SlideShare uma empresa Scribd logo
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
DEFINIÇÃODEFINIÇÃO
* Mudançanaformadeproduzir produtos:
DaMANUFATURA (formaartesanal)
ParaINDUSTRIAL(naindústria).
* Mudançanaconcepção deconsumo.
* Mudançanaeconomiamundial
Quando eonde?
Séc. XVIII - Inglaterra
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
ETAPAS DAS TRANSFORMAÇÕES PRODUTIVASETAPAS DAS TRANSFORMAÇÕES PRODUTIVAS
1. Artesanal
2. Manufatureira
3. Maquinofatureira
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
ETAPAS DAS TRANSFORMAÇÕES PRODUTIVASETAPAS DAS TRANSFORMAÇÕES PRODUTIVAS
1. Artesanal
* Sem divisão do trabalho
* Ferramentaseconhecimento do trabalhador
* Produção em casa
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
ETAPAS DAS TRANSFORMAÇÕES PRODUTIVASETAPAS DAS TRANSFORMAÇÕES PRODUTIVAS
2. Manufatureira
* Divisão do trabalho
* Aumento daprodução
* Produção em oficinas(grupo)
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
ETAPAS DAS TRANSFORMAÇÕES PRODUTIVASETAPAS DAS TRANSFORMAÇÕES PRODUTIVAS
3. Maquinofatureira
* Mecanização daprodução
* Rígidadivisão do trabalho
* Ferramentasdo patrão
* Perdadeconhecimento do trabalhador
* Produção em fábricas
= CAPITALISMO
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
PIONEIRISMO INGLÊSPIONEIRISMO INGLÊS
Porque na Inglaterra?
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
PIONEIRISMO INGLÊSPIONEIRISMO INGLÊS
1. Acumulação de capitais
* Dinheiro daCoroadevido àpiratariaecomércio
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
PIONEIRISMO INGLÊSPIONEIRISMO INGLÊS
2. Supremacia marítima
* Colôniasalém mar (Matéria-primaeconsumo)
* Monopólio do transportemarítimo (atosde
navegação)
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
PIONEIRISMO INGLÊSPIONEIRISMO INGLÊS
3. Enclousures (cercamentos)
* Cercamento deterrascomunais(produção capitalista)
* Expulsão doscamponeses(mão-de-obraurbanabarata)
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
PIONEIRISMO INGLÊSPIONEIRISMO INGLÊS
4. Sistema de crédito
* Incentivo governamental àindustrialização
* Banco daInglaterra(crédito paraindústrias)
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
PIONEIRISMO INGLÊSPIONEIRISMO INGLÊS
5. Revolução Gloriosa
* Burguesia(ricos) dirigem o Parlamento eo Estado
* Adoção do liberalismo econômico
* Criação deleisquefavorecem osburgueses
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
PIONEIRISMO INGLÊSPIONEIRISMO INGLÊS
6. Carvão (energia)
* Ricasfontesdecarvão mineral (combustível)
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
AVANÇOS TÉCNICOS ECIENTÍFICOSAVANÇOS TÉCNICOS ECIENTÍFICOS
Aumentam a produtividade
* Máquinaavapor (Produção etransporte)
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
AVANÇOS TÉCNICOS ECIENTÍFICOSAVANÇOS TÉCNICOS ECIENTÍFICOS
Aumentam a produtividade
* Máquinadefiar (Produção)
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
AVANÇOS TÉCNICOS ECIENTÍFICOSAVANÇOS TÉCNICOS ECIENTÍFICOS
Aumentam a produtividade
* Tear mecânico (Produção contínua/ mão-de-obra)
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
PRINCIPAIS SETORESPRINCIPAIS SETORES
* Indústriatextil
* Metalurgia
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
CONSEQUÊNCIAS DA REV. INDUSTRIALCONSEQUÊNCIAS DA REV. INDUSTRIAL
1. Exploração do trabalhador
2. Mundialização do comércio
3. Alteração daspaisagens
4. Barateamento daprodução
5. Concentração derenda
6. Surgimento do proletariado (trabalhador assalariado)
7. Surgimento demovimentossociais
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
CONSEQUÊNCIAS DA REV. INDUSTRIALCONSEQUÊNCIAS DA REV. INDUSTRIAL
1. Exploração do trabalhador
* Longasjornadasdetrabalho – 14 a16 horas
* Sem direitosou seguridades
* Péssimascondiçõesdetrabalho
* Trabalho infantil efeminino
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
CONSEQUÊNCIAS DA REV. INDUSTRIALCONSEQUÊNCIAS DA REV. INDUSTRIAL
2. Mundialização do comércio
* Exportação dosprodutosinglêsparao mundo
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
CONSEQUÊNCIAS DA REV. INDUSTRIALCONSEQUÊNCIAS DA REV. INDUSTRIAL
3. Alteração das paisagens
* Dapaisagem rural elimpaparaaurbanaesuja
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
CONSEQUÊNCIAS DA REV. INDUSTRIALCONSEQUÊNCIAS DA REV. INDUSTRIAL
4. Barateamento da produção
* + Produção / - custo / - preço / + consumo
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
CONSEQUÊNCIAS DA REV. INDUSTRIALCONSEQUÊNCIAS DA REV. INDUSTRIAL
5. Concentração de renda
* Enriquecimento daburguesia(patrões)
* Empobrecimento/ exploração dostrabalhadores
(Proletariado)
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
CONSEQUÊNCIAS DA REV. INDUSTRIALCONSEQUÊNCIAS DA REV. INDUSTRIAL
6. Surgimento do proletariado
* Trabalhador urbano assalariado
* Não possui osmeiosdeprodução
* Vendesuaforçadetrabalho
* Altamenteexplorado
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
CONSEQUÊNCIAS DA REV. INDUSTRIALCONSEQUÊNCIAS DA REV. INDUSTRIAL
7. Surgimento de movimentos sociais
* Movimentosem defesadostrabalhadores
* Greveseideologias
+++ Cartismo / Ludismo / Socialismo
Revolução industrial
Revolução industrial
Revolução industrial

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Revolução industrial

Revolução industrial 2012
Revolução industrial 2012Revolução industrial 2012
Revolução industrial 2012
Nícolas Rusch Karnopp
 
Artesanato a industria atual
Artesanato a industria atualArtesanato a industria atual
Artesanato a industria atual
Daniel Ferrari
 
A Industria
A IndustriaA Industria
A Industria
Diogo Mateus
 
ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO - Aula 01.pptx
ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO - Aula 01.pptxADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO - Aula 01.pptx
ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO - Aula 01.pptx
Ana Carolina de Avila
 
GEOGRAFIA DAS INDÚSTRIAS.pptx
GEOGRAFIA DAS INDÚSTRIAS.pptxGEOGRAFIA DAS INDÚSTRIAS.pptx
GEOGRAFIA DAS INDÚSTRIAS.pptx
ProfFranciscoOliveir
 
A Revolução Industrial
A Revolução IndustrialA Revolução Industrial
A Revolução Industrial
Gilmar Rodrigues
 
A ii revolucao-industrial[1]
A ii revolucao-industrial[1]A ii revolucao-industrial[1]
A ii revolucao-industrial[1]
António Luís Catarino
 
A revolução industrial
A revolução industrialA revolução industrial
A revolução industrial
segundocol
 
1. industrialização
1. industrialização1. industrialização
2015 revolução industrial
2015  revolução industrial2015  revolução industrial
2015 revolução industrial
MARIANO C7S
 
Aula - industria 3 ANO
Aula -  industria 3 ANOAula -  industria 3 ANO
Aula - industria 3 ANO
CADUCOC
 
Aula5industria_Prof Cadu
Aula5industria_Prof CaduAula5industria_Prof Cadu
Aula5industria_Prof Cadu
Ademir Aquino
 
13. revolução industrial
13. revolução industrial13. revolução industrial
13. revolução industrial
José Augusto Fiorin
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
joana71
 
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL 2014
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL 2014REVOLUÇÃO INDUSTRIAL 2014
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL 2014
Fabio Salvari
 
Transp im parte1_introducao manufatura
Transp im parte1_introducao manufaturaTransp im parte1_introducao manufatura
Transp im parte1_introducao manufatura
Eliabe Denes
 
A revolução técnico científica
A revolução técnico científicaA revolução técnico científica
A revolução técnico científica
Charlles Moreira
 
O Arranque Industrial
O Arranque IndustrialO Arranque Industrial
O Arranque Industrial
Inês Alexandre
 
Industrialização
IndustrializaçãoIndustrialização
Industrialização
Anderson Cardozo
 
Aula 1 Industria CURSINHO AZ
Aula 1 Industria CURSINHO AZAula 1 Industria CURSINHO AZ
Aula 1 Industria CURSINHO AZ
CADUCOC1
 

Semelhante a Revolução industrial (20)

Revolução industrial 2012
Revolução industrial 2012Revolução industrial 2012
Revolução industrial 2012
 
Artesanato a industria atual
Artesanato a industria atualArtesanato a industria atual
Artesanato a industria atual
 
A Industria
A IndustriaA Industria
A Industria
 
ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO - Aula 01.pptx
ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO - Aula 01.pptxADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO - Aula 01.pptx
ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO - Aula 01.pptx
 
GEOGRAFIA DAS INDÚSTRIAS.pptx
GEOGRAFIA DAS INDÚSTRIAS.pptxGEOGRAFIA DAS INDÚSTRIAS.pptx
GEOGRAFIA DAS INDÚSTRIAS.pptx
 
A Revolução Industrial
A Revolução IndustrialA Revolução Industrial
A Revolução Industrial
 
A ii revolucao-industrial[1]
A ii revolucao-industrial[1]A ii revolucao-industrial[1]
A ii revolucao-industrial[1]
 
A revolução industrial
A revolução industrialA revolução industrial
A revolução industrial
 
1. industrialização
1. industrialização1. industrialização
1. industrialização
 
2015 revolução industrial
2015  revolução industrial2015  revolução industrial
2015 revolução industrial
 
Aula - industria 3 ANO
Aula -  industria 3 ANOAula -  industria 3 ANO
Aula - industria 3 ANO
 
Aula5industria_Prof Cadu
Aula5industria_Prof CaduAula5industria_Prof Cadu
Aula5industria_Prof Cadu
 
13. revolução industrial
13. revolução industrial13. revolução industrial
13. revolução industrial
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL 2014
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL 2014REVOLUÇÃO INDUSTRIAL 2014
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL 2014
 
Transp im parte1_introducao manufatura
Transp im parte1_introducao manufaturaTransp im parte1_introducao manufatura
Transp im parte1_introducao manufatura
 
A revolução técnico científica
A revolução técnico científicaA revolução técnico científica
A revolução técnico científica
 
O Arranque Industrial
O Arranque IndustrialO Arranque Industrial
O Arranque Industrial
 
Industrialização
IndustrializaçãoIndustrialização
Industrialização
 
Aula 1 Industria CURSINHO AZ
Aula 1 Industria CURSINHO AZAula 1 Industria CURSINHO AZ
Aula 1 Industria CURSINHO AZ
 

Mais de Marcelo Ferreira Boia

Hebreus fenicios e persas
Hebreus fenicios e persasHebreus fenicios e persas
Hebreus fenicios e persas
Marcelo Ferreira Boia
 
Africa antes-dos-europeus
Africa antes-dos-europeusAfrica antes-dos-europeus
Africa antes-dos-europeus
Marcelo Ferreira Boia
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
Marcelo Ferreira Boia
 
Era Vargas 1
Era Vargas 1Era Vargas 1
Era Vargas 1
Marcelo Ferreira Boia
 
Era Vargas
Era Vargas Era Vargas
O nazi fascismo
O nazi fascismo O nazi fascismo
O nazi fascismo
Marcelo Ferreira Boia
 
O nazi fascismo
O nazi fascismo O nazi fascismo
O nazi fascismo
Marcelo Ferreira Boia
 
Crise de 1929 oficial
Crise de 1929 oficial Crise de 1929 oficial
Crise de 1929 oficial
Marcelo Ferreira Boia
 
O que é conhecimento
O que é conhecimentoO que é conhecimento
O que é conhecimento
Marcelo Ferreira Boia
 
Brasil colonia 2
Brasil colonia 2 Brasil colonia 2
Brasil colonia 2
Marcelo Ferreira Boia
 
Processo de colonização do brasil
Processo de colonização do brasilProcesso de colonização do brasil
Processo de colonização do brasil
Marcelo Ferreira Boia
 
Brasil colnia 2
Brasil colnia 2 Brasil colnia 2
Brasil colnia 2
Marcelo Ferreira Boia
 
America espanhola
America espanhola America espanhola
America espanhola
Marcelo Ferreira Boia
 
America espanhola (1)
America espanhola (1)America espanhola (1)
America espanhola (1)
Marcelo Ferreira Boia
 
Reformas religiosas
Reformas religiosas Reformas religiosas
Reformas religiosas
Marcelo Ferreira Boia
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
Marcelo Ferreira Boia
 
A formacao das monarquias nacionais
A formacao das monarquias nacionais A formacao das monarquias nacionais
A formacao das monarquias nacionais
Marcelo Ferreira Boia
 
Primeira guerra-mundial
Primeira guerra-mundialPrimeira guerra-mundial
Primeira guerra-mundial
Marcelo Ferreira Boia
 
Mesopotamia
MesopotamiaMesopotamia
Mesopotamia
MesopotamiaMesopotamia

Mais de Marcelo Ferreira Boia (20)

Hebreus fenicios e persas
Hebreus fenicios e persasHebreus fenicios e persas
Hebreus fenicios e persas
 
Africa antes-dos-europeus
Africa antes-dos-europeusAfrica antes-dos-europeus
Africa antes-dos-europeus
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Era Vargas 1
Era Vargas 1Era Vargas 1
Era Vargas 1
 
Era Vargas
Era Vargas Era Vargas
Era Vargas
 
O nazi fascismo
O nazi fascismo O nazi fascismo
O nazi fascismo
 
O nazi fascismo
O nazi fascismo O nazi fascismo
O nazi fascismo
 
Crise de 1929 oficial
Crise de 1929 oficial Crise de 1929 oficial
Crise de 1929 oficial
 
O que é conhecimento
O que é conhecimentoO que é conhecimento
O que é conhecimento
 
Brasil colonia 2
Brasil colonia 2 Brasil colonia 2
Brasil colonia 2
 
Processo de colonização do brasil
Processo de colonização do brasilProcesso de colonização do brasil
Processo de colonização do brasil
 
Brasil colnia 2
Brasil colnia 2 Brasil colnia 2
Brasil colnia 2
 
America espanhola
America espanhola America espanhola
America espanhola
 
America espanhola (1)
America espanhola (1)America espanhola (1)
America espanhola (1)
 
Reformas religiosas
Reformas religiosas Reformas religiosas
Reformas religiosas
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
 
A formacao das monarquias nacionais
A formacao das monarquias nacionais A formacao das monarquias nacionais
A formacao das monarquias nacionais
 
Primeira guerra-mundial
Primeira guerra-mundialPrimeira guerra-mundial
Primeira guerra-mundial
 
Mesopotamia
MesopotamiaMesopotamia
Mesopotamia
 
Mesopotamia
MesopotamiaMesopotamia
Mesopotamia
 

Último

the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
jbellas2
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
MariaFatima425285
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Mary Alvarenga
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdfBiologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Ana Da Silva Ponce
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
kdn15710
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
Escola Municipal Jesus Cristo
 
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
ssuser701e2b
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 

Último (20)

the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdfBiologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
 
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 

Revolução industrial