SlideShare uma empresa Scribd logo
"O ouro brasileiro deixou buracos no Brasil, templos em Portugal e
fábricas na Inglaterra." (Eduardo Galeano)
A MINERAÇÃO NO BRASIL COLONIAL
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
A MINERAÇÃO NO BRASIL
COLONIAL
 A descoberta de minas de ouro por bandeirantes paulistas no final do século XVII
provocou grande agitação.
 Gente de Portugal e de outras capitanias brasileiras se dirigia para as “minas gerais”
(região mineradora, por isso o nome do Estado Minas Gerais), na esperança de
enriquecerem facilmente.
 Começava uma nova etapa na História do Brasil: o período do ouro ou da mineração,
que gerou profundas mudanças econômicas, sociais e políticas na Colônia durante o
século XVIII.
Hora de copiar!
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
LEMBRE-SE DE QUE...
1-Até que fosse
descoberto ouro no
Brasil, a produção
açucareira tinha sido
fundamental para a
economia da América
Portuguesa.
2- A economia açucareira
colonial caracterizou-se
pela utilização de mão de
obra escrava e pelo
latifúndio (grandes
propriedades) e voltada
para o mercado externo.
3- Além do açúcar, outros
produtos, como o tabaco,
o gado e o algodão,
geravam riquezas para os
colonos e ajudavam a
impulsionar a economia
açucareira.
Hora de copiar!
Lembre-se que...
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
SERÁ QUE APRENDERAM ATÉ AQUI?
Foram características dominantes da
colonização portuguesa na América:
a) pequenas unidades de produção diversificada,
comércio livre e trabalho compulsório.
b) grandes unidades produtivas de exportação, monopólio
do comércio e escravidão.
c) pacto colonial, exploração de minérios e trabalho livre.
d) latifúndio, produção monocultora e trabalho
assalariado de indígenas.
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
COPIE E FAÇA NO SEU CADERNO:
1- Diga a atividade econômica que sustentava a economia colonial no
Brasil, antes da descoberta de ouro no século XVIII, e suas
principais características:
R: A cana de açúcar. Ela caracterizou-se pela utilização de mão de
obra escrava e pelo latifúndio (grandes propriedades) e era voltada
para o mercado externo.
2-De que maneira o ouro foi descoberto no Brasil?
R: Através das expedições de bandeirantes, pelo interior do Brasil.
3-Qual era o nome da medida que obrigada as colônias à
comercializarem exclusivamente com suas metrópoles?
R- Pacto colonial
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
AS FORMAS DE MINERAÇÃO
As lavras, feitas em grandes
jazidas, que exigia muitos
investimentos em equipamentos e
mão de obra escrava. Por este
motivo, era desenvolvida por
mineradores ricos e foi comum na
fase áurea da mineração.
A faiscação era a pequena extração
realizada pelo próprio garimpeiro que
usava peneiras. Eles eram homens livres
pobres ou mesmo escravos alforriados
(ou que buscavam se alforriar). Eram
feitas em áreas abandonadas,
principalmente no final do ciclo.
Havia duas formas de extração aurífera:
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
 Foi um conflito armado ocorrido na região das Minas Gerais entre
os anos de 1707 e 1709, envolvendo os bandeirantes paulistas e
os emboabas (portugueses e imigrantes de outras regiões do
Brasil).
 O confronto tinha como causa principal a disputa pela exploração
das minas de ouro recém descobertas na região das Minas Gerais.
Os paulistas queriam exclusividade na exploração da região, pois
afirmavam que tinham descoberto as minas.
 O conflito mais importante e sangrento ocorreu em novembro de
1708 no distrito de Ouro Preto. Os emboabas dominaram a região
das minas e os paulistas se refugiaram na área do Rio das Mortes.
 Os paulistas foram derrotados e a Coroa Portuguesa criou a
Capitania de São Paulo e Minas de Ouro.
CONSEQUÊNCIAS:
 - A cobrança do quinto foi regulamentada.
 - A Coroa Portuguesa, após acabar com o conflito e pacificar a
região, assumiu a exploração de ouro na região das Minas Gerais.
 - Os bandeirantes paulistas, expulsos da região das Minas Gerais,
foram procurar em busca de ouro nas regiões de Goiás e Mato
Grosso.
A GUERRA DOS EMBOABAS
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
TÁ LIGADO NA AULA? ENTÃO RESPONDA:
Durante o período da mineração no Brasil ocorreu um
violento conflito entre paulistas e portugueses, que ficou
conhecido como:
a) Conflito dos moicanos
b) Conflito da mineração
c) Guerra da mineração
d) Guerra dos emboabas
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
A FISCALIZAÇÃO DO OURO
 Assim que foram descobertas as
primeiras minas de ouro, o rei de
Portugal tratou de organizar sua
extração e começou a cobrar o quinto.
 O quinto era imposto que correspondia
a 20% de todo ouro encontrado na
colônia.
 Ele era cobrado nas Casas de
Fundição e organizado pela
intendência das Minas (1702), que
também distribuía datas (terrenos),
favorecendo os ricos, que possuíam
mais escravos.
Hora de copiar!
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
VAMOS PRATICAR?
As minas pertenciam à Coroa
portuguesa, que concedia
lotes aos grandes
mineradores. A mão-de-obra
nos lotes era realizada por
escravos em locais
denominados:
a) Casas de fundição
b) lavras
c) emboabas
d) aluviais
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
SERÁ QUE VOCÊS APRENDERAM?
O principal órgão do esquema
administrativo português criado, era:
a) Confidência Mineira
b) Ouro do Aluvião
c) Tratado de Methuen
d) Intendência das minas
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
OS SANTOS DO “PAU OCO”
 A cobrança do quinto, muito alto para os
colonos, gerava insatisfação e favorecia o
contrabando.
 Foi nesta época que apareceu os santos
de pau oco, destinados, entre outras
coisas, a esconder ouro no seu interior.
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
OUTRAS REAÇÕES DOS COLONOS
 Além dos santos de “pau oco”, alguns
colonos tentaram se revoltar contra a
cobrança do quinto e de outras taxas
cobradas por Portugal.
 Todos eles, entretanto, foram
violentamente punidos, com penas que
variavam de prisão, expulsão do país ou
morte.
 Este foi o caso da Revolta de Filipe
dos Santos, quando os moradores de
Vila Rica (Ouro Preto), em 1720,
tentaram se revoltar. Traído pelo
governador de Minas, o líder Filipe dos
Santos, teve a sua casa incendiada, foi
enforcado e, como era de hábito na
época, também foi esquartejado.
Charge que retrata a execução de Filipe
dos Santos.Os portugueses fizeram desta
punição um exemplo para que outros
colonos não seguissem os seus caminhos.
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
VAMOS PRATICAR?
O que era o “quinto”?
a) Uma parte do componente
químico do ouro
b) Uma parte do lote destinado às
minas, de 20% das terras.
c) Um imposto pago à Portugal,
correspondia a 10% do
arrecadado.
d) Um imposto pago à Portugal,
correspondia a 20% do
arrecadado
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
AS CIDADES DAS “MINAS GERAIS”
 Não foi somente em
Minas Gerais que se
achou ouro no Brasil. Nos
estados de Mato Grosso
e Goiás também houve
extração.
 Observe no mapa ao lado
as cidades mineradoras
do século XVIII.
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
AS CIDADES MINERADORAS E O
CRESCIMENTO COLONIAL
 A descoberta de ouro e o início da exploração da minas nas regiões auríferas provocou uma
verdadeira "corrida do ouro" para estas regiões. Procurando trabalho, desempregados do país
inteiro foram em busca do sonho de ficar rico com o ouro.
 Neste movimento, cidades começaram a surgir e se deu o desenvolvimento urbano e cultural
nestas regiões. Vila Rica, atual Ouro Preto, se destacou muito neste período. O comércio das
regiões mineradoras desenvolveu a economia colonial brasileira no período.
 A quantidade de pessoas com classes sociais diversas mudava a sociedade colonial, que se
tornava mais complexa e diversificada. Havia vários brancos livres pobres, chamados de “os
desclassificados do ouro”.
Casas de Ouro Preto no século XIX. Elas
eram bem parecidas com as do século XVIII.
Ouro Preto nos
dias atuais.
Notem que as
casas continuam
semelhantes, por
isso, ela se
tornou patrimônio
cultural da
Humanidade;
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
A EXTRAÇÃO DE DIAMANTES
 O principal centro de extração da
valiosa pedra, foi o Arraial do
Tijuco, hoje Diamantina em Minas
Gerais.
 A partir de 1734, visando um maior
controle sobre a região diamantina,
foi estabelecido um sistema de
exploração de diamantes para um
único contratador.
 O primeiro deles em 1740, foi o
milionário João Fernandes de
Oliveira, que se apaixonou pela
escrava Chica da Silva, tornando-a
uma nobre senhora do Arraial do
Tijuco, em Minas Gerais.
Cartaz do filme “Xica da Silva”, versão artística da
vida da escrava que se casou com o contratador, no
arraial do Tijuco, causando escândalo na Colônia..
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
A SOCIEDADE MINERADORA
A sociedade mineradora se dividia em quatro grupos
sociais::
 Os grandes mineradores, donos das grandes minas
e de inúmeros escravos.
 A camada média, composta por funcionários
públicos, comerciantes, artesãos, padres, militares,
profissionais liberais e garimpeiros bem sucedidos
 Os trabalhadores livres pobres, brasileiros de outras
regiões do país ou portugueses menos favorecidos
que buscavam uma vida melhor como garimpeiros.
Entre eles também estavam os escravos alforriados
(libertos).
 Os escravos negros (africanos ou criolos), que
trabalhavam nas lavras e nos afazeres domésticos.
Hora de copiar!
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
AS ARTES E A CULTURA
MINERADORA
 Foi neste contexto de extração do ouro que apareceu um dos mais importantes artistas
plásticos do Brasil, Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho.
 Na música destaca-se o estilo sacro barroco do mineiro José Joaquim Emérico Lobo de
Mesquita, além da música popular representada pela modinha e pela cantiga de ninar
de origem lusitana e pelo lundu de origem africana.
Escultura de aleijadinho em
Sabará (MG), na Igreja de
Nossa Senhora do Carmo
Charge ironizando
Aleijadinho, dizendo
que ele não teria
futuro como
escultor por fazer
uma arte nova, além
dos preconceitos
com a sua
aparência.
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
A DECADÊNCIA DA MINERAÇÃO
 Na segunda metade do século XVIII,
a mineração entra em decadência
com a paralisação das descobertas.
 Por serem de aluvião (feitos no leito
dos rios) o ouro e diamantes eram
facilmente extraídos. Isso levou a
uma exploração que fez com que as
jazidas se esgotassem rapidamente.
 Esse esgotamento deveu-se ao
desconhecimento técnico dos
mineradores.
 Após este período, aumenta a
diversificação de produtos agrícolas,
cultivados para abastecer o Brasil.
Veja no mapa ao lado.
 O comércio, já aquecido, se
intensifica com o esgotamento
das jazidas.
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
A decadência na mineração do ouro,
no final do século XVIII, promoveu
outras atividades econômicas.
Identifique-as:
I- Pecuária
II- Indústria
III- Comércio
IV- Plantações de tabaco e algodão.
Estão corretas:
a) I, II e III
b) II, III e IV
c) I, III e IV
d) III e IV
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
CONSEQÜÊNCIAS DA MINERAÇÃO
A mineração foi responsável por profundas mudanças na vida colonial brasileira:
 Em cem anos a população cresceu de 300 mil para, aproximadamente, 3 milhões de
pessoas, incluindo aí, um deslocamento de 800 mil portugueses para o Brasil.
 Intensificação do comércio interno de escravos, chegando do Nordeste cerca de 600
mil negros.
 Além do comércio de escravos, a mineração ampliou o comércio interno na colônia
para abastecer a região mineradora. Houve um aumento significativo na produção de
alimentos e bens de consumo para a região.
 A sociedade colonial tornou-se mais diversificada que na economia açucareira: grandes
proprietários, camadas médias, trabalhadores livres pobre e escravos. Apesar da
concentração de riqueza ainda privilegiar os grandes proprietários.
 Transferência do eixo social e econômico do litoral para o interior da colônia, o que
acarretou na própria mudança da capital de Salvador para o Rio de Janeiro, cidade de
mais fácil acesso à região mineradora e próxima do oceano Atlântico.
Hora de copiar!
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
O DESTINO DO OURO BRASILEIRO
 A riqueza gerada pela mineração não permaneceu no Brasil e nem foi para Portugal.
 A dependência lusa (portuguesa) em relação à Inglaterra era antiga (Tratado de
Methuem) e grande parte das dívidas portuguesas foram pagas com o ouro brasileiro.
 Isso possibilitou uma grande acumulação de capital na Inglaterra, indispensável para
o seu pioneirismo na Revolução Industrial.
Este quadro explica o
caminho que o ouro
seguia quando saía do
Brasil. Mal chegava a
Portugal, ele seguia
para a Inglaterra para o
pagamento de dívidas
e das compras de
tecidos.
Hora de copiar!
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
COPIE E FAÇA NO SEU CADERNO:
1- Cite duas consequências da mineração para o Brasil.
R: Em cem anos a população cresceu de 300 mil para, aproximadamente, 3 milhões
de pessoas, incluindo aí, um deslocamento de 800 mil portugueses para o Brasil. Tais
deslocamentos representam a transferência do eixo social e econômico do litoral para
o interior da colônia, o que acarretou na própria mudança da capital de Salvador para
o Rio de Janeiro.
2- Para onde foi o ouro brasileiro?
R- Para o pagamento de dívidas de Portugal com a Inglaterra.
3- "O ouro brasileiro deixou buracos no Brasil, templos em Portugal e fábricas na
Inglaterra." (Eduardo Galeano) Explique de que forma os fatos contidos na frase
anterior estão relacionados .
R: A resposta é pessoal, mas é importante que se saiba que o ouro brasileiro
beneficiou mais Portugal e a Inglaterra do que ao Brasil (que ficou com os impactos
negativos da mineração, os buracos).
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
QUIZZ DA MINERAÇÃO
 Em grupos, os alunos deverão responder
perguntas relacionadas à matéria.
 Serão duas questões para cada grupo.
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
SERÁ QUE VOCÊS APRENDERAM?
1- No final do século XVIII todas as minas de
ouro no Brasil pertenciam a Portugal, o trabalho,
entretanto, era realizado pelos:
a) Emboabas
b) Escravos Negros
c) Índios
d) Espanhóis
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
SERÁ QUE VOCÊS APRENDERAM?
2- Qual foi o processo histórico
europeu beneficiado pelo capital do
ouro brasileiro?
a) Revolução Francesa
b) Revolução Industrial
c) Revolução Russa
d) Renascimento Cultural
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
SERÁ QUE VOCÊS APRENDERAM?
3-Após a descoberta de ouro no
interior do país, a capital da colônia
foi transferida para:
a) Salvador
b) São Paulo
c) Minas Gerais
d) Rio de Janeiro
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
SERÁ QUE VOCÊS APRENDERAM?
4- Líder de uma importante revolta
contra os abusos na cobrança de
impostos por Portugal, em 1720:
a) Tiradentes
b) Filipe dos Santos
c) Cláudio Manuel
d) Aleijadinho
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
5- Duas atividades econômicas destacaram-se durante
o período colonial brasileiro: a açucareira e a
mineração. Com relação a essas atividades
econômicas, é correto afirmar que:
a) na atividade açucareira, prevaleciam o latifúndio e a ruralização, a
mineração favorecia a urbanização e a expansão do mercado interno.
b) o trabalho escravo era predominante na atividade açucareira e o assalariado
na mineradora.
c) o ouro do Brasil foi para a Holanda e os lucros do açúcar serviram para a
acumulação de capitais ingleses.
d) geraram movimentos nativistas como a Guerra dos Emboabas e a Revolução
Farroupilha.
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
6-Podemos dizer que a economia mineradora do século XVIII, no
Brasil,
a) era escravocrata, rigidamente estratificada do ponto de vista social e tinha em seu
topo uma classe proprietária bastante dependente do capital holandês.
b) baseava-se na grande propriedade e na produção para exportação; estimulou o
aparecimento das primeiras estradas de ferro e gerou a acumulação de capital
posteriormente aplicado em indústrias.
c) era voltada principalmente para as necessidades do mercado interno; utilizava o
trabalho escravo e o livre; difundiu a pequena propriedade fundiária nas regiões
interioranas do Brasil.
d) era rigidamente controlada pelo estado; empregava o trabalho escravo mas permitia
também o aparecimento de pequenos proprietários e trabalhadores independentes;
acabou favorecendo, indiretamente, a acumulação capitalista que deu origem à
Revolução Industrial inglesa.
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
7- A riqueza produzida pela mineração trouxe
poucos benefícios de caráter permanente à
economia luso-brasileira, porque:
a) a rígida estrutura escravista da zona do ouro não permitiu
alforrias e mobilidade social.
b) o mercado interno não se desenvolveu mantendo-se a
situação de ilhas econômicas.
c) o contrabando e a voracidade do fisco português não podem
ser considerados fatores que colaboraram para este
resultado.
d) a dependência econômica de Portugal, em relação à
Inglaterra configurada no Tratado de Methuen, transferiu
para este país grande parte do ouro explorado.
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
8- O desenvolvimento da economia mineradora no
século XVII teve diferentes repercussões sobre a vida
colonial, conforme se apresenta caracterizado numa
das opções a seguir. Assinale-a.
a) Incremento do comércio interno e das atividades voltadas para o
abastecimento na região centro-sul.
b) Movimento de interiorização conhecido como bandeirismo,
responsável pelo fornecimento de mão-de-obra indígena para as minas.
c) Descentralização da administração colonial para facilitar o controle da
produção.
d) Sufocamento dos movimentos de rebelião, graças à riqueza material
gerada pelo ouro e pela prata.
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
9- No século XVIII a produção do ouro provocou muitas
transformações na colônia. Entre elas, podemos destacar:
a) a urbanização da Amazônia, o início da produção do tabaco, a
introdução do trabalho livre com os imigrantes.
b) a industrialização de São Paulo, a produção de café no Vale do
Paraíba, a expansão da criação de ovinos em Minas Gerais.
c) o aumento da produção de alimentos, a integração de novas áreas
por meio da pecuária e do comércio, a mudança do eixo econômico
para o Sudeste.
d) a preservação da população indígena, a decadência da produção
algodoeira, a introdução de operários europeus.
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
10- Artista que se destacou durante a mineração no
Brasil, no campo das esculturas religiosas foi:
a) Machado de Assis
b) Aleijadinho
c) Tiradentes
d) Martins Pena
19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALA SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
Isabel Aguiar
 
Mineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil ColôniaMineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil Colônia
Jerry Guimarães
 
Brasil colonial as revoltas coloniais
Brasil colonial   as revoltas coloniaisBrasil colonial   as revoltas coloniais
Brasil colonial as revoltas coloniais
Edenilson Morais
 
Revoltas Coloniais
Revoltas ColoniaisRevoltas Coloniais
Revoltas Coloniais
Edenilson Morais
 
Capitanias Hereditárias
Capitanias HereditáriasCapitanias Hereditárias
Capitanias Hereditárias
Valéria Shoujofan
 
Independência do Brasil
Independência do BrasilIndependência do Brasil
Independência do Brasil
Janaína Tavares
 
Movimentos sociais na Republica Oligárquica
Movimentos sociais na Republica Oligárquica Movimentos sociais na Republica Oligárquica
Movimentos sociais na Republica Oligárquica
alinesantana1422
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
Daniel Alves Bronstrup
 
Revoltas nativistas no brasil colonial
Revoltas nativistas no brasil colonialRevoltas nativistas no brasil colonial
Revoltas nativistas no brasil colonial
Nivaldo Francisco Neves
 
Brasil colônia4 revoltas nativistas
Brasil colônia4 revoltas nativistasBrasil colônia4 revoltas nativistas
Brasil colônia4 revoltas nativistas
dmflores21
 
A época do ouro no brasil
A época do ouro no brasilA época do ouro no brasil
A época do ouro no brasil
Andressa Fontenele
 
Colonização portuguesa na américa
Colonização portuguesa na américaColonização portuguesa na américa
Colonização portuguesa na américa
Carolina Medeiros
 
História do ceará
História do cearáHistória do ceará
História do ceará
Pérysson Nogueira
 
01 colônia - expansão da colonização
01   colônia - expansão da colonização01   colônia - expansão da colonização
01 colônia - expansão da colonização
Portal do Vestibulando
 
Mapa Conceitual Revoltas Regenciais
Mapa Conceitual Revoltas Regenciais  Mapa Conceitual Revoltas Regenciais
Mapa Conceitual Revoltas Regenciais
Frederico Marques Sodré
 
Brasil Colônia Módulo I
Brasil Colônia    Módulo IBrasil Colônia    Módulo I
Brasil Colônia Módulo I
Lucio Oliveira
 
1 colonizações espanhóis e ingleses na américa
1  colonizações espanhóis e ingleses na américa1  colonizações espanhóis e ingleses na américa
1 colonizações espanhóis e ingleses na américa
Marilia Pimentel
 
Para que estudar História
Para que estudar HistóriaPara que estudar História
Para que estudar História
Liz Prates
 
Prova Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho Gabarito
Prova Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho GabaritoProva Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho Gabarito
Prova Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho Gabarito
Jana Bento
 
Brasil: Economia Colonial
Brasil: Economia ColonialBrasil: Economia Colonial
Brasil: Economia Colonial
Portal do Vestibulando
 

Mais procurados (20)

A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALA SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
 
Mineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil ColôniaMineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil Colônia
 
Brasil colonial as revoltas coloniais
Brasil colonial   as revoltas coloniaisBrasil colonial   as revoltas coloniais
Brasil colonial as revoltas coloniais
 
Revoltas Coloniais
Revoltas ColoniaisRevoltas Coloniais
Revoltas Coloniais
 
Capitanias Hereditárias
Capitanias HereditáriasCapitanias Hereditárias
Capitanias Hereditárias
 
Independência do Brasil
Independência do BrasilIndependência do Brasil
Independência do Brasil
 
Movimentos sociais na Republica Oligárquica
Movimentos sociais na Republica Oligárquica Movimentos sociais na Republica Oligárquica
Movimentos sociais na Republica Oligárquica
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
 
Revoltas nativistas no brasil colonial
Revoltas nativistas no brasil colonialRevoltas nativistas no brasil colonial
Revoltas nativistas no brasil colonial
 
Brasil colônia4 revoltas nativistas
Brasil colônia4 revoltas nativistasBrasil colônia4 revoltas nativistas
Brasil colônia4 revoltas nativistas
 
A época do ouro no brasil
A época do ouro no brasilA época do ouro no brasil
A época do ouro no brasil
 
Colonização portuguesa na américa
Colonização portuguesa na américaColonização portuguesa na américa
Colonização portuguesa na américa
 
História do ceará
História do cearáHistória do ceará
História do ceará
 
01 colônia - expansão da colonização
01   colônia - expansão da colonização01   colônia - expansão da colonização
01 colônia - expansão da colonização
 
Mapa Conceitual Revoltas Regenciais
Mapa Conceitual Revoltas Regenciais  Mapa Conceitual Revoltas Regenciais
Mapa Conceitual Revoltas Regenciais
 
Brasil Colônia Módulo I
Brasil Colônia    Módulo IBrasil Colônia    Módulo I
Brasil Colônia Módulo I
 
1 colonizações espanhóis e ingleses na américa
1  colonizações espanhóis e ingleses na américa1  colonizações espanhóis e ingleses na américa
1 colonizações espanhóis e ingleses na américa
 
Para que estudar História
Para que estudar HistóriaPara que estudar História
Para que estudar História
 
Prova Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho Gabarito
Prova Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho GabaritoProva Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho Gabarito
Prova Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho Gabarito
 
Brasil: Economia Colonial
Brasil: Economia ColonialBrasil: Economia Colonial
Brasil: Economia Colonial
 

Destaque

Mineração no Brasil colônia
Mineração no Brasil colôniaMineração no Brasil colônia
Mineração no Brasil colônia
João Marcelo
 
O Ouro Brasileiro
O Ouro BrasileiroO Ouro Brasileiro
O Ouro Brasileiro
crie_historia8
 
A exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasilA exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasil
Stephani Coelho
 
A descoberta de ouro e a ocupação das
A descoberta de ouro e a ocupação dasA descoberta de ouro e a ocupação das
A descoberta de ouro e a ocupação das
Edenilson Morais
 
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
marlete andrade
 
Mercantilismo português
Mercantilismo portuguêsMercantilismo português
Mercantilismo português
cattonia
 
Brasil: das conjurações à independência
Brasil: das conjurações à independênciaBrasil: das conjurações à independência
Brasil: das conjurações à independência
Edenilson Morais
 
O Mercantilismo Em Portugal
O Mercantilismo Em PortugalO Mercantilismo Em Portugal
O Mercantilismo Em Portugal
Sílvia Mendonça
 
Cultura Afro Brasileira
Cultura Afro   BrasileiraCultura Afro   Brasileira
Cultura Afro Brasileira
martinsramon
 

Destaque (9)

Mineração no Brasil colônia
Mineração no Brasil colôniaMineração no Brasil colônia
Mineração no Brasil colônia
 
O Ouro Brasileiro
O Ouro BrasileiroO Ouro Brasileiro
O Ouro Brasileiro
 
A exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasilA exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasil
 
A descoberta de ouro e a ocupação das
A descoberta de ouro e a ocupação dasA descoberta de ouro e a ocupação das
A descoberta de ouro e a ocupação das
 
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
 
Mercantilismo português
Mercantilismo portuguêsMercantilismo português
Mercantilismo português
 
Brasil: das conjurações à independência
Brasil: das conjurações à independênciaBrasil: das conjurações à independência
Brasil: das conjurações à independência
 
O Mercantilismo Em Portugal
O Mercantilismo Em PortugalO Mercantilismo Em Portugal
O Mercantilismo Em Portugal
 
Cultura Afro Brasileira
Cultura Afro   BrasileiraCultura Afro   Brasileira
Cultura Afro Brasileira
 

Semelhante a A Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental

ciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdfciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdf
DenisBrito16
 
001 2º ano história rafael - américa portuguesa até mineração 2015
001  2º ano  história   rafael  - américa portuguesa até mineração 2015001  2º ano  história   rafael  - américa portuguesa até mineração 2015
001 2º ano história rafael - américa portuguesa até mineração 2015
Rafael Noronha
 
Mineracao no brasil
Mineracao no brasilMineracao no brasil
Mineracao no brasil
Loredana Ruffo
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
Lucas Reis
 
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
Franciele Marques
 
Brasil síntese histórica
Brasil síntese históricaBrasil síntese histórica
Brasil síntese histórica
AEDFL
 
Td 7 história ii
Td 7   história iiTd 7   história ii
Td 7 história ii
MatheusMesquitaMelo
 
América portuguesa
América portuguesaAmérica portuguesa
América portuguesa
Simone Gomes
 
Mineração no brasil
Mineração no brasilMineração no brasil
Mineração no brasil
Lúcia Santana
 
O Ciclo do ouro
O Ciclo do  ouroO Ciclo do  ouro
O Ciclo do ouro
Yara Ribeiro
 
Sistema colonial portugues (mineração)
Sistema colonial portugues (mineração)Sistema colonial portugues (mineração)
Sistema colonial portugues (mineração)
Marcelo Ferreira Boia
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Aula 6
Aula 6Aula 6
Aula 6
patriciobr
 
Apostila. Mineração- Brasil Colônia.
Apostila. Mineração- Brasil Colônia. Apostila. Mineração- Brasil Colônia.
Apostila. Mineração- Brasil Colônia.
Marco Vinícius Moreira Lamarão'
 
A mineraçaõ no Brasil Colônia.
A mineraçaõ no Brasil Colônia. A mineraçaõ no Brasil Colônia.
A mineraçaõ no Brasil Colônia.
Marco Vinícius Moreira Lamarão'
 
Mineração 8º ano
Mineração 8º anoMineração 8º ano
Mineração 8º ano
Cristine Becker
 
Brasil Colônia - Séc. XVIII (Ciclo do Ouro)
Brasil Colônia - Séc. XVIII (Ciclo do Ouro)Brasil Colônia - Séc. XVIII (Ciclo do Ouro)
Brasil Colônia - Séc. XVIII (Ciclo do Ouro)
isameucci
 
Sociedade mineradora (1).pptx
Sociedade mineradora (1).pptxSociedade mineradora (1).pptx
Sociedade mineradora (1).pptx
YasmimRaissa
 
Apogeu de desagregação do sistema colonial (Mineração)
Apogeu de desagregação do sistema colonial (Mineração)Apogeu de desagregação do sistema colonial (Mineração)
Apogeu de desagregação do sistema colonial (Mineração)
isameucci
 
Módulo 5 - Mineração e revoltas nativistas
Módulo 5 - Mineração e revoltas nativistasMódulo 5 - Mineração e revoltas nativistas
Módulo 5 - Mineração e revoltas nativistas
Breno Girotto
 

Semelhante a A Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental (20)

ciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdfciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdf
 
001 2º ano história rafael - américa portuguesa até mineração 2015
001  2º ano  história   rafael  - américa portuguesa até mineração 2015001  2º ano  história   rafael  - américa portuguesa até mineração 2015
001 2º ano história rafael - américa portuguesa até mineração 2015
 
Mineracao no brasil
Mineracao no brasilMineracao no brasil
Mineracao no brasil
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
 
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
 
Brasil síntese histórica
Brasil síntese históricaBrasil síntese histórica
Brasil síntese histórica
 
Td 7 história ii
Td 7   história iiTd 7   história ii
Td 7 história ii
 
América portuguesa
América portuguesaAmérica portuguesa
América portuguesa
 
Mineração no brasil
Mineração no brasilMineração no brasil
Mineração no brasil
 
O Ciclo do ouro
O Ciclo do  ouroO Ciclo do  ouro
O Ciclo do ouro
 
Sistema colonial portugues (mineração)
Sistema colonial portugues (mineração)Sistema colonial portugues (mineração)
Sistema colonial portugues (mineração)
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
 
Aula 6
Aula 6Aula 6
Aula 6
 
Apostila. Mineração- Brasil Colônia.
Apostila. Mineração- Brasil Colônia. Apostila. Mineração- Brasil Colônia.
Apostila. Mineração- Brasil Colônia.
 
A mineraçaõ no Brasil Colônia.
A mineraçaõ no Brasil Colônia. A mineraçaõ no Brasil Colônia.
A mineraçaõ no Brasil Colônia.
 
Mineração 8º ano
Mineração 8º anoMineração 8º ano
Mineração 8º ano
 
Brasil Colônia - Séc. XVIII (Ciclo do Ouro)
Brasil Colônia - Séc. XVIII (Ciclo do Ouro)Brasil Colônia - Séc. XVIII (Ciclo do Ouro)
Brasil Colônia - Séc. XVIII (Ciclo do Ouro)
 
Sociedade mineradora (1).pptx
Sociedade mineradora (1).pptxSociedade mineradora (1).pptx
Sociedade mineradora (1).pptx
 
Apogeu de desagregação do sistema colonial (Mineração)
Apogeu de desagregação do sistema colonial (Mineração)Apogeu de desagregação do sistema colonial (Mineração)
Apogeu de desagregação do sistema colonial (Mineração)
 
Módulo 5 - Mineração e revoltas nativistas
Módulo 5 - Mineração e revoltas nativistasMódulo 5 - Mineração e revoltas nativistas
Módulo 5 - Mineração e revoltas nativistas
 

Mais de Alinnie Moreira

O café no Segundo Reinado e a Proclamação da República
O café no Segundo Reinado e a Proclamação da RepúblicaO café no Segundo Reinado e a Proclamação da República
O café no Segundo Reinado e a Proclamação da República
Alinnie Moreira
 
Identidade e cidadania a partir da história enalic 2014 2
Identidade e cidadania a partir da história enalic 2014 2Identidade e cidadania a partir da história enalic 2014 2
Identidade e cidadania a partir da história enalic 2014 2
Alinnie Moreira
 
História do funk carioca para oficinas escolares
História do funk carioca para oficinas escolaresHistória do funk carioca para oficinas escolares
História do funk carioca para oficinas escolares
Alinnie Moreira
 
Ditaduras na América Latina - Resumo
Ditaduras na América Latina - ResumoDitaduras na América Latina - Resumo
Ditaduras na América Latina - Resumo
Alinnie Moreira
 
Segunda Guerra Mundial - resumo
Segunda Guerra Mundial - resumoSegunda Guerra Mundial - resumo
Segunda Guerra Mundial - resumo
Alinnie Moreira
 
Revolução Industrial - Ensino Fundamental
Revolução Industrial - Ensino FundamentalRevolução Industrial - Ensino Fundamental
Revolução Industrial - Ensino Fundamental
Alinnie Moreira
 
Abolição e Proclamação da República no Brasil - Ensino Fundamental
Abolição e Proclamação da República no Brasil - Ensino FundamentalAbolição e Proclamação da República no Brasil - Ensino Fundamental
Abolição e Proclamação da República no Brasil - Ensino Fundamental
Alinnie Moreira
 

Mais de Alinnie Moreira (7)

O café no Segundo Reinado e a Proclamação da República
O café no Segundo Reinado e a Proclamação da RepúblicaO café no Segundo Reinado e a Proclamação da República
O café no Segundo Reinado e a Proclamação da República
 
Identidade e cidadania a partir da história enalic 2014 2
Identidade e cidadania a partir da história enalic 2014 2Identidade e cidadania a partir da história enalic 2014 2
Identidade e cidadania a partir da história enalic 2014 2
 
História do funk carioca para oficinas escolares
História do funk carioca para oficinas escolaresHistória do funk carioca para oficinas escolares
História do funk carioca para oficinas escolares
 
Ditaduras na América Latina - Resumo
Ditaduras na América Latina - ResumoDitaduras na América Latina - Resumo
Ditaduras na América Latina - Resumo
 
Segunda Guerra Mundial - resumo
Segunda Guerra Mundial - resumoSegunda Guerra Mundial - resumo
Segunda Guerra Mundial - resumo
 
Revolução Industrial - Ensino Fundamental
Revolução Industrial - Ensino FundamentalRevolução Industrial - Ensino Fundamental
Revolução Industrial - Ensino Fundamental
 
Abolição e Proclamação da República no Brasil - Ensino Fundamental
Abolição e Proclamação da República no Brasil - Ensino FundamentalAbolição e Proclamação da República no Brasil - Ensino Fundamental
Abolição e Proclamação da República no Brasil - Ensino Fundamental
 

Último

Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
helenawaya9
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
luggio9854
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
Maria das Graças Machado Rodrigues
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
Estuda.com
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 

Último (20)

Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
 
Elogio da Saudade .
Elogio da Saudade                          .Elogio da Saudade                          .
Elogio da Saudade .
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 

A Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental

  • 1. "O ouro brasileiro deixou buracos no Brasil, templos em Portugal e fábricas na Inglaterra." (Eduardo Galeano) A MINERAÇÃO NO BRASIL COLONIAL 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 2. A MINERAÇÃO NO BRASIL COLONIAL  A descoberta de minas de ouro por bandeirantes paulistas no final do século XVII provocou grande agitação.  Gente de Portugal e de outras capitanias brasileiras se dirigia para as “minas gerais” (região mineradora, por isso o nome do Estado Minas Gerais), na esperança de enriquecerem facilmente.  Começava uma nova etapa na História do Brasil: o período do ouro ou da mineração, que gerou profundas mudanças econômicas, sociais e políticas na Colônia durante o século XVIII. Hora de copiar! 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 3. LEMBRE-SE DE QUE... 1-Até que fosse descoberto ouro no Brasil, a produção açucareira tinha sido fundamental para a economia da América Portuguesa. 2- A economia açucareira colonial caracterizou-se pela utilização de mão de obra escrava e pelo latifúndio (grandes propriedades) e voltada para o mercado externo. 3- Além do açúcar, outros produtos, como o tabaco, o gado e o algodão, geravam riquezas para os colonos e ajudavam a impulsionar a economia açucareira. Hora de copiar! Lembre-se que... 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 4. SERÁ QUE APRENDERAM ATÉ AQUI? Foram características dominantes da colonização portuguesa na América: a) pequenas unidades de produção diversificada, comércio livre e trabalho compulsório. b) grandes unidades produtivas de exportação, monopólio do comércio e escravidão. c) pacto colonial, exploração de minérios e trabalho livre. d) latifúndio, produção monocultora e trabalho assalariado de indígenas. 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 5. COPIE E FAÇA NO SEU CADERNO: 1- Diga a atividade econômica que sustentava a economia colonial no Brasil, antes da descoberta de ouro no século XVIII, e suas principais características: R: A cana de açúcar. Ela caracterizou-se pela utilização de mão de obra escrava e pelo latifúndio (grandes propriedades) e era voltada para o mercado externo. 2-De que maneira o ouro foi descoberto no Brasil? R: Através das expedições de bandeirantes, pelo interior do Brasil. 3-Qual era o nome da medida que obrigada as colônias à comercializarem exclusivamente com suas metrópoles? R- Pacto colonial 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 6. AS FORMAS DE MINERAÇÃO As lavras, feitas em grandes jazidas, que exigia muitos investimentos em equipamentos e mão de obra escrava. Por este motivo, era desenvolvida por mineradores ricos e foi comum na fase áurea da mineração. A faiscação era a pequena extração realizada pelo próprio garimpeiro que usava peneiras. Eles eram homens livres pobres ou mesmo escravos alforriados (ou que buscavam se alforriar). Eram feitas em áreas abandonadas, principalmente no final do ciclo. Havia duas formas de extração aurífera: 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 7.  Foi um conflito armado ocorrido na região das Minas Gerais entre os anos de 1707 e 1709, envolvendo os bandeirantes paulistas e os emboabas (portugueses e imigrantes de outras regiões do Brasil).  O confronto tinha como causa principal a disputa pela exploração das minas de ouro recém descobertas na região das Minas Gerais. Os paulistas queriam exclusividade na exploração da região, pois afirmavam que tinham descoberto as minas.  O conflito mais importante e sangrento ocorreu em novembro de 1708 no distrito de Ouro Preto. Os emboabas dominaram a região das minas e os paulistas se refugiaram na área do Rio das Mortes.  Os paulistas foram derrotados e a Coroa Portuguesa criou a Capitania de São Paulo e Minas de Ouro. CONSEQUÊNCIAS:  - A cobrança do quinto foi regulamentada.  - A Coroa Portuguesa, após acabar com o conflito e pacificar a região, assumiu a exploração de ouro na região das Minas Gerais.  - Os bandeirantes paulistas, expulsos da região das Minas Gerais, foram procurar em busca de ouro nas regiões de Goiás e Mato Grosso. A GUERRA DOS EMBOABAS 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 8. TÁ LIGADO NA AULA? ENTÃO RESPONDA: Durante o período da mineração no Brasil ocorreu um violento conflito entre paulistas e portugueses, que ficou conhecido como: a) Conflito dos moicanos b) Conflito da mineração c) Guerra da mineração d) Guerra dos emboabas 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 9. A FISCALIZAÇÃO DO OURO  Assim que foram descobertas as primeiras minas de ouro, o rei de Portugal tratou de organizar sua extração e começou a cobrar o quinto.  O quinto era imposto que correspondia a 20% de todo ouro encontrado na colônia.  Ele era cobrado nas Casas de Fundição e organizado pela intendência das Minas (1702), que também distribuía datas (terrenos), favorecendo os ricos, que possuíam mais escravos. Hora de copiar! 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 10. VAMOS PRATICAR? As minas pertenciam à Coroa portuguesa, que concedia lotes aos grandes mineradores. A mão-de-obra nos lotes era realizada por escravos em locais denominados: a) Casas de fundição b) lavras c) emboabas d) aluviais 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 11. SERÁ QUE VOCÊS APRENDERAM? O principal órgão do esquema administrativo português criado, era: a) Confidência Mineira b) Ouro do Aluvião c) Tratado de Methuen d) Intendência das minas 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 12. OS SANTOS DO “PAU OCO”  A cobrança do quinto, muito alto para os colonos, gerava insatisfação e favorecia o contrabando.  Foi nesta época que apareceu os santos de pau oco, destinados, entre outras coisas, a esconder ouro no seu interior. 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 13. OUTRAS REAÇÕES DOS COLONOS  Além dos santos de “pau oco”, alguns colonos tentaram se revoltar contra a cobrança do quinto e de outras taxas cobradas por Portugal.  Todos eles, entretanto, foram violentamente punidos, com penas que variavam de prisão, expulsão do país ou morte.  Este foi o caso da Revolta de Filipe dos Santos, quando os moradores de Vila Rica (Ouro Preto), em 1720, tentaram se revoltar. Traído pelo governador de Minas, o líder Filipe dos Santos, teve a sua casa incendiada, foi enforcado e, como era de hábito na época, também foi esquartejado. Charge que retrata a execução de Filipe dos Santos.Os portugueses fizeram desta punição um exemplo para que outros colonos não seguissem os seus caminhos. 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 14. VAMOS PRATICAR? O que era o “quinto”? a) Uma parte do componente químico do ouro b) Uma parte do lote destinado às minas, de 20% das terras. c) Um imposto pago à Portugal, correspondia a 10% do arrecadado. d) Um imposto pago à Portugal, correspondia a 20% do arrecadado 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 15. AS CIDADES DAS “MINAS GERAIS”  Não foi somente em Minas Gerais que se achou ouro no Brasil. Nos estados de Mato Grosso e Goiás também houve extração.  Observe no mapa ao lado as cidades mineradoras do século XVIII. 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 16. AS CIDADES MINERADORAS E O CRESCIMENTO COLONIAL  A descoberta de ouro e o início da exploração da minas nas regiões auríferas provocou uma verdadeira "corrida do ouro" para estas regiões. Procurando trabalho, desempregados do país inteiro foram em busca do sonho de ficar rico com o ouro.  Neste movimento, cidades começaram a surgir e se deu o desenvolvimento urbano e cultural nestas regiões. Vila Rica, atual Ouro Preto, se destacou muito neste período. O comércio das regiões mineradoras desenvolveu a economia colonial brasileira no período.  A quantidade de pessoas com classes sociais diversas mudava a sociedade colonial, que se tornava mais complexa e diversificada. Havia vários brancos livres pobres, chamados de “os desclassificados do ouro”. Casas de Ouro Preto no século XIX. Elas eram bem parecidas com as do século XVIII. Ouro Preto nos dias atuais. Notem que as casas continuam semelhantes, por isso, ela se tornou patrimônio cultural da Humanidade; 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 17. A EXTRAÇÃO DE DIAMANTES  O principal centro de extração da valiosa pedra, foi o Arraial do Tijuco, hoje Diamantina em Minas Gerais.  A partir de 1734, visando um maior controle sobre a região diamantina, foi estabelecido um sistema de exploração de diamantes para um único contratador.  O primeiro deles em 1740, foi o milionário João Fernandes de Oliveira, que se apaixonou pela escrava Chica da Silva, tornando-a uma nobre senhora do Arraial do Tijuco, em Minas Gerais. Cartaz do filme “Xica da Silva”, versão artística da vida da escrava que se casou com o contratador, no arraial do Tijuco, causando escândalo na Colônia.. 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 18. A SOCIEDADE MINERADORA A sociedade mineradora se dividia em quatro grupos sociais::  Os grandes mineradores, donos das grandes minas e de inúmeros escravos.  A camada média, composta por funcionários públicos, comerciantes, artesãos, padres, militares, profissionais liberais e garimpeiros bem sucedidos  Os trabalhadores livres pobres, brasileiros de outras regiões do país ou portugueses menos favorecidos que buscavam uma vida melhor como garimpeiros. Entre eles também estavam os escravos alforriados (libertos).  Os escravos negros (africanos ou criolos), que trabalhavam nas lavras e nos afazeres domésticos. Hora de copiar! 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 19. AS ARTES E A CULTURA MINERADORA  Foi neste contexto de extração do ouro que apareceu um dos mais importantes artistas plásticos do Brasil, Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho.  Na música destaca-se o estilo sacro barroco do mineiro José Joaquim Emérico Lobo de Mesquita, além da música popular representada pela modinha e pela cantiga de ninar de origem lusitana e pelo lundu de origem africana. Escultura de aleijadinho em Sabará (MG), na Igreja de Nossa Senhora do Carmo Charge ironizando Aleijadinho, dizendo que ele não teria futuro como escultor por fazer uma arte nova, além dos preconceitos com a sua aparência. 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 20. A DECADÊNCIA DA MINERAÇÃO  Na segunda metade do século XVIII, a mineração entra em decadência com a paralisação das descobertas.  Por serem de aluvião (feitos no leito dos rios) o ouro e diamantes eram facilmente extraídos. Isso levou a uma exploração que fez com que as jazidas se esgotassem rapidamente.  Esse esgotamento deveu-se ao desconhecimento técnico dos mineradores.  Após este período, aumenta a diversificação de produtos agrícolas, cultivados para abastecer o Brasil. Veja no mapa ao lado.  O comércio, já aquecido, se intensifica com o esgotamento das jazidas. 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 21. A decadência na mineração do ouro, no final do século XVIII, promoveu outras atividades econômicas. Identifique-as: I- Pecuária II- Indústria III- Comércio IV- Plantações de tabaco e algodão. Estão corretas: a) I, II e III b) II, III e IV c) I, III e IV d) III e IV 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 22. CONSEQÜÊNCIAS DA MINERAÇÃO A mineração foi responsável por profundas mudanças na vida colonial brasileira:  Em cem anos a população cresceu de 300 mil para, aproximadamente, 3 milhões de pessoas, incluindo aí, um deslocamento de 800 mil portugueses para o Brasil.  Intensificação do comércio interno de escravos, chegando do Nordeste cerca de 600 mil negros.  Além do comércio de escravos, a mineração ampliou o comércio interno na colônia para abastecer a região mineradora. Houve um aumento significativo na produção de alimentos e bens de consumo para a região.  A sociedade colonial tornou-se mais diversificada que na economia açucareira: grandes proprietários, camadas médias, trabalhadores livres pobre e escravos. Apesar da concentração de riqueza ainda privilegiar os grandes proprietários.  Transferência do eixo social e econômico do litoral para o interior da colônia, o que acarretou na própria mudança da capital de Salvador para o Rio de Janeiro, cidade de mais fácil acesso à região mineradora e próxima do oceano Atlântico. Hora de copiar! 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 23. O DESTINO DO OURO BRASILEIRO  A riqueza gerada pela mineração não permaneceu no Brasil e nem foi para Portugal.  A dependência lusa (portuguesa) em relação à Inglaterra era antiga (Tratado de Methuem) e grande parte das dívidas portuguesas foram pagas com o ouro brasileiro.  Isso possibilitou uma grande acumulação de capital na Inglaterra, indispensável para o seu pioneirismo na Revolução Industrial. Este quadro explica o caminho que o ouro seguia quando saía do Brasil. Mal chegava a Portugal, ele seguia para a Inglaterra para o pagamento de dívidas e das compras de tecidos. Hora de copiar! 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 24. COPIE E FAÇA NO SEU CADERNO: 1- Cite duas consequências da mineração para o Brasil. R: Em cem anos a população cresceu de 300 mil para, aproximadamente, 3 milhões de pessoas, incluindo aí, um deslocamento de 800 mil portugueses para o Brasil. Tais deslocamentos representam a transferência do eixo social e econômico do litoral para o interior da colônia, o que acarretou na própria mudança da capital de Salvador para o Rio de Janeiro. 2- Para onde foi o ouro brasileiro? R- Para o pagamento de dívidas de Portugal com a Inglaterra. 3- "O ouro brasileiro deixou buracos no Brasil, templos em Portugal e fábricas na Inglaterra." (Eduardo Galeano) Explique de que forma os fatos contidos na frase anterior estão relacionados . R: A resposta é pessoal, mas é importante que se saiba que o ouro brasileiro beneficiou mais Portugal e a Inglaterra do que ao Brasil (que ficou com os impactos negativos da mineração, os buracos). 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 25. QUIZZ DA MINERAÇÃO  Em grupos, os alunos deverão responder perguntas relacionadas à matéria.  Serão duas questões para cada grupo. 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 26. SERÁ QUE VOCÊS APRENDERAM? 1- No final do século XVIII todas as minas de ouro no Brasil pertenciam a Portugal, o trabalho, entretanto, era realizado pelos: a) Emboabas b) Escravos Negros c) Índios d) Espanhóis 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 27. SERÁ QUE VOCÊS APRENDERAM? 2- Qual foi o processo histórico europeu beneficiado pelo capital do ouro brasileiro? a) Revolução Francesa b) Revolução Industrial c) Revolução Russa d) Renascimento Cultural 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 28. SERÁ QUE VOCÊS APRENDERAM? 3-Após a descoberta de ouro no interior do país, a capital da colônia foi transferida para: a) Salvador b) São Paulo c) Minas Gerais d) Rio de Janeiro 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 29. SERÁ QUE VOCÊS APRENDERAM? 4- Líder de uma importante revolta contra os abusos na cobrança de impostos por Portugal, em 1720: a) Tiradentes b) Filipe dos Santos c) Cláudio Manuel d) Aleijadinho 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 30. 5- Duas atividades econômicas destacaram-se durante o período colonial brasileiro: a açucareira e a mineração. Com relação a essas atividades econômicas, é correto afirmar que: a) na atividade açucareira, prevaleciam o latifúndio e a ruralização, a mineração favorecia a urbanização e a expansão do mercado interno. b) o trabalho escravo era predominante na atividade açucareira e o assalariado na mineradora. c) o ouro do Brasil foi para a Holanda e os lucros do açúcar serviram para a acumulação de capitais ingleses. d) geraram movimentos nativistas como a Guerra dos Emboabas e a Revolução Farroupilha. 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 31. 6-Podemos dizer que a economia mineradora do século XVIII, no Brasil, a) era escravocrata, rigidamente estratificada do ponto de vista social e tinha em seu topo uma classe proprietária bastante dependente do capital holandês. b) baseava-se na grande propriedade e na produção para exportação; estimulou o aparecimento das primeiras estradas de ferro e gerou a acumulação de capital posteriormente aplicado em indústrias. c) era voltada principalmente para as necessidades do mercado interno; utilizava o trabalho escravo e o livre; difundiu a pequena propriedade fundiária nas regiões interioranas do Brasil. d) era rigidamente controlada pelo estado; empregava o trabalho escravo mas permitia também o aparecimento de pequenos proprietários e trabalhadores independentes; acabou favorecendo, indiretamente, a acumulação capitalista que deu origem à Revolução Industrial inglesa. 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 32. 7- A riqueza produzida pela mineração trouxe poucos benefícios de caráter permanente à economia luso-brasileira, porque: a) a rígida estrutura escravista da zona do ouro não permitiu alforrias e mobilidade social. b) o mercado interno não se desenvolveu mantendo-se a situação de ilhas econômicas. c) o contrabando e a voracidade do fisco português não podem ser considerados fatores que colaboraram para este resultado. d) a dependência econômica de Portugal, em relação à Inglaterra configurada no Tratado de Methuen, transferiu para este país grande parte do ouro explorado. 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 33. 8- O desenvolvimento da economia mineradora no século XVII teve diferentes repercussões sobre a vida colonial, conforme se apresenta caracterizado numa das opções a seguir. Assinale-a. a) Incremento do comércio interno e das atividades voltadas para o abastecimento na região centro-sul. b) Movimento de interiorização conhecido como bandeirismo, responsável pelo fornecimento de mão-de-obra indígena para as minas. c) Descentralização da administração colonial para facilitar o controle da produção. d) Sufocamento dos movimentos de rebelião, graças à riqueza material gerada pelo ouro e pela prata. 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 34. 9- No século XVIII a produção do ouro provocou muitas transformações na colônia. Entre elas, podemos destacar: a) a urbanização da Amazônia, o início da produção do tabaco, a introdução do trabalho livre com os imigrantes. b) a industrialização de São Paulo, a produção de café no Vale do Paraíba, a expansão da criação de ovinos em Minas Gerais. c) o aumento da produção de alimentos, a integração de novas áreas por meio da pecuária e do comércio, a mudança do eixo econômico para o Sudeste. d) a preservação da população indígena, a decadência da produção algodoeira, a introdução de operários europeus. 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre
  • 35. 10- Artista que se destacou durante a mineração no Brasil, no campo das esculturas religiosas foi: a) Machado de Assis b) Aleijadinho c) Tiradentes d) Martins Pena 19/03/2014Profa. Alinnie Silvestre