SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão
automática

Manutenção e reparação do sistema de transmissão
automático

Índice

0 – Introdução……………………………………………………… pág. 2
1 – Manutenção do sistema de transmissão automática…....pág. 3
1.1 – Verificação do nível e características do ATF………….pág. 4
1.1.1. – Substituição do ATF e filtro da transmissão............pág. 6
1.2 – Limpeza e lubrificação de componentes e peças.........pág. 8
1.2.1 – Lubrificação da transmissão automática...................pág. 9
1.3 – Verificação de folgas ou ruídos da transmissão.........pág. 9
2 – Reparação do sistema de transmissão automática……....pág. 10
3 – Conclusão……………………………………………………….pág. 13
4 – Webbliografia……………………………………………………pág. 14

Trabalho elaborado por Isabel Braz

11-01 2010

Página 1
Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão
automática

0 – Introdução

Este trabalho tem como objectivo referir os principais passos a seguir, para a devida
manutenção e reparação de uma transmissão automática e seus componentes.

fig. 0.1 – transmissão automática

Trabalho elaborado por Isabel Braz

11-01 2010

Página 2
Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão
automática
Tal como para qualquer outro procedimento de manutenção de um veículo
automóvel, antes de proceder à manuntenção de uma transmissão automática,
devemos sempre assegurar-nos de que:
Tanto a área de trabalho como as ferramentas ou equipamentos a utilizar,
estejam devidamente limpas e arrumadas;
A área e bancadas de trabalho sejam suficientemente espaçosas e seguras,
para assim permitir que a desmontagem e montagem de todos os
componentes sejam feitas sem acidentes e de forma organizada;
Sejam cumpridos os requisitos mínimos de segurança, usando o devido
equipamento de protecção individual (botas com biqueiras de aço, óculos de
protecção, luvas etc.).

1 - Manutenção do sistema de transmissão automática

A falta de manutenção, ou a manutenção incorrecta de qualquer sistema de um
veículo automóvel, pode dar origem a avarias por vezes irreparáveis levando à
substituição dispendiosa de peças ou mesmo substituição de todo um sistema, por
isso como qualquer outro, o sistema de transmissão automática, requer cuidados de
manutenção, cuidados esses que consistem essencialmente em:

Verificação do nível e características do ATF;
Substituição do ATF e filtro;
Limpeza e lubrificação de componentes e peças;
Verificação de folgas ou ruídos anormais.

Trabalho elaborado por Isabel Braz

11-01 2010

Página 3
Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão
automática
Todos os componentes a serem limpos e lubrificados, devem ser
desmontados, arrumados, lavados, secos, limpos,

e novamente

arrumados, respectivamente, de forma ordenada a fim de evitar
erros e facilitar a sua posterior montagem.

1.1 – Verificação do nível e características do ATF

A transmissão automática utiliza um tipo de óleo especial exclusivo deste sistema,
por isso denominado fluído de transmissões automáticas ou ATF.
Podemos dizer que a transmissão automática funciona em função do fluído, uma
vez que depende dele para o seu funcionamento.
Esta dependência do fluído, exige uma atenção e manutenção especial, uma vez
que o seu nível e características inadequadas podem dar origem a graves avarias,
ou até à perda de todo o sistema, por isso, e mesmo que a transmissão não
aparente ter nenhum problema de funcionamento, é extremamente importante
verificar periódicamente o nível e características do ATF.

Nos ultimos anos, os fabricantes de transmissões automáticas têm optado por
eliminar as varetas medidoras de ATF, fabricando cada vez mais aquilo que se
designa como unidades seladas.
Estas transmissões requerem um processo de verificação de fluído mais
sofisticado, que obriga à utilização de dispositivos de testes electrónicos, como
scanners computorizados, o que por sua vez obriga a que seja um técnico habilitado
para tal, a efectuar a verificação do nível e características do fluído de transmissão.

Trabalho elaborado por Isabel Braz

11-01 2010

Página 4
Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão
automática
Embora o ATF não se deteriore como o óleo de motor, em ambos os tipos de
transmissões, com ou sem vareta, a verificação do filtro, nível e características de
fluído das transmissões automáticas, deve ser feita pelo menos duas vezes por ano.
Para efectuar a verificação do nível e características do ATF, de transmissões que
utilizam vareta devem seguir-se os seguintes passos:

Estacionar o veículo de maneira a que fique nivelado;
Manter o motor a trabalhar, em marcha lenta, para que atinja a
temperatura ideal de funcionamento e assim o ATF apresentar o seu
nível real;
Passar lentamente a alavanca selectora de velocidades por cada uma
das posições, fazendo uma pausa de um ou dois segundos entre cada
uma delas, para que todos os componentes da transmissão se encham
de ATF e por fim por a alavanca na posição de estacionamento e puxar
o travão de mão;
Retirar a vareta medidora (cuja localização pode variar consoante o
tipo de tracção), limpá-la com um pano limpo, absorvente e que não
liberte fios, e inseri-la novamente no tubo de enchimento de ATF para
então medir o seu nível, que deverá estar entre as marcas “MIN” e
“MAX”.

MIN.

MAX.

fig. 1.1 – medição do nível de ATF

Trabalho elaborado por Isabel Braz

11-01 2010

Página 5
Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão
automática
Nos veículos com tracção traseira – geralmente a vareta está localizada
junto à parte de trás do compartimento do motor, do lado do passageiro.
Nos veículos com tracção dianteira – geralmente a vareta está localizada
do lado do motorista, num dos lados da transmissão.
Usando sempre o ATF recomendado pelo fabricante, e caso seja
necessário, adicionar mais fluído, ou se as características que este
apresentar não forem as ideais (transparente, avermelhado, sem odor a
queimado e bom índice de viscosidade), proceder à sua substituição.
Em qualquer dos casos (nível baixo e características inadequadas de
ATF), deverá fazer-se uma revisão a todo o sistema, pois tais sintomas,
tal como já foi referido são sinónimo de avaria.

1.1.1 – Substituição do ATF e filtro da transmissão

A frequência de substituição do fluído e do filtro principal da transmissão, é
determinada pelo rigor da sua utilização.
Para ajudar a prevenir avarias, podem ser necessárias substituições mais
frequentes do que as recomendadas, quando as condições de utilização criarem
altos níveis de contaminação, ou sobreaquecimento do fluído, essa frequência pode
variar entre os 2 e os 4 anos ou os 40.000 e os 60.000Km.
Para substituir o ATF e o filtro da transmissão deven-se seguir os seguintes
passos:
Drenar o fluído quando estiver à temperatura normal (71ºC/93ºC);
Remover o bujão de drenagem do carter do óleo e drenar todo o fluído
para um recipiente apropriado;

Trabalho elaborado por Isabel Braz

11-01 2010

Página 6
Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão
automática
Examinar o fluído quanto às suas características;
Remover o filtro principal, girando-o em sentido contrário aos ponteiros
do relógio e utilizando uma chave para filtros;
Remover o magneto do tubo de fixação do filtro, limpar os detritos de
metal que a ele tenham aderido e instalá-lo no filtro novo;
Lubrificar o vedante do filtro com fluído de transmissão;
Instalar o filtro, manualmente, rodando-o até que o vedante do filtro
toque no compartimento do conversor;
Após o contacto com o conversor, não rodar o filtro mais do que uma
volta completa, caso contrário o filtro poderá ser danificado;
Reinstalar e apertar o bujão de drenagem;
Encher e drenar novamente a transmissão até que o fluído saia
completamente limpo, para extrair o fluido velho existente no conversor
e restantes circuitos;
Após o enchimento, verificar o nível de fluído da transmissão seguindo
os passos já referidos anteriormente. (as quantidades de fluído a
utilizar variam entre transmissões, por isso à que seguir as instruções
do fabricante).
Fig. 1.1.1 – Localização do filtro principal da transmissão

Trabalho elaborado por Isabel Braz

11-01 2010

Página 7
Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão
automática
1.2 – Limpeza e lubrificação de componetes e peças

Antes de iniciar qualquer processo de limpeza e lubrificação de uma transmissão,
devem ter-se sempre em conta os seguintes pontos:
Se não for necessário desmontar completamente a transmissão, devem
tapar-se os orifícios de saída dos semi eixos, para evitar que neles entrem
quaisquer resíduos, durante a limpeza do resto dos componentes.

Não devem lavar-se:
Discos revestidos e componentes fixos – Uma vez que são compostos
de matérias que se decompõem ao entrar em contacto com a água ou
qualquer outro produto de limpeza, os discos revestidos e os componentes
fixos de uma transmissão automática, não devem nunca ser lavados, pois
isso levará à sua decomposição provocando assim a avaria de todo o
sistema.
A lavagem de componentes e peças de uma transmissão automática deve
ser feita de forma cuidadosa, sem exercer força excessiva, no tanque de
lavagem limpo, e com solvente não corrosivo e escova de limpeza de nylon
não abrasiva.
Após a lavagem, todos os componentes e peças devem ser limpos e secos
com ar comprimido sem pressão excessiva.
Caso seja necessário utilizar panos durante o processo de limpeza e
secagem, estes devem ser de tecido apropriado e que não solte fios que
possam aderir de forma desapercebida a qualquer peça.
Para facilitar a continuação do trabalho e evitar posteriores erros de
montagem, todo o processo de limpeza deve ser realizado de forma
ordenada.

Trabalho elaborado por Isabel Braz

11-01 2010

Página 8
Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão
automática
1.2.1 – Lubrificação da transmissão automática

A lubrificação da transmissão automática, pode ser considerado o mais importante
passo da sua manutenção, uma vez que é à base de óleo (ATF) que todo o sistema
funciona.
Antes da montagem de qualquer componente ou peça da transmissão automática,
deve-se proceder à sua lubrificação, utilizando fluído de transmissão, no caso das
luvas e discos, estes devem permanecer entre 15 minutos e duas horas
mergulhados em ATF, até estarem bem impregnados de òleo.
Os componentes dos eixos da transmissão, como os cardans devem ser
lubrificados abundantemente com massa multifuncional.

1.3 – Verificação de folgas ou ruídos da transmissão

A má lubrificação, ou a existência de folgas entre componentes e peças, são
habitualmente a causa de ruídos estranhos provenientes de uma transmissão, e
também a causa de graves avarias em todo o sistema.
Assim, também faz parte da manutenção da transmissão automática, a verificação
periódica de:

Folgas nos eixos de entrada e saída da transmissão;
Folgas nos conjuntos de embreagens;
Ajuste de luvas ou cintas;
Folgas e fugas nas bombas de óleo;

Trabalho elaborado por Isabel Braz

11-01 2010

Página 9
Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão
automática
Folgas e ruídos nas caixas de válvulas;
Folgas e rigidez do cabo de ligação da transmissão;
Aperto correcto de parafusos, etc.
Sempre que se verificarem as referidas folgas ou ruídos, deve-se proceder à
verificação da sua proveniência, e posterior rectficação, substituição ou
reparação dos componentes ou peças afectadas.

2

– Reparação do sistema de transmissão automática

À partida uma transmissão automática é concebida, para que com os devidos
cuidados de manutenção e utilização, tenha o mesmo tempo de vida que a viatura
na qual está instalada.
No entanto, seja por má utilização do condutor, ou por falta de manutenção, caso
surjam avarias e na ausência de um bom programa de diagnóstico e reparação de
avarias (ex. Auto Data), antes de dar início a qualquer procedimento de remoção ou
reparação da transmissão, e para evitar perdas de tempo e erradas remoções e
reparações, devem-se sempre ter em conta os seguintes pontos:
O TCM está correctamente ligado?
Há códigos de diagnóstico activos no TCM?
Todas as ligaçõs eléctricas estão feitas correctamente?
O nível de fluído é o correcto?
Existem sinais visíveis de fuga de fluído? Qual a sua origem?
Existem fissuras visíveis nalgum dos componentes?
O veio de transmissão está correctamente ligado?

Trabalho elaborado por Isabel Braz

11-01 2010

Página 10
Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão
automática
Após a verificação dos pontos anteriores, e se os problemas pesitirem, na seguinte
tabela fica o exemplo de alguns dos mais frequentes problemas de uma transmissão
automática, possível causa e sugestão para correcção ou reparação:

Tabela de problemas, possível causa e sugestão para correcção ou
reparação

Problema

Possível causa

Sugestão para
correcção ou reparação

Lâmpada ou fusível
A luz da trans. no painel não
acende.

Substituir a lâmpada ou o

queimado.

fusível.

Cablagem de/para a
lâmpada defeituosa.

Substituir a cablagem.

Instalar o aparelho de
O TCM registou avaria/s.

diagnóstico para determinar
a/s avarias.

A luz da trans. no painel não
se apaga, ou pisca
intermitentemente.

Substituir ou ligar a cablagem
Cablagem ou ligação da

correctamente.

luz incorrecta.

A transmissão não muda

O selector de mudanças

para a marcha à frente, nem

de velocidade não está a

para a marcha atrás

funcionar correctamente.

(permanece em ponto
morto).

Trabalho elaborado por Isabel Braz

Nível de fluído baixo.

Substituir ou reparar o selector
de mudanças de velocidade.

Adicionar fluído até atingir o
nível adequado.

11-01 2010

Página 11
Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão
automática
A transmissão não efectua

Folga excessiva da

correctamente as mudanças

embraiagem.

Montar novamente a
transmissão e ajustar as
folgas.

de velocidade (mudanças
bruscas em velocidade

Substituir o fluído e o filtro da

muito alta, o muito baixa).

Fluído deteriorado.

Deslizamento excessivo e

Nível de fluído incorrecto.

Corrigir o nível de fluído.

Leituras incorrectas do

Substituir o sensor de

sensor de velocidades.

velocidades.

transmissão.

ruidoso da embreagem
(patinagem).

Fluído arejado/nível
Sobreaquecimento em todas

incorrecto de fluído.

Corrigir o nível de fluído.

as velocidades.
Fluxo de ar para o

Desobstruir o fluxo de ar do

radiador obstruido.

radiador.

Nível de fluído baixo.
Ruído intermitente ou

Adicionar fluído até atingir o
nível correcto.

zumbido.
Filtro de sucção entupido.

Substituir o filtro de sucção.

Vedantes defeituosos.

Substituir os vedantes.

Fugas no conversor de

Substituir o conversor de

binário.

binário.

Fuga de fluído nos veios
de transmissão
(entrada/saída).

Trabalho elaborado por Isabel Braz

11-01 2010

Página 12
Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão
automática

3 – Conclusão
Com a elaboração deste trabalho e depois de efectuar diversas pesquisas sobre a
matéria nele referido, pode-se concluir que para que uma transmisão automática
atinja tanta longevidade como o veículo em que se encontra instalada, mais
importante que saber reparar as avarias que possam ocorrer, é saber fazer uma
correcta manutenção.
Geralmente quando ocorrem avarias num sistema tão complexo como sistema de
transmissão automática, para que a reparação dessas avarias seja cem por cento
eficaz, o mais recomendável é substituir todas as peças ou componentes afectados,
levando por vezes a que o valor da reparação, supere o valor da própria viatura,
fazendo com que não compense repará-la, por isso, para evitar a reparação é
preferível investir na manutenção.

4 – Webbliografia
http://www.volkspage.net/vwsantana/mecanica/automatico/index.htm
http://www.brasilautomatico.com.br/si/site/0250
http://www.oficinabrasil.com.br/Tecnicas/Tecnica/parte-2-apresentacaodo-cambio-automatico-al4dp0-renault-peugeot-e-citroen.html
http://www.scribd.com/doc/2867981/B-blia-do-Carro-erivanildothegenius-us
http://www.alfatrans.com.br/afinal_oleo.htm
http://www.allisontransmission.com/servlet/DownloadFile?Dir=publication
s/pubs&FileToGet=MT3629PT.pdf
http://www.sindirepa-sp.org.br/pdfs/encarte_janeiro08.pdf
Trabalho elaborado por Isabel Braz

11-01 2010

Página 13

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Manual de serviço da yamaha ybr 125cc
Manual de serviço da yamaha ybr 125ccManual de serviço da yamaha ybr 125cc
Manual de serviço da yamaha ybr 125cc
 
Motor Scania DC 9
Motor Scania DC 9 Motor Scania DC 9
Motor Scania DC 9
 
Doc motor volvo fh d13 c 3
Doc motor volvo fh d13 c 3Doc motor volvo fh d13 c 3
Doc motor volvo fh d13 c 3
 
Motor Scania Dc 12
Motor Scania Dc 12 Motor Scania Dc 12
Motor Scania Dc 12
 
Manual trator valtra bh 180
Manual trator valtra bh 180Manual trator valtra bh 180
Manual trator valtra bh 180
 
Mecanica automotiva basica
Mecanica automotiva basicaMecanica automotiva basica
Mecanica automotiva basica
 
Apostila compressor centrifugo
Apostila compressor centrifugoApostila compressor centrifugo
Apostila compressor centrifugo
 
Sistema de freios
Sistema de freiosSistema de freios
Sistema de freios
 
Analise de falha rolamento
Analise de falha   rolamentoAnalise de falha   rolamento
Analise de falha rolamento
 
Manual volvo
Manual volvoManual volvo
Manual volvo
 
Sistema de distribucion
Sistema de distribucionSistema de distribucion
Sistema de distribucion
 
Manual falhas diesel (1)
Manual falhas   diesel (1)Manual falhas   diesel (1)
Manual falhas diesel (1)
 
MANUAL DA YAMAHA VIRAGO 535 cc
MANUAL DA YAMAHA VIRAGO 535 ccMANUAL DA YAMAHA VIRAGO 535 cc
MANUAL DA YAMAHA VIRAGO 535 cc
 
Manual de montagem_de_motor
Manual de montagem_de_motorManual de montagem_de_motor
Manual de montagem_de_motor
 
Manual do Diferencial Meritor MS113
Manual do Diferencial Meritor MS113Manual do Diferencial Meritor MS113
Manual do Diferencial Meritor MS113
 
Manual de sintomas e falhas
Manual de sintomas e falhasManual de sintomas e falhas
Manual de sintomas e falhas
 
dr ecus null-1.pdf
dr ecus null-1.pdfdr ecus null-1.pdf
dr ecus null-1.pdf
 
Guia De Laboratorio 2010 T.S CESAR CALANI SOTO
Guia De Laboratorio 2010 T.S CESAR CALANI SOTOGuia De Laboratorio 2010 T.S CESAR CALANI SOTO
Guia De Laboratorio 2010 T.S CESAR CALANI SOTO
 
Manualdeesquemaeltricoscania 140115191538-phpapp01 (1)
Manualdeesquemaeltricoscania 140115191538-phpapp01 (1)Manualdeesquemaeltricoscania 140115191538-phpapp01 (1)
Manualdeesquemaeltricoscania 140115191538-phpapp01 (1)
 
Motor Scania DC 12
Motor Scania DC 12 Motor Scania DC 12
Motor Scania DC 12
 

Destaque

Mecatrónica Automóvel - Sistemas de climatização
Mecatrónica Automóvel - Sistemas de climatizaçãoMecatrónica Automóvel - Sistemas de climatização
Mecatrónica Automóvel - Sistemas de climatizaçãoI.Braz Slideshares
 
Manual ar condicionado
Manual ar condicionadoManual ar condicionado
Manual ar condicionadoalencarac
 
Mecatrónica Automóvel - Sistema Mono-Jectrónic
Mecatrónica Automóvel - Sistema Mono-JectrónicMecatrónica Automóvel - Sistema Mono-Jectrónic
Mecatrónica Automóvel - Sistema Mono-JectrónicI.Braz Slideshares
 
Sistema de transmissão parte 1
Sistema de transmissão parte 1Sistema de transmissão parte 1
Sistema de transmissão parte 1Fernando Mattos
 
Senai ba - transmissão roberto
Senai ba - transmissão robertoSenai ba - transmissão roberto
Senai ba - transmissão robertoFernando Mattos
 
Apoio domiciliário e abrigos-residências para idosos
Apoio domiciliário e abrigos-residências para idososApoio domiciliário e abrigos-residências para idosos
Apoio domiciliário e abrigos-residências para idososI.Braz Slideshares
 
S.T.C. 7 - Remodelação e gestão de espaços
S.T.C. 7 - Remodelação e gestão de espaçosS.T.C. 7 - Remodelação e gestão de espaços
S.T.C. 7 - Remodelação e gestão de espaçosI.Braz Slideshares
 
Reflexão sobre a reportagem orfãos da idade
Reflexão sobre a reportagem orfãos da idadeReflexão sobre a reportagem orfãos da idade
Reflexão sobre a reportagem orfãos da idadeI.Braz Slideshares
 
Ar condicionado e refrigeração
Ar condicionado e refrigeraçãoAr condicionado e refrigeração
Ar condicionado e refrigeraçãoandydurdem
 
Projeto de um Veio de Transmissão de “Caixa de Velocidades de Automóvel”
Projeto de um Veio de Transmissão de “Caixa de Velocidades de Automóvel”Projeto de um Veio de Transmissão de “Caixa de Velocidades de Automóvel”
Projeto de um Veio de Transmissão de “Caixa de Velocidades de Automóvel”Ivan Soares
 
Breve análise do documentário “China Blue”
Breve análise do documentário “China Blue”Breve análise do documentário “China Blue”
Breve análise do documentário “China Blue”I.Braz Slideshares
 
Mecanica - SlideAuto
Mecanica - SlideAutoMecanica - SlideAuto
Mecanica - SlideAutoJoão Pedro
 
C.L.C. 5 - Reflexão crítica sobre o computador
C.L.C. 5 - Reflexão crítica sobre o computadorC.L.C. 5 - Reflexão crítica sobre o computador
C.L.C. 5 - Reflexão crítica sobre o computadorI.Braz Slideshares
 

Destaque (20)

Mecatrónica Automóvel - Sistemas de climatização
Mecatrónica Automóvel - Sistemas de climatizaçãoMecatrónica Automóvel - Sistemas de climatização
Mecatrónica Automóvel - Sistemas de climatização
 
Manual ar condicionado
Manual ar condicionadoManual ar condicionado
Manual ar condicionado
 
Mecatrónica Automóvel - Sistema Mono-Jectrónic
Mecatrónica Automóvel - Sistema Mono-JectrónicMecatrónica Automóvel - Sistema Mono-Jectrónic
Mecatrónica Automóvel - Sistema Mono-Jectrónic
 
Sistema de transmissão parte 1
Sistema de transmissão parte 1Sistema de transmissão parte 1
Sistema de transmissão parte 1
 
Senai ba - transmissão roberto
Senai ba - transmissão robertoSenai ba - transmissão roberto
Senai ba - transmissão roberto
 
Sistema de Transmissão
Sistema de TransmissãoSistema de Transmissão
Sistema de Transmissão
 
Passo a passo
Passo a passoPasso a passo
Passo a passo
 
HENGST - Iveco stralis 450
HENGST - Iveco stralis 450HENGST - Iveco stralis 450
HENGST - Iveco stralis 450
 
Suspensões
SuspensõesSuspensões
Suspensões
 
Apoio domiciliário e abrigos-residências para idosos
Apoio domiciliário e abrigos-residências para idososApoio domiciliário e abrigos-residências para idosos
Apoio domiciliário e abrigos-residências para idosos
 
S.T.C. 7 - Remodelação e gestão de espaços
S.T.C. 7 - Remodelação e gestão de espaçosS.T.C. 7 - Remodelação e gestão de espaços
S.T.C. 7 - Remodelação e gestão de espaços
 
09 transmissão parte 1
09   transmissão  parte 109   transmissão  parte 1
09 transmissão parte 1
 
Reflexão sobre a reportagem orfãos da idade
Reflexão sobre a reportagem orfãos da idadeReflexão sobre a reportagem orfãos da idade
Reflexão sobre a reportagem orfãos da idade
 
C.L.C. 7 - Memórias...
C.L.C. 7 -  Memórias...C.L.C. 7 -  Memórias...
C.L.C. 7 - Memórias...
 
Ar condicionado e refrigeração
Ar condicionado e refrigeraçãoAr condicionado e refrigeração
Ar condicionado e refrigeração
 
Projeto de um Veio de Transmissão de “Caixa de Velocidades de Automóvel”
Projeto de um Veio de Transmissão de “Caixa de Velocidades de Automóvel”Projeto de um Veio de Transmissão de “Caixa de Velocidades de Automóvel”
Projeto de um Veio de Transmissão de “Caixa de Velocidades de Automóvel”
 
Breve análise do documentário “China Blue”
Breve análise do documentário “China Blue”Breve análise do documentário “China Blue”
Breve análise do documentário “China Blue”
 
Mecanica - SlideAuto
Mecanica - SlideAutoMecanica - SlideAuto
Mecanica - SlideAuto
 
Mecânica
MecânicaMecânica
Mecânica
 
C.L.C. 5 - Reflexão crítica sobre o computador
C.L.C. 5 - Reflexão crítica sobre o computadorC.L.C. 5 - Reflexão crítica sobre o computador
C.L.C. 5 - Reflexão crítica sobre o computador
 

Semelhante a Mecatrónica Automóvel - Manutenção e reparação do sistema de transmissão automático

Manaul de serviço ms cbx250 (2006) 00 x6b-kpf-003 03. manutenção
Manaul de serviço ms cbx250 (2006)   00 x6b-kpf-003 03. manutençãoManaul de serviço ms cbx250 (2006)   00 x6b-kpf-003 03. manutenção
Manaul de serviço ms cbx250 (2006) 00 x6b-kpf-003 03. manutençãoThiago Huari
 
Manual de serviço cg125 titan ks es cg125 cargo infgeral
Manual de serviço cg125 titan ks es cg125 cargo infgeralManual de serviço cg125 titan ks es cg125 cargo infgeral
Manual de serviço cg125 titan ks es cg125 cargo infgeralThiago Huari
 
Manual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 manutenc
Manual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 manutencManual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 manutenc
Manual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 manutencThiago Huari
 
010178 manutenc
010178 manutenc010178 manutenc
010178 manutencDigossound
 
Manual de serviço nx 4 falc manutenc
Manual de serviço nx 4 falc manutencManual de serviço nx 4 falc manutenc
Manual de serviço nx 4 falc manutencThiago Huari
 
Manual de serviço cargotod lubrific
Manual de serviço cargotod lubrificManual de serviço cargotod lubrific
Manual de serviço cargotod lubrificThiago Huari
 
371261753-Manual-de-Servico-CX220.pdf
371261753-Manual-de-Servico-CX220.pdf371261753-Manual-de-Servico-CX220.pdf
371261753-Manual-de-Servico-CX220.pdfAlexSandroBorgesPere
 
Manual Chrysler Stratus 2.0 & 2.5_V6_2000_BR.PT_Full
Manual Chrysler Stratus 2.0 & 2.5_V6_2000_BR.PT_FullManual Chrysler Stratus 2.0 & 2.5_V6_2000_BR.PT_Full
Manual Chrysler Stratus 2.0 & 2.5_V6_2000_BR.PT_FullAlexandre Santos Ribeiro
 
Nbr 14040 06--_1998_-_freios
Nbr 14040 06--_1998_-_freiosNbr 14040 06--_1998_-_freios
Nbr 14040 06--_1998_-_freiosAnderson Ribeiro
 
Manual de serviço nx350 informac
Manual de serviço nx350 informacManual de serviço nx350 informac
Manual de serviço nx350 informacThiago Huari
 
Manual de serviço nx350 sahara 00 x6b-kas-602 informac
Manual de serviço nx350 sahara   00 x6b-kas-602 informacManual de serviço nx350 sahara   00 x6b-kas-602 informac
Manual de serviço nx350 sahara 00 x6b-kas-602 informacThiago Huari
 
Manual de Servico NX 350 Sahara 1995.pdf
Manual de Servico NX 350 Sahara 1995.pdfManual de Servico NX 350 Sahara 1995.pdf
Manual de Servico NX 350 Sahara 1995.pdfJniorRamos12
 
Manual de serviço nx200 xr manutec2
Manual de serviço nx200 xr manutec2Manual de serviço nx200 xr manutec2
Manual de serviço nx200 xr manutec2Thiago Huari
 
Manual de serviço xr200 r nx200 cbx200s mskbb931p manutec2
Manual de serviço xr200 r nx200 cbx200s   mskbb931p manutec2Manual de serviço xr200 r nx200 cbx200s   mskbb931p manutec2
Manual de serviço xr200 r nx200 cbx200s mskbb931p manutec2Thiago Huari
 
Chevrolet-Vectra_2010_pt_BR_4d41e3ff8e.pdf
Chevrolet-Vectra_2010_pt_BR_4d41e3ff8e.pdfChevrolet-Vectra_2010_pt_BR_4d41e3ff8e.pdf
Chevrolet-Vectra_2010_pt_BR_4d41e3ff8e.pdfPauloMonteiro567050
 
Chevrolet-Vectra_2010_pt_BR_4d41e3ff8e.pdf
Chevrolet-Vectra_2010_pt_BR_4d41e3ff8e.pdfChevrolet-Vectra_2010_pt_BR_4d41e3ff8e.pdf
Chevrolet-Vectra_2010_pt_BR_4d41e3ff8e.pdfPauloMonteiro567050
 
Manual de serviço supl vt600 c3
Manual de serviço supl vt600 c3Manual de serviço supl vt600 c3
Manual de serviço supl vt600 c3Thiago Huari
 

Semelhante a Mecatrónica Automóvel - Manutenção e reparação do sistema de transmissão automático (20)

FESX 712B-35CY
FESX 712B-35CYFESX 712B-35CY
FESX 712B-35CY
 
01 m
01 m01 m
01 m
 
Manaul de serviço ms cbx250 (2006) 00 x6b-kpf-003 03. manutenção
Manaul de serviço ms cbx250 (2006)   00 x6b-kpf-003 03. manutençãoManaul de serviço ms cbx250 (2006)   00 x6b-kpf-003 03. manutenção
Manaul de serviço ms cbx250 (2006) 00 x6b-kpf-003 03. manutenção
 
Manual de serviço cg125 titan ks es cg125 cargo infgeral
Manual de serviço cg125 titan ks es cg125 cargo infgeralManual de serviço cg125 titan ks es cg125 cargo infgeral
Manual de serviço cg125 titan ks es cg125 cargo infgeral
 
Manual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 manutenc
Manual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 manutencManual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 manutenc
Manual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 manutenc
 
010178 manutenc
010178 manutenc010178 manutenc
010178 manutenc
 
Manual de serviço nx 4 falc manutenc
Manual de serviço nx 4 falc manutencManual de serviço nx 4 falc manutenc
Manual de serviço nx 4 falc manutenc
 
Manual de serviço cargotod lubrific
Manual de serviço cargotod lubrificManual de serviço cargotod lubrific
Manual de serviço cargotod lubrific
 
371261753-Manual-de-Servico-CX220.pdf
371261753-Manual-de-Servico-CX220.pdf371261753-Manual-de-Servico-CX220.pdf
371261753-Manual-de-Servico-CX220.pdf
 
Manual Chrysler Stratus 2.0 & 2.5_V6_2000_BR.PT_Full
Manual Chrysler Stratus 2.0 & 2.5_V6_2000_BR.PT_FullManual Chrysler Stratus 2.0 & 2.5_V6_2000_BR.PT_Full
Manual Chrysler Stratus 2.0 & 2.5_V6_2000_BR.PT_Full
 
Dicastecnicas 13
Dicastecnicas 13Dicastecnicas 13
Dicastecnicas 13
 
Nbr 14040 06--_1998_-_freios
Nbr 14040 06--_1998_-_freiosNbr 14040 06--_1998_-_freios
Nbr 14040 06--_1998_-_freios
 
Manual de serviço nx350 informac
Manual de serviço nx350 informacManual de serviço nx350 informac
Manual de serviço nx350 informac
 
Manual de serviço nx350 sahara 00 x6b-kas-602 informac
Manual de serviço nx350 sahara   00 x6b-kas-602 informacManual de serviço nx350 sahara   00 x6b-kas-602 informac
Manual de serviço nx350 sahara 00 x6b-kas-602 informac
 
Manual de Servico NX 350 Sahara 1995.pdf
Manual de Servico NX 350 Sahara 1995.pdfManual de Servico NX 350 Sahara 1995.pdf
Manual de Servico NX 350 Sahara 1995.pdf
 
Manual de serviço nx200 xr manutec2
Manual de serviço nx200 xr manutec2Manual de serviço nx200 xr manutec2
Manual de serviço nx200 xr manutec2
 
Manual de serviço xr200 r nx200 cbx200s mskbb931p manutec2
Manual de serviço xr200 r nx200 cbx200s   mskbb931p manutec2Manual de serviço xr200 r nx200 cbx200s   mskbb931p manutec2
Manual de serviço xr200 r nx200 cbx200s mskbb931p manutec2
 
Chevrolet-Vectra_2010_pt_BR_4d41e3ff8e.pdf
Chevrolet-Vectra_2010_pt_BR_4d41e3ff8e.pdfChevrolet-Vectra_2010_pt_BR_4d41e3ff8e.pdf
Chevrolet-Vectra_2010_pt_BR_4d41e3ff8e.pdf
 
Chevrolet-Vectra_2010_pt_BR_4d41e3ff8e.pdf
Chevrolet-Vectra_2010_pt_BR_4d41e3ff8e.pdfChevrolet-Vectra_2010_pt_BR_4d41e3ff8e.pdf
Chevrolet-Vectra_2010_pt_BR_4d41e3ff8e.pdf
 
Manual de serviço supl vt600 c3
Manual de serviço supl vt600 c3Manual de serviço supl vt600 c3
Manual de serviço supl vt600 c3
 

Mais de I.Braz Slideshares

Qualidade, conceitos e definições
Qualidade, conceitos e definiçõesQualidade, conceitos e definições
Qualidade, conceitos e definiçõesI.Braz Slideshares
 
Tarefas e funções do Técnico Auxiliar de Saúde no Bloco Operatório e no Servi...
Tarefas e funções do Técnico Auxiliar de Saúde no Bloco Operatório e no Servi...Tarefas e funções do Técnico Auxiliar de Saúde no Bloco Operatório e no Servi...
Tarefas e funções do Técnico Auxiliar de Saúde no Bloco Operatório e no Servi...I.Braz Slideshares
 
Sistema Português de Qualidade
Sistema Português de QualidadeSistema Português de Qualidade
Sistema Português de QualidadeI.Braz Slideshares
 
Prevenção e Controlo da Infeção: Esterilização
Prevenção e Controlo da Infeção: EsterilizaçãoPrevenção e Controlo da Infeção: Esterilização
Prevenção e Controlo da Infeção: EsterilizaçãoI.Braz Slideshares
 
C.P. 1 - Direitos Liberdades e Garantias dos Trabalhadores
C.P. 1 - Direitos  Liberdades e Garantias dos Trabalhadores C.P. 1 - Direitos  Liberdades e Garantias dos Trabalhadores
C.P. 1 - Direitos Liberdades e Garantias dos Trabalhadores I.Braz Slideshares
 
C.L.C. 6 Imigração em Portugal
C.L.C.  6   Imigração em PortugalC.L.C.  6   Imigração em Portugal
C.L.C. 6 Imigração em PortugalI.Braz Slideshares
 
C.L.C. 7 - Roteiro de visualização do filme "Crash"
C.L.C. 7 - Roteiro de visualização do filme "Crash"C.L.C. 7 - Roteiro de visualização do filme "Crash"
C.L.C. 7 - Roteiro de visualização do filme "Crash"I.Braz Slideshares
 
C.L.C.7 - Valores da família - A verdadeira felicidade está na própria casa
C.L.C.7 - Valores da família - A verdadeira felicidade está na própria casaC.L.C.7 - Valores da família - A verdadeira felicidade está na própria casa
C.L.C.7 - Valores da família - A verdadeira felicidade está na própria casaI.Braz Slideshares
 
C.P. 4 Diferenças - (deficiências físicas e psíquicas)
C.P. 4   Diferenças - (deficiências físicas e psíquicas)C.P. 4   Diferenças - (deficiências físicas e psíquicas)
C.P. 4 Diferenças - (deficiências físicas e psíquicas)I.Braz Slideshares
 
C.P. 5 - Mass Media - Globalização
C.P. 5 - Mass Media - GlobalizaçãoC.P. 5 - Mass Media - Globalização
C.P. 5 - Mass Media - GlobalizaçãoI.Braz Slideshares
 
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2I.Braz Slideshares
 
S.T.C. 7 - Todos diferentes/Todos iguais
S.T.C. 7 - Todos diferentes/Todos iguaisS.T.C. 7 - Todos diferentes/Todos iguais
S.T.C. 7 - Todos diferentes/Todos iguaisI.Braz Slideshares
 
S.T.C 7 - Ciência e Controvérsias Públicas
S.T.C 7 - Ciência e Controvérsias Públicas S.T.C 7 - Ciência e Controvérsias Públicas
S.T.C 7 - Ciência e Controvérsias Públicas I.Braz Slideshares
 
C.L.C. 7 - Hábitos culturais regionais
C.L.C. 7  - Hábitos culturais regionaisC.L.C. 7  - Hábitos culturais regionais
C.L.C. 7 - Hábitos culturais regionaisI.Braz Slideshares
 
U. 7 - Roupas e Equipamentos de Protecção Individual
U. 7 -  Roupas e Equipamentos de Protecção IndividualU. 7 -  Roupas e Equipamentos de Protecção Individual
U. 7 - Roupas e Equipamentos de Protecção IndividualI.Braz Slideshares
 
U. 24 Toxicodependência - Folheto
U. 24 Toxicodependência - FolhetoU. 24 Toxicodependência - Folheto
U. 24 Toxicodependência - FolhetoI.Braz Slideshares
 

Mais de I.Braz Slideshares (20)

Desnutrição
DesnutriçãoDesnutrição
Desnutrição
 
Qualidade, conceitos e definições
Qualidade, conceitos e definiçõesQualidade, conceitos e definições
Qualidade, conceitos e definições
 
Exemplo de uma Reclamação
Exemplo de uma ReclamaçãoExemplo de uma Reclamação
Exemplo de uma Reclamação
 
Tarefas e funções do Técnico Auxiliar de Saúde no Bloco Operatório e no Servi...
Tarefas e funções do Técnico Auxiliar de Saúde no Bloco Operatório e no Servi...Tarefas e funções do Técnico Auxiliar de Saúde no Bloco Operatório e no Servi...
Tarefas e funções do Técnico Auxiliar de Saúde no Bloco Operatório e no Servi...
 
Sistema Português de Qualidade
Sistema Português de QualidadeSistema Português de Qualidade
Sistema Português de Qualidade
 
Prevenção e Controlo da Infeção: Esterilização
Prevenção e Controlo da Infeção: EsterilizaçãoPrevenção e Controlo da Infeção: Esterilização
Prevenção e Controlo da Infeção: Esterilização
 
C.L.C. 5 - Telemóveis
C.L.C. 5 - TelemóveisC.L.C. 5 - Telemóveis
C.L.C. 5 - Telemóveis
 
C.P. 1 - Direitos Liberdades e Garantias dos Trabalhadores
C.P. 1 - Direitos  Liberdades e Garantias dos Trabalhadores C.P. 1 - Direitos  Liberdades e Garantias dos Trabalhadores
C.P. 1 - Direitos Liberdades e Garantias dos Trabalhadores
 
C.L.C. 6 Imigração em Portugal
C.L.C.  6   Imigração em PortugalC.L.C.  6   Imigração em Portugal
C.L.C. 6 Imigração em Portugal
 
C.L.C. 7 - Roteiro de visualização do filme "Crash"
C.L.C. 7 - Roteiro de visualização do filme "Crash"C.L.C. 7 - Roteiro de visualização do filme "Crash"
C.L.C. 7 - Roteiro de visualização do filme "Crash"
 
C.L.C.7 - Valores da família - A verdadeira felicidade está na própria casa
C.L.C.7 - Valores da família - A verdadeira felicidade está na própria casaC.L.C.7 - Valores da família - A verdadeira felicidade está na própria casa
C.L.C.7 - Valores da família - A verdadeira felicidade está na própria casa
 
C.P. 4 Diferenças - (deficiências físicas e psíquicas)
C.P. 4   Diferenças - (deficiências físicas e psíquicas)C.P. 4   Diferenças - (deficiências físicas e psíquicas)
C.P. 4 Diferenças - (deficiências físicas e psíquicas)
 
C.P. 5 - Mass Media - Globalização
C.P. 5 - Mass Media - GlobalizaçãoC.P. 5 - Mass Media - Globalização
C.P. 5 - Mass Media - Globalização
 
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
 
S.T.C. 7 - Todos diferentes/Todos iguais
S.T.C. 7 - Todos diferentes/Todos iguaisS.T.C. 7 - Todos diferentes/Todos iguais
S.T.C. 7 - Todos diferentes/Todos iguais
 
S.T.C 7 - Ciência e Controvérsias Públicas
S.T.C 7 - Ciência e Controvérsias Públicas S.T.C 7 - Ciência e Controvérsias Públicas
S.T.C 7 - Ciência e Controvérsias Públicas
 
C.L.C. 7 - Hábitos culturais regionais
C.L.C. 7  - Hábitos culturais regionaisC.L.C. 7  - Hábitos culturais regionais
C.L.C. 7 - Hábitos culturais regionais
 
U. 7 - Roupas e Equipamentos de Protecção Individual
U. 7 -  Roupas e Equipamentos de Protecção IndividualU. 7 -  Roupas e Equipamentos de Protecção Individual
U. 7 - Roupas e Equipamentos de Protecção Individual
 
U.27 - Bloco Operatório
U.27 -  Bloco OperatórioU.27 -  Bloco Operatório
U.27 - Bloco Operatório
 
U. 24 Toxicodependência - Folheto
U. 24 Toxicodependência - FolhetoU. 24 Toxicodependência - Folheto
U. 24 Toxicodependência - Folheto
 

Último

472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...GisellySobral
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasBibliotecaViatodos
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxprofbrunogeo95
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfManuais Formação
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguaKelly Mendes
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 

Último (20)

472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 

Mecatrónica Automóvel - Manutenção e reparação do sistema de transmissão automático

  • 1. Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão automática Manutenção e reparação do sistema de transmissão automático Índice 0 – Introdução……………………………………………………… pág. 2 1 – Manutenção do sistema de transmissão automática…....pág. 3 1.1 – Verificação do nível e características do ATF………….pág. 4 1.1.1. – Substituição do ATF e filtro da transmissão............pág. 6 1.2 – Limpeza e lubrificação de componentes e peças.........pág. 8 1.2.1 – Lubrificação da transmissão automática...................pág. 9 1.3 – Verificação de folgas ou ruídos da transmissão.........pág. 9 2 – Reparação do sistema de transmissão automática……....pág. 10 3 – Conclusão……………………………………………………….pág. 13 4 – Webbliografia……………………………………………………pág. 14 Trabalho elaborado por Isabel Braz 11-01 2010 Página 1
  • 2. Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão automática 0 – Introdução Este trabalho tem como objectivo referir os principais passos a seguir, para a devida manutenção e reparação de uma transmissão automática e seus componentes. fig. 0.1 – transmissão automática Trabalho elaborado por Isabel Braz 11-01 2010 Página 2
  • 3. Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão automática Tal como para qualquer outro procedimento de manutenção de um veículo automóvel, antes de proceder à manuntenção de uma transmissão automática, devemos sempre assegurar-nos de que: Tanto a área de trabalho como as ferramentas ou equipamentos a utilizar, estejam devidamente limpas e arrumadas; A área e bancadas de trabalho sejam suficientemente espaçosas e seguras, para assim permitir que a desmontagem e montagem de todos os componentes sejam feitas sem acidentes e de forma organizada; Sejam cumpridos os requisitos mínimos de segurança, usando o devido equipamento de protecção individual (botas com biqueiras de aço, óculos de protecção, luvas etc.). 1 - Manutenção do sistema de transmissão automática A falta de manutenção, ou a manutenção incorrecta de qualquer sistema de um veículo automóvel, pode dar origem a avarias por vezes irreparáveis levando à substituição dispendiosa de peças ou mesmo substituição de todo um sistema, por isso como qualquer outro, o sistema de transmissão automática, requer cuidados de manutenção, cuidados esses que consistem essencialmente em: Verificação do nível e características do ATF; Substituição do ATF e filtro; Limpeza e lubrificação de componentes e peças; Verificação de folgas ou ruídos anormais. Trabalho elaborado por Isabel Braz 11-01 2010 Página 3
  • 4. Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão automática Todos os componentes a serem limpos e lubrificados, devem ser desmontados, arrumados, lavados, secos, limpos, e novamente arrumados, respectivamente, de forma ordenada a fim de evitar erros e facilitar a sua posterior montagem. 1.1 – Verificação do nível e características do ATF A transmissão automática utiliza um tipo de óleo especial exclusivo deste sistema, por isso denominado fluído de transmissões automáticas ou ATF. Podemos dizer que a transmissão automática funciona em função do fluído, uma vez que depende dele para o seu funcionamento. Esta dependência do fluído, exige uma atenção e manutenção especial, uma vez que o seu nível e características inadequadas podem dar origem a graves avarias, ou até à perda de todo o sistema, por isso, e mesmo que a transmissão não aparente ter nenhum problema de funcionamento, é extremamente importante verificar periódicamente o nível e características do ATF. Nos ultimos anos, os fabricantes de transmissões automáticas têm optado por eliminar as varetas medidoras de ATF, fabricando cada vez mais aquilo que se designa como unidades seladas. Estas transmissões requerem um processo de verificação de fluído mais sofisticado, que obriga à utilização de dispositivos de testes electrónicos, como scanners computorizados, o que por sua vez obriga a que seja um técnico habilitado para tal, a efectuar a verificação do nível e características do fluído de transmissão. Trabalho elaborado por Isabel Braz 11-01 2010 Página 4
  • 5. Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão automática Embora o ATF não se deteriore como o óleo de motor, em ambos os tipos de transmissões, com ou sem vareta, a verificação do filtro, nível e características de fluído das transmissões automáticas, deve ser feita pelo menos duas vezes por ano. Para efectuar a verificação do nível e características do ATF, de transmissões que utilizam vareta devem seguir-se os seguintes passos: Estacionar o veículo de maneira a que fique nivelado; Manter o motor a trabalhar, em marcha lenta, para que atinja a temperatura ideal de funcionamento e assim o ATF apresentar o seu nível real; Passar lentamente a alavanca selectora de velocidades por cada uma das posições, fazendo uma pausa de um ou dois segundos entre cada uma delas, para que todos os componentes da transmissão se encham de ATF e por fim por a alavanca na posição de estacionamento e puxar o travão de mão; Retirar a vareta medidora (cuja localização pode variar consoante o tipo de tracção), limpá-la com um pano limpo, absorvente e que não liberte fios, e inseri-la novamente no tubo de enchimento de ATF para então medir o seu nível, que deverá estar entre as marcas “MIN” e “MAX”. MIN. MAX. fig. 1.1 – medição do nível de ATF Trabalho elaborado por Isabel Braz 11-01 2010 Página 5
  • 6. Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão automática Nos veículos com tracção traseira – geralmente a vareta está localizada junto à parte de trás do compartimento do motor, do lado do passageiro. Nos veículos com tracção dianteira – geralmente a vareta está localizada do lado do motorista, num dos lados da transmissão. Usando sempre o ATF recomendado pelo fabricante, e caso seja necessário, adicionar mais fluído, ou se as características que este apresentar não forem as ideais (transparente, avermelhado, sem odor a queimado e bom índice de viscosidade), proceder à sua substituição. Em qualquer dos casos (nível baixo e características inadequadas de ATF), deverá fazer-se uma revisão a todo o sistema, pois tais sintomas, tal como já foi referido são sinónimo de avaria. 1.1.1 – Substituição do ATF e filtro da transmissão A frequência de substituição do fluído e do filtro principal da transmissão, é determinada pelo rigor da sua utilização. Para ajudar a prevenir avarias, podem ser necessárias substituições mais frequentes do que as recomendadas, quando as condições de utilização criarem altos níveis de contaminação, ou sobreaquecimento do fluído, essa frequência pode variar entre os 2 e os 4 anos ou os 40.000 e os 60.000Km. Para substituir o ATF e o filtro da transmissão deven-se seguir os seguintes passos: Drenar o fluído quando estiver à temperatura normal (71ºC/93ºC); Remover o bujão de drenagem do carter do óleo e drenar todo o fluído para um recipiente apropriado; Trabalho elaborado por Isabel Braz 11-01 2010 Página 6
  • 7. Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão automática Examinar o fluído quanto às suas características; Remover o filtro principal, girando-o em sentido contrário aos ponteiros do relógio e utilizando uma chave para filtros; Remover o magneto do tubo de fixação do filtro, limpar os detritos de metal que a ele tenham aderido e instalá-lo no filtro novo; Lubrificar o vedante do filtro com fluído de transmissão; Instalar o filtro, manualmente, rodando-o até que o vedante do filtro toque no compartimento do conversor; Após o contacto com o conversor, não rodar o filtro mais do que uma volta completa, caso contrário o filtro poderá ser danificado; Reinstalar e apertar o bujão de drenagem; Encher e drenar novamente a transmissão até que o fluído saia completamente limpo, para extrair o fluido velho existente no conversor e restantes circuitos; Após o enchimento, verificar o nível de fluído da transmissão seguindo os passos já referidos anteriormente. (as quantidades de fluído a utilizar variam entre transmissões, por isso à que seguir as instruções do fabricante). Fig. 1.1.1 – Localização do filtro principal da transmissão Trabalho elaborado por Isabel Braz 11-01 2010 Página 7
  • 8. Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão automática 1.2 – Limpeza e lubrificação de componetes e peças Antes de iniciar qualquer processo de limpeza e lubrificação de uma transmissão, devem ter-se sempre em conta os seguintes pontos: Se não for necessário desmontar completamente a transmissão, devem tapar-se os orifícios de saída dos semi eixos, para evitar que neles entrem quaisquer resíduos, durante a limpeza do resto dos componentes. Não devem lavar-se: Discos revestidos e componentes fixos – Uma vez que são compostos de matérias que se decompõem ao entrar em contacto com a água ou qualquer outro produto de limpeza, os discos revestidos e os componentes fixos de uma transmissão automática, não devem nunca ser lavados, pois isso levará à sua decomposição provocando assim a avaria de todo o sistema. A lavagem de componentes e peças de uma transmissão automática deve ser feita de forma cuidadosa, sem exercer força excessiva, no tanque de lavagem limpo, e com solvente não corrosivo e escova de limpeza de nylon não abrasiva. Após a lavagem, todos os componentes e peças devem ser limpos e secos com ar comprimido sem pressão excessiva. Caso seja necessário utilizar panos durante o processo de limpeza e secagem, estes devem ser de tecido apropriado e que não solte fios que possam aderir de forma desapercebida a qualquer peça. Para facilitar a continuação do trabalho e evitar posteriores erros de montagem, todo o processo de limpeza deve ser realizado de forma ordenada. Trabalho elaborado por Isabel Braz 11-01 2010 Página 8
  • 9. Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão automática 1.2.1 – Lubrificação da transmissão automática A lubrificação da transmissão automática, pode ser considerado o mais importante passo da sua manutenção, uma vez que é à base de óleo (ATF) que todo o sistema funciona. Antes da montagem de qualquer componente ou peça da transmissão automática, deve-se proceder à sua lubrificação, utilizando fluído de transmissão, no caso das luvas e discos, estes devem permanecer entre 15 minutos e duas horas mergulhados em ATF, até estarem bem impregnados de òleo. Os componentes dos eixos da transmissão, como os cardans devem ser lubrificados abundantemente com massa multifuncional. 1.3 – Verificação de folgas ou ruídos da transmissão A má lubrificação, ou a existência de folgas entre componentes e peças, são habitualmente a causa de ruídos estranhos provenientes de uma transmissão, e também a causa de graves avarias em todo o sistema. Assim, também faz parte da manutenção da transmissão automática, a verificação periódica de: Folgas nos eixos de entrada e saída da transmissão; Folgas nos conjuntos de embreagens; Ajuste de luvas ou cintas; Folgas e fugas nas bombas de óleo; Trabalho elaborado por Isabel Braz 11-01 2010 Página 9
  • 10. Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão automática Folgas e ruídos nas caixas de válvulas; Folgas e rigidez do cabo de ligação da transmissão; Aperto correcto de parafusos, etc. Sempre que se verificarem as referidas folgas ou ruídos, deve-se proceder à verificação da sua proveniência, e posterior rectficação, substituição ou reparação dos componentes ou peças afectadas. 2 – Reparação do sistema de transmissão automática À partida uma transmissão automática é concebida, para que com os devidos cuidados de manutenção e utilização, tenha o mesmo tempo de vida que a viatura na qual está instalada. No entanto, seja por má utilização do condutor, ou por falta de manutenção, caso surjam avarias e na ausência de um bom programa de diagnóstico e reparação de avarias (ex. Auto Data), antes de dar início a qualquer procedimento de remoção ou reparação da transmissão, e para evitar perdas de tempo e erradas remoções e reparações, devem-se sempre ter em conta os seguintes pontos: O TCM está correctamente ligado? Há códigos de diagnóstico activos no TCM? Todas as ligaçõs eléctricas estão feitas correctamente? O nível de fluído é o correcto? Existem sinais visíveis de fuga de fluído? Qual a sua origem? Existem fissuras visíveis nalgum dos componentes? O veio de transmissão está correctamente ligado? Trabalho elaborado por Isabel Braz 11-01 2010 Página 10
  • 11. Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão automática Após a verificação dos pontos anteriores, e se os problemas pesitirem, na seguinte tabela fica o exemplo de alguns dos mais frequentes problemas de uma transmissão automática, possível causa e sugestão para correcção ou reparação: Tabela de problemas, possível causa e sugestão para correcção ou reparação Problema Possível causa Sugestão para correcção ou reparação Lâmpada ou fusível A luz da trans. no painel não acende. Substituir a lâmpada ou o queimado. fusível. Cablagem de/para a lâmpada defeituosa. Substituir a cablagem. Instalar o aparelho de O TCM registou avaria/s. diagnóstico para determinar a/s avarias. A luz da trans. no painel não se apaga, ou pisca intermitentemente. Substituir ou ligar a cablagem Cablagem ou ligação da correctamente. luz incorrecta. A transmissão não muda O selector de mudanças para a marcha à frente, nem de velocidade não está a para a marcha atrás funcionar correctamente. (permanece em ponto morto). Trabalho elaborado por Isabel Braz Nível de fluído baixo. Substituir ou reparar o selector de mudanças de velocidade. Adicionar fluído até atingir o nível adequado. 11-01 2010 Página 11
  • 12. Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão automática A transmissão não efectua Folga excessiva da correctamente as mudanças embraiagem. Montar novamente a transmissão e ajustar as folgas. de velocidade (mudanças bruscas em velocidade Substituir o fluído e o filtro da muito alta, o muito baixa). Fluído deteriorado. Deslizamento excessivo e Nível de fluído incorrecto. Corrigir o nível de fluído. Leituras incorrectas do Substituir o sensor de sensor de velocidades. velocidades. transmissão. ruidoso da embreagem (patinagem). Fluído arejado/nível Sobreaquecimento em todas incorrecto de fluído. Corrigir o nível de fluído. as velocidades. Fluxo de ar para o Desobstruir o fluxo de ar do radiador obstruido. radiador. Nível de fluído baixo. Ruído intermitente ou Adicionar fluído até atingir o nível correcto. zumbido. Filtro de sucção entupido. Substituir o filtro de sucção. Vedantes defeituosos. Substituir os vedantes. Fugas no conversor de Substituir o conversor de binário. binário. Fuga de fluído nos veios de transmissão (entrada/saída). Trabalho elaborado por Isabel Braz 11-01 2010 Página 12
  • 13. Módulo U.12 – Diagnóstico e reparação de sistema de transmissão automática 3 – Conclusão Com a elaboração deste trabalho e depois de efectuar diversas pesquisas sobre a matéria nele referido, pode-se concluir que para que uma transmisão automática atinja tanta longevidade como o veículo em que se encontra instalada, mais importante que saber reparar as avarias que possam ocorrer, é saber fazer uma correcta manutenção. Geralmente quando ocorrem avarias num sistema tão complexo como sistema de transmissão automática, para que a reparação dessas avarias seja cem por cento eficaz, o mais recomendável é substituir todas as peças ou componentes afectados, levando por vezes a que o valor da reparação, supere o valor da própria viatura, fazendo com que não compense repará-la, por isso, para evitar a reparação é preferível investir na manutenção. 4 – Webbliografia http://www.volkspage.net/vwsantana/mecanica/automatico/index.htm http://www.brasilautomatico.com.br/si/site/0250 http://www.oficinabrasil.com.br/Tecnicas/Tecnica/parte-2-apresentacaodo-cambio-automatico-al4dp0-renault-peugeot-e-citroen.html http://www.scribd.com/doc/2867981/B-blia-do-Carro-erivanildothegenius-us http://www.alfatrans.com.br/afinal_oleo.htm http://www.allisontransmission.com/servlet/DownloadFile?Dir=publication s/pubs&FileToGet=MT3629PT.pdf http://www.sindirepa-sp.org.br/pdfs/encarte_janeiro08.pdf Trabalho elaborado por Isabel Braz 11-01 2010 Página 13