SlideShare uma empresa Scribd logo
Fundamentos Espíritas e o
Evangelho de Jesus.
Eduardo Ottonelli Pithan
Grupo Vagalumes – Novo Hamburgo
E-mail: eduardopithan64@gmail.com
Facebook: facebook.com/Eduardoo.pithan
82042277
Referências Bibliográficas
EVANGELHO SEGUNDO ESPIRITISMO, Allan Kardec,
Cap. IV e XXVII.
LIVRO DOS ESPIRITOS, Allan Kardec, questões 1,4,
10, 83, 166, 167, 168, 222
O CÉU E O INFERNO, Allan Kardec (Cap VII, Código
Penal da Vida Futura)
Fundamentos espiritas
1. Existência de Deus
2. Imortalidade do espirito
3. Reencarnação
4. Comunicabilidade entre espíritos
5. Lei de causa e efeito
6. Pluralidade dos mundos habitados
Artigo publicado na Revista Cristã de Espiritismo, edição
100.
Fundamentos espiritas
1.Existência de Deus
Livro dos Espíritos
1. Que é Deus?
“Deus é a inteligência suprema, causa primária de todas
as coisas”
4. Onde se pode encontrar a prova da existência de
Deus?
“Num axioma que aplicais às vossas ciências. Não há
efeito sem causa. Procurai a causa de tudo o que não é
obra do homem e a vossa razão responderá.”
Para crer-se em Deus, basta se lance o olhar sobre as obras
da Criação. O Universo existe, logo tem uma causa. Duvidar
da existência de Deus é negar que todo efeito tem uma causa
e avançar que o nada pôde fazer alguma coisa.
Livro dos Espíritos
10. Pode o homem compreender a natureza íntima
de Deus?
“Não; falta-lhe para isso o sentido.”
Atributos de Deus
Livro dos espíritos questão 13
DEUS
ETERNO
INFINITO
IMUTÁVEL
IMATERIALÚNICO
ONIPOTENTE
SOBERANAMENTE
JUSTO E BOM
Fundamentos espiritas
2.Imortalidade do espirito
Livro dos Espíritos
83. Os Espíritos têm fim? Compreende-se que seja
eterno o princípio donde eles emanam, mas o que
perguntamos é se suas individualidades têm um termo
e se, em dado tempo, mais ou menos longo, o elemento
de que são formados não se dissemina e volta à massa
donde saiu, como sucede com os corpos materiais. É
difícil de conceber-se que uma coisa que teve começo
possa não ter fim.
“Há muitas coisas que não compreendeis, porque tendes
limitada a inteligência. Isso, porém, não é razão para que
as repilais. O filho não compreende tudo o que a seu pai
é compreensível, nem o ignorante tudo o que o sábio
apreende. Dizemos que a existência dos Espíritos não
tem fim. É tudo o que podemos, por agora, dizer.”
Livro dos Espíritos
Evangelho de São João, capítulo 3: 3.
Respondendo a Nicodemos, disse Jesus: Em verdade,
em verdade, te digo que, se um homem não nascer de
novo, não poderá ver o reino de Deus.
Imortalidade do Espírito
Através do espiritismo
aprendemos e entendemos
que as reencarnações, desde
o início, são experiências que
nos possibilitam a evolução.
TERRA
Reencarnar
Desencarnar
Se
preparar
PRIMITIVOS
PROVAS E
EXPIAÇÕES
REGENERAÇÃO DITOSOS
Fundamentos espiritas
3.Reencarnação
Livro dos Espíritos
166. Como pode a alma, que não alcançou a perfeição durante a vida
corpórea, acabar de depurar-se?
“Sofrendo a prova de uma nova existência.”
a) - Como realiza essa nova existência? Será pela sua transformação como
Espírito?
“Depurando-se, a alma indubitavelmente experimenta uma transformação,
mas para
isso necessária lhe é a prova da vida corporal.”
b) - A alma passa então por muitas existências corporais?
“Sim, todos contamos muitas existências. Os que dizem o contrário
pretendem manter-vos na ignorância em que eles próprios se encontram.
Esse o desejo deles.”
c) - Parece resultar desse princípio que a alma, depois de haver deixado um
corpo, toma outro, ou, então, que reencarna em novo corpo. E assim que
se deve entender?
“Evidentemente.”
Livro dos Espíritos
167. Qual o fim objetivado com a reencarnação?
“Expiação, melhoramento progressivo da
Humanidade. Sem isto, onde a justiça?”
168. É limitado o número das existências corporais,
ou o Espírito reencarna perpetuamente?
“A cada nova existência, o Espírito dá um passo para
diante na senda do progresso. Desde que se ache
limpo de todas as impurezas, não tem mais
necessidade das provas da vida corporal.”
Os discípulos lhe perguntaram: “Então, por que os
mestres da lei dizem que é necessário que Elias venha
primeiro?” Jesus respondeu: “De fato, Elias vem e
restaurará todas as coisas. Mas eu lhes digo: Elias já
veio, e eles não o reconheceram, mas fizeram com ele
tudo o que quiseram...
Mateus 17:10-13
Fundamentos espiritas
4.Comunicabilidade entre
espíritos
Que é a mediunidade
Mediunidade é a faculdade humana, pela qual se estabelecem as relações entre
homens e os espíritos. Todos nós possuímos mediunidade, embora em diferentes
graus. A mediunidade é uma sintonia entre os encarnados e os desencarnados,
permitindo uma percepção de pensamentos, vontades e sentimentos. A mediunidade
é uma faculdade inerente a todo ser humano, por isso não é privilégio de ninguém.
Existem diversas forma de se estabelecer o intercâmbio entre encarnados e os
desencarnados:
- a intuição,
- a percepção,
- a psicofônia,
- a psicografia,
- a vidência,
- etc.
TODOS SOMOS MÉDIUNS ?
Todos somos médiuns, médiuns, mas costuma-se chamar de médium a
pessoa através da qual ocorrem, consciente ou inconscientemente,
manifestações evidentes, ostensivas, sejam de natureza física ou intelectual.
Tipos de mediunidade
Médiuns sensitivos ou impressionáveis – são capazes de sentir os
espíritos por uma vaga impressão, uma espécie de arrepio geral que elas
mesmas não sabem o que seja
Médiuns de efeitos físicos – Permitem a produção de fenômenos
materiais como movimentos de corpos inertes, ruídos, etc. Podem ser
conscientes e inconscientes
Médiuns audientes – São capazes de ouvir as voz dos espíritos
Médiuns Falantes – São capazes de emprestar suas cordas vocais para
os espíritos ou recebem intuição do que estão dizendo
Médiuns Videntes – São capazes de ver os espíritos. Alguns podem ver
espíritos mesmo acordados enquanto outros somente podem ver em estado
próximo ao sonambulismo
Fundamentos espiritas
5. Lei de causa e efeito
Resumo da Lei de Deus
O homem sofre sempre a consequência das suas faltas, e não existe uma só
infração à lei de Deus que não fique sem a correspondente punição. LEI DE JUSTIÇA.
A severidade do castigo é proporcional a gravidade da falta. LEI DA AÇÃO E
REAÇÃO ou LEI DE CAUSA E EFEITO.
A duração do castigo para qualquer falta é indeterminada e fica
subordinada ao arrependimento do culpado e o seu consequente retorno ao bem.
“desde que o culpado clame por misericórdia, Deus o ouve e lhe concede a esperança.
Mas o simples arrependimento não basta; é preciso a reparação da falta. Por essa
razão o culpado é submetido a novas provas, onde poderá, pelo uso do seu livre-
arbítrio, fazer o bem reparando o mal que praticou”
Assim, o homem é constantemente o juiz da sua própria sorte. Pode
abreviar o seu suplício ou prolongá-lo indefinidamente. Sua felicidade ou desgraça
depende de sua vontade em fazer o bem.
Na maioria das vezes, o que lhe falta e a vontade, a força e a coragem.
Com nossas preces podemos lhe inspirar essa vontade, dando-lhe apoio e entusiasmo.
Com nossos conselhos podemos transmitir a ele o conhecimento que lhe falta, com
isso, estamos sendo instrumentos de outra lei: LEI DO AMOR E DA CARIDADE.
Evangelho segundo o Espiritismo , Cap XXVII, número 21
O CÉU E O INFERNO
Código Penal da Vida Futura
10º - O Espírito sofre, quer no mundo corporal, quer no
espiritual, a consequências das suas imperfeições. As
misérias, as vicissitudes padecidas na vida corpórea,
são oriundas das nossas imperfeições, são expiações
de faltas cometidas na presente ou em precedentes
existências. Pela natureza dos sofrimentos e
vicissitudes da vida corpórea, pode julgar-se a natureza
das faltas cometidas em anterior existência, e das
imperfeições que as originaram.
16º - O ARREPENDIMENTO, conquanto seja o primeiro
passo para a regeneração, não basta por si só; são precisas
a EXPIAÇÃO e a REPARAÇÃO. Arrependimento, expiação
e reparação constituem, portanto, as três condições
necessárias para apagar os traços de uma falta e suas
consequências. O arrependimento suaviza os travos da
expiação, abrindo pela esperança o caminho da
reabilitação; só a reparação, contudo, pode anular o efeito
destruindo-lhe a causa. Do contrário, o perdão seria uma
graça, não uma anulação.
O CÉU E O INFERNO
Código Penal da Vida Futura
Caminho de todos nós
ARREPENDIMENTO
EXPIAÇÃO/PROVA
REPARAÇÃO
O que são Expiações e Provas -
DIFERENÇA
PROVAS
Escolhidas
EXPIAÇÕES
Impostas
Fundamentos espiritas
6.Pluralidade dos mundos
habitados
 A Terra é um exemplo de mundo
expiatório, cuja característica comum é
servir para resgatar as culpas dos
Espíritos rebeldes.
 Exilados aqui, esses Espíritos têm que lutar
contra a perversidade dos homens e os
rigores da Natureza. Trabalho duplo e
difícil que desenvolve as qualidades do
coração e as da inteligência.
(ESE, Santo Agostinho)
Tipos de mundos
existentes
Nossa situação
Encarnamos na terra
Desencarnamos – Vamos
Para um mundo transitório.
Nos preparamos e retornamos
O que nos diferencia é a força e a vontade
com que buscamos nosso desenvolvimento
MORAL e INTELECTUAL
Então...
“Somos responsáveis pelo que plantamos
Quando selecionamos um determinado
comportamento, cujo resultado é possível prever,
estamos também escolhendo esse mesmo resultado
e, obviamente, devemos aceitar a responsabilidade
de tal fato. (...) ninguém nos obriga a agir desta ou
daquela forma.
Somos responsáveis por tudo o que experimentamos
em nós mesmos; enfim, criamos nossa própria
realidade” e nosso próprio futuro.
Hammed psicografado por Francisco do Espírito Pereira neto
Livro Dores da Alma
Gratos pela atenção.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Eduardo Ottonelli Pithan
 
A vida futura
A vida futuraA vida futura
A vida futura
Marcos Accioly
 
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetasPalestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
Tiburcio Santos
 
VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTEVISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
Jorge Luiz dos Santos
 
Capítulo IV - Evangelho Segundo Espiritismo
Capítulo IV - Evangelho Segundo EspiritismoCapítulo IV - Evangelho Segundo Espiritismo
Capítulo IV - Evangelho Segundo Espiritismo
Jean Dias
 
Palestra Espírita - Amar ao próximo como a si mesmo
Palestra Espírita -  Amar ao próximo como a si mesmoPalestra Espírita -  Amar ao próximo como a si mesmo
Palestra Espírita - Amar ao próximo como a si mesmo
Divulgador do Espiritismo
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Falsos Profetas da Erraticidade
Falsos Profetas da ErraticidadeFalsos Profetas da Erraticidade
Falsos Profetas da Erraticidade
igmateus
 
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de VidaJesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
igmateus
 
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficosBem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Laços familia
Laços familiaLaços familia
Laços familia
Marilice Passos
 
Capitulo XX - OS Obreiros do Senhor
Capitulo XX - OS  Obreiros do SenhorCapitulo XX - OS  Obreiros do Senhor
Capitulo XX - OS Obreiros do Senhor
Jean Dias
 
A felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundoA felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundo
Izabel Cristina Fonseca
 
A paciência
A paciênciaA paciência
A paciência
Jose Ferreira Almeida
 
O CONSOLADOR PROMETIDO
O CONSOLADOR PROMETIDOO CONSOLADOR PROMETIDO
O CONSOLADOR PROMETIDO
Jorge Luiz dos Santos
 
Palestra espirita escolha das provas
Palestra espirita escolha das provasPalestra espirita escolha das provas
Palestra espirita escolha das provas
Felipe Guedes
 
3 palestra sobre transição planetaria
3 palestra sobre transição planetaria3 palestra sobre transição planetaria
3 palestra sobre transição planetaria
umecamaqua
 
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOSAMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
Jorge Luiz dos Santos
 
Os sofrimentos voluntarios
Os sofrimentos voluntariosOs sofrimentos voluntarios
Os sofrimentos voluntarios
Marcos Antônio Alves
 
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvaçãoCap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
gmo1973
 

Mais procurados (20)

Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
 
A vida futura
A vida futuraA vida futura
A vida futura
 
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetasPalestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
 
VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTEVISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
 
Capítulo IV - Evangelho Segundo Espiritismo
Capítulo IV - Evangelho Segundo EspiritismoCapítulo IV - Evangelho Segundo Espiritismo
Capítulo IV - Evangelho Segundo Espiritismo
 
Palestra Espírita - Amar ao próximo como a si mesmo
Palestra Espírita -  Amar ao próximo como a si mesmoPalestra Espírita -  Amar ao próximo como a si mesmo
Palestra Espírita - Amar ao próximo como a si mesmo
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
 
Falsos Profetas da Erraticidade
Falsos Profetas da ErraticidadeFalsos Profetas da Erraticidade
Falsos Profetas da Erraticidade
 
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de VidaJesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
 
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficosBem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficos
 
Laços familia
Laços familiaLaços familia
Laços familia
 
Capitulo XX - OS Obreiros do Senhor
Capitulo XX - OS  Obreiros do SenhorCapitulo XX - OS  Obreiros do Senhor
Capitulo XX - OS Obreiros do Senhor
 
A felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundoA felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundo
 
A paciência
A paciênciaA paciência
A paciência
 
O CONSOLADOR PROMETIDO
O CONSOLADOR PROMETIDOO CONSOLADOR PROMETIDO
O CONSOLADOR PROMETIDO
 
Palestra espirita escolha das provas
Palestra espirita escolha das provasPalestra espirita escolha das provas
Palestra espirita escolha das provas
 
3 palestra sobre transição planetaria
3 palestra sobre transição planetaria3 palestra sobre transição planetaria
3 palestra sobre transição planetaria
 
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOSAMAI OS VOSSOS INIMIGOS
AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
 
Os sofrimentos voluntarios
Os sofrimentos voluntariosOs sofrimentos voluntarios
Os sofrimentos voluntarios
 
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvaçãoCap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
 

Semelhante a Fundamentos espiritas e o evangelho de jesus

Fund1Mod06Rot1
Fund1Mod06Rot1Fund1Mod06Rot1
Fund1Mod06Rot1
Guto Ovsky
 
A12 CBE DM - AS LEIS DA REENCARNAÇÃO E DO CARMA - A EVOLUÇÃO DO ESPÍRITO - 20...
A12 CBE DM - AS LEIS DA REENCARNAÇÃO E DO CARMA - A EVOLUÇÃO DO ESPÍRITO - 20...A12 CBE DM - AS LEIS DA REENCARNAÇÃO E DO CARMA - A EVOLUÇÃO DO ESPÍRITO - 20...
A12 CBE DM - AS LEIS DA REENCARNAÇÃO E DO CARMA - A EVOLUÇÃO DO ESPÍRITO - 20...
Daniel de Melo
 
Livro dos Espíritos Q.335 Evangelho cap.28 item 3
Livro dos Espíritos Q.335 Evangelho cap.28 item 3Livro dos Espíritos Q.335 Evangelho cap.28 item 3
Livro dos Espíritos Q.335 Evangelho cap.28 item 3
Patricia Farias
 
Os Mensageiros - A vida no Mundo espiritual Cap 06
Os Mensageiros - A vida no Mundo espiritual Cap 06Os Mensageiros - A vida no Mundo espiritual Cap 06
Os Mensageiros - A vida no Mundo espiritual Cap 06
Patricia Farias
 
05 ciclo basico
05 ciclo basico05 ciclo basico
05 ciclo basico
05 ciclo basico05 ciclo basico
Homem de bem
Homem de bemHomem de bem
Homem de bem
Angelo Baptista
 
Plantio e colheita
Plantio e colheitaPlantio e colheita
Plantio e colheita
Dr. Walter Cury
 
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deusCapítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Livro dos Espiritos 530 e ESE -cap4 item24
Livro dos Espiritos 530 e ESE -cap4 item24Livro dos Espiritos 530 e ESE -cap4 item24
Livro dos Espiritos 530 e ESE -cap4 item24
Patricia Farias
 
Justiça da Reencarnação
Justiça da ReencarnaçãoJustiça da Reencarnação
Justiça da Reencarnação
Izabel Cristina Fonseca
 
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docxCapítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
Marta Gomes
 
Bem e mal sofrer
Bem e mal sofrer Bem e mal sofrer
Bem e mal sofrer
Andreia Quesada
 
( Espiritismo) # - amag ramgis - reencarnacao # estudo geral # 2
( Espiritismo)   # - amag ramgis - reencarnacao # estudo geral # 2( Espiritismo)   # - amag ramgis - reencarnacao # estudo geral # 2
( Espiritismo) # - amag ramgis - reencarnacao # estudo geral # 2
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
( Espiritismo) # - amag ramgis - reencarnacao # estudo geral # 2
( Espiritismo)   # - amag ramgis - reencarnacao # estudo geral # 2( Espiritismo)   # - amag ramgis - reencarnacao # estudo geral # 2
( Espiritismo) # - amag ramgis - reencarnacao # estudo geral # 2
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
A genese revisao capitulos 1 2 3
A genese revisao capitulos 1 2  3A genese revisao capitulos 1 2  3
A genese revisao capitulos 1 2 3
Fernando Pinto
 
Livro dos Espíritos - 344 ESE Cap 28 item 3_V
Livro dos Espíritos - 344 ESE Cap 28 item 3_VLivro dos Espíritos - 344 ESE Cap 28 item 3_V
Livro dos Espíritos - 344 ESE Cap 28 item 3_V
Patricia Farias
 
A autoanálise na procura das causas das aflições-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
A autoanálise na procura das causas das aflições-Marcelo do N. Rodrigues-CEMA autoanálise na procura das causas das aflições-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
A autoanálise na procura das causas das aflições-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
Marcelo do Nascimento Rodrigues
 
Livro dos Espíritos Q413-415 ESE cap1item3
Livro dos Espíritos Q413-415 ESE cap1item3Livro dos Espíritos Q413-415 ESE cap1item3
Livro dos Espíritos Q413-415 ESE cap1item3
Patricia Farias
 
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e leiCapítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Eduardo Ottonelli Pithan
 

Semelhante a Fundamentos espiritas e o evangelho de jesus (20)

Fund1Mod06Rot1
Fund1Mod06Rot1Fund1Mod06Rot1
Fund1Mod06Rot1
 
A12 CBE DM - AS LEIS DA REENCARNAÇÃO E DO CARMA - A EVOLUÇÃO DO ESPÍRITO - 20...
A12 CBE DM - AS LEIS DA REENCARNAÇÃO E DO CARMA - A EVOLUÇÃO DO ESPÍRITO - 20...A12 CBE DM - AS LEIS DA REENCARNAÇÃO E DO CARMA - A EVOLUÇÃO DO ESPÍRITO - 20...
A12 CBE DM - AS LEIS DA REENCARNAÇÃO E DO CARMA - A EVOLUÇÃO DO ESPÍRITO - 20...
 
Livro dos Espíritos Q.335 Evangelho cap.28 item 3
Livro dos Espíritos Q.335 Evangelho cap.28 item 3Livro dos Espíritos Q.335 Evangelho cap.28 item 3
Livro dos Espíritos Q.335 Evangelho cap.28 item 3
 
Os Mensageiros - A vida no Mundo espiritual Cap 06
Os Mensageiros - A vida no Mundo espiritual Cap 06Os Mensageiros - A vida no Mundo espiritual Cap 06
Os Mensageiros - A vida no Mundo espiritual Cap 06
 
05 ciclo basico
05 ciclo basico05 ciclo basico
05 ciclo basico
 
05 ciclo basico
05 ciclo basico05 ciclo basico
05 ciclo basico
 
Homem de bem
Homem de bemHomem de bem
Homem de bem
 
Plantio e colheita
Plantio e colheitaPlantio e colheita
Plantio e colheita
 
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deusCapítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
 
Livro dos Espiritos 530 e ESE -cap4 item24
Livro dos Espiritos 530 e ESE -cap4 item24Livro dos Espiritos 530 e ESE -cap4 item24
Livro dos Espiritos 530 e ESE -cap4 item24
 
Justiça da Reencarnação
Justiça da ReencarnaçãoJustiça da Reencarnação
Justiça da Reencarnação
 
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docxCapítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
 
Bem e mal sofrer
Bem e mal sofrer Bem e mal sofrer
Bem e mal sofrer
 
( Espiritismo) # - amag ramgis - reencarnacao # estudo geral # 2
( Espiritismo)   # - amag ramgis - reencarnacao # estudo geral # 2( Espiritismo)   # - amag ramgis - reencarnacao # estudo geral # 2
( Espiritismo) # - amag ramgis - reencarnacao # estudo geral # 2
 
( Espiritismo) # - amag ramgis - reencarnacao # estudo geral # 2
( Espiritismo)   # - amag ramgis - reencarnacao # estudo geral # 2( Espiritismo)   # - amag ramgis - reencarnacao # estudo geral # 2
( Espiritismo) # - amag ramgis - reencarnacao # estudo geral # 2
 
A genese revisao capitulos 1 2 3
A genese revisao capitulos 1 2  3A genese revisao capitulos 1 2  3
A genese revisao capitulos 1 2 3
 
Livro dos Espíritos - 344 ESE Cap 28 item 3_V
Livro dos Espíritos - 344 ESE Cap 28 item 3_VLivro dos Espíritos - 344 ESE Cap 28 item 3_V
Livro dos Espíritos - 344 ESE Cap 28 item 3_V
 
A autoanálise na procura das causas das aflições-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
A autoanálise na procura das causas das aflições-Marcelo do N. Rodrigues-CEMA autoanálise na procura das causas das aflições-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
A autoanálise na procura das causas das aflições-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
 
Livro dos Espíritos Q413-415 ESE cap1item3
Livro dos Espíritos Q413-415 ESE cap1item3Livro dos Espíritos Q413-415 ESE cap1item3
Livro dos Espíritos Q413-415 ESE cap1item3
 
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e leiCapítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
 

Mais de Eduardo Ottonelli Pithan

Que sua mão esquerda não saiba o que faz a direita
Que sua mão esquerda não saiba o que faz a direitaQue sua mão esquerda não saiba o que faz a direita
Que sua mão esquerda não saiba o que faz a direita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Bem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiososBem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiosos
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Amem seus inimigos
Amem seus inimigosAmem seus inimigos
Amem seus inimigos
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Capítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmo
Capítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmoCapítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmo
Capítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmo
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismoCapítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitosCap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Capítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meu
Capítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meuCapítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meu
Capítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meu
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Meu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundoMeu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundo
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Fé pela ótica espírita
Fé pela ótica espíritaFé pela ótica espírita
Fé pela ótica espírita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meuProgressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Livre arbítrio na ótica espírita
Livre arbítrio na ótica espíritaLivre arbítrio na ótica espírita
Livre arbítrio na ótica espírita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Evangelho no lar
Evangelho no larEvangelho no lar
Evangelho no lar
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Dores da Alma, a psicologia das dores humanas
Dores da Alma, a psicologia das dores humanasDores da Alma, a psicologia das dores humanas
Dores da Alma, a psicologia das dores humanas
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Homossexualidade, na ótica espirita
Homossexualidade, na ótica espiritaHomossexualidade, na ótica espirita
Homossexualidade, na ótica espirita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Caminhos, na ótica espírita
Caminhos, na ótica espíritaCaminhos, na ótica espírita
Caminhos, na ótica espírita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Perdão na visão espírita
Perdão na visão espíritaPerdão na visão espírita
Perdão na visão espírita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Sonhos na visão espírita
Sonhos na visão espíritaSonhos na visão espírita
Sonhos na visão espírita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Missão do ser humano inteligente na terra
Missão do ser humano inteligente na terraMissão do ser humano inteligente na terra
Missão do ser humano inteligente na terra
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Causas das aflições
Causas das afliçõesCausas das aflições
Causas das aflições
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Caridade na ótica espirita
Caridade na ótica espiritaCaridade na ótica espirita
Caridade na ótica espirita
Eduardo Ottonelli Pithan
 

Mais de Eduardo Ottonelli Pithan (20)

Que sua mão esquerda não saiba o que faz a direita
Que sua mão esquerda não saiba o que faz a direitaQue sua mão esquerda não saiba o que faz a direita
Que sua mão esquerda não saiba o que faz a direita
 
Bem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiososBem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiosos
 
Amem seus inimigos
Amem seus inimigosAmem seus inimigos
Amem seus inimigos
 
Capítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmo
Capítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmoCapítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmo
Capítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmo
 
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismoCapítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
 
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitosCap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
 
Capítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meu
Capítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meuCapítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meu
Capítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meu
 
Meu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundoMeu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundo
 
Fé pela ótica espírita
Fé pela ótica espíritaFé pela ótica espírita
Fé pela ótica espírita
 
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meuProgressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
 
Livre arbítrio na ótica espírita
Livre arbítrio na ótica espíritaLivre arbítrio na ótica espírita
Livre arbítrio na ótica espírita
 
Evangelho no lar
Evangelho no larEvangelho no lar
Evangelho no lar
 
Dores da Alma, a psicologia das dores humanas
Dores da Alma, a psicologia das dores humanasDores da Alma, a psicologia das dores humanas
Dores da Alma, a psicologia das dores humanas
 
Homossexualidade, na ótica espirita
Homossexualidade, na ótica espiritaHomossexualidade, na ótica espirita
Homossexualidade, na ótica espirita
 
Caminhos, na ótica espírita
Caminhos, na ótica espíritaCaminhos, na ótica espírita
Caminhos, na ótica espírita
 
Perdão na visão espírita
Perdão na visão espíritaPerdão na visão espírita
Perdão na visão espírita
 
Sonhos na visão espírita
Sonhos na visão espíritaSonhos na visão espírita
Sonhos na visão espírita
 
Missão do ser humano inteligente na terra
Missão do ser humano inteligente na terraMissão do ser humano inteligente na terra
Missão do ser humano inteligente na terra
 
Causas das aflições
Causas das afliçõesCausas das aflições
Causas das aflições
 
Caridade na ótica espirita
Caridade na ótica espiritaCaridade na ótica espirita
Caridade na ótica espirita
 

Último

quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
carla983678
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 

Último (14)

quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 

Fundamentos espiritas e o evangelho de jesus

  • 1. Fundamentos Espíritas e o Evangelho de Jesus. Eduardo Ottonelli Pithan Grupo Vagalumes – Novo Hamburgo E-mail: eduardopithan64@gmail.com Facebook: facebook.com/Eduardoo.pithan 82042277
  • 2. Referências Bibliográficas EVANGELHO SEGUNDO ESPIRITISMO, Allan Kardec, Cap. IV e XXVII. LIVRO DOS ESPIRITOS, Allan Kardec, questões 1,4, 10, 83, 166, 167, 168, 222 O CÉU E O INFERNO, Allan Kardec (Cap VII, Código Penal da Vida Futura)
  • 3. Fundamentos espiritas 1. Existência de Deus 2. Imortalidade do espirito 3. Reencarnação 4. Comunicabilidade entre espíritos 5. Lei de causa e efeito 6. Pluralidade dos mundos habitados Artigo publicado na Revista Cristã de Espiritismo, edição 100.
  • 5. Livro dos Espíritos 1. Que é Deus? “Deus é a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas” 4. Onde se pode encontrar a prova da existência de Deus? “Num axioma que aplicais às vossas ciências. Não há efeito sem causa. Procurai a causa de tudo o que não é obra do homem e a vossa razão responderá.” Para crer-se em Deus, basta se lance o olhar sobre as obras da Criação. O Universo existe, logo tem uma causa. Duvidar da existência de Deus é negar que todo efeito tem uma causa e avançar que o nada pôde fazer alguma coisa.
  • 6. Livro dos Espíritos 10. Pode o homem compreender a natureza íntima de Deus? “Não; falta-lhe para isso o sentido.”
  • 7. Atributos de Deus Livro dos espíritos questão 13 DEUS ETERNO INFINITO IMUTÁVEL IMATERIALÚNICO ONIPOTENTE SOBERANAMENTE JUSTO E BOM
  • 9. Livro dos Espíritos 83. Os Espíritos têm fim? Compreende-se que seja eterno o princípio donde eles emanam, mas o que perguntamos é se suas individualidades têm um termo e se, em dado tempo, mais ou menos longo, o elemento de que são formados não se dissemina e volta à massa donde saiu, como sucede com os corpos materiais. É difícil de conceber-se que uma coisa que teve começo possa não ter fim. “Há muitas coisas que não compreendeis, porque tendes limitada a inteligência. Isso, porém, não é razão para que as repilais. O filho não compreende tudo o que a seu pai é compreensível, nem o ignorante tudo o que o sábio apreende. Dizemos que a existência dos Espíritos não tem fim. É tudo o que podemos, por agora, dizer.”
  • 10. Livro dos Espíritos Evangelho de São João, capítulo 3: 3. Respondendo a Nicodemos, disse Jesus: Em verdade, em verdade, te digo que, se um homem não nascer de novo, não poderá ver o reino de Deus.
  • 11. Imortalidade do Espírito Através do espiritismo aprendemos e entendemos que as reencarnações, desde o início, são experiências que nos possibilitam a evolução. TERRA Reencarnar Desencarnar Se preparar PRIMITIVOS PROVAS E EXPIAÇÕES REGENERAÇÃO DITOSOS
  • 13. Livro dos Espíritos 166. Como pode a alma, que não alcançou a perfeição durante a vida corpórea, acabar de depurar-se? “Sofrendo a prova de uma nova existência.” a) - Como realiza essa nova existência? Será pela sua transformação como Espírito? “Depurando-se, a alma indubitavelmente experimenta uma transformação, mas para isso necessária lhe é a prova da vida corporal.” b) - A alma passa então por muitas existências corporais? “Sim, todos contamos muitas existências. Os que dizem o contrário pretendem manter-vos na ignorância em que eles próprios se encontram. Esse o desejo deles.” c) - Parece resultar desse princípio que a alma, depois de haver deixado um corpo, toma outro, ou, então, que reencarna em novo corpo. E assim que se deve entender? “Evidentemente.”
  • 14. Livro dos Espíritos 167. Qual o fim objetivado com a reencarnação? “Expiação, melhoramento progressivo da Humanidade. Sem isto, onde a justiça?” 168. É limitado o número das existências corporais, ou o Espírito reencarna perpetuamente? “A cada nova existência, o Espírito dá um passo para diante na senda do progresso. Desde que se ache limpo de todas as impurezas, não tem mais necessidade das provas da vida corporal.”
  • 15. Os discípulos lhe perguntaram: “Então, por que os mestres da lei dizem que é necessário que Elias venha primeiro?” Jesus respondeu: “De fato, Elias vem e restaurará todas as coisas. Mas eu lhes digo: Elias já veio, e eles não o reconheceram, mas fizeram com ele tudo o que quiseram... Mateus 17:10-13
  • 17. Que é a mediunidade Mediunidade é a faculdade humana, pela qual se estabelecem as relações entre homens e os espíritos. Todos nós possuímos mediunidade, embora em diferentes graus. A mediunidade é uma sintonia entre os encarnados e os desencarnados, permitindo uma percepção de pensamentos, vontades e sentimentos. A mediunidade é uma faculdade inerente a todo ser humano, por isso não é privilégio de ninguém. Existem diversas forma de se estabelecer o intercâmbio entre encarnados e os desencarnados: - a intuição, - a percepção, - a psicofônia, - a psicografia, - a vidência, - etc. TODOS SOMOS MÉDIUNS ? Todos somos médiuns, médiuns, mas costuma-se chamar de médium a pessoa através da qual ocorrem, consciente ou inconscientemente, manifestações evidentes, ostensivas, sejam de natureza física ou intelectual.
  • 18. Tipos de mediunidade Médiuns sensitivos ou impressionáveis – são capazes de sentir os espíritos por uma vaga impressão, uma espécie de arrepio geral que elas mesmas não sabem o que seja Médiuns de efeitos físicos – Permitem a produção de fenômenos materiais como movimentos de corpos inertes, ruídos, etc. Podem ser conscientes e inconscientes Médiuns audientes – São capazes de ouvir as voz dos espíritos Médiuns Falantes – São capazes de emprestar suas cordas vocais para os espíritos ou recebem intuição do que estão dizendo Médiuns Videntes – São capazes de ver os espíritos. Alguns podem ver espíritos mesmo acordados enquanto outros somente podem ver em estado próximo ao sonambulismo
  • 19. Fundamentos espiritas 5. Lei de causa e efeito
  • 20. Resumo da Lei de Deus O homem sofre sempre a consequência das suas faltas, e não existe uma só infração à lei de Deus que não fique sem a correspondente punição. LEI DE JUSTIÇA. A severidade do castigo é proporcional a gravidade da falta. LEI DA AÇÃO E REAÇÃO ou LEI DE CAUSA E EFEITO. A duração do castigo para qualquer falta é indeterminada e fica subordinada ao arrependimento do culpado e o seu consequente retorno ao bem. “desde que o culpado clame por misericórdia, Deus o ouve e lhe concede a esperança. Mas o simples arrependimento não basta; é preciso a reparação da falta. Por essa razão o culpado é submetido a novas provas, onde poderá, pelo uso do seu livre- arbítrio, fazer o bem reparando o mal que praticou” Assim, o homem é constantemente o juiz da sua própria sorte. Pode abreviar o seu suplício ou prolongá-lo indefinidamente. Sua felicidade ou desgraça depende de sua vontade em fazer o bem. Na maioria das vezes, o que lhe falta e a vontade, a força e a coragem. Com nossas preces podemos lhe inspirar essa vontade, dando-lhe apoio e entusiasmo. Com nossos conselhos podemos transmitir a ele o conhecimento que lhe falta, com isso, estamos sendo instrumentos de outra lei: LEI DO AMOR E DA CARIDADE. Evangelho segundo o Espiritismo , Cap XXVII, número 21
  • 21. O CÉU E O INFERNO Código Penal da Vida Futura 10º - O Espírito sofre, quer no mundo corporal, quer no espiritual, a consequências das suas imperfeições. As misérias, as vicissitudes padecidas na vida corpórea, são oriundas das nossas imperfeições, são expiações de faltas cometidas na presente ou em precedentes existências. Pela natureza dos sofrimentos e vicissitudes da vida corpórea, pode julgar-se a natureza das faltas cometidas em anterior existência, e das imperfeições que as originaram.
  • 22. 16º - O ARREPENDIMENTO, conquanto seja o primeiro passo para a regeneração, não basta por si só; são precisas a EXPIAÇÃO e a REPARAÇÃO. Arrependimento, expiação e reparação constituem, portanto, as três condições necessárias para apagar os traços de uma falta e suas consequências. O arrependimento suaviza os travos da expiação, abrindo pela esperança o caminho da reabilitação; só a reparação, contudo, pode anular o efeito destruindo-lhe a causa. Do contrário, o perdão seria uma graça, não uma anulação. O CÉU E O INFERNO Código Penal da Vida Futura
  • 23. Caminho de todos nós ARREPENDIMENTO EXPIAÇÃO/PROVA REPARAÇÃO
  • 24. O que são Expiações e Provas - DIFERENÇA PROVAS Escolhidas EXPIAÇÕES Impostas
  • 26.  A Terra é um exemplo de mundo expiatório, cuja característica comum é servir para resgatar as culpas dos Espíritos rebeldes.  Exilados aqui, esses Espíritos têm que lutar contra a perversidade dos homens e os rigores da Natureza. Trabalho duplo e difícil que desenvolve as qualidades do coração e as da inteligência. (ESE, Santo Agostinho)
  • 28. Nossa situação Encarnamos na terra Desencarnamos – Vamos Para um mundo transitório. Nos preparamos e retornamos O que nos diferencia é a força e a vontade com que buscamos nosso desenvolvimento MORAL e INTELECTUAL
  • 29. Então... “Somos responsáveis pelo que plantamos Quando selecionamos um determinado comportamento, cujo resultado é possível prever, estamos também escolhendo esse mesmo resultado e, obviamente, devemos aceitar a responsabilidade de tal fato. (...) ninguém nos obriga a agir desta ou daquela forma. Somos responsáveis por tudo o que experimentamos em nós mesmos; enfim, criamos nossa própria realidade” e nosso próprio futuro. Hammed psicografado por Francisco do Espírito Pereira neto Livro Dores da Alma

Notas do Editor

  1. ESE, Cap. III – Há muitas moradas na casa de meu Pai.