SlideShare uma empresa Scribd logo
Biologia e Geologia – 10º ano
novembro de 2015
Células
fotossintéticas
  A fotossíntese é realizada por plantas, algas
(protistas), e algumas bactérias (cianobactérias).
  Nas plantas e nos protistas fotossintéticos, o
processo ocorre em organelos específicos
localizados no citosol, chamados cloroplastos.
  Os cloroplastos são constituídos por
pigmentos, nomeadamente um que dá cor
verde à planta, designado por clorofila.
Cloroplasto.
MET X37,000
As células foliares de uma planta
(mesófilo) com cloroplastos.
Organização do cloropasto
  O cloroplasto é um organelo
envolvido por duas membranas
separadas por um estreito
espaço intermembranar.
  As membranas delimitam um
espaço interno constituído por
duas regiões:
  conjunto de sacos achatados
designados tilacóides, os quais
se agrupam em estruturas
chamadas granum.
  Um fluido, o estroma, que
envolve os tilacóides.
  Estes organelos contêm ADN
bem como ribossomas, os quais
são utilizados na síntese de
algumas proteínas no cloroplasto.
Estroma, fluido que
ocupa o interior do
cloroplasto
Tilacóide
Tilacóide
membranes
Granum, conjunto de
tilacóides que cntêm a
clorofila
Membrana
externa
Membrana
interna
Fotossíntese
  A fotossíntese é um processo biológico que transforma a energia luminosa (fotões) em
energia química (contida na matéria orgânica). Durante o processo fotossintético produz-
se:
  energia química que é utilizada pelos produtores e mais tarde pelos consumidores.
  oxigénio, gás essencial para a sobrevivência de vários grupos de seres vivos
(aeróbios).
C. orgânicos
(armazenados em
órgãos vegetais)
Oxigénio
(através dos estomas)
Água e nutrientes
(através das raízes)
Dióxido de carbono
(através dos estomas)
6CO2 + 12H2O C6H12O6 = 6O2 + 6H2O
Clorofila
Luz solar
Luz solar
Espectro solar
  A luz é uma forma de energia, mais especificamente, uma radiação
electromagnética.
  O olho humano apenas capta um pequeno conjunto de radiação proveniente
do Sol que constitui a luz branca, ou seja, um segmento da radiação
electromagnética situada entre os 380 e os 750 nanómetros (nm).
  esta radiação é conhecida por luz visível ou luz branca.
  é esta radiação que é utilizada durante a fotossíntese.
750650550450400380
Raios
gama Raios X
Ultra-
violeta Infravermelho Microondas Ondas de radio
Luz visível
Comprimento de onda (nm)
Aumento da energia Aumento do comprimento de onda
Pigmentos fotossintéticos
  Os pigmentos fotossintéticos das plantas são englobados em
duas categorias:
  Clorofilas, absorvem preferencialmente a radiação
vermelha e o azul-violeta. São os principais pigmentos
fotossintéticos nas plantas. Responsáveis pela cor verde.
  Carotenóides, absorvem fortemente a radiação azul-
violeta e dão a cor laranja, amarela, ou vermelha. Os
carotenóides são os responsáveis pela cor alaranjada das
cenouras.
Pigmentos fotossintéticos
  Os pigmentos fotossintéticos estão presentes nos cloroplastos
(no caso das plantas) e absorvem a radiação azul e vermelha.
Uma vez que refletem a radiação verde permite que os nossos
olhos vejam esses órgãos com essa cor.
  As folhas das plantas contêm outros pigmentos que captam a
radiação noutros comprimentos de onda.
A radiação verde é
refletida
Luz solar
A radiação vermelha e a
azul são absorvidas
Tilacóides
0
20
40
60
80
Quantidadedeluzabsorvida
400 500 600 700
Comprimento de onda (nm)
Espectro de absorção dos pigmentos fotossintéticos
(Quantidade relativa de luz absorvida em diferentes comprimentos de onda)
Espectro de absorção
  O espectro de absorção dos diferentes pigmentos fotossintéticos fornece
indicações sobre o seu papel durante o processo fotossintético.
Clorofila b
Carotenóidess
Clorofila a
Espectro de ação
  O espectro de ação representa a eficiência energética em função do
comprimento de onda das radiações absorvidas.
A ação do espctro (as taxas mais
elevadas ocorrem nas zonas
corresponentes às radiações azul-
violeta e laranja-vermelho)
500 600 700400
Espectro de ação da fotossíntese
Taxadefotossintese
Comprimento de onda (nm)
20
40
60
80
100
0
Fotossíntese
  Fases do processo fotossintético.
Energia
solar
Fase fotoquímica
Processo: energia captada
através do fotossistema I e
fotossistema II
Localização: tilacóides
(grana)
Glicose
Oxigénio Água
Água
Dióxido de
carbono
Fase química
Processo: fixação do
carbono através do ciclo de
Calvin
Localização: estroma
Materiais
Produtos
Produto principalATP
NADP.H2
NADP
ADP
Fotossíntese
  O processo fotossintético compreende duas
fases complementares:
  fase fotoquímica (T), a qual ocorre ao
nível da membrana dos tilacóides
constituindo a fonte energética para a
reações de oxirredução.
  fase química (E), que se realiza no
estroma na qual ocorre a fixação do
carbono.
Locais no cloroplasto onde
ocorrem as duas fases da
fotossintese.
T
T
E
E
Fotossíntese em plantas C3
  O diagrama sintetiza a fotossíntese em plantas do tipo C3.
Água proveniente do
xilema (seiva bruta)
Água: durante o
processo ocorre a
libertação de água.
Oxigénio (origina-se a
partir da dissociação
da molécula de água)
Hidrogénio
(origina-se a partir
da dissociação da
molécula de água.
Dióxido de carbono captado
do meio (entra através dos
estomas). O carbono reage
com moléculas com cinco
carbonos existentes no estroma
Trioses
(da fixação do dióxido de
carbono resultam
moléculas com três
carbonos)
Luz solar
ATP
NADPH + H+
Fotossistemas
  Os fotossistemas existentes nas plantas correspondem a proteínas complexas
que intevêm na captação da energia luminosa que será convertida em energia
química (ATP and NADPH). Esta fase ocorre ao nível da membrana dos tilacóides.
  Os fotossistemas estão relacionados com a fase fotoquímica da fotossíntese.
  É através dos fotossistemas que ocorre a absorção da luz solar e que permite
elevar o nível energético dos electrões.
NADPH
Complexo proteico
ATP
Complexo
proteico
Luz
solar
P700
Fotossietma I
Absorve a luz
nos 700 nm
Os electrões perdidos são repostos por
electrões provenientes do FSII
P680
Fotossistema II
Absorve a radiação
correspondente aos 680 nm
Luz
solar
Fase fotoquímica
  Quando as moléculas de clorofila absorvem a radiação solar (um fotão), um electrão é excitado passando a
um nível energético superior. Este fluxo de electrões na membrana do tilacóide pode ocorrer através de duas
vias:
  fotofosforilação acíclica (esquema abaixo), os electrões “perdidos” para o transportador (cadeia
transportadora) são substituídos pelos electrões provenientes da molécula de água.
  fotofosforilação cíclica neste processo o electrão não sendo captado pelo NADP+, gira em torno de
um ciclo que envolve apenas o fotossistema I. Forma-se ATP, mas não NADPH.
NADP+
redutase
NADPH + H+
NADP+ + 2H+
Luz solar
2e-2e-
2e-2e-
H+
ADP
+ Pi
ATP
2H+
H2O
½O2
ATP sintase
H+
Luz solar
Tilacóide
(membrana)
Tilacóide (espaço
interno)
Fotossistema IFotossistema II
Fase fotoquímica
NADP+ redutase
NADPH + H+
NADP+ + 2H+
Luz solar
2e-2e-
2e-2e-
H+
ADP
+ Pi
ATP
2H+
H2O
½O2
H+
Luz solar
Fotossistema IFotossistema II
Quando as moléculas de
clorofila absorvem a luz, um
electrão fica excitado e passa
para um nível energético
superior. A saída deste
electrão cria um “buraco” que
tem de ser colmatado.
Cadeia transportadora: cada electrão é
transferido de um transportador para
outro ocorrendo perdas de energia. Esta
energia é utilizada para bombear iões de
hidrogénio através da membrana do
tilacóide.
NADP é a molécula que
mobiliza o H+ do tilacóide
para o ciclo de Calvin
(estroma).
Fluxo de H+ através da mebrana membrane é
conseguido pela ação da ATP sintetase.
ATP sintetase catalisa a
produção de ATP a partir
ADP e fosfato inorgânico (Pi)
Desdobramento da molécula de
água: na fotofosforilação acíclica,
os electrões perdidos para a
cadeia transportadora são
substituídos pelos provenientes da
água (desdobramento) ocorrendo
a libertação de oxigénio.
Fase química
  A fase química da fotossíntese (Ciclo de
Calvin) ocorre no estroma resultando a
fixação do carbono (CO2) proveniente do
meio.
  No ciclo de Calvin, os átomos de
carbono provenientes do meio
(atmosfera) são incorporados nos
compostos orgânicos.
  O ião hidrogénio (H+) é adicionado
ao CO2 e a uma molécula
intermediária com 5 carbonos de
forma a produzirem-se hidratos de
carbono.
  O poder redutor capaz de realizar a
fixação do carbono provém do
NADPH.
  A enzima envolvida, RuBisCo,
funciona de forma óptima em
ambientes com pouco oxigénio.
APD: Ácido
fosfoglicérico
CO2
Hexose
açúcar
Os hidratos de carbono produzidos durante o
Ciclo de Calvin podem ser armazenados para
fornecerem posteriormente energia necessária ao
metabolismo da planta. A fixação do carbono não
é independente da luz uma vez que necessitou
dela para o processo. O H+ e o ATP formam-se
durante a fase fotoquímica.
RuBP: Ribulose
bifosfato
Ribulose bifosfato
carboxilase (RuBisCo)
ADP +
Pi
ATP
ATP
ADP +
Pi
Triose-fosfato
NADPH
+ H+
NADPRibulose fossfato
Fase química
  A fase química da fotossíntese (Ciclo de
Calvin) ocorre no estroma resultando a
fixação do carbono (CO2) proveniente do
meio.
  No ciclo de Calvin, os átomos de
carbono provenientes do meio
(atmosfera) são incorporados nos
compostos orgânicos.
  O ião hidrogénio (H+) é adicionado
ao CO2 e a uma molécula
intermediária com 5 carbonos de
forma a produzirem-se hidratos de
carbono.
  O poder redutor capaz de realizar a
fixação do carbono provém do
NADPH.
  A enzima envolvida, RuBisCo,
funciona de forma óptima em
ambientes com pouco oxigénio.
Hexose
açúcar

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

BioGeo10-respiração aeróbia
BioGeo10-respiração aeróbiaBioGeo10-respiração aeróbia
BioGeo10-respiração aeróbia
Rita Rainho
 
Abertura e fecho dos estomas
Abertura e fecho dos estomasAbertura e fecho dos estomas
Abertura e fecho dos estomas
Dina do Céu Lopes Araújo
 
Transporte nas plantas ppt
Transporte nas plantas pptTransporte nas plantas ppt
Transporte nas plantas ppt
margaridabt
 
Ppt 4 RespiraçãO AeróBia
Ppt 4   RespiraçãO AeróBiaPpt 4   RespiraçãO AeróBia
Ppt 4 RespiraçãO AeróBia
Nuno Correia
 
Trocas gasosas nas plantas
Trocas gasosas nas plantasTrocas gasosas nas plantas
Trocas gasosas nas plantas
Ana Castro
 
(5) biologia e geologia 10º ano - obtenção de matéria
(5) biologia e geologia   10º ano - obtenção de matéria(5) biologia e geologia   10º ano - obtenção de matéria
(5) biologia e geologia 10º ano - obtenção de matéria
Hugo Martins
 
Digestão
DigestãoDigestão
Digestão
margaridabt
 
Transporte nas plantas
Transporte nas plantasTransporte nas plantas
Transporte nas plantas
margaridabt
 
Distribuição de matéria
Distribuição de matériaDistribuição de matéria
Distribuição de matéria
Rita Pereira
 
Xilema e floema
Xilema e floemaXilema e floema
Xilema e floema
00367p
 
(7) biologia e geologia 10º ano - o transporte nos animais
(7) biologia e geologia   10º ano - o transporte nos animais(7) biologia e geologia   10º ano - o transporte nos animais
(7) biologia e geologia 10º ano - o transporte nos animais
Hugo Martins
 
Transporte nas plantas
Transporte nas plantasTransporte nas plantas
Transporte nas plantas
Daniel Gonçalves
 
Digestao Extracelular
Digestao ExtracelularDigestao Extracelular
Digestao Extracelular
spondias
 
(4) biologia e geologia 10º ano - diversidade na biosfera
(4) biologia e geologia   10º ano - diversidade na biosfera(4) biologia e geologia   10º ano - diversidade na biosfera
(4) biologia e geologia 10º ano - diversidade na biosfera
Hugo Martins
 
(9) biologia e geologia 10º ano - trocas gasosas em seres multicelulares
(9) biologia e geologia   10º ano - trocas gasosas em seres multicelulares(9) biologia e geologia   10º ano - trocas gasosas em seres multicelulares
(9) biologia e geologia 10º ano - trocas gasosas em seres multicelulares
Hugo Martins
 
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º AnoResumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Vitor Perfeito
 
Fermentação e respiração
Fermentação e respiraçãoFermentação e respiração
Fermentação e respiração
margaridabt
 
Ppt 14 ReproduçãO Sexuada Meiose
Ppt 14    ReproduçãO Sexuada   MeiosePpt 14    ReproduçãO Sexuada   Meiose
Ppt 14 ReproduçãO Sexuada Meiose
Nuno Correia
 
Reprodução Assexuada
Reprodução AssexuadaReprodução Assexuada
Reprodução Assexuada
Catir
 
Reprodução assexuada e sexuada
Reprodução assexuada  e sexuadaReprodução assexuada  e sexuada
Reprodução assexuada e sexuada
Matheus Faria do Valle
 

Mais procurados (20)

BioGeo10-respiração aeróbia
BioGeo10-respiração aeróbiaBioGeo10-respiração aeróbia
BioGeo10-respiração aeróbia
 
Abertura e fecho dos estomas
Abertura e fecho dos estomasAbertura e fecho dos estomas
Abertura e fecho dos estomas
 
Transporte nas plantas ppt
Transporte nas plantas pptTransporte nas plantas ppt
Transporte nas plantas ppt
 
Ppt 4 RespiraçãO AeróBia
Ppt 4   RespiraçãO AeróBiaPpt 4   RespiraçãO AeróBia
Ppt 4 RespiraçãO AeróBia
 
Trocas gasosas nas plantas
Trocas gasosas nas plantasTrocas gasosas nas plantas
Trocas gasosas nas plantas
 
(5) biologia e geologia 10º ano - obtenção de matéria
(5) biologia e geologia   10º ano - obtenção de matéria(5) biologia e geologia   10º ano - obtenção de matéria
(5) biologia e geologia 10º ano - obtenção de matéria
 
Digestão
DigestãoDigestão
Digestão
 
Transporte nas plantas
Transporte nas plantasTransporte nas plantas
Transporte nas plantas
 
Distribuição de matéria
Distribuição de matériaDistribuição de matéria
Distribuição de matéria
 
Xilema e floema
Xilema e floemaXilema e floema
Xilema e floema
 
(7) biologia e geologia 10º ano - o transporte nos animais
(7) biologia e geologia   10º ano - o transporte nos animais(7) biologia e geologia   10º ano - o transporte nos animais
(7) biologia e geologia 10º ano - o transporte nos animais
 
Transporte nas plantas
Transporte nas plantasTransporte nas plantas
Transporte nas plantas
 
Digestao Extracelular
Digestao ExtracelularDigestao Extracelular
Digestao Extracelular
 
(4) biologia e geologia 10º ano - diversidade na biosfera
(4) biologia e geologia   10º ano - diversidade na biosfera(4) biologia e geologia   10º ano - diversidade na biosfera
(4) biologia e geologia 10º ano - diversidade na biosfera
 
(9) biologia e geologia 10º ano - trocas gasosas em seres multicelulares
(9) biologia e geologia   10º ano - trocas gasosas em seres multicelulares(9) biologia e geologia   10º ano - trocas gasosas em seres multicelulares
(9) biologia e geologia 10º ano - trocas gasosas em seres multicelulares
 
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º AnoResumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
 
Fermentação e respiração
Fermentação e respiraçãoFermentação e respiração
Fermentação e respiração
 
Ppt 14 ReproduçãO Sexuada Meiose
Ppt 14    ReproduçãO Sexuada   MeiosePpt 14    ReproduçãO Sexuada   Meiose
Ppt 14 ReproduçãO Sexuada Meiose
 
Reprodução Assexuada
Reprodução AssexuadaReprodução Assexuada
Reprodução Assexuada
 
Reprodução assexuada e sexuada
Reprodução assexuada  e sexuadaReprodução assexuada  e sexuada
Reprodução assexuada e sexuada
 

Destaque

Fotossintese
FotossinteseFotossintese
Fotossintese
Sofia Mendes
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
IFRO
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
Andrea Barreto
 
B10 obtenção de matéria pelos seres autotróficos
B10    obtenção de matéria pelos seres autotróficosB10    obtenção de matéria pelos seres autotróficos
B10 obtenção de matéria pelos seres autotróficos
Nuno Correia
 
Fotossintese
FotossinteseFotossintese
Fotossintese
Adrianne Mendonça
 
4 monera
4   monera4   monera
4 monera
Pelo Siro
 
Drogas antimicrobianas
Drogas antimicrobianasDrogas antimicrobianas
Drogas antimicrobianas
lubioq123
 
Fotossíntese atualizado
Fotossíntese atualizadoFotossíntese atualizado
Fotossíntese atualizado
MARCIAMP
 
11) fotossíntese
11) fotossíntese11) fotossíntese
11) fotossíntese
Pedro Miguel Azevedo Paredes
 
Obtenção de Matéria Seres autotróficos
Obtenção de Matéria Seres autotróficosObtenção de Matéria Seres autotróficos
Obtenção de Matéria Seres autotróficos
guest7b65ee
 
B8 exercícios de osmose
B8   exercícios de osmoseB8   exercícios de osmose
B8 exercícios de osmose
Nuno Correia
 
Cadeia alimentar
Cadeia alimentarCadeia alimentar
Cadeia alimentar
Cristiane Pasqualino Santos
 
Antimicrobianos
AntimicrobianosAntimicrobianos
Antimicrobianos
Luis Carlos F. Carvalho
 
Aula fisiologia vegetal
Aula fisiologia vegetalAula fisiologia vegetal
Aula fisiologia vegetal
BIOLOGIA Associação Pré-FEDERAL
 
B 2.1.FotossíNtese
B 2.1.FotossíNteseB 2.1.FotossíNtese
B 2.1.FotossíNtese
Cidalia Aguiar
 
Mecanismo de ação dos antimicrobianos
Mecanismo de ação dos antimicrobianosMecanismo de ação dos antimicrobianos
Mecanismo de ação dos antimicrobianos
nanaqueiroz
 
Aula antimicrobianos
Aula antimicrobianosAula antimicrobianos
Aula antimicrobianos
Amanda Valle Pinhatti
 
Fotossintese
FotossinteseFotossintese
Fotossintese
guest787ebb4
 
Tema fotossíntese 4º ano Grupo 7
Tema fotossíntese   4º ano Grupo 7Tema fotossíntese   4º ano Grupo 7
Tema fotossíntese 4º ano Grupo 7
vivibanez
 
Fotossíntese, respiração e transpiração nas plantas
Fotossíntese, respiração e transpiração nas plantasFotossíntese, respiração e transpiração nas plantas
Fotossíntese, respiração e transpiração nas plantas
Agrupamento de Escolas de Mortágua
 

Destaque (20)

Fotossintese
FotossinteseFotossintese
Fotossintese
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
 
B10 obtenção de matéria pelos seres autotróficos
B10    obtenção de matéria pelos seres autotróficosB10    obtenção de matéria pelos seres autotróficos
B10 obtenção de matéria pelos seres autotróficos
 
Fotossintese
FotossinteseFotossintese
Fotossintese
 
4 monera
4   monera4   monera
4 monera
 
Drogas antimicrobianas
Drogas antimicrobianasDrogas antimicrobianas
Drogas antimicrobianas
 
Fotossíntese atualizado
Fotossíntese atualizadoFotossíntese atualizado
Fotossíntese atualizado
 
11) fotossíntese
11) fotossíntese11) fotossíntese
11) fotossíntese
 
Obtenção de Matéria Seres autotróficos
Obtenção de Matéria Seres autotróficosObtenção de Matéria Seres autotróficos
Obtenção de Matéria Seres autotróficos
 
B8 exercícios de osmose
B8   exercícios de osmoseB8   exercícios de osmose
B8 exercícios de osmose
 
Cadeia alimentar
Cadeia alimentarCadeia alimentar
Cadeia alimentar
 
Antimicrobianos
AntimicrobianosAntimicrobianos
Antimicrobianos
 
Aula fisiologia vegetal
Aula fisiologia vegetalAula fisiologia vegetal
Aula fisiologia vegetal
 
B 2.1.FotossíNtese
B 2.1.FotossíNteseB 2.1.FotossíNtese
B 2.1.FotossíNtese
 
Mecanismo de ação dos antimicrobianos
Mecanismo de ação dos antimicrobianosMecanismo de ação dos antimicrobianos
Mecanismo de ação dos antimicrobianos
 
Aula antimicrobianos
Aula antimicrobianosAula antimicrobianos
Aula antimicrobianos
 
Fotossintese
FotossinteseFotossintese
Fotossintese
 
Tema fotossíntese 4º ano Grupo 7
Tema fotossíntese   4º ano Grupo 7Tema fotossíntese   4º ano Grupo 7
Tema fotossíntese 4º ano Grupo 7
 
Fotossíntese, respiração e transpiração nas plantas
Fotossíntese, respiração e transpiração nas plantasFotossíntese, respiração e transpiração nas plantas
Fotossíntese, respiração e transpiração nas plantas
 

Semelhante a Fotossíntese

Fotossintese
FotossinteseFotossintese
Fotossintese
Maria Teixiera
 
Aula fotossíntese quimiossíntese
Aula fotossíntese quimiossínteseAula fotossíntese quimiossíntese
Aula fotossíntese quimiossíntese
edu.biologia
 
Odis10 ppt obtencao_materia_autotroficos
Odis10 ppt obtencao_materia_autotroficosOdis10 ppt obtencao_materia_autotroficos
Odis10 ppt obtencao_materia_autotroficos
Cláudia Matias
 
Fotossintese
FotossinteseFotossintese
Fotossintese
segundoanob
 
Processos celulares II
Processos celulares IIProcessos celulares II
Processos celulares II
Alexandra Nobre
 
Fotossíntese.
Fotossíntese.Fotossíntese.
Fotossíntese.
Rafaella Uvini
 
Aula sobre fotossíntese fase clara e escura
Aula sobre fotossíntese fase clara e escuraAula sobre fotossíntese fase clara e escura
Aula sobre fotossíntese fase clara e escura
MiriamDantzger1
 
Fotossintese e quimiossintese
Fotossintese e quimiossinteseFotossintese e quimiossintese
Fotossintese e quimiossintese
Daniel Gonçalves
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
Claudia Martins
 
Obtenção de matéria pelos seres autotróficos biologia e geologia
Obtenção de matéria pelos seres autotróficos  biologia e geologiaObtenção de matéria pelos seres autotróficos  biologia e geologia
Obtenção de matéria pelos seres autotróficos biologia e geologia
FilipaFonseca
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
alineperoque
 
metabolismo vegetal
metabolismo vegetalmetabolismo vegetal
metabolismo vegetal
Cleonice Dutra Gularte
 
Fotossíntese - Rose Lopes
Fotossíntese - Rose LopesFotossíntese - Rose Lopes
Fotossíntese - Rose Lopes
7 de Setembro
 
Fotossíntese e quimiossíntese
Fotossíntese e quimiossínteseFotossíntese e quimiossíntese
Fotossíntese e quimiossíntese
margaridabt
 
Fotossintese
FotossinteseFotossintese
Fotossintese
jmurilo_31
 
Fotossíntese aplicada;
Fotossíntese aplicada;Fotossíntese aplicada;
Fotossíntese aplicada;
IFRO
 
Mecanismo da fotossintese
Mecanismo da fotossinteseMecanismo da fotossintese
Mecanismo da fotossintese
Casimiro Figueiredo
 
PPT13_Bio_D4_3_Autotrofia_Fotossintese.pdf
PPT13_Bio_D4_3_Autotrofia_Fotossintese.pdfPPT13_Bio_D4_3_Autotrofia_Fotossintese.pdf
PPT13_Bio_D4_3_Autotrofia_Fotossintese.pdf
MikeMicas
 
2016 Frente 3 módulo 6 a química da fotossíntese
2016 Frente 3 módulo 6 a química da fotossíntese2016 Frente 3 módulo 6 a química da fotossíntese
2016 Frente 3 módulo 6 a química da fotossíntese
Colégio Batista de Mantena
 
Processos energéticos que ocorrem nas células[1]
Processos energéticos que ocorrem nas células[1]Processos energéticos que ocorrem nas células[1]
Processos energéticos que ocorrem nas células[1]
Roberto Bagatini
 

Semelhante a Fotossíntese (20)

Fotossintese
FotossinteseFotossintese
Fotossintese
 
Aula fotossíntese quimiossíntese
Aula fotossíntese quimiossínteseAula fotossíntese quimiossíntese
Aula fotossíntese quimiossíntese
 
Odis10 ppt obtencao_materia_autotroficos
Odis10 ppt obtencao_materia_autotroficosOdis10 ppt obtencao_materia_autotroficos
Odis10 ppt obtencao_materia_autotroficos
 
Fotossintese
FotossinteseFotossintese
Fotossintese
 
Processos celulares II
Processos celulares IIProcessos celulares II
Processos celulares II
 
Fotossíntese.
Fotossíntese.Fotossíntese.
Fotossíntese.
 
Aula sobre fotossíntese fase clara e escura
Aula sobre fotossíntese fase clara e escuraAula sobre fotossíntese fase clara e escura
Aula sobre fotossíntese fase clara e escura
 
Fotossintese e quimiossintese
Fotossintese e quimiossinteseFotossintese e quimiossintese
Fotossintese e quimiossintese
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
 
Obtenção de matéria pelos seres autotróficos biologia e geologia
Obtenção de matéria pelos seres autotróficos  biologia e geologiaObtenção de matéria pelos seres autotróficos  biologia e geologia
Obtenção de matéria pelos seres autotróficos biologia e geologia
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
 
metabolismo vegetal
metabolismo vegetalmetabolismo vegetal
metabolismo vegetal
 
Fotossíntese - Rose Lopes
Fotossíntese - Rose LopesFotossíntese - Rose Lopes
Fotossíntese - Rose Lopes
 
Fotossíntese e quimiossíntese
Fotossíntese e quimiossínteseFotossíntese e quimiossíntese
Fotossíntese e quimiossíntese
 
Fotossintese
FotossinteseFotossintese
Fotossintese
 
Fotossíntese aplicada;
Fotossíntese aplicada;Fotossíntese aplicada;
Fotossíntese aplicada;
 
Mecanismo da fotossintese
Mecanismo da fotossinteseMecanismo da fotossintese
Mecanismo da fotossintese
 
PPT13_Bio_D4_3_Autotrofia_Fotossintese.pdf
PPT13_Bio_D4_3_Autotrofia_Fotossintese.pdfPPT13_Bio_D4_3_Autotrofia_Fotossintese.pdf
PPT13_Bio_D4_3_Autotrofia_Fotossintese.pdf
 
2016 Frente 3 módulo 6 a química da fotossíntese
2016 Frente 3 módulo 6 a química da fotossíntese2016 Frente 3 módulo 6 a química da fotossíntese
2016 Frente 3 módulo 6 a química da fotossíntese
 
Processos energéticos que ocorrem nas células[1]
Processos energéticos que ocorrem nas células[1]Processos energéticos que ocorrem nas células[1]
Processos energéticos que ocorrem nas células[1]
 

Mais de spondias

Métodos para o estudo do interior da geosfera
Métodos para o estudo do interior da geosferaMétodos para o estudo do interior da geosfera
Métodos para o estudo do interior da geosfera
spondias
 
Transformação e utilização da energia
Transformação e utilização da energiaTransformação e utilização da energia
Transformação e utilização da energia
spondias
 
Transporte nas plantas
Transporte nas plantasTransporte nas plantas
Transporte nas plantas
spondias
 
Nutrientes e energia
Nutrientes e energiaNutrientes e energia
Nutrientes e energia
spondias
 
Deriva dos Continentes
Deriva dos ContinentesDeriva dos Continentes
Deriva dos Continentes
spondias
 
Sistema nervoso II
Sistema nervoso IISistema nervoso II
Sistema nervoso II
spondias
 

Mais de spondias (6)

Métodos para o estudo do interior da geosfera
Métodos para o estudo do interior da geosferaMétodos para o estudo do interior da geosfera
Métodos para o estudo do interior da geosfera
 
Transformação e utilização da energia
Transformação e utilização da energiaTransformação e utilização da energia
Transformação e utilização da energia
 
Transporte nas plantas
Transporte nas plantasTransporte nas plantas
Transporte nas plantas
 
Nutrientes e energia
Nutrientes e energiaNutrientes e energia
Nutrientes e energia
 
Deriva dos Continentes
Deriva dos ContinentesDeriva dos Continentes
Deriva dos Continentes
 
Sistema nervoso II
Sistema nervoso IISistema nervoso II
Sistema nervoso II
 

Último

Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 

Último (20)

Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 

Fotossíntese

  • 1. Biologia e Geologia – 10º ano novembro de 2015
  • 2. Células fotossintéticas   A fotossíntese é realizada por plantas, algas (protistas), e algumas bactérias (cianobactérias).   Nas plantas e nos protistas fotossintéticos, o processo ocorre em organelos específicos localizados no citosol, chamados cloroplastos.   Os cloroplastos são constituídos por pigmentos, nomeadamente um que dá cor verde à planta, designado por clorofila. Cloroplasto. MET X37,000 As células foliares de uma planta (mesófilo) com cloroplastos.
  • 3. Organização do cloropasto   O cloroplasto é um organelo envolvido por duas membranas separadas por um estreito espaço intermembranar.   As membranas delimitam um espaço interno constituído por duas regiões:   conjunto de sacos achatados designados tilacóides, os quais se agrupam em estruturas chamadas granum.   Um fluido, o estroma, que envolve os tilacóides.   Estes organelos contêm ADN bem como ribossomas, os quais são utilizados na síntese de algumas proteínas no cloroplasto. Estroma, fluido que ocupa o interior do cloroplasto Tilacóide Tilacóide membranes Granum, conjunto de tilacóides que cntêm a clorofila Membrana externa Membrana interna
  • 4. Fotossíntese   A fotossíntese é um processo biológico que transforma a energia luminosa (fotões) em energia química (contida na matéria orgânica). Durante o processo fotossintético produz- se:   energia química que é utilizada pelos produtores e mais tarde pelos consumidores.   oxigénio, gás essencial para a sobrevivência de vários grupos de seres vivos (aeróbios). C. orgânicos (armazenados em órgãos vegetais) Oxigénio (através dos estomas) Água e nutrientes (através das raízes) Dióxido de carbono (através dos estomas) 6CO2 + 12H2O C6H12O6 = 6O2 + 6H2O Clorofila Luz solar Luz solar
  • 5. Espectro solar   A luz é uma forma de energia, mais especificamente, uma radiação electromagnética.   O olho humano apenas capta um pequeno conjunto de radiação proveniente do Sol que constitui a luz branca, ou seja, um segmento da radiação electromagnética situada entre os 380 e os 750 nanómetros (nm).   esta radiação é conhecida por luz visível ou luz branca.   é esta radiação que é utilizada durante a fotossíntese. 750650550450400380 Raios gama Raios X Ultra- violeta Infravermelho Microondas Ondas de radio Luz visível Comprimento de onda (nm) Aumento da energia Aumento do comprimento de onda
  • 6. Pigmentos fotossintéticos   Os pigmentos fotossintéticos das plantas são englobados em duas categorias:   Clorofilas, absorvem preferencialmente a radiação vermelha e o azul-violeta. São os principais pigmentos fotossintéticos nas plantas. Responsáveis pela cor verde.   Carotenóides, absorvem fortemente a radiação azul- violeta e dão a cor laranja, amarela, ou vermelha. Os carotenóides são os responsáveis pela cor alaranjada das cenouras.
  • 7. Pigmentos fotossintéticos   Os pigmentos fotossintéticos estão presentes nos cloroplastos (no caso das plantas) e absorvem a radiação azul e vermelha. Uma vez que refletem a radiação verde permite que os nossos olhos vejam esses órgãos com essa cor.   As folhas das plantas contêm outros pigmentos que captam a radiação noutros comprimentos de onda. A radiação verde é refletida Luz solar A radiação vermelha e a azul são absorvidas Tilacóides
  • 8. 0 20 40 60 80 Quantidadedeluzabsorvida 400 500 600 700 Comprimento de onda (nm) Espectro de absorção dos pigmentos fotossintéticos (Quantidade relativa de luz absorvida em diferentes comprimentos de onda) Espectro de absorção   O espectro de absorção dos diferentes pigmentos fotossintéticos fornece indicações sobre o seu papel durante o processo fotossintético. Clorofila b Carotenóidess Clorofila a
  • 9. Espectro de ação   O espectro de ação representa a eficiência energética em função do comprimento de onda das radiações absorvidas. A ação do espctro (as taxas mais elevadas ocorrem nas zonas corresponentes às radiações azul- violeta e laranja-vermelho) 500 600 700400 Espectro de ação da fotossíntese Taxadefotossintese Comprimento de onda (nm) 20 40 60 80 100 0
  • 10. Fotossíntese   Fases do processo fotossintético. Energia solar Fase fotoquímica Processo: energia captada através do fotossistema I e fotossistema II Localização: tilacóides (grana) Glicose Oxigénio Água Água Dióxido de carbono Fase química Processo: fixação do carbono através do ciclo de Calvin Localização: estroma Materiais Produtos Produto principalATP NADP.H2 NADP ADP
  • 11. Fotossíntese   O processo fotossintético compreende duas fases complementares:   fase fotoquímica (T), a qual ocorre ao nível da membrana dos tilacóides constituindo a fonte energética para a reações de oxirredução.   fase química (E), que se realiza no estroma na qual ocorre a fixação do carbono. Locais no cloroplasto onde ocorrem as duas fases da fotossintese. T T E E
  • 12. Fotossíntese em plantas C3   O diagrama sintetiza a fotossíntese em plantas do tipo C3. Água proveniente do xilema (seiva bruta) Água: durante o processo ocorre a libertação de água. Oxigénio (origina-se a partir da dissociação da molécula de água) Hidrogénio (origina-se a partir da dissociação da molécula de água. Dióxido de carbono captado do meio (entra através dos estomas). O carbono reage com moléculas com cinco carbonos existentes no estroma Trioses (da fixação do dióxido de carbono resultam moléculas com três carbonos) Luz solar ATP NADPH + H+
  • 13. Fotossistemas   Os fotossistemas existentes nas plantas correspondem a proteínas complexas que intevêm na captação da energia luminosa que será convertida em energia química (ATP and NADPH). Esta fase ocorre ao nível da membrana dos tilacóides.   Os fotossistemas estão relacionados com a fase fotoquímica da fotossíntese.   É através dos fotossistemas que ocorre a absorção da luz solar e que permite elevar o nível energético dos electrões. NADPH Complexo proteico ATP Complexo proteico Luz solar P700 Fotossietma I Absorve a luz nos 700 nm Os electrões perdidos são repostos por electrões provenientes do FSII P680 Fotossistema II Absorve a radiação correspondente aos 680 nm Luz solar
  • 14. Fase fotoquímica   Quando as moléculas de clorofila absorvem a radiação solar (um fotão), um electrão é excitado passando a um nível energético superior. Este fluxo de electrões na membrana do tilacóide pode ocorrer através de duas vias:   fotofosforilação acíclica (esquema abaixo), os electrões “perdidos” para o transportador (cadeia transportadora) são substituídos pelos electrões provenientes da molécula de água.   fotofosforilação cíclica neste processo o electrão não sendo captado pelo NADP+, gira em torno de um ciclo que envolve apenas o fotossistema I. Forma-se ATP, mas não NADPH. NADP+ redutase NADPH + H+ NADP+ + 2H+ Luz solar 2e-2e- 2e-2e- H+ ADP + Pi ATP 2H+ H2O ½O2 ATP sintase H+ Luz solar Tilacóide (membrana) Tilacóide (espaço interno) Fotossistema IFotossistema II
  • 15. Fase fotoquímica NADP+ redutase NADPH + H+ NADP+ + 2H+ Luz solar 2e-2e- 2e-2e- H+ ADP + Pi ATP 2H+ H2O ½O2 H+ Luz solar Fotossistema IFotossistema II Quando as moléculas de clorofila absorvem a luz, um electrão fica excitado e passa para um nível energético superior. A saída deste electrão cria um “buraco” que tem de ser colmatado. Cadeia transportadora: cada electrão é transferido de um transportador para outro ocorrendo perdas de energia. Esta energia é utilizada para bombear iões de hidrogénio através da membrana do tilacóide. NADP é a molécula que mobiliza o H+ do tilacóide para o ciclo de Calvin (estroma). Fluxo de H+ através da mebrana membrane é conseguido pela ação da ATP sintetase. ATP sintetase catalisa a produção de ATP a partir ADP e fosfato inorgânico (Pi) Desdobramento da molécula de água: na fotofosforilação acíclica, os electrões perdidos para a cadeia transportadora são substituídos pelos provenientes da água (desdobramento) ocorrendo a libertação de oxigénio.
  • 16. Fase química   A fase química da fotossíntese (Ciclo de Calvin) ocorre no estroma resultando a fixação do carbono (CO2) proveniente do meio.   No ciclo de Calvin, os átomos de carbono provenientes do meio (atmosfera) são incorporados nos compostos orgânicos.   O ião hidrogénio (H+) é adicionado ao CO2 e a uma molécula intermediária com 5 carbonos de forma a produzirem-se hidratos de carbono.   O poder redutor capaz de realizar a fixação do carbono provém do NADPH.   A enzima envolvida, RuBisCo, funciona de forma óptima em ambientes com pouco oxigénio. APD: Ácido fosfoglicérico CO2 Hexose açúcar Os hidratos de carbono produzidos durante o Ciclo de Calvin podem ser armazenados para fornecerem posteriormente energia necessária ao metabolismo da planta. A fixação do carbono não é independente da luz uma vez que necessitou dela para o processo. O H+ e o ATP formam-se durante a fase fotoquímica. RuBP: Ribulose bifosfato Ribulose bifosfato carboxilase (RuBisCo) ADP + Pi ATP ATP ADP + Pi Triose-fosfato NADPH + H+ NADPRibulose fossfato
  • 17. Fase química   A fase química da fotossíntese (Ciclo de Calvin) ocorre no estroma resultando a fixação do carbono (CO2) proveniente do meio.   No ciclo de Calvin, os átomos de carbono provenientes do meio (atmosfera) são incorporados nos compostos orgânicos.   O ião hidrogénio (H+) é adicionado ao CO2 e a uma molécula intermediária com 5 carbonos de forma a produzirem-se hidratos de carbono.   O poder redutor capaz de realizar a fixação do carbono provém do NADPH.   A enzima envolvida, RuBisCo, funciona de forma óptima em ambientes com pouco oxigénio. Hexose açúcar