SlideShare uma empresa Scribd logo
Educação TecnológicaEducação Tecnológica
Os acidentes e as doenças relacionadas com o trabalho são
motivos de preocupação que justificam uma cultura de
segurança.
Esta cultura deve iniciar-se o mais cedo possível.
Elevados níveis de segurança são só possíveis se atingirem
os seguintes objectivos:
• Maior prevenção de acidentes de trabalho e doenças
profissionais.
• Aumentar o estado de conforto das pessoas no
trabalho.
• Desenvolver na população trabalhadora a consciência e
a exigência de condições de trabalho condignas.
Aquele que se verifica no local de trabalho eAquele que se verifica no local de trabalho e
no tempo de trabalho e produz, directa ouno tempo de trabalho e produz, directa ou
indirectamente, lesão corporal, perturbaçãoindirectamente, lesão corporal, perturbação
funcional ou doença de que resultemfuncional ou doença de que resultem
redução da capacidade de trabalho ou deredução da capacidade de trabalho ou de
ganho ou a morte.ganho ou a morte.
ACIDENTE DE TRABALHOACIDENTE DE TRABALHO
 FadigaFadiga
 Distracção ou negligênciaDistracção ou negligência
 RotinaRotina
 Imprudência face ao perigoImprudência face ao perigo
 Falta de protecção deFalta de protecção de
maquinas e ferramentasmaquinas e ferramentas
 Ausência de medidas deAusência de medidas de
segurança.segurança.
 Espaço adequadoEspaço adequado
 Boa iluminaçãoBoa iluminação
 Ausência de ruídoAusência de ruído
 Ar puroAr puro
 Temperatura ambienteTemperatura ambiente
agradávelagradável
 HigieneHigiene..
Factores que contribuem Factores que contribuem para a
para a existência de ausência de acidentes de trabalho
acidentes de trabalho
Sinais de SegurançaSinais de Segurança
Desde sempre o homem utilizaDesde sempre o homem utiliza
sinais para satisfazer uma das suassinais para satisfazer uma das suas
necessidades primárias:necessidades primárias: ComunicarComunicar
OsOs sinais de segurança servemsinais de segurança servem
para nos informar, avisar e proibirpara nos informar, avisar e proibir
em relação a possíveis perigos queem relação a possíveis perigos que
possam surgir.possam surgir.
 ProibiçãoProibição
 ParagemParagem
 Combate aoCombate ao
fogofogo
 AlarmeAlarme
 Aviso deAviso de
perigoperigo
 AtençãoAtenção
 Ausência deAusência de
perigoperigo
 RefugioRefugio
 SocorrosSocorros
 Informação aInformação a
seguirseguir
 CumprimentoCumprimento
do deverdo dever
As FormasAs Formas
Obrigação Proibiçã
o
Aviso
Primeiros Socorros
Orientação
Informação
Sinais de Segurança em Locais de TrabalhoSinais de Segurança em Locais de Trabalho
Sinais de obrigaçãoSinais de obrigação
Protecção
obrigatória
dos olhos
Protecção
obrigatória
dos ouvidos
Protecção
obrigatória
dos pés
Protecção
obrigatória
das vias
respiratórias
Protecção
obrigatória
do rosto
Protecção
obrigatória
do corpo
Obrigações
várias
Protecção
obrigatória das mãos
Protecção
individual contra
as quedas
Proibido fumar Proibido
fumar ou
foguear
Passagem
proibida a
peões
Proibido apagar
com água
Proibido
comer ou
beber
Água imprópria para
consumo
Sinais de proibiçãoSinais de proibição
Sinais de aviso de perigoSinais de aviso de perigo
Radiação
ionizante
Fumar
Objecto
suspensos
Queda de
objectos
Protecção
da cabeça
Protecção dos
órgãos
respiratórios
Protecção dos
olhos
Substâncias
explosivas
Perda de
equilíbrio
Substância
tóxica
Substância
inflamável
Tenção
eléctrica
perigosa
Substancia
corrosiva
Fazer
chama livre
Temperatura
perigosa
Sinais de salvamento eSinais de salvamento e
emergênciaemergência
Saída de
emergência
Primeiros socorros
InformaçõesTelefone de
salvamento
Direcção a seguir
EQUIPAMENTO DEEQUIPAMENTO DE
PROTECÇÃO INDIVIDUALPROTECÇÃO INDIVIDUAL
 De acordo com as estatísticas, a grandeDe acordo com as estatísticas, a grande
maioria das lesões resultantes de acidentesmaioria das lesões resultantes de acidentes
de trabalho devem-se à falta ou àde trabalho devem-se à falta ou à
inadequada utilização do equipamento deinadequada utilização do equipamento de
protecção individual.protecção individual.
A determinação do uso do equipamento de protecçãoA determinação do uso do equipamento de protecção
individual deve assentar em três ideias:individual deve assentar em três ideias:
1.Estabelecer a sua necessidade para determinada tarefa.1.Estabelecer a sua necessidade para determinada tarefa.
2.Seleccionar o equipamento de protecção individual.2.Seleccionar o equipamento de protecção individual.
3.Implementar o uso do equipamento de protecção individual.3.Implementar o uso do equipamento de protecção individual.
Razões para utilizar o equipamento de
protecção individual
O equipamento de protecção individual deveO equipamento de protecção individual deve
fundamentalmente:fundamentalmente:
 Proteger adequadamenteProteger adequadamente
 Ser resistenteSer resistente
 PráticoPrático
 CómodoCómodo
 De fácil manutençãoDe fácil manutenção
Tipos de dispositivos deTipos de dispositivos de
protecção individualprotecção individual
Higiene e Segurança no Trabalho
ILUMINAÇÃOILUMINAÇÃO
Uma boa iluminação adequada noUma boa iluminação adequada no
local de trabalho é uma condiçãolocal de trabalho é uma condição
fundamental para um bomfundamental para um bom
desempenho das pessoas e contribuidesempenho das pessoas e contribui
para preservar de um modo geral apara preservar de um modo geral a
saúde.saúde.
A iluminação e o uso dosA iluminação e o uso dos
computadorescomputadores
Quando usamos o computador, devemos considerarQuando usamos o computador, devemos considerar
um conjunto de parâmetros relacionados com aum conjunto de parâmetros relacionados com a
iluminação.iluminação.
• Evitar os reflexos provenientes das janelas, luzes eEvitar os reflexos provenientes das janelas, luzes e
superfícies brilhantes no ecrã.superfícies brilhantes no ecrã.
• Utilizar estores ou persianas para atenuar a luz do dia queUtilizar estores ou persianas para atenuar a luz do dia que
atinge o posto de trabalho.atinge o posto de trabalho.
• Colocar o monitor de tal maneira que o ponto central doColocar o monitor de tal maneira que o ponto central do
ecrã esteja um pouco abaixo do nível dos olhos.ecrã esteja um pouco abaixo do nível dos olhos.
• Organização adequada do posto de trabalho.Organização adequada do posto de trabalho.
● Utilizar uma cadeira com um bom encosto
que permita o ajuste em altura.
● Mantém-te direita na cadeira.
● Mantém os ombros relaxados.
● Mantém os pés bem assentes no chão.
● Faz uma pequena paragem em cada hora
de trabalho.
O ruídoO ruído
O ruído é qualquer som que se consideraO ruído é qualquer som que se considera
desagradável e que na actividade laboral podedesagradável e que na actividade laboral pode
provocar uma simples fadiga, ou em casos deprovocar uma simples fadiga, ou em casos de
exposição prolongada ao ruído intenso, danosexposição prolongada ao ruído intenso, danos
graves ao aparelho auditivo.graves ao aparelho auditivo.
A intensidade sonora é medida por uma
escala especial, a escala de decibéis
(dB). O aparelho utilizado na medição
do nível do ruído chama-se sonómetro,
sendo também utilizada, por vezes, a
designação de decibelímetro.
Sonómetro
Doloroso / insuportável
Ensurdecedor
Muito elevado
Moderado
Muito baixo
Acção do ruído sobre o organismoAcção do ruído sobre o organismo
O risco a que estão sujeitas as pessoas que desenvolvem
uma actividade depende dos seguintes factores:
• Tempo de exposição ao ruído – quanto mais longo, maior é o risco.
• Tipo de ruído – contínuo, intermitente ou súbito.
• Distância da fonte de ruído – Quanto menor, maior é o risco
• Sensibilidade individual – varia com a idade e de pessoa para pessoa
Prevenção e protecção contra incêndiosPrevenção e protecção contra incêndios
As medidas de prevenção de ordem geral podem evitar um incêndio.As medidas de prevenção de ordem geral podem evitar um incêndio.
 Caso sintas cheiro a gás, abre de imediato portas e janelas. NãoCaso sintas cheiro a gás, abre de imediato portas e janelas. Não
acendas a luz nem, faças lume.acendas a luz nem, faças lume.
 Afasta os materiais combustíveis da proximidade de trabalhos ouAfasta os materiais combustíveis da proximidade de trabalhos ou
de operações de soldadura.de operações de soldadura.
 Despeja as cinzas e pontas de cigarros no recipiente do lixoDespeja as cinzas e pontas de cigarros no recipiente do lixo
somente após te certificares de que estão completamentesomente após te certificares de que estão completamente
apagadas.apagadas.
 Não atires pontas de cigarros para o chão. A vegetação seca ardeNão atires pontas de cigarros para o chão. A vegetação seca arde
com facilidade.com facilidade.
 É proibido fumar em locais contra-indicados ou quando se utilizamÉ proibido fumar em locais contra-indicados ou quando se utilizam
produtos inflamáveis ou explosivos.produtos inflamáveis ou explosivos.
Utilização de extintoresUtilização de extintores
Os extintores são um meio de intervenção
contra incêndios. Devem ser usados no início
da eclosão de um fogo, com o objectivo de
extingui-lo ou controlá-lo até à chegada dos
bombeiros.
•Devem estar colocados em locais bem visíveis.
•Devem estar carregados, dentro do prazo de
validade e prontos a funcionar.
•A distancia máxima a percorrer até um extintor
não deverá exceder 25 metros.
•O operador deverá conhecer as instruções de
funcionamento de forma a poder utilizá-lo
quando necessário.
Transporte-o na vertical,Transporte-o na vertical,
segurando o manípulosegurando o manípulo
Uso dos Extintores
Retire o selo ou
cavilha de segurança
Aproxima-te do foco do incêndio
cautelosamente. Actua no sentido do
vento e pressiona a alavanca.
Dirige o jacto para a base
das chamas.
Varre devagar toda a área
do fogo.
Fim
Ano lectivo 2008 / 2009
Professora: Filomena Soares

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do TrabalhoAula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Higiene e segurança no trabalho
Higiene e segurança no trabalhoHigiene e segurança no trabalho
Higiene e segurança no trabalho
Rita Galrito
 
Ergonomia
ErgonomiaErgonomia
Doença Profissional e Doença do Trabalho
Doença Profissional e Doença do TrabalhoDoença Profissional e Doença do Trabalho
Doença Profissional e Doença do Trabalho
Day Vasconcellos
 
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de TrabalhoPalestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
HP Safety Engenharia
 
Riscos profissionais
Riscos profissionaisRiscos profissionais
Riscos profissionais
cattonia
 
Higiene e Segurança no Trabalho - Técnico em RH
Higiene e Segurança no Trabalho - Técnico em RHHigiene e Segurança no Trabalho - Técnico em RH
Higiene e Segurança no Trabalho - Técnico em RH
Antonio Pinto Pereira
 
Riscos ambientais
Riscos ambientais   Riscos ambientais
Riscos ambientais
Ythia Karla
 
Segurança no trabalho
Segurança no trabalhoSegurança no trabalho
Segurança no trabalho
Ana Castro
 
modelo-de-mapa-de-risco
modelo-de-mapa-de-riscomodelo-de-mapa-de-risco
modelo-de-mapa-de-risco
Patrícia Rodrigues
 
Saúde e Segurança no Trabalho
Saúde e Segurança no TrabalhoSaúde e Segurança no Trabalho
Saúde e Segurança no Trabalho
Leonardo Machado
 
Acidentes de trabalho (causas e consequências)
Acidentes de trabalho   (causas e consequências)Acidentes de trabalho   (causas e consequências)
Acidentes de trabalho (causas e consequências)
Agostinho J. Neto
 
Riscos físicos
Riscos físicosRiscos físicos
Riscos físicos
Filipa Andrade
 
Medidas para prevenção de acidentes no trabalho
Medidas para prevenção de acidentes no trabalhoMedidas para prevenção de acidentes no trabalho
Medidas para prevenção de acidentes no trabalho
Thaysa Brito
 
2. hst prevenção dos riscos
2. hst prevenção dos riscos2. hst prevenção dos riscos
2. hst prevenção dos riscos
Gilson Adao
 
Aula EPI - Apresentação
Aula EPI - ApresentaçãoAula EPI - Apresentação
Aula EPI - Apresentação
Rapha_Carvalho
 
Exercício hst
Exercício  hstExercício  hst
Exercício hst
Gleyciana Garrido
 
Higiene do trabalho
Higiene do trabalhoHigiene do trabalho
Higiene do trabalho
Victor Costa
 
Trabalhador designado - Segurança e Saúde no Trabalho
Trabalhador designado - Segurança e Saúde no TrabalhoTrabalhador designado - Segurança e Saúde no Trabalho
Sinalização de segurança
Sinalização de segurançaSinalização de segurança
Sinalização de segurança
Sónia Palma
 

Mais procurados (20)

Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do TrabalhoAula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
 
Higiene e segurança no trabalho
Higiene e segurança no trabalhoHigiene e segurança no trabalho
Higiene e segurança no trabalho
 
Ergonomia
ErgonomiaErgonomia
Ergonomia
 
Doença Profissional e Doença do Trabalho
Doença Profissional e Doença do TrabalhoDoença Profissional e Doença do Trabalho
Doença Profissional e Doença do Trabalho
 
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de TrabalhoPalestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
 
Riscos profissionais
Riscos profissionaisRiscos profissionais
Riscos profissionais
 
Higiene e Segurança no Trabalho - Técnico em RH
Higiene e Segurança no Trabalho - Técnico em RHHigiene e Segurança no Trabalho - Técnico em RH
Higiene e Segurança no Trabalho - Técnico em RH
 
Riscos ambientais
Riscos ambientais   Riscos ambientais
Riscos ambientais
 
Segurança no trabalho
Segurança no trabalhoSegurança no trabalho
Segurança no trabalho
 
modelo-de-mapa-de-risco
modelo-de-mapa-de-riscomodelo-de-mapa-de-risco
modelo-de-mapa-de-risco
 
Saúde e Segurança no Trabalho
Saúde e Segurança no TrabalhoSaúde e Segurança no Trabalho
Saúde e Segurança no Trabalho
 
Acidentes de trabalho (causas e consequências)
Acidentes de trabalho   (causas e consequências)Acidentes de trabalho   (causas e consequências)
Acidentes de trabalho (causas e consequências)
 
Riscos físicos
Riscos físicosRiscos físicos
Riscos físicos
 
Medidas para prevenção de acidentes no trabalho
Medidas para prevenção de acidentes no trabalhoMedidas para prevenção de acidentes no trabalho
Medidas para prevenção de acidentes no trabalho
 
2. hst prevenção dos riscos
2. hst prevenção dos riscos2. hst prevenção dos riscos
2. hst prevenção dos riscos
 
Aula EPI - Apresentação
Aula EPI - ApresentaçãoAula EPI - Apresentação
Aula EPI - Apresentação
 
Exercício hst
Exercício  hstExercício  hst
Exercício hst
 
Higiene do trabalho
Higiene do trabalhoHigiene do trabalho
Higiene do trabalho
 
Trabalhador designado - Segurança e Saúde no Trabalho
Trabalhador designado - Segurança e Saúde no TrabalhoTrabalhador designado - Segurança e Saúde no Trabalho
Trabalhador designado - Segurança e Saúde no Trabalho
 
Sinalização de segurança
Sinalização de segurançaSinalização de segurança
Sinalização de segurança
 

Destaque

As cores na segurança do trabalho
As cores na segurança do trabalhoAs cores na segurança do trabalho
As cores na segurança do trabalho
Adony Amorim
 
Normas de higiene e segurança no trabalho
Normas de higiene e segurança no trabalhoNormas de higiene e segurança no trabalho
Normas de higiene e segurança no trabalho
Helena Maia
 
SHST
SHSTSHST
SHST
piefmania
 
Organização, Higiene e Segurança. Educação Tecnológica
Organização, Higiene e Segurança. Educação TecnológicaOrganização, Higiene e Segurança. Educação Tecnológica
Organização, Higiene e Segurança. Educação Tecnológica
Agostinho NSilva
 
Noções de higiene, saúde e segurança no trabalho
Noções de higiene, saúde e segurança no trabalhoNoções de higiene, saúde e segurança no trabalho
Noções de higiene, saúde e segurança no trabalho
Catir
 
Higiene e Segurança no Trabalho
Higiene e Segurança no TrabalhoHigiene e Segurança no Trabalho
Higiene e Segurança no Trabalho
Camila Falcão
 

Destaque (6)

As cores na segurança do trabalho
As cores na segurança do trabalhoAs cores na segurança do trabalho
As cores na segurança do trabalho
 
Normas de higiene e segurança no trabalho
Normas de higiene e segurança no trabalhoNormas de higiene e segurança no trabalho
Normas de higiene e segurança no trabalho
 
SHST
SHSTSHST
SHST
 
Organização, Higiene e Segurança. Educação Tecnológica
Organização, Higiene e Segurança. Educação TecnológicaOrganização, Higiene e Segurança. Educação Tecnológica
Organização, Higiene e Segurança. Educação Tecnológica
 
Noções de higiene, saúde e segurança no trabalho
Noções de higiene, saúde e segurança no trabalhoNoções de higiene, saúde e segurança no trabalho
Noções de higiene, saúde e segurança no trabalho
 
Higiene e Segurança no Trabalho
Higiene e Segurança no TrabalhoHigiene e Segurança no Trabalho
Higiene e Segurança no Trabalho
 

Semelhante a Higiene e Segurança no Trabalho

higiene e segurança no trabalho
higiene e segurança no trabalhohigiene e segurança no trabalho
higiene e segurança no trabalho
Liliana Sa
 
TREINAMENTO PROTEÇÃO AUDITIVA.pptx
TREINAMENTO PROTEÇÃO AUDITIVA.pptxTREINAMENTO PROTEÇÃO AUDITIVA.pptx
TREINAMENTO PROTEÇÃO AUDITIVA.pptx
HeleniceGonalves1
 
Treinamento Proteção Auditiva.pptx
Treinamento Proteção Auditiva.pptxTreinamento Proteção Auditiva.pptx
Treinamento Proteção Auditiva.pptx
ErnanePinheiro2
 
Das Imagens Feias
Das Imagens FeiasDas Imagens Feias
Das Imagens Feias
Ainoan
 
Higiene saúde e segurança no trabalho
Higiene saúde e segurança no trabalhoHigiene saúde e segurança no trabalho
Higiene saúde e segurança no trabalho
RitasAlmeidaMartins
 
Higiene saúde e segurança no trabalho
Higiene saúde e segurança no trabalhoHigiene saúde e segurança no trabalho
Higiene saúde e segurança no trabalho
ritamartins00
 
Treinamento dst
Treinamento dstTreinamento dst
Treinamento dst
Biela_123456
 
atividade 3.ppt
atividade 3.pptatividade 3.ppt
atividade 3.ppt
fofurinhasexoticas
 
gas_seguranca_trabalho.pdf
gas_seguranca_trabalho.pdfgas_seguranca_trabalho.pdf
gas_seguranca_trabalho.pdf
SANDRO256549
 
seguranca_trabalho.pdf
seguranca_trabalho.pdfseguranca_trabalho.pdf
seguranca_trabalho.pdf
RonaldoAlmeida67
 
DDS - Dialogo Diario de Segurança
DDS - Dialogo Diario de SegurançaDDS - Dialogo Diario de Segurança
DDS - Dialogo Diario de Segurança
Tuany Caldas
 
Segurança do Trabalho.pptx
Segurança do Trabalho.pptxSegurança do Trabalho.pptx
Segurança do Trabalho.pptx
PauloPereira437535
 
504
504504
PREVENÇÃO DE PERDAS AUDITIVAS OCUPACIONAIS.pptx
PREVENÇÃO DE PERDAS AUDITIVAS OCUPACIONAIS.pptxPREVENÇÃO DE PERDAS AUDITIVAS OCUPACIONAIS.pptx
PREVENÇÃO DE PERDAS AUDITIVAS OCUPACIONAIS.pptx
AndreLavor1
 
EPI - Equipamento de Proteção Individual.pptx
EPI - Equipamento de Proteção Individual.pptxEPI - Equipamento de Proteção Individual.pptx
EPI - Equipamento de Proteção Individual.pptx
KellyCaroline17
 
Edição 9
Edição 9Edição 9
Edição 9
gimenezeassociados
 
Treinamento de cipa nr.05
Treinamento de cipa   nr.05Treinamento de cipa   nr.05
Treinamento de cipa nr.05
conbetcursos
 
Treinamento de cipa nr.05
Treinamento de cipa   nr.05Treinamento de cipa   nr.05
Treinamento de cipa nr.05
conbetcursos
 
Higiene e segurança no trabalho
Higiene e segurança no trabalhoHigiene e segurança no trabalho
Higiene e segurança no trabalho
mfcorreia
 

Semelhante a Higiene e Segurança no Trabalho (20)

higiene e segurança no trabalho
higiene e segurança no trabalhohigiene e segurança no trabalho
higiene e segurança no trabalho
 
TREINAMENTO PROTEÇÃO AUDITIVA.pptx
TREINAMENTO PROTEÇÃO AUDITIVA.pptxTREINAMENTO PROTEÇÃO AUDITIVA.pptx
TREINAMENTO PROTEÇÃO AUDITIVA.pptx
 
Treinamento Proteção Auditiva.pptx
Treinamento Proteção Auditiva.pptxTreinamento Proteção Auditiva.pptx
Treinamento Proteção Auditiva.pptx
 
Das Imagens Feias
Das Imagens FeiasDas Imagens Feias
Das Imagens Feias
 
Higieneesegurana
HigieneeseguranaHigieneesegurana
Higieneesegurana
 
Higiene saúde e segurança no trabalho
Higiene saúde e segurança no trabalhoHigiene saúde e segurança no trabalho
Higiene saúde e segurança no trabalho
 
Higiene saúde e segurança no trabalho
Higiene saúde e segurança no trabalhoHigiene saúde e segurança no trabalho
Higiene saúde e segurança no trabalho
 
Treinamento dst
Treinamento dstTreinamento dst
Treinamento dst
 
atividade 3.ppt
atividade 3.pptatividade 3.ppt
atividade 3.ppt
 
gas_seguranca_trabalho.pdf
gas_seguranca_trabalho.pdfgas_seguranca_trabalho.pdf
gas_seguranca_trabalho.pdf
 
seguranca_trabalho.pdf
seguranca_trabalho.pdfseguranca_trabalho.pdf
seguranca_trabalho.pdf
 
DDS - Dialogo Diario de Segurança
DDS - Dialogo Diario de SegurançaDDS - Dialogo Diario de Segurança
DDS - Dialogo Diario de Segurança
 
Segurança do Trabalho.pptx
Segurança do Trabalho.pptxSegurança do Trabalho.pptx
Segurança do Trabalho.pptx
 
504
504504
504
 
PREVENÇÃO DE PERDAS AUDITIVAS OCUPACIONAIS.pptx
PREVENÇÃO DE PERDAS AUDITIVAS OCUPACIONAIS.pptxPREVENÇÃO DE PERDAS AUDITIVAS OCUPACIONAIS.pptx
PREVENÇÃO DE PERDAS AUDITIVAS OCUPACIONAIS.pptx
 
EPI - Equipamento de Proteção Individual.pptx
EPI - Equipamento de Proteção Individual.pptxEPI - Equipamento de Proteção Individual.pptx
EPI - Equipamento de Proteção Individual.pptx
 
Edição 9
Edição 9Edição 9
Edição 9
 
Treinamento de cipa nr.05
Treinamento de cipa   nr.05Treinamento de cipa   nr.05
Treinamento de cipa nr.05
 
Treinamento de cipa nr.05
Treinamento de cipa   nr.05Treinamento de cipa   nr.05
Treinamento de cipa nr.05
 
Higiene e segurança no trabalho
Higiene e segurança no trabalhoHigiene e segurança no trabalho
Higiene e segurança no trabalho
 

Último

EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: CronologiaOs Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Renato Henriques
 

Último (20)

EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: CronologiaOs Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
 

Higiene e Segurança no Trabalho

  • 2. Os acidentes e as doenças relacionadas com o trabalho são motivos de preocupação que justificam uma cultura de segurança. Esta cultura deve iniciar-se o mais cedo possível. Elevados níveis de segurança são só possíveis se atingirem os seguintes objectivos: • Maior prevenção de acidentes de trabalho e doenças profissionais. • Aumentar o estado de conforto das pessoas no trabalho. • Desenvolver na população trabalhadora a consciência e a exigência de condições de trabalho condignas.
  • 3. Aquele que se verifica no local de trabalho eAquele que se verifica no local de trabalho e no tempo de trabalho e produz, directa ouno tempo de trabalho e produz, directa ou indirectamente, lesão corporal, perturbaçãoindirectamente, lesão corporal, perturbação funcional ou doença de que resultemfuncional ou doença de que resultem redução da capacidade de trabalho ou deredução da capacidade de trabalho ou de ganho ou a morte.ganho ou a morte. ACIDENTE DE TRABALHOACIDENTE DE TRABALHO
  • 4.  FadigaFadiga  Distracção ou negligênciaDistracção ou negligência  RotinaRotina  Imprudência face ao perigoImprudência face ao perigo  Falta de protecção deFalta de protecção de maquinas e ferramentasmaquinas e ferramentas  Ausência de medidas deAusência de medidas de segurança.segurança.  Espaço adequadoEspaço adequado  Boa iluminaçãoBoa iluminação  Ausência de ruídoAusência de ruído  Ar puroAr puro  Temperatura ambienteTemperatura ambiente agradávelagradável  HigieneHigiene.. Factores que contribuem Factores que contribuem para a para a existência de ausência de acidentes de trabalho acidentes de trabalho
  • 5. Sinais de SegurançaSinais de Segurança Desde sempre o homem utilizaDesde sempre o homem utiliza sinais para satisfazer uma das suassinais para satisfazer uma das suas necessidades primárias:necessidades primárias: ComunicarComunicar OsOs sinais de segurança servemsinais de segurança servem para nos informar, avisar e proibirpara nos informar, avisar e proibir em relação a possíveis perigos queem relação a possíveis perigos que possam surgir.possam surgir.
  • 6.  ProibiçãoProibição  ParagemParagem  Combate aoCombate ao fogofogo  AlarmeAlarme  Aviso deAviso de perigoperigo  AtençãoAtenção  Ausência deAusência de perigoperigo  RefugioRefugio  SocorrosSocorros  Informação aInformação a seguirseguir  CumprimentoCumprimento do deverdo dever
  • 7. As FormasAs Formas Obrigação Proibiçã o Aviso
  • 9. Sinais de Segurança em Locais de TrabalhoSinais de Segurança em Locais de Trabalho Sinais de obrigaçãoSinais de obrigação Protecção obrigatória dos olhos Protecção obrigatória dos ouvidos Protecção obrigatória dos pés
  • 12. Proibido fumar Proibido fumar ou foguear Passagem proibida a peões Proibido apagar com água Proibido comer ou beber Água imprópria para consumo Sinais de proibiçãoSinais de proibição
  • 13. Sinais de aviso de perigoSinais de aviso de perigo Radiação ionizante Fumar Objecto suspensos Queda de objectos Protecção da cabeça Protecção dos órgãos respiratórios Protecção dos olhos
  • 15. Sinais de salvamento eSinais de salvamento e emergênciaemergência Saída de emergência Primeiros socorros InformaçõesTelefone de salvamento Direcção a seguir
  • 16. EQUIPAMENTO DEEQUIPAMENTO DE PROTECÇÃO INDIVIDUALPROTECÇÃO INDIVIDUAL  De acordo com as estatísticas, a grandeDe acordo com as estatísticas, a grande maioria das lesões resultantes de acidentesmaioria das lesões resultantes de acidentes de trabalho devem-se à falta ou àde trabalho devem-se à falta ou à inadequada utilização do equipamento deinadequada utilização do equipamento de protecção individual.protecção individual.
  • 17. A determinação do uso do equipamento de protecçãoA determinação do uso do equipamento de protecção individual deve assentar em três ideias:individual deve assentar em três ideias: 1.Estabelecer a sua necessidade para determinada tarefa.1.Estabelecer a sua necessidade para determinada tarefa. 2.Seleccionar o equipamento de protecção individual.2.Seleccionar o equipamento de protecção individual. 3.Implementar o uso do equipamento de protecção individual.3.Implementar o uso do equipamento de protecção individual. Razões para utilizar o equipamento de protecção individual
  • 18. O equipamento de protecção individual deveO equipamento de protecção individual deve fundamentalmente:fundamentalmente:  Proteger adequadamenteProteger adequadamente  Ser resistenteSer resistente  PráticoPrático  CómodoCómodo  De fácil manutençãoDe fácil manutenção
  • 19. Tipos de dispositivos deTipos de dispositivos de protecção individualprotecção individual
  • 21. ILUMINAÇÃOILUMINAÇÃO Uma boa iluminação adequada noUma boa iluminação adequada no local de trabalho é uma condiçãolocal de trabalho é uma condição fundamental para um bomfundamental para um bom desempenho das pessoas e contribuidesempenho das pessoas e contribui para preservar de um modo geral apara preservar de um modo geral a saúde.saúde.
  • 22. A iluminação e o uso dosA iluminação e o uso dos computadorescomputadores Quando usamos o computador, devemos considerarQuando usamos o computador, devemos considerar um conjunto de parâmetros relacionados com aum conjunto de parâmetros relacionados com a iluminação.iluminação. • Evitar os reflexos provenientes das janelas, luzes eEvitar os reflexos provenientes das janelas, luzes e superfícies brilhantes no ecrã.superfícies brilhantes no ecrã. • Utilizar estores ou persianas para atenuar a luz do dia queUtilizar estores ou persianas para atenuar a luz do dia que atinge o posto de trabalho.atinge o posto de trabalho. • Colocar o monitor de tal maneira que o ponto central doColocar o monitor de tal maneira que o ponto central do ecrã esteja um pouco abaixo do nível dos olhos.ecrã esteja um pouco abaixo do nível dos olhos. • Organização adequada do posto de trabalho.Organização adequada do posto de trabalho.
  • 23. ● Utilizar uma cadeira com um bom encosto que permita o ajuste em altura. ● Mantém-te direita na cadeira. ● Mantém os ombros relaxados. ● Mantém os pés bem assentes no chão. ● Faz uma pequena paragem em cada hora de trabalho.
  • 24. O ruídoO ruído O ruído é qualquer som que se consideraO ruído é qualquer som que se considera desagradável e que na actividade laboral podedesagradável e que na actividade laboral pode provocar uma simples fadiga, ou em casos deprovocar uma simples fadiga, ou em casos de exposição prolongada ao ruído intenso, danosexposição prolongada ao ruído intenso, danos graves ao aparelho auditivo.graves ao aparelho auditivo.
  • 25. A intensidade sonora é medida por uma escala especial, a escala de decibéis (dB). O aparelho utilizado na medição do nível do ruído chama-se sonómetro, sendo também utilizada, por vezes, a designação de decibelímetro. Sonómetro Doloroso / insuportável Ensurdecedor Muito elevado Moderado Muito baixo
  • 26. Acção do ruído sobre o organismoAcção do ruído sobre o organismo O risco a que estão sujeitas as pessoas que desenvolvem uma actividade depende dos seguintes factores: • Tempo de exposição ao ruído – quanto mais longo, maior é o risco. • Tipo de ruído – contínuo, intermitente ou súbito. • Distância da fonte de ruído – Quanto menor, maior é o risco • Sensibilidade individual – varia com a idade e de pessoa para pessoa
  • 27. Prevenção e protecção contra incêndiosPrevenção e protecção contra incêndios As medidas de prevenção de ordem geral podem evitar um incêndio.As medidas de prevenção de ordem geral podem evitar um incêndio.  Caso sintas cheiro a gás, abre de imediato portas e janelas. NãoCaso sintas cheiro a gás, abre de imediato portas e janelas. Não acendas a luz nem, faças lume.acendas a luz nem, faças lume.  Afasta os materiais combustíveis da proximidade de trabalhos ouAfasta os materiais combustíveis da proximidade de trabalhos ou de operações de soldadura.de operações de soldadura.  Despeja as cinzas e pontas de cigarros no recipiente do lixoDespeja as cinzas e pontas de cigarros no recipiente do lixo somente após te certificares de que estão completamentesomente após te certificares de que estão completamente apagadas.apagadas.  Não atires pontas de cigarros para o chão. A vegetação seca ardeNão atires pontas de cigarros para o chão. A vegetação seca arde com facilidade.com facilidade.  É proibido fumar em locais contra-indicados ou quando se utilizamÉ proibido fumar em locais contra-indicados ou quando se utilizam produtos inflamáveis ou explosivos.produtos inflamáveis ou explosivos.
  • 28. Utilização de extintoresUtilização de extintores Os extintores são um meio de intervenção contra incêndios. Devem ser usados no início da eclosão de um fogo, com o objectivo de extingui-lo ou controlá-lo até à chegada dos bombeiros. •Devem estar colocados em locais bem visíveis. •Devem estar carregados, dentro do prazo de validade e prontos a funcionar. •A distancia máxima a percorrer até um extintor não deverá exceder 25 metros. •O operador deverá conhecer as instruções de funcionamento de forma a poder utilizá-lo quando necessário.
  • 29. Transporte-o na vertical,Transporte-o na vertical, segurando o manípulosegurando o manípulo Uso dos Extintores
  • 30. Retire o selo ou cavilha de segurança
  • 31. Aproxima-te do foco do incêndio cautelosamente. Actua no sentido do vento e pressiona a alavanca.
  • 32. Dirige o jacto para a base das chamas.
  • 33. Varre devagar toda a área do fogo. Fim Ano lectivo 2008 / 2009 Professora: Filomena Soares