SlideShare uma empresa Scribd logo
A CRISE DE 1929
A prosperidade dos anos 20

        Inovações tecnológicas
        Aumento da produção agrícola e industrial
        Crescimento financeiro




• Aumento   do poder de compra
• Investimento na Bolsa           Empréstimos bancários
A crise de superprodução

Aumento da produção não é acompanhado pelo
           aumento do consumo


Diminuição dos preços e dos lucros



     Falência de empresas
O Crash de Outubro de 1929
       Notícias nos jornais dão conta da especulação financeira


  O VALOR DAS ACÇÕES NÃO CORRESPONDIA
         AO LUCRO DAS EMPRESAS


24 de Outubro – 16,4 milhões de acções foram
colocadas à venda, sem compradores
                                                A “Quinta-
                                                   Feira
    CRASH NA BOLSA DE NOVA                       Negra”
           IORQUE
As consequências da crise

   Os   bancos abriram falência porque
    ninguém podia pagar os empréstimos
   As empresas e as fábricas, dependentes
    de empréstimos, foram à falência




O CICLO VICIOSO DA CRISE
O CICLO VICIOSO DA CRISE


     Diminuição do
                       Falência de empresas
       consumo




                 Desemprego
A GRANDE DEPRESSÃO
                Desemprego

                Fome
 Gravidade
                Pobreza


                             Europa
                             África
 Extensão geográfica
                             Ásia

                             América Latina
A “grande depressão”: a mundialização da
crise
A “grande depressão”: a mundialização da crise


Principais razões:
 Retirada dos capitais americanos na Europa.


 -Com a crise os EUA retiraram os seus
               .
 capitais da Europa, o que levou à falência de
 muitos bancos, sobretudo na Áustria, na
 Alemanha e na Inglaterra, e de muitas
 empresas que dependiam dos empréstimos
 bancários.
Retração do comércio
       mundial parte dos países reduziu ao
- Com a crise a maior

 máximo as suas compras ao estrangeiro. O
 comércio mundial sofreu, como tal, uma enorme
 diminuição, que afectou quer os países
 industrializados, que não conseguiam escoar os
 seus produtos, quer os países subdesenvolvidos,
 que não conseguiam exportar as suas matérias-
 primas e produtos agrícolas (Ex: café no Brasil, lã
                                           Brasil
 na Austrália, cereais na Argentina, etc).
A CRISE SOCIAL
       Principais vítimas
 Principais vítimas                          Principais problemas sociais

 Ruína dos acionistas.
 Falência de bancos (5000 entre 1929-32   ▪Aumento do desemprego.
 Falência de pequenas e
 médias empresas.
                                           ▪ Fome (“Sopa dos pobres”)
 ▪Ruína dos agricultores e da              e miséria (“Hoovervilles”).
 classe média (pois perderam
 as poupanças que tinham                   ▪ Suicídios.
 nos bancos).
                                           ▪ Agitação social.
▪Despedimento      dos
                                          ▪Aumento da criminalidade.
trabalhadores.

                                          ▪Ressurgimento das práticas
                                          racistas.
AS RESPOSTAS À CRISE: A INTERVENÇÃO DO ESTADO NA
ECONOMIA



                       Estados Unidos da América
O presidente dos E.U.A., Franklin Roosevelt, incrementou, a partir de inícios
de 1933, uma nova política económica, o New Deal (Nova Distribuição),
que defendia o intervencionismo do Estado na economia baseada nas
teorias do economicista inglês John Keynes.

Objetivos: diminuir o desemprego para aumentar o poder de compra e,
          como tal, o consumo.
Medidas:

  concessão de indenizações aos agricultores que reduziram
 as suas áreas de cultivo a fim de diminuírem a produção;

 concessão de créditos agrícolas para pagamento de
dívidas;
 fixação dos níveis de produção e dos preços de venda ao
público;
 criação de legislação para controlar a atividade da Bolsa e
dos Bancos;
 realização de grandes obras públicas (barragens, canais,
escolas, estradas, pontes, caminhos-de-ferro…) para
combater o desemprego;
 diminuição do horário de trabalho para 40 horas semanais;
 criação do Welfare State (Estado Providência) ou
 segurança social: subsídios de desemprego, de doença, de
 velhice e de invalidez.
   estabelecimento do salário mínimo nacional;

                                Resultados:
 diminuição do desemprego (baixou cerca de 50% entre 1933 e 1937);

 aumento da produção industrial;

 recuperação da economia e reforço do poder do Estado (protecionista).
                                        O desemprego nos E.U.A.
                      Milhões
                      14
                                                   12,6
                      12
                                            11,9
                                                          10,9
                      10                                         10,2
                                                                                    9,9
                                                                                          8,8
                       8                                                8,5
                                      7,9
                       6                                                      7,2

                       4        4,2
                       2
                         1,4
                       0
                       1929 1930 1931 1932 1933 1934 1935 1936 1937 1938 1939
Uma fila de desempregados espera a distribuição de
comida por uma instituição de caridade.
Aula Crise de 1929  oficial
Aula Crise de 1929  oficial
Oferta de trabalho por 1 dólar por semana (1930).
Aula Crise de 1929  oficial
Aula Crise de 1929  oficial
“Sopa dos pobres”.
“Sopa   dos pobres”.
“Hoovervilles”.
Eram bairros-de-lata
   e foram assim
chamados por ironia
   ao presidente
  Herbert Hoover
Marcha contra o desemprego (Inglaterra).
Ku Klux Klan (KKK) é um movimento
racista, fundado em 1865 nos E.U.A.,
que apoia a supremacia branca e o
protestantismo. A KKK, no seu
período      mais   forte,   actuou
principalmente na região sul dos
E.U.A., em estados como o Texas e o
Mississipi.
Utilização do café como combustível (Brasil).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
Leide Soares Matoso
 
Crise de 1929 entre guerras pdf
Crise de 1929 entre guerras pdfCrise de 1929 entre guerras pdf
Crise de 1929 entre guerras pdf
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Guerra civil espanhola
Guerra civil espanholaGuerra civil espanhola
Guerra civil espanhola
cattonia
 
3º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 19173º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 1917
Daniel Alves Bronstrup
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
Victor Said
 
Implantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
Implantação do Marxismo-Leninismo na RússiaImplantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
Implantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
home
 
Os loucos anos 20
Os loucos anos 20Os loucos anos 20
Os loucos anos 20
Carolina Pardal
 
Grande depressão
Grande depressãoGrande depressão
Grande depressão
Simone P Baldissera
 
Movimentos operários
Movimentos operáriosMovimentos operários
Movimentos operários
Jornal Ovale
 
Apresentação Revolução Russa
Apresentação Revolução RussaApresentação Revolução Russa
Apresentação Revolução Russa
marcosfm32
 
As opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IAAs opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IA
Carlos Vieira
 
A revolução americana
A revolução americanaA revolução americana
A revolução americana
cattonia
 
A mulher nos anos 20
A mulher  nos anos 20A mulher  nos anos 20
A mulher nos anos 20
Carla Teixeira
 
Comunismo
ComunismoComunismo
Os regimes fascista e nazi - Resumo - 9ºano
Os regimes fascista e nazi - Resumo - 9ºanoOs regimes fascista e nazi - Resumo - 9ºano
Os regimes fascista e nazi - Resumo - 9ºano
HizqeelMajoka
 
Portugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardasPortugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardas
home
 
Revolucão Francesa
Revolucão FrancesaRevolucão Francesa
Revolucão Francesa
eiprofessor
 
O estalinismo
O estalinismoO estalinismo
O estalinismo
Douglas Valdo
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
nanasimao
 
Socialismo e comunismo
Socialismo e comunismo  Socialismo e comunismo
Socialismo e comunismo
Gustavo de Melo
 

Mais procurados (20)

Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Crise de 1929 entre guerras pdf
Crise de 1929 entre guerras pdfCrise de 1929 entre guerras pdf
Crise de 1929 entre guerras pdf
 
Guerra civil espanhola
Guerra civil espanholaGuerra civil espanhola
Guerra civil espanhola
 
3º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 19173º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 1917
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
Implantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
Implantação do Marxismo-Leninismo na RússiaImplantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
Implantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
 
Os loucos anos 20
Os loucos anos 20Os loucos anos 20
Os loucos anos 20
 
Grande depressão
Grande depressãoGrande depressão
Grande depressão
 
Movimentos operários
Movimentos operáriosMovimentos operários
Movimentos operários
 
Apresentação Revolução Russa
Apresentação Revolução RussaApresentação Revolução Russa
Apresentação Revolução Russa
 
As opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IAAs opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IA
 
A revolução americana
A revolução americanaA revolução americana
A revolução americana
 
A mulher nos anos 20
A mulher  nos anos 20A mulher  nos anos 20
A mulher nos anos 20
 
Comunismo
ComunismoComunismo
Comunismo
 
Os regimes fascista e nazi - Resumo - 9ºano
Os regimes fascista e nazi - Resumo - 9ºanoOs regimes fascista e nazi - Resumo - 9ºano
Os regimes fascista e nazi - Resumo - 9ºano
 
Portugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardasPortugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardas
 
Revolucão Francesa
Revolucão FrancesaRevolucão Francesa
Revolucão Francesa
 
O estalinismo
O estalinismoO estalinismo
O estalinismo
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
 
Socialismo e comunismo
Socialismo e comunismo  Socialismo e comunismo
Socialismo e comunismo
 

Semelhante a Aula Crise de 1929 oficial

Crise 1929
Crise 1929Crise 1929
Crise 1929
Carlos Glufke
 
Crise 2
Crise 2Crise 2
Slide crise de 1929
Slide crise de 1929Slide crise de 1929
Slide crise de 1929
Isabel Aguiar
 
Crise 1929
Crise 1929Crise 1929
Crise 1929
Vania Leão
 
Slide crise de 1929
Slide crise de 1929Slide crise de 1929
Slide crise de 1929
viviancostta
 
Slide crise de 1929
Slide crise de 1929Slide crise de 1929
Slide crise de 1929
viviancostta
 
Slide crise de 1929
Slide crise de 1929Slide crise de 1929
Slide crise de 1929
viviancostta
 
Crise de 1929
Crise de 1929Crise de 1929
Crise de 1929
Marcio Cicchelli
 
Crise 1929-1229128886287390-3
Crise 1929-1229128886287390-3Crise 1929-1229128886287390-3
Crise 1929-1229128886287390-3
Manuela
 
Crise de 1929 oficial
Crise de 1929 oficial Crise de 1929 oficial
Crise de 1929 oficial
Marcelo Ferreira Boia
 
A crise de 1929. 02ppt
A crise de 1929. 02pptA crise de 1929. 02ppt
A crise de 1929. 02ppt
Odairdesouza
 
Crise 1929 aula
Crise 1929 aulaCrise 1929 aula
Crise 1929 aula
Nuno Faustino
 
Crise 1929-1229128886287390-3
Crise 1929-1229128886287390-3Crise 1929-1229128886287390-3
Crise 1929-1229128886287390-3
Edvaldo Rodrigues dos Santos
 
CRISES, DITADURAS E DEMOCRACIA NA DÉCADA DE 30
CRISES, DITADURAS E DEMOCRACIA NA DÉCADA DE 30CRISES, DITADURAS E DEMOCRACIA NA DÉCADA DE 30
CRISES, DITADURAS E DEMOCRACIA NA DÉCADA DE 30
Leila Alvarenga
 
Crise de 29
Crise de 29Crise de 29
Crise de 29
CSD
 
A grande depressao
A grande depressaoA grande depressao
A grande depressao
Priscila Azeredo
 
A grande depressao 140817165435-phpapp02
A grande depressao 140817165435-phpapp02A grande depressao 140817165435-phpapp02
A grande depressao 140817165435-phpapp02
Ricardo Esturilho
 
Crise 1
Crise 1Crise 1
Crise de 1929
Crise de 1929Crise de 1929
Crise de 1929
cristferfer
 
A crise de 1929
A crise de 1929A crise de 1929
A crise de 1929
rafaforte
 

Semelhante a Aula Crise de 1929 oficial (20)

Crise 1929
Crise 1929Crise 1929
Crise 1929
 
Crise 2
Crise 2Crise 2
Crise 2
 
Slide crise de 1929
Slide crise de 1929Slide crise de 1929
Slide crise de 1929
 
Crise 1929
Crise 1929Crise 1929
Crise 1929
 
Slide crise de 1929
Slide crise de 1929Slide crise de 1929
Slide crise de 1929
 
Slide crise de 1929
Slide crise de 1929Slide crise de 1929
Slide crise de 1929
 
Slide crise de 1929
Slide crise de 1929Slide crise de 1929
Slide crise de 1929
 
Crise de 1929
Crise de 1929Crise de 1929
Crise de 1929
 
Crise 1929-1229128886287390-3
Crise 1929-1229128886287390-3Crise 1929-1229128886287390-3
Crise 1929-1229128886287390-3
 
Crise de 1929 oficial
Crise de 1929 oficial Crise de 1929 oficial
Crise de 1929 oficial
 
A crise de 1929. 02ppt
A crise de 1929. 02pptA crise de 1929. 02ppt
A crise de 1929. 02ppt
 
Crise 1929 aula
Crise 1929 aulaCrise 1929 aula
Crise 1929 aula
 
Crise 1929-1229128886287390-3
Crise 1929-1229128886287390-3Crise 1929-1229128886287390-3
Crise 1929-1229128886287390-3
 
CRISES, DITADURAS E DEMOCRACIA NA DÉCADA DE 30
CRISES, DITADURAS E DEMOCRACIA NA DÉCADA DE 30CRISES, DITADURAS E DEMOCRACIA NA DÉCADA DE 30
CRISES, DITADURAS E DEMOCRACIA NA DÉCADA DE 30
 
Crise de 29
Crise de 29Crise de 29
Crise de 29
 
A grande depressao
A grande depressaoA grande depressao
A grande depressao
 
A grande depressao 140817165435-phpapp02
A grande depressao 140817165435-phpapp02A grande depressao 140817165435-phpapp02
A grande depressao 140817165435-phpapp02
 
Crise 1
Crise 1Crise 1
Crise 1
 
Crise de 1929
Crise de 1929Crise de 1929
Crise de 1929
 
A crise de 1929
A crise de 1929A crise de 1929
A crise de 1929
 

Mais de Marcelo Ferreira Boia

Hebreus fenicios e persas
Hebreus fenicios e persasHebreus fenicios e persas
Hebreus fenicios e persas
Marcelo Ferreira Boia
 
Africa antes-dos-europeus
Africa antes-dos-europeusAfrica antes-dos-europeus
Africa antes-dos-europeus
Marcelo Ferreira Boia
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Marcelo Ferreira Boia
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
Marcelo Ferreira Boia
 
Era Vargas 1
Era Vargas 1Era Vargas 1
Era Vargas 1
Marcelo Ferreira Boia
 
Era Vargas
Era Vargas Era Vargas
O nazi fascismo
O nazi fascismo O nazi fascismo
O nazi fascismo
Marcelo Ferreira Boia
 
O nazi fascismo
O nazi fascismo O nazi fascismo
O nazi fascismo
Marcelo Ferreira Boia
 
O que é conhecimento
O que é conhecimentoO que é conhecimento
O que é conhecimento
Marcelo Ferreira Boia
 
Brasil colonia 2
Brasil colonia 2 Brasil colonia 2
Brasil colonia 2
Marcelo Ferreira Boia
 
Processo de colonização do brasil
Processo de colonização do brasilProcesso de colonização do brasil
Processo de colonização do brasil
Marcelo Ferreira Boia
 
Brasil colnia 2
Brasil colnia 2 Brasil colnia 2
Brasil colnia 2
Marcelo Ferreira Boia
 
America espanhola
America espanhola America espanhola
America espanhola
Marcelo Ferreira Boia
 
America espanhola (1)
America espanhola (1)America espanhola (1)
America espanhola (1)
Marcelo Ferreira Boia
 
Reformas religiosas
Reformas religiosas Reformas religiosas
Reformas religiosas
Marcelo Ferreira Boia
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
Marcelo Ferreira Boia
 
A formacao das monarquias nacionais
A formacao das monarquias nacionais A formacao das monarquias nacionais
A formacao das monarquias nacionais
Marcelo Ferreira Boia
 
Primeira guerra-mundial
Primeira guerra-mundialPrimeira guerra-mundial
Primeira guerra-mundial
Marcelo Ferreira Boia
 
Mesopotamia
MesopotamiaMesopotamia
Mesopotamia
MesopotamiaMesopotamia

Mais de Marcelo Ferreira Boia (20)

Hebreus fenicios e persas
Hebreus fenicios e persasHebreus fenicios e persas
Hebreus fenicios e persas
 
Africa antes-dos-europeus
Africa antes-dos-europeusAfrica antes-dos-europeus
Africa antes-dos-europeus
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Era Vargas 1
Era Vargas 1Era Vargas 1
Era Vargas 1
 
Era Vargas
Era Vargas Era Vargas
Era Vargas
 
O nazi fascismo
O nazi fascismo O nazi fascismo
O nazi fascismo
 
O nazi fascismo
O nazi fascismo O nazi fascismo
O nazi fascismo
 
O que é conhecimento
O que é conhecimentoO que é conhecimento
O que é conhecimento
 
Brasil colonia 2
Brasil colonia 2 Brasil colonia 2
Brasil colonia 2
 
Processo de colonização do brasil
Processo de colonização do brasilProcesso de colonização do brasil
Processo de colonização do brasil
 
Brasil colnia 2
Brasil colnia 2 Brasil colnia 2
Brasil colnia 2
 
America espanhola
America espanhola America espanhola
America espanhola
 
America espanhola (1)
America espanhola (1)America espanhola (1)
America espanhola (1)
 
Reformas religiosas
Reformas religiosas Reformas religiosas
Reformas religiosas
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
 
A formacao das monarquias nacionais
A formacao das monarquias nacionais A formacao das monarquias nacionais
A formacao das monarquias nacionais
 
Primeira guerra-mundial
Primeira guerra-mundialPrimeira guerra-mundial
Primeira guerra-mundial
 
Mesopotamia
MesopotamiaMesopotamia
Mesopotamia
 
Mesopotamia
MesopotamiaMesopotamia
Mesopotamia
 

Aula Crise de 1929 oficial

  • 1. A CRISE DE 1929
  • 2. A prosperidade dos anos 20  Inovações tecnológicas  Aumento da produção agrícola e industrial  Crescimento financeiro • Aumento do poder de compra • Investimento na Bolsa Empréstimos bancários
  • 3. A crise de superprodução Aumento da produção não é acompanhado pelo aumento do consumo Diminuição dos preços e dos lucros Falência de empresas
  • 4. O Crash de Outubro de 1929 Notícias nos jornais dão conta da especulação financeira O VALOR DAS ACÇÕES NÃO CORRESPONDIA AO LUCRO DAS EMPRESAS 24 de Outubro – 16,4 milhões de acções foram colocadas à venda, sem compradores A “Quinta- Feira CRASH NA BOLSA DE NOVA Negra” IORQUE
  • 5. As consequências da crise  Os bancos abriram falência porque ninguém podia pagar os empréstimos  As empresas e as fábricas, dependentes de empréstimos, foram à falência O CICLO VICIOSO DA CRISE
  • 6. O CICLO VICIOSO DA CRISE Diminuição do Falência de empresas consumo Desemprego
  • 7. A GRANDE DEPRESSÃO Desemprego Fome  Gravidade Pobreza Europa África  Extensão geográfica Ásia América Latina
  • 8. A “grande depressão”: a mundialização da crise
  • 9. A “grande depressão”: a mundialização da crise Principais razões:  Retirada dos capitais americanos na Europa. -Com a crise os EUA retiraram os seus . capitais da Europa, o que levou à falência de muitos bancos, sobretudo na Áustria, na Alemanha e na Inglaterra, e de muitas empresas que dependiam dos empréstimos bancários.
  • 10. Retração do comércio mundial parte dos países reduziu ao - Com a crise a maior máximo as suas compras ao estrangeiro. O comércio mundial sofreu, como tal, uma enorme diminuição, que afectou quer os países industrializados, que não conseguiam escoar os seus produtos, quer os países subdesenvolvidos, que não conseguiam exportar as suas matérias- primas e produtos agrícolas (Ex: café no Brasil, lã Brasil na Austrália, cereais na Argentina, etc).
  • 11. A CRISE SOCIAL Principais vítimas Principais vítimas Principais problemas sociais Ruína dos acionistas. Falência de bancos (5000 entre 1929-32 ▪Aumento do desemprego. Falência de pequenas e médias empresas. ▪ Fome (“Sopa dos pobres”) ▪Ruína dos agricultores e da e miséria (“Hoovervilles”). classe média (pois perderam as poupanças que tinham ▪ Suicídios. nos bancos). ▪ Agitação social. ▪Despedimento dos ▪Aumento da criminalidade. trabalhadores. ▪Ressurgimento das práticas racistas.
  • 12. AS RESPOSTAS À CRISE: A INTERVENÇÃO DO ESTADO NA ECONOMIA Estados Unidos da América O presidente dos E.U.A., Franklin Roosevelt, incrementou, a partir de inícios de 1933, uma nova política económica, o New Deal (Nova Distribuição), que defendia o intervencionismo do Estado na economia baseada nas teorias do economicista inglês John Keynes. Objetivos: diminuir o desemprego para aumentar o poder de compra e, como tal, o consumo.
  • 13. Medidas:  concessão de indenizações aos agricultores que reduziram as suas áreas de cultivo a fim de diminuírem a produção;  concessão de créditos agrícolas para pagamento de dívidas;  fixação dos níveis de produção e dos preços de venda ao público;  criação de legislação para controlar a atividade da Bolsa e dos Bancos;  realização de grandes obras públicas (barragens, canais, escolas, estradas, pontes, caminhos-de-ferro…) para combater o desemprego;  diminuição do horário de trabalho para 40 horas semanais;
  • 14.  criação do Welfare State (Estado Providência) ou segurança social: subsídios de desemprego, de doença, de velhice e de invalidez.  estabelecimento do salário mínimo nacional; Resultados:  diminuição do desemprego (baixou cerca de 50% entre 1933 e 1937);  aumento da produção industrial;  recuperação da economia e reforço do poder do Estado (protecionista). O desemprego nos E.U.A. Milhões 14 12,6 12 11,9 10,9 10 10,2 9,9 8,8 8 8,5 7,9 6 7,2 4 4,2 2 1,4 0 1929 1930 1931 1932 1933 1934 1935 1936 1937 1938 1939
  • 15. Uma fila de desempregados espera a distribuição de comida por uma instituição de caridade.
  • 18. Oferta de trabalho por 1 dólar por semana (1930).
  • 22. “Sopa dos pobres”.
  • 23. “Hoovervilles”. Eram bairros-de-lata e foram assim chamados por ironia ao presidente Herbert Hoover
  • 24. Marcha contra o desemprego (Inglaterra).
  • 25. Ku Klux Klan (KKK) é um movimento racista, fundado em 1865 nos E.U.A., que apoia a supremacia branca e o protestantismo. A KKK, no seu período mais forte, actuou principalmente na região sul dos E.U.A., em estados como o Texas e o Mississipi.
  • 26. Utilização do café como combustível (Brasil).