SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
Baixar para ler offline
AVALIAÇÃO DA AURÍCULOTERAPIA NA DOR
MUSCULAR EM COLABORADORES DA
UNIVERSIDADE DO VALE DO PARAÍBA
Aveline Ventura
Bianca Felippe Susigan
Clara Ribeiro de Oliveira
Eliane de Oliveira Artreich
Lara de Melo Goedert
Por volta de 1970 emergiu no Brasil
o tema das praticas integrativas
complementares (PICs);
Atualmente a 77% dos brasileiros se
automedicam contra sintomas de
dor;
Originada na China e França, a
auriculoterapia tem o intuito de
regular o organismo estimulando
pontos na orelha .
Introdução
Pontos Básicos
Sistema Nervoso autônomo (SNA);
Fígado;
Colabora nas afecções de músculos e tendões, em casos de
dor, rigidez e lesões.
Rim;
Estimula a filtração do sangue, promovendo a eliminação de
toxinas e oxigenação tecidual.
Shenmem.
Importante na analgesia, sedação, calmante e anti-
inflamatória.
Metodologia
Os possíveis participantes na Universidade do Vale do Paraíba foram
abordados mediante apresentação de um Folder e uma breve
explicação sobre o projeto;
Os indivíduos que optaram pela aceitação plena, assinaram o Termo de
Consentimento Livre e Esclarecido e após este, o procedimento foi
realizado com 7 funcionárias da UNIVAP, que sofrem de dor física
crônica e receberam 04 seções de auriculoterapia nos principais
Shenmen, rim, fígado e sistema nervoso autônomo.
Metodologia
A sequência de etapas para realizar o procedimento envolveu a assepsia
da orelha, que preferencialmente foi a orelha contrária ao que o
participante dorme, com álcool 70%, para a desinfecção do local antes
de cada aplicação. Em seguida foi realizada a sangria no ápice do
pavilhão auricular, como um método de tratamento complementar
dentro da auriculoterapia que consiste da pulsão de capilares ou veias na
superfície da pele, com o auxílio de uma lanceta descartável.
Para a realização da auriculoterapia foram utilizadas sementes de Vacaria
sp, aplicada nos pontos auriculares e fixados com fita microporosa.
Resultados
O presente estudo realizou a técnica da auriculoterapia em 07 participantes voluntários, sendo todos do sexo feminino,
colaboradores da UNIVAP com idades entre 37 e 64 anos
Gráfico 01 – Faixa etária
Resultados
A ingestão de água é necessária uma vez que a água promove a circulação sanguínea, influenciando diretamente nos
pontos excitados na auriculoterapia, com relação a isso foi observado que, dentre as participantes, 5 realizavam ingestão
de água suficiente por dia
Gráfico 02 - Ingestão de água
Resultados
Com relação a prática de exercícios físicos, foi constatado que somente 3 participantes praticavam algum tipo de exercício
físico (participantes 1, 3 e 4) enquanto que 4 não realizavam (participantes 5, 6, 7 e 9).
Gráfico 03 – Prática de Exercício físico
Resultados
Gráfico 04 – Dor durante a semana
A pesquisa obteve resultados significativos com relação ao alivio da dor durante a semana, uma vez que em 100% dos
casos houve diminuição após o tratamento.
Resultados
Gráfico 05 – Dor durante o momento
Contudo, com relação a dor no momento da realização da ficha de análise clínica antes da realização do tratamento e
depois, foi observado a diminuição da dor após o final do tratamento de somente 4 participantes (participantes 1, 6, 7 e
9). É importante constatar que a participante 05 não preencheu a ficha antes da realização do tratamento e por isso
não foi colocado o dado no gráfico.
Resultados
Gráfico 06 - Alívio da Dor
Segundo os dados estatísticos coletados durante a realização do presente estudo, 7 pacientes foram
avaliados, dos quais os resultados demonstram índices de melhora que variam de 40% a 100%, no
entanto analisando a média geral dos pacientes como um todo, foi observado que o procedimento
atingiu a média de 80% no que se refere ao alívio dos sintomas da dor.
Discussão
O presente estudo realizado apenas em mulheres, foi constatado durante as sessões uma
melhora significativa no alívio da dor em 100% dos participantes;
Apresentando um resultado estatístico de 70% em média na melhora da dor nos
participantes;
Um estudo realizado por YEH et al (2013), em que utilizaram a auriculoterapia para intervir
na dor de participantes do sexo feminino, foi possível observar uma melhora de 70% na dor
que foi medida por um algômetro. Se comparado ao presente estudo, foi obtido um
resultado semelhante;
A maioria das participantes desta pesquisa demonstram realizar uma ingestão suficiente de
água diariamente, o que contribui significativamente na ação da auriculoterapia;
Os achados deste estudo demonstram que a auriculoterapia mostra-se como um artifício
benéfico para manter os trabalhadores com níveis positivos de vigor e energia.
Conclusão
Os resultados da pesquisa indicam que a auriculoterapia mostrou-se eficaz no tratamento da dor
crônica em colaboradores da UNIVAP. Observou-se uma redução significativa da dor, melhoria na
qualidade de vida e alta satisfação dos participantes com o tratamento. Esses achados reforçam o
potencial promissor da auriculoterapia como uma opção terapêutica para o alívio da dor crônica e
o aumento do bem-estar dos indivíduos afetados. Por ser acessível, de fácil manipulação, baixo
custo, e não possuir efeitos colaterais significativos, a auriculoterapia mostra-se um método
vantajoso e eficaz para o tratamento de diversas disfunções. Servindo tanto para a promoção,
prevenção, tratamento e auxílio na reabilitação.
Referências Bibliográficas
PERSIGO, Ana Luiza Kowalski et al. PERFIL DOS PACIENTES COM DOR CRÔNICA EM USO DA AURICULOTERAPIA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA. In: Congresso Internacional em Saúde. 2021. Disponivel em:
AS PRÁTICAS, MINISTÉRIO DA SAÚDE. Disponivel em: https://www.gov.br/saude/pt-br/composicao/saps/pics/as-praticas. Acesso em: 31 de Agosto de 2023.
ARTIOLI, Dérrick Patrick; TAVARES, Alana Ludemila de Freitas; BERTOLINI, Gladson Ricardo Flor. Auriculoterapia: neurofisiologia, pontos de escolha, cronograma e resultados em condições dolorosas
musculoesqueléticas: revisão sistemática de revisões. BrJP , v. 2, p. 356-361, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/j/brjp/a/9pVWPsNM8b59ZSwydtjBk8C/?lang=pt. Acesso em 11 de Setembro de
2023.
CLEELAND, C. S. The Brief Pain Inventory User Guide. Houston: University of Texas M. D. Anderson Cancer Center, 2009.
HISTÓRICO, MINISTERIO DA SAÚDE. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/composicao/saps/pics/historico Acesso em: 31 de Agosto de 2023.
MEDICINAS TRADICIONAIS, COMPLEMENTARES E INTEGRATIVAS, OPAS. Disponível em: https://www.paho.org/pt/topicos/medicinas-tradicionais-complementares-e-integrativas. Acesso em: 30 de
Agosto de 2023.
MORAIS, Bruna et al. Auriculoterapia para redução da dor crônica na coluna vertebral em trabalhadores da saúde: ensaio clínico. Auriculoterapia para redução da dor crônica na coluna vertebral em
trabalhadores da saúde: ensaio clínico, [S. l.], p. 1 - 12, 8 abr. 2023. Disponivel em: https://www.scielo.br/j/rlae/a/Pm8yfwW4fwnsfQ8xnHbV7Rw/?lang=es. Acesso em:
MORAIS, Bruna; ONGARO, Juliana; ALMEIDA, Franciele; LUZ, Emanuelli; GRECO, Patrícia; MAGNAGO, Tânia. Auriculoterapia e redução da dor musculoesquelética crônica: revisão integrativa.
Auriculoterapia e redução da dor musculoesquelética crônica: revisão integrativa , [S. l.], p. 1 - 9, 24 maio 2020. Dispinovel em: https://www.scielo.br/j/reben/a/Z4XLb9j8CGL9xtfbzrCzztQ/?
format=html&lang=pt. Acesso em
SOUZA, Robson. Auriculoterapia no tratamento da dor: uma revisão de literatura. Auriculoterapia no tratamento da dor: uma revisão de literatura, [S. l.], p. 1 - 6, 6 ago. 2022. Disponivel em:
https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/33065. Acesso em:
.
SILVA, A. P. G. DA .; ARAÚJO, M. DAS G. R. DE .; GUERINO, M. R.. Efeitos da auriculoterapia com sementes de mostarda na dor lombar crônica de profissionais de enfermagem. Fisioterapia e Pesquisa, v.
28, n. 2, p. 136–144, abr. 2021. Disponível em: https://www.scielo.br/j/fp/a/yPPCYygwppQG3MQs7McmHrs/#
SOUZA, Robson. Auriculoterapia no tratamento da dor: uma revisão de literatura. Auriculoterapia no tratamento da dor: uma revisão de literatura, [S. l.], p. 1 - 6, 6 ago. 2022. Disponivel em:
https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/33065.
VIGANÓ, Julia Rosa et al. Auriculoterapia: método alternativo para o combate do estresse. Acta Elit Salutis, v. 2, n. 1, p. 24-24, 2020. Disponível em: AURICULOTERAPIA: MÉTODO ALTERNATIVO PARA O
COMBATE DO ESTRESSE | Acta Elit Salutis (unioeste.br)
Referências Bibliográficas
AS PRÁTICAS, MINISTÉRIO DA SAÚDE. Disponivel em: https://www.gov.br/saude/pt-br/composicao/saps/pics/as-praticas.
ARTIOLI, Dérrick Patrick; TAVARES, Alana Ludemila de Freitas; BERTOLINI, Gladson Ricardo Flor. Auriculoterapia: neurofisiologia, pontos de escolha, cronograma e resultados em condições dolorosas
musculoesqueléticas: revisão sistemática de revisões. BrJP , v. 2, p. 356-361, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/j/brjp/a/9pVWPsNM8b59ZSwydtjBk8C/?lang=pt.
CLEELAND, C. S. The Brief Pain Inventory User Guide. Houston: University of Texas M. D. Anderson Cancer Center, 2009.
HISTÓRICO, MINISTERIO DA SAÚDE. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/composicao/saps/pics/historico
MEDICINAS TRADICIONAIS, COMPLEMENTARES E INTEGRATIVAS, OPAS. Disponível em: https://www.paho.org/pt/topicos/medicinas-tradicionais-complementares-e-integrativas.
MORAIS, Bruna; ONGARO, Juliana; ALMEIDA, Franciele; LUZ, Emanuelli; GRECO, Patrícia; MAGNAGO, Tânia. Auriculoterapia e redução da dor musculoesquelética crônica: revisão integrativa.
Auriculoterapia e redução da dor musculoesquelética crônica: revisão integrativa , [S. l.], p. 1 - 9, 24 maio 2020. Dispinovel em: https://www.scielo.br/j/reben/a/Z4XLb9j8CGL9xtfbzrCzztQ/?
format=html&lang=pt.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Conferência de Pesquisa_20240216_111327_0000.pdf

75298-Texto do artigo-101935-1-10-20140224.pdf
75298-Texto do artigo-101935-1-10-20140224.pdf75298-Texto do artigo-101935-1-10-20140224.pdf
75298-Texto do artigo-101935-1-10-20140224.pdfHelenKatharine
 
Bandagem funcional artigo 1
Bandagem funcional   artigo 1Bandagem funcional   artigo 1
Bandagem funcional artigo 1MarlonKlein3
 
Revista Fisiomagazine Edição.02
Revista Fisiomagazine Edição.02Revista Fisiomagazine Edição.02
Revista Fisiomagazine Edição.02Terapia Manual
 
Cuidados Paliativos - Menos é mais, Um enfoque sobre o custo da obstinação te...
Cuidados Paliativos - Menos é mais, Um enfoque sobre o custo da obstinação te...Cuidados Paliativos - Menos é mais, Um enfoque sobre o custo da obstinação te...
Cuidados Paliativos - Menos é mais, Um enfoque sobre o custo da obstinação te...Marcelo Palmier
 
Aurículoterapia - Débora Garcia
Aurículoterapia - Débora GarciaAurículoterapia - Débora Garcia
Aurículoterapia - Débora GarciaFelipe Galdiano
 
Pilates na Lombalgia crônica - relato de casos
Pilates na Lombalgia crônica - relato de casosPilates na Lombalgia crônica - relato de casos
Pilates na Lombalgia crônica - relato de casosDra. Welker Fisioterapeuta
 
Apresentação pioatrite e piomiosite
Apresentação pioatrite e piomiositeApresentação pioatrite e piomiosite
Apresentação pioatrite e piomiositeEvelyn Monte
 
Benefícios da Terapia de Reflexo (Reflexologia) para pacientes com câncer e a...
Benefícios da Terapia de Reflexo (Reflexologia) para pacientes com câncer e a...Benefícios da Terapia de Reflexo (Reflexologia) para pacientes com câncer e a...
Benefícios da Terapia de Reflexo (Reflexologia) para pacientes com câncer e a...Sandro Pedrol
 
Técnicas de conservação de energia
Técnicas de conservação de energiaTécnicas de conservação de energia
Técnicas de conservação de energiaresenfe2013
 
Efeito da técnica isostretching no equilíbrio postural
Efeito da técnica isostretching no equilíbrio posturalEfeito da técnica isostretching no equilíbrio postural
Efeito da técnica isostretching no equilíbrio posturalMelissa Louyse Duarte
 
Acupuntura veterinaria
Acupuntura veterinariaAcupuntura veterinaria
Acupuntura veterinariaLeonora Mello
 
Cartilha- Cinesioterapia para pessoas idosas (5).pdf
Cartilha- Cinesioterapia para pessoas idosas (5).pdfCartilha- Cinesioterapia para pessoas idosas (5).pdf
Cartilha- Cinesioterapia para pessoas idosas (5).pdfbeeatrizsilvaa567
 
Dicas para preservação de potência e continência sem prejudicar o controle on...
Dicas para preservação de potência e continência sem prejudicar o controle on...Dicas para preservação de potência e continência sem prejudicar o controle on...
Dicas para preservação de potência e continência sem prejudicar o controle on...Urovideo.org
 

Semelhante a Conferência de Pesquisa_20240216_111327_0000.pdf (20)

Efeitos
EfeitosEfeitos
Efeitos
 
75298-Texto do artigo-101935-1-10-20140224.pdf
75298-Texto do artigo-101935-1-10-20140224.pdf75298-Texto do artigo-101935-1-10-20140224.pdf
75298-Texto do artigo-101935-1-10-20140224.pdf
 
Clipping 73
Clipping 73Clipping 73
Clipping 73
 
Bandagem funcional artigo 1
Bandagem funcional   artigo 1Bandagem funcional   artigo 1
Bandagem funcional artigo 1
 
ENFERMAGEM 7.pdf
ENFERMAGEM 7.pdfENFERMAGEM 7.pdf
ENFERMAGEM 7.pdf
 
Revista Fisiomagazine Edição.02
Revista Fisiomagazine Edição.02Revista Fisiomagazine Edição.02
Revista Fisiomagazine Edição.02
 
Cuidados Paliativos - Menos é mais, Um enfoque sobre o custo da obstinação te...
Cuidados Paliativos - Menos é mais, Um enfoque sobre o custo da obstinação te...Cuidados Paliativos - Menos é mais, Um enfoque sobre o custo da obstinação te...
Cuidados Paliativos - Menos é mais, Um enfoque sobre o custo da obstinação te...
 
Aurículoterapia - Débora Garcia
Aurículoterapia - Débora GarciaAurículoterapia - Débora Garcia
Aurículoterapia - Débora Garcia
 
Pilates na Lombalgia crônica - relato de casos
Pilates na Lombalgia crônica - relato de casosPilates na Lombalgia crônica - relato de casos
Pilates na Lombalgia crônica - relato de casos
 
Apresentação pioatrite e piomiosite
Apresentação pioatrite e piomiositeApresentação pioatrite e piomiosite
Apresentação pioatrite e piomiosite
 
Enfermeira Sandra.pdf
Enfermeira Sandra.pdfEnfermeira Sandra.pdf
Enfermeira Sandra.pdf
 
Hidro na reumato
Hidro na reumatoHidro na reumato
Hidro na reumato
 
Benefícios da Terapia de Reflexo (Reflexologia) para pacientes com câncer e a...
Benefícios da Terapia de Reflexo (Reflexologia) para pacientes com câncer e a...Benefícios da Terapia de Reflexo (Reflexologia) para pacientes com câncer e a...
Benefícios da Terapia de Reflexo (Reflexologia) para pacientes com câncer e a...
 
Técnicas de conservação de energia
Técnicas de conservação de energiaTécnicas de conservação de energia
Técnicas de conservação de energia
 
Efeito da técnica isostretching no equilíbrio postural
Efeito da técnica isostretching no equilíbrio posturalEfeito da técnica isostretching no equilíbrio postural
Efeito da técnica isostretching no equilíbrio postural
 
Acupuntura veterinaria
Acupuntura veterinariaAcupuntura veterinaria
Acupuntura veterinaria
 
2655 10034-3-pb
2655 10034-3-pb2655 10034-3-pb
2655 10034-3-pb
 
Medicina chinesa em oncologia - acupunctura e fitoterapia chinesa
Medicina chinesa em oncologia - acupunctura e fitoterapia chinesaMedicina chinesa em oncologia - acupunctura e fitoterapia chinesa
Medicina chinesa em oncologia - acupunctura e fitoterapia chinesa
 
Cartilha- Cinesioterapia para pessoas idosas (5).pdf
Cartilha- Cinesioterapia para pessoas idosas (5).pdfCartilha- Cinesioterapia para pessoas idosas (5).pdf
Cartilha- Cinesioterapia para pessoas idosas (5).pdf
 
Dicas para preservação de potência e continência sem prejudicar o controle on...
Dicas para preservação de potência e continência sem prejudicar o controle on...Dicas para preservação de potência e continência sem prejudicar o controle on...
Dicas para preservação de potência e continência sem prejudicar o controle on...
 

Último

Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismoEscala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismoJose Ribamar
 
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...quelenfermeira
 
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptxSlides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptxsaraferraz09
 
Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...
Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...
Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...TaniaN8
 
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdfATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdfWendelldaLuz
 
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptxanemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptxnarayaskara215
 
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso AutonomoFarmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso AutonomoPAULOVINICIUSDOSSANT1
 
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...Astrid Mühle Moreira Ferreira
 
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01perfilnovo3rich
 
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptxAULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptxLanaMonteiro8
 

Último (10)

Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismoEscala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
 
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
 
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptxSlides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
 
Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...
Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...
Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...
 
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdfATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
 
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptxanemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
 
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso AutonomoFarmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
 
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
 
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
 
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptxAULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
 

Conferência de Pesquisa_20240216_111327_0000.pdf

  • 1. AVALIAÇÃO DA AURÍCULOTERAPIA NA DOR MUSCULAR EM COLABORADORES DA UNIVERSIDADE DO VALE DO PARAÍBA Aveline Ventura Bianca Felippe Susigan Clara Ribeiro de Oliveira Eliane de Oliveira Artreich Lara de Melo Goedert
  • 2. Por volta de 1970 emergiu no Brasil o tema das praticas integrativas complementares (PICs); Atualmente a 77% dos brasileiros se automedicam contra sintomas de dor; Originada na China e França, a auriculoterapia tem o intuito de regular o organismo estimulando pontos na orelha . Introdução
  • 3. Pontos Básicos Sistema Nervoso autônomo (SNA); Fígado; Colabora nas afecções de músculos e tendões, em casos de dor, rigidez e lesões. Rim; Estimula a filtração do sangue, promovendo a eliminação de toxinas e oxigenação tecidual. Shenmem. Importante na analgesia, sedação, calmante e anti- inflamatória.
  • 4. Metodologia Os possíveis participantes na Universidade do Vale do Paraíba foram abordados mediante apresentação de um Folder e uma breve explicação sobre o projeto; Os indivíduos que optaram pela aceitação plena, assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido e após este, o procedimento foi realizado com 7 funcionárias da UNIVAP, que sofrem de dor física crônica e receberam 04 seções de auriculoterapia nos principais Shenmen, rim, fígado e sistema nervoso autônomo.
  • 5. Metodologia A sequência de etapas para realizar o procedimento envolveu a assepsia da orelha, que preferencialmente foi a orelha contrária ao que o participante dorme, com álcool 70%, para a desinfecção do local antes de cada aplicação. Em seguida foi realizada a sangria no ápice do pavilhão auricular, como um método de tratamento complementar dentro da auriculoterapia que consiste da pulsão de capilares ou veias na superfície da pele, com o auxílio de uma lanceta descartável. Para a realização da auriculoterapia foram utilizadas sementes de Vacaria sp, aplicada nos pontos auriculares e fixados com fita microporosa.
  • 6. Resultados O presente estudo realizou a técnica da auriculoterapia em 07 participantes voluntários, sendo todos do sexo feminino, colaboradores da UNIVAP com idades entre 37 e 64 anos Gráfico 01 – Faixa etária
  • 7. Resultados A ingestão de água é necessária uma vez que a água promove a circulação sanguínea, influenciando diretamente nos pontos excitados na auriculoterapia, com relação a isso foi observado que, dentre as participantes, 5 realizavam ingestão de água suficiente por dia Gráfico 02 - Ingestão de água
  • 8. Resultados Com relação a prática de exercícios físicos, foi constatado que somente 3 participantes praticavam algum tipo de exercício físico (participantes 1, 3 e 4) enquanto que 4 não realizavam (participantes 5, 6, 7 e 9). Gráfico 03 – Prática de Exercício físico
  • 9. Resultados Gráfico 04 – Dor durante a semana A pesquisa obteve resultados significativos com relação ao alivio da dor durante a semana, uma vez que em 100% dos casos houve diminuição após o tratamento.
  • 10. Resultados Gráfico 05 – Dor durante o momento Contudo, com relação a dor no momento da realização da ficha de análise clínica antes da realização do tratamento e depois, foi observado a diminuição da dor após o final do tratamento de somente 4 participantes (participantes 1, 6, 7 e 9). É importante constatar que a participante 05 não preencheu a ficha antes da realização do tratamento e por isso não foi colocado o dado no gráfico.
  • 11. Resultados Gráfico 06 - Alívio da Dor Segundo os dados estatísticos coletados durante a realização do presente estudo, 7 pacientes foram avaliados, dos quais os resultados demonstram índices de melhora que variam de 40% a 100%, no entanto analisando a média geral dos pacientes como um todo, foi observado que o procedimento atingiu a média de 80% no que se refere ao alívio dos sintomas da dor.
  • 12. Discussão O presente estudo realizado apenas em mulheres, foi constatado durante as sessões uma melhora significativa no alívio da dor em 100% dos participantes; Apresentando um resultado estatístico de 70% em média na melhora da dor nos participantes; Um estudo realizado por YEH et al (2013), em que utilizaram a auriculoterapia para intervir na dor de participantes do sexo feminino, foi possível observar uma melhora de 70% na dor que foi medida por um algômetro. Se comparado ao presente estudo, foi obtido um resultado semelhante; A maioria das participantes desta pesquisa demonstram realizar uma ingestão suficiente de água diariamente, o que contribui significativamente na ação da auriculoterapia; Os achados deste estudo demonstram que a auriculoterapia mostra-se como um artifício benéfico para manter os trabalhadores com níveis positivos de vigor e energia.
  • 13. Conclusão Os resultados da pesquisa indicam que a auriculoterapia mostrou-se eficaz no tratamento da dor crônica em colaboradores da UNIVAP. Observou-se uma redução significativa da dor, melhoria na qualidade de vida e alta satisfação dos participantes com o tratamento. Esses achados reforçam o potencial promissor da auriculoterapia como uma opção terapêutica para o alívio da dor crônica e o aumento do bem-estar dos indivíduos afetados. Por ser acessível, de fácil manipulação, baixo custo, e não possuir efeitos colaterais significativos, a auriculoterapia mostra-se um método vantajoso e eficaz para o tratamento de diversas disfunções. Servindo tanto para a promoção, prevenção, tratamento e auxílio na reabilitação.
  • 14. Referências Bibliográficas PERSIGO, Ana Luiza Kowalski et al. PERFIL DOS PACIENTES COM DOR CRÔNICA EM USO DA AURICULOTERAPIA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA. In: Congresso Internacional em Saúde. 2021. Disponivel em: AS PRÁTICAS, MINISTÉRIO DA SAÚDE. Disponivel em: https://www.gov.br/saude/pt-br/composicao/saps/pics/as-praticas. Acesso em: 31 de Agosto de 2023. ARTIOLI, Dérrick Patrick; TAVARES, Alana Ludemila de Freitas; BERTOLINI, Gladson Ricardo Flor. Auriculoterapia: neurofisiologia, pontos de escolha, cronograma e resultados em condições dolorosas musculoesqueléticas: revisão sistemática de revisões. BrJP , v. 2, p. 356-361, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/j/brjp/a/9pVWPsNM8b59ZSwydtjBk8C/?lang=pt. Acesso em 11 de Setembro de 2023. CLEELAND, C. S. The Brief Pain Inventory User Guide. Houston: University of Texas M. D. Anderson Cancer Center, 2009. HISTÓRICO, MINISTERIO DA SAÚDE. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/composicao/saps/pics/historico Acesso em: 31 de Agosto de 2023. MEDICINAS TRADICIONAIS, COMPLEMENTARES E INTEGRATIVAS, OPAS. Disponível em: https://www.paho.org/pt/topicos/medicinas-tradicionais-complementares-e-integrativas. Acesso em: 30 de Agosto de 2023. MORAIS, Bruna et al. Auriculoterapia para redução da dor crônica na coluna vertebral em trabalhadores da saúde: ensaio clínico. Auriculoterapia para redução da dor crônica na coluna vertebral em trabalhadores da saúde: ensaio clínico, [S. l.], p. 1 - 12, 8 abr. 2023. Disponivel em: https://www.scielo.br/j/rlae/a/Pm8yfwW4fwnsfQ8xnHbV7Rw/?lang=es. Acesso em: MORAIS, Bruna; ONGARO, Juliana; ALMEIDA, Franciele; LUZ, Emanuelli; GRECO, Patrícia; MAGNAGO, Tânia. Auriculoterapia e redução da dor musculoesquelética crônica: revisão integrativa. Auriculoterapia e redução da dor musculoesquelética crônica: revisão integrativa , [S. l.], p. 1 - 9, 24 maio 2020. Dispinovel em: https://www.scielo.br/j/reben/a/Z4XLb9j8CGL9xtfbzrCzztQ/? format=html&lang=pt. Acesso em SOUZA, Robson. Auriculoterapia no tratamento da dor: uma revisão de literatura. Auriculoterapia no tratamento da dor: uma revisão de literatura, [S. l.], p. 1 - 6, 6 ago. 2022. Disponivel em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/33065. Acesso em: . SILVA, A. P. G. DA .; ARAÚJO, M. DAS G. R. DE .; GUERINO, M. R.. Efeitos da auriculoterapia com sementes de mostarda na dor lombar crônica de profissionais de enfermagem. Fisioterapia e Pesquisa, v. 28, n. 2, p. 136–144, abr. 2021. Disponível em: https://www.scielo.br/j/fp/a/yPPCYygwppQG3MQs7McmHrs/# SOUZA, Robson. Auriculoterapia no tratamento da dor: uma revisão de literatura. Auriculoterapia no tratamento da dor: uma revisão de literatura, [S. l.], p. 1 - 6, 6 ago. 2022. Disponivel em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/33065. VIGANÓ, Julia Rosa et al. Auriculoterapia: método alternativo para o combate do estresse. Acta Elit Salutis, v. 2, n. 1, p. 24-24, 2020. Disponível em: AURICULOTERAPIA: MÉTODO ALTERNATIVO PARA O COMBATE DO ESTRESSE | Acta Elit Salutis (unioeste.br)
  • 15. Referências Bibliográficas AS PRÁTICAS, MINISTÉRIO DA SAÚDE. Disponivel em: https://www.gov.br/saude/pt-br/composicao/saps/pics/as-praticas. ARTIOLI, Dérrick Patrick; TAVARES, Alana Ludemila de Freitas; BERTOLINI, Gladson Ricardo Flor. Auriculoterapia: neurofisiologia, pontos de escolha, cronograma e resultados em condições dolorosas musculoesqueléticas: revisão sistemática de revisões. BrJP , v. 2, p. 356-361, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/j/brjp/a/9pVWPsNM8b59ZSwydtjBk8C/?lang=pt. CLEELAND, C. S. The Brief Pain Inventory User Guide. Houston: University of Texas M. D. Anderson Cancer Center, 2009. HISTÓRICO, MINISTERIO DA SAÚDE. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/composicao/saps/pics/historico MEDICINAS TRADICIONAIS, COMPLEMENTARES E INTEGRATIVAS, OPAS. Disponível em: https://www.paho.org/pt/topicos/medicinas-tradicionais-complementares-e-integrativas. MORAIS, Bruna; ONGARO, Juliana; ALMEIDA, Franciele; LUZ, Emanuelli; GRECO, Patrícia; MAGNAGO, Tânia. Auriculoterapia e redução da dor musculoesquelética crônica: revisão integrativa. Auriculoterapia e redução da dor musculoesquelética crônica: revisão integrativa , [S. l.], p. 1 - 9, 24 maio 2020. Dispinovel em: https://www.scielo.br/j/reben/a/Z4XLb9j8CGL9xtfbzrCzztQ/? format=html&lang=pt.