SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
Baixar para ler offline
PRINCIPAIS DOENÇAS
DECORRENTES DO
ENVELHECIMENTO
Enfª Lívia Paranaguá
ENVELHECIMENTO
❖O envelhecimento acarreta mudanças no organismo do indivíduo e
traz consigo algumas doenças. Entre as alterações relacionadas à
idade, estão os cinco sentidos: visão, audição, olfato, paladar e
tato.
❖Há também a perda da comunicação e o desajuste psicossocial,
consequente desta, ocorre devido a situações específicas
vivenciadas pelo idoso como: aposentadoria, viuvez, perda de
amigos, alterações na composição e na dinâmica familiar,
mudança de residência, migração e dificuldades funcionais,
fatores estes que caracterizam esta etapa da vida.
DOENÇAS COMUNS NOS IDOSOS:
✓Doenças cardiovasculares;
✓Pneumonia;
✓Câncer;
✓Enfisema e bronquite
crônica;
✓Infecção urinária;
✓Osteoporose;
✓Diabetes;
✓Osteoartrose;
✓Mal de Parkinson;
✓Alzheimer.
DOENÇAS CARDIOVASCULARES
❖São as doenças mais recorrentes em idosos, e estão relacionadas a
problemas no coração e vasos sanguíneos. A mais comum é a
Hipertensão, que traz consigo, risco de Infarto e Acidente Vascular
Cerebral (AVC) Isquêmico e Hemorrágico, e outros problemas
crônicos;
❖Além do avanço da idade, a Hipertensão pode ter entre suas causas
o sedentarismo, o tabagismo, consumo excessivo de sal e
obesidade.
❖Isso reforça a importância de manter hábitos de vida sempre
saudáveis.
HIPERTENSÃO
❖De acordo com a SBH (Sociedade Brasileira de Hipertensão), mais de 50%
das pessoas com 60 anos de idade têm pressão alta. A doença crônica é
caracterizada pelos níveis elevados da pressão sanguínea nas artérias e
ocorre quando os valores das pressões máxima e mínima são iguais ou
ultrapassam os 140x90 mmHg (ou 14x9).
❖A hipertensão faz com que o coração tenha que exercer um esforço maior
do que o normal para fazer com que o sangue seja distribuído
adequadamente no corpo. Não para por aí, a pressão alta não controlada é
considerada um dos principais fatores de risco para a ocorrência de AVC
(Acidente Vascular Cerebral), infarto, aneurisma arterial e insuficiência renal
e cardíaca.
DIABETES
❖O diabetes mais comum na terceira idade é o tipo 2, que
corresponde a 90% dos casos, e é caracterizada quando o corpo
produz insulina, mas torna-se resistente a ela, fazendo com que o
organismo não processe adequadamente a glicose. O diabetes é
fator de risco para doenças como ataques cardíacos, AVC,
insuficiência renal e cegueira.
❖Controle dos sintomas: meio do uso de medicamentos orais ou
injetáveis prescritos por um médico, por meio de um estilo de vida
mais saudável, a prática de exercícios regulares e uma dieta sem
açúcar e pobre em carboidratos.
CÂNCER
❖A doença é causada pela multiplicação desordenada de
células, que leva à destruição de diferentes tecidos do
corpo. Alguns tipos de câncer ficam mais comuns com o
acumular dos anos.
❖Ainda que não haja uma cura definitiva para a maioria dos
casos, o câncer está intimamente ligado a fatores externos.
PROBLEMAS PULMONARES
❖Os problemas pulmonares, principalmente as
pneumonias, também estão entre as doenças que
mais afetam a saúde do idoso. Entre os fatores que
levam ao desenvolvimento dessa patologia, podemos
destacar gripes e bronquite anteriores. Por isso, é
importante que o Idoso(a) participe das
campanhas de vacinação.
❖Hábitos que aumentam os riscos de um problema
pulmonar. Alcoolismo e tabagismo, podem desencadear
diversas doenças nos pulmões, incluindo o enfisema
pulmonar.
❖É importante observar que a imobilização na cama é um
dos fatores que aumenta o risco de pneumonia. Por isso, é
fundamental ter uma vida ativa e evitar outras doenças, para
que sua permanência acamada não afete os pulmões.
❖Caso o idoso ou sua família percebam sintomas como
febre, dor ao respirar, escarros e tosse, devem procurar o
médico o mais rápido possível.
PNEUMONIA
❖A pneumonia é uma infecção dos pequenos sacos de ar (alvéolos)
do pulmão e tecidos circundantes. Muito comum em idosos
acamados, a pneumonia pode ser prevenida com simples vacinas de
combate à gripe. Pneumologistas afirmam que por ter o sistema
imune mais debilitado, a doença acomete 2,5% de idosos por ano no
país.
❖SINTOMAS: o mais comum é Tosse com expectoração (muco
espesso ou com coloração alterada), dor torácica, calafrios, febre e
falta de ar.
ENFISEMA E
BRONQUITE CRÔNICA
❖O enfisema é uma doença que acomete os alvéolos, também
gerada por tabagismo e inalações de fumaças tóxicas, na qual
ocorre a destruição das paredes alveolares, local onde
efetivamente ocorrem as trocas gasosas do organismo,
diminuindo a área de troca gasosa como consequência. Ou seja,
a bronquite é uma doença da via aérea, nas áreas de ventilação
pulmonar, enquanto o enfisema é relativo ao alvéolo, que é a
unidade funcional do sistema respiratório.
❖A bronquite consiste em um processo no qual o diâmetro do
brônquio é diminuído e a quantidade de glândulas mucosas
aumenta, produzindo assim mais muco, em resposta às
agressões ao epitélio respiratório causadas pelo tabagismo e
inalações de outros tipos de fumaças tóxicas.
❖Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) é
caracterizada pela obstrução progressiva do fluxo aéreo,
normalmente irreversível, que ocorre em pessoas de meia-
idade ou idosos com históricos de tabagismo, e que não pode
ser atribuída a outra doença específica, como bronquiectasia
ou asma.
INFECÇÃO URINÁRIA
❖A infecção urinária é uma inflamação desencadeada pela invasão de
microrganismos, como bactérias, no sistema urinário. Mas durante o
envelhecimento é bastante recorrente por causa de diversos fatores,
como o declínio da imunidade, que aumentam os riscos para idosos.
❖Sintomas: incontinência urinária, desconforto ao urinar, dores no
baixo ventre, febre recorrente, mudança na cor da urina(muito escura).
❖Ex: Uretrite (uretra), Cistite (bexiga), Pielonefrite (ureteres e rim).
❖De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia, a
infecção urinária é o tipo de infecção mais frequente em
idosos. Estima-se que a condição acometa 20% das
mulheres e 10% dos homens acima de 65 anos. Após os
80 anos, esta prevalência praticamente dobra para o
sexo masculino, aproximando-se da incidência no
feminino.
OSTEOPOROSE
❖Caracterizada pela perda acelerada de massa óssea, a
doença provoca a diminuição da absorção de minerais e de
cálcio pelos ossos. Com isso, eles se tornam menos densos
e, consequentemente, mais suscetíveis a fraturas.
❖Pode parecer um problema menos grave, mas, de acordo
com a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia,
as fraturas em idosos, sobretudo as do fêmur e quadril,
respondem por uma alta taxa de mortalidade.
OSTEOARTROSE
❖A osteoartrose (também conhecida por artrose) afecta as
articulações importantes para a funcionalidade, como as das
mãos, joelho, anca, coluna vertebral e pé.
❖É a principal causa de incapacidade da pessoa idosa e
está associada, neste grupo etário.
❖A artrose acontece quando o organismo deixa de
conseguir reparar as múltiplas agressões e lesões sofridas
pelas articulações.
DOENÇAS
NEURODEGENERATIVAS
❖As doenças classificadas como demência estão fortemente
associadas à velhice, mas são causadas por algum tipo de dano
cerebral que leva a degeneração do sistema nervoso. A mais comum
é o Alzheimer, uma doença neurodegenerativa que provoca o
declínio das funções cognitivas, sobretudo da memória.
❖Várias são as causas das doenças neurodegenerativas, como
alimentos inflamatórios, stress, sedentarismo e consumo de muitos
medicamentos — sobretudo ansiolíticos —, que tiveram problemas
cardíacos e/ou da tireoide e, ainda, o hábito do consumo excessivo
de álcool, dentre outros fatores.
ALZHEIMER
❖O idoso com Alzheimer começa apresentando esquecimentos
simples, confusões com datas, repetições de temas que já foram
abordados em uma conversa. Porém, com o tempo as dificuldades
evoluem e ele perde a capacidade de realizar tarefas domésticas
simples, pode esquecer-se de quem são as pessoas próximas e não
conseguir nem efetuar o autocuidado básico.
❖Sabe-se que quanto antes a pessoa começar a prevenir o
Alzheimer, menores serão as chances de ter uma perda
cognitiva significativa. Portanto, é fundamental ter uma boa
alimentação, praticar exercícios e principalmente estimular a mente
com aprendizado e atividades desafiadoras.
MAL DE PARKINSON
❖A Doença de Parkinson, por exemplo, é uma delas e ocorre quando o
sistema nervoso sofre degeneração em uma região específica do
cérebro.
❖As consequências do Parkinson são: deficiência de dopamina,
responsável por controlar os movimentos finos e coordenados, por isso
ocorrem os tremores, a rigidez muscular e a dificuldade em iniciar
qualquer movimento voluntário.
❖NÃO POSSUE CURA, Trata-se com medicamentos combinados à
fisioterapia, terapia ocupacional, psicoterapia e fonoaudiologia, que
controlam os sintomas do Parkinson.
SEXUALIDADE DO IDOSO
❖A sexualidade na terceira idade pode ser vivenciada
das mais diversas maneiras possíveis, muitas vezes
como uma forma de expressão e de carinho, e esses
sentimentos dificilmente se perdem no tempo.
❖A sexualidade envolve aspectos que ampliam a
percepção do contato íntimo, em especial na velhice,
como carícias, toques e beijos, mas também um boa
parceria de vida.
❖A sexualidade na terceira idade, assim como nas
demais faixas etárias, não se refere somente ao ato
sexual, mas a troca de carícias, afeto, companheirismo,
carinho, vaidade e o cuidado consigo mesmo e com o
parceiro. Mais até que nas outras fases, como na
juventude. A pessoa idosa necessita ter com seu parceiro
um grau ainda maior de intimidade. O amor não pode
faltar, nem o sexo.
Ninguém pode estar na flor da idade, mas cada um pode
estar na flor da sua própria idade”. (Mário Quintana)

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf

Aula 2 cuidados de saúde do idoso (2)
Aula 2   cuidados de saúde do idoso (2)Aula 2   cuidados de saúde do idoso (2)
Aula 2 cuidados de saúde do idoso (2)
Tania Jesus
 
Doenças do sistema nervoso
Doenças do sistema nervosoDoenças do sistema nervoso
Doenças do sistema nervoso
Pedui
 
Síndromes e doenças genéticas
Síndromes e doenças genéticasSíndromes e doenças genéticas
Síndromes e doenças genéticas
Aíza Soares
 
Doenasdosistemanervosoverapinto9d 130528113238-phpapp02
Doenasdosistemanervosoverapinto9d 130528113238-phpapp02Doenasdosistemanervosoverapinto9d 130528113238-phpapp02
Doenasdosistemanervosoverapinto9d 130528113238-phpapp02
Edelma Vaz
 
Doenças do sistema nervoso
Doenças do sistema nervoso Doenças do sistema nervoso
Doenças do sistema nervoso
marronahelps
 
Projeto t4 mente em harmonia corpo saudável
Projeto t4 mente em harmonia corpo saudávelProjeto t4 mente em harmonia corpo saudável
Projeto t4 mente em harmonia corpo saudável
Sônia Marques
 
SLIDES_UNIDADE_1_FISIOTERAPIA_NA_SAÚDE_DO_IDOSO.pptx
SLIDES_UNIDADE_1_FISIOTERAPIA_NA_SAÚDE_DO_IDOSO.pptxSLIDES_UNIDADE_1_FISIOTERAPIA_NA_SAÚDE_DO_IDOSO.pptx
SLIDES_UNIDADE_1_FISIOTERAPIA_NA_SAÚDE_DO_IDOSO.pptx
ivomaxgata
 
Saúde do idoso -Intensivo MS 2012
Saúde do idoso -Intensivo MS 2012Saúde do idoso -Intensivo MS 2012
Saúde do idoso -Intensivo MS 2012
Ismael Costa
 
Vii dia mundial da sa cópia
Vii dia mundial da sa   cópiaVii dia mundial da sa   cópia
Vii dia mundial da sa cópia
Nayara Falcão
 

Semelhante a AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf (20)

Idosos semiologia
Idosos semiologiaIdosos semiologia
Idosos semiologia
 
Aula 2 cuidados de saúde do idoso (2)
Aula 2   cuidados de saúde do idoso (2)Aula 2   cuidados de saúde do idoso (2)
Aula 2 cuidados de saúde do idoso (2)
 
Doenças do sistema nervoso
Doenças do sistema nervosoDoenças do sistema nervoso
Doenças do sistema nervoso
 
Enfermagem do idoso
Enfermagem do idosoEnfermagem do idoso
Enfermagem do idoso
 
Síndromes e doenças genéticas
Síndromes e doenças genéticasSíndromes e doenças genéticas
Síndromes e doenças genéticas
 
Doenasdosistemanervosoverapinto9d 130528113238-phpapp02
Doenasdosistemanervosoverapinto9d 130528113238-phpapp02Doenasdosistemanervosoverapinto9d 130528113238-phpapp02
Doenasdosistemanervosoverapinto9d 130528113238-phpapp02
 
Doenças do sistema nervoso
Doenças do sistema nervoso Doenças do sistema nervoso
Doenças do sistema nervoso
 
DEPRESSÃO
DEPRESSÃODEPRESSÃO
DEPRESSÃO
 
Gedr2
Gedr2Gedr2
Gedr2
 
SÍNDROME DE SJÖGREN
 SÍNDROME DE SJÖGREN SÍNDROME DE SJÖGREN
SÍNDROME DE SJÖGREN
 
Projeto t4 mente em harmonia corpo saudável
Projeto t4 mente em harmonia corpo saudávelProjeto t4 mente em harmonia corpo saudável
Projeto t4 mente em harmonia corpo saudável
 
Doenças Raras 2 parte
Doenças  Raras 2 parte Doenças  Raras 2 parte
Doenças Raras 2 parte
 
Cartilha sbr lupus
Cartilha sbr lupusCartilha sbr lupus
Cartilha sbr lupus
 
A arte de envelhecer com saúde
A arte de envelhecer com saúdeA arte de envelhecer com saúde
A arte de envelhecer com saúde
 
Dds
DdsDds
Dds
 
SLIDES_UNIDADE_1_FISIOTERAPIA_NA_SAÚDE_DO_IDOSO.pptx
SLIDES_UNIDADE_1_FISIOTERAPIA_NA_SAÚDE_DO_IDOSO.pptxSLIDES_UNIDADE_1_FISIOTERAPIA_NA_SAÚDE_DO_IDOSO.pptx
SLIDES_UNIDADE_1_FISIOTERAPIA_NA_SAÚDE_DO_IDOSO.pptx
 
Epidemiologia do envelhecimento
Epidemiologia do envelhecimentoEpidemiologia do envelhecimento
Epidemiologia do envelhecimento
 
Saúde do idoso -Intensivo MS 2012
Saúde do idoso -Intensivo MS 2012Saúde do idoso -Intensivo MS 2012
Saúde do idoso -Intensivo MS 2012
 
LES SBR
LES SBRLES SBR
LES SBR
 
Vii dia mundial da sa cópia
Vii dia mundial da sa   cópiaVii dia mundial da sa   cópia
Vii dia mundial da sa cópia
 

Mais de LviaParanaguNevesdeL (9)

AULA_09_e_10 ALTERAÇÕES SISTÊMICAS DO IDOSO.pdf
AULA_09_e_10 ALTERAÇÕES SISTÊMICAS DO IDOSO.pdfAULA_09_e_10 ALTERAÇÕES SISTÊMICAS DO IDOSO.pdf
AULA_09_e_10 ALTERAÇÕES SISTÊMICAS DO IDOSO.pdf
 
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfAULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
 
AULA_05 PRIMEIROS SOCORROS NO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_05 PRIMEIROS  SOCORROS NO ENVELHECIMENTO.pdfAULA_05 PRIMEIROS  SOCORROS NO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_05 PRIMEIROS SOCORROS NO ENVELHECIMENTO.pdf
 
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdfAULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
 
AULA_03_BIOSSEGURANCA_E_MICROBIOLOGIA_BASICA.pdf
AULA_03_BIOSSEGURANCA_E_MICROBIOLOGIA_BASICA.pdfAULA_03_BIOSSEGURANCA_E_MICROBIOLOGIA_BASICA.pdf
AULA_03_BIOSSEGURANCA_E_MICROBIOLOGIA_BASICA.pdf
 
AULA_07 CUIDADOS RELACIONADOS À HIGIENE E MOVIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_07 CUIDADOS RELACIONADOS À HIGIENE E MOVIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfAULA_07 CUIDADOS RELACIONADOS À HIGIENE E MOVIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_07 CUIDADOS RELACIONADOS À HIGIENE E MOVIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
 
AULA 02 SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CUIDADOR DE IDOSOS
AULA 02 SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CUIDADOR DE IDOSOSAULA 02 SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CUIDADOR DE IDOSOS
AULA 02 SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CUIDADOR DE IDOSOS
 
AULA_06 CUIDADOS AO BEM ESTAR DO IDOSO.pdf
AULA_06 CUIDADOS  AO BEM ESTAR DO IDOSO.pdfAULA_06 CUIDADOS  AO BEM ESTAR DO IDOSO.pdf
AULA_06 CUIDADOS AO BEM ESTAR DO IDOSO.pdf
 
AULA 01 CUIDADOR DE IDOSOS - Fundamentos da profissão.pdf
AULA 01 CUIDADOR DE IDOSOS - Fundamentos da profissão.pdfAULA 01 CUIDADOR DE IDOSOS - Fundamentos da profissão.pdf
AULA 01 CUIDADOR DE IDOSOS - Fundamentos da profissão.pdf
 

Último

CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
wilkaccb
 

Último (10)

Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismoEscala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
 
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
 
Atenção Humanizada ao recém nascido - em pdf
Atenção Humanizada ao recém nascido - em pdfAtenção Humanizada ao recém nascido - em pdf
Atenção Humanizada ao recém nascido - em pdf
 
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptxAULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
 
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptxaula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
 
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptxanemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
 
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso AutonomoFarmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
 
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
 
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
 
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
 

AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf

  • 2. ENVELHECIMENTO ❖O envelhecimento acarreta mudanças no organismo do indivíduo e traz consigo algumas doenças. Entre as alterações relacionadas à idade, estão os cinco sentidos: visão, audição, olfato, paladar e tato. ❖Há também a perda da comunicação e o desajuste psicossocial, consequente desta, ocorre devido a situações específicas vivenciadas pelo idoso como: aposentadoria, viuvez, perda de amigos, alterações na composição e na dinâmica familiar, mudança de residência, migração e dificuldades funcionais, fatores estes que caracterizam esta etapa da vida.
  • 3. DOENÇAS COMUNS NOS IDOSOS: ✓Doenças cardiovasculares; ✓Pneumonia; ✓Câncer; ✓Enfisema e bronquite crônica; ✓Infecção urinária; ✓Osteoporose; ✓Diabetes; ✓Osteoartrose; ✓Mal de Parkinson; ✓Alzheimer.
  • 4. DOENÇAS CARDIOVASCULARES ❖São as doenças mais recorrentes em idosos, e estão relacionadas a problemas no coração e vasos sanguíneos. A mais comum é a Hipertensão, que traz consigo, risco de Infarto e Acidente Vascular Cerebral (AVC) Isquêmico e Hemorrágico, e outros problemas crônicos; ❖Além do avanço da idade, a Hipertensão pode ter entre suas causas o sedentarismo, o tabagismo, consumo excessivo de sal e obesidade. ❖Isso reforça a importância de manter hábitos de vida sempre saudáveis.
  • 5. HIPERTENSÃO ❖De acordo com a SBH (Sociedade Brasileira de Hipertensão), mais de 50% das pessoas com 60 anos de idade têm pressão alta. A doença crônica é caracterizada pelos níveis elevados da pressão sanguínea nas artérias e ocorre quando os valores das pressões máxima e mínima são iguais ou ultrapassam os 140x90 mmHg (ou 14x9). ❖A hipertensão faz com que o coração tenha que exercer um esforço maior do que o normal para fazer com que o sangue seja distribuído adequadamente no corpo. Não para por aí, a pressão alta não controlada é considerada um dos principais fatores de risco para a ocorrência de AVC (Acidente Vascular Cerebral), infarto, aneurisma arterial e insuficiência renal e cardíaca.
  • 6. DIABETES ❖O diabetes mais comum na terceira idade é o tipo 2, que corresponde a 90% dos casos, e é caracterizada quando o corpo produz insulina, mas torna-se resistente a ela, fazendo com que o organismo não processe adequadamente a glicose. O diabetes é fator de risco para doenças como ataques cardíacos, AVC, insuficiência renal e cegueira. ❖Controle dos sintomas: meio do uso de medicamentos orais ou injetáveis prescritos por um médico, por meio de um estilo de vida mais saudável, a prática de exercícios regulares e uma dieta sem açúcar e pobre em carboidratos.
  • 7. CÂNCER ❖A doença é causada pela multiplicação desordenada de células, que leva à destruição de diferentes tecidos do corpo. Alguns tipos de câncer ficam mais comuns com o acumular dos anos. ❖Ainda que não haja uma cura definitiva para a maioria dos casos, o câncer está intimamente ligado a fatores externos.
  • 8. PROBLEMAS PULMONARES ❖Os problemas pulmonares, principalmente as pneumonias, também estão entre as doenças que mais afetam a saúde do idoso. Entre os fatores que levam ao desenvolvimento dessa patologia, podemos destacar gripes e bronquite anteriores. Por isso, é importante que o Idoso(a) participe das campanhas de vacinação.
  • 9. ❖Hábitos que aumentam os riscos de um problema pulmonar. Alcoolismo e tabagismo, podem desencadear diversas doenças nos pulmões, incluindo o enfisema pulmonar. ❖É importante observar que a imobilização na cama é um dos fatores que aumenta o risco de pneumonia. Por isso, é fundamental ter uma vida ativa e evitar outras doenças, para que sua permanência acamada não afete os pulmões. ❖Caso o idoso ou sua família percebam sintomas como febre, dor ao respirar, escarros e tosse, devem procurar o médico o mais rápido possível.
  • 10. PNEUMONIA ❖A pneumonia é uma infecção dos pequenos sacos de ar (alvéolos) do pulmão e tecidos circundantes. Muito comum em idosos acamados, a pneumonia pode ser prevenida com simples vacinas de combate à gripe. Pneumologistas afirmam que por ter o sistema imune mais debilitado, a doença acomete 2,5% de idosos por ano no país. ❖SINTOMAS: o mais comum é Tosse com expectoração (muco espesso ou com coloração alterada), dor torácica, calafrios, febre e falta de ar.
  • 11.
  • 12. ENFISEMA E BRONQUITE CRÔNICA ❖O enfisema é uma doença que acomete os alvéolos, também gerada por tabagismo e inalações de fumaças tóxicas, na qual ocorre a destruição das paredes alveolares, local onde efetivamente ocorrem as trocas gasosas do organismo, diminuindo a área de troca gasosa como consequência. Ou seja, a bronquite é uma doença da via aérea, nas áreas de ventilação pulmonar, enquanto o enfisema é relativo ao alvéolo, que é a unidade funcional do sistema respiratório.
  • 13. ❖A bronquite consiste em um processo no qual o diâmetro do brônquio é diminuído e a quantidade de glândulas mucosas aumenta, produzindo assim mais muco, em resposta às agressões ao epitélio respiratório causadas pelo tabagismo e inalações de outros tipos de fumaças tóxicas. ❖Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) é caracterizada pela obstrução progressiva do fluxo aéreo, normalmente irreversível, que ocorre em pessoas de meia- idade ou idosos com históricos de tabagismo, e que não pode ser atribuída a outra doença específica, como bronquiectasia ou asma.
  • 14.
  • 15. INFECÇÃO URINÁRIA ❖A infecção urinária é uma inflamação desencadeada pela invasão de microrganismos, como bactérias, no sistema urinário. Mas durante o envelhecimento é bastante recorrente por causa de diversos fatores, como o declínio da imunidade, que aumentam os riscos para idosos. ❖Sintomas: incontinência urinária, desconforto ao urinar, dores no baixo ventre, febre recorrente, mudança na cor da urina(muito escura). ❖Ex: Uretrite (uretra), Cistite (bexiga), Pielonefrite (ureteres e rim).
  • 16. ❖De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia, a infecção urinária é o tipo de infecção mais frequente em idosos. Estima-se que a condição acometa 20% das mulheres e 10% dos homens acima de 65 anos. Após os 80 anos, esta prevalência praticamente dobra para o sexo masculino, aproximando-se da incidência no feminino.
  • 17. OSTEOPOROSE ❖Caracterizada pela perda acelerada de massa óssea, a doença provoca a diminuição da absorção de minerais e de cálcio pelos ossos. Com isso, eles se tornam menos densos e, consequentemente, mais suscetíveis a fraturas. ❖Pode parecer um problema menos grave, mas, de acordo com a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, as fraturas em idosos, sobretudo as do fêmur e quadril, respondem por uma alta taxa de mortalidade.
  • 18. OSTEOARTROSE ❖A osteoartrose (também conhecida por artrose) afecta as articulações importantes para a funcionalidade, como as das mãos, joelho, anca, coluna vertebral e pé. ❖É a principal causa de incapacidade da pessoa idosa e está associada, neste grupo etário. ❖A artrose acontece quando o organismo deixa de conseguir reparar as múltiplas agressões e lesões sofridas pelas articulações.
  • 19.
  • 20. DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS ❖As doenças classificadas como demência estão fortemente associadas à velhice, mas são causadas por algum tipo de dano cerebral que leva a degeneração do sistema nervoso. A mais comum é o Alzheimer, uma doença neurodegenerativa que provoca o declínio das funções cognitivas, sobretudo da memória. ❖Várias são as causas das doenças neurodegenerativas, como alimentos inflamatórios, stress, sedentarismo e consumo de muitos medicamentos — sobretudo ansiolíticos —, que tiveram problemas cardíacos e/ou da tireoide e, ainda, o hábito do consumo excessivo de álcool, dentre outros fatores.
  • 21. ALZHEIMER ❖O idoso com Alzheimer começa apresentando esquecimentos simples, confusões com datas, repetições de temas que já foram abordados em uma conversa. Porém, com o tempo as dificuldades evoluem e ele perde a capacidade de realizar tarefas domésticas simples, pode esquecer-se de quem são as pessoas próximas e não conseguir nem efetuar o autocuidado básico. ❖Sabe-se que quanto antes a pessoa começar a prevenir o Alzheimer, menores serão as chances de ter uma perda cognitiva significativa. Portanto, é fundamental ter uma boa alimentação, praticar exercícios e principalmente estimular a mente com aprendizado e atividades desafiadoras.
  • 22. MAL DE PARKINSON ❖A Doença de Parkinson, por exemplo, é uma delas e ocorre quando o sistema nervoso sofre degeneração em uma região específica do cérebro. ❖As consequências do Parkinson são: deficiência de dopamina, responsável por controlar os movimentos finos e coordenados, por isso ocorrem os tremores, a rigidez muscular e a dificuldade em iniciar qualquer movimento voluntário. ❖NÃO POSSUE CURA, Trata-se com medicamentos combinados à fisioterapia, terapia ocupacional, psicoterapia e fonoaudiologia, que controlam os sintomas do Parkinson.
  • 23. SEXUALIDADE DO IDOSO ❖A sexualidade na terceira idade pode ser vivenciada das mais diversas maneiras possíveis, muitas vezes como uma forma de expressão e de carinho, e esses sentimentos dificilmente se perdem no tempo. ❖A sexualidade envolve aspectos que ampliam a percepção do contato íntimo, em especial na velhice, como carícias, toques e beijos, mas também um boa parceria de vida.
  • 24. ❖A sexualidade na terceira idade, assim como nas demais faixas etárias, não se refere somente ao ato sexual, mas a troca de carícias, afeto, companheirismo, carinho, vaidade e o cuidado consigo mesmo e com o parceiro. Mais até que nas outras fases, como na juventude. A pessoa idosa necessita ter com seu parceiro um grau ainda maior de intimidade. O amor não pode faltar, nem o sexo. Ninguém pode estar na flor da idade, mas cada um pode estar na flor da sua própria idade”. (Mário Quintana)