SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 41
Imperialismo
Partilha da África
1ª Guerra Mundial
Revolução Russa
 Na segunda metade do século XIX, países
europeus como a
Inglaterra, França, Alemanha, Bélgica e Itália,
eram considerados grandes potências
industriais. Na América, eram os Estados
Unidos quem apresentavam um grande
desenvolvimento no campo industrial. Todos
estes países exerceram atitudes imperialistas,
pois estavam interessados em formar
grandes impérios econômicos, levando suas
áreas de influência para outros continentes.
 Com o objetivo de aumentarem sua margem
de lucro e também de conseguirem um custo
consideravelmente baixo, estes países se
dirigiram à África, Ásia e Oceania, dominando
e explorando estes povos. Não muito
diferente do colonialismo dos séculos XV e
XVI, que utilizou como desculpa a divulgação
do cristianismo; o neocolonialismo do século
XIX usou o argumento de levar o progresso
da ciência e da tecnologia ao mundo.
 Na verdade, o que estes países realmente
queriam era o reconhecimento industrial
internacional, e, para isso, foram em busca de
locais onde pudessem encontrar matérias primas
e fontes de energia. Os países escolhidos foram
colonizados e seus povos desrespeitados. Um
exemplo deste desrespeito foi o ponto
culminante da dominação neocolonialista,
quando países europeus dividiram entre si os
territórios africano e asiático, sem sequer levar
em conta as diferenças éticas e culturais destes
povos.
 Entre novembro de 1884 e fevereiro de 1885
foi realizado o Congresso de Berlim. Neste
encontro, os países europeus imperalistas
organizaram e estabeleceram regras para a
exploração da África. Na divisão territorial
que fizeram, a cultura e as diferenças étnicas
dos povos africanos não foram respeitadas.
 Devido ao fato de possuírem os mesmo
interesses, os colonizadores lutavam entre si
para se sobressaírem comercialmente. O governo
dos Estados Unidos, que já colonizava a América
Latina, ao perceber a importância de Cuba no
mercado mundial, invadiu o território, que, até
então, era dominado pela Espanha. Após este
confronto, as tropas espanholas tiveram que
ceder lugar às tropas norte-americanas. Em
1898, as tropas espanholas foram novamente
vencidas pelas norte-americanas, e, desta vez,
a Espanha teve que ceder as Filipinas aos Estados
Unidos.
 Um outro ponto importante a se estudar sobre o
neocolonialismo, é à entrada dos ingleses na
China, ocorrida após a derrota dos chineses
durante a Guerra do Ópio (1840-1842). Esta
guerra foi iniciada pelos ingleses após as
autoridades chinesas, que já sabiam do mal
causado por esta substância, terem queimado
uma embarcação inglesa repleta de ópio. Depois
de ser derrotada pelas tropas britânicas, a China,
foi obrigada a assinar o Tratado de Nanquim, que
favorecia os ingleses em todas as clausulas. A
dominação britânica foi marcante por sua
crueldade e só teve fim no ano de 1949, ano da
revolução comunista na China.
 Como conclusão, pode-se afirmar que os
colonialistas do século XIX, só se interessavam
pelo lucro que eles obtinham através do trabalho
que os habitantes das colônias prestavam para
eles. Eles não se importavam com as condições
de trabalho e tampouco se os nativos iriam ou
não sobreviver a esta forma de exploração
desumana e capitalista. Foi somente no século XX
que as colônias conseguiram suas
independências, porém herdaram dos europeus
uma série de conflitos e países marcados pela
exploração, subdesenvolvimento e dificuldades
políticas.
São Paulo
Carapicuíba
Barueri
Itapevi
 Foi a divisão de territórios da África durante o
imperialismo europeu do século XIX e XX. Os países
(principalmente França e Inglaterra), buscavam territórios,
mercado, matéria prima e para trabalhar o progresso de
outros países capitalistas, conquistavam e criavam
colônias em zonas de influência em várias regiões do
globo - principalmente África.
O Imperialismo foi fruto e ao mesmo gêneses da partilha,
pois desprezou as diferenças regionais, explorou
indiscretamente os recursos, os países capitalistas se
puseram superior os povos da colônias, etc.
Enfim o custo social e econômico dos territórios ocupados
foi altíssimo. Os índices de desenvolvimento( fracos),
Estados mal organizados e desvinculados de suas raízes
históricas africanas, é conhecido.
 Vários problemas atingiam as principais nações
européias no início do século XX. O século
anterior havia deixado feridas difíceis de curar.
Alguns países estavam extremamente
descontentes com a partilha da Ásia e da África,
ocorrida no final do século XIX. Alemanha e Itália,
por exemplo, haviam ficado de fora no processo
neocolonial. Enquanto isso, França e Inglaterra
podiam explorar diversas colônias, ricas em
matérias-primas e com um grande mercado
consumidor. A insatisfação da Itália e
da Alemanha, neste contexto, pode ser
considerada uma das causas da Grande Guerra.
 Existia também, entre duas nações poderosas
da época, uma rivalidade muito grande. A
França havia perdido, no final do século XIX, a
região da Alsácia-Lorena para a Alemanha,
durante a Guerra Franco Prussiana. A
revanche francesa estava no ar, junto com a
espera de uma oportunidade para retomar a
rica região perdida.
 O pan-germanismo e o pan-eslavismo
também influenciou e aumentou o estado de
alerta na Europa. Havia uma forte vontade
nacionalista dos germânicos em unir, em
apenas uma nação, todos os países de
origem germânica. O mesmo acontecia com
os países eslavos.
 O estopim deste conflito foi o assassinato de
Francisco Ferdinando, príncipe do império
austro-húngaro, durante sua visita a Saravejo
(Bósnia-Herzegovina). As investigações
levaram ao criminoso, um jovem integrante
de um grupo Sérvio chamado mão-negra,
contrário a influência da Áustria-Hungria na
região dos Balcãs. O império austro-húngaro
não aceitou as medidas tomadas
pela Sérvia com relação ao crime e, no dia 28
de julho de 1914, declarou guerra à Sérvia.
 Os países europeus começaram a fazer alianças
políticas e militares desde o final do século XIX.
Durante o conflito mundial estas alianças
permaneceram. De um lado havia a Tríplice
Aliança formada em 1882 por Itália, Império
Austro-Húngaro e Alemanha ( a Itália passou
para a outra aliança em 1915). Do outro lado a
Tríplice Entente, formada em 1907, com a
participação de França, Rússia e Reino Unido.
 O Brasil também participou, enviando para os
campos de batalha enfermeiros e medicamentos
para ajudar os países da Tríplice Entente.
 As batalhas desenvolveram-se principalmente
em trincheiras. Os soldados ficavam, muitas
vezes, centenas de dias entrincheirados, lutando
pela conquista de pequenos pedaços de
território. A fome e as doenças também eram os
inimigos destes guerreiros. Nos combates
também houve a utilização de novas tecnologias
bélicas como, por exemplo, tanques de guerra e
aviões. Enquanto os homens lutavam nas
trincheiras, as mulheres trabalhavam nas
indústrias bélicas como empregadas.
 Em 1917 ocorreu um fato histórico de extrema
importância : a entrada dos Estados Unidos no conflito.
Os EUA entraram ao lado da Tríplice Entente, pois havia
acordos comerciais a defender, principalmente com
Inglaterra e França. Este fato marcou a vitória da Entente,
forçando os países da Aliança a assinarem a rendição. Os
derrotados tiveram ainda que assinar o Tratado de
Versalhes que impunha a estes países fortes restrições e
punições. A Alemanha teve seu exército reduzido, sua
indústria bélica controlada, perdeu a região do corredor
polonês, teve que devolver à França a região da Alsácia
Lorena, além de ter que pagar os prejuízos da guerra dos
países vencedores. O Tratado de Versalhes teve
repercussões na Alemanha, influenciando o início
da Segunda Guerra Mundial.
 A guerra gerou aproximadamente 10 milhões
de mortos, o triplo de feridos, arrasou
campos agrícolas, destruiu indústrias, além
de gerar grandes prejuízos econômicos.
Francisco Ferdinando
 No começo do século XX, a Rússia era um país de
economia atrasada e dependente da agricultura,
pois 80% de sua economia estava concentrada no
campo (produção de gêneros agrícolas).
 Os trabalhadores rurais viviam em extrema
miséria e pobreza, pagando altos impostos para
manter a base do sistema czarista de Nicolau II.
O czar governava a Rússia de forma absolutista,
ou seja, concentrava poderes em suas mãos não
abrindo espaço para a democracia. Mesmo os
trabalhadores urbanos, que desfrutavam os
poucos empregos da fraca indústria russa, viviam
descontentes com os governo do czar.
 No ano de 1905, Nicolau II mostra a cara violenta
e repressiva de seu governo. No conhecido
Domingo Sangrento, manda seu exército fuzilar
milhares de manifestantes. Marinheiros do
encouraçado Potenkim também foram reprimidos
pelo czar.
 Começava então a formação dos sovietes
(organização de trabalhadores russos) sob a
liderança de Lênin. Os bolcheviques começavam
a preparar a revolução socialista na Rússia e a
queda da monarquia.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Semestral século xix até nom
Semestral século xix até nomSemestral século xix até nom
Semestral século xix até nom
Carlos Glufke
 
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
Laboratório de História
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
dmflores21
 
Revolução russa slide
Revolução russa slideRevolução russa slide
Revolução russa slide
Isabel Aguiar
 
Resumo - Primeira Guerra Mundial (1914-1918) - História Pensante.
Resumo - Primeira Guerra Mundial (1914-1918) - História Pensante.Resumo - Primeira Guerra Mundial (1914-1918) - História Pensante.
Resumo - Primeira Guerra Mundial (1914-1918) - História Pensante.
História Pensante
 
Primeira guerra
Primeira guerraPrimeira guerra
Primeira guerra
dmflores21
 

Mais procurados (20)

Semestral século xix até nom
Semestral século xix até nomSemestral século xix até nom
Semestral século xix até nom
 
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
 
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
Caderno diário O Liberalismo em Portugal n.º9 1415
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
 
Brasil 1º Reinado (1822-1831)-2021
Brasil 1º Reinado (1822-1831)-2021Brasil 1º Reinado (1822-1831)-2021
Brasil 1º Reinado (1822-1831)-2021
 
Crise de 1929
Crise de 1929Crise de 1929
Crise de 1929
 
Eua no século XIX e Guerra da Secessão: 2020.
Eua no século XIX e Guerra da Secessão: 2020.Eua no século XIX e Guerra da Secessão: 2020.
Eua no século XIX e Guerra da Secessão: 2020.
 
Primeira Guerra
Primeira GuerraPrimeira Guerra
Primeira Guerra
 
Imperialismo- Era dos Impérios.
Imperialismo- Era dos Impérios.Imperialismo- Era dos Impérios.
Imperialismo- Era dos Impérios.
 
Revolução russa slide
Revolução russa slideRevolução russa slide
Revolução russa slide
 
Resumo - Primeira Guerra Mundial (1914-1918) - História Pensante.
Resumo - Primeira Guerra Mundial (1914-1918) - História Pensante.Resumo - Primeira Guerra Mundial (1914-1918) - História Pensante.
Resumo - Primeira Guerra Mundial (1914-1918) - História Pensante.
 
I gm
I gm I gm
I gm
 
Século xx
Século xxSéculo xx
Século xx
 
His ano8 uni7_resp
His ano8 uni7_respHis ano8 uni7_resp
His ano8 uni7_resp
 
Primeira guerra
Primeira guerraPrimeira guerra
Primeira guerra
 
Brasil revoltas nativistas 2020
Brasil revoltas nativistas 2020Brasil revoltas nativistas 2020
Brasil revoltas nativistas 2020
 
2 revolução russa
2  revolução russa2  revolução russa
2 revolução russa
 
O apogeu da Europa
O apogeu da EuropaO apogeu da Europa
O apogeu da Europa
 
Crise de1929: Entreguerras (1918-1939)
Crise de1929: Entreguerras (1918-1939)Crise de1929: Entreguerras (1918-1939)
Crise de1929: Entreguerras (1918-1939)
 
Brasil Império2018
Brasil Império2018Brasil Império2018
Brasil Império2018
 

Semelhante a História

O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Mc
O Mundo No Breve SéCulo Xx   2º McO Mundo No Breve SéCulo Xx   2º Mc
O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Mc
ProfMario De Mori
 
O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Va
O Mundo No Breve SéCulo Xx   2º VaO Mundo No Breve SéCulo Xx   2º Va
O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Va
ProfMario De Mori
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
Kerby Barros
 
VIDEO-AULA 8ª SÉRIES REVISÃO IMPERIALISMO E PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL
VIDEO-AULA 8ª SÉRIES REVISÃO IMPERIALISMO E PRIMEIRA GUERRA MUNDIALVIDEO-AULA 8ª SÉRIES REVISÃO IMPERIALISMO E PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL
VIDEO-AULA 8ª SÉRIES REVISÃO IMPERIALISMO E PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL
Márcia Diniz
 
AS GRANDES GUERRAS E A GUERRA FRIA
AS GRANDES GUERRAS E A GUERRA FRIAAS GRANDES GUERRAS E A GUERRA FRIA
AS GRANDES GUERRAS E A GUERRA FRIA
DANUBIA ZANOTELLI
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
historiando
 
Imperialismo do seculo XIX - Neocolonialismo
Imperialismo do seculo XIX - NeocolonialismoImperialismo do seculo XIX - Neocolonialismo
Imperialismo do seculo XIX - Neocolonialismo
Alexandre Protásio
 
O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Ma
O Mundo No Breve SéCulo Xx   2º MaO Mundo No Breve SéCulo Xx   2º Ma
O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Ma
ProfMario De Mori
 

Semelhante a História (20)

Apostila eja unid. 8
Apostila eja unid. 8Apostila eja unid. 8
Apostila eja unid. 8
 
O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Mc
O Mundo No Breve SéCulo Xx   2º McO Mundo No Breve SéCulo Xx   2º Mc
O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Mc
 
O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Va
O Mundo No Breve SéCulo Xx   2º VaO Mundo No Breve SéCulo Xx   2º Va
O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Va
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
 
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
 
Imperialismo, Primeira guerra e Revolução Russa
Imperialismo, Primeira guerra e Revolução RussaImperialismo, Primeira guerra e Revolução Russa
Imperialismo, Primeira guerra e Revolução Russa
 
VIDEO-AULA 8ª SÉRIES REVISÃO IMPERIALISMO E PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL
VIDEO-AULA 8ª SÉRIES REVISÃO IMPERIALISMO E PRIMEIRA GUERRA MUNDIALVIDEO-AULA 8ª SÉRIES REVISÃO IMPERIALISMO E PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL
VIDEO-AULA 8ª SÉRIES REVISÃO IMPERIALISMO E PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL
 
Primeira guerra mundial e imperialismo
Primeira guerra mundial e imperialismoPrimeira guerra mundial e imperialismo
Primeira guerra mundial e imperialismo
 
Imperialismo e Primeira Guerra Mundial
Imperialismo e Primeira Guerra MundialImperialismo e Primeira Guerra Mundial
Imperialismo e Primeira Guerra Mundial
 
AS GRANDES GUERRAS E A GUERRA FRIA
AS GRANDES GUERRAS E A GUERRA FRIAAS GRANDES GUERRAS E A GUERRA FRIA
AS GRANDES GUERRAS E A GUERRA FRIA
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
 
A I GUERRA MUNDIAL 1914-1918_versão 2010.ppt
A I GUERRA MUNDIAL  1914-1918_versão 2010.pptA I GUERRA MUNDIAL  1914-1918_versão 2010.ppt
A I GUERRA MUNDIAL 1914-1918_versão 2010.ppt
 
Blog 9 primeira guerra
Blog 9 primeira guerraBlog 9 primeira guerra
Blog 9 primeira guerra
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
 
Aula 6- 9º HIS - Primeira Guerra Mundial.pptx
Aula 6- 9º HIS - Primeira Guerra Mundial.pptxAula 6- 9º HIS - Primeira Guerra Mundial.pptx
Aula 6- 9º HIS - Primeira Guerra Mundial.pptx
 
Imperialismo do seculo XIX - Neocolonialismo
Imperialismo do seculo XIX - NeocolonialismoImperialismo do seculo XIX - Neocolonialismo
Imperialismo do seculo XIX - Neocolonialismo
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Ma
O Mundo No Breve SéCulo Xx   2º MaO Mundo No Breve SéCulo Xx   2º Ma
O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Ma
 

Mais de dinicmax

Símbolos blog
Símbolos   blogSímbolos   blog
Símbolos blog
dinicmax
 
O que nos une blog
O que nos une   blogO que nos une   blog
O que nos une blog
dinicmax
 
Estado e governo blog
Estado e governo   blogEstado e governo   blog
Estado e governo blog
dinicmax
 
O trabalho nas nossas vidas blog
O trabalho nas nossas vidas   blogO trabalho nas nossas vidas   blog
O trabalho nas nossas vidas blog
dinicmax
 
O povo e suas manifestações
O povo e suas manifestaçõesO povo e suas manifestações
O povo e suas manifestações
dinicmax
 
A cultura do homem
A cultura do homemA cultura do homem
A cultura do homem
dinicmax
 
O jovem na sociedade
O jovem na sociedadeO jovem na sociedade
O jovem na sociedade
dinicmax
 
A sociologia e a sociedade
A sociologia e a sociedadeA sociologia e a sociedade
A sociologia e a sociedade
dinicmax
 
Cidadão e cidadania
Cidadão e cidadaniaCidadão e cidadania
Cidadão e cidadania
dinicmax
 
Diversidades no brasil
Diversidades no brasilDiversidades no brasil
Diversidades no brasil
dinicmax
 
Redemocratização e neoliberalismo
Redemocratização e  neoliberalismoRedemocratização e  neoliberalismo
Redemocratização e neoliberalismo
dinicmax
 
Reforma agrária no brasil
Reforma agrária no brasilReforma agrária no brasil
Reforma agrária no brasil
dinicmax
 
Redemocratização
RedemocratizaçãoRedemocratização
Redemocratização
dinicmax
 
Manifestações culturais no brasil durante a ditadura
Manifestações culturais no brasil durante a ditaduraManifestações culturais no brasil durante a ditadura
Manifestações culturais no brasil durante a ditadura
dinicmax
 
Direitos humanos
Direitos humanosDireitos humanos
Direitos humanos
dinicmax
 
Ditadura militar e direitos humanos
Ditadura militar e direitos humanosDitadura militar e direitos humanos
Ditadura militar e direitos humanos
dinicmax
 
Década de 60
Década de 60Década de 60
Década de 60
dinicmax
 
História 2º ano 3º
História   2º ano 3ºHistória   2º ano 3º
História 2º ano 3º
dinicmax
 
Independencias
IndependenciasIndependencias
Independencias
dinicmax
 

Mais de dinicmax (20)

Símbolos blog
Símbolos   blogSímbolos   blog
Símbolos blog
 
O que nos une blog
O que nos une   blogO que nos une   blog
O que nos une blog
 
Estado e governo blog
Estado e governo   blogEstado e governo   blog
Estado e governo blog
 
O trabalho nas nossas vidas blog
O trabalho nas nossas vidas   blogO trabalho nas nossas vidas   blog
O trabalho nas nossas vidas blog
 
O povo e suas manifestações
O povo e suas manifestaçõesO povo e suas manifestações
O povo e suas manifestações
 
A cultura do homem
A cultura do homemA cultura do homem
A cultura do homem
 
O jovem na sociedade
O jovem na sociedadeO jovem na sociedade
O jovem na sociedade
 
A sociologia e a sociedade
A sociologia e a sociedadeA sociologia e a sociedade
A sociologia e a sociedade
 
Cidadão e cidadania
Cidadão e cidadaniaCidadão e cidadania
Cidadão e cidadania
 
Diversidades no brasil
Diversidades no brasilDiversidades no brasil
Diversidades no brasil
 
Redemocratização e neoliberalismo
Redemocratização e  neoliberalismoRedemocratização e  neoliberalismo
Redemocratização e neoliberalismo
 
Reforma agrária no brasil
Reforma agrária no brasilReforma agrária no brasil
Reforma agrária no brasil
 
Redemocratização
RedemocratizaçãoRedemocratização
Redemocratização
 
Manifestações culturais no brasil durante a ditadura
Manifestações culturais no brasil durante a ditaduraManifestações culturais no brasil durante a ditadura
Manifestações culturais no brasil durante a ditadura
 
Direitos humanos
Direitos humanosDireitos humanos
Direitos humanos
 
História
HistóriaHistória
História
 
Ditadura militar e direitos humanos
Ditadura militar e direitos humanosDitadura militar e direitos humanos
Ditadura militar e direitos humanos
 
Década de 60
Década de 60Década de 60
Década de 60
 
História 2º ano 3º
História   2º ano 3ºHistória   2º ano 3º
História 2º ano 3º
 
Independencias
IndependenciasIndependencias
Independencias
 

História

  • 1. Imperialismo Partilha da África 1ª Guerra Mundial Revolução Russa
  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6.  Na segunda metade do século XIX, países europeus como a Inglaterra, França, Alemanha, Bélgica e Itália, eram considerados grandes potências industriais. Na América, eram os Estados Unidos quem apresentavam um grande desenvolvimento no campo industrial. Todos estes países exerceram atitudes imperialistas, pois estavam interessados em formar grandes impérios econômicos, levando suas áreas de influência para outros continentes.
  • 7.  Com o objetivo de aumentarem sua margem de lucro e também de conseguirem um custo consideravelmente baixo, estes países se dirigiram à África, Ásia e Oceania, dominando e explorando estes povos. Não muito diferente do colonialismo dos séculos XV e XVI, que utilizou como desculpa a divulgação do cristianismo; o neocolonialismo do século XIX usou o argumento de levar o progresso da ciência e da tecnologia ao mundo.
  • 8.  Na verdade, o que estes países realmente queriam era o reconhecimento industrial internacional, e, para isso, foram em busca de locais onde pudessem encontrar matérias primas e fontes de energia. Os países escolhidos foram colonizados e seus povos desrespeitados. Um exemplo deste desrespeito foi o ponto culminante da dominação neocolonialista, quando países europeus dividiram entre si os territórios africano e asiático, sem sequer levar em conta as diferenças éticas e culturais destes povos.
  • 9.  Entre novembro de 1884 e fevereiro de 1885 foi realizado o Congresso de Berlim. Neste encontro, os países europeus imperalistas organizaram e estabeleceram regras para a exploração da África. Na divisão territorial que fizeram, a cultura e as diferenças étnicas dos povos africanos não foram respeitadas.
  • 10.  Devido ao fato de possuírem os mesmo interesses, os colonizadores lutavam entre si para se sobressaírem comercialmente. O governo dos Estados Unidos, que já colonizava a América Latina, ao perceber a importância de Cuba no mercado mundial, invadiu o território, que, até então, era dominado pela Espanha. Após este confronto, as tropas espanholas tiveram que ceder lugar às tropas norte-americanas. Em 1898, as tropas espanholas foram novamente vencidas pelas norte-americanas, e, desta vez, a Espanha teve que ceder as Filipinas aos Estados Unidos.
  • 11.  Um outro ponto importante a se estudar sobre o neocolonialismo, é à entrada dos ingleses na China, ocorrida após a derrota dos chineses durante a Guerra do Ópio (1840-1842). Esta guerra foi iniciada pelos ingleses após as autoridades chinesas, que já sabiam do mal causado por esta substância, terem queimado uma embarcação inglesa repleta de ópio. Depois de ser derrotada pelas tropas britânicas, a China, foi obrigada a assinar o Tratado de Nanquim, que favorecia os ingleses em todas as clausulas. A dominação britânica foi marcante por sua crueldade e só teve fim no ano de 1949, ano da revolução comunista na China.
  • 12.  Como conclusão, pode-se afirmar que os colonialistas do século XIX, só se interessavam pelo lucro que eles obtinham através do trabalho que os habitantes das colônias prestavam para eles. Eles não se importavam com as condições de trabalho e tampouco se os nativos iriam ou não sobreviver a esta forma de exploração desumana e capitalista. Foi somente no século XX que as colônias conseguiram suas independências, porém herdaram dos europeus uma série de conflitos e países marcados pela exploração, subdesenvolvimento e dificuldades políticas.
  • 13.
  • 14.
  • 16.  Foi a divisão de territórios da África durante o imperialismo europeu do século XIX e XX. Os países (principalmente França e Inglaterra), buscavam territórios, mercado, matéria prima e para trabalhar o progresso de outros países capitalistas, conquistavam e criavam colônias em zonas de influência em várias regiões do globo - principalmente África. O Imperialismo foi fruto e ao mesmo gêneses da partilha, pois desprezou as diferenças regionais, explorou indiscretamente os recursos, os países capitalistas se puseram superior os povos da colônias, etc. Enfim o custo social e econômico dos territórios ocupados foi altíssimo. Os índices de desenvolvimento( fracos), Estados mal organizados e desvinculados de suas raízes históricas africanas, é conhecido.
  • 17.
  • 18.  Vários problemas atingiam as principais nações européias no início do século XX. O século anterior havia deixado feridas difíceis de curar. Alguns países estavam extremamente descontentes com a partilha da Ásia e da África, ocorrida no final do século XIX. Alemanha e Itália, por exemplo, haviam ficado de fora no processo neocolonial. Enquanto isso, França e Inglaterra podiam explorar diversas colônias, ricas em matérias-primas e com um grande mercado consumidor. A insatisfação da Itália e da Alemanha, neste contexto, pode ser considerada uma das causas da Grande Guerra.
  • 19.  Existia também, entre duas nações poderosas da época, uma rivalidade muito grande. A França havia perdido, no final do século XIX, a região da Alsácia-Lorena para a Alemanha, durante a Guerra Franco Prussiana. A revanche francesa estava no ar, junto com a espera de uma oportunidade para retomar a rica região perdida.
  • 20.  O pan-germanismo e o pan-eslavismo também influenciou e aumentou o estado de alerta na Europa. Havia uma forte vontade nacionalista dos germânicos em unir, em apenas uma nação, todos os países de origem germânica. O mesmo acontecia com os países eslavos.
  • 21.  O estopim deste conflito foi o assassinato de Francisco Ferdinando, príncipe do império austro-húngaro, durante sua visita a Saravejo (Bósnia-Herzegovina). As investigações levaram ao criminoso, um jovem integrante de um grupo Sérvio chamado mão-negra, contrário a influência da Áustria-Hungria na região dos Balcãs. O império austro-húngaro não aceitou as medidas tomadas pela Sérvia com relação ao crime e, no dia 28 de julho de 1914, declarou guerra à Sérvia.
  • 22.  Os países europeus começaram a fazer alianças políticas e militares desde o final do século XIX. Durante o conflito mundial estas alianças permaneceram. De um lado havia a Tríplice Aliança formada em 1882 por Itália, Império Austro-Húngaro e Alemanha ( a Itália passou para a outra aliança em 1915). Do outro lado a Tríplice Entente, formada em 1907, com a participação de França, Rússia e Reino Unido.  O Brasil também participou, enviando para os campos de batalha enfermeiros e medicamentos para ajudar os países da Tríplice Entente.
  • 23.  As batalhas desenvolveram-se principalmente em trincheiras. Os soldados ficavam, muitas vezes, centenas de dias entrincheirados, lutando pela conquista de pequenos pedaços de território. A fome e as doenças também eram os inimigos destes guerreiros. Nos combates também houve a utilização de novas tecnologias bélicas como, por exemplo, tanques de guerra e aviões. Enquanto os homens lutavam nas trincheiras, as mulheres trabalhavam nas indústrias bélicas como empregadas.
  • 24.  Em 1917 ocorreu um fato histórico de extrema importância : a entrada dos Estados Unidos no conflito. Os EUA entraram ao lado da Tríplice Entente, pois havia acordos comerciais a defender, principalmente com Inglaterra e França. Este fato marcou a vitória da Entente, forçando os países da Aliança a assinarem a rendição. Os derrotados tiveram ainda que assinar o Tratado de Versalhes que impunha a estes países fortes restrições e punições. A Alemanha teve seu exército reduzido, sua indústria bélica controlada, perdeu a região do corredor polonês, teve que devolver à França a região da Alsácia Lorena, além de ter que pagar os prejuízos da guerra dos países vencedores. O Tratado de Versalhes teve repercussões na Alemanha, influenciando o início da Segunda Guerra Mundial.
  • 25.  A guerra gerou aproximadamente 10 milhões de mortos, o triplo de feridos, arrasou campos agrícolas, destruiu indústrias, além de gerar grandes prejuízos econômicos.
  • 26.
  • 27.
  • 28.
  • 29.
  • 30.
  • 32.
  • 33.
  • 34.
  • 35.
  • 36.
  • 37.
  • 38.
  • 39.
  • 40.  No começo do século XX, a Rússia era um país de economia atrasada e dependente da agricultura, pois 80% de sua economia estava concentrada no campo (produção de gêneros agrícolas).  Os trabalhadores rurais viviam em extrema miséria e pobreza, pagando altos impostos para manter a base do sistema czarista de Nicolau II. O czar governava a Rússia de forma absolutista, ou seja, concentrava poderes em suas mãos não abrindo espaço para a democracia. Mesmo os trabalhadores urbanos, que desfrutavam os poucos empregos da fraca indústria russa, viviam descontentes com os governo do czar.
  • 41.  No ano de 1905, Nicolau II mostra a cara violenta e repressiva de seu governo. No conhecido Domingo Sangrento, manda seu exército fuzilar milhares de manifestantes. Marinheiros do encouraçado Potenkim também foram reprimidos pelo czar.  Começava então a formação dos sovietes (organização de trabalhadores russos) sob a liderança de Lênin. Os bolcheviques começavam a preparar a revolução socialista na Rússia e a queda da monarquia.
  • 42.  Faltava alimentos na Rússia czarista, empregos para os trabalhadores, salários dignos e democracia. Mesmo assim, Nicolau II jogou a Rússia numa guerra mundial. Os gastos com a guerra e os prejuízos fizeram aumentar ainda mais a insatisfação popular com o czar.  As greves de trabalhadores urbanos e rurais espalham-se pelo território russo. Ocorriam muitas vezes motins dentro do próprio exército russo. As manifestações populares pediam democracia, mais empregos, melhores salários e o fim da monarquia czarista. Em 1917, o governo de Nicolau II foi retirado do poder e assumiria Kerenski (menchevique) como governo provisório.
  • 43.  Com Kerenski no poder pouca coisa havia mudado na Rússia. Os bolcheviques, liderados por Lênin, organizaram uma nova revolução que ocorreu em outubro de 1917. Prometendo paz, terra, pão, liberdade e trabalho, Lênin assumiu o governo da Rússia e implantou o socialismo. As terras foram redistribuídas para os trabalhadores do campo, os bancos foram nacionalizados e as fábricas passaram para as mãos dos trabalhadores.  Lênin também retirou seu país da Primeira Guerra Mundial no ano de 1918. Foi instalado o partido único: o PC (Partido Comunista).
  • 44.  Após a revolução, foi implantada a URSS ( União das Repúblicas Socialistas Soviéticas). Seguiu-se um período de grande crescimento econômico, principalmente após a NEP ( Nova Política Econômica ). A URSS tornou-se uma grande potência econômica e militar. Mais tarde rivalizaria com os Estados Unidos na chamada Guerra Fria. Porém, após a revolução a situação da população geral e dos trabalhadores pouco mudou no que diz respeito à democracia. O Partido Comunista reprimia qualquer manifestação considerada contrária aos princípios socialistas. A falta de democracia imperava na URSS.
  • 45. Vladimir Lenin (8 de novembro de 1917 a 21 de janeiro de 1924)
  • 46. Josef Stalin (3 de abril de 1922 a 5 de março de 1953)
  • 47. Nikita Khrushchov (7 de setembro de 1953 a 14 de outubro de 1964)
  • 48. Leonid Brejnev (14 de outubro de 1964 a 10 de novembro de 1982)
  • 49. Iúri Andopov (12 de novembro de 1982 a 9 de fevereiro de 1984)
  • 50. Konstantin Chernenko (13 de fevereiro de 1984 a 10 de março de 1985)
  • 51. Mikhail Gorbachev (11 de março de 1985 a 24 de agosto de 1991)