SlideShare uma empresa Scribd logo
Durkheim e a
                     sociologia econômica
Profs. Mauricio Serafim e Carolina Andion
Biografia
• Nasce em 15 de abril de 1858 em Alsácia –
  França, numa família de rabinos.
• 1882 diploma-se na Escola Normal de Paris e se
  aprofunda nas obras de Herbert Spencer (adquire
  predileção por modelos biológicos).
• 1887 com 29 anos é nomeado professor de
  pedagogia e ciência social na Universidade de
  Bordeaux.
• 1896 funda a revista L’Anée Sociologique.
• 1902 é nomeado para a primeira cátedra de
  sociologia da França, na Universidade de
  Sorbonne (Paris).
• Morre em Paris em 15 de novembro de 1917.
Principais obras
 Elementos da sociologia (1889)

   A divisão do trabalho social (1893)
   As regras do método sociológico (1895)
   O suicídio (1897)
   As formas elementares da vida religiosa (1912)
   Reunião de artigos e notas de aulas: Educação
    e sociologia, O socialismo, Pragmatismo e
    sociologia, Lições de sociologia.
Visão da sociologia como ciência positiva
   Objeto da sociologia: fatos sociais (instituições, sua gênese e seu
    funcionamento).
   Visão da sociedade: fato sui generis irredutível a outros. Conjunto de
    ideais alimentados pelos homens que fazem parte dela.
   Objetivo da sociologia: compreender os fenômenos sociais, por meio do
    estudo das relações entre diversos grupos sociais (estabelecer leis
    gerais). Os valores são determinados pela natureza das sociedades e
    entendendo essa natureza, poderia se formular uma “ética” baseada no
    estudo dessas sociedades.
   Conceitos centrais: “consciência coletiva”, “representações coletivas”,
    “solidariedade social”, “normalidade e patologia sociais”, “anomia social”.
   CONTEXTO HISTÓRICO:

     França do século XIX: Conflito entre ensino religioso e ensino laico
        Sociologia aparecia como “moral leiga” substituindo a moral
                        católica (busca da coesão)
A sociologia de Durkheim: método
 Fato social como “coisa”    Postura do sociólogo se
   – tudo que o espírito      inspira na postura dos
  consegue compreender          cientistas do campo
 por meio de observações      natural (explicação das
    e experimentações        causas e relação com os
     (análise científica)              efeitos)


     Fatos sociais são
 exteriores aos indivíduos      Os fatos exercem
     e estão acima das       pressão social sobre os
 consciências individuais    indivíduos (sanções ou
 (o todo é maior do que a          resistências)
     soma das partes)
A observação dos fatos

Afastar as noções prévias (usar conceitos
científicos).

Definir com clareza o objeto (delimitar).

Afastar os dados sensíveis e manter apenas
aqueles que são suficientemente objetivos.
A sociedade para Durkheim
          Divisão do trabalho social (1893)
 Sociedade: realidade que tem vida própria. É como um
ente superior, mais perfeito, e que antecede e sucede os
indivíduos, independe deles e possui sobre eles uma
autoridade.
 Como pode uma coleção de indivíduos construir uma
sociedade?
 Preocupação de Durkheim: restabelecer laços morais.
Nenhuma sociedade se mantém sem moral.
 Moral: sentir-se parte de um grupo, forte sentimento de
pertença.
 Solidariedade: vínculo que mantém a coesão e a unidade
do grupo social.
Duas formas de solidariedade
Solidariedade mecânica:
Típica das sociedades tradicionais ou sem escrita. Nesta
forma de solidariedade os indivíduos diferem pouco uns
dos outros. Há uma forte consciência coletiva (partilham
mesmos valores e crenças). Coletivo tem um papel central.
Ex: Polis grega

Solidariedade orgânica:
Típica das sociedades modernas. Nela o consenso resulta
de uma diferenciação. Cada um exerce uma função e
fazendo isso contribui para a coesão do todo. Indivíduo
tem um papel central.
A sociedade para Durkheim
   A solidariedade orgânica é fruto do novo tipo de
    organização social que tem por base a divisão do
    trabalho.
   O que vem antes é a sociedade mecânica (o ser
    coletivo) e é a sociedade que gera a ideia de indivíduo.
   Na solidariedade orgânica, apesar do aumento de
    liberdade individual, a coesão social se enfraquece e o
    excesso de individualismo (diferenciação) pode levar a
    anomia (ausência de coesão).
   É necessário manter a coesão social e, para isso, ele
    ressalta a importância do direito e de todo o sistema
    jurídico moderno.
 Apesar de defender o pensamento liberal como forma última de evolução e,
assim, justificar o individualismo racionalista, Durkheim prega o respeito por
  normas e valores coletivos, instaurando a dicotomia central da sociologia
                   (indivíduo x sociedade – ator x estrutura)
Contribuições de Durkheim à SE
   Final do século XIX – revolução marginalista (Jevons, Menger
    e Walras).
   Primeiro número de Anée Sociologique (1896-1897) é
    consagrada à sociologia econômica e o tema vai ser
    retomado muitas vezes.
   Três temas recorrentes (Swedberg):
    - Crítica aos economistas e aos seus métodos (individualismo
    metodológico e a idéia de homo oeconomicus).
    - Problemas criados pela desregulação da economia
    (anomia).
    - Estudos sobre o papel das instituições econômicas (fatos
    sociais mais cristalizados): contrato, propriedade privada,
    direito, normas e regras sociais, Estado.
Contribuições de Durkheim à SE
   Fatos econômicos como fatos sociais (traz de volta a questão
    das normas, das crenças e da moral).
   Papel socializador da troca mercantil (laço social mercantil e
    sua especificidade – o papel dos contratos).
   Os elementos não contratuais do contrato.
   Importância do papel do Estado (garantindo as condições
    para o direito ser respeitado).
   Crítica ao estado de anomia jurídica e moral presente na
    esfera econômica.
   Remédio:
     Importância de novas regulações (exemplo: grupos profissionais).
     O Estado não pode intervir diretamente na vida econômica.
Críticas à Durkheim
   Objetivismo excessivo que deixa de lado outras
    dimensões dos fatos (relação de causa e efeito).
   Ênfase no equilíbrio e no consenso. Negligência em
    relação aos conflitos, relações de poder na sociedade
    (busca restaurar as normas sociais).
   Apesar de sua tradição positivista baseava-se mais num
    ideal de sociedade do que na sociedade real.
   Visão integradora de sociedade que dava pouco espaço
    para análise dos grupos sociais e sua pluralidade
    (ênfase nas estruturas/determinismo).
FIM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Clássicos da sociologia
Clássicos da sociologiaClássicos da sociologia
Clássicos da sociologia
Luciano Carvalho
 
Aula classes sociais
Aula classes sociaisAula classes sociais
Aula classes sociais
roberto mosca junior
 
01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Surgimento da Sociologia
Surgimento da SociologiaSurgimento da Sociologia
Surgimento da Sociologia
roberto mosca junior
 
A sociologia de Max Weber
A  sociologia de Max WeberA  sociologia de Max Weber
A sociologia de Max Weber
Alison Nunes
 
Estratificação social
Estratificação socialEstratificação social
Estratificação social
Paulo Alexandre
 
Sociologia - Aula Introdutória
Sociologia - Aula IntrodutóriaSociologia - Aula Introdutória
Sociologia - Aula Introdutória
Paula Meyer Piagentini
 
Indústria Cultural
Indústria CulturalIndústria Cultural
Indústria Cultural
Beatriz Schnaider Tontini
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
Jhonatan Max
 
Sociologia de Durkheim para ensino médio
Sociologia de Durkheim para ensino médioSociologia de Durkheim para ensino médio
Sociologia de Durkheim para ensino médio
Matheus Rodrigues
 
As origens e os principais teóricos da sociologia
As origens e os principais teóricos  da sociologiaAs origens e os principais teóricos  da sociologia
As origens e os principais teóricos da sociologia
Lucio Oliveira
 
Estratificação e Desigualdade Social
Estratificação e Desigualdade SocialEstratificação e Desigualdade Social
Estratificação e Desigualdade Social
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Emile Durkheim
Emile DurkheimEmile Durkheim
Indústria Cultural
Indústria CulturalIndústria Cultural
Indústria Cultural
Munis Pedro
 
Lista de exercícios (Sociologia)
Lista de exercícios (Sociologia)Lista de exercícios (Sociologia)
Lista de exercícios (Sociologia)
Paula Meyer Piagentini
 
Auguste comte
Auguste comteAuguste comte
Auguste comte
sociofilo2012
 
Aula 03 - Instituições Sociais Num Mundo de Mudanças
Aula 03 - Instituições Sociais Num Mundo de MudançasAula 03 - Instituições Sociais Num Mundo de Mudanças
Aula 03 - Instituições Sociais Num Mundo de Mudanças
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Sociologia brasileira
Sociologia brasileiraSociologia brasileira
Sociologia brasileira
roberto mosca junior
 
O MUNDO DO TRABALHO
O MUNDO DO TRABALHO O MUNDO DO TRABALHO
O MUNDO DO TRABALHO
Rudolf Rotchild Costa Cavalcante
 
A contribuição da sociologia para a interpretação da realidade social
A contribuição da sociologia para a interpretação  da realidade socialA contribuição da sociologia para a interpretação  da realidade social
A contribuição da sociologia para a interpretação da realidade social
Marcela Marangon Ribeiro
 

Mais procurados (20)

Clássicos da sociologia
Clássicos da sociologiaClássicos da sociologia
Clássicos da sociologia
 
Aula classes sociais
Aula classes sociaisAula classes sociais
Aula classes sociais
 
01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia
 
Surgimento da Sociologia
Surgimento da SociologiaSurgimento da Sociologia
Surgimento da Sociologia
 
A sociologia de Max Weber
A  sociologia de Max WeberA  sociologia de Max Weber
A sociologia de Max Weber
 
Estratificação social
Estratificação socialEstratificação social
Estratificação social
 
Sociologia - Aula Introdutória
Sociologia - Aula IntrodutóriaSociologia - Aula Introdutória
Sociologia - Aula Introdutória
 
Indústria Cultural
Indústria CulturalIndústria Cultural
Indústria Cultural
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
 
Sociologia de Durkheim para ensino médio
Sociologia de Durkheim para ensino médioSociologia de Durkheim para ensino médio
Sociologia de Durkheim para ensino médio
 
As origens e os principais teóricos da sociologia
As origens e os principais teóricos  da sociologiaAs origens e os principais teóricos  da sociologia
As origens e os principais teóricos da sociologia
 
Estratificação e Desigualdade Social
Estratificação e Desigualdade SocialEstratificação e Desigualdade Social
Estratificação e Desigualdade Social
 
Emile Durkheim
Emile DurkheimEmile Durkheim
Emile Durkheim
 
Indústria Cultural
Indústria CulturalIndústria Cultural
Indústria Cultural
 
Lista de exercícios (Sociologia)
Lista de exercícios (Sociologia)Lista de exercícios (Sociologia)
Lista de exercícios (Sociologia)
 
Auguste comte
Auguste comteAuguste comte
Auguste comte
 
Aula 03 - Instituições Sociais Num Mundo de Mudanças
Aula 03 - Instituições Sociais Num Mundo de MudançasAula 03 - Instituições Sociais Num Mundo de Mudanças
Aula 03 - Instituições Sociais Num Mundo de Mudanças
 
Sociologia brasileira
Sociologia brasileiraSociologia brasileira
Sociologia brasileira
 
O MUNDO DO TRABALHO
O MUNDO DO TRABALHO O MUNDO DO TRABALHO
O MUNDO DO TRABALHO
 
A contribuição da sociologia para a interpretação da realidade social
A contribuição da sociologia para a interpretação  da realidade socialA contribuição da sociologia para a interpretação  da realidade social
A contribuição da sociologia para a interpretação da realidade social
 

Destaque

A Sociologia De Émile Durkheim
A Sociologia De Émile DurkheimA Sociologia De Émile Durkheim
A Sociologia De Émile Durkheim
guestdc18d25
 
Aula Émile Durkheim
Aula Émile DurkheimAula Émile Durkheim
Aula Émile Durkheim
Fernanda Campos Junqueira
 
Aula durkheim
Aula durkheimAula durkheim
Aula durkheim
roberto mosca junior
 
EMILE DURKHEIM EDUCAÇÃO E SOCIOLOGIA
EMILE DURKHEIM EDUCAÇÃO E SOCIOLOGIAEMILE DURKHEIM EDUCAÇÃO E SOCIOLOGIA
EMILE DURKHEIM EDUCAÇÃO E SOCIOLOGIA
Victor Said
 
Émile Durkheim
Émile DurkheimÉmile Durkheim
Émile Durkheim
91016131373
 
éMile durkheim
éMile durkheiméMile durkheim
éMile durkheim
Fatima Freitas
 
Durkheim
DurkheimDurkheim
Durkheim
direitounimonte
 
Durkhein
DurkheinDurkhein
Durkhein
Over Lane
 
Sociologia: Positivismo de Durkeim
  Sociologia: Positivismo de Durkeim  Sociologia: Positivismo de Durkeim
Sociologia: Positivismo de Durkeim
Secretaria Municipal de Educação
 
éMile durkheim
éMile durkheiméMile durkheim
éMile durkheim
Marcela Marangon Ribeiro
 
Positivismo de Augusto Comte
Positivismo de Augusto ComtePositivismo de Augusto Comte
Positivismo de Augusto Comte
Roger Pimentel
 
Auguste comte
Auguste comteAuguste comte
Auguste comte
G. Gomes
 
Sociologia introdução - o que é, principais pensamentos e pensadores
Sociologia   introdução - o que é, principais pensamentos e pensadoresSociologia   introdução - o que é, principais pensamentos e pensadores
Sociologia introdução - o que é, principais pensamentos e pensadores
Daniele Rubim
 
emile durkhein
emile durkheinemile durkhein
emile durkhein
Victor Daniel
 
Aula 1 - Soc Ecn 2009
Aula 1 - Soc Ecn 2009Aula 1 - Soc Ecn 2009
Aula 1 - Soc Ecn 2009
Mauricio Serafim
 
Teórico durkheim
Teórico   durkheimTeórico   durkheim
Teórico durkheim
Espaco_Pedagogia
 
éMile durkheim o suicídio
éMile durkheim   o suicídioéMile durkheim   o suicídio
éMile durkheim o suicídio
LUIZ OTÁVIO LEMOS
 
Émile Durkheim
Émile Durkheim Émile Durkheim
Émile Durkheim
Viih99
 
Augusto Comte - Resumo #1
Augusto Comte - Resumo #1Augusto Comte - Resumo #1
Augusto Comte - Resumo #1
PasseiTotal
 
Durkheim sociologia
Durkheim sociologiaDurkheim sociologia
Durkheim sociologia
Colégio Monteiro Lobato
 

Destaque (20)

A Sociologia De Émile Durkheim
A Sociologia De Émile DurkheimA Sociologia De Émile Durkheim
A Sociologia De Émile Durkheim
 
Aula Émile Durkheim
Aula Émile DurkheimAula Émile Durkheim
Aula Émile Durkheim
 
Aula durkheim
Aula durkheimAula durkheim
Aula durkheim
 
EMILE DURKHEIM EDUCAÇÃO E SOCIOLOGIA
EMILE DURKHEIM EDUCAÇÃO E SOCIOLOGIAEMILE DURKHEIM EDUCAÇÃO E SOCIOLOGIA
EMILE DURKHEIM EDUCAÇÃO E SOCIOLOGIA
 
Émile Durkheim
Émile DurkheimÉmile Durkheim
Émile Durkheim
 
éMile durkheim
éMile durkheiméMile durkheim
éMile durkheim
 
Durkheim
DurkheimDurkheim
Durkheim
 
Durkhein
DurkheinDurkhein
Durkhein
 
Sociologia: Positivismo de Durkeim
  Sociologia: Positivismo de Durkeim  Sociologia: Positivismo de Durkeim
Sociologia: Positivismo de Durkeim
 
éMile durkheim
éMile durkheiméMile durkheim
éMile durkheim
 
Positivismo de Augusto Comte
Positivismo de Augusto ComtePositivismo de Augusto Comte
Positivismo de Augusto Comte
 
Auguste comte
Auguste comteAuguste comte
Auguste comte
 
Sociologia introdução - o que é, principais pensamentos e pensadores
Sociologia   introdução - o que é, principais pensamentos e pensadoresSociologia   introdução - o que é, principais pensamentos e pensadores
Sociologia introdução - o que é, principais pensamentos e pensadores
 
emile durkhein
emile durkheinemile durkhein
emile durkhein
 
Aula 1 - Soc Ecn 2009
Aula 1 - Soc Ecn 2009Aula 1 - Soc Ecn 2009
Aula 1 - Soc Ecn 2009
 
Teórico durkheim
Teórico   durkheimTeórico   durkheim
Teórico durkheim
 
éMile durkheim o suicídio
éMile durkheim   o suicídioéMile durkheim   o suicídio
éMile durkheim o suicídio
 
Émile Durkheim
Émile Durkheim Émile Durkheim
Émile Durkheim
 
Augusto Comte - Resumo #1
Augusto Comte - Resumo #1Augusto Comte - Resumo #1
Augusto Comte - Resumo #1
 
Durkheim sociologia
Durkheim sociologiaDurkheim sociologia
Durkheim sociologia
 

Semelhante a Aula 3 - Durkheim

aula3-durkheim-090817182219-phpapp02.pdf
aula3-durkheim-090817182219-phpapp02.pdfaula3-durkheim-090817182219-phpapp02.pdf
aula3-durkheim-090817182219-phpapp02.pdf
PedroSimonetti1
 
Sociologia: antecedentes e positivismo
Sociologia: antecedentes e positivismoSociologia: antecedentes e positivismo
Sociologia: antecedentes e positivismo
richard_romancini
 
Émile Durkheim
Émile Durkheim Émile Durkheim
Émile Durkheim
Carlos Domingos Santos
 
Os classicos da_sociologia_ completo
Os classicos da_sociologia_ completoOs classicos da_sociologia_ completo
Os classicos da_sociologia_ completo
Marcus Vinicius
 
Aula 1 soc em
Aula 1   soc emAula 1   soc em
Aula 1 soc em
Walney M.F
 
Aula sobre sociologia clássica
Aula sobre sociologia clássicaAula sobre sociologia clássica
Aula sobre sociologia clássica
josiwedig1
 
Teóricos da sociologia. as perspectívas sociológicas clássicas
Teóricos da sociologia. as perspectívas sociológicas clássicasTeóricos da sociologia. as perspectívas sociológicas clássicas
Teóricos da sociologia. as perspectívas sociológicas clássicas
Otávio Miécio Santos Sampaio
 
Trabajo problemática institucional
Trabajo problemática institucionalTrabajo problemática institucional
Trabajo problemática institucional
Daiane Pereira
 
Trabajo problemática institucional
Trabajo problemática institucionalTrabajo problemática institucional
Trabajo problemática institucional
Daiane Pereira
 
4.-Emile-Durkheim-e-a-integracao-social.ppt
4.-Emile-Durkheim-e-a-integracao-social.ppt4.-Emile-Durkheim-e-a-integracao-social.ppt
4.-Emile-Durkheim-e-a-integracao-social.ppt
Régio Quirino
 
éMile durkheim
éMile durkheiméMile durkheim
éMile durkheim
unirio2011
 
A Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile DurkheimA Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile Durkheim
Jorge Miklos
 
Sociologia para o vestibular
Sociologia para o vestibularSociologia para o vestibular
Sociologia para o vestibular
Edenilson Morais
 
Apostila de sociologia_1ano
Apostila de sociologia_1anoApostila de sociologia_1ano
Apostila de sociologia_1ano
José Soares Filho
 
Miledurkheim 120918024516-phpapp01
Miledurkheim 120918024516-phpapp01Miledurkheim 120918024516-phpapp01
Miledurkheim 120918024516-phpapp01
Jose Fernando
 
Miledurkheim 120918024516-phpapp01
Miledurkheim 120918024516-phpapp01Miledurkheim 120918024516-phpapp01
Miledurkheim 120918024516-phpapp01
Jose Fernando
 
Aula 6 - Marcel Mauss
Aula 6 - Marcel MaussAula 6 - Marcel Mauss
Aula 6 - Marcel Mauss
Mauricio Serafim
 
Material de sociologia i
Material de sociologia iMaterial de sociologia i
Material de sociologia i
gabriela_eiras
 
Apostila classicos-sociologia
Apostila classicos-sociologiaApostila classicos-sociologia
Apostila classicos-sociologia
Cristina Bentes
 
A Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile DurkheimA Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile Durkheim
guestca76e87
 

Semelhante a Aula 3 - Durkheim (20)

aula3-durkheim-090817182219-phpapp02.pdf
aula3-durkheim-090817182219-phpapp02.pdfaula3-durkheim-090817182219-phpapp02.pdf
aula3-durkheim-090817182219-phpapp02.pdf
 
Sociologia: antecedentes e positivismo
Sociologia: antecedentes e positivismoSociologia: antecedentes e positivismo
Sociologia: antecedentes e positivismo
 
Émile Durkheim
Émile Durkheim Émile Durkheim
Émile Durkheim
 
Os classicos da_sociologia_ completo
Os classicos da_sociologia_ completoOs classicos da_sociologia_ completo
Os classicos da_sociologia_ completo
 
Aula 1 soc em
Aula 1   soc emAula 1   soc em
Aula 1 soc em
 
Aula sobre sociologia clássica
Aula sobre sociologia clássicaAula sobre sociologia clássica
Aula sobre sociologia clássica
 
Teóricos da sociologia. as perspectívas sociológicas clássicas
Teóricos da sociologia. as perspectívas sociológicas clássicasTeóricos da sociologia. as perspectívas sociológicas clássicas
Teóricos da sociologia. as perspectívas sociológicas clássicas
 
Trabajo problemática institucional
Trabajo problemática institucionalTrabajo problemática institucional
Trabajo problemática institucional
 
Trabajo problemática institucional
Trabajo problemática institucionalTrabajo problemática institucional
Trabajo problemática institucional
 
4.-Emile-Durkheim-e-a-integracao-social.ppt
4.-Emile-Durkheim-e-a-integracao-social.ppt4.-Emile-Durkheim-e-a-integracao-social.ppt
4.-Emile-Durkheim-e-a-integracao-social.ppt
 
éMile durkheim
éMile durkheiméMile durkheim
éMile durkheim
 
A Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile DurkheimA Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile Durkheim
 
Sociologia para o vestibular
Sociologia para o vestibularSociologia para o vestibular
Sociologia para o vestibular
 
Apostila de sociologia_1ano
Apostila de sociologia_1anoApostila de sociologia_1ano
Apostila de sociologia_1ano
 
Miledurkheim 120918024516-phpapp01
Miledurkheim 120918024516-phpapp01Miledurkheim 120918024516-phpapp01
Miledurkheim 120918024516-phpapp01
 
Miledurkheim 120918024516-phpapp01
Miledurkheim 120918024516-phpapp01Miledurkheim 120918024516-phpapp01
Miledurkheim 120918024516-phpapp01
 
Aula 6 - Marcel Mauss
Aula 6 - Marcel MaussAula 6 - Marcel Mauss
Aula 6 - Marcel Mauss
 
Material de sociologia i
Material de sociologia iMaterial de sociologia i
Material de sociologia i
 
Apostila classicos-sociologia
Apostila classicos-sociologiaApostila classicos-sociologia
Apostila classicos-sociologia
 
A Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile DurkheimA Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile Durkheim
 

Mais de Mauricio Serafim

Economia criativa ou indústria criativa: Delimitação de um Conceito em Constr...
Economia criativa ou indústria criativa: Delimitação de um Conceito em Constr...Economia criativa ou indústria criativa: Delimitação de um Conceito em Constr...
Economia criativa ou indústria criativa: Delimitação de um Conceito em Constr...
Mauricio Serafim
 
Artigo - As organizações religiosas e suas relações: Uma análise a partir da ...
Artigo - As organizações religiosas e suas relações: Uma análise a partir da ...Artigo - As organizações religiosas e suas relações: Uma análise a partir da ...
Artigo - As organizações religiosas e suas relações: Uma análise a partir da ...
Mauricio Serafim
 
Artigo - Captação de recursos não reembolsáveis: dificuldades e limitações da...
Artigo - Captação de recursos não reembolsáveis: dificuldades e limitações da...Artigo - Captação de recursos não reembolsáveis: dificuldades e limitações da...
Artigo - Captação de recursos não reembolsáveis: dificuldades e limitações da...
Mauricio Serafim
 
Plano de Ensino - Sociologia Econômica e Organizações
Plano de Ensino - Sociologia Econômica e OrganizaçõesPlano de Ensino - Sociologia Econômica e Organizações
Plano de Ensino - Sociologia Econômica e Organizações
Mauricio Serafim
 
O uso de redes sociais no desenvolvimento de pesquisas
O uso de redes sociais no desenvolvimento de pesquisasO uso de redes sociais no desenvolvimento de pesquisas
O uso de redes sociais no desenvolvimento de pesquisas
Mauricio Serafim
 
Administração e política (Poliarquia e Elitismo)
Administração e  política (Poliarquia e Elitismo)Administração e  política (Poliarquia e Elitismo)
Administração e política (Poliarquia e Elitismo)
Mauricio Serafim
 
From rationality to relationality
From rationality to relationalityFrom rationality to relationality
From rationality to relationality
Mauricio Serafim
 
Oikonomia como referencial para as organizações econômicas
Oikonomia como referencial para as organizações econômicasOikonomia como referencial para as organizações econômicas
Oikonomia como referencial para as organizações econômicas
Mauricio Serafim
 
1 plano ensino tga pub 2011.1 (mauricio serafim)
1 plano ensino   tga pub 2011.1 (mauricio serafim)1 plano ensino   tga pub 2011.1 (mauricio serafim)
1 plano ensino tga pub 2011.1 (mauricio serafim)
Mauricio Serafim
 
EdC - agire agapico
EdC - agire agapicoEdC - agire agapico
EdC - agire agapico
Mauricio Serafim
 
Aula 7 - Karl Polanyi
Aula 7 - Karl PolanyiAula 7 - Karl Polanyi
Aula 7 - Karl Polanyi
Mauricio Serafim
 
Aula 7 - karl polanyi
Aula 7 - karl polanyiAula 7 - karl polanyi
Aula 7 - karl polanyi
Mauricio Serafim
 
Show - Talentos ESAG
Show - Talentos ESAGShow - Talentos ESAG
Show - Talentos ESAG
Mauricio Serafim
 
Convite conferencia
Convite conferenciaConvite conferencia
Convite conferencia
Mauricio Serafim
 
Aula 4 (15.03.2010) - Coproducao Esag
Aula 4 (15.03.2010) - Coproducao EsagAula 4 (15.03.2010) - Coproducao Esag
Aula 4 (15.03.2010) - Coproducao Esag
Mauricio Serafim
 
Teoria - alguns tópicos
Teoria - alguns tópicosTeoria - alguns tópicos
Teoria - alguns tópicos
Mauricio Serafim
 
Aula 2 (01 03 2010) - Coproducao Esag
Aula 2 (01 03 2010) - Coproducao  EsagAula 2 (01 03 2010) - Coproducao  Esag
Aula 2 (01 03 2010) - Coproducao Esag
Mauricio Serafim
 
Coproducao - Plano de ensino
Coproducao - Plano de ensinoCoproducao - Plano de ensino
Coproducao - Plano de ensino
Mauricio Serafim
 
O Uso De Tecnologias No Desenvolvimento De Pesquisas
O Uso De Tecnologias No Desenvolvimento De PesquisasO Uso De Tecnologias No Desenvolvimento De Pesquisas
O Uso De Tecnologias No Desenvolvimento De Pesquisas
Mauricio Serafim
 
Consumo Consciente
Consumo ConscienteConsumo Consciente
Consumo Consciente
Mauricio Serafim
 

Mais de Mauricio Serafim (20)

Economia criativa ou indústria criativa: Delimitação de um Conceito em Constr...
Economia criativa ou indústria criativa: Delimitação de um Conceito em Constr...Economia criativa ou indústria criativa: Delimitação de um Conceito em Constr...
Economia criativa ou indústria criativa: Delimitação de um Conceito em Constr...
 
Artigo - As organizações religiosas e suas relações: Uma análise a partir da ...
Artigo - As organizações religiosas e suas relações: Uma análise a partir da ...Artigo - As organizações religiosas e suas relações: Uma análise a partir da ...
Artigo - As organizações religiosas e suas relações: Uma análise a partir da ...
 
Artigo - Captação de recursos não reembolsáveis: dificuldades e limitações da...
Artigo - Captação de recursos não reembolsáveis: dificuldades e limitações da...Artigo - Captação de recursos não reembolsáveis: dificuldades e limitações da...
Artigo - Captação de recursos não reembolsáveis: dificuldades e limitações da...
 
Plano de Ensino - Sociologia Econômica e Organizações
Plano de Ensino - Sociologia Econômica e OrganizaçõesPlano de Ensino - Sociologia Econômica e Organizações
Plano de Ensino - Sociologia Econômica e Organizações
 
O uso de redes sociais no desenvolvimento de pesquisas
O uso de redes sociais no desenvolvimento de pesquisasO uso de redes sociais no desenvolvimento de pesquisas
O uso de redes sociais no desenvolvimento de pesquisas
 
Administração e política (Poliarquia e Elitismo)
Administração e  política (Poliarquia e Elitismo)Administração e  política (Poliarquia e Elitismo)
Administração e política (Poliarquia e Elitismo)
 
From rationality to relationality
From rationality to relationalityFrom rationality to relationality
From rationality to relationality
 
Oikonomia como referencial para as organizações econômicas
Oikonomia como referencial para as organizações econômicasOikonomia como referencial para as organizações econômicas
Oikonomia como referencial para as organizações econômicas
 
1 plano ensino tga pub 2011.1 (mauricio serafim)
1 plano ensino   tga pub 2011.1 (mauricio serafim)1 plano ensino   tga pub 2011.1 (mauricio serafim)
1 plano ensino tga pub 2011.1 (mauricio serafim)
 
EdC - agire agapico
EdC - agire agapicoEdC - agire agapico
EdC - agire agapico
 
Aula 7 - Karl Polanyi
Aula 7 - Karl PolanyiAula 7 - Karl Polanyi
Aula 7 - Karl Polanyi
 
Aula 7 - karl polanyi
Aula 7 - karl polanyiAula 7 - karl polanyi
Aula 7 - karl polanyi
 
Show - Talentos ESAG
Show - Talentos ESAGShow - Talentos ESAG
Show - Talentos ESAG
 
Convite conferencia
Convite conferenciaConvite conferencia
Convite conferencia
 
Aula 4 (15.03.2010) - Coproducao Esag
Aula 4 (15.03.2010) - Coproducao EsagAula 4 (15.03.2010) - Coproducao Esag
Aula 4 (15.03.2010) - Coproducao Esag
 
Teoria - alguns tópicos
Teoria - alguns tópicosTeoria - alguns tópicos
Teoria - alguns tópicos
 
Aula 2 (01 03 2010) - Coproducao Esag
Aula 2 (01 03 2010) - Coproducao  EsagAula 2 (01 03 2010) - Coproducao  Esag
Aula 2 (01 03 2010) - Coproducao Esag
 
Coproducao - Plano de ensino
Coproducao - Plano de ensinoCoproducao - Plano de ensino
Coproducao - Plano de ensino
 
O Uso De Tecnologias No Desenvolvimento De Pesquisas
O Uso De Tecnologias No Desenvolvimento De PesquisasO Uso De Tecnologias No Desenvolvimento De Pesquisas
O Uso De Tecnologias No Desenvolvimento De Pesquisas
 
Consumo Consciente
Consumo ConscienteConsumo Consciente
Consumo Consciente
 

Aula 3 - Durkheim

  • 1. Durkheim e a sociologia econômica Profs. Mauricio Serafim e Carolina Andion
  • 2. Biografia • Nasce em 15 de abril de 1858 em Alsácia – França, numa família de rabinos. • 1882 diploma-se na Escola Normal de Paris e se aprofunda nas obras de Herbert Spencer (adquire predileção por modelos biológicos). • 1887 com 29 anos é nomeado professor de pedagogia e ciência social na Universidade de Bordeaux. • 1896 funda a revista L’Anée Sociologique. • 1902 é nomeado para a primeira cátedra de sociologia da França, na Universidade de Sorbonne (Paris). • Morre em Paris em 15 de novembro de 1917.
  • 3. Principais obras  Elementos da sociologia (1889)  A divisão do trabalho social (1893)  As regras do método sociológico (1895)  O suicídio (1897)  As formas elementares da vida religiosa (1912)  Reunião de artigos e notas de aulas: Educação e sociologia, O socialismo, Pragmatismo e sociologia, Lições de sociologia.
  • 4. Visão da sociologia como ciência positiva  Objeto da sociologia: fatos sociais (instituições, sua gênese e seu funcionamento).  Visão da sociedade: fato sui generis irredutível a outros. Conjunto de ideais alimentados pelos homens que fazem parte dela.  Objetivo da sociologia: compreender os fenômenos sociais, por meio do estudo das relações entre diversos grupos sociais (estabelecer leis gerais). Os valores são determinados pela natureza das sociedades e entendendo essa natureza, poderia se formular uma “ética” baseada no estudo dessas sociedades.  Conceitos centrais: “consciência coletiva”, “representações coletivas”, “solidariedade social”, “normalidade e patologia sociais”, “anomia social”.  CONTEXTO HISTÓRICO: França do século XIX: Conflito entre ensino religioso e ensino laico Sociologia aparecia como “moral leiga” substituindo a moral católica (busca da coesão)
  • 5. A sociologia de Durkheim: método Fato social como “coisa” Postura do sociólogo se – tudo que o espírito inspira na postura dos consegue compreender cientistas do campo por meio de observações natural (explicação das e experimentações causas e relação com os (análise científica) efeitos) Fatos sociais são exteriores aos indivíduos Os fatos exercem e estão acima das pressão social sobre os consciências individuais indivíduos (sanções ou (o todo é maior do que a resistências) soma das partes)
  • 6. A observação dos fatos Afastar as noções prévias (usar conceitos científicos). Definir com clareza o objeto (delimitar). Afastar os dados sensíveis e manter apenas aqueles que são suficientemente objetivos.
  • 7. A sociedade para Durkheim Divisão do trabalho social (1893)  Sociedade: realidade que tem vida própria. É como um ente superior, mais perfeito, e que antecede e sucede os indivíduos, independe deles e possui sobre eles uma autoridade.  Como pode uma coleção de indivíduos construir uma sociedade?  Preocupação de Durkheim: restabelecer laços morais. Nenhuma sociedade se mantém sem moral.  Moral: sentir-se parte de um grupo, forte sentimento de pertença.  Solidariedade: vínculo que mantém a coesão e a unidade do grupo social.
  • 8. Duas formas de solidariedade Solidariedade mecânica: Típica das sociedades tradicionais ou sem escrita. Nesta forma de solidariedade os indivíduos diferem pouco uns dos outros. Há uma forte consciência coletiva (partilham mesmos valores e crenças). Coletivo tem um papel central. Ex: Polis grega Solidariedade orgânica: Típica das sociedades modernas. Nela o consenso resulta de uma diferenciação. Cada um exerce uma função e fazendo isso contribui para a coesão do todo. Indivíduo tem um papel central.
  • 9. A sociedade para Durkheim  A solidariedade orgânica é fruto do novo tipo de organização social que tem por base a divisão do trabalho.  O que vem antes é a sociedade mecânica (o ser coletivo) e é a sociedade que gera a ideia de indivíduo.  Na solidariedade orgânica, apesar do aumento de liberdade individual, a coesão social se enfraquece e o excesso de individualismo (diferenciação) pode levar a anomia (ausência de coesão).  É necessário manter a coesão social e, para isso, ele ressalta a importância do direito e de todo o sistema jurídico moderno. Apesar de defender o pensamento liberal como forma última de evolução e, assim, justificar o individualismo racionalista, Durkheim prega o respeito por normas e valores coletivos, instaurando a dicotomia central da sociologia (indivíduo x sociedade – ator x estrutura)
  • 10. Contribuições de Durkheim à SE  Final do século XIX – revolução marginalista (Jevons, Menger e Walras).  Primeiro número de Anée Sociologique (1896-1897) é consagrada à sociologia econômica e o tema vai ser retomado muitas vezes.  Três temas recorrentes (Swedberg): - Crítica aos economistas e aos seus métodos (individualismo metodológico e a idéia de homo oeconomicus). - Problemas criados pela desregulação da economia (anomia). - Estudos sobre o papel das instituições econômicas (fatos sociais mais cristalizados): contrato, propriedade privada, direito, normas e regras sociais, Estado.
  • 11. Contribuições de Durkheim à SE  Fatos econômicos como fatos sociais (traz de volta a questão das normas, das crenças e da moral).  Papel socializador da troca mercantil (laço social mercantil e sua especificidade – o papel dos contratos).  Os elementos não contratuais do contrato.  Importância do papel do Estado (garantindo as condições para o direito ser respeitado).  Crítica ao estado de anomia jurídica e moral presente na esfera econômica.  Remédio:  Importância de novas regulações (exemplo: grupos profissionais).  O Estado não pode intervir diretamente na vida econômica.
  • 12. Críticas à Durkheim  Objetivismo excessivo que deixa de lado outras dimensões dos fatos (relação de causa e efeito).  Ênfase no equilíbrio e no consenso. Negligência em relação aos conflitos, relações de poder na sociedade (busca restaurar as normas sociais).  Apesar de sua tradição positivista baseava-se mais num ideal de sociedade do que na sociedade real.  Visão integradora de sociedade que dava pouco espaço para análise dos grupos sociais e sua pluralidade (ênfase nas estruturas/determinismo).
  • 13. FIM