SlideShare uma empresa Scribd logo
U. 22 – Diagnóstico e reparação em sistemas de ignição em
injecção electrónica de motores a gasolina
SISTEMA MONO-JETRONIC

ÍNDICE

0 – Introdução ………………………………………pág. 1
1 – Construção………………………………………pág. 2
2 – Funcionamento………………………………….pág. 2
3 – Componentes e seu funcionamento………...pág. 2
4 – Diagnóstico e reparação de avarias…………pág. 6
6 – Bibliografia ………………………………………pág. 8

0 – Introdução

De entre os vários sistemas essenciais para o bom funcionamento
de um veículo automóvel, encontra-se o sistema de injecção, que é
dos mais indispensáveis para qualquer veículo automóvel.
Actualmente existem diversos sistemas de injecção, na sua
maioria electrónicos, ou com ajuda electrónica, um desses sistemas
é o SISTEMA MONO-JETRONIC.

Fig. 1 – Torre de injecção e colector de admissão do Sistema Mono-Jetronic

Trabalho elaborado por Isabel Braz

14-05-2010

Página 1
U. 22 – Diagnóstico e reparação em sistemas de ignição em
injecção electrónica de motores a gasolina
1 – Construção
Tal como se pode ver na figura 1, na sua construção o sistema Mono-Jetronic
é aparentemente semelhante a um carburador e encontra-se montado numa
posição central por cima do colector de admissão.
Ao contrário de um sistema multi-ponto, que possui um injector para cada
cilindro do motor, o sistema Mono-Jectrónic possui um único injector para todos
os cilindros, injectando o combustível para um colector que se divide em tantos
colectores, como cilindros possui o motor.

2 – Funcionamento
Sendo um dos mais simples, o sistema Mono-Jetronic aspira o combustível do
depósito através da bomba eléctrica de combustível e fazendo-o passar pelo
filtro de combustível, bombeia-o para a sua única válvula de injecção, ou
injector, mantendo-o continuamente com a mesma pressão, através do
regulador de pressão.
A válvula de injecção vai pulverizar o combustível de forma uniforme para a
borboleta do acelerador e esta por sua vez a introduzir no colector de admissão
que leva aos cilindros.

3 – Componentes e seu funcionamento
Os componentes do sistema Mono-Jetronic são os seguintes:
U.E.C;
Válvula de injecção (ou injector);
Bomba eléctrica de combustível;
Acumulador da bomba de combustível;
Filtro de combustível;
Regulador de pressão;
Borboleta do acelerador;
Potenciómetro da borboleta do acelerador;
Controlador do ralenti;
Sensor de temperatura do ar;
Sensor de temperatura do liquido refrigerante;
Sonda Lambda;
Colector de admissão;
Depósito de combustível
Trabalho elaborado por Isabel Braz

14-05-2010

Página 2
U. 22 – Diagnóstico e reparação em sistemas de ignição em
injecção electrónica de motores a gasolina
U.E.C

Sendo uma Unidade Electrónica de Comando totalmente digital, a U.E.C. do
sistema Mono-Jectrónic funciona através dos sinais de entrada, ou
informações, que recebe de vários sensores que depois de serem processados
pelo microprocessador (CPU), são transformados em sinais de saída, ou
instruções, para os actuadores e assim controlar o funcionamento de todo o
sistema, desde a posição da borboleta, ao tempo de abertura do injector, etc.

Válvula de injecção (ou injector)

A válvula de injecção ou injector, funciona através de uma bobina
electromagnética que recebe instruções da UEC e injecta o combustível de
forma intermitente para a borboleta do acelerador.

Bomba eléctrica de combustível

A bomba eléctrica de combustível ou bomba de alimentação, pode estar
montada dentro ou fora do depósito de combustível e tem a função de aspirar o
combustível do depósito e bombeá-lo até à válvula de injecção.

Acumulador da bomba de combustível

O acumulador da bomba de combustível, tal como o próprio nome indica,
serve para acumular o combustível enviado pela bomba de alimentação e
assegurar a pressão deste em caso de paragem do motor, garantindo assim
que todo o sistema esteja continuamente atestado (ferrado).

Trabalho elaborado por Isabel Braz

14-05-2010

Página 3
U. 22 – Diagnóstico e reparação em sistemas de ignição em
injecção electrónica de motores a gasolina
Filtro de combustível

O filtro de combustível, que possui um elemento de papel filtrante, tem a
função de absorver e reter as impurezas do combustível e assim impedir a sua
passagem para o circuito de alimentação.

Regulador de pressão

Geralmente montado na torre de injecção, o regulador de pressão tem a
função de regular a pressão de combustível admitida pelo injector (1,0 bar) e
quando o combustível atinge essa pressão, abre a válvula de retorno que faz
com que o excesso de combustível regresse ao depósito, mantendo assim
sempre a pressão ideal de funcionamento do sistema.

Borboleta do acelerador

Situada na torre de injecção, é accionada pelo pedal do acelerador e tem a
função de regular admissão de ar, para que a relação ar/combustível seja a
ideal em todos os regimes de rotação do motor.

Potenciómetro da borboleta do acelerador

Instalado na parte lateral da torre de injecção, o potenciómetro da borboleta
do acelerador é o responsável pela leitura da posição angular da borboleta do
acelerador e em forma de sinal eléctrico envia-a à ECU, que vai determinar o
tempo ideal de injecção e as condições ideais da mistura de combustível.

Trabalho elaborado por Isabel Braz

14-05-2010

Página 4
U. 22 – Diagnóstico e reparação em sistemas de ignição em
injecção electrónica de motores a gasolina
Controlador do ralenti

O controlador do ralenti, é o actuador que tal como o nome indica, controla a
posição da borboleta do acelerador.
Este actuador activa o corte de injecção de combustível quando se dá a
aceleração e o estabilizador do ralenti, faz também a gestão do avanço ou
atraso do sistema de ignição.

Sensor de temperatura do ar

Instalado geralmente junto ao injector, na parte superior da torre de injecção,
tem como função corrigir o tempo de injecção, em função da temperatura do ar.
Funciona com uma resistência NTC que reage a temperaturas negativas (40ºc), e informa a UCE da necessidade de injectar maior quantidade de
combustível para manter a relação ar/combustível.

Sensor de temperatura do liquido refrigerante

Montado no bloco do motor e em contacto directo com a água do circuito de
refrigeração, o sensor de temperatura do líquido refrigerante é responsável
pelo regime de ralenti durante a fase de aquecimento do motor, através do
envio para a ECU de sinais, segundo os quais esta vai determinar o tempo de
injecção durante as fases de arranque, pós-arranque e aquecimento do motor.

Sonda Lambda

Geralmente instalada no centro do tubo de escape, a sonda Lambda analisa
os gases de escape e actua em função da diferença de oxigénio nos gases
residuais de escape e a atmosfera exterior do veículo programada na ECU.
Se os valores de CO diferirem dos estipulados, a sonda lambda envia um
sinal eléctrico à ECU que vai definir o volume de combustível a ser injectado
pela válvula de injecção.
Trabalho elaborado por Isabel Braz

14-05-2010

Página 5
U. 22 – Diagnóstico e reparação em sistemas de ignição em
injecção electrónica de motores a gasolina
Colector de admissão

O colector de admissão, é o conjunto de tubagens que tem como função
admitir e enviar de forma uniforme a mistura de ar e combustível aos cilindros.

Depósito de combustível

O depósito de combustível, recipiente de baixa pressão que armazena e
garante o abastecimento de combustível da viatura e do sistema de injecção.

4 – Diagnóstico de avarias, sintomas e sua reparação

Através da correcta utilização de um aparelho de diagnóstico como o “Auto
Data”, podemos não só proceder ao diagnóstico de avarias de todo o sistema,
como também podemos obter as indicações necessárias para a sua reparação.

Contudo, na seguinte tabela ficam exemplificadas algumas das mais
frequentes avarias, sintomas e possíveis reparações de um sistema de
injecção electrónica monoponto.

Trabalho elaborado por Isabel Braz

14-05-2010

Página 6
U. 22 – Diagnóstico e reparação em sistemas de ignição em
injecção electrónica de motores a gasolina

Tabela de diagnóstico e reparação de avarias em sistemas
de injecção electrónica Mono-Jetronic (monoponto)
Sintomas

Avarias

Reparação
Verificar se o depósito tem gasolina;
Verificar a existência de fugas na
bomba de combustível e injector;

O motor não pega

Fuga de combustível

Verificar a existência de fugas ou
estrangulamento nas tubagens;
Proceder à reparação ou substituição
dos componentes nos quais se registem
fugas ou estrangulamento.

Funcionamento
irregular do motor

Válvula injectora de
combustível (injector),
obstruída

Desmontar o injector e verificar se o
bico do injector está obstruído;

Desmontar e verificar se a sonda
lambda está em bom estado e a
funcionar correctamente, caso contrário
troca-se a sonda lambda por uma nova;
-Sonda lambda

Ralenti irregular

- Sensor de
temperatura do ar
- Sensor de
temperatura da água

Falha do motor a alta
rotação

Baixa pressão no
regulador de pressão
de combustível

Trabalho elaborado por Isabel Braz

Desmontar e verificar o sensor fazendo
o teste de continuidade medindo a sua
resistência, se estiver em mau estado
deve-se trocar por um sensor novo;
Desmontar e verificar o sensor da
temperatura da água fazendo o teste de
continuidade do sensor num recipiente
com água aquecida até a sua
temperatura normal se funcionamento.

Desmontar e verificar o regulador de
pressão se está em bom estado e a
funcionar correctamente, se estiver em
mau estado deve-se trocar por um
novo.

14-05-2010

Página 7
U. 22 – Diagnóstico e reparação em sistemas de ignição em
injecção electrónica de motores a gasolina
Bibliografia

Para a elaboração deste trabalho, para além da consulta de
manuais CEPRA, foram também consultados os seguintes
documentos:

 http://www.ds.ind.br/pdf/infoTecnico.pdf


http://www.fiepr.org.br/sindicatos/sindirepa/uploadAddress/Mat
erial_de_Apoio_21_10Injecao_Eletronica2%5B59894%5D%5B9762%5D.pdf

 http://www.google.com/url?sa=t&source=web&ct=res&cd=5&v
ed=0CCYQFjAE&url=http%3A%2F%2Fwww.vwpointer.com.ar%2Fgaleria%2Fpointer%2Fdownload.php%3Fi
mage_id%3D67%26sessionid%3De144a419bfc25b6b6c71eb
22c6802d57&rct=j&q=funcionamento+da+borboleta+do+acele
rador+no+sistema+monoponto&ei=1Q7tS5S2K8jCQaz15SzBA&usg=AFQjCNH0455BeBH3aGy7muf7eiQDkqAs
3g

Trabalho elaborado por Isabel Braz

14-05-2010

Página 8

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Manual de servico dafra next 250 rev.0021052012160147
Manual de servico dafra next 250 rev.0021052012160147Manual de servico dafra next 250 rev.0021052012160147
Manual de servico dafra next 250 rev.0021052012160147
RandoufoProcopio
 
Mte mini catalogo injeçao
Mte mini catalogo injeçaoMte mini catalogo injeçao
Mte mini catalogo injeçao
Roberto Douglas
 
Manual de serviço da yamaha ybr 125cc
Manual de serviço da yamaha ybr 125ccManual de serviço da yamaha ybr 125cc
Manual de serviço da yamaha ybr 125cc
williammagalhaes
 
Manual de diagnosticoacteon
Manual de diagnosticoacteonManual de diagnosticoacteon
Manual de diagnosticoacteon
Geraldo Sebastian
 
Mecânica
MecânicaMecânica
Iveco euro 3 bosch ms6
Iveco euro 3 bosch ms6Iveco euro 3 bosch ms6
Iveco euro 3 bosch ms6
Geraldo Sebastian
 
Manual serviço yamaha xt 600 e
Manual serviço yamaha xt 600 eManual serviço yamaha xt 600 e
Manual serviço yamaha xt 600 e
Thiago Huari
 
Manual Volvo
Manual VolvoManual Volvo
Manual Volvo
Geraldo Sebastian
 
Codigos falha vw constelation
Codigos falha vw constelationCodigos falha vw constelation
Codigos falha vw constelation
Geraldo Sebastian
 
3.0 denso i art-euro 6_2013 a 2015
3.0 denso i art-euro 6_2013 a 20153.0 denso i art-euro 6_2013 a 2015
3.0 denso i art-euro 6_2013 a 2015
Geraldo Sebastian
 
188051609 manual-tecnico-motor-scania
188051609 manual-tecnico-motor-scania188051609 manual-tecnico-motor-scania
188051609 manual-tecnico-motor-scania
deltatecnologia
 
Motor Scania Dc 12
Motor Scania Dc 12 Motor Scania Dc 12
Motor Scania Dc 12
Luiz Antonio da Silva
 
Eletricidade automotiva i
Eletricidade automotiva iEletricidade automotiva i
Eletricidade automotiva i
Ramires Nascimento
 
SENSORES E ATUADORES PEUGEOT CITROEN .pdf
SENSORES E ATUADORES PEUGEOT CITROEN .pdfSENSORES E ATUADORES PEUGEOT CITROEN .pdf
SENSORES E ATUADORES PEUGEOT CITROEN .pdf
AlejandroMec
 
306337501 diagrama-eletrico-amarok-motor
306337501 diagrama-eletrico-amarok-motor306337501 diagrama-eletrico-amarok-motor
306337501 diagrama-eletrico-amarok-motor
noturno_noturno
 
gerenciamento-motor-327-apostila-novo-uno
gerenciamento-motor-327-apostila-novo-unogerenciamento-motor-327-apostila-novo-uno
gerenciamento-motor-327-apostila-novo-uno
Ricardo Akerman
 
Motor Scania DC 9
Motor Scania DC 9 Motor Scania DC 9
Motor Scania DC 9
Luiz Antonio da Silva
 
Apostila arquivo carro pinagem nacional
Apostila arquivo carro pinagem nacionalApostila arquivo carro pinagem nacional
Apostila arquivo carro pinagem nacional
LucianoFreitas58
 
Motores
MotoresMotores
Motores
brenohsouza
 
Manual de manutenção de caminhões eletrônicos
Manual de manutenção de caminhões eletrônicosManual de manutenção de caminhões eletrônicos
Manual de manutenção de caminhões eletrônicos
Marcelo Auler
 

Mais procurados (20)

Manual de servico dafra next 250 rev.0021052012160147
Manual de servico dafra next 250 rev.0021052012160147Manual de servico dafra next 250 rev.0021052012160147
Manual de servico dafra next 250 rev.0021052012160147
 
Mte mini catalogo injeçao
Mte mini catalogo injeçaoMte mini catalogo injeçao
Mte mini catalogo injeçao
 
Manual de serviço da yamaha ybr 125cc
Manual de serviço da yamaha ybr 125ccManual de serviço da yamaha ybr 125cc
Manual de serviço da yamaha ybr 125cc
 
Manual de diagnosticoacteon
Manual de diagnosticoacteonManual de diagnosticoacteon
Manual de diagnosticoacteon
 
Mecânica
MecânicaMecânica
Mecânica
 
Iveco euro 3 bosch ms6
Iveco euro 3 bosch ms6Iveco euro 3 bosch ms6
Iveco euro 3 bosch ms6
 
Manual serviço yamaha xt 600 e
Manual serviço yamaha xt 600 eManual serviço yamaha xt 600 e
Manual serviço yamaha xt 600 e
 
Manual Volvo
Manual VolvoManual Volvo
Manual Volvo
 
Codigos falha vw constelation
Codigos falha vw constelationCodigos falha vw constelation
Codigos falha vw constelation
 
3.0 denso i art-euro 6_2013 a 2015
3.0 denso i art-euro 6_2013 a 20153.0 denso i art-euro 6_2013 a 2015
3.0 denso i art-euro 6_2013 a 2015
 
188051609 manual-tecnico-motor-scania
188051609 manual-tecnico-motor-scania188051609 manual-tecnico-motor-scania
188051609 manual-tecnico-motor-scania
 
Motor Scania Dc 12
Motor Scania Dc 12 Motor Scania Dc 12
Motor Scania Dc 12
 
Eletricidade automotiva i
Eletricidade automotiva iEletricidade automotiva i
Eletricidade automotiva i
 
SENSORES E ATUADORES PEUGEOT CITROEN .pdf
SENSORES E ATUADORES PEUGEOT CITROEN .pdfSENSORES E ATUADORES PEUGEOT CITROEN .pdf
SENSORES E ATUADORES PEUGEOT CITROEN .pdf
 
306337501 diagrama-eletrico-amarok-motor
306337501 diagrama-eletrico-amarok-motor306337501 diagrama-eletrico-amarok-motor
306337501 diagrama-eletrico-amarok-motor
 
gerenciamento-motor-327-apostila-novo-uno
gerenciamento-motor-327-apostila-novo-unogerenciamento-motor-327-apostila-novo-uno
gerenciamento-motor-327-apostila-novo-uno
 
Motor Scania DC 9
Motor Scania DC 9 Motor Scania DC 9
Motor Scania DC 9
 
Apostila arquivo carro pinagem nacional
Apostila arquivo carro pinagem nacionalApostila arquivo carro pinagem nacional
Apostila arquivo carro pinagem nacional
 
Motores
MotoresMotores
Motores
 
Manual de manutenção de caminhões eletrônicos
Manual de manutenção de caminhões eletrônicosManual de manutenção de caminhões eletrônicos
Manual de manutenção de caminhões eletrônicos
 

Destaque

Mecatrónica Automóvel - Sistemas de climatização
Mecatrónica Automóvel - Sistemas de climatizaçãoMecatrónica Automóvel - Sistemas de climatização
Mecatrónica Automóvel - Sistemas de climatização
I.Braz Slideshares
 
A bíblia do carro
A bíblia do carroA bíblia do carro
A bíblia do carro
Wyrison Freitas
 
Mecatrónica Automóvel - Manutenção e reparação do sistema de transmissão auto...
Mecatrónica Automóvel - Manutenção e reparação do sistema de transmissão auto...Mecatrónica Automóvel - Manutenção e reparação do sistema de transmissão auto...
Mecatrónica Automóvel - Manutenção e reparação do sistema de transmissão auto...
I.Braz Slideshares
 
S.T.C. 7 - Remodelação e gestão de espaços
S.T.C. 7 - Remodelação e gestão de espaçosS.T.C. 7 - Remodelação e gestão de espaços
S.T.C. 7 - Remodelação e gestão de espaços
I.Braz Slideshares
 
Apoio domiciliário e abrigos-residências para idosos
Apoio domiciliário e abrigos-residências para idososApoio domiciliário e abrigos-residências para idosos
Apoio domiciliário e abrigos-residências para idosos
I.Braz Slideshares
 
Reflexão sobre a reportagem orfãos da idade
Reflexão sobre a reportagem orfãos da idadeReflexão sobre a reportagem orfãos da idade
Reflexão sobre a reportagem orfãos da idade
I.Braz Slideshares
 
C.L.C. 7 - Memórias...
C.L.C. 7 -  Memórias...C.L.C. 7 -  Memórias...
C.L.C. 7 - Memórias...
I.Braz Slideshares
 
Breve análise do documentário “China Blue”
Breve análise do documentário “China Blue”Breve análise do documentário “China Blue”
Breve análise do documentário “China Blue”
I.Braz Slideshares
 
C.L.C. 5 - Reflexão crítica sobre o computador
C.L.C. 5 - Reflexão crítica sobre o computadorC.L.C. 5 - Reflexão crítica sobre o computador
C.L.C. 5 - Reflexão crítica sobre o computador
I.Braz Slideshares
 
sistemas de injeccao diesel
sistemas de injeccao dieselsistemas de injeccao diesel
sistemas de injeccao diesel
Pedro Romeiro
 
C.L.C. 6 Imigração em Portugal
C.L.C.  6   Imigração em PortugalC.L.C.  6   Imigração em Portugal
C.L.C. 6 Imigração em Portugal
I.Braz Slideshares
 
C.L.C. 5 - Telemóveis
C.L.C. 5 - TelemóveisC.L.C. 5 - Telemóveis
C.L.C. 5 - Telemóveis
I.Braz Slideshares
 
Desnutrição
DesnutriçãoDesnutrição
Desnutrição
I.Braz Slideshares
 
Qualidade, conceitos e definições
Qualidade, conceitos e definiçõesQualidade, conceitos e definições
Qualidade, conceitos e definições
I.Braz Slideshares
 
C.P. 1 - Direitos Liberdades e Garantias dos Trabalhadores
C.P. 1 - Direitos  Liberdades e Garantias dos Trabalhadores C.P. 1 - Direitos  Liberdades e Garantias dos Trabalhadores
C.P. 1 - Direitos Liberdades e Garantias dos Trabalhadores
I.Braz Slideshares
 
S.T.C. 7 - Todos diferentes/Todos iguais
S.T.C. 7 - Todos diferentes/Todos iguaisS.T.C. 7 - Todos diferentes/Todos iguais
S.T.C. 7 - Todos diferentes/Todos iguais
I.Braz Slideshares
 
Exemplo de uma Reclamação
Exemplo de uma ReclamaçãoExemplo de uma Reclamação
Exemplo de uma Reclamação
I.Braz Slideshares
 
A Bíblia do Carro
A Bíblia do CarroA Bíblia do Carro
A Bíblia do Carro
Rodrigo Meireles
 
Resumo dos sistemas de monitorizaçao e injecçao zero
Resumo dos sistemas de monitorizaçao e injecçao zeroResumo dos sistemas de monitorizaçao e injecçao zero
Resumo dos sistemas de monitorizaçao e injecçao zero
Krannich Solar Portugal
 
C.L.C. 7 - Hábitos culturais regionais
C.L.C. 7  - Hábitos culturais regionaisC.L.C. 7  - Hábitos culturais regionais
C.L.C. 7 - Hábitos culturais regionais
I.Braz Slideshares
 

Destaque (20)

Mecatrónica Automóvel - Sistemas de climatização
Mecatrónica Automóvel - Sistemas de climatizaçãoMecatrónica Automóvel - Sistemas de climatização
Mecatrónica Automóvel - Sistemas de climatização
 
A bíblia do carro
A bíblia do carroA bíblia do carro
A bíblia do carro
 
Mecatrónica Automóvel - Manutenção e reparação do sistema de transmissão auto...
Mecatrónica Automóvel - Manutenção e reparação do sistema de transmissão auto...Mecatrónica Automóvel - Manutenção e reparação do sistema de transmissão auto...
Mecatrónica Automóvel - Manutenção e reparação do sistema de transmissão auto...
 
S.T.C. 7 - Remodelação e gestão de espaços
S.T.C. 7 - Remodelação e gestão de espaçosS.T.C. 7 - Remodelação e gestão de espaços
S.T.C. 7 - Remodelação e gestão de espaços
 
Apoio domiciliário e abrigos-residências para idosos
Apoio domiciliário e abrigos-residências para idososApoio domiciliário e abrigos-residências para idosos
Apoio domiciliário e abrigos-residências para idosos
 
Reflexão sobre a reportagem orfãos da idade
Reflexão sobre a reportagem orfãos da idadeReflexão sobre a reportagem orfãos da idade
Reflexão sobre a reportagem orfãos da idade
 
C.L.C. 7 - Memórias...
C.L.C. 7 -  Memórias...C.L.C. 7 -  Memórias...
C.L.C. 7 - Memórias...
 
Breve análise do documentário “China Blue”
Breve análise do documentário “China Blue”Breve análise do documentário “China Blue”
Breve análise do documentário “China Blue”
 
C.L.C. 5 - Reflexão crítica sobre o computador
C.L.C. 5 - Reflexão crítica sobre o computadorC.L.C. 5 - Reflexão crítica sobre o computador
C.L.C. 5 - Reflexão crítica sobre o computador
 
sistemas de injeccao diesel
sistemas de injeccao dieselsistemas de injeccao diesel
sistemas de injeccao diesel
 
C.L.C. 6 Imigração em Portugal
C.L.C.  6   Imigração em PortugalC.L.C.  6   Imigração em Portugal
C.L.C. 6 Imigração em Portugal
 
C.L.C. 5 - Telemóveis
C.L.C. 5 - TelemóveisC.L.C. 5 - Telemóveis
C.L.C. 5 - Telemóveis
 
Desnutrição
DesnutriçãoDesnutrição
Desnutrição
 
Qualidade, conceitos e definições
Qualidade, conceitos e definiçõesQualidade, conceitos e definições
Qualidade, conceitos e definições
 
C.P. 1 - Direitos Liberdades e Garantias dos Trabalhadores
C.P. 1 - Direitos  Liberdades e Garantias dos Trabalhadores C.P. 1 - Direitos  Liberdades e Garantias dos Trabalhadores
C.P. 1 - Direitos Liberdades e Garantias dos Trabalhadores
 
S.T.C. 7 - Todos diferentes/Todos iguais
S.T.C. 7 - Todos diferentes/Todos iguaisS.T.C. 7 - Todos diferentes/Todos iguais
S.T.C. 7 - Todos diferentes/Todos iguais
 
Exemplo de uma Reclamação
Exemplo de uma ReclamaçãoExemplo de uma Reclamação
Exemplo de uma Reclamação
 
A Bíblia do Carro
A Bíblia do CarroA Bíblia do Carro
A Bíblia do Carro
 
Resumo dos sistemas de monitorizaçao e injecçao zero
Resumo dos sistemas de monitorizaçao e injecçao zeroResumo dos sistemas de monitorizaçao e injecçao zero
Resumo dos sistemas de monitorizaçao e injecçao zero
 
C.L.C. 7 - Hábitos culturais regionais
C.L.C. 7  - Hábitos culturais regionaisC.L.C. 7  - Hábitos culturais regionais
C.L.C. 7 - Hábitos culturais regionais
 

Semelhante a Mecatrónica Automóvel - Sistema Mono-Jectrónic

Sistema de Injeção
Sistema de InjeçãoSistema de Injeção
Sistema de Injeção
Hallan Graciano
 
Mi 2
Mi 2Mi 2
Mi 2
Mi 2Mi 2
Apresentação 03 model atis.pptx
Apresentação 03 model atis.pptxApresentação 03 model atis.pptx
Apresentação 03 model atis.pptx
AtisEAD
 
Apostila de Injeção Eletrônica 2.pdf
Apostila de Injeção Eletrônica 2.pdfApostila de Injeção Eletrônica 2.pdf
Apostila de Injeção Eletrônica 2.pdf
italomartins32
 
9113023 curso-de-inje-o-eletronica
9113023 curso-de-inje-o-eletronica9113023 curso-de-inje-o-eletronica
9113023 curso-de-inje-o-eletronica
Italo Fonseca
 
04 instrumentos do motor
04 instrumentos do motor04 instrumentos do motor
04 instrumentos do motor
Evanildo Leal
 
Catalogo thomson-test-moto2
Catalogo thomson-test-moto2Catalogo thomson-test-moto2
Catalogo thomson-test-moto2
hayabusabr
 
Texte injeção omega 41
Texte injeção omega 41Texte injeção omega 41
Texte injeção omega 41
José Silva
 
Fire
FireFire
Sitema de inyeccion magneti marelli
Sitema de inyeccion magneti marelliSitema de inyeccion magneti marelli
Sitema de inyeccion magneti marelli
gujasa
 
Autos - GNV - 59-pratico.pdf
Autos - GNV - 59-pratico.pdfAutos - GNV - 59-pratico.pdf
Autos - GNV - 59-pratico.pdf
BendliveLumorady
 
DS 2012
DS 2012DS 2012
DS 2012
mapple2012
 
01 m
01 m01 m
55752255 esquema-da-injecao-fiat-g6g7
55752255 esquema-da-injecao-fiat-g6g755752255 esquema-da-injecao-fiat-g6g7
55752255 esquema-da-injecao-fiat-g6g7
Lorrayne Fernandes
 
MÓDULOS INJEÇÃO ELETRÔNICA E CHAVES CODIFICADAS ...
MÓDULOS INJEÇÃO ELETRÔNICA  E CHAVES CODIFICADAS                             ...MÓDULOS INJEÇÃO ELETRÔNICA  E CHAVES CODIFICADAS                             ...
MÓDULOS INJEÇÃO ELETRÔNICA E CHAVES CODIFICADAS ...
VASCOIA
 
CHAVES CODIFICAS E MÓDULOS INJEÇÃO ELETRÔNICA Rty4565rtey65fgjg6fhj9ytu8rt6...
CHAVES CODIFICAS E MÓDULOS INJEÇÃO ELETRÔNICA   Rty4565rtey65fgjg6fhj9ytu8rt6...CHAVES CODIFICAS E MÓDULOS INJEÇÃO ELETRÔNICA   Rty4565rtey65fgjg6fhj9ytu8rt6...
CHAVES CODIFICAS E MÓDULOS INJEÇÃO ELETRÔNICA Rty4565rtey65fgjg6fhj9ytu8rt6...
lucianoesdras
 
10 - GROUND SCHOOL AW-139 MOTOR.pptx
10 - GROUND SCHOOL AW-139 MOTOR.pptx10 - GROUND SCHOOL AW-139 MOTOR.pptx
10 - GROUND SCHOOL AW-139 MOTOR.pptx
AtisEAD
 
gerenciamento-motor-mecanica-327-fiat-fiori-poli
gerenciamento-motor-mecanica-327-fiat-fiori-poligerenciamento-motor-mecanica-327-fiat-fiori-poli
gerenciamento-motor-mecanica-327-fiat-fiori-poli
Ricardo Akerman
 
Diagnóstico e falhas em injeção eletrônica parte 3
Diagnóstico e falhas em injeção eletrônica parte 3Diagnóstico e falhas em injeção eletrônica parte 3
Diagnóstico e falhas em injeção eletrônica parte 3
Elizeu Paulino
 

Semelhante a Mecatrónica Automóvel - Sistema Mono-Jectrónic (20)

Sistema de Injeção
Sistema de InjeçãoSistema de Injeção
Sistema de Injeção
 
Mi 2
Mi 2Mi 2
Mi 2
 
Mi 2
Mi 2Mi 2
Mi 2
 
Apresentação 03 model atis.pptx
Apresentação 03 model atis.pptxApresentação 03 model atis.pptx
Apresentação 03 model atis.pptx
 
Apostila de Injeção Eletrônica 2.pdf
Apostila de Injeção Eletrônica 2.pdfApostila de Injeção Eletrônica 2.pdf
Apostila de Injeção Eletrônica 2.pdf
 
9113023 curso-de-inje-o-eletronica
9113023 curso-de-inje-o-eletronica9113023 curso-de-inje-o-eletronica
9113023 curso-de-inje-o-eletronica
 
04 instrumentos do motor
04 instrumentos do motor04 instrumentos do motor
04 instrumentos do motor
 
Catalogo thomson-test-moto2
Catalogo thomson-test-moto2Catalogo thomson-test-moto2
Catalogo thomson-test-moto2
 
Texte injeção omega 41
Texte injeção omega 41Texte injeção omega 41
Texte injeção omega 41
 
Fire
FireFire
Fire
 
Sitema de inyeccion magneti marelli
Sitema de inyeccion magneti marelliSitema de inyeccion magneti marelli
Sitema de inyeccion magneti marelli
 
Autos - GNV - 59-pratico.pdf
Autos - GNV - 59-pratico.pdfAutos - GNV - 59-pratico.pdf
Autos - GNV - 59-pratico.pdf
 
DS 2012
DS 2012DS 2012
DS 2012
 
01 m
01 m01 m
01 m
 
55752255 esquema-da-injecao-fiat-g6g7
55752255 esquema-da-injecao-fiat-g6g755752255 esquema-da-injecao-fiat-g6g7
55752255 esquema-da-injecao-fiat-g6g7
 
MÓDULOS INJEÇÃO ELETRÔNICA E CHAVES CODIFICADAS ...
MÓDULOS INJEÇÃO ELETRÔNICA  E CHAVES CODIFICADAS                             ...MÓDULOS INJEÇÃO ELETRÔNICA  E CHAVES CODIFICADAS                             ...
MÓDULOS INJEÇÃO ELETRÔNICA E CHAVES CODIFICADAS ...
 
CHAVES CODIFICAS E MÓDULOS INJEÇÃO ELETRÔNICA Rty4565rtey65fgjg6fhj9ytu8rt6...
CHAVES CODIFICAS E MÓDULOS INJEÇÃO ELETRÔNICA   Rty4565rtey65fgjg6fhj9ytu8rt6...CHAVES CODIFICAS E MÓDULOS INJEÇÃO ELETRÔNICA   Rty4565rtey65fgjg6fhj9ytu8rt6...
CHAVES CODIFICAS E MÓDULOS INJEÇÃO ELETRÔNICA Rty4565rtey65fgjg6fhj9ytu8rt6...
 
10 - GROUND SCHOOL AW-139 MOTOR.pptx
10 - GROUND SCHOOL AW-139 MOTOR.pptx10 - GROUND SCHOOL AW-139 MOTOR.pptx
10 - GROUND SCHOOL AW-139 MOTOR.pptx
 
gerenciamento-motor-mecanica-327-fiat-fiori-poli
gerenciamento-motor-mecanica-327-fiat-fiori-poligerenciamento-motor-mecanica-327-fiat-fiori-poli
gerenciamento-motor-mecanica-327-fiat-fiori-poli
 
Diagnóstico e falhas em injeção eletrônica parte 3
Diagnóstico e falhas em injeção eletrônica parte 3Diagnóstico e falhas em injeção eletrônica parte 3
Diagnóstico e falhas em injeção eletrônica parte 3
 

Mais de I.Braz Slideshares

Tarefas e funções do Técnico Auxiliar de Saúde no Bloco Operatório e no Servi...
Tarefas e funções do Técnico Auxiliar de Saúde no Bloco Operatório e no Servi...Tarefas e funções do Técnico Auxiliar de Saúde no Bloco Operatório e no Servi...
Tarefas e funções do Técnico Auxiliar de Saúde no Bloco Operatório e no Servi...
I.Braz Slideshares
 
Sistema Português de Qualidade
Sistema Português de QualidadeSistema Português de Qualidade
Sistema Português de Qualidade
I.Braz Slideshares
 
Prevenção e Controlo da Infeção: Esterilização
Prevenção e Controlo da Infeção: EsterilizaçãoPrevenção e Controlo da Infeção: Esterilização
Prevenção e Controlo da Infeção: Esterilização
I.Braz Slideshares
 
C.L.C. 7 - Roteiro de visualização do filme "Crash"
C.L.C. 7 - Roteiro de visualização do filme "Crash"C.L.C. 7 - Roteiro de visualização do filme "Crash"
C.L.C. 7 - Roteiro de visualização do filme "Crash"
I.Braz Slideshares
 
C.L.C.7 - Valores da família - A verdadeira felicidade está na própria casa
C.L.C.7 - Valores da família - A verdadeira felicidade está na própria casaC.L.C.7 - Valores da família - A verdadeira felicidade está na própria casa
C.L.C.7 - Valores da família - A verdadeira felicidade está na própria casa
I.Braz Slideshares
 
C.P. 4 Diferenças - (deficiências físicas e psíquicas)
C.P. 4   Diferenças - (deficiências físicas e psíquicas)C.P. 4   Diferenças - (deficiências físicas e psíquicas)
C.P. 4 Diferenças - (deficiências físicas e psíquicas)
I.Braz Slideshares
 
C.P. 5 - Mass Media - Globalização
C.P. 5 - Mass Media - GlobalizaçãoC.P. 5 - Mass Media - Globalização
C.P. 5 - Mass Media - Globalização
I.Braz Slideshares
 
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
I.Braz Slideshares
 
S.T.C 7 - Ciência e Controvérsias Públicas
S.T.C 7 - Ciência e Controvérsias Públicas S.T.C 7 - Ciência e Controvérsias Públicas
S.T.C 7 - Ciência e Controvérsias Públicas
I.Braz Slideshares
 
U. 7 - Roupas e Equipamentos de Protecção Individual
U. 7 -  Roupas e Equipamentos de Protecção IndividualU. 7 -  Roupas e Equipamentos de Protecção Individual
U. 7 - Roupas e Equipamentos de Protecção Individual
I.Braz Slideshares
 
U.27 - Bloco Operatório
U.27 -  Bloco OperatórioU.27 -  Bloco Operatório
U.27 - Bloco Operatório
I.Braz Slideshares
 
U. 24 Toxicodependência - Folheto
U. 24 Toxicodependência - FolhetoU. 24 Toxicodependência - Folheto
U. 24 Toxicodependência - Folheto
I.Braz Slideshares
 
U. 24 - Toxicodependência
U. 24 - ToxicodependênciaU. 24 - Toxicodependência
U. 24 - Toxicodependência
I.Braz Slideshares
 
U. 21 - Cuidados na Saúde Infantil - Sintomas de Doença
U. 21 - Cuidados na Saúde Infantil -  Sintomas de Doença U. 21 - Cuidados na Saúde Infantil -  Sintomas de Doença
U. 21 - Cuidados na Saúde Infantil - Sintomas de Doença
I.Braz Slideshares
 

Mais de I.Braz Slideshares (14)

Tarefas e funções do Técnico Auxiliar de Saúde no Bloco Operatório e no Servi...
Tarefas e funções do Técnico Auxiliar de Saúde no Bloco Operatório e no Servi...Tarefas e funções do Técnico Auxiliar de Saúde no Bloco Operatório e no Servi...
Tarefas e funções do Técnico Auxiliar de Saúde no Bloco Operatório e no Servi...
 
Sistema Português de Qualidade
Sistema Português de QualidadeSistema Português de Qualidade
Sistema Português de Qualidade
 
Prevenção e Controlo da Infeção: Esterilização
Prevenção e Controlo da Infeção: EsterilizaçãoPrevenção e Controlo da Infeção: Esterilização
Prevenção e Controlo da Infeção: Esterilização
 
C.L.C. 7 - Roteiro de visualização do filme "Crash"
C.L.C. 7 - Roteiro de visualização do filme "Crash"C.L.C. 7 - Roteiro de visualização do filme "Crash"
C.L.C. 7 - Roteiro de visualização do filme "Crash"
 
C.L.C.7 - Valores da família - A verdadeira felicidade está na própria casa
C.L.C.7 - Valores da família - A verdadeira felicidade está na própria casaC.L.C.7 - Valores da família - A verdadeira felicidade está na própria casa
C.L.C.7 - Valores da família - A verdadeira felicidade está na própria casa
 
C.P. 4 Diferenças - (deficiências físicas e psíquicas)
C.P. 4   Diferenças - (deficiências físicas e psíquicas)C.P. 4   Diferenças - (deficiências físicas e psíquicas)
C.P. 4 Diferenças - (deficiências físicas e psíquicas)
 
C.P. 5 - Mass Media - Globalização
C.P. 5 - Mass Media - GlobalizaçãoC.P. 5 - Mass Media - Globalização
C.P. 5 - Mass Media - Globalização
 
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
 
S.T.C 7 - Ciência e Controvérsias Públicas
S.T.C 7 - Ciência e Controvérsias Públicas S.T.C 7 - Ciência e Controvérsias Públicas
S.T.C 7 - Ciência e Controvérsias Públicas
 
U. 7 - Roupas e Equipamentos de Protecção Individual
U. 7 -  Roupas e Equipamentos de Protecção IndividualU. 7 -  Roupas e Equipamentos de Protecção Individual
U. 7 - Roupas e Equipamentos de Protecção Individual
 
U.27 - Bloco Operatório
U.27 -  Bloco OperatórioU.27 -  Bloco Operatório
U.27 - Bloco Operatório
 
U. 24 Toxicodependência - Folheto
U. 24 Toxicodependência - FolhetoU. 24 Toxicodependência - Folheto
U. 24 Toxicodependência - Folheto
 
U. 24 - Toxicodependência
U. 24 - ToxicodependênciaU. 24 - Toxicodependência
U. 24 - Toxicodependência
 
U. 21 - Cuidados na Saúde Infantil - Sintomas de Doença
U. 21 - Cuidados na Saúde Infantil -  Sintomas de Doença U. 21 - Cuidados na Saúde Infantil -  Sintomas de Doença
U. 21 - Cuidados na Saúde Infantil - Sintomas de Doença
 

Mecatrónica Automóvel - Sistema Mono-Jectrónic

  • 1. U. 22 – Diagnóstico e reparação em sistemas de ignição em injecção electrónica de motores a gasolina SISTEMA MONO-JETRONIC ÍNDICE 0 – Introdução ………………………………………pág. 1 1 – Construção………………………………………pág. 2 2 – Funcionamento………………………………….pág. 2 3 – Componentes e seu funcionamento………...pág. 2 4 – Diagnóstico e reparação de avarias…………pág. 6 6 – Bibliografia ………………………………………pág. 8 0 – Introdução De entre os vários sistemas essenciais para o bom funcionamento de um veículo automóvel, encontra-se o sistema de injecção, que é dos mais indispensáveis para qualquer veículo automóvel. Actualmente existem diversos sistemas de injecção, na sua maioria electrónicos, ou com ajuda electrónica, um desses sistemas é o SISTEMA MONO-JETRONIC. Fig. 1 – Torre de injecção e colector de admissão do Sistema Mono-Jetronic Trabalho elaborado por Isabel Braz 14-05-2010 Página 1
  • 2. U. 22 – Diagnóstico e reparação em sistemas de ignição em injecção electrónica de motores a gasolina 1 – Construção Tal como se pode ver na figura 1, na sua construção o sistema Mono-Jetronic é aparentemente semelhante a um carburador e encontra-se montado numa posição central por cima do colector de admissão. Ao contrário de um sistema multi-ponto, que possui um injector para cada cilindro do motor, o sistema Mono-Jectrónic possui um único injector para todos os cilindros, injectando o combustível para um colector que se divide em tantos colectores, como cilindros possui o motor. 2 – Funcionamento Sendo um dos mais simples, o sistema Mono-Jetronic aspira o combustível do depósito através da bomba eléctrica de combustível e fazendo-o passar pelo filtro de combustível, bombeia-o para a sua única válvula de injecção, ou injector, mantendo-o continuamente com a mesma pressão, através do regulador de pressão. A válvula de injecção vai pulverizar o combustível de forma uniforme para a borboleta do acelerador e esta por sua vez a introduzir no colector de admissão que leva aos cilindros. 3 – Componentes e seu funcionamento Os componentes do sistema Mono-Jetronic são os seguintes: U.E.C; Válvula de injecção (ou injector); Bomba eléctrica de combustível; Acumulador da bomba de combustível; Filtro de combustível; Regulador de pressão; Borboleta do acelerador; Potenciómetro da borboleta do acelerador; Controlador do ralenti; Sensor de temperatura do ar; Sensor de temperatura do liquido refrigerante; Sonda Lambda; Colector de admissão; Depósito de combustível Trabalho elaborado por Isabel Braz 14-05-2010 Página 2
  • 3. U. 22 – Diagnóstico e reparação em sistemas de ignição em injecção electrónica de motores a gasolina U.E.C Sendo uma Unidade Electrónica de Comando totalmente digital, a U.E.C. do sistema Mono-Jectrónic funciona através dos sinais de entrada, ou informações, que recebe de vários sensores que depois de serem processados pelo microprocessador (CPU), são transformados em sinais de saída, ou instruções, para os actuadores e assim controlar o funcionamento de todo o sistema, desde a posição da borboleta, ao tempo de abertura do injector, etc. Válvula de injecção (ou injector) A válvula de injecção ou injector, funciona através de uma bobina electromagnética que recebe instruções da UEC e injecta o combustível de forma intermitente para a borboleta do acelerador. Bomba eléctrica de combustível A bomba eléctrica de combustível ou bomba de alimentação, pode estar montada dentro ou fora do depósito de combustível e tem a função de aspirar o combustível do depósito e bombeá-lo até à válvula de injecção. Acumulador da bomba de combustível O acumulador da bomba de combustível, tal como o próprio nome indica, serve para acumular o combustível enviado pela bomba de alimentação e assegurar a pressão deste em caso de paragem do motor, garantindo assim que todo o sistema esteja continuamente atestado (ferrado). Trabalho elaborado por Isabel Braz 14-05-2010 Página 3
  • 4. U. 22 – Diagnóstico e reparação em sistemas de ignição em injecção electrónica de motores a gasolina Filtro de combustível O filtro de combustível, que possui um elemento de papel filtrante, tem a função de absorver e reter as impurezas do combustível e assim impedir a sua passagem para o circuito de alimentação. Regulador de pressão Geralmente montado na torre de injecção, o regulador de pressão tem a função de regular a pressão de combustível admitida pelo injector (1,0 bar) e quando o combustível atinge essa pressão, abre a válvula de retorno que faz com que o excesso de combustível regresse ao depósito, mantendo assim sempre a pressão ideal de funcionamento do sistema. Borboleta do acelerador Situada na torre de injecção, é accionada pelo pedal do acelerador e tem a função de regular admissão de ar, para que a relação ar/combustível seja a ideal em todos os regimes de rotação do motor. Potenciómetro da borboleta do acelerador Instalado na parte lateral da torre de injecção, o potenciómetro da borboleta do acelerador é o responsável pela leitura da posição angular da borboleta do acelerador e em forma de sinal eléctrico envia-a à ECU, que vai determinar o tempo ideal de injecção e as condições ideais da mistura de combustível. Trabalho elaborado por Isabel Braz 14-05-2010 Página 4
  • 5. U. 22 – Diagnóstico e reparação em sistemas de ignição em injecção electrónica de motores a gasolina Controlador do ralenti O controlador do ralenti, é o actuador que tal como o nome indica, controla a posição da borboleta do acelerador. Este actuador activa o corte de injecção de combustível quando se dá a aceleração e o estabilizador do ralenti, faz também a gestão do avanço ou atraso do sistema de ignição. Sensor de temperatura do ar Instalado geralmente junto ao injector, na parte superior da torre de injecção, tem como função corrigir o tempo de injecção, em função da temperatura do ar. Funciona com uma resistência NTC que reage a temperaturas negativas (40ºc), e informa a UCE da necessidade de injectar maior quantidade de combustível para manter a relação ar/combustível. Sensor de temperatura do liquido refrigerante Montado no bloco do motor e em contacto directo com a água do circuito de refrigeração, o sensor de temperatura do líquido refrigerante é responsável pelo regime de ralenti durante a fase de aquecimento do motor, através do envio para a ECU de sinais, segundo os quais esta vai determinar o tempo de injecção durante as fases de arranque, pós-arranque e aquecimento do motor. Sonda Lambda Geralmente instalada no centro do tubo de escape, a sonda Lambda analisa os gases de escape e actua em função da diferença de oxigénio nos gases residuais de escape e a atmosfera exterior do veículo programada na ECU. Se os valores de CO diferirem dos estipulados, a sonda lambda envia um sinal eléctrico à ECU que vai definir o volume de combustível a ser injectado pela válvula de injecção. Trabalho elaborado por Isabel Braz 14-05-2010 Página 5
  • 6. U. 22 – Diagnóstico e reparação em sistemas de ignição em injecção electrónica de motores a gasolina Colector de admissão O colector de admissão, é o conjunto de tubagens que tem como função admitir e enviar de forma uniforme a mistura de ar e combustível aos cilindros. Depósito de combustível O depósito de combustível, recipiente de baixa pressão que armazena e garante o abastecimento de combustível da viatura e do sistema de injecção. 4 – Diagnóstico de avarias, sintomas e sua reparação Através da correcta utilização de um aparelho de diagnóstico como o “Auto Data”, podemos não só proceder ao diagnóstico de avarias de todo o sistema, como também podemos obter as indicações necessárias para a sua reparação. Contudo, na seguinte tabela ficam exemplificadas algumas das mais frequentes avarias, sintomas e possíveis reparações de um sistema de injecção electrónica monoponto. Trabalho elaborado por Isabel Braz 14-05-2010 Página 6
  • 7. U. 22 – Diagnóstico e reparação em sistemas de ignição em injecção electrónica de motores a gasolina Tabela de diagnóstico e reparação de avarias em sistemas de injecção electrónica Mono-Jetronic (monoponto) Sintomas Avarias Reparação Verificar se o depósito tem gasolina; Verificar a existência de fugas na bomba de combustível e injector; O motor não pega Fuga de combustível Verificar a existência de fugas ou estrangulamento nas tubagens; Proceder à reparação ou substituição dos componentes nos quais se registem fugas ou estrangulamento. Funcionamento irregular do motor Válvula injectora de combustível (injector), obstruída Desmontar o injector e verificar se o bico do injector está obstruído; Desmontar e verificar se a sonda lambda está em bom estado e a funcionar correctamente, caso contrário troca-se a sonda lambda por uma nova; -Sonda lambda Ralenti irregular - Sensor de temperatura do ar - Sensor de temperatura da água Falha do motor a alta rotação Baixa pressão no regulador de pressão de combustível Trabalho elaborado por Isabel Braz Desmontar e verificar o sensor fazendo o teste de continuidade medindo a sua resistência, se estiver em mau estado deve-se trocar por um sensor novo; Desmontar e verificar o sensor da temperatura da água fazendo o teste de continuidade do sensor num recipiente com água aquecida até a sua temperatura normal se funcionamento. Desmontar e verificar o regulador de pressão se está em bom estado e a funcionar correctamente, se estiver em mau estado deve-se trocar por um novo. 14-05-2010 Página 7
  • 8. U. 22 – Diagnóstico e reparação em sistemas de ignição em injecção electrónica de motores a gasolina Bibliografia Para a elaboração deste trabalho, para além da consulta de manuais CEPRA, foram também consultados os seguintes documentos:  http://www.ds.ind.br/pdf/infoTecnico.pdf  http://www.fiepr.org.br/sindicatos/sindirepa/uploadAddress/Mat erial_de_Apoio_21_10Injecao_Eletronica2%5B59894%5D%5B9762%5D.pdf  http://www.google.com/url?sa=t&source=web&ct=res&cd=5&v ed=0CCYQFjAE&url=http%3A%2F%2Fwww.vwpointer.com.ar%2Fgaleria%2Fpointer%2Fdownload.php%3Fi mage_id%3D67%26sessionid%3De144a419bfc25b6b6c71eb 22c6802d57&rct=j&q=funcionamento+da+borboleta+do+acele rador+no+sistema+monoponto&ei=1Q7tS5S2K8jCQaz15SzBA&usg=AFQjCNH0455BeBH3aGy7muf7eiQDkqAs 3g Trabalho elaborado por Isabel Braz 14-05-2010 Página 8