SlideShare uma empresa Scribd logo
Rodolfo Maduro Almeida 
Professor Adjunto I 
Instituto de Engenharia e Geociências 
Universidade Federal do Oeste do Pará
• Visão geral sobre Geoprocessamento 
– Geotecnologias 
– Representação computacional do espaço geográfico 
– Geoprocessamento 
– Visão geral de um Sistema de Informação Geográficas 
– Princípios de Sensoriamento Remoto 
• Geoprocessamento aplicado a estudos ambientais: 
• Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará 
• Análise das ações do IBAMA no combate ao desmatamento ao longo da 
BR163 no Oeste do Pará 
• Delimitação de áreas de preservação permanente do perímetro urbano do 
município de Santarém e entorno 
• Análise da expansão urbana e subsídios para o planejamento e ordenamento 
territorial no perímetro urbano de Santarém e entorno 
• Análise multi-temporal da temperatura de superfície da área urbana de 
Santarém 
• Análise, síntese, modelagem e simulação da propagação do fogo em incêndios 
de vegetação
Geoprocessamento aplicado a estudos ambientais
Geotecnologias 
Conjunto de técnicas/tecnologias que tem como função coletar, 
processar, analisar e oferecer informações com referência geográfica. 
Exemplos: Sistemas de informações geográficas, sensoriamento 
remoto e o sistema de posicionamento global.
Geoprocessamento aplicado a estudos ambientais
Representação computacional do espaço geográfico
Representação computacional do espaço geográfico 
Eventos / Amostras 
Superfícies / Grades Regulares 
Dados de Área- Polígonos 
Redes e Dados de Fluxo 
X,Y,Z 
X,Y,Z X,Y,Z 
X,Y,Z 
X,Y,Z
Geoprocessamento 
Geoprocessamento é o processamento informatizado de 
dados georreferenciados.
Sistema de Informações Geográficas 
O SIG é um sistema computacional composto por 
software, usuário, hardware, dados e metodologia (ou 
técnicas) de análise, que permite o uso integrado de 
dados georreferenciados com uma finalidade específica.
Sistema de Informações Geográficas 
O SIG apresenta-se como uma ferramenta essencial na criação, 
manipulação, armazenamento, visualização e análise de informações 
referenciadas geograficamente, 
SIG: localização geográfica é utilizada como fator de análise 
integração para a análise das informações.
Sistema de Informações Geográficas
Estrutura de um Sistema de Informações Geográficas 
Interface 
Entrada e Integração 
Dados 
Visualização 
Plotagem 
Consulta e Análise 
Espacial 
Gerência Dados 
Espaciais 
BANCO DE DADOS 
GEOGRÁFICOS 
Banco de dados não-convencional onde cada dado tratado possui atributos descritivos e 
uma representação geométrica no espaço geográfico.
Sensoriamento Remoto 
O Sensoriamento Remoto é uma das principais fontes de informação 
de um SIG.
Sensoriamento remoto 
radiação eletromagnética sensor 
objeto de estudo 
sensoriamento remoto com sensor óptico-eletrônicos 
Sensoriamento remoto é o conjunto de técnicas que possibilita a obtenção de 
informações sobre alvos na superfície terrestre (objetos, áreas, fenômenos), 
através do registro da interação da radiação eletromagnética com a superfície, 
realizado por sensores distantes, ou remotos.
A área de sensoriamento remoto se dedica a: 
Compreender as características da radiação eletromagnética e como 
a energia interage com os objetos da superfície terrestre, tais como 
vegetação, solo, rocha, água e área urbana.
A área de sensoriamento remoto se dedica a: 
O entendimento de como a energia eletromagnética refletiva ou 
emitida pela superfície desses objetos é registrada por uma variedade 
de sensores (por exemplo, câmeras, escâneres multi-espectrais, 
instrumentos hiper-espectrais, RADAR, etc.).
A área de sensoriamento remoto se dedica a: 
O procedimento de extrair informação biofísica ou de uso 
e cobertura da terra a partir de dados de sensores 
remotos.
•Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará 
•Análise das ações do IBAMA no combate ao desmatamento ao longo da BR163 no Oeste do 
Pará 
•Delimitação de áreas de preservação permanente do perímetro urbano do município de 
Santarém e entorno 
•Análise da expansão urbana e subsídios para o planejamento e ordenamento territorial no 
perímetro urbano de Santarém e entorno 
•Análise multi-temporal da temperatura de supérfície da área urbana de Santarém 
•Análise, síntese, modelagem e simulação da propagação do fogo em incêndios de vegetação
Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará
Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará
Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará 
FONTE: INMET
Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará
Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará 
MUNICÍPIO RODOVIA 
2005 
2006 
2006 
2007 
2007 
2008 
2008 
2009 
2009 
2010 
2010 
2011 
2011 
2012 
2012 
2013 
TOTAL 
ALTAMIRA BR 230 5169 3436 2236 1363 1476 2794 1101 2302 19877 
NOVO PROGRESSO BR 163 4135 3608 2871 1131 639 1930 513 1349 16176 
ITAITUBA BR 163 1614 1710 745 607 1207 1039 670 1074 8666 
JACAREACANGA BR 230 1109 970 354 166 275 452 325 546 4197 
SANTARÉM BR 163 591 609 133 268 810 329 446 492 3678 
MONTE ALEGRE PA 254 706 600 158 375 810 134 385 477 3645 
ANAPÚ BR 230 712 966 176 320 393 230 378 416 3591 
URUARÁ BR 230 237 744 237 265 852 225 338 498 3396 
ÓBIDOS PA 254 982 746 188 167 443 283 163 201 3173 
PORTO DE MOZ BR 230 247 630 132 255 510 248 402 450 2874 
PLACAS BR 230 540 459 170 186 501 256 265 413 2790 
TRAIRÃO BR 163 210 336 82 150 697 253 268 368 2364 
ORIXIMINÁ PA 254 311 428 116 127 566 159 264 257 2228 
BRASIL NOVO BR 230 208 380 96 124 514 139 257 285 2003 
RURÓPOLIS BR 163 426 177 78 135 381 242 258 226 1923 
ALMEIRIM PA 254 471 492 95 49 241 112 175 129 1764 
AVEIRO BR 163 222 230 56 135 388 194 254 206 1685 
MEDICILANDIA BR 230 234 405 108 98 250 142 219 215 1671 
PRAINHA PA 254 152 299 61 96 359 114 125 231 1437 
SENADOR JOSE PORFIRIO BR 230 219 208 58 126 250 96 254 214 1425 
ALENQUER PA 254 304 229 63 64 248 182 151 136 1377 
VITÓRIA DO XINGÚ BR 230 53 101 34 32 241 103 124 163 851 
JURUTI PA 254 253 137 29 11 68 25 36 21 580 
BELTERRA BR 163 85 85 19 44 97 56 47 58 491 
CURUÁ PA 254 58 48 21 28 151 32 41 81 460 
TERRA SANTA PA 254 47 70 12 12 96 22 25 41 325 
FARO PA 254 14 30 6 2 70 17 21 18 178 
TOTAL/ANO 19309 18133 8334 6336 12533 9808 7505 10867 92825
Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará
Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará
Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará
Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará
Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará
Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará 
Tipo de projeto Assentamentos Focos 
Total / 
Projeto 
PA 
(Projeto de Assentamento Federal) 
Surubim 1212 
8235 
Penetecaua 507 
Santa Julia 417 
Moju I e II 356 
PDS 
(Projeto desenvolvimento Sustentável) 
Terra Nossa 1446 
Ademir Freire 418 3917 
Vale do Jamaxin 375 
PIC 
(Projeto Integrado de Colonização) 
Monte Alegre 1222 
1276 
Itaituba 54 
PAC 
(Projeto de Assentamento Conjunto) 
Bom Sossego 428 
1043 
Ouro Branco I 145 
PAE 
(Projeto de Assentamento Agroextrativista) 
Lago Grande 
318 693 
Eixo Forte 55
Análise das ações do IBAMA no combate ao desmatamento
Análise das ações do IBAMA no combate ao desmatamento 
Áreas embargadas e 
autuadas 
estimador de 
densidade 
Áreas desmatadas 
estimador de 
densidade 
Densidade de ações de 
fiscalização 
Densidade de 
desmatamento 
Período de análise: 2008 a 2012
Análise das ações do IBAMA no combate ao desmatamento
Análise das ações do IBAMA no combate ao desmatamento 
Ano Área Desmatada 
PRODES (hectares) 
Área Autuada e Embargada 
IBAMA (hectares) 
Áreas autuadas e 
embargadas em relação 
ao desmatamento (%) 
2008 94834.05 24366.73 25,69% 
2009 102560.90 46992.08 45,82% 
2010 40173.49 13646.83 33,97% 
2011 46213.77 17929.25 38,80% 
2012 50849.95 64890.44 127,61% 
Total 334632,16 167.825,33 50,15%
Análise das ações do IBAMA no combate ao desmatamento 
Média: 15,79 ha 
Desvio Padrão: 53,9 ha 
Média: 179,50 ha. 
Desvio Padrão: 357,05 ha 
Histograma das áreas dos polígonos de desmatamento e das áreas dos 
polígonos de propriedades embargadas identificados pelo PRODES para a 
região de estudo no período de 2008 a 2012.
Delimitação de APP’s perímetro urbano do município de Santarém e entorno 
Uma importante ferramenta criada para contribuir na melhoria das 
condições ambientais nas cidades são as áreas de preservação 
permanentes (APP).
Delimitação de APP’s perímetro urbano do município de Santarém e entorno 
Infografia: Farrell/AE 
Fonte: http://www.estadao.com.br/fotos/codigo-florestal.jpg
Delimitação de APP’s perímetro urbano do município de Santarém e entorno
Delimitação de APP’s perímetro urbano do município de Santarém e entorno 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
Maarraarru 
Ciipoaall 
IIttaapaarrii 
Maattaarraaíí 
Piindobaall 
Saanttaarréém 
Bom Gosstto 
Teerrrraa Prreettaa 
Alltteerr do Chãão 
724000.000000 
724000.000000 
732000.000000 
732000.000000 
740000.000000 
740000.000000 
748000.000000 
748000.000000 
756000.000000 
756000.000000 
764000.000000 
764000.000000 
.000000 
9720000.000000 
.000000 
.000000 
9715000.000000 
.000000 
.000000 
9730000.000000 
9725000.000000 
9710000.000000 
0 1.75 3.5 7 10.5 14 
Km 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
Maarraarru 
Ciipoaall 
IIttaapaarrii 
Maattaarraaíí 
Piindobaall 
Saanttaarréém 
Bom Gosstto 
Teerrrraa Prreettaa 
Alltteerr do Chãão 
724000.000000 
724000.000000 
732000.000000 
732000.000000 
740000.000000 
740000.000000 
748000.000000 
748000.000000 
756000.000000 
756000.000000 
764000.000000 
764000.000000 
.000000 
9720000.000000 
.000000 
.000000 
9715000.000000 
.000000 
.000000 
9730000.000000 
9725000.000000 
9710000.000000 
0 1.75 3.5 7 10.5 14 
Km 
Legenda 
APP Nascentes 
APP Cursos d'água 
Corpo d'água 
Vias de Transporte 
APP de cursos d’água: 
• 30 (trinta) metros, para os cursos d’água de 
menos de 10 (dez) metros de largura. 
APP de nascente: 
• as áreas no entorno das nascentes e dos 
olhos d’água perenes, qualquer que seja 
sua situação topográfica, no raio mínimo de 
50 (cinquenta) metros.
Delimitação de APP’s perímetro urbano do município de Santarém e entorno 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
Maarraarru 
Ciipoaall 
IIttaapaarrii 
Maattaarraaíí 
Piindobaall 
Saanttaarréém 
Bom Gosstto 
Teerrrraa Prreettaa 
Alltteerr do Chãão 
724000.000000 
724000.000000 
732000.000000 
732000.000000 
740000.000000 
740000.000000 
748000.000000 
748000.000000 
756000.000000 
756000.000000 
764000.000000 
764000.000000 
9730000 
.000000 
9710000 
.000000 
9725000 
9710000.000000 
9715000 
9725000.000000 
.000000 
9715000.000000 
9720000 
.000000 
9720000.000000 
.000000 
9730000.000000 
Legenda 
Corpo d'água 
Curso d'água 
Vias de Transporte 
Elevação 
216 m 
0 m 
0 1.75 3.5 7 10.5 14 
Km 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
Maarraarru 
Ciipoaall 
IIttaapaarrii 
Maattaarraaíí 
Piindobaall 
Saanttaarréém 
Bom Gosstto 
Teerrrraa Prreettaa 
Alltteerr do Chãão 
724000.000000 
724000.000000 
732000.000000 
732000.000000 
740000.000000 
740000.000000 
748000.000000 
748000.000000 
756000.000000 
756000.000000 
764000.000000 
764000.000000 
9730000 
.000000 
9710000 
.000000 
9725000 
9710000.000000 
9715000 
9725000.000000 
.000000 
9715000.000000 
9720000 
.000000 
9720000.000000 
.000000 
9730000.000000 
Legenda 
Corpo d'água 
Curso d'água 
Vias de Transporte 
Declividade (°) 
0 - 2.023271628 
2.023271629 - 5.395391008 
5.395391009 - 9.779146202 
9.779146203 - 16.35477899 
16.354779 - 42.99452209 
0 1.75 3.5 7 10.5 14 
Km 
No topo de morros, montes, montanhas e 
serras, com altura mínima de 100 (cem) metros 
e inclinação média maior que 25°, as áreas 
delimitadas a partir da curva de nível 
correspondente a 2/3 (dois terços) da altura 
mínima da elevação sempre em relação à base, 
sendo esta definida pelo plano horizontal 
determinado por planície ou espelho d’água 
adjacente ou, nos relevos ondulados, pela cota 
do ponto de sela mais próximo da elevação. 
Modelo digital de elevação 
(ASTER/GDEM versão 2).
Delimitação de APP’s perímetro urbano do município de Santarém e entorno 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
Maarraarru 
Ciipoaall 
IIttaapaarrii 
Maattaarraaíí 
Piindobaall 
Saanttaarréém 
Bom Gosstto 
Teerrrraa Prreettaa 
Alltteerr do Chãão 
724000.000000 
724000.000000 
732000.000000 
732000.000000 
740000.000000 
740000.000000 
748000.000000 
748000.000000 
756000.000000 
756000.000000 
764000.000000 
764000.000000 
9730000 
.000000 
9710000 
.000000 
9725000 
9710000.000000 
9715000 
9725000.000000 
.000000 
9715000.000000 
9720000 
.000000 
9720000.000000 
.000000 
9730000.000000 
Legenda 
Corpo d'água 
Curso d'água 
Vias de Transporte 
APP de Topo de Morro
Delimitação de APP’s perímetro urbano do município de Santarém e entorno 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
Maarraarru 
Ciipoaall 
IIttaapaarrii 
Maattaarraaíí 
Piindobaall 
Saanttaarréém 
Bom Gosstto 
Teerrrraa Prreettaa 
Alltteerr do Chãão 
724000.000000 
724000.000000 
732000.000000 
732000.000000 
740000.000000 
740000.000000 
748000.000000 
748000.000000 
756000.000000 
756000.000000 
764000.000000 
764000.000000 
9730000 
.000000 
9710000 
.000000 
9725000 
9710000.000000 
9715000 
9725000.000000 
.000000 
9715000.000000 
9720000 
.000000 
9720000.000000 
.000000 
9730000.000000 
Legenda 
Perímetro urbano 1986 
0 1.75 3.5 7 10.5 14 
Km
Delimitação de APP’s perímetro urbano do município de Santarém e entorno 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
Maarraarru 
Ciipoaall 
IIttaapaarrii 
Maattaarraaíí 
Piindobaall 
Saanttaarréém 
Bom Gosstto 
Teerrrraa Prreettaa 
Alltteerr do Chãão 
724000.000000 
724000.000000 
732000.000000 
732000.000000 
740000.000000 
740000.000000 
748000.000000 
748000.000000 
756000.000000 
756000.000000 
764000.000000 
764000.000000 
9730000 
.000000 
9710000 
.000000 
9725000 
9710000.000000 
9715000 
9725000.000000 
.000000 
9715000.000000 
9720000 
.000000 
9720000.000000 
.000000 
9730000.000000 
0 1.75 3.5 7 10.5 14 
Km 
Legenda 
Perímetro urbano 2010
Delimitação de APP’s perímetro urbano do município de Santarém e entorno 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
! 
Maarraarru 
Ciipoaall 
IIttaapaarrii 
Maattaarraaíí 
Piindobaall 
Saanttaarréém 
Bom Gosstto 
Teerrrraa Prreettaa 
Alltteerr do Chãão 
724000.000000 
724000.000000 
732000.000000 
732000.000000 
740000.000000 
740000.000000 
748000.000000 
748000.000000 
756000.000000 
756000.000000 
764000.000000 
764000.000000 
9730000 
.000000 
9710000 
.000000 
9725000 
9710000.000000 
9715000 
9725000.000000 
.000000 
9715000.000000 
9720000 
.000000 
9720000.000000 
.000000 
9730000.000000 
0 1.75 3.5 7 10.5 14 
Km 
Legenda 
APP Nascentes 
APP Cursos d'água 
APP de Topo de Morro
Planejamento e ordenamento territorial
Planejamento e ordenamento territorial
Planejamento e ordenamento territorial
Planejamento e ordenamento territorial
Planejamento e ordenamento territorial
Planejamento e ordenamento territorial
Planejamento e ordenamento territorial
Análise da temperatura de superfície da área urbana de Santarém
Análise da temperatura de superfície da área urbana de Santarém
Análise da temperatura de superfície da área urbana de Santarém 
14/08/1986
Análise da temperatura de superfície da área urbana de Santarém 
¯ 
0 0.5 1 2 3 4 
Km 
14/08/1986 
Temperatura (°C) 
< 27 27 - 28 28 - 29 29 - 30 30 - 31 31 - 32 32 - 33 33 - 34 > 34
Análise da temperatura de superfície da área urbana de Santarém 
¯ 
0 0.5 1 2 3 4 
Km 
12/07/2009
Análise da temperatura de superfície da área urbana de Santarém 
¯ 
0 0.5 1 2 3 4 
Km 
12/07/2009 
Temperatura (°C) 
< 27 27 - 28 28 - 29 29 - 30 30 - 31 31 - 32 32 - 33 33 - 34 > 34
Análise da temperatura de superfície da área urbana de Santarém 
12/07/21020/097 /2009
Análise da temperatura de superfície da área urbana de Santarém 
12/07/2009
Análise da temperatura de superfície da área urbana de Santarém 
Rua Lameira Bittencourt 
Rua Siqueira Campos 
Rua Floriano Peixoto 
Rua Padre João 
14/08/1986 
Avenida São Sebastião 
Rua Galdino Veloso 
Avenida Tapajós 
Rua Adriano Pimentel 
Avenida Rui Barbosa 
Avenida Marechal Rondon 
Avenida Curuá-una 
Travessa Dom Amando 
Avenida Presidente Vargas 
Avenida Barão do Rio Branco 
Travessa Quinze de Agosto 
Travessa Sete de Setembro 
Travessa Senador Lemos 
Rua Augusto Montenegro 
Avenida Mendonça Furtado 
Travessa Turiano Meira 
Rua Ignácio Corrêa 
Avenida Presidente Vargas 
Avenida Rui Barbosa 
¯ 
0 0,0750,15 0,3 0,45 0,6 
Km 
Temperatura (°C) 
< 27 27 - 28 28 - 29 29 - 30 30 - 31 31 - 32 32 - 33 33 - 34 > 34
Análise da temperatura de superfície da área urbana de Santarém 
Rua Lameira Bittencourt 
Rua Siqueira Campos 
Rua Floriano Peixoto 
Rua Padre João 
12/07/2009 
Avenida São Sebastião 
Rua Galdino Veloso 
Avenida Tapajós 
Rua Adriano Pimentel 
Avenida Rui Barbosa 
Avenida Marechal Rondon 
Avenida Curuá-una 
Travessa Dom Amando 
Avenida Presidente Vargas 
Avenida Barão do Rio Branco 
Travessa Quinze de Agosto 
Travessa Sete de Setembro 
Travessa Senador Lemos 
Rua Augusto Montenegro 
Avenida Mendonça Furtado 
Travessa Turiano Meira 
Rua Ignácio Corrêa 
Avenida Presidente Vargas 
Avenida Rui Barbosa 
¯ 
0 0,0750,15 0,3 0,45 0,6 
Km 
Temperatura (°C) 
< 27 27 - 28 28 - 29 29 - 30 30 - 31 31 - 32 32 - 33 33 - 34 > 34
Modelagem e simulação da propagação do fogo 
Região-alvo: Parque Nacional das Emas, estado de Goiás, Brasil 
- Criado em 1961 
- Área total: 132000 hectares 
- totalizando 348km e dividindo o Parque em 20 blocos 
- Histórico de incêndios mapeado desde 1973
Modelagem e simulação da propagação do fogo
Modelagem e simulação da propagação do fogo 
modelo de propagação 
do fogo 
dados de saída 
incêndio 
simulado 
incêndio real 
objetivo 
minimizar a diferença em 
termos de extensão e tempo 
de duração 
MÉTODO 
DE BUSCA 
dados de entrada
Modelagem e simulação da propagação do fogo
FC1, FL1 
FC1, FL2 
FC1, FL3 
FC2 
FC3 
FC4 
rio 
aceiro 
queimando 
queimada
Geoprocessamento aplicado a estudos ambientais
Geoprocessamento aplicado a estudos ambientais
FC1, FL1 
FC1, FL2 
FC1, FL3 
FC2 
FC3 
FC4 
rio 
aceiro 
queimando 
queimada
Geoprocessamento aplicado a estudos ambientais
Obrigado! 
Contato: 
rodolfo.almeida@ufopa.edu.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação Sensoriamento Remoto - IFS
Apresentação Sensoriamento Remoto - IFSApresentação Sensoriamento Remoto - IFS
Apresentação Sensoriamento Remoto - IFS
Universidade Federal de Sergipe
 
Geoprocessamento
GeoprocessamentoGeoprocessamento
RELATÓRIO DE ATIVIDADES DE CAMPO SOBRE NIVELAMENTO GEOMÉTRICO SIMPLES
RELATÓRIO DE ATIVIDADES DE CAMPO SOBRE NIVELAMENTO GEOMÉTRICO SIMPLESRELATÓRIO DE ATIVIDADES DE CAMPO SOBRE NIVELAMENTO GEOMÉTRICO SIMPLES
RELATÓRIO DE ATIVIDADES DE CAMPO SOBRE NIVELAMENTO GEOMÉTRICO SIMPLES
Ezequias Guimaraes
 
Cap. I - Elementos de Fotogrametria e Sensoriamento Remoto
Cap. I - Elementos de Fotogrametria e Sensoriamento RemotoCap. I - Elementos de Fotogrametria e Sensoriamento Remoto
Cap. I - Elementos de Fotogrametria e Sensoriamento Remoto
UFPR
 
REPRESENTAÇÕES CARTOGRÁFICAS, ESCALAS E PROJEÇÕES - NOÇÕES BÁSICAS
REPRESENTAÇÕES CARTOGRÁFICAS, ESCALAS E PROJEÇÕES - NOÇÕES BÁSICASREPRESENTAÇÕES CARTOGRÁFICAS, ESCALAS E PROJEÇÕES - NOÇÕES BÁSICAS
REPRESENTAÇÕES CARTOGRÁFICAS, ESCALAS E PROJEÇÕES - NOÇÕES BÁSICAS
Renata Rodrigues
 
Geografia .a cartografia e as novas tecnologias
Geografia   .a cartografia e as novas tecnologiasGeografia   .a cartografia e as novas tecnologias
Geografia .a cartografia e as novas tecnologias
Gustavo Soares
 
Sensoriamento remoto
Sensoriamento remotoSensoriamento remoto
Sensoriamento remoto
Maicon Voigt
 
Topografia a01
Topografia a01Topografia a01
Topografia a01
Janine Silotti
 
Concepções de mundo e geografia
Concepções de mundo e geografiaConcepções de mundo e geografia
Concepções de mundo e geografia
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Georreferenciamento de Bases Cartográficas
Georreferenciamento de Bases CartográficasGeorreferenciamento de Bases Cartográficas
Georreferenciamento de Bases Cartográficas
Vitor Vieira Vasconcelos
 
História dos mapas
História dos mapasHistória dos mapas
História dos mapas
André Luiz Marques
 
Aula 1 e 2 topografia
Aula 1 e 2   topografiaAula 1 e 2   topografia
Aula 1 e 2 topografia
LorenaAlencarRodrigues
 
Curso topografia basica jun13_rocha
Curso topografia basica jun13_rochaCurso topografia basica jun13_rocha
Curso topografia basica jun13_rocha
Alexandre Rocha
 
Introducao ao planejamento_urbano
Introducao ao planejamento_urbanoIntroducao ao planejamento_urbano
Introducao ao planejamento_urbano
Patricia Fraga
 
Região: um conceito geografico
Região: um conceito geograficoRegião: um conceito geografico
Região: um conceito geografico
Joel Neto Pereira
 
Aula lei de crimes ambientais atual
Aula lei de crimes ambientais atualAula lei de crimes ambientais atual
Aula lei de crimes ambientais atual
João Alfredo Telles Melo
 
Cartografia 1º ano
Cartografia 1º anoCartografia 1º ano
Cartografia 1º ano
Celso Roberto Pitta Santos
 
Interpolação e Geoestatística - QGis, Geoda e R
Interpolação e Geoestatística - QGis, Geoda e RInterpolação e Geoestatística - QGis, Geoda e R
Interpolação e Geoestatística - QGis, Geoda e R
Vitor Vieira Vasconcelos
 
As categorias da geografia
As categorias da geografiaAs categorias da geografia
As categorias da geografia
Jane Mary Lima Castro
 
10. planejamento urbano
10. planejamento urbano10. planejamento urbano
10. planejamento urbano
Ana Cunha
 

Mais procurados (20)

Apresentação Sensoriamento Remoto - IFS
Apresentação Sensoriamento Remoto - IFSApresentação Sensoriamento Remoto - IFS
Apresentação Sensoriamento Remoto - IFS
 
Geoprocessamento
GeoprocessamentoGeoprocessamento
Geoprocessamento
 
RELATÓRIO DE ATIVIDADES DE CAMPO SOBRE NIVELAMENTO GEOMÉTRICO SIMPLES
RELATÓRIO DE ATIVIDADES DE CAMPO SOBRE NIVELAMENTO GEOMÉTRICO SIMPLESRELATÓRIO DE ATIVIDADES DE CAMPO SOBRE NIVELAMENTO GEOMÉTRICO SIMPLES
RELATÓRIO DE ATIVIDADES DE CAMPO SOBRE NIVELAMENTO GEOMÉTRICO SIMPLES
 
Cap. I - Elementos de Fotogrametria e Sensoriamento Remoto
Cap. I - Elementos de Fotogrametria e Sensoriamento RemotoCap. I - Elementos de Fotogrametria e Sensoriamento Remoto
Cap. I - Elementos de Fotogrametria e Sensoriamento Remoto
 
REPRESENTAÇÕES CARTOGRÁFICAS, ESCALAS E PROJEÇÕES - NOÇÕES BÁSICAS
REPRESENTAÇÕES CARTOGRÁFICAS, ESCALAS E PROJEÇÕES - NOÇÕES BÁSICASREPRESENTAÇÕES CARTOGRÁFICAS, ESCALAS E PROJEÇÕES - NOÇÕES BÁSICAS
REPRESENTAÇÕES CARTOGRÁFICAS, ESCALAS E PROJEÇÕES - NOÇÕES BÁSICAS
 
Geografia .a cartografia e as novas tecnologias
Geografia   .a cartografia e as novas tecnologiasGeografia   .a cartografia e as novas tecnologias
Geografia .a cartografia e as novas tecnologias
 
Sensoriamento remoto
Sensoriamento remotoSensoriamento remoto
Sensoriamento remoto
 
Topografia a01
Topografia a01Topografia a01
Topografia a01
 
Concepções de mundo e geografia
Concepções de mundo e geografiaConcepções de mundo e geografia
Concepções de mundo e geografia
 
Georreferenciamento de Bases Cartográficas
Georreferenciamento de Bases CartográficasGeorreferenciamento de Bases Cartográficas
Georreferenciamento de Bases Cartográficas
 
História dos mapas
História dos mapasHistória dos mapas
História dos mapas
 
Aula 1 e 2 topografia
Aula 1 e 2   topografiaAula 1 e 2   topografia
Aula 1 e 2 topografia
 
Curso topografia basica jun13_rocha
Curso topografia basica jun13_rochaCurso topografia basica jun13_rocha
Curso topografia basica jun13_rocha
 
Introducao ao planejamento_urbano
Introducao ao planejamento_urbanoIntroducao ao planejamento_urbano
Introducao ao planejamento_urbano
 
Região: um conceito geografico
Região: um conceito geograficoRegião: um conceito geografico
Região: um conceito geografico
 
Aula lei de crimes ambientais atual
Aula lei de crimes ambientais atualAula lei de crimes ambientais atual
Aula lei de crimes ambientais atual
 
Cartografia 1º ano
Cartografia 1º anoCartografia 1º ano
Cartografia 1º ano
 
Interpolação e Geoestatística - QGis, Geoda e R
Interpolação e Geoestatística - QGis, Geoda e RInterpolação e Geoestatística - QGis, Geoda e R
Interpolação e Geoestatística - QGis, Geoda e R
 
As categorias da geografia
As categorias da geografiaAs categorias da geografia
As categorias da geografia
 
10. planejamento urbano
10. planejamento urbano10. planejamento urbano
10. planejamento urbano
 

Destaque

Geotecnologias em software livre - Estudo de Caso do Governo Federal: ANTT (G...
Geotecnologias em software livre - Estudo de Caso do Governo Federal: ANTT (G...Geotecnologias em software livre - Estudo de Caso do Governo Federal: ANTT (G...
Geotecnologias em software livre - Estudo de Caso do Governo Federal: ANTT (G...
GIGFER
 
Atlasdigitalapresentacao 110917174254-phpapp02
Atlasdigitalapresentacao 110917174254-phpapp02Atlasdigitalapresentacao 110917174254-phpapp02
Atlasdigitalapresentacao 110917174254-phpapp02
Governo de Rondônia
 
Análise ambiental
Análise ambientalAnálise ambiental
Análise ambiental
HENRIQUE GOMES DE LIMA
 
Introdução à Modelagem Ambiental
Introdução à Modelagem AmbientalIntrodução à Modelagem Ambiental
Introdução à Modelagem Ambiental
Rodolfo Almeida
 
Gestao da zona_costeira
Gestao da zona_costeiraGestao da zona_costeira
Gestao da zona_costeira
Nuno Ratão
 
Manual de Geomorfologia - IBGE
Manual de Geomorfologia - IBGEManual de Geomorfologia - IBGE
Manual de Geomorfologia - IBGE
Gabriela Leal
 
Norteando seu Conhecimento sobre Geotecnologias
Norteando seu Conhecimento sobre GeotecnologiasNorteando seu Conhecimento sobre Geotecnologias
Norteando seu Conhecimento sobre Geotecnologias
Anderson Medeiros
 
Geotecnologias
GeotecnologiasGeotecnologias
Geotecnologias
Marcelo Caetano
 
Sensoriamento remoto aplicado a oceanografia
Sensoriamento remoto aplicado a oceanografiaSensoriamento remoto aplicado a oceanografia
Sensoriamento remoto aplicado a oceanografia
Livia Almeida
 
Geologia: Zonas costeiras e de vertente
Geologia: Zonas costeiras e de vertenteGeologia: Zonas costeiras e de vertente
Geologia: Zonas costeiras e de vertente
CientistasMalucas
 
Aula resolução de problema Modelagem Ambiental
Aula resolução de problema Modelagem AmbientalAula resolução de problema Modelagem Ambiental
Aula resolução de problema Modelagem Ambiental
Jean Leão
 
Modelagem e Geotecnologias para a Conservação, Planejamento e Gestão da Biodi...
Modelagem e Geotecnologias para a Conservação, Planejamento e Gestão da Biodi...Modelagem e Geotecnologias para a Conservação, Planejamento e Gestão da Biodi...
Modelagem e Geotecnologias para a Conservação, Planejamento e Gestão da Biodi...
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Geo 1 ocupação antrópica e problemas de ordenamento - rios
Geo 1   ocupação antrópica e problemas de ordenamento - riosGeo 1   ocupação antrópica e problemas de ordenamento - rios
Geo 1 ocupação antrópica e problemas de ordenamento - rios
Nuno Correia
 
Ocupação Antrópica
Ocupação AntrópicaOcupação Antrópica
Ocupação Antrópica
guest50f9e
 
Geologia 11 ocupação antrópica e problemas de ordenamento - bacias hidrográ...
Geologia 11   ocupação antrópica e problemas de ordenamento - bacias hidrográ...Geologia 11   ocupação antrópica e problemas de ordenamento - bacias hidrográ...
Geologia 11 ocupação antrópica e problemas de ordenamento - bacias hidrográ...
Nuno Correia
 
Ocupação Antrópica
Ocupação AntrópicaOcupação Antrópica
Ocupação Antrópica
Catir
 

Destaque (16)

Geotecnologias em software livre - Estudo de Caso do Governo Federal: ANTT (G...
Geotecnologias em software livre - Estudo de Caso do Governo Federal: ANTT (G...Geotecnologias em software livre - Estudo de Caso do Governo Federal: ANTT (G...
Geotecnologias em software livre - Estudo de Caso do Governo Federal: ANTT (G...
 
Atlasdigitalapresentacao 110917174254-phpapp02
Atlasdigitalapresentacao 110917174254-phpapp02Atlasdigitalapresentacao 110917174254-phpapp02
Atlasdigitalapresentacao 110917174254-phpapp02
 
Análise ambiental
Análise ambientalAnálise ambiental
Análise ambiental
 
Introdução à Modelagem Ambiental
Introdução à Modelagem AmbientalIntrodução à Modelagem Ambiental
Introdução à Modelagem Ambiental
 
Gestao da zona_costeira
Gestao da zona_costeiraGestao da zona_costeira
Gestao da zona_costeira
 
Manual de Geomorfologia - IBGE
Manual de Geomorfologia - IBGEManual de Geomorfologia - IBGE
Manual de Geomorfologia - IBGE
 
Norteando seu Conhecimento sobre Geotecnologias
Norteando seu Conhecimento sobre GeotecnologiasNorteando seu Conhecimento sobre Geotecnologias
Norteando seu Conhecimento sobre Geotecnologias
 
Geotecnologias
GeotecnologiasGeotecnologias
Geotecnologias
 
Sensoriamento remoto aplicado a oceanografia
Sensoriamento remoto aplicado a oceanografiaSensoriamento remoto aplicado a oceanografia
Sensoriamento remoto aplicado a oceanografia
 
Geologia: Zonas costeiras e de vertente
Geologia: Zonas costeiras e de vertenteGeologia: Zonas costeiras e de vertente
Geologia: Zonas costeiras e de vertente
 
Aula resolução de problema Modelagem Ambiental
Aula resolução de problema Modelagem AmbientalAula resolução de problema Modelagem Ambiental
Aula resolução de problema Modelagem Ambiental
 
Modelagem e Geotecnologias para a Conservação, Planejamento e Gestão da Biodi...
Modelagem e Geotecnologias para a Conservação, Planejamento e Gestão da Biodi...Modelagem e Geotecnologias para a Conservação, Planejamento e Gestão da Biodi...
Modelagem e Geotecnologias para a Conservação, Planejamento e Gestão da Biodi...
 
Geo 1 ocupação antrópica e problemas de ordenamento - rios
Geo 1   ocupação antrópica e problemas de ordenamento - riosGeo 1   ocupação antrópica e problemas de ordenamento - rios
Geo 1 ocupação antrópica e problemas de ordenamento - rios
 
Ocupação Antrópica
Ocupação AntrópicaOcupação Antrópica
Ocupação Antrópica
 
Geologia 11 ocupação antrópica e problemas de ordenamento - bacias hidrográ...
Geologia 11   ocupação antrópica e problemas de ordenamento - bacias hidrográ...Geologia 11   ocupação antrópica e problemas de ordenamento - bacias hidrográ...
Geologia 11 ocupação antrópica e problemas de ordenamento - bacias hidrográ...
 
Ocupação Antrópica
Ocupação AntrópicaOcupação Antrópica
Ocupação Antrópica
 

Semelhante a Geoprocessamento aplicado a estudos ambientais

Apresentação 25 08-15
Apresentação 25 08-15Apresentação 25 08-15
Apresentação 25 08-15
Emilio Viegas
 
Sensoriamento Remoto dos Recursos Naturais - Aula 01
Sensoriamento Remoto dos Recursos Naturais - Aula 01Sensoriamento Remoto dos Recursos Naturais - Aula 01
Sensoriamento Remoto dos Recursos Naturais - Aula 01
Rodolfo Almeida
 
1973 embrapa - levantamento de reconhecimento dos solos do estado do rio gr...
1973   embrapa - levantamento de reconhecimento dos solos do estado do rio gr...1973   embrapa - levantamento de reconhecimento dos solos do estado do rio gr...
1973 embrapa - levantamento de reconhecimento dos solos do estado do rio gr...
Andre_IFRS
 
Análise Espacial dos Acidentes Rodoviários no Concelho de Rio Maior
Análise Espacial dos Acidentes Rodoviários no Concelho de Rio MaiorAnálise Espacial dos Acidentes Rodoviários no Concelho de Rio Maior
Análise Espacial dos Acidentes Rodoviários no Concelho de Rio Maior
Tiago Santos
 
Desmatamento julho2012
Desmatamento julho2012Desmatamento julho2012
Desmatamento julho2012
idesp
 
Mathieu Cain - Apresentação de Sistemas de Informação Geográfica, 21 Agosto 2009
Mathieu Cain - Apresentação de Sistemas de Informação Geográfica, 21 Agosto 2009Mathieu Cain - Apresentação de Sistemas de Informação Geográfica, 21 Agosto 2009
Mathieu Cain - Apresentação de Sistemas de Informação Geográfica, 21 Agosto 2009
Development Workshop Angola
 
Apresentação defesa de mestrado Martins, 2026 - Estudos morfometricos e ambie...
Apresentação defesa de mestrado Martins, 2026 - Estudos morfometricos e ambie...Apresentação defesa de mestrado Martins, 2026 - Estudos morfometricos e ambie...
Apresentação defesa de mestrado Martins, 2026 - Estudos morfometricos e ambie...
JedersonHenrique
 
Prodes 2014 - Números demonstram redução do desmatamento na Amazônia Legal
Prodes 2014 - Números demonstram redução do desmatamento na Amazônia LegalProdes 2014 - Números demonstram redução do desmatamento na Amazônia Legal
Prodes 2014 - Números demonstram redução do desmatamento na Amazônia Legal
Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações
 
Desmatamento maio2012
Desmatamento maio2012Desmatamento maio2012
Desmatamento maio2012
idesp
 
Desmatamento maio2013
Desmatamento maio2013Desmatamento maio2013
Desmatamento maio2013
idesp
 
Delimitação das Zonas Potenciais à Contaminação por Nitrato nas Águas Subterr...
Delimitação das Zonas Potenciais à Contaminação por Nitrato nas Águas Subterr...Delimitação das Zonas Potenciais à Contaminação por Nitrato nas Águas Subterr...
Delimitação das Zonas Potenciais à Contaminação por Nitrato nas Águas Subterr...
Instituto de Pesquisas Ambientais
 
Desmatamento agosto2012
Desmatamento agosto2012Desmatamento agosto2012
Desmatamento agosto2012
idesp
 
Desmatamento abril2012
Desmatamento abril2012Desmatamento abril2012
Desmatamento abril2012
idesp
 
Elementos cartografia
Elementos cartografiaElementos cartografia
Elementos cartografia
Francis Soares
 
Desmatamento setembro2012
Desmatamento setembro2012Desmatamento setembro2012
Desmatamento setembro2012
idesp
 
Desmatamento outubro2012
Desmatamento outubro2012Desmatamento outubro2012
Desmatamento outubro2012
idesp
 
Boletim desmatamento0413xingu
Boletim desmatamento0413xinguBoletim desmatamento0413xingu
Boletim desmatamento0413xingu
idesp
 
Desmatamento abril2013
Desmatamento abril2013Desmatamento abril2013
Desmatamento abril2013
idesp
 
Desmatamento junho2012
Desmatamento junho2012Desmatamento junho2012
Desmatamento junho2012
idesp
 
DW Research: GIS riscos ambientais em Luanda, 2000
DW Research: GIS riscos ambientais em Luanda, 2000DW Research: GIS riscos ambientais em Luanda, 2000
DW Research: GIS riscos ambientais em Luanda, 2000
Development Workshop Angola
 

Semelhante a Geoprocessamento aplicado a estudos ambientais (20)

Apresentação 25 08-15
Apresentação 25 08-15Apresentação 25 08-15
Apresentação 25 08-15
 
Sensoriamento Remoto dos Recursos Naturais - Aula 01
Sensoriamento Remoto dos Recursos Naturais - Aula 01Sensoriamento Remoto dos Recursos Naturais - Aula 01
Sensoriamento Remoto dos Recursos Naturais - Aula 01
 
1973 embrapa - levantamento de reconhecimento dos solos do estado do rio gr...
1973   embrapa - levantamento de reconhecimento dos solos do estado do rio gr...1973   embrapa - levantamento de reconhecimento dos solos do estado do rio gr...
1973 embrapa - levantamento de reconhecimento dos solos do estado do rio gr...
 
Análise Espacial dos Acidentes Rodoviários no Concelho de Rio Maior
Análise Espacial dos Acidentes Rodoviários no Concelho de Rio MaiorAnálise Espacial dos Acidentes Rodoviários no Concelho de Rio Maior
Análise Espacial dos Acidentes Rodoviários no Concelho de Rio Maior
 
Desmatamento julho2012
Desmatamento julho2012Desmatamento julho2012
Desmatamento julho2012
 
Mathieu Cain - Apresentação de Sistemas de Informação Geográfica, 21 Agosto 2009
Mathieu Cain - Apresentação de Sistemas de Informação Geográfica, 21 Agosto 2009Mathieu Cain - Apresentação de Sistemas de Informação Geográfica, 21 Agosto 2009
Mathieu Cain - Apresentação de Sistemas de Informação Geográfica, 21 Agosto 2009
 
Apresentação defesa de mestrado Martins, 2026 - Estudos morfometricos e ambie...
Apresentação defesa de mestrado Martins, 2026 - Estudos morfometricos e ambie...Apresentação defesa de mestrado Martins, 2026 - Estudos morfometricos e ambie...
Apresentação defesa de mestrado Martins, 2026 - Estudos morfometricos e ambie...
 
Prodes 2014 - Números demonstram redução do desmatamento na Amazônia Legal
Prodes 2014 - Números demonstram redução do desmatamento na Amazônia LegalProdes 2014 - Números demonstram redução do desmatamento na Amazônia Legal
Prodes 2014 - Números demonstram redução do desmatamento na Amazônia Legal
 
Desmatamento maio2012
Desmatamento maio2012Desmatamento maio2012
Desmatamento maio2012
 
Desmatamento maio2013
Desmatamento maio2013Desmatamento maio2013
Desmatamento maio2013
 
Delimitação das Zonas Potenciais à Contaminação por Nitrato nas Águas Subterr...
Delimitação das Zonas Potenciais à Contaminação por Nitrato nas Águas Subterr...Delimitação das Zonas Potenciais à Contaminação por Nitrato nas Águas Subterr...
Delimitação das Zonas Potenciais à Contaminação por Nitrato nas Águas Subterr...
 
Desmatamento agosto2012
Desmatamento agosto2012Desmatamento agosto2012
Desmatamento agosto2012
 
Desmatamento abril2012
Desmatamento abril2012Desmatamento abril2012
Desmatamento abril2012
 
Elementos cartografia
Elementos cartografiaElementos cartografia
Elementos cartografia
 
Desmatamento setembro2012
Desmatamento setembro2012Desmatamento setembro2012
Desmatamento setembro2012
 
Desmatamento outubro2012
Desmatamento outubro2012Desmatamento outubro2012
Desmatamento outubro2012
 
Boletim desmatamento0413xingu
Boletim desmatamento0413xinguBoletim desmatamento0413xingu
Boletim desmatamento0413xingu
 
Desmatamento abril2013
Desmatamento abril2013Desmatamento abril2013
Desmatamento abril2013
 
Desmatamento junho2012
Desmatamento junho2012Desmatamento junho2012
Desmatamento junho2012
 
DW Research: GIS riscos ambientais em Luanda, 2000
DW Research: GIS riscos ambientais em Luanda, 2000DW Research: GIS riscos ambientais em Luanda, 2000
DW Research: GIS riscos ambientais em Luanda, 2000
 

Mais de Rodolfo Almeida

Classificação não-supervisionada de imagens de sensoriamento remoto utilizand...
Classificação não-supervisionada de imagens de sensoriamento remoto utilizand...Classificação não-supervisionada de imagens de sensoriamento remoto utilizand...
Classificação não-supervisionada de imagens de sensoriamento remoto utilizand...
Rodolfo Almeida
 
Ricardo Mendes de Freitas - Modelagem Matemática em Ecologia de Populações
Ricardo Mendes de Freitas - Modelagem Matemática em Ecologia de PopulaçõesRicardo Mendes de Freitas - Modelagem Matemática em Ecologia de Populações
Ricardo Mendes de Freitas - Modelagem Matemática em Ecologia de Populações
Rodolfo Almeida
 
Criando uma base cartográfica a partir de dados de Sensoriamento Remoto
Criando uma base cartográfica a partir de dados de Sensoriamento RemotoCriando uma base cartográfica a partir de dados de Sensoriamento Remoto
Criando uma base cartográfica a partir de dados de Sensoriamento Remoto
Rodolfo Almeida
 
Introdução à Computação Aplicada
Introdução à Computação AplicadaIntrodução à Computação Aplicada
Introdução à Computação Aplicada
Rodolfo Almeida
 
Orientações básicas para a elaboração de projetos
Orientações básicas para a elaboração de projetosOrientações básicas para a elaboração de projetos
Orientações básicas para a elaboração de projetos
Rodolfo Almeida
 
Matlab - Conceitos Básicos
Matlab - Conceitos BásicosMatlab - Conceitos Básicos
Matlab - Conceitos Básicos
Rodolfo Almeida
 
Introdução às Geotecnologias - GPS (Global Positioning System)
Introdução às Geotecnologias - GPS (Global Positioning System)Introdução às Geotecnologias - GPS (Global Positioning System)
Introdução às Geotecnologias - GPS (Global Positioning System)
Rodolfo Almeida
 
Cálculo numérico aula 04 - resolução de sistemas de equações lineares - mét...
Cálculo numérico   aula 04 - resolução de sistemas de equações lineares - mét...Cálculo numérico   aula 04 - resolução de sistemas de equações lineares - mét...
Cálculo numérico aula 04 - resolução de sistemas de equações lineares - mét...
Rodolfo Almeida
 
Cálculo Numérico - Aula01: Introdução aos métodos numéricos
Cálculo Numérico - Aula01: Introdução aos métodos numéricosCálculo Numérico - Aula01: Introdução aos métodos numéricos
Cálculo Numérico - Aula01: Introdução aos métodos numéricos
Rodolfo Almeida
 
Cálculo Numérico - Aula 02: Introdução ao SCILAB
Cálculo Numérico - Aula 02: Introdução ao SCILABCálculo Numérico - Aula 02: Introdução ao SCILAB
Cálculo Numérico - Aula 02: Introdução ao SCILAB
Rodolfo Almeida
 
Cálculo Numérico - Aula 03: Zeros de funções
Cálculo Numérico - Aula 03: Zeros de funçõesCálculo Numérico - Aula 03: Zeros de funções
Cálculo Numérico - Aula 03: Zeros de funções
Rodolfo Almeida
 

Mais de Rodolfo Almeida (11)

Classificação não-supervisionada de imagens de sensoriamento remoto utilizand...
Classificação não-supervisionada de imagens de sensoriamento remoto utilizand...Classificação não-supervisionada de imagens de sensoriamento remoto utilizand...
Classificação não-supervisionada de imagens de sensoriamento remoto utilizand...
 
Ricardo Mendes de Freitas - Modelagem Matemática em Ecologia de Populações
Ricardo Mendes de Freitas - Modelagem Matemática em Ecologia de PopulaçõesRicardo Mendes de Freitas - Modelagem Matemática em Ecologia de Populações
Ricardo Mendes de Freitas - Modelagem Matemática em Ecologia de Populações
 
Criando uma base cartográfica a partir de dados de Sensoriamento Remoto
Criando uma base cartográfica a partir de dados de Sensoriamento RemotoCriando uma base cartográfica a partir de dados de Sensoriamento Remoto
Criando uma base cartográfica a partir de dados de Sensoriamento Remoto
 
Introdução à Computação Aplicada
Introdução à Computação AplicadaIntrodução à Computação Aplicada
Introdução à Computação Aplicada
 
Orientações básicas para a elaboração de projetos
Orientações básicas para a elaboração de projetosOrientações básicas para a elaboração de projetos
Orientações básicas para a elaboração de projetos
 
Matlab - Conceitos Básicos
Matlab - Conceitos BásicosMatlab - Conceitos Básicos
Matlab - Conceitos Básicos
 
Introdução às Geotecnologias - GPS (Global Positioning System)
Introdução às Geotecnologias - GPS (Global Positioning System)Introdução às Geotecnologias - GPS (Global Positioning System)
Introdução às Geotecnologias - GPS (Global Positioning System)
 
Cálculo numérico aula 04 - resolução de sistemas de equações lineares - mét...
Cálculo numérico   aula 04 - resolução de sistemas de equações lineares - mét...Cálculo numérico   aula 04 - resolução de sistemas de equações lineares - mét...
Cálculo numérico aula 04 - resolução de sistemas de equações lineares - mét...
 
Cálculo Numérico - Aula01: Introdução aos métodos numéricos
Cálculo Numérico - Aula01: Introdução aos métodos numéricosCálculo Numérico - Aula01: Introdução aos métodos numéricos
Cálculo Numérico - Aula01: Introdução aos métodos numéricos
 
Cálculo Numérico - Aula 02: Introdução ao SCILAB
Cálculo Numérico - Aula 02: Introdução ao SCILABCálculo Numérico - Aula 02: Introdução ao SCILAB
Cálculo Numérico - Aula 02: Introdução ao SCILAB
 
Cálculo Numérico - Aula 03: Zeros de funções
Cálculo Numérico - Aula 03: Zeros de funçõesCálculo Numérico - Aula 03: Zeros de funções
Cálculo Numérico - Aula 03: Zeros de funções
 

Último

Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 

Último (20)

Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 

Geoprocessamento aplicado a estudos ambientais

  • 1. Rodolfo Maduro Almeida Professor Adjunto I Instituto de Engenharia e Geociências Universidade Federal do Oeste do Pará
  • 2. • Visão geral sobre Geoprocessamento – Geotecnologias – Representação computacional do espaço geográfico – Geoprocessamento – Visão geral de um Sistema de Informação Geográficas – Princípios de Sensoriamento Remoto • Geoprocessamento aplicado a estudos ambientais: • Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará • Análise das ações do IBAMA no combate ao desmatamento ao longo da BR163 no Oeste do Pará • Delimitação de áreas de preservação permanente do perímetro urbano do município de Santarém e entorno • Análise da expansão urbana e subsídios para o planejamento e ordenamento territorial no perímetro urbano de Santarém e entorno • Análise multi-temporal da temperatura de superfície da área urbana de Santarém • Análise, síntese, modelagem e simulação da propagação do fogo em incêndios de vegetação
  • 4. Geotecnologias Conjunto de técnicas/tecnologias que tem como função coletar, processar, analisar e oferecer informações com referência geográfica. Exemplos: Sistemas de informações geográficas, sensoriamento remoto e o sistema de posicionamento global.
  • 6. Representação computacional do espaço geográfico
  • 7. Representação computacional do espaço geográfico Eventos / Amostras Superfícies / Grades Regulares Dados de Área- Polígonos Redes e Dados de Fluxo X,Y,Z X,Y,Z X,Y,Z X,Y,Z X,Y,Z
  • 8. Geoprocessamento Geoprocessamento é o processamento informatizado de dados georreferenciados.
  • 9. Sistema de Informações Geográficas O SIG é um sistema computacional composto por software, usuário, hardware, dados e metodologia (ou técnicas) de análise, que permite o uso integrado de dados georreferenciados com uma finalidade específica.
  • 10. Sistema de Informações Geográficas O SIG apresenta-se como uma ferramenta essencial na criação, manipulação, armazenamento, visualização e análise de informações referenciadas geograficamente, SIG: localização geográfica é utilizada como fator de análise integração para a análise das informações.
  • 11. Sistema de Informações Geográficas
  • 12. Estrutura de um Sistema de Informações Geográficas Interface Entrada e Integração Dados Visualização Plotagem Consulta e Análise Espacial Gerência Dados Espaciais BANCO DE DADOS GEOGRÁFICOS Banco de dados não-convencional onde cada dado tratado possui atributos descritivos e uma representação geométrica no espaço geográfico.
  • 13. Sensoriamento Remoto O Sensoriamento Remoto é uma das principais fontes de informação de um SIG.
  • 14. Sensoriamento remoto radiação eletromagnética sensor objeto de estudo sensoriamento remoto com sensor óptico-eletrônicos Sensoriamento remoto é o conjunto de técnicas que possibilita a obtenção de informações sobre alvos na superfície terrestre (objetos, áreas, fenômenos), através do registro da interação da radiação eletromagnética com a superfície, realizado por sensores distantes, ou remotos.
  • 15. A área de sensoriamento remoto se dedica a: Compreender as características da radiação eletromagnética e como a energia interage com os objetos da superfície terrestre, tais como vegetação, solo, rocha, água e área urbana.
  • 16. A área de sensoriamento remoto se dedica a: O entendimento de como a energia eletromagnética refletiva ou emitida pela superfície desses objetos é registrada por uma variedade de sensores (por exemplo, câmeras, escâneres multi-espectrais, instrumentos hiper-espectrais, RADAR, etc.).
  • 17. A área de sensoriamento remoto se dedica a: O procedimento de extrair informação biofísica ou de uso e cobertura da terra a partir de dados de sensores remotos.
  • 18. •Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará •Análise das ações do IBAMA no combate ao desmatamento ao longo da BR163 no Oeste do Pará •Delimitação de áreas de preservação permanente do perímetro urbano do município de Santarém e entorno •Análise da expansão urbana e subsídios para o planejamento e ordenamento territorial no perímetro urbano de Santarém e entorno •Análise multi-temporal da temperatura de supérfície da área urbana de Santarém •Análise, síntese, modelagem e simulação da propagação do fogo em incêndios de vegetação
  • 19. Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará
  • 20. Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará
  • 21. Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará FONTE: INMET
  • 22. Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará
  • 23. Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará MUNICÍPIO RODOVIA 2005 2006 2006 2007 2007 2008 2008 2009 2009 2010 2010 2011 2011 2012 2012 2013 TOTAL ALTAMIRA BR 230 5169 3436 2236 1363 1476 2794 1101 2302 19877 NOVO PROGRESSO BR 163 4135 3608 2871 1131 639 1930 513 1349 16176 ITAITUBA BR 163 1614 1710 745 607 1207 1039 670 1074 8666 JACAREACANGA BR 230 1109 970 354 166 275 452 325 546 4197 SANTARÉM BR 163 591 609 133 268 810 329 446 492 3678 MONTE ALEGRE PA 254 706 600 158 375 810 134 385 477 3645 ANAPÚ BR 230 712 966 176 320 393 230 378 416 3591 URUARÁ BR 230 237 744 237 265 852 225 338 498 3396 ÓBIDOS PA 254 982 746 188 167 443 283 163 201 3173 PORTO DE MOZ BR 230 247 630 132 255 510 248 402 450 2874 PLACAS BR 230 540 459 170 186 501 256 265 413 2790 TRAIRÃO BR 163 210 336 82 150 697 253 268 368 2364 ORIXIMINÁ PA 254 311 428 116 127 566 159 264 257 2228 BRASIL NOVO BR 230 208 380 96 124 514 139 257 285 2003 RURÓPOLIS BR 163 426 177 78 135 381 242 258 226 1923 ALMEIRIM PA 254 471 492 95 49 241 112 175 129 1764 AVEIRO BR 163 222 230 56 135 388 194 254 206 1685 MEDICILANDIA BR 230 234 405 108 98 250 142 219 215 1671 PRAINHA PA 254 152 299 61 96 359 114 125 231 1437 SENADOR JOSE PORFIRIO BR 230 219 208 58 126 250 96 254 214 1425 ALENQUER PA 254 304 229 63 64 248 182 151 136 1377 VITÓRIA DO XINGÚ BR 230 53 101 34 32 241 103 124 163 851 JURUTI PA 254 253 137 29 11 68 25 36 21 580 BELTERRA BR 163 85 85 19 44 97 56 47 58 491 CURUÁ PA 254 58 48 21 28 151 32 41 81 460 TERRA SANTA PA 254 47 70 12 12 96 22 25 41 325 FARO PA 254 14 30 6 2 70 17 21 18 178 TOTAL/ANO 19309 18133 8334 6336 12533 9808 7505 10867 92825
  • 24. Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará
  • 25. Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará
  • 26. Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará
  • 27. Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará
  • 28. Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará
  • 29. Análise da dinâmica de focos de calor no Oeste do Pará Tipo de projeto Assentamentos Focos Total / Projeto PA (Projeto de Assentamento Federal) Surubim 1212 8235 Penetecaua 507 Santa Julia 417 Moju I e II 356 PDS (Projeto desenvolvimento Sustentável) Terra Nossa 1446 Ademir Freire 418 3917 Vale do Jamaxin 375 PIC (Projeto Integrado de Colonização) Monte Alegre 1222 1276 Itaituba 54 PAC (Projeto de Assentamento Conjunto) Bom Sossego 428 1043 Ouro Branco I 145 PAE (Projeto de Assentamento Agroextrativista) Lago Grande 318 693 Eixo Forte 55
  • 30. Análise das ações do IBAMA no combate ao desmatamento
  • 31. Análise das ações do IBAMA no combate ao desmatamento Áreas embargadas e autuadas estimador de densidade Áreas desmatadas estimador de densidade Densidade de ações de fiscalização Densidade de desmatamento Período de análise: 2008 a 2012
  • 32. Análise das ações do IBAMA no combate ao desmatamento
  • 33. Análise das ações do IBAMA no combate ao desmatamento Ano Área Desmatada PRODES (hectares) Área Autuada e Embargada IBAMA (hectares) Áreas autuadas e embargadas em relação ao desmatamento (%) 2008 94834.05 24366.73 25,69% 2009 102560.90 46992.08 45,82% 2010 40173.49 13646.83 33,97% 2011 46213.77 17929.25 38,80% 2012 50849.95 64890.44 127,61% Total 334632,16 167.825,33 50,15%
  • 34. Análise das ações do IBAMA no combate ao desmatamento Média: 15,79 ha Desvio Padrão: 53,9 ha Média: 179,50 ha. Desvio Padrão: 357,05 ha Histograma das áreas dos polígonos de desmatamento e das áreas dos polígonos de propriedades embargadas identificados pelo PRODES para a região de estudo no período de 2008 a 2012.
  • 35. Delimitação de APP’s perímetro urbano do município de Santarém e entorno Uma importante ferramenta criada para contribuir na melhoria das condições ambientais nas cidades são as áreas de preservação permanentes (APP).
  • 36. Delimitação de APP’s perímetro urbano do município de Santarém e entorno Infografia: Farrell/AE Fonte: http://www.estadao.com.br/fotos/codigo-florestal.jpg
  • 37. Delimitação de APP’s perímetro urbano do município de Santarém e entorno
  • 38. Delimitação de APP’s perímetro urbano do município de Santarém e entorno ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! Maarraarru Ciipoaall IIttaapaarrii Maattaarraaíí Piindobaall Saanttaarréém Bom Gosstto Teerrrraa Prreettaa Alltteerr do Chãão 724000.000000 724000.000000 732000.000000 732000.000000 740000.000000 740000.000000 748000.000000 748000.000000 756000.000000 756000.000000 764000.000000 764000.000000 .000000 9720000.000000 .000000 .000000 9715000.000000 .000000 .000000 9730000.000000 9725000.000000 9710000.000000 0 1.75 3.5 7 10.5 14 Km ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! Maarraarru Ciipoaall IIttaapaarrii Maattaarraaíí Piindobaall Saanttaarréém Bom Gosstto Teerrrraa Prreettaa Alltteerr do Chãão 724000.000000 724000.000000 732000.000000 732000.000000 740000.000000 740000.000000 748000.000000 748000.000000 756000.000000 756000.000000 764000.000000 764000.000000 .000000 9720000.000000 .000000 .000000 9715000.000000 .000000 .000000 9730000.000000 9725000.000000 9710000.000000 0 1.75 3.5 7 10.5 14 Km Legenda APP Nascentes APP Cursos d'água Corpo d'água Vias de Transporte APP de cursos d’água: • 30 (trinta) metros, para os cursos d’água de menos de 10 (dez) metros de largura. APP de nascente: • as áreas no entorno das nascentes e dos olhos d’água perenes, qualquer que seja sua situação topográfica, no raio mínimo de 50 (cinquenta) metros.
  • 39. Delimitação de APP’s perímetro urbano do município de Santarém e entorno ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! Maarraarru Ciipoaall IIttaapaarrii Maattaarraaíí Piindobaall Saanttaarréém Bom Gosstto Teerrrraa Prreettaa Alltteerr do Chãão 724000.000000 724000.000000 732000.000000 732000.000000 740000.000000 740000.000000 748000.000000 748000.000000 756000.000000 756000.000000 764000.000000 764000.000000 9730000 .000000 9710000 .000000 9725000 9710000.000000 9715000 9725000.000000 .000000 9715000.000000 9720000 .000000 9720000.000000 .000000 9730000.000000 Legenda Corpo d'água Curso d'água Vias de Transporte Elevação 216 m 0 m 0 1.75 3.5 7 10.5 14 Km ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! Maarraarru Ciipoaall IIttaapaarrii Maattaarraaíí Piindobaall Saanttaarréém Bom Gosstto Teerrrraa Prreettaa Alltteerr do Chãão 724000.000000 724000.000000 732000.000000 732000.000000 740000.000000 740000.000000 748000.000000 748000.000000 756000.000000 756000.000000 764000.000000 764000.000000 9730000 .000000 9710000 .000000 9725000 9710000.000000 9715000 9725000.000000 .000000 9715000.000000 9720000 .000000 9720000.000000 .000000 9730000.000000 Legenda Corpo d'água Curso d'água Vias de Transporte Declividade (°) 0 - 2.023271628 2.023271629 - 5.395391008 5.395391009 - 9.779146202 9.779146203 - 16.35477899 16.354779 - 42.99452209 0 1.75 3.5 7 10.5 14 Km No topo de morros, montes, montanhas e serras, com altura mínima de 100 (cem) metros e inclinação média maior que 25°, as áreas delimitadas a partir da curva de nível correspondente a 2/3 (dois terços) da altura mínima da elevação sempre em relação à base, sendo esta definida pelo plano horizontal determinado por planície ou espelho d’água adjacente ou, nos relevos ondulados, pela cota do ponto de sela mais próximo da elevação. Modelo digital de elevação (ASTER/GDEM versão 2).
  • 40. Delimitação de APP’s perímetro urbano do município de Santarém e entorno ! ! ! ! ! ! ! ! ! Maarraarru Ciipoaall IIttaapaarrii Maattaarraaíí Piindobaall Saanttaarréém Bom Gosstto Teerrrraa Prreettaa Alltteerr do Chãão 724000.000000 724000.000000 732000.000000 732000.000000 740000.000000 740000.000000 748000.000000 748000.000000 756000.000000 756000.000000 764000.000000 764000.000000 9730000 .000000 9710000 .000000 9725000 9710000.000000 9715000 9725000.000000 .000000 9715000.000000 9720000 .000000 9720000.000000 .000000 9730000.000000 Legenda Corpo d'água Curso d'água Vias de Transporte APP de Topo de Morro
  • 41. Delimitação de APP’s perímetro urbano do município de Santarém e entorno ! ! ! ! ! ! ! ! ! Maarraarru Ciipoaall IIttaapaarrii Maattaarraaíí Piindobaall Saanttaarréém Bom Gosstto Teerrrraa Prreettaa Alltteerr do Chãão 724000.000000 724000.000000 732000.000000 732000.000000 740000.000000 740000.000000 748000.000000 748000.000000 756000.000000 756000.000000 764000.000000 764000.000000 9730000 .000000 9710000 .000000 9725000 9710000.000000 9715000 9725000.000000 .000000 9715000.000000 9720000 .000000 9720000.000000 .000000 9730000.000000 Legenda Perímetro urbano 1986 0 1.75 3.5 7 10.5 14 Km
  • 42. Delimitação de APP’s perímetro urbano do município de Santarém e entorno ! ! ! ! ! ! ! ! ! Maarraarru Ciipoaall IIttaapaarrii Maattaarraaíí Piindobaall Saanttaarréém Bom Gosstto Teerrrraa Prreettaa Alltteerr do Chãão 724000.000000 724000.000000 732000.000000 732000.000000 740000.000000 740000.000000 748000.000000 748000.000000 756000.000000 756000.000000 764000.000000 764000.000000 9730000 .000000 9710000 .000000 9725000 9710000.000000 9715000 9725000.000000 .000000 9715000.000000 9720000 .000000 9720000.000000 .000000 9730000.000000 0 1.75 3.5 7 10.5 14 Km Legenda Perímetro urbano 2010
  • 43. Delimitação de APP’s perímetro urbano do município de Santarém e entorno ! ! ! ! ! ! ! ! ! Maarraarru Ciipoaall IIttaapaarrii Maattaarraaíí Piindobaall Saanttaarréém Bom Gosstto Teerrrraa Prreettaa Alltteerr do Chãão 724000.000000 724000.000000 732000.000000 732000.000000 740000.000000 740000.000000 748000.000000 748000.000000 756000.000000 756000.000000 764000.000000 764000.000000 9730000 .000000 9710000 .000000 9725000 9710000.000000 9715000 9725000.000000 .000000 9715000.000000 9720000 .000000 9720000.000000 .000000 9730000.000000 0 1.75 3.5 7 10.5 14 Km Legenda APP Nascentes APP Cursos d'água APP de Topo de Morro
  • 51. Análise da temperatura de superfície da área urbana de Santarém
  • 52. Análise da temperatura de superfície da área urbana de Santarém
  • 53. Análise da temperatura de superfície da área urbana de Santarém 14/08/1986
  • 54. Análise da temperatura de superfície da área urbana de Santarém ¯ 0 0.5 1 2 3 4 Km 14/08/1986 Temperatura (°C) < 27 27 - 28 28 - 29 29 - 30 30 - 31 31 - 32 32 - 33 33 - 34 > 34
  • 55. Análise da temperatura de superfície da área urbana de Santarém ¯ 0 0.5 1 2 3 4 Km 12/07/2009
  • 56. Análise da temperatura de superfície da área urbana de Santarém ¯ 0 0.5 1 2 3 4 Km 12/07/2009 Temperatura (°C) < 27 27 - 28 28 - 29 29 - 30 30 - 31 31 - 32 32 - 33 33 - 34 > 34
  • 57. Análise da temperatura de superfície da área urbana de Santarém 12/07/21020/097 /2009
  • 58. Análise da temperatura de superfície da área urbana de Santarém 12/07/2009
  • 59. Análise da temperatura de superfície da área urbana de Santarém Rua Lameira Bittencourt Rua Siqueira Campos Rua Floriano Peixoto Rua Padre João 14/08/1986 Avenida São Sebastião Rua Galdino Veloso Avenida Tapajós Rua Adriano Pimentel Avenida Rui Barbosa Avenida Marechal Rondon Avenida Curuá-una Travessa Dom Amando Avenida Presidente Vargas Avenida Barão do Rio Branco Travessa Quinze de Agosto Travessa Sete de Setembro Travessa Senador Lemos Rua Augusto Montenegro Avenida Mendonça Furtado Travessa Turiano Meira Rua Ignácio Corrêa Avenida Presidente Vargas Avenida Rui Barbosa ¯ 0 0,0750,15 0,3 0,45 0,6 Km Temperatura (°C) < 27 27 - 28 28 - 29 29 - 30 30 - 31 31 - 32 32 - 33 33 - 34 > 34
  • 60. Análise da temperatura de superfície da área urbana de Santarém Rua Lameira Bittencourt Rua Siqueira Campos Rua Floriano Peixoto Rua Padre João 12/07/2009 Avenida São Sebastião Rua Galdino Veloso Avenida Tapajós Rua Adriano Pimentel Avenida Rui Barbosa Avenida Marechal Rondon Avenida Curuá-una Travessa Dom Amando Avenida Presidente Vargas Avenida Barão do Rio Branco Travessa Quinze de Agosto Travessa Sete de Setembro Travessa Senador Lemos Rua Augusto Montenegro Avenida Mendonça Furtado Travessa Turiano Meira Rua Ignácio Corrêa Avenida Presidente Vargas Avenida Rui Barbosa ¯ 0 0,0750,15 0,3 0,45 0,6 Km Temperatura (°C) < 27 27 - 28 28 - 29 29 - 30 30 - 31 31 - 32 32 - 33 33 - 34 > 34
  • 61. Modelagem e simulação da propagação do fogo Região-alvo: Parque Nacional das Emas, estado de Goiás, Brasil - Criado em 1961 - Área total: 132000 hectares - totalizando 348km e dividindo o Parque em 20 blocos - Histórico de incêndios mapeado desde 1973
  • 62. Modelagem e simulação da propagação do fogo
  • 63. Modelagem e simulação da propagação do fogo modelo de propagação do fogo dados de saída incêndio simulado incêndio real objetivo minimizar a diferença em termos de extensão e tempo de duração MÉTODO DE BUSCA dados de entrada
  • 64. Modelagem e simulação da propagação do fogo
  • 65. FC1, FL1 FC1, FL2 FC1, FL3 FC2 FC3 FC4 rio aceiro queimando queimada
  • 68. FC1, FL1 FC1, FL2 FC1, FL3 FC2 FC3 FC4 rio aceiro queimando queimada