SlideShare uma empresa Scribd logo
MAPA DE RISCOS
O Ponto de Partida – Saúde e Segurança
Criação: PORTARIA Nº 05 EM 17/08/92.
Obrigatória, por parte de todas as empresas.
NR – 9.
NR – 7.
Tais programas estão intimamente ligados e deles
poderão resultar, a depender das necessidades
detectadas, outros programas específicos.
 Uma representação gráfica de um
conjunto de fatores presentes nos
locais de trabalho.
 Completo ou setorial.
Fatores capazes de acarretar prejuízos
à saúde dos trabalhadores: acidentes
e doenças de trabalho.
PARA QUE SERVE?
Conscientização e informação dos trabalhadores
através da fácil visualização dos riscos existentes na
empresa.
Reunir as informações necessárias para estabelecer o
diagnóstico da situação de segurança e saúde no
trabalho na empresa.
Durante a sua elaboração, a troca e divulgação de
informações entre os trabalhadores, bem como
estimular sua participação nas atividades de
prevenção.
Reunir as informações necessárias:
Estabelecer o diagnóstico da situação de
segurança e saúde no trabalho na empresa.
 Elaboração:
- A troca e divulgação de informações
entre os trabalhadores.
- Estimulo da participação nas atividades
e prevenção de acidente.
COMO SÃO ELABORADOS OS
MAPAS?
Conhecer o processo de trabalho no local
analisado.
Identificar os riscos existentes no local
analisado, conforme a classificação
específica dos riscos ambientais.
Identificar as medidas preventivas
existentes e sua eficácia.
Identificar os indicadores de saúde.
Queixas mais freqüentes e comuns entre
os trabalhadores expostos aos mesmos
riscos.
Acidentes de trabalho ocorridos.
Doenças profissionais diagnosticadas,
causas mais freqüentes de ausência ao
trabalho.
Conhecer os levantamentos ambientais já
realizados no local.
Elaborar o Mapa de Riscos, sobre o layout da
empresa, indicando através de círculos:
O grupo a que pertence o risco, de acordo
com a cor padronizada.
O número de trabalhadores expostos ao
risco, o qual deve ser anotado dentro do
círculo.
A especificação do agente (por exemplo:
químico - sílica, hexano, ácido clorídrico;
ou ergonômico/repetitividade, ritmo
excessivo) que deve ser anotada também
dentro do círculo.
A intensidade do risco, de acordo com a
percepção dos trabalhadores, que deve ser
representada por tamanhos
proporcionalmente diferentes de círculos.
Quando em um mesmo local houver
incidência de mais de um risco de igual
gravidade, utiliza-se o mesmo círculo,
dividindo-o em partes, pintando-as com a
cor correspondente ao risco.
Após discutido e aprovado pela CIPA,
o Mapa de Riscos, completo ou
setorial, deverá ser afixado em cada
local analisado, de forma claramente
visível e de fácil acesso para os
trabalhadores.
TABELA DE GRAVIDADE
SIMBOLOGIA DAS CORES
O AMBIENTE DE TRABALHO
RISCOS AMBIENTAIS
Compreendem os seguintes riscos:
 Agentes químicos;
 Agentes físicos;
 Agentes biológicos;
 Agentes ergonômicos;
Riscos de acidentes decorrentes do ambiente de trabalho
São capazes de causar danos à saúde e à integridade
física do trabalhador em função de sua natureza,
intensidade, suscetibilidade e tempo de exposição.
RISCOS FÍSICOS
São aqueles gerados por máquinas e condições físicas
características do local de trabalho, que podem causar
danos à saúde do trabalhador.
RISCOS QUÍMICOS
São aqueles representados pelas substâncias químicas
que se encontram nas formas líquida, sólida e gasosa,
e quando absorvidos pelo organismo, podem produzir
reações tóxicas e danos à saúde.
RISCOS BIOLÓGICOS
São aqueles causados por microorganismos como
bactérias, fungos, vírus e outros. São capazes de
desencadear doenças devido à contaminação e pela
própria natureza do trabalho.
RISCOS BIOLÓGICOS CONSEQUENCIAS
Vírus, bactérias e protozoários
RISCOS ERGONÔMICOS
Estes riscos são contrários às técnicas de ergonomia, que
exigem que os ambientes de trabalho se adaptem ao
homem, proporcionando bem estar físico e psicológico.
 Os riscos ergonômicos estão ligados também a fatores
externos (do ambiente) e internos (do plano emocional),
em síntese, quando há disfunção entre o indivíduo e seu
posto de trabalho.
RISCOS MECÂNICOS
OU DE ACIDENTES
Os riscos mecânicos ou de acidentes ocorrem em
função das condições físicas (do ambiente físico de
trabalho) e tecnológicas impróprias, capazes de colocar
em perigo a integridade física do trabalhador.
NR-09 - PPRA
PPRA levanta o mapa de riscos do ambiente do
trabalho, através da antecipação, reconhecimento
e avaliação e consequente controle da ocorrência
de riscos ambientais, existentes ou futuros no
ambiente de trabalho
Ações devem ser desenvolvidas no âmbito de cada
estabelecimento da empresa
ESTRUTURA BÁSICA DO PPRA
Planejamento anual com estabelecimento de
metas, prioridades e cronograma dos prazos para o
desenvolvimento das etapas e cumprimento das
metas
Estratégia e metodologia de ação
Forma para o registro, a manutenção e a
divulgação dos dados
Periodicidade e forma de avaliação do
desenvolvimento do PPRA
Desenvolvimento do PPRA
ETAPAS
- antecipação e reconhecimento dos riscos
- estabelecimento de prioridades e metas de
avaliação e controle
- avaliação dos riscos e da exposição dos
trabalhadores
Desenvolvimento do PPRA (cont.)
- implantação de medidas de controle e
avaliação de sua eficácia
- monitoramento da exposição aos riscos
- registro e divulgação dos dados
Desenvolvimento do PPRA (cont.)
O PPRA deve estabelecer critérios e mecanismos
de avaliação da eficácia das medidas de proteção
implantadas considerando os dados obtidos nas
avaliações realizadas e no controle médico da
saúde previsto na NR-07
RESPONSABILIDADES DO
EMPREGADOR
Estabelecer, implementar e assegurar o
cumprimento do PPRA como atividade
permanente da empresa
CONCLUSÃO
UM BOM PCMSO É UM INVESTIMENTO, NÃO
UM CUSTO
- menor absenteísmo
- menor rotatividade
- menor sinistralidade do plano de saúde
da empresa e consequente custo
- maior índice de satisfação
- maior produtividade da empresa
NR-07 – PCMSO
Programa técnico-preventivo a ser realizado pela
empresa como parte integrante do conjunto mais
amplo de iniciativas no campo da proteção à saúde
dos empregados
NR-07 – PCMSO
Caráter de prevenção
Rastreamento e diagnóstico precoce dos agravos à
saúde relacionados ao trabalho, além da
constatação da existência de casos de doenças
profissionais ou danos irreversíveis à saúde dos
trabalhadores.
NR-07 – PCMSO
Empresas, instituições públicas e privadas que
admitam trabalhadores como empregados são
obrigadas a elaborar e a implementar o PCMSO,
com o objetivo de promover e preservar a saúde
dos trabalhadores
ETAPAS A SEREM OBRIGATORIAMENTE
OBSERVADAS NA ELABORAÇÃO DO PCMSO
Verificação física geral e preliminar, em todas
as dependências do estabelecimento,
objetivando identificar a presença de riscos
profissionais porventura existentes
Estabelecimento de metas, inclusive
discutindo as prioridades com a CIPA e com o
SESMT, implantando as medidas de controle
(proteção coletiva e individual) e avaliando
periodicamente sua eficácia
ETAPAS (cont.)
Desenvolvimento de ações elementares ou primárias
para a manutenção da saúde, através de:
- campanhas educativas e de conscientização para a
melhoria da higiene pessoal (banho diário, lavagem de
mãos), habitacional (água encanada, adequado sistema
de esgotos) e da saúde em geral (combate ao fumo e ao
álcool, prevenção da hipertensão e do stress)
- prevenção de doenças ocupacionais específicas
(LER, DORT e PAIRO)
- campanhas de vacinação para profilaxia das
doenças em geral (gripe, sarampo, dengue,hepatite A e
B)
ETAPAS (cont.)
Implantação de ações complementares ou
secundárias, através da avaliação médico-
ocupacional em todos os trabalhadores
Objetivo: identificar se os riscos profissionais
presentes nos correspondentes ambientes de
trabalho já estão ou não apresentando
consequências nocivas à saúde e, conforme o
caso, indicar medidas preventivas adequadas.
RESPONSABILIDADES DO
EMPREGADOR
Garantir sua elaboração e efetiva implementação
Zelar por sua eficácia, inclusive arcando com o ônus de
custear todos os procedimentos
Indicar dentre os médicos do SESMT da empresa um
médico-coordenador responsável pela execução do
PCMSO
Não havendo SESMT, o empregador contratará um
médico do trabalho para ser o responsável pelo
PCMSO
Se não houver este especialista na localidade, poderá
ser contratado qualquer outro médico
AVALIAÇÃO MÉDICO-OCUPACIONAL DOS
TRABALHADORES
Admissional – antes do início das atividades
De retorno ao trabalho – no primeiro dia da volta
do trabalhador ao trabalho, após ausência por
período igual ou superior a 30 dias, motivada por
doença ou acidente, de natureza ocupacional ou
não, ou parto
Avaliação médico-ocupacional
(cont.)
De mudança de função – antes da data da
mudança de função, entendendo-se como tal toda
e qualquer alteração de atividade, posto ou setor
de trabalho que implique em exposição do
trabalhador a risco diferente daquele a que estava
exposto antes da mudança
Avaliação médico-ocupacional
(cont.)
Periódico – nos seguintes intervalos mínimos:
- Trabalhadores expostos a riscos ou
situações de trabalho que impliquem o
desencadeamento ou agravamento de doença
ocupacional, ou aqueles que sejam portadores
de doenças crônicas:
 Anualmente, ou a intervalos menores, a critério do médico
encarregado, ou se notificado pelo médico auditor-fiscal do
trabalho, ou como resultado de negociação coletiva
Exame Médico Periódico (cont.)
 De acordo com a periodicidade especificada no Anexo 06
da NR-15: Trabalhos sob Pressões Hiperbáricas:
Atividades e Operações Insalubres
Para demais trabalhadores:
 Anualmente, para menores de 18 e maiores de 45
 A cada 2 anos, para trabalhadores entre 18 e 45
Avaliação médico-ocupacional
(cont.)
Demissional – até a data da homologação da
rescisão contratual, desde que o último exame
médico-ocupacional tenha sido realizado há mais
de 135 dias para as empresas de grau de risco 1 e 2,
ou há mais de 90 dias para as empresas de grau de
risco 3 ou 4, conforme Quadro II da NR-04
Avaliação médico-ocupacional
(cont.)
O médico que realizar o exame deverá emitir o
correspondente Atestado de Saúde Ocupacional
(ASO), em 2 vias, sendo que a primeira ficará
arquivada no local de trabalho para fins de
fiscalização trabalhista , e a segunda será entregue
ao trabalhador, que confirmará o recebimento na
primeira via.
Atestado de Saúde Ocupacional
Nome completo, número do registro de
identidade e função do trabalhador
Indicação dos procedimentos médicos a que
foi submetido o trabalhador, inclusive exames
complementares e data em que realizados
Definição de apto ou inapto para a função
específica
Nome e endereço do médico
Data e assinatura do médico e carimbo de
Equipamento obrigatório
Todo estabelecimento deve estar equipado com o
material necessário à prestação de primeiros
socorros, considerando-se as características das
atividades desenvolvidas, mantido e guardado em
local adequado, e aos cuidados de pessoa
especialmente treinada para este fim.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Treinamento básico de segurança
Treinamento básico de segurançaTreinamento básico de segurança
Treinamento básico de segurança
conbetcursos
 
Segurança do trabalho
Segurança do trabalhoSegurança do trabalho
Segurança do trabalho
Mauricio Cesar Soares
 
Acidentes de trabalho (causas e consequências)
Acidentes de trabalho   (causas e consequências)Acidentes de trabalho   (causas e consequências)
Acidentes de trabalho (causas e consequências)
Agostinho J. Neto
 
NR-1
NR-1NR-1
Power+point+nr+11
Power+point+nr+11Power+point+nr+11
Power+point+nr+11
Gil Mendes
 
NR 17 - Ergonomia
NR 17 - ErgonomiaNR 17 - Ergonomia
NR 17 - Ergonomia
Amanda Dias
 
Acidente do trabalho e doenças ocupacionais
Acidente do trabalho e doenças ocupacionaisAcidente do trabalho e doenças ocupacionais
Acidente do trabalho e doenças ocupacionais
RONALDO COSTA
 
Nr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completaNr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completa
Daniel Lira
 
Palestra de ergonomia Nr -17
Palestra de ergonomia Nr -17Palestra de ergonomia Nr -17
Palestra de ergonomia Nr -17
Josiel Leite
 
Prevenção de Acidentes de Trabalho
Prevenção de Acidentes de TrabalhoPrevenção de Acidentes de Trabalho
Prevenção de Acidentes de Trabalho
IZAIAS DE SOUZA AGUIAR
 
Modelo relatório de inspeção de segurança do trabalho
Modelo   relatório de inspeção de segurança do trabalhoModelo   relatório de inspeção de segurança do trabalho
Modelo relatório de inspeção de segurança do trabalho
anairdaatosc
 
Aula 2 - Normas Regulamentadoras
Aula 2 - Normas RegulamentadorasAula 2 - Normas Regulamentadoras
Aula 2 - Normas Regulamentadoras
Ghiordanno Bruno
 
Apresentação nr10
Apresentação nr10Apresentação nr10
Apresentação nr10
foxtray
 
Treinamento fispq com_audio
Treinamento fispq com_audioTreinamento fispq com_audio
Treinamento fispq com_audio
Rosana Andrea Miranda
 
Aula 5 epi
Aula 5   epiAula 5   epi
Aula 5 epi
Daniel Moura
 
Integração de Segurança do Trabalho NOVO
Integração de Segurança do Trabalho NOVOIntegração de Segurança do Trabalho NOVO
Integração de Segurança do Trabalho NOVO
Sergio Silva
 
Medidas para prevenção de acidentes no trabalho
Medidas para prevenção de acidentes no trabalhoMedidas para prevenção de acidentes no trabalho
Medidas para prevenção de acidentes no trabalho
Thaysa Brito
 
Nr 12
Nr 12Nr 12
NR - 06 EPI (Oficial)
NR - 06 EPI (Oficial)NR - 06 EPI (Oficial)
NR - 06 EPI (Oficial)
Claudio Cesar Pontes ن
 
Cartilha de Ergonomia na Construção civil NR 17
Cartilha de Ergonomia na Construção civil NR 17Cartilha de Ergonomia na Construção civil NR 17
Cartilha de Ergonomia na Construção civil NR 17
Ikaika Epi
 

Mais procurados (20)

Treinamento básico de segurança
Treinamento básico de segurançaTreinamento básico de segurança
Treinamento básico de segurança
 
Segurança do trabalho
Segurança do trabalhoSegurança do trabalho
Segurança do trabalho
 
Acidentes de trabalho (causas e consequências)
Acidentes de trabalho   (causas e consequências)Acidentes de trabalho   (causas e consequências)
Acidentes de trabalho (causas e consequências)
 
NR-1
NR-1NR-1
NR-1
 
Power+point+nr+11
Power+point+nr+11Power+point+nr+11
Power+point+nr+11
 
NR 17 - Ergonomia
NR 17 - ErgonomiaNR 17 - Ergonomia
NR 17 - Ergonomia
 
Acidente do trabalho e doenças ocupacionais
Acidente do trabalho e doenças ocupacionaisAcidente do trabalho e doenças ocupacionais
Acidente do trabalho e doenças ocupacionais
 
Nr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completaNr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completa
 
Palestra de ergonomia Nr -17
Palestra de ergonomia Nr -17Palestra de ergonomia Nr -17
Palestra de ergonomia Nr -17
 
Prevenção de Acidentes de Trabalho
Prevenção de Acidentes de TrabalhoPrevenção de Acidentes de Trabalho
Prevenção de Acidentes de Trabalho
 
Modelo relatório de inspeção de segurança do trabalho
Modelo   relatório de inspeção de segurança do trabalhoModelo   relatório de inspeção de segurança do trabalho
Modelo relatório de inspeção de segurança do trabalho
 
Aula 2 - Normas Regulamentadoras
Aula 2 - Normas RegulamentadorasAula 2 - Normas Regulamentadoras
Aula 2 - Normas Regulamentadoras
 
Apresentação nr10
Apresentação nr10Apresentação nr10
Apresentação nr10
 
Treinamento fispq com_audio
Treinamento fispq com_audioTreinamento fispq com_audio
Treinamento fispq com_audio
 
Aula 5 epi
Aula 5   epiAula 5   epi
Aula 5 epi
 
Integração de Segurança do Trabalho NOVO
Integração de Segurança do Trabalho NOVOIntegração de Segurança do Trabalho NOVO
Integração de Segurança do Trabalho NOVO
 
Medidas para prevenção de acidentes no trabalho
Medidas para prevenção de acidentes no trabalhoMedidas para prevenção de acidentes no trabalho
Medidas para prevenção de acidentes no trabalho
 
Nr 12
Nr 12Nr 12
Nr 12
 
NR - 06 EPI (Oficial)
NR - 06 EPI (Oficial)NR - 06 EPI (Oficial)
NR - 06 EPI (Oficial)
 
Cartilha de Ergonomia na Construção civil NR 17
Cartilha de Ergonomia na Construção civil NR 17Cartilha de Ergonomia na Construção civil NR 17
Cartilha de Ergonomia na Construção civil NR 17
 

Destaque

Segurança e medicina do trabalho aula3
Segurança e medicina do trabalho aula3Segurança e medicina do trabalho aula3
Segurança e medicina do trabalho aula3
Augusto Junior
 
Riscos Ambientais e Medidas de Controle de Riscos
Riscos Ambientais e Medidas de Controle de RiscosRiscos Ambientais e Medidas de Controle de Riscos
Riscos Ambientais e Medidas de Controle de Riscos
Gerlane Batista
 
Cartilha sesi
Cartilha sesiCartilha sesi
Cartilha sesi
Marco Batista
 
Segurança do trabalho
Segurança do trabalhoSegurança do trabalho
Segurança do trabalho
Karoline Ferreira
 
Manual higiene e segurança no trabalho
Manual higiene e segurança no trabalhoManual higiene e segurança no trabalho
Manual higiene e segurança no trabalho
Filipa Andrade
 
Risco biológico e físicos
Risco biológico e físicosRisco biológico e físicos
Risco biológico e físicos
Robson Lopes
 
Riscos quimicos
Riscos quimicosRiscos quimicos
Riscos quimicos
Claudinei Silva
 
Apr cobertura bloco c v1
Apr cobertura bloco c v1Apr cobertura bloco c v1
Apr cobertura bloco c v1
Uanderson Alves
 
Apr acabamento obra
Apr   acabamento obraApr   acabamento obra
Apr acabamento obra
Leicy Rosa
 
Riscos ambientais curso_de_biosseguranca_atualizado
Riscos ambientais curso_de_biosseguranca_atualizadoRiscos ambientais curso_de_biosseguranca_atualizado
Riscos ambientais curso_de_biosseguranca_atualizado
Clodoaldo Lopes
 
Sesi - Prova 1º ano
Sesi - Prova 1º anoSesi - Prova 1º ano
Sesi - Prova 1º ano
Doug Caesar
 
APR
APRAPR
Agentes quimicos parte_1
Agentes quimicos parte_1Agentes quimicos parte_1
Agentes quimicos parte_1
pamcolbano
 
Riscos Ergonômicos
Riscos Ergonômicos Riscos Ergonômicos
Riscos Ergonômicos
Niela Tuani
 
Manual de Formação Curso Higiene e Segurança no Trabalho
Manual de Formação Curso Higiene e Segurança no TrabalhoManual de Formação Curso Higiene e Segurança no Trabalho
Manual de Formação Curso Higiene e Segurança no Trabalho
Filipa Andrade
 
Higiene e segurança no trabalho
Higiene e segurança no trabalhoHigiene e segurança no trabalho
Higiene e segurança no trabalho
Rita Galrito
 
Higiene e segurança no trabalho
Higiene e segurança no trabalhoHigiene e segurança no trabalho
Higiene e segurança no trabalho
MiguelCarapinha94
 
Higiene e Segurança no Trabalho
Higiene e Segurança no TrabalhoHigiene e Segurança no Trabalho
Higiene e Segurança no Trabalho
João Costa
 
Higiene e Segurança no Trabalho
Higiene e Segurança no TrabalhoHigiene e Segurança no Trabalho
Higiene e Segurança no Trabalho
Camila Falcão
 
Higiene e Segurança no Trabalho
Higiene e Segurança no TrabalhoHigiene e Segurança no Trabalho
Higiene e Segurança no Trabalho
Filomena54
 

Destaque (20)

Segurança e medicina do trabalho aula3
Segurança e medicina do trabalho aula3Segurança e medicina do trabalho aula3
Segurança e medicina do trabalho aula3
 
Riscos Ambientais e Medidas de Controle de Riscos
Riscos Ambientais e Medidas de Controle de RiscosRiscos Ambientais e Medidas de Controle de Riscos
Riscos Ambientais e Medidas de Controle de Riscos
 
Cartilha sesi
Cartilha sesiCartilha sesi
Cartilha sesi
 
Segurança do trabalho
Segurança do trabalhoSegurança do trabalho
Segurança do trabalho
 
Manual higiene e segurança no trabalho
Manual higiene e segurança no trabalhoManual higiene e segurança no trabalho
Manual higiene e segurança no trabalho
 
Risco biológico e físicos
Risco biológico e físicosRisco biológico e físicos
Risco biológico e físicos
 
Riscos quimicos
Riscos quimicosRiscos quimicos
Riscos quimicos
 
Apr cobertura bloco c v1
Apr cobertura bloco c v1Apr cobertura bloco c v1
Apr cobertura bloco c v1
 
Apr acabamento obra
Apr   acabamento obraApr   acabamento obra
Apr acabamento obra
 
Riscos ambientais curso_de_biosseguranca_atualizado
Riscos ambientais curso_de_biosseguranca_atualizadoRiscos ambientais curso_de_biosseguranca_atualizado
Riscos ambientais curso_de_biosseguranca_atualizado
 
Sesi - Prova 1º ano
Sesi - Prova 1º anoSesi - Prova 1º ano
Sesi - Prova 1º ano
 
APR
APRAPR
APR
 
Agentes quimicos parte_1
Agentes quimicos parte_1Agentes quimicos parte_1
Agentes quimicos parte_1
 
Riscos Ergonômicos
Riscos Ergonômicos Riscos Ergonômicos
Riscos Ergonômicos
 
Manual de Formação Curso Higiene e Segurança no Trabalho
Manual de Formação Curso Higiene e Segurança no TrabalhoManual de Formação Curso Higiene e Segurança no Trabalho
Manual de Formação Curso Higiene e Segurança no Trabalho
 
Higiene e segurança no trabalho
Higiene e segurança no trabalhoHigiene e segurança no trabalho
Higiene e segurança no trabalho
 
Higiene e segurança no trabalho
Higiene e segurança no trabalhoHigiene e segurança no trabalho
Higiene e segurança no trabalho
 
Higiene e Segurança no Trabalho
Higiene e Segurança no TrabalhoHigiene e Segurança no Trabalho
Higiene e Segurança no Trabalho
 
Higiene e Segurança no Trabalho
Higiene e Segurança no TrabalhoHigiene e Segurança no Trabalho
Higiene e Segurança no Trabalho
 
Higiene e Segurança no Trabalho
Higiene e Segurança no TrabalhoHigiene e Segurança no Trabalho
Higiene e Segurança no Trabalho
 

Semelhante a Mapa de risco

Mapa de risco e pcmso(1).
Mapa de risco e pcmso(1).Mapa de risco e pcmso(1).
Mapa de risco e pcmso(1).
Eder Da Silva Junque Junqueira
 
Mapa de Riscos PCMSO
Mapa de Riscos PCMSOMapa de Riscos PCMSO
Mapa de Riscos PCMSO
Carlos Moreira
 
Nr 9 ppra programa de prevenção de riscos ambientais
Nr 9 ppra programa de prevenção de riscos ambientaisNr 9 ppra programa de prevenção de riscos ambientais
Nr 9 ppra programa de prevenção de riscos ambientais
NRFACIL www.nrfacil.com.br
 
Pcmso e cipa
Pcmso e  cipaPcmso e  cipa
Pcmso e cipa
valdenor Alves
 
Webgincana ppra
Webgincana ppraWebgincana ppra
Webgincana ppra
Mirtes Campos
 
wbgincana(PPRA)
wbgincana(PPRA)wbgincana(PPRA)
wbgincana(PPRA)
Mirtes Campos
 
Ppra
PpraPpra
Ppra de restaurante
Ppra de restaurantePpra de restaurante
Ppra de restaurante
Ozias Paulo
 
Saúde do Trabalhador riscos.pdf
Saúde do Trabalhador riscos.pdfSaúde do Trabalhador riscos.pdf
Saúde do Trabalhador riscos.pdf
NutricionistavelinSa
 
Ppra grafica
Ppra   graficaPpra   grafica
Ppra grafica
Diva Brito de Andrade
 
TREINAMENTO DE CIPA.pptx
TREINAMENTO DE CIPA.pptxTREINAMENTO DE CIPA.pptx
TREINAMENTO DE CIPA.pptx
VALRIAPEREIRAVianna
 
PCMSO posto trabalho aula - 2016
PCMSO   posto trabalho aula - 2016PCMSO   posto trabalho aula - 2016
PCMSO posto trabalho aula - 2016
Juan Enrique Scaraffuni .´.
 
Pcmso alpha plast
Pcmso alpha plastPcmso alpha plast
Pcmso alpha plast
DayvdCampos
 
Ppra b r cantanhece moveis e acessorios 2020
Ppra b r cantanhece moveis e acessorios 2020Ppra b r cantanhece moveis e acessorios 2020
Ppra b r cantanhece moveis e acessorios 2020
Marcelo Santos
 
Ppra usina de açucar
Ppra usina de açucar Ppra usina de açucar
Ppra usina de açucar
Tecpreve Tecpreve
 
Ppra usina de açucar
Ppra usina de açucar Ppra usina de açucar
Ppra usina de açucar
Tecpreve Tecpreve
 
webgincana do (PPRA)e(PCMSO
webgincana do (PPRA)e(PCMSOwebgincana do (PPRA)e(PCMSO
webgincana do (PPRA)e(PCMSO
Mirtes Campos
 
Legislação e PCMSO - NR 7
Legislação e PCMSO - NR 7Legislação e PCMSO - NR 7
Legislação e PCMSO - NR 7
alessandra_775
 
Aula 7.1 serviços e programas sst
Aula 7.1 serviços e programas sstAula 7.1 serviços e programas sst
Aula 7.1 serviços e programas sst
Daniel Moura
 
Palestra ppra
Palestra ppraPalestra ppra
Palestra ppra
Gefherson
 

Semelhante a Mapa de risco (20)

Mapa de risco e pcmso(1).
Mapa de risco e pcmso(1).Mapa de risco e pcmso(1).
Mapa de risco e pcmso(1).
 
Mapa de Riscos PCMSO
Mapa de Riscos PCMSOMapa de Riscos PCMSO
Mapa de Riscos PCMSO
 
Nr 9 ppra programa de prevenção de riscos ambientais
Nr 9 ppra programa de prevenção de riscos ambientaisNr 9 ppra programa de prevenção de riscos ambientais
Nr 9 ppra programa de prevenção de riscos ambientais
 
Pcmso e cipa
Pcmso e  cipaPcmso e  cipa
Pcmso e cipa
 
Webgincana ppra
Webgincana ppraWebgincana ppra
Webgincana ppra
 
wbgincana(PPRA)
wbgincana(PPRA)wbgincana(PPRA)
wbgincana(PPRA)
 
Ppra
PpraPpra
Ppra
 
Ppra de restaurante
Ppra de restaurantePpra de restaurante
Ppra de restaurante
 
Saúde do Trabalhador riscos.pdf
Saúde do Trabalhador riscos.pdfSaúde do Trabalhador riscos.pdf
Saúde do Trabalhador riscos.pdf
 
Ppra grafica
Ppra   graficaPpra   grafica
Ppra grafica
 
TREINAMENTO DE CIPA.pptx
TREINAMENTO DE CIPA.pptxTREINAMENTO DE CIPA.pptx
TREINAMENTO DE CIPA.pptx
 
PCMSO posto trabalho aula - 2016
PCMSO   posto trabalho aula - 2016PCMSO   posto trabalho aula - 2016
PCMSO posto trabalho aula - 2016
 
Pcmso alpha plast
Pcmso alpha plastPcmso alpha plast
Pcmso alpha plast
 
Ppra b r cantanhece moveis e acessorios 2020
Ppra b r cantanhece moveis e acessorios 2020Ppra b r cantanhece moveis e acessorios 2020
Ppra b r cantanhece moveis e acessorios 2020
 
Ppra usina de açucar
Ppra usina de açucar Ppra usina de açucar
Ppra usina de açucar
 
Ppra usina de açucar
Ppra usina de açucar Ppra usina de açucar
Ppra usina de açucar
 
webgincana do (PPRA)e(PCMSO
webgincana do (PPRA)e(PCMSOwebgincana do (PPRA)e(PCMSO
webgincana do (PPRA)e(PCMSO
 
Legislação e PCMSO - NR 7
Legislação e PCMSO - NR 7Legislação e PCMSO - NR 7
Legislação e PCMSO - NR 7
 
Aula 7.1 serviços e programas sst
Aula 7.1 serviços e programas sstAula 7.1 serviços e programas sst
Aula 7.1 serviços e programas sst
 
Palestra ppra
Palestra ppraPalestra ppra
Palestra ppra
 

Mapa de risco

  • 1.
  • 2. MAPA DE RISCOS O Ponto de Partida – Saúde e Segurança Criação: PORTARIA Nº 05 EM 17/08/92. Obrigatória, por parte de todas as empresas. NR – 9. NR – 7. Tais programas estão intimamente ligados e deles poderão resultar, a depender das necessidades detectadas, outros programas específicos.
  • 3.  Uma representação gráfica de um conjunto de fatores presentes nos locais de trabalho.  Completo ou setorial. Fatores capazes de acarretar prejuízos à saúde dos trabalhadores: acidentes e doenças de trabalho.
  • 4. PARA QUE SERVE? Conscientização e informação dos trabalhadores através da fácil visualização dos riscos existentes na empresa. Reunir as informações necessárias para estabelecer o diagnóstico da situação de segurança e saúde no trabalho na empresa. Durante a sua elaboração, a troca e divulgação de informações entre os trabalhadores, bem como estimular sua participação nas atividades de prevenção.
  • 5. Reunir as informações necessárias: Estabelecer o diagnóstico da situação de segurança e saúde no trabalho na empresa.  Elaboração: - A troca e divulgação de informações entre os trabalhadores. - Estimulo da participação nas atividades e prevenção de acidente.
  • 6. COMO SÃO ELABORADOS OS MAPAS? Conhecer o processo de trabalho no local analisado. Identificar os riscos existentes no local analisado, conforme a classificação específica dos riscos ambientais. Identificar as medidas preventivas existentes e sua eficácia.
  • 7. Identificar os indicadores de saúde. Queixas mais freqüentes e comuns entre os trabalhadores expostos aos mesmos riscos. Acidentes de trabalho ocorridos. Doenças profissionais diagnosticadas, causas mais freqüentes de ausência ao trabalho. Conhecer os levantamentos ambientais já realizados no local.
  • 8. Elaborar o Mapa de Riscos, sobre o layout da empresa, indicando através de círculos: O grupo a que pertence o risco, de acordo com a cor padronizada. O número de trabalhadores expostos ao risco, o qual deve ser anotado dentro do círculo. A especificação do agente (por exemplo: químico - sílica, hexano, ácido clorídrico; ou ergonômico/repetitividade, ritmo excessivo) que deve ser anotada também dentro do círculo.
  • 9. A intensidade do risco, de acordo com a percepção dos trabalhadores, que deve ser representada por tamanhos proporcionalmente diferentes de círculos. Quando em um mesmo local houver incidência de mais de um risco de igual gravidade, utiliza-se o mesmo círculo, dividindo-o em partes, pintando-as com a cor correspondente ao risco.
  • 10. Após discutido e aprovado pela CIPA, o Mapa de Riscos, completo ou setorial, deverá ser afixado em cada local analisado, de forma claramente visível e de fácil acesso para os trabalhadores.
  • 13.
  • 14. O AMBIENTE DE TRABALHO RISCOS AMBIENTAIS Compreendem os seguintes riscos:  Agentes químicos;  Agentes físicos;  Agentes biológicos;  Agentes ergonômicos; Riscos de acidentes decorrentes do ambiente de trabalho São capazes de causar danos à saúde e à integridade física do trabalhador em função de sua natureza, intensidade, suscetibilidade e tempo de exposição.
  • 15. RISCOS FÍSICOS São aqueles gerados por máquinas e condições físicas características do local de trabalho, que podem causar danos à saúde do trabalhador.
  • 16.
  • 17. RISCOS QUÍMICOS São aqueles representados pelas substâncias químicas que se encontram nas formas líquida, sólida e gasosa, e quando absorvidos pelo organismo, podem produzir reações tóxicas e danos à saúde.
  • 18.
  • 19.
  • 20. RISCOS BIOLÓGICOS São aqueles causados por microorganismos como bactérias, fungos, vírus e outros. São capazes de desencadear doenças devido à contaminação e pela própria natureza do trabalho.
  • 21. RISCOS BIOLÓGICOS CONSEQUENCIAS Vírus, bactérias e protozoários
  • 22. RISCOS ERGONÔMICOS Estes riscos são contrários às técnicas de ergonomia, que exigem que os ambientes de trabalho se adaptem ao homem, proporcionando bem estar físico e psicológico.  Os riscos ergonômicos estão ligados também a fatores externos (do ambiente) e internos (do plano emocional), em síntese, quando há disfunção entre o indivíduo e seu posto de trabalho.
  • 23.
  • 24. RISCOS MECÂNICOS OU DE ACIDENTES Os riscos mecânicos ou de acidentes ocorrem em função das condições físicas (do ambiente físico de trabalho) e tecnológicas impróprias, capazes de colocar em perigo a integridade física do trabalhador.
  • 25.
  • 26. NR-09 - PPRA PPRA levanta o mapa de riscos do ambiente do trabalho, através da antecipação, reconhecimento e avaliação e consequente controle da ocorrência de riscos ambientais, existentes ou futuros no ambiente de trabalho Ações devem ser desenvolvidas no âmbito de cada estabelecimento da empresa
  • 27. ESTRUTURA BÁSICA DO PPRA Planejamento anual com estabelecimento de metas, prioridades e cronograma dos prazos para o desenvolvimento das etapas e cumprimento das metas Estratégia e metodologia de ação Forma para o registro, a manutenção e a divulgação dos dados Periodicidade e forma de avaliação do desenvolvimento do PPRA
  • 28. Desenvolvimento do PPRA ETAPAS - antecipação e reconhecimento dos riscos - estabelecimento de prioridades e metas de avaliação e controle - avaliação dos riscos e da exposição dos trabalhadores
  • 29. Desenvolvimento do PPRA (cont.) - implantação de medidas de controle e avaliação de sua eficácia - monitoramento da exposição aos riscos - registro e divulgação dos dados
  • 30. Desenvolvimento do PPRA (cont.) O PPRA deve estabelecer critérios e mecanismos de avaliação da eficácia das medidas de proteção implantadas considerando os dados obtidos nas avaliações realizadas e no controle médico da saúde previsto na NR-07
  • 31. RESPONSABILIDADES DO EMPREGADOR Estabelecer, implementar e assegurar o cumprimento do PPRA como atividade permanente da empresa
  • 32. CONCLUSÃO UM BOM PCMSO É UM INVESTIMENTO, NÃO UM CUSTO - menor absenteísmo - menor rotatividade - menor sinistralidade do plano de saúde da empresa e consequente custo - maior índice de satisfação - maior produtividade da empresa
  • 33. NR-07 – PCMSO Programa técnico-preventivo a ser realizado pela empresa como parte integrante do conjunto mais amplo de iniciativas no campo da proteção à saúde dos empregados
  • 34. NR-07 – PCMSO Caráter de prevenção Rastreamento e diagnóstico precoce dos agravos à saúde relacionados ao trabalho, além da constatação da existência de casos de doenças profissionais ou danos irreversíveis à saúde dos trabalhadores.
  • 35. NR-07 – PCMSO Empresas, instituições públicas e privadas que admitam trabalhadores como empregados são obrigadas a elaborar e a implementar o PCMSO, com o objetivo de promover e preservar a saúde dos trabalhadores
  • 36. ETAPAS A SEREM OBRIGATORIAMENTE OBSERVADAS NA ELABORAÇÃO DO PCMSO Verificação física geral e preliminar, em todas as dependências do estabelecimento, objetivando identificar a presença de riscos profissionais porventura existentes Estabelecimento de metas, inclusive discutindo as prioridades com a CIPA e com o SESMT, implantando as medidas de controle (proteção coletiva e individual) e avaliando periodicamente sua eficácia
  • 37. ETAPAS (cont.) Desenvolvimento de ações elementares ou primárias para a manutenção da saúde, através de: - campanhas educativas e de conscientização para a melhoria da higiene pessoal (banho diário, lavagem de mãos), habitacional (água encanada, adequado sistema de esgotos) e da saúde em geral (combate ao fumo e ao álcool, prevenção da hipertensão e do stress) - prevenção de doenças ocupacionais específicas (LER, DORT e PAIRO) - campanhas de vacinação para profilaxia das doenças em geral (gripe, sarampo, dengue,hepatite A e B)
  • 38. ETAPAS (cont.) Implantação de ações complementares ou secundárias, através da avaliação médico- ocupacional em todos os trabalhadores Objetivo: identificar se os riscos profissionais presentes nos correspondentes ambientes de trabalho já estão ou não apresentando consequências nocivas à saúde e, conforme o caso, indicar medidas preventivas adequadas.
  • 39. RESPONSABILIDADES DO EMPREGADOR Garantir sua elaboração e efetiva implementação Zelar por sua eficácia, inclusive arcando com o ônus de custear todos os procedimentos Indicar dentre os médicos do SESMT da empresa um médico-coordenador responsável pela execução do PCMSO Não havendo SESMT, o empregador contratará um médico do trabalho para ser o responsável pelo PCMSO Se não houver este especialista na localidade, poderá ser contratado qualquer outro médico
  • 40. AVALIAÇÃO MÉDICO-OCUPACIONAL DOS TRABALHADORES Admissional – antes do início das atividades De retorno ao trabalho – no primeiro dia da volta do trabalhador ao trabalho, após ausência por período igual ou superior a 30 dias, motivada por doença ou acidente, de natureza ocupacional ou não, ou parto
  • 41. Avaliação médico-ocupacional (cont.) De mudança de função – antes da data da mudança de função, entendendo-se como tal toda e qualquer alteração de atividade, posto ou setor de trabalho que implique em exposição do trabalhador a risco diferente daquele a que estava exposto antes da mudança
  • 42. Avaliação médico-ocupacional (cont.) Periódico – nos seguintes intervalos mínimos: - Trabalhadores expostos a riscos ou situações de trabalho que impliquem o desencadeamento ou agravamento de doença ocupacional, ou aqueles que sejam portadores de doenças crônicas:  Anualmente, ou a intervalos menores, a critério do médico encarregado, ou se notificado pelo médico auditor-fiscal do trabalho, ou como resultado de negociação coletiva
  • 43. Exame Médico Periódico (cont.)  De acordo com a periodicidade especificada no Anexo 06 da NR-15: Trabalhos sob Pressões Hiperbáricas: Atividades e Operações Insalubres Para demais trabalhadores:  Anualmente, para menores de 18 e maiores de 45  A cada 2 anos, para trabalhadores entre 18 e 45
  • 44. Avaliação médico-ocupacional (cont.) Demissional – até a data da homologação da rescisão contratual, desde que o último exame médico-ocupacional tenha sido realizado há mais de 135 dias para as empresas de grau de risco 1 e 2, ou há mais de 90 dias para as empresas de grau de risco 3 ou 4, conforme Quadro II da NR-04
  • 45. Avaliação médico-ocupacional (cont.) O médico que realizar o exame deverá emitir o correspondente Atestado de Saúde Ocupacional (ASO), em 2 vias, sendo que a primeira ficará arquivada no local de trabalho para fins de fiscalização trabalhista , e a segunda será entregue ao trabalhador, que confirmará o recebimento na primeira via.
  • 46. Atestado de Saúde Ocupacional Nome completo, número do registro de identidade e função do trabalhador Indicação dos procedimentos médicos a que foi submetido o trabalhador, inclusive exames complementares e data em que realizados Definição de apto ou inapto para a função específica Nome e endereço do médico Data e assinatura do médico e carimbo de
  • 47. Equipamento obrigatório Todo estabelecimento deve estar equipado com o material necessário à prestação de primeiros socorros, considerando-se as características das atividades desenvolvidas, mantido e guardado em local adequado, e aos cuidados de pessoa especialmente treinada para este fim.