SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
Baixar para ler offline
A Fermentação: Glicólise e Redução
do Acido Pirúvico.
.
O METABOLISMO CELULAR
É o conjunto de reacções químicas essenciais à vida realizadas pelas células
de todos os seres vivos.
METABOLISMO CELULAR

CATABOLISMO

Reacções metabólicas em
que os compostos
orgânicos são degradados
em moléculas mais
simples, ocorrendo
libertação de energia.

ANABOLISMO

Reacções metabólicas em
que ocorre formação de
moléculas mais complexas
a partir de moléculas mais
simples, ocorrendo
consumo de energia.
AS REACÕES CATABÓLICAS
Existem diversas vias catabólicas capazes de transferir a energia contida nos
compostos orgânicos para moléculas de ATP.
Nestas vias, intervém compostos, (como o NAD+), que transportam os protões
(H+) e electrões (e-) do hidrogénio desde o substrato até um aceptor final.

NAD + 2e + 2 H
+

forma
oxidada

-

+

oxidação

NADH + H+

redução

forma reduzida

Reacções Catabólicas

Respiração Aeróbia

Respiração Anaeróbia

Cujo aceptor final de electrões é:

Cujos aceptores finais de electrões
são:

Oxigénio

Outras moléculas
inorgânicas

Fermentação
Cujos aceptores finais de electrões
são:

Outras moléculas
orgânicas
A FERMENTAÇÃO E A RESPIRAÇÃO
São duas vias catabólicas responsáveis pela transferência de energia de
compostos orgânicos (glicose) para moléculas de ATP.
Em ambos os processos estão implicadas:
Reacções de descarboxilação (perda de dióxido de carbono)
Reacções de fosforilação (transferência de fosfato, Pi)
Transferências de energia do tipo oxidação – redução.
A FERMENTAÇÃO
Processo simples e primitivo de obtenção de energia a partir de compostos
orgânicos.
Seres anaeróbios facultativos
Organismos aeróbios que conservaram a capacidade de recorrer à fermentação
para produzir energia, nos curtos períodos em que o oxigénio não se encontra
disponível.
Seres anaeróbios obrigatórios
São seres que têm na fermentação a sua única fonte de obtenção de energia.
A fermentação ocorre na hialoplasma das células e compreende duas etapas:
Glicólise: conjunto de reacções que degradam a glicose até ácido pirúvico ou piruvato.
Redução do piruvato: conjunto de reacções que conduzem à formação dos produtos
da fermentação (etanol, ácido láctico, ácido acético, etc.).
A GLICÓLISE
A GLICÓLISE
As moléculas de glicose vão sofrer uma série de reacções durante um
processo denominado glicólise que é comum à respiração e à fermentação .
A glicólise ocorre no citoplasma das células.
Na glicólise, a glicose é parcialmente oxidada , formando por cada molécula:
Duas moléculas de ácido pirúvico (ou piruvato), constituídas por 3 átomos de
carbono cada, que ainda contêm grande quantidade de energia nas suas ligações.
Duas moléculas de NADH, a partir da redução do NAD+.
Quatro moléculas de ATP , embora sejam consumidas duas moléculas de ATP
na fase inicial, para activar o processo.
A REDUÇÃO DO ÁCIDO PIRÚVICO
A REDUÇÃO DO ÁCIDO PIRÚVICO
Os produtos finais da fermentação alcoólica e da fermentação láctica diferem em
função das reacções que ocorrem a partir do ácido pirúvico.
Fermentação Alcóolica:
O ácido pirúvico experimenta a descarboxilação, libertando dióxido de carbono.
O composto formado é reduzido a etanol, um composto formado por 2 átomos de carbono.
Intervém o NADH formado na glicólise que é oxidado novamente a NAD+.

Fermentação Láctica:
–

O ácido pirúvico experimenta redução ao combinar-se com os átomos de hidrogénio
transportados pela molécula de NADH.

–

Forma-se ácido láctico, composto com três átomos de carbono.

Podem existir outros tipos de fermentação:
Fermentação acética: o produto final é o ácido acético (ex.: vinagre).
Fermentação butírica: o produto final é o ácido butírico (ex.: provoca a alteração da manteiga).
O RENDIMENTO ENERGÉTICO DA FERMENTAÇÃO
O rendimento energético da fermentação, quer alcoólica quer láctica é de 2 ATP
resultantes da glicólise.
Grande parte da energia da glicose permanece nas moléculas de etanol ou de
ácido láctico compostos orgânicos altamente energéticos.
Globalmente, pode traduzir-se a fermentação alcoólica e a fermentação láctica
pelas seguintes equações químicas:
Fermentação Alcoólica:
Glicose + 2 ADP + 2 Pi

2 Etanol + 2 CO 2 + 2 ATP

Fermentação Láctica:
Glicose + 2 ADP + 2 Pi

2 Ácido láctico + 2 ATP
A FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA E LÁCTICA
A FERMENTAÇÃO E O EXERCÍCIO FÍSICO INTENSO
Em caso de exercício físico intenso, as células musculares humanas, por não
receberem oxigénio em quantidade suficiente, podem realizar a fermentação
alcoólica, além da respiração aeróbia.
Desta forma, conseguem sintetizar uma quantidade suplementar de moléculas
de ATP.
A acumulação de ácido láctico nos músculos é responsável pelas dores
musculares que surgem durante estes períodos de intenso exercício.
O ácido láctico assim formado é rapidamente metabolizado no fígado, sob
pena de se tornar altamente tóxico para o nosso organismo.
APLICAÇÕES PRÁTICAS DA FERMENTAÇÃO
Os mecanismos de fermentação nos microrganismos, além de permitirem mobilizar
energia contida em moléculas orgânicas, como a glicose, conduzem também à
síntese final de substâncias que têm sido utilizadas para proveito humano.
Fabrico de Pão:
O CO2 libertado na fermentação alcoólica fica aprisionado na massa conferindo ao pão cozido
o seu aspecto alveolar.
O álcool produzido evapora-se durante o cozimento da massa.

Fabrico de Bebidas Alcoólicas:
O CO2 é libertado e o álcool acumula-se.
No fabrico de vinho as leveduras encontram-se nas uvas e no fabrico da cerveja as leveduras
encontram-se nos grãos de cereais.

Fabrico de Produtos Lácteos e Fermentados:
A fermentação láctea é responsável pelo azedar e coagular do leite.
O ácido láctico mudando o pH do meio provoca a coagulação das proteínas do leite.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Biologia 11 ciclos de vida
Biologia 11   ciclos de vidaBiologia 11   ciclos de vida
Biologia 11 ciclos de vidaNuno Correia
 
FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA NA PRODUÇÃO DE PÃO
FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA NA PRODUÇÃO DE PÃOFERMENTAÇÃO ALCOÓLICA NA PRODUÇÃO DE PÃO
FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA NA PRODUÇÃO DE PÃODanillo Rodrigues
 
8 fotossíntese e quimiossíntese
8   fotossíntese e quimiossíntese8   fotossíntese e quimiossíntese
8 fotossíntese e quimiossíntesemargaridabt
 
Ppt 4 RespiraçãO AeróBia
Ppt 4   RespiraçãO AeróBiaPpt 4   RespiraçãO AeróBia
Ppt 4 RespiraçãO AeróBiaNuno Correia
 
Biologia 11 diferenciação celular
Biologia 11   diferenciação celularBiologia 11   diferenciação celular
Biologia 11 diferenciação celularNuno Correia
 
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivosHugo Martins
 
Teste BG - Síntese Proteica
Teste BG - Síntese ProteicaTeste BG - Síntese Proteica
Teste BG - Síntese ProteicaJosé Luís Alves
 
Biologia 11 sistemas de classificação
Biologia 11   sistemas de classificaçãoBiologia 11   sistemas de classificação
Biologia 11 sistemas de classificaçãoNuno Correia
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntesespondias
 
(5) biologia e geologia 10º ano - obtenção de matéria
(5) biologia e geologia   10º ano - obtenção de matéria(5) biologia e geologia   10º ano - obtenção de matéria
(5) biologia e geologia 10º ano - obtenção de matériaHugo Martins
 
Exercícios dna e síntese proteínas
Exercícios dna e síntese proteínasExercícios dna e síntese proteínas
Exercícios dna e síntese proteínasIsabel Lopes
 
Relatório extração dna
Relatório extração dnaRelatório extração dna
Relatório extração dnamargaridabt
 
Teste avaliação Biologia Geologia 11º cc
Teste avaliação Biologia Geologia 11º ccTeste avaliação Biologia Geologia 11º cc
Teste avaliação Biologia Geologia 11º ccJosé Luís Alves
 
EXERCÍCIOS DE BIOLOGIA 10º
EXERCÍCIOS DE BIOLOGIA 10ºEXERCÍCIOS DE BIOLOGIA 10º
EXERCÍCIOS DE BIOLOGIA 10ºsandranascimento
 
Introdução à bioquímica
Introdução à bioquímicaIntrodução à bioquímica
Introdução à bioquímicaMessias Miranda
 

Mais procurados (20)

Ciclos de vida
Ciclos de vidaCiclos de vida
Ciclos de vida
 
Mutações
Mutações Mutações
Mutações
 
Biologia 11 ciclos de vida
Biologia 11   ciclos de vidaBiologia 11   ciclos de vida
Biologia 11 ciclos de vida
 
FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA NA PRODUÇÃO DE PÃO
FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA NA PRODUÇÃO DE PÃOFERMENTAÇÃO ALCOÓLICA NA PRODUÇÃO DE PÃO
FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA NA PRODUÇÃO DE PÃO
 
8 fotossíntese e quimiossíntese
8   fotossíntese e quimiossíntese8   fotossíntese e quimiossíntese
8 fotossíntese e quimiossíntese
 
Digestão
DigestãoDigestão
Digestão
 
Ppt 4 RespiraçãO AeróBia
Ppt 4   RespiraçãO AeróBiaPpt 4   RespiraçãO AeróBia
Ppt 4 RespiraçãO AeróBia
 
Regulação do Material Genético
Regulação do Material GenéticoRegulação do Material Genético
Regulação do Material Genético
 
Biologia 11 diferenciação celular
Biologia 11   diferenciação celularBiologia 11   diferenciação celular
Biologia 11 diferenciação celular
 
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
 
Teste BG - Síntese Proteica
Teste BG - Síntese ProteicaTeste BG - Síntese Proteica
Teste BG - Síntese Proteica
 
Biologia 11 sistemas de classificação
Biologia 11   sistemas de classificaçãoBiologia 11   sistemas de classificação
Biologia 11 sistemas de classificação
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
 
Biomoléculas
BiomoléculasBiomoléculas
Biomoléculas
 
(5) biologia e geologia 10º ano - obtenção de matéria
(5) biologia e geologia   10º ano - obtenção de matéria(5) biologia e geologia   10º ano - obtenção de matéria
(5) biologia e geologia 10º ano - obtenção de matéria
 
Exercícios dna e síntese proteínas
Exercícios dna e síntese proteínasExercícios dna e síntese proteínas
Exercícios dna e síntese proteínas
 
Relatório extração dna
Relatório extração dnaRelatório extração dna
Relatório extração dna
 
Teste avaliação Biologia Geologia 11º cc
Teste avaliação Biologia Geologia 11º ccTeste avaliação Biologia Geologia 11º cc
Teste avaliação Biologia Geologia 11º cc
 
EXERCÍCIOS DE BIOLOGIA 10º
EXERCÍCIOS DE BIOLOGIA 10ºEXERCÍCIOS DE BIOLOGIA 10º
EXERCÍCIOS DE BIOLOGIA 10º
 
Introdução à bioquímica
Introdução à bioquímicaIntrodução à bioquímica
Introdução à bioquímica
 

Destaque

Biologia 10 fermentação
Biologia 10   fermentaçãoBiologia 10   fermentação
Biologia 10 fermentaçãoNuno Correia
 
Fermentação
FermentaçãoFermentação
FermentaçãoCatir
 
Fermentação alcoólica e lática, gliconeogênese, glicogênese e glicogenólise fsp
Fermentação alcoólica e lática, gliconeogênese, glicogênese e glicogenólise fspFermentação alcoólica e lática, gliconeogênese, glicogênese e glicogenólise fsp
Fermentação alcoólica e lática, gliconeogênese, glicogênese e glicogenólise fspMessias Miranda
 
Ppt 2 FermentaçãO
Ppt 2   FermentaçãOPpt 2   FermentaçãO
Ppt 2 FermentaçãONuno Correia
 
Microrganismos e Fermentação
Microrganismos e FermentaçãoMicrorganismos e Fermentação
Microrganismos e FermentaçãoIsabel Lopes
 
Rolo de entrada e saida
Rolo de entrada e saida Rolo de entrada e saida
Rolo de entrada e saida Jucimar Santos
 
Ppt 4 RespiraçãO AeróBia
Ppt 4   RespiraçãO AeróBiaPpt 4   RespiraçãO AeróBia
Ppt 4 RespiraçãO AeróBiaNuno Correia
 
Actividade Laboratorial - Produção de Pão
Actividade Laboratorial - Produção de PãoActividade Laboratorial - Produção de Pão
Actividade Laboratorial - Produção de PãoBioworld12
 
Bioquímica da fermentação etanólica
Bioquímica da fermentação etanólicaBioquímica da fermentação etanólica
Bioquímica da fermentação etanólicaCauré Portugal
 
B16 QuimiossíNtese
B16   QuimiossíNteseB16   QuimiossíNtese
B16 QuimiossíNteseNuno Correia
 

Destaque (20)

Fermentação
FermentaçãoFermentação
Fermentação
 
Biologia 10 fermentação
Biologia 10   fermentaçãoBiologia 10   fermentação
Biologia 10 fermentação
 
Fermentação
FermentaçãoFermentação
Fermentação
 
Fermentação
FermentaçãoFermentação
Fermentação
 
Fermentação alcoólica e lática, gliconeogênese, glicogênese e glicogenólise fsp
Fermentação alcoólica e lática, gliconeogênese, glicogênese e glicogenólise fspFermentação alcoólica e lática, gliconeogênese, glicogênese e glicogenólise fsp
Fermentação alcoólica e lática, gliconeogênese, glicogênese e glicogenólise fsp
 
Ppt 2 FermentaçãO
Ppt 2   FermentaçãOPpt 2   FermentaçãO
Ppt 2 FermentaçãO
 
Aula 4 fermentação
Aula 4 fermentaçãoAula 4 fermentação
Aula 4 fermentação
 
Microrganismos e Fermentação
Microrganismos e FermentaçãoMicrorganismos e Fermentação
Microrganismos e Fermentação
 
Rolo de entrada e saida
Rolo de entrada e saida Rolo de entrada e saida
Rolo de entrada e saida
 
Gv 11 cogeração
Gv 11 cogeraçãoGv 11 cogeração
Gv 11 cogeração
 
Fermentação
FermentaçãoFermentação
Fermentação
 
Regulagem das moendas
Regulagem das moendasRegulagem das moendas
Regulagem das moendas
 
Ppt 4 RespiraçãO AeróBia
Ppt 4   RespiraçãO AeróBiaPpt 4   RespiraçãO AeróBia
Ppt 4 RespiraçãO AeróBia
 
Fermentação
FermentaçãoFermentação
Fermentação
 
Actividade Laboratorial - Produção de Pão
Actividade Laboratorial - Produção de PãoActividade Laboratorial - Produção de Pão
Actividade Laboratorial - Produção de Pão
 
Quimiossintese
QuimiossinteseQuimiossintese
Quimiossintese
 
Bioquímica da fermentação etanólica
Bioquímica da fermentação etanólicaBioquímica da fermentação etanólica
Bioquímica da fermentação etanólica
 
B16 QuimiossíNtese
B16   QuimiossíNteseB16   QuimiossíNtese
B16 QuimiossíNtese
 
Quimiossíntese
QuimiossínteseQuimiossíntese
Quimiossíntese
 
Fermentação em estado sólido
Fermentação em estado sólidoFermentação em estado sólido
Fermentação em estado sólido
 

Semelhante a Fermentação

Processos de obtenção de energia
Processos de obtenção de energiaProcessos de obtenção de energia
Processos de obtenção de energiaLarissa Yamazaki
 
Processos de obtenção de energia - Parte II
Processos de obtenção de energia - Parte IIProcessos de obtenção de energia - Parte II
Processos de obtenção de energia - Parte IILarissa Yamazaki
 
Respiracao celular
Respiracao celularRespiracao celular
Respiracao celularLaguat
 
Como pode ocorrer a fermentação
Como pode ocorrer a fermentaçãoComo pode ocorrer a fermentação
Como pode ocorrer a fermentaçãoJosé H B Ramos
 
Microbiologia Geral - Metabolismo Microbiano
Microbiologia Geral - Metabolismo MicrobianoMicrobiologia Geral - Metabolismo Microbiano
Microbiologia Geral - Metabolismo MicrobianoMICROBIOLOGIA-CSL-UFSJ
 
Metab energético unidade 1 módulo 2
Metab energético unidade 1 módulo 2Metab energético unidade 1 módulo 2
Metab energético unidade 1 módulo 2César Milani
 
Metabolismo energético
Metabolismo energéticoMetabolismo energético
Metabolismo energéticoMARCIAMP
 
Metabolismos Energético
Metabolismos EnergéticoMetabolismos Energético
Metabolismos Energéticoarvoredenoz
 
Respiração celular de vegetais
Respiração celular de vegetaisRespiração celular de vegetais
Respiração celular de vegetaisLeandro Araujo
 
AULA 8 - GLICÓLISE OU VIA GLICOLÍTICA.ppt
AULA 8 -  GLICÓLISE OU VIA GLICOLÍTICA.pptAULA 8 -  GLICÓLISE OU VIA GLICOLÍTICA.ppt
AULA 8 - GLICÓLISE OU VIA GLICOLÍTICA.pptSuilanMoreiraFerreir
 
AULA 8-9 - RESPIRAÇÃO CELULAR E FERMENTAÇÃO.ppt
AULA 8-9 - RESPIRAÇÃO CELULAR E FERMENTAÇÃO.pptAULA 8-9 - RESPIRAÇÃO CELULAR E FERMENTAÇÃO.ppt
AULA 8-9 - RESPIRAÇÃO CELULAR E FERMENTAÇÃO.pptMariledaRodrigues
 
Tema 3 biologia pdf
Tema 3   biologia pdfTema 3   biologia pdf
Tema 3 biologia pdfSilvia Couto
 
Anexo correiomensagem 531371_anexocorreiomensagem-528226-processos-bioenerget...
Anexo correiomensagem 531371_anexocorreiomensagem-528226-processos-bioenerget...Anexo correiomensagem 531371_anexocorreiomensagem-528226-processos-bioenerget...
Anexo correiomensagem 531371_anexocorreiomensagem-528226-processos-bioenerget...Ericlene Farias
 
Transformação e utilização de energia
Transformação e utilização de energiaTransformação e utilização de energia
Transformação e utilização de energiaIsabel Lopes
 

Semelhante a Fermentação (20)

Processos de obtenção de energia
Processos de obtenção de energiaProcessos de obtenção de energia
Processos de obtenção de energia
 
Bioenergetica
BioenergeticaBioenergetica
Bioenergetica
 
Respiração Celular
Respiração CelularRespiração Celular
Respiração Celular
 
Processos de obtenção de energia - Parte II
Processos de obtenção de energia - Parte IIProcessos de obtenção de energia - Parte II
Processos de obtenção de energia - Parte II
 
Respiracao celular
Respiracao celularRespiracao celular
Respiracao celular
 
Metabolismo energético das células
Metabolismo energético das célulasMetabolismo energético das células
Metabolismo energético das células
 
Como pode ocorrer a fermentação
Como pode ocorrer a fermentaçãoComo pode ocorrer a fermentação
Como pode ocorrer a fermentação
 
Microbiologia Geral - Metabolismo Microbiano
Microbiologia Geral - Metabolismo MicrobianoMicrobiologia Geral - Metabolismo Microbiano
Microbiologia Geral - Metabolismo Microbiano
 
Metab energético unidade 1 módulo 2
Metab energético unidade 1 módulo 2Metab energético unidade 1 módulo 2
Metab energético unidade 1 módulo 2
 
1°Série Respiracao
1°Série Respiracao 1°Série Respiracao
1°Série Respiracao
 
Metabolismo energético das células
Metabolismo energético das célulasMetabolismo energético das células
Metabolismo energético das células
 
Metabolismo energético
Metabolismo energéticoMetabolismo energético
Metabolismo energético
 
Metabolismos Energético
Metabolismos EnergéticoMetabolismos Energético
Metabolismos Energético
 
Respiração celular de vegetais
Respiração celular de vegetaisRespiração celular de vegetais
Respiração celular de vegetais
 
FOTOSSÍNTESE FUTURO DOUTOR.ppt
FOTOSSÍNTESE FUTURO DOUTOR.pptFOTOSSÍNTESE FUTURO DOUTOR.ppt
FOTOSSÍNTESE FUTURO DOUTOR.ppt
 
AULA 8 - GLICÓLISE OU VIA GLICOLÍTICA.ppt
AULA 8 -  GLICÓLISE OU VIA GLICOLÍTICA.pptAULA 8 -  GLICÓLISE OU VIA GLICOLÍTICA.ppt
AULA 8 - GLICÓLISE OU VIA GLICOLÍTICA.ppt
 
AULA 8-9 - RESPIRAÇÃO CELULAR E FERMENTAÇÃO.ppt
AULA 8-9 - RESPIRAÇÃO CELULAR E FERMENTAÇÃO.pptAULA 8-9 - RESPIRAÇÃO CELULAR E FERMENTAÇÃO.ppt
AULA 8-9 - RESPIRAÇÃO CELULAR E FERMENTAÇÃO.ppt
 
Tema 3 biologia pdf
Tema 3   biologia pdfTema 3   biologia pdf
Tema 3 biologia pdf
 
Anexo correiomensagem 531371_anexocorreiomensagem-528226-processos-bioenerget...
Anexo correiomensagem 531371_anexocorreiomensagem-528226-processos-bioenerget...Anexo correiomensagem 531371_anexocorreiomensagem-528226-processos-bioenerget...
Anexo correiomensagem 531371_anexocorreiomensagem-528226-processos-bioenerget...
 
Transformação e utilização de energia
Transformação e utilização de energiaTransformação e utilização de energia
Transformação e utilização de energia
 

Mais de Rita Pereira

Resumo biologia e geologia 10º e 11º ano
Resumo biologia e geologia 10º e 11º anoResumo biologia e geologia 10º e 11º ano
Resumo biologia e geologia 10º e 11º anoRita Pereira
 
Resumo de portugues
Resumo de portuguesResumo de portugues
Resumo de portuguesRita Pereira
 
Oracoes subordinadas
Oracoes subordinadasOracoes subordinadas
Oracoes subordinadasRita Pereira
 
Resumo globalde portugues 10º-ano
Resumo globalde portugues 10º-anoResumo globalde portugues 10º-ano
Resumo globalde portugues 10º-anoRita Pereira
 
Formação do sistema solar
Formação do sistema solarFormação do sistema solar
Formação do sistema solarRita Pereira
 
Contributos da sismologia
Contributos da sismologiaContributos da sismologia
Contributos da sismologiaRita Pereira
 
A terra, um planeta em mudança
A terra, um planeta em mudançaA terra, um planeta em mudança
A terra, um planeta em mudançaRita Pereira
 
A medida do tempo geológico e a idade da terra
A medida do tempo geológico e a idade da terraA medida do tempo geológico e a idade da terra
A medida do tempo geológico e a idade da terraRita Pereira
 
Resumos global de geologia 10º ano
Resumos global de geologia 10º anoResumos global de geologia 10º ano
Resumos global de geologia 10º anoRita Pereira
 
Sistema de transporte nos vertebrados
Sistema de transporte nos vertebradosSistema de transporte nos vertebrados
Sistema de transporte nos vertebradosRita Pereira
 
Distribuição de materia nas plantas
Distribuição de materia nas plantasDistribuição de materia nas plantas
Distribuição de materia nas plantasRita Pereira
 
Biosfera-divesidade na biosfera
Biosfera-divesidade na biosferaBiosfera-divesidade na biosfera
Biosfera-divesidade na biosferaRita Pereira
 

Mais de Rita Pereira (20)

Resumo biologia e geologia 10º e 11º ano
Resumo biologia e geologia 10º e 11º anoResumo biologia e geologia 10º e 11º ano
Resumo biologia e geologia 10º e 11º ano
 
Resumo de portugues
Resumo de portuguesResumo de portugues
Resumo de portugues
 
Oracoes subordinadas
Oracoes subordinadasOracoes subordinadas
Oracoes subordinadas
 
Resumo globalde portugues 10º-ano
Resumo globalde portugues 10º-anoResumo globalde portugues 10º-ano
Resumo globalde portugues 10º-ano
 
Vulcanologia
VulcanologiaVulcanologia
Vulcanologia
 
Vulcanologia
Vulcanologia Vulcanologia
Vulcanologia
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
 
Sismologia
Sismologia Sismologia
Sismologia
 
Sismologia
Sismologia Sismologia
Sismologia
 
Formação do sistema solar
Formação do sistema solarFormação do sistema solar
Formação do sistema solar
 
Contributos da sismologia
Contributos da sismologiaContributos da sismologia
Contributos da sismologia
 
As rochas
As rochasAs rochas
As rochas
 
A terra, um planeta em mudança
A terra, um planeta em mudançaA terra, um planeta em mudança
A terra, um planeta em mudança
 
A medida do tempo geológico e a idade da terra
A medida do tempo geológico e a idade da terraA medida do tempo geológico e a idade da terra
A medida do tempo geológico e a idade da terra
 
Resumos global de geologia 10º ano
Resumos global de geologia 10º anoResumos global de geologia 10º ano
Resumos global de geologia 10º ano
 
Sistema de transporte nos vertebrados
Sistema de transporte nos vertebradosSistema de transporte nos vertebrados
Sistema de transporte nos vertebrados
 
A célula
A célulaA célula
A célula
 
Distribuição de materia nas plantas
Distribuição de materia nas plantasDistribuição de materia nas plantas
Distribuição de materia nas plantas
 
Biosfera
BiosferaBiosfera
Biosfera
 
Biosfera-divesidade na biosfera
Biosfera-divesidade na biosferaBiosfera-divesidade na biosfera
Biosfera-divesidade na biosfera
 

Fermentação

  • 1. A Fermentação: Glicólise e Redução do Acido Pirúvico. .
  • 2. O METABOLISMO CELULAR É o conjunto de reacções químicas essenciais à vida realizadas pelas células de todos os seres vivos. METABOLISMO CELULAR CATABOLISMO Reacções metabólicas em que os compostos orgânicos são degradados em moléculas mais simples, ocorrendo libertação de energia. ANABOLISMO Reacções metabólicas em que ocorre formação de moléculas mais complexas a partir de moléculas mais simples, ocorrendo consumo de energia.
  • 3. AS REACÕES CATABÓLICAS Existem diversas vias catabólicas capazes de transferir a energia contida nos compostos orgânicos para moléculas de ATP. Nestas vias, intervém compostos, (como o NAD+), que transportam os protões (H+) e electrões (e-) do hidrogénio desde o substrato até um aceptor final. NAD + 2e + 2 H + forma oxidada - + oxidação NADH + H+ redução forma reduzida Reacções Catabólicas Respiração Aeróbia Respiração Anaeróbia Cujo aceptor final de electrões é: Cujos aceptores finais de electrões são: Oxigénio Outras moléculas inorgânicas Fermentação Cujos aceptores finais de electrões são: Outras moléculas orgânicas
  • 4. A FERMENTAÇÃO E A RESPIRAÇÃO São duas vias catabólicas responsáveis pela transferência de energia de compostos orgânicos (glicose) para moléculas de ATP. Em ambos os processos estão implicadas: Reacções de descarboxilação (perda de dióxido de carbono) Reacções de fosforilação (transferência de fosfato, Pi) Transferências de energia do tipo oxidação – redução.
  • 5. A FERMENTAÇÃO Processo simples e primitivo de obtenção de energia a partir de compostos orgânicos. Seres anaeróbios facultativos Organismos aeróbios que conservaram a capacidade de recorrer à fermentação para produzir energia, nos curtos períodos em que o oxigénio não se encontra disponível. Seres anaeróbios obrigatórios São seres que têm na fermentação a sua única fonte de obtenção de energia. A fermentação ocorre na hialoplasma das células e compreende duas etapas: Glicólise: conjunto de reacções que degradam a glicose até ácido pirúvico ou piruvato. Redução do piruvato: conjunto de reacções que conduzem à formação dos produtos da fermentação (etanol, ácido láctico, ácido acético, etc.).
  • 7. A GLICÓLISE As moléculas de glicose vão sofrer uma série de reacções durante um processo denominado glicólise que é comum à respiração e à fermentação . A glicólise ocorre no citoplasma das células. Na glicólise, a glicose é parcialmente oxidada , formando por cada molécula: Duas moléculas de ácido pirúvico (ou piruvato), constituídas por 3 átomos de carbono cada, que ainda contêm grande quantidade de energia nas suas ligações. Duas moléculas de NADH, a partir da redução do NAD+. Quatro moléculas de ATP , embora sejam consumidas duas moléculas de ATP na fase inicial, para activar o processo.
  • 8. A REDUÇÃO DO ÁCIDO PIRÚVICO
  • 9. A REDUÇÃO DO ÁCIDO PIRÚVICO Os produtos finais da fermentação alcoólica e da fermentação láctica diferem em função das reacções que ocorrem a partir do ácido pirúvico. Fermentação Alcóolica: O ácido pirúvico experimenta a descarboxilação, libertando dióxido de carbono. O composto formado é reduzido a etanol, um composto formado por 2 átomos de carbono. Intervém o NADH formado na glicólise que é oxidado novamente a NAD+. Fermentação Láctica: – O ácido pirúvico experimenta redução ao combinar-se com os átomos de hidrogénio transportados pela molécula de NADH. – Forma-se ácido láctico, composto com três átomos de carbono. Podem existir outros tipos de fermentação: Fermentação acética: o produto final é o ácido acético (ex.: vinagre). Fermentação butírica: o produto final é o ácido butírico (ex.: provoca a alteração da manteiga).
  • 10. O RENDIMENTO ENERGÉTICO DA FERMENTAÇÃO O rendimento energético da fermentação, quer alcoólica quer láctica é de 2 ATP resultantes da glicólise. Grande parte da energia da glicose permanece nas moléculas de etanol ou de ácido láctico compostos orgânicos altamente energéticos. Globalmente, pode traduzir-se a fermentação alcoólica e a fermentação láctica pelas seguintes equações químicas: Fermentação Alcoólica: Glicose + 2 ADP + 2 Pi 2 Etanol + 2 CO 2 + 2 ATP Fermentação Láctica: Glicose + 2 ADP + 2 Pi 2 Ácido láctico + 2 ATP
  • 12. A FERMENTAÇÃO E O EXERCÍCIO FÍSICO INTENSO Em caso de exercício físico intenso, as células musculares humanas, por não receberem oxigénio em quantidade suficiente, podem realizar a fermentação alcoólica, além da respiração aeróbia. Desta forma, conseguem sintetizar uma quantidade suplementar de moléculas de ATP. A acumulação de ácido láctico nos músculos é responsável pelas dores musculares que surgem durante estes períodos de intenso exercício. O ácido láctico assim formado é rapidamente metabolizado no fígado, sob pena de se tornar altamente tóxico para o nosso organismo.
  • 13. APLICAÇÕES PRÁTICAS DA FERMENTAÇÃO Os mecanismos de fermentação nos microrganismos, além de permitirem mobilizar energia contida em moléculas orgânicas, como a glicose, conduzem também à síntese final de substâncias que têm sido utilizadas para proveito humano. Fabrico de Pão: O CO2 libertado na fermentação alcoólica fica aprisionado na massa conferindo ao pão cozido o seu aspecto alveolar. O álcool produzido evapora-se durante o cozimento da massa. Fabrico de Bebidas Alcoólicas: O CO2 é libertado e o álcool acumula-se. No fabrico de vinho as leveduras encontram-se nas uvas e no fabrico da cerveja as leveduras encontram-se nos grãos de cereais. Fabrico de Produtos Lácteos e Fermentados: A fermentação láctea é responsável pelo azedar e coagular do leite. O ácido láctico mudando o pH do meio provoca a coagulação das proteínas do leite.