SlideShare uma empresa Scribd logo
Dores da Alma
Espirito Hammed
Pelo Médium Francisco do Espirito Santo Neto
Eduardo Ottonelli Pithan
82042277
Vagalumes – Novo Hamburgo
Sofremos de solidão toda vez
que desprezamos as inerentes
vocações e naturais
tendências de nossa alma.
Hammed, psicografado por Francisco do Espirito Santo Neto, do
Livro Dores da Alma
BIBLIOGRAFIA
• EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO, Allan Kardec,
Cap VI, número 5;
• Livro dos Espíritos questões 697, 728, 780, 827, 940;
• Livro “DORES DA ALMA” ditado por Hammed,
psicografado pelo Médiun Francisco do espírito Santo
Neto;
Livro dos Espíritos
780. O progresso moral acompanha sempre o
progresso intelectual?
“Decorre deste, mas nem sempre o segue
imediatamente.”
a) - Como pode o progresso intelectual engendrar o
progresso moral?
“Fazendo compreensíveis o bem e o mal. O homem,
desde então, pode escolher. O desenvolvimento do
livre-arbítrio acompanha o da inteligência e aumenta a
responsabilidade dos atos.”
Como se dá o progresso do espírito
INTELECTUAL MORAL EVOLUÇÃO
Orientação Evangelho segundo o
Espiritismo
Espíritas! AMAI-VOS, este o primeiro ensinamento;
INSTRUÍ-VOS, este o segundo. No Cristianismo
encontram-se todas as verdades; são de origem
humana os erros que nele se enraizaram... O Espírito
de Verdade. (Paris, 1860.)
(Evangelho Segundo o Espiritismo), Cap VI, número 5
DORES DA ALMA
 Resultado de estudos e meditações sobre os
ensinamentos superiores do LIVRO DOS ESPÍRITOS;
 Partem dos sete pecados capitais: Orgulho, preguiça, a
raiva, a inveja, a gula, a luxuria e a avareza;
 Constituem dentro dessa doutrina, os sete pecados, as
razões psíquicas para o desequilíbrio humano
considerados mais como desajustes, neuroses ou
desequilíbrios íntimos;
 As dores da alma são fases naturais da evolução terrena e
que nos propiciam aprender a usar, convenientemente,
nossos impulsos inatos ou forças interiores;
 A dor emocional, diferentemente da lesão material,
implica uma angustia no corpo todo;
 As explicações buscam EXPLICAR, SOLUCIONAR, REFLETIR
e RENOVAR nossas atitudes.
Dores da Alma
CRUELDADE
ORGULHO
IRRESPONSABILIDADE
CRÍTICA
ILUSÃO MEDO
PREOCUPAÇÃO
VÍCIO
SOLIDÃO
CULPA MÁGOA
EGOÍSMO
BAIXA
AUTOESTIMA
RIGIDEZ
ANSIEDADE PERDA
INSEGURANÇA
REPRESSÃO
DEPRESSÃO
DEPENDÊNCIA INVEJA
Definimos COMPORTAMENTO
como o conjunto de reações e
condutas de um indivíduo em
RESPOSTA a um estímulo.
O QUE DEFINE NOSSO COMPORTAMENTO
ESTÍMULO
EXTERNO
EMOÇÃO
COMPORTAMENTO
(REAÇÃO - RESPOSTA)
Nossas convicções íntimas é que determinam
nossos comportamentos exteriores.
Nossos valores sobre nós mesmos (conscientes e
inconscientes), sobre o mundo que nos cerca,
nosso conhecimento intelectual, moral, nossas
emoções, sentimentos e experiências passadas e
presentes determinam nossa resposta.
COMO SE DÁ NOSSA RESPOSTA
CONCEITO
AUTO
CONCEITO
AUTO
ESTIMA SELF
Somos responsáveis pelo que plantamos
Quando selecionamos um determinado
comportamento, cujo resultado é possível
prever, estamos também escolhendo esse
mesmo resultado e, obviamente, devemos
aceitar a responsabilidade de tal fato. (...)
ninguém nos obriga a agir desta ou daquela
forma.
Somos responsáveis por tudo o que
experimentamos em nós mesmos; enfim,
criamos nossa própria realidade.
Conceito de Imaturidade
O indivíduo que não aceita a
responsabilidade por seus atos e,
constantemente, cria álibis e recorre
a dissimulações, culpando os outros,
é denominado imaturo.
PERCEBENDO ALGUMAS DORES DA ALMA
CRUELDADE
A crueldade é a qualidade do que é cruel, se define
como uma resposta emocional de indiferença quando
da obtenção de prazer no sofrimento e dor de outros.
Questão 827, Livro do Espíritos
A obrigação de respeitar os direitos alheios tira ao
homem o de pertencer-se a si mesmo?
“De modo algum, porquanto este é um direito que lhe
vem da natureza.”
CRUELDADE
754. A crueldade não derivará da carência de senso moral?
“Dize - da falta de desenvolvimento do senso moral; não digas da carência,
porquanto o senso moral existe, como princípio, em todos os homens. É
esse senso moral que dos seres cruéis fará mais tarde seres bons e humanos.
Ele, pois, existe no selvagem, mas como o princípio do perfume no gérmen
da flor que ainda não desabrochou.” Em estado rudimentar ou latente, todas
as faculdades existem no homem. Desenvolvem-se, conforme lhes sejam
mais ou menos favoráveis as circunstâncias. O desenvolvimento excessivo de
uma detém ou neutraliza o das outras. A sobreexcitação dos instintos
materiais abafa, por assim dizer, o senso moral, como o desenvolvimento do
senso moral enfraquece pouco a pouco as faculdades puramente animais.
CRUELDADE BONDADE
Nunca amadureceremos, se
deixarmos os outros pensarem
por nós e determinarem nossas
escolhas..
Hammed psicografado por Francisco do Espirito Santo Neto
Dessa maneira, podemos entender que, quanto
mais impedirmos as pessoas com as quais
convivemos de agir e pensar por si mesmas, mais
estaremos dificultando suas oportunidades de
amadurecimento e de crescimento espiritual. Os
empreendimentos que os outros elegeram como
os melhores para si deverão ser respeitados, pois
os direitos naturais do homem lhes garantem a
possibilidade de tomar decisões, errar, aprender,
crescer, mudar e julgar a si mesmos.
CULPA
AUTOCRUELDADE
Quem busca consenso, crédito e popularidade não julga seus
comportamentos por si mesmo, mas procura, ansiosamente,
as palmas dos outros, oferecendo inúmeras razões para que
suas atitudes sejam totalmente consideradas.
Vivendo e seguindo seus próprios passos, poderá inicialmente
encontrar dificuldades momentâneas, mas, como tempo, será
compensado com um enorme bem-estar e uma integral
segurança da alma.
Estar alheio ou sair de si mesmo, NA ÂNSIA DE SER AMADO
POR TODOS AQUELES QUE CONSIDERA MODELOS
IMPORTANTES, SERÁ UMA META ALIENADA E INATINGÍVEL. O
único modo de alcançar a felicidade é viver, particularmente,
a própria vida.
COMO AGIR
Pensar e agir, defendendo nosso íntimo e nosso
direitos inatos e, definindo nossas perspectivas
pessoais, sem subtrair os direitos dos outros, é a
imunização contra a autocrueldade.
Agressividade
Cada ato de agressividade que
ocorre neste mundo tem como
origem básica uma criatura que
ainda não aprendeu a amar.
Conselho da espiritualidade
Para vivermos bem com nós mesmos, é preciso
estabelecer padrões de autorespeito,
aprendendo a dizer “não sei”, “não compreendo”,
“não concordo” e “não me importo”.
As criaturas que procuram bajulação e exaltação
martirizam-se para não cometer erros, pois a
CENSURA, a DEPRECIAÇÃO e a DESESTIMA é o
que mais atemorizam.
Esquecem-se de que os erros são significativas
formas de aprendizagem das coisas.
Não se esqueçam...
Três coisas que causam depressão:
Medo ESTRESSE
Ansiedade
Solidão
É preciso saber lidar com nossas emoções; não
devemos censurar por senti-las, mas sim julgar a
decisão do que faremos com elas.
Somos também natureza; possuímos as estações
da alegria, do entusiasmo, da moderação e do
desânimo, assim como as da primavera, do verão,
do outono e do inverno.
DEPRESSÃO
Depressão é o resultado de nossa consciência
quando abrimos mão de nossos sentimentos,
pensamentos, emoções e necessidades em favor
de alguém, somente para receber aprovação e
consideração.
Viver o direito de sentirmos nossas emoções
equivale a ser honesto com nós mesmos.
Portanto, não devemos nos culpar por fatos
negativos do passado, pois tudo o que fizemos
estava ao nível de nossa compreensão à época
em que eles ocorreram.
DEPRESSÃO
A reunião de todas nossas ansiedades não
poderá alterar nosso destino; somente nosso
empenho, determinação e vontade no
MOMENTO PRESENTE é que poderá transformá-
lo para melhor.
ANSIEDADE
A preocupação pode produzir ansiedade,
levando-nos, a partir de então, a imaginar fatos
catastróficos. Quando nos preocupamos com o
futuro, não vivemos o agora e sofremos imensa
imobilização, que toma conta do nosso presente,
advinda de coisas que irão ou não acontecer no
amanhã.
ANSIEDADE
VIVER O AQUI E AGORA
Passado Futuro
Os preocupados vivem entorpecidos no hoje por
quererem controlar, com seus pensamentos e
com sua imaginação, os fatos do amanhã.
PREOCUPAÇÃO
PREOCUPAÇÃO
O dia de hoje nos fornecerá exatamente as
oportunidades de que precisamos para compor
com estrofes e versos harmônicos o “poema de
nossa vida” , cuja métrica foi antecipadamente
determinada por nós ontem.
Nossas experiências da vida não acontecem por
acaso. O planejamento Divino nada faz sem um
designío proveitoso; tudo tem sua razão de ser. Não
é preciso desespero, nem preocupação; tudo
acontece como tem que acontecer.
Espírito Hammed, por Francisco do Espírito Santos Neto, Livro As Dores da Alma
Vive com plenitude o presente e verás o futuro
relatar as consequências dos teus atos do ontem,
que contam tua própria história de vida.
Tudo aquilo que precisares aprender, discernir e
compreender chegará em tua existência
repetidas vezes até dares a devida atenção,
efetuando assim a aprendizagem necessária.
Experiência é a soma dos teus desacertos e
desenganos.
ANSIEDADE
Crer com firmeza que Deus nunca erra e sempre
está se manifestando e se pronunciando em tudo
e em todos será sempre um método feliz de se
despreocupar. Crer que Ele está sempre disposto
a nos prover de tudo o que necessitamos para
nosso amadurecimento espiritual é o melhor
antídoto contra a ansiedade e os excessos de
imaginação dramática.
ANSIEDADE COMO LIDAR
O resultado do medo em nossa vidas será a perda
do nosso poder de pensar e agir com
espontaneidade.
O medo nos incapacita, nos impede de lutar e
nos paralisa.
MEDO
Os erros são quase que inevitáveis para quem quer avançar e
crescer. São acidentes de percurso, contingências do
processo evolutivo que todos estamos destinados a
vivenciar.
Deus permite que o erro integre nosso caminho. Aliás, ele faz
parte das nossas condições evolutivas, para que possamos
aprender e assimilar as experiências da vida.
Por que então usar de rigidez perante os acontecimentos da
vida?
Ser flexível não quer dizer perda de personalidade ou “ser
volúvel”, mas ser acessível à compreensão das coisas e
pessoas.
Deixar a rigidez mental é fator básico para o crescimento
interior.
RIGIDEZ
Observamos que, mesmo acumulando diversas
experiências e aprendizagem na caminhada
terrena e efetuando expressivas mudanças de
comportamento, os idosos continuam
procedendo de acordo com tudo aquilo que
sempre foram.
Não só na terceira idade, mas em todas as etapas
da vida, deve-se fugir dos hábitos, opiniões e
ideias conservadoras, porquanto não se pode
adotar nada em caráter definitivo.
“O mais eficaz dos hábitos é o hábito de saber
quando se deve mudar de hábito”
Nem sempre a solidão pode ser encarada como
dor ou insânia. É, em muitas ocasiões, períodos
de preparação, tempos de crescimento, convites
da vida ao amadurecimento.
SOLIDÃO
Declarar de modo geral que o divórcio é sempre
errado é tão incorreto quanto assegurar que esta
sempre certo.
697. Está na lei da Natureza, ou somente na lei humana, a
indissolubilidade absoluta do casamento?
“É uma lei humana muito contrária à da Natureza. Mas os homens
podem modificar suas leis; só as da Natureza são imutáveis.”
SOLIDÃO
O produto amargo de nossa infelicidade amorosa são nossas
mágoas, resultado direto de nossas expectativas, que não se
realizaram, sobre nós mesmos e sobre outras pessoas.
Perdemos excelentes oportunidades de crescimento pessoal
queixando-nos cotidianamente de que estamos sendo ignorados e
usados, porém nunca tomamos atitude alguma. Deixamo-nos
magoar pelos outros e acabamos (por que não dizer?) magoando
a nós mesmos. Reagimos as ofensas e ao desdém,
experimentando sentimentos de frustração, negação,
autopiedade, raiva e imensa mágoa. Culpamos as pessoas pelos
nossos sofrimentos, verbalizando as mais diversas condenações e,
em seguida, esforçamo-nos exaustivamente para não ver que a
origem de nossas dores morais é fruto da nossa negligência e
comodismo.
MÁGOA
É profundamente irracional nutrir a crença de que nunca seremos
traídos e de que sempre seremos amados e entendidos
plenamente por todos.
A mágoa não elaborada se volta contra o interior da criatura,
alojando-se em determinado órgão, desvitalizando-o. Mágoa se
transforma com o tempo em rancor, exterminando
gradativamente nosso interesse pela vida e desajustando-nos
quanto a seu significado maior. (Depressão)
A maneira decisiva de atingirmos o equilíbrio interior é
aceitarmos nossas emoções e sentimentos como realmente eles
se apresentam, pois, deixando de ignorá-los, passaremos a nos
adaptar firmemente à realidade dos fatos e dos acontecimentos
que estamos vivenciando.
MÁGOA
Justificamos nossa infelicidade conjugal como sendo “débitos do
passado” e passamos uma vida inteira buscando “álibis
reencarnatórios” para compensar o desprezo com que somos
tratados e a opção que fizemos de viver com criaturas que nos
desconsideram e nos agridem a alma constantemente.
MÁGOA
Livro dos Espíritos
940. Não constitui igualmente fonte de dissabores, tanto
mais amargos quanto envenenam toda a existência, a
falta de simpatia entre seres destinados a viver juntos?
“Amaríssimos, com efeito. Essa, porém, é uma das
infelicidades de que sois, as mais das vezes, a causa
principal. Em primeiro lugar, o erro é das vossas leis. Julgas,
porventura, que Deus te constranja a permanecer junto
dos que te desagradam? Depois, nessas uniões,
ordinariamente buscais a satisfação do orgulho e da
ambição, mais do que a ventura de uma afeição mútua.
Sofreis então as consequências dos vossos prejuízos.”
NÃO IDEALIZE O SER AMADO
O ser IDEALIZADO é uma fantasia mental. É uma
imitação inflexível, construída artificialmente sobre uma
combinação de dois básicos comportamentos neuróticos, a
saber: Adorar padrões existenciais super-rígidos, impossíveis
de serem atingidos, e alimentar o orgulho de acreditar-se
onipotente, superior e invulnerável.
A coexistência desses dois modos de pensar ocasiona
frequente estados de SOLIDÃO, TRISTEZA habitual e
sentimentos mútuos de VAZIO e ABORRECIMENTO na vida
afetiva de um casal.
O AMOR e o RESPEITO a NÓS MESMOS cria uma
atmosfera propícia para identificarmos nossa verdadeira
natureza, isso é, nossa identidade da alma, facilitando nosso
crescimento espiritual e, por conseguinte, proporcionando
alegria de viver.
A compulsão de querer controlar a
vida alheia é fruto do nosso orgulho.
ORGULHO
Bom Mestre
Para ser bom mestre não é preciso fazer seguidores ou
discípulos, nem mesmo possuir cortejos ou comitivas,
mas simplesmente fazer com que cada ser descubra em si
mesmo o seu próprio guia. Não devemos ditar nossas
regras aos indivíduos, mas fazer com que eles tomem
consciência de seus valores internos (senso, emoções e
sentimentos) e passem a usá-los sempre que necessário.
Essa a função dos que querem ajudar o progresso
espiritual dos outros.
Somos nós mesmos que fazemos nossos
caminhos e depois os denominamos de
fatalidade.
Os acontecimentos exteriores de nossa vida são o
resultado direto de nossas atitudes internas.
O amadurecimento do ser humano inicia-se
quando cessam suas acusações ao mundo.
IRRESPONSABILIDADE
O QUE É SER RESPONSÁVEL
1. Ser responsável implica ter a DETERMINAÇÃO PARA
RESPONDER PELAS CONSEQUÊNCIAS das atitudes adotadas.
2. Ser responsável é ASSUMIR AS EXPERIÊNCIAS PESSOAIS, para
atingir uma real compreensão dos acertos e dos desenganos.
3. Ser responsável é DECIDIR POR SI MESMO para onde ir e
descobrir a razão do próprio querer.
4. Não existem “vitimas da fatalidade”; nós é que somos os
promotores do nosso destino. Somos a causa dos efeitos que
ocorrem em nossa existência.
5. Aceitar o PRINCÍPIO DA RESPONSABILIDADE INDIVIDUAL e
estabelecer limites descomplica nossa vida, tornando-nos cada
vez mais conscientes de tudo o que acontece ao nosso
derredor.
FAZER BOAS ESCOLHAS
Transformação começa sempre numa atitude
DETERMI
NAÇÃO
LIVRE
VONTADE
Escolhas
NOVAS
PENSAMENTO
AUTOMÁTICO RIGIDEZ
Escolhas
MESMAS
EVOLUÇÃO
ESTAGNAÇÃO
Os críticos são especialistas em detectar e
resolver os problemas que não lhes dizem
respeito, mas, contrariamente, possuem uma
grave dificuldade em aceitar a sua própria
problemática existencial.
CRÍTICA
Tudo o que criticarmos, veementemente, no
exterior encontraremos em nossa intimidade.
Carmas são estruturados não somente sobre
nossos feitos e atitudes, mas também sobre
nossas sentenças e juízos, críticas e opiniões.
O crítico, por vigiar e espreitar sem interrupção
os problemas alheios, permanece inconsciente e
imobilizado em relação a própria aprendizagem
evolucional.
CRÍTICA
São compreensíveis as lamentações e os pesares,
o pranto e os suspiros, pois o ser humano passa
por processos psicológicos de adaptação e de
reajuste às perdas da vida.
Nascer e morrer fazem parte de um fenômeno
comum e necessário. Tudo nasce, tudo se
desenvolve, mas tudo se definha. Sempre há um
tempo de partir.
É importante identificarmos nossa tristeza e sua
função de momento; jamais devemos, no
entanto, identificar-nos com ela em si.
PERDA
PERDA
728. É lei da Natureza a destruição?
“Preciso é que tudo se destrua para renascer e se
regenerar. Porque, o que chamais
destruição não passa de uma transformação, que
tem por fim a renovação e melhoria dos seres
vivos.”
FELICIDADE
A felicidade não é deste mundo por força do estado
evolutivo dos espíritos aqui encarnados.
Infelizmente aqui ainda predomina o mal.
No entanto nós podemos trabalhar pela nossa
felicidade e de todos em geral, hoje e futura,
agindo com inteligência em nossas escolhas e
pensando nas consequências das nossas atitudes.
Felicidade é de outro lado, resultado do esforço por
querer ser melhor, por se deixar aprender com a
vida de forma intencional e deliberada.
Eduardo O Pithan
Dores da Alma, a psicologia das dores humanas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

ÓDIO na visão Espírita
ÓDIO na visão EspíritaÓDIO na visão Espírita
ÓDIO na visão Espírita
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
AUTOCONHECIMENTO X REFORMA INTIMA NA VISÃO ESPÍRITA
AUTOCONHECIMENTO X REFORMA INTIMA NA VISÃO ESPÍRITAAUTOCONHECIMENTO X REFORMA INTIMA NA VISÃO ESPÍRITA
AUTOCONHECIMENTO X REFORMA INTIMA NA VISÃO ESPÍRITA
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
Palestra Prece
Palestra PrecePalestra Prece
Palestra Prece
Grupo Espírita Cristão
 
PALESTRA - RENOVANDO ATITUDES
PALESTRA - RENOVANDO ATITUDESPALESTRA - RENOVANDO ATITUDES
PALESTRA - RENOVANDO ATITUDES
Mauro Santos
 
Cristo Consolador
Cristo ConsoladorCristo Consolador
Cristo Consolador
Sergio Menezes
 
O Homem No Mundo
O Homem No MundoO Homem No Mundo
O Homem No Mundo
Angelo Baptista
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiososPalestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Divulgador do Espiritismo
 
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espíritaO PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
Jorge Luiz dos Santos
 
Sede perfeitos
Sede perfeitosSede perfeitos
Suicídio - Dor dos dois lados da vida
Suicídio - Dor dos dois lados da vidaSuicídio - Dor dos dois lados da vida
Suicídio - Dor dos dois lados da vida
Ricardo Azevedo
 
Simpatia e antipatia
Simpatia e antipatiaSimpatia e antipatia
Simpatia e antipatia
Graça Maciel
 
O homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafioO homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafio
Graça Maciel
 
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritasPalestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
Divulgador do Espiritismo
 
Perdas de entes queridos 02112011
Perdas de entes queridos 02112011Perdas de entes queridos 02112011
Perdas de entes queridos 02112011
Daniela Azevedo
 
Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!
Leonardo Pereira
 
Reencarnação
ReencarnaçãoReencarnação
Reencarnação
paikachambi
 
Injúrias E Violências
Injúrias E ViolênciasInjúrias E Violências
Injúrias E Violências
Grupo Espírita Cristão
 
16/08/2013 - "Doença e cura"
16/08/2013 - "Doença e cura"16/08/2013 - "Doença e cura"
16/08/2013 - "Doença e cura"
Lar Irmã Zarabatana
 
ReconciliaçãO Com Os AdversáRios
ReconciliaçãO Com Os AdversáRiosReconciliaçãO Com Os AdversáRios
ReconciliaçãO Com Os AdversáRios
Grupo Espírita Cristão
 
Conduta Espírita na Prática da Caridade
Conduta Espírita na Prática da CaridadeConduta Espírita na Prática da Caridade
Conduta Espírita na Prática da Caridade
igmateus
 

Mais procurados (20)

ÓDIO na visão Espírita
ÓDIO na visão EspíritaÓDIO na visão Espírita
ÓDIO na visão Espírita
 
AUTOCONHECIMENTO X REFORMA INTIMA NA VISÃO ESPÍRITA
AUTOCONHECIMENTO X REFORMA INTIMA NA VISÃO ESPÍRITAAUTOCONHECIMENTO X REFORMA INTIMA NA VISÃO ESPÍRITA
AUTOCONHECIMENTO X REFORMA INTIMA NA VISÃO ESPÍRITA
 
Palestra Prece
Palestra PrecePalestra Prece
Palestra Prece
 
PALESTRA - RENOVANDO ATITUDES
PALESTRA - RENOVANDO ATITUDESPALESTRA - RENOVANDO ATITUDES
PALESTRA - RENOVANDO ATITUDES
 
Cristo Consolador
Cristo ConsoladorCristo Consolador
Cristo Consolador
 
O Homem No Mundo
O Homem No MundoO Homem No Mundo
O Homem No Mundo
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiososPalestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
 
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espíritaO PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
 
Sede perfeitos
Sede perfeitosSede perfeitos
Sede perfeitos
 
Suicídio - Dor dos dois lados da vida
Suicídio - Dor dos dois lados da vidaSuicídio - Dor dos dois lados da vida
Suicídio - Dor dos dois lados da vida
 
Simpatia e antipatia
Simpatia e antipatiaSimpatia e antipatia
Simpatia e antipatia
 
O homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafioO homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafio
 
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritasPalestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
 
Perdas de entes queridos 02112011
Perdas de entes queridos 02112011Perdas de entes queridos 02112011
Perdas de entes queridos 02112011
 
Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!
 
Reencarnação
ReencarnaçãoReencarnação
Reencarnação
 
Injúrias E Violências
Injúrias E ViolênciasInjúrias E Violências
Injúrias E Violências
 
16/08/2013 - "Doença e cura"
16/08/2013 - "Doença e cura"16/08/2013 - "Doença e cura"
16/08/2013 - "Doença e cura"
 
ReconciliaçãO Com Os AdversáRios
ReconciliaçãO Com Os AdversáRiosReconciliaçãO Com Os AdversáRios
ReconciliaçãO Com Os AdversáRios
 
Conduta Espírita na Prática da Caridade
Conduta Espírita na Prática da CaridadeConduta Espírita na Prática da Caridade
Conduta Espírita na Prática da Caridade
 

Semelhante a Dores da Alma, a psicologia das dores humanas

Juventude e emoção
Juventude e emoçãoJuventude e emoção
Juventude e emoção
Ana Paula Ribeiro de Oliveira
 
A autoestima
A autoestimaA autoestima
A autoestima
Anderson Santos
 
aautoestima_Anderson.pdf
aautoestima_Anderson.pdfaautoestima_Anderson.pdf
aautoestima_Anderson.pdf
Telma Lima
 
A ponte para deus. pps
A ponte para deus. ppsA ponte para deus. pps
A ponte para deus. pps
jmeirelles
 
Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )
Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )
Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )
PatiSousa1
 
Autoconhecimento
AutoconhecimentoAutoconhecimento
Autoconhecimento
Dalila Melo
 
CURSO REFORMA INTIMA - Educandário Espirita Caminho de Luz
CURSO REFORMA INTIMA - Educandário Espirita Caminho de LuzCURSO REFORMA INTIMA - Educandário Espirita Caminho de Luz
CURSO REFORMA INTIMA - Educandário Espirita Caminho de Luz
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
UMA JORNADA PARA DENTRO
UMA JORNADA PARA DENTROUMA JORNADA PARA DENTRO
UMA JORNADA PARA DENTRO
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
A busca da felicidade 1
A busca da felicidade 1A busca da felicidade 1
A busca da felicidade 1
ctollin
 
The Presence Process (Michael Brown) Resenha do Livro
The Presence Process (Michael Brown) Resenha do LivroThe Presence Process (Michael Brown) Resenha do Livro
The Presence Process (Michael Brown) Resenha do Livro
DaviKlein2
 
Escutando Sentimentos "O Seminário"
Escutando Sentimentos "O Seminário"Escutando Sentimentos "O Seminário"
Escutando Sentimentos "O Seminário"
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos! ( seminário).
Escutando sentimentos! ( seminário).Escutando sentimentos! ( seminário).
Escutando sentimentos! ( seminário).
Leonardo Pereira
 
O perfil da mulher de sucesso
O perfil da mulher de sucessoO perfil da mulher de sucesso
O perfil da mulher de sucesso
Carmen Gloria Coelho
 
Conflitos psicológicos
Conflitos psicológicosConflitos psicológicos
Conflitos psicológicos
Helio Cruz
 
Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12
Leonardo Pereira
 
Mente humana e necessidades para se entender
Mente humana e necessidades para se entenderMente humana e necessidades para se entender
Mente humana e necessidades para se entender
MarianaGuadalupi
 
AUTOCONHECIMENTO X AUTOESTIMA
AUTOCONHECIMENTO X AUTOESTIMAAUTOCONHECIMENTO X AUTOESTIMA
AUTOCONHECIMENTO X AUTOESTIMA
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
Resumo CURSO REFORMA INTIMA
Resumo CURSO REFORMA INTIMAResumo CURSO REFORMA INTIMA
Resumo CURSO REFORMA INTIMA
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
Reeducação Emocional
Reeducação  EmocionalReeducação  Emocional
Reeducação Emocional
Projeto Crisálida
 
As bases do transformar se
As bases do transformar seAs bases do transformar se
As bases do transformar se
paikachambi
 

Semelhante a Dores da Alma, a psicologia das dores humanas (20)

Juventude e emoção
Juventude e emoçãoJuventude e emoção
Juventude e emoção
 
A autoestima
A autoestimaA autoestima
A autoestima
 
aautoestima_Anderson.pdf
aautoestima_Anderson.pdfaautoestima_Anderson.pdf
aautoestima_Anderson.pdf
 
A ponte para deus. pps
A ponte para deus. ppsA ponte para deus. pps
A ponte para deus. pps
 
Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )
Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )
Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )
 
Autoconhecimento
AutoconhecimentoAutoconhecimento
Autoconhecimento
 
CURSO REFORMA INTIMA - Educandário Espirita Caminho de Luz
CURSO REFORMA INTIMA - Educandário Espirita Caminho de LuzCURSO REFORMA INTIMA - Educandário Espirita Caminho de Luz
CURSO REFORMA INTIMA - Educandário Espirita Caminho de Luz
 
UMA JORNADA PARA DENTRO
UMA JORNADA PARA DENTROUMA JORNADA PARA DENTRO
UMA JORNADA PARA DENTRO
 
A busca da felicidade 1
A busca da felicidade 1A busca da felicidade 1
A busca da felicidade 1
 
The Presence Process (Michael Brown) Resenha do Livro
The Presence Process (Michael Brown) Resenha do LivroThe Presence Process (Michael Brown) Resenha do Livro
The Presence Process (Michael Brown) Resenha do Livro
 
Escutando Sentimentos "O Seminário"
Escutando Sentimentos "O Seminário"Escutando Sentimentos "O Seminário"
Escutando Sentimentos "O Seminário"
 
Escutando sentimentos! ( seminário).
Escutando sentimentos! ( seminário).Escutando sentimentos! ( seminário).
Escutando sentimentos! ( seminário).
 
O perfil da mulher de sucesso
O perfil da mulher de sucessoO perfil da mulher de sucesso
O perfil da mulher de sucesso
 
Conflitos psicológicos
Conflitos psicológicosConflitos psicológicos
Conflitos psicológicos
 
Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12
 
Mente humana e necessidades para se entender
Mente humana e necessidades para se entenderMente humana e necessidades para se entender
Mente humana e necessidades para se entender
 
AUTOCONHECIMENTO X AUTOESTIMA
AUTOCONHECIMENTO X AUTOESTIMAAUTOCONHECIMENTO X AUTOESTIMA
AUTOCONHECIMENTO X AUTOESTIMA
 
Resumo CURSO REFORMA INTIMA
Resumo CURSO REFORMA INTIMAResumo CURSO REFORMA INTIMA
Resumo CURSO REFORMA INTIMA
 
Reeducação Emocional
Reeducação  EmocionalReeducação  Emocional
Reeducação Emocional
 
As bases do transformar se
As bases do transformar seAs bases do transformar se
As bases do transformar se
 

Mais de Eduardo Ottonelli Pithan

Que sua mão esquerda não saiba o que faz a direita
Que sua mão esquerda não saiba o que faz a direitaQue sua mão esquerda não saiba o que faz a direita
Que sua mão esquerda não saiba o que faz a direita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Honrar pai e mãe
Honrar pai e mãeHonrar pai e mãe
Honrar pai e mãe
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Bem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiososBem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiosos
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Amem seus inimigos
Amem seus inimigosAmem seus inimigos
Amem seus inimigos
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Capítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmo
Capítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmoCapítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmo
Capítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmo
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deusCapítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismoCapítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitosCap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Capítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meu
Capítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meuCapítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meu
Capítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meu
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Meu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundoMeu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundo
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e leiCapítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Fé pela ótica espírita
Fé pela ótica espíritaFé pela ótica espírita
Fé pela ótica espírita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meuProgressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Livre arbítrio na ótica espírita
Livre arbítrio na ótica espíritaLivre arbítrio na ótica espírita
Livre arbítrio na ótica espírita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Evangelho no lar
Evangelho no larEvangelho no lar
Evangelho no lar
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Fundamentos espiritas e o evangelho de jesus
Fundamentos espiritas e o evangelho de jesusFundamentos espiritas e o evangelho de jesus
Fundamentos espiritas e o evangelho de jesus
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Homossexualidade, na ótica espirita
Homossexualidade, na ótica espiritaHomossexualidade, na ótica espirita
Homossexualidade, na ótica espirita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Caminhos, na ótica espírita
Caminhos, na ótica espíritaCaminhos, na ótica espírita
Caminhos, na ótica espírita
Eduardo Ottonelli Pithan
 

Mais de Eduardo Ottonelli Pithan (20)

Que sua mão esquerda não saiba o que faz a direita
Que sua mão esquerda não saiba o que faz a direitaQue sua mão esquerda não saiba o que faz a direita
Que sua mão esquerda não saiba o que faz a direita
 
Honrar pai e mãe
Honrar pai e mãeHonrar pai e mãe
Honrar pai e mãe
 
Bem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiososBem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiosos
 
Amem seus inimigos
Amem seus inimigosAmem seus inimigos
Amem seus inimigos
 
Capítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmo
Capítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmoCapítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmo
Capítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmo
 
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
 
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deusCapítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
 
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismoCapítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
 
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitosCap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
Cap 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, bem aventurados os aflitos aflitos
 
Capítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meu
Capítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meuCapítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meu
Capítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meu
 
Meu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundoMeu reino não é deste mundo
Meu reino não é deste mundo
 
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e leiCapítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
 
Fé pela ótica espírita
Fé pela ótica espíritaFé pela ótica espírita
Fé pela ótica espírita
 
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meuProgressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
 
Livre arbítrio na ótica espírita
Livre arbítrio na ótica espíritaLivre arbítrio na ótica espírita
Livre arbítrio na ótica espírita
 
Evangelho no lar
Evangelho no larEvangelho no lar
Evangelho no lar
 
Fundamentos espiritas e o evangelho de jesus
Fundamentos espiritas e o evangelho de jesusFundamentos espiritas e o evangelho de jesus
Fundamentos espiritas e o evangelho de jesus
 
Homossexualidade, na ótica espirita
Homossexualidade, na ótica espiritaHomossexualidade, na ótica espirita
Homossexualidade, na ótica espirita
 
Caminhos, na ótica espírita
Caminhos, na ótica espíritaCaminhos, na ótica espírita
Caminhos, na ótica espírita
 

Último

Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermosEnfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
FernandoCavalcante48
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
marcobueno2024
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 

Último (10)

Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermosEnfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 

Dores da Alma, a psicologia das dores humanas

  • 1. Dores da Alma Espirito Hammed Pelo Médium Francisco do Espirito Santo Neto Eduardo Ottonelli Pithan 82042277 Vagalumes – Novo Hamburgo
  • 2. Sofremos de solidão toda vez que desprezamos as inerentes vocações e naturais tendências de nossa alma. Hammed, psicografado por Francisco do Espirito Santo Neto, do Livro Dores da Alma
  • 3. BIBLIOGRAFIA • EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO, Allan Kardec, Cap VI, número 5; • Livro dos Espíritos questões 697, 728, 780, 827, 940; • Livro “DORES DA ALMA” ditado por Hammed, psicografado pelo Médiun Francisco do espírito Santo Neto;
  • 4. Livro dos Espíritos 780. O progresso moral acompanha sempre o progresso intelectual? “Decorre deste, mas nem sempre o segue imediatamente.” a) - Como pode o progresso intelectual engendrar o progresso moral? “Fazendo compreensíveis o bem e o mal. O homem, desde então, pode escolher. O desenvolvimento do livre-arbítrio acompanha o da inteligência e aumenta a responsabilidade dos atos.”
  • 5. Como se dá o progresso do espírito INTELECTUAL MORAL EVOLUÇÃO
  • 6. Orientação Evangelho segundo o Espiritismo Espíritas! AMAI-VOS, este o primeiro ensinamento; INSTRUÍ-VOS, este o segundo. No Cristianismo encontram-se todas as verdades; são de origem humana os erros que nele se enraizaram... O Espírito de Verdade. (Paris, 1860.) (Evangelho Segundo o Espiritismo), Cap VI, número 5
  • 7. DORES DA ALMA  Resultado de estudos e meditações sobre os ensinamentos superiores do LIVRO DOS ESPÍRITOS;  Partem dos sete pecados capitais: Orgulho, preguiça, a raiva, a inveja, a gula, a luxuria e a avareza;  Constituem dentro dessa doutrina, os sete pecados, as razões psíquicas para o desequilíbrio humano considerados mais como desajustes, neuroses ou desequilíbrios íntimos;  As dores da alma são fases naturais da evolução terrena e que nos propiciam aprender a usar, convenientemente, nossos impulsos inatos ou forças interiores;  A dor emocional, diferentemente da lesão material, implica uma angustia no corpo todo;  As explicações buscam EXPLICAR, SOLUCIONAR, REFLETIR e RENOVAR nossas atitudes.
  • 8. Dores da Alma CRUELDADE ORGULHO IRRESPONSABILIDADE CRÍTICA ILUSÃO MEDO PREOCUPAÇÃO VÍCIO SOLIDÃO CULPA MÁGOA EGOÍSMO BAIXA AUTOESTIMA RIGIDEZ ANSIEDADE PERDA INSEGURANÇA REPRESSÃO DEPRESSÃO DEPENDÊNCIA INVEJA
  • 9. Definimos COMPORTAMENTO como o conjunto de reações e condutas de um indivíduo em RESPOSTA a um estímulo. O QUE DEFINE NOSSO COMPORTAMENTO ESTÍMULO EXTERNO EMOÇÃO COMPORTAMENTO (REAÇÃO - RESPOSTA)
  • 10. Nossas convicções íntimas é que determinam nossos comportamentos exteriores. Nossos valores sobre nós mesmos (conscientes e inconscientes), sobre o mundo que nos cerca, nosso conhecimento intelectual, moral, nossas emoções, sentimentos e experiências passadas e presentes determinam nossa resposta. COMO SE DÁ NOSSA RESPOSTA CONCEITO AUTO CONCEITO AUTO ESTIMA SELF
  • 11. Somos responsáveis pelo que plantamos Quando selecionamos um determinado comportamento, cujo resultado é possível prever, estamos também escolhendo esse mesmo resultado e, obviamente, devemos aceitar a responsabilidade de tal fato. (...) ninguém nos obriga a agir desta ou daquela forma. Somos responsáveis por tudo o que experimentamos em nós mesmos; enfim, criamos nossa própria realidade.
  • 12. Conceito de Imaturidade O indivíduo que não aceita a responsabilidade por seus atos e, constantemente, cria álibis e recorre a dissimulações, culpando os outros, é denominado imaturo.
  • 14. CRUELDADE A crueldade é a qualidade do que é cruel, se define como uma resposta emocional de indiferença quando da obtenção de prazer no sofrimento e dor de outros. Questão 827, Livro do Espíritos A obrigação de respeitar os direitos alheios tira ao homem o de pertencer-se a si mesmo? “De modo algum, porquanto este é um direito que lhe vem da natureza.”
  • 15. CRUELDADE 754. A crueldade não derivará da carência de senso moral? “Dize - da falta de desenvolvimento do senso moral; não digas da carência, porquanto o senso moral existe, como princípio, em todos os homens. É esse senso moral que dos seres cruéis fará mais tarde seres bons e humanos. Ele, pois, existe no selvagem, mas como o princípio do perfume no gérmen da flor que ainda não desabrochou.” Em estado rudimentar ou latente, todas as faculdades existem no homem. Desenvolvem-se, conforme lhes sejam mais ou menos favoráveis as circunstâncias. O desenvolvimento excessivo de uma detém ou neutraliza o das outras. A sobreexcitação dos instintos materiais abafa, por assim dizer, o senso moral, como o desenvolvimento do senso moral enfraquece pouco a pouco as faculdades puramente animais. CRUELDADE BONDADE
  • 16. Nunca amadureceremos, se deixarmos os outros pensarem por nós e determinarem nossas escolhas.. Hammed psicografado por Francisco do Espirito Santo Neto
  • 17. Dessa maneira, podemos entender que, quanto mais impedirmos as pessoas com as quais convivemos de agir e pensar por si mesmas, mais estaremos dificultando suas oportunidades de amadurecimento e de crescimento espiritual. Os empreendimentos que os outros elegeram como os melhores para si deverão ser respeitados, pois os direitos naturais do homem lhes garantem a possibilidade de tomar decisões, errar, aprender, crescer, mudar e julgar a si mesmos. CULPA
  • 18. AUTOCRUELDADE Quem busca consenso, crédito e popularidade não julga seus comportamentos por si mesmo, mas procura, ansiosamente, as palmas dos outros, oferecendo inúmeras razões para que suas atitudes sejam totalmente consideradas. Vivendo e seguindo seus próprios passos, poderá inicialmente encontrar dificuldades momentâneas, mas, como tempo, será compensado com um enorme bem-estar e uma integral segurança da alma. Estar alheio ou sair de si mesmo, NA ÂNSIA DE SER AMADO POR TODOS AQUELES QUE CONSIDERA MODELOS IMPORTANTES, SERÁ UMA META ALIENADA E INATINGÍVEL. O único modo de alcançar a felicidade é viver, particularmente, a própria vida.
  • 19. COMO AGIR Pensar e agir, defendendo nosso íntimo e nosso direitos inatos e, definindo nossas perspectivas pessoais, sem subtrair os direitos dos outros, é a imunização contra a autocrueldade.
  • 20. Agressividade Cada ato de agressividade que ocorre neste mundo tem como origem básica uma criatura que ainda não aprendeu a amar.
  • 21. Conselho da espiritualidade Para vivermos bem com nós mesmos, é preciso estabelecer padrões de autorespeito, aprendendo a dizer “não sei”, “não compreendo”, “não concordo” e “não me importo”. As criaturas que procuram bajulação e exaltação martirizam-se para não cometer erros, pois a CENSURA, a DEPRECIAÇÃO e a DESESTIMA é o que mais atemorizam. Esquecem-se de que os erros são significativas formas de aprendizagem das coisas.
  • 22. Não se esqueçam... Três coisas que causam depressão: Medo ESTRESSE Ansiedade Solidão
  • 23. É preciso saber lidar com nossas emoções; não devemos censurar por senti-las, mas sim julgar a decisão do que faremos com elas. Somos também natureza; possuímos as estações da alegria, do entusiasmo, da moderação e do desânimo, assim como as da primavera, do verão, do outono e do inverno. DEPRESSÃO
  • 24. Depressão é o resultado de nossa consciência quando abrimos mão de nossos sentimentos, pensamentos, emoções e necessidades em favor de alguém, somente para receber aprovação e consideração. Viver o direito de sentirmos nossas emoções equivale a ser honesto com nós mesmos. Portanto, não devemos nos culpar por fatos negativos do passado, pois tudo o que fizemos estava ao nível de nossa compreensão à época em que eles ocorreram. DEPRESSÃO
  • 25. A reunião de todas nossas ansiedades não poderá alterar nosso destino; somente nosso empenho, determinação e vontade no MOMENTO PRESENTE é que poderá transformá- lo para melhor. ANSIEDADE
  • 26. A preocupação pode produzir ansiedade, levando-nos, a partir de então, a imaginar fatos catastróficos. Quando nos preocupamos com o futuro, não vivemos o agora e sofremos imensa imobilização, que toma conta do nosso presente, advinda de coisas que irão ou não acontecer no amanhã. ANSIEDADE
  • 27. VIVER O AQUI E AGORA Passado Futuro
  • 28. Os preocupados vivem entorpecidos no hoje por quererem controlar, com seus pensamentos e com sua imaginação, os fatos do amanhã. PREOCUPAÇÃO
  • 29. PREOCUPAÇÃO O dia de hoje nos fornecerá exatamente as oportunidades de que precisamos para compor com estrofes e versos harmônicos o “poema de nossa vida” , cuja métrica foi antecipadamente determinada por nós ontem. Nossas experiências da vida não acontecem por acaso. O planejamento Divino nada faz sem um designío proveitoso; tudo tem sua razão de ser. Não é preciso desespero, nem preocupação; tudo acontece como tem que acontecer. Espírito Hammed, por Francisco do Espírito Santos Neto, Livro As Dores da Alma
  • 30. Vive com plenitude o presente e verás o futuro relatar as consequências dos teus atos do ontem, que contam tua própria história de vida. Tudo aquilo que precisares aprender, discernir e compreender chegará em tua existência repetidas vezes até dares a devida atenção, efetuando assim a aprendizagem necessária. Experiência é a soma dos teus desacertos e desenganos. ANSIEDADE
  • 31. Crer com firmeza que Deus nunca erra e sempre está se manifestando e se pronunciando em tudo e em todos será sempre um método feliz de se despreocupar. Crer que Ele está sempre disposto a nos prover de tudo o que necessitamos para nosso amadurecimento espiritual é o melhor antídoto contra a ansiedade e os excessos de imaginação dramática. ANSIEDADE COMO LIDAR
  • 32. O resultado do medo em nossa vidas será a perda do nosso poder de pensar e agir com espontaneidade. O medo nos incapacita, nos impede de lutar e nos paralisa. MEDO
  • 33. Os erros são quase que inevitáveis para quem quer avançar e crescer. São acidentes de percurso, contingências do processo evolutivo que todos estamos destinados a vivenciar. Deus permite que o erro integre nosso caminho. Aliás, ele faz parte das nossas condições evolutivas, para que possamos aprender e assimilar as experiências da vida. Por que então usar de rigidez perante os acontecimentos da vida? Ser flexível não quer dizer perda de personalidade ou “ser volúvel”, mas ser acessível à compreensão das coisas e pessoas. Deixar a rigidez mental é fator básico para o crescimento interior. RIGIDEZ
  • 34. Observamos que, mesmo acumulando diversas experiências e aprendizagem na caminhada terrena e efetuando expressivas mudanças de comportamento, os idosos continuam procedendo de acordo com tudo aquilo que sempre foram. Não só na terceira idade, mas em todas as etapas da vida, deve-se fugir dos hábitos, opiniões e ideias conservadoras, porquanto não se pode adotar nada em caráter definitivo. “O mais eficaz dos hábitos é o hábito de saber quando se deve mudar de hábito”
  • 35. Nem sempre a solidão pode ser encarada como dor ou insânia. É, em muitas ocasiões, períodos de preparação, tempos de crescimento, convites da vida ao amadurecimento. SOLIDÃO
  • 36. Declarar de modo geral que o divórcio é sempre errado é tão incorreto quanto assegurar que esta sempre certo. 697. Está na lei da Natureza, ou somente na lei humana, a indissolubilidade absoluta do casamento? “É uma lei humana muito contrária à da Natureza. Mas os homens podem modificar suas leis; só as da Natureza são imutáveis.” SOLIDÃO
  • 37. O produto amargo de nossa infelicidade amorosa são nossas mágoas, resultado direto de nossas expectativas, que não se realizaram, sobre nós mesmos e sobre outras pessoas. Perdemos excelentes oportunidades de crescimento pessoal queixando-nos cotidianamente de que estamos sendo ignorados e usados, porém nunca tomamos atitude alguma. Deixamo-nos magoar pelos outros e acabamos (por que não dizer?) magoando a nós mesmos. Reagimos as ofensas e ao desdém, experimentando sentimentos de frustração, negação, autopiedade, raiva e imensa mágoa. Culpamos as pessoas pelos nossos sofrimentos, verbalizando as mais diversas condenações e, em seguida, esforçamo-nos exaustivamente para não ver que a origem de nossas dores morais é fruto da nossa negligência e comodismo. MÁGOA
  • 38. É profundamente irracional nutrir a crença de que nunca seremos traídos e de que sempre seremos amados e entendidos plenamente por todos. A mágoa não elaborada se volta contra o interior da criatura, alojando-se em determinado órgão, desvitalizando-o. Mágoa se transforma com o tempo em rancor, exterminando gradativamente nosso interesse pela vida e desajustando-nos quanto a seu significado maior. (Depressão) A maneira decisiva de atingirmos o equilíbrio interior é aceitarmos nossas emoções e sentimentos como realmente eles se apresentam, pois, deixando de ignorá-los, passaremos a nos adaptar firmemente à realidade dos fatos e dos acontecimentos que estamos vivenciando. MÁGOA
  • 39. Justificamos nossa infelicidade conjugal como sendo “débitos do passado” e passamos uma vida inteira buscando “álibis reencarnatórios” para compensar o desprezo com que somos tratados e a opção que fizemos de viver com criaturas que nos desconsideram e nos agridem a alma constantemente. MÁGOA
  • 40. Livro dos Espíritos 940. Não constitui igualmente fonte de dissabores, tanto mais amargos quanto envenenam toda a existência, a falta de simpatia entre seres destinados a viver juntos? “Amaríssimos, com efeito. Essa, porém, é uma das infelicidades de que sois, as mais das vezes, a causa principal. Em primeiro lugar, o erro é das vossas leis. Julgas, porventura, que Deus te constranja a permanecer junto dos que te desagradam? Depois, nessas uniões, ordinariamente buscais a satisfação do orgulho e da ambição, mais do que a ventura de uma afeição mútua. Sofreis então as consequências dos vossos prejuízos.”
  • 41. NÃO IDEALIZE O SER AMADO O ser IDEALIZADO é uma fantasia mental. É uma imitação inflexível, construída artificialmente sobre uma combinação de dois básicos comportamentos neuróticos, a saber: Adorar padrões existenciais super-rígidos, impossíveis de serem atingidos, e alimentar o orgulho de acreditar-se onipotente, superior e invulnerável. A coexistência desses dois modos de pensar ocasiona frequente estados de SOLIDÃO, TRISTEZA habitual e sentimentos mútuos de VAZIO e ABORRECIMENTO na vida afetiva de um casal. O AMOR e o RESPEITO a NÓS MESMOS cria uma atmosfera propícia para identificarmos nossa verdadeira natureza, isso é, nossa identidade da alma, facilitando nosso crescimento espiritual e, por conseguinte, proporcionando alegria de viver.
  • 42. A compulsão de querer controlar a vida alheia é fruto do nosso orgulho. ORGULHO
  • 43. Bom Mestre Para ser bom mestre não é preciso fazer seguidores ou discípulos, nem mesmo possuir cortejos ou comitivas, mas simplesmente fazer com que cada ser descubra em si mesmo o seu próprio guia. Não devemos ditar nossas regras aos indivíduos, mas fazer com que eles tomem consciência de seus valores internos (senso, emoções e sentimentos) e passem a usá-los sempre que necessário. Essa a função dos que querem ajudar o progresso espiritual dos outros.
  • 44. Somos nós mesmos que fazemos nossos caminhos e depois os denominamos de fatalidade. Os acontecimentos exteriores de nossa vida são o resultado direto de nossas atitudes internas. O amadurecimento do ser humano inicia-se quando cessam suas acusações ao mundo. IRRESPONSABILIDADE
  • 45. O QUE É SER RESPONSÁVEL 1. Ser responsável implica ter a DETERMINAÇÃO PARA RESPONDER PELAS CONSEQUÊNCIAS das atitudes adotadas. 2. Ser responsável é ASSUMIR AS EXPERIÊNCIAS PESSOAIS, para atingir uma real compreensão dos acertos e dos desenganos. 3. Ser responsável é DECIDIR POR SI MESMO para onde ir e descobrir a razão do próprio querer. 4. Não existem “vitimas da fatalidade”; nós é que somos os promotores do nosso destino. Somos a causa dos efeitos que ocorrem em nossa existência. 5. Aceitar o PRINCÍPIO DA RESPONSABILIDADE INDIVIDUAL e estabelecer limites descomplica nossa vida, tornando-nos cada vez mais conscientes de tudo o que acontece ao nosso derredor.
  • 46. FAZER BOAS ESCOLHAS Transformação começa sempre numa atitude DETERMI NAÇÃO LIVRE VONTADE Escolhas NOVAS PENSAMENTO AUTOMÁTICO RIGIDEZ Escolhas MESMAS EVOLUÇÃO ESTAGNAÇÃO
  • 47. Os críticos são especialistas em detectar e resolver os problemas que não lhes dizem respeito, mas, contrariamente, possuem uma grave dificuldade em aceitar a sua própria problemática existencial. CRÍTICA
  • 48. Tudo o que criticarmos, veementemente, no exterior encontraremos em nossa intimidade. Carmas são estruturados não somente sobre nossos feitos e atitudes, mas também sobre nossas sentenças e juízos, críticas e opiniões. O crítico, por vigiar e espreitar sem interrupção os problemas alheios, permanece inconsciente e imobilizado em relação a própria aprendizagem evolucional. CRÍTICA
  • 49. São compreensíveis as lamentações e os pesares, o pranto e os suspiros, pois o ser humano passa por processos psicológicos de adaptação e de reajuste às perdas da vida. Nascer e morrer fazem parte de um fenômeno comum e necessário. Tudo nasce, tudo se desenvolve, mas tudo se definha. Sempre há um tempo de partir. É importante identificarmos nossa tristeza e sua função de momento; jamais devemos, no entanto, identificar-nos com ela em si. PERDA
  • 50. PERDA 728. É lei da Natureza a destruição? “Preciso é que tudo se destrua para renascer e se regenerar. Porque, o que chamais destruição não passa de uma transformação, que tem por fim a renovação e melhoria dos seres vivos.”
  • 51.
  • 52. FELICIDADE A felicidade não é deste mundo por força do estado evolutivo dos espíritos aqui encarnados. Infelizmente aqui ainda predomina o mal. No entanto nós podemos trabalhar pela nossa felicidade e de todos em geral, hoje e futura, agindo com inteligência em nossas escolhas e pensando nas consequências das nossas atitudes. Felicidade é de outro lado, resultado do esforço por querer ser melhor, por se deixar aprender com a vida de forma intencional e deliberada. Eduardo O Pithan