SlideShare uma empresa Scribd logo
O que existia antes deles chegarem
• Evolução das civilizações aconteceu de
  maneira não homogênea na meso-américa


  – Situação semelhante ao que ocorreu no Velho
    Mundo
• Alguns grupos de caçadores mongóis parecem ter atravessado
  o Estreito de Bering, através de uma suposta ponte terrestre
  que teria existido antigamente.


• Não se sabe precisamente quando isso aconteceu, mas há
  indícios de que, por volta de 11.000 a.C., ocuparam a maior
  parte do Novo Mundo, ao sul da calota glacial que cobria o
  Norte da América do Norte.
• O progresso foi lento e os anos de 1500 a 900
  a.C. foram chamados de período formativo


• Na área de San Lorenzo construíram uma
  cidade com casas residenciais e um grande
  centro cerimonial
• Um dos aspectos que mais chamaram a
 atenção da imaginação popular foi sua
 escultura
Aproximadamente 50 toneladas
• O centro da civilização Zapoteca, que se
  sobrepôs à olmeca no fim do século VIII
  a.C., ficava no Monte Albán
• São muitos e variados os achados arqueológicos
 na antiga cidade de Monte Albán; edifícios,
 estádios de jogo da bola, túmulos magníficos e
 mercadorias valiosas, incluindo joalharia em
 ouro finamente trabalhada
Encontrados desde o Arizona até à Nicarágua e também em várias ilhas do Caribe
como Cuba e Porto Rico

O jogo tinha também importantes aspectos rituais, e grandes jogos formais eram
acontecimentos rituais.
• Calendário
  – Cíclico de 52 anos cada um com 365 dias


     • Sistema sofisticado



     • Administrativamente admirável
• A primeira referência à civilização Maia data
  de cerca de 300 a.C.



• É possível que os Maias tenham sido olmecas
  que emigraram após o colapso de San Lorenzo
• Se destacaram na arquitetura

  – Grandes pirâmides de degraus
• Sua maior cidade até o tempo da conquista
  espanhola foi Teotihuacán

  – 150.000 pessoas
• Outra cidade notável maia foi Palenque

  – Considerada a mais bonita das cidades Maias
• Visão de mundo primitiva


• Religião
   – Possuía aspectos sombrios e repulsivos. Praticavam-se a
      automutilação e o sacrifício humano, que consistia na tortura, seguida
      de decapitação ou na retirada do coração de uma vítima.


       • Cenas do filme Apocalypto
             – http://www.youtube.com/watch?v=qlyvgLAxHHw&t=1h13m25s
• Números

  – Comércio

  – Calendário
• Calendário
  – Calendário tzolk'in
     •        260 dias

     •        Determinar o momento de eventos religiosos e
         cerimoniais e para divinação
• Calendário
  – Calendário Haab'
     • Calendário solar

     • Dezoito meses de vinte dias cada mais um período de
      cinco dias no fim do ano

     • Início do ano nesse calendário se dá no solstício de
      inverno
• Ciclo de Calendário

  – Nem o sistema Tzolk'in nem o Haab' numeram os anos. A
     combinação de uma data Tzolk'in e uma data Haab' era suficiente
     para identificar uma data para a satisfação da maior parte das
     pessoas, já que uma combinação destas não se repete antes de 52
     anos, muito acima da expectativa de vida geral da época


  – http://www.youtube.com/watch?v=qhWItvjk9Yg&feature=related
• Calendário Longo
Tabela de unidades da contagem longa
                        Período da         Período da         Anos solares
        Dias
                      contagem longa     contagem longa       aproximados
1                   = 1 K'in
20                  = 20 K'in          = 1 Winal          0.055
360                 = 18 Winal         = 1 Tun            1
7,200               = 20 Tun           = 1 K'atun         19.7
144,000             = 20 K'atun        = 1 B'ak'tun       394.3
• E o fim do Mundo ?


  • Ponto inicial mítico  3114 a.C

  • Fim do Mundo  13 B’ak’tun = 13*394,3 anos ~ 5126 anos

  • 5126-3114 = 2012
Referências
• História Ilustrada da Ciência, Das Origens à Grécia,
  Colin A. Ronan, Jorge Zahar Editor

•   http://pt.wikipedia.org/wiki/Calend%C3%A1rio_maia
•   http://en.wikipedia.org/wiki/Maya_calendar
•   http://pt.wikipedia.org/wiki/Maias
•   http://pt.wikipedia.org/wiki/Olmecas
•   http://pt.wikipedia.org/wiki/Zapotecas

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Cultura e astronomia pré colombianas

As civilizações pré colombianas
As civilizações pré colombianasAs civilizações pré colombianas
As civilizações pré colombianas
Andrea Dressler
 
2°periodização da história
2°periodização da história2°periodização da história
2°periodização da história
Ajudar Pessoas
 
Introdução à história em
Introdução à história emIntrodução à história em
Introdução à história em
Adriana Gomes Messias
 
O tempo e a história
O  tempo e a históriaO  tempo e a história
O tempo e a história
Debora Barros
 
A Mesoamerica antes de 1519 conceito ppw.pptx
A Mesoamerica antes de 1519 conceito ppw.pptxA Mesoamerica antes de 1519 conceito ppw.pptx
A Mesoamerica antes de 1519 conceito ppw.pptx
ClaudiaKarolayne2
 
Trabalho sobre HISTORIA ANTIGA - 6º-ANO.pdf
Trabalho sobre HISTORIA ANTIGA - 6º-ANO.pdfTrabalho sobre HISTORIA ANTIGA - 6º-ANO.pdf
Trabalho sobre HISTORIA ANTIGA - 6º-ANO.pdf
VinciusKusma
 
Jhonatan carmo
Jhonatan carmoJhonatan carmo
Jhonatan carmo
jhonatan Carmo
 
Introdução à história
Introdução à históriaIntrodução à história
Introdução à história
Paulo Alexandre
 
Introdução à história
Introdução à históriaIntrodução à história
Introdução à história
Paulo Alexandre
 
Divisão dos períodos da História
Divisão dos períodos da HistóriaDivisão dos períodos da História
Divisão dos períodos da História
Patrícia Éderson Dias
 
O Tempo e a Historia - Ensino Médio
O Tempo e a Historia - Ensino MédioO Tempo e a Historia - Ensino Médio
O Tempo e a Historia - Ensino Médio
Diego Bian Filo Moreira
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Ricardo Diniz campos
 
Civilização Maia e a Profecia de 2012
Civilização Maia e a Profecia de 2012Civilização Maia e a Profecia de 2012
Civilização Maia e a Profecia de 2012
Doug Caesar
 
Profecia 2012
Profecia 2012Profecia 2012
Profecia 2012
Doug Caesar
 
Arte pré-colombiana - Maia, Asteca e Inca
Arte pré-colombiana - Maia, Asteca e IncaArte pré-colombiana - Maia, Asteca e Inca
Arte pré-colombiana - Maia, Asteca e Inca
Andrea Dressler
 
Introdução à história
Introdução à históriaIntrodução à história
Introdução à história
RODRIGO Cicéro
 
Civilização pre colombiana
Civilização pre colombianaCivilização pre colombiana
Civilização pre colombiana
Adriana Gomes Messias
 
Segundo Ano (1) - Civilização Pré-Colombianas
Segundo Ano (1) - Civilização Pré-ColombianasSegundo Ano (1) - Civilização Pré-Colombianas
Segundo Ano (1) - Civilização Pré-Colombianas
Paulo Alexandre
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
Aula 1Aula 1

Semelhante a Cultura e astronomia pré colombianas (20)

As civilizações pré colombianas
As civilizações pré colombianasAs civilizações pré colombianas
As civilizações pré colombianas
 
2°periodização da história
2°periodização da história2°periodização da história
2°periodização da história
 
Introdução à história em
Introdução à história emIntrodução à história em
Introdução à história em
 
O tempo e a história
O  tempo e a históriaO  tempo e a história
O tempo e a história
 
A Mesoamerica antes de 1519 conceito ppw.pptx
A Mesoamerica antes de 1519 conceito ppw.pptxA Mesoamerica antes de 1519 conceito ppw.pptx
A Mesoamerica antes de 1519 conceito ppw.pptx
 
Trabalho sobre HISTORIA ANTIGA - 6º-ANO.pdf
Trabalho sobre HISTORIA ANTIGA - 6º-ANO.pdfTrabalho sobre HISTORIA ANTIGA - 6º-ANO.pdf
Trabalho sobre HISTORIA ANTIGA - 6º-ANO.pdf
 
Jhonatan carmo
Jhonatan carmoJhonatan carmo
Jhonatan carmo
 
Introdução à história
Introdução à históriaIntrodução à história
Introdução à história
 
Introdução à história
Introdução à históriaIntrodução à história
Introdução à história
 
Divisão dos períodos da História
Divisão dos períodos da HistóriaDivisão dos períodos da História
Divisão dos períodos da História
 
O Tempo e a Historia - Ensino Médio
O Tempo e a Historia - Ensino MédioO Tempo e a Historia - Ensino Médio
O Tempo e a Historia - Ensino Médio
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Civilização Maia e a Profecia de 2012
Civilização Maia e a Profecia de 2012Civilização Maia e a Profecia de 2012
Civilização Maia e a Profecia de 2012
 
Profecia 2012
Profecia 2012Profecia 2012
Profecia 2012
 
Arte pré-colombiana - Maia, Asteca e Inca
Arte pré-colombiana - Maia, Asteca e IncaArte pré-colombiana - Maia, Asteca e Inca
Arte pré-colombiana - Maia, Asteca e Inca
 
Introdução à história
Introdução à históriaIntrodução à história
Introdução à história
 
Civilização pre colombiana
Civilização pre colombianaCivilização pre colombiana
Civilização pre colombiana
 
Segundo Ano (1) - Civilização Pré-Colombianas
Segundo Ano (1) - Civilização Pré-ColombianasSegundo Ano (1) - Civilização Pré-Colombianas
Segundo Ano (1) - Civilização Pré-Colombianas
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 

Mais de Felipe Menegotto

Ondas - Parte II
Ondas - Parte IIOndas - Parte II
Ondas - Parte II
Felipe Menegotto
 
Ondas Eletromagnéticas
Ondas EletromagnéticasOndas Eletromagnéticas
Ondas Eletromagnéticas
Felipe Menegotto
 
Ondas Sonoras
Ondas SonorasOndas Sonoras
Ondas Sonoras
Felipe Menegotto
 
Leis de Newton
Leis de NewtonLeis de Newton
Leis de Newton
Felipe Menegotto
 
Dispersão da luz
Dispersão da luzDispersão da luz
Dispersão da luz
Felipe Menegotto
 
Oficina de Radiações - Dia 1
Oficina de Radiações - Dia 1Oficina de Radiações - Dia 1
Oficina de Radiações - Dia 1
Felipe Menegotto
 
Campo elétrico e seu caráter vetorial
Campo elétrico e seu caráter vetorialCampo elétrico e seu caráter vetorial
Campo elétrico e seu caráter vetorial
Felipe Menegotto
 
Ondas - Parte I
Ondas - Parte IOndas - Parte I
Ondas - Parte I
Felipe Menegotto
 
Montanha russa, força centrípeta e conservação de energia
Montanha russa, força centrípeta e conservação de energiaMontanha russa, força centrípeta e conservação de energia
Montanha russa, força centrípeta e conservação de energia
Felipe Menegotto
 
Código de barras
Código de barrasCódigo de barras
Código de barras
Felipe Menegotto
 
Supercondutividade
SupercondutividadeSupercondutividade
Supercondutividade
Felipe Menegotto
 
Teoria cinética dos gases pt2
Teoria cinética dos gases pt2Teoria cinética dos gases pt2
Teoria cinética dos gases pt2
Felipe Menegotto
 
Teoria cinética dos gases pt1
Teoria cinética dos gases pt1Teoria cinética dos gases pt1
Teoria cinética dos gases pt1
Felipe Menegotto
 
Oscilações
OscilaçõesOscilações
Oscilações
Felipe Menegotto
 
Sistemas de coordenadas astronômicas
Sistemas de coordenadas astronômicasSistemas de coordenadas astronômicas
Sistemas de coordenadas astronômicas
Felipe Menegotto
 
Astronomia antiga
Astronomia antigaAstronomia antiga
Astronomia antiga
Felipe Menegotto
 
Inteligência artificial
Inteligência artificialInteligência artificial
Inteligência artificial
Felipe Menegotto
 

Mais de Felipe Menegotto (17)

Ondas - Parte II
Ondas - Parte IIOndas - Parte II
Ondas - Parte II
 
Ondas Eletromagnéticas
Ondas EletromagnéticasOndas Eletromagnéticas
Ondas Eletromagnéticas
 
Ondas Sonoras
Ondas SonorasOndas Sonoras
Ondas Sonoras
 
Leis de Newton
Leis de NewtonLeis de Newton
Leis de Newton
 
Dispersão da luz
Dispersão da luzDispersão da luz
Dispersão da luz
 
Oficina de Radiações - Dia 1
Oficina de Radiações - Dia 1Oficina de Radiações - Dia 1
Oficina de Radiações - Dia 1
 
Campo elétrico e seu caráter vetorial
Campo elétrico e seu caráter vetorialCampo elétrico e seu caráter vetorial
Campo elétrico e seu caráter vetorial
 
Ondas - Parte I
Ondas - Parte IOndas - Parte I
Ondas - Parte I
 
Montanha russa, força centrípeta e conservação de energia
Montanha russa, força centrípeta e conservação de energiaMontanha russa, força centrípeta e conservação de energia
Montanha russa, força centrípeta e conservação de energia
 
Código de barras
Código de barrasCódigo de barras
Código de barras
 
Supercondutividade
SupercondutividadeSupercondutividade
Supercondutividade
 
Teoria cinética dos gases pt2
Teoria cinética dos gases pt2Teoria cinética dos gases pt2
Teoria cinética dos gases pt2
 
Teoria cinética dos gases pt1
Teoria cinética dos gases pt1Teoria cinética dos gases pt1
Teoria cinética dos gases pt1
 
Oscilações
OscilaçõesOscilações
Oscilações
 
Sistemas de coordenadas astronômicas
Sistemas de coordenadas astronômicasSistemas de coordenadas astronômicas
Sistemas de coordenadas astronômicas
 
Astronomia antiga
Astronomia antigaAstronomia antiga
Astronomia antiga
 
Inteligência artificial
Inteligência artificialInteligência artificial
Inteligência artificial
 

Último

UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 

Último (20)

UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 

Cultura e astronomia pré colombianas

  • 1. O que existia antes deles chegarem
  • 2. • Evolução das civilizações aconteceu de maneira não homogênea na meso-américa – Situação semelhante ao que ocorreu no Velho Mundo
  • 3.
  • 4. • Alguns grupos de caçadores mongóis parecem ter atravessado o Estreito de Bering, através de uma suposta ponte terrestre que teria existido antigamente. • Não se sabe precisamente quando isso aconteceu, mas há indícios de que, por volta de 11.000 a.C., ocuparam a maior parte do Novo Mundo, ao sul da calota glacial que cobria o Norte da América do Norte.
  • 5.
  • 6.
  • 7. • O progresso foi lento e os anos de 1500 a 900 a.C. foram chamados de período formativo • Na área de San Lorenzo construíram uma cidade com casas residenciais e um grande centro cerimonial
  • 8. • Um dos aspectos que mais chamaram a atenção da imaginação popular foi sua escultura
  • 10.
  • 11. • O centro da civilização Zapoteca, que se sobrepôs à olmeca no fim do século VIII a.C., ficava no Monte Albán
  • 12.
  • 13. • São muitos e variados os achados arqueológicos na antiga cidade de Monte Albán; edifícios, estádios de jogo da bola, túmulos magníficos e mercadorias valiosas, incluindo joalharia em ouro finamente trabalhada
  • 14. Encontrados desde o Arizona até à Nicarágua e também em várias ilhas do Caribe como Cuba e Porto Rico O jogo tinha também importantes aspectos rituais, e grandes jogos formais eram acontecimentos rituais.
  • 15. • Calendário – Cíclico de 52 anos cada um com 365 dias • Sistema sofisticado • Administrativamente admirável
  • 16.
  • 17. • A primeira referência à civilização Maia data de cerca de 300 a.C. • É possível que os Maias tenham sido olmecas que emigraram após o colapso de San Lorenzo
  • 18.
  • 19. • Se destacaram na arquitetura – Grandes pirâmides de degraus
  • 20.
  • 21. • Sua maior cidade até o tempo da conquista espanhola foi Teotihuacán – 150.000 pessoas
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26. • Outra cidade notável maia foi Palenque – Considerada a mais bonita das cidades Maias
  • 27.
  • 28.
  • 29. • Visão de mundo primitiva • Religião – Possuía aspectos sombrios e repulsivos. Praticavam-se a automutilação e o sacrifício humano, que consistia na tortura, seguida de decapitação ou na retirada do coração de uma vítima. • Cenas do filme Apocalypto – http://www.youtube.com/watch?v=qlyvgLAxHHw&t=1h13m25s
  • 30. • Números – Comércio – Calendário
  • 31. • Calendário – Calendário tzolk'in • 260 dias • Determinar o momento de eventos religiosos e cerimoniais e para divinação
  • 32.
  • 33. • Calendário – Calendário Haab' • Calendário solar • Dezoito meses de vinte dias cada mais um período de cinco dias no fim do ano • Início do ano nesse calendário se dá no solstício de inverno
  • 34.
  • 35. • Ciclo de Calendário – Nem o sistema Tzolk'in nem o Haab' numeram os anos. A combinação de uma data Tzolk'in e uma data Haab' era suficiente para identificar uma data para a satisfação da maior parte das pessoas, já que uma combinação destas não se repete antes de 52 anos, muito acima da expectativa de vida geral da época – http://www.youtube.com/watch?v=qhWItvjk9Yg&feature=related
  • 36. • Calendário Longo Tabela de unidades da contagem longa Período da Período da Anos solares Dias contagem longa contagem longa aproximados 1 = 1 K'in 20 = 20 K'in = 1 Winal 0.055 360 = 18 Winal = 1 Tun 1 7,200 = 20 Tun = 1 K'atun 19.7 144,000 = 20 K'atun = 1 B'ak'tun 394.3
  • 37. • E o fim do Mundo ? • Ponto inicial mítico  3114 a.C • Fim do Mundo  13 B’ak’tun = 13*394,3 anos ~ 5126 anos • 5126-3114 = 2012
  • 38. Referências • História Ilustrada da Ciência, Das Origens à Grécia, Colin A. Ronan, Jorge Zahar Editor • http://pt.wikipedia.org/wiki/Calend%C3%A1rio_maia • http://en.wikipedia.org/wiki/Maya_calendar • http://pt.wikipedia.org/wiki/Maias • http://pt.wikipedia.org/wiki/Olmecas • http://pt.wikipedia.org/wiki/Zapotecas