SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
Baixar para ler offline
Lições Adultos Ensinos de Jesus
Lição 5 - Como ser salvo 26 de julho a 2 de agosto
Sábado - “Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja
levantado, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna!”. Jo 3:14-15, ARC.
O levantamento da serpente de bronze [Núm. 21:4-9] deveria ensinar a Israel uma importante lição. Não
poderiam salvar a si mesmos dos efeitos fatais do veneno em seus ferimentos. Apenas Deus os poderia
curar. Contudo exigia-se-lhes mostrar fé no meio que Ele provera. Deviam olhar, a fim de viverem. A
sua fé é que era aceitável diante de Deus; e, olhando a serpente, mostravam a sua fé. Sabiam que não
havia virtude na serpente mesma, mas era ela um símbolo de Cristo; e a necessidade de fé em Seus méritos
era-lhes assim apresentada ao espírito. Até ali muitos haviam trazido suas ofertas a Deus, e entendiam que
assim fazendo efetuavam uma ampla expiação por seus pecados. Não depositavam sua confiança no
Redentor vindouro, de quem essas ofertas eram apenas um tipo. O Senhor queria agora ensinar-lhes que
seus sacrifícios em si mesmos, não tinham mais poder nem virtude do que a serpente de bronze,
mas deviam, como aquela, dirigir a mente a Cristo, a grande oferta pelo pecado. …
Os israelitas salvaram a própria vida olhando para a serpente levantada. Aquele olhar envolvia fé.
Viviam porque acreditavam na palavra de Deus, e confiavam no meio provido para o seu
restabelecimento. Assim o pecador pode olhar a Cristo, e viver. Recebe perdão pela fé no sacrifício
expiatório. Diferente do símbolo inerte e inanimado, Cristo tem poder e virtude em Si mesmo para curar o
pecador arrependido. Patriarcas e Profetas, págs. 430-431.
Domingo - Reconheça sua necessidade Ano Bíblico: Is 15–19
1. Leia Lucas 5:27-32. Como você pode saber em qual grupo está?
27 Depois disso saiu e, vendo um publicano chamado Levi, sentado na coletoria, disse-lhe: Segue-
me. 28 Este, deixando tudo, levantou-se e o seguiu. 29 Deu-lhe então Levi um lauto banquete em sua casa;
havia ali grande número de publicanos e outros que estavam com eles à mesa. 30 Murmuravam, pois, os
fariseus e seus escribas contra os discípulos, perguntando: Por que comeis e bebeis com publicanos e
pecadores? 31 Respondeu-lhes Jesus: Não necessitam de médico os sãos, mas sim os enfermos; 32 eu
não vim chamar justos, mas pecadores, ao arrependimento. Lc 5:27-32, ARA
"Por que come o vosso Mestre com os publicanos e pecadores?" indagaram os invejosos rabis. Mat. 9:11.
Jesus não esperou que os discípulos respondessem à acusação, mas replicou Ele próprio: "Não necessitam
de médico os sãos, mas sim os doentes. Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não
sacrifício. Porque Eu não vim a chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento." Mat. 9:12 e 13.
Os fariseus pretendiam ser espiritualmente sãos e portanto, não necessitados de médico, ao passo
que consideravam os publicanos e gentios como perecendo das moléstias da alma. Não era, pois,
Sua obra, como médico, procurar a própria classe que Lhe necessitava o auxílio?
Conquanto os fariseus presumissem tanto de si, encontravam-se na verdade em piores condições
que aqueles a quem desprezavam. Os publicanos eram menos hipócritas e presunçosos, estando
assim mais aptos a receber a influência da verdade. Jesus disse aos rabis: "Ide, ... e aprendei o que
significa: Misericórdia quero, e não sacrifício." Mat. 9:13. Mostrou assim que, ao passo que pretendiam
ser expositores da Palavra de Deus, lhe ignoravam por completo o espírito. O Desejado de Todas as
Nações, 275.
Deus não pode unir-Se aos que, colocando-se em primeiro lugar, vivem para agradar a si mesmos.
Os que assim procedem, no fim hão de ser os, últimos de todos. O pecado que mais se aproxima de ser
incurável é o orgulho da opinião própria e o egoísmo. Isso impede todo o crescimento. Quando o
homem tem defeitos de caráter, e não obstante deixa de reconhecê-los; quando está tão possuído de
presunção que não vê a sua falta, como pode então ser purificado? "Não necessitam de médico os sãos,
mas sim, os doentes." Mat. 9:12. Como pode alguém aperfeiçoar-se, se já se considera perfeito?
Testemunhos Seletos, vol. 3, págs. 183 e 184.
ramos@advir.comramos@advir.com
2. Como nossos olhos espirituais podem ser abertos para que reconheçamos nossa desesperada
necessidade de um Salvador? Jo 16:8.
E quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo: Jo 16:8, ARA
As mentes que são avivadas pelo Espírito Santo discernirão o valor destas palavras. Quando nossos olhos
forem ungidos com o santo colírio, seremos capazes de descobrir as preciosas gemas da verdade, ainda
que elas estejam enterradas bem abaixo da superfície. Review and Herald, 14 de fevereiro de 1899.
A função do Espírito Santo é distintamente especificada nas palavras de Cristo: "E quando Ele vier,
convencerá o mundo do pecado, e da justiça, e do juízo." João 16:8. É o Espírito Santo que convence do
pecado. Se o pecador atende à vivificadora influência do Espírito, será levado ao arrependimento e
despertado para a importância de obedecer aos reclamos divinos.
Ao pecador arrependido, faminto e sedento de justiça, o Espírito Santo revela o Cordeiro de Deus que tira o
pecado do mundo. "Ele... há de receber do que é Meu, e vo-lo há de anunciar", disse Cristo. João 16:14.
"Esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito." João 14:26.
O Espírito é dado como agente de regeneração, para tornar eficaz a salvação operada pela morte de nosso
Redentor. O Espírito está constantemente buscando atrair a atenção dos homens para a grande oferta
feita na cruz do Calvário, a fim de desvendar ao mundo o amor de Deus, e abrir às almas convictas as
preciosidades das Escrituras.
Havendo operado a convicção do pecado, e apresentado perante a mente a norma de justiça, o
Espírito Santo afasta as afeições das coisas da Terra, e enche a alma com o desejo de santidade. "Ele
vos guiará em toda a verdade", declarou o Salvador. João 16:13. Se os homens se dispuserem a ser
moldados, haverá a santificação de todo o ser. O Espírito tomará as coisas de Deus e lhas gravará na
alma. Por Seu poder o caminho da vida se tornará tão claro que ninguém o errará. Atos dos Apóstolos,
52-53.
Segunda - Arrependimento Ano Bíblico: Is 20–23
3. Jesus usou palavras fortes para enfatizar a necessidade universal de arrependimento, a fim de alcançar a
salvação. Qual mensagem Ele nos dá? Lc 13:1-5.
Chamada ao arrependimento
1 Ora, naquele mesmo tempo estavam presentes alguns que lhe falavam dos galileus cujo sangue Pilatos
misturara com os sacrifícios deles. 2 Respondeu-lhes Jesus: Pensais vós que esses foram maiores
pecadores do que todos os galileus, por terem padecido tais coisas? 3 Não, eu vos digo; antes, se não vos
arrependerdes, todos de igual modo perecereis. 4 Ou pensais que aqueles dezoito, sobre os quais caiu a
torre de Siloé e os matou, foram mais culpados do que todos os outros habitantes de Jerusalém? 5 Não, eu
vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis. Lc 13:1-5, ARA
Os ouvintes contaram a Jesus de um acontecimento que acabava de causar grande sensação. Algumas
medidas de Pôncio Pilatos, o governador da Judéia, escandalizaram o povo.
Houvera um levante em Jerusalém, e Pilatos tentara sufocá-lo pela violência. Numa ocasião seus
soldados invadiram o átrio do templo, e degolaram alguns peregrinos galileus, no ato de oferecer
seus sacrifícios. Os judeus consideravam a calamidade um castigo motivado pelos pecados das
vítimas; e aqueles que narravam esse ato de violência, faziam-no com satisfação íntima. Segundo
seu modo de ver, sua felicidade era prova de serem muito melhores, e por isso mais favorecidos de
Deus do que aqueles galileus. Esperavam ouvir de Jesus palavras de condenação sobre esses homens
que, sem dúvida, haveriam merecido a pena.
Os discípulos de Jesus não aventuravam exprimir sua própria opinião sem ter ouvido a de seu Mestre. Ele
lhes dera lições adequadas no tocante a julgar o caráter de outros homens e a medir a retribuição
conforme seu juízo acanhado. Contudo esperavam que Cristo denunciasse esses homens como
mais pecadores que os demais. Grande foi sua surpresa pela resposta.
ramos@advir.comramos@advir.com
Voltando-se para a multidão, o Salvador disse: "Cuidais vós que esses galileus foram mais pecadores do
que todos os galileus, por terem padecido tais coisas? Não, vos digo; antes, se vos não arrependerdes,
todos de igual modo perecereis." Luc. 13:2 e 3. Estas terríveis calamidades tinham por finalidade induzi-
los a humilhar o coração e arrepender-se de seus pecados. A tempestade da vingança acumulava-se,
para desencadear-se logo sobre todos os que não acharam refúgio em Cristo.
Falando Jesus aos discípulos e à multidão, olhava com visão profética para o futuro, e via Jerusalém sitiada
por exércitos. Ouvia o barulho dos estranhos que marchavam contra a cidade escolhida, e via-os, aos
milhares, perecendo no cerco. Muitos judeus eram então assassinados como aqueles galileus no átrio
do templo, no próprio ato de oferecerem o sacrifício. As calamidades que sobrevieram a alguns
indivíduos, eram advertências divinas a uma nação igualmente culpada. "Se vos não arrependerdes",
disse Jesus, "todos de igual modo perecereis." O tempo da graça duraria ainda um pouco para eles.
Ainda podiam conhecer as coisas que diziam respeito à sua paz. Parábolas de Jesus, 212-214.
Não nos arrependemos para que Deus nos ame, porém Ele nos revela Seu amor para que nos
arrependamos. Parábolas de Jesus, p. 189.
Terça - Crer em Jesus Ano Bíblico: Is 24–26
4. Para uma mulher que havia vivido no pecado, Jesus declarou: “Perdoados são os teus pecados. [...] A
tua fé te salvou” (Lc 7:48, 50). O que significa isso? Será que a nossa fé nos salva?
48 E disse a ela: Perdoados são os teus pecados. 49 Mas os que estavam com ele à mesa começaram a
dizer entre si: Quem é este que até perdoa pecados? 50 Jesus, porém, disse à mulher: A tua fé te salvou; vai-
te em paz. Lc 7:48-50, ARA
A fé que consegue levar-nos em vital contato com Cristo, exprime de nossa parte suprema preferência,
perfeita confiança, consagração inteira. Essa fé opera por amor e purifica a alma. Opera na vida do
seguidor de Cristo a verdadeira obediência aos mandamentos de Deus; pois amor a Deus e amor aos
homens será o resultado da vital ligação com Cristo. "Se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal
não é dEle." Rom. 8:9. Mensagens Escolhidas, v. 1. p. 334.
A fé é dom de Deus, mas a faculdade de exercê-la é nossa. A fé é a mão pela qual a alma se apodera
das ofertas divinas de graça e misericórdia. … Jesus empenhou Sua palavra; Ele salvará todos os
que a Ele se chegarem. Embora milhões que necessitam ser curados rejeitem Sua misericórdia que é
oferecida, nenhum dos que confiam em Seus méritos será deixado a perecer. Patriarcas e Profetas, págs.
431-432.
Quarta - Veste nupcial Ano Bíblico: Is 27–29
5. Leia Mateus 22:2-14. Por que o rei queria ter certeza de que todos os convidados tinham a veste
nupcial para a festa? O que essa veste representa? Is 61:10; Zc 3:1-5.
2 O reino dos céus é semelhante a um certo rei que celebrou as bodas de seu filho; 3 E enviou os seus
servos a chamar os convidados para as bodas, e estes não quiseram vir. 4 Depois, enviou outros servos,
dizendo: Dizei aos convidados: Eis que tenho o meu jantar preparado, os meus bois e cevados já mortos, e
tudo já pronto; vinde às bodas. 5 Eles, porém, não fazendo caso, foram, um para o seu campo, outro para o
seu tráfico; 6 E os outros, apoderando-se dos servos, os ultrajaram e mataram. 7 E o rei, tendo notícia disto,
encolerizou-se e, enviando os seus exércitos, destruiu aqueles homicidas, e incendiou a sua cidade. 8 Então
diz aos servos: As bodas, na verdade, estão preparadas, mas os convidados não eram dignos. 9 Ide, pois, às
saídas dos caminhos, e convidai para as bodas a todos os que encontrardes. 10 E os servos, saindo pelos
caminhos, ajuntaram todos quantos encontraram, tanto maus como bons; e a festa nupcial foi cheia de
convidados. 11 E o rei, entrando para ver os convidados, viu ali um homem que não estava trajado com veste
de núpcias. 12 E disse-lhe: Amigo, como entraste aqui, não tendo veste nupcial? E ele emudeceu. 13 Disse,
então, o rei aos servos: Amarrai-o de pés e mãos, levai-o, e lançai-o nas trevas exteriores; ali haverá pranto
e ranger de dentes. 14 Porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos. Mt 22:2-14, ACF
Regozijar-me-ei muito no Senhor, a minha alma se alegrará no meu Deus, porque me vestiu de vestes
de salvação, cobriu-me com o manto de justiça, como noivo que se adorna com uma grinalda, e como
noiva que se enfeita com as suas jóias. Is 61:10, ARA
ramos@advir.comramos@advir.com
1 E ele mostrou-me o sumo sacerdote Josué, o qual estava diante do anjo do SENHOR, e Satanás estava
à sua mão direita, para se lhe opor. 2 Mas o SENHOR disse a Satanás: O SENHOR te repreenda, ó Satanás,
sim, o SENHOR, que escolheu Jerusalém, te repreenda; não é este um tição tirado do fogo? 3 Josué,
vestido de vestes sujas, estava diante do anjo. 4 Então respondeu, aos que estavam diante dele,
dizendo: Tirai-lhe estas vestes sujas. E a Josué disse: Eis que tenho feito com que passe de ti a tua
iniquidade, e te vestirei de vestes finas. 5 E disse eu: Ponham-lhe uma mitra limpa sobre a sua cabeça. E
puseram uma mitra limpa sobre a sua cabeça, e vestiram-no das roupas; e o anjo do SENHOR estava em
pé. Zc 3:1-5, ACF
Quando o rei entrou para ver os convidados, foi revelado o verdadeiro caráter de todos. A cada um
foi provido um vestido de bodas. Essa veste era uma dádiva do rei. Usando-a, os convidados
demonstravam respeito ao doador da festa. Um homem, porém, estava com seus trajes comuns.
Recusara fazer a preparação exigida pelo rei. A veste provida para ele com grande custo, desdenhou
usar. Deste modo insultou seu senhor. À pergunta do rei: "Como entraste aqui, não tendo vestido
nupcial?" nada pôde responder. Condenou-se a si mesmo. Então o rei disse: "Amarrai-o de pés e mãos,
levai-o, e lançai-o nas trevas exteriores." Mat. 22:13.
O exame dos convidados pelo rei representa uma cena de julgamento. Os convidados à ceia do evangelho
são os que professam servir a Deus, cujos nomes estão escritos no livro da vida. Nem todos, porém, que
professam ser cristãos, são discípulos verdadeiros. Antes que seja dada a recompensa final, precisa ser
decidido quem está apto para participar da herança dos justos. Essa decisão deve ser feita antes da
segunda vinda de Cristo, nas nuvens do céu; porque quando Ele vier, o galardão estará com Ele "para dar a
cada um segundo a sua obra". Apoc. 22:12. Antes de Sua vinda o caráter da obra de cada um terá sido
determinado, e a cada seguidor de Cristo o galardão será concedido segundo seus atos.
Enquanto os homens ainda estão sobre a Terra, é que a obra do juízo investigativo se efetua nas cortes
celestes. A vida de todos os Seus professos seguidores é passada em revista perante Deus; todos são
examinados de conformidade com os relatórios nos livros do Céu, e o destino de cada um é fixado para
sempre de acordo com seus atos.
Pela veste nupcial da parábola é representado o caráter puro e imaculado, que os verdadeiros
seguidores de Cristo possuirão. Foi dado à igreja "que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente",
"sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante". O linho fino, diz a Escritura, "são as justiças dos santos".
Apoc. 19:8; Efés. 5:27; Apoc. 19:8. A justiça de Cristo e Seu caráter imaculado, é, pela fé, comunicada a
todos os que O aceitam como Salvador pessoal. ... Estas vestes de Sua própria justiça, Cristo dará a
toda pessoa arrependida e crente. Parábolas de Jesus, págs. 309-311.
A parábola das bodas [Mat. 22:1-14] apresenta-nos uma lição da mais elevada importância. ... Pela veste
nupcial da parábola é representado o caráter puro e imaculado, que os verdadeiros seguidores de
Cristo possuirão. ... O linho fino, diz a Escritura, "é a justiça dos santos". Apoc. 19:8. A justiça de Cristo
e Seu caráter imaculado, é, pela fé, comunicada a todos os que O aceitam como Salvador pessoal.
A veste branca de inocência foi usada por nossos primeiros pais, quando foram postos por Deus no
santo Éden. Viviam eles em perfeita conformidade com a vontade de Deus. ... Luz bela e suave, a luz
de Deus, envolvia o santo par. ... Ao entrar o pecado, porém, cortaram sua ligação com Deus, e
desapareceu a luz que os cingia. Nus e envergonhados, procuraram suprir os vestidos celestiais, cosendo
folhas de figueira para uma cobertura. Parábolas de Jesus, págs. 307-311.
Não podemos prover-nos de vestes de justiça por nós mesmos, pois diz o profeta: "Todas as nossas
justiças, são como trapo da imundícia." Isa. 64:6. Não existe em nós coisa alguma com a qual possamos
vestir o caráter, de modo que não apareça sua nudez. Temos de receber as vestes da justiça tecidas
no tear do Céu - com efeito, a pura veste da justiça de Cristo. Review and Herald, 19 de julho de 1892.
Ensinem-se os jovens e crianças a escolher para si aquela veste real tecida nos teares celestiais - o "linho...
puro e resplandecente" (Apoc. 19:8), que todos os santos da Terra usarão. Tal veste - o próprio caráter
imaculado de Cristo - é livremente oferecida a todo ser humano. Mas todos os que a recebem, a
receberão e usarão aqui. Educação, pág. 249.
Seu Pai celestial te tirará as vestes manchadas de pecados. Na bela profecia de Zacarias, o sumo sacerdote
Josué, que estava em pé diante do anjo do Senhor, com vestimentas imundas, representa o pecador. E o
Senhor disse: "Tirai-lhe estas vestes sujas. E a ele lhe disse: Eis que tenho feito com que passe de ti a tua
ramos@advir.comramos@advir.com
iniquidade e te vestirei de vestes novas. ... E puseram uma mitra limpa sobre sua cabeça e o vestiram de
vestes." Zac. 3:4 e 5. Assim Deus o vestirá de "vestes de salvação", e o cobrirá com o "manto da justiça".
Isa. 61:10. … "Se andares nos Meus caminhos", declara, "te darei lugar entre os que estão aqui", mesmo
entre os santos anjos que circundam Seu trono. Zac. 3:7. Parábolas de Jesus, págs. 206 e 207.
Quinta - Siga Jesus Ano Bíblico: Is 30–33
6. Quais dois elementos são essenciais para ser discípulo de Jesus? Jo 8:30, 31.
30 Dizendo ele estas coisas, muitos creram nele. 31 Jesus dizia, pois, aos judeus que criam nele: Se vós
permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos. Jo 8:30, 31, ACF
O evangelho de Jesus Cristo contém os grandiosos princípios de toda a verdade, expressos numa
vida de pureza. Em amor e verdadeira justiça devem esses princípios ser proclamados ao mundo. Em
todas as nossas relações uns com os outros devemos obedecer aos preceitos da lei de Deus. "E a
favor deles Eu Me santifico a Mim mesmo, para que eles também sejam santificados na verdade. Não rogo
somente por estes, mas também por aqueles que vierem a crer em Mim, por intermédio da sua palavra."
João 17:19 e 20.
De todas essas palavras vemos quanto depende do caráter de todos aqueles que pretendem crer no
evangelho de Jesus Cristo. Pela vida dos seguidores de Cristo o mundo julgará o Salvador. Se
alguém, por palavra ou ação, se afasta dos vivos princípios da verdade, desonra seu Salvador e expõe
Cristo ao vitupério.
Creia toda pessoa em Cristo e receba o poder que Cristo prometeu, para que seja um filho de Deus,
defendendo conscienciosamente a verdade, estando seus princípios entrelaçados com suas
palavras, com seu espírito e com todas as suas obras. Assim os cristãos podem tornar-se uma influência
refinadora e purificadora, labutando contra a religião falsa e a incredulidade. Sua presença traz consigo a
grandiosa influência dos princípios celestiais, tornando-os, por meio de Cristo, uma honra para o
evangelho. Eles aumentam em poder para comunicar a santificadora graça do Céu, obtendo continuamente
maior influência mediante sua crescente reverência pela verdade. Seu coração se acha repleto da paz de
Cristo. Carta 327, 1905.
7. Qual é o alto custo de ser um discípulo de Jesus? Lc 14:25-27.
25 Ora, ia com ele uma grande multidão; e, voltando-se, disse-lhe: 26 Se alguém vier a mim, e não
aborrecer a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs, e ainda também a sua própria vida,
não pode ser meu discípulo. 27 E qualquer que não levar a sua cruz, e não vier após mim, não pode
ser meu discípulo. Lc 14:25-27, ACF
Muitos seriam seguidores de Cristo caso Ele descesse da cruz e lhes aparecesse da maneira como
desejam. Caso Ele viesse com riquezas e prazer, muitos O receberiam de boa vontade, e se
apressariam a coroá-Lo Senhor de todos. Se tão-somente Ele pusesse de lado Sua humilhação e
sofrimentos e exclamasse: "Se alguém quiser vir após Mim, agrade-se a si mesmo e desfrute o mundo, e
será Meu discípulo", multidões haviam de crer nEle. Mas o bendito Jesus não virá a nós em outro caráter
senão como o manso e humilde Crucificado. Importa que participemos de Sua abnegação e sofrimento aqui
se desejarmos receber a coroa no além. …
A Palavra de Deus não alargou o caminho estreito, e se a multidão encontrou uma estrada em que
podem usar uma forma de piedade e não levar a cruz ou sofrer tribulação, acharam um caminho que
o Salvador não palmilhou, e seguem outro exemplo que não o que nos foi dado por Cristo. Não basta
que Jesus deixasse a felicidade e a glória do Céu, suportasse uma vida de pobreza e profunda aflição, e
morresse de morte cruel e ignominiosa a fim de proporcionar-nos as alegrias da santidade e do Céu? E pode
dar-se que nós, os indignos objetos de tão grande condescendência e amor, busquemos nesta vida uma
porção melhor do que a que foi dada a nosso Redentor? Carta 2, 1861.
Quão fácil seria o caminho para o Céu se não houvesse nada de abnegação ou de cruz! Como os
mundanos correriam para esse caminho, e os hipócritas, sem conta, o trilhariam! Graças a Deus pela cruz,
a abnegação. A ignomínia e a vergonha que nosso Salvador suportou por nós, não é de modo algum
demasiado humilhante para aqueles que foram salvos pela aquisição de Seu sangue. O Céu será em
verdade bastante fácil. Carta 9, 1873.
ramos@advir.comramos@advir.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A grande batalha espiritual (adriano conceição da silva – luiz fernando marti...
A grande batalha espiritual (adriano conceição da silva – luiz fernando marti...A grande batalha espiritual (adriano conceição da silva – luiz fernando marti...
A grande batalha espiritual (adriano conceição da silva – luiz fernando marti...
Deusdete Soares
 
O Clamor de um Desviado - Marthin lloyd Jones
O Clamor de um Desviado - Marthin lloyd JonesO Clamor de um Desviado - Marthin lloyd Jones
O Clamor de um Desviado - Marthin lloyd Jones
Rosangela Borkoski
 
Jesus e as sinagogas - n.17
Jesus e as sinagogas - n.17Jesus e as sinagogas - n.17
Jesus e as sinagogas - n.17
Graça Maciel
 
Agonia de cristo, por jonathan edwards
Agonia de cristo, por jonathan edwardsAgonia de cristo, por jonathan edwards
Agonia de cristo, por jonathan edwards
Deusdete Soares
 
Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012
Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012
Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012
Gerson G. Ramos
 
A excelência de cristo jonathan edwards
A excelência de cristo   jonathan edwardsA excelência de cristo   jonathan edwards
A excelência de cristo jonathan edwards
soarescastrodf
 
Frank e ida mae hammond porcos na sala
Frank e ida mae hammond   porcos na salaFrank e ida mae hammond   porcos na sala
Frank e ida mae hammond porcos na sala
eduardo cassim Cassim
 
O Grande Conflito
O Grande ConflitoO Grande Conflito
O Grande Conflito
frenjr
 
23474164 o-dom-maior-jonathan-edwards
23474164 o-dom-maior-jonathan-edwards23474164 o-dom-maior-jonathan-edwards
23474164 o-dom-maior-jonathan-edwards
Antonio Ferreira
 
Uma vida cheia do espírito charles g. finney r
Uma vida cheia do espírito   charles g. finney rUma vida cheia do espírito   charles g. finney r
Uma vida cheia do espírito charles g. finney r
Pr Waldenberg Assunção
 

Mais procurados (20)

Um grande evangelho para grandes pecadores c.h.spurgeon
Um grande evangelho para grandes pecadores  c.h.spurgeonUm grande evangelho para grandes pecadores  c.h.spurgeon
Um grande evangelho para grandes pecadores c.h.spurgeon
 
A grande batalha espiritual (adriano conceição da silva – luiz fernando marti...
A grande batalha espiritual (adriano conceição da silva – luiz fernando marti...A grande batalha espiritual (adriano conceição da silva – luiz fernando marti...
A grande batalha espiritual (adriano conceição da silva – luiz fernando marti...
 
O Clamor de um Desviado - Marthin lloyd Jones
O Clamor de um Desviado - Marthin lloyd JonesO Clamor de um Desviado - Marthin lloyd Jones
O Clamor de um Desviado - Marthin lloyd Jones
 
Discipulado_Estudo adicional_Com os ricos e famosos_812014
Discipulado_Estudo adicional_Com os ricos e famosos_812014Discipulado_Estudo adicional_Com os ricos e famosos_812014
Discipulado_Estudo adicional_Com os ricos e famosos_812014
 
Jesus e as sinagogas - n.17
Jesus e as sinagogas - n.17Jesus e as sinagogas - n.17
Jesus e as sinagogas - n.17
 
Agonia de cristo, por jonathan edwards
Agonia de cristo, por jonathan edwardsAgonia de cristo, por jonathan edwards
Agonia de cristo, por jonathan edwards
 
O coração do homem
O coração do homemO coração do homem
O coração do homem
 
Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012
Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012
Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012
 
O Coração do homem
O Coração do homem O Coração do homem
O Coração do homem
 
Os três campos de batalha parte 3 - NAS REGIÕES CELESTIAIS
Os três campos de batalha   parte 3 - NAS REGIÕES CELESTIAISOs três campos de batalha   parte 3 - NAS REGIÕES CELESTIAIS
Os três campos de batalha parte 3 - NAS REGIÕES CELESTIAIS
 
A multidão e Jesus
A multidão e JesusA multidão e Jesus
A multidão e Jesus
 
A excelência de cristo jonathan edwards
A excelência de cristo   jonathan edwardsA excelência de cristo   jonathan edwards
A excelência de cristo jonathan edwards
 
Lição 3: Justificação, somente pela fé em Jesus Cristo
Lição 3: Justificação, somente pela fé em Jesus CristoLição 3: Justificação, somente pela fé em Jesus Cristo
Lição 3: Justificação, somente pela fé em Jesus Cristo
 
Lição 912016_O grande conflito e a igreja primitiva + textos_GGR
Lição 912016_O grande conflito e a igreja primitiva + textos_GGRLição 912016_O grande conflito e a igreja primitiva + textos_GGR
Lição 912016_O grande conflito e a igreja primitiva + textos_GGR
 
Frank e ida mae hammond porcos na sala
Frank e ida mae hammond   porcos na salaFrank e ida mae hammond   porcos na sala
Frank e ida mae hammond porcos na sala
 
O Grande Conflito
O Grande ConflitoO Grande Conflito
O Grande Conflito
 
23474164 o-dom-maior-jonathan-edwards
23474164 o-dom-maior-jonathan-edwards23474164 o-dom-maior-jonathan-edwards
23474164 o-dom-maior-jonathan-edwards
 
Uma vida cheia do espírito charles g. finney r
Uma vida cheia do espírito   charles g. finney rUma vida cheia do espírito   charles g. finney r
Uma vida cheia do espírito charles g. finney r
 
A ultima geracao
A ultima geracaoA ultima geracao
A ultima geracao
 
Evangelho, o poder de deus
Evangelho, o poder de deusEvangelho, o poder de deus
Evangelho, o poder de deus
 

Destaque (13)

Ter e ser
Ter e serTer e ser
Ter e ser
 
A alma do mundo
A alma do mundoA alma do mundo
A alma do mundo
 
Egrégora
EgrégoraEgrégora
Egrégora
 
Murales
MuralesMurales
Murales
 
Cuidados para tomar dinheiro emprestado
Cuidados para tomar dinheiro emprestadoCuidados para tomar dinheiro emprestado
Cuidados para tomar dinheiro emprestado
 
Relato de experiência - EEEF Ezequiel Nunes Filho (Esteio)
Relato de experiência - EEEF Ezequiel Nunes Filho (Esteio)Relato de experiência - EEEF Ezequiel Nunes Filho (Esteio)
Relato de experiência - EEEF Ezequiel Nunes Filho (Esteio)
 
Pilates para océrebro
Pilates para océrebroPilates para océrebro
Pilates para océrebro
 
Ajax
AjaxAjax
Ajax
 
A face oculta_do_rock
A face oculta_do_rockA face oculta_do_rock
A face oculta_do_rock
 
Ajax
AjaxAjax
Ajax
 
25 eucaristia
25 eucaristia25 eucaristia
25 eucaristia
 
Reencarnação eEevolução
Reencarnação eEevoluçãoReencarnação eEevolução
Reencarnação eEevolução
 
Identidade Pessoal e Socialização
Identidade Pessoal e SocializaçãoIdentidade Pessoal e Socialização
Identidade Pessoal e Socialização
 

Semelhante a Como ser salvo_532014_GGR

Chamando todos os pecadores
Chamando todos os pecadoresChamando todos os pecadores
Chamando todos os pecadores
Jocileu Segundo
 
Apresentacao Grupo de pais - 30.03.2013 - Jesus e a doutrina espírita
Apresentacao Grupo de pais - 30.03.2013 - Jesus e a doutrina espíritaApresentacao Grupo de pais - 30.03.2013 - Jesus e a doutrina espírita
Apresentacao Grupo de pais - 30.03.2013 - Jesus e a doutrina espírita
grupodepaisceb
 

Semelhante a Como ser salvo_532014_GGR (20)

Respostas_Discipulando líderes espirituais_1112014
Respostas_Discipulando líderes espirituais_1112014Respostas_Discipulando líderes espirituais_1112014
Respostas_Discipulando líderes espirituais_1112014
 
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGRRespostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
 
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGRRespostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
 
Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Lição_original com t...
Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Lição_original com t...Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Lição_original com t...
Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Lição_original com t...
 
Discipulando os enfermos_Lição_original com textos_512014
Discipulando os enfermos_Lição_original com textos_512014Discipulando os enfermos_Lição_original com textos_512014
Discipulando os enfermos_Lição_original com textos_512014
 
❉ Respostas_812016_Companheiros de armas_GGR
❉ Respostas_812016_Companheiros de armas_GGR❉ Respostas_812016_Companheiros de armas_GGR
❉ Respostas_812016_Companheiros de armas_GGR
 
A paixão de nosso senhor jesus cristo v. ii
A paixão de nosso senhor jesus cristo v. ii   A paixão de nosso senhor jesus cristo v. ii
A paixão de nosso senhor jesus cristo v. ii
 
Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Resumo_632013
Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Resumo_632013Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Resumo_632013
Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Resumo_632013
 
❉ Respostas_222016_Início do ministério de Cristo_GGR
❉ Respostas_222016_Início do ministério de Cristo_GGR❉ Respostas_222016_Início do ministério de Cristo_GGR
❉ Respostas_222016_Início do ministério de Cristo_GGR
 
A divindade nos testemunhos
A divindade nos testemunhosA divindade nos testemunhos
A divindade nos testemunhos
 
Um ministério perpétuo
Um ministério perpétuo      Um ministério perpétuo
Um ministério perpétuo
 
Como ser salvo_Lição_original com textos_532014
Como ser salvo_Lição_original com textos_532014Como ser salvo_Lição_original com textos_532014
Como ser salvo_Lição_original com textos_532014
 
.......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx
.......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx.......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx
.......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx
 
Lição 13 jesus cristo o modelo supremo de caráter_editado
Lição 13 jesus cristo o modelo supremo de caráter_editadoLição 13 jesus cristo o modelo supremo de caráter_editado
Lição 13 jesus cristo o modelo supremo de caráter_editado
 
Respostas_Jesus e os excluídos sociais_712014
Respostas_Jesus e os excluídos sociais_712014Respostas_Jesus e os excluídos sociais_712014
Respostas_Jesus e os excluídos sociais_712014
 
Marcos 2.13 17
Marcos 2.13 17Marcos 2.13 17
Marcos 2.13 17
 
Conselhos sobre jogos
Conselhos sobre jogosConselhos sobre jogos
Conselhos sobre jogos
 
Chamando todos os pecadores
Chamando todos os pecadoresChamando todos os pecadores
Chamando todos os pecadores
 
Apresentacao Grupo de pais - 30.03.2013 - Jesus e a doutrina espírita
Apresentacao Grupo de pais - 30.03.2013 - Jesus e a doutrina espíritaApresentacao Grupo de pais - 30.03.2013 - Jesus e a doutrina espírita
Apresentacao Grupo de pais - 30.03.2013 - Jesus e a doutrina espírita
 
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGRLição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
 

Mais de Gerson G. Ramos

Mais de Gerson G. Ramos (20)

Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGRLição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
 
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGRLição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
 
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGRRespostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
 
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGRLição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
 
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGRRespostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
 
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGRLição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
 
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGRRespostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
 
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGRLição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
 
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRRespostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
 
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRLição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
 
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGRLição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
 
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGRLição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
 
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGRLição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
 
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGRRespostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
 
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGRLição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
 
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGRRespostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
 
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGRLição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
 
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGRRespostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
 
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGRLição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
 
Respostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Respostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGRRespostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Respostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
 

Último

O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
thandreola
 

Último (11)

EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdfEVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
 
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De Cássia
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
 
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
 

Como ser salvo_532014_GGR

  • 1. Lições Adultos Ensinos de Jesus Lição 5 - Como ser salvo 26 de julho a 2 de agosto Sábado - “Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna!”. Jo 3:14-15, ARC. O levantamento da serpente de bronze [Núm. 21:4-9] deveria ensinar a Israel uma importante lição. Não poderiam salvar a si mesmos dos efeitos fatais do veneno em seus ferimentos. Apenas Deus os poderia curar. Contudo exigia-se-lhes mostrar fé no meio que Ele provera. Deviam olhar, a fim de viverem. A sua fé é que era aceitável diante de Deus; e, olhando a serpente, mostravam a sua fé. Sabiam que não havia virtude na serpente mesma, mas era ela um símbolo de Cristo; e a necessidade de fé em Seus méritos era-lhes assim apresentada ao espírito. Até ali muitos haviam trazido suas ofertas a Deus, e entendiam que assim fazendo efetuavam uma ampla expiação por seus pecados. Não depositavam sua confiança no Redentor vindouro, de quem essas ofertas eram apenas um tipo. O Senhor queria agora ensinar-lhes que seus sacrifícios em si mesmos, não tinham mais poder nem virtude do que a serpente de bronze, mas deviam, como aquela, dirigir a mente a Cristo, a grande oferta pelo pecado. … Os israelitas salvaram a própria vida olhando para a serpente levantada. Aquele olhar envolvia fé. Viviam porque acreditavam na palavra de Deus, e confiavam no meio provido para o seu restabelecimento. Assim o pecador pode olhar a Cristo, e viver. Recebe perdão pela fé no sacrifício expiatório. Diferente do símbolo inerte e inanimado, Cristo tem poder e virtude em Si mesmo para curar o pecador arrependido. Patriarcas e Profetas, págs. 430-431. Domingo - Reconheça sua necessidade Ano Bíblico: Is 15–19 1. Leia Lucas 5:27-32. Como você pode saber em qual grupo está? 27 Depois disso saiu e, vendo um publicano chamado Levi, sentado na coletoria, disse-lhe: Segue- me. 28 Este, deixando tudo, levantou-se e o seguiu. 29 Deu-lhe então Levi um lauto banquete em sua casa; havia ali grande número de publicanos e outros que estavam com eles à mesa. 30 Murmuravam, pois, os fariseus e seus escribas contra os discípulos, perguntando: Por que comeis e bebeis com publicanos e pecadores? 31 Respondeu-lhes Jesus: Não necessitam de médico os sãos, mas sim os enfermos; 32 eu não vim chamar justos, mas pecadores, ao arrependimento. Lc 5:27-32, ARA "Por que come o vosso Mestre com os publicanos e pecadores?" indagaram os invejosos rabis. Mat. 9:11. Jesus não esperou que os discípulos respondessem à acusação, mas replicou Ele próprio: "Não necessitam de médico os sãos, mas sim os doentes. Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício. Porque Eu não vim a chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento." Mat. 9:12 e 13. Os fariseus pretendiam ser espiritualmente sãos e portanto, não necessitados de médico, ao passo que consideravam os publicanos e gentios como perecendo das moléstias da alma. Não era, pois, Sua obra, como médico, procurar a própria classe que Lhe necessitava o auxílio? Conquanto os fariseus presumissem tanto de si, encontravam-se na verdade em piores condições que aqueles a quem desprezavam. Os publicanos eram menos hipócritas e presunçosos, estando assim mais aptos a receber a influência da verdade. Jesus disse aos rabis: "Ide, ... e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício." Mat. 9:13. Mostrou assim que, ao passo que pretendiam ser expositores da Palavra de Deus, lhe ignoravam por completo o espírito. O Desejado de Todas as Nações, 275. Deus não pode unir-Se aos que, colocando-se em primeiro lugar, vivem para agradar a si mesmos. Os que assim procedem, no fim hão de ser os, últimos de todos. O pecado que mais se aproxima de ser incurável é o orgulho da opinião própria e o egoísmo. Isso impede todo o crescimento. Quando o homem tem defeitos de caráter, e não obstante deixa de reconhecê-los; quando está tão possuído de presunção que não vê a sua falta, como pode então ser purificado? "Não necessitam de médico os sãos, mas sim, os doentes." Mat. 9:12. Como pode alguém aperfeiçoar-se, se já se considera perfeito? Testemunhos Seletos, vol. 3, págs. 183 e 184. ramos@advir.comramos@advir.com
  • 2. 2. Como nossos olhos espirituais podem ser abertos para que reconheçamos nossa desesperada necessidade de um Salvador? Jo 16:8. E quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo: Jo 16:8, ARA As mentes que são avivadas pelo Espírito Santo discernirão o valor destas palavras. Quando nossos olhos forem ungidos com o santo colírio, seremos capazes de descobrir as preciosas gemas da verdade, ainda que elas estejam enterradas bem abaixo da superfície. Review and Herald, 14 de fevereiro de 1899. A função do Espírito Santo é distintamente especificada nas palavras de Cristo: "E quando Ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça, e do juízo." João 16:8. É o Espírito Santo que convence do pecado. Se o pecador atende à vivificadora influência do Espírito, será levado ao arrependimento e despertado para a importância de obedecer aos reclamos divinos. Ao pecador arrependido, faminto e sedento de justiça, o Espírito Santo revela o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. "Ele... há de receber do que é Meu, e vo-lo há de anunciar", disse Cristo. João 16:14. "Esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito." João 14:26. O Espírito é dado como agente de regeneração, para tornar eficaz a salvação operada pela morte de nosso Redentor. O Espírito está constantemente buscando atrair a atenção dos homens para a grande oferta feita na cruz do Calvário, a fim de desvendar ao mundo o amor de Deus, e abrir às almas convictas as preciosidades das Escrituras. Havendo operado a convicção do pecado, e apresentado perante a mente a norma de justiça, o Espírito Santo afasta as afeições das coisas da Terra, e enche a alma com o desejo de santidade. "Ele vos guiará em toda a verdade", declarou o Salvador. João 16:13. Se os homens se dispuserem a ser moldados, haverá a santificação de todo o ser. O Espírito tomará as coisas de Deus e lhas gravará na alma. Por Seu poder o caminho da vida se tornará tão claro que ninguém o errará. Atos dos Apóstolos, 52-53. Segunda - Arrependimento Ano Bíblico: Is 20–23 3. Jesus usou palavras fortes para enfatizar a necessidade universal de arrependimento, a fim de alcançar a salvação. Qual mensagem Ele nos dá? Lc 13:1-5. Chamada ao arrependimento 1 Ora, naquele mesmo tempo estavam presentes alguns que lhe falavam dos galileus cujo sangue Pilatos misturara com os sacrifícios deles. 2 Respondeu-lhes Jesus: Pensais vós que esses foram maiores pecadores do que todos os galileus, por terem padecido tais coisas? 3 Não, eu vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis. 4 Ou pensais que aqueles dezoito, sobre os quais caiu a torre de Siloé e os matou, foram mais culpados do que todos os outros habitantes de Jerusalém? 5 Não, eu vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis. Lc 13:1-5, ARA Os ouvintes contaram a Jesus de um acontecimento que acabava de causar grande sensação. Algumas medidas de Pôncio Pilatos, o governador da Judéia, escandalizaram o povo. Houvera um levante em Jerusalém, e Pilatos tentara sufocá-lo pela violência. Numa ocasião seus soldados invadiram o átrio do templo, e degolaram alguns peregrinos galileus, no ato de oferecer seus sacrifícios. Os judeus consideravam a calamidade um castigo motivado pelos pecados das vítimas; e aqueles que narravam esse ato de violência, faziam-no com satisfação íntima. Segundo seu modo de ver, sua felicidade era prova de serem muito melhores, e por isso mais favorecidos de Deus do que aqueles galileus. Esperavam ouvir de Jesus palavras de condenação sobre esses homens que, sem dúvida, haveriam merecido a pena. Os discípulos de Jesus não aventuravam exprimir sua própria opinião sem ter ouvido a de seu Mestre. Ele lhes dera lições adequadas no tocante a julgar o caráter de outros homens e a medir a retribuição conforme seu juízo acanhado. Contudo esperavam que Cristo denunciasse esses homens como mais pecadores que os demais. Grande foi sua surpresa pela resposta. ramos@advir.comramos@advir.com
  • 3. Voltando-se para a multidão, o Salvador disse: "Cuidais vós que esses galileus foram mais pecadores do que todos os galileus, por terem padecido tais coisas? Não, vos digo; antes, se vos não arrependerdes, todos de igual modo perecereis." Luc. 13:2 e 3. Estas terríveis calamidades tinham por finalidade induzi- los a humilhar o coração e arrepender-se de seus pecados. A tempestade da vingança acumulava-se, para desencadear-se logo sobre todos os que não acharam refúgio em Cristo. Falando Jesus aos discípulos e à multidão, olhava com visão profética para o futuro, e via Jerusalém sitiada por exércitos. Ouvia o barulho dos estranhos que marchavam contra a cidade escolhida, e via-os, aos milhares, perecendo no cerco. Muitos judeus eram então assassinados como aqueles galileus no átrio do templo, no próprio ato de oferecerem o sacrifício. As calamidades que sobrevieram a alguns indivíduos, eram advertências divinas a uma nação igualmente culpada. "Se vos não arrependerdes", disse Jesus, "todos de igual modo perecereis." O tempo da graça duraria ainda um pouco para eles. Ainda podiam conhecer as coisas que diziam respeito à sua paz. Parábolas de Jesus, 212-214. Não nos arrependemos para que Deus nos ame, porém Ele nos revela Seu amor para que nos arrependamos. Parábolas de Jesus, p. 189. Terça - Crer em Jesus Ano Bíblico: Is 24–26 4. Para uma mulher que havia vivido no pecado, Jesus declarou: “Perdoados são os teus pecados. [...] A tua fé te salvou” (Lc 7:48, 50). O que significa isso? Será que a nossa fé nos salva? 48 E disse a ela: Perdoados são os teus pecados. 49 Mas os que estavam com ele à mesa começaram a dizer entre si: Quem é este que até perdoa pecados? 50 Jesus, porém, disse à mulher: A tua fé te salvou; vai- te em paz. Lc 7:48-50, ARA A fé que consegue levar-nos em vital contato com Cristo, exprime de nossa parte suprema preferência, perfeita confiança, consagração inteira. Essa fé opera por amor e purifica a alma. Opera na vida do seguidor de Cristo a verdadeira obediência aos mandamentos de Deus; pois amor a Deus e amor aos homens será o resultado da vital ligação com Cristo. "Se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dEle." Rom. 8:9. Mensagens Escolhidas, v. 1. p. 334. A fé é dom de Deus, mas a faculdade de exercê-la é nossa. A fé é a mão pela qual a alma se apodera das ofertas divinas de graça e misericórdia. … Jesus empenhou Sua palavra; Ele salvará todos os que a Ele se chegarem. Embora milhões que necessitam ser curados rejeitem Sua misericórdia que é oferecida, nenhum dos que confiam em Seus méritos será deixado a perecer. Patriarcas e Profetas, págs. 431-432. Quarta - Veste nupcial Ano Bíblico: Is 27–29 5. Leia Mateus 22:2-14. Por que o rei queria ter certeza de que todos os convidados tinham a veste nupcial para a festa? O que essa veste representa? Is 61:10; Zc 3:1-5. 2 O reino dos céus é semelhante a um certo rei que celebrou as bodas de seu filho; 3 E enviou os seus servos a chamar os convidados para as bodas, e estes não quiseram vir. 4 Depois, enviou outros servos, dizendo: Dizei aos convidados: Eis que tenho o meu jantar preparado, os meus bois e cevados já mortos, e tudo já pronto; vinde às bodas. 5 Eles, porém, não fazendo caso, foram, um para o seu campo, outro para o seu tráfico; 6 E os outros, apoderando-se dos servos, os ultrajaram e mataram. 7 E o rei, tendo notícia disto, encolerizou-se e, enviando os seus exércitos, destruiu aqueles homicidas, e incendiou a sua cidade. 8 Então diz aos servos: As bodas, na verdade, estão preparadas, mas os convidados não eram dignos. 9 Ide, pois, às saídas dos caminhos, e convidai para as bodas a todos os que encontrardes. 10 E os servos, saindo pelos caminhos, ajuntaram todos quantos encontraram, tanto maus como bons; e a festa nupcial foi cheia de convidados. 11 E o rei, entrando para ver os convidados, viu ali um homem que não estava trajado com veste de núpcias. 12 E disse-lhe: Amigo, como entraste aqui, não tendo veste nupcial? E ele emudeceu. 13 Disse, então, o rei aos servos: Amarrai-o de pés e mãos, levai-o, e lançai-o nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes. 14 Porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos. Mt 22:2-14, ACF Regozijar-me-ei muito no Senhor, a minha alma se alegrará no meu Deus, porque me vestiu de vestes de salvação, cobriu-me com o manto de justiça, como noivo que se adorna com uma grinalda, e como noiva que se enfeita com as suas jóias. Is 61:10, ARA ramos@advir.comramos@advir.com
  • 4. 1 E ele mostrou-me o sumo sacerdote Josué, o qual estava diante do anjo do SENHOR, e Satanás estava à sua mão direita, para se lhe opor. 2 Mas o SENHOR disse a Satanás: O SENHOR te repreenda, ó Satanás, sim, o SENHOR, que escolheu Jerusalém, te repreenda; não é este um tição tirado do fogo? 3 Josué, vestido de vestes sujas, estava diante do anjo. 4 Então respondeu, aos que estavam diante dele, dizendo: Tirai-lhe estas vestes sujas. E a Josué disse: Eis que tenho feito com que passe de ti a tua iniquidade, e te vestirei de vestes finas. 5 E disse eu: Ponham-lhe uma mitra limpa sobre a sua cabeça. E puseram uma mitra limpa sobre a sua cabeça, e vestiram-no das roupas; e o anjo do SENHOR estava em pé. Zc 3:1-5, ACF Quando o rei entrou para ver os convidados, foi revelado o verdadeiro caráter de todos. A cada um foi provido um vestido de bodas. Essa veste era uma dádiva do rei. Usando-a, os convidados demonstravam respeito ao doador da festa. Um homem, porém, estava com seus trajes comuns. Recusara fazer a preparação exigida pelo rei. A veste provida para ele com grande custo, desdenhou usar. Deste modo insultou seu senhor. À pergunta do rei: "Como entraste aqui, não tendo vestido nupcial?" nada pôde responder. Condenou-se a si mesmo. Então o rei disse: "Amarrai-o de pés e mãos, levai-o, e lançai-o nas trevas exteriores." Mat. 22:13. O exame dos convidados pelo rei representa uma cena de julgamento. Os convidados à ceia do evangelho são os que professam servir a Deus, cujos nomes estão escritos no livro da vida. Nem todos, porém, que professam ser cristãos, são discípulos verdadeiros. Antes que seja dada a recompensa final, precisa ser decidido quem está apto para participar da herança dos justos. Essa decisão deve ser feita antes da segunda vinda de Cristo, nas nuvens do céu; porque quando Ele vier, o galardão estará com Ele "para dar a cada um segundo a sua obra". Apoc. 22:12. Antes de Sua vinda o caráter da obra de cada um terá sido determinado, e a cada seguidor de Cristo o galardão será concedido segundo seus atos. Enquanto os homens ainda estão sobre a Terra, é que a obra do juízo investigativo se efetua nas cortes celestes. A vida de todos os Seus professos seguidores é passada em revista perante Deus; todos são examinados de conformidade com os relatórios nos livros do Céu, e o destino de cada um é fixado para sempre de acordo com seus atos. Pela veste nupcial da parábola é representado o caráter puro e imaculado, que os verdadeiros seguidores de Cristo possuirão. Foi dado à igreja "que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente", "sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante". O linho fino, diz a Escritura, "são as justiças dos santos". Apoc. 19:8; Efés. 5:27; Apoc. 19:8. A justiça de Cristo e Seu caráter imaculado, é, pela fé, comunicada a todos os que O aceitam como Salvador pessoal. ... Estas vestes de Sua própria justiça, Cristo dará a toda pessoa arrependida e crente. Parábolas de Jesus, págs. 309-311. A parábola das bodas [Mat. 22:1-14] apresenta-nos uma lição da mais elevada importância. ... Pela veste nupcial da parábola é representado o caráter puro e imaculado, que os verdadeiros seguidores de Cristo possuirão. ... O linho fino, diz a Escritura, "é a justiça dos santos". Apoc. 19:8. A justiça de Cristo e Seu caráter imaculado, é, pela fé, comunicada a todos os que O aceitam como Salvador pessoal. A veste branca de inocência foi usada por nossos primeiros pais, quando foram postos por Deus no santo Éden. Viviam eles em perfeita conformidade com a vontade de Deus. ... Luz bela e suave, a luz de Deus, envolvia o santo par. ... Ao entrar o pecado, porém, cortaram sua ligação com Deus, e desapareceu a luz que os cingia. Nus e envergonhados, procuraram suprir os vestidos celestiais, cosendo folhas de figueira para uma cobertura. Parábolas de Jesus, págs. 307-311. Não podemos prover-nos de vestes de justiça por nós mesmos, pois diz o profeta: "Todas as nossas justiças, são como trapo da imundícia." Isa. 64:6. Não existe em nós coisa alguma com a qual possamos vestir o caráter, de modo que não apareça sua nudez. Temos de receber as vestes da justiça tecidas no tear do Céu - com efeito, a pura veste da justiça de Cristo. Review and Herald, 19 de julho de 1892. Ensinem-se os jovens e crianças a escolher para si aquela veste real tecida nos teares celestiais - o "linho... puro e resplandecente" (Apoc. 19:8), que todos os santos da Terra usarão. Tal veste - o próprio caráter imaculado de Cristo - é livremente oferecida a todo ser humano. Mas todos os que a recebem, a receberão e usarão aqui. Educação, pág. 249. Seu Pai celestial te tirará as vestes manchadas de pecados. Na bela profecia de Zacarias, o sumo sacerdote Josué, que estava em pé diante do anjo do Senhor, com vestimentas imundas, representa o pecador. E o Senhor disse: "Tirai-lhe estas vestes sujas. E a ele lhe disse: Eis que tenho feito com que passe de ti a tua ramos@advir.comramos@advir.com
  • 5. iniquidade e te vestirei de vestes novas. ... E puseram uma mitra limpa sobre sua cabeça e o vestiram de vestes." Zac. 3:4 e 5. Assim Deus o vestirá de "vestes de salvação", e o cobrirá com o "manto da justiça". Isa. 61:10. … "Se andares nos Meus caminhos", declara, "te darei lugar entre os que estão aqui", mesmo entre os santos anjos que circundam Seu trono. Zac. 3:7. Parábolas de Jesus, págs. 206 e 207. Quinta - Siga Jesus Ano Bíblico: Is 30–33 6. Quais dois elementos são essenciais para ser discípulo de Jesus? Jo 8:30, 31. 30 Dizendo ele estas coisas, muitos creram nele. 31 Jesus dizia, pois, aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos. Jo 8:30, 31, ACF O evangelho de Jesus Cristo contém os grandiosos princípios de toda a verdade, expressos numa vida de pureza. Em amor e verdadeira justiça devem esses princípios ser proclamados ao mundo. Em todas as nossas relações uns com os outros devemos obedecer aos preceitos da lei de Deus. "E a favor deles Eu Me santifico a Mim mesmo, para que eles também sejam santificados na verdade. Não rogo somente por estes, mas também por aqueles que vierem a crer em Mim, por intermédio da sua palavra." João 17:19 e 20. De todas essas palavras vemos quanto depende do caráter de todos aqueles que pretendem crer no evangelho de Jesus Cristo. Pela vida dos seguidores de Cristo o mundo julgará o Salvador. Se alguém, por palavra ou ação, se afasta dos vivos princípios da verdade, desonra seu Salvador e expõe Cristo ao vitupério. Creia toda pessoa em Cristo e receba o poder que Cristo prometeu, para que seja um filho de Deus, defendendo conscienciosamente a verdade, estando seus princípios entrelaçados com suas palavras, com seu espírito e com todas as suas obras. Assim os cristãos podem tornar-se uma influência refinadora e purificadora, labutando contra a religião falsa e a incredulidade. Sua presença traz consigo a grandiosa influência dos princípios celestiais, tornando-os, por meio de Cristo, uma honra para o evangelho. Eles aumentam em poder para comunicar a santificadora graça do Céu, obtendo continuamente maior influência mediante sua crescente reverência pela verdade. Seu coração se acha repleto da paz de Cristo. Carta 327, 1905. 7. Qual é o alto custo de ser um discípulo de Jesus? Lc 14:25-27. 25 Ora, ia com ele uma grande multidão; e, voltando-se, disse-lhe: 26 Se alguém vier a mim, e não aborrecer a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs, e ainda também a sua própria vida, não pode ser meu discípulo. 27 E qualquer que não levar a sua cruz, e não vier após mim, não pode ser meu discípulo. Lc 14:25-27, ACF Muitos seriam seguidores de Cristo caso Ele descesse da cruz e lhes aparecesse da maneira como desejam. Caso Ele viesse com riquezas e prazer, muitos O receberiam de boa vontade, e se apressariam a coroá-Lo Senhor de todos. Se tão-somente Ele pusesse de lado Sua humilhação e sofrimentos e exclamasse: "Se alguém quiser vir após Mim, agrade-se a si mesmo e desfrute o mundo, e será Meu discípulo", multidões haviam de crer nEle. Mas o bendito Jesus não virá a nós em outro caráter senão como o manso e humilde Crucificado. Importa que participemos de Sua abnegação e sofrimento aqui se desejarmos receber a coroa no além. … A Palavra de Deus não alargou o caminho estreito, e se a multidão encontrou uma estrada em que podem usar uma forma de piedade e não levar a cruz ou sofrer tribulação, acharam um caminho que o Salvador não palmilhou, e seguem outro exemplo que não o que nos foi dado por Cristo. Não basta que Jesus deixasse a felicidade e a glória do Céu, suportasse uma vida de pobreza e profunda aflição, e morresse de morte cruel e ignominiosa a fim de proporcionar-nos as alegrias da santidade e do Céu? E pode dar-se que nós, os indignos objetos de tão grande condescendência e amor, busquemos nesta vida uma porção melhor do que a que foi dada a nosso Redentor? Carta 2, 1861. Quão fácil seria o caminho para o Céu se não houvesse nada de abnegação ou de cruz! Como os mundanos correriam para esse caminho, e os hipócritas, sem conta, o trilhariam! Graças a Deus pela cruz, a abnegação. A ignomínia e a vergonha que nosso Salvador suportou por nós, não é de modo algum demasiado humilhante para aqueles que foram salvos pela aquisição de Seu sangue. O Céu será em verdade bastante fácil. Carta 9, 1873. ramos@advir.comramos@advir.com