SlideShare uma empresa Scribd logo
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
As empresas são organizações econômicas
particulares, públicas ou mistas que oferecem bens
e ou serviços tendo, em geral, o lucro como objetivo
Existem diversos tipos de empresas, elas podem
ser classificadas de acordo com o setor econômico,
a quantidade de sócios, tamanho, fins ou objetivos
e ainda pela organização ou natureza. Vejamos
cada uma delas:
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
De acordo com a atividade:
Indústria – são consideradas as fábricas ou usinas
que transformam matéria-prima em produtos ou
mercadorias. Ex. Leite em pó. Compra leite dos
produtores rurais e o submete a um processo
industrial sofisticado para obter o produto final.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
De acordo com a atividade:
Comércio – atividades
realizadas pelas lojas,
distribuidoras ou
representantes comerciais que
vendem mercadorias. Eles não
fabricam, compram para
revender.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
De acordo com a atividade:
Produtoras de serviços – oferecem algum tipo de
trabalho intelectual ou manual ao consumidor. Ex.
Eletrônica, curso de inglês, restaurante.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
De acordo com a atividade:
Produtoras de serviços – oferecem algum tipo de
Prestadores de serviços – não vendem produtos,
mas podem vir acontecer, por ex: uma firma de
consultoria de moda que
formata coleções e cria
linha de roupa para
pessoas ou empresas.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Setores da Economia
Setor Primário – está relacionado a produção
através da exploração de recursos da natureza,
como agricultura, a mineração, a pesca, a pecuária,
o extrativismo vegetal e a caça.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Setores da Economia
Setor Secundário – é o setor da economia que
transforma as matérias-primas (produzidas pelo
setor primário) em produtos industrializados
(roupas, máquinas, automóveis, alimentos
industrializados, eletrônicos, casas e outros).
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Setores da Economia
Setor Terciário – é o setor relacionado a serviços.
Os serviços são produtos não materiais prestados a
terceiros para satisfazer determinadas
necessidades. Por exemplo: comércio, educação,
saúde, telecomunicações, serviços de informática,
seguro, transportes, turismo, serviços bancários e
outros.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
De acordo com o número de sócios
Sociedade Limitada é aquela que reúne dois empresários ou
mais para a exploração de uma ou mais atividades
econômicas.
Empresário Individual é aquele que exerce em nome próprio
uma atividade empresarial, e a nova categoria.
Empreendedor Individual, nada mais é do que um
empresário que trabalha por conta própria e fatura até R$
60.000,00 por ano, podendo ter até um empregado contratado.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
De acordo com o número de sócios
Sociedade Empresária
É aquela onde se exerce profissionalmente atividade
econômica organizada para a produção ou circulação de bens
ou de serviços, constituindo elemento de empresa. Desta
forma, podemos dizer que sociedade empresária é a reunião
de dois empresários ou mais, para a exploração, em conjunto,
de atividade (s) econômica (s). Os sócios respondem de forma
limitada ao capital social da empresa, pelas dívidas contraídas
no exercício da sua atividade perante os seus credores..
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
De acordo com o número de sócios
Empresário Individual
É aquele que exerce em nome próprio, atividade empresarial.
Trata-se de uma empresa que é titulada apenas por uma só
pessoa física, que integraliza bens próprios à exploração do
seu negócio. Um empresário em nome individual atua sem
separação jurídica entre os seus bens pessoais e os seus
negócios, ou seja, não vigora o princípio da separação do
patrimônio. O proprietário responde de forma ilimitada pelas
dívidas contraídas com todos os bens pessoais que integram
o seu patrimônio e os do seu cônjuge.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
De acordo com o número de sócios
Empreendedor Individual
O Empreendedor Individual é a pessoa que trabalha por conta
própria e que se legaliza. É aquele que fatura até R$
60.000,00 por ano, não participa em outra empresa como
sócio ou titular e poderá ter apenas um empregado contratado
que receba o salário mínimo ou o piso da categoria. Tem o
registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), o
que facilitará a abertura de conta bancária, o pedido de
empréstimos e a emissão de notas fiscais. Além disso, será
enquadrado no Simples Nacional.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
De acordo com o número de sócios
Empresa Individual de Responsabilidade Limitada
(EIRELI) É uma empresa de natureza jurídica criada por lei
em julho de 2010 e que pode ser constituída desde o dia 9 de
janeiro de 2012. Deve ter um titular, pessoa física maior de 18
anos (ou menor antecipado), brasileiro ou estrangeiro, e
capital mínimo de 100 vezes o maior salário-mínimo do País –
totalmente integralizado, sendo a responsabilidade do titular
limitada ao valor do capital. O titular pessoa física não poderá
ter mais de uma EIRELI. A administração deve ser exercida
por uma ou mais pessoas podendo o administrador ser o
próprio titular ou não.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
De acordo com o faturamento
Micro empresa (ME)– fatura até 360 mil por ano
Pequena empresa (EPP) – fatura entre 360.001,00
a 3.600.000,00 por ano
Média ou grande empresa – fatura acima de
3.600.000,00 por ano
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Fonte: Sebrae
De acordo com o número de empregados
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Tipos de empresas
Privadas – Pertencem a uma pessoa ou a um
grupo e atuam no sentido de produzir riqueza e
gerar lucro, que é distribuído entre os sócios para
seu uso particular. Um supermercado, por exemplo,
investe uma parte do lucro na manutenção de sua
estrutura e a outra parte vai para os donos e os
seus sócios.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Tipos de empresas
Públicas – Foram criadas por lei específica e com
capital exclusivamente público para prestar serviços
à comunidade. Podem ser municipais, quando
ligadas à prefeitura; estaduais, quando pertencem
ao governo do estado; ou federais, que pertencem e
trabalham par o governo do país. Ex. CEF, Banco
do Brasil, Cia estadual de água e esgoto
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Tipos de empresas
Autarquias –São entidades estatais autônomas,
com patrimônio e receita próprios, criadas por lei
para executar, de forma descentralizada, atividades
típicas da administração pública. As autarquias são
isentas de tributação. Exemplos: INSS,
Universidades Federais e o Banco Central.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Tipos de empresas
Economia Mista – Criadas pelo governo com
participação de capital privado, para a realização de
empreendimentos ou ações de interesse social. Por
esse motivo, o lucro obtido pela atividade de uma
empresa de economia mista deverá ser investido
em ações que beneficiem o setor. Um exemplo é a
Petrobrás, que é a maior empresa de economia
mista.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Tipos de empresas
Fundações – Privadas ou Públicas – sem fim
lucrativo – IBGE, FUNAI
ONGS ( organização não governamental) sem valor
jurídico
OSCIP (organização da sociedade civil de interesse
público) reconecida juridicamente
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Tipos de empresas
Cooperativas – São associações de pessoas ou
grupos profissionais que se reúnem para trabalhar
em uma mesma atividade. Seus membros dividem
os custos de administração do negócio e os
resultados. Um exemplo são as cooperativas de
cuidadores de idosos, existentes em várias grandes
cidades brasileiras.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Tipos de empresas
Associações – são entidades formadas por um
grupo de pessoas que se reúnem com objetivos
comuns. Em geral, não têm caráter empresa nem
visam a lucros. Um exemplo são as associações de
moradores de um bairro, que se juntam para prestar
serviços e cuidar dos interesses da comunidade,
buscando melhorar as condições de vida de quem
mora no local.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Tipos de empresas
Associações – são entidades formadas por um
grupo de pessoas que se reúnem com objetivos
comuns. Em geral, não têm caráter empresa nem
visam a lucros. Um exemplo são as associações de
moradores de um bairro, que se juntam para prestar
serviços e cuidar dos interesses da comunidade,
buscando melhorar as condições de vida de quem
mora no local.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Tipos de empresas
Agências reguladoras – com a descentralização, a
flexibilização dos monopólios estatais e a redução
de barreiras à entrada de capital estrangeiro no
país, surgiram grandes grupos econômicos
interessados em explorar atividades que outrora
eram de exclusiva função do Estado, como os
serviços de telecomunicações e energia.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Tipos de empresas
Agências reguladoras
Como esses serviços são considerados
estratégicos, essenciais para o bem comum, o
governo criou as agências reguladoras, que devem
ditar as normas sob as quais determinadas
atividades devem ser desenvolvidas. ANATEL,
ANAEL, ANVISA
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Organograma
Júlio Pyramo
Diagrama estático da estrutura de
uma organização, mostrando as
funções, os departamentos ou as
posições na organização, e como
estes elementos se relacionam.
O organograma é constituído de
retângulos que representam os
órgãos (ou cargos); linhas
horizontais e verticais, que
representam os canais de
Comunicação descendentes que
indicam autoridade e os canais de
comunicações ascendentes que
indicam responsabilidade.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Organograma
Existem também as relações de autoridade no organograma
que podem ser:
Autoridade de linha: confere o direito de dar ordens diretas a
seus subordinados e de delegar parte de sua autoridade
diretamente;
Autoridade de assessoria (ou staff); Não pode atuar sobre os
níveis hierárquicos inferiores por meio de ordens diretas;
somente assessora o seu superior hierárquico;
Autoridade funcional; Permite a um cargo ou a um órgão
atuar sobre elementos não ligados diretamente a ele, apenas
em relação a assuntos específicos à sua função na
organização.
Júlio Pyramo
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Organograma
Júlio Pyramo
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Organograma
Júlio Pyramo
Fundamentos da Administração
Departamentalização
A maioria das estruturas organizacionais são muito
complexas para serem transmitidas verbalmente. Por
este motivo, os administradores costumam desenhar um
organograma.
Num organograma, cada retângulo representa a divisão
de trabalho e o modo como as tarefas são
departamentalizadas. Esses retângulos são arrumados
em níveis que representam a hierarquia da
administração. As linhas cheias que ligam alguns
retângulos representam a cadeia de comando ou “quem
está subordinado a quem”.
Júlio Pyramo
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Departamentalização
Existem algumas formas da empresa departamentalizar
as suas atividades, as básicas são:
Departamentalização funcional;
Departamentalização territorial (ou geográfica);
Departamentalização por produtos (ou serviços);
Departamentalização por clientes;
Departamentalização por projeto;
Júlio Pyramo
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Departamentalização - Funcional
Todas as pessoas engajadas numa
atividade funcional, como marketing ou
finanças, são agrupadas numa mesma
unidade.
É usada principalmente
(mas não somente), por
empresas menores que
oferecem uma linha de
produtos limitada, porque torna mais
eficiente o uso de recursos especializados
Júlio Pyramo
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Departamentalização - Territorial/Geográfica
Usada em empresas territorialmente dispersas, baseia-
se no princípio de que todas as atividades que se
realizam em determinado território devem ser agrupadas
e colocadas sob as ordens de um administrador.
Júlio Pyramo
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Departamentalização - Produtos/Serviços
A organização da empresa é feita em divisões nas quais
se reúnem todas as pessoas envolvidas com um
determinado tipo de produto ou mercado.
Ideal quando cada produto exige uma tecnologia de
produção diferente e métodos diferentes de marketing.
Júlio Pyramo
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Departamentalização - Por Clientes
As atividades são agrupadas de acordo com as necessidades
variadas e especiais dos clientes da empresa. Na divisão por
cliente, uma divisão vende a maior parte de seus produtos a
um cliente em particular. Uma empresa de eletrônica, por
exemplo, pode ter divisões separadas para compradores
militares, industriais, farmacêuticos e consumidores finais.
Júlio Pyramo
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Departamentalização -
Por projeto
As atividades e as pessoas
recebem atribuições
temporárias. O gerente de
projeto é responsável pela
realização de todo o projeto
ou de uma parte dele.
Terminada a tarefa, o
pessoal que
temporariamente havia sido
destinado a ela é designado
para outros departamentos
ou outros projetos.
.
Júlio Pyramo
“projeto é um trabalho, com datas
de início e término, com produto
final previamente estabelecido, em
que são alocados e administrados
os recursos, tudo isto sob a
responsabilidade de uma pessoa”
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Papéis e responsabilidades no ambiente de trabalho.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Papéis e responsabilidades no ambiente
de trabalho.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Planejamento estratégico
É um processo gerencial que se refere à
formulação de objetivos para a seleção de
programas de ação e para sua execução, levando
em conta as condições internas e externas à
empresa e sua evolução esperada.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Planejamento estratégico
Conceito de Administração
“ Administração é o processo de planejar, organizar
e liderar e controlar o trabalho dos membros da
organização, e de usar todos os recursos
disponíveis da organização para alcançar objetivos
estabelecidos”.
Stoner &Freeman, 1999
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Planejamento estratégico
Funções da administração
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Planejamento estratégico
Funções da administração
PLANEJAR
ORGANIZAR
DIRIGIR
CONTROLAR
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Planejar
O que é?
É projetar seus objetivos e ações futuras, através de algum
método, plano ou lógica.
Planejar o quê?
O Produto e ser produzido;
O serviço a ser prestado;
O alvo a ser atingido;
A rota a ser trilhada.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Organizar
O que é?
É o processo de determinar o trabalho, a autoridade e os
recursos, entre os membros de uma organização, de modo
que possam alcançar eficientemente os objetivos da mesma.
Organizar o quê?
Definir as instalações, o maquinário, a matéria-prima, a
tecnologia, os cargos, as funções, o pessoal, a infraestrutura
as finanças...
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Dirigir
O que é?
É o ato de dirigir, influenciar e motivar o grupo a realizar as
tarefas essenciais para se atingir os objetivos pretendidos.
Dirigir quem?
Gerente de produção, chefe de montagem, diretor de
marketing, supervisor de área, presidente da corporação, vice-
presidente de logística, etc.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Dirigir
O que é?
É certificar-se de que os atos dos membros da organização
levam-na, de fato, em direção ais objetivos estabelecidos.
Controlar o que?
O volume produzido, a quantidade
vendida, o grau de satisfação do cliente,
a qualidade de vida dos colaboradores,
a lucratividade do negócio,...
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Planejamento estratégico
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
"O senhor poderia me dizer, por favor, qual o caminho que devo
tomar para sair daqui?”
“Isso depende muito de para onde você quer ir”, respondeu o Gato.
“Não me importo muito para onde ...”, retrucou Alice.
“Então não importa o caminho que você escolha”, disse o Gato.
“... contanto que dê em algum lugar”, Alice completou.
“Oh, você pode ter certeza que vai chegar”, disse o Gato, “se você
caminhar bastante.”
Alice no País das Maravilhas
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Este trecho é um dos principais diálogos entre Alice
e o Gato na obra Alice no País das Maravilhas,
publicada pela primeira vez em 4 de julho de 1865,
por Charles Lutwidge Dogson, sob o pseudônimo
de Lewis Carroll. Mesmo sendo um livro infantil, e
de 150 anos atrás, vemos uma provocação do Gato
à Alice que nos remete à importância do
planejamento. Saber onde se deseja chegar ajuda
imensamente a escolher o caminho certo.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Planejamento estratégico
O planejamento de metas, de objetivos e financeiro
é imprescindível para empresas e também para a
vida pessoal.
Em empresas é comum o planejamento se dividir
em três níveis: Estratégico, Tático e Operacional.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Planejamento estratégico
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Planejamento estratégico
O planejamento estratégico é o início de tudo. Nele,
sócios, diretores e presidência buscam responder
às perguntas por que e quando, traçando planos
abrangentes e de longo prazo. Os planos tático e
operacional são desdobramentos do planejamento
estratégico, e estabelecem ações e metas mais
claras, de médio ou curto prazo, específicas e,
principalmente, mensuráveis.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Planejamento estratégico
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Planejamento estratégico
Como pode ser visto na imagem anterior, o
planejamento tem pelo menos oito etapas
principais. As quatro primeira, que nos interessa no
momento, costumam ser permanentes, pois
englobam a definição do negócio, da missão, da
visão e os princípios(valores) da empresa.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Planejamento estratégico
Negócio: é o entendimento do principal benefício
esperado pelo cliente.
É aquilo que a empresa
explora para atender
as necessidades dos
clientes
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Planejamento estratégico
O negócio não deve focar o produto e sim o mercado
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Planejamento estratégico
Missão: Significa a razão da sua existência. É a
finalidade ou o motivo pelo qual a organização
foi criada e para o que ela deve servir. A definição
da missão responde a três perguntas:
O que a empresa faz / Como a empresa faz ( qual
o intuito, qual a intensão) / Para quem a empresa
faz
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Planejamento estratégico
Exemplo de missão:
“Produzir, organizar e distribuir conhecimento para
melhorar a qualidade de vida das pessoas.”
O que a empresa faz – produz, organiza e distribui
conhecimento.
Como a empresa faz – melhorando a qualidade de vida.
Para quem ela faz – para as pessoas.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Planejamento estratégico
Visão: É a imagem que a organização
tem a respeito de si mesma e do seu
futuro.
É o ato de ver a si própria no espaço
e no tempo.
É o que a organização busca para si.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Planejamento estratégico
Exemplo de Visão:
“Ser líder na difusão do conhecimento de qualidade
pelas novas mídias”
“Ser, até 2020, referência na oferta de soluções
para a competitividade em nosso ramo de atuação.”
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Planejamento estratégico
Valores: São princípios, ou crenças, que servem de
guia, ou critério, para os comportamentos, atitudes
e decisões de todas e quaisquer pessoas que no
exercício das suas responsabilidades
e na busca dos seus objetivos,
estejam executando a missão,
na direção da visão.
ROTINAS ADMINISTRATIVAS
Júlio Pyramo
Planejamento estratégico
Exemplo de valores:
Ética / Satisfação total dos clientes / Trabalho em
equipe / Valorização das pessoas / Melhoria
contínua / Contribuição ao desenvolvimento
econômico-social da sociedade

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 1 - Profissão Auxiliar Adminsitrativo
Aula 1 -  Profissão Auxiliar AdminsitrativoAula 1 -  Profissão Auxiliar Adminsitrativo
Aula 1 - Profissão Auxiliar Adminsitrativo
Charles Lima
 
Apostila rotinas administrativa 2013
Apostila rotinas administrativa 2013Apostila rotinas administrativa 2013
Apostila rotinas administrativa 2013
Anderson Vasconcelos
 
Rotinas administrativas
Rotinas administrativasRotinas administrativas
Rotinas administrativas
Valéria Lins
 
Qualidade de vida no trabalho
Qualidade de vida no trabalhoQualidade de vida no trabalho
Qualidade de vida no trabalho
niedsonsantana
 
DEPARTAMENTO PESSOAL
DEPARTAMENTO PESSOALDEPARTAMENTO PESSOAL
DEPARTAMENTO PESSOAL
IDCE - Escola de Negócios
 
Curso -assistente-administrativo
Curso  -assistente-administrativoCurso  -assistente-administrativo
Curso -assistente-administrativo
Douracursos
 
Trabalho em Equipe
Trabalho em EquipeTrabalho em Equipe
Trabalho em Equipe
Gerisval Pessoa
 
Curso assistente de rh
Curso assistente de rhCurso assistente de rh
Curso assistente de rh
Carlos Rocha
 
Áreas administrativas e suas funções
Áreas administrativas e suas funçõesÁreas administrativas e suas funções
Áreas administrativas e suas funções
Nyedson Barbosa
 
Como elaborar UM CURRICULO ATRATIVO
Como elaborar UM CURRICULO ATRATIVOComo elaborar UM CURRICULO ATRATIVO
Como elaborar UM CURRICULO ATRATIVO
Roberto Felipe
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
Rui Loureiro
 
Aula planejamento de carreira
Aula planejamento de carreiraAula planejamento de carreira
Aula planejamento de carreira
André Boaratti
 
Aula 2 - Missão, visão e valores
Aula 2 - Missão, visão e valoresAula 2 - Missão, visão e valores
Aula 2 - Missão, visão e valores
Kesia Rozzett Oliveira
 
Palestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em Equipe
Palestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em EquipePalestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em Equipe
Palestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em Equipe
Eduardo Maróstica
 
Etica profissional
Etica profissionalEtica profissional
Etica profissional
Fatima Silva
 
Clima organizacional
Clima organizacionalClima organizacional
Clima organizacional
Larissa Estevão
 
Planejamento e Organização no Ambiente de Trabalho
Planejamento e Organização no Ambiente de TrabalhoPlanejamento e Organização no Ambiente de Trabalho
Planejamento e Organização no Ambiente de Trabalho
Benjamim Garcia Netto
 
Trabalho Em Equipe
Trabalho Em EquipeTrabalho Em Equipe
Trabalho Em Equipe
aavbatista
 
DP - Admissão
DP - AdmissãoDP - Admissão
DP - Admissão
Lucas Gheller
 
Entendendo a profissão Assistente administrativo
Entendendo a profissão Assistente administrativoEntendendo a profissão Assistente administrativo
Entendendo a profissão Assistente administrativo
Valéria Lins
 

Mais procurados (20)

Aula 1 - Profissão Auxiliar Adminsitrativo
Aula 1 -  Profissão Auxiliar AdminsitrativoAula 1 -  Profissão Auxiliar Adminsitrativo
Aula 1 - Profissão Auxiliar Adminsitrativo
 
Apostila rotinas administrativa 2013
Apostila rotinas administrativa 2013Apostila rotinas administrativa 2013
Apostila rotinas administrativa 2013
 
Rotinas administrativas
Rotinas administrativasRotinas administrativas
Rotinas administrativas
 
Qualidade de vida no trabalho
Qualidade de vida no trabalhoQualidade de vida no trabalho
Qualidade de vida no trabalho
 
DEPARTAMENTO PESSOAL
DEPARTAMENTO PESSOALDEPARTAMENTO PESSOAL
DEPARTAMENTO PESSOAL
 
Curso -assistente-administrativo
Curso  -assistente-administrativoCurso  -assistente-administrativo
Curso -assistente-administrativo
 
Trabalho em Equipe
Trabalho em EquipeTrabalho em Equipe
Trabalho em Equipe
 
Curso assistente de rh
Curso assistente de rhCurso assistente de rh
Curso assistente de rh
 
Áreas administrativas e suas funções
Áreas administrativas e suas funçõesÁreas administrativas e suas funções
Áreas administrativas e suas funções
 
Como elaborar UM CURRICULO ATRATIVO
Como elaborar UM CURRICULO ATRATIVOComo elaborar UM CURRICULO ATRATIVO
Como elaborar UM CURRICULO ATRATIVO
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
 
Aula planejamento de carreira
Aula planejamento de carreiraAula planejamento de carreira
Aula planejamento de carreira
 
Aula 2 - Missão, visão e valores
Aula 2 - Missão, visão e valoresAula 2 - Missão, visão e valores
Aula 2 - Missão, visão e valores
 
Palestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em Equipe
Palestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em EquipePalestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em Equipe
Palestra Ituporanga Motivação, Liderança e Trabalho em Equipe
 
Etica profissional
Etica profissionalEtica profissional
Etica profissional
 
Clima organizacional
Clima organizacionalClima organizacional
Clima organizacional
 
Planejamento e Organização no Ambiente de Trabalho
Planejamento e Organização no Ambiente de TrabalhoPlanejamento e Organização no Ambiente de Trabalho
Planejamento e Organização no Ambiente de Trabalho
 
Trabalho Em Equipe
Trabalho Em EquipeTrabalho Em Equipe
Trabalho Em Equipe
 
DP - Admissão
DP - AdmissãoDP - Admissão
DP - Admissão
 
Entendendo a profissão Assistente administrativo
Entendendo a profissão Assistente administrativoEntendendo a profissão Assistente administrativo
Entendendo a profissão Assistente administrativo
 

Semelhante a Aula de rotinas adm. iel1

Noções de administração pg80
Noções de administração pg80Noções de administração pg80
Noções de administração pg80
kisb1337
 
Noções de administração
Noções de administraçãoNoções de administração
Noções de administração
Claudio Junior
 
Administração
AdministraçãoAdministração
Administração
Everton Ferreira
 
Noções de administração
Noções de administraçãoNoções de administração
Noções de administração
Thulio Cesar
 
Palestra básica tipos de empresas
Palestra básica  tipos de empresasPalestra básica  tipos de empresas
Palestra básica tipos de empresas
R Gómez
 
Como constituir uma empresa
Como constituir uma empresaComo constituir uma empresa
Como constituir uma empresa
Nyedson Barbosa
 
Empreendedorismo 08
Empreendedorismo 08Empreendedorismo 08
Empreendedorismo 08
Graphic Designer
 
Novo empresa em sua constituição
Novo  empresa em sua constituiçãoNovo  empresa em sua constituição
Novo empresa em sua constituição
Rose Souza
 
parte4-organizao-171014133358.pptx
parte4-organizao-171014133358.pptxparte4-organizao-171014133358.pptx
parte4-organizao-171014133358.pptx
KamilaRissi1
 
Tipos de empresas e Sociedades
Tipos de empresas e SociedadesTipos de empresas e Sociedades
Tipos de empresas e Sociedades
Mariane Moral
 
Empresas - Conceitos Fundamentais e exercicios.pdf
Empresas - Conceitos Fundamentais e exercicios.pdfEmpresas - Conceitos Fundamentais e exercicios.pdf
Empresas - Conceitos Fundamentais e exercicios.pdf
IsabelCristinaFrozza
 
aula diversa.pptx
aula diversa.pptxaula diversa.pptx
aula diversa.pptx
CleytonMoura3
 
Diferenças entre tipos de empresas
Diferenças entre tipos de empresasDiferenças entre tipos de empresas
Diferenças entre tipos de empresas
Arileia Araujo
 
Classificação das empresas e regimes tributários
Classificação das empresas e regimes tributáriosClassificação das empresas e regimes tributários
Classificação das empresas e regimes tributários
Eliseu Fortolan
 
tipos de empresas.docx
tipos de empresas.docxtipos de empresas.docx
tipos de empresas.docx
Daiani Wagner
 
Aspectos jurídicos na abertura de empresas
Aspectos jurídicos na abertura de empresasAspectos jurídicos na abertura de empresas
Aspectos jurídicos na abertura de empresas
Marcio Hilgemberg
 
Tipologias de empresas comerciais
Tipologias de empresas comerciaisTipologias de empresas comerciais
Tipologias de empresas comerciais
MigazzLuis
 
Tipologias de empresas comerciais - (1)
Tipologias de empresas comerciais - (1)Tipologias de empresas comerciais - (1)
Tipologias de empresas comerciais - (1)
joaoprates
 
Empresa resumo
Empresa   resumoEmpresa   resumo
Empresa resumo
edgardrey
 
Tipos de empresas
Tipos de empresasTipos de empresas
Tipos de empresas
Luis Manuel Brito
 

Semelhante a Aula de rotinas adm. iel1 (20)

Noções de administração pg80
Noções de administração pg80Noções de administração pg80
Noções de administração pg80
 
Noções de administração
Noções de administraçãoNoções de administração
Noções de administração
 
Administração
AdministraçãoAdministração
Administração
 
Noções de administração
Noções de administraçãoNoções de administração
Noções de administração
 
Palestra básica tipos de empresas
Palestra básica  tipos de empresasPalestra básica  tipos de empresas
Palestra básica tipos de empresas
 
Como constituir uma empresa
Como constituir uma empresaComo constituir uma empresa
Como constituir uma empresa
 
Empreendedorismo 08
Empreendedorismo 08Empreendedorismo 08
Empreendedorismo 08
 
Novo empresa em sua constituição
Novo  empresa em sua constituiçãoNovo  empresa em sua constituição
Novo empresa em sua constituição
 
parte4-organizao-171014133358.pptx
parte4-organizao-171014133358.pptxparte4-organizao-171014133358.pptx
parte4-organizao-171014133358.pptx
 
Tipos de empresas e Sociedades
Tipos de empresas e SociedadesTipos de empresas e Sociedades
Tipos de empresas e Sociedades
 
Empresas - Conceitos Fundamentais e exercicios.pdf
Empresas - Conceitos Fundamentais e exercicios.pdfEmpresas - Conceitos Fundamentais e exercicios.pdf
Empresas - Conceitos Fundamentais e exercicios.pdf
 
aula diversa.pptx
aula diversa.pptxaula diversa.pptx
aula diversa.pptx
 
Diferenças entre tipos de empresas
Diferenças entre tipos de empresasDiferenças entre tipos de empresas
Diferenças entre tipos de empresas
 
Classificação das empresas e regimes tributários
Classificação das empresas e regimes tributáriosClassificação das empresas e regimes tributários
Classificação das empresas e regimes tributários
 
tipos de empresas.docx
tipos de empresas.docxtipos de empresas.docx
tipos de empresas.docx
 
Aspectos jurídicos na abertura de empresas
Aspectos jurídicos na abertura de empresasAspectos jurídicos na abertura de empresas
Aspectos jurídicos na abertura de empresas
 
Tipologias de empresas comerciais
Tipologias de empresas comerciaisTipologias de empresas comerciais
Tipologias de empresas comerciais
 
Tipologias de empresas comerciais - (1)
Tipologias de empresas comerciais - (1)Tipologias de empresas comerciais - (1)
Tipologias de empresas comerciais - (1)
 
Empresa resumo
Empresa   resumoEmpresa   resumo
Empresa resumo
 
Tipos de empresas
Tipos de empresasTipos de empresas
Tipos de empresas
 

Último

Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...
Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...
Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...
E-Commerce Brasil
 
Conferência Goiás I Moda e E-commerce: transformando a experiência do consumi...
Conferência Goiás I Moda e E-commerce: transformando a experiência do consumi...Conferência Goiás I Moda e E-commerce: transformando a experiência do consumi...
Conferência Goiás I Moda e E-commerce: transformando a experiência do consumi...
E-Commerce Brasil
 
Conferência Goiás I As tendências para logística em 2024 e o impacto positivo...
Conferência Goiás I As tendências para logística em 2024 e o impacto positivo...Conferência Goiás I As tendências para logística em 2024 e o impacto positivo...
Conferência Goiás I As tendências para logística em 2024 e o impacto positivo...
E-Commerce Brasil
 
Conferência Goiás I Uma experiência excelente começa quando ela ainda nem seq...
Conferência Goiás I Uma experiência excelente começa quando ela ainda nem seq...Conferência Goiás I Uma experiência excelente começa quando ela ainda nem seq...
Conferência Goiás I Uma experiência excelente começa quando ela ainda nem seq...
E-Commerce Brasil
 
Conferência Goiás I Fraudes no centro-oeste em 2023
Conferência Goiás I Fraudes no centro-oeste em 2023Conferência Goiás I Fraudes no centro-oeste em 2023
Conferência Goiás I Fraudes no centro-oeste em 2023
E-Commerce Brasil
 
Conferência Goiás I Estratégias de aquisição e fidelização de clientes e opor...
Conferência Goiás I Estratégias de aquisição e fidelização de clientes e opor...Conferência Goiás I Estratégias de aquisição e fidelização de clientes e opor...
Conferência Goiás I Estratégias de aquisição e fidelização de clientes e opor...
E-Commerce Brasil
 
Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...
Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...
Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...
E-Commerce Brasil
 
MANUAL DO REVENDEDOR TEGG TELECOM - O 5G QUE PAGA VOCÊ
MANUAL DO REVENDEDOR TEGG TELECOM - O 5G QUE PAGA VOCÊMANUAL DO REVENDEDOR TEGG TELECOM - O 5G QUE PAGA VOCÊ
MANUAL DO REVENDEDOR TEGG TELECOM - O 5G QUE PAGA VOCÊ
EMERSON BRITO
 
Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...
Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...
Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...
E-Commerce Brasil
 
Guia Definitivo do Feedback 2.0 como vc ter maturidade de relacionamento
Guia Definitivo do Feedback 2.0 como vc ter maturidade de relacionamentoGuia Definitivo do Feedback 2.0 como vc ter maturidade de relacionamento
Guia Definitivo do Feedback 2.0 como vc ter maturidade de relacionamento
Leonardo Espírito Santo
 
Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.
Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.
Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.
E-Commerce Brasil
 
Conferência Goiás I Perspectivas do Pix 2024: novidades e impactos no varejo ...
Conferência Goiás I Perspectivas do Pix 2024: novidades e impactos no varejo ...Conferência Goiás I Perspectivas do Pix 2024: novidades e impactos no varejo ...
Conferência Goiás I Perspectivas do Pix 2024: novidades e impactos no varejo ...
E-Commerce Brasil
 
Conferência Goiás I Como uma boa experiência na logística reversa pode impact...
Conferência Goiás I Como uma boa experiência na logística reversa pode impact...Conferência Goiás I Como uma boa experiência na logística reversa pode impact...
Conferência Goiás I Como uma boa experiência na logística reversa pode impact...
E-Commerce Brasil
 

Último (13)

Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...
Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...
Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...
 
Conferência Goiás I Moda e E-commerce: transformando a experiência do consumi...
Conferência Goiás I Moda e E-commerce: transformando a experiência do consumi...Conferência Goiás I Moda e E-commerce: transformando a experiência do consumi...
Conferência Goiás I Moda e E-commerce: transformando a experiência do consumi...
 
Conferência Goiás I As tendências para logística em 2024 e o impacto positivo...
Conferência Goiás I As tendências para logística em 2024 e o impacto positivo...Conferência Goiás I As tendências para logística em 2024 e o impacto positivo...
Conferência Goiás I As tendências para logística em 2024 e o impacto positivo...
 
Conferência Goiás I Uma experiência excelente começa quando ela ainda nem seq...
Conferência Goiás I Uma experiência excelente começa quando ela ainda nem seq...Conferência Goiás I Uma experiência excelente começa quando ela ainda nem seq...
Conferência Goiás I Uma experiência excelente começa quando ela ainda nem seq...
 
Conferência Goiás I Fraudes no centro-oeste em 2023
Conferência Goiás I Fraudes no centro-oeste em 2023Conferência Goiás I Fraudes no centro-oeste em 2023
Conferência Goiás I Fraudes no centro-oeste em 2023
 
Conferência Goiás I Estratégias de aquisição e fidelização de clientes e opor...
Conferência Goiás I Estratégias de aquisição e fidelização de clientes e opor...Conferência Goiás I Estratégias de aquisição e fidelização de clientes e opor...
Conferência Goiás I Estratégias de aquisição e fidelização de clientes e opor...
 
Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...
Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...
Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...
 
MANUAL DO REVENDEDOR TEGG TELECOM - O 5G QUE PAGA VOCÊ
MANUAL DO REVENDEDOR TEGG TELECOM - O 5G QUE PAGA VOCÊMANUAL DO REVENDEDOR TEGG TELECOM - O 5G QUE PAGA VOCÊ
MANUAL DO REVENDEDOR TEGG TELECOM - O 5G QUE PAGA VOCÊ
 
Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...
Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...
Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...
 
Guia Definitivo do Feedback 2.0 como vc ter maturidade de relacionamento
Guia Definitivo do Feedback 2.0 como vc ter maturidade de relacionamentoGuia Definitivo do Feedback 2.0 como vc ter maturidade de relacionamento
Guia Definitivo do Feedback 2.0 como vc ter maturidade de relacionamento
 
Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.
Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.
Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.
 
Conferência Goiás I Perspectivas do Pix 2024: novidades e impactos no varejo ...
Conferência Goiás I Perspectivas do Pix 2024: novidades e impactos no varejo ...Conferência Goiás I Perspectivas do Pix 2024: novidades e impactos no varejo ...
Conferência Goiás I Perspectivas do Pix 2024: novidades e impactos no varejo ...
 
Conferência Goiás I Como uma boa experiência na logística reversa pode impact...
Conferência Goiás I Como uma boa experiência na logística reversa pode impact...Conferência Goiás I Como uma boa experiência na logística reversa pode impact...
Conferência Goiás I Como uma boa experiência na logística reversa pode impact...
 

Aula de rotinas adm. iel1

  • 3. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo As empresas são organizações econômicas particulares, públicas ou mistas que oferecem bens e ou serviços tendo, em geral, o lucro como objetivo Existem diversos tipos de empresas, elas podem ser classificadas de acordo com o setor econômico, a quantidade de sócios, tamanho, fins ou objetivos e ainda pela organização ou natureza. Vejamos cada uma delas:
  • 4. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo De acordo com a atividade: Indústria – são consideradas as fábricas ou usinas que transformam matéria-prima em produtos ou mercadorias. Ex. Leite em pó. Compra leite dos produtores rurais e o submete a um processo industrial sofisticado para obter o produto final.
  • 5. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo De acordo com a atividade: Comércio – atividades realizadas pelas lojas, distribuidoras ou representantes comerciais que vendem mercadorias. Eles não fabricam, compram para revender.
  • 6. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo De acordo com a atividade: Produtoras de serviços – oferecem algum tipo de trabalho intelectual ou manual ao consumidor. Ex. Eletrônica, curso de inglês, restaurante.
  • 7. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo De acordo com a atividade: Produtoras de serviços – oferecem algum tipo de Prestadores de serviços – não vendem produtos, mas podem vir acontecer, por ex: uma firma de consultoria de moda que formata coleções e cria linha de roupa para pessoas ou empresas.
  • 8. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Setores da Economia Setor Primário – está relacionado a produção através da exploração de recursos da natureza, como agricultura, a mineração, a pesca, a pecuária, o extrativismo vegetal e a caça.
  • 9. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Setores da Economia Setor Secundário – é o setor da economia que transforma as matérias-primas (produzidas pelo setor primário) em produtos industrializados (roupas, máquinas, automóveis, alimentos industrializados, eletrônicos, casas e outros).
  • 11. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Setores da Economia Setor Terciário – é o setor relacionado a serviços. Os serviços são produtos não materiais prestados a terceiros para satisfazer determinadas necessidades. Por exemplo: comércio, educação, saúde, telecomunicações, serviços de informática, seguro, transportes, turismo, serviços bancários e outros.
  • 14. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo De acordo com o número de sócios Sociedade Limitada é aquela que reúne dois empresários ou mais para a exploração de uma ou mais atividades econômicas. Empresário Individual é aquele que exerce em nome próprio uma atividade empresarial, e a nova categoria. Empreendedor Individual, nada mais é do que um empresário que trabalha por conta própria e fatura até R$ 60.000,00 por ano, podendo ter até um empregado contratado.
  • 15. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo De acordo com o número de sócios Sociedade Empresária É aquela onde se exerce profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou circulação de bens ou de serviços, constituindo elemento de empresa. Desta forma, podemos dizer que sociedade empresária é a reunião de dois empresários ou mais, para a exploração, em conjunto, de atividade (s) econômica (s). Os sócios respondem de forma limitada ao capital social da empresa, pelas dívidas contraídas no exercício da sua atividade perante os seus credores..
  • 16. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo De acordo com o número de sócios Empresário Individual É aquele que exerce em nome próprio, atividade empresarial. Trata-se de uma empresa que é titulada apenas por uma só pessoa física, que integraliza bens próprios à exploração do seu negócio. Um empresário em nome individual atua sem separação jurídica entre os seus bens pessoais e os seus negócios, ou seja, não vigora o princípio da separação do patrimônio. O proprietário responde de forma ilimitada pelas dívidas contraídas com todos os bens pessoais que integram o seu patrimônio e os do seu cônjuge.
  • 17. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo De acordo com o número de sócios Empreendedor Individual O Empreendedor Individual é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza. É aquele que fatura até R$ 60.000,00 por ano, não participa em outra empresa como sócio ou titular e poderá ter apenas um empregado contratado que receba o salário mínimo ou o piso da categoria. Tem o registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), o que facilitará a abertura de conta bancária, o pedido de empréstimos e a emissão de notas fiscais. Além disso, será enquadrado no Simples Nacional.
  • 18. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo De acordo com o número de sócios Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI) É uma empresa de natureza jurídica criada por lei em julho de 2010 e que pode ser constituída desde o dia 9 de janeiro de 2012. Deve ter um titular, pessoa física maior de 18 anos (ou menor antecipado), brasileiro ou estrangeiro, e capital mínimo de 100 vezes o maior salário-mínimo do País – totalmente integralizado, sendo a responsabilidade do titular limitada ao valor do capital. O titular pessoa física não poderá ter mais de uma EIRELI. A administração deve ser exercida por uma ou mais pessoas podendo o administrador ser o próprio titular ou não.
  • 19. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo De acordo com o faturamento Micro empresa (ME)– fatura até 360 mil por ano Pequena empresa (EPP) – fatura entre 360.001,00 a 3.600.000,00 por ano Média ou grande empresa – fatura acima de 3.600.000,00 por ano
  • 20. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Fonte: Sebrae De acordo com o número de empregados
  • 21. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Tipos de empresas Privadas – Pertencem a uma pessoa ou a um grupo e atuam no sentido de produzir riqueza e gerar lucro, que é distribuído entre os sócios para seu uso particular. Um supermercado, por exemplo, investe uma parte do lucro na manutenção de sua estrutura e a outra parte vai para os donos e os seus sócios.
  • 22. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Tipos de empresas Públicas – Foram criadas por lei específica e com capital exclusivamente público para prestar serviços à comunidade. Podem ser municipais, quando ligadas à prefeitura; estaduais, quando pertencem ao governo do estado; ou federais, que pertencem e trabalham par o governo do país. Ex. CEF, Banco do Brasil, Cia estadual de água e esgoto
  • 23. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Tipos de empresas Autarquias –São entidades estatais autônomas, com patrimônio e receita próprios, criadas por lei para executar, de forma descentralizada, atividades típicas da administração pública. As autarquias são isentas de tributação. Exemplos: INSS, Universidades Federais e o Banco Central.
  • 24. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Tipos de empresas Economia Mista – Criadas pelo governo com participação de capital privado, para a realização de empreendimentos ou ações de interesse social. Por esse motivo, o lucro obtido pela atividade de uma empresa de economia mista deverá ser investido em ações que beneficiem o setor. Um exemplo é a Petrobrás, que é a maior empresa de economia mista.
  • 25. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Tipos de empresas Fundações – Privadas ou Públicas – sem fim lucrativo – IBGE, FUNAI ONGS ( organização não governamental) sem valor jurídico OSCIP (organização da sociedade civil de interesse público) reconecida juridicamente
  • 26. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Tipos de empresas Cooperativas – São associações de pessoas ou grupos profissionais que se reúnem para trabalhar em uma mesma atividade. Seus membros dividem os custos de administração do negócio e os resultados. Um exemplo são as cooperativas de cuidadores de idosos, existentes em várias grandes cidades brasileiras.
  • 27. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Tipos de empresas Associações – são entidades formadas por um grupo de pessoas que se reúnem com objetivos comuns. Em geral, não têm caráter empresa nem visam a lucros. Um exemplo são as associações de moradores de um bairro, que se juntam para prestar serviços e cuidar dos interesses da comunidade, buscando melhorar as condições de vida de quem mora no local.
  • 28. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Tipos de empresas Associações – são entidades formadas por um grupo de pessoas que se reúnem com objetivos comuns. Em geral, não têm caráter empresa nem visam a lucros. Um exemplo são as associações de moradores de um bairro, que se juntam para prestar serviços e cuidar dos interesses da comunidade, buscando melhorar as condições de vida de quem mora no local.
  • 29. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Tipos de empresas Agências reguladoras – com a descentralização, a flexibilização dos monopólios estatais e a redução de barreiras à entrada de capital estrangeiro no país, surgiram grandes grupos econômicos interessados em explorar atividades que outrora eram de exclusiva função do Estado, como os serviços de telecomunicações e energia.
  • 30. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Tipos de empresas Agências reguladoras Como esses serviços são considerados estratégicos, essenciais para o bem comum, o governo criou as agências reguladoras, que devem ditar as normas sob as quais determinadas atividades devem ser desenvolvidas. ANATEL, ANAEL, ANVISA
  • 32. Organograma Júlio Pyramo Diagrama estático da estrutura de uma organização, mostrando as funções, os departamentos ou as posições na organização, e como estes elementos se relacionam. O organograma é constituído de retângulos que representam os órgãos (ou cargos); linhas horizontais e verticais, que representam os canais de Comunicação descendentes que indicam autoridade e os canais de comunicações ascendentes que indicam responsabilidade. ROTINAS ADMINISTRATIVAS
  • 33. Organograma Existem também as relações de autoridade no organograma que podem ser: Autoridade de linha: confere o direito de dar ordens diretas a seus subordinados e de delegar parte de sua autoridade diretamente; Autoridade de assessoria (ou staff); Não pode atuar sobre os níveis hierárquicos inferiores por meio de ordens diretas; somente assessora o seu superior hierárquico; Autoridade funcional; Permite a um cargo ou a um órgão atuar sobre elementos não ligados diretamente a ele, apenas em relação a assuntos específicos à sua função na organização. Júlio Pyramo ROTINAS ADMINISTRATIVAS
  • 36. Departamentalização A maioria das estruturas organizacionais são muito complexas para serem transmitidas verbalmente. Por este motivo, os administradores costumam desenhar um organograma. Num organograma, cada retângulo representa a divisão de trabalho e o modo como as tarefas são departamentalizadas. Esses retângulos são arrumados em níveis que representam a hierarquia da administração. As linhas cheias que ligam alguns retângulos representam a cadeia de comando ou “quem está subordinado a quem”. Júlio Pyramo ROTINAS ADMINISTRATIVAS
  • 37. Departamentalização Existem algumas formas da empresa departamentalizar as suas atividades, as básicas são: Departamentalização funcional; Departamentalização territorial (ou geográfica); Departamentalização por produtos (ou serviços); Departamentalização por clientes; Departamentalização por projeto; Júlio Pyramo ROTINAS ADMINISTRATIVAS
  • 38. Departamentalização - Funcional Todas as pessoas engajadas numa atividade funcional, como marketing ou finanças, são agrupadas numa mesma unidade. É usada principalmente (mas não somente), por empresas menores que oferecem uma linha de produtos limitada, porque torna mais eficiente o uso de recursos especializados Júlio Pyramo ROTINAS ADMINISTRATIVAS
  • 39. Departamentalização - Territorial/Geográfica Usada em empresas territorialmente dispersas, baseia- se no princípio de que todas as atividades que se realizam em determinado território devem ser agrupadas e colocadas sob as ordens de um administrador. Júlio Pyramo ROTINAS ADMINISTRATIVAS
  • 40. Departamentalização - Produtos/Serviços A organização da empresa é feita em divisões nas quais se reúnem todas as pessoas envolvidas com um determinado tipo de produto ou mercado. Ideal quando cada produto exige uma tecnologia de produção diferente e métodos diferentes de marketing. Júlio Pyramo ROTINAS ADMINISTRATIVAS
  • 41. Departamentalização - Por Clientes As atividades são agrupadas de acordo com as necessidades variadas e especiais dos clientes da empresa. Na divisão por cliente, uma divisão vende a maior parte de seus produtos a um cliente em particular. Uma empresa de eletrônica, por exemplo, pode ter divisões separadas para compradores militares, industriais, farmacêuticos e consumidores finais. Júlio Pyramo ROTINAS ADMINISTRATIVAS
  • 42. Departamentalização - Por projeto As atividades e as pessoas recebem atribuições temporárias. O gerente de projeto é responsável pela realização de todo o projeto ou de uma parte dele. Terminada a tarefa, o pessoal que temporariamente havia sido destinado a ela é designado para outros departamentos ou outros projetos. . Júlio Pyramo “projeto é um trabalho, com datas de início e término, com produto final previamente estabelecido, em que são alocados e administrados os recursos, tudo isto sob a responsabilidade de uma pessoa” ROTINAS ADMINISTRATIVAS
  • 43. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Papéis e responsabilidades no ambiente de trabalho.
  • 44. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Papéis e responsabilidades no ambiente de trabalho.
  • 46. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Planejamento estratégico É um processo gerencial que se refere à formulação de objetivos para a seleção de programas de ação e para sua execução, levando em conta as condições internas e externas à empresa e sua evolução esperada.
  • 47. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Planejamento estratégico Conceito de Administração “ Administração é o processo de planejar, organizar e liderar e controlar o trabalho dos membros da organização, e de usar todos os recursos disponíveis da organização para alcançar objetivos estabelecidos”. Stoner &Freeman, 1999
  • 48. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Planejamento estratégico Funções da administração
  • 49. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Planejamento estratégico Funções da administração PLANEJAR ORGANIZAR DIRIGIR CONTROLAR
  • 50. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Planejar O que é? É projetar seus objetivos e ações futuras, através de algum método, plano ou lógica. Planejar o quê? O Produto e ser produzido; O serviço a ser prestado; O alvo a ser atingido; A rota a ser trilhada.
  • 51. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Organizar O que é? É o processo de determinar o trabalho, a autoridade e os recursos, entre os membros de uma organização, de modo que possam alcançar eficientemente os objetivos da mesma. Organizar o quê? Definir as instalações, o maquinário, a matéria-prima, a tecnologia, os cargos, as funções, o pessoal, a infraestrutura as finanças...
  • 52. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Dirigir O que é? É o ato de dirigir, influenciar e motivar o grupo a realizar as tarefas essenciais para se atingir os objetivos pretendidos. Dirigir quem? Gerente de produção, chefe de montagem, diretor de marketing, supervisor de área, presidente da corporação, vice- presidente de logística, etc.
  • 53. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Dirigir O que é? É certificar-se de que os atos dos membros da organização levam-na, de fato, em direção ais objetivos estabelecidos. Controlar o que? O volume produzido, a quantidade vendida, o grau de satisfação do cliente, a qualidade de vida dos colaboradores, a lucratividade do negócio,...
  • 55. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo "O senhor poderia me dizer, por favor, qual o caminho que devo tomar para sair daqui?” “Isso depende muito de para onde você quer ir”, respondeu o Gato. “Não me importo muito para onde ...”, retrucou Alice. “Então não importa o caminho que você escolha”, disse o Gato. “... contanto que dê em algum lugar”, Alice completou. “Oh, você pode ter certeza que vai chegar”, disse o Gato, “se você caminhar bastante.” Alice no País das Maravilhas
  • 56. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Este trecho é um dos principais diálogos entre Alice e o Gato na obra Alice no País das Maravilhas, publicada pela primeira vez em 4 de julho de 1865, por Charles Lutwidge Dogson, sob o pseudônimo de Lewis Carroll. Mesmo sendo um livro infantil, e de 150 anos atrás, vemos uma provocação do Gato à Alice que nos remete à importância do planejamento. Saber onde se deseja chegar ajuda imensamente a escolher o caminho certo.
  • 57. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Planejamento estratégico O planejamento de metas, de objetivos e financeiro é imprescindível para empresas e também para a vida pessoal. Em empresas é comum o planejamento se dividir em três níveis: Estratégico, Tático e Operacional.
  • 59. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Planejamento estratégico O planejamento estratégico é o início de tudo. Nele, sócios, diretores e presidência buscam responder às perguntas por que e quando, traçando planos abrangentes e de longo prazo. Os planos tático e operacional são desdobramentos do planejamento estratégico, e estabelecem ações e metas mais claras, de médio ou curto prazo, específicas e, principalmente, mensuráveis.
  • 61. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Planejamento estratégico Como pode ser visto na imagem anterior, o planejamento tem pelo menos oito etapas principais. As quatro primeira, que nos interessa no momento, costumam ser permanentes, pois englobam a definição do negócio, da missão, da visão e os princípios(valores) da empresa.
  • 62. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Planejamento estratégico Negócio: é o entendimento do principal benefício esperado pelo cliente. É aquilo que a empresa explora para atender as necessidades dos clientes
  • 63. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Planejamento estratégico O negócio não deve focar o produto e sim o mercado
  • 64. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Planejamento estratégico Missão: Significa a razão da sua existência. É a finalidade ou o motivo pelo qual a organização foi criada e para o que ela deve servir. A definição da missão responde a três perguntas: O que a empresa faz / Como a empresa faz ( qual o intuito, qual a intensão) / Para quem a empresa faz
  • 65. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Planejamento estratégico Exemplo de missão: “Produzir, organizar e distribuir conhecimento para melhorar a qualidade de vida das pessoas.” O que a empresa faz – produz, organiza e distribui conhecimento. Como a empresa faz – melhorando a qualidade de vida. Para quem ela faz – para as pessoas.
  • 66. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Planejamento estratégico Visão: É a imagem que a organização tem a respeito de si mesma e do seu futuro. É o ato de ver a si própria no espaço e no tempo. É o que a organização busca para si.
  • 67. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Planejamento estratégico Exemplo de Visão: “Ser líder na difusão do conhecimento de qualidade pelas novas mídias” “Ser, até 2020, referência na oferta de soluções para a competitividade em nosso ramo de atuação.”
  • 68. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Planejamento estratégico Valores: São princípios, ou crenças, que servem de guia, ou critério, para os comportamentos, atitudes e decisões de todas e quaisquer pessoas que no exercício das suas responsabilidades e na busca dos seus objetivos, estejam executando a missão, na direção da visão.
  • 69. ROTINAS ADMINISTRATIVAS Júlio Pyramo Planejamento estratégico Exemplo de valores: Ética / Satisfação total dos clientes / Trabalho em equipe / Valorização das pessoas / Melhoria contínua / Contribuição ao desenvolvimento econômico-social da sociedade