SlideShare uma empresa Scribd logo
Eduardo Insaurriaga: UX designer na globo.com por mais de 6 anos. Romulo Tav
desenvolvedor de software na globo.com por mais de 5 anos.Para começar a
criando e testando
produtos em 24h.
Scrum Gathering Rio 2015
Eduardo Insaurriaga
Romulo Tavares
Se vocês já passaram pela experiência de desenvolver um produto por meses a fio e no
fim ele foi jogado fora ou não fez sucesso, vocês provavelmente sentiram que
desperdiçaram o tempo de vocês, mas que pelo menos aprenderam o que não repetir
num próximo. Esse gosto ruim se chama fracasso.
frustração.
Mas fracassar na construção de um produto é algo normal e que acontece muitas vezes
na vida de todos que trabalham. O que precisamos fazer é acelerar esses fracassos para
não é magia…
por que criar
produtos em 24h?
Exemplo: Duke Nukem Forever, a sequência de jogo de muito sucesso da década de
90 que levou mais de 4 anos pra ser lançado. Quando saiu, já estava completamente
não levar anos
para descobrir
que fracassou.
– Eric Ries
^ìíçê=ÇÉ=ÚiÉ~å=pí~êíìéÛ
“Levar muito tempo para lançar um
produto pode levar ao desperdício
final: fazer algo que ninguém quer.
Nos últimos anos surgiram diversas metodologias de desenvolvimento de software,
como Agile, Scrum e Lean Startup, que buscam exatamente acelerar o processo de
entregas, para que cada vez mais rápido a gente descubra se o produto vai ser ou não
um fracasso.
Então, por que não levar ao extremo e construir um produto em 24 horas?
Que tal já ter um cheiro se o produto faz sentido ou não, se é viável ou não, ou mesmo
quão difícil é após apenas 24 horas?
24h.
É aí que surgem iniciativas como hack days ou hackathons, que são eventos que duram
24 horas, a fim de criar um produto minimamente usável. O resultado desses eventos é
uma série de novos produtos além de um conjunto de inovações.
hackdays.
Um exemplo de produto criado em hack day é o Gmail, criado por um desenvolvedor
que queria usar a busca do Google dentro do seu e-mail corporativo.
gmail.
Outro exemplo é o botão de like do Facebook.
facebook like.
– Eric Ries
^ìíçê=ÇÉ=ÚiÉ~å=pí~êíìéÛ
“A única forma de vencer é
aprendendo mais rápido do
que qualquer outro.
Na globo.com a iniciativa do Hack Day surgiu há cerca de 3 anos, e logo no começo
montamos um time para participar. Nosso time é formado por pessoas de todas as áreas
da empresa, e alguns nunca haviam trabalhado juntos, e até hoje já criamos mais de 8
produtos em Hack Days. Isso levou muita gente a questionar o que é que fazíamos de
diferente. Então decidimos elencar alguns pontos que vamos mostrar para vocês agora.
como criar
produtos em 24h.
Quando se trabalha em equipe é natural que as pessoas tenham seus pr
objetivos, e essa é uma questão que se não for acordada logo no início
dores de cabeça, pois cada pessoa pode seguir por um caminho diferen
produto ao fracasso. Muita gente fala sobre alinhar as expectativas, ma
alinhe as
expectativas.
Contar os desejos e objetivos para as pessoas com quem a gente
trabalha, de uma forma franca e sem medo. Digo o que espero
delas, o que espero do produto que vamos criar. Essa atitude
simples de se reunir e discutir o que cada um deseja, ajuda a achar
um desejo em comum ou até mesmo a criar um desejo em comum
as pessoas se identificam e se abrem para discutir ideias e para de
fato discutir o produto.
seja sincero.
– Steve Jobs
cìåÇ~Ççê=Ç~=^ééäÉ
“Inovação não é sobre dinheiro.
É sobre as pessoas que você tem, como
as conduz e o quanto você quer isto.
Um exemplo desse alinhamento nos Hack Days foi o Pipoca, um repositório de
informações de filmes e séries, com destaque para as produções da Globo. O
alinhamento da equipe foi que todos queriam projetar algo que causasse o efeito Wow
na empresa, e com as mesmas expectativas, a gente conseguiu ir além como equipe.
pipoca.
Apesar de parecer extremamente simples, poucas equipes de fato tem um objetivo claro.
Criar um objetivo que seja claro para todo mundo é uma das tarefas mais complicadas
que existe, mas ela é facilitada quando você já alinhou as expectativas antes. Quando
todos os integrantes de uma equipe possuem o objetivo bem definido em suas mentes
não é necessário que você diga a alguém o que fazer e é provável que você sinta que
todos estão na mesma velocidade que você para alcançar o objetivo.
objetivo claro.
Para criar um objetivo é necessário unir o
desejo de todos os integrantes, é necessário
colocar todo mundo no mesmo barco em
busca de um desejo comum. É fácil se perder
no momento da criação desse objetivo, então
existem algumas perguntas-chave para fazer
nesses momentos: “Que efeito a gente quer
causar nas pessoas? Qual a posição que a
gente quer alcançar?” Essas duas perguntas
ajudam as pessoas a definir um rumo, e esse
rumo deve ser revisitado a todo momento em
cada decisão do time.
onde você
quer chegar?
– Napoleon Hill
^ìíçê=ÇÉ=Ú^=iÉá=Çç=qêáìåÑçÛ
“Objetivo é um
sonho com deadline.
Um exemplo disso foi o RECAP, uma retrospectiva automática. Queríamos provar que
podíamos usar os sistemas existentes para fazer retrospectivas automáticas.
recap.
Uma vez que a equipe já decidiu por um objetivo, está na hora de criar ideias, e a
melhor coisa para fazer as ideias surgirem é simplesmente deixar as pessoas botarem
elas pra fora. Uma boa ideia é formada por todo o time, e para que isso funcione, não
vale roubar! Ou seja, não vale passar dias pensando numa ideia, cheia de detalhes e aí
apresentar no brainstorm. Em uma equipe bem integrada, você lança ideias novas e vê
os outros modificando e iterando essas ideias.
brainstorm.
Um bom brainstorm é o resultado do trabalho em equipe. É extremamente
importante que a ideia escolhida seja aceita por todos, não basta apenas ter sido
escolhida por alguém ou pela maioria, ela deve ter o dedo de cada um da equipe e deve
ser aceita por todos, caso contrário esse integrante não vai se empenhar o máximo que
ele pode para fazer a ideia dar certo. É preciso ter ownership.
resultado de equipe.
Exemplo: Tudo Sobre, sistema para seguir notícias e redes sociais dos famosos
prediletos. O brainstorm desse projeto começou com alguém dizendo que queria
receber notícias só de quem ele gostava. A gente evoluiu essa ideia pra um aplicativo
que permite o usuário seguir os famosos que quiser, com um feed que traz os conteúdos
oficiais dos famosos nas redes sociais e as notícias desse famoso na globo.com.
tudo
sobre.
– Bill Gates
cìåÇ~Ççê=Ç~=jáÅêçëçÑí
“Inovação em software requer habilidade
de colaboração, compartilhar ideias, de
sentar e falar com seu cliente, ouvir seu
feedback e entender o que ele precisa.
Mesmo se tratando de um processo que dura 24 horas, é bom que a gente não perca
nem uma hora com uma ideia que não vai dar certo, então depois de criar a ideia no
brainstorm vale a pena validar essa ideia com pessoas de fora, para descobrir se isso
interessa as pessoas, se esse produto já existe e até mesmo se já tentaram.
valide a ideia.
Para nós esse é o ponto que de fato faz a
inovação acontecer e é algo que não
vamos muito no nosso dia-a-dia de
trabalho, na verdade as pessoas tem
certo medo disso. Definir um goal
impossível tem a ver com crescer a ideia
inicial, expandi-la até certo ponto que
notoriamente seja impossível ou pelo
menos muito difícil de alcançar.
defina um
goal impossível.
Hoje em dia estamos acostumados com o interativo e
incremental, e é como se estivéssemos dentro de um
labirinto: temos visão limitada, só sabemos o que está
na nossa reta, e às vezes quando fazemos a curva
descobrimos que não há mais como avançar por esse
caminho. Quando você gasta algumas horas antes de
começar a tocar a ideia, expandindo ela, tentando
imaginar outros usos, outras conexões, é como se você
tivesse uma visão do alto do mesmo labirinto, por mais
que você não enxergue tudo ainda, você pode pelo
menos observar alguns caminhos que não se
sustentam. Às vezes expandir uma ideia torna ela mais
fácil de ser executada e ainda por cima supera as
expectativas das pessoas, além de tornar possível
alguns ganhos que jamais poderiam ser imaginados.
expanda para simplificar.
Um grande exemplo disso é o reCAPTCHA do
Google. Para proteger formulários de ataques
robôs colocando imagens para ser decifradas, eles
expandiram a ideia e conectá-la com o serviço de
digitalização de livros, fazendo com que as
pessoas decifrassem trechos de livros que o
computador não era capaz. Além de proteger
formulários o reCAPTCHA também ajudava a
digitalizar milhões de livros, que de outra forma
levariam dezenas ou centenas de anos. O Google
faz muito isso e, não é à toa, na declaração de
missão deles consta que todos os funcionários
devem mirar no impossível para alcançar feitos
grandiosos.
– Bruce Wayne
^äíÉê=ÉÖç=Çç=_~íã~å
“Tudo é impossível
até alguém fazer.
Exemplo: Tudo Sobre. Começamos com a ideia de uma app, expandimos para alguns
serviços genéricos para a empresa: uma arquitetura com 5 APIs e uma app para
Android.
tudo
sobre.
Agora que você já tem uma boa ideia e um
goal impossível, você precisa saber muito
bem por onde começar, pois senão no final
não vai ter nada. Não existe falta de
tempo, existe falta de prioridade. Temos
dificuldade em priorizar coisas, isso por
que a gente precisa lidar com muitas coisas
ao mesmo tempo, seja num projeto de 3
meses ou seja num projeto de 24 horas.
Para isso a gente usa uma ferramenta muito
simples que é se perguntar: “O que a
gente consegue fazer em 1 mês? E em
uma semana? Em um dia? Então
comece por aí.”
defina bem
as prioridades.
Além dessa técnica existe um outro ponto importante: É
fácil definir como prioridade o que a gente já conhece,
mas na verdade a gente precisa começar justamente
pelas incertezas do seu produto, se você tem uma feature
principal e ela tem incertezas, ela tem que ser a primeira
coisa pra gente testar: não adianta passar horas fazendo
firulas e quando chegar na feature principal descobrir que
precisava de mais tempo. Qualquer coisa que não for
essencial no produto tem ficar para o período de tempo
que sobrar.
comece pelas
incertezas.
– Stephen R. Covey
^ìíçê=ÇÉ=Úlë=T=e•Äáíçë=Ç~ë=mÉëëç~ë=^äí~ãÉåíÉ=bÑáÅ~òÉëÛ
“Muitas pessoas gastam muito
tempo no que é urgente, e não
no que é importante.
Exemplo: Colecionáveis, uma ferramenta de álbum de figurinhas. A gente sabia o que
fazer em 24h, e o que fazer se sobrasse tempo. A gente começou pelas funcionalidades
de ganhar e trocar figurinhas, e fizemos isso sem cadastros e experiência de uso
definidas, que são partes do trabalho que a gente domina.
colecionáveis.
Mesmo falando de um período de 24 horas, cada hora é importante e não deve ser
desperdiçada, portanto se algo não está dando certo deve ser substituído ou cortado, não
adianta passar as 24 horas tentando fazer uma única coisa funcionar.
reaja rapidamente.
Exemplo: Globo Insights, dashboard de
trends para os editores. Em nossa ideia,
queríamos trazer trends do Facebook, mas
descobrimos que o Facebook não permitia
acessar esse tipo de dado. Então abortamos e
criamos a função Timehop, que trazia aquilo
que bombou há 1 ano atrás, e essa foi uma
das features mais elogiadas pelos editores.
Detalhe: os editores começaram a usar a
ferramenta logo após a entrega do Hack Day.
globo insights.
Depois dessas 24 horas é preciso vender o
produto, e isso é extremamente
necessário, pois só quando você mostra o
produto para alguém é que você descobre
onde errou ou o que pode melhorar, ou
pode até descobrir um uso completamente
novo pro seu produto. Esta etapa pode
parecer óbvia, mas é onde se comete os
maiores erros, porque muitas vezes a
gente tem vergonha de mostrar um
produto inacabado ou quando a gente
mostra a gente não escuta de fato o que os
clientes tem a dizer sobre o produto.
venda o produto.
– Reid Hoffman
`bl=Çç=iáåâÉÇfå
“Se você não ficar envergonhado
da 1ª versão do seu produto é
porque você lançou tarde demais.
Exemplo: Fanáticos FC, um comparador
parcial de times de futebol. Mesmo
incompleto, a gente vendeu o Fanáticos
com uma clara visão de futuro. Esse
projeto foi pioneiro na globo.com no
programa de 20% de um trimestre para
desenvolvimento de um projeto
selecionado. Nossa primeira ação foi
mostrar o projeto para a redação do
Globoesporte. Eles acharam incompleto,
mas se surpreenderam por ser o resultado
de 1 dia de trabalho.
fanáticos fc.
Após tentar vender seu produto você precisa parar e
analisar o que fez de errado ou o que poderia ter feito
melhor, tanto sob a sua perspectiva quanto pelo
feedback dado pelo cliente para quem você tentou
vender. A melhor maneira de fazer isso é sendo crítico
com seu trabalho. Não coloque a culpa nos outros por
não terem entendido o que o seu produto faz ou por não
desejarem seu produto. Tente pensar em como ele
poderia ser melhor a partir dos feedbacks que você
recebeu.
reveja os erros.
– Jony Ive
`al=Ç~=^ééäÉ
“Não há aprendizado sem ter
muitas ideias e sem falhar
muitas vezes.
Uma vez que você listou todos os erros que você
e sua equipe cometeram no produto, procure
maneiras de fazer diferente e não cometer o erro
novamente. Pode ser que o produto que você
criou realmente não tenha como corrigir, mas
procure não cometer o mesmo erro nos próximos
produtos que você irá criar.
aprenda.
– Rita Mae Brown
^ìíçê~=É=~íáîáëí~=éçäííáÅ~
“A definição de insanidade é fazer
a mesma coisa repetidamente e
esperar resultados diferentes.
Exemplo: Colecionáveis, a ferramenta de álbum de figurinhas. Fizemos ele muito
próximo da Copa de 2014, e o projeto era grande demais, inviabilizando a venda.
Aprendemos a nos anteciparmos.
colecionáveis.
Mais do que construir um produto, esse processo ajuda a construir uma equipe
integrada, motivada e orgulhosa do trabalho que realiza. Cada equipe tem uma
personalidade, e essa personalidade precisa ser registrada em algum lugar para que
possa ajudar a guiar a equipe nos próximos desafios.
extraia a
essência da
equipe.
Foi como a gente chegou na “Identidade Bauer.” A gente montou um documento da
nossa equipe, com objetivo, meta, compromissos e valores do nosso grupo. Vocês
podem descobrir que o que a equipe de vocês mais preza é inovação. Se vocês tiverem
isso registrado, vocês podem consultar sempre que houver um novo projeto, e isso evita
colocar a equipe em um projeto que não agrade as pessoas ou até mesmo transformar o
projeto para se adequar à personalidade da equipe.
identidade
bauer.
Terminamos fazendo um convite à vocês, um convite para vocês testarem
esse processo que a gente apresentou. E um pedido: não se deixem vencer
pela rotina do dia-a-dia. Sabemos que existem muitos com um potencial
incrível só esperando ter a chance de fazer a diferença. Na maior parte das
vezes, essa condição pode ser criada por nós mesmos, com atitudes bem
simples. A gente podem sim trabalhar com vontade, gerar uma inovação
absurda e chegar ao final de um ciclo com a sensação de orgulho, bater no
peito e dizer “fui eu que fiz!”
agora é
com vocês.
obrigado.
Eduardo
Insaurriaga
eduardoin@gmail.com
Romulo
Tavares
romuloctavares@gmail.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gestao em vendas_brainstorming
Gestao em vendas_brainstormingGestao em vendas_brainstorming
Gestao em vendas_brainstorming
Estrela Franquias
 
Importante design thinking
Importante design thinkingImportante design thinking
Importante design thinking
SofiaMartins478650
 
[Coletivo Ação] Webinar introdução ao Design Sprint Com Mayra de Souza
[Coletivo Ação] Webinar introdução ao Design Sprint Com Mayra de Souza[Coletivo Ação] Webinar introdução ao Design Sprint Com Mayra de Souza
[Coletivo Ação] Webinar introdução ao Design Sprint Com Mayra de Souza
Coletivo AÇÃO | Criando ambientes colaborativos e criativos
 
Jornada da Inovacao
Jornada da InovacaoJornada da Inovacao
Jornada da Inovacao
Eduardo Peres
 
Workshop FacilitAção (Adaptado para 4h)
Workshop FacilitAção (Adaptado para 4h)Workshop FacilitAção (Adaptado para 4h)
Workshop FacilitAção (Adaptado para 4h)
Mayra de Souza
 
Design thinking - livro 3
Design thinking - livro 3Design thinking - livro 3
Design thinking - livro 3
Letícia Spina Tapia
 
Scrum: A arte de fazer o dobro do trabalho na metade do tempo
Scrum: A arte de fazer o dobro do trabalho na metade do tempoScrum: A arte de fazer o dobro do trabalho na metade do tempo
Scrum: A arte de fazer o dobro do trabalho na metade do tempo
Letícia Elaine Krauss
 
Como administrar o tempo
Como administrar o tempoComo administrar o tempo
Como administrar o tempo
admtempo
 
interaction South America 2011 — Workshop
interaction South America 2011  — Workshopinteraction South America 2011  — Workshop
interaction South America 2011 — Workshop
Paulo Floriano
 
Da empatia ao produto usando MVP
Da empatia ao produto usando MVPDa empatia ao produto usando MVP
Da empatia ao produto usando MVP
Eduardo Peres
 
Workshop Sandbox Experience da Jane Vita
Workshop Sandbox Experience da Jane VitaWorkshop Sandbox Experience da Jane Vita
Workshop Sandbox Experience da Jane Vita
Mayra de Souza
 
Potencialize as capacidades da sua organização com atividades colaborativas
Potencialize as capacidades da sua organização com atividades colaborativasPotencialize as capacidades da sua organização com atividades colaborativas
Potencialize as capacidades da sua organização com atividades colaborativas
Mayra de Souza
 
TDC SP 2016 - Facilitação - Que momento o grupo se encontra?
TDC SP 2016 - Facilitação - Que momento o grupo se encontra?TDC SP 2016 - Facilitação - Que momento o grupo se encontra?
TDC SP 2016 - Facilitação - Que momento o grupo se encontra?
Mayra de Souza
 
Design Thinking Weekend + SUA Jornada agora na SUA Cidade
Design Thinking Weekend + SUA Jornada agora na SUA CidadeDesign Thinking Weekend + SUA Jornada agora na SUA Cidade
Design Thinking Weekend + SUA Jornada agora na SUA Cidade
Gabriel Coelho
 
Engaje-se ao usuário para que ele se engaje a você - World Usability Day SP 2014
Engaje-se ao usuário para que ele se engaje a você - World Usability Day SP 2014Engaje-se ao usuário para que ele se engaje a você - World Usability Day SP 2014
Engaje-se ao usuário para que ele se engaje a você - World Usability Day SP 2014
Paulo Floriano
 
O empreendedorismo é uma treta - Connect Coimbra @ FENGE 2012
O empreendedorismo é uma treta - Connect Coimbra @ FENGE 2012O empreendedorismo é uma treta - Connect Coimbra @ FENGE 2012
O empreendedorismo é uma treta - Connect Coimbra @ FENGE 2012
Bernardo Raposo
 
Oficina Design Thinking para Educadores - por Davi Moreno
Oficina Design Thinking para Educadores - por Davi MorenoOficina Design Thinking para Educadores - por Davi Moreno
Oficina Design Thinking para Educadores - por Davi Moreno
Davi Moreno
 
Transformação Ágil, Digital ou Mental? - Palestra no Congresso do PMI-DF
Transformação Ágil, Digital ou Mental? - Palestra no Congresso do PMI-DFTransformação Ágil, Digital ou Mental? - Palestra no Congresso do PMI-DF
Transformação Ágil, Digital ou Mental? - Palestra no Congresso do PMI-DF
Eduardo Freire
 
Lean Startup - Introdução
Lean Startup - IntroduçãoLean Startup - Introdução
Lean Startup - Introdução
Juliano Padilha
 
Inspetor Bugiganga - pesquisas criativas para desenvolvimento ágil
Inspetor Bugiganga - pesquisas criativas para desenvolvimento ágilInspetor Bugiganga - pesquisas criativas para desenvolvimento ágil
Inspetor Bugiganga - pesquisas criativas para desenvolvimento ágil
DTStartups
 

Mais procurados (20)

Gestao em vendas_brainstorming
Gestao em vendas_brainstormingGestao em vendas_brainstorming
Gestao em vendas_brainstorming
 
Importante design thinking
Importante design thinkingImportante design thinking
Importante design thinking
 
[Coletivo Ação] Webinar introdução ao Design Sprint Com Mayra de Souza
[Coletivo Ação] Webinar introdução ao Design Sprint Com Mayra de Souza[Coletivo Ação] Webinar introdução ao Design Sprint Com Mayra de Souza
[Coletivo Ação] Webinar introdução ao Design Sprint Com Mayra de Souza
 
Jornada da Inovacao
Jornada da InovacaoJornada da Inovacao
Jornada da Inovacao
 
Workshop FacilitAção (Adaptado para 4h)
Workshop FacilitAção (Adaptado para 4h)Workshop FacilitAção (Adaptado para 4h)
Workshop FacilitAção (Adaptado para 4h)
 
Design thinking - livro 3
Design thinking - livro 3Design thinking - livro 3
Design thinking - livro 3
 
Scrum: A arte de fazer o dobro do trabalho na metade do tempo
Scrum: A arte de fazer o dobro do trabalho na metade do tempoScrum: A arte de fazer o dobro do trabalho na metade do tempo
Scrum: A arte de fazer o dobro do trabalho na metade do tempo
 
Como administrar o tempo
Como administrar o tempoComo administrar o tempo
Como administrar o tempo
 
interaction South America 2011 — Workshop
interaction South America 2011  — Workshopinteraction South America 2011  — Workshop
interaction South America 2011 — Workshop
 
Da empatia ao produto usando MVP
Da empatia ao produto usando MVPDa empatia ao produto usando MVP
Da empatia ao produto usando MVP
 
Workshop Sandbox Experience da Jane Vita
Workshop Sandbox Experience da Jane VitaWorkshop Sandbox Experience da Jane Vita
Workshop Sandbox Experience da Jane Vita
 
Potencialize as capacidades da sua organização com atividades colaborativas
Potencialize as capacidades da sua organização com atividades colaborativasPotencialize as capacidades da sua organização com atividades colaborativas
Potencialize as capacidades da sua organização com atividades colaborativas
 
TDC SP 2016 - Facilitação - Que momento o grupo se encontra?
TDC SP 2016 - Facilitação - Que momento o grupo se encontra?TDC SP 2016 - Facilitação - Que momento o grupo se encontra?
TDC SP 2016 - Facilitação - Que momento o grupo se encontra?
 
Design Thinking Weekend + SUA Jornada agora na SUA Cidade
Design Thinking Weekend + SUA Jornada agora na SUA CidadeDesign Thinking Weekend + SUA Jornada agora na SUA Cidade
Design Thinking Weekend + SUA Jornada agora na SUA Cidade
 
Engaje-se ao usuário para que ele se engaje a você - World Usability Day SP 2014
Engaje-se ao usuário para que ele se engaje a você - World Usability Day SP 2014Engaje-se ao usuário para que ele se engaje a você - World Usability Day SP 2014
Engaje-se ao usuário para que ele se engaje a você - World Usability Day SP 2014
 
O empreendedorismo é uma treta - Connect Coimbra @ FENGE 2012
O empreendedorismo é uma treta - Connect Coimbra @ FENGE 2012O empreendedorismo é uma treta - Connect Coimbra @ FENGE 2012
O empreendedorismo é uma treta - Connect Coimbra @ FENGE 2012
 
Oficina Design Thinking para Educadores - por Davi Moreno
Oficina Design Thinking para Educadores - por Davi MorenoOficina Design Thinking para Educadores - por Davi Moreno
Oficina Design Thinking para Educadores - por Davi Moreno
 
Transformação Ágil, Digital ou Mental? - Palestra no Congresso do PMI-DF
Transformação Ágil, Digital ou Mental? - Palestra no Congresso do PMI-DFTransformação Ágil, Digital ou Mental? - Palestra no Congresso do PMI-DF
Transformação Ágil, Digital ou Mental? - Palestra no Congresso do PMI-DF
 
Lean Startup - Introdução
Lean Startup - IntroduçãoLean Startup - Introdução
Lean Startup - Introdução
 
Inspetor Bugiganga - pesquisas criativas para desenvolvimento ágil
Inspetor Bugiganga - pesquisas criativas para desenvolvimento ágilInspetor Bugiganga - pesquisas criativas para desenvolvimento ágil
Inspetor Bugiganga - pesquisas criativas para desenvolvimento ágil
 

Semelhante a Criando e testando produtos em 24h

Pocket Content Design Sprint: testando ideias em apenas cinco dias
Pocket Content Design Sprint: testando ideias em apenas cinco diasPocket Content Design Sprint: testando ideias em apenas cinco dias
Pocket Content Design Sprint: testando ideias em apenas cinco dias
MJV Technology & Innovation Brasil
 
Mindset de entrega vs mindset de resultado - Product Starter 2019
Mindset de entrega vs mindset de resultado - Product Starter 2019Mindset de entrega vs mindset de resultado - Product Starter 2019
Mindset de entrega vs mindset de resultado - Product Starter 2019
Marcell Almeida
 
[Product Starter] Marcell Almeida - Mindset de entrega vs Mindset de Resultado
[Product Starter] Marcell Almeida - Mindset de entrega vs Mindset de Resultado[Product Starter] Marcell Almeida - Mindset de entrega vs Mindset de Resultado
[Product Starter] Marcell Almeida - Mindset de entrega vs Mindset de Resultado
Product Camp Brasil
 
Criacao produtos-em-24h
Criacao produtos-em-24hCriacao produtos-em-24h
Criacao produtos-em-24h
Romulo Tavares
 
Google Design Sprint
Google Design SprintGoogle Design Sprint
Google Design Sprint
Pedro Prá
 
UI Lab Experience - Como Utilizar a Metodologia Google Design Sprint
UI Lab Experience - Como Utilizar a Metodologia Google Design SprintUI Lab Experience - Como Utilizar a Metodologia Google Design Sprint
UI Lab Experience - Como Utilizar a Metodologia Google Design Sprint
UI Lab
 
Design Centrado no Ser Humano
Design Centrado no Ser HumanoDesign Centrado no Ser Humano
Design Centrado no Ser Humano
Juliana Feitosa Andrade
 
O que é empreender? (Parte II)
O que é empreender? (Parte II)O que é empreender? (Parte II)
O que é empreender? (Parte II)
Bruno Perin
 
Criando e testando produtos em 24 horas
Criando e testando produtos em 24 horasCriando e testando produtos em 24 horas
Criando e testando produtos em 24 horas
Romulo Tavares
 
Amostra
AmostraAmostra
"Mas eu não tenho experiência..." E daí??? - Como quebrar o ciclo vicioso de...
 "Mas eu não tenho experiência..." E daí??? - Como quebrar o ciclo vicioso de... "Mas eu não tenho experiência..." E daí??? - Como quebrar o ciclo vicioso de...
"Mas eu não tenho experiência..." E daí??? - Como quebrar o ciclo vicioso de...
Julio Cesar Nunes de Souza
 
Workshop Criatividade e Design Thinking
Workshop Criatividade e Design ThinkingWorkshop Criatividade e Design Thinking
Workshop Criatividade e Design Thinking
Bruno Duarte
 
Quebrando o Gelo por Rodrigo Narcizo
Quebrando o Gelo por Rodrigo NarcizoQuebrando o Gelo por Rodrigo Narcizo
Quebrando o Gelo por Rodrigo Narcizo
Rodrigo Narcizo
 
1- Design Sprint, para apresentaçõe se estudos sobre marketing
1- Design Sprint, para apresentaçõe se estudos sobre marketing1- Design Sprint, para apresentaçõe se estudos sobre marketing
1- Design Sprint, para apresentaçõe se estudos sobre marketing
Eduardo Mendes Alves
 
Colabora Mundo
Colabora MundoColabora Mundo
Colabora Mundo
Juliana Feitosa Andrade
 
Excelência - PUC
Excelência - PUCExcelência - PUC
Excelência - PUC
almeidaricardo
 
Weme School | Design Thinking
Weme School | Design ThinkingWeme School | Design Thinking
Weme School | Design Thinking
Fernanda Bisso
 
210513apresentacaodt 130718220307-phpapp02d
210513apresentacaodt 130718220307-phpapp02d210513apresentacaodt 130718220307-phpapp02d
210513apresentacaodt 130718220307-phpapp02d
Nelida Affonso
 
Inovação e Design - Estética ou Funcionalidade CPBR9
Inovação e Design - Estética ou Funcionalidade CPBR9Inovação e Design - Estética ou Funcionalidade CPBR9
Inovação e Design - Estética ou Funcionalidade CPBR9
Karuan Bertoluci
 
Design Sprint - Método Google para Inovação - by Erica Marques
Design Sprint - Método Google para Inovação - by Erica MarquesDesign Sprint - Método Google para Inovação - by Erica Marques
Design Sprint - Método Google para Inovação - by Erica Marques
Erica Marques
 

Semelhante a Criando e testando produtos em 24h (20)

Pocket Content Design Sprint: testando ideias em apenas cinco dias
Pocket Content Design Sprint: testando ideias em apenas cinco diasPocket Content Design Sprint: testando ideias em apenas cinco dias
Pocket Content Design Sprint: testando ideias em apenas cinco dias
 
Mindset de entrega vs mindset de resultado - Product Starter 2019
Mindset de entrega vs mindset de resultado - Product Starter 2019Mindset de entrega vs mindset de resultado - Product Starter 2019
Mindset de entrega vs mindset de resultado - Product Starter 2019
 
[Product Starter] Marcell Almeida - Mindset de entrega vs Mindset de Resultado
[Product Starter] Marcell Almeida - Mindset de entrega vs Mindset de Resultado[Product Starter] Marcell Almeida - Mindset de entrega vs Mindset de Resultado
[Product Starter] Marcell Almeida - Mindset de entrega vs Mindset de Resultado
 
Criacao produtos-em-24h
Criacao produtos-em-24hCriacao produtos-em-24h
Criacao produtos-em-24h
 
Google Design Sprint
Google Design SprintGoogle Design Sprint
Google Design Sprint
 
UI Lab Experience - Como Utilizar a Metodologia Google Design Sprint
UI Lab Experience - Como Utilizar a Metodologia Google Design SprintUI Lab Experience - Como Utilizar a Metodologia Google Design Sprint
UI Lab Experience - Como Utilizar a Metodologia Google Design Sprint
 
Design Centrado no Ser Humano
Design Centrado no Ser HumanoDesign Centrado no Ser Humano
Design Centrado no Ser Humano
 
O que é empreender? (Parte II)
O que é empreender? (Parte II)O que é empreender? (Parte II)
O que é empreender? (Parte II)
 
Criando e testando produtos em 24 horas
Criando e testando produtos em 24 horasCriando e testando produtos em 24 horas
Criando e testando produtos em 24 horas
 
Amostra
AmostraAmostra
Amostra
 
"Mas eu não tenho experiência..." E daí??? - Como quebrar o ciclo vicioso de...
 "Mas eu não tenho experiência..." E daí??? - Como quebrar o ciclo vicioso de... "Mas eu não tenho experiência..." E daí??? - Como quebrar o ciclo vicioso de...
"Mas eu não tenho experiência..." E daí??? - Como quebrar o ciclo vicioso de...
 
Workshop Criatividade e Design Thinking
Workshop Criatividade e Design ThinkingWorkshop Criatividade e Design Thinking
Workshop Criatividade e Design Thinking
 
Quebrando o Gelo por Rodrigo Narcizo
Quebrando o Gelo por Rodrigo NarcizoQuebrando o Gelo por Rodrigo Narcizo
Quebrando o Gelo por Rodrigo Narcizo
 
1- Design Sprint, para apresentaçõe se estudos sobre marketing
1- Design Sprint, para apresentaçõe se estudos sobre marketing1- Design Sprint, para apresentaçõe se estudos sobre marketing
1- Design Sprint, para apresentaçõe se estudos sobre marketing
 
Colabora Mundo
Colabora MundoColabora Mundo
Colabora Mundo
 
Excelência - PUC
Excelência - PUCExcelência - PUC
Excelência - PUC
 
Weme School | Design Thinking
Weme School | Design ThinkingWeme School | Design Thinking
Weme School | Design Thinking
 
210513apresentacaodt 130718220307-phpapp02d
210513apresentacaodt 130718220307-phpapp02d210513apresentacaodt 130718220307-phpapp02d
210513apresentacaodt 130718220307-phpapp02d
 
Inovação e Design - Estética ou Funcionalidade CPBR9
Inovação e Design - Estética ou Funcionalidade CPBR9Inovação e Design - Estética ou Funcionalidade CPBR9
Inovação e Design - Estética ou Funcionalidade CPBR9
 
Design Sprint - Método Google para Inovação - by Erica Marques
Design Sprint - Método Google para Inovação - by Erica MarquesDesign Sprint - Método Google para Inovação - by Erica Marques
Design Sprint - Método Google para Inovação - by Erica Marques
 

Último

História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
TomasSousa7
 
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdfCertificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
joaovmp3
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
Faga1939
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Danilo Pinotti
 
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdfEscola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Gabriel de Mattos Faustino
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Momento da Informática
 
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
Momento da Informática
 

Último (8)

História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
 
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdfCertificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
 
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
 
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdfEscola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
 
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
 

Criando e testando produtos em 24h

  • 1. Eduardo Insaurriaga: UX designer na globo.com por mais de 6 anos. Romulo Tav desenvolvedor de software na globo.com por mais de 5 anos.Para começar a criando e testando produtos em 24h. Scrum Gathering Rio 2015 Eduardo Insaurriaga Romulo Tavares
  • 2. Se vocês já passaram pela experiência de desenvolver um produto por meses a fio e no fim ele foi jogado fora ou não fez sucesso, vocês provavelmente sentiram que desperdiçaram o tempo de vocês, mas que pelo menos aprenderam o que não repetir num próximo. Esse gosto ruim se chama fracasso. frustração.
  • 3. Mas fracassar na construção de um produto é algo normal e que acontece muitas vezes na vida de todos que trabalham. O que precisamos fazer é acelerar esses fracassos para não é magia…
  • 5. Exemplo: Duke Nukem Forever, a sequência de jogo de muito sucesso da década de 90 que levou mais de 4 anos pra ser lançado. Quando saiu, já estava completamente não levar anos para descobrir que fracassou.
  • 6. – Eric Ries ^ìíçê=ÇÉ=ÚiÉ~å=pí~êíìéÛ “Levar muito tempo para lançar um produto pode levar ao desperdício final: fazer algo que ninguém quer.
  • 7. Nos últimos anos surgiram diversas metodologias de desenvolvimento de software, como Agile, Scrum e Lean Startup, que buscam exatamente acelerar o processo de entregas, para que cada vez mais rápido a gente descubra se o produto vai ser ou não um fracasso.
  • 8. Então, por que não levar ao extremo e construir um produto em 24 horas? Que tal já ter um cheiro se o produto faz sentido ou não, se é viável ou não, ou mesmo quão difícil é após apenas 24 horas? 24h.
  • 9. É aí que surgem iniciativas como hack days ou hackathons, que são eventos que duram 24 horas, a fim de criar um produto minimamente usável. O resultado desses eventos é uma série de novos produtos além de um conjunto de inovações. hackdays.
  • 10. Um exemplo de produto criado em hack day é o Gmail, criado por um desenvolvedor que queria usar a busca do Google dentro do seu e-mail corporativo. gmail.
  • 11. Outro exemplo é o botão de like do Facebook. facebook like.
  • 12. – Eric Ries ^ìíçê=ÇÉ=ÚiÉ~å=pí~êíìéÛ “A única forma de vencer é aprendendo mais rápido do que qualquer outro.
  • 13. Na globo.com a iniciativa do Hack Day surgiu há cerca de 3 anos, e logo no começo montamos um time para participar. Nosso time é formado por pessoas de todas as áreas da empresa, e alguns nunca haviam trabalhado juntos, e até hoje já criamos mais de 8 produtos em Hack Days. Isso levou muita gente a questionar o que é que fazíamos de diferente. Então decidimos elencar alguns pontos que vamos mostrar para vocês agora.
  • 15. Quando se trabalha em equipe é natural que as pessoas tenham seus pr objetivos, e essa é uma questão que se não for acordada logo no início dores de cabeça, pois cada pessoa pode seguir por um caminho diferen produto ao fracasso. Muita gente fala sobre alinhar as expectativas, ma alinhe as expectativas.
  • 16. Contar os desejos e objetivos para as pessoas com quem a gente trabalha, de uma forma franca e sem medo. Digo o que espero delas, o que espero do produto que vamos criar. Essa atitude simples de se reunir e discutir o que cada um deseja, ajuda a achar um desejo em comum ou até mesmo a criar um desejo em comum as pessoas se identificam e se abrem para discutir ideias e para de fato discutir o produto. seja sincero.
  • 17. – Steve Jobs cìåÇ~Ççê=Ç~=^ééäÉ “Inovação não é sobre dinheiro. É sobre as pessoas que você tem, como as conduz e o quanto você quer isto.
  • 18. Um exemplo desse alinhamento nos Hack Days foi o Pipoca, um repositório de informações de filmes e séries, com destaque para as produções da Globo. O alinhamento da equipe foi que todos queriam projetar algo que causasse o efeito Wow na empresa, e com as mesmas expectativas, a gente conseguiu ir além como equipe. pipoca.
  • 19. Apesar de parecer extremamente simples, poucas equipes de fato tem um objetivo claro. Criar um objetivo que seja claro para todo mundo é uma das tarefas mais complicadas que existe, mas ela é facilitada quando você já alinhou as expectativas antes. Quando todos os integrantes de uma equipe possuem o objetivo bem definido em suas mentes não é necessário que você diga a alguém o que fazer e é provável que você sinta que todos estão na mesma velocidade que você para alcançar o objetivo. objetivo claro.
  • 20. Para criar um objetivo é necessário unir o desejo de todos os integrantes, é necessário colocar todo mundo no mesmo barco em busca de um desejo comum. É fácil se perder no momento da criação desse objetivo, então existem algumas perguntas-chave para fazer nesses momentos: “Que efeito a gente quer causar nas pessoas? Qual a posição que a gente quer alcançar?” Essas duas perguntas ajudam as pessoas a definir um rumo, e esse rumo deve ser revisitado a todo momento em cada decisão do time. onde você quer chegar?
  • 22. Um exemplo disso foi o RECAP, uma retrospectiva automática. Queríamos provar que podíamos usar os sistemas existentes para fazer retrospectivas automáticas. recap.
  • 23. Uma vez que a equipe já decidiu por um objetivo, está na hora de criar ideias, e a melhor coisa para fazer as ideias surgirem é simplesmente deixar as pessoas botarem elas pra fora. Uma boa ideia é formada por todo o time, e para que isso funcione, não vale roubar! Ou seja, não vale passar dias pensando numa ideia, cheia de detalhes e aí apresentar no brainstorm. Em uma equipe bem integrada, você lança ideias novas e vê os outros modificando e iterando essas ideias. brainstorm.
  • 24. Um bom brainstorm é o resultado do trabalho em equipe. É extremamente importante que a ideia escolhida seja aceita por todos, não basta apenas ter sido escolhida por alguém ou pela maioria, ela deve ter o dedo de cada um da equipe e deve ser aceita por todos, caso contrário esse integrante não vai se empenhar o máximo que ele pode para fazer a ideia dar certo. É preciso ter ownership. resultado de equipe.
  • 25. Exemplo: Tudo Sobre, sistema para seguir notícias e redes sociais dos famosos prediletos. O brainstorm desse projeto começou com alguém dizendo que queria receber notícias só de quem ele gostava. A gente evoluiu essa ideia pra um aplicativo que permite o usuário seguir os famosos que quiser, com um feed que traz os conteúdos oficiais dos famosos nas redes sociais e as notícias desse famoso na globo.com. tudo sobre.
  • 26. – Bill Gates cìåÇ~Ççê=Ç~=jáÅêçëçÑí “Inovação em software requer habilidade de colaboração, compartilhar ideias, de sentar e falar com seu cliente, ouvir seu feedback e entender o que ele precisa.
  • 27. Mesmo se tratando de um processo que dura 24 horas, é bom que a gente não perca nem uma hora com uma ideia que não vai dar certo, então depois de criar a ideia no brainstorm vale a pena validar essa ideia com pessoas de fora, para descobrir se isso interessa as pessoas, se esse produto já existe e até mesmo se já tentaram. valide a ideia.
  • 28. Para nós esse é o ponto que de fato faz a inovação acontecer e é algo que não vamos muito no nosso dia-a-dia de trabalho, na verdade as pessoas tem certo medo disso. Definir um goal impossível tem a ver com crescer a ideia inicial, expandi-la até certo ponto que notoriamente seja impossível ou pelo menos muito difícil de alcançar. defina um goal impossível.
  • 29. Hoje em dia estamos acostumados com o interativo e incremental, e é como se estivéssemos dentro de um labirinto: temos visão limitada, só sabemos o que está na nossa reta, e às vezes quando fazemos a curva descobrimos que não há mais como avançar por esse caminho. Quando você gasta algumas horas antes de começar a tocar a ideia, expandindo ela, tentando imaginar outros usos, outras conexões, é como se você tivesse uma visão do alto do mesmo labirinto, por mais que você não enxergue tudo ainda, você pode pelo menos observar alguns caminhos que não se sustentam. Às vezes expandir uma ideia torna ela mais fácil de ser executada e ainda por cima supera as expectativas das pessoas, além de tornar possível alguns ganhos que jamais poderiam ser imaginados. expanda para simplificar.
  • 30. Um grande exemplo disso é o reCAPTCHA do Google. Para proteger formulários de ataques robôs colocando imagens para ser decifradas, eles expandiram a ideia e conectá-la com o serviço de digitalização de livros, fazendo com que as pessoas decifrassem trechos de livros que o computador não era capaz. Além de proteger formulários o reCAPTCHA também ajudava a digitalizar milhões de livros, que de outra forma levariam dezenas ou centenas de anos. O Google faz muito isso e, não é à toa, na declaração de missão deles consta que todos os funcionários devem mirar no impossível para alcançar feitos grandiosos.
  • 31. – Bruce Wayne ^äíÉê=ÉÖç=Çç=_~íã~å “Tudo é impossível até alguém fazer.
  • 32. Exemplo: Tudo Sobre. Começamos com a ideia de uma app, expandimos para alguns serviços genéricos para a empresa: uma arquitetura com 5 APIs e uma app para Android. tudo sobre.
  • 33. Agora que você já tem uma boa ideia e um goal impossível, você precisa saber muito bem por onde começar, pois senão no final não vai ter nada. Não existe falta de tempo, existe falta de prioridade. Temos dificuldade em priorizar coisas, isso por que a gente precisa lidar com muitas coisas ao mesmo tempo, seja num projeto de 3 meses ou seja num projeto de 24 horas. Para isso a gente usa uma ferramenta muito simples que é se perguntar: “O que a gente consegue fazer em 1 mês? E em uma semana? Em um dia? Então comece por aí.” defina bem as prioridades.
  • 34. Além dessa técnica existe um outro ponto importante: É fácil definir como prioridade o que a gente já conhece, mas na verdade a gente precisa começar justamente pelas incertezas do seu produto, se você tem uma feature principal e ela tem incertezas, ela tem que ser a primeira coisa pra gente testar: não adianta passar horas fazendo firulas e quando chegar na feature principal descobrir que precisava de mais tempo. Qualquer coisa que não for essencial no produto tem ficar para o período de tempo que sobrar. comece pelas incertezas.
  • 35. – Stephen R. Covey ^ìíçê=ÇÉ=Úlë=T=e•Äáíçë=Ç~ë=mÉëëç~ë=^äí~ãÉåíÉ=bÑáÅ~òÉëÛ “Muitas pessoas gastam muito tempo no que é urgente, e não no que é importante.
  • 36. Exemplo: Colecionáveis, uma ferramenta de álbum de figurinhas. A gente sabia o que fazer em 24h, e o que fazer se sobrasse tempo. A gente começou pelas funcionalidades de ganhar e trocar figurinhas, e fizemos isso sem cadastros e experiência de uso definidas, que são partes do trabalho que a gente domina. colecionáveis.
  • 37. Mesmo falando de um período de 24 horas, cada hora é importante e não deve ser desperdiçada, portanto se algo não está dando certo deve ser substituído ou cortado, não adianta passar as 24 horas tentando fazer uma única coisa funcionar. reaja rapidamente.
  • 38. Exemplo: Globo Insights, dashboard de trends para os editores. Em nossa ideia, queríamos trazer trends do Facebook, mas descobrimos que o Facebook não permitia acessar esse tipo de dado. Então abortamos e criamos a função Timehop, que trazia aquilo que bombou há 1 ano atrás, e essa foi uma das features mais elogiadas pelos editores. Detalhe: os editores começaram a usar a ferramenta logo após a entrega do Hack Day. globo insights.
  • 39. Depois dessas 24 horas é preciso vender o produto, e isso é extremamente necessário, pois só quando você mostra o produto para alguém é que você descobre onde errou ou o que pode melhorar, ou pode até descobrir um uso completamente novo pro seu produto. Esta etapa pode parecer óbvia, mas é onde se comete os maiores erros, porque muitas vezes a gente tem vergonha de mostrar um produto inacabado ou quando a gente mostra a gente não escuta de fato o que os clientes tem a dizer sobre o produto. venda o produto.
  • 40. – Reid Hoffman `bl=Çç=iáåâÉÇfå “Se você não ficar envergonhado da 1ª versão do seu produto é porque você lançou tarde demais.
  • 41. Exemplo: Fanáticos FC, um comparador parcial de times de futebol. Mesmo incompleto, a gente vendeu o Fanáticos com uma clara visão de futuro. Esse projeto foi pioneiro na globo.com no programa de 20% de um trimestre para desenvolvimento de um projeto selecionado. Nossa primeira ação foi mostrar o projeto para a redação do Globoesporte. Eles acharam incompleto, mas se surpreenderam por ser o resultado de 1 dia de trabalho. fanáticos fc.
  • 42. Após tentar vender seu produto você precisa parar e analisar o que fez de errado ou o que poderia ter feito melhor, tanto sob a sua perspectiva quanto pelo feedback dado pelo cliente para quem você tentou vender. A melhor maneira de fazer isso é sendo crítico com seu trabalho. Não coloque a culpa nos outros por não terem entendido o que o seu produto faz ou por não desejarem seu produto. Tente pensar em como ele poderia ser melhor a partir dos feedbacks que você recebeu. reveja os erros.
  • 43. – Jony Ive `al=Ç~=^ééäÉ “Não há aprendizado sem ter muitas ideias e sem falhar muitas vezes.
  • 44. Uma vez que você listou todos os erros que você e sua equipe cometeram no produto, procure maneiras de fazer diferente e não cometer o erro novamente. Pode ser que o produto que você criou realmente não tenha como corrigir, mas procure não cometer o mesmo erro nos próximos produtos que você irá criar. aprenda.
  • 45. – Rita Mae Brown ^ìíçê~=É=~íáîáëí~=éçäííáÅ~ “A definição de insanidade é fazer a mesma coisa repetidamente e esperar resultados diferentes.
  • 46. Exemplo: Colecionáveis, a ferramenta de álbum de figurinhas. Fizemos ele muito próximo da Copa de 2014, e o projeto era grande demais, inviabilizando a venda. Aprendemos a nos anteciparmos. colecionáveis.
  • 47. Mais do que construir um produto, esse processo ajuda a construir uma equipe integrada, motivada e orgulhosa do trabalho que realiza. Cada equipe tem uma personalidade, e essa personalidade precisa ser registrada em algum lugar para que possa ajudar a guiar a equipe nos próximos desafios. extraia a essência da equipe.
  • 48. Foi como a gente chegou na “Identidade Bauer.” A gente montou um documento da nossa equipe, com objetivo, meta, compromissos e valores do nosso grupo. Vocês podem descobrir que o que a equipe de vocês mais preza é inovação. Se vocês tiverem isso registrado, vocês podem consultar sempre que houver um novo projeto, e isso evita colocar a equipe em um projeto que não agrade as pessoas ou até mesmo transformar o projeto para se adequar à personalidade da equipe. identidade bauer.
  • 49. Terminamos fazendo um convite à vocês, um convite para vocês testarem esse processo que a gente apresentou. E um pedido: não se deixem vencer pela rotina do dia-a-dia. Sabemos que existem muitos com um potencial incrível só esperando ter a chance de fazer a diferença. Na maior parte das vezes, essa condição pode ser criada por nós mesmos, com atitudes bem simples. A gente podem sim trabalhar com vontade, gerar uma inovação absurda e chegar ao final de um ciclo com a sensação de orgulho, bater no peito e dizer “fui eu que fiz!” agora é com vocês.