SlideShare uma empresa Scribd logo
Higienização em Redes de
Dutos de Ar Condicionado
Engenheiro
Carlos Alberto Araujo de Queiroz
CREA-RJ 1978104018
Legislação
PORTARIA M.S. nº 3.523/98
RESOLUÇÃO RE-09/03 da ANVISA
LEI ESTADUAL nº 4.192/03
DECRETO MUNICIPAL º 22.281/02

2
Normas Técnicas da ABNT
NORMA NBR 16401:2008 em suas 3 partes
NORMA NBR 15848:2010
NORMA NBR 14679:2012
NORMA NBR ISO/IEC 17025:2005

3
Por quê fazer o serviço ?
Problemas de saúde ocupacional – para evitar o
acometimento da “Doença Pulmonar devida a Sistemas de Ar
Condicionado e de Umidificação do Ar.
RECENTE decisão do TRIBUNAL SUPERIOR DO
TRABALHO condenou em última instância o INSS a pagar
indenização de R$ 200.000,00 a uma trabalhadora
aposentada porque perdeu 100% da visão de um olho e
quase a totalidade do outro em razão de patologia contraída
por “doença relacionada a trabalho” em ambiente com ar
condicionado inadequado.
4
Por quê fazer o serviço ?
Portaria M.S. 3.523 de 28/08/1998.
Lei Estadual 4.192 de 01/10/2003.
•Link para baixar notícia acerca da decisão do T.R.T. que
condenou o INSS por Doença acometida por trabalhadora
vítima de ambiente de trabalho com ar condicionado
operando em condições inadequadas:
•http://espaco-vital.jusbrasil.com.br/noticias/100068456/oagravamento-de-doenca-por-causa-do-ar-condicionado
5
Quando fazer o serviço ?
“ QUANDO ESTIVER SUJO”
“ ANUALMENTE NO ESTADO DO
DO RIO DE JANEIRO”

6
Como fazer o serviço ?
Todas as Unidades de tratamento de
ar que insuflam por dutos devem ser
limpas antes do início da limpeza dos
dutos

7
Teste de Limpeza de Dutos
Após os dutos estarem limpos contrate um Ensaio
gravimétrico para ser realizado conforme previsto
na Norma NBR 15848 de Julho de 2010 que
estabelece o limite de 1 (uma) grama de
particulados por metro quadrado de superfície de
duto limpa.
O ensaio (coleta) deve ser realizado na região do
duto principal onde a vazão de ar naquele local
seja em torno de 50% da vazão nominal do
sistema.
8
Teste de Limpeza de Dutos
O laboratório que vier a realizar o ensaio deve comprovar
a existência de sistema de gestão da qualidade conforme
os requisitos especificados na Norma NBR ISO/IEC
17025:2005.

9
Legislação
-Portaria 1.339 de 18-11-1999 institui a
lista de doenças relacionadas ao trabalho
(Grupo X da CID-10 – J67.7).
O trabalhador que vier a ser
acometido de Doença Pulmonar devida a
Sistema de Ar Condicionado e de
Umidificação do Ar pode vir a ser afastado
do trabalho pela perícia do INSS
10
Requisitos Gerais do Serviço
Empresa especializada com registro no CREA,
no CRQ, na Gerência de Engenharia Mecânica
da RIOLUZ
Equipamentos adequados e de alta tecnologia
Mão-de-obra qualificada submetida a constante
Programa de Treinamento
11
Requisitos Gerais do Serviço
Utilização de produtos químicos, somente se
forem Registrados ou Notificados na ANVISA
Descrição dos serviços a serem executados
Desenhos do sistema de climatização
A.R.T. recolhida junto ao CREA
12
Principais Procedimentos e
Equipamentos
Inspeção visual interna dos dutos (robô).
Central de escovação e/ou Compressor de
ar.
Coletor de resíduos com sistema de
quádrupla filtragem do ar.

13
Escopo dos serviços
Inspeção inicial do sistema para determinação dos
métodos e procedimentos.
Abertura de acessos ao interior dos dutos.
Higienização completa do sistema com a remoção
dos contaminantes e depósitos presentes no
sistema.
Sanitização (se necessário, e somente com uso de
produtos Registrados ou Notificados na ANVISA ).
Fechamento dos acessos no duto.
Descarte adequado do material retirado.
Emissão de relatórios finais.
Abertura de Acessos
Acessos suficientes para higienização de toda a rede
de dutos.
Utilizar os acessos já existentes (grelhas/
difusores/venezianas) e providenciar abertura de
novos acessos se necessário.
Fechar e vedar as aberturas de modo que se
restabeleça a integridade/ características dos dutos.
Não devem ser feitas aberturas em dutos flexíveis.
Identificar os locais de acesso e indicar nos
desenhos.
15
Dutos Metálicos Rígidos

16
Dutos Flexíveis

17
Procedimentos de Higienização
Métodos: escovação mecânica com robô
perfect clean ou sopro de ar com robô
compressed simultaneamente ao uso do
Equipamento Coletor de Resíduos.
Higienização no sentido do fluxo de ar.
Remoção, se possível, dos componentes do
sistema. (difusores, grelhas, registros...).
18
19
ROBÔ PERFECT CLEAN

20
Procedimentos de Higienização
Dutos fibrosos devem ser limpos com robô
compressed provido de sopro de ar
comprimido com mangueiras de silicone
macias especialmente desenvolvidas para
não agredir as paredes dos dutos.

21
ROBÔ COMPRESSED

22
Higienização Completa do Sistema
Dutos (internamente).
Difusores, grelhas.
T.A.E.
Casas de máquinas
(plenum).
Registro corta-fogo.

Atenuadores de ruídos.
Caixas de V.A.V.
Interior dos
condicionadores de ar.
Serpentinas, volutas,
rotores e bandejas de
condensado.
Substituição de filtros
de ar.
23
Relatórios Técnicos Finais
Relatório de Serviços Executados.
Recomendações e sugestões para QAI.
Relatório em mídia digital.
Certificado de Conclusão de Serviços.

24
Duto de retorno de ar

Antes da higienização

Após a higienização

25
Duto de Insuflação de ar

Antes da higienização

Após a higienização

26
Duto de Insuflação de ar

Antes da higienização

Após a higienização

27
•A limpeza dos componentes do
sistema de climatização de ar é
integrada pela higiene das máquinas,
das casa de máquinas, da LIMPEZA DE
DUTOS e ao final pela substituição dos
elementos filtrantes do ar.
28
Nenhuma manutenção deverá ser considerada
eficaz sem que ao menos 1 (uma) vez ao ano os
dutos dos sistemas de climatização de ar sejam
limpos.
Isto é o que determina a Lei Estadual nº 4.192 de
01/10/2003.
A inobservância da Lei acima citada é penalizada
com multas que podem variar de R$ 2.000,00 até
R$ 1.500.000,00 conforme prevê a Lei Federal nº
6.437 de 24/08/1977.
29
• O serviço de limpeza de dutos só pode ser

contratado junto a empresas que estiverem
devidamente Registradas no Conselho Regional
de Engenharia Arquitetura e Agronomia (CREA), e
quando este serviço vier a ser executado na
Cidade do Rio de Janeiro, a empresa que executar
o serviço também deve estar Cadastrada junto à
Gerência de Engenharia Mecânica da Prefeitura do
Rio de Janeiro (RIOLUZ).

30
•É

passível de aplicação de multa ao
tomador de serviço de limpeza de dutos
quando este serviço vier a ser
executado por empresa que não esteja
devidamente cadastrada nas condições
citadas, pois tais serviços são
considerados pela legislação vigente
como SERVIÇO DE ENGENHARIA.
31
• Ao realizar cotação de preço para contratar uma

empresa especializada em LIMPEZA DE DUTOS,
faça pesquisa sobre a idoneidade, competência
técnica e experiência da empresa neste segmento
de serviços.
•Exija que a empresa apresente toda
documentação que a legislação estabelece.

sua

•Exija que a empresa forneça o nome dos clientes
para os quais já prestou serviços.
32
• Exija

que a empresa lhe forneça o endereço
de sua sede.
•Faça uma visita à sede da empresa.
•Exija que a empresa comprove que todos
os seus funcionários (técnicos e corpo
administrativo)
estejam
legalmente
registrados.
Exija que a empresa comprove a
regularidade com seus impostos e taxas.
33
•Exija que a empresa comprove a
regularidade do recolhimento de seus
impostos e taxas.
•Exija que a empresa comprove que tem
contratada junto a uma seguradora
consagrada uma Apólice de Seguro de
Acidentes Pessoais de seus funcionários

34
•Exija que a empresa comprove que tem
contratada junto a uma seguradora
consagrada uma Apólice de Seguro de
Responsabilidade Civil em favor de terceiros.

35
• Exija

que a empresa comprove que atende
às Normas de Segurança.
•Exija que a empresa comprove que seus
técnicos executam serviços devidamente
uniformizados e com todos os Equipamentos
de Proteção Individual (EPI).

36
•Indague da empresa se ela depende de
terceiros ou se ela própria fabrica seus
Robôs e Equipamentos Coletores de
Resíduos.

37
• Indague se a empresa tem frota própria de

veículos, a idade dos veículos, o plano de
manutenção da frota, e se a manutenção é feita em
concessionárias da fábrica.
•Indague se a empresa tem um centro de
treinamento para seus técnicos.
•Indague se a empresa tem em seu corpo
administrativo funcionários capacitados para a
geração de toda a documentação legal tão logo o
serviço esteja concluído.
38
• Indague se a empresa tem equipamentos para

limpeza de dutos tanto por sistema de “sopro por ar
comprimido”, assim como por “escovação
mecânica”.
•Indague se a empresa tem oficina própria para
fabricação e manutenção de seus equipamentos.
•Indague se os Engenheiros Responsáveis
Técnicos pela empresa tem disponibilidade
imediata para acompanhar os serviços quando
necessários.
39
Indague
se
os
Engenheiros
Responsáveis Técnicos pela empresa
estão habilitados e capacitados para
responder a qualquer questionamento
que seja acerca do ordenamento
jurídico que disciplina os SISTEMAS
DE CLIMATIZAÇÃO DE AR.

40
OBRIGADO !

CARLOS ALBERTO ARAUJO DE QUEIROZ
Engenheiro Mecânico
CREA-RJ 1978104018
Responsável Técnico por
Real Service Conservação e Manutenção Ltda
Contatos:
engenharia@realservi.com.br
realservi@realservi.com.br
Tel. (21) 2784-3550 ou (21)2784-3562 ou
(21) 2771-9994
41

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fator de proteção atribuído
Fator de proteção atribuídoFator de proteção atribuído
Fator de proteção atribuído
Régis Pinheiro Martins Bezerra
 
Gestão Ambiental pela ISO 14001
Gestão Ambiental pela ISO 14001Gestão Ambiental pela ISO 14001
Gestão Ambiental pela ISO 14001
Márcio Hosken
 
Pgrss
PgrssPgrss
Risco Fisico : Umidade
Risco Fisico : UmidadeRisco Fisico : Umidade
Risco Fisico : Umidade
Senac São Paulo
 
Seguranca do trabalho & gestao ambiental
Seguranca do trabalho & gestao ambientalSeguranca do trabalho & gestao ambiental
Seguranca do trabalho & gestao ambiental
Julio Cesar Gonçalves
 
ISO 45001 - Gestão Estratégica de Saúde e Segurança do Trabalho
ISO 45001 - Gestão Estratégica de Saúde e Segurança do TrabalhoISO 45001 - Gestão Estratégica de Saúde e Segurança do Trabalho
ISO 45001 - Gestão Estratégica de Saúde e Segurança do Trabalho
Emilio Mesa Junior
 
Curso da CIPA
Curso da CIPACurso da CIPA
Curso da CIPA
Sergio Roberto Silva
 
Apostila pericia ambiental
Apostila   pericia ambientalApostila   pericia ambiental
Apostila pericia ambiental
Angel Lopes Casa
 
NR 20 - NOVO.pptx
NR 20 - NOVO.pptxNR 20 - NOVO.pptx
NR 20 - NOVO.pptx
Anderson Fernandes Gomes
 
Avaliação nr33
Avaliação nr33Avaliação nr33
Avaliação nr33
Brasilio da Silva
 
Ficha de trabalho nº 5(17 18)- contaminação dos alimentos
Ficha de trabalho nº 5(17 18)- contaminação dos alimentosFicha de trabalho nº 5(17 18)- contaminação dos alimentos
Ficha de trabalho nº 5(17 18)- contaminação dos alimentos
Leonor Alves
 
Plano de trabalho da cipa
Plano de trabalho da cipaPlano de trabalho da cipa
Plano de trabalho da cipa
Fatima Silva
 
Modelo Check List diário de Empilhadeiras 03
Modelo   Check List diário de Empilhadeiras 03Modelo   Check List diário de Empilhadeiras 03
Modelo Check List diário de Empilhadeiras 03
IZAIAS DE SOUZA AGUIAR
 
Modelo de PGR.pdf
Modelo de PGR.pdfModelo de PGR.pdf
Modelo de PGR.pdf
NelmaLeite1
 
Licenciamento Ambiental
Licenciamento AmbientalLicenciamento Ambiental
Licenciamento Ambiental
Jézili Dias
 
Procedimento de aspectos e impactos ambientais
Procedimento de aspectos e impactos ambientaisProcedimento de aspectos e impactos ambientais
Procedimento de aspectos e impactos ambientais
Universidade Federal Fluminense
 
Ppra usina de açucar
Ppra usina de açucar Ppra usina de açucar
Ppra usina de açucar
Tecpreve Tecpreve
 
Os aux.limpeza e higiene (1) (1)
Os  aux.limpeza e higiene (1) (1)Os  aux.limpeza e higiene (1) (1)
Os aux.limpeza e higiene (1) (1)
EVALDO JUNIO SILVA DA GAMA
 
Basico sobre sst_para_me_e_epp_serralheria
Basico sobre sst_para_me_e_epp_serralheriaBasico sobre sst_para_me_e_epp_serralheria
Basico sobre sst_para_me_e_epp_serralheria
Daebul University
 
Guia de boas práticas ambientais
Guia de boas práticas ambientaisGuia de boas práticas ambientais
Guia de boas práticas ambientais
Robson Peixoto
 

Mais procurados (20)

Fator de proteção atribuído
Fator de proteção atribuídoFator de proteção atribuído
Fator de proteção atribuído
 
Gestão Ambiental pela ISO 14001
Gestão Ambiental pela ISO 14001Gestão Ambiental pela ISO 14001
Gestão Ambiental pela ISO 14001
 
Pgrss
PgrssPgrss
Pgrss
 
Risco Fisico : Umidade
Risco Fisico : UmidadeRisco Fisico : Umidade
Risco Fisico : Umidade
 
Seguranca do trabalho & gestao ambiental
Seguranca do trabalho & gestao ambientalSeguranca do trabalho & gestao ambiental
Seguranca do trabalho & gestao ambiental
 
ISO 45001 - Gestão Estratégica de Saúde e Segurança do Trabalho
ISO 45001 - Gestão Estratégica de Saúde e Segurança do TrabalhoISO 45001 - Gestão Estratégica de Saúde e Segurança do Trabalho
ISO 45001 - Gestão Estratégica de Saúde e Segurança do Trabalho
 
Curso da CIPA
Curso da CIPACurso da CIPA
Curso da CIPA
 
Apostila pericia ambiental
Apostila   pericia ambientalApostila   pericia ambiental
Apostila pericia ambiental
 
NR 20 - NOVO.pptx
NR 20 - NOVO.pptxNR 20 - NOVO.pptx
NR 20 - NOVO.pptx
 
Avaliação nr33
Avaliação nr33Avaliação nr33
Avaliação nr33
 
Ficha de trabalho nº 5(17 18)- contaminação dos alimentos
Ficha de trabalho nº 5(17 18)- contaminação dos alimentosFicha de trabalho nº 5(17 18)- contaminação dos alimentos
Ficha de trabalho nº 5(17 18)- contaminação dos alimentos
 
Plano de trabalho da cipa
Plano de trabalho da cipaPlano de trabalho da cipa
Plano de trabalho da cipa
 
Modelo Check List diário de Empilhadeiras 03
Modelo   Check List diário de Empilhadeiras 03Modelo   Check List diário de Empilhadeiras 03
Modelo Check List diário de Empilhadeiras 03
 
Modelo de PGR.pdf
Modelo de PGR.pdfModelo de PGR.pdf
Modelo de PGR.pdf
 
Licenciamento Ambiental
Licenciamento AmbientalLicenciamento Ambiental
Licenciamento Ambiental
 
Procedimento de aspectos e impactos ambientais
Procedimento de aspectos e impactos ambientaisProcedimento de aspectos e impactos ambientais
Procedimento de aspectos e impactos ambientais
 
Ppra usina de açucar
Ppra usina de açucar Ppra usina de açucar
Ppra usina de açucar
 
Os aux.limpeza e higiene (1) (1)
Os  aux.limpeza e higiene (1) (1)Os  aux.limpeza e higiene (1) (1)
Os aux.limpeza e higiene (1) (1)
 
Basico sobre sst_para_me_e_epp_serralheria
Basico sobre sst_para_me_e_epp_serralheriaBasico sobre sst_para_me_e_epp_serralheria
Basico sobre sst_para_me_e_epp_serralheria
 
Guia de boas práticas ambientais
Guia de boas práticas ambientaisGuia de boas práticas ambientais
Guia de boas práticas ambientais
 

Destaque

D22281 m
D22281 mD22281 m
D22281 m
Fabio Leite
 
LAUDO NBR 14518 (Sistemas de ventilação para cozinhas profissionais)
LAUDO NBR 14518 (Sistemas de ventilação para cozinhas profissionais) LAUDO NBR 14518 (Sistemas de ventilação para cozinhas profissionais)
LAUDO NBR 14518 (Sistemas de ventilação para cozinhas profissionais)
Sérgio Valadão
 
Pop desinfecção plano micro karla nepomuceno
Pop desinfecção plano micro karla nepomucenoPop desinfecção plano micro karla nepomuceno
Pop desinfecção plano micro karla nepomuceno
Paulo Eduardo Bastos
 
Monografia marcelo eng seg
Monografia marcelo eng segMonografia marcelo eng seg
Monografia marcelo eng seg
Marcelo Gandra Falcone
 
Prot. 0339 15 pl obrigatoriedade de certificado de manutenção e-ou limpeza ...
Prot. 0339 15   pl obrigatoriedade de certificado de manutenção e-ou limpeza ...Prot. 0339 15   pl obrigatoriedade de certificado de manutenção e-ou limpeza ...
Prot. 0339 15 pl obrigatoriedade de certificado de manutenção e-ou limpeza ...
Claudio Figueiredo
 
Manutenção de ar condicionado
Manutenção de ar condicionadoManutenção de ar condicionado
Manutenção de ar condicionado
mjmcreatore
 
Ar condicionado
Ar condicionadoAr condicionado
Ar condicionado
Karla Denise Fernandes
 
Pop 43 limpeza aparelhos ar condicionado.
Pop 43 limpeza aparelhos ar condicionado.Pop 43 limpeza aparelhos ar condicionado.
Pop 43 limpeza aparelhos ar condicionado.
Bruno Pires
 
MANUAL DE BOAS PRÁTICAS
MANUAL DE BOAS PRÁTICASMANUAL DE BOAS PRÁTICAS
Ar condicionado
Ar condicionadoAr condicionado
Ar condicionado
Carlos Elson Cunha
 

Destaque (10)

D22281 m
D22281 mD22281 m
D22281 m
 
LAUDO NBR 14518 (Sistemas de ventilação para cozinhas profissionais)
LAUDO NBR 14518 (Sistemas de ventilação para cozinhas profissionais) LAUDO NBR 14518 (Sistemas de ventilação para cozinhas profissionais)
LAUDO NBR 14518 (Sistemas de ventilação para cozinhas profissionais)
 
Pop desinfecção plano micro karla nepomuceno
Pop desinfecção plano micro karla nepomucenoPop desinfecção plano micro karla nepomuceno
Pop desinfecção plano micro karla nepomuceno
 
Monografia marcelo eng seg
Monografia marcelo eng segMonografia marcelo eng seg
Monografia marcelo eng seg
 
Prot. 0339 15 pl obrigatoriedade de certificado de manutenção e-ou limpeza ...
Prot. 0339 15   pl obrigatoriedade de certificado de manutenção e-ou limpeza ...Prot. 0339 15   pl obrigatoriedade de certificado de manutenção e-ou limpeza ...
Prot. 0339 15 pl obrigatoriedade de certificado de manutenção e-ou limpeza ...
 
Manutenção de ar condicionado
Manutenção de ar condicionadoManutenção de ar condicionado
Manutenção de ar condicionado
 
Ar condicionado
Ar condicionadoAr condicionado
Ar condicionado
 
Pop 43 limpeza aparelhos ar condicionado.
Pop 43 limpeza aparelhos ar condicionado.Pop 43 limpeza aparelhos ar condicionado.
Pop 43 limpeza aparelhos ar condicionado.
 
MANUAL DE BOAS PRÁTICAS
MANUAL DE BOAS PRÁTICASMANUAL DE BOAS PRÁTICAS
MANUAL DE BOAS PRÁTICAS
 
Ar condicionado
Ar condicionadoAr condicionado
Ar condicionado
 

Semelhante a Higienização em redes de ar

Interpretacao de normas leis TAC SP
Interpretacao de normas leis TAC SPInterpretacao de normas leis TAC SP
Interpretacao de normas leis TAC SP
Leonardo Cozac
 
Portaria Nº 3.523 - PMOC
Portaria Nº 3.523 - PMOCPortaria Nº 3.523 - PMOC
Portaria Nº 3.523 - PMOC
Seccional Informática
 
Pmoc
PmocPmoc
Canteiro de obra
Canteiro de obraCanteiro de obra
Canteiro de obra
TobiasThiagoMachado1
 
Lei 13589-18.pdf
Lei 13589-18.pdfLei 13589-18.pdf
Lei 13589-18.pdf
mauszesz
 
C O - conforme o NBR -18.ppt, em conformidade com PGR
C O - conforme o NBR -18.ppt, em conformidade com  PGRC O - conforme o NBR -18.ppt, em conformidade com  PGR
C O - conforme o NBR -18.ppt, em conformidade com PGR
marcondessouzatec
 
pmoc--apresentacao_plano-de-manutencao-operacao-e-controle.ppt
pmoc--apresentacao_plano-de-manutencao-operacao-e-controle.pptpmoc--apresentacao_plano-de-manutencao-operacao-e-controle.ppt
pmoc--apresentacao_plano-de-manutencao-operacao-e-controle.ppt
JairMatos6
 
procedimentodecontroledeemissesatmosfricas-131212124235-phpapp01.pdf
procedimentodecontroledeemissesatmosfricas-131212124235-phpapp01.pdfprocedimentodecontroledeemissesatmosfricas-131212124235-phpapp01.pdf
procedimentodecontroledeemissesatmosfricas-131212124235-phpapp01.pdf
WilsonPrado15
 
Analise do ar interno
Analise do ar internoAnalise do ar interno
Analise do ar interno
Leonardo Cozac
 
Treinamento captação de pó
Treinamento captação de póTreinamento captação de pó
Treinamento captação de pó
Sérgio Valadão
 
Lei 13589
Lei 13589Lei 13589
Lei 13589
Walter Souza
 
Procedimento de controle de emissões atmosféricas
Procedimento de controle de emissões atmosféricasProcedimento de controle de emissões atmosféricas
Procedimento de controle de emissões atmosféricas
Universidade Federal Fluminense
 
Procedimento de controle de emissões atmosféricas
Procedimento de controle de emissões atmosféricasProcedimento de controle de emissões atmosféricas
Procedimento de controle de emissões atmosféricas
Universidade Federal Fluminense
 
Portaria_3523.pdf
Portaria_3523.pdfPortaria_3523.pdf
Portaria_3523.pdf
DaniloSilva916426
 
Workshop balanças
Workshop balançasWorkshop balanças
Workshop balanças
Isaque Brandao
 
Manual de orientações ao sindico
Manual de orientações ao sindicoManual de orientações ao sindico
Manual de orientações ao sindico
Luciano Hora
 
Aplicabilidade da Norma de Desempenho - Carlos Del Mar
Aplicabilidade da Norma de Desempenho - Carlos Del MarAplicabilidade da Norma de Desempenho - Carlos Del Mar
Aplicabilidade da Norma de Desempenho - Carlos Del Mar
Associação Cohabs
 
1169- Defesa Administrativa Ambiental
1169- Defesa Administrativa Ambiental1169- Defesa Administrativa Ambiental
1169- Defesa Administrativa Ambiental
Consultor JRSantana
 
Estre Paulínia/LO Cetesb
Estre Paulínia/LO CetesbEstre Paulínia/LO Cetesb
Estre Paulínia/LO Cetesb
1962laura
 
Promimp_Apresentacao.ppt
Promimp_Apresentacao.pptPromimp_Apresentacao.ppt
Promimp_Apresentacao.ppt
GustavoLuizdeSouzaLe
 

Semelhante a Higienização em redes de ar (20)

Interpretacao de normas leis TAC SP
Interpretacao de normas leis TAC SPInterpretacao de normas leis TAC SP
Interpretacao de normas leis TAC SP
 
Portaria Nº 3.523 - PMOC
Portaria Nº 3.523 - PMOCPortaria Nº 3.523 - PMOC
Portaria Nº 3.523 - PMOC
 
Pmoc
PmocPmoc
Pmoc
 
Canteiro de obra
Canteiro de obraCanteiro de obra
Canteiro de obra
 
Lei 13589-18.pdf
Lei 13589-18.pdfLei 13589-18.pdf
Lei 13589-18.pdf
 
C O - conforme o NBR -18.ppt, em conformidade com PGR
C O - conforme o NBR -18.ppt, em conformidade com  PGRC O - conforme o NBR -18.ppt, em conformidade com  PGR
C O - conforme o NBR -18.ppt, em conformidade com PGR
 
pmoc--apresentacao_plano-de-manutencao-operacao-e-controle.ppt
pmoc--apresentacao_plano-de-manutencao-operacao-e-controle.pptpmoc--apresentacao_plano-de-manutencao-operacao-e-controle.ppt
pmoc--apresentacao_plano-de-manutencao-operacao-e-controle.ppt
 
procedimentodecontroledeemissesatmosfricas-131212124235-phpapp01.pdf
procedimentodecontroledeemissesatmosfricas-131212124235-phpapp01.pdfprocedimentodecontroledeemissesatmosfricas-131212124235-phpapp01.pdf
procedimentodecontroledeemissesatmosfricas-131212124235-phpapp01.pdf
 
Analise do ar interno
Analise do ar internoAnalise do ar interno
Analise do ar interno
 
Treinamento captação de pó
Treinamento captação de póTreinamento captação de pó
Treinamento captação de pó
 
Lei 13589
Lei 13589Lei 13589
Lei 13589
 
Procedimento de controle de emissões atmosféricas
Procedimento de controle de emissões atmosféricasProcedimento de controle de emissões atmosféricas
Procedimento de controle de emissões atmosféricas
 
Procedimento de controle de emissões atmosféricas
Procedimento de controle de emissões atmosféricasProcedimento de controle de emissões atmosféricas
Procedimento de controle de emissões atmosféricas
 
Portaria_3523.pdf
Portaria_3523.pdfPortaria_3523.pdf
Portaria_3523.pdf
 
Workshop balanças
Workshop balançasWorkshop balanças
Workshop balanças
 
Manual de orientações ao sindico
Manual de orientações ao sindicoManual de orientações ao sindico
Manual de orientações ao sindico
 
Aplicabilidade da Norma de Desempenho - Carlos Del Mar
Aplicabilidade da Norma de Desempenho - Carlos Del MarAplicabilidade da Norma de Desempenho - Carlos Del Mar
Aplicabilidade da Norma de Desempenho - Carlos Del Mar
 
1169- Defesa Administrativa Ambiental
1169- Defesa Administrativa Ambiental1169- Defesa Administrativa Ambiental
1169- Defesa Administrativa Ambiental
 
Estre Paulínia/LO Cetesb
Estre Paulínia/LO CetesbEstre Paulínia/LO Cetesb
Estre Paulínia/LO Cetesb
 
Promimp_Apresentacao.ppt
Promimp_Apresentacao.pptPromimp_Apresentacao.ppt
Promimp_Apresentacao.ppt
 

Mais de Airton José Monteiro

Ventilacao industrial
Ventilacao industrialVentilacao industrial
Ventilacao industrial
Airton José Monteiro
 
Projeto pescar
Projeto pescarProjeto pescar
Projeto pescar
Airton José Monteiro
 
Tcc ricardo matsukura_lindemeyer
Tcc ricardo matsukura_lindemeyerTcc ricardo matsukura_lindemeyer
Tcc ricardo matsukura_lindemeyer
Airton José Monteiro
 
Manual pavimentacao
Manual pavimentacaoManual pavimentacao
Manual pavimentacao
Airton José Monteiro
 
Manutencao mecanica
Manutencao mecanicaManutencao mecanica
Manutencao mecanica
Airton José Monteiro
 
Integ padro-04-permissao-para-trabalho
Integ padro-04-permissao-para-trabalhoInteg padro-04-permissao-para-trabalho
Integ padro-04-permissao-para-trabalho
Airton José Monteiro
 
Permissão para trabalho (pt)
Permissão para trabalho (pt)Permissão para trabalho (pt)
Permissão para trabalho (pt)
Airton José Monteiro
 
Manual seguranca
Manual segurancaManual seguranca
Manual seguranca
Airton José Monteiro
 
Montagem de andaimes
Montagem de andaimesMontagem de andaimes
Montagem de andaimes
Airton José Monteiro
 
90548 manual prevencao_contra_incendio
90548 manual prevencao_contra_incendio90548 manual prevencao_contra_incendio
90548 manual prevencao_contra_incendio
Airton José Monteiro
 
Manual galpoes web
Manual galpoes webManual galpoes web
Manual galpoes web
Airton José Monteiro
 
Nbr 10004 resíduos sólidos - classificação
Nbr 10004   resíduos sólidos - classificaçãoNbr 10004   resíduos sólidos - classificação
Nbr 10004 resíduos sólidos - classificação
Airton José Monteiro
 

Mais de Airton José Monteiro (12)

Ventilacao industrial
Ventilacao industrialVentilacao industrial
Ventilacao industrial
 
Projeto pescar
Projeto pescarProjeto pescar
Projeto pescar
 
Tcc ricardo matsukura_lindemeyer
Tcc ricardo matsukura_lindemeyerTcc ricardo matsukura_lindemeyer
Tcc ricardo matsukura_lindemeyer
 
Manual pavimentacao
Manual pavimentacaoManual pavimentacao
Manual pavimentacao
 
Manutencao mecanica
Manutencao mecanicaManutencao mecanica
Manutencao mecanica
 
Integ padro-04-permissao-para-trabalho
Integ padro-04-permissao-para-trabalhoInteg padro-04-permissao-para-trabalho
Integ padro-04-permissao-para-trabalho
 
Permissão para trabalho (pt)
Permissão para trabalho (pt)Permissão para trabalho (pt)
Permissão para trabalho (pt)
 
Manual seguranca
Manual segurancaManual seguranca
Manual seguranca
 
Montagem de andaimes
Montagem de andaimesMontagem de andaimes
Montagem de andaimes
 
90548 manual prevencao_contra_incendio
90548 manual prevencao_contra_incendio90548 manual prevencao_contra_incendio
90548 manual prevencao_contra_incendio
 
Manual galpoes web
Manual galpoes webManual galpoes web
Manual galpoes web
 
Nbr 10004 resíduos sólidos - classificação
Nbr 10004   resíduos sólidos - classificaçãoNbr 10004   resíduos sólidos - classificação
Nbr 10004 resíduos sólidos - classificação
 

Último

Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 

Último (20)

FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 

Higienização em redes de ar

  • 1. Higienização em Redes de Dutos de Ar Condicionado Engenheiro Carlos Alberto Araujo de Queiroz CREA-RJ 1978104018
  • 2. Legislação PORTARIA M.S. nº 3.523/98 RESOLUÇÃO RE-09/03 da ANVISA LEI ESTADUAL nº 4.192/03 DECRETO MUNICIPAL º 22.281/02 2
  • 3. Normas Técnicas da ABNT NORMA NBR 16401:2008 em suas 3 partes NORMA NBR 15848:2010 NORMA NBR 14679:2012 NORMA NBR ISO/IEC 17025:2005 3
  • 4. Por quê fazer o serviço ? Problemas de saúde ocupacional – para evitar o acometimento da “Doença Pulmonar devida a Sistemas de Ar Condicionado e de Umidificação do Ar. RECENTE decisão do TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO condenou em última instância o INSS a pagar indenização de R$ 200.000,00 a uma trabalhadora aposentada porque perdeu 100% da visão de um olho e quase a totalidade do outro em razão de patologia contraída por “doença relacionada a trabalho” em ambiente com ar condicionado inadequado. 4
  • 5. Por quê fazer o serviço ? Portaria M.S. 3.523 de 28/08/1998. Lei Estadual 4.192 de 01/10/2003. •Link para baixar notícia acerca da decisão do T.R.T. que condenou o INSS por Doença acometida por trabalhadora vítima de ambiente de trabalho com ar condicionado operando em condições inadequadas: •http://espaco-vital.jusbrasil.com.br/noticias/100068456/oagravamento-de-doenca-por-causa-do-ar-condicionado 5
  • 6. Quando fazer o serviço ? “ QUANDO ESTIVER SUJO” “ ANUALMENTE NO ESTADO DO DO RIO DE JANEIRO” 6
  • 7. Como fazer o serviço ? Todas as Unidades de tratamento de ar que insuflam por dutos devem ser limpas antes do início da limpeza dos dutos 7
  • 8. Teste de Limpeza de Dutos Após os dutos estarem limpos contrate um Ensaio gravimétrico para ser realizado conforme previsto na Norma NBR 15848 de Julho de 2010 que estabelece o limite de 1 (uma) grama de particulados por metro quadrado de superfície de duto limpa. O ensaio (coleta) deve ser realizado na região do duto principal onde a vazão de ar naquele local seja em torno de 50% da vazão nominal do sistema. 8
  • 9. Teste de Limpeza de Dutos O laboratório que vier a realizar o ensaio deve comprovar a existência de sistema de gestão da qualidade conforme os requisitos especificados na Norma NBR ISO/IEC 17025:2005. 9
  • 10. Legislação -Portaria 1.339 de 18-11-1999 institui a lista de doenças relacionadas ao trabalho (Grupo X da CID-10 – J67.7). O trabalhador que vier a ser acometido de Doença Pulmonar devida a Sistema de Ar Condicionado e de Umidificação do Ar pode vir a ser afastado do trabalho pela perícia do INSS 10
  • 11. Requisitos Gerais do Serviço Empresa especializada com registro no CREA, no CRQ, na Gerência de Engenharia Mecânica da RIOLUZ Equipamentos adequados e de alta tecnologia Mão-de-obra qualificada submetida a constante Programa de Treinamento 11
  • 12. Requisitos Gerais do Serviço Utilização de produtos químicos, somente se forem Registrados ou Notificados na ANVISA Descrição dos serviços a serem executados Desenhos do sistema de climatização A.R.T. recolhida junto ao CREA 12
  • 13. Principais Procedimentos e Equipamentos Inspeção visual interna dos dutos (robô). Central de escovação e/ou Compressor de ar. Coletor de resíduos com sistema de quádrupla filtragem do ar. 13
  • 14. Escopo dos serviços Inspeção inicial do sistema para determinação dos métodos e procedimentos. Abertura de acessos ao interior dos dutos. Higienização completa do sistema com a remoção dos contaminantes e depósitos presentes no sistema. Sanitização (se necessário, e somente com uso de produtos Registrados ou Notificados na ANVISA ). Fechamento dos acessos no duto. Descarte adequado do material retirado. Emissão de relatórios finais.
  • 15. Abertura de Acessos Acessos suficientes para higienização de toda a rede de dutos. Utilizar os acessos já existentes (grelhas/ difusores/venezianas) e providenciar abertura de novos acessos se necessário. Fechar e vedar as aberturas de modo que se restabeleça a integridade/ características dos dutos. Não devem ser feitas aberturas em dutos flexíveis. Identificar os locais de acesso e indicar nos desenhos. 15
  • 18. Procedimentos de Higienização Métodos: escovação mecânica com robô perfect clean ou sopro de ar com robô compressed simultaneamente ao uso do Equipamento Coletor de Resíduos. Higienização no sentido do fluxo de ar. Remoção, se possível, dos componentes do sistema. (difusores, grelhas, registros...). 18
  • 19. 19
  • 21. Procedimentos de Higienização Dutos fibrosos devem ser limpos com robô compressed provido de sopro de ar comprimido com mangueiras de silicone macias especialmente desenvolvidas para não agredir as paredes dos dutos. 21
  • 23. Higienização Completa do Sistema Dutos (internamente). Difusores, grelhas. T.A.E. Casas de máquinas (plenum). Registro corta-fogo. Atenuadores de ruídos. Caixas de V.A.V. Interior dos condicionadores de ar. Serpentinas, volutas, rotores e bandejas de condensado. Substituição de filtros de ar. 23
  • 24. Relatórios Técnicos Finais Relatório de Serviços Executados. Recomendações e sugestões para QAI. Relatório em mídia digital. Certificado de Conclusão de Serviços. 24
  • 25. Duto de retorno de ar Antes da higienização Após a higienização 25
  • 26. Duto de Insuflação de ar Antes da higienização Após a higienização 26
  • 27. Duto de Insuflação de ar Antes da higienização Após a higienização 27
  • 28. •A limpeza dos componentes do sistema de climatização de ar é integrada pela higiene das máquinas, das casa de máquinas, da LIMPEZA DE DUTOS e ao final pela substituição dos elementos filtrantes do ar. 28
  • 29. Nenhuma manutenção deverá ser considerada eficaz sem que ao menos 1 (uma) vez ao ano os dutos dos sistemas de climatização de ar sejam limpos. Isto é o que determina a Lei Estadual nº 4.192 de 01/10/2003. A inobservância da Lei acima citada é penalizada com multas que podem variar de R$ 2.000,00 até R$ 1.500.000,00 conforme prevê a Lei Federal nº 6.437 de 24/08/1977. 29
  • 30. • O serviço de limpeza de dutos só pode ser contratado junto a empresas que estiverem devidamente Registradas no Conselho Regional de Engenharia Arquitetura e Agronomia (CREA), e quando este serviço vier a ser executado na Cidade do Rio de Janeiro, a empresa que executar o serviço também deve estar Cadastrada junto à Gerência de Engenharia Mecânica da Prefeitura do Rio de Janeiro (RIOLUZ). 30
  • 31. •É passível de aplicação de multa ao tomador de serviço de limpeza de dutos quando este serviço vier a ser executado por empresa que não esteja devidamente cadastrada nas condições citadas, pois tais serviços são considerados pela legislação vigente como SERVIÇO DE ENGENHARIA. 31
  • 32. • Ao realizar cotação de preço para contratar uma empresa especializada em LIMPEZA DE DUTOS, faça pesquisa sobre a idoneidade, competência técnica e experiência da empresa neste segmento de serviços. •Exija que a empresa apresente toda documentação que a legislação estabelece. sua •Exija que a empresa forneça o nome dos clientes para os quais já prestou serviços. 32
  • 33. • Exija que a empresa lhe forneça o endereço de sua sede. •Faça uma visita à sede da empresa. •Exija que a empresa comprove que todos os seus funcionários (técnicos e corpo administrativo) estejam legalmente registrados. Exija que a empresa comprove a regularidade com seus impostos e taxas. 33
  • 34. •Exija que a empresa comprove a regularidade do recolhimento de seus impostos e taxas. •Exija que a empresa comprove que tem contratada junto a uma seguradora consagrada uma Apólice de Seguro de Acidentes Pessoais de seus funcionários 34
  • 35. •Exija que a empresa comprove que tem contratada junto a uma seguradora consagrada uma Apólice de Seguro de Responsabilidade Civil em favor de terceiros. 35
  • 36. • Exija que a empresa comprove que atende às Normas de Segurança. •Exija que a empresa comprove que seus técnicos executam serviços devidamente uniformizados e com todos os Equipamentos de Proteção Individual (EPI). 36
  • 37. •Indague da empresa se ela depende de terceiros ou se ela própria fabrica seus Robôs e Equipamentos Coletores de Resíduos. 37
  • 38. • Indague se a empresa tem frota própria de veículos, a idade dos veículos, o plano de manutenção da frota, e se a manutenção é feita em concessionárias da fábrica. •Indague se a empresa tem um centro de treinamento para seus técnicos. •Indague se a empresa tem em seu corpo administrativo funcionários capacitados para a geração de toda a documentação legal tão logo o serviço esteja concluído. 38
  • 39. • Indague se a empresa tem equipamentos para limpeza de dutos tanto por sistema de “sopro por ar comprimido”, assim como por “escovação mecânica”. •Indague se a empresa tem oficina própria para fabricação e manutenção de seus equipamentos. •Indague se os Engenheiros Responsáveis Técnicos pela empresa tem disponibilidade imediata para acompanhar os serviços quando necessários. 39
  • 40. Indague se os Engenheiros Responsáveis Técnicos pela empresa estão habilitados e capacitados para responder a qualquer questionamento que seja acerca do ordenamento jurídico que disciplina os SISTEMAS DE CLIMATIZAÇÃO DE AR. 40
  • 41. OBRIGADO ! CARLOS ALBERTO ARAUJO DE QUEIROZ Engenheiro Mecânico CREA-RJ 1978104018 Responsável Técnico por Real Service Conservação e Manutenção Ltda Contatos: engenharia@realservi.com.br realservi@realservi.com.br Tel. (21) 2784-3550 ou (21)2784-3562 ou (21) 2771-9994 41