SlideShare uma empresa Scribd logo
Introdução a
Farmacologia
FARMACOLOGIA
✘ É o estudo de substâncias que interagem com sistemas vivos por
meio de processos químicos, especialmente por ligação a
moléculas reguladoras e ativação ou inibição de processos
corporais normais.
✘ Tais substâncias são produtos químicos administrados para se
obter um efeito terapêutico benéfico sobre algum processo no
paciente, ou por seus efeitos tóxicos em parasitas.
✘ Toxicologia: é o ramo da farmacologia que lida com os efeitos
indesejáveis de produtos químicos sobre sistemas vivos, desde
células individuais dos seres humanos até ecossistemas
Fármaco
✘ Qualquer substância que altera a
função biológica por meio de suas
ações químicas.
✘ Substância que se utiliza para o
diagnóstico, alivio, tratamento e/ou
cura de uma doença, como também
para sua prevenção.
Histórico
Farmacologia  ciência jovem que passou a ser reconhecida no final do século XIX
Farmacologia Atual
Conceitos Básicos
(Terminologias)
Nenhuma pessoa que realmente trabalhe
no mundo da saúde sabe a diferença
entre medicamento, droga, fármaco,
remédio e medicação. Todas as pessoas
usam essas palavras de forma
indiscriminada e no mesmo sentido.
Vamos entender a diferença entre elas?
Primeiro, vamos pensar um pouco sobre a
diferença entre droga e fármaco.
DROGA: é qualquer substância que cause alguma alteração no funcionamento
do organismo por ações químicas, com ou sem intenção benéfica.
• Pode ser alguma alteração a nível circulatório como aumento ou diminuição
da pressão arterial, estímulos cerebrais que possam causar alucinação ou
qualquer alteração em qualquer aparelho do corpo. Essas alterações podem
ter efeitos tanto benéficos quanto maléficos.
• Ex.: Veneno de animais e plantas, Cocaína, Heroína, Cafeína, etc.
Sendo assim, o que é um fármaco?
• FÁRMACO: é uma droga que tem uma estrutura
química já definida e, devido a imensos estudos,
são conhecidos os seus efeitos no organismo.
• Tem como finalidade o uso para um efeito benéfico
no organismo, como alívio da dor ou diminuição da
inflamação.
Donepezila é o
fármaco
Aricept é o
medicamento feito
a partir do fármaco
Vamos pensar que você sempre usou de
forma indiscriminada as palavras
medicamento e remédio.
• MEDICAMENTOS são produtos feitos a partir de fármacos que têm como objetivo um
efeito benéfico. São produzidos para fins comerciais com finalidade terapêutica.
• Para tanto, essa produção não é de forma desordenada; existem normas e controle da
fabricação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e supervisão dos
processos de produção por um farmacêutico.
• Os medicamentos, além da ação terapêutica normal, que todos conhecem, e que
consiste na cura de uma doença ou na melhora dos seus sintomas, também podem ter
outras ações, como a profilática, ajudando na prevenção de doenças e auxiliando em
diagnósticos usados em exames para que se possa determinar a presença ou a
ausência de determinada doença.
Medicamento: é o conjunto de agentes terapêuticos,
às vezes medicamentos e remédios, para tentar
chegar à cura ou ao alívio dos sintomas do paciente.
É um conceito muito usado na enfermagem para o
conjunto de medicamentos que devem ser
administrados ao paciente.
Também pode ser definido como:
REMÉDIO: qualquer coisa que faça o indivíduo se sentir
melhor, desde um medicamento até uma massagem ou uma
fisioterapia.
 Abrange fés e crenças, como a bênção de um pastor, ou o
trabalho de uma benzedeira, desde que faça o indivíduo se
sentir melhor.
 Preparações caseiras também são consideradas remédios,
mas não medicamentos, como um chá, uma compressa.
Ou seja, os benefícios ao indivíduo podem vir de várias formas,
por meio de métodos químicos (medicamentos), físicos
(massagem, radioterapia), preparações caseiras ou qualquer
outro procedimento.
MEDICAÇÃO: é o ato de medicar, administrar o
medicamento (do verbo medicar). Medicação é o ato de
administrar o medicamento.
Exemplo:
O enfermeiro vai fazer a medicação do paciente, ele irá
administrar o medicamento prescrito pelo médico às 14 h.
É a descrição do produto – são as substâncias
que compõem o fármaco.
Exemplo:
Fórmula farmacêutica
Fórmula farmacêutica
Dose – Quantidade de medicamento que deve ser
administrado.
Posologia – indicação da dose adequada de um
medicamento. A dose por dia ou período, para
obtenção de efeito terapêutico desejado. Ex:
Dipirona Sódica 500 mg de 12/12 hs.
Dose terapêutica - é a quantidade mínima de um
fármaco capaz de produzir efeito desejado.
Dose máxima – é a dose maior capaz de
produzir efeito terapêutico sem apresentar
efeitos indesejáveis.
Dose de manutenção: dose necessária para
manter os níveis desejáveis de medicamento
na corrente sanguínea e nos tecidos durante o
tratamento.
Dose letal – é a quantidade de um medicamento
capaz de produzir a morte do individuo.
TIPOS DE
MEDICAMENTOS
Tipos de medicamentos
Lei nº 9.787/99 – Lei dos Genéricos
• Medicamento de referência
• Genérico  contém o mesmo princípio ativo - na mesma dose e forma
farmacêutica - de um medicamento de referência. É administrado pela mesma
via e tem indicação idêntica. E o mais importante: é tão seguro e eficaz quanto
o medicamento de marca, mas em geral custa menos
• Similares  vendidos sobre
o nome de uma marca
comercial. As embalagens
não têm nem terão a frase
"medicamento genérico”
Natural  extraídos de órgãos ou glândulas (extrato de fígado); extraídos de
fonte de minério e princípios ativos de diversas plantas
Sintética  substâncias preparadas em laboratórios por processos químicos
Têm composição e ação idênticas aos produtos naturais
Tipos de medicamentos
Quanto à origem
Tipos de medicamentos
Quanto à forma farmacêutica: forma com se
apresenta
Líquidos  soluções, emulsões, xaropes, elixires e loções
Sólidos  em pó ou em formatos sob a compressão –
comprimido, drágea, pílula, cápsula e supositório
Pastosos  normalmente de uso tópico – geléias, cremes,
pomadas etc
Gasosos  recipientes cilíndricos especiais: balas e em
geral são administrados por inalação
Tipos de medicamentos
• Alopáticos: são aqueles que encontramos geralmente nas drogarias que frequentamos, aqueles que agem de
forma contrária aos nossos sintomas, como um anti-inflamatório que combate uma inflamação, um analgésico que
combate uma dor, ou um cardiotônico que dá força a um coração insuficiente, etc.
• Homeopático: é produzido por meio de diluições sucessivas de uma solução mãe concentrada até chegar a doses
infinitesimais, ou seja, concentrações muito pequenas.
• Medicamento fitoterápico: é um remédio produzido a partir de vegetais ou plantas medicinais com alguma ação
terapêutica. Eles também são caracterizados por dispor de um conjunto de princípios ativos que são conseguidos a
partir de partes de plantas, como raízes, folhas e sementes.
Toxicidade de medicamentos: efeito
colateral, reação adversa,
idiossincrasia, etc.
Toxicidade
✘ É a medida do potencial tóxico (lesivo ao organismo)
de uma substância. Não existem substâncias
químicas sem toxicidade.
✘ Isso ocorre porque não existe nenhum princípio ativo
que seja tão específico para apenas alguma célula
ou tecido do corpo humano, e seus efeitos nos
outros órgãos e tecidos acarretam sintomas e efeitos
adversos.
✘ Isso ocorre também com o uso excessivo e
indiscriminado de medicamentos.
EFEITO
COLATERAL
✘ É qualquer efeito apresentado pelo fármaco
diferente do efeito principal a ele referido. Esse
efeito pode ser benéfico, neutro ou maléfico.
✘ Alguns autores podem chamá-lo também de
efeito secundário do medicamento
EFEITO COLATERAL
REAÇÃO ADVERSA
✘ Reação adversa consiste em uma reação nociva e
sem intenção ao organismo que ingere o
medicamento em doses usuais ou em
superdosagem para tratamento de uma
enfermidade, profilaxia ou exames.
✘ Ele apresenta apenas um efeito nocivo ao corpo.
REAÇÃO ADVERSA
REAÇÃO
IDIOSSINCRÁTICA
• Esse efeito, de ocorrência mais rara, está
relacionado com a sensibilidade anormal,
peculiar de alguns indivíduos a certos
medicamentos.
• Essa sensibilidade anormal está geralmente
relacionada a defeitos enzimáticos e é
hereditária.
REAÇÃO
IDIOSSINCRÁTICA
Reação Alérgica:
✘ Reação que está intimamente relacionada com
a sensibilidade alérgica de cada individuo.
✘ Pode ser simples reação local: vermelhidão
(rubor), coceira intensa (prurido) e edema
(inchaço), aumento da temperatura (calor) e
(dor).
Reação Alérgica:

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Medicamentos controle especial
Medicamentos controle especialMedicamentos controle especial
Medicamentos controle especial
luissinato
 
INTERAÇ
INTERAÇINTERAÇ
aula 8 - CF2
aula 8 - CF2aula 8 - CF2
aula 8 - CF2
Caio Maximino
 
História da Farmacologia.pdf
História da Farmacologia.pdfHistória da Farmacologia.pdf
História da Farmacologia.pdf
CASA
 
Aula1 farmacologia de eicosanoides
Aula1 farmacologia de eicosanoidesAula1 farmacologia de eicosanoides
Aula1 farmacologia de eicosanoides
Karen Ferreira
 
Farmacologia e definicões
Farmacologia e definicõesFarmacologia e definicões
Farmacologia e definicões
Paulo Henrique Campos Vilhena
 
Introdução à Atenção Farmacêutica
Introdução à Atenção FarmacêuticaIntrodução à Atenção Farmacêutica
Introdução à Atenção Farmacêutica
Cassyano Correr
 
Medicamentos
MedicamentosMedicamentos
Medicamentos
Leonardo Souza
 
Aula 04 farmacologia - prof. clara mota
Aula 04   farmacologia - prof. clara motaAula 04   farmacologia - prof. clara mota
Aula 04 farmacologia - prof. clara mota
Clara Mota Brum
 
Aula 01 farmacologia prof. clara mota
Aula 01   farmacologia prof. clara motaAula 01   farmacologia prof. clara mota
Aula 01 farmacologia prof. clara mota
Clara Mota Brum
 
Atendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Atendente de Farmácia - Classificação dos FármacosAtendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Atendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Luis Antonio Cezar Junior
 
07 atendente de farmácia (descrição de medicamentos)
07   atendente de farmácia (descrição de medicamentos)07   atendente de farmácia (descrição de medicamentos)
07 atendente de farmácia (descrição de medicamentos)
Elizeu Ferro
 
3ª aula conceitos básicos sobre medicamentos
3ª aula   conceitos básicos sobre medicamentos3ª aula   conceitos básicos sobre medicamentos
3ª aula conceitos básicos sobre medicamentos
Claudio Luis Venturini
 
Tipos de receituarios
Tipos de receituariosTipos de receituarios
Tipos de receituarios
Mikael Figueredo Gonçalves
 
analgesicos
analgesicosanalgesicos
analgesicos
josi uchoa
 
FarmacocinéTica
FarmacocinéTicaFarmacocinéTica
FarmacocinéTica
Caio Maximino
 
NOÇÕES BÁSICAS DE FARMACOLOGIA (Parte I).pdf
NOÇÕES BÁSICAS DE FARMACOLOGIA (Parte I).pdfNOÇÕES BÁSICAS DE FARMACOLOGIA (Parte I).pdf
NOÇÕES BÁSICAS DE FARMACOLOGIA (Parte I).pdf
RamisaMaia
 
Introdução à farmacologia
Introdução à farmacologiaIntrodução à farmacologia
Introdução à farmacologia
Mauro Cunha Xavier Pinto
 
introdução à farmacologia
 introdução à farmacologia introdução à farmacologia
introdução à farmacologia
Jaqueline Almeida
 
09 atendente de farmácia (organização de uma farmácia)
09   atendente de farmácia (organização de uma farmácia)09   atendente de farmácia (organização de uma farmácia)
09 atendente de farmácia (organização de uma farmácia)
Elizeu Ferro
 

Mais procurados (20)

Medicamentos controle especial
Medicamentos controle especialMedicamentos controle especial
Medicamentos controle especial
 
INTERAÇ
INTERAÇINTERAÇ
INTERAÇ
 
aula 8 - CF2
aula 8 - CF2aula 8 - CF2
aula 8 - CF2
 
História da Farmacologia.pdf
História da Farmacologia.pdfHistória da Farmacologia.pdf
História da Farmacologia.pdf
 
Aula1 farmacologia de eicosanoides
Aula1 farmacologia de eicosanoidesAula1 farmacologia de eicosanoides
Aula1 farmacologia de eicosanoides
 
Farmacologia e definicões
Farmacologia e definicõesFarmacologia e definicões
Farmacologia e definicões
 
Introdução à Atenção Farmacêutica
Introdução à Atenção FarmacêuticaIntrodução à Atenção Farmacêutica
Introdução à Atenção Farmacêutica
 
Medicamentos
MedicamentosMedicamentos
Medicamentos
 
Aula 04 farmacologia - prof. clara mota
Aula 04   farmacologia - prof. clara motaAula 04   farmacologia - prof. clara mota
Aula 04 farmacologia - prof. clara mota
 
Aula 01 farmacologia prof. clara mota
Aula 01   farmacologia prof. clara motaAula 01   farmacologia prof. clara mota
Aula 01 farmacologia prof. clara mota
 
Atendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Atendente de Farmácia - Classificação dos FármacosAtendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Atendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
 
07 atendente de farmácia (descrição de medicamentos)
07   atendente de farmácia (descrição de medicamentos)07   atendente de farmácia (descrição de medicamentos)
07 atendente de farmácia (descrição de medicamentos)
 
3ª aula conceitos básicos sobre medicamentos
3ª aula   conceitos básicos sobre medicamentos3ª aula   conceitos básicos sobre medicamentos
3ª aula conceitos básicos sobre medicamentos
 
Tipos de receituarios
Tipos de receituariosTipos de receituarios
Tipos de receituarios
 
analgesicos
analgesicosanalgesicos
analgesicos
 
FarmacocinéTica
FarmacocinéTicaFarmacocinéTica
FarmacocinéTica
 
NOÇÕES BÁSICAS DE FARMACOLOGIA (Parte I).pdf
NOÇÕES BÁSICAS DE FARMACOLOGIA (Parte I).pdfNOÇÕES BÁSICAS DE FARMACOLOGIA (Parte I).pdf
NOÇÕES BÁSICAS DE FARMACOLOGIA (Parte I).pdf
 
Introdução à farmacologia
Introdução à farmacologiaIntrodução à farmacologia
Introdução à farmacologia
 
introdução à farmacologia
 introdução à farmacologia introdução à farmacologia
introdução à farmacologia
 
09 atendente de farmácia (organização de uma farmácia)
09   atendente de farmácia (organização de uma farmácia)09   atendente de farmácia (organização de uma farmácia)
09 atendente de farmácia (organização de uma farmácia)
 

Semelhante a Introdução a Farmacologia.pptx

introduoafarmacologia-221102180142-bc7d9420.pptx
introduoafarmacologia-221102180142-bc7d9420.pptxintroduoafarmacologia-221102180142-bc7d9420.pptx
introduoafarmacologia-221102180142-bc7d9420.pptx
BruceCosta5
 
Introdução a Farmacologia.pptx
Introdução a Farmacologia.pptxIntrodução a Farmacologia.pptx
Introdução a Farmacologia.pptx
GustavoWallaceAlvesd
 
Aula 01
Aula 01Aula 01
aula 3 farmacia e profissão.pptx
aula 3 farmacia e profissão.pptxaula 3 farmacia e profissão.pptx
aula 3 farmacia e profissão.pptx
BeneditoMarcioJuninh
 
CONCEITOS BÁSICOS EM FARMÁCIA - INTRUDUÇÃO À FARMÁCIA
CONCEITOS BÁSICOS EM FARMÁCIA - INTRUDUÇÃO À FARMÁCIACONCEITOS BÁSICOS EM FARMÁCIA - INTRUDUÇÃO À FARMÁCIA
CONCEITOS BÁSICOS EM FARMÁCIA - INTRUDUÇÃO À FARMÁCIA
EloiVasconcelos2
 
Apostila 01 - ConceitosFarmacêuticos.pdf
Apostila 01 - ConceitosFarmacêuticos.pdfApostila 01 - ConceitosFarmacêuticos.pdf
Apostila 01 - ConceitosFarmacêuticos.pdf
CarolLima87568
 
AULA REVISANDO HOJE.ppt
AULA REVISANDO HOJE.pptAULA REVISANDO HOJE.ppt
AULA REVISANDO HOJE.ppt
SuaMeKksh
 
enfermagem em far.pptx
enfermagem em far.pptxenfermagem em far.pptx
enfermagem em far.pptx
tuttitutti1
 
Conceitos em Farmácia
Conceitos em FarmáciaConceitos em Farmácia
Conceitos em Farmácia
Wellington Silva
 
07 medicamentos - FARMACOLOGIA
07 medicamentos - FARMACOLOGIA07 medicamentos - FARMACOLOGIA
07 medicamentos - FARMACOLOGIA
Antonio Adailton de Morais
 
ENFERMAGEM - MÓDULO I - NOCOES DE FARMACOLOGIA.pptx
ENFERMAGEM - MÓDULO I - NOCOES DE FARMACOLOGIA.pptxENFERMAGEM - MÓDULO I - NOCOES DE FARMACOLOGIA.pptx
ENFERMAGEM - MÓDULO I - NOCOES DE FARMACOLOGIA.pptx
LanaMonteiro8
 
Aula 1 curso de enfermagem
Aula 1 curso de enfermagemAula 1 curso de enfermagem
Aula 1 curso de enfermagem
Nito Joao Sunde
 
FARMACOLOGIA E SISTEMAS FISIOLOGICOS HUMANO
FARMACOLOGIA E SISTEMAS FISIOLOGICOS HUMANOFARMACOLOGIA E SISTEMAS FISIOLOGICOS HUMANO
FARMACOLOGIA E SISTEMAS FISIOLOGICOS HUMANO
ArtthurPereira2
 
Atendente de Farmacia
Atendente de FarmaciaAtendente de Farmacia
Atendente de Farmacia
Sheilla Sandes
 
APOSTILA-ATENDENTE-DE-FARMÁCIA.pdf
APOSTILA-ATENDENTE-DE-FARMÁCIA.pdfAPOSTILA-ATENDENTE-DE-FARMÁCIA.pdf
APOSTILA-ATENDENTE-DE-FARMÁCIA.pdf
cris464417
 
aula 1 - conceitos.pptx
aula 1 - conceitos.pptxaula 1 - conceitos.pptx
aula 1 - conceitos.pptx
MayaraPereira87
 
NOCOES DE FARMACOLOGIA 5.pptx
NOCOES DE FARMACOLOGIA 5.pptxNOCOES DE FARMACOLOGIA 5.pptx
NOCOES DE FARMACOLOGIA 5.pptx
LanaMonteiro6
 
2._NOÇÕES_DE_FARMACOLOGIA.ppt
2._NOÇÕES_DE_FARMACOLOGIA.ppt2._NOÇÕES_DE_FARMACOLOGIA.ppt
2._NOÇÕES_DE_FARMACOLOGIA.ppt
CassianoOliveira8
 
Introdução a Farmacologi.pdf
Introdução a Farmacologi.pdfIntrodução a Farmacologi.pdf
Introdução a Farmacologi.pdf
camilarodrigues873968
 
Aula 1-2 - Farmacologia, posologia, 13 certos, farmacodinamica (1).pdf
Aula 1-2 - Farmacologia, posologia, 13 certos, farmacodinamica (1).pdfAula 1-2 - Farmacologia, posologia, 13 certos, farmacodinamica (1).pdf
Aula 1-2 - Farmacologia, posologia, 13 certos, farmacodinamica (1).pdf
profalicebolelli
 

Semelhante a Introdução a Farmacologia.pptx (20)

introduoafarmacologia-221102180142-bc7d9420.pptx
introduoafarmacologia-221102180142-bc7d9420.pptxintroduoafarmacologia-221102180142-bc7d9420.pptx
introduoafarmacologia-221102180142-bc7d9420.pptx
 
Introdução a Farmacologia.pptx
Introdução a Farmacologia.pptxIntrodução a Farmacologia.pptx
Introdução a Farmacologia.pptx
 
Aula 01
Aula 01Aula 01
Aula 01
 
aula 3 farmacia e profissão.pptx
aula 3 farmacia e profissão.pptxaula 3 farmacia e profissão.pptx
aula 3 farmacia e profissão.pptx
 
CONCEITOS BÁSICOS EM FARMÁCIA - INTRUDUÇÃO À FARMÁCIA
CONCEITOS BÁSICOS EM FARMÁCIA - INTRUDUÇÃO À FARMÁCIACONCEITOS BÁSICOS EM FARMÁCIA - INTRUDUÇÃO À FARMÁCIA
CONCEITOS BÁSICOS EM FARMÁCIA - INTRUDUÇÃO À FARMÁCIA
 
Apostila 01 - ConceitosFarmacêuticos.pdf
Apostila 01 - ConceitosFarmacêuticos.pdfApostila 01 - ConceitosFarmacêuticos.pdf
Apostila 01 - ConceitosFarmacêuticos.pdf
 
AULA REVISANDO HOJE.ppt
AULA REVISANDO HOJE.pptAULA REVISANDO HOJE.ppt
AULA REVISANDO HOJE.ppt
 
enfermagem em far.pptx
enfermagem em far.pptxenfermagem em far.pptx
enfermagem em far.pptx
 
Conceitos em Farmácia
Conceitos em FarmáciaConceitos em Farmácia
Conceitos em Farmácia
 
07 medicamentos - FARMACOLOGIA
07 medicamentos - FARMACOLOGIA07 medicamentos - FARMACOLOGIA
07 medicamentos - FARMACOLOGIA
 
ENFERMAGEM - MÓDULO I - NOCOES DE FARMACOLOGIA.pptx
ENFERMAGEM - MÓDULO I - NOCOES DE FARMACOLOGIA.pptxENFERMAGEM - MÓDULO I - NOCOES DE FARMACOLOGIA.pptx
ENFERMAGEM - MÓDULO I - NOCOES DE FARMACOLOGIA.pptx
 
Aula 1 curso de enfermagem
Aula 1 curso de enfermagemAula 1 curso de enfermagem
Aula 1 curso de enfermagem
 
FARMACOLOGIA E SISTEMAS FISIOLOGICOS HUMANO
FARMACOLOGIA E SISTEMAS FISIOLOGICOS HUMANOFARMACOLOGIA E SISTEMAS FISIOLOGICOS HUMANO
FARMACOLOGIA E SISTEMAS FISIOLOGICOS HUMANO
 
Atendente de Farmacia
Atendente de FarmaciaAtendente de Farmacia
Atendente de Farmacia
 
APOSTILA-ATENDENTE-DE-FARMÁCIA.pdf
APOSTILA-ATENDENTE-DE-FARMÁCIA.pdfAPOSTILA-ATENDENTE-DE-FARMÁCIA.pdf
APOSTILA-ATENDENTE-DE-FARMÁCIA.pdf
 
aula 1 - conceitos.pptx
aula 1 - conceitos.pptxaula 1 - conceitos.pptx
aula 1 - conceitos.pptx
 
NOCOES DE FARMACOLOGIA 5.pptx
NOCOES DE FARMACOLOGIA 5.pptxNOCOES DE FARMACOLOGIA 5.pptx
NOCOES DE FARMACOLOGIA 5.pptx
 
2._NOÇÕES_DE_FARMACOLOGIA.ppt
2._NOÇÕES_DE_FARMACOLOGIA.ppt2._NOÇÕES_DE_FARMACOLOGIA.ppt
2._NOÇÕES_DE_FARMACOLOGIA.ppt
 
Introdução a Farmacologi.pdf
Introdução a Farmacologi.pdfIntrodução a Farmacologi.pdf
Introdução a Farmacologi.pdf
 
Aula 1-2 - Farmacologia, posologia, 13 certos, farmacodinamica (1).pdf
Aula 1-2 - Farmacologia, posologia, 13 certos, farmacodinamica (1).pdfAula 1-2 - Farmacologia, posologia, 13 certos, farmacodinamica (1).pdf
Aula 1-2 - Farmacologia, posologia, 13 certos, farmacodinamica (1).pdf
 

Introdução a Farmacologia.pptx

  • 2. FARMACOLOGIA ✘ É o estudo de substâncias que interagem com sistemas vivos por meio de processos químicos, especialmente por ligação a moléculas reguladoras e ativação ou inibição de processos corporais normais. ✘ Tais substâncias são produtos químicos administrados para se obter um efeito terapêutico benéfico sobre algum processo no paciente, ou por seus efeitos tóxicos em parasitas. ✘ Toxicologia: é o ramo da farmacologia que lida com os efeitos indesejáveis de produtos químicos sobre sistemas vivos, desde células individuais dos seres humanos até ecossistemas
  • 3. Fármaco ✘ Qualquer substância que altera a função biológica por meio de suas ações químicas. ✘ Substância que se utiliza para o diagnóstico, alivio, tratamento e/ou cura de uma doença, como também para sua prevenção.
  • 4. Histórico Farmacologia  ciência jovem que passou a ser reconhecida no final do século XIX
  • 7. Nenhuma pessoa que realmente trabalhe no mundo da saúde sabe a diferença entre medicamento, droga, fármaco, remédio e medicação. Todas as pessoas usam essas palavras de forma indiscriminada e no mesmo sentido. Vamos entender a diferença entre elas?
  • 8. Primeiro, vamos pensar um pouco sobre a diferença entre droga e fármaco. DROGA: é qualquer substância que cause alguma alteração no funcionamento do organismo por ações químicas, com ou sem intenção benéfica. • Pode ser alguma alteração a nível circulatório como aumento ou diminuição da pressão arterial, estímulos cerebrais que possam causar alucinação ou qualquer alteração em qualquer aparelho do corpo. Essas alterações podem ter efeitos tanto benéficos quanto maléficos. • Ex.: Veneno de animais e plantas, Cocaína, Heroína, Cafeína, etc.
  • 9. Sendo assim, o que é um fármaco? • FÁRMACO: é uma droga que tem uma estrutura química já definida e, devido a imensos estudos, são conhecidos os seus efeitos no organismo. • Tem como finalidade o uso para um efeito benéfico no organismo, como alívio da dor ou diminuição da inflamação.
  • 10. Donepezila é o fármaco Aricept é o medicamento feito a partir do fármaco
  • 11.
  • 12. Vamos pensar que você sempre usou de forma indiscriminada as palavras medicamento e remédio. • MEDICAMENTOS são produtos feitos a partir de fármacos que têm como objetivo um efeito benéfico. São produzidos para fins comerciais com finalidade terapêutica. • Para tanto, essa produção não é de forma desordenada; existem normas e controle da fabricação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e supervisão dos processos de produção por um farmacêutico. • Os medicamentos, além da ação terapêutica normal, que todos conhecem, e que consiste na cura de uma doença ou na melhora dos seus sintomas, também podem ter outras ações, como a profilática, ajudando na prevenção de doenças e auxiliando em diagnósticos usados em exames para que se possa determinar a presença ou a ausência de determinada doença.
  • 13. Medicamento: é o conjunto de agentes terapêuticos, às vezes medicamentos e remédios, para tentar chegar à cura ou ao alívio dos sintomas do paciente. É um conceito muito usado na enfermagem para o conjunto de medicamentos que devem ser administrados ao paciente. Também pode ser definido como:
  • 14. REMÉDIO: qualquer coisa que faça o indivíduo se sentir melhor, desde um medicamento até uma massagem ou uma fisioterapia.  Abrange fés e crenças, como a bênção de um pastor, ou o trabalho de uma benzedeira, desde que faça o indivíduo se sentir melhor.  Preparações caseiras também são consideradas remédios, mas não medicamentos, como um chá, uma compressa. Ou seja, os benefícios ao indivíduo podem vir de várias formas, por meio de métodos químicos (medicamentos), físicos (massagem, radioterapia), preparações caseiras ou qualquer outro procedimento.
  • 15. MEDICAÇÃO: é o ato de medicar, administrar o medicamento (do verbo medicar). Medicação é o ato de administrar o medicamento. Exemplo: O enfermeiro vai fazer a medicação do paciente, ele irá administrar o medicamento prescrito pelo médico às 14 h.
  • 16. É a descrição do produto – são as substâncias que compõem o fármaco. Exemplo: Fórmula farmacêutica
  • 18. Dose – Quantidade de medicamento que deve ser administrado. Posologia – indicação da dose adequada de um medicamento. A dose por dia ou período, para obtenção de efeito terapêutico desejado. Ex: Dipirona Sódica 500 mg de 12/12 hs. Dose terapêutica - é a quantidade mínima de um fármaco capaz de produzir efeito desejado.
  • 19. Dose máxima – é a dose maior capaz de produzir efeito terapêutico sem apresentar efeitos indesejáveis. Dose de manutenção: dose necessária para manter os níveis desejáveis de medicamento na corrente sanguínea e nos tecidos durante o tratamento. Dose letal – é a quantidade de um medicamento capaz de produzir a morte do individuo.
  • 21. Tipos de medicamentos Lei nº 9.787/99 – Lei dos Genéricos • Medicamento de referência • Genérico  contém o mesmo princípio ativo - na mesma dose e forma farmacêutica - de um medicamento de referência. É administrado pela mesma via e tem indicação idêntica. E o mais importante: é tão seguro e eficaz quanto o medicamento de marca, mas em geral custa menos • Similares  vendidos sobre o nome de uma marca comercial. As embalagens não têm nem terão a frase "medicamento genérico”
  • 22. Natural  extraídos de órgãos ou glândulas (extrato de fígado); extraídos de fonte de minério e princípios ativos de diversas plantas Sintética  substâncias preparadas em laboratórios por processos químicos Têm composição e ação idênticas aos produtos naturais Tipos de medicamentos Quanto à origem
  • 23. Tipos de medicamentos Quanto à forma farmacêutica: forma com se apresenta Líquidos  soluções, emulsões, xaropes, elixires e loções Sólidos  em pó ou em formatos sob a compressão – comprimido, drágea, pílula, cápsula e supositório Pastosos  normalmente de uso tópico – geléias, cremes, pomadas etc Gasosos  recipientes cilíndricos especiais: balas e em geral são administrados por inalação
  • 24. Tipos de medicamentos • Alopáticos: são aqueles que encontramos geralmente nas drogarias que frequentamos, aqueles que agem de forma contrária aos nossos sintomas, como um anti-inflamatório que combate uma inflamação, um analgésico que combate uma dor, ou um cardiotônico que dá força a um coração insuficiente, etc. • Homeopático: é produzido por meio de diluições sucessivas de uma solução mãe concentrada até chegar a doses infinitesimais, ou seja, concentrações muito pequenas. • Medicamento fitoterápico: é um remédio produzido a partir de vegetais ou plantas medicinais com alguma ação terapêutica. Eles também são caracterizados por dispor de um conjunto de princípios ativos que são conseguidos a partir de partes de plantas, como raízes, folhas e sementes.
  • 25. Toxicidade de medicamentos: efeito colateral, reação adversa, idiossincrasia, etc.
  • 26. Toxicidade ✘ É a medida do potencial tóxico (lesivo ao organismo) de uma substância. Não existem substâncias químicas sem toxicidade. ✘ Isso ocorre porque não existe nenhum princípio ativo que seja tão específico para apenas alguma célula ou tecido do corpo humano, e seus efeitos nos outros órgãos e tecidos acarretam sintomas e efeitos adversos. ✘ Isso ocorre também com o uso excessivo e indiscriminado de medicamentos.
  • 27. EFEITO COLATERAL ✘ É qualquer efeito apresentado pelo fármaco diferente do efeito principal a ele referido. Esse efeito pode ser benéfico, neutro ou maléfico. ✘ Alguns autores podem chamá-lo também de efeito secundário do medicamento
  • 29. REAÇÃO ADVERSA ✘ Reação adversa consiste em uma reação nociva e sem intenção ao organismo que ingere o medicamento em doses usuais ou em superdosagem para tratamento de uma enfermidade, profilaxia ou exames. ✘ Ele apresenta apenas um efeito nocivo ao corpo.
  • 31. REAÇÃO IDIOSSINCRÁTICA • Esse efeito, de ocorrência mais rara, está relacionado com a sensibilidade anormal, peculiar de alguns indivíduos a certos medicamentos. • Essa sensibilidade anormal está geralmente relacionada a defeitos enzimáticos e é hereditária.
  • 33. Reação Alérgica: ✘ Reação que está intimamente relacionada com a sensibilidade alérgica de cada individuo. ✘ Pode ser simples reação local: vermelhidão (rubor), coceira intensa (prurido) e edema (inchaço), aumento da temperatura (calor) e (dor).