SlideShare uma empresa Scribd logo
A CRUZ E O PLANO DA
REDENÇÃO.
O que é ser um Adventista do Sétimo Dia ?
.......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx
.......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx
DTN 539.6
Quando o homem violou a lei divina, e Lhe desprezou a
vontade, Satanás exultou. Estava provado, declarou,
que a lei não podia ser obedecida; o homem não podia
ser perdoado.
ROMANOS 3:23
Porque todos pecaram e destituídos estão
da glória de Deus;
DTN 537.3
Até à morte de Jesus, o caráter de Satanás não fora ainda
claramente revelado aos anjos e mundos não caídos. O arqui-
apóstata se revestira por tal forma de engano, que mesmo os
santos seres não lhe compreenderam os princípios. Não viram
claramente a natureza de sua rebelião.
DTN 539.4
Satanás viu que estava desmascarado. Sua administração foi exposta
perante os anjos não caídos e o Universo celestial. Revelara-se um
homicida. Derramando o sangue do Filho de Deus, desarraigou-se
Satanás das simpatias dos seres celestiais. Daí em diante sua obra
seria restrita... Estavam rotos os últimos laços de simpatia entre
Satanás e o mundo celestial.
COLOSSENSES 2:14,15
Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas
ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária,
e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz.
E, despojando os principados e potestades, os expôs
publicamente e deles triunfou em si mesmo.
COLOSSENSES 1:20
E que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da
sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo
mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra,
como as que estão nos céus.
EFÉSIOS1:7 E10
7. Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a
remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça,
10. De tornar a congregar em Cristo todas as coisas, na
dispensação da plenitude dos tempos, tanto as que estão
nos céus como as que estão na terra.
VA 205.3
É através da eficácia da cruz que os anjos do
Céu são protegidos contra a apostasia. Sem a cruz eles
não se encontrariam em maior segurança contra o mal,
do que os anjos estavam antes da queda de
Satanás. A perfeição angélica fracassou no
Céu. A perfeição humana fracassou no Éden.
VA 205.3
O plano de salvação, tornando manifesta a justiça e
amor de Deus, provê eterna salvaguarda
contra a rebelião dos mundos não caídos. ... A morte
de Cristo sobre a cruz do Calvário é a nossa única
esperança neste mundo, e será o nosso tema no
mundo por vir. — The Signs of the Times, 30 de
Dezembro de 1889.
APOCALIPSE 12:8,9
E foi precipitado o grande dragão, a antiga
serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana
todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os
seus anjos foram lançados com ele.
APOCALIPSE 12:10,11
E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela
palavra do seu testemunho; e não amaram as suas
vidas até à morte.
DTN 539.5
Todavia, Satanás não foi então destruído. Os anjos não
perceberam, nem mesmo aí, tudo quanto se achava
envolvido no grande conflito. Os princípios em jogo
deviam ser mais plenamente revelados. E por amor do
homem, devia continuar a existência de Satanás. O
homem, bem como os anjos, deviam ver o contraste
entre o Príncipe da Luz e o das trevas. Cumpria-lhes
escolher a quem servir.
GÊNESIS 5:24
E andou Enoque com
Deus; e não apareceu
mais, porquanto Deus
para si o tomou.
T2 121.1
O caso de Enoque está perante nós. Ele andou com Deus centenas de
anos. Viveu numa época corrupta, quando a poluição moral proliferava por
toda parte ao seu redor; ele, no entanto, acostumou a mente à devoção, a
amar a pureza. Sua conversação era sobre coisas celestiais. Ele educou a
mente neste sentido, e levava o cunho divino. Sua fisionomia estava
radiante da luz que resplandece na face de Jesus. Enoque tinha tentações
assim como nós. Estava rodeado de uma sociedade não mais favorável à
justiça do que aquela que nos rodeia. A atmosfera respirada por ele estava
contaminada de pecado e corrupção, do mesmo modo que a nossa; ele
levou, no entanto, uma vida de santidade.
T2 121.1
Não ficou maculado pelos pecados predominantes da
época em que viveu. Assim também nós podemos
permanecer puros e íntegros. Ele era uma figura dos santos
que vivem no meio dos perigos e corrupções dos últimos
dias. Foi trasladado por causa de sua fiel obediência a
Deus. Assim, também, os fiéis, que ficarem vivos, serão
trasladados. Serão removidos de um mundo pecaminoso e
corrupto para as puras alegrias do Céu.
CT 42.4
E como andou Enoque com Deus? Ele educou sua mente e
coração para sentir sempre que estava na presença divina e,
quando em perplexidade, suas orações ascendiam a Deus para
que o guardasse. Recusava-se a tomar qualquer rumo que
ofendesse a seu Deus. Mantinha ele o Senhor continuamente
diante de si. Orava: “Ensina-me Teus caminhos, para que eu não
erre. Qual é a Tua vontade a meu respeito? Que farei para
honrar-Te, Deus meu?”
PC 317.3
Teve que lutar com os mesmos problemas que nos sobrevêm a
nós. A sociedade que o circundava não era mais amiga da justiça
do que o é a sociedade que nos rodeia hoje. A atmosfera que
respirava era manchada de pecado e corrupção, tal qual a
nossa; entretanto, não se contaminou com os pecados que
prevaleciam na época em que viveu. E assim, podemos nós
também ficar puros e incorruptos, como fez o fiel Enoque. —
The Review and Herald, 23 de Agosto de 1881
PR 56.1
Voluntariamente, Israel havia-se separado de
Jeová; todavia o Senhor por compaixão ainda
anelava por aqueles que haviam sido levados
ao pecado, e estava prestes a enviar-lhes um
de Seus mais poderosos profetas, por cujo
intermédio poderiam ser levados de volta à
fidelidade ao Deus de seus pais.
PR 57.1
Entre as montanhas de Gileade, ao oriente do Jordão, habitava nos dias
de Acabe um homem de fé e oração cujo destemeroso ministério estava
destinado a deter a rápida disseminação da apostasia em Israel.
Distanciado de qualquer cidade de renome, e não ocupando nenhuma
alta posição na vida, Elias o tesbita não obstante entregou-se a sua
missão, confiante no propósito de Deus de preparar diante dele o
caminho e dar-lhe abundante sucesso.
PR 57.1
A palavra de fé e poder estava em seus lábios, e toda a sua vida
estava devotada à obra da reforma. Sua voz era a de quem clama no
deserto para repreender o pecado e fazer refluir a maré do mal. E
conquanto viesse ao povo como reprovador do pecado, sua
mensagem oferecia o bálsamo de Gileade a toda alma enferma do
pecado que desejasse ser curada.
PR 114.4
Elias foi um tipo dos santos que estarão vivendo na Terra
por ocasião do segundo advento de Cristo, e que serão
“transformados, num momento, num abrir e fechar de
olhos, ante a última trombeta” (1 Coríntios 15:51, 52),
sem provar a morte.
DTN 59.4
João devia ir como mensageiro de Jeová, para levar aos
homens a luz de Deus. Devia imprimir-lhes nova direção aos
pensamentos. Devia impressioná-los com a santidade dos reclamos
divinos, e sua necessidade da perfeita justiça de Deus. Esse
mensageiro tem que ser santo. Precisa ser um templo para a
presença do Espírito de Deus.
DTN 59.4
A fim de cumprir sua missão, deve ter sã constituição física, bem
como resistência mental e espiritual. Era, portanto, necessário que
regesse os apetites e paixões. Deveria ser por forma tal capaz de
dominar suas faculdades, que pudesse estar entre os homens, tão
inabalável ante as circunstâncias ambientes, como as rochas e
montanhas do deserto.
CRA 70.4
Por anos tem o Senhor estado a chamar a atenção do Seu povo para a reforma de saúde.
Este é um dos grandes ramos da obra de preparação para a vinda do Filho do homem. João
Batista saiu no espírito e virtude de Elias, a fim de preparar o caminho do Senhor, e fazer
voltar o povo à sabedoria do justo. Era ele um representante dos que vivem nos últimos
dias, a quem Deus tem confiado sagradas verdades para serem apresentadas perante o
povo, a fim de ser preparado o caminho para a segunda vinda de Cristo. João era um
reformador.
MA 15.3
A obra de João Batista e a obra dos que nos últimos dias saem no
espírito e poder de Elias para despertar as pessoas de sua apatia, são
idênticas em muitos aspectos. Sua obra é uma figura da obra que
precisa ser efetuada nesta época. — The Southern Watchman, 21 de
Março de 1905.
T8: 332-333
Nesta época, pouco antes da segunda vinda de Cristo nas
nuvens do céu, deve ser efetuada uma obra como a de João
[Batista]. Deus chama homens que preparem um povo para
permanecer em pé no grande dia do Senhor. ... Para
transmitir tal mensagem como a de João precisamos ter uma
experiência espiritual como a sua. A mesma obra precisa ser
efetuada em nós. Temos de contemplar a Deus, e,
contemplando-O, perder de vista o próprio eu.
PR 68.2
Há muitos professos cristãos que, se expressassem seus reais sentimentos, diriam:
Que necessidade há de falar tão claramente? Seria o mesmo que perguntar: Que
necessidade havia de João Batista dizer aos fariseus: “Raça de víboras, quem vos
ensinou a fugir da ira que está para vir?” Lucas 3:7. Que necessidade tinha ele de
provocar a ira de Herodes dizendo a Herodes que não lhe era lícito possuir a mulher
de seu irmão? O precursor de Cristo perdeu a vida por falar claramente. Por que não
podia ele ter prosseguido sem incorrer no desprazer dos que estavam vivendo em
pecado?
DTN 152.2
A infância, juventude e idade adulta de João caracterizam-se pela
firmeza e poder moral. Quando sua voz se fizera ouvir no deserto,
dizendo: “Preparai o caminho do Senhor, endireitai as Suas veredas”
(Mateus 3:3), Satanás temeu pela segurança de seu reino. A
culpabilidade do pecado era revelada de tal maneira, que os homens
tremiam.
T1 321.2
Neste tempo terrível, justamente antes de Cristo vir pela segunda
vez, os fiéis pregadores de Deus terão de dar um testemunho mais
direto que o de João Batista. Um trabalho de alta responsabilidade
acha-se diante deles, e aqueles que falam palavras suaves, Deus não
reconhecerá como Seus pastores. Um terrível ai repousa sobre eles.
ME3 339.1
A Bíblia acumulou e juntou os seus tesouros para esta
última geração. Todos os grandes acontecimentos e solenes
realizações da história do Antigo Testamento estão se repetindo na
Igreja nestes últimos dias... Ali, todas as verdades acumuladas nos
são apresentadas vigorosamente, para que possamos tirar proveito
de seus ensinos. Estamos sob a influência do todo. Que pessoas nos
convém ser, tendo-nos sido concedida como herança toda esta
rica luz? Concentrando toda a influência do passado com a nova e
crescente luz do presente, maior poder é dado a todos os que
seguirem a luz.
HEBREUS 11:39,40
E todos estes, tendo tido testemunho pela fé, não alcançaram a
promessa, Provendo Deus alguma coisa melhor a nosso respeito,
para que eles sem nós não fossem aperfeiçoados.
FEC 335.2
“Será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas
as nações. Então virá o fim.” A profecia se cumpre rapidamente. Mais, muito mais
deve ser dito acerca destes assuntos tremendamente importantes. Perto está o dia
em que será decidido para sempre o destino de toda alma. Esse dia do Senhor muito
se apressa. Os falsos atalaias estão erguendo o brado: “Tudo está bem”; mas o dia de
Deus se aproxima rapidamente. O ruído de seus passos é tão abafado que não
desperta o mundo do sono mortal em que se acha imerso.
GC 103.1
Deus permitiu que grande luz resplandecesse no espírito daqueles
homens escolhidos, revelando-lhes muitos dos erros de Roma; mas eles
não receberam toda a luz que devia ser dada ao mundo. Por meio destes
Seus servos, Deus estava guiando o povo para fora das trevas do
romanismo; havia, porém, muitos e grandes obstáculos a serem por eles
enfrentados, e Ele os guiou, passo a passo, conforme o podiam suportar.
GC 103.1
Não estavam preparados para receber toda a luz de uma vez. Como o completo
fulgor do Sol do meio-dia para os que durante muito tempo permaneceram em
trevas, fosse ela apresentada, tê-los-ia feito desviarem-se. Portanto
Ele a revelou aos dirigentes pouco a pouco, à medida que podia ser recebida
pelo povo. De século em século, outros fiéis obreiros deveriam seguir-se para
guiar o povo cada vez mais longe no caminho da Reforma.
GC 312.3
Quem quer que esteja, com singeleza de propósito, procurando
fazer a vontade de Deus, atendendo fervorosamente à luz já dada,
receberá maior luz; será enviada àquela alma alguma estrela de
fulgor celestial para guiá-la em toda a verdade.
TS1 89.3
Incide sobre nós maior luz do que brilhou sobre nossos pais. Não
podemos ser aceitos ou honrados por Deus prestando o mesmo serviço,
ou fazendo as mesmas obras que nossos pais. A fim de ser aceitos e
abençoados por Deus como eles foram, cumpre-nos imitar sua fidelidade
e seu zelo — aperfeiçoemos nossa luz como eles fizeram à sua — e
façamos como eles teriam feito caso vivessem em nossos dias.
TS1 90.1
Cumpre-nos viver segundo a luz que brilha sobre nós, do contrário,
essa luz tornar-se-á em trevas. Deus exige de nós que manifestemos ao mundo,
no caráter e nas obras a medida do espírito de união e unidade proporcional às
sagradas verdades que professamos, e ao espírito das profecias que se estão
cumprindo nestes últimos dias. A verdade que atingiu nosso entendimento e a
luz que nos incidiu sobre a alma nos julgará e condenará, caso dela nos
desviemos e recusemos ser por ela guiados.
PR 320.5
Grande luz jorrou dos patriarcas e profetas. Gloriosas coisas foram ditas de
Sião, a cidade de Deus. Assim o Senhor deseja que a luz brilhe através dos Seus
seguidores hoje. Se os santos do Antigo Testamento deram tão exaltado
testemunho de lealdade, não deviam aqueles sobre quem está brilhando
a luz acumulada de séculos, dar mais assinalado testemunho do poder da
verdade? A glória das profecias derrama sua luz sobre nosso caminho.
T2 508.1
A Majestade do Céu, enquanto empenhada em Seu ministério terrestre orava
muito a Seu Pai. Frequentemente, ficava de joelhos a noite toda em oração.
Pesava-Lhe ao espírito ver a ação dos poderes das trevas no mundo. Então
deixava a movimentada cidade e a barulhenta multidão, para buscar um lugar
sossegado onde pudesse fazer Suas intercessões... Muitas vezes depois que a
multidão O deixava para o retiro da noite, Ele não descansava, embora
estivesse exausto com os esforços do dia...
T2 508.1
Enquanto a cidade estava envolta em silêncio, e os discípulos haviam
retornado a seus lares a fim de obter refrigério no sono, Jesus não
dormia... Toda a noite, enquanto os Seus seguidores estavam
dormindo, o seu divino Mestre estava orando. A geada e o orvalho
da noite caíam sobre Sua cabeça curvada em oração. Seu exemplo foi
deixado para os Seus seguidores.
OE 368.1
... há pouco estudo real da Palavra de Deus. O povo espera
que os ministros investiguem as Escrituras por eles, e
expliquem o que ensinam.
OE 299.1
Deus despertará Seu povo; se outros meios falharem, introduzir-se-
ão entre eles heresias, as quais os hão de peneirar, separando a palha
do trigo... Essa luz nos deve levar ao estudo diligente das Escrituras,
e a um mais atento exame crítico das posições que mantemos.
OE 100.1
No grande conflito que se acha perante nós, quem quiser
manter-se fiel a Cristo, tem de se aprofundar para além das
opiniões e doutrinas dos homens.
AA 38.2
A Palavra de Deus precisa ser reconhecida como estando acima de
toda a legislação humana. Um “Assim diz o Senhor”, não deve ser
posto à margem por um “Assim diz a igreja”, ou um “Assim diz
o Estado” A coroa de Cristo tem de ser erguida acima dos diademas
de autoridades terrestres.
MATEUS 10:32-39
32. Portanto, qualquer que me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante de meu
Pai, que está nos céus.
33. Mas qualquer que me negar diante dos homens, eu o negarei também diante de meu
Pai, que está nos céus.
34. Não cuideis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer paz, mas espada;
35. Porque eu vim pôr em dissensão o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe, e a
nora contra sua sogra;
36. E assim os inimigos do homem serão os seus familiares.
37. Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim; e quem ama o filho
ou a filha mais do que a mim não é digno de mim.
38. E quem não toma a sua cruz, e não segue após mim, não é digno de mim.
39. Quem achar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a sua vida, por amor de mim, achá-la-
á.
APOCALIPSE 15:3
E cantavam o cântico de Moisés, servo de Deus, e o cântico do
Cordeiro, dizendo: Grandes e maravilhosas são as tuas obras, Senhor
Deus Todo-Poderoso! Justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó
Rei dos santos.
ÊXODO 32:9-12
9. Disse mais o Senhor a Moisés: Tenho visto a este povo, e eis que é povo de dura cerviz.
10. Agora, pois, deixa-me, para que o meu furor se acenda contra ele, e o consuma; e eu
farei de ti uma grande nação.
11. Moisés, porém, suplicou ao Senhor seu Deus e disse: Ó Senhor, por que se acende o teu
furor contra o teu povo, que tiraste da terra do Egito com grande força e com forte mão?
12. Por que hão de falar os egípcios, dizendo: Para mal os tirou, para matá-los nos montes, e
para destruí-los da face da terra? Torna-te do furor da tua ira, e arrepende-te deste mal
contra o teu povo.
APOCALIPSE 2:10
Nada temas das coisas que hás de padecer. Eis que o diabo
lançará alguns de vós na prisão, para que sejais tentados; e
tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-
te-ei a coroa da vida.
.......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a .......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx

05. corpo
05. corpo05. corpo
05. corpo
pohlos
 
Lição 612016_Vitória no deserto_GGR + textos_GGR
Lição 612016_Vitória no deserto_GGR + textos_GGRLição 612016_Vitória no deserto_GGR + textos_GGR
Lição 612016_Vitória no deserto_GGR + textos_GGR
Gerson G. Ramos
 
Conforme A Sua Imagem
Conforme A Sua ImagemConforme A Sua Imagem
Conforme A Sua Imagem
valdiane
 
Reavivamento e seus resultados
Reavivamento e seus resultadosReavivamento e seus resultados
Reavivamento e seus resultados
iasdvilaveronica
 
❉ Respostas 612016_Vitória no deserto_GGR
❉ Respostas 612016_Vitória no deserto_GGR❉ Respostas 612016_Vitória no deserto_GGR
❉ Respostas 612016_Vitória no deserto_GGR
Gerson G. Ramos
 
28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
A razão da existência do adventismo
A razão da existência do adventismoA razão da existência do adventismo
A razão da existência do adventismo
Eduardo Sousa Gomes
 
Preparação para a crise final
Preparação para a crise finalPreparação para a crise final
Preparação para a crise final
Herbert de Carvalho
 
43. o selamento dos 144 mil
43. o selamento dos 144 mil43. o selamento dos 144 mil
43. o selamento dos 144 mil
pohlos
 
2016 3 tri lição 7 a chamada e purificação do profeta
2016 3 tri lição 7   a chamada e purificação do profeta2016 3 tri lição 7   a chamada e purificação do profeta
2016 3 tri lição 7 a chamada e purificação do profeta
boasnovassena
 
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGRRespostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Cristo Triunfante (CT) - MM
Cristo Triunfante (CT) - MMCristo Triunfante (CT) - MM
Cristo Triunfante (CT) - MM
Gérson Fagundes da Cunha
 
Lição 7-O evangelho no mundo acadêmico e político
Lição 7-O evangelho no mundo acadêmico e políticoLição 7-O evangelho no mundo acadêmico e político
Lição 7-O evangelho no mundo acadêmico e político
Flavio Luz
 
54. o poder das trevas
54. o poder das trevas54. o poder das trevas
54. o poder das trevas
pohlos
 
40. trono
40. trono40. trono
40. trono
pohlos
 
Textos sobre espirito_santo
Textos sobre espirito_santoTextos sobre espirito_santo
Textos sobre espirito_santo
Jose Moraes
 
❉ Respostas 112016_Crise no Céu_GGR
❉ Respostas 112016_Crise no Céu_GGR❉ Respostas 112016_Crise no Céu_GGR
❉ Respostas 112016_Crise no Céu_GGR
Gerson G. Ramos
 
O GRANDE CONFLITO (1)_061249.pptx A grande batalha
O GRANDE CONFLITO (1)_061249.pptx A grande batalhaO GRANDE CONFLITO (1)_061249.pptx A grande batalha
O GRANDE CONFLITO (1)_061249.pptx A grande batalha
JEAN SIMAS
 
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGRLição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
Gerson G. Ramos
 
Como ser salvo_532014_GGR
Como ser salvo_532014_GGRComo ser salvo_532014_GGR
Como ser salvo_532014_GGR
Gerson G. Ramos
 

Semelhante a .......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx (20)

05. corpo
05. corpo05. corpo
05. corpo
 
Lição 612016_Vitória no deserto_GGR + textos_GGR
Lição 612016_Vitória no deserto_GGR + textos_GGRLição 612016_Vitória no deserto_GGR + textos_GGR
Lição 612016_Vitória no deserto_GGR + textos_GGR
 
Conforme A Sua Imagem
Conforme A Sua ImagemConforme A Sua Imagem
Conforme A Sua Imagem
 
Reavivamento e seus resultados
Reavivamento e seus resultadosReavivamento e seus resultados
Reavivamento e seus resultados
 
❉ Respostas 612016_Vitória no deserto_GGR
❉ Respostas 612016_Vitória no deserto_GGR❉ Respostas 612016_Vitória no deserto_GGR
❉ Respostas 612016_Vitória no deserto_GGR
 
28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas
 
A razão da existência do adventismo
A razão da existência do adventismoA razão da existência do adventismo
A razão da existência do adventismo
 
Preparação para a crise final
Preparação para a crise finalPreparação para a crise final
Preparação para a crise final
 
43. o selamento dos 144 mil
43. o selamento dos 144 mil43. o selamento dos 144 mil
43. o selamento dos 144 mil
 
2016 3 tri lição 7 a chamada e purificação do profeta
2016 3 tri lição 7   a chamada e purificação do profeta2016 3 tri lição 7   a chamada e purificação do profeta
2016 3 tri lição 7 a chamada e purificação do profeta
 
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGRRespostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
 
Cristo Triunfante (CT) - MM
Cristo Triunfante (CT) - MMCristo Triunfante (CT) - MM
Cristo Triunfante (CT) - MM
 
Lição 7-O evangelho no mundo acadêmico e político
Lição 7-O evangelho no mundo acadêmico e políticoLição 7-O evangelho no mundo acadêmico e político
Lição 7-O evangelho no mundo acadêmico e político
 
54. o poder das trevas
54. o poder das trevas54. o poder das trevas
54. o poder das trevas
 
40. trono
40. trono40. trono
40. trono
 
Textos sobre espirito_santo
Textos sobre espirito_santoTextos sobre espirito_santo
Textos sobre espirito_santo
 
❉ Respostas 112016_Crise no Céu_GGR
❉ Respostas 112016_Crise no Céu_GGR❉ Respostas 112016_Crise no Céu_GGR
❉ Respostas 112016_Crise no Céu_GGR
 
O GRANDE CONFLITO (1)_061249.pptx A grande batalha
O GRANDE CONFLITO (1)_061249.pptx A grande batalhaO GRANDE CONFLITO (1)_061249.pptx A grande batalha
O GRANDE CONFLITO (1)_061249.pptx A grande batalha
 
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGRLição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
 
Como ser salvo_532014_GGR
Como ser salvo_532014_GGRComo ser salvo_532014_GGR
Como ser salvo_532014_GGR
 

Último

9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 

Último (15)

9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 

.......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx

  • 1. A CRUZ E O PLANO DA REDENÇÃO. O que é ser um Adventista do Sétimo Dia ?
  • 4. DTN 539.6 Quando o homem violou a lei divina, e Lhe desprezou a vontade, Satanás exultou. Estava provado, declarou, que a lei não podia ser obedecida; o homem não podia ser perdoado.
  • 5. ROMANOS 3:23 Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;
  • 6. DTN 537.3 Até à morte de Jesus, o caráter de Satanás não fora ainda claramente revelado aos anjos e mundos não caídos. O arqui- apóstata se revestira por tal forma de engano, que mesmo os santos seres não lhe compreenderam os princípios. Não viram claramente a natureza de sua rebelião.
  • 7. DTN 539.4 Satanás viu que estava desmascarado. Sua administração foi exposta perante os anjos não caídos e o Universo celestial. Revelara-se um homicida. Derramando o sangue do Filho de Deus, desarraigou-se Satanás das simpatias dos seres celestiais. Daí em diante sua obra seria restrita... Estavam rotos os últimos laços de simpatia entre Satanás e o mundo celestial.
  • 8. COLOSSENSES 2:14,15 Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz. E, despojando os principados e potestades, os expôs publicamente e deles triunfou em si mesmo.
  • 9. COLOSSENSES 1:20 E que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra, como as que estão nos céus.
  • 10. EFÉSIOS1:7 E10 7. Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça, 10. De tornar a congregar em Cristo todas as coisas, na dispensação da plenitude dos tempos, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra.
  • 11. VA 205.3 É através da eficácia da cruz que os anjos do Céu são protegidos contra a apostasia. Sem a cruz eles não se encontrariam em maior segurança contra o mal, do que os anjos estavam antes da queda de Satanás. A perfeição angélica fracassou no Céu. A perfeição humana fracassou no Éden.
  • 12. VA 205.3 O plano de salvação, tornando manifesta a justiça e amor de Deus, provê eterna salvaguarda contra a rebelião dos mundos não caídos. ... A morte de Cristo sobre a cruz do Calvário é a nossa única esperança neste mundo, e será o nosso tema no mundo por vir. — The Signs of the Times, 30 de Dezembro de 1889.
  • 13. APOCALIPSE 12:8,9 E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele.
  • 14. APOCALIPSE 12:10,11 E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram as suas vidas até à morte.
  • 15. DTN 539.5 Todavia, Satanás não foi então destruído. Os anjos não perceberam, nem mesmo aí, tudo quanto se achava envolvido no grande conflito. Os princípios em jogo deviam ser mais plenamente revelados. E por amor do homem, devia continuar a existência de Satanás. O homem, bem como os anjos, deviam ver o contraste entre o Príncipe da Luz e o das trevas. Cumpria-lhes escolher a quem servir.
  • 16. GÊNESIS 5:24 E andou Enoque com Deus; e não apareceu mais, porquanto Deus para si o tomou.
  • 17. T2 121.1 O caso de Enoque está perante nós. Ele andou com Deus centenas de anos. Viveu numa época corrupta, quando a poluição moral proliferava por toda parte ao seu redor; ele, no entanto, acostumou a mente à devoção, a amar a pureza. Sua conversação era sobre coisas celestiais. Ele educou a mente neste sentido, e levava o cunho divino. Sua fisionomia estava radiante da luz que resplandece na face de Jesus. Enoque tinha tentações assim como nós. Estava rodeado de uma sociedade não mais favorável à justiça do que aquela que nos rodeia. A atmosfera respirada por ele estava contaminada de pecado e corrupção, do mesmo modo que a nossa; ele levou, no entanto, uma vida de santidade.
  • 18. T2 121.1 Não ficou maculado pelos pecados predominantes da época em que viveu. Assim também nós podemos permanecer puros e íntegros. Ele era uma figura dos santos que vivem no meio dos perigos e corrupções dos últimos dias. Foi trasladado por causa de sua fiel obediência a Deus. Assim, também, os fiéis, que ficarem vivos, serão trasladados. Serão removidos de um mundo pecaminoso e corrupto para as puras alegrias do Céu.
  • 19. CT 42.4 E como andou Enoque com Deus? Ele educou sua mente e coração para sentir sempre que estava na presença divina e, quando em perplexidade, suas orações ascendiam a Deus para que o guardasse. Recusava-se a tomar qualquer rumo que ofendesse a seu Deus. Mantinha ele o Senhor continuamente diante de si. Orava: “Ensina-me Teus caminhos, para que eu não erre. Qual é a Tua vontade a meu respeito? Que farei para honrar-Te, Deus meu?”
  • 20. PC 317.3 Teve que lutar com os mesmos problemas que nos sobrevêm a nós. A sociedade que o circundava não era mais amiga da justiça do que o é a sociedade que nos rodeia hoje. A atmosfera que respirava era manchada de pecado e corrupção, tal qual a nossa; entretanto, não se contaminou com os pecados que prevaleciam na época em que viveu. E assim, podemos nós também ficar puros e incorruptos, como fez o fiel Enoque. — The Review and Herald, 23 de Agosto de 1881
  • 21. PR 56.1 Voluntariamente, Israel havia-se separado de Jeová; todavia o Senhor por compaixão ainda anelava por aqueles que haviam sido levados ao pecado, e estava prestes a enviar-lhes um de Seus mais poderosos profetas, por cujo intermédio poderiam ser levados de volta à fidelidade ao Deus de seus pais.
  • 22. PR 57.1 Entre as montanhas de Gileade, ao oriente do Jordão, habitava nos dias de Acabe um homem de fé e oração cujo destemeroso ministério estava destinado a deter a rápida disseminação da apostasia em Israel. Distanciado de qualquer cidade de renome, e não ocupando nenhuma alta posição na vida, Elias o tesbita não obstante entregou-se a sua missão, confiante no propósito de Deus de preparar diante dele o caminho e dar-lhe abundante sucesso.
  • 23. PR 57.1 A palavra de fé e poder estava em seus lábios, e toda a sua vida estava devotada à obra da reforma. Sua voz era a de quem clama no deserto para repreender o pecado e fazer refluir a maré do mal. E conquanto viesse ao povo como reprovador do pecado, sua mensagem oferecia o bálsamo de Gileade a toda alma enferma do pecado que desejasse ser curada.
  • 24. PR 114.4 Elias foi um tipo dos santos que estarão vivendo na Terra por ocasião do segundo advento de Cristo, e que serão “transformados, num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta” (1 Coríntios 15:51, 52), sem provar a morte.
  • 25. DTN 59.4 João devia ir como mensageiro de Jeová, para levar aos homens a luz de Deus. Devia imprimir-lhes nova direção aos pensamentos. Devia impressioná-los com a santidade dos reclamos divinos, e sua necessidade da perfeita justiça de Deus. Esse mensageiro tem que ser santo. Precisa ser um templo para a presença do Espírito de Deus.
  • 26. DTN 59.4 A fim de cumprir sua missão, deve ter sã constituição física, bem como resistência mental e espiritual. Era, portanto, necessário que regesse os apetites e paixões. Deveria ser por forma tal capaz de dominar suas faculdades, que pudesse estar entre os homens, tão inabalável ante as circunstâncias ambientes, como as rochas e montanhas do deserto.
  • 27. CRA 70.4 Por anos tem o Senhor estado a chamar a atenção do Seu povo para a reforma de saúde. Este é um dos grandes ramos da obra de preparação para a vinda do Filho do homem. João Batista saiu no espírito e virtude de Elias, a fim de preparar o caminho do Senhor, e fazer voltar o povo à sabedoria do justo. Era ele um representante dos que vivem nos últimos dias, a quem Deus tem confiado sagradas verdades para serem apresentadas perante o povo, a fim de ser preparado o caminho para a segunda vinda de Cristo. João era um reformador.
  • 28. MA 15.3 A obra de João Batista e a obra dos que nos últimos dias saem no espírito e poder de Elias para despertar as pessoas de sua apatia, são idênticas em muitos aspectos. Sua obra é uma figura da obra que precisa ser efetuada nesta época. — The Southern Watchman, 21 de Março de 1905.
  • 29. T8: 332-333 Nesta época, pouco antes da segunda vinda de Cristo nas nuvens do céu, deve ser efetuada uma obra como a de João [Batista]. Deus chama homens que preparem um povo para permanecer em pé no grande dia do Senhor. ... Para transmitir tal mensagem como a de João precisamos ter uma experiência espiritual como a sua. A mesma obra precisa ser efetuada em nós. Temos de contemplar a Deus, e, contemplando-O, perder de vista o próprio eu.
  • 30. PR 68.2 Há muitos professos cristãos que, se expressassem seus reais sentimentos, diriam: Que necessidade há de falar tão claramente? Seria o mesmo que perguntar: Que necessidade havia de João Batista dizer aos fariseus: “Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira que está para vir?” Lucas 3:7. Que necessidade tinha ele de provocar a ira de Herodes dizendo a Herodes que não lhe era lícito possuir a mulher de seu irmão? O precursor de Cristo perdeu a vida por falar claramente. Por que não podia ele ter prosseguido sem incorrer no desprazer dos que estavam vivendo em pecado?
  • 31. DTN 152.2 A infância, juventude e idade adulta de João caracterizam-se pela firmeza e poder moral. Quando sua voz se fizera ouvir no deserto, dizendo: “Preparai o caminho do Senhor, endireitai as Suas veredas” (Mateus 3:3), Satanás temeu pela segurança de seu reino. A culpabilidade do pecado era revelada de tal maneira, que os homens tremiam.
  • 32. T1 321.2 Neste tempo terrível, justamente antes de Cristo vir pela segunda vez, os fiéis pregadores de Deus terão de dar um testemunho mais direto que o de João Batista. Um trabalho de alta responsabilidade acha-se diante deles, e aqueles que falam palavras suaves, Deus não reconhecerá como Seus pastores. Um terrível ai repousa sobre eles.
  • 33. ME3 339.1 A Bíblia acumulou e juntou os seus tesouros para esta última geração. Todos os grandes acontecimentos e solenes realizações da história do Antigo Testamento estão se repetindo na Igreja nestes últimos dias... Ali, todas as verdades acumuladas nos são apresentadas vigorosamente, para que possamos tirar proveito de seus ensinos. Estamos sob a influência do todo. Que pessoas nos convém ser, tendo-nos sido concedida como herança toda esta rica luz? Concentrando toda a influência do passado com a nova e crescente luz do presente, maior poder é dado a todos os que seguirem a luz.
  • 34. HEBREUS 11:39,40 E todos estes, tendo tido testemunho pela fé, não alcançaram a promessa, Provendo Deus alguma coisa melhor a nosso respeito, para que eles sem nós não fossem aperfeiçoados.
  • 35. FEC 335.2 “Será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então virá o fim.” A profecia se cumpre rapidamente. Mais, muito mais deve ser dito acerca destes assuntos tremendamente importantes. Perto está o dia em que será decidido para sempre o destino de toda alma. Esse dia do Senhor muito se apressa. Os falsos atalaias estão erguendo o brado: “Tudo está bem”; mas o dia de Deus se aproxima rapidamente. O ruído de seus passos é tão abafado que não desperta o mundo do sono mortal em que se acha imerso.
  • 36. GC 103.1 Deus permitiu que grande luz resplandecesse no espírito daqueles homens escolhidos, revelando-lhes muitos dos erros de Roma; mas eles não receberam toda a luz que devia ser dada ao mundo. Por meio destes Seus servos, Deus estava guiando o povo para fora das trevas do romanismo; havia, porém, muitos e grandes obstáculos a serem por eles enfrentados, e Ele os guiou, passo a passo, conforme o podiam suportar.
  • 37. GC 103.1 Não estavam preparados para receber toda a luz de uma vez. Como o completo fulgor do Sol do meio-dia para os que durante muito tempo permaneceram em trevas, fosse ela apresentada, tê-los-ia feito desviarem-se. Portanto Ele a revelou aos dirigentes pouco a pouco, à medida que podia ser recebida pelo povo. De século em século, outros fiéis obreiros deveriam seguir-se para guiar o povo cada vez mais longe no caminho da Reforma.
  • 38. GC 312.3 Quem quer que esteja, com singeleza de propósito, procurando fazer a vontade de Deus, atendendo fervorosamente à luz já dada, receberá maior luz; será enviada àquela alma alguma estrela de fulgor celestial para guiá-la em toda a verdade.
  • 39. TS1 89.3 Incide sobre nós maior luz do que brilhou sobre nossos pais. Não podemos ser aceitos ou honrados por Deus prestando o mesmo serviço, ou fazendo as mesmas obras que nossos pais. A fim de ser aceitos e abençoados por Deus como eles foram, cumpre-nos imitar sua fidelidade e seu zelo — aperfeiçoemos nossa luz como eles fizeram à sua — e façamos como eles teriam feito caso vivessem em nossos dias.
  • 40. TS1 90.1 Cumpre-nos viver segundo a luz que brilha sobre nós, do contrário, essa luz tornar-se-á em trevas. Deus exige de nós que manifestemos ao mundo, no caráter e nas obras a medida do espírito de união e unidade proporcional às sagradas verdades que professamos, e ao espírito das profecias que se estão cumprindo nestes últimos dias. A verdade que atingiu nosso entendimento e a luz que nos incidiu sobre a alma nos julgará e condenará, caso dela nos desviemos e recusemos ser por ela guiados.
  • 41. PR 320.5 Grande luz jorrou dos patriarcas e profetas. Gloriosas coisas foram ditas de Sião, a cidade de Deus. Assim o Senhor deseja que a luz brilhe através dos Seus seguidores hoje. Se os santos do Antigo Testamento deram tão exaltado testemunho de lealdade, não deviam aqueles sobre quem está brilhando a luz acumulada de séculos, dar mais assinalado testemunho do poder da verdade? A glória das profecias derrama sua luz sobre nosso caminho.
  • 42. T2 508.1 A Majestade do Céu, enquanto empenhada em Seu ministério terrestre orava muito a Seu Pai. Frequentemente, ficava de joelhos a noite toda em oração. Pesava-Lhe ao espírito ver a ação dos poderes das trevas no mundo. Então deixava a movimentada cidade e a barulhenta multidão, para buscar um lugar sossegado onde pudesse fazer Suas intercessões... Muitas vezes depois que a multidão O deixava para o retiro da noite, Ele não descansava, embora estivesse exausto com os esforços do dia...
  • 43. T2 508.1 Enquanto a cidade estava envolta em silêncio, e os discípulos haviam retornado a seus lares a fim de obter refrigério no sono, Jesus não dormia... Toda a noite, enquanto os Seus seguidores estavam dormindo, o seu divino Mestre estava orando. A geada e o orvalho da noite caíam sobre Sua cabeça curvada em oração. Seu exemplo foi deixado para os Seus seguidores.
  • 44. OE 368.1 ... há pouco estudo real da Palavra de Deus. O povo espera que os ministros investiguem as Escrituras por eles, e expliquem o que ensinam.
  • 45. OE 299.1 Deus despertará Seu povo; se outros meios falharem, introduzir-se- ão entre eles heresias, as quais os hão de peneirar, separando a palha do trigo... Essa luz nos deve levar ao estudo diligente das Escrituras, e a um mais atento exame crítico das posições que mantemos.
  • 46. OE 100.1 No grande conflito que se acha perante nós, quem quiser manter-se fiel a Cristo, tem de se aprofundar para além das opiniões e doutrinas dos homens.
  • 47. AA 38.2 A Palavra de Deus precisa ser reconhecida como estando acima de toda a legislação humana. Um “Assim diz o Senhor”, não deve ser posto à margem por um “Assim diz a igreja”, ou um “Assim diz o Estado” A coroa de Cristo tem de ser erguida acima dos diademas de autoridades terrestres.
  • 48. MATEUS 10:32-39 32. Portanto, qualquer que me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus. 33. Mas qualquer que me negar diante dos homens, eu o negarei também diante de meu Pai, que está nos céus. 34. Não cuideis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer paz, mas espada; 35. Porque eu vim pôr em dissensão o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra; 36. E assim os inimigos do homem serão os seus familiares. 37. Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim; e quem ama o filho ou a filha mais do que a mim não é digno de mim. 38. E quem não toma a sua cruz, e não segue após mim, não é digno de mim. 39. Quem achar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a sua vida, por amor de mim, achá-la- á.
  • 49. APOCALIPSE 15:3 E cantavam o cântico de Moisés, servo de Deus, e o cântico do Cordeiro, dizendo: Grandes e maravilhosas são as tuas obras, Senhor Deus Todo-Poderoso! Justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó Rei dos santos.
  • 50. ÊXODO 32:9-12 9. Disse mais o Senhor a Moisés: Tenho visto a este povo, e eis que é povo de dura cerviz. 10. Agora, pois, deixa-me, para que o meu furor se acenda contra ele, e o consuma; e eu farei de ti uma grande nação. 11. Moisés, porém, suplicou ao Senhor seu Deus e disse: Ó Senhor, por que se acende o teu furor contra o teu povo, que tiraste da terra do Egito com grande força e com forte mão? 12. Por que hão de falar os egípcios, dizendo: Para mal os tirou, para matá-los nos montes, e para destruí-los da face da terra? Torna-te do furor da tua ira, e arrepende-te deste mal contra o teu povo.
  • 51. APOCALIPSE 2:10 Nada temas das coisas que hás de padecer. Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão, para que sejais tentados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar- te-ei a coroa da vida.