SlideShare uma empresa Scribd logo
EXPANSAO TERRITORIAL DO BRASIL
expansão territorial do Brasil questões vestibular
A expansão territorial brasileira
A expansão territorial brasileira está associada à diversidade de atividades
que foram se desenvolvendo no Brasil Colônia à medida em que foi
ocorrendo a expansão demográfica e também em decorrência da crise do
ciclo da cana-de-açúcar no Nordeste.
Após a União Ibérica (1580-1640), houve a anulação do Tratado de
Tordesilhas, que possibilitou que as terras mais afastadas do litoral
brasileiro pudessem ser ocupadas pelos colonos, e ainda mais porque eram
áreas que não interessavam na colonização espanhola. Então, ocupado de
maneira desigual e por diferentes motivos, podemos resumir a expansão
territorial brasileira assim:
Região Nordeste: o litoral foi o primeiro local da ocupação portuguesa,
devido ao interesse econômico da cana-de-açúcar e também por motivo da
defesa militar do território. Podemos observar que a maioria das capitais
nordestinas, com exceção de Teresina-PI, são cidades litorâneas. Já o
interior do Nordeste foi povoado pela expansão da pecuária, tendo como
principal eixo o Rio São Francisco, e outros povoamentos que eram
cortados pelos rios, como o Rio Jaguaribe, no Ceará. A pecuária torna-se o
principal meio econômico do Nordeste, que traz até hoje a figura do
vaqueiro como representante de sua cultura.
Região Sudeste e Centro-Oeste: essas regiões foram povoadas pela
atuação dos bandeirantes, em busca de ouro e no apresamento dos índios.
Na verdade, a figura do bandeirante é decisiva para a expansão territorial
brasileira, já que foi através das bandeiras que o interior do Brasil foi sendo
penetrado, na corrida do ouro, no início do século XVIII. As cidades mineiras
onde se concentraram a extração mineradora, também foi onde mais se
concentrou a população, contribuindo para o desenvolvimento das cidades,
construção de estradas, surgimento de vilas e a urbanização do Sudeste
brasileiro.
Região Norte: teve como processo de povoamento também a atuação dos
bandeirantes que foram em busca das drogas do sertão (as especiarias da
floresta Amazônica brasileira) para comercialização.
Região Sul: foi colonizada por incentivo da Metrópole para assegurar o
controle das fronteiras com a América espanhola, além de ter desenvolvido
um grande centro de ação jesuítica com os Sete Povos das Missões. A
Região Sul também se desenvolveu economicamente através da pecuária e
charqueadas;
Expansão territorial: bandeiras e bandeirantes
Foram os bandeirantes os responsáveis pela ampliação do território
brasileiro além do Tratado de Tordesilhas. Os bandeirantes penetram no
território brasileiro, procurando índios para aprisionar e jazidas de ouro e
diamantes. Foram os bandeirantes que encontraram as primeiras minas de
ouro nas regiões de Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso.
Bandeiras de sertanismo de contrato – Foram expedições contratadas
por donatários, governadores ou senhores de engenho, a fim de
combater índios, capturar escravos fugidos ou destruir quilombos
(redutos de escravos fugidos).
O mais importante foco de resistência negra contra a escravidão foi o
quilombo de Palmares, que se formou na serra da Barriga, em Alagoas.
Nessa região de difícil acesso, desenvolveu-se uma comunidade auto-
suficiente que produzia milho, mandioca, banana, cana-de-açúcar e que,
durante certo período, chegou a comercializar seus excedentes com as
regiões vizinhas.
Palmares estabeleceu-se ao longo do século XVII, chegando a abrigar
mais de 20 mil negros fugidos dos engenhos, dispersos durante a
invasão holandesa. (...) Em 1694, depois de um longo cerco, o paulista
Domingos
Jorge Velho, a serviço dos senhores de engenho, invadiu e destruiu
Palmares. Muitos de seus habitantes conseguiram fugir e reorganizaram-
se sob o comando de Zumbi, continuando a luta contra os brancos. Em
20 de novembro de 1695, Zumbi, o mais famoso líder da luta pela
liberdade dos escravos, foi preso, morto e esquartejado, sendo sua
cabeça exposta numa praça de Recife para atemorizar as possíveis
rebeliões.
O Ciclo do Ouro: século XVIII
Após a descoberta das primeiras minas de ouro, o rei de Portugal tratou de
organizar sua extração. Interessado nesta nova fonte de lucros, já que o
comércio de açúcar passava por uma fase de declínio, ele começou a
cobrar o quinto. O quinto nada mais era do que um imposto cobrado pela
coroa portuguesa e correspondia a 20% de todo ouro encontrado na
colônia. Este imposto era cobrado nas Casas de Fundição.
A descoberta de ouro e o início da exploração da minas nas regiões
auríferas (Minas Gerais, Mato Grosso e Goiás) provocou uma verdadeira
"corrida do ouro" para estas regiões. Procurando trabalho na região,
desempregados de várias regiões do país partiram em busca do sonho de
ficar rico da noite para o dia.
O trabalho dos tropeiros foi de fundamental importância neste período, pois
eram eles os responsáveis pelo abastecimento de animais de carga,
alimentos (carne seca, principalmente) e outros mantimentos que não eram
produzidos nas regiões mineradoras.
Desenvolvimento urbano nas cidades mineiras
Cidades começaram a surgir e o desenvolvimento urbano e cultural
aumentou muito nestas regiões. Foi neste contexto que apareceu um dos
mais importantes artistas plásticos do Brasil : Aleijadinho.
Vários empregos surgiram nestas regiões, diversificando o mercado de
trabalho na região aurífera. Igrejas foram erguidas em cidades como Vila
Rica (atual Ouro Preto), Diamantina e Mariana.
Para acompanhar o desenvolvimento da região sudeste, a capital do país foi
transferida de Salvador para o Rio de Janeiro.
Exploração econômica da Amazônia/ as drogas do sertão
A conquista e ocupação da região amazônica se fez através da expedição
de Pedro Teixeira, de 1637 a 1639, que subiu o rio Amazonas fundando
vários núcleos de povoamento e fortes militares. Ao retornar ele foi
nomeado capitão-mor da recém-criada capitania do Pará, que englobava
Amazonas e Pará. A colonização, contudo, sedimentou, graças aos jesuítas
que exploravam a mão-de-obra indígena, por meio das Missões, na colheita
das “drogas do sertão”.
Aproveitamento econômico do Prata
Atraído pelo importante comércio da região do rio da Prata em razão
também do contrabando com a área espanhola, Portugal ordenou, em 1680,
a fundação oficial da Colônia do Sacramento, na margem esquerda do rio,
sinalizando seus reais interesses na região. Parte dessa região seria
povoada e ocupada posteriormente pela pecuária, atraindo paulistas e
imigrantes açorianos para a região.
A expansão territorial,facilitada pelo Domínio Espanhol (1580-1640) e
realizada por diversos fatores, como as bandeiras, a pecuária e a expansão
oficial, levou Portugal e Espanha a realizarem vários tratados sobre os
limites territoriais.
O mais importante foi o de Madri, de 1750, que deu, mais ou menos, a atual
configuração geográfica do Brasil. O defensor dos direitos portugueses foi
Bartolomeu de Gusmão, que se baseou no Direito Romano, utilizando o
preceito do uti possidetis
A expansão da pecuária
Da sua introdução nos engenhos do litoral nordestino, o gado se
expandiu em direção ao sertão, no primeiro século e meio da
colonização. Com isso, o Sertão do Nordeste e o Vale do Rio São
Francisco surgem como as principais regiões pecuaristas da colônia, o
que garantiu a ocupação de um grande território do interior brasileiro.
Outra região que se voltaria também para a pecuária seria o sul de Minas
Gerais, já no século XVIII. Ali, a criação de gado envolvia certa técnica
superior, fazendas com cercados, pastos bem cuidados e rações extras
para os animais; no manejo dos rebanhos era utilizada a mão-de-obra
escrava. O seu mercado era representado pelas zonas urbanas
mineradoras, o que provocou uma diversificação da produção: gado
bovino, muares, suínos, caprinos e eqüinos.
Também os Campos Gerais, correspondendo ao interior de São Paulo e
Paraná, foram outra região de pecuária, com a produção de animais de
tiro para a região mineradora. Nessa região predominava a mão-de-obra
livre, constituída pelos tropeiros.
Por fim, a pecuária seria desenvolvida ainda no Rio Grande do Sul, no
século XVIII. Nesse caso específico, a pecuária promoveu não apenas a
ocupação do território rio-grandense, mas, também, o seu povoamento.
A atividade criatória gaúcha utilizava-se do trabalho livre, havendo,
contudo, o emprego paralelo de escravos e dos indígenas oriundos das
missões.
Questões sobre expansão territorial brasileira
No Brasil colônia, a pecuária teve um papel decisivo na
a) ocupação das áreas litorâneas.
b) expulsão do assalariado do campo.
c) formação e exploração dos minifúndios.
d) fixação do escravo na agricultura.
e) expansão para o interior.
(UEL-PR) "Como não se tratava de regiões aptas para a produção de gêneros
tropicais de grande valor comercial, como o açúcar ou outros, foi-se obrigado para
conseguir povoadores (...) a recorrer às camadas pobres ou médias da população
portuguesa e conceder grandes vantagens aos colonos que aceitavam irem-se
estabelecer lá. O custo do transporte será fornecido pelo Estado, a instalação dos
colonos é cercada de toda a sorte de providências destinadas a facilitar e garantir
a subsistência dos povoadores; as terras a serem ocupadas são previamente
demarcadas em pequenas parcelas, (...) fornecem-se gratuitamente ou a longo
prazo auxílios vários (instrumentos de trabalho, sementes, animais, etc)".
(Prado Júnior, C. História econômica do Brasil. 27 ed. S. Paulo: Brasiliense, 1982.
p. 95-6)
Com base no texto, é possível afirmar que o autor se refere:
a) à colonização do sertão nordestino através da pecuária.
b) à ocupação da Amazônia através das drogas do sertão.
c) à expansão para o interior paulista pelas entradas e bandeiras.
d) à colonização do Sul através da pecuária.
e) ao povoamento das Capitanias Hereditárias.
Fuvest-SP) Os fatores que levaram ao desenvolvimento e à ampliação das
atividades econômicas periféricas da colônia, tais como, a pecuária, o tabaco, as
drogas do sertão e mesmo o pau-brasil, em detrimento da lavoura de cana-de-
açúcar, após a expulsão dos holandeses, em 1654, foram:
a) a criação de um mercado interno fomentado pelo descobrimento das minas de
ouro no final do século XVI e sua ampliação para as cidades litorâneas da colônia.
b) a inversão significativa da utilização da mão de obra escrava pela mão de obra
livre na região das minas, criando, assim, um mercado consumidor expressivo.
c) estagnação econômica do Centro-Oeste, em função do renascimento agrícola
no Nordeste, ao longo do século XVII.
d) o acompanhamento destas atividades, primeiro como complemento da atividade
açucareira e, posteriormente, como núcleos abastecedores da atividade
mineradora e seus desdobramentos.
e) todas as alternativas anteriores estão corretas.
(UFSE) O texto abaixo refere-se à atividade pecuarista no Brasil Colônia: O gado
podia penetrar o Sertão. Não tinha o problema seríssimo do transporte, porque
transportava a si mesmo. A mão de obra exigida era pouca. Sem a complexidade
da agricultura, principalmente da canavieira, tinha na amplitude do sertão o
caminho de sua expansão, acompanhando os rios rumo ao interior.
Assinale a única alternativa não contida no texto.
a) A criação do gado era pouco exigente com respeito à mão de obra.
b) A agricultura açucareira era atividade mais complexa do que a criação de gado.
c) A penetração do gado no Sertão não envolvia custos no transporte.
d) A pecuária não tinha maior produtividade do que as atividades agrícolas.
e) O Sertão apresentou-se como caminho adequado para a expansão e criação do
gado.
1)(UFPR) São ações resultantes da conquista e ocupação do território
brasileiro, exceto:
a) expedições militares organizadas pelo governo
b) bandeirantes que percorriam o sertão
c) padres jesuítas que fundavam aldeias para catequização dos índios
d) criadores de gados que tiveram seus rebanhos e fazendas
e) A invasão dos mineiros com a descoberta de ouro no litoral.
2) São cidades que surgiram no período das expedições militares,
exceto:
a) São Vicente
b) Filipeia de Nossa Senhora das Neves
c) Forte dos Reis Magos
d) Fortaleza de São Pedro
e) Forte do Presépio
3) (UFRS) Como objetivos da expansão oficial, podemos destacar
a) a recuperação econômica das áreas canavieiras, destruídas pelos
holandeses, e a exploração econômica da Amazônia.
b) a preação de indígenas e o aproveitamento econômico do rio da Prata.
c) a defesa do território e a extinção do Quilombo de Palmares.
d) a exploração econômica da Amazônia e o aproveitamento econômico da
Prata.
e) a obtenção de riquezas, graças à exploração de jazidas minerais.
4) O desenvolvimento da economia das “Drogas do Sertão”, na bacia
Amazônica, na segunda metade do século XVII e primeira do século
XVIII, está ligado
a) ao desempenho das missões religiosas, particularmente dos jesuítas,
utilizando mão-de-obra indígena.
b) ao Tratado de Badajóz (1801), pelo qual Portugal perdeu alguns
domínios no Oriente para a Holanda.
c) à falta de interesse da Inglaterra em distribuir o açúcar e o algodão
brasileiros na Europa.
d) à concorrência das especiarias orientais comercializadas no mercado
europeu pela Inglaterra e Holanda.
e) ao período da união das Coroas ibéricas, em que Portugal e Brasil
ficaram subordinados aos reis Habsburgos.
5) A pecuária do Nordeste foi uma atividade
a) que preexistiu à economia açucareira,pois os indígenas já praticavam
o pastoreio.
b) que se desenvolveu paralelamente à economia açucareira visando a
abastecer esta última em alimentos (carne) e força motriz.
c) auto-suficiente, totalmente desvinculada da grande lavoura.
d) que decorreu de um plano elaborado pela Metrópole.
6) A interiorização do povoamento no território brasileiro nos séculos XVII
e XVIII decorreu:
a) do êxito da empresa agrícola que liberou mão-de-obra livre e escrava
para a ocupação do interior.
b) do interesse português em ocupar o interior com a cana-de-açúcar.
c) da ampliação do quadro administrativo da metrópole.
d) da expansão das atividades econômicas, particularmente da pecuária e
da mineração.
e) exclusivamente do estabelecimento de missões jesuíticas no interior da
Colônia.
7) (Fuvest-SP) No século XVII, contribuíram para a penetração para o
interior brasileiro:
a) o desenvolvimento das culturas da cana-de-açucar e do algodão.
b) o apresamento de indígenas e a procura de riquezas minerais.
c) a necessidade de defesa e o combate aos franceses.
d) o fim do domínio espanhol e a restauração da monarquia portuguesa.
e) a Guerra dos Emboabas e a transferência da capital da colônia para o
Rio de Janeiro.
8) (Fuvest-SP) Em 1694, uma expedição chefiada pelo bandeirante
Domingos Jorge Velho foi encarregada pelo governo metropolitano de
destruir o quilombo de Palmares. Isto se deu porque:
a) os paulistas, excluídos do circuito da produção colonial centrada no
Nordeste, queriam aí estabelecer pontos de comércio, sendo impedidos
pelos quilombos.
b) os paulistas tinham prática na perseguição de índios, os quais, aliados
aos negros de Palmares, ameaçavam o governo com movimentos
milenaristas.
c) o quilombo desestabilizava o grande contingente escravo existente no
Nordeste, ameaçando a continuidade da produção açucareira e da
dominação colonial.
d) os senhores de engenho temiam que os quilombolas, que haviam
atraído brancos e mestiços pobres, organizassem um movimento de
independência da colônia.
e) os aldeamentos de escravos rebeldes incitavam os colonos à revolta
contra a metrópole, visando trazer novamente o Nordeste para o domínio
holandês
Gabarito:
1) E 2) A 3) D 4) A 5) B 6) D 7) B 8) C
01. (UFSCar-SP) Quanto à "Marcha de Povoamento e a Urbanização do Século XVII"
A respeito da ocupação do território brasileiro, foram feitas as quatro observações seguintes:
I. Iniciou-se pela nascente do rio Amazonas.
II. Seguiu os cursos dos rios em direção ao interior.
III. Foi decorrência da penetração do gado, da busca de metais preciosos e da exploração de drogas do
sertão.
IV. Significou a criação de vilas e cidades na região do Planalto Central.
Pode-se afirmar que estão corretas:
a) I e II, apenas.
b) I, II e III, apenas
c) I, II, III e IV.
d) II e III, apenas.
e) III e IV, apenas.
02. (UEL-PR) A que fatores se deve a expansão do território brasileiro, entre 1500 e 1822?
03. (Cesgranrio-RJ) A formação do território brasileiro no período colonial resultou de vários
movimentos expansionistas e foi consolidada por tratados no século XVIII. Assinale a opção que
relaciona corretamente os movimentos de expansão com um dos Tratados de Limites.
a) A expansão da fronteira norte, impulsionada pela descoberta de minas de ouro, foi consolidada no
tratado de Utrecht.
b) A região missioneira do sul constituiu um caso à parte, só resolvido a favor de Portugal com a
extinção da Companhia de Jesus.
c) O Tratado de Madri revogou o de Tordesilhas e deu ao território brasileiro conformação semelhante à
atual.
d) O Tratado do Pardo garantiu a Portugal o controle da região das missões e do rio da Prata.
e) Os tratados de Santo Ildefonso e Badajós consolidaram o domínio português no sul, passando a
incluir a região platina.
04. (Cesgranrio-RJ) Apesar do predomínio da agromanufatura açucareira na economia colonial
brasileira, a pecuária e a extração das "drogas do sertão" foram fundamentais. A esse respeito,
podemos afirmar que:
a) ocorreu uma grande absorção da mão-de-obra escrava negra, particularmente na pecuária.
b) a presença do indígena na extração das "drogas do sertão" foi essencial pelo conhecimento da
geografia da região Nordeste.
c) por serem atividades complementares, a força de trabalho não se dedicava integralmente a elas.
d) ambas forma responsáveis pelo processo de interiorização do Brasil colonial.
e) possibilitaram o surgimento de um mercado interno que se contrapunha às flutuações do comércio
internacional.
05. (Fuvest-SP) No século XVIII, o governo português incorporou a maior parte da Amazônia ao seu
domínio. A ampliação dessa fronteira da colônia portuguesa deveu-se:
a) aos acordos políticos entre Portugal e França.
b) às lutas de resistência das populações indígenas.
c) ao início da exploração e exportação da borracha.
d) à expulsão dos jesuítas favoráveis à dominação espanhola.
e) à exploração e comercialização das drogas do sertão.
06. (Fuvest-SP) A expansão da colonização no Brasil acentua-se na segunda metade do século XVII,
caracterizando-se pela ocupação do território. Quais os fatores que contribuíram para a expansão da
colonização para além do litoral?
07. (Fuvest-SP) Entre 1750, quando assinaram o tratado de Madrid, e 1777, quando assinaram o
tratado de Santo Ildefonso, Portugal e Espanha discutiram os limites entre suas colônias americanas.
Neste contexto, ganhou importância, na política portuguesa, a idéia da necessidade de:
a) defender a colônia com forças locais, daí a organização dos corpos militares do centro-sul e a
abolição das diferenças entre índios e brancos.
b) fortificar o litoral para evitar ataques espanhóis e isolar o marquês de Pombal por sua política
nitidamente pró-bourbônica.
c) transferir a capital da Bahia para o Rio de Janeiro, para onde fluía a maior parte da produção
açucareira, ameaçada pela pirataria.
d) afastar os jesuítas da colônia por serem quase todos espanhóis e, nesta qualidade, defenderem os
interesses da Espanha.
e) aliar-se política e economicamente à França para enfrentar os vizinhos espanhóis, impondo-lhes
suas concepções geopolíticas na América.
08. (Fatec-SP) "No estado do Maranhão, Senhor, não há ouro nem prata mais que o sangue e o suor
dos índios: o sangue se vende nos que cativam e o suor se transforma em tabaco, no açúcar e nas
demais drogas que os ditos índios se lavram e fabricam. Com este sangue e suor se medeia a
necessidade dos moradores; e com este sangue e suor se enche e enriquece a cobiça insaciável dos
que vão lá governar."
Vieira. Padre Antônio. Obras escolhidas. In: Alencar, Carpi & Ribeiro. História da sociedade brasileira.
Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1979. pp 210-1
O texto acima foi escrito por volta de 1653. As principais riquezas do Maranhão, naquela época, eram:
a) o ouro e a prata.
b) o ouro, a prata e o comércio dos escravos.
c) o tabaco, o açúcar e as drogas.
d) o ouro, a prata, o tabaco e o açúcar.
e) os metais preciosos, o comércio de escravos e o açúcar.
09. (UFPE) Na(s) questão(ões) a seguir escreva nos parênteses (V) se for verdadeiro ou (F) se for
falso.
A ocupação portuguesa no litoral Norte e Nordeste do Brasil, em fins do século XVI e início do século
XVII, deu-se em virtude dos ataques ingleses, franceses e holandeses a esse território. Sobre estas
invasões e ocupações, identifique as proposições verdadeiras e falsas.
( ) Os franceses invadiram Sergipe d'El Rei, a Paraíba, o Rio Grande do Norte, o Ceará, o Maranhão
e o Grão-Pará.
( ) Os holandeses ocuparam, por longo tempo, os territórios da Bahia, Pernambuco, Paraíba e Rio
Grande do Norte.
( ) Os franceses, holandeses e ingleses conquistaram todo o Norte e Nordeste, restando aos
portugueses, no século XVI, o domínio do território abaixo da Bahia.
( ) De todas as invasões do século XVII, a holandesa foi a mais duradoura, no sentido da
permanência da ocupação. Em Pernambuco, o domínio holandês se estendeu de 1630 a 1654.
( ) A conquista do Grão-Pará, pelos portugueses, em 1616, beneficiou o monopólio do comércio
dessa região para Portugal e obrigou os franceses a se instalarem nas Guianas.
10. (Unicamp-SP) A conquista e a posse das terras no Brasil Colonial foram feitas por particulares que
deviam lealdade ao rei de Portugal.
a) Qual foi a mudança territorial do Brasil entre os séculos XVI e XVII.
b) Quais as principais atividades econômicas que promoveram tal mudança?
c) Qual foi a política utilizada pela Metrópole para a distribuição das terras no Brasil Colonial?
Gabarito do seu teste
Resposta 01: letra d
Resposta 02:
- Bandeiras, pecuária, entradas, exploração econômica da Amazônia (drogas do sertão) e do Prata.
Resposta 03: letra c
Resposta 04: letra d
Resposta 05: letra e
Resposta 06:
- Por meio das bandeiras, pecuária, entradas e coleta das drogas do sertão.
Resposta 07: letra a
Resposta 08: letra c
Resposta 09: VVVFF
Resposta 10:
a) A ocupação do interior do território, com destaque para o nordeste, a Amazônia e o sul da colônia.
b) Bandeiras, pecuária e a exploração das drogas do sertão.
c) A distribuição de terras era feita por sesmarias a colonos, para produzir ou para pagamento por
serviços prestados à Metrópole.
1. (Fuvest) Entre as mudanças ocorridas no Brasil Colônia durante a União Ibérica
(1580 - 1640), destacam-se
a) a introdução do tráfico negreiro, a invasão dos holandeses no Nordeste e o início
da produção de tabaco no recôncavo Baiano.
b) a expansão da economia açucareira no Nordeste, o estreitamento das relações
com a Inglaterra e a expulsão dos jesuítas.
c) a incorporação do Extremo-Sul, o início da exploração do ouro em Minas Gerais e a
reordenação administrativa do território.
d) a expulsão dos holandeses do Nordeste, a intensificação da escravização indígena
e a introdução das companhias de comércio monopolistas.
e) a expansão da ocupação interna pela pecuária, a expulsão dos franceses e o
incremento do bandeirismo.
2. (Vunesp) A partir de 1750, com os Tratados de Limites, fixou-se a área
territorial brasileira, com pequenas diferenças em relação a configuração atual. A
expansão geográfica havia rompido os limites impostos pelo Tratado de
Tordesilhas. No período colonial, os fatores que mais contribuíram para a referida
expansão foram:
a) criação de gado no vale do São Francisco e desenvolvimento de uma sólida rede
urbana.
b) apresamento do indígena e constante procura de riquezas minerais.
c) cultivo de cana-de-açúcar e expansão da pecuária no Nordeste.
d) ação dos donatários das capitanias hereditárias e Guerra dos Emboabas.
e) incremento da cultura do algodão e penetração dos jesuítas no Maranhão.
3. (Cesgranrio) A expansão da Colonização Portuguesa na América, a partir da
segunda metade do século XVIII, foi marcada por um conjunto de medidas, dentre
as quais podemos citar:
a) o esforço para ampliar o comércio colonial, suprimindo-se as práticas
mercantilistas.
b) a instalação de missões indígenas nas fronteiras sul e oeste, para garantir a posse
dos territórios por Portugal.
c) o bandeirismo paulista, que destruiu parte das missões jesuíticas e descobriu as
áreas mineradoras do planalto central.
d) a expansão da lavoura de cana para o interior, incentivada pela alta dos preços no
mercado internacional.
e) as alianças políticas e a abertura do comércio colonial aos ingleses, para conter o
expansionismo espanhol.
4. (Fuvest) Entre 1750, quando assinaram o Tratado de Madrid, e 1777, quando
assinaram o Tratado de Santo Ildefonso, Portugal e Espanha discutiram os limites
entre suas colônias americanas. Neste contexto, ganhou importância, na política
portuguesa, a ideia da necessidade de:
a) defender a colônia com forças locais, daí a organização dos corpos militares do
centro-sul e a abolição das diferenças entre índios e brancos.
b) fortificar o litoral para evitar ataques espanhóis e isolar o marquês de Pombal por
sua política nitidamente pró-bourbônica.
c) transferir a capital da Bahia para o Rio de Janeiro, para onde fluía a maior parte
da produção açucareira, ameaçada pela pirataria.
d) afastar os jesuítas da colônia por serem quase todos espanhóis e, nesta qualidade,
defenderem os interesses da Espanha.
e) aliar-se política e economicamente à França para enfrentar os vizinhos espanhóis,
impondo-lhes suas concepções geopolíticas na América.
5. (Fuvest) Em 1694, uma expedição chefiada pelo bandeirante Domingos Jorge
Velho foi encarregada pelo governo metropolitano de destruir o quilombo de
Palmares. Isto se deu porque:
a) os paulistas, excluídos do circuito da produção colonial centrada no Nordeste,
queriam aí estabelecer pontos de comércio, sendo impedidos pelos quilombos.
b) os paulistas tinham prática na perseguição de índios, os quais aliados aos negros
de Palmares ameaçavam o governo com movimentos milenaristas.
c) o quilombo desestabilizava o grande contingente escravo existente no
Nordeste, ameaçando a continuidade da produção açucareira e da dominação
colonial.
d) os senhores de engenho temiam que os quilombolas, que haviam atraído brancos e
mestiços pobres, organizassem um movimento de independência da colônia.
e) os aldeamentos de escravos rebeldes incitavam os colonos à revolta contra a
metrópole visando trazer novamente o Nordeste para o domínio holandês.
6. (Uel) No Brasil Colônia, a pecuária teve um papel decisivo na
a) ocupação das áreas litorâneas.
b) expulsão do assalariado do campo.
c) formação e exploração dos minifúndios.
d) fixação do escravo na agricultura.
e) expansão para o interior.
7. (Cesgranrio) Apesar do predomínio da agromanufatura açucareira na economia
colonial brasileira, a pecuária e a extração das "drogas do sertão" foram
fundamentais. A esse respeito, podemos afirmar que:
a) ocorreu uma grande absorção da mão-de-obra escrava negra, particularmente na
pecuária.
b) a presença do indígena na extração das "drogas do sertão" foi essencial pelo
conhecimento da geografia da região nordeste.
c) por serem atividades complementares, a força de trabalho não se dedicava
integralmente a elas.
d) ambas foram responsáveis pelo processo de interiorização do Brasil colonial.
e) possibilitaram o surgimento de um mercado interno que se contrapunha às
flutuações do comércio internacional.
8. O sertanismo (ou bandeirismo) de contrato, tinha por atividade:
a) a exportação de drogas do sertão;
b) a busca de metais preciosos para o governo português;
c) o tráfico negreiro para a Inglaterra;
d) a captura de índios para escravizá-los;
e) combater revoltas de índios e negros e destruir os quilombos.
9. (Mackenzie) A historiografia tradicional atribui ao bandeirismo o alargamento
do território brasileiro para além de Tordesilhas.
Sobre esta atividade é correto afirmar que:
a) jamais converteu-se em elemento repressor, atacando quilombos ou aldeias
indígenas.
b) as Missões do Sul foram preservadas dos ataques paulistas, devido à presença dos
jesuítas espanhóis.
c) na verdade, o bandeirismo era a forma de sobrevivência para mestiços
vicentinos, rudes e pobres e a expansão territorial ocorreu de forma inconsciente
como subproduto de sua atividade.
d) eram empresas totalmente financiadas pelo governo colonial, tendo por objetivo
alargar o território para além de Tordesilhas.
e) era exercida exclusivamente pelo espírito de aventura dos brancos vinculados à
elite proprietária vicentina, cujas lavouras de cana apresentavam grande
prosperidade.
10. (Cesgranrio) A formação do território brasileiro no período colonial resultou
de vários movimentos expansionistas e foi consolidada por tratados no século
XVIII. Assinale a opção que relaciona corretamente os movimentos de expansão
com um dos Tratados de Limites:
a) A expansão da fronteira norte, impulsionada pela descoberta das minas de ouro,
foi consolidada nos Tratados de Utrecht.
b) A região missioneira no sul constituiu um caso à parte, só resolvido a favor de
Portugal com a extinção da Companhia de Jesus.
c) O Tratado de Madri revogou o de Tordesilhas e deu ao território brasileiro
conformação semelhante à atual.
d) O Tratado do Pardo garantiu a Portugal o controle da região das Missões e do rio
da Prata.
e) Os Tratados de Santo Ildefonso e Badajós consolidaram o domínio português no
sul, passando a incluir a região platina.
11. (Unirio) A definição dos limites do Brasil colonial em diversos tratados,
durante o século XVIII, foi o resultado político de vários movimentos, dentre os
quais se destaca na região sul o(a):
a) interesse português no rio da Prata, materializado na fundação da Colônia do
Sacramento.
b) necessidade natural de ocupação de novas terras para a "plantation" canavieira.
c) proteção portuguesa aos aldeamentos indígenas, contrariando a política espanhola
de escravização do gentio.
d) disputa pela posse das zonas mineradoras na região platina.
e) interferência do Papado na negociação do Tratado de Madri para resguardar as
zonas missioneiras.
12. "A Guerra Guaranítica foi a revolta dos missioneiros guaranis contra as
imposições do Tratado de Madri, que os obrigava a abandonar suas terras,
moradias, plantações e rebanhos. O acordo de 1750 favorecia as monarquias
ibéricas, defendendo seus interesses na região, mas prejudicava gravemente os
indígenas."
(QUEVEDO, Júlio. A GUERRA GUARANÍTICA. São Paulo: Ática, 1996. p.29.)
Com base no texto, é correto afirmar:
a) Os índios reagiram à dominação colonial, porque defendiam exclusivamente o
Império Teocrático organizado pela Igreja Católica, que se sobressaía na América,
através da Companhia de Jesus.
b) Os missioneiros guaranis estavam desaculturados do "ser" índio devido à tirania
jesuíta, portanto defendiam somente os interesses dos padres.
c) A guerra expressou a luta dos missioneiros guaranis que não queriam se
transformar numa espécie de "sem terra" do século XVIII, visto que suas terras foram
doadas aos soldados espanhóis.
d) A guerra representou um dos raros momentos de reação indígena, organizada
contra as imposições da Coroa e dos colonizadores luso-espanhóis.
e) Os missioneiros guaranis enfrentaram os exércitos luso-espanhóis, porque estavam
organizando uma confederação indígena antiespanhola.
Questões sobre densidade demográfica no Brasil
1) (UFPE) “O BRASIL ESCAPOU DA SUPERPOPULAÇÃO
O país já teve taxa de fecundidade de nação africana – 5,8 filhos por
mulher, em 1970. Se essa taxa se mantivesse, a população hoje seria de
300 milhões de habitantes. Como essa taxa caiu para 1,8 filho por mulher, a
população atual é de 193 milhões. [...]”
(REVISTA VEJA. São Paulo: Ed. Abril, a. 43, n. 27, p. 97, 7 jul. 2010.)
A taxa de fecundidade é um dos fatores da dinâmica populacional e reflete
várias tendências da sociedade brasileira e mesmo mundial. Escolha a
alternativa correta sobre a demografia e sua dinâmica:
a) O crescimento da população mundial sempre causou polêmicas. No
século XVIII, Thomas Malthus já alertava
sobre a falta de alimentos para uma população mundial que cresceria
descontroladamente e divulgou a sua teoria demográfica. Essa teoria não
foi mais utilizada, uma vez que a produção de alimentos atende a toda a
população mundial.
b) O custo de formação do indivíduo é maior nos países desenvolvidos em
razão da necessidade de dar educação mais completa, de maior quantidade
de roupas, material escolar, aparelhos eletrônicos e proibição
de trabalho para menores. Tudo isso pode levar a um aumento da taxa de
natalidade.
c) O superpovoamento é sempre relativo e se altera com as mudanças
econômicas, sociais e tecnológicas. Os países mais desenvolvidos foram os
primeiros a terem suas taxas de natalidade em declínio, e um aumento da
expectativa de vida, seguidos de imediato pelos países mais pobres.
d) Quando a taxa de fecundidade de um país é muito baixa (inferior a 2,1%),
compromete a reposição da população que morre, ocorrendo, muitas vezes,
falta de mão-de-obra e levando a um incentivo às migrações.
e) A dinâmica demográfica dos homens pode ser explicada somente pelos
mecanismos naturais, desconsiderando os mecanismos culturais e
econômicos de regulação.
2) (UFCE) Sobre a política demográfica brasileira, analise as sentenças.
I. Manteve-se fortemente natalista até a década de 1950.
II. Nessa época, o governo acreditava que o alto crescimento vegetativo era
fator de progresso.
III. Nenhuma política estatal de controle da natalidade foi adotada, mas o
Estado apoiava os programas
de redução da natalidade.
IV. A política demográfica dos governos militares brasileiros pós-1964 foi
marcada por atos
contraditórios.
Estão corretas:
A) apenas I e II.
B) apenas II e III.
C) apenas I, II e IV.
D) apenas III e IV.
E) I, II, III e IV.
3) (UEPB) “Acompanhando uma tendência mundial, o crescimento da
população brasileira vem diminuindo nas últimas quatro décadas. [...] Além
de estar crescendo menos, a população brasileira também apresenta
outra característica: o envelhecimento.” (Coleção Almanaque Abril. no 4.
2004. p. 4)
Este processo de mudanças no perfil da população brasileira, que é
denominado “transição demográfica”, tem como características:
I. O aumento da longevidade e da queda da fecundidade e da mortalidade,
sobretudo, com o progresso da medicina e das condições sanitárias.
II. A diminuição do número de filhos por famílias em razão das
transformações econômicas e sociais que levaram a mulher ao mercado de
trabalho.
III. A mudança no desenho da pirâmide etária brasileira que passa a
apresentar base mais estreita e topo mais largo.
IV. O aumento da participação dos homens na pirâmide etária, que
passaram a viver mais que as mulheres, as quais, tornaram-se mais
expostas à mortalidade por homicídios e acidentes.
Estão corretas apenas as proposições
a) I, II e III.
b) III e IV.
c) I, III e IV.
d) II e III.
e) I, II e IV.
4) (IFG) Conforme os dados do IBGE (2010) a População Economicamente
Ativa foi de 22,3 milhões. Na comparação anual, houve alta no contingente
da indústria extrativa, na transformação e distribuição de eletricidade, gás e
água, nos serviços prestados, nos aluguéis, dentre outros. Analisando o
trecho acima com os seus saberes é correto afirmar que:
a) Na População Economicamente Ativa são incluídas pessoas acima de 18
anos que trabalham, com exceção dos desempregados.
b) De setembro de 2009 a setembro de 2010 diminuiu a taxa de
rendimentos e ocupação de pessoas.
c) A inserção da mulher no mercado de trabalho é um fator irrelevante para
a mensuração da variação do rendimento familiar.
d) População economicamente inativa (PEI) corresponde à parcela da
população que não está empregada como crianças, idosos, deficientes,
estudantes, ou que não exercem atividades remuneradas como donas de
casa.
e) Infere-se que um dos motivos para o decréscimo do rendimento real
habitual
poderia ser a instalação de UHE’s gerando emprego e renda.
5) (Vunesp) Embora o Brasil esteja colocado entre os países mais
populosos do mundo, quando se relaciona sua população total com a área
do país obtém-se um número relativamente baixo. A essa relação de
população x área, damos o nome de:
a) Taxa de crescimento.
b) Índice de desenvolvimento.
c) Densidade demográfica.
d) Taxa de natalidade.
e) Taxa de fertilidade.
6) (UEPG) Sobre a distribuição da população brasileira, bastante irregular,
assinale o que for correto: Wagner, por esta enumeração: 1, 2, 4, 8, 16, não
fez sentido pra mim :)
01) O Sudeste é a região mais populosa e a mais povoada enquanto o
Norte ou Amazônia é a região menos povoada.
02) Dos estados brasileiros, São Paulo é o mais populoso com cerca de um
quinto (20%) da população brasileira e Roraima é o menos populoso e o
menos povoado, com menos de um habitante por quilômetro quadrado.
04) A região Nordeste do Brasil é mais populosa do que a região Sul, mas é
menos povoada na sua região litorânea e mais povoada no seu interior.
08) A Grande São Paulo, sozinha, detém 11% do total da população
brasileira, concentrada em uma área de cerca de 1% da área do país.
16) A região Sul é menos povoada do que a região Centro-Oeste, uma vez
que a população brasileira está mais concentrada no interior do país do que
nas áreas mais próximas do mar.
7) A população brasileira está distribuída de maneira irregular no território. A
Região do Brasil que apresenta o maior número de habitantes é:
a) Norte.
b) Sudeste.
c) Centro-Oeste.
d) Sul.
e) Nordeste.
8) (FGV)
Estudos recentes sobre a população brasileira explicam a situação
apresentada na tabela acima, como resultado da:
a) queda do índice de fertilidade das mulheres, nas duas últimas décadas, e
o aumento da taxa de mortalidade infantil.
b) diminuição da entrada de imigrantes, desde 1950, e da concentração da
renda nacional.
c) grande concentração da renda após 1970, acentuando o aumento da
taxa de mortalidade infantil.
d) diminuição da entrada de imigrantes, desde 1950, associada à saída de
brasileiros para o exterior, em busca de melhores condições de vida.
e) queda da taxa de fecundidade das mulheres, associada a um mínimo de
programação familiar.
9) Quais os principais grupos étnicos formadores da população brasileira?
10) (UDESC 2010) Analise as proposições:
I – A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) constatou
diversos avanços no mercado de trabalho brasileiro em 2008,
especialmente nas regiões Norte e Nordeste. De 2007 para 2008, o
contingente de trabalhadores cresceu, impulsionado pelo setor da
construção civil, que gerou cerca de 900 mil novos postos de trabalho em
todo o país.
II – A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), de 2008,
confirmou o envelhecimento da população.
III – Segundo a Pnad de 2008, o Norte continua a ter a estrutura etária mais
jovem do país.
IV – As regiões Sul e Sudeste apresentaram as estruturas etárias mais
envelhecidas na Pnad de 2008.
V – Segundo a Pnad de 2008, houve um aumento dos trabalhadores com
carteira assinada entre os anos de 2007 e 2008.
Assinale a alternativa correta.
A) Somente as afirmativas III, IV e V são verdadeiras.
B) Somente as afirmativas II e IV são verdadeiras.
C) Somente as afirmativas I e V são verdadeiras.
D) Somente as afirmativas I, II e III são verdadeiras.
E) Todas as afirmativas são verdadeiras.
11)
Uma tendência verificada na evolução da composição etária do País e uma
ação do Estado necessária ou recomendável, no âmbito da previdência
social, estão corretamente associados na opção:
A) estabilização da participação de jovens sobre a população total do país
– programas voltados à ampliação da cobertura previdenciária nas regiões
mais urbanizadas do Brasil;
B) estabilização da participação da população economicamente ativa no
total da população – adoção de uma política previdenciária voltada
especialmente para as áreas urbanas das regiões Sul e Centro-Oeste;
C) redução na participação de jovens e idosos no total da população –
implementação de incentivos à emigração das áreas economicamente mais
dinâmicas para reduzir a informalidade;
D) incremento contínuo na participação de todas as faixas de idade –
adoção de uma política previdenciária com vistas a um maior equilíbrio
geográfico em sua cobertura;
E) aumento da participação do percentual de idosos no total da população
do País – políticas dirigidas ao incremento do contingente de trabalhadores
cobertos pela previdência no Norte e no Nordeste.
12) (UDESC 2008) Leia e analise as afirmações abaixo.
I – No mundo inteiro, especialmente nos países mais desenvolvidos, a
expectativa de vida cresceu muito.
II – No Brasil, existe um número de homens ligeiramente superior ao
número de mulheres.
III – No Brasil, a expectativa de vida das mulheres está acima da
expectativa de vida dos homens.
IV – Nos países subdesenvolvidos, a participação feminina no mercado de
trabalho tem aumentado muito. Nos últimos 5 anos, entretanto, estagnou,
assim como a participação de jovens e velhos.
V – Nos últimos anos, o Brasil assistiu a um declínio das taxas de
natalidade.
Assinale a alternativa correta.
A) Somente as afirmativas III e IV são verdadeiras.
B) Somente as afirmativas I, III e V são verdadeiras.
C) Somente as afirmativas II e V são verdadeiras.
D) Todas as afirmativas são verdadeiras.
E) Somente as afirmativas I e II são verdadeiras.
13) (UDESC 2009) Sobre a população feminina e sua participação no
mercado de trabalho, assinale a alternativa incorreta.
A) Chama a atenção a maior participação no mercado de trabalho das
mulheres da região Sul, onde também são verificadas as maiores taxas de
ocupação da população feminina.
B) O aumento da escolaridade feminina, a queda da fecundidade, as novas
oportunidades oferecidas pelo mercado e as mudanças nos padrões
culturais são as principais causas do aumento da participação feminina no
mercado de trabalho.
C) As mulheres vêm aumentando sua participação no mercado de trabalho
nos últimos anos.
D) “A volta ao lar” já é uma realidade absoluta para a maioria das mulheres
trabalhadoras nas grandes cidades brasileiras, fruto do desemprego e das
desigualdades salariais entre homens e mulheres.
E) As mulheres ainda hoje fazem parte da maioria que estão à procura de
emprego.
14) (UDESC 2009) Sobre a população negra brasileira, assinale a
alternativa incorreta.
A) As melhorias no acesso à educação formal também não foram capazes
de acabar com a desvantagem na escolaridade dos negros em relação aos
brancos. Enquanto em 2006 a maioria dos brancos estava matriculada no
ensino médio com idade adequada para o curso, apenas 37,4% dos negros
estavam no mesmo patamar.
B) Os índices de escolaridade, renda e pobreza da população negra
registraram melhoras entre 1996 e 2006, mas as condições de vida
continuam ainda inferiores às dos brancos no Brasil.
C) A renda média do trabalhador negro cresceu, embora o aumento não
seja muito expressivo. Mesmo com esse crescimento, a discrepância é
grande. Os brancos ainda vivem com quase o dobro da renda mensal per
capita dos negros.
D) Os negros, homens e mulheres, entram mais cedo no mercado de
trabalho e deixam-no mais tarde, em relação aos brancos.
E) A desigualdade entre brancos e negros tem se agravado nos últimos
anos no Brasil, pois faltam políticas públicas capazes de reverter essa
situação.
15) Os dados da tabela mostram uma tendência de diminuição, no Brasil, do
número de filhos por mulher.
Evolução das taxas de fecundidade IBGE Contagem da População de 1996.
Época Número de filhos por mulher
Século XX 7
1960 6,2
1980 4,01
1991 2,9
1996 2,32
Dentre as alternativas, a que melhor explica essa tendência é:
a) Eficiência da política demográfica oficial por meio de campanhas
publicitárias.
b) Introdução de legislações específicas que desestimulam casamentos
precoces.
c) Mudança na legislação que normatiza as relações de trabalho,
suspendendo incentivos para trabalhadores com mais de dois filhos.
d) Aumento significativo de esterilidade decorrente de fatores ambientais.
e) Maior esclarecimento da população e maior participação feminina no
mercado de trabalho.Gabarito:
1) D 2) E 3) A 4) D 5) C 6) 01 7) B 8) E
9) Os principais grupos étnicos formadores da população brasileira são os
indígenas (nativos), europeus (colonizadores) e africanos (escravos).
10) E 11) E 12) B 13) D 14) E 15) E
Dentre os tipos existentes de migração, conforme a classificação que tem como
critério o tempo de permanência do migrante no local de destino, aquela que se
caracteriza pela migração diária realizada por qualquer pessoa em seu cotidiano é:
a) Migração rotineira
b) Migração Sazonal
c) Migração cotidiana
d) Migração pluritópica
e) Migração pendular
O Brasil Escapou da Superpopulação
O país já teve taxa de fecundidade de nação africana – 5,8 filhos por mulher, em
1970. Se essa taxa se mantivesse, a população hoje seria de 300 milhões de
habitantes. Como essa taxa caiu para 1,8 filho por mulher, a população atual é de
193 milhões. [...]
(REVISTA VEJA. São Paulo: Ed. Abril, a. 43, n. 27, p. 97, 7 jul. 2010.)
A taxa de fecundidade é um dos fatores da dinâmica populacional e reflete várias
tendências da sociedade brasileira e mesmo mundial. Escolha a alternativa correta
sobre a demografia e sua dinâmica:
a) O crescimento da população mundial sempre causou polêmicas. No século
XVIII, Thomas Malthus já alertava sobre a falta de alimentos para uma população
mundial que cresceria descontroladamente e divulgou a sua teoria demográfica.
Essa teoria não foi mais utilizada, uma vez que a produção de alimentos atende a
toda a população mundial.
b) O custo de formação do indivíduo é maior nos países desenvolvidos em razão
da necessidade de dar educação mais completa, de maior quantidade de roupas,
material escolar, aparelhos eletrônicos e proibição de trabalho para menores. Tudo
isso pode levar a um aumento da taxa de natalidade.
c) O superpovoamento é sempre relativo e se altera com as mudanças
econômicas, sociais e tecnológicas. Os países mais desenvolvidos foram os
primeiros a terem suas taxas de natalidade em declínio, e um aumento da
expectativa de vida, seguidos de imediato pelos países mais pobres.
d) Quando a taxa de fecundidade de um país é muito baixa (inferior a 2,1%),
compromete a reposição da população que morre, ocorrendo, muitas vezes, falta
de mão de obra e levando a um incentivo às migrações.
e) A dinâmica demográfica dos homens pode ser explicada somente pelos
mecanismos naturais, desconsiderando os mecanismos culturais e econômicos de
regulação.
d) Verdadeiro – esse problema vem sendo observado em países desenvolvidos,
que necessitam de mão de obra estrangeira para preencher determinados setores
do mercado de trabalho, isso se deve aos baixíssimos índices de natalidade.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Economia Brasil colonia e Império
Economia Brasil colonia e Império Economia Brasil colonia e Império
Economia Brasil colonia e Império
Salageo Cristina
 
História do Mato Grosso do Sul - Ocupação do território - 2ª parte - Final do...
História do Mato Grosso do Sul - Ocupação do território - 2ª parte - Final do...História do Mato Grosso do Sul - Ocupação do território - 2ª parte - Final do...
História do Mato Grosso do Sul - Ocupação do território - 2ª parte - Final do...
Marco Aurélio Gondim
 
4039964 historia-geral-ppt-o-brasil-colonial
4039964 historia-geral-ppt-o-brasil-colonial4039964 historia-geral-ppt-o-brasil-colonial
4039964 historia-geral-ppt-o-brasil-colonial
Cristianerocharibas
 
Geografia: Formação territorial e regionalismo do Brasil, O meio técnico-cien...
Geografia: Formação territorial e regionalismo do Brasil, O meio técnico-cien...Geografia: Formação territorial e regionalismo do Brasil, O meio técnico-cien...
Geografia: Formação territorial e regionalismo do Brasil, O meio técnico-cien...
Ingrit Silva Sampaio
 
2. a economia no brasil imperial
2. a economia no brasil imperial2. a economia no brasil imperial
2. a economia no brasil imperial
dayvidprofessor
 
Brasil colônia
Brasil colônia Brasil colônia
Brasil colônia
Elaine Bogo Pavani
 
Formação Territorial e Povoamento de Mato Grosso
Formação Territorial e Povoamento de Mato GrossoFormação Territorial e Povoamento de Mato Grosso
Formação Territorial e Povoamento de Mato Grosso
Eder Liborio
 
Brasil Colônia I
Brasil Colônia IBrasil Colônia I
Brasil Colônia I
José Augusto Fiorin
 
Economia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIIIEconomia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIII
Lú Carvalho
 
Brasil colonia ou América Portuguesa
Brasil colonia ou América PortuguesaBrasil colonia ou América Portuguesa
Brasil colonia ou América Portuguesa
Pérysson Nogueira
 
História de ms povoamento
História de ms   povoamentoHistória de ms   povoamento
História de ms povoamento
Nelia Salles Nantes
 
1º Mc Grupo 01
1º Mc   Grupo 011º Mc   Grupo 01
1º Mc Grupo 01
ProfMario De Mori
 
Expansão territorial do brasil, mineração e era pombalina
Expansão territorial do brasil, mineração e era pombalinaExpansão territorial do brasil, mineração e era pombalina
Expansão territorial do brasil, mineração e era pombalina
Danii Lopes
 
A administração do brasil colônia
A administração do brasil colôniaA administração do brasil colônia
A administração do brasil colônia
Nelia Salles Nantes
 
4.colonização da américa portuguesa
4.colonização da américa portuguesa4.colonização da américa portuguesa
4.colonização da américa portuguesa
valdeck1
 
Brasil Colônia II
Brasil Colônia IIBrasil Colônia II
Brasil Colônia II
José Augusto Fiorin
 
Resumo dos cinco ciclos econômicos no brasil
Resumo dos cinco ciclos econômicos no brasilResumo dos cinco ciclos econômicos no brasil
Resumo dos cinco ciclos econômicos no brasil
Enio Economia & Finanças
 
OcupaçãO De Mato Grosso
OcupaçãO De Mato GrossoOcupaçãO De Mato Grosso
OcupaçãO De Mato Grosso
Paticx
 
Brasil colonial 1 tmp
Brasil colonial 1 tmpBrasil colonial 1 tmp
Brasil colonial 1 tmp
Péricles Penuel
 
Mineração no brasil
Mineração no brasilMineração no brasil
Mineração no brasil
Lúcia Santana
 

Mais procurados (20)

Economia Brasil colonia e Império
Economia Brasil colonia e Império Economia Brasil colonia e Império
Economia Brasil colonia e Império
 
História do Mato Grosso do Sul - Ocupação do território - 2ª parte - Final do...
História do Mato Grosso do Sul - Ocupação do território - 2ª parte - Final do...História do Mato Grosso do Sul - Ocupação do território - 2ª parte - Final do...
História do Mato Grosso do Sul - Ocupação do território - 2ª parte - Final do...
 
4039964 historia-geral-ppt-o-brasil-colonial
4039964 historia-geral-ppt-o-brasil-colonial4039964 historia-geral-ppt-o-brasil-colonial
4039964 historia-geral-ppt-o-brasil-colonial
 
Geografia: Formação territorial e regionalismo do Brasil, O meio técnico-cien...
Geografia: Formação territorial e regionalismo do Brasil, O meio técnico-cien...Geografia: Formação territorial e regionalismo do Brasil, O meio técnico-cien...
Geografia: Formação territorial e regionalismo do Brasil, O meio técnico-cien...
 
2. a economia no brasil imperial
2. a economia no brasil imperial2. a economia no brasil imperial
2. a economia no brasil imperial
 
Brasil colônia
Brasil colônia Brasil colônia
Brasil colônia
 
Formação Territorial e Povoamento de Mato Grosso
Formação Territorial e Povoamento de Mato GrossoFormação Territorial e Povoamento de Mato Grosso
Formação Territorial e Povoamento de Mato Grosso
 
Brasil Colônia I
Brasil Colônia IBrasil Colônia I
Brasil Colônia I
 
Economia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIIIEconomia mineradora século XVIII
Economia mineradora século XVIII
 
Brasil colonia ou América Portuguesa
Brasil colonia ou América PortuguesaBrasil colonia ou América Portuguesa
Brasil colonia ou América Portuguesa
 
História de ms povoamento
História de ms   povoamentoHistória de ms   povoamento
História de ms povoamento
 
1º Mc Grupo 01
1º Mc   Grupo 011º Mc   Grupo 01
1º Mc Grupo 01
 
Expansão territorial do brasil, mineração e era pombalina
Expansão territorial do brasil, mineração e era pombalinaExpansão territorial do brasil, mineração e era pombalina
Expansão territorial do brasil, mineração e era pombalina
 
A administração do brasil colônia
A administração do brasil colôniaA administração do brasil colônia
A administração do brasil colônia
 
4.colonização da américa portuguesa
4.colonização da américa portuguesa4.colonização da américa portuguesa
4.colonização da américa portuguesa
 
Brasil Colônia II
Brasil Colônia IIBrasil Colônia II
Brasil Colônia II
 
Resumo dos cinco ciclos econômicos no brasil
Resumo dos cinco ciclos econômicos no brasilResumo dos cinco ciclos econômicos no brasil
Resumo dos cinco ciclos econômicos no brasil
 
OcupaçãO De Mato Grosso
OcupaçãO De Mato GrossoOcupaçãO De Mato Grosso
OcupaçãO De Mato Grosso
 
Brasil colonial 1 tmp
Brasil colonial 1 tmpBrasil colonial 1 tmp
Brasil colonial 1 tmp
 
Mineração no brasil
Mineração no brasilMineração no brasil
Mineração no brasil
 

Semelhante a Formação territorial do brasil e demografia

Expansão territorial e t. de limites tmp
Expansão territorial e t. de limites tmpExpansão territorial e t. de limites tmp
Expansão territorial e t. de limites tmp
Péricles Penuel
 
A exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasilA exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasil
Stephani Coelho
 
O Ciclo do ouro
O Ciclo do  ouroO Ciclo do  ouro
O Ciclo do ouro
Yara Ribeiro
 
Pqp
PqpPqp
História do brasil aula 04
História do brasil   aula 04História do brasil   aula 04
História do brasil aula 04
Fernanda Stang
 
Trilha 07_ Interiorização do Brasil e a crise do sistema colonial.pptx
Trilha 07_ Interiorização do Brasil e a crise do sistema colonial.pptxTrilha 07_ Interiorização do Brasil e a crise do sistema colonial.pptx
Trilha 07_ Interiorização do Brasil e a crise do sistema colonial.pptx
FabioGuimaraes10
 
Uem historia do brasil
Uem   historia do brasilUem   historia do brasil
Uem historia do brasil
Ligia Amaral
 
Aula 12 crise no sistema colonial
Aula 12   crise no sistema colonialAula 12   crise no sistema colonial
Aula 12 crise no sistema colonial
Jonatas Carlos
 
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
marlete andrade
 
ciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdfciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdf
DenisBrito16
 
A economia do brasil colonial
A economia do brasil colonialA economia do brasil colonial
A economia do brasil colonial
Nelia Salles Nantes
 
História de goiás completo
História de goiás completoHistória de goiás completo
História de goiás completo
Leila Maria Martins
 
Expansão colonial na américa portuguesa
Expansão colonial na américa portuguesaExpansão colonial na américa portuguesa
Expansão colonial na américa portuguesa
Professora Natália de Oliveira
 
Expansão e ocupação territorial
Expansão e ocupação territorialExpansão e ocupação territorial
Expansão e ocupação territorial
Patrícia Sanches
 
Brasil síntese histórica
Brasil síntese históricaBrasil síntese histórica
Brasil síntese histórica
AEDFL
 
Entradas e bandeiras imagens tmp
Entradas e bandeiras imagens tmpEntradas e bandeiras imagens tmp
Entradas e bandeiras imagens tmp
Péricles Penuel
 
Brasil colonial
Brasil colonial Brasil colonial
Brasil colonial
Fatima Freitas
 
A Colonização do Brasil
A Colonização do BrasilA Colonização do Brasil
A Colonização do Brasil
Helíssia Souza
 
A economia do brasil colonial
A economia do brasil colonialA economia do brasil colonial
A economia do brasil colonial
historiando
 
Formação territorial do brasil
Formação territorial do brasilFormação territorial do brasil
Formação territorial do brasil
Pedro Neves
 

Semelhante a Formação territorial do brasil e demografia (20)

Expansão territorial e t. de limites tmp
Expansão territorial e t. de limites tmpExpansão territorial e t. de limites tmp
Expansão territorial e t. de limites tmp
 
A exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasilA exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasil
 
O Ciclo do ouro
O Ciclo do  ouroO Ciclo do  ouro
O Ciclo do ouro
 
Pqp
PqpPqp
Pqp
 
História do brasil aula 04
História do brasil   aula 04História do brasil   aula 04
História do brasil aula 04
 
Trilha 07_ Interiorização do Brasil e a crise do sistema colonial.pptx
Trilha 07_ Interiorização do Brasil e a crise do sistema colonial.pptxTrilha 07_ Interiorização do Brasil e a crise do sistema colonial.pptx
Trilha 07_ Interiorização do Brasil e a crise do sistema colonial.pptx
 
Uem historia do brasil
Uem   historia do brasilUem   historia do brasil
Uem historia do brasil
 
Aula 12 crise no sistema colonial
Aula 12   crise no sistema colonialAula 12   crise no sistema colonial
Aula 12 crise no sistema colonial
 
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
 
ciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdfciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdf
 
A economia do brasil colonial
A economia do brasil colonialA economia do brasil colonial
A economia do brasil colonial
 
História de goiás completo
História de goiás completoHistória de goiás completo
História de goiás completo
 
Expansão colonial na américa portuguesa
Expansão colonial na américa portuguesaExpansão colonial na américa portuguesa
Expansão colonial na américa portuguesa
 
Expansão e ocupação territorial
Expansão e ocupação territorialExpansão e ocupação territorial
Expansão e ocupação territorial
 
Brasil síntese histórica
Brasil síntese históricaBrasil síntese histórica
Brasil síntese histórica
 
Entradas e bandeiras imagens tmp
Entradas e bandeiras imagens tmpEntradas e bandeiras imagens tmp
Entradas e bandeiras imagens tmp
 
Brasil colonial
Brasil colonial Brasil colonial
Brasil colonial
 
A Colonização do Brasil
A Colonização do BrasilA Colonização do Brasil
A Colonização do Brasil
 
A economia do brasil colonial
A economia do brasil colonialA economia do brasil colonial
A economia do brasil colonial
 
Formação territorial do brasil
Formação territorial do brasilFormação territorial do brasil
Formação territorial do brasil
 

Mais de otacio candido

AULA-01.pptx
AULA-01.pptxAULA-01.pptx
AULA-01.pptx
otacio candido
 
AULA_01_TECNOLOGIA CLORO-ÁLCALIS_p2.ppt
AULA_01_TECNOLOGIA CLORO-ÁLCALIS_p2.pptAULA_01_TECNOLOGIA CLORO-ÁLCALIS_p2.ppt
AULA_01_TECNOLOGIA CLORO-ÁLCALIS_p2.ppt
otacio candido
 
AULA_01_TECNOLOGIA CLORO-ÁLCALIS.ppt
AULA_01_TECNOLOGIA CLORO-ÁLCALIS.pptAULA_01_TECNOLOGIA CLORO-ÁLCALIS.ppt
AULA_01_TECNOLOGIA CLORO-ÁLCALIS.ppt
otacio candido
 
Pressao
PressaoPressao
Lista01
Lista01Lista01
Barrilha ok
Barrilha okBarrilha ok
Barrilha ok
otacio candido
 
N2
N2N2
Raio x
Raio  xRaio  x
Tabela para prenchimento do plano
Tabela para prenchimento do planoTabela para prenchimento do plano
Tabela para prenchimento do plano
otacio candido
 
Prova de-seleção 2015.2-resolução
Prova de-seleção 2015.2-resoluçãoProva de-seleção 2015.2-resolução
Prova de-seleção 2015.2-resolução
otacio candido
 
Formação territorial do brasil e demografia
Formação territorial do brasil e demografiaFormação territorial do brasil e demografia
Formação territorial do brasil e demografia
otacio candido
 
Desafio
DesafioDesafio
Nova ortografia-oficial
Nova ortografia-oficialNova ortografia-oficial
Nova ortografia-oficial
otacio candido
 
6000 mil questoes
6000 mil questoes6000 mil questoes
6000 mil questoes
otacio candido
 

Mais de otacio candido (14)

AULA-01.pptx
AULA-01.pptxAULA-01.pptx
AULA-01.pptx
 
AULA_01_TECNOLOGIA CLORO-ÁLCALIS_p2.ppt
AULA_01_TECNOLOGIA CLORO-ÁLCALIS_p2.pptAULA_01_TECNOLOGIA CLORO-ÁLCALIS_p2.ppt
AULA_01_TECNOLOGIA CLORO-ÁLCALIS_p2.ppt
 
AULA_01_TECNOLOGIA CLORO-ÁLCALIS.ppt
AULA_01_TECNOLOGIA CLORO-ÁLCALIS.pptAULA_01_TECNOLOGIA CLORO-ÁLCALIS.ppt
AULA_01_TECNOLOGIA CLORO-ÁLCALIS.ppt
 
Pressao
PressaoPressao
Pressao
 
Lista01
Lista01Lista01
Lista01
 
Barrilha ok
Barrilha okBarrilha ok
Barrilha ok
 
N2
N2N2
N2
 
Raio x
Raio  xRaio  x
Raio x
 
Tabela para prenchimento do plano
Tabela para prenchimento do planoTabela para prenchimento do plano
Tabela para prenchimento do plano
 
Prova de-seleção 2015.2-resolução
Prova de-seleção 2015.2-resoluçãoProva de-seleção 2015.2-resolução
Prova de-seleção 2015.2-resolução
 
Formação territorial do brasil e demografia
Formação territorial do brasil e demografiaFormação territorial do brasil e demografia
Formação territorial do brasil e demografia
 
Desafio
DesafioDesafio
Desafio
 
Nova ortografia-oficial
Nova ortografia-oficialNova ortografia-oficial
Nova ortografia-oficial
 
6000 mil questoes
6000 mil questoes6000 mil questoes
6000 mil questoes
 

Último

Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 

Formação territorial do brasil e demografia

  • 1. EXPANSAO TERRITORIAL DO BRASIL expansão territorial do Brasil questões vestibular A expansão territorial brasileira A expansão territorial brasileira está associada à diversidade de atividades que foram se desenvolvendo no Brasil Colônia à medida em que foi ocorrendo a expansão demográfica e também em decorrência da crise do ciclo da cana-de-açúcar no Nordeste. Após a União Ibérica (1580-1640), houve a anulação do Tratado de Tordesilhas, que possibilitou que as terras mais afastadas do litoral brasileiro pudessem ser ocupadas pelos colonos, e ainda mais porque eram áreas que não interessavam na colonização espanhola. Então, ocupado de maneira desigual e por diferentes motivos, podemos resumir a expansão territorial brasileira assim: Região Nordeste: o litoral foi o primeiro local da ocupação portuguesa, devido ao interesse econômico da cana-de-açúcar e também por motivo da defesa militar do território. Podemos observar que a maioria das capitais nordestinas, com exceção de Teresina-PI, são cidades litorâneas. Já o interior do Nordeste foi povoado pela expansão da pecuária, tendo como principal eixo o Rio São Francisco, e outros povoamentos que eram cortados pelos rios, como o Rio Jaguaribe, no Ceará. A pecuária torna-se o principal meio econômico do Nordeste, que traz até hoje a figura do vaqueiro como representante de sua cultura. Região Sudeste e Centro-Oeste: essas regiões foram povoadas pela atuação dos bandeirantes, em busca de ouro e no apresamento dos índios. Na verdade, a figura do bandeirante é decisiva para a expansão territorial brasileira, já que foi através das bandeiras que o interior do Brasil foi sendo penetrado, na corrida do ouro, no início do século XVIII. As cidades mineiras onde se concentraram a extração mineradora, também foi onde mais se concentrou a população, contribuindo para o desenvolvimento das cidades, construção de estradas, surgimento de vilas e a urbanização do Sudeste brasileiro. Região Norte: teve como processo de povoamento também a atuação dos bandeirantes que foram em busca das drogas do sertão (as especiarias da floresta Amazônica brasileira) para comercialização. Região Sul: foi colonizada por incentivo da Metrópole para assegurar o controle das fronteiras com a América espanhola, além de ter desenvolvido um grande centro de ação jesuítica com os Sete Povos das Missões. A Região Sul também se desenvolveu economicamente através da pecuária e charqueadas;
  • 2. Expansão territorial: bandeiras e bandeirantes Foram os bandeirantes os responsáveis pela ampliação do território brasileiro além do Tratado de Tordesilhas. Os bandeirantes penetram no território brasileiro, procurando índios para aprisionar e jazidas de ouro e diamantes. Foram os bandeirantes que encontraram as primeiras minas de ouro nas regiões de Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso. Bandeiras de sertanismo de contrato – Foram expedições contratadas por donatários, governadores ou senhores de engenho, a fim de combater índios, capturar escravos fugidos ou destruir quilombos (redutos de escravos fugidos). O mais importante foco de resistência negra contra a escravidão foi o quilombo de Palmares, que se formou na serra da Barriga, em Alagoas. Nessa região de difícil acesso, desenvolveu-se uma comunidade auto- suficiente que produzia milho, mandioca, banana, cana-de-açúcar e que, durante certo período, chegou a comercializar seus excedentes com as regiões vizinhas. Palmares estabeleceu-se ao longo do século XVII, chegando a abrigar mais de 20 mil negros fugidos dos engenhos, dispersos durante a invasão holandesa. (...) Em 1694, depois de um longo cerco, o paulista Domingos Jorge Velho, a serviço dos senhores de engenho, invadiu e destruiu Palmares. Muitos de seus habitantes conseguiram fugir e reorganizaram- se sob o comando de Zumbi, continuando a luta contra os brancos. Em 20 de novembro de 1695, Zumbi, o mais famoso líder da luta pela liberdade dos escravos, foi preso, morto e esquartejado, sendo sua cabeça exposta numa praça de Recife para atemorizar as possíveis rebeliões. O Ciclo do Ouro: século XVIII Após a descoberta das primeiras minas de ouro, o rei de Portugal tratou de organizar sua extração. Interessado nesta nova fonte de lucros, já que o comércio de açúcar passava por uma fase de declínio, ele começou a cobrar o quinto. O quinto nada mais era do que um imposto cobrado pela coroa portuguesa e correspondia a 20% de todo ouro encontrado na colônia. Este imposto era cobrado nas Casas de Fundição. A descoberta de ouro e o início da exploração da minas nas regiões auríferas (Minas Gerais, Mato Grosso e Goiás) provocou uma verdadeira "corrida do ouro" para estas regiões. Procurando trabalho na região,
  • 3. desempregados de várias regiões do país partiram em busca do sonho de ficar rico da noite para o dia. O trabalho dos tropeiros foi de fundamental importância neste período, pois eram eles os responsáveis pelo abastecimento de animais de carga, alimentos (carne seca, principalmente) e outros mantimentos que não eram produzidos nas regiões mineradoras. Desenvolvimento urbano nas cidades mineiras Cidades começaram a surgir e o desenvolvimento urbano e cultural aumentou muito nestas regiões. Foi neste contexto que apareceu um dos mais importantes artistas plásticos do Brasil : Aleijadinho. Vários empregos surgiram nestas regiões, diversificando o mercado de trabalho na região aurífera. Igrejas foram erguidas em cidades como Vila Rica (atual Ouro Preto), Diamantina e Mariana. Para acompanhar o desenvolvimento da região sudeste, a capital do país foi transferida de Salvador para o Rio de Janeiro. Exploração econômica da Amazônia/ as drogas do sertão A conquista e ocupação da região amazônica se fez através da expedição de Pedro Teixeira, de 1637 a 1639, que subiu o rio Amazonas fundando vários núcleos de povoamento e fortes militares. Ao retornar ele foi nomeado capitão-mor da recém-criada capitania do Pará, que englobava Amazonas e Pará. A colonização, contudo, sedimentou, graças aos jesuítas que exploravam a mão-de-obra indígena, por meio das Missões, na colheita das “drogas do sertão”. Aproveitamento econômico do Prata Atraído pelo importante comércio da região do rio da Prata em razão também do contrabando com a área espanhola, Portugal ordenou, em 1680, a fundação oficial da Colônia do Sacramento, na margem esquerda do rio, sinalizando seus reais interesses na região. Parte dessa região seria povoada e ocupada posteriormente pela pecuária, atraindo paulistas e imigrantes açorianos para a região. A expansão territorial,facilitada pelo Domínio Espanhol (1580-1640) e realizada por diversos fatores, como as bandeiras, a pecuária e a expansão oficial, levou Portugal e Espanha a realizarem vários tratados sobre os limites territoriais. O mais importante foi o de Madri, de 1750, que deu, mais ou menos, a atual configuração geográfica do Brasil. O defensor dos direitos portugueses foi Bartolomeu de Gusmão, que se baseou no Direito Romano, utilizando o preceito do uti possidetis
  • 4. A expansão da pecuária Da sua introdução nos engenhos do litoral nordestino, o gado se expandiu em direção ao sertão, no primeiro século e meio da colonização. Com isso, o Sertão do Nordeste e o Vale do Rio São Francisco surgem como as principais regiões pecuaristas da colônia, o que garantiu a ocupação de um grande território do interior brasileiro. Outra região que se voltaria também para a pecuária seria o sul de Minas Gerais, já no século XVIII. Ali, a criação de gado envolvia certa técnica superior, fazendas com cercados, pastos bem cuidados e rações extras para os animais; no manejo dos rebanhos era utilizada a mão-de-obra escrava. O seu mercado era representado pelas zonas urbanas mineradoras, o que provocou uma diversificação da produção: gado bovino, muares, suínos, caprinos e eqüinos. Também os Campos Gerais, correspondendo ao interior de São Paulo e Paraná, foram outra região de pecuária, com a produção de animais de tiro para a região mineradora. Nessa região predominava a mão-de-obra livre, constituída pelos tropeiros. Por fim, a pecuária seria desenvolvida ainda no Rio Grande do Sul, no século XVIII. Nesse caso específico, a pecuária promoveu não apenas a ocupação do território rio-grandense, mas, também, o seu povoamento. A atividade criatória gaúcha utilizava-se do trabalho livre, havendo, contudo, o emprego paralelo de escravos e dos indígenas oriundos das missões. Questões sobre expansão territorial brasileira No Brasil colônia, a pecuária teve um papel decisivo na a) ocupação das áreas litorâneas. b) expulsão do assalariado do campo. c) formação e exploração dos minifúndios.
  • 5. d) fixação do escravo na agricultura. e) expansão para o interior. (UEL-PR) "Como não se tratava de regiões aptas para a produção de gêneros tropicais de grande valor comercial, como o açúcar ou outros, foi-se obrigado para conseguir povoadores (...) a recorrer às camadas pobres ou médias da população portuguesa e conceder grandes vantagens aos colonos que aceitavam irem-se estabelecer lá. O custo do transporte será fornecido pelo Estado, a instalação dos colonos é cercada de toda a sorte de providências destinadas a facilitar e garantir a subsistência dos povoadores; as terras a serem ocupadas são previamente demarcadas em pequenas parcelas, (...) fornecem-se gratuitamente ou a longo prazo auxílios vários (instrumentos de trabalho, sementes, animais, etc)". (Prado Júnior, C. História econômica do Brasil. 27 ed. S. Paulo: Brasiliense, 1982. p. 95-6) Com base no texto, é possível afirmar que o autor se refere: a) à colonização do sertão nordestino através da pecuária. b) à ocupação da Amazônia através das drogas do sertão. c) à expansão para o interior paulista pelas entradas e bandeiras. d) à colonização do Sul através da pecuária. e) ao povoamento das Capitanias Hereditárias. Fuvest-SP) Os fatores que levaram ao desenvolvimento e à ampliação das atividades econômicas periféricas da colônia, tais como, a pecuária, o tabaco, as drogas do sertão e mesmo o pau-brasil, em detrimento da lavoura de cana-de- açúcar, após a expulsão dos holandeses, em 1654, foram: a) a criação de um mercado interno fomentado pelo descobrimento das minas de ouro no final do século XVI e sua ampliação para as cidades litorâneas da colônia. b) a inversão significativa da utilização da mão de obra escrava pela mão de obra livre na região das minas, criando, assim, um mercado consumidor expressivo. c) estagnação econômica do Centro-Oeste, em função do renascimento agrícola no Nordeste, ao longo do século XVII.
  • 6. d) o acompanhamento destas atividades, primeiro como complemento da atividade açucareira e, posteriormente, como núcleos abastecedores da atividade mineradora e seus desdobramentos. e) todas as alternativas anteriores estão corretas. (UFSE) O texto abaixo refere-se à atividade pecuarista no Brasil Colônia: O gado podia penetrar o Sertão. Não tinha o problema seríssimo do transporte, porque transportava a si mesmo. A mão de obra exigida era pouca. Sem a complexidade da agricultura, principalmente da canavieira, tinha na amplitude do sertão o caminho de sua expansão, acompanhando os rios rumo ao interior. Assinale a única alternativa não contida no texto. a) A criação do gado era pouco exigente com respeito à mão de obra. b) A agricultura açucareira era atividade mais complexa do que a criação de gado. c) A penetração do gado no Sertão não envolvia custos no transporte. d) A pecuária não tinha maior produtividade do que as atividades agrícolas. e) O Sertão apresentou-se como caminho adequado para a expansão e criação do gado. 1)(UFPR) São ações resultantes da conquista e ocupação do território brasileiro, exceto: a) expedições militares organizadas pelo governo b) bandeirantes que percorriam o sertão c) padres jesuítas que fundavam aldeias para catequização dos índios d) criadores de gados que tiveram seus rebanhos e fazendas e) A invasão dos mineiros com a descoberta de ouro no litoral. 2) São cidades que surgiram no período das expedições militares, exceto: a) São Vicente b) Filipeia de Nossa Senhora das Neves c) Forte dos Reis Magos
  • 7. d) Fortaleza de São Pedro e) Forte do Presépio 3) (UFRS) Como objetivos da expansão oficial, podemos destacar a) a recuperação econômica das áreas canavieiras, destruídas pelos holandeses, e a exploração econômica da Amazônia. b) a preação de indígenas e o aproveitamento econômico do rio da Prata. c) a defesa do território e a extinção do Quilombo de Palmares. d) a exploração econômica da Amazônia e o aproveitamento econômico da Prata. e) a obtenção de riquezas, graças à exploração de jazidas minerais. 4) O desenvolvimento da economia das “Drogas do Sertão”, na bacia Amazônica, na segunda metade do século XVII e primeira do século XVIII, está ligado a) ao desempenho das missões religiosas, particularmente dos jesuítas, utilizando mão-de-obra indígena. b) ao Tratado de Badajóz (1801), pelo qual Portugal perdeu alguns domínios no Oriente para a Holanda. c) à falta de interesse da Inglaterra em distribuir o açúcar e o algodão brasileiros na Europa. d) à concorrência das especiarias orientais comercializadas no mercado europeu pela Inglaterra e Holanda. e) ao período da união das Coroas ibéricas, em que Portugal e Brasil ficaram subordinados aos reis Habsburgos. 5) A pecuária do Nordeste foi uma atividade a) que preexistiu à economia açucareira,pois os indígenas já praticavam o pastoreio. b) que se desenvolveu paralelamente à economia açucareira visando a abastecer esta última em alimentos (carne) e força motriz. c) auto-suficiente, totalmente desvinculada da grande lavoura. d) que decorreu de um plano elaborado pela Metrópole. 6) A interiorização do povoamento no território brasileiro nos séculos XVII e XVIII decorreu: a) do êxito da empresa agrícola que liberou mão-de-obra livre e escrava para a ocupação do interior. b) do interesse português em ocupar o interior com a cana-de-açúcar. c) da ampliação do quadro administrativo da metrópole. d) da expansão das atividades econômicas, particularmente da pecuária e da mineração. e) exclusivamente do estabelecimento de missões jesuíticas no interior da
  • 8. Colônia. 7) (Fuvest-SP) No século XVII, contribuíram para a penetração para o interior brasileiro: a) o desenvolvimento das culturas da cana-de-açucar e do algodão. b) o apresamento de indígenas e a procura de riquezas minerais. c) a necessidade de defesa e o combate aos franceses. d) o fim do domínio espanhol e a restauração da monarquia portuguesa. e) a Guerra dos Emboabas e a transferência da capital da colônia para o Rio de Janeiro. 8) (Fuvest-SP) Em 1694, uma expedição chefiada pelo bandeirante Domingos Jorge Velho foi encarregada pelo governo metropolitano de destruir o quilombo de Palmares. Isto se deu porque: a) os paulistas, excluídos do circuito da produção colonial centrada no Nordeste, queriam aí estabelecer pontos de comércio, sendo impedidos pelos quilombos. b) os paulistas tinham prática na perseguição de índios, os quais, aliados aos negros de Palmares, ameaçavam o governo com movimentos milenaristas. c) o quilombo desestabilizava o grande contingente escravo existente no Nordeste, ameaçando a continuidade da produção açucareira e da dominação colonial. d) os senhores de engenho temiam que os quilombolas, que haviam atraído brancos e mestiços pobres, organizassem um movimento de independência da colônia. e) os aldeamentos de escravos rebeldes incitavam os colonos à revolta contra a metrópole, visando trazer novamente o Nordeste para o domínio holandês Gabarito: 1) E 2) A 3) D 4) A 5) B 6) D 7) B 8) C 01. (UFSCar-SP) Quanto à "Marcha de Povoamento e a Urbanização do Século XVII" A respeito da ocupação do território brasileiro, foram feitas as quatro observações seguintes: I. Iniciou-se pela nascente do rio Amazonas. II. Seguiu os cursos dos rios em direção ao interior. III. Foi decorrência da penetração do gado, da busca de metais preciosos e da exploração de drogas do sertão. IV. Significou a criação de vilas e cidades na região do Planalto Central. Pode-se afirmar que estão corretas: a) I e II, apenas. b) I, II e III, apenas c) I, II, III e IV.
  • 9. d) II e III, apenas. e) III e IV, apenas. 02. (UEL-PR) A que fatores se deve a expansão do território brasileiro, entre 1500 e 1822? 03. (Cesgranrio-RJ) A formação do território brasileiro no período colonial resultou de vários movimentos expansionistas e foi consolidada por tratados no século XVIII. Assinale a opção que relaciona corretamente os movimentos de expansão com um dos Tratados de Limites. a) A expansão da fronteira norte, impulsionada pela descoberta de minas de ouro, foi consolidada no tratado de Utrecht. b) A região missioneira do sul constituiu um caso à parte, só resolvido a favor de Portugal com a extinção da Companhia de Jesus. c) O Tratado de Madri revogou o de Tordesilhas e deu ao território brasileiro conformação semelhante à atual. d) O Tratado do Pardo garantiu a Portugal o controle da região das missões e do rio da Prata. e) Os tratados de Santo Ildefonso e Badajós consolidaram o domínio português no sul, passando a incluir a região platina. 04. (Cesgranrio-RJ) Apesar do predomínio da agromanufatura açucareira na economia colonial brasileira, a pecuária e a extração das "drogas do sertão" foram fundamentais. A esse respeito, podemos afirmar que: a) ocorreu uma grande absorção da mão-de-obra escrava negra, particularmente na pecuária. b) a presença do indígena na extração das "drogas do sertão" foi essencial pelo conhecimento da geografia da região Nordeste. c) por serem atividades complementares, a força de trabalho não se dedicava integralmente a elas. d) ambas forma responsáveis pelo processo de interiorização do Brasil colonial. e) possibilitaram o surgimento de um mercado interno que se contrapunha às flutuações do comércio internacional. 05. (Fuvest-SP) No século XVIII, o governo português incorporou a maior parte da Amazônia ao seu domínio. A ampliação dessa fronteira da colônia portuguesa deveu-se: a) aos acordos políticos entre Portugal e França. b) às lutas de resistência das populações indígenas. c) ao início da exploração e exportação da borracha. d) à expulsão dos jesuítas favoráveis à dominação espanhola. e) à exploração e comercialização das drogas do sertão. 06. (Fuvest-SP) A expansão da colonização no Brasil acentua-se na segunda metade do século XVII, caracterizando-se pela ocupação do território. Quais os fatores que contribuíram para a expansão da colonização para além do litoral? 07. (Fuvest-SP) Entre 1750, quando assinaram o tratado de Madrid, e 1777, quando assinaram o tratado de Santo Ildefonso, Portugal e Espanha discutiram os limites entre suas colônias americanas. Neste contexto, ganhou importância, na política portuguesa, a idéia da necessidade de: a) defender a colônia com forças locais, daí a organização dos corpos militares do centro-sul e a abolição das diferenças entre índios e brancos. b) fortificar o litoral para evitar ataques espanhóis e isolar o marquês de Pombal por sua política nitidamente pró-bourbônica. c) transferir a capital da Bahia para o Rio de Janeiro, para onde fluía a maior parte da produção açucareira, ameaçada pela pirataria. d) afastar os jesuítas da colônia por serem quase todos espanhóis e, nesta qualidade, defenderem os
  • 10. interesses da Espanha. e) aliar-se política e economicamente à França para enfrentar os vizinhos espanhóis, impondo-lhes suas concepções geopolíticas na América. 08. (Fatec-SP) "No estado do Maranhão, Senhor, não há ouro nem prata mais que o sangue e o suor dos índios: o sangue se vende nos que cativam e o suor se transforma em tabaco, no açúcar e nas demais drogas que os ditos índios se lavram e fabricam. Com este sangue e suor se medeia a necessidade dos moradores; e com este sangue e suor se enche e enriquece a cobiça insaciável dos que vão lá governar." Vieira. Padre Antônio. Obras escolhidas. In: Alencar, Carpi & Ribeiro. História da sociedade brasileira. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1979. pp 210-1 O texto acima foi escrito por volta de 1653. As principais riquezas do Maranhão, naquela época, eram: a) o ouro e a prata. b) o ouro, a prata e o comércio dos escravos. c) o tabaco, o açúcar e as drogas. d) o ouro, a prata, o tabaco e o açúcar. e) os metais preciosos, o comércio de escravos e o açúcar. 09. (UFPE) Na(s) questão(ões) a seguir escreva nos parênteses (V) se for verdadeiro ou (F) se for falso. A ocupação portuguesa no litoral Norte e Nordeste do Brasil, em fins do século XVI e início do século XVII, deu-se em virtude dos ataques ingleses, franceses e holandeses a esse território. Sobre estas invasões e ocupações, identifique as proposições verdadeiras e falsas. ( ) Os franceses invadiram Sergipe d'El Rei, a Paraíba, o Rio Grande do Norte, o Ceará, o Maranhão e o Grão-Pará. ( ) Os holandeses ocuparam, por longo tempo, os territórios da Bahia, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte. ( ) Os franceses, holandeses e ingleses conquistaram todo o Norte e Nordeste, restando aos portugueses, no século XVI, o domínio do território abaixo da Bahia. ( ) De todas as invasões do século XVII, a holandesa foi a mais duradoura, no sentido da permanência da ocupação. Em Pernambuco, o domínio holandês se estendeu de 1630 a 1654. ( ) A conquista do Grão-Pará, pelos portugueses, em 1616, beneficiou o monopólio do comércio dessa região para Portugal e obrigou os franceses a se instalarem nas Guianas. 10. (Unicamp-SP) A conquista e a posse das terras no Brasil Colonial foram feitas por particulares que deviam lealdade ao rei de Portugal. a) Qual foi a mudança territorial do Brasil entre os séculos XVI e XVII. b) Quais as principais atividades econômicas que promoveram tal mudança? c) Qual foi a política utilizada pela Metrópole para a distribuição das terras no Brasil Colonial? Gabarito do seu teste Resposta 01: letra d
  • 11. Resposta 02: - Bandeiras, pecuária, entradas, exploração econômica da Amazônia (drogas do sertão) e do Prata. Resposta 03: letra c Resposta 04: letra d Resposta 05: letra e Resposta 06: - Por meio das bandeiras, pecuária, entradas e coleta das drogas do sertão. Resposta 07: letra a Resposta 08: letra c Resposta 09: VVVFF Resposta 10: a) A ocupação do interior do território, com destaque para o nordeste, a Amazônia e o sul da colônia. b) Bandeiras, pecuária e a exploração das drogas do sertão. c) A distribuição de terras era feita por sesmarias a colonos, para produzir ou para pagamento por serviços prestados à Metrópole. 1. (Fuvest) Entre as mudanças ocorridas no Brasil Colônia durante a União Ibérica (1580 - 1640), destacam-se a) a introdução do tráfico negreiro, a invasão dos holandeses no Nordeste e o início da produção de tabaco no recôncavo Baiano. b) a expansão da economia açucareira no Nordeste, o estreitamento das relações com a Inglaterra e a expulsão dos jesuítas. c) a incorporação do Extremo-Sul, o início da exploração do ouro em Minas Gerais e a reordenação administrativa do território. d) a expulsão dos holandeses do Nordeste, a intensificação da escravização indígena e a introdução das companhias de comércio monopolistas.
  • 12. e) a expansão da ocupação interna pela pecuária, a expulsão dos franceses e o incremento do bandeirismo. 2. (Vunesp) A partir de 1750, com os Tratados de Limites, fixou-se a área territorial brasileira, com pequenas diferenças em relação a configuração atual. A expansão geográfica havia rompido os limites impostos pelo Tratado de Tordesilhas. No período colonial, os fatores que mais contribuíram para a referida expansão foram: a) criação de gado no vale do São Francisco e desenvolvimento de uma sólida rede urbana. b) apresamento do indígena e constante procura de riquezas minerais. c) cultivo de cana-de-açúcar e expansão da pecuária no Nordeste. d) ação dos donatários das capitanias hereditárias e Guerra dos Emboabas. e) incremento da cultura do algodão e penetração dos jesuítas no Maranhão. 3. (Cesgranrio) A expansão da Colonização Portuguesa na América, a partir da segunda metade do século XVIII, foi marcada por um conjunto de medidas, dentre as quais podemos citar: a) o esforço para ampliar o comércio colonial, suprimindo-se as práticas mercantilistas. b) a instalação de missões indígenas nas fronteiras sul e oeste, para garantir a posse dos territórios por Portugal. c) o bandeirismo paulista, que destruiu parte das missões jesuíticas e descobriu as áreas mineradoras do planalto central. d) a expansão da lavoura de cana para o interior, incentivada pela alta dos preços no mercado internacional. e) as alianças políticas e a abertura do comércio colonial aos ingleses, para conter o expansionismo espanhol. 4. (Fuvest) Entre 1750, quando assinaram o Tratado de Madrid, e 1777, quando assinaram o Tratado de Santo Ildefonso, Portugal e Espanha discutiram os limites entre suas colônias americanas. Neste contexto, ganhou importância, na política portuguesa, a ideia da necessidade de: a) defender a colônia com forças locais, daí a organização dos corpos militares do centro-sul e a abolição das diferenças entre índios e brancos. b) fortificar o litoral para evitar ataques espanhóis e isolar o marquês de Pombal por sua política nitidamente pró-bourbônica.
  • 13. c) transferir a capital da Bahia para o Rio de Janeiro, para onde fluía a maior parte da produção açucareira, ameaçada pela pirataria. d) afastar os jesuítas da colônia por serem quase todos espanhóis e, nesta qualidade, defenderem os interesses da Espanha. e) aliar-se política e economicamente à França para enfrentar os vizinhos espanhóis, impondo-lhes suas concepções geopolíticas na América. 5. (Fuvest) Em 1694, uma expedição chefiada pelo bandeirante Domingos Jorge Velho foi encarregada pelo governo metropolitano de destruir o quilombo de Palmares. Isto se deu porque: a) os paulistas, excluídos do circuito da produção colonial centrada no Nordeste, queriam aí estabelecer pontos de comércio, sendo impedidos pelos quilombos. b) os paulistas tinham prática na perseguição de índios, os quais aliados aos negros de Palmares ameaçavam o governo com movimentos milenaristas. c) o quilombo desestabilizava o grande contingente escravo existente no Nordeste, ameaçando a continuidade da produção açucareira e da dominação colonial. d) os senhores de engenho temiam que os quilombolas, que haviam atraído brancos e mestiços pobres, organizassem um movimento de independência da colônia. e) os aldeamentos de escravos rebeldes incitavam os colonos à revolta contra a metrópole visando trazer novamente o Nordeste para o domínio holandês. 6. (Uel) No Brasil Colônia, a pecuária teve um papel decisivo na a) ocupação das áreas litorâneas. b) expulsão do assalariado do campo. c) formação e exploração dos minifúndios. d) fixação do escravo na agricultura. e) expansão para o interior. 7. (Cesgranrio) Apesar do predomínio da agromanufatura açucareira na economia colonial brasileira, a pecuária e a extração das "drogas do sertão" foram fundamentais. A esse respeito, podemos afirmar que: a) ocorreu uma grande absorção da mão-de-obra escrava negra, particularmente na pecuária. b) a presença do indígena na extração das "drogas do sertão" foi essencial pelo conhecimento da geografia da região nordeste. c) por serem atividades complementares, a força de trabalho não se dedicava integralmente a elas.
  • 14. d) ambas foram responsáveis pelo processo de interiorização do Brasil colonial. e) possibilitaram o surgimento de um mercado interno que se contrapunha às flutuações do comércio internacional. 8. O sertanismo (ou bandeirismo) de contrato, tinha por atividade: a) a exportação de drogas do sertão; b) a busca de metais preciosos para o governo português; c) o tráfico negreiro para a Inglaterra; d) a captura de índios para escravizá-los; e) combater revoltas de índios e negros e destruir os quilombos. 9. (Mackenzie) A historiografia tradicional atribui ao bandeirismo o alargamento do território brasileiro para além de Tordesilhas. Sobre esta atividade é correto afirmar que: a) jamais converteu-se em elemento repressor, atacando quilombos ou aldeias indígenas. b) as Missões do Sul foram preservadas dos ataques paulistas, devido à presença dos jesuítas espanhóis. c) na verdade, o bandeirismo era a forma de sobrevivência para mestiços vicentinos, rudes e pobres e a expansão territorial ocorreu de forma inconsciente como subproduto de sua atividade. d) eram empresas totalmente financiadas pelo governo colonial, tendo por objetivo alargar o território para além de Tordesilhas. e) era exercida exclusivamente pelo espírito de aventura dos brancos vinculados à elite proprietária vicentina, cujas lavouras de cana apresentavam grande prosperidade. 10. (Cesgranrio) A formação do território brasileiro no período colonial resultou de vários movimentos expansionistas e foi consolidada por tratados no século XVIII. Assinale a opção que relaciona corretamente os movimentos de expansão com um dos Tratados de Limites: a) A expansão da fronteira norte, impulsionada pela descoberta das minas de ouro, foi consolidada nos Tratados de Utrecht. b) A região missioneira no sul constituiu um caso à parte, só resolvido a favor de Portugal com a extinção da Companhia de Jesus. c) O Tratado de Madri revogou o de Tordesilhas e deu ao território brasileiro conformação semelhante à atual.
  • 15. d) O Tratado do Pardo garantiu a Portugal o controle da região das Missões e do rio da Prata. e) Os Tratados de Santo Ildefonso e Badajós consolidaram o domínio português no sul, passando a incluir a região platina. 11. (Unirio) A definição dos limites do Brasil colonial em diversos tratados, durante o século XVIII, foi o resultado político de vários movimentos, dentre os quais se destaca na região sul o(a): a) interesse português no rio da Prata, materializado na fundação da Colônia do Sacramento. b) necessidade natural de ocupação de novas terras para a "plantation" canavieira. c) proteção portuguesa aos aldeamentos indígenas, contrariando a política espanhola de escravização do gentio. d) disputa pela posse das zonas mineradoras na região platina. e) interferência do Papado na negociação do Tratado de Madri para resguardar as zonas missioneiras. 12. "A Guerra Guaranítica foi a revolta dos missioneiros guaranis contra as imposições do Tratado de Madri, que os obrigava a abandonar suas terras, moradias, plantações e rebanhos. O acordo de 1750 favorecia as monarquias ibéricas, defendendo seus interesses na região, mas prejudicava gravemente os indígenas." (QUEVEDO, Júlio. A GUERRA GUARANÍTICA. São Paulo: Ática, 1996. p.29.) Com base no texto, é correto afirmar: a) Os índios reagiram à dominação colonial, porque defendiam exclusivamente o Império Teocrático organizado pela Igreja Católica, que se sobressaía na América, através da Companhia de Jesus. b) Os missioneiros guaranis estavam desaculturados do "ser" índio devido à tirania jesuíta, portanto defendiam somente os interesses dos padres. c) A guerra expressou a luta dos missioneiros guaranis que não queriam se transformar numa espécie de "sem terra" do século XVIII, visto que suas terras foram doadas aos soldados espanhóis. d) A guerra representou um dos raros momentos de reação indígena, organizada contra as imposições da Coroa e dos colonizadores luso-espanhóis. e) Os missioneiros guaranis enfrentaram os exércitos luso-espanhóis, porque estavam organizando uma confederação indígena antiespanhola.
  • 16. Questões sobre densidade demográfica no Brasil 1) (UFPE) “O BRASIL ESCAPOU DA SUPERPOPULAÇÃO O país já teve taxa de fecundidade de nação africana – 5,8 filhos por mulher, em 1970. Se essa taxa se mantivesse, a população hoje seria de 300 milhões de habitantes. Como essa taxa caiu para 1,8 filho por mulher, a população atual é de 193 milhões. [...]” (REVISTA VEJA. São Paulo: Ed. Abril, a. 43, n. 27, p. 97, 7 jul. 2010.) A taxa de fecundidade é um dos fatores da dinâmica populacional e reflete várias tendências da sociedade brasileira e mesmo mundial. Escolha a alternativa correta sobre a demografia e sua dinâmica: a) O crescimento da população mundial sempre causou polêmicas. No século XVIII, Thomas Malthus já alertava sobre a falta de alimentos para uma população mundial que cresceria descontroladamente e divulgou a sua teoria demográfica. Essa teoria não foi mais utilizada, uma vez que a produção de alimentos atende a toda a população mundial. b) O custo de formação do indivíduo é maior nos países desenvolvidos em razão da necessidade de dar educação mais completa, de maior quantidade de roupas, material escolar, aparelhos eletrônicos e proibição de trabalho para menores. Tudo isso pode levar a um aumento da taxa de natalidade. c) O superpovoamento é sempre relativo e se altera com as mudanças econômicas, sociais e tecnológicas. Os países mais desenvolvidos foram os primeiros a terem suas taxas de natalidade em declínio, e um aumento da expectativa de vida, seguidos de imediato pelos países mais pobres. d) Quando a taxa de fecundidade de um país é muito baixa (inferior a 2,1%), compromete a reposição da população que morre, ocorrendo, muitas vezes, falta de mão-de-obra e levando a um incentivo às migrações. e) A dinâmica demográfica dos homens pode ser explicada somente pelos mecanismos naturais, desconsiderando os mecanismos culturais e econômicos de regulação. 2) (UFCE) Sobre a política demográfica brasileira, analise as sentenças. I. Manteve-se fortemente natalista até a década de 1950. II. Nessa época, o governo acreditava que o alto crescimento vegetativo era fator de progresso. III. Nenhuma política estatal de controle da natalidade foi adotada, mas o Estado apoiava os programas de redução da natalidade. IV. A política demográfica dos governos militares brasileiros pós-1964 foi marcada por atos contraditórios. Estão corretas: A) apenas I e II.
  • 17. B) apenas II e III. C) apenas I, II e IV. D) apenas III e IV. E) I, II, III e IV. 3) (UEPB) “Acompanhando uma tendência mundial, o crescimento da população brasileira vem diminuindo nas últimas quatro décadas. [...] Além de estar crescendo menos, a população brasileira também apresenta outra característica: o envelhecimento.” (Coleção Almanaque Abril. no 4. 2004. p. 4) Este processo de mudanças no perfil da população brasileira, que é denominado “transição demográfica”, tem como características: I. O aumento da longevidade e da queda da fecundidade e da mortalidade, sobretudo, com o progresso da medicina e das condições sanitárias. II. A diminuição do número de filhos por famílias em razão das transformações econômicas e sociais que levaram a mulher ao mercado de trabalho. III. A mudança no desenho da pirâmide etária brasileira que passa a apresentar base mais estreita e topo mais largo. IV. O aumento da participação dos homens na pirâmide etária, que passaram a viver mais que as mulheres, as quais, tornaram-se mais expostas à mortalidade por homicídios e acidentes. Estão corretas apenas as proposições a) I, II e III. b) III e IV. c) I, III e IV. d) II e III. e) I, II e IV. 4) (IFG) Conforme os dados do IBGE (2010) a População Economicamente Ativa foi de 22,3 milhões. Na comparação anual, houve alta no contingente da indústria extrativa, na transformação e distribuição de eletricidade, gás e água, nos serviços prestados, nos aluguéis, dentre outros. Analisando o trecho acima com os seus saberes é correto afirmar que: a) Na População Economicamente Ativa são incluídas pessoas acima de 18 anos que trabalham, com exceção dos desempregados. b) De setembro de 2009 a setembro de 2010 diminuiu a taxa de rendimentos e ocupação de pessoas. c) A inserção da mulher no mercado de trabalho é um fator irrelevante para a mensuração da variação do rendimento familiar. d) População economicamente inativa (PEI) corresponde à parcela da população que não está empregada como crianças, idosos, deficientes, estudantes, ou que não exercem atividades remuneradas como donas de casa. e) Infere-se que um dos motivos para o decréscimo do rendimento real
  • 18. habitual poderia ser a instalação de UHE’s gerando emprego e renda. 5) (Vunesp) Embora o Brasil esteja colocado entre os países mais populosos do mundo, quando se relaciona sua população total com a área do país obtém-se um número relativamente baixo. A essa relação de população x área, damos o nome de: a) Taxa de crescimento. b) Índice de desenvolvimento. c) Densidade demográfica. d) Taxa de natalidade. e) Taxa de fertilidade. 6) (UEPG) Sobre a distribuição da população brasileira, bastante irregular, assinale o que for correto: Wagner, por esta enumeração: 1, 2, 4, 8, 16, não fez sentido pra mim :) 01) O Sudeste é a região mais populosa e a mais povoada enquanto o Norte ou Amazônia é a região menos povoada. 02) Dos estados brasileiros, São Paulo é o mais populoso com cerca de um quinto (20%) da população brasileira e Roraima é o menos populoso e o menos povoado, com menos de um habitante por quilômetro quadrado. 04) A região Nordeste do Brasil é mais populosa do que a região Sul, mas é menos povoada na sua região litorânea e mais povoada no seu interior. 08) A Grande São Paulo, sozinha, detém 11% do total da população brasileira, concentrada em uma área de cerca de 1% da área do país. 16) A região Sul é menos povoada do que a região Centro-Oeste, uma vez que a população brasileira está mais concentrada no interior do país do que nas áreas mais próximas do mar. 7) A população brasileira está distribuída de maneira irregular no território. A Região do Brasil que apresenta o maior número de habitantes é: a) Norte. b) Sudeste. c) Centro-Oeste. d) Sul. e) Nordeste. 8) (FGV)
  • 19. Estudos recentes sobre a população brasileira explicam a situação apresentada na tabela acima, como resultado da: a) queda do índice de fertilidade das mulheres, nas duas últimas décadas, e o aumento da taxa de mortalidade infantil. b) diminuição da entrada de imigrantes, desde 1950, e da concentração da renda nacional. c) grande concentração da renda após 1970, acentuando o aumento da taxa de mortalidade infantil. d) diminuição da entrada de imigrantes, desde 1950, associada à saída de brasileiros para o exterior, em busca de melhores condições de vida. e) queda da taxa de fecundidade das mulheres, associada a um mínimo de programação familiar. 9) Quais os principais grupos étnicos formadores da população brasileira? 10) (UDESC 2010) Analise as proposições: I – A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) constatou diversos avanços no mercado de trabalho brasileiro em 2008, especialmente nas regiões Norte e Nordeste. De 2007 para 2008, o contingente de trabalhadores cresceu, impulsionado pelo setor da construção civil, que gerou cerca de 900 mil novos postos de trabalho em todo o país. II – A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), de 2008, confirmou o envelhecimento da população. III – Segundo a Pnad de 2008, o Norte continua a ter a estrutura etária mais jovem do país. IV – As regiões Sul e Sudeste apresentaram as estruturas etárias mais envelhecidas na Pnad de 2008. V – Segundo a Pnad de 2008, houve um aumento dos trabalhadores com carteira assinada entre os anos de 2007 e 2008. Assinale a alternativa correta.
  • 20. A) Somente as afirmativas III, IV e V são verdadeiras. B) Somente as afirmativas II e IV são verdadeiras. C) Somente as afirmativas I e V são verdadeiras. D) Somente as afirmativas I, II e III são verdadeiras. E) Todas as afirmativas são verdadeiras. 11) Uma tendência verificada na evolução da composição etária do País e uma ação do Estado necessária ou recomendável, no âmbito da previdência social, estão corretamente associados na opção: A) estabilização da participação de jovens sobre a população total do país – programas voltados à ampliação da cobertura previdenciária nas regiões mais urbanizadas do Brasil; B) estabilização da participação da população economicamente ativa no total da população – adoção de uma política previdenciária voltada especialmente para as áreas urbanas das regiões Sul e Centro-Oeste; C) redução na participação de jovens e idosos no total da população – implementação de incentivos à emigração das áreas economicamente mais dinâmicas para reduzir a informalidade;
  • 21. D) incremento contínuo na participação de todas as faixas de idade – adoção de uma política previdenciária com vistas a um maior equilíbrio geográfico em sua cobertura; E) aumento da participação do percentual de idosos no total da população do País – políticas dirigidas ao incremento do contingente de trabalhadores cobertos pela previdência no Norte e no Nordeste. 12) (UDESC 2008) Leia e analise as afirmações abaixo. I – No mundo inteiro, especialmente nos países mais desenvolvidos, a expectativa de vida cresceu muito. II – No Brasil, existe um número de homens ligeiramente superior ao número de mulheres. III – No Brasil, a expectativa de vida das mulheres está acima da expectativa de vida dos homens. IV – Nos países subdesenvolvidos, a participação feminina no mercado de trabalho tem aumentado muito. Nos últimos 5 anos, entretanto, estagnou, assim como a participação de jovens e velhos. V – Nos últimos anos, o Brasil assistiu a um declínio das taxas de natalidade. Assinale a alternativa correta. A) Somente as afirmativas III e IV são verdadeiras. B) Somente as afirmativas I, III e V são verdadeiras. C) Somente as afirmativas II e V são verdadeiras. D) Todas as afirmativas são verdadeiras. E) Somente as afirmativas I e II são verdadeiras. 13) (UDESC 2009) Sobre a população feminina e sua participação no mercado de trabalho, assinale a alternativa incorreta. A) Chama a atenção a maior participação no mercado de trabalho das mulheres da região Sul, onde também são verificadas as maiores taxas de ocupação da população feminina. B) O aumento da escolaridade feminina, a queda da fecundidade, as novas oportunidades oferecidas pelo mercado e as mudanças nos padrões culturais são as principais causas do aumento da participação feminina no mercado de trabalho. C) As mulheres vêm aumentando sua participação no mercado de trabalho nos últimos anos. D) “A volta ao lar” já é uma realidade absoluta para a maioria das mulheres trabalhadoras nas grandes cidades brasileiras, fruto do desemprego e das desigualdades salariais entre homens e mulheres. E) As mulheres ainda hoje fazem parte da maioria que estão à procura de emprego.
  • 22. 14) (UDESC 2009) Sobre a população negra brasileira, assinale a alternativa incorreta. A) As melhorias no acesso à educação formal também não foram capazes de acabar com a desvantagem na escolaridade dos negros em relação aos brancos. Enquanto em 2006 a maioria dos brancos estava matriculada no ensino médio com idade adequada para o curso, apenas 37,4% dos negros estavam no mesmo patamar. B) Os índices de escolaridade, renda e pobreza da população negra registraram melhoras entre 1996 e 2006, mas as condições de vida continuam ainda inferiores às dos brancos no Brasil. C) A renda média do trabalhador negro cresceu, embora o aumento não seja muito expressivo. Mesmo com esse crescimento, a discrepância é grande. Os brancos ainda vivem com quase o dobro da renda mensal per capita dos negros. D) Os negros, homens e mulheres, entram mais cedo no mercado de trabalho e deixam-no mais tarde, em relação aos brancos. E) A desigualdade entre brancos e negros tem se agravado nos últimos anos no Brasil, pois faltam políticas públicas capazes de reverter essa situação. 15) Os dados da tabela mostram uma tendência de diminuição, no Brasil, do número de filhos por mulher. Evolução das taxas de fecundidade IBGE Contagem da População de 1996. Época Número de filhos por mulher Século XX 7 1960 6,2 1980 4,01 1991 2,9 1996 2,32 Dentre as alternativas, a que melhor explica essa tendência é: a) Eficiência da política demográfica oficial por meio de campanhas publicitárias. b) Introdução de legislações específicas que desestimulam casamentos precoces. c) Mudança na legislação que normatiza as relações de trabalho, suspendendo incentivos para trabalhadores com mais de dois filhos. d) Aumento significativo de esterilidade decorrente de fatores ambientais. e) Maior esclarecimento da população e maior participação feminina no mercado de trabalho.Gabarito: 1) D 2) E 3) A 4) D 5) C 6) 01 7) B 8) E 9) Os principais grupos étnicos formadores da população brasileira são os
  • 23. indígenas (nativos), europeus (colonizadores) e africanos (escravos). 10) E 11) E 12) B 13) D 14) E 15) E Dentre os tipos existentes de migração, conforme a classificação que tem como critério o tempo de permanência do migrante no local de destino, aquela que se caracteriza pela migração diária realizada por qualquer pessoa em seu cotidiano é: a) Migração rotineira b) Migração Sazonal c) Migração cotidiana d) Migração pluritópica e) Migração pendular O Brasil Escapou da Superpopulação O país já teve taxa de fecundidade de nação africana – 5,8 filhos por mulher, em 1970. Se essa taxa se mantivesse, a população hoje seria de 300 milhões de habitantes. Como essa taxa caiu para 1,8 filho por mulher, a população atual é de 193 milhões. [...] (REVISTA VEJA. São Paulo: Ed. Abril, a. 43, n. 27, p. 97, 7 jul. 2010.) A taxa de fecundidade é um dos fatores da dinâmica populacional e reflete várias tendências da sociedade brasileira e mesmo mundial. Escolha a alternativa correta sobre a demografia e sua dinâmica: a) O crescimento da população mundial sempre causou polêmicas. No século XVIII, Thomas Malthus já alertava sobre a falta de alimentos para uma população mundial que cresceria descontroladamente e divulgou a sua teoria demográfica. Essa teoria não foi mais utilizada, uma vez que a produção de alimentos atende a toda a população mundial. b) O custo de formação do indivíduo é maior nos países desenvolvidos em razão da necessidade de dar educação mais completa, de maior quantidade de roupas, material escolar, aparelhos eletrônicos e proibição de trabalho para menores. Tudo isso pode levar a um aumento da taxa de natalidade.
  • 24. c) O superpovoamento é sempre relativo e se altera com as mudanças econômicas, sociais e tecnológicas. Os países mais desenvolvidos foram os primeiros a terem suas taxas de natalidade em declínio, e um aumento da expectativa de vida, seguidos de imediato pelos países mais pobres. d) Quando a taxa de fecundidade de um país é muito baixa (inferior a 2,1%), compromete a reposição da população que morre, ocorrendo, muitas vezes, falta de mão de obra e levando a um incentivo às migrações. e) A dinâmica demográfica dos homens pode ser explicada somente pelos mecanismos naturais, desconsiderando os mecanismos culturais e econômicos de regulação. d) Verdadeiro – esse problema vem sendo observado em países desenvolvidos, que necessitam de mão de obra estrangeira para preencher determinados setores do mercado de trabalho, isso se deve aos baixíssimos índices de natalidade.