SlideShare uma empresa Scribd logo
Técnicas de coleta de
dados e instrumentos de
pesquisa
O que é técnica?
O que é instrumento?
Tipos de técnicas e
instrumentos de pesquisa
Entrevista
Questionários
Observação
1. ENTREVISTA
“Encontro entre duas pessoas, a fim de que
uma delas obtenha informações a respeito de um
determinado assunto” (Marconi & Lakatos, 1999, p. 94).
TIPOS DE ENTREVISTA:
• Estruturada: o entrevistador segue um roteiro
previamente estabelecido. Não é permitido
adaptar as perguntas a determinada situação,
inverter a ordem ou elaborar outras perguntas.
• Não Estruturada: o entrevistador tem liberdade para
desenvolver cada situação em qualquer direção. Permite
explorar mais amplamente uma questão.
• Semi-estruturada.
ENTREVISTA: Vantagens
•Pode ser utilizada com todos segmentos da
população (alfabetizados ou não)
•Há maior flexibilidade: o entrevistador pode
repetir a pergunta; formular de maneira
diferente; garantir que foi compreendido
•Permite obter dados que não se encontram
nas fontes documentais
•Informações mais precisas
•Permite que os dados sejam quantificados e
submetidos a tratamento estatístico
PREPARAÇÃO DA
ENTREVISTA
• Planejamento da entrevista
• Conhecimento prévio do entrevistado
• Oportunidade da entrevista
• Condições favoráveis
• Contato com líderes
• Conhecimento prévio do campo
• Preparação específica
ENTREVISTA: Diretrizes
•Contato inicial: clima amistoso; objetivos
•Formulação das perguntas: de acordo com o tipo
(estruturada: seguir roteiro; não estruturada: deixar
entrevistado à vontade); uma pergunta de cada vez;
começar pelas que não tenham probabilidade de ser
recusadas; evitar perguntas sugestivas ou que induzam
•Registro das respostas: anotação simultânea,
gravador (caso o entrevistado concorde).
•Término entrevista: clima de cordialidade;
aprovação por parte do informante.
ENTREVISTA: Limitações
•Dificuldade de expressão de ambas as partes
•Incompreensão por parte do informante
•Possibilidade do entrevistado ser influenciado
•Disposição do entrevistado em dar informações
necessárias
•Retenção de alguns dados importantes
•Ocupa muito tempo
•Tamanho da amostra menor que o questionário
2. QUESTIONÁRIO
“instrumento de coleta
de dados constituído
por uma série de
perguntas, que devem
ser respondidas por
escrito”
(Marconi & Lakatos,
1999:100)
QUESTIONÁRIO: Vantagens
•Economiza tempo, viagens e obtém grande
número de dados
•Atinge maior número de pessoas
simultaneamente
•Abrange uma área geográfica mais ampla
•Economiza pessoal (treinamento; coleta campo)
•Obtém respostas mais rápidas e exatas
•Liberdade de respostas (anonimato)
•Mais tempo para responder; horário favorável
CUIDADOS NO
PROCESSO DE ELABORAÇÃO
• Conhecer o assunto
• Cuidado na seleção das questões
• Limitado em extensão e em finalidade
• Codificadas para facilitar a tabulação
• Indicação da entidade organizadora
• Acompanhado por instruções
• Boa apresentação estética
Princípios para Formulação de
Perguntas
•Formular perguntas de forma simples de
entender, de forma concreta e precisa
•Considerar o grau de conhecimento e
informação do entrevistado
•Evitar palavras e formulações ambivalentes
•Evitar perguntas sugestivas
•Evitar perguntas indiscretas
FORMAS DE PERGUNTAS
•Abertas: Não existem categorias preestabelecidas. O
entrevistado pode responder de forma espontânea.
•Fechadas: Existem categorias diferenciadas.
•Alternativa: sim - não
•Escalas: 1 a 5 (1=concordo totalmente a 5=discordo
totalmente)
•Alternativas qualitativas: selecionar de uma série de
respostas qualitativas uma alternativa (ex: conceitos)
CONSTRUÇÃO DO QUESTIONÁRIO
Consiste em traduzir os objetivos da pesquisa em
perguntas claras e objetivas.
TIPOSDEQUESTÕES
a) Aberta: são as que permitem ao informante responder
livremente, usando linguagem própria e emitir opiniões.
Entretanto, apresenta alguns inconvenientes:
 Dificulta a resposta ao próprio informante, que deverá
redigi-la.
 O processo de tabulação.
 O tratamento estatístico e a interpretação.
A análise é difícil, complexa, cansativa e demorada.
b) Fechada: são aquelas em que o informante escolhe sua
resposta entre duas opções. Este tipo de pergunta, embora
restrinja a liberdade das respostas, facilita o trabalho do
pesquisador e também a tabulação, pois as respostas são mais
objetivas.
c) Múltipla escolha: são perguntas fechadas mas que apresentam
uma série de possíveis respostas, abrangendo várias facetas do
mesmo assunto.
A técnica da escolha múltipla é facilmente tabulável e proporciona
uma exploração em profundidade quase tão boa quanto a de
perguntas abertas.
A combinação de respostas múltiplas com as respostas abertas
possibilita mais informações sobre o assunto, sem prejudicar a
tabulação.
PRÉ-TESTE DO QUESTIONÁRIO
A análise dos dados , após tabulação, evidenciará
possíveis falhas existentes:
• Inconsistência ou complexidade das questões.
• Ambigüidades ou linguagem inacessível.
• Perguntas supérfluas ou que causem embaraço
ao informante.
• Questões que obedeçam a uma determinada
ordem.
• Se são muito numerosas.
QUESTIONÁRIO: Limitações
Quando enviados:
•Percentagem pequena dos questionários que voltam
(correio)
•Perguntas sem resposta
Feito pelo pesquisador:
•Limitação em auxiliar o informante em questões mal
compreendidas
•Dificuldade de compreensão gera uniformidade
aparente
•Devolução tardia prejudica o cronograma
3. OBSERVAÇÃO
“...utiliza os sentidos na obtenção
de determinados aspectos da
realidade. Consiste de ver, ouvir e
examinar fatos ou fenômenos”
(Marconi & Lakatos, 1999:90)
É considerada científica quando ...
•é planejada sistematicamente;
•é registrada metodicamente;
•está sujeita a verificações e
controles sobre a validade e
segurança.
Segundo a participação do observador:
• Participante: consiste na participação real do
pesquisador com a comunidade ou grupo.
Em geral são apontados duas formas:
 Natural - o observador pertence à mesma
comunidade ou grupo que investiga.
 Artificial - o observador integra-se ao grupo
com a finalidade de obter informações.
• Não participante: o observador toma contato
com a comunidade, grupo ou realidade
estudada, mas sem integrar-se a ela -
permanece de fora.
PONTOS À SEREM
CONSIDERADOS NA
OBSERVAÇÃO
Para que observarPor que observar
Como observar
O que observarQuem observar
FORMAS DE OBSERVAÇÃO
• Sistemática: baseada em critérios
científicos, planejada, controlada.
• Não Sistemática: observação diária sem
critérios científicos
• Estruturada: sistema diferenciado de
categorias, alto grau de confiabilidade.
• Não Estruturada: categorias gerais e
abertas; liberdade de observação
Guia para Construção de um Sistema de
Observação
•Definição do problema
•Decisão sob as formas de observação
•Decisão sobre o levantamento de dados
•Definição das características a serem observadas
•Determinação das modalidades e técnicas de
registro
•Verificar os critérios científicos
•Construção do sistema final de observação
•Aplicação do inventário de observação
PRINCIPAL PROBLEMA COM A
TÉCNICA DA OBSERVAÇÃO
O principal problema é que a presença do
pesquisador pode provocar alterações no
comportamento dos observados, destruindo a
espontaneidade dos mesmos e produzindo
resultados pouco confiáveis.
Referências
 ComoElaborarProjetosdePesquisa.Antônio CarlosGil.
 SandraSanchez.InstrumentosdaPesquisaQualitativa.
Disponível em:
https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&
source=web&cd=3&ved=0CDoQFjAC&url=ftp%3A%2F%
2Fftp.unilins.edu.br%2Fvorlei%2Fetec%2FII_mkt_EMCM
%2Faulas%2FInstrumentos%2520da%2520Pesquisa%
2520Qualitativa.ppt&ei=spkoUvKcCoOQ9QTRvYFg&usg=
AFQjCNHpX4CMPV7pFyzkm0zzEtI8ptQtZg
 FrancoNoce.MétodoseInstrumentosdePesquisa.
Disponível em:
http://www.aleixomkt.com.br/fisio/42.pdf

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Pesquisa Qualitativa
Pesquisa QualitativaPesquisa Qualitativa
Pesquisa Qualitativa
Érica Rigo
 
Metodologia científica
Metodologia científicaMetodologia científica
MÉTODOS QUANTITATIVOS E QUALITATIVOS DE PESQUISA
MÉTODOS QUANTITATIVOS E QUALITATIVOS DE PESQUISAMÉTODOS QUANTITATIVOS E QUALITATIVOS DE PESQUISA
MÉTODOS QUANTITATIVOS E QUALITATIVOS DE PESQUISA
Tecoluca Luiz
 
O Estudo De Caso
O Estudo De CasoO Estudo De Caso
O Estudo De Caso
calaisgarcia
 
TCC: Discussão e Conclusões - Profa. Rilva Muñoz
TCC: Discussão e Conclusões - Profa. Rilva MuñozTCC: Discussão e Conclusões - Profa. Rilva Muñoz
TCC: Discussão e Conclusões - Profa. Rilva Muñoz
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De PesquisaComo Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
mauricio aquino
 
Tipos de-pesquisa
Tipos de-pesquisaTipos de-pesquisa
Tipos de-pesquisa
David Daniel Abacar
 
Tipos de pesquisa
Tipos de pesquisaTipos de pesquisa
Tipos de pesquisa
lilianpinheiro2015
 
Apresentação metodologia do trabalho científico
Apresentação metodologia do trabalho científicoApresentação metodologia do trabalho científico
Apresentação metodologia do trabalho científico
Larissa Almada
 
Metodologia Científica - Tipos de Pesquisa
Metodologia Científica - Tipos de PesquisaMetodologia Científica - Tipos de Pesquisa
Metodologia Científica - Tipos de Pesquisa
Karlandrade26
 
Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)
Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)
Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)
Nicolau Chaud
 
Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. Rilva
Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. RilvaPesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. Rilva
Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. Rilva
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Estrutura de Projeto de Pesquisa
Estrutura de Projeto de PesquisaEstrutura de Projeto de Pesquisa
Estrutura de Projeto de Pesquisa
Humberto Serra
 
Estudo de Caso
Estudo de CasoEstudo de Caso
Estudo de Caso
Felipe Silva
 
Aula 2 estudo qualitativo
Aula 2   estudo qualitativoAula 2   estudo qualitativo
Aula 2 estudo qualitativo
Ricardo Alexandre
 
Tipos de pesquisa
Tipos de pesquisaTipos de pesquisa
Tipos de pesquisa
Andreza Patrícia Martins
 
Metodologia Científica
Metodologia CientíficaMetodologia Científica
Metodologia Científica
CEPPAD/UFPR
 
Coleta de dados
Coleta de dadosColeta de dados
Coleta de dados
gallojunior
 
Pesquisa de campo
Pesquisa de campoPesquisa de campo
Pesquisa de campo
laylamiranda
 
Metodologia científica introdução e conceitos gerais
Metodologia científica introdução e conceitos geraisMetodologia científica introdução e conceitos gerais
Metodologia científica introdução e conceitos gerais
Juliana Sarieddine
 

Mais procurados (20)

Pesquisa Qualitativa
Pesquisa QualitativaPesquisa Qualitativa
Pesquisa Qualitativa
 
Metodologia científica
Metodologia científicaMetodologia científica
Metodologia científica
 
MÉTODOS QUANTITATIVOS E QUALITATIVOS DE PESQUISA
MÉTODOS QUANTITATIVOS E QUALITATIVOS DE PESQUISAMÉTODOS QUANTITATIVOS E QUALITATIVOS DE PESQUISA
MÉTODOS QUANTITATIVOS E QUALITATIVOS DE PESQUISA
 
O Estudo De Caso
O Estudo De CasoO Estudo De Caso
O Estudo De Caso
 
TCC: Discussão e Conclusões - Profa. Rilva Muñoz
TCC: Discussão e Conclusões - Profa. Rilva MuñozTCC: Discussão e Conclusões - Profa. Rilva Muñoz
TCC: Discussão e Conclusões - Profa. Rilva Muñoz
 
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De PesquisaComo Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
 
Tipos de-pesquisa
Tipos de-pesquisaTipos de-pesquisa
Tipos de-pesquisa
 
Tipos de pesquisa
Tipos de pesquisaTipos de pesquisa
Tipos de pesquisa
 
Apresentação metodologia do trabalho científico
Apresentação metodologia do trabalho científicoApresentação metodologia do trabalho científico
Apresentação metodologia do trabalho científico
 
Metodologia Científica - Tipos de Pesquisa
Metodologia Científica - Tipos de PesquisaMetodologia Científica - Tipos de Pesquisa
Metodologia Científica - Tipos de Pesquisa
 
Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)
Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)
Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)
 
Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. Rilva
Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. RilvaPesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. Rilva
Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. Rilva
 
Estrutura de Projeto de Pesquisa
Estrutura de Projeto de PesquisaEstrutura de Projeto de Pesquisa
Estrutura de Projeto de Pesquisa
 
Estudo de Caso
Estudo de CasoEstudo de Caso
Estudo de Caso
 
Aula 2 estudo qualitativo
Aula 2   estudo qualitativoAula 2   estudo qualitativo
Aula 2 estudo qualitativo
 
Tipos de pesquisa
Tipos de pesquisaTipos de pesquisa
Tipos de pesquisa
 
Metodologia Científica
Metodologia CientíficaMetodologia Científica
Metodologia Científica
 
Coleta de dados
Coleta de dadosColeta de dados
Coleta de dados
 
Pesquisa de campo
Pesquisa de campoPesquisa de campo
Pesquisa de campo
 
Metodologia científica introdução e conceitos gerais
Metodologia científica introdução e conceitos geraisMetodologia científica introdução e conceitos gerais
Metodologia científica introdução e conceitos gerais
 

Semelhante a Tecnicas de coleta de dados e instrumentos- Material maravilhoso

Capítulo 5 instrumentos de pesquisa
Capítulo 5   instrumentos de pesquisaCapítulo 5   instrumentos de pesquisa
Capítulo 5 instrumentos de pesquisa
Sandra Pereira
 
Instrumentos da pesquisa qualitativa
Instrumentos da pesquisa qualitativaInstrumentos da pesquisa qualitativa
Instrumentos da pesquisa qualitativa
Ana Paula Leal
 
Instrumentos da Pesquisa Qualitativa.ppt
Instrumentos da Pesquisa Qualitativa.pptInstrumentos da Pesquisa Qualitativa.ppt
Instrumentos da Pesquisa Qualitativa.ppt
GiovannaSouza96
 
Slides observação
Slides observaçãoSlides observação
Slides observação
Jeisi Lima
 
Pesquisa qualitativa
Pesquisa qualitativaPesquisa qualitativa
Pesquisa qualitativa
queenbianca
 
A pesquisa no ensino superior
A pesquisa no ensino superiorA pesquisa no ensino superior
A pesquisa no ensino superior
Suênya Mourão
 
Ciência e experiência
Ciência e experiênciaCiência e experiência
Ciência e experiência
Arare Carvalho Júnior
 
Estratégias de elaboração de questões e grupo focal
Estratégias de elaboração de questões e grupo focalEstratégias de elaboração de questões e grupo focal
Estratégias de elaboração de questões e grupo focal
Fernando Antonio
 
Metodologia Trabalho Cientifico
Metodologia Trabalho CientificoMetodologia Trabalho Cientifico
Metodologia Trabalho Cientifico
joao jose saraiva da fonseca
 
Pesquisa qualitativa
Pesquisa qualitativaPesquisa qualitativa
Pesquisa qualitativa
Miryam Mastrella
 
Texto para atividade 01 - Capítulo 02.ppt
Texto para atividade 01 - Capítulo 02.pptTexto para atividade 01 - Capítulo 02.ppt
Texto para atividade 01 - Capítulo 02.ppt
AurileneSousaHolanda1
 
Texto para atividade 01 - Capítulo 02.ppt
Texto para atividade 01 - Capítulo 02.pptTexto para atividade 01 - Capítulo 02.ppt
Texto para atividade 01 - Capítulo 02.ppt
aurilene
 
02 coleta-de-dados-entrevistas-grupos-de-foco-tcnicas-de-observao-questionrio...
02 coleta-de-dados-entrevistas-grupos-de-foco-tcnicas-de-observao-questionrio...02 coleta-de-dados-entrevistas-grupos-de-foco-tcnicas-de-observao-questionrio...
02 coleta-de-dados-entrevistas-grupos-de-foco-tcnicas-de-observao-questionrio...
arlei34
 
A arte de fazer questionários
A arte de fazer questionáriosA arte de fazer questionários
A arte de fazer questionários
Nádia Cachado
 
Pesquisa qualitativa
Pesquisa qualitativaPesquisa qualitativa
Pesquisa qualitativa
Deecastro
 
02 coleta-de-dados-entrevistas-grupos-de-foco-técnicas-de-observação-question...
02 coleta-de-dados-entrevistas-grupos-de-foco-técnicas-de-observação-question...02 coleta-de-dados-entrevistas-grupos-de-foco-técnicas-de-observação-question...
02 coleta-de-dados-entrevistas-grupos-de-foco-técnicas-de-observação-question...
Arlei Mosmann
 
Aula pesquisa de mercado
Aula pesquisa de mercadoAula pesquisa de mercado
Aula pesquisa de mercado
Liliane Ennes
 
Validade e fidedignidade
Validade e fidedignidadeValidade e fidedignidade
Validade e fidedignidade
Prof. Noe Assunção
 
Entrevista - Elciene, Andréa e outros
Entrevista - Elciene, Andréa e outrosEntrevista - Elciene, Andréa e outros
Entrevista - Elciene, Andréa e outros
Elciene Oliveira
 
2013 pesquisa-poligrafo-02-novo
2013 pesquisa-poligrafo-02-novo2013 pesquisa-poligrafo-02-novo
2013 pesquisa-poligrafo-02-novo
Atomy Brasil
 

Semelhante a Tecnicas de coleta de dados e instrumentos- Material maravilhoso (20)

Capítulo 5 instrumentos de pesquisa
Capítulo 5   instrumentos de pesquisaCapítulo 5   instrumentos de pesquisa
Capítulo 5 instrumentos de pesquisa
 
Instrumentos da pesquisa qualitativa
Instrumentos da pesquisa qualitativaInstrumentos da pesquisa qualitativa
Instrumentos da pesquisa qualitativa
 
Instrumentos da Pesquisa Qualitativa.ppt
Instrumentos da Pesquisa Qualitativa.pptInstrumentos da Pesquisa Qualitativa.ppt
Instrumentos da Pesquisa Qualitativa.ppt
 
Slides observação
Slides observaçãoSlides observação
Slides observação
 
Pesquisa qualitativa
Pesquisa qualitativaPesquisa qualitativa
Pesquisa qualitativa
 
A pesquisa no ensino superior
A pesquisa no ensino superiorA pesquisa no ensino superior
A pesquisa no ensino superior
 
Ciência e experiência
Ciência e experiênciaCiência e experiência
Ciência e experiência
 
Estratégias de elaboração de questões e grupo focal
Estratégias de elaboração de questões e grupo focalEstratégias de elaboração de questões e grupo focal
Estratégias de elaboração de questões e grupo focal
 
Metodologia Trabalho Cientifico
Metodologia Trabalho CientificoMetodologia Trabalho Cientifico
Metodologia Trabalho Cientifico
 
Pesquisa qualitativa
Pesquisa qualitativaPesquisa qualitativa
Pesquisa qualitativa
 
Texto para atividade 01 - Capítulo 02.ppt
Texto para atividade 01 - Capítulo 02.pptTexto para atividade 01 - Capítulo 02.ppt
Texto para atividade 01 - Capítulo 02.ppt
 
Texto para atividade 01 - Capítulo 02.ppt
Texto para atividade 01 - Capítulo 02.pptTexto para atividade 01 - Capítulo 02.ppt
Texto para atividade 01 - Capítulo 02.ppt
 
02 coleta-de-dados-entrevistas-grupos-de-foco-tcnicas-de-observao-questionrio...
02 coleta-de-dados-entrevistas-grupos-de-foco-tcnicas-de-observao-questionrio...02 coleta-de-dados-entrevistas-grupos-de-foco-tcnicas-de-observao-questionrio...
02 coleta-de-dados-entrevistas-grupos-de-foco-tcnicas-de-observao-questionrio...
 
A arte de fazer questionários
A arte de fazer questionáriosA arte de fazer questionários
A arte de fazer questionários
 
Pesquisa qualitativa
Pesquisa qualitativaPesquisa qualitativa
Pesquisa qualitativa
 
02 coleta-de-dados-entrevistas-grupos-de-foco-técnicas-de-observação-question...
02 coleta-de-dados-entrevistas-grupos-de-foco-técnicas-de-observação-question...02 coleta-de-dados-entrevistas-grupos-de-foco-técnicas-de-observação-question...
02 coleta-de-dados-entrevistas-grupos-de-foco-técnicas-de-observação-question...
 
Aula pesquisa de mercado
Aula pesquisa de mercadoAula pesquisa de mercado
Aula pesquisa de mercado
 
Validade e fidedignidade
Validade e fidedignidadeValidade e fidedignidade
Validade e fidedignidade
 
Entrevista - Elciene, Andréa e outros
Entrevista - Elciene, Andréa e outrosEntrevista - Elciene, Andréa e outros
Entrevista - Elciene, Andréa e outros
 
2013 pesquisa-poligrafo-02-novo
2013 pesquisa-poligrafo-02-novo2013 pesquisa-poligrafo-02-novo
2013 pesquisa-poligrafo-02-novo
 

Mais de Rosane Domingues

Projeto de vida- Brincadeira poética- 2020
Projeto de vida- Brincadeira poética- 2020Projeto de vida- Brincadeira poética- 2020
Projeto de vida- Brincadeira poética- 2020
Rosane Domingues
 
Eletiva- Cinema e Fotografia
Eletiva- Cinema e Fotografia Eletiva- Cinema e Fotografia
Eletiva- Cinema e Fotografia
Rosane Domingues
 
Acolhimento Aula de Eletiva - Inova
Acolhimento Aula de Eletiva - InovaAcolhimento Aula de Eletiva - Inova
Acolhimento Aula de Eletiva - Inova
Rosane Domingues
 
Acolhimento- Projeto d Vida- Inova- MODELO
Acolhimento-  Projeto d Vida- Inova- MODELOAcolhimento-  Projeto d Vida- Inova- MODELO
Acolhimento- Projeto d Vida- Inova- MODELO
Rosane Domingues
 
1960 Quarto de despejo - Carolina maria de jesus.
1960 Quarto de despejo - Carolina maria de jesus.1960 Quarto de despejo - Carolina maria de jesus.
1960 Quarto de despejo - Carolina maria de jesus.
Rosane Domingues
 
101 questões- Ética no serviço social - simulado grupo de estudo- CONCURSO SE...
101 questões- Ética no serviço social - simulado grupo de estudo- CONCURSO SE...101 questões- Ética no serviço social - simulado grupo de estudo- CONCURSO SE...
101 questões- Ética no serviço social - simulado grupo de estudo- CONCURSO SE...
Rosane Domingues
 
Parte 3 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Parte 3 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...Parte 3 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Parte 3 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Rosane Domingues
 
Parte 2 de 4-ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441 d...
Parte 2 de 4-ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441 d...Parte 2 de 4-ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441 d...
Parte 2 de 4-ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441 d...
Rosane Domingues
 
Parte 1 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Parte 1 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...Parte 1 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Parte 1 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Rosane Domingues
 
MODELO- Pesquisa Socioeconômica clima organizacional
MODELO- Pesquisa Socioeconômica clima organizacional MODELO- Pesquisa Socioeconômica clima organizacional
MODELO- Pesquisa Socioeconômica clima organizacional
Rosane Domingues
 
FORMULÁRIO DE DENÚNCIA ÉTICA-SERVIÇO SOCIAL- versão 2016
FORMULÁRIO DE DENÚNCIA ÉTICA-SERVIÇO SOCIAL-  versão 2016FORMULÁRIO DE DENÚNCIA ÉTICA-SERVIÇO SOCIAL-  versão 2016
FORMULÁRIO DE DENÚNCIA ÉTICA-SERVIÇO SOCIAL- versão 2016
Rosane Domingues
 
MANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL
MANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIALMANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL
MANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL
Rosane Domingues
 
OS CONTEÚDOS E AS REFERÊNCIAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA CULTURA E ...
OS CONTEÚDOS E AS REFERÊNCIAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA CULTURA E ...OS CONTEÚDOS E AS REFERÊNCIAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA CULTURA E ...
OS CONTEÚDOS E AS REFERÊNCIAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA CULTURA E ...
Rosane Domingues
 
ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL PLURIANUAL DE ASSISTÊNCIA SO...
ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL PLURIANUAL DE ASSISTÊNCIA SO...ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL PLURIANUAL DE ASSISTÊNCIA SO...
ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL PLURIANUAL DE ASSISTÊNCIA SO...
Rosane Domingues
 
Plano municipal - CULTURA- social - 2012
Plano municipal - CULTURA- social  - 2012Plano municipal - CULTURA- social  - 2012
Plano municipal - CULTURA- social - 2012
Rosane Domingues
 
Plano municipal social - Vulnerabilidade e riscos sociais-2012
Plano municipal social - Vulnerabilidade e riscos sociais-2012Plano municipal social - Vulnerabilidade e riscos sociais-2012
Plano municipal social - Vulnerabilidade e riscos sociais-2012
Rosane Domingues
 
PEDAGOGIA- 176 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 176 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...PEDAGOGIA- 176 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 176 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
Rosane Domingues
 
PEDAGOGIA- 276 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 276 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...PEDAGOGIA- 276 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 276 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
Rosane Domingues
 
PEDAGOGIA- 150 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE PEDAGOGIA PARA ESTUDANTE ...
PEDAGOGIA- 150 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE PEDAGOGIA PARA ESTUDANTE ...PEDAGOGIA- 150 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE PEDAGOGIA PARA ESTUDANTE ...
PEDAGOGIA- 150 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE PEDAGOGIA PARA ESTUDANTE ...
Rosane Domingues
 
PEDAGOGIA- 200 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 200 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...PEDAGOGIA- 200 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 200 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
Rosane Domingues
 

Mais de Rosane Domingues (20)

Projeto de vida- Brincadeira poética- 2020
Projeto de vida- Brincadeira poética- 2020Projeto de vida- Brincadeira poética- 2020
Projeto de vida- Brincadeira poética- 2020
 
Eletiva- Cinema e Fotografia
Eletiva- Cinema e Fotografia Eletiva- Cinema e Fotografia
Eletiva- Cinema e Fotografia
 
Acolhimento Aula de Eletiva - Inova
Acolhimento Aula de Eletiva - InovaAcolhimento Aula de Eletiva - Inova
Acolhimento Aula de Eletiva - Inova
 
Acolhimento- Projeto d Vida- Inova- MODELO
Acolhimento-  Projeto d Vida- Inova- MODELOAcolhimento-  Projeto d Vida- Inova- MODELO
Acolhimento- Projeto d Vida- Inova- MODELO
 
1960 Quarto de despejo - Carolina maria de jesus.
1960 Quarto de despejo - Carolina maria de jesus.1960 Quarto de despejo - Carolina maria de jesus.
1960 Quarto de despejo - Carolina maria de jesus.
 
101 questões- Ética no serviço social - simulado grupo de estudo- CONCURSO SE...
101 questões- Ética no serviço social - simulado grupo de estudo- CONCURSO SE...101 questões- Ética no serviço social - simulado grupo de estudo- CONCURSO SE...
101 questões- Ética no serviço social - simulado grupo de estudo- CONCURSO SE...
 
Parte 3 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Parte 3 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...Parte 3 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Parte 3 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
 
Parte 2 de 4-ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441 d...
Parte 2 de 4-ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441 d...Parte 2 de 4-ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441 d...
Parte 2 de 4-ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441 d...
 
Parte 1 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Parte 1 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...Parte 1 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Parte 1 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
 
MODELO- Pesquisa Socioeconômica clima organizacional
MODELO- Pesquisa Socioeconômica clima organizacional MODELO- Pesquisa Socioeconômica clima organizacional
MODELO- Pesquisa Socioeconômica clima organizacional
 
FORMULÁRIO DE DENÚNCIA ÉTICA-SERVIÇO SOCIAL- versão 2016
FORMULÁRIO DE DENÚNCIA ÉTICA-SERVIÇO SOCIAL-  versão 2016FORMULÁRIO DE DENÚNCIA ÉTICA-SERVIÇO SOCIAL-  versão 2016
FORMULÁRIO DE DENÚNCIA ÉTICA-SERVIÇO SOCIAL- versão 2016
 
MANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL
MANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIALMANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL
MANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL
 
OS CONTEÚDOS E AS REFERÊNCIAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA CULTURA E ...
OS CONTEÚDOS E AS REFERÊNCIAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA CULTURA E ...OS CONTEÚDOS E AS REFERÊNCIAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA CULTURA E ...
OS CONTEÚDOS E AS REFERÊNCIAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA CULTURA E ...
 
ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL PLURIANUAL DE ASSISTÊNCIA SO...
ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL PLURIANUAL DE ASSISTÊNCIA SO...ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL PLURIANUAL DE ASSISTÊNCIA SO...
ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL PLURIANUAL DE ASSISTÊNCIA SO...
 
Plano municipal - CULTURA- social - 2012
Plano municipal - CULTURA- social  - 2012Plano municipal - CULTURA- social  - 2012
Plano municipal - CULTURA- social - 2012
 
Plano municipal social - Vulnerabilidade e riscos sociais-2012
Plano municipal social - Vulnerabilidade e riscos sociais-2012Plano municipal social - Vulnerabilidade e riscos sociais-2012
Plano municipal social - Vulnerabilidade e riscos sociais-2012
 
PEDAGOGIA- 176 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 176 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...PEDAGOGIA- 176 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 176 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
 
PEDAGOGIA- 276 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 276 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...PEDAGOGIA- 276 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 276 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
 
PEDAGOGIA- 150 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE PEDAGOGIA PARA ESTUDANTE ...
PEDAGOGIA- 150 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE PEDAGOGIA PARA ESTUDANTE ...PEDAGOGIA- 150 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE PEDAGOGIA PARA ESTUDANTE ...
PEDAGOGIA- 150 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE PEDAGOGIA PARA ESTUDANTE ...
 
PEDAGOGIA- 200 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 200 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...PEDAGOGIA- 200 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 200 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
 

Último

Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
ThiagoRORISDASILVA1
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
Manuais Formação
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 

Último (20)

Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 

Tecnicas de coleta de dados e instrumentos- Material maravilhoso

  • 1. Técnicas de coleta de dados e instrumentos de pesquisa
  • 2. O que é técnica? O que é instrumento?
  • 3. Tipos de técnicas e instrumentos de pesquisa Entrevista Questionários Observação
  • 4. 1. ENTREVISTA “Encontro entre duas pessoas, a fim de que uma delas obtenha informações a respeito de um determinado assunto” (Marconi & Lakatos, 1999, p. 94). TIPOS DE ENTREVISTA: • Estruturada: o entrevistador segue um roteiro previamente estabelecido. Não é permitido adaptar as perguntas a determinada situação, inverter a ordem ou elaborar outras perguntas. • Não Estruturada: o entrevistador tem liberdade para desenvolver cada situação em qualquer direção. Permite explorar mais amplamente uma questão. • Semi-estruturada.
  • 5. ENTREVISTA: Vantagens •Pode ser utilizada com todos segmentos da população (alfabetizados ou não) •Há maior flexibilidade: o entrevistador pode repetir a pergunta; formular de maneira diferente; garantir que foi compreendido •Permite obter dados que não se encontram nas fontes documentais •Informações mais precisas •Permite que os dados sejam quantificados e submetidos a tratamento estatístico
  • 6. PREPARAÇÃO DA ENTREVISTA • Planejamento da entrevista • Conhecimento prévio do entrevistado • Oportunidade da entrevista • Condições favoráveis • Contato com líderes • Conhecimento prévio do campo • Preparação específica
  • 7. ENTREVISTA: Diretrizes •Contato inicial: clima amistoso; objetivos •Formulação das perguntas: de acordo com o tipo (estruturada: seguir roteiro; não estruturada: deixar entrevistado à vontade); uma pergunta de cada vez; começar pelas que não tenham probabilidade de ser recusadas; evitar perguntas sugestivas ou que induzam •Registro das respostas: anotação simultânea, gravador (caso o entrevistado concorde). •Término entrevista: clima de cordialidade; aprovação por parte do informante.
  • 8. ENTREVISTA: Limitações •Dificuldade de expressão de ambas as partes •Incompreensão por parte do informante •Possibilidade do entrevistado ser influenciado •Disposição do entrevistado em dar informações necessárias •Retenção de alguns dados importantes •Ocupa muito tempo •Tamanho da amostra menor que o questionário
  • 9. 2. QUESTIONÁRIO “instrumento de coleta de dados constituído por uma série de perguntas, que devem ser respondidas por escrito” (Marconi & Lakatos, 1999:100)
  • 10. QUESTIONÁRIO: Vantagens •Economiza tempo, viagens e obtém grande número de dados •Atinge maior número de pessoas simultaneamente •Abrange uma área geográfica mais ampla •Economiza pessoal (treinamento; coleta campo) •Obtém respostas mais rápidas e exatas •Liberdade de respostas (anonimato) •Mais tempo para responder; horário favorável
  • 11. CUIDADOS NO PROCESSO DE ELABORAÇÃO • Conhecer o assunto • Cuidado na seleção das questões • Limitado em extensão e em finalidade • Codificadas para facilitar a tabulação • Indicação da entidade organizadora • Acompanhado por instruções • Boa apresentação estética
  • 12. Princípios para Formulação de Perguntas •Formular perguntas de forma simples de entender, de forma concreta e precisa •Considerar o grau de conhecimento e informação do entrevistado •Evitar palavras e formulações ambivalentes •Evitar perguntas sugestivas •Evitar perguntas indiscretas
  • 13. FORMAS DE PERGUNTAS •Abertas: Não existem categorias preestabelecidas. O entrevistado pode responder de forma espontânea. •Fechadas: Existem categorias diferenciadas. •Alternativa: sim - não •Escalas: 1 a 5 (1=concordo totalmente a 5=discordo totalmente) •Alternativas qualitativas: selecionar de uma série de respostas qualitativas uma alternativa (ex: conceitos)
  • 14. CONSTRUÇÃO DO QUESTIONÁRIO Consiste em traduzir os objetivos da pesquisa em perguntas claras e objetivas. TIPOSDEQUESTÕES a) Aberta: são as que permitem ao informante responder livremente, usando linguagem própria e emitir opiniões. Entretanto, apresenta alguns inconvenientes:  Dificulta a resposta ao próprio informante, que deverá redigi-la.  O processo de tabulação.  O tratamento estatístico e a interpretação. A análise é difícil, complexa, cansativa e demorada.
  • 15. b) Fechada: são aquelas em que o informante escolhe sua resposta entre duas opções. Este tipo de pergunta, embora restrinja a liberdade das respostas, facilita o trabalho do pesquisador e também a tabulação, pois as respostas são mais objetivas. c) Múltipla escolha: são perguntas fechadas mas que apresentam uma série de possíveis respostas, abrangendo várias facetas do mesmo assunto. A técnica da escolha múltipla é facilmente tabulável e proporciona uma exploração em profundidade quase tão boa quanto a de perguntas abertas. A combinação de respostas múltiplas com as respostas abertas possibilita mais informações sobre o assunto, sem prejudicar a tabulação.
  • 16. PRÉ-TESTE DO QUESTIONÁRIO A análise dos dados , após tabulação, evidenciará possíveis falhas existentes: • Inconsistência ou complexidade das questões. • Ambigüidades ou linguagem inacessível. • Perguntas supérfluas ou que causem embaraço ao informante. • Questões que obedeçam a uma determinada ordem. • Se são muito numerosas.
  • 17. QUESTIONÁRIO: Limitações Quando enviados: •Percentagem pequena dos questionários que voltam (correio) •Perguntas sem resposta Feito pelo pesquisador: •Limitação em auxiliar o informante em questões mal compreendidas •Dificuldade de compreensão gera uniformidade aparente •Devolução tardia prejudica o cronograma
  • 18. 3. OBSERVAÇÃO “...utiliza os sentidos na obtenção de determinados aspectos da realidade. Consiste de ver, ouvir e examinar fatos ou fenômenos” (Marconi & Lakatos, 1999:90) É considerada científica quando ... •é planejada sistematicamente; •é registrada metodicamente; •está sujeita a verificações e controles sobre a validade e segurança.
  • 19. Segundo a participação do observador: • Participante: consiste na participação real do pesquisador com a comunidade ou grupo. Em geral são apontados duas formas:  Natural - o observador pertence à mesma comunidade ou grupo que investiga.  Artificial - o observador integra-se ao grupo com a finalidade de obter informações. • Não participante: o observador toma contato com a comunidade, grupo ou realidade estudada, mas sem integrar-se a ela - permanece de fora.
  • 20. PONTOS À SEREM CONSIDERADOS NA OBSERVAÇÃO Para que observarPor que observar Como observar O que observarQuem observar
  • 21. FORMAS DE OBSERVAÇÃO • Sistemática: baseada em critérios científicos, planejada, controlada. • Não Sistemática: observação diária sem critérios científicos • Estruturada: sistema diferenciado de categorias, alto grau de confiabilidade. • Não Estruturada: categorias gerais e abertas; liberdade de observação
  • 22. Guia para Construção de um Sistema de Observação •Definição do problema •Decisão sob as formas de observação •Decisão sobre o levantamento de dados •Definição das características a serem observadas •Determinação das modalidades e técnicas de registro •Verificar os critérios científicos •Construção do sistema final de observação •Aplicação do inventário de observação
  • 23. PRINCIPAL PROBLEMA COM A TÉCNICA DA OBSERVAÇÃO O principal problema é que a presença do pesquisador pode provocar alterações no comportamento dos observados, destruindo a espontaneidade dos mesmos e produzindo resultados pouco confiáveis.
  • 24. Referências  ComoElaborarProjetosdePesquisa.Antônio CarlosGil.  SandraSanchez.InstrumentosdaPesquisaQualitativa. Disponível em: https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s& source=web&cd=3&ved=0CDoQFjAC&url=ftp%3A%2F% 2Fftp.unilins.edu.br%2Fvorlei%2Fetec%2FII_mkt_EMCM %2Faulas%2FInstrumentos%2520da%2520Pesquisa% 2520Qualitativa.ppt&ei=spkoUvKcCoOQ9QTRvYFg&usg= AFQjCNHpX4CMPV7pFyzkm0zzEtI8ptQtZg  FrancoNoce.MétodoseInstrumentosdePesquisa. Disponível em: http://www.aleixomkt.com.br/fisio/42.pdf