular teorias.



     • SI e AIE são disciplinas sem uma Teoria construída.
     • São disciplinas aplicadas usando uma teoria parcial ou,
     co-optando uma teoria de “ disciplinas de referência” como a dos:

         • “Comportamentos das Organizações”,
         • “Ciência da Gestão”,
         • “Ciência da Computação”.




Eugénio Oliveira- 2007   MIC- Metodologias de Investigação Científica
Investigação Científica tradicional
          3
                 Teoria de
                 Disciplinas
                 de
                 Referência


                    2           Teoria
                                   Axiomas
                                   Postulados                 4                  7
                                Lógica Dedutiva




                                                                                                       Simulação
                                                                   Projecto de          6
                                                                   Investigação
                                                  Hipóteses

                                                                             5
    1    Mundo Real


    1- Existe um Mundo real que nós percebemos
    2- Organiza-se Conhecimento em Teorias permitindo Inferências
    3- Disciplinas Aplicadas, como SI e AIE, baseiam-se em Teorias de Referência de
    outras Disciplinas
    4- Projecto de Investigação para testar Hipóteses formais formuladas através de inferências expressas da Teoria
    5- Em Investigação Empírica as Hipóteses derivadas da Teoria são testadas directamente no Mundo real
    6- Teste das Hipóteses por Simulação
    7- Os resultados da Investigação realimentam a Teoria


Eugénio Oliveira- 2007             MIC- Metodologias de Investigação Científica




                        Investigação Científica tradicional


   • Em resumo: Na Ciência tradicional (ou convencional) extraem-se novas
   hipóteses da teoria existente, testam-se e juntam-se os resultados à teoria.




   •Pressupõe portanto a existência de:
       • Um corpo teórico
       • Um enquadramento teórico explícito para guiar a investigação
       • Definição das questões a investigar
       • Hipóteses explícitas que possam ser refutáveis
       • Método de investigação aplicada e técnicas bem definidas para
       testar as hipóteses.




Eugénio Oliveira- 2007             MIC- Metodologias de Investigação Científica
Abordagem Interpretativa à Investigação



  • Método (filosofia) Interpretativista:


      • pós -positivista,
      • critica a “quimera” científica (convencional)
      • declara impossível a observação objectiva,
      • observação e interpretação dependentes do Observador.
      • crítica endereçada quer às “Ciências duras” quer às Sociais,

      • As dificuldades de objectividade são:




Eugénio Oliveira- 2007    MIC- Metodologias de Investigação Científica




            Abordagem Interpretativa à Investigação


• Intangibilidade de alguns factores e relações

• Envolvimento do investigador no domínio da investigação

• Resultados dependentes da perspectiva do investigador:
                  - Na selecção e definição do domínio
                 - Selecção da teoria existente
                 - Definição das questões a investigar
                 - Enquadramento da investigação (âmbito)
                 - Selecção, definição das variáveis
                 - Medida dos valores dessas variáveis


• Atitudes diferentes quanto a estes pontos levam a múltiplas interpretações
  do mesmo fenómeno.



Eugénio Oliveira- 2007    MIC- Metodologias de Investigação Científica
Abordagem à Investigação pela Engenharia


• Nesta abordagem à investigação é bastante importante a tecnologia
(artefactos, técnicas usadas)


         • É o mais apropriado para a investigação em
           Sistemas de Informação e AIE

         • A investigação em SI é aplicada ou orientada-ao-problema.
         • Implica:
                                - a aplicação de tecnologia,
                                - conceptualização: requisitos, modelos
                                - prototipagem,
                                - construção
                                - demonstração da tecnologia
                                - uma fase de avaliação




Eugénio Oliveira- 2007     MIC- Metodologias de Investigação Científica




                           Técnicas para a Investigação


      B- Técnicas

 I.      Técnicas não empíricas

 II.    Técnicas de investigação científica positivista

 III. Técnicas de investigação interpretativista

 IV. Técnicas de investigação na fronteira positivista/interpretativista

 V.     Técnicas de investigação baseadas na Engenharia




Eugénio Oliveira- 2007     MIC- Metodologias de Investigação Científica
Técnicas para a Investigação

 I.   Técnicas não empíricas

      •   dados criados artificialmente, ou
      •   em pensamentos conceptuais sobre abstracções


      •   Incluem:
          •    Conceptualização baseada em especulações e opiniões.
               ( análise argumentativa e dialética)
          •    Demonstração de teoremas:
               •    aplicação de métodos formais,
               •    induções,
               •    abstracções matemáticas
          •    Verificação de Modelos
          •    Simulação:
               •    modelo formal simplificado de um ambiente complexo.



Eugénio Oliveira- 2007   MIC- Metodologias de Investigação Científica




                         Técnicas para a Investigação




      •   Outras técnicas de investigação não empíricas :
          •  sobre cenários hipotéticos futuros
          •  sobre cenários formatados em Jogos
          •  ...

      •   Revisões do Estado-da-Arte e Meta-análise sobre ele




Eugénio Oliveira- 2007   MIC- Metodologias de Investigação Científica
Técnicas para a Investigação

 II.          Técnicas de Investigação Científica positivista
                 (aplicáveis nos Sistemas de Informação e AIE):

                  •     Técnicas de previsão aplicando
                        •  algoritmos de regressão e
                        •  séries temporais extrapolando a partir de dados passados


                  •     Experiências de Campo:
                        •   Isolar ou controlar, no mundo real, um conjunto determinado
                           de fenómenos e factores para estudo

                  •     Experiências Laboratoriais:
                        •   Criação de um ambiente artificial onde se isolam e controlam
                            determinados fenómenos, factores e variáveis.




Eugénio Oliveira- 2007               MIC- Metodologias de Investigação Científica




                                    Técnicas para a Investigação


   III.           Técnicas de Investigação Interpretativista:


          •           Investigação Descritiva/Interpretativista:
                      Parte-se da observação empírica para uma análise de rigor limitado.
                      Controlo da perspectiva do investigador:
                               - Exame crítico
                               - Revisão de preconceitos e princípios de base
                               - Variação das observações
                               - Revisão crítica pelos pares


              •        Investigação realizada em grupo :
                       •        discussão frequente com o grupo ou com quem é
                                “afectado” pela técnica
                       •   Uso de ferramentas para Trabalho colaborativo



Eugénio Oliveira- 2007               MIC- Metodologias de Investigação Científica
Técnicas para a Investigação


       •      Pesquisa pela Acção:

              - investigador - “Agente” altera as condições existentes
                para estudar a reacção.

       •      Outros Métodos das Ciências Sociais (Etnografia...)




           Em http://www.qual.auckland.ac.nz/ Michael Myers Ed. Ass.Inf.Sys.
           advoga-se a investigação qualitativa para os SI.

           Estudos -de-Caso é o processo mais vulgar para I&D bem SI



Eugénio Oliveira- 2007     MIC- Metodologias de Investigação Científica




                          Técnicas para a Investigação



      IV. Técnicas de fronteira Científicas/Interpretativas.
          Incluem:

              - Trabalho de Campo:       Observação directa pelo investigador
                                         do objecto de estudo no seu contexto
                                         original

              - - Baseado em Questionários: Colecção dos dados a partir de
                                           entrevistas e questionários
                                           estruturados

              - Estudos de Caso: Envolve a colecção de dados detalhados,
                                 a partir de múltiplas fontes, sobre um
                                 fenómeno específico e bem definido do
                                  mundo real.


Eugénio Oliveira- 2007     MIC- Metodologias de Investigação Científica
Técnicas para a Investigação



   •    Investigação Secundária:

        •    Análise de documentos (textos, artigos, descrições)
             já pré-existentes e reexamina-os à luz de novas teorias
             ou processos.




Eugénio Oliveira- 2007   MIC- Metodologias de Investigação Científica




                         Técnicas para a Investigação


 v. Técnicas de Investigação baseadas na Engenharia
 (“Ciências da Computação”, Engenharia dos Sistemas Informáticos...)

   •    dividem-se em duas categorias:

        1- Técnica da Construção:
             •   Incluem a Concepção, projecto, realização
                 (ou prototipagem) de um artefacto/sistema
                 (ex:Sistema de programas de computador, ou aparelho físico)

                             - objectivo:
                                       -- explicitamente testar uma hipótese ou
                                       -- resolver um problema.
                             - implica:
                                       -- existência de teoria ou modelo
                                          explicativo dos resultados a testar


Eugénio Oliveira- 2007   MIC- Metodologias de Investigação Científica
Técnicas para a Investigação




             •    Técnica da Desconstrução:

                 •    Analisar um sistema ou conjunto de métodos revelando
                      nova informação sobre o que está a ser analisado.

                      - Tal informação e características podem depois ser
                        de novo utilizadas de forma eventualmente diversa




Eugénio Oliveira- 2007      MIC- Metodologias de Investigação Científica




                         Filosofias de base da Investigação


  •      Há filosofias permitindo classificar os Métodos de Investigação
         Paradigmas ou epistemologia de base :

  I.     Positivista
  II.    Interpretativa (pós-positivista)
  III.   Crítica
  IV.    (Construtivismo)



  Na Harvard Business School usa-se a classificação em três categorias




Eugénio Oliveira- 2007      MIC- Metodologias de Investigação Científica
Filosofias de base da Investigação




•       Método positivista:

        •           Assume que a realidade é objectivamente dada, pode ser descrita
                    e medida pelo observador e seus instrumentos.
                    usam -se testes e tenta-se a previsibilidade dos fenómenos no futuro



                •     Investigação nos SI poderá ser positivista (Orlikowski and Baroudi,
                       1995)
                      - Se se usar formalismos e variáveis quantificáveis e mensuráveis,
                      - Hipótese a testar e fazer inferências a partir do conhecido




Eugénio Oliveira- 2007             MIC- Metodologias de Investigação Científica




                               Filosofias de base da Investigação


    •       Método Interpretativista

            •        Assume que o acesso à realidade só é possível através
                     construções sociais como a linguagem, consciência e ontologias
                     (partilha de significados).
            •        Filosofia baseada na hermeneutica (compreensão humana e
                     interpretação de textos) e na fenomenologia (descrever,
                     compreender e interpretar os fenómenos percepcionados).
                     Propõe a extinção da separação entre "sujeito" e "objecto",
                     opondo-se ao pensamento positivista do século XIX.


    •       Em que medida o estudo dos SI influenciam ou são influenciados pelo
            contexto?

    •       O foco não é tanto nas variáveis e processos mas na interpretação dada
            ao que é medido ou testado ou realizado


Eugénio Oliveira- 2007             MIC- Metodologias de Investigação Científica
Filosofias de base da Investigação



    •   Investigação Crítica:

        •       É mais radical pois tenta identificar o que constrange a investigação:
                •    socialmente, culturalmente,
                •    historicamente, politicamente,
                •    economicamente, fisicamente
                e tenta emancipar a ciência, eliminando as causas da ignorância,
                alienação etc...

                Ex: Porque não é possível investigar sobre X?
                Ex; Porque não é desejável realizar sistemas do tipo Y?

         Habermas da Escola de Frankfurt na senda de Adorno, Lukacs, Marcuse




Eugénio Oliveira- 2007          MIC- Metodologias de Investigação Científica




                                Qualidade da Investigação


•       Qualidade depende dos Objectivos a atingir
        •  Acrescentar Conhecimento (abstracto) disponível
           •    Objectivo e Critério de Qualidade internos à disciplina
           •    Rigor é muito crítico




            •    Desenvolvimento de Sistemas (informáticos) – (Instrumentalismo)
                 •  Objectivos e Critérios externos (à própria I&D)
                 •  Relevância medida pelo impacto é mais importante

            •    Relevância Versus Rigor não antagonismo mas diferente ênfase




Eugénio Oliveira- 2007          MIC- Metodologias de Investigação Científica
Qualidade da Investigação




    •    Tendência na Informática:

         •    Até anos 80 à domínio de artigos conceptuais (não empíricos)
         •    Depois dos anos 80 à artigos menos teóricos, mais instanciados
              menos acumulativos
        •    Investigação baseada em Estudos-de-Caso, é descritiva de
             instâncias simples e tem pouca relevância científica

        •    Investigação Empírica é dominada pelas aproximações
              descritivas

        •    Modelos com capacidades explicativas limitadas e com pouco
             valor preditivo.




Eugénio Oliveira- 2007   MIC- Metodologias de Investigação Científica




                         Qualidade da Investigação



   •    Investigação em (EI e) Sistema Informáticos para “ AIE” em particular
        i.e.:
        •     Serviços, Plataformas e Ambientes integrativos de capacidades
        Electrónicas para a automatização da inter-operabilidade entre
        Organizações (empresas…)
         dentro delas e na sua apresentação à Sociedade (ao mercado)

        •    Incluem serviços de apoio:

             •    à logística, à contratação, à produção, às encomendas e
                  vendas (à comercialização em geral)

             •    à reorganização e reconfiguração




Eugénio Oliveira- 2007   MIC- Metodologias de Investigação Científica
Qualidade da Investigação



  •       Requisitos para a Investigação em EI e SI ( AIE)

          •       Escolha de um Método de Investigação apropriado:



                      •      Método Científico tradicional, “interpretativista” ou baseado
                             na Engenharia


                  •        Explicitação de um Corpo Teórico que, em alguns casos, vem
                           de outras disciplinas (ex: C. das Organizações, Estatística,
                           C. da Computação, ...)

                       •     Extensão da Teoria e Inferência de predições testáveis
                             (pelo menos no caso da Investigação tradicional)



Eugénio Oliveira- 2007              MIC- Metodologias de Investigação Científica




                                    Qualidade da Investigação


      •       Características da Investigação em EI e SI (AIE)

              •       Reflectir o E-d-A. Provar que se avança no Conhecimento
              •       Combinação de Técnicas para que as fraquezas de uma
                      sejam colmatadas pelas virtudes de outras

                  •        Reflectir os fenómenos em estudo e a natureza do domínio
                           •   Dados validados
                           •   Analisados estatisticamente
                           •   Extracção de relacionamentos entre varáveis
                  •        Praticável de acordo com os recursos
                  •        Relevância dos resultados (para as Organizações a montante
                           e jusante, sociedade...)
                  •        Publicável
                  •        Ambiciosa (na teoria e na prática)



Eugénio Oliveira- 2007              MIC- Metodologias de Investigação Científica
Qualidade da Investigação



      •       Características da Investigação em EI e SI (AIE)

              •           A fase de Investigação pode ter como objectivo:
                          •   Construção de Teorias
                          •   Teste de Teorias
                          •   Extensão de uma Teoria


                      •    O Objectivo prático da Investigação pode incluir:
                           •  Explorar um domínio definido
                           •  Descrever um domínio
                           •  Explicar um domínio
                           •  Fazer Previsões sobre um domínio
                           •  (Testar hipóteses formalizadas)




Eugénio Oliveira- 2007             MIC- Metodologias de Investigação Científica




                                    Qualidade da Investigação

  •       Outras características:

          •       Quanto aos dados :
                  •  Extensos
                  •  Representativos
                  •  Qual a validade
                  •  Granularidade:
                     •    Simples, agregados
                     •    de grupos, de organizações, de cadeias, de redes,
                     •    de segmentos ou sectores (industriais), da sociedade


                  •       Horizonte temporal:
                          •   “Foto” do domínio num instante temporal
                          •   Estudo de uma “secção de corte”
                          •   “Secção longitudinal” (múltiplos pontos no tempo)

                  •       Métodos de colecção e análise dos Dados: quantificação...

Eugénio Oliveira- 2007             MIC- Metodologias de Investigação Científica
Desafios da Investigação em EI e SI (AIE)

     •       Desafios:
             •  Existe pouca teoria. Há alguma sobre os S. de I.
                em Organizações
             •  Fenómenos instáveis:
                •    Dados de envelhecimento rápido, “secções de corte”
                     alteram-se. Período de validade
                •    Organizações em movimento

             •     Variações culturais significativas:
                   •   Diferentes culturas nacionais, ritmos diferentes

             •     O acto de Investigar (interacção, questionários, estruturação,
                   demonstrações) influencia o domínio

             •     Pressão para publicar contemporaneamente com a investigação




Eugénio Oliveira- 2007        MIC- Metodologias de Investigação Científica




                        Desafios da Investigação em EI e SI (AIE)

             •      Instância da Tecnologia de AIE:

             •      Prototipagem sem fundamento teórico ou população alvo
                    bem definida
             •      Teorias económicas aplicadas a Estruturas (hierarquias,
                    redes) ainda não consolidadas. Mercados Electrónicos
                    ainda muito instáveis

         •       Impacto da automatização e racionalização:
                 •   Depende de cortes longitudinais no tempo
                 •   Depende dos participantes directos que são afectados
                 •   Depende da inclusão dos investigadores no objecto de estudo

         •       Adopção da nova tecnologia pode ser demorada no tempo
         •       Impacto nos outros parceiros (quer em B2C ou B2B)




Eugénio Oliveira- 2007        MIC- Metodologias de Investigação Científica
Desafios da Investigação em SI (AIE)

          •    Conclusões sobre Investigação em EI e SI (AIE):
               •  Considerar o balanço Rigor Versus Relevância
               •  Identificar os desafios antes de iniciar a Investigação
               •  Clareza acerca das convenções relativas à investigação
                  a efectuar
               •  Seleccionar um sub-domínio significativo
               •  Definir as questões a responder pela investigação
               •  Seleccionar o Método de Investigação e Técnicas
                  (possivelmente uma combinação delas) e justifique.



              Sendo a aproximação instrumentalista a seleccionada, há que
              assegurar qualidade externa, validação externa e rigor
              suficiente, assim como:
              Relevância




Eugénio Oliveira- 2007   MIC- Metodologias de Investigação Científica

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Redação Científica
Redação CientíficaRedação Científica
Redação Científica
Solange Santana
 
Tipos de-pesquisa
Tipos de-pesquisaTipos de-pesquisa
Tipos de-pesquisa
David Daniel Abacar
 
Práticas de Recursos Humanos - Aulas 1 e 2
Práticas de Recursos Humanos - Aulas 1 e 2Práticas de Recursos Humanos - Aulas 1 e 2
Práticas de Recursos Humanos - Aulas 1 e 2
Wandick Rocha de Aquino
 
Aula 1 metodologia científica
Aula 1   metodologia científicaAula 1   metodologia científica
Aula 1 metodologia científica
Ludmila Moura
 
Aula de metodologia, monografia e tcc
Aula de metodologia, monografia e tccAula de metodologia, monografia e tcc
Aula de metodologia, monografia e tcc
Cursos Profissionalizantes
 
Slides do Exame de Qualificação
Slides do Exame de QualificaçãoSlides do Exame de Qualificação
Slides do Exame de Qualificação
Dennys Leite Maia
 
Metodologia Científica
Metodologia CientíficaMetodologia Científica
Metodologia Científica
CEPPAD/UFPR
 
Pesquisa cientifica i projeto de atuação
Pesquisa cientifica i projeto de atuaçãoPesquisa cientifica i projeto de atuação
Pesquisa cientifica i projeto de atuação
Mara Salvucci
 
Da orientação à apresentação do tcc
Da orientação à apresentação do tccDa orientação à apresentação do tcc
Da orientação à apresentação do tcc
profguilhermeterra
 
Metodologia cientifica
Metodologia cientificaMetodologia cientifica
Metodologia cientifica
jaddy xavier
 
Projeto de Pesquisa - Profa. Rilva Muñoz
Projeto de Pesquisa - Profa. Rilva MuñozProjeto de Pesquisa - Profa. Rilva Muñoz
Projeto de Pesquisa - Profa. Rilva Muñoz
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Modelos de Pesquisa Científica de Abordagem Quantitativa
Modelos de Pesquisa Científica de Abordagem QuantitativaModelos de Pesquisa Científica de Abordagem Quantitativa
Modelos de Pesquisa Científica de Abordagem Quantitativa
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica
Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica   Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica
Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica
jessicalaryl
 
ApresentaçãO Tcc Fernanda Ribeiro
ApresentaçãO Tcc Fernanda RibeiroApresentaçãO Tcc Fernanda Ribeiro
ApresentaçãO Tcc Fernanda Ribeiro
Fernanda Ribeiro
 
Aula 06 - Busca em Base de Dados
Aula 06 - Busca em Base de DadosAula 06 - Busca em Base de Dados
Aula 06 - Busca em Base de Dados
Ghiordanno Bruno
 
Revisão bibliográfica
Revisão bibliográficaRevisão bibliográfica
Etapas da Pesquisa Científica
Etapas da Pesquisa CientíficaEtapas da Pesquisa Científica
Etapas da Pesquisa Científica
Cassio Meira Jr.
 
Tipos de revisão bibliográfica
Tipos de revisão bibliográficaTipos de revisão bibliográfica
Tipos de revisão bibliográfica
Ricardo Alexandre
 
Elaboração do projeto de pesquisa
Elaboração do projeto de pesquisaElaboração do projeto de pesquisa
Elaboração do projeto de pesquisa
Sandra Pereira
 
Tipos de pesquisa
Tipos de pesquisaTipos de pesquisa
Tipos de pesquisa
lilianpinheiro2015
 

Mais procurados (20)

Redação Científica
Redação CientíficaRedação Científica
Redação Científica
 
Tipos de-pesquisa
Tipos de-pesquisaTipos de-pesquisa
Tipos de-pesquisa
 
Práticas de Recursos Humanos - Aulas 1 e 2
Práticas de Recursos Humanos - Aulas 1 e 2Práticas de Recursos Humanos - Aulas 1 e 2
Práticas de Recursos Humanos - Aulas 1 e 2
 
Aula 1 metodologia científica
Aula 1   metodologia científicaAula 1   metodologia científica
Aula 1 metodologia científica
 
Aula de metodologia, monografia e tcc
Aula de metodologia, monografia e tccAula de metodologia, monografia e tcc
Aula de metodologia, monografia e tcc
 
Slides do Exame de Qualificação
Slides do Exame de QualificaçãoSlides do Exame de Qualificação
Slides do Exame de Qualificação
 
Metodologia Científica
Metodologia CientíficaMetodologia Científica
Metodologia Científica
 
Pesquisa cientifica i projeto de atuação
Pesquisa cientifica i projeto de atuaçãoPesquisa cientifica i projeto de atuação
Pesquisa cientifica i projeto de atuação
 
Da orientação à apresentação do tcc
Da orientação à apresentação do tccDa orientação à apresentação do tcc
Da orientação à apresentação do tcc
 
Metodologia cientifica
Metodologia cientificaMetodologia cientifica
Metodologia cientifica
 
Projeto de Pesquisa - Profa. Rilva Muñoz
Projeto de Pesquisa - Profa. Rilva MuñozProjeto de Pesquisa - Profa. Rilva Muñoz
Projeto de Pesquisa - Profa. Rilva Muñoz
 
Modelos de Pesquisa Científica de Abordagem Quantitativa
Modelos de Pesquisa Científica de Abordagem QuantitativaModelos de Pesquisa Científica de Abordagem Quantitativa
Modelos de Pesquisa Científica de Abordagem Quantitativa
 
Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica
Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica   Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica
Introdução à Metodologia da Pesquisa Científica
 
ApresentaçãO Tcc Fernanda Ribeiro
ApresentaçãO Tcc Fernanda RibeiroApresentaçãO Tcc Fernanda Ribeiro
ApresentaçãO Tcc Fernanda Ribeiro
 
Aula 06 - Busca em Base de Dados
Aula 06 - Busca em Base de DadosAula 06 - Busca em Base de Dados
Aula 06 - Busca em Base de Dados
 
Revisão bibliográfica
Revisão bibliográficaRevisão bibliográfica
Revisão bibliográfica
 
Etapas da Pesquisa Científica
Etapas da Pesquisa CientíficaEtapas da Pesquisa Científica
Etapas da Pesquisa Científica
 
Tipos de revisão bibliográfica
Tipos de revisão bibliográficaTipos de revisão bibliográfica
Tipos de revisão bibliográfica
 
Elaboração do projeto de pesquisa
Elaboração do projeto de pesquisaElaboração do projeto de pesquisa
Elaboração do projeto de pesquisa
 
Tipos de pesquisa
Tipos de pesquisaTipos de pesquisa
Tipos de pesquisa
 

Semelhante a Metodologia de Investigação Científica

TCC- Capacitação de Treinamento Físico Militar
TCC- Capacitação de Treinamento Físico MilitarTCC- Capacitação de Treinamento Físico Militar
TCC- Capacitação de Treinamento Físico Militar
Hudson Junior
 
Apresentação metodologia científica
Apresentação metodologia científicaApresentação metodologia científica
Apresentação metodologia científica
Cintia Nogueira de Carvalho
 
Filosofia 2
Filosofia 2Filosofia 2
Filosofia 2
Zeffy
 
Abordagens de pesquisas e métodos de ensino
Abordagens de pesquisas e métodos de ensinoAbordagens de pesquisas e métodos de ensino
Abordagens de pesquisas e métodos de ensino
Saulo Seiffert
 
1 slides.pdf
1 slides.pdf1 slides.pdf
1 slides.pdf
BrandoneLeeOficial
 
Bases da investigação científica
Bases da investigação científicaBases da investigação científica
Bases da investigação científica
Esther Botelho Soares
 
Concurso Professor Cariri Pesquisa
Concurso Professor Cariri   PesquisaConcurso Professor Cariri   Pesquisa
Concurso Professor Cariri Pesquisa
Jonathas Carvalho
 
Apresentação metodologia da pesquisa
Apresentação   metodologia da pesquisaApresentação   metodologia da pesquisa
Apresentação metodologia da pesquisa
Faculdade Metropolitanas Unidas - FMU
 
Introdução à Metodologia Da Pesquisa Ii
Introdução à Metodologia Da Pesquisa IiIntrodução à Metodologia Da Pesquisa Ii
Introdução à Metodologia Da Pesquisa Ii
Universidade Federal do Oeste Pará
 
Apresentação metodologia da pesquisa
Apresentação   metodologia da pesquisaApresentação   metodologia da pesquisa
Apresentação metodologia da pesquisa
Faculdade Metropolitanas Unidas - FMU
 
DIFERENTES FORMAS CONHECIMENTO CIENTIFICO.pdf
DIFERENTES FORMAS CONHECIMENTO CIENTIFICO.pdfDIFERENTES FORMAS CONHECIMENTO CIENTIFICO.pdf
DIFERENTES FORMAS CONHECIMENTO CIENTIFICO.pdf
AteliAryPersonalizad
 
apresentao-metodologiadapesquisa-161126010107_1.pptx
apresentao-metodologiadapesquisa-161126010107_1.pptxapresentao-metodologiadapesquisa-161126010107_1.pptx
apresentao-metodologiadapesquisa-161126010107_1.pptx
Allas Jony da Silva Oliveira
 
metodologia científica da pesquisa
 metodologia científica da pesquisa metodologia científica da pesquisa
metodologia científica da pesquisa
Faculdade Metropolitanas Unidas - FMU
 
Ciência, métodos e paradigmas
Ciência, métodos e paradigmasCiência, métodos e paradigmas
Ciência, métodos e paradigmas
Nicemara Cardoso
 
Apostila metodologia
Apostila metodologiaApostila metodologia
Apostila metodologia
Luciana C. L. Silva
 
Aulas ensino médio
Aulas   ensino médio Aulas   ensino médio
Aulas ensino médio
Belamar Anziliero
 
Popper e a Ciência
Popper e a CiênciaPopper e a Ciência
Popper e a Ciência
Jorge Barbosa
 
Metodologia da Pesquisa Profa Francinete Braga
Metodologia da Pesquisa Profa Francinete BragaMetodologia da Pesquisa Profa Francinete Braga
Metodologia da Pesquisa Profa Francinete Braga
Francinete Santos
 
Metodologia cientifica...
Metodologia cientifica...Metodologia cientifica...
Metodologia cientifica...
Antonio Garcia
 
Metodologia cientifica
Metodologia cientificaMetodologia cientifica
Metodologia cientifica
Felipe Mago
 

Semelhante a Metodologia de Investigação Científica (20)

TCC- Capacitação de Treinamento Físico Militar
TCC- Capacitação de Treinamento Físico MilitarTCC- Capacitação de Treinamento Físico Militar
TCC- Capacitação de Treinamento Físico Militar
 
Apresentação metodologia científica
Apresentação metodologia científicaApresentação metodologia científica
Apresentação metodologia científica
 
Filosofia 2
Filosofia 2Filosofia 2
Filosofia 2
 
Abordagens de pesquisas e métodos de ensino
Abordagens de pesquisas e métodos de ensinoAbordagens de pesquisas e métodos de ensino
Abordagens de pesquisas e métodos de ensino
 
1 slides.pdf
1 slides.pdf1 slides.pdf
1 slides.pdf
 
Bases da investigação científica
Bases da investigação científicaBases da investigação científica
Bases da investigação científica
 
Concurso Professor Cariri Pesquisa
Concurso Professor Cariri   PesquisaConcurso Professor Cariri   Pesquisa
Concurso Professor Cariri Pesquisa
 
Apresentação metodologia da pesquisa
Apresentação   metodologia da pesquisaApresentação   metodologia da pesquisa
Apresentação metodologia da pesquisa
 
Introdução à Metodologia Da Pesquisa Ii
Introdução à Metodologia Da Pesquisa IiIntrodução à Metodologia Da Pesquisa Ii
Introdução à Metodologia Da Pesquisa Ii
 
Apresentação metodologia da pesquisa
Apresentação   metodologia da pesquisaApresentação   metodologia da pesquisa
Apresentação metodologia da pesquisa
 
DIFERENTES FORMAS CONHECIMENTO CIENTIFICO.pdf
DIFERENTES FORMAS CONHECIMENTO CIENTIFICO.pdfDIFERENTES FORMAS CONHECIMENTO CIENTIFICO.pdf
DIFERENTES FORMAS CONHECIMENTO CIENTIFICO.pdf
 
apresentao-metodologiadapesquisa-161126010107_1.pptx
apresentao-metodologiadapesquisa-161126010107_1.pptxapresentao-metodologiadapesquisa-161126010107_1.pptx
apresentao-metodologiadapesquisa-161126010107_1.pptx
 
metodologia científica da pesquisa
 metodologia científica da pesquisa metodologia científica da pesquisa
metodologia científica da pesquisa
 
Ciência, métodos e paradigmas
Ciência, métodos e paradigmasCiência, métodos e paradigmas
Ciência, métodos e paradigmas
 
Apostila metodologia
Apostila metodologiaApostila metodologia
Apostila metodologia
 
Aulas ensino médio
Aulas   ensino médio Aulas   ensino médio
Aulas ensino médio
 
Popper e a Ciência
Popper e a CiênciaPopper e a Ciência
Popper e a Ciência
 
Metodologia da Pesquisa Profa Francinete Braga
Metodologia da Pesquisa Profa Francinete BragaMetodologia da Pesquisa Profa Francinete Braga
Metodologia da Pesquisa Profa Francinete Braga
 
Metodologia cientifica...
Metodologia cientifica...Metodologia cientifica...
Metodologia cientifica...
 
Metodologia cientifica
Metodologia cientificaMetodologia cientifica
Metodologia cientifica
 

Último

apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 

Metodologia de Investigação Científica

  • 1. MIC- Metodologias de Investigação Científica Aulas de Metodologias de Investigação Científica http://paginas.fe.up.pt/~eol/PRODEI/mic0708.htm 1. Uma Visão sobre Teorias acerca do desenvolvimento e da caracterização da Investigação Científica Eugénio Oliveira- 2007/2008 Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica Questionar a Investigação Científica • Características básicas: • Acumulativa versus reformuladora desde os princípios •Mas: •Thomas Kuhn (Harvard, Berkley, Princeton, MIT até 91. +96) “The Structure of Scientific Revolutions” 1962. • Descobre o papel na Investigação Científica (IC) do desenvolvimento de novos paradigmas definidos como: “descobertas científicas universalmente reconhecidas que durante um certo tempo apresentam um modelo para problemas e soluções a uma comunidade de práticos e experimentalistas” Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica
  • 2. Questionar a Investigação Científica • Paradigmas suportam teorias a partir de conceitos, fenómenos e técnicas para ajudar a explicar novos factos ou informações. • A ciência progride por rupturas sucessivas dependendo dos paradigmas aceites. Paradigmas correspondem a “diferentes olhares” sobre a realidade influenciados por outros aspectos que não os científicos: Wittgenstein e o pato-??????… L.Wittgenstein “Tractatus Logico-Philosophicus Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica Questionar a Investigação Científica • A interpretação científica é afectada por aspectos Sociais e até Psicológicos. • Irracionalidade e Ciência. Contestado em: • Kuhn, T.S. “Black-Body Theory and the Quantum Discontinuity”, 1987. Mas : Mudança de Paradigma à Ciência não cumulativa • Exemplos de rupturas que levaram a mudanças de paradigma: • A visão de Ptolomeu alterada pela visão de Copérnico sobre o sistema Solar; • A passagem da Física Newtoneana às Físicas Quânticas (incerteza, determinismo…) e Relativistas (Espaço-Tempo). Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica
  • 3. Questionar a Investigação Científica • Karl Popper (London S. E., + 94) • “The Logic of Scientific Discover”, Basic Books, 1959 (1ªEd Ing) • Conjecture and Refutations, Harper & Row, 1968 • Idealista desenvolve o método científico como uma epistmologia (uma maneira de conhecer) independente de uma valoração • T. Khun e Feyerabend (1993) criticaram este ponto de vista, mostrando como a ciência é guiada pelo valor, não sendo de todo idealista Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica Questionar a Investigação Científica • Proposta do “Racionalismo Crítico” à defesa da “falseabilidade” como um critério da demarcação entre a ciência e a não-ciência, • Popper argumentou que a teoria científica será sempre conjectural e provisória. Não é possível confirmar a veracidade de uma teoria pela simples constatação de que os resultados de uma previsão efectuada com base naquela teoria se verificaram. Essa teoria deverá gozar apenas do estatuto de uma teoria não (ou ainda não) contrariada pelos factos. Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica
  • 4. Questionar a Investigação Científica • Crítica ao Verificacionismo: • Generalização: casos particulares corroboram asserções universais A observação X, sendo uma instância da Teoria T aumenta a probabilidade da correcção da Teoria T • O “paradoxo do Corvo Preto”: • O “paradoxo do Corvo Preto” por Hempel: "Todos corvos são pretos" é logicamente equivalente a "Tudo que não é preto não é corvo". ∀x(Cx ? Px) = ∀ x(¬Px ? ¬Cx) • Assim, se ∃ x(Cx ∧ Px) corrobora ∀ x(Cx? Px), então ∃ x(¬Px ∧ ¬Cx) corrobora ∀ x(¬Px? ¬Cx) que, sendo aquivalente a ∀ x(Cx? Px), esta seria corroborada também. Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica Questionar a Investigação Científica • Crítica ao Verificacionismo: • Generalização: casos particulares corroboram asserções universais • “Existem maçãs (não-corvos) não-pretas” corrobora que “Todos os corvos são pretos” • Se o verificacionismo (generalização) fosse aceitável, qualquer evidência banal podia estar a sustentar uma Teoria Há várias tentativas de resolução do paradoxo. A “falsificabilidade” proposta por KP propõe que mantendo a proposição existencial permite saber que se existir outra proposição existencial contrária, tal falsifica a Teoria T !! Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica
  • 5. Investigação Científica • Características básicas: • Envolve Metodologia(s) e Técnicas de Investigação • A- Metodologia inclui o estudo dos vários métodos aplicáveis ou seja, os processos de conduzir cada projecto de investigação específico • B- Técnicas referem os meios, as ferramentas específicas, as abordagens que permitem a aquisição de informações relevantes, a respectiva análise (dos dados) assim como Inferências sub-sequentes a realizar Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica Dimensões do Método de Investigação • A- Metodologias • dependendo da MOTIVAÇÃO: • ‘Investigação Pura’: • Contribuindo para a compreensão teórica e formulação mais abstracta de fenómenos • ‘Investigação Instrumentalista’: • Contribuindo para tornar mais efectiva a intervenção humana em ambientes do mundo real. • Identificam-se duas sub-categorias: • ‘Investigação Aplicada’ • ‘Investigação Orientada-ao-Problema’ Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica
  • 6. Dimensões do Método de Investigação • ‘Investigação Aplicada’. • Partindo de uma Tecnologia (aparelhos, técnicas, ambas as coisas) usando-a em processos (físicos, organizacionais, sociais, pessoais,...) • ‘Investigação Orientada-ao-Problema’. • Começando pelo enunciado do problema e procurando as técnicas adequadas para o resolver. Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica Dimensões do Método de Investigação • dependendo da Teoria na base da Investigação: • ‘Descritiva’, dos aspectos significativos dos domínios • ‘Explicativa’, do comportamento dos fenómenos • ‘Preditiva’ do futuro • ‘Prescritiva’, indo além da predição pode prescrever e aplicar normas e processos em determinadas circunstâncias específicas (A investigação em SI deve ser deste tipo) Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica
  • 7. Dimensões do Método de Investigação • dependendo da tradição numa dada área ou Domínio do conhecimento: i) ‘Investigação Científica tradicional’ que é mais quantitativa ii) ‘Investigação Interpretativa’ que é mais qualitativa iii) ‘Investigação orientada pela Engenharia’ • A Investigação nas disciplinas de SI em geral e as Actividades de Interacção Electrónica AIE (NE ou CE, e-Gov., e-Learn., …) em particular? Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica Investigação Científica tradicional • A Investigação científica tradicional é baseada no pensamento racional positivista: • Das observações constroem-se Teorias que tentam explicar o que é observado. • As Teorias são expressas na forma Dedutiva por Axiomas e Postulados operados pela Lógica. • Teorias Científicas, segundo K. Popper, são capazes de gerar inferências que são, em princípio, refutáveis por referência ao mundo real. • O resultado de testar as hipóteses realimenta a Teoria, verificando-a ou detectando eventuais “anomalias” (T.Kuhn). Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica
  • 8. Investigação Científica tradicional • Se a observação é do mundo real ela é dita empírica e torna-se relevante em duas situações: • durante a formação do próprio corpo teórico através de observações passivas • durante a verificação de hipóteses, recolhendo informação de forma activa e guiada pela própria teoria. Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica Investigação Científica tradicional • Quando não existe teoria disponível, faz-se ‘investigação exploratória’ onde os estudos são abertos, não guiados pela teoria, fornecendo um Conhecimento empírico que podem postular teorias. • SI e AIE são disciplinas sem uma Teoria construída. • São disciplinas aplicadas usando uma teoria parcial ou, co-optando uma teoria de “ disciplinas de referência” como a dos: • “Comportamentos das Organizações”, • “Ciência da Gestão”, • “Ciência da Computação”. Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica
  • 9. Investigação Científica tradicional 3 Teoria de Disciplinas de Referência 2 Teoria Axiomas Postulados 4 7 Lógica Dedutiva Simulação Projecto de 6 Investigação Hipóteses 5 1 Mundo Real 1- Existe um Mundo real que nós percebemos 2- Organiza-se Conhecimento em Teorias permitindo Inferências 3- Disciplinas Aplicadas, como SI e AIE, baseiam-se em Teorias de Referência de outras Disciplinas 4- Projecto de Investigação para testar Hipóteses formais formuladas através de inferências expressas da Teoria 5- Em Investigação Empírica as Hipóteses derivadas da Teoria são testadas directamente no Mundo real 6- Teste das Hipóteses por Simulação 7- Os resultados da Investigação realimentam a Teoria Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica Investigação Científica tradicional • Em resumo: Na Ciência tradicional (ou convencional) extraem-se novas hipóteses da teoria existente, testam-se e juntam-se os resultados à teoria. •Pressupõe portanto a existência de: • Um corpo teórico • Um enquadramento teórico explícito para guiar a investigação • Definição das questões a investigar • Hipóteses explícitas que possam ser refutáveis • Método de investigação aplicada e técnicas bem definidas para testar as hipóteses. Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica
  • 10. Abordagem Interpretativa à Investigação • Método (filosofia) Interpretativista: • pós -positivista, • critica a “quimera” científica (convencional) • declara impossível a observação objectiva, • observação e interpretação dependentes do Observador. • crítica endereçada quer às “Ciências duras” quer às Sociais, • As dificuldades de objectividade são: Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica Abordagem Interpretativa à Investigação • Intangibilidade de alguns factores e relações • Envolvimento do investigador no domínio da investigação • Resultados dependentes da perspectiva do investigador: - Na selecção e definição do domínio - Selecção da teoria existente - Definição das questões a investigar - Enquadramento da investigação (âmbito) - Selecção, definição das variáveis - Medida dos valores dessas variáveis • Atitudes diferentes quanto a estes pontos levam a múltiplas interpretações do mesmo fenómeno. Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica
  • 11. Abordagem à Investigação pela Engenharia • Nesta abordagem à investigação é bastante importante a tecnologia (artefactos, técnicas usadas) • É o mais apropriado para a investigação em Sistemas de Informação e AIE • A investigação em SI é aplicada ou orientada-ao-problema. • Implica: - a aplicação de tecnologia, - conceptualização: requisitos, modelos - prototipagem, - construção - demonstração da tecnologia - uma fase de avaliação Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica Técnicas para a Investigação B- Técnicas I. Técnicas não empíricas II. Técnicas de investigação científica positivista III. Técnicas de investigação interpretativista IV. Técnicas de investigação na fronteira positivista/interpretativista V. Técnicas de investigação baseadas na Engenharia Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica
  • 12. Técnicas para a Investigação I. Técnicas não empíricas • dados criados artificialmente, ou • em pensamentos conceptuais sobre abstracções • Incluem: • Conceptualização baseada em especulações e opiniões. ( análise argumentativa e dialética) • Demonstração de teoremas: • aplicação de métodos formais, • induções, • abstracções matemáticas • Verificação de Modelos • Simulação: • modelo formal simplificado de um ambiente complexo. Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica Técnicas para a Investigação • Outras técnicas de investigação não empíricas : • sobre cenários hipotéticos futuros • sobre cenários formatados em Jogos • ... • Revisões do Estado-da-Arte e Meta-análise sobre ele Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica
  • 13. Técnicas para a Investigação II. Técnicas de Investigação Científica positivista (aplicáveis nos Sistemas de Informação e AIE): • Técnicas de previsão aplicando • algoritmos de regressão e • séries temporais extrapolando a partir de dados passados • Experiências de Campo: • Isolar ou controlar, no mundo real, um conjunto determinado de fenómenos e factores para estudo • Experiências Laboratoriais: • Criação de um ambiente artificial onde se isolam e controlam determinados fenómenos, factores e variáveis. Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica Técnicas para a Investigação III. Técnicas de Investigação Interpretativista: • Investigação Descritiva/Interpretativista: Parte-se da observação empírica para uma análise de rigor limitado. Controlo da perspectiva do investigador: - Exame crítico - Revisão de preconceitos e princípios de base - Variação das observações - Revisão crítica pelos pares • Investigação realizada em grupo : • discussão frequente com o grupo ou com quem é “afectado” pela técnica • Uso de ferramentas para Trabalho colaborativo Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica
  • 14. Técnicas para a Investigação • Pesquisa pela Acção: - investigador - “Agente” altera as condições existentes para estudar a reacção. • Outros Métodos das Ciências Sociais (Etnografia...) Em http://www.qual.auckland.ac.nz/ Michael Myers Ed. Ass.Inf.Sys. advoga-se a investigação qualitativa para os SI. Estudos -de-Caso é o processo mais vulgar para I&D bem SI Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica Técnicas para a Investigação IV. Técnicas de fronteira Científicas/Interpretativas. Incluem: - Trabalho de Campo: Observação directa pelo investigador do objecto de estudo no seu contexto original - - Baseado em Questionários: Colecção dos dados a partir de entrevistas e questionários estruturados - Estudos de Caso: Envolve a colecção de dados detalhados, a partir de múltiplas fontes, sobre um fenómeno específico e bem definido do mundo real. Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica
  • 15. Técnicas para a Investigação • Investigação Secundária: • Análise de documentos (textos, artigos, descrições) já pré-existentes e reexamina-os à luz de novas teorias ou processos. Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica Técnicas para a Investigação v. Técnicas de Investigação baseadas na Engenharia (“Ciências da Computação”, Engenharia dos Sistemas Informáticos...) • dividem-se em duas categorias: 1- Técnica da Construção: • Incluem a Concepção, projecto, realização (ou prototipagem) de um artefacto/sistema (ex:Sistema de programas de computador, ou aparelho físico) - objectivo: -- explicitamente testar uma hipótese ou -- resolver um problema. - implica: -- existência de teoria ou modelo explicativo dos resultados a testar Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica
  • 16. Técnicas para a Investigação • Técnica da Desconstrução: • Analisar um sistema ou conjunto de métodos revelando nova informação sobre o que está a ser analisado. - Tal informação e características podem depois ser de novo utilizadas de forma eventualmente diversa Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica Filosofias de base da Investigação • Há filosofias permitindo classificar os Métodos de Investigação Paradigmas ou epistemologia de base : I. Positivista II. Interpretativa (pós-positivista) III. Crítica IV. (Construtivismo) Na Harvard Business School usa-se a classificação em três categorias Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica
  • 17. Filosofias de base da Investigação • Método positivista: • Assume que a realidade é objectivamente dada, pode ser descrita e medida pelo observador e seus instrumentos. usam -se testes e tenta-se a previsibilidade dos fenómenos no futuro • Investigação nos SI poderá ser positivista (Orlikowski and Baroudi, 1995) - Se se usar formalismos e variáveis quantificáveis e mensuráveis, - Hipótese a testar e fazer inferências a partir do conhecido Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica Filosofias de base da Investigação • Método Interpretativista • Assume que o acesso à realidade só é possível através construções sociais como a linguagem, consciência e ontologias (partilha de significados). • Filosofia baseada na hermeneutica (compreensão humana e interpretação de textos) e na fenomenologia (descrever, compreender e interpretar os fenómenos percepcionados). Propõe a extinção da separação entre "sujeito" e "objecto", opondo-se ao pensamento positivista do século XIX. • Em que medida o estudo dos SI influenciam ou são influenciados pelo contexto? • O foco não é tanto nas variáveis e processos mas na interpretação dada ao que é medido ou testado ou realizado Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica
  • 18. Filosofias de base da Investigação • Investigação Crítica: • É mais radical pois tenta identificar o que constrange a investigação: • socialmente, culturalmente, • historicamente, politicamente, • economicamente, fisicamente e tenta emancipar a ciência, eliminando as causas da ignorância, alienação etc... Ex: Porque não é possível investigar sobre X? Ex; Porque não é desejável realizar sistemas do tipo Y? Habermas da Escola de Frankfurt na senda de Adorno, Lukacs, Marcuse Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica Qualidade da Investigação • Qualidade depende dos Objectivos a atingir • Acrescentar Conhecimento (abstracto) disponível • Objectivo e Critério de Qualidade internos à disciplina • Rigor é muito crítico • Desenvolvimento de Sistemas (informáticos) – (Instrumentalismo) • Objectivos e Critérios externos (à própria I&D) • Relevância medida pelo impacto é mais importante • Relevância Versus Rigor não antagonismo mas diferente ênfase Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica
  • 19. Qualidade da Investigação • Tendência na Informática: • Até anos 80 à domínio de artigos conceptuais (não empíricos) • Depois dos anos 80 à artigos menos teóricos, mais instanciados menos acumulativos • Investigação baseada em Estudos-de-Caso, é descritiva de instâncias simples e tem pouca relevância científica • Investigação Empírica é dominada pelas aproximações descritivas • Modelos com capacidades explicativas limitadas e com pouco valor preditivo. Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica Qualidade da Investigação • Investigação em (EI e) Sistema Informáticos para “ AIE” em particular i.e.: • Serviços, Plataformas e Ambientes integrativos de capacidades Electrónicas para a automatização da inter-operabilidade entre Organizações (empresas…) dentro delas e na sua apresentação à Sociedade (ao mercado) • Incluem serviços de apoio: • à logística, à contratação, à produção, às encomendas e vendas (à comercialização em geral) • à reorganização e reconfiguração Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica
  • 20. Qualidade da Investigação • Requisitos para a Investigação em EI e SI ( AIE) • Escolha de um Método de Investigação apropriado: • Método Científico tradicional, “interpretativista” ou baseado na Engenharia • Explicitação de um Corpo Teórico que, em alguns casos, vem de outras disciplinas (ex: C. das Organizações, Estatística, C. da Computação, ...) • Extensão da Teoria e Inferência de predições testáveis (pelo menos no caso da Investigação tradicional) Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica Qualidade da Investigação • Características da Investigação em EI e SI (AIE) • Reflectir o E-d-A. Provar que se avança no Conhecimento • Combinação de Técnicas para que as fraquezas de uma sejam colmatadas pelas virtudes de outras • Reflectir os fenómenos em estudo e a natureza do domínio • Dados validados • Analisados estatisticamente • Extracção de relacionamentos entre varáveis • Praticável de acordo com os recursos • Relevância dos resultados (para as Organizações a montante e jusante, sociedade...) • Publicável • Ambiciosa (na teoria e na prática) Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica
  • 21. Qualidade da Investigação • Características da Investigação em EI e SI (AIE) • A fase de Investigação pode ter como objectivo: • Construção de Teorias • Teste de Teorias • Extensão de uma Teoria • O Objectivo prático da Investigação pode incluir: • Explorar um domínio definido • Descrever um domínio • Explicar um domínio • Fazer Previsões sobre um domínio • (Testar hipóteses formalizadas) Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica Qualidade da Investigação • Outras características: • Quanto aos dados : • Extensos • Representativos • Qual a validade • Granularidade: • Simples, agregados • de grupos, de organizações, de cadeias, de redes, • de segmentos ou sectores (industriais), da sociedade • Horizonte temporal: • “Foto” do domínio num instante temporal • Estudo de uma “secção de corte” • “Secção longitudinal” (múltiplos pontos no tempo) • Métodos de colecção e análise dos Dados: quantificação... Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica
  • 22. Desafios da Investigação em EI e SI (AIE) • Desafios: • Existe pouca teoria. Há alguma sobre os S. de I. em Organizações • Fenómenos instáveis: • Dados de envelhecimento rápido, “secções de corte” alteram-se. Período de validade • Organizações em movimento • Variações culturais significativas: • Diferentes culturas nacionais, ritmos diferentes • O acto de Investigar (interacção, questionários, estruturação, demonstrações) influencia o domínio • Pressão para publicar contemporaneamente com a investigação Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica Desafios da Investigação em EI e SI (AIE) • Instância da Tecnologia de AIE: • Prototipagem sem fundamento teórico ou população alvo bem definida • Teorias económicas aplicadas a Estruturas (hierarquias, redes) ainda não consolidadas. Mercados Electrónicos ainda muito instáveis • Impacto da automatização e racionalização: • Depende de cortes longitudinais no tempo • Depende dos participantes directos que são afectados • Depende da inclusão dos investigadores no objecto de estudo • Adopção da nova tecnologia pode ser demorada no tempo • Impacto nos outros parceiros (quer em B2C ou B2B) Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica
  • 23. Desafios da Investigação em SI (AIE) • Conclusões sobre Investigação em EI e SI (AIE): • Considerar o balanço Rigor Versus Relevância • Identificar os desafios antes de iniciar a Investigação • Clareza acerca das convenções relativas à investigação a efectuar • Seleccionar um sub-domínio significativo • Definir as questões a responder pela investigação • Seleccionar o Método de Investigação e Técnicas (possivelmente uma combinação delas) e justifique. Sendo a aproximação instrumentalista a seleccionada, há que assegurar qualidade externa, validação externa e rigor suficiente, assim como: Relevância Eugénio Oliveira- 2007 MIC- Metodologias de Investigação Científica