SlideShare uma empresa Scribd logo
Governo do Estado de Rondônia
               Secretaria de Estado da Educação – SEDUC
                E.E.E.F.M. Cel. Aluízio Pinheiro Ferreira
                          Rolim de Moura – RO




        Leis de
        Newton
Profª.: Daniela Fontana Almenara         Clique na imagem acima
                                             e assista ao vídeo
                                                 sugerido
Lei da Inércia - 1ª Lei de Newton




 Somos atirados contra o assento, quando, um ônibus

 (bicicleta, carro, etc) arranca de repente e inicia o seu movimento   .
Lei da Inércia - 1ª Lei de Newton




Um cavaleiro é atirado para a frente
quando o cavalo para de repente.
Lei da Inércia - 1ª Lei de Newton




   Tanto o condutor como o veículo movem-se com a mesma
    velocidade.
   A força foi exercida sobre o veículo e não sobre o condutor.



    O condutor é projetado para a frente, tende
    a manter a velocidade que trazia, pois
    nenhuma força atuou sobre ele.
Lei da Inércia - 1ª Lei de Newton

    Quando o conjunto de forças que atuam
    num corpo é nula, se o corpo está em
    repouso continua em repouso, se está em
    movimento continua com a velocidade que
    trazia.
   O que é a Inércia?
   Chama-se inércia à oposição que qualquer corpo
    oferece à alteração da sua velocidade.

   A massa de um corpo determina a sua inércia:
    quanto maior é a massa de um corpo, mais difícil
    se torna alterar a sua velocidade.
A inércia e a lei da inércia
   Existe na natureza uma tendência de não se alterar o estado de
    movimento de uma partícula, isto é, uma partícula em repouso
    tende naturalmente a permanecer em repouso e uma partícula
    com velocidade constante tende a manter a sua velocidade
    constante.
   Essa tendência natural de tudo permanecer como está é
    conhecida como inércia. No caso da Mecânica, essa
    observação a respeito do comportamento da natureza levou
    Newton a enunciar a sua famosa Lei da Inércia, que diz:


 "Qualquer corpo em movimento retilíneo e
  uniforme           (ou         em repouso)
  tende a manter-se em movimento retilíneo e
  uniforme (ou em repouso)."
 Esta é a primeira Lei de Newton.
Leis de Newton
A inércia pode ser pensada como uma propriedade
inata da matéria. Trata-se de um poder de
resistir, mediante o qual cada corpo, no que depender
de si, continua no seu estado presente, seja de repouso
seja      em    movimento     retilíneo  e     uniforme.
Lei fundamental da dinâmica
      2ª Lei de Newton
A 2ª lei de Newton
   A segunda lei de Newton é a lei fundamental da Mecânica. A
    partir dela e através de métodos matemáticos, podemos fazer
    previsões (velocidade e posição, por exemplo) sobre o
    movimento                       dos                      corpos.
    Qualquer alteração da velocidade de uma partícula é
    atribuída, sempre, a um agente denominado força.
   Basicamente, o que produz mudanças na velocidade são forças
    que agem sobre a partícula. Como a variação de velocidade
    indica a existência de aceleração, é de se esperar que haja uma
    relação entre a força e a aceleração. De fato, Sir Isaac Newton
    percebeu que existe uma relação muito simples entre força e
    aceleração, isto é, a força é sempre diretamente proporcional à
    aceleração que ela provoca:
Lei fundamental da dinâmica –
       2ª Lei de Newton
Lei fundamental da dinâmica –
         2ª Lei de Newton


Sempre que num corpo atua um conjunto
de forças cuja resultante não é nula, a
força    resultante     é    diretamente
proporcional à aceleração adquirida.

        Fr = m x a
      Força      Massa
    resultante   (kg) Aceleração
       (N)
                       (m/s2)
Exemplo 1
Exemplo 2
Resolução
Lei fundamental da dinâmica –2ª Lei de Newton
                QUEDA LIVRE



               P=mxg

              Peso
               (N)
                       Massa
                        (kg)
                               Aceleração da
                                 gravidade
                                 (m/s2)
Exemplo 1
Lei ação-reação– 3ª Lei de Newton




 Quem já teve o “azar” de dar um pontapé numa
 pedra grande, já sentiu que, embora tivesse
 exercido uma força sobre a pedra, houve uma
 reação recíproca da pedra sobre o seu pé.
Lei ação-reação– 3ª Lei de Newton




Quando um karateca dá um golpe que parte uma
tábua sente uma força por parte da tábua que lhe
pode provocar uma lesão grave na mão.
Ação e reação a 3ª lei de Newton




   As forças resultam da interação de um corpo com
    outro corpo. É de se esperar, portanto, que, se um
    corpo A exerce uma força sobre um corpo B
    (chamada de ação), A também experimenta uma
    força (chamada de reação) que resulta da interação
    com B.
   Newton percebeu não só que isso acontece sempre
    mas, indo mais longe, especificou as principais
    características das forças que resultam da interação
    entre dois corpos. Essa questão foi objeto da sua
Lei ação-reação– 3ª Lei de Newton



 "Para toda força que surgir num corpo como
 resultado da interação com um segundo
 corpo, deve surgir nesse segundo uma outra
 força, chamada de reação, cuja intensidade e
 direção são as mesmas da primeira mas cujo
 sentido é o oposto da primeira."
Lei ação-reação– 3ª Lei de Newton
    Um dia o senhor Silva deu um murro tão violento na mesa que
    partiu a mão. Identifique e caracterize o par ação-reação
    correspondente às forças que estão presentes nesta ação do Sr.
    Silva, tendo em conta:
   O ponto de aplicação de cada força do par ação-reação.


   A intensidade de cada força.
   O sentido de cada força.


    Na força referente à
    ação o ponto de
    aplicação situa-se na
    mesa e na força
                                    As intensidades das
    referente à reação o            forças ação e reação
    ponto de aplicação              são iguais mas de
    situa-se na mão.                sentidos opostos.
Referências
   http://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=9&cad=rja&ved=0CGIQFjAI&url
    =http%3A%2F%2Fcfq9.wikispaces.com%2Ffile%2Fview%2Fleis-
    newton1.pps&ei=LVoxUKisO4XX6wGg2YHoCQ&usg=AFQjCNGDuEHvgVSei1eeHkbKb2xF2RN2uQ&
    sig2=HQxlqlwScl8wk-m_tPpa3Q


   http://efisica.if.usp.br/mecanica/universitario/dinamica/leis_Newton/


   http://www.youtube.com/watch?v=7qqzpIlAzs8

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Eletrização
EletrizaçãoEletrização
Eletrização
Vlamir Gama Rocha
 
Força de atrito
Força de atritoForça de atrito
Força de atrito
Marco Antonio Sanches
 
Força e movimento
Força e movimentoForça e movimento
Força e movimento
Marco Antonio Sanches
 
Impulso e Quantidade de Movimento
Impulso e Quantidade de MovimentoImpulso e Quantidade de Movimento
Impulso e Quantidade de Movimento
Marco Antonio Sanches
 
Aula Gravitação Universal
Aula Gravitação UniversalAula Gravitação Universal
Aula Gravitação Universal
Antônio Arapiraca
 
Ondas eletromagnéticas
Ondas eletromagnéticasOndas eletromagnéticas
Ondas eletromagnéticas
Lucas Sabadini
 
Leis newton
Leis newtonLeis newton
Leis newton
Adrianne Mendonça
 
Física moderna
Física modernaFísica moderna
Física moderna
Anderson V N Soares
 
Eletricidade
EletricidadeEletricidade
Eletricidade
Wellington Sampaio
 
Trabalho e Energia Slide
Trabalho e Energia SlideTrabalho e Energia Slide
Trabalho e Energia Slide
Vlamir Gama Rocha
 
Campo elétrico
Campo elétricoCampo elétrico
Movimento Circular Uniforme
Movimento Circular UniformeMovimento Circular Uniforme
Movimento Circular Uniforme
Marco Antonio Sanches
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
O mundo da FÍSICA
 
Aula de Física - As Leis de Newton
Aula de Física - As Leis de NewtonAula de Física - As Leis de Newton
Aula de Física - As Leis de Newton
Editora Moderna
 
Ondulatoria
OndulatoriaOndulatoria
Ondulatoria
Rildo Borges
 
Potencial elétrico
Potencial elétricoPotencial elétrico
Potencial elétrico
O mundo da FÍSICA
 
Eletromagnetismo
EletromagnetismoEletromagnetismo
Eletromagnetismo
Vlamir Gama Rocha
 
A gravitação universal de newton
A gravitação universal de newtonA gravitação universal de newton
A gravitação universal de newton
albertaratri
 
Ondas
OndasOndas
Eletricidade 9º ano
Eletricidade 9º anoEletricidade 9º ano
Eletricidade 9º ano
Rildo Borges
 

Mais procurados (20)

Eletrização
EletrizaçãoEletrização
Eletrização
 
Força de atrito
Força de atritoForça de atrito
Força de atrito
 
Força e movimento
Força e movimentoForça e movimento
Força e movimento
 
Impulso e Quantidade de Movimento
Impulso e Quantidade de MovimentoImpulso e Quantidade de Movimento
Impulso e Quantidade de Movimento
 
Aula Gravitação Universal
Aula Gravitação UniversalAula Gravitação Universal
Aula Gravitação Universal
 
Ondas eletromagnéticas
Ondas eletromagnéticasOndas eletromagnéticas
Ondas eletromagnéticas
 
Leis newton
Leis newtonLeis newton
Leis newton
 
Física moderna
Física modernaFísica moderna
Física moderna
 
Eletricidade
EletricidadeEletricidade
Eletricidade
 
Trabalho e Energia Slide
Trabalho e Energia SlideTrabalho e Energia Slide
Trabalho e Energia Slide
 
Campo elétrico
Campo elétricoCampo elétrico
Campo elétrico
 
Movimento Circular Uniforme
Movimento Circular UniformeMovimento Circular Uniforme
Movimento Circular Uniforme
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
 
Aula de Física - As Leis de Newton
Aula de Física - As Leis de NewtonAula de Física - As Leis de Newton
Aula de Física - As Leis de Newton
 
Ondulatoria
OndulatoriaOndulatoria
Ondulatoria
 
Potencial elétrico
Potencial elétricoPotencial elétrico
Potencial elétrico
 
Eletromagnetismo
EletromagnetismoEletromagnetismo
Eletromagnetismo
 
A gravitação universal de newton
A gravitação universal de newtonA gravitação universal de newton
A gravitação universal de newton
 
Ondas
OndasOndas
Ondas
 
Eletricidade 9º ano
Eletricidade 9º anoEletricidade 9º ano
Eletricidade 9º ano
 

Semelhante a Leis de Newton

Leis de Newton 1ª e 2ª Lei.pptx
Leis de Newton 1ª e  2ª Lei.pptxLeis de Newton 1ª e  2ª Lei.pptx
Leis de Newton 1ª e 2ª Lei.pptx
ricardosantossilva4
 
Leis de newton
Leis de newtonLeis de newton
Leis de Newton - Física - Ensino médio -Stênio
Leis de Newton - Física - Ensino médio -StênioLeis de Newton - Física - Ensino médio -Stênio
Leis de Newton - Física - Ensino médio -Stênio
stenio medeiros
 
Aula 2 fis em
Aula 2 fis emAula 2 fis em
Aula 2 fis em
Walney M.F
 
Fisico quimica
Fisico quimicaFisico quimica
Fisico quimica
Andre Agostinho
 
Newton
NewtonNewton
Newton
paolazeroum
 
Ciências físico químicas/ Leis do movimento ou leis de Newton
Ciências físico químicas/ Leis do movimento ou leis de NewtonCiências físico químicas/ Leis do movimento ou leis de Newton
Ciências físico químicas/ Leis do movimento ou leis de Newton
mariana1314
 
Leis de newton
Leis de newtonLeis de newton
Leis de newton
Bruno Gorzoni
 
Auladocap05 LeisdeNewton.pdf
Auladocap05 LeisdeNewton.pdfAuladocap05 LeisdeNewton.pdf
Auladocap05 LeisdeNewton.pdf
MarinaldoRodrigues8
 
. Só física - leis de newton_.
.   Só física - leis de newton_..   Só física - leis de newton_.
. Só física - leis de newton_.
Evandro Augusto Tóffuli
 
05. leis de newton
05. leis de newton05. leis de newton
05. leis de newton
leonardoenginer
 
11 dinâmica - introdução
11  dinâmica - introdução11  dinâmica - introdução
11 dinâmica - introdução
Bruno De Siqueira Costa
 
Leis de Newton
Leis de NewtonLeis de Newton
Leis de Newton
Alícia Quintino
 
Força e movimento.pdf
Força e movimento.pdfForça e movimento.pdf
Força e movimento.pdf
TayaneCarvalho6
 
05 leis de_newton
05 leis de_newton05 leis de_newton
05 leis de_newton
newtonmc
 
Dinâmica
DinâmicaDinâmica
Dinâmica
Elisabete2014
 
Eduardo gonçalves nº9 9ºa
Eduardo gonçalves nº9 9ºaEduardo gonçalves nº9 9ºa
Eduardo gonçalves nº9 9ºa
Eduardo Gonçalves
 
LEIS DE NEWTON.ppt
LEIS DE NEWTON.pptLEIS DE NEWTON.ppt
LEIS DE NEWTON.ppt
NbiaOliveira35
 
1594605306QixYENV2.ppt
1594605306QixYENV2.ppt1594605306QixYENV2.ppt
1594605306QixYENV2.ppt
EdilenedosSantosSilv1
 
Aula_7_Leis_de_Newton, desde o básico ao avançado.pdf
Aula_7_Leis_de_Newton, desde o básico ao avançado.pdfAula_7_Leis_de_Newton, desde o básico ao avançado.pdf
Aula_7_Leis_de_Newton, desde o básico ao avançado.pdf
HermenegildoNovais
 

Semelhante a Leis de Newton (20)

Leis de Newton 1ª e 2ª Lei.pptx
Leis de Newton 1ª e  2ª Lei.pptxLeis de Newton 1ª e  2ª Lei.pptx
Leis de Newton 1ª e 2ª Lei.pptx
 
Leis de newton
Leis de newtonLeis de newton
Leis de newton
 
Leis de Newton - Física - Ensino médio -Stênio
Leis de Newton - Física - Ensino médio -StênioLeis de Newton - Física - Ensino médio -Stênio
Leis de Newton - Física - Ensino médio -Stênio
 
Aula 2 fis em
Aula 2 fis emAula 2 fis em
Aula 2 fis em
 
Fisico quimica
Fisico quimicaFisico quimica
Fisico quimica
 
Newton
NewtonNewton
Newton
 
Ciências físico químicas/ Leis do movimento ou leis de Newton
Ciências físico químicas/ Leis do movimento ou leis de NewtonCiências físico químicas/ Leis do movimento ou leis de Newton
Ciências físico químicas/ Leis do movimento ou leis de Newton
 
Leis de newton
Leis de newtonLeis de newton
Leis de newton
 
Auladocap05 LeisdeNewton.pdf
Auladocap05 LeisdeNewton.pdfAuladocap05 LeisdeNewton.pdf
Auladocap05 LeisdeNewton.pdf
 
. Só física - leis de newton_.
.   Só física - leis de newton_..   Só física - leis de newton_.
. Só física - leis de newton_.
 
05. leis de newton
05. leis de newton05. leis de newton
05. leis de newton
 
11 dinâmica - introdução
11  dinâmica - introdução11  dinâmica - introdução
11 dinâmica - introdução
 
Leis de Newton
Leis de NewtonLeis de Newton
Leis de Newton
 
Força e movimento.pdf
Força e movimento.pdfForça e movimento.pdf
Força e movimento.pdf
 
05 leis de_newton
05 leis de_newton05 leis de_newton
05 leis de_newton
 
Dinâmica
DinâmicaDinâmica
Dinâmica
 
Eduardo gonçalves nº9 9ºa
Eduardo gonçalves nº9 9ºaEduardo gonçalves nº9 9ºa
Eduardo gonçalves nº9 9ºa
 
LEIS DE NEWTON.ppt
LEIS DE NEWTON.pptLEIS DE NEWTON.ppt
LEIS DE NEWTON.ppt
 
1594605306QixYENV2.ppt
1594605306QixYENV2.ppt1594605306QixYENV2.ppt
1594605306QixYENV2.ppt
 
Aula_7_Leis_de_Newton, desde o básico ao avançado.pdf
Aula_7_Leis_de_Newton, desde o básico ao avançado.pdfAula_7_Leis_de_Newton, desde o básico ao avançado.pdf
Aula_7_Leis_de_Newton, desde o básico ao avançado.pdf
 

Mais de Daniela F Almenara

Trabalho mandalas
Trabalho mandalasTrabalho mandalas
Trabalho mandalas
Daniela F Almenara
 
Aec 9º-ano-1º-bim
Aec 9º-ano-1º-bimAec 9º-ano-1º-bim
Aec 9º-ano-1º-bim
Daniela F Almenara
 
Atividade em classe 1º bim 6º ano
Atividade em classe 1º bim 6º anoAtividade em classe 1º bim 6º ano
Atividade em classe 1º bim 6º ano
Daniela F Almenara
 
Atividade extraclasse 1º ano
Atividade extraclasse 1º anoAtividade extraclasse 1º ano
Atividade extraclasse 1º ano
Daniela F Almenara
 
Mandalas
MandalasMandalas
Mandalas
MandalasMandalas
Pg
PgPg
Função horária das posições
Função horária das posiçõesFunção horária das posições
Função horária das posições
Daniela F Almenara
 
Atividade de reforço algarismos romanos
Atividade de reforço algarismos romanosAtividade de reforço algarismos romanos
Atividade de reforço algarismos romanos
Daniela F Almenara
 
Dilatação térmica
Dilatação térmicaDilatação térmica
Dilatação térmica
Daniela F Almenara
 
6º ano-avaliação-diagnótica-2016
6º ano-avaliação-diagnótica-20166º ano-avaliação-diagnótica-2016
6º ano-avaliação-diagnótica-2016
Daniela F Almenara
 
Avaliação de diagnóstica 8º ano
Avaliação de diagnóstica 8º ano Avaliação de diagnóstica 8º ano
Avaliação de diagnóstica 8º ano
Daniela F Almenara
 
As formas geométricas espaciais
As formas geométricas espaciaisAs formas geométricas espaciais
As formas geométricas espaciais
Daniela F Almenara
 
2º atv em classe 2º bim 2014
2º atv em classe  2º bim 20142º atv em classe  2º bim 2014
2º atv em classe 2º bim 2014
Daniela F Almenara
 
Álbum 7º C
Álbum 7º CÁlbum 7º C
Álbum 7º C
Daniela F Almenara
 
Álbum 7º B
Álbum  7º BÁlbum  7º B
Álbum 7º B
Daniela F Almenara
 
Álbum 7º A
Álbum 7º  AÁlbum 7º  A
Álbum 7º A
Daniela F Almenara
 
Dilatação térmica dos líquidos
Dilatação térmica dos líquidosDilatação térmica dos líquidos
Dilatação térmica dos líquidos
Daniela F Almenara
 
Atividade extraclasse 2º ano
Atividade extraclasse 2º anoAtividade extraclasse 2º ano
Atividade extraclasse 2º ano
Daniela F Almenara
 
Aula 1 temperatura
Aula 1   temperaturaAula 1   temperatura
Aula 1 temperatura
Daniela F Almenara
 

Mais de Daniela F Almenara (20)

Trabalho mandalas
Trabalho mandalasTrabalho mandalas
Trabalho mandalas
 
Aec 9º-ano-1º-bim
Aec 9º-ano-1º-bimAec 9º-ano-1º-bim
Aec 9º-ano-1º-bim
 
Atividade em classe 1º bim 6º ano
Atividade em classe 1º bim 6º anoAtividade em classe 1º bim 6º ano
Atividade em classe 1º bim 6º ano
 
Atividade extraclasse 1º ano
Atividade extraclasse 1º anoAtividade extraclasse 1º ano
Atividade extraclasse 1º ano
 
Mandalas
MandalasMandalas
Mandalas
 
Mandalas
MandalasMandalas
Mandalas
 
Pg
PgPg
Pg
 
Função horária das posições
Função horária das posiçõesFunção horária das posições
Função horária das posições
 
Atividade de reforço algarismos romanos
Atividade de reforço algarismos romanosAtividade de reforço algarismos romanos
Atividade de reforço algarismos romanos
 
Dilatação térmica
Dilatação térmicaDilatação térmica
Dilatação térmica
 
6º ano-avaliação-diagnótica-2016
6º ano-avaliação-diagnótica-20166º ano-avaliação-diagnótica-2016
6º ano-avaliação-diagnótica-2016
 
Avaliação de diagnóstica 8º ano
Avaliação de diagnóstica 8º ano Avaliação de diagnóstica 8º ano
Avaliação de diagnóstica 8º ano
 
As formas geométricas espaciais
As formas geométricas espaciaisAs formas geométricas espaciais
As formas geométricas espaciais
 
2º atv em classe 2º bim 2014
2º atv em classe  2º bim 20142º atv em classe  2º bim 2014
2º atv em classe 2º bim 2014
 
Álbum 7º C
Álbum 7º CÁlbum 7º C
Álbum 7º C
 
Álbum 7º B
Álbum  7º BÁlbum  7º B
Álbum 7º B
 
Álbum 7º A
Álbum 7º  AÁlbum 7º  A
Álbum 7º A
 
Dilatação térmica dos líquidos
Dilatação térmica dos líquidosDilatação térmica dos líquidos
Dilatação térmica dos líquidos
 
Atividade extraclasse 2º ano
Atividade extraclasse 2º anoAtividade extraclasse 2º ano
Atividade extraclasse 2º ano
 
Aula 1 temperatura
Aula 1   temperaturaAula 1   temperatura
Aula 1 temperatura
 

Último

reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 

Último (20)

reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 

Leis de Newton

  • 1. Governo do Estado de Rondônia Secretaria de Estado da Educação – SEDUC E.E.E.F.M. Cel. Aluízio Pinheiro Ferreira Rolim de Moura – RO Leis de Newton Profª.: Daniela Fontana Almenara Clique na imagem acima e assista ao vídeo sugerido
  • 2. Lei da Inércia - 1ª Lei de Newton Somos atirados contra o assento, quando, um ônibus (bicicleta, carro, etc) arranca de repente e inicia o seu movimento .
  • 3. Lei da Inércia - 1ª Lei de Newton Um cavaleiro é atirado para a frente quando o cavalo para de repente.
  • 4. Lei da Inércia - 1ª Lei de Newton  Tanto o condutor como o veículo movem-se com a mesma velocidade.  A força foi exercida sobre o veículo e não sobre o condutor. O condutor é projetado para a frente, tende a manter a velocidade que trazia, pois nenhuma força atuou sobre ele.
  • 5. Lei da Inércia - 1ª Lei de Newton Quando o conjunto de forças que atuam num corpo é nula, se o corpo está em repouso continua em repouso, se está em movimento continua com a velocidade que trazia.  O que é a Inércia?  Chama-se inércia à oposição que qualquer corpo oferece à alteração da sua velocidade.  A massa de um corpo determina a sua inércia: quanto maior é a massa de um corpo, mais difícil se torna alterar a sua velocidade.
  • 6. A inércia e a lei da inércia  Existe na natureza uma tendência de não se alterar o estado de movimento de uma partícula, isto é, uma partícula em repouso tende naturalmente a permanecer em repouso e uma partícula com velocidade constante tende a manter a sua velocidade constante.  Essa tendência natural de tudo permanecer como está é conhecida como inércia. No caso da Mecânica, essa observação a respeito do comportamento da natureza levou Newton a enunciar a sua famosa Lei da Inércia, que diz:  "Qualquer corpo em movimento retilíneo e uniforme (ou em repouso) tende a manter-se em movimento retilíneo e uniforme (ou em repouso)."  Esta é a primeira Lei de Newton.
  • 8. A inércia pode ser pensada como uma propriedade inata da matéria. Trata-se de um poder de resistir, mediante o qual cada corpo, no que depender de si, continua no seu estado presente, seja de repouso seja em movimento retilíneo e uniforme.
  • 9. Lei fundamental da dinâmica 2ª Lei de Newton
  • 10. A 2ª lei de Newton  A segunda lei de Newton é a lei fundamental da Mecânica. A partir dela e através de métodos matemáticos, podemos fazer previsões (velocidade e posição, por exemplo) sobre o movimento dos corpos. Qualquer alteração da velocidade de uma partícula é atribuída, sempre, a um agente denominado força.  Basicamente, o que produz mudanças na velocidade são forças que agem sobre a partícula. Como a variação de velocidade indica a existência de aceleração, é de se esperar que haja uma relação entre a força e a aceleração. De fato, Sir Isaac Newton percebeu que existe uma relação muito simples entre força e aceleração, isto é, a força é sempre diretamente proporcional à aceleração que ela provoca:
  • 11. Lei fundamental da dinâmica – 2ª Lei de Newton
  • 12. Lei fundamental da dinâmica – 2ª Lei de Newton Sempre que num corpo atua um conjunto de forças cuja resultante não é nula, a força resultante é diretamente proporcional à aceleração adquirida. Fr = m x a Força Massa resultante (kg) Aceleração (N) (m/s2)
  • 16. Lei fundamental da dinâmica –2ª Lei de Newton QUEDA LIVRE P=mxg Peso (N) Massa (kg) Aceleração da gravidade (m/s2)
  • 18. Lei ação-reação– 3ª Lei de Newton Quem já teve o “azar” de dar um pontapé numa pedra grande, já sentiu que, embora tivesse exercido uma força sobre a pedra, houve uma reação recíproca da pedra sobre o seu pé.
  • 19. Lei ação-reação– 3ª Lei de Newton Quando um karateca dá um golpe que parte uma tábua sente uma força por parte da tábua que lhe pode provocar uma lesão grave na mão.
  • 20. Ação e reação a 3ª lei de Newton  As forças resultam da interação de um corpo com outro corpo. É de se esperar, portanto, que, se um corpo A exerce uma força sobre um corpo B (chamada de ação), A também experimenta uma força (chamada de reação) que resulta da interação com B.  Newton percebeu não só que isso acontece sempre mas, indo mais longe, especificou as principais características das forças que resultam da interação entre dois corpos. Essa questão foi objeto da sua
  • 21. Lei ação-reação– 3ª Lei de Newton "Para toda força que surgir num corpo como resultado da interação com um segundo corpo, deve surgir nesse segundo uma outra força, chamada de reação, cuja intensidade e direção são as mesmas da primeira mas cujo sentido é o oposto da primeira."
  • 22. Lei ação-reação– 3ª Lei de Newton Um dia o senhor Silva deu um murro tão violento na mesa que partiu a mão. Identifique e caracterize o par ação-reação correspondente às forças que estão presentes nesta ação do Sr. Silva, tendo em conta:  O ponto de aplicação de cada força do par ação-reação.  A intensidade de cada força.  O sentido de cada força. Na força referente à ação o ponto de aplicação situa-se na mesa e na força As intensidades das referente à reação o forças ação e reação ponto de aplicação são iguais mas de situa-se na mão. sentidos opostos.
  • 23. Referências  http://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=9&cad=rja&ved=0CGIQFjAI&url =http%3A%2F%2Fcfq9.wikispaces.com%2Ffile%2Fview%2Fleis- newton1.pps&ei=LVoxUKisO4XX6wGg2YHoCQ&usg=AFQjCNGDuEHvgVSei1eeHkbKb2xF2RN2uQ& sig2=HQxlqlwScl8wk-m_tPpa3Q  http://efisica.if.usp.br/mecanica/universitario/dinamica/leis_Newton/  http://www.youtube.com/watch?v=7qqzpIlAzs8