SlideShare uma empresa Scribd logo
Colégio Pitágoras

             Uruana, ______ de ___________________ de 2010      1º Ano E.M
             Aluno (a): _______________________________________

Colégio                           Avaliação de História                         Sistema
Pitágoras                                                                       Positivo
                               PII – 2º Bimestre                Valor: 50


 1. O século XVIII, no Brasil, é marcado pela atividade mineradora na região das Minas
 Gerais.A análise da formação social das Minas nos leva a afirmar que, EXCETO:
  ( ) A na região das Minas Gerais a riqueza se distribui de forma harmoniosa, criando
        uma sociedade mais igualitária, sem grandes desníveis sociais;
  ( ) B com o desenvolvimento da atividade extrativa, cresce a camada de homens livres
        e pobres, vivendo de ocupações incertas e, muitas vezes, no crime e na violência;
  ( ) C as Minas do século XVIII foram uma capitania pobre, se considerarmos o
        pequeno número de senhores de lavras opulentos e a extensão da pobreza;
  ( ) D os vadios e desocupados, destituídos de trabalho, constituíam motivo de
        preocupação para os governadores, principalmente quando o ouro começou a
        escassear;
  ( ) E os escravos constituíam a força de trabalho das Minas, extraindo ouro dos
        córregos ou do seio da terra, em condições de exploração e miséria.



 2. O açúcar e o ouro, cada qual em sua época de predomínio, garantiram para Portugal a
 posse e a ocupação de vasto território, alimentaram sonhos e cobiças, estimularam o
 povoamento e o fluxo expressivo de negros escravos, subsidiaram e induziram
 atividades intermediárias; foram fatores decisivos para o relativo progresso material e
 certa opulência barroca, além de contribuírem para o razoável florescimento das artes e
 das letras do período colonial.Apesar desta ação comum ou semelhante, a economia
 aurífera colonial avançou em direção própria e se diferenciou das demais atividades,
 principalmente porque:
  ( ) A não teve efeito multiplicador no desenvolvimento de atividades econômicas
        secundárias junto às minas e nas pradarias do Rio Grande;
  ( ) B interiorizou a formação de um mercado consumidor e propiciou surto urbano
        considerável;
  ( ) C o ouro brasileiro, sendo dependente do mercado externo, não resistiu à influência
        exercida pela prata das minas de Potosí;
  ( ) D representou forte obstáculo às relações favoráveis à Metrópole e não educou o
        colonizado para a luta contra a opressão do colonizador;
  ( ) E as bandeiras não foram além dos limites territoriais estabelecidos em
Tordesilhas, apesar dos conflitos com os jesuítas e da ação cruel contra os
       indígenas do sertão sul-americano.

3. Assinale uma afirmativa errada, nas abaixo relacionadas, sobre a mineração colonial:
( ) A - esgotaram-se rapidamente as possibilidades econômicas das grandes jazidas
brasileiras do período colonial porque a mineração era superficial;

( ) B - “faiscadores” eram os mineradores independentes;

( ) C - a “Real Extração” foi a implantação do monopólio da exploração diamantina
pelo governo português;

( ) D - a quintação do ouro era feita nas lavras, de maneira rudimentar, e consistia na
separação do ouro do cascalho;

( ) E - a sociedade das regiões mineradoras era mais permeável e democrática do que a
da região do açúcar.




4. O Barroco foi uma das maiores manifestações artísticas e culturais ocorridas no
Brasil Colônia, durante o período da exploração aurífera. É correto afirmar que,
nesse período:
( ) A a cidade de Mariana, sede do governo português, representou o maior
       conjunto arquitetônico barroco nacional;
( )B   o Barroco, no Brasil, não apresentou características nacionais, limitando-se a
       uma simples cópia do Barroco europeu;
( )C   a cidade de Ouro Preto, centro político e econômico da região aurífera, não
       foi beneficiada arquitetonicamente pelo estilo barroco;
( )D   a grande riqueza propiciada pelo ouro permitiu que artistas se dedicassem à
       construção e criação de obras que expressavam os sentimentos nacionais;
( )E   a Capitania de São Paulo, apesar de não ter participado do processo de
       exploração aurífera, foi o principal centro de expressão do Barroco no país.


5. A crise da economia mineira e a nova conjuntura internacional, na segunda
metade do século XVIII, refletiram no Brasil, contribuindo para:
( ) A o retorno da monocultura da cana-de-açúcar, aproveitando-se da capacidade
       ociosa dos engenhos nordestinos;
( ) B o desenvolvimento de manufaturas de tecido de algodão, estimulado pela
      política reformista do Marquês de Pombal;
( ) C a diversificação econômica, entrando na pauta de exportação da colônia
      produtos como algodão, tabaco, cacau, couro;
( ) D a emergência da monocultura do café, produto de fácil cultivo e de aceitação
      crescente nos mercados exteriores;
( ) E o aparecimento de centros econômicos na região amazônica, devido à
      exportação da borracha para as nações industrializadas.
6. A economia mineradora no século XVIII, no Brasil, foi responsável em grande
parte:
( ) A pela aceleração do processo de interiorização, ao mesmo tempo que
        determinou um alargamento territorial;
( )   B pela consolidação do governo central sediado em Salvador (1763);
( )   C pela diminuição do fluxo de imigrantes portugueses que deixaram a
        metrópole no século XVII;
( )   D pelo desenvolvimento de uma civilização rica em Minas Gerais, graças à
        grande circulação do ouro;
( )   E pelo revigoramento do Nordeste açucareiro, que passou a ser financiado
        pelas Capitanias Meridionais.



7. Se bem que a base da economia mineira também seja o trabalho escravo, por
sua organização geral ela se diferencia amplamente da economia açucareira.

                                                  (Celso Furtado, Formação econômica do Brasil)A
referida diferenciação se expressa:
( ) A na relação com a terra que, por ser abundante no Nordeste, não se
         constituía fator de diferenciação social;
( )B     na imposição de controle rígido das exportações de açúcar, medida não
         tomada em relação ao ouro;
( )C     na pequena lucratividade da economia açucareira e na rapidez com que os
         senhores de engenho se desinteressaram pela mesma;
( )D     no isolamento da região mineradora, que não mantinha relações comerciais
         com o resto da Colônia, tal como ocorria no Nordeste;
( )E     na existência de possibilidades de ascensão social na região das minas, uma
         vez que o investimento inicial não era, necessariamente, elevado.


8. O mapa registra a expansão territorial da Região Centro-Sul, no Período
Colonial, como resultado das atividades de:



(   )A   cultivo e torrefação do café;
(   )B   produção e comercialização do açúcar;
(   )C   mineração de ouro e diamantes e da pecuária;
(   )D   mineração do sal e lavoura algodoeira;
(   )E   combate aos quilombos e aos invasores estrangeiros.




9. O movimento em favor da emancipação política no Brasil, em 1822, ocorreu,
fundamentalmente, devido:

( ) A às manifestações da Igreja em prol da Independência;
(   )B   à volta de D. João VI para Portugal;
(   )C   aos ideais de emancipação da revolução do Porto;
(   )D   às tentativas de recolonização por parte de Portugal;
(   )E   à influência dos comerciantes de escravos.

10. Para reconhecer a independência do Brasil, o governo inglês exigiu:
( ) A o pagamento de dois milhões de libras esterlinas;
( ) B a renovação do Tratado de Comércio de 1810;
( ) C a promessa de não se atacar em colônias inglesas;
( ) D a abolição da escravidão;
( ) E a permissão de implantação de empresas multinacionais de exploração de
      petróleo.

11. Os homens que realizaram a independência brasileira eram liberais, do ponto de
vista econômico e político, mas não sob o aspecto social.
Assinale a alternativa que justifique a frase acima:
1-     Falavam na liberdade de comércio, na existência de três poderes, em
       Constituição, mas não em libertação dos escravos e promoção social das massas
       marginalizadas.
2-     O rompimento com a Metrópole permitiu a legislação favorável à distribuição
       de terras, entretanto, manipulada pela aristocracia rural.
4-     Apesar do rompimento político-administrativo, a exploração dos escravos não
       foi reconhecida como crime contra a pessoa.
8-     O rompimento administrativo com Portugal não evitou a vinda de imigrantes
       que passaram a dominar o trabalho assalariado.

Soma: ________

12. A vinda da Família Real ao Brasil está diretamente ligada ao seguinte episódio:
( ) A a adesão portuguesa ao Bloqueio Continental decretado por Napoleão;
( ) B o desafio de Portugal ao decreto napoleônico do Bloqueio Continental e sua
      aliança com a Inglaterra;
( ) C a habilidade diplomática de D. João que fez aliança com a França e Inglaterra
      para sair da Europa em guerra;
( ) D o apoio português às tropas franco-hispânicas para evitar as guerras de
      independência na América;
( ) E a articulação entre os fazendeiros de café do Vale do Paraíba e as Cortes
      portuguesas para a independência do Brasil.

13. A aventura da colonização empreendida pela Coroa de Portugal, nas terras da
América, entre os séculos XVI e XVIII, expressou-se na constituição de diversas
regiões coloniais. Sobre essas regiões coloniais, estão corretas as seguintes
afirmativas, com exceção de:
( ) A No vale do Rio Amazonas, a partir do século XVII, ordens missionárias
      exploraram as “drogas do sertão”, utilizando o trabalho de indígenas locais.
( ) B No vale do Rio São Francisco, a partir do final do século XVI, ocorreu a
      expansão de fazendas de criação de gado, voltadas para o abastecimento
      dos engenhos de açúcar do litoral.
( ) C Na Capitania de São Vicente, em especial por iniciativa dos habitantes da vila

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Atividades de-histc3b3ria-5c2ba-ano-2010-123
Atividades de-histc3b3ria-5c2ba-ano-2010-123Atividades de-histc3b3ria-5c2ba-ano-2010-123
Atividades de-histc3b3ria-5c2ba-ano-2010-123
marcos carlos
 
Prova historia topico 8. o “sistema colonial” e a realidade efetiva da coloni...
Prova historia topico 8. o “sistema colonial” e a realidade efetiva da coloni...Prova historia topico 8. o “sistema colonial” e a realidade efetiva da coloni...
Prova historia topico 8. o “sistema colonial” e a realidade efetiva da coloni...
Atividades Diversas Cláudia
 
2 Prova Semestral - 2.6 gabarito
2 Prova Semestral - 2.6 gabarito2 Prova Semestral - 2.6 gabarito
2 Prova Semestral - 2.6 gabarito
KellyCarvalho2011
 
Hist ceara
Hist cearaHist ceara
Hist ceara
Naiara Fernandes
 
História do Brasil: Brasil Colônia
História do Brasil: Brasil ColôniaHistória do Brasil: Brasil Colônia
História do Brasil: Brasil Colônia
Marilia Pimentel
 
história do brasil_ parte1_colônia_império
história do brasil_ parte1_colônia_impériohistória do brasil_ parte1_colônia_império
história do brasil_ parte1_colônia_império
Jorge Miklos
 
Revisão 7º ano
Revisão 7º anoRevisão 7º ano
Revisão 7º ano
Janaína Bindá
 
Atividades Brasil Colônia
Atividades Brasil ColôniaAtividades Brasil Colônia
Atividades Brasil Colônia
Eduardo Mariño Rial
 
Periodo pré colonial
Periodo pré colonialPeriodo pré colonial
Periodo pré colonial
Atividades Diversas Cláudia
 
Brasil colonial
Brasil colonial Brasil colonial
Brasil colonial
Fatima Freitas
 
Trabalho de historia brasil colonia e imperio
Trabalho de historia brasil colonia e imperioTrabalho de historia brasil colonia e imperio
Trabalho de historia brasil colonia e imperio
Atividades Diversas Cláudia
 
Brasil Colônia
Brasil ColôniaBrasil Colônia
Brasil Colônia
Aulas de História
 
Apostila turismohistoriadoceara
Apostila turismohistoriadocearaApostila turismohistoriadoceara
Apostila turismohistoriadoceara
Veras Reis Reis
 
Trabalho de historia brasil colonia e imperio
Trabalho de historia brasil colonia e imperioTrabalho de historia brasil colonia e imperio
Trabalho de historia brasil colonia e imperio
Atividades Diversas Cláudia
 
2012 história do ceará
2012  história do ceará2012  história do ceará
2012 história do ceará
MARIANO C7S
 
Simulado História do Brasil e do História do Maranhão
Simulado História do Brasil e do História do MaranhãoSimulado História do Brasil e do História do Maranhão
Simulado História do Brasil e do História do Maranhão
Edenilson Morais
 
3 brasil colônia completo
3 brasil colônia completo3 brasil colônia completo
3 brasil colônia completo
Kerol Brombal
 
Brasil: das conjurações à independência
Brasil: das conjurações à independênciaBrasil: das conjurações à independência
Brasil: das conjurações à independência
Edenilson Morais
 
Revoltas Nativistas e Emancipacionistas
Revoltas Nativistas e EmancipacionistasRevoltas Nativistas e Emancipacionistas
Revoltas Nativistas e Emancipacionistas
Valéria Shoujofan
 
Brasil colônia
Brasil colônia Brasil colônia
Brasil colônia
Elaine Bogo Pavani
 

Mais procurados (20)

Atividades de-histc3b3ria-5c2ba-ano-2010-123
Atividades de-histc3b3ria-5c2ba-ano-2010-123Atividades de-histc3b3ria-5c2ba-ano-2010-123
Atividades de-histc3b3ria-5c2ba-ano-2010-123
 
Prova historia topico 8. o “sistema colonial” e a realidade efetiva da coloni...
Prova historia topico 8. o “sistema colonial” e a realidade efetiva da coloni...Prova historia topico 8. o “sistema colonial” e a realidade efetiva da coloni...
Prova historia topico 8. o “sistema colonial” e a realidade efetiva da coloni...
 
2 Prova Semestral - 2.6 gabarito
2 Prova Semestral - 2.6 gabarito2 Prova Semestral - 2.6 gabarito
2 Prova Semestral - 2.6 gabarito
 
Hist ceara
Hist cearaHist ceara
Hist ceara
 
História do Brasil: Brasil Colônia
História do Brasil: Brasil ColôniaHistória do Brasil: Brasil Colônia
História do Brasil: Brasil Colônia
 
história do brasil_ parte1_colônia_império
história do brasil_ parte1_colônia_impériohistória do brasil_ parte1_colônia_império
história do brasil_ parte1_colônia_império
 
Revisão 7º ano
Revisão 7º anoRevisão 7º ano
Revisão 7º ano
 
Atividades Brasil Colônia
Atividades Brasil ColôniaAtividades Brasil Colônia
Atividades Brasil Colônia
 
Periodo pré colonial
Periodo pré colonialPeriodo pré colonial
Periodo pré colonial
 
Brasil colonial
Brasil colonial Brasil colonial
Brasil colonial
 
Trabalho de historia brasil colonia e imperio
Trabalho de historia brasil colonia e imperioTrabalho de historia brasil colonia e imperio
Trabalho de historia brasil colonia e imperio
 
Brasil Colônia
Brasil ColôniaBrasil Colônia
Brasil Colônia
 
Apostila turismohistoriadoceara
Apostila turismohistoriadocearaApostila turismohistoriadoceara
Apostila turismohistoriadoceara
 
Trabalho de historia brasil colonia e imperio
Trabalho de historia brasil colonia e imperioTrabalho de historia brasil colonia e imperio
Trabalho de historia brasil colonia e imperio
 
2012 história do ceará
2012  história do ceará2012  história do ceará
2012 história do ceará
 
Simulado História do Brasil e do História do Maranhão
Simulado História do Brasil e do História do MaranhãoSimulado História do Brasil e do História do Maranhão
Simulado História do Brasil e do História do Maranhão
 
3 brasil colônia completo
3 brasil colônia completo3 brasil colônia completo
3 brasil colônia completo
 
Brasil: das conjurações à independência
Brasil: das conjurações à independênciaBrasil: das conjurações à independência
Brasil: das conjurações à independência
 
Revoltas Nativistas e Emancipacionistas
Revoltas Nativistas e EmancipacionistasRevoltas Nativistas e Emancipacionistas
Revoltas Nativistas e Emancipacionistas
 
Brasil colônia
Brasil colônia Brasil colônia
Brasil colônia
 

Destaque

Vida e histórias de imigrantes japoneses em ariquemes rondônia
Vida e histórias de imigrantes japoneses em ariquemes rondôniaVida e histórias de imigrantes japoneses em ariquemes rondônia
Vida e histórias de imigrantes japoneses em ariquemes rondônia
telmamedeiros2010
 
O Ouro dos Tigres - Poemas de Jorge Luis Borges
O Ouro dos Tigres - Poemas de Jorge Luis BorgesO Ouro dos Tigres - Poemas de Jorge Luis Borges
O Ouro dos Tigres - Poemas de Jorge Luis Borges
Carlos Elson Cunha
 
A imigração no brasil no século XIX
A imigração no brasil no século XIXA imigração no brasil no século XIX
A imigração no brasil no século XIX
Larissa Silva
 
Teste historia
Teste historiaTeste historia
Teste historia
emanuelcarvalhal765
 
Avaliac3a7c3a3o diagnc3b3stica-de-histc3b3ria-8c2ba-ano-com-descritores
Avaliac3a7c3a3o diagnc3b3stica-de-histc3b3ria-8c2ba-ano-com-descritoresAvaliac3a7c3a3o diagnc3b3stica-de-histc3b3ria-8c2ba-ano-com-descritores
Avaliac3a7c3a3o diagnc3b3stica-de-histc3b3ria-8c2ba-ano-com-descritores
Atividades Diversas Cláudia
 
Apostila de-portugues-
Apostila de-portugues- Apostila de-portugues-
Apostila de-portugues-
Terezinha Côgo Venturim
 
Prova 1 bimestre historia 3 ano
Prova 1 bimestre historia 3 anoProva 1 bimestre historia 3 ano
Prova 1 bimestre historia 3 ano
Atividades Diversas Cláudia
 
Indígenas no Brasil
Indígenas no BrasilIndígenas no Brasil
Indígenas no Brasil
Edenilson Morais
 
Prova de historia 1 ano 1 bimestre
Prova de historia 1 ano 1 bimestreProva de historia 1 ano 1 bimestre
Prova de historia 1 ano 1 bimestre
Atividades Diversas Cláudia
 
Avaliação de história per historia do brasil
Avaliação de história per historia do brasilAvaliação de história per historia do brasil
Avaliação de história per historia do brasil
mirianfernandes
 
Minha História de vida
Minha História de vida   Minha História de vida
Minha História de vida
Doralice dos Santos Bernardino
 
Projeto "Quem sou eu"
Projeto "Quem sou eu"Projeto "Quem sou eu"
Projeto "Quem sou eu"
Graça Sousa
 
Prova.pb.historia.3ano.manha.1bim
Prova.pb.historia.3ano.manha.1bimProva.pb.historia.3ano.manha.1bim
Prova.pb.historia.3ano.manha.1bim
Cinthia Santos
 
Arqueologia No Brasil
Arqueologia No BrasilArqueologia No Brasil
Arqueologia No Brasil
Bruno Conti
 
Avaliação História 4º Ano 1º bimestre
Avaliação História 4º Ano   1º bimestreAvaliação História 4º Ano   1º bimestre
Avaliação História 4º Ano 1º bimestre
Cristhiane Guimarães
 
História e Geografia de Santa Catarina
História e Geografia de Santa Catarina História e Geografia de Santa Catarina
História e Geografia de Santa Catarina
Rose vargas
 
Resumo - História de Santa Catarina
Resumo - História de Santa CatarinaResumo - História de Santa Catarina
Resumo - História de Santa Catarina
Elton Zanoni
 
Projeto identidade
Projeto identidadeProjeto identidade
Projeto identidade
Graça Sousa
 
Avaliação de recup. historia 4º ano
Avaliação de recup. historia 4º anoAvaliação de recup. historia 4º ano
Avaliação de recup. historia 4º ano
Raimunda Mascarenhas B. Melo
 

Destaque (20)

Vida e histórias de imigrantes japoneses em ariquemes rondônia
Vida e histórias de imigrantes japoneses em ariquemes rondôniaVida e histórias de imigrantes japoneses em ariquemes rondônia
Vida e histórias de imigrantes japoneses em ariquemes rondônia
 
O Ouro dos Tigres - Poemas de Jorge Luis Borges
O Ouro dos Tigres - Poemas de Jorge Luis BorgesO Ouro dos Tigres - Poemas de Jorge Luis Borges
O Ouro dos Tigres - Poemas de Jorge Luis Borges
 
A imigração no brasil no século XIX
A imigração no brasil no século XIXA imigração no brasil no século XIX
A imigração no brasil no século XIX
 
Teste historia
Teste historiaTeste historia
Teste historia
 
Avaliac3a7c3a3o diagnc3b3stica-de-histc3b3ria-8c2ba-ano-com-descritores
Avaliac3a7c3a3o diagnc3b3stica-de-histc3b3ria-8c2ba-ano-com-descritoresAvaliac3a7c3a3o diagnc3b3stica-de-histc3b3ria-8c2ba-ano-com-descritores
Avaliac3a7c3a3o diagnc3b3stica-de-histc3b3ria-8c2ba-ano-com-descritores
 
Apostila de-portugues-
Apostila de-portugues- Apostila de-portugues-
Apostila de-portugues-
 
Atividade cultura negrra
Atividade cultura negrraAtividade cultura negrra
Atividade cultura negrra
 
Prova 1 bimestre historia 3 ano
Prova 1 bimestre historia 3 anoProva 1 bimestre historia 3 ano
Prova 1 bimestre historia 3 ano
 
Indígenas no Brasil
Indígenas no BrasilIndígenas no Brasil
Indígenas no Brasil
 
Prova de historia 1 ano 1 bimestre
Prova de historia 1 ano 1 bimestreProva de historia 1 ano 1 bimestre
Prova de historia 1 ano 1 bimestre
 
Avaliação de história per historia do brasil
Avaliação de história per historia do brasilAvaliação de história per historia do brasil
Avaliação de história per historia do brasil
 
Minha História de vida
Minha História de vida   Minha História de vida
Minha História de vida
 
Projeto "Quem sou eu"
Projeto "Quem sou eu"Projeto "Quem sou eu"
Projeto "Quem sou eu"
 
Prova.pb.historia.3ano.manha.1bim
Prova.pb.historia.3ano.manha.1bimProva.pb.historia.3ano.manha.1bim
Prova.pb.historia.3ano.manha.1bim
 
Arqueologia No Brasil
Arqueologia No BrasilArqueologia No Brasil
Arqueologia No Brasil
 
Avaliação História 4º Ano 1º bimestre
Avaliação História 4º Ano   1º bimestreAvaliação História 4º Ano   1º bimestre
Avaliação História 4º Ano 1º bimestre
 
História e Geografia de Santa Catarina
História e Geografia de Santa Catarina História e Geografia de Santa Catarina
História e Geografia de Santa Catarina
 
Resumo - História de Santa Catarina
Resumo - História de Santa CatarinaResumo - História de Santa Catarina
Resumo - História de Santa Catarina
 
Projeto identidade
Projeto identidadeProjeto identidade
Projeto identidade
 
Avaliação de recup. historia 4º ano
Avaliação de recup. historia 4º anoAvaliação de recup. historia 4º ano
Avaliação de recup. historia 4º ano
 

Semelhante a Brasil minerio e indep avaliação de historia 3 ano em 2010

Exercicios periodo colonial gabarito
Exercicios periodo colonial gabaritoExercicios periodo colonial gabarito
Exercicios periodo colonial gabarito
Francidéia Carvalho
 
ciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdfciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdf
DenisBrito16
 
História de Mato Grosso em Exercícios... Prof. Medeiros
História de Mato Grosso em Exercícios... Prof. MedeirosHistória de Mato Grosso em Exercícios... Prof. Medeiros
História de Mato Grosso em Exercícios... Prof. Medeiros
João Medeiros
 
04-Cana-de-Açúcar.ppt.pdf
04-Cana-de-Açúcar.ppt.pdf04-Cana-de-Açúcar.ppt.pdf
04-Cana-de-Açúcar.ppt.pdf
Andrei Rita
 
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
Franciele Marques
 
Gabarito - Lista de Exercícios 1º Semestre
Gabarito - Lista de Exercícios 1º SemestreGabarito - Lista de Exercícios 1º Semestre
Gabarito - Lista de Exercícios 1º Semestre
Felipe Vaitsman
 
Td 2º anos (27.01.11)
Td 2º anos (27.01.11)Td 2º anos (27.01.11)
Td 2º anos (27.01.11)
Jorge Tales
 
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckman
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckmanAspecto culturais da colônia e revolta de beckman
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckman
Eliphas Rodrigues
 
História – brasil conquista do sertão 01 2014
História – brasil conquista do sertão 01   2014História – brasil conquista do sertão 01   2014
História – brasil conquista do sertão 01 2014
Jakson Raphael Pereira Barbosa
 
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
marlete andrade
 
Revisão crise do feudalismo, expansão comercial, capitalismo e globalização
Revisão   crise do feudalismo, expansão comercial, capitalismo e globalizaçãoRevisão   crise do feudalismo, expansão comercial, capitalismo e globalização
Revisão crise do feudalismo, expansão comercial, capitalismo e globalização
Valeria Kosicki
 
UE5 - Gênese Geoeconômica do Território Brasileiro
UE5 - Gênese Geoeconômica do Território BrasileiroUE5 - Gênese Geoeconômica do Território Brasileiro
UE5 - Gênese Geoeconômica do Território Brasileiro
Silvio Araujo de Sousa
 
7 série 1 trim revisão parcial bandeias b
7 série 1 trim revisão parcial   bandeias b7 série 1 trim revisão parcial   bandeias b
7 série 1 trim revisão parcial bandeias b
Carlos Zaranza
 
7 série 1 trim revisão parcial bandeias
7 série 1 trim revisão parcial   bandeias7 série 1 trim revisão parcial   bandeias
7 série 1 trim revisão parcial bandeias
Carlos Zaranza
 
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
eebcjn
 
A exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasilA exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasil
Stephani Coelho
 
A economia do brasil colonial
A economia do brasil colonialA economia do brasil colonial
A economia do brasil colonial
Nelia Salles Nantes
 
Aula Mineraçao.pdf
Aula Mineraçao.pdfAula Mineraçao.pdf
Aula Mineraçao.pdf
RafaelBritto16
 
Historia cn2
Historia cn2Historia cn2
Historia cn2
2marrow
 
Historia cn2
Historia cn2Historia cn2
Historia cn2
cavip
 

Semelhante a Brasil minerio e indep avaliação de historia 3 ano em 2010 (20)

Exercicios periodo colonial gabarito
Exercicios periodo colonial gabaritoExercicios periodo colonial gabarito
Exercicios periodo colonial gabarito
 
ciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdfciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdf
 
História de Mato Grosso em Exercícios... Prof. Medeiros
História de Mato Grosso em Exercícios... Prof. MedeirosHistória de Mato Grosso em Exercícios... Prof. Medeiros
História de Mato Grosso em Exercícios... Prof. Medeiros
 
04-Cana-de-Açúcar.ppt.pdf
04-Cana-de-Açúcar.ppt.pdf04-Cana-de-Açúcar.ppt.pdf
04-Cana-de-Açúcar.ppt.pdf
 
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
 
Gabarito - Lista de Exercícios 1º Semestre
Gabarito - Lista de Exercícios 1º SemestreGabarito - Lista de Exercícios 1º Semestre
Gabarito - Lista de Exercícios 1º Semestre
 
Td 2º anos (27.01.11)
Td 2º anos (27.01.11)Td 2º anos (27.01.11)
Td 2º anos (27.01.11)
 
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckman
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckmanAspecto culturais da colônia e revolta de beckman
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckman
 
História – brasil conquista do sertão 01 2014
História – brasil conquista do sertão 01   2014História – brasil conquista do sertão 01   2014
História – brasil conquista do sertão 01 2014
 
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
 
Revisão crise do feudalismo, expansão comercial, capitalismo e globalização
Revisão   crise do feudalismo, expansão comercial, capitalismo e globalizaçãoRevisão   crise do feudalismo, expansão comercial, capitalismo e globalização
Revisão crise do feudalismo, expansão comercial, capitalismo e globalização
 
UE5 - Gênese Geoeconômica do Território Brasileiro
UE5 - Gênese Geoeconômica do Território BrasileiroUE5 - Gênese Geoeconômica do Território Brasileiro
UE5 - Gênese Geoeconômica do Território Brasileiro
 
7 série 1 trim revisão parcial bandeias b
7 série 1 trim revisão parcial   bandeias b7 série 1 trim revisão parcial   bandeias b
7 série 1 trim revisão parcial bandeias b
 
7 série 1 trim revisão parcial bandeias
7 série 1 trim revisão parcial   bandeias7 série 1 trim revisão parcial   bandeias
7 série 1 trim revisão parcial bandeias
 
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
 
A exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasilA exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasil
 
A economia do brasil colonial
A economia do brasil colonialA economia do brasil colonial
A economia do brasil colonial
 
Aula Mineraçao.pdf
Aula Mineraçao.pdfAula Mineraçao.pdf
Aula Mineraçao.pdf
 
Historia cn2
Historia cn2Historia cn2
Historia cn2
 
Historia cn2
Historia cn2Historia cn2
Historia cn2
 

Mais de Keila Caetano

Atividades hebreus fenicios e persas
Atividades  hebreus fenicios e persasAtividades  hebreus fenicios e persas
Atividades hebreus fenicios e persas
Keila Caetano
 
Avaliação de geografia 8 áfrica 2013
Avaliação de geografia 8 áfrica 2013Avaliação de geografia 8 áfrica 2013
Avaliação de geografia 8 áfrica 2013
Keila Caetano
 
Avaliação 9 ano globalização
Avaliação 9 ano globalizaçãoAvaliação 9 ano globalização
Avaliação 9 ano globalização
Keila Caetano
 
Aval filosofia liberdade
Aval filosofia liberdadeAval filosofia liberdade
Aval filosofia liberdade
Keila Caetano
 
A guerra fria texto 1
A guerra fria texto 1A guerra fria texto 1
A guerra fria texto 1
Keila Caetano
 
éTica e política
éTica e políticaéTica e política
éTica e política
Keila Caetano
 
Primeira guerra e rev russa h 8
Primeira guerra e rev russa h   8Primeira guerra e rev russa h   8
Primeira guerra e rev russa h 8
Keila Caetano
 
G 2 em (2007)
G   2 em (2007)G   2 em (2007)
G 2 em (2007)
Keila Caetano
 
Egito, mesop, hebreus, fenícios, persas h 1º em
Egito, mesop, hebreus, fenícios, persas h   1º emEgito, mesop, hebreus, fenícios, persas h   1º em
Egito, mesop, hebreus, fenícios, persas h 1º em
Keila Caetano
 

Mais de Keila Caetano (9)

Atividades hebreus fenicios e persas
Atividades  hebreus fenicios e persasAtividades  hebreus fenicios e persas
Atividades hebreus fenicios e persas
 
Avaliação de geografia 8 áfrica 2013
Avaliação de geografia 8 áfrica 2013Avaliação de geografia 8 áfrica 2013
Avaliação de geografia 8 áfrica 2013
 
Avaliação 9 ano globalização
Avaliação 9 ano globalizaçãoAvaliação 9 ano globalização
Avaliação 9 ano globalização
 
Aval filosofia liberdade
Aval filosofia liberdadeAval filosofia liberdade
Aval filosofia liberdade
 
A guerra fria texto 1
A guerra fria texto 1A guerra fria texto 1
A guerra fria texto 1
 
éTica e política
éTica e políticaéTica e política
éTica e política
 
Primeira guerra e rev russa h 8
Primeira guerra e rev russa h   8Primeira guerra e rev russa h   8
Primeira guerra e rev russa h 8
 
G 2 em (2007)
G   2 em (2007)G   2 em (2007)
G 2 em (2007)
 
Egito, mesop, hebreus, fenícios, persas h 1º em
Egito, mesop, hebreus, fenícios, persas h   1º emEgito, mesop, hebreus, fenícios, persas h   1º em
Egito, mesop, hebreus, fenícios, persas h 1º em
 

Brasil minerio e indep avaliação de historia 3 ano em 2010

  • 1. Colégio Pitágoras Uruana, ______ de ___________________ de 2010 1º Ano E.M Aluno (a): _______________________________________ Colégio Avaliação de História Sistema Pitágoras Positivo PII – 2º Bimestre Valor: 50 1. O século XVIII, no Brasil, é marcado pela atividade mineradora na região das Minas Gerais.A análise da formação social das Minas nos leva a afirmar que, EXCETO: ( ) A na região das Minas Gerais a riqueza se distribui de forma harmoniosa, criando uma sociedade mais igualitária, sem grandes desníveis sociais; ( ) B com o desenvolvimento da atividade extrativa, cresce a camada de homens livres e pobres, vivendo de ocupações incertas e, muitas vezes, no crime e na violência; ( ) C as Minas do século XVIII foram uma capitania pobre, se considerarmos o pequeno número de senhores de lavras opulentos e a extensão da pobreza; ( ) D os vadios e desocupados, destituídos de trabalho, constituíam motivo de preocupação para os governadores, principalmente quando o ouro começou a escassear; ( ) E os escravos constituíam a força de trabalho das Minas, extraindo ouro dos córregos ou do seio da terra, em condições de exploração e miséria. 2. O açúcar e o ouro, cada qual em sua época de predomínio, garantiram para Portugal a posse e a ocupação de vasto território, alimentaram sonhos e cobiças, estimularam o povoamento e o fluxo expressivo de negros escravos, subsidiaram e induziram atividades intermediárias; foram fatores decisivos para o relativo progresso material e certa opulência barroca, além de contribuírem para o razoável florescimento das artes e das letras do período colonial.Apesar desta ação comum ou semelhante, a economia aurífera colonial avançou em direção própria e se diferenciou das demais atividades, principalmente porque: ( ) A não teve efeito multiplicador no desenvolvimento de atividades econômicas secundárias junto às minas e nas pradarias do Rio Grande; ( ) B interiorizou a formação de um mercado consumidor e propiciou surto urbano considerável; ( ) C o ouro brasileiro, sendo dependente do mercado externo, não resistiu à influência exercida pela prata das minas de Potosí; ( ) D representou forte obstáculo às relações favoráveis à Metrópole e não educou o colonizado para a luta contra a opressão do colonizador; ( ) E as bandeiras não foram além dos limites territoriais estabelecidos em
  • 2. Tordesilhas, apesar dos conflitos com os jesuítas e da ação cruel contra os indígenas do sertão sul-americano. 3. Assinale uma afirmativa errada, nas abaixo relacionadas, sobre a mineração colonial: ( ) A - esgotaram-se rapidamente as possibilidades econômicas das grandes jazidas brasileiras do período colonial porque a mineração era superficial; ( ) B - “faiscadores” eram os mineradores independentes; ( ) C - a “Real Extração” foi a implantação do monopólio da exploração diamantina pelo governo português; ( ) D - a quintação do ouro era feita nas lavras, de maneira rudimentar, e consistia na separação do ouro do cascalho; ( ) E - a sociedade das regiões mineradoras era mais permeável e democrática do que a da região do açúcar. 4. O Barroco foi uma das maiores manifestações artísticas e culturais ocorridas no Brasil Colônia, durante o período da exploração aurífera. É correto afirmar que, nesse período: ( ) A a cidade de Mariana, sede do governo português, representou o maior conjunto arquitetônico barroco nacional; ( )B o Barroco, no Brasil, não apresentou características nacionais, limitando-se a uma simples cópia do Barroco europeu; ( )C a cidade de Ouro Preto, centro político e econômico da região aurífera, não foi beneficiada arquitetonicamente pelo estilo barroco; ( )D a grande riqueza propiciada pelo ouro permitiu que artistas se dedicassem à construção e criação de obras que expressavam os sentimentos nacionais; ( )E a Capitania de São Paulo, apesar de não ter participado do processo de exploração aurífera, foi o principal centro de expressão do Barroco no país. 5. A crise da economia mineira e a nova conjuntura internacional, na segunda metade do século XVIII, refletiram no Brasil, contribuindo para: ( ) A o retorno da monocultura da cana-de-açúcar, aproveitando-se da capacidade ociosa dos engenhos nordestinos; ( ) B o desenvolvimento de manufaturas de tecido de algodão, estimulado pela política reformista do Marquês de Pombal; ( ) C a diversificação econômica, entrando na pauta de exportação da colônia produtos como algodão, tabaco, cacau, couro; ( ) D a emergência da monocultura do café, produto de fácil cultivo e de aceitação crescente nos mercados exteriores; ( ) E o aparecimento de centros econômicos na região amazônica, devido à exportação da borracha para as nações industrializadas.
  • 3. 6. A economia mineradora no século XVIII, no Brasil, foi responsável em grande parte: ( ) A pela aceleração do processo de interiorização, ao mesmo tempo que determinou um alargamento territorial; ( ) B pela consolidação do governo central sediado em Salvador (1763); ( ) C pela diminuição do fluxo de imigrantes portugueses que deixaram a metrópole no século XVII; ( ) D pelo desenvolvimento de uma civilização rica em Minas Gerais, graças à grande circulação do ouro; ( ) E pelo revigoramento do Nordeste açucareiro, que passou a ser financiado pelas Capitanias Meridionais. 7. Se bem que a base da economia mineira também seja o trabalho escravo, por sua organização geral ela se diferencia amplamente da economia açucareira. (Celso Furtado, Formação econômica do Brasil)A referida diferenciação se expressa: ( ) A na relação com a terra que, por ser abundante no Nordeste, não se constituía fator de diferenciação social; ( )B na imposição de controle rígido das exportações de açúcar, medida não tomada em relação ao ouro; ( )C na pequena lucratividade da economia açucareira e na rapidez com que os senhores de engenho se desinteressaram pela mesma; ( )D no isolamento da região mineradora, que não mantinha relações comerciais com o resto da Colônia, tal como ocorria no Nordeste; ( )E na existência de possibilidades de ascensão social na região das minas, uma vez que o investimento inicial não era, necessariamente, elevado. 8. O mapa registra a expansão territorial da Região Centro-Sul, no Período Colonial, como resultado das atividades de: ( )A cultivo e torrefação do café; ( )B produção e comercialização do açúcar; ( )C mineração de ouro e diamantes e da pecuária; ( )D mineração do sal e lavoura algodoeira; ( )E combate aos quilombos e aos invasores estrangeiros. 9. O movimento em favor da emancipação política no Brasil, em 1822, ocorreu, fundamentalmente, devido: ( ) A às manifestações da Igreja em prol da Independência;
  • 4. ( )B à volta de D. João VI para Portugal; ( )C aos ideais de emancipação da revolução do Porto; ( )D às tentativas de recolonização por parte de Portugal; ( )E à influência dos comerciantes de escravos. 10. Para reconhecer a independência do Brasil, o governo inglês exigiu: ( ) A o pagamento de dois milhões de libras esterlinas; ( ) B a renovação do Tratado de Comércio de 1810; ( ) C a promessa de não se atacar em colônias inglesas; ( ) D a abolição da escravidão; ( ) E a permissão de implantação de empresas multinacionais de exploração de petróleo. 11. Os homens que realizaram a independência brasileira eram liberais, do ponto de vista econômico e político, mas não sob o aspecto social. Assinale a alternativa que justifique a frase acima: 1- Falavam na liberdade de comércio, na existência de três poderes, em Constituição, mas não em libertação dos escravos e promoção social das massas marginalizadas. 2- O rompimento com a Metrópole permitiu a legislação favorável à distribuição de terras, entretanto, manipulada pela aristocracia rural. 4- Apesar do rompimento político-administrativo, a exploração dos escravos não foi reconhecida como crime contra a pessoa. 8- O rompimento administrativo com Portugal não evitou a vinda de imigrantes que passaram a dominar o trabalho assalariado. Soma: ________ 12. A vinda da Família Real ao Brasil está diretamente ligada ao seguinte episódio: ( ) A a adesão portuguesa ao Bloqueio Continental decretado por Napoleão; ( ) B o desafio de Portugal ao decreto napoleônico do Bloqueio Continental e sua aliança com a Inglaterra; ( ) C a habilidade diplomática de D. João que fez aliança com a França e Inglaterra para sair da Europa em guerra; ( ) D o apoio português às tropas franco-hispânicas para evitar as guerras de independência na América; ( ) E a articulação entre os fazendeiros de café do Vale do Paraíba e as Cortes portuguesas para a independência do Brasil. 13. A aventura da colonização empreendida pela Coroa de Portugal, nas terras da América, entre os séculos XVI e XVIII, expressou-se na constituição de diversas regiões coloniais. Sobre essas regiões coloniais, estão corretas as seguintes afirmativas, com exceção de: ( ) A No vale do Rio Amazonas, a partir do século XVII, ordens missionárias exploraram as “drogas do sertão”, utilizando o trabalho de indígenas locais. ( ) B No vale do Rio São Francisco, a partir do final do século XVI, ocorreu a expansão de fazendas de criação de gado, voltadas para o abastecimento dos engenhos de açúcar do litoral. ( ) C Na Capitania de São Vicente, em especial por iniciativa dos habitantes da vila