SlideShare uma empresa Scribd logo
Um trabalho de:
Cindy Silva nº4
João Pereira nº7
Mélanie Ribeiro nº 12
Ricardo Almeida nº 18
IMUNODEFICIÊNCIA CONGÉNITA
O que é a Imunodeficiência Congénita;
Sintomas/sinais da doença;
Diagnóstico (tipo de exames);
Tratamentos possíveis;
Curiosidades;
Conclusão.
O TRABALHO ABORDARÁ OS SEGUINTES TÓPICOS
CongénitaAdquirida
» É uma doença pouco comum;
» Está presente desde a nascença
do individuo;
» É provocada por erros no código
genético;
» Há défice de linfócitos B e T o
que provoca híper sensibilidade a
agentes causadores de infeções.
» É mais frequente que a congénita;
» Aparece numa idade mais
avançada;
» É provocada por vírus que causam
a deterioração do sistema imunitário;
» Um exemplo é a SIDA, causada
pelo vírus HIV (vírus da
imunodeficiência humana).
IMUNODEFICIÊNCIA
(Incapacidade ou dificuldade do organismo se defender contra Vírus, Germes e Bactérias)
O QUE É A IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA
O Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (SIDA)
é responsável pela deterioração progressiva do sistema
imunitário, que propicia o desenvolvimento de infeções
oportunistas e cancros potencialmente mortais nos seres
humanos.
A causa deste tipo de imunodeficiência é o Vírus da
Imunodeficiência Humana (VIH) que se veicula a partir de
transferências de sangue, sémen, fluidos genitais e leite materno.
CURIOSIDADE: Fluidos corporais, como saliva e lágrimas, não
transmitem o vírus.
DOENÇAS DA IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA
Quando infetado pelo VIH, o indivíduo pode passar por um breve
período doente, com sintomas semelhantes aos da gripe.
Normalmente isto é seguido por um período prolongado sem
qualquer outro sintoma.
À medida que que o vírus se propaga no organismo, o sistema
imunológico torna-se cada vez mais vulnerável a doenças,
como infeções oportunistas e cancro.
CURIOSIDADE: A elevada fragilidade imunitária pode levar a
que um simples corte de tecido venha a contrair uma grave
infeção possível de ser letal.
O QUE É A IMUNODEFICIÊNCIA CONGÉNITA
A imunodeficiência congénita, também conhecida como
imunodeficiência primária, é uma doença do sistema
imunológico, em que o doente nasce com uma diminuição na
capacidade de se defender contra os microrganismos a que o
corpo humano está constantemente exposto.
Esta doença é devida a imperfeições num ou mais genes que
fazem parte dos cromossomas do indivíduo, podendo ser
hereditárias.
Quando o organismo entra em contato com bactérias, fungos,
vírus ou outros microrganismos desenvolve uma resposta de
defesa através do sistema imunológico.
As células mais importantes do sistema imunológico são os
neutrófilos que destroem os microrganismos e os linfócitos T e
B que libertam para o sangue, anticorpos, que são defesas
contra o microrganismo agressor.
O QUE É A IMUNODEFICIÊNCIA CONGÉNITA
CURIOSIDADE: Há 5 categorias de anticorpos, também designados por
imunoglobulinas (Ig). São elas a IgG, IgM, IgA, IgE, IgD, cada uma com
funções diferentes.
Estão descritas mais de 100 tipos de imunodeficiências primárias
(IDP), com diferentes quadros clínicos e gravidades variáveis.
As imunodeficiências mais graves, na ausência de tratamento
específico, provocam a morte do indivíduo, por infeção grave,
nos primeiros meses de vida.
Nos casos de deficiência imunológica ligeira, os indivíduos
podem viver normalmente tendo, por vezes, apenas de ser
medicados com antibióticos para reforçar a atividade imunitária.
O QUE É A IMUNODEFICIÊNCIA CONGÉNITA
As pessoas com elevado grau de imunodeficiência têm de
viver em locais esterilizados
Linfócitos
Os linfócitos são responsáveis pelo
reconhecimento do organismo invasor e pela
produção da resposta imune. São produzidos nos
órgãos linfoides centrais. Os linfócitos B são
produzidos na medula óssea e os linfócitos T são
produzidos no timo.
Linfócitos B: os linfócitos B reconhecem o
recetor de superfície do antigénio e
transformam-se em plasmócitos, que produzem
anticorpos que se ligam especificamente com o
antigénio.
Linfócitos T: os linfócitos T interagem com os
linfócitos B. As células T auxiliares, auxiliam os
linfócitos B na produção de anticorpos. Os
linfócitos T citotóxicos destroem células
infetadas pelo antigénio.
Neutrófilos
Os neutrófilos são células
fagocíticas muito numerosas,
compreendendo cerca de 90%
dos granulócitos que circulam
na corrente sanguínea.
É a primeira célula a chegar ao
local de defesa e tem vida
curta.
Linfócitos
Os linfócitos são responsáveis pelo
reconhecimento do organismo invasor e pela
produção da resposta imune. São produzidos nos
órgãos linfoides centrais. Os linfócitos B são
produzidos na medula óssea e os linfócitos T são
produzidos no timo.
Linfócitos B: os linfócitos B reconhecem o
recetor de superfície do antigénio e
transformam-se em plasmócitos, que produzem
anticorpos que se ligam especificamente com o
antigénio.
Linfócitos T: os linfócitos T interagem com os
linfócitos B. As células T auxiliares, auxiliam os
linfócitos B na produção de anticorpos. Os
linfócitos T citotóxicos destroem células
infetadas pelo antigénio.
Imunodeficiência Congénita 12º
oDuas ou mais Pneumonias num ano;
oQuatro ou mais Otites num ano;
oEstomatites de repetição ou Monilíase por mais de dois
meses;
oAbcessos de repetição ou ectima;
oUm episódio de infeção sistémica grave (meningite,
osteoartrite);
oInfeções intestinais repetitivas / diarreia crónica;
oAsma grave, doença do colagénio ou doenças autoimunes;
oFenótipo clínico sugestivo de síndrome associada a
Imunodeficiência (ex. Ataxia-Telangiectasia);
oHistória familiar de imunodeficiência.
SINAIS INDICADORES DA DOENÇA
Imunodeficiência Congénita 12º
Após o aparecimento de sintomas é necessário recorrer a
exames de sangue (Hemograma, exame que avalia o número
células sanguíneas).
Os exames serão úteis na confirmação da doença e deteção do
grau e tipo da anomalia, possibilitando assim encontrar o
tratamento adequado para esta.
DIAGNÓSTICO
Depois do diagnóstico, o paciente começa o tratamento, que
na maioria das vezes (80%) é à base de Imunoglobulina,
indicada quando o paciente não produz anticorpos ou
quando eles não atuam adequadamente.
Há também o uso de antibióticos, que são ministrados de
forma contínua ou sempre que houver uma infeção
oportunista.
Em casos mais graves pode verificar-se a necessidade de
realizar-se um transplante de medula óssea.
TRATAMENTOS POSSÍVEIS
PARA VER E OUVIR
CONCLUSÃO
Mélanie Ribeiro
Cindy Silva
CONCLUSÃO
JoãoPereira
Ricardo Almeida
POR.
» http://www.imunopediatria.org.br/download/10sinais.pdf
» http://pt.wikipedia.org/wiki/Imunodefici%C3%AAncia_cong%C3%AAnita
» Geha R, Notarangelo L, Casanova JL, Conley ME, Chapel ME, Fischer A,
Hammerstrom L, Nonoyama S, Ochs H, Puck J, Roifman C, Seger R, Wedgwood J.
Primary immunodeficiency diseases: an update from the International Union of
Immunological Societies Primary Immunodeficiency Diseases Classification Committee
Meeting. Journal of Allergy and Clinical Immunology 2007; 120(4):776-794.
» Patient & Family Handbook for Primary Immunedeficiency Diseases Produced by
Immune Deficiency Foundation through a grant from Baxter. Fourth Edition. 2007.
BIBLIOGRAFIA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sistema imunitário Biologia 12ºano
Sistema imunitário Biologia 12ºanoSistema imunitário Biologia 12ºano
Sistema imunitário Biologia 12ºano
Cátia Teixeira
 
Sistema Imunitário - defesa não específica
Sistema Imunitário - defesa não específicaSistema Imunitário - defesa não específica
Sistema Imunitário - defesa não específica
Isabel Lopes
 
Imunodeficiências
ImunodeficiênciasImunodeficiências
Imunodeficiências
12anogolega
 
Sistema Imunitário - Biologia 12º
Sistema Imunitário - Biologia 12ºSistema Imunitário - Biologia 12º
Sistema Imunitário - Biologia 12º
trawwr
 
Sistema imunitario
Sistema imunitarioSistema imunitario
Sistema imunitario
Cátia Magrinho
 
1 power-point 12º sistema imunitário-doenças e desequilíbrios [modo de compat...
1 power-point 12º sistema imunitário-doenças e desequilíbrios [modo de compat...1 power-point 12º sistema imunitário-doenças e desequilíbrios [modo de compat...
1 power-point 12º sistema imunitário-doenças e desequilíbrios [modo de compat...
Cidalia Aguiar
 
Imunologia
ImunologiaImunologia
Imunologia
Janine Rafael
 
ENGENHARIA GENÉTICA
ENGENHARIA GENÉTICAENGENHARIA GENÉTICA
ENGENHARIA GENÉTICA
Vitor Manuel de Carvalho
 
Sistema imunitário ppt
Sistema imunitário pptSistema imunitário ppt
Sistema imunitário ppt
anabela
 
Bio12-Controlo de pragas
Bio12-Controlo de pragasBio12-Controlo de pragas
Bio12-Controlo de pragas
Rita Rainho
 
Bg 11 diferenciação celular
Bg 11   diferenciação celularBg 11   diferenciação celular
Bg 11 diferenciação celular
Nuno Correia
 
Mecanismos De Defesa EspecíFicos Imunidade Humoral (ApresentaçãO Nr. 4)
Mecanismos De Defesa EspecíFicos   Imunidade Humoral (ApresentaçãO Nr. 4)Mecanismos De Defesa EspecíFicos   Imunidade Humoral (ApresentaçãO Nr. 4)
Mecanismos De Defesa EspecíFicos Imunidade Humoral (ApresentaçãO Nr. 4)
Nuno Correia
 
Conceitos de Sistema Imune
Conceitos de Sistema ImuneConceitos de Sistema Imune
Conceitos de Sistema Imune
Lys Duarte
 
Mutações
MutaçõesMutações
Mutações - Biologia 12º
Mutações - Biologia 12º Mutações - Biologia 12º
Mutações - Biologia 12º
Daniela Filipa Sousa
 
Imunidade celular
Imunidade celularImunidade celular
Imunidade celular
Alex Lino
 
Sistema Rhesus
Sistema RhesusSistema Rhesus
Sistema Rhesus
Nuno Correia
 
Sistema imune
Sistema imuneSistema imune
Sistema imune
Aninha Alves
 
Imunidade Mediada Por CéLulas
Imunidade Mediada Por CéLulasImunidade Mediada Por CéLulas
Imunidade Mediada Por CéLulas
Isabel Lopes
 
Ingestao digestao e_absorcao
Ingestao digestao e_absorcaoIngestao digestao e_absorcao
Ingestao digestao e_absorcao
Daniel Gonçalves
 

Mais procurados (20)

Sistema imunitário Biologia 12ºano
Sistema imunitário Biologia 12ºanoSistema imunitário Biologia 12ºano
Sistema imunitário Biologia 12ºano
 
Sistema Imunitário - defesa não específica
Sistema Imunitário - defesa não específicaSistema Imunitário - defesa não específica
Sistema Imunitário - defesa não específica
 
Imunodeficiências
ImunodeficiênciasImunodeficiências
Imunodeficiências
 
Sistema Imunitário - Biologia 12º
Sistema Imunitário - Biologia 12ºSistema Imunitário - Biologia 12º
Sistema Imunitário - Biologia 12º
 
Sistema imunitario
Sistema imunitarioSistema imunitario
Sistema imunitario
 
1 power-point 12º sistema imunitário-doenças e desequilíbrios [modo de compat...
1 power-point 12º sistema imunitário-doenças e desequilíbrios [modo de compat...1 power-point 12º sistema imunitário-doenças e desequilíbrios [modo de compat...
1 power-point 12º sistema imunitário-doenças e desequilíbrios [modo de compat...
 
Imunologia
ImunologiaImunologia
Imunologia
 
ENGENHARIA GENÉTICA
ENGENHARIA GENÉTICAENGENHARIA GENÉTICA
ENGENHARIA GENÉTICA
 
Sistema imunitário ppt
Sistema imunitário pptSistema imunitário ppt
Sistema imunitário ppt
 
Bio12-Controlo de pragas
Bio12-Controlo de pragasBio12-Controlo de pragas
Bio12-Controlo de pragas
 
Bg 11 diferenciação celular
Bg 11   diferenciação celularBg 11   diferenciação celular
Bg 11 diferenciação celular
 
Mecanismos De Defesa EspecíFicos Imunidade Humoral (ApresentaçãO Nr. 4)
Mecanismos De Defesa EspecíFicos   Imunidade Humoral (ApresentaçãO Nr. 4)Mecanismos De Defesa EspecíFicos   Imunidade Humoral (ApresentaçãO Nr. 4)
Mecanismos De Defesa EspecíFicos Imunidade Humoral (ApresentaçãO Nr. 4)
 
Conceitos de Sistema Imune
Conceitos de Sistema ImuneConceitos de Sistema Imune
Conceitos de Sistema Imune
 
Mutações
MutaçõesMutações
Mutações
 
Mutações - Biologia 12º
Mutações - Biologia 12º Mutações - Biologia 12º
Mutações - Biologia 12º
 
Imunidade celular
Imunidade celularImunidade celular
Imunidade celular
 
Sistema Rhesus
Sistema RhesusSistema Rhesus
Sistema Rhesus
 
Sistema imune
Sistema imuneSistema imune
Sistema imune
 
Imunidade Mediada Por CéLulas
Imunidade Mediada Por CéLulasImunidade Mediada Por CéLulas
Imunidade Mediada Por CéLulas
 
Ingestao digestao e_absorcao
Ingestao digestao e_absorcaoIngestao digestao e_absorcao
Ingestao digestao e_absorcao
 

Destaque

Livro - Imunodeficiências primárias: da suspeita clínica ao tratamento
Livro - Imunodeficiências primárias: da suspeita clínica ao tratamentoLivro - Imunodeficiências primárias: da suspeita clínica ao tratamento
Livro - Imunodeficiências primárias: da suspeita clínica ao tratamento
Natacha Santos
 
Imunodeficiências
ImunodeficiênciasImunodeficiências
Imunodeficiências
Salminhacoimbra
 
SIDA
SIDASIDA
Aula72 bio12
Aula72 bio12Aula72 bio12
Aula72 bio12
Magda Charrua
 
2012 retep tlq powerpoint de síntese
2012 retep tlq   powerpoint de síntese2012 retep tlq   powerpoint de síntese
2012 retep tlq powerpoint de síntese
pmcabrita
 
Doença granulomatosa cronica.ppt [recuperado]
Doença granulomatosa cronica.ppt [recuperado]Doença granulomatosa cronica.ppt [recuperado]
Doença granulomatosa cronica.ppt [recuperado]
Javier Rodriguez-Vera
 
Tratamento e Valorização dos Residuos - Aterro Sanitário
Tratamento e Valorização dos Residuos - Aterro SanitárioTratamento e Valorização dos Residuos - Aterro Sanitário
Tratamento e Valorização dos Residuos - Aterro Sanitário
João Pereira
 
Recursos: Marcadores de livro com o Credo
Recursos: Marcadores de livro com o CredoRecursos: Marcadores de livro com o Credo
Recursos: Marcadores de livro com o Credo
João Pereira
 
S imun3-110203112621-phpapp01
S imun3-110203112621-phpapp01S imun3-110203112621-phpapp01
S imun3-110203112621-phpapp01
Pelo Siro
 
Ciclo de vida del VIH(SIDA)
Ciclo de vida del VIH(SIDA)Ciclo de vida del VIH(SIDA)
Ciclo de vida del VIH(SIDA)
Jeniffer Scarlett VELASCO
 
Imunidade
ImunidadeImunidade
Imunidade
anabela
 
VIH
VIHVIH
UTAD, "Viagem da célula ao meio ambiente "Ciência Viva"
UTAD, "Viagem da célula ao meio ambiente "Ciência Viva"UTAD, "Viagem da célula ao meio ambiente "Ciência Viva"
UTAD, "Viagem da célula ao meio ambiente "Ciência Viva"
João Pereira
 
Síndrome da imunodeficiência adquirida (aids)
Síndrome da imunodeficiência adquirida (aids)Síndrome da imunodeficiência adquirida (aids)
Síndrome da imunodeficiência adquirida (aids)
Eduardo Borges
 
Plasticos
PlasticosPlasticos
Plasticos
pmcabrita
 
Química 12º - "Polimeros e reciclagem dos plásticos"
Química 12º - "Polimeros e reciclagem dos plásticos"Química 12º - "Polimeros e reciclagem dos plásticos"
Química 12º - "Polimeros e reciclagem dos plásticos"
João Pereira
 
Sistema Imunitário I
Sistema Imunitário ISistema Imunitário I
Sistema Imunitário I
Artur Melo
 
Imunidade Inata e Adaptativa
Imunidade Inata e AdaptativaImunidade Inata e Adaptativa
Imunidade Inata e Adaptativa
LABIMUNO UFBA
 
Sida
SidaSida
Imunologia microbiologia
Imunologia   microbiologiaImunologia   microbiologia
Imunologia microbiologia
Crismontalvao
 

Destaque (20)

Livro - Imunodeficiências primárias: da suspeita clínica ao tratamento
Livro - Imunodeficiências primárias: da suspeita clínica ao tratamentoLivro - Imunodeficiências primárias: da suspeita clínica ao tratamento
Livro - Imunodeficiências primárias: da suspeita clínica ao tratamento
 
Imunodeficiências
ImunodeficiênciasImunodeficiências
Imunodeficiências
 
SIDA
SIDASIDA
SIDA
 
Aula72 bio12
Aula72 bio12Aula72 bio12
Aula72 bio12
 
2012 retep tlq powerpoint de síntese
2012 retep tlq   powerpoint de síntese2012 retep tlq   powerpoint de síntese
2012 retep tlq powerpoint de síntese
 
Doença granulomatosa cronica.ppt [recuperado]
Doença granulomatosa cronica.ppt [recuperado]Doença granulomatosa cronica.ppt [recuperado]
Doença granulomatosa cronica.ppt [recuperado]
 
Tratamento e Valorização dos Residuos - Aterro Sanitário
Tratamento e Valorização dos Residuos - Aterro SanitárioTratamento e Valorização dos Residuos - Aterro Sanitário
Tratamento e Valorização dos Residuos - Aterro Sanitário
 
Recursos: Marcadores de livro com o Credo
Recursos: Marcadores de livro com o CredoRecursos: Marcadores de livro com o Credo
Recursos: Marcadores de livro com o Credo
 
S imun3-110203112621-phpapp01
S imun3-110203112621-phpapp01S imun3-110203112621-phpapp01
S imun3-110203112621-phpapp01
 
Ciclo de vida del VIH(SIDA)
Ciclo de vida del VIH(SIDA)Ciclo de vida del VIH(SIDA)
Ciclo de vida del VIH(SIDA)
 
Imunidade
ImunidadeImunidade
Imunidade
 
VIH
VIHVIH
VIH
 
UTAD, "Viagem da célula ao meio ambiente "Ciência Viva"
UTAD, "Viagem da célula ao meio ambiente "Ciência Viva"UTAD, "Viagem da célula ao meio ambiente "Ciência Viva"
UTAD, "Viagem da célula ao meio ambiente "Ciência Viva"
 
Síndrome da imunodeficiência adquirida (aids)
Síndrome da imunodeficiência adquirida (aids)Síndrome da imunodeficiência adquirida (aids)
Síndrome da imunodeficiência adquirida (aids)
 
Plasticos
PlasticosPlasticos
Plasticos
 
Química 12º - "Polimeros e reciclagem dos plásticos"
Química 12º - "Polimeros e reciclagem dos plásticos"Química 12º - "Polimeros e reciclagem dos plásticos"
Química 12º - "Polimeros e reciclagem dos plásticos"
 
Sistema Imunitário I
Sistema Imunitário ISistema Imunitário I
Sistema Imunitário I
 
Imunidade Inata e Adaptativa
Imunidade Inata e AdaptativaImunidade Inata e Adaptativa
Imunidade Inata e Adaptativa
 
Sida
SidaSida
Sida
 
Imunologia microbiologia
Imunologia   microbiologiaImunologia   microbiologia
Imunologia microbiologia
 

Semelhante a Imunodeficiência Congénita 12º

Diagnóstico e tratamento das imunodeficiências
Diagnóstico e tratamento das imunodeficiênciasDiagnóstico e tratamento das imunodeficiências
Diagnóstico e tratamento das imunodeficiências
benshiromkt
 
Auto imunidade
Auto imunidadeAuto imunidade
Auto imunidade
LABIMUNO UFBA
 
Imunodeficiencia
ImunodeficienciaImunodeficiencia
Imunodeficiencia
12anogolega
 
Neuroimunologia
NeuroimunologiaNeuroimunologia
Neuroimunologia
Dr. Rafael Higashi
 
Imunossenescência
Imunossenescência Imunossenescência
Imunossenescência
Thalita Maciel de Melo
 
Leptospira Interrogans e Treponema pallidum
Leptospira Interrogans e Treponema pallidumLeptospira Interrogans e Treponema pallidum
Leptospira Interrogans e Treponema pallidum
LuizaBiomed
 
Apresentação aids
Apresentação aidsApresentação aids
Apresentação aids
letosgirl
 
Aula Imunologia Geral Conceitos história
Aula Imunologia Geral Conceitos históriaAula Imunologia Geral Conceitos história
Aula Imunologia Geral Conceitos história
EmiliaCassia2
 
Imunologia dos tumores
Imunologia dos tumoresImunologia dos tumores
Imunologia dos tumores
Felemon Porto
 
Noções Gerais de Imunologia.pptx
Noções Gerais de Imunologia.pptxNoções Gerais de Imunologia.pptx
Noções Gerais de Imunologia.pptx
AlefySantos2
 
Patologia 07 doenças infecciosas - med resumos - arlindo netto
Patologia 07   doenças infecciosas - med resumos - arlindo nettoPatologia 07   doenças infecciosas - med resumos - arlindo netto
Patologia 07 doenças infecciosas - med resumos - arlindo netto
Jucie Vasconcelos
 
Texto de imuno iii
Texto de imuno iiiTexto de imuno iii
Texto de imuno iii
Salminhacoimbra
 
Slide imuno
Slide imunoSlide imuno
Slide imuno
Lucas Almeida Sá
 
Doenças Auto-Imunes, Transplantes e Alergias
Doenças Auto-Imunes, Transplantes e AlergiasDoenças Auto-Imunes, Transplantes e Alergias
Doenças Auto-Imunes, Transplantes e Alergias
Isabel Lopes
 
16 Imun Esp.B T
16 Imun Esp.B T16 Imun Esp.B T
16 Imun Esp.B T
guest08fb138a
 
Imunidade_e_controlo_de_doencas.Parte_2.pdf
Imunidade_e_controlo_de_doencas.Parte_2.pdfImunidade_e_controlo_de_doencas.Parte_2.pdf
Imunidade_e_controlo_de_doencas.Parte_2.pdf
vitorepalmeida1
 
Biologia
BiologiaBiologia
Biologia
guest5d7719
 
DOENÇAS.pptx
DOENÇAS.pptxDOENÇAS.pptx
DOENÇAS.pptx
Isaias Mavunice
 
Meningite bacteriana
Meningite bacterianaMeningite bacteriana
Meningite bacteriana
Fausto Barros
 
Arlindo_Ugulino_Netto_PATOLOGIA_MEDICINA.pdf
Arlindo_Ugulino_Netto_PATOLOGIA_MEDICINA.pdfArlindo_Ugulino_Netto_PATOLOGIA_MEDICINA.pdf
Arlindo_Ugulino_Netto_PATOLOGIA_MEDICINA.pdf
CleytonVerssimo
 

Semelhante a Imunodeficiência Congénita 12º (20)

Diagnóstico e tratamento das imunodeficiências
Diagnóstico e tratamento das imunodeficiênciasDiagnóstico e tratamento das imunodeficiências
Diagnóstico e tratamento das imunodeficiências
 
Auto imunidade
Auto imunidadeAuto imunidade
Auto imunidade
 
Imunodeficiencia
ImunodeficienciaImunodeficiencia
Imunodeficiencia
 
Neuroimunologia
NeuroimunologiaNeuroimunologia
Neuroimunologia
 
Imunossenescência
Imunossenescência Imunossenescência
Imunossenescência
 
Leptospira Interrogans e Treponema pallidum
Leptospira Interrogans e Treponema pallidumLeptospira Interrogans e Treponema pallidum
Leptospira Interrogans e Treponema pallidum
 
Apresentação aids
Apresentação aidsApresentação aids
Apresentação aids
 
Aula Imunologia Geral Conceitos história
Aula Imunologia Geral Conceitos históriaAula Imunologia Geral Conceitos história
Aula Imunologia Geral Conceitos história
 
Imunologia dos tumores
Imunologia dos tumoresImunologia dos tumores
Imunologia dos tumores
 
Noções Gerais de Imunologia.pptx
Noções Gerais de Imunologia.pptxNoções Gerais de Imunologia.pptx
Noções Gerais de Imunologia.pptx
 
Patologia 07 doenças infecciosas - med resumos - arlindo netto
Patologia 07   doenças infecciosas - med resumos - arlindo nettoPatologia 07   doenças infecciosas - med resumos - arlindo netto
Patologia 07 doenças infecciosas - med resumos - arlindo netto
 
Texto de imuno iii
Texto de imuno iiiTexto de imuno iii
Texto de imuno iii
 
Slide imuno
Slide imunoSlide imuno
Slide imuno
 
Doenças Auto-Imunes, Transplantes e Alergias
Doenças Auto-Imunes, Transplantes e AlergiasDoenças Auto-Imunes, Transplantes e Alergias
Doenças Auto-Imunes, Transplantes e Alergias
 
16 Imun Esp.B T
16 Imun Esp.B T16 Imun Esp.B T
16 Imun Esp.B T
 
Imunidade_e_controlo_de_doencas.Parte_2.pdf
Imunidade_e_controlo_de_doencas.Parte_2.pdfImunidade_e_controlo_de_doencas.Parte_2.pdf
Imunidade_e_controlo_de_doencas.Parte_2.pdf
 
Biologia
BiologiaBiologia
Biologia
 
DOENÇAS.pptx
DOENÇAS.pptxDOENÇAS.pptx
DOENÇAS.pptx
 
Meningite bacteriana
Meningite bacterianaMeningite bacteriana
Meningite bacteriana
 
Arlindo_Ugulino_Netto_PATOLOGIA_MEDICINA.pdf
Arlindo_Ugulino_Netto_PATOLOGIA_MEDICINA.pdfArlindo_Ugulino_Netto_PATOLOGIA_MEDICINA.pdf
Arlindo_Ugulino_Netto_PATOLOGIA_MEDICINA.pdf
 

Mais de João Pereira

XXXI Comum Ano A
XXXI Comum Ano AXXXI Comum Ano A
XXXI Comum Ano A
João Pereira
 
III Dom da Páscoa
III Dom da PáscoaIII Dom da Páscoa
III Dom da Páscoa
João Pereira
 
Missa da Última Ceia do Senhor
Missa da Última Ceia do SenhorMissa da Última Ceia do Senhor
Missa da Última Ceia do Senhor
João Pereira
 
Adoração da Santa Cruz
Adoração da Santa CruzAdoração da Santa Cruz
Adoração da Santa Cruz
João Pereira
 
Missa Vigília Pascal
Missa Vigília PascalMissa Vigília Pascal
Missa Vigília Pascal
João Pereira
 
Missa de Páscoa
Missa de PáscoaMissa de Páscoa
Missa de Páscoa
João Pereira
 
Cânticos do Natal
Cânticos do NatalCânticos do Natal
Cânticos do Natal
João Pereira
 
ORAÇÃO DE VIGÍLIA, pelos defuntos
ORAÇÃO DE VIGÍLIA, pelos defuntosORAÇÃO DE VIGÍLIA, pelos defuntos
ORAÇÃO DE VIGÍLIA, pelos defuntos
João Pereira
 
Cânticos Vigília Pascal e Domingo de Páscoa
Cânticos Vigília Pascal e Domingo de PáscoaCânticos Vigília Pascal e Domingo de Páscoa
Cânticos Vigília Pascal e Domingo de Páscoa
João Pereira
 
Cânticos Última Ceia do Senhor e Adoração da Santa Cruz
Cânticos Última Ceia do Senhor e Adoração da Santa CruzCânticos Última Ceia do Senhor e Adoração da Santa Cruz
Cânticos Última Ceia do Senhor e Adoração da Santa Cruz
João Pereira
 
Cânticos Domingo de Ramos Na Paixão do Senhor
Cânticos Domingo de Ramos Na Paixão do SenhorCânticos Domingo de Ramos Na Paixão do Senhor
Cânticos Domingo de Ramos Na Paixão do Senhor
João Pereira
 
Antífonas para procissões da Semana Santa
Antífonas para procissões da Semana SantaAntífonas para procissões da Semana Santa
Antífonas para procissões da Semana Santa
João Pereira
 
Cânticos IV Domingo da quaresma
Cânticos IV Domingo da quaresmaCânticos IV Domingo da quaresma
Cânticos IV Domingo da quaresma
João Pereira
 
Cânticos Vigília Pascal e Domingo de Páscoa
Cânticos Vigília Pascal e Domingo de PáscoaCânticos Vigília Pascal e Domingo de Páscoa
Cânticos Vigília Pascal e Domingo de Páscoa
João Pereira
 
Cânticos Última Ceia do Senhor e Adoração da Santa Cruz
Cânticos Última Ceia do Senhor e Adoração da Santa CruzCânticos Última Ceia do Senhor e Adoração da Santa Cruz
Cânticos Última Ceia do Senhor e Adoração da Santa Cruz
João Pereira
 
Cânticos V dom quaresma A
Cânticos V dom quaresma ACânticos V dom quaresma A
Cânticos V dom quaresma A
João Pereira
 
Cânticos III Domingo da Quaresma - ano A
Cânticos III Domingo da Quaresma - ano ACânticos III Domingo da Quaresma - ano A
Cânticos III Domingo da Quaresma - ano A
João Pereira
 
Cânticos II Domingo Quaresma - ano A
Cânticos II Domingo Quaresma - ano ACânticos II Domingo Quaresma - ano A
Cânticos II Domingo Quaresma - ano A
João Pereira
 
Canticos I Domingo Quaresma - ano A
Canticos I Domingo Quaresma - ano ACanticos I Domingo Quaresma - ano A
Canticos I Domingo Quaresma - ano A
João Pereira
 
Cânticos de quarta-feira de cinzas
Cânticos de quarta-feira de cinzasCânticos de quarta-feira de cinzas
Cânticos de quarta-feira de cinzas
João Pereira
 

Mais de João Pereira (20)

XXXI Comum Ano A
XXXI Comum Ano AXXXI Comum Ano A
XXXI Comum Ano A
 
III Dom da Páscoa
III Dom da PáscoaIII Dom da Páscoa
III Dom da Páscoa
 
Missa da Última Ceia do Senhor
Missa da Última Ceia do SenhorMissa da Última Ceia do Senhor
Missa da Última Ceia do Senhor
 
Adoração da Santa Cruz
Adoração da Santa CruzAdoração da Santa Cruz
Adoração da Santa Cruz
 
Missa Vigília Pascal
Missa Vigília PascalMissa Vigília Pascal
Missa Vigília Pascal
 
Missa de Páscoa
Missa de PáscoaMissa de Páscoa
Missa de Páscoa
 
Cânticos do Natal
Cânticos do NatalCânticos do Natal
Cânticos do Natal
 
ORAÇÃO DE VIGÍLIA, pelos defuntos
ORAÇÃO DE VIGÍLIA, pelos defuntosORAÇÃO DE VIGÍLIA, pelos defuntos
ORAÇÃO DE VIGÍLIA, pelos defuntos
 
Cânticos Vigília Pascal e Domingo de Páscoa
Cânticos Vigília Pascal e Domingo de PáscoaCânticos Vigília Pascal e Domingo de Páscoa
Cânticos Vigília Pascal e Domingo de Páscoa
 
Cânticos Última Ceia do Senhor e Adoração da Santa Cruz
Cânticos Última Ceia do Senhor e Adoração da Santa CruzCânticos Última Ceia do Senhor e Adoração da Santa Cruz
Cânticos Última Ceia do Senhor e Adoração da Santa Cruz
 
Cânticos Domingo de Ramos Na Paixão do Senhor
Cânticos Domingo de Ramos Na Paixão do SenhorCânticos Domingo de Ramos Na Paixão do Senhor
Cânticos Domingo de Ramos Na Paixão do Senhor
 
Antífonas para procissões da Semana Santa
Antífonas para procissões da Semana SantaAntífonas para procissões da Semana Santa
Antífonas para procissões da Semana Santa
 
Cânticos IV Domingo da quaresma
Cânticos IV Domingo da quaresmaCânticos IV Domingo da quaresma
Cânticos IV Domingo da quaresma
 
Cânticos Vigília Pascal e Domingo de Páscoa
Cânticos Vigília Pascal e Domingo de PáscoaCânticos Vigília Pascal e Domingo de Páscoa
Cânticos Vigília Pascal e Domingo de Páscoa
 
Cânticos Última Ceia do Senhor e Adoração da Santa Cruz
Cânticos Última Ceia do Senhor e Adoração da Santa CruzCânticos Última Ceia do Senhor e Adoração da Santa Cruz
Cânticos Última Ceia do Senhor e Adoração da Santa Cruz
 
Cânticos V dom quaresma A
Cânticos V dom quaresma ACânticos V dom quaresma A
Cânticos V dom quaresma A
 
Cânticos III Domingo da Quaresma - ano A
Cânticos III Domingo da Quaresma - ano ACânticos III Domingo da Quaresma - ano A
Cânticos III Domingo da Quaresma - ano A
 
Cânticos II Domingo Quaresma - ano A
Cânticos II Domingo Quaresma - ano ACânticos II Domingo Quaresma - ano A
Cânticos II Domingo Quaresma - ano A
 
Canticos I Domingo Quaresma - ano A
Canticos I Domingo Quaresma - ano ACanticos I Domingo Quaresma - ano A
Canticos I Domingo Quaresma - ano A
 
Cânticos de quarta-feira de cinzas
Cânticos de quarta-feira de cinzasCânticos de quarta-feira de cinzas
Cânticos de quarta-feira de cinzas
 

Último

Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 

Último (20)

Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 

Imunodeficiência Congénita 12º

  • 1. Um trabalho de: Cindy Silva nº4 João Pereira nº7 Mélanie Ribeiro nº 12 Ricardo Almeida nº 18 IMUNODEFICIÊNCIA CONGÉNITA
  • 2. O que é a Imunodeficiência Congénita; Sintomas/sinais da doença; Diagnóstico (tipo de exames); Tratamentos possíveis; Curiosidades; Conclusão. O TRABALHO ABORDARÁ OS SEGUINTES TÓPICOS
  • 3. CongénitaAdquirida » É uma doença pouco comum; » Está presente desde a nascença do individuo; » É provocada por erros no código genético; » Há défice de linfócitos B e T o que provoca híper sensibilidade a agentes causadores de infeções. » É mais frequente que a congénita; » Aparece numa idade mais avançada; » É provocada por vírus que causam a deterioração do sistema imunitário; » Um exemplo é a SIDA, causada pelo vírus HIV (vírus da imunodeficiência humana). IMUNODEFICIÊNCIA (Incapacidade ou dificuldade do organismo se defender contra Vírus, Germes e Bactérias)
  • 4. O QUE É A IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA O Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (SIDA) é responsável pela deterioração progressiva do sistema imunitário, que propicia o desenvolvimento de infeções oportunistas e cancros potencialmente mortais nos seres humanos. A causa deste tipo de imunodeficiência é o Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH) que se veicula a partir de transferências de sangue, sémen, fluidos genitais e leite materno. CURIOSIDADE: Fluidos corporais, como saliva e lágrimas, não transmitem o vírus.
  • 5. DOENÇAS DA IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA Quando infetado pelo VIH, o indivíduo pode passar por um breve período doente, com sintomas semelhantes aos da gripe. Normalmente isto é seguido por um período prolongado sem qualquer outro sintoma. À medida que que o vírus se propaga no organismo, o sistema imunológico torna-se cada vez mais vulnerável a doenças, como infeções oportunistas e cancro. CURIOSIDADE: A elevada fragilidade imunitária pode levar a que um simples corte de tecido venha a contrair uma grave infeção possível de ser letal.
  • 6. O QUE É A IMUNODEFICIÊNCIA CONGÉNITA A imunodeficiência congénita, também conhecida como imunodeficiência primária, é uma doença do sistema imunológico, em que o doente nasce com uma diminuição na capacidade de se defender contra os microrganismos a que o corpo humano está constantemente exposto. Esta doença é devida a imperfeições num ou mais genes que fazem parte dos cromossomas do indivíduo, podendo ser hereditárias.
  • 7. Quando o organismo entra em contato com bactérias, fungos, vírus ou outros microrganismos desenvolve uma resposta de defesa através do sistema imunológico. As células mais importantes do sistema imunológico são os neutrófilos que destroem os microrganismos e os linfócitos T e B que libertam para o sangue, anticorpos, que são defesas contra o microrganismo agressor. O QUE É A IMUNODEFICIÊNCIA CONGÉNITA CURIOSIDADE: Há 5 categorias de anticorpos, também designados por imunoglobulinas (Ig). São elas a IgG, IgM, IgA, IgE, IgD, cada uma com funções diferentes.
  • 8. Estão descritas mais de 100 tipos de imunodeficiências primárias (IDP), com diferentes quadros clínicos e gravidades variáveis. As imunodeficiências mais graves, na ausência de tratamento específico, provocam a morte do indivíduo, por infeção grave, nos primeiros meses de vida. Nos casos de deficiência imunológica ligeira, os indivíduos podem viver normalmente tendo, por vezes, apenas de ser medicados com antibióticos para reforçar a atividade imunitária. O QUE É A IMUNODEFICIÊNCIA CONGÉNITA
  • 9. As pessoas com elevado grau de imunodeficiência têm de viver em locais esterilizados
  • 10. Linfócitos Os linfócitos são responsáveis pelo reconhecimento do organismo invasor e pela produção da resposta imune. São produzidos nos órgãos linfoides centrais. Os linfócitos B são produzidos na medula óssea e os linfócitos T são produzidos no timo. Linfócitos B: os linfócitos B reconhecem o recetor de superfície do antigénio e transformam-se em plasmócitos, que produzem anticorpos que se ligam especificamente com o antigénio. Linfócitos T: os linfócitos T interagem com os linfócitos B. As células T auxiliares, auxiliam os linfócitos B na produção de anticorpos. Os linfócitos T citotóxicos destroem células infetadas pelo antigénio. Neutrófilos Os neutrófilos são células fagocíticas muito numerosas, compreendendo cerca de 90% dos granulócitos que circulam na corrente sanguínea. É a primeira célula a chegar ao local de defesa e tem vida curta.
  • 11. Linfócitos Os linfócitos são responsáveis pelo reconhecimento do organismo invasor e pela produção da resposta imune. São produzidos nos órgãos linfoides centrais. Os linfócitos B são produzidos na medula óssea e os linfócitos T são produzidos no timo. Linfócitos B: os linfócitos B reconhecem o recetor de superfície do antigénio e transformam-se em plasmócitos, que produzem anticorpos que se ligam especificamente com o antigénio. Linfócitos T: os linfócitos T interagem com os linfócitos B. As células T auxiliares, auxiliam os linfócitos B na produção de anticorpos. Os linfócitos T citotóxicos destroem células infetadas pelo antigénio.
  • 13. oDuas ou mais Pneumonias num ano; oQuatro ou mais Otites num ano; oEstomatites de repetição ou Monilíase por mais de dois meses; oAbcessos de repetição ou ectima; oUm episódio de infeção sistémica grave (meningite, osteoartrite); oInfeções intestinais repetitivas / diarreia crónica; oAsma grave, doença do colagénio ou doenças autoimunes; oFenótipo clínico sugestivo de síndrome associada a Imunodeficiência (ex. Ataxia-Telangiectasia); oHistória familiar de imunodeficiência. SINAIS INDICADORES DA DOENÇA
  • 15. Após o aparecimento de sintomas é necessário recorrer a exames de sangue (Hemograma, exame que avalia o número células sanguíneas). Os exames serão úteis na confirmação da doença e deteção do grau e tipo da anomalia, possibilitando assim encontrar o tratamento adequado para esta. DIAGNÓSTICO
  • 16. Depois do diagnóstico, o paciente começa o tratamento, que na maioria das vezes (80%) é à base de Imunoglobulina, indicada quando o paciente não produz anticorpos ou quando eles não atuam adequadamente. Há também o uso de antibióticos, que são ministrados de forma contínua ou sempre que houver uma infeção oportunista. Em casos mais graves pode verificar-se a necessidade de realizar-se um transplante de medula óssea. TRATAMENTOS POSSÍVEIS
  • 17. PARA VER E OUVIR
  • 20. POR.
  • 21. » http://www.imunopediatria.org.br/download/10sinais.pdf » http://pt.wikipedia.org/wiki/Imunodefici%C3%AAncia_cong%C3%AAnita » Geha R, Notarangelo L, Casanova JL, Conley ME, Chapel ME, Fischer A, Hammerstrom L, Nonoyama S, Ochs H, Puck J, Roifman C, Seger R, Wedgwood J. Primary immunodeficiency diseases: an update from the International Union of Immunological Societies Primary Immunodeficiency Diseases Classification Committee Meeting. Journal of Allergy and Clinical Immunology 2007; 120(4):776-794. » Patient & Family Handbook for Primary Immunedeficiency Diseases Produced by Immune Deficiency Foundation through a grant from Baxter. Fourth Edition. 2007. BIBLIOGRAFIA