Sistema de Transmissão

3.895 visualizações

Publicada em

Surgimento, evolução, funcionamento, principais peças e tratamentos térmicos para formação das peças.

Publicada em: Indústria automotiva
  • Seja o primeiro a comentar

Sistema de Transmissão

  1. 1. SISTEMA DE TRANSMISSÃO ANDERSON CARNEIRO, RICARDO DOS SANTOS, FRANCISCO JOSÉ, MARCUS LUIS.
  2. 2. 1. INTRODUÇÃO 1.1 EVOLUÇÃO DAS TRANSMISSÕES  Surgimento  1895, irmãos Lanchester lançaram o eixo de transmissão.  Na mesma década, a caixa de engrenagens planetárias e a transmissão por eixo cardan.
  3. 3.  Anos mais tarde, a transmissão automática era lançada nos Estados Unidos por Sturtevant.  Muitos sistemas de transmissões foram desenvolvidos, ocasionando a mudança da posição dos motores. • Dianteira • Traseira
  4. 4. 2. FUNCIONAMENTO  O sistema de transmissão, tanto mecânica como automática, é composto por um conjunto de componentes com características de serem robustas e resistentes, afim de transmitirem toda a força e torque para as rodas motoras.  Vamos detalhar os principais componentes das transmissões mecânicas:  Embreagem; − Formada pelo volante do motor, disco, platô e rolamento. −A embreagem esta entre o motor e caixa de relação de velocidades.
  5. 5.  Eixo primário e secundário; − O eixo primário é uma árvore cheia de engrenagens de diferentes diâmetros que se relacionam com outro eixo, o secundário, onde é determinada a relação de saída para o diferencial.
  6. 6.  Manopla, alavanca e trambulador; −Aciona o mecanismo para se engatar determinada relação ou marcha a mesma é travada e a relação se estabelece. • Diferencial; −O diferencial é uma autopeça responsável pela divisão do torque entre os semi-eixos do carro, independentemente de suas velocidades de rotação.
  7. 7. 3. PROPRIEDADES 3.1 A necessidade de alterar as propriedades; ESPECTATIVA DOS CONSUMIDORES COMPETIÇÃO NO MERCADO REGULAMENTAÇÃO MUDANÇAS REDUÇÃO DE PESO DURABILIDAD E SEGURANÇA QUALIDADE PERCEBIDA ACÚSTICA
  8. 8.  Solicitações Adversas na Transmissão;  Altas cargas operacionais;  Exposição a ambientes extremos e corrosivos;  Altas cargas de impacto e de torque;  Alta temperatura;  Altos ruídos;  Alto desgaste;  Fadiga; EXEMPLO DE FADIGA EXEMPLO DE CORROSÃO
  9. 9.  Materiais constituintes;  80% dos materiais são fundidos − − Ferro fundido Alumínio
  10. 10.  Fundição;  Características − A elaboração de uma liga metálica no estado líquido. − Necessita de um molde para preencher com a liga.
  11. 11. 4. PROCESSOS UTILIZADOS NA FORMAÇÃO  Tenacidade, dureza superficial para resistência ao desgaste e uma boa resistência à fadiga enquanto operam em ambientes e corrosivos e de alta temperatura.  Os processos mais comuns utilizados no sistema de transmissão são de endurecimento por indução, de cementação a baixa pressão, de nitrocementação ferrítica, de carbonitretação. 4.1 Endurecimento por indução;  O endurecimento por indução é usado para aumentar as propriedades mecânicas de componentes ferrosos em uma área específica.  Os principais benefícios: − São aprimoramentos na força, na resistência contra
  12. 12.  Aplicações e Materiais: − As aplicações mais comuns de endurecimento por indução incluem engrenagens, eixos, ressaltos de cames, estampagens e fusos e na maioria das peças simétricas.
  13. 13.  Processos: − Os componentes são aquecidos por meio de um campo magnético alternante até uma temperatura dentro ou acima da faixa de transformação, seguidos por uma têmpera imediata. − O processo de endurecimento por indução é um processo usado para o endurecimento da superfície de aço e outros componentes de liga metálica.
  14. 14. 4.2 Cementação por baixa pressão;  É um processo de endurecimento de camada é realizado em um forno a vácuo utilizando gases hidrocarbonetos a pressão muito baixa e a temperaturas elevadas para a obtenção de uma camada superficial endurecida de martensita revenida e de um interior rígido.  Benefícios: − A relação entre o afastamento e a origem da camada cementada (espessura da camada). − Alta dureza abaixo da superfície comparado a peças convencionalmente cementadas. − Redução das alterações dimensionais pela transferência de calor independente da temperatura durante a têmpera gasosa sob alta pressão. − Melhoria das propriedades mecânicas - eliminação de camadas de oxidação intergranular e melhoria das
  15. 15.  Aplicações: − As aplicações mais comuns da Cementação por baixa pressão incluem engrenagens, hastes, eixos, bicos, injetores, fusos e etc.
  16. 16. 4.3 Nitretação Ferrítica;  É um processo termoquímico de tratamento de superfícies que envolve a difusão de nitrogênio.  Benefícios − Melhorias significantes nas propriedades de fadiga, resistência ao desgaste corrosivo e nas propriedades anti-corrosivas.  Aplicações − Engrenagens, espaçadores do balancim, blocos do cilindro e bicos de jateamento e de bombas.
  17. 17. 4.4 Carbonitretação;  É um processo de endurecimento de camada austenítico com a adição de carbono e nitrogênio.  Benefícios − Produz uma superfície rígida e resistente ao desgaste, reduz o. risco de rachaduras.  Aplicações − Engrenagens e eixos, pistões, rolamentos e mancais, alavancas de sistemas acionados mecânica, pneumática e hidraulicamente.
  18. 18. OBRIGADO PELA ATENÇÃO!

×