SlideShare uma empresa Scribd logo
AUDITORIA INTERNA


Podemos conceituar auditoria interna como um controle gerencial que funciona
por meio de medição e avaliação da eficiência e eficácia de outros controles.
Deve ser entendida como uma atividade de assessoramento à administração
quanto ao desempenho das atribuições definidas para cada área da empresa,
mediante as diretrizes políticas e objetivos por aquela determinados.

A auditoria interna cumpre um papel fundamental na empresa: subsidia o
administrador com dados e informações tecnicamente elaborados, relativos às
atividades para cujo acompanhamento e supervisão este não tem condições de
realizar; e ela o faz mediante o exame da:


a) adequação e eficácia dos controles;
        b) integridade e confiabilidade das informações e registros;

         c) integridade e confiabilidade dos sistemas estabelecidos para
         assegurar a observância das políticas, metas, planos, procedimentos,
         leis, normas e regulamentos, e da sua efetiva aplicação pela empresa;
         d) eficiência, eficácia e economicidade do desempenho e da utilização
         dos recursos; dos procedimentos e métodos para salvaguarda dos
         ativos e a comprovação de sua existência, assim como a exatidão dos
         ativos e passivos; e
         e) compatibilidade das operações e programas com os objetivos,
         planos e meios de execução estabelecidos.

AMBIENTE DE ATUAÇÃO DA AUDITORIA INTERNA

Não deve haver limitação, no âmbito da empresa, para atuação da auditoria
interna. O auditor interno deve ter acesso a todas as áreas e informações,
terreno no qual e para o qual desenvolverá seu trabalho. Naquelas áreas cuja
tecnologia desconhece, no todo ou em parte, deve ele assessorar-se de
profissionais habilitados, a fim de entender o processo, para poder avaliá-lo e
julgá-lo, possibilitando, assim, que seu relatório seja emitido corretamente.
Podemos exemplificar esta condição com referência a um trabalho
desenvolvido numa área de Produção. Neste caso, o auditor interno se
assessorará de um engenheiro, qualificado tecnicamente para, quando
solicitado e autorizado pela Diretoria, julgar determinada operação ou opinar
sobre ela. Deve, ainda, prestar total apoio ao Conselho de Administração e ao
Conselho Fiscal da entidade, bem como, se em empresa estatal, coordenar e
controlar o atendimento ao Tribunal de Contas e aos órgãos de Controle
Interno.




       Av. Visconde de Albuquerque, 603 - Madalena - Recife - PE CEP: 50610-090
                   Fone: (81) 3227-1699 | www.berconsultoria.com.br
Os sistemas de controle não se limitam às áreas contábil e financeira, mas
englobam os planos da organização e todos os métodos usados para proteger
seus ativos, verificar a exatidão e fidedignidade de suas informações contábeis,
financeiras, administrativas e operacionais, e promover a eficiência e eficácia
operacional, bem como estimular a observância de normas e diretrizes
daadministração, inclusive no âmbito das empresas controladas e coligadas.
A função básica da auditoria interna, de assegurar o sistema de controle
interno eficaz, não desobriga os executivos das responsabilidades de
verificação e controle nos seus respectivos setores.




       Av. Visconde de Albuquerque, 603 - Madalena - Recife - PE CEP: 50610-090
                   Fone: (81) 3227-1699 | www.berconsultoria.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Processo administrativo: organização
Processo administrativo: organizaçãoProcesso administrativo: organização
Processo administrativo: organização
Patrícia Cruz Rodrigues Marion
 
Exemplo de relatório de auditoria interna
Exemplo de relatório de auditoria internaExemplo de relatório de auditoria interna
Exemplo de relatório de auditoria interna
Hélio René Lopes da Rocha
 
Formação de Auditores Internos
Formação de Auditores InternosFormação de Auditores Internos
Formação de Auditores Internos
Rogério Souza
 
Aula 01 SGQ - Introdução
Aula 01 SGQ - IntroduçãoAula 01 SGQ - Introdução
Aula 01 SGQ - Introdução
Claudio Bernardi Stringari
 
Auditoria na Gestão de Pessoas
Auditoria na Gestão de PessoasAuditoria na Gestão de Pessoas
Auditoria na Gestão de Pessoas
Dominus Auditoria
 
Auditoria
AuditoriaAuditoria
Mapeamento de Processos
Mapeamento de ProcessosMapeamento de Processos
Mapeamento de Processos
Templum Consultoria Online
 
4.5.5 auditoria interna
4.5.5 auditoria interna4.5.5 auditoria interna
4.5.5 auditoria interna
Samantha Kathryn Soares Medeiros
 
Funções Administrativas
Funções AdministrativasFunções Administrativas
Funções Administrativas
rodspeed
 
Benchmarking: O que é e como fazer
Benchmarking: O que é e como fazerBenchmarking: O que é e como fazer
Benchmarking: O que é e como fazer
Mateada
 
Pesquisa de Clima Organizacional - Etapas
Pesquisa de Clima Organizacional - EtapasPesquisa de Clima Organizacional - Etapas
Pesquisa de Clima Organizacional - Etapas
INSTITUTO MVC
 
Modelagem de Processos
Modelagem de ProcessosModelagem de Processos
Modelagem de Processos
Thiago Andress
 
ORGANIZAÇÃO, SISTEMAS E MÉTODOS – OSM
ORGANIZAÇÃO, SISTEMAS E MÉTODOS – OSMORGANIZAÇÃO, SISTEMAS E MÉTODOS – OSM
ORGANIZAÇÃO, SISTEMAS E MÉTODOS – OSM
Cursos Profissionalizantes
 
Ferramentas da qualidade aula 17-02-15
Ferramentas da qualidade   aula 17-02-15Ferramentas da qualidade   aula 17-02-15
Ferramentas da qualidade aula 17-02-15
Jossiane Araújo
 
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Claudio Bernardi Stringari
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
Tiago Reis
 
Auditoria Contábil
Auditoria Contábil Auditoria Contábil
Auditoria Contábil
Dominus Auditoria
 
Organização da Rotina de Trabalho
Organização da Rotina de TrabalhoOrganização da Rotina de Trabalho
Organização da Rotina de Trabalho
Grupo E. Fabris
 
Avaliação de Desempenho e Feedback
Avaliação de Desempenho e FeedbackAvaliação de Desempenho e Feedback
Avaliação de Desempenho e Feedback
Raquel Dantas
 
Estruturação dos processos de Recursos Humanos através das práticas de BPM
Estruturação dos processos de Recursos Humanos através das práticas de BPMEstruturação dos processos de Recursos Humanos através das práticas de BPM
Estruturação dos processos de Recursos Humanos através das práticas de BPM
Celebroni BPM
 

Mais procurados (20)

Processo administrativo: organização
Processo administrativo: organizaçãoProcesso administrativo: organização
Processo administrativo: organização
 
Exemplo de relatório de auditoria interna
Exemplo de relatório de auditoria internaExemplo de relatório de auditoria interna
Exemplo de relatório de auditoria interna
 
Formação de Auditores Internos
Formação de Auditores InternosFormação de Auditores Internos
Formação de Auditores Internos
 
Aula 01 SGQ - Introdução
Aula 01 SGQ - IntroduçãoAula 01 SGQ - Introdução
Aula 01 SGQ - Introdução
 
Auditoria na Gestão de Pessoas
Auditoria na Gestão de PessoasAuditoria na Gestão de Pessoas
Auditoria na Gestão de Pessoas
 
Auditoria
AuditoriaAuditoria
Auditoria
 
Mapeamento de Processos
Mapeamento de ProcessosMapeamento de Processos
Mapeamento de Processos
 
4.5.5 auditoria interna
4.5.5 auditoria interna4.5.5 auditoria interna
4.5.5 auditoria interna
 
Funções Administrativas
Funções AdministrativasFunções Administrativas
Funções Administrativas
 
Benchmarking: O que é e como fazer
Benchmarking: O que é e como fazerBenchmarking: O que é e como fazer
Benchmarking: O que é e como fazer
 
Pesquisa de Clima Organizacional - Etapas
Pesquisa de Clima Organizacional - EtapasPesquisa de Clima Organizacional - Etapas
Pesquisa de Clima Organizacional - Etapas
 
Modelagem de Processos
Modelagem de ProcessosModelagem de Processos
Modelagem de Processos
 
ORGANIZAÇÃO, SISTEMAS E MÉTODOS – OSM
ORGANIZAÇÃO, SISTEMAS E MÉTODOS – OSMORGANIZAÇÃO, SISTEMAS E MÉTODOS – OSM
ORGANIZAÇÃO, SISTEMAS E MÉTODOS – OSM
 
Ferramentas da qualidade aula 17-02-15
Ferramentas da qualidade   aula 17-02-15Ferramentas da qualidade   aula 17-02-15
Ferramentas da qualidade aula 17-02-15
 
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
 
Auditoria Contábil
Auditoria Contábil Auditoria Contábil
Auditoria Contábil
 
Organização da Rotina de Trabalho
Organização da Rotina de TrabalhoOrganização da Rotina de Trabalho
Organização da Rotina de Trabalho
 
Avaliação de Desempenho e Feedback
Avaliação de Desempenho e FeedbackAvaliação de Desempenho e Feedback
Avaliação de Desempenho e Feedback
 
Estruturação dos processos de Recursos Humanos através das práticas de BPM
Estruturação dos processos de Recursos Humanos através das práticas de BPMEstruturação dos processos de Recursos Humanos através das práticas de BPM
Estruturação dos processos de Recursos Humanos através das práticas de BPM
 

Destaque

Check list auditoria
Check list auditoriaCheck list auditoria
Check list auditoria
Ana Paula Valente Da Silva
 
Check list de preparação para a auditoria interna (3)
Check list de preparação para a auditoria interna (3)Check list de preparação para a auditoria interna (3)
Check list de preparação para a auditoria interna (3)
Amanda Fraga
 
15ª Conferência Anual de Auditoria Interna
15ª Conferência Anual de Auditoria Interna15ª Conferência Anual de Auditoria Interna
15ª Conferência Anual de Auditoria Interna
Melissa Dalla Rosa
 
B. auditoria geral junho 09
B. auditoria geral junho 09B. auditoria geral junho 09
B. auditoria geral junho 09
Wander Gimenez
 
Relatorio auditoria ambiental
Relatorio auditoria ambientalRelatorio auditoria ambiental
Relatorio auditoria ambiental
Consult Ambiente
 
Como Elaborar Um Relatório de Auditoria Interna
Como Elaborar Um Relatório de Auditoria InternaComo Elaborar Um Relatório de Auditoria Interna
Como Elaborar Um Relatório de Auditoria Interna
Marlon de Freitas
 
Check list auditoria
Check list auditoriaCheck list auditoria
Check list auditoria
coliveira1408
 

Destaque (7)

Check list auditoria
Check list auditoriaCheck list auditoria
Check list auditoria
 
Check list de preparação para a auditoria interna (3)
Check list de preparação para a auditoria interna (3)Check list de preparação para a auditoria interna (3)
Check list de preparação para a auditoria interna (3)
 
15ª Conferência Anual de Auditoria Interna
15ª Conferência Anual de Auditoria Interna15ª Conferência Anual de Auditoria Interna
15ª Conferência Anual de Auditoria Interna
 
B. auditoria geral junho 09
B. auditoria geral junho 09B. auditoria geral junho 09
B. auditoria geral junho 09
 
Relatorio auditoria ambiental
Relatorio auditoria ambientalRelatorio auditoria ambiental
Relatorio auditoria ambiental
 
Como Elaborar Um Relatório de Auditoria Interna
Como Elaborar Um Relatório de Auditoria InternaComo Elaborar Um Relatório de Auditoria Interna
Como Elaborar Um Relatório de Auditoria Interna
 
Check list auditoria
Check list auditoriaCheck list auditoria
Check list auditoria
 

Semelhante a Auditoria interna

Auditoria apostila jorge
Auditoria apostila jorgeAuditoria apostila jorge
Auditoria apostila jorge
Thiago De Lima
 
Auditoria – divisão e campo de atuação
Auditoria – divisão e campo de atuaçãoAuditoria – divisão e campo de atuação
Auditoria – divisão e campo de atuação
Prof. Antônio Martins de Almeida Filho
 
O controle interno como ferramenta de tomada de
O controle interno como ferramenta de tomada deO controle interno como ferramenta de tomada de
O controle interno como ferramenta de tomada de
SUERICK BEZERRA ANDRADE
 
Aula 16 auditoria- para lousa
Aula 16  auditoria- para lousaAula 16  auditoria- para lousa
Aula 16 auditoria- para lousa
Greyciane P Dos Santos
 
Material 01 aula_01_auditoria_reg
Material 01 aula_01_auditoria_regMaterial 01 aula_01_auditoria_reg
Material 01 aula_01_auditoria_reg
rodriguessusu
 
Resenha auditoria
Resenha auditoriaResenha auditoria
Resenha auditoria
Michele Sironi Dorneles
 
pratica auditoria
pratica auditoriapratica auditoria
Auditoria
AuditoriaAuditoria
Auditoria interna e o controle interno
Auditoria interna e o controle internoAuditoria interna e o controle interno
Auditoria interna e o controle interno
Universidade Pedagogica
 
Auditoria interna-Apresentacao 1.pptx
Auditoria interna-Apresentacao 1.pptxAuditoria interna-Apresentacao 1.pptx
Auditoria interna-Apresentacao 1.pptx
LdiaJoo
 
Slide Controle Interno
Slide Controle InternoSlide Controle Interno
Slide Controle Interno
guestb719b5
 
Apresentação controles internos setembro_2012
Apresentação controles internos setembro_2012Apresentação controles internos setembro_2012
Apresentação controles internos setembro_2012
Tuffy Filho
 
Normas de Auditoria Interna - TI 01 e PI 01
Normas de Auditoria Interna - TI 01 e PI 01Normas de Auditoria Interna - TI 01 e PI 01
Normas de Auditoria Interna - TI 01 e PI 01
Marlon de Freitas
 
Auditoriateorica
AuditoriateoricaAuditoriateorica
Auditoriateorica
Anderson Silva
 
Auditoria interna vs auditoria externa
Auditoria interna vs auditoria externaAuditoria interna vs auditoria externa
Auditoria interna vs auditoria externa
AnaCabral64
 
Aula 2 2002_12112ffffffffffffff5.pdf
Aula 2     2002_12112ffffffffffffff5.pdfAula 2     2002_12112ffffffffffffff5.pdf
Aula 2 2002_12112ffffffffffffff5.pdf
ArmandoAgostinhoJnio
 
Apostila-controle-interno-e-auditoria-governamental-CGE MG.pdf
Apostila-controle-interno-e-auditoria-governamental-CGE       MG.pdfApostila-controle-interno-e-auditoria-governamental-CGE       MG.pdf
Apostila-controle-interno-e-auditoria-governamental-CGE MG.pdf
mattoso1970
 
Apostila controle-interno-e-auditoria-governamental
Apostila controle-interno-e-auditoria-governamentalApostila controle-interno-e-auditoria-governamental
Apostila controle-interno-e-auditoria-governamental
osatoas
 
Apostila controle-interno-e-auditoria-governamental
Apostila controle-interno-e-auditoria-governamentalApostila controle-interno-e-auditoria-governamental
Apostila controle-interno-e-auditoria-governamental
mattoso1970
 
Slides auditoria crepaldi
Slides auditoria   crepaldiSlides auditoria   crepaldi
Slides auditoria crepaldi
Percione B V Soares
 

Semelhante a Auditoria interna (20)

Auditoria apostila jorge
Auditoria apostila jorgeAuditoria apostila jorge
Auditoria apostila jorge
 
Auditoria – divisão e campo de atuação
Auditoria – divisão e campo de atuaçãoAuditoria – divisão e campo de atuação
Auditoria – divisão e campo de atuação
 
O controle interno como ferramenta de tomada de
O controle interno como ferramenta de tomada deO controle interno como ferramenta de tomada de
O controle interno como ferramenta de tomada de
 
Aula 16 auditoria- para lousa
Aula 16  auditoria- para lousaAula 16  auditoria- para lousa
Aula 16 auditoria- para lousa
 
Material 01 aula_01_auditoria_reg
Material 01 aula_01_auditoria_regMaterial 01 aula_01_auditoria_reg
Material 01 aula_01_auditoria_reg
 
Resenha auditoria
Resenha auditoriaResenha auditoria
Resenha auditoria
 
pratica auditoria
pratica auditoriapratica auditoria
pratica auditoria
 
Auditoria
AuditoriaAuditoria
Auditoria
 
Auditoria interna e o controle interno
Auditoria interna e o controle internoAuditoria interna e o controle interno
Auditoria interna e o controle interno
 
Auditoria interna-Apresentacao 1.pptx
Auditoria interna-Apresentacao 1.pptxAuditoria interna-Apresentacao 1.pptx
Auditoria interna-Apresentacao 1.pptx
 
Slide Controle Interno
Slide Controle InternoSlide Controle Interno
Slide Controle Interno
 
Apresentação controles internos setembro_2012
Apresentação controles internos setembro_2012Apresentação controles internos setembro_2012
Apresentação controles internos setembro_2012
 
Normas de Auditoria Interna - TI 01 e PI 01
Normas de Auditoria Interna - TI 01 e PI 01Normas de Auditoria Interna - TI 01 e PI 01
Normas de Auditoria Interna - TI 01 e PI 01
 
Auditoriateorica
AuditoriateoricaAuditoriateorica
Auditoriateorica
 
Auditoria interna vs auditoria externa
Auditoria interna vs auditoria externaAuditoria interna vs auditoria externa
Auditoria interna vs auditoria externa
 
Aula 2 2002_12112ffffffffffffff5.pdf
Aula 2     2002_12112ffffffffffffff5.pdfAula 2     2002_12112ffffffffffffff5.pdf
Aula 2 2002_12112ffffffffffffff5.pdf
 
Apostila-controle-interno-e-auditoria-governamental-CGE MG.pdf
Apostila-controle-interno-e-auditoria-governamental-CGE       MG.pdfApostila-controle-interno-e-auditoria-governamental-CGE       MG.pdf
Apostila-controle-interno-e-auditoria-governamental-CGE MG.pdf
 
Apostila controle-interno-e-auditoria-governamental
Apostila controle-interno-e-auditoria-governamentalApostila controle-interno-e-auditoria-governamental
Apostila controle-interno-e-auditoria-governamental
 
Apostila controle-interno-e-auditoria-governamental
Apostila controle-interno-e-auditoria-governamentalApostila controle-interno-e-auditoria-governamental
Apostila controle-interno-e-auditoria-governamental
 
Slides auditoria crepaldi
Slides auditoria   crepaldiSlides auditoria   crepaldi
Slides auditoria crepaldi
 

Mais de B&R Consultoria Empresarial

Workshop - Acreditação hospitalar para pequenas e médias unidades de saúde – ...
Workshop - Acreditação hospitalar para pequenas e médias unidades de saúde – ...Workshop - Acreditação hospitalar para pequenas e médias unidades de saúde – ...
Workshop - Acreditação hospitalar para pequenas e médias unidades de saúde – ...
B&R Consultoria Empresarial
 
Capital intelectual o principal ativo de uma empresa familiar
Capital intelectual o principal ativo de uma empresa familiarCapital intelectual o principal ativo de uma empresa familiar
Capital intelectual o principal ativo de uma empresa familiar
B&R Consultoria Empresarial
 
A gastança de dinheiro público
A gastança de dinheiro públicoA gastança de dinheiro público
A gastança de dinheiro público
B&R Consultoria Empresarial
 
Capital intelectual o principal ativo de uma empresa familiar
Capital intelectual o principal ativo de uma empresa familiarCapital intelectual o principal ativo de uma empresa familiar
Capital intelectual o principal ativo de uma empresa familiar
B&R Consultoria Empresarial
 
Inovação
InovaçãoInovação
Gol se prepara para lançar voo para Nigéria em outubro.
Gol se prepara para lançar voo para Nigéria em outubro.Gol se prepara para lançar voo para Nigéria em outubro.
Gol se prepara para lançar voo para Nigéria em outubro.
B&R Consultoria Empresarial
 
A sustentabilidade e a geração y
A sustentabilidade e a geração yA sustentabilidade e a geração y
A sustentabilidade e a geração y
B&R Consultoria Empresarial
 
Shopping center
Shopping centerShopping center
Construção e incorporação
Construção e incorporaçãoConstrução e incorporação
Construção e incorporação
B&R Consultoria Empresarial
 
Estoquesconsiderações
EstoquesconsideraçõesEstoquesconsiderações
Estoquesconsiderações
B&R Consultoria Empresarial
 
Roadmapping
RoadmappingRoadmapping
Novo modelo de aposentadoria
Novo modelo de aposentadoriaNovo modelo de aposentadoria
Novo modelo de aposentadoria
B&R Consultoria Empresarial
 
Ciclo de vida do produto
Ciclo de vida do produtoCiclo de vida do produto
Ciclo de vida do produto
B&R Consultoria Empresarial
 
O perfil do novo gestor
O perfil do novo gestorO perfil do novo gestor
O perfil do novo gestor
B&R Consultoria Empresarial
 
Implantação de Gestão Financeira / Clientes
Implantação de Gestão Financeira / ClientesImplantação de Gestão Financeira / Clientes
Implantação de Gestão Financeira / Clientes
B&R Consultoria Empresarial
 
Franchising
FranchisingFranchising
Hospitalidade
HospitalidadeHospitalidade
Complaciance
ComplacianceComplaciance
Hospital Med 2013
Hospital Med 2013Hospital Med 2013
Hospital Med 2013
B&R Consultoria Empresarial
 
Análise Estratégica
Análise Estratégica Análise Estratégica
Análise Estratégica
B&R Consultoria Empresarial
 

Mais de B&R Consultoria Empresarial (20)

Workshop - Acreditação hospitalar para pequenas e médias unidades de saúde – ...
Workshop - Acreditação hospitalar para pequenas e médias unidades de saúde – ...Workshop - Acreditação hospitalar para pequenas e médias unidades de saúde – ...
Workshop - Acreditação hospitalar para pequenas e médias unidades de saúde – ...
 
Capital intelectual o principal ativo de uma empresa familiar
Capital intelectual o principal ativo de uma empresa familiarCapital intelectual o principal ativo de uma empresa familiar
Capital intelectual o principal ativo de uma empresa familiar
 
A gastança de dinheiro público
A gastança de dinheiro públicoA gastança de dinheiro público
A gastança de dinheiro público
 
Capital intelectual o principal ativo de uma empresa familiar
Capital intelectual o principal ativo de uma empresa familiarCapital intelectual o principal ativo de uma empresa familiar
Capital intelectual o principal ativo de uma empresa familiar
 
Inovação
InovaçãoInovação
Inovação
 
Gol se prepara para lançar voo para Nigéria em outubro.
Gol se prepara para lançar voo para Nigéria em outubro.Gol se prepara para lançar voo para Nigéria em outubro.
Gol se prepara para lançar voo para Nigéria em outubro.
 
A sustentabilidade e a geração y
A sustentabilidade e a geração yA sustentabilidade e a geração y
A sustentabilidade e a geração y
 
Shopping center
Shopping centerShopping center
Shopping center
 
Construção e incorporação
Construção e incorporaçãoConstrução e incorporação
Construção e incorporação
 
Estoquesconsiderações
EstoquesconsideraçõesEstoquesconsiderações
Estoquesconsiderações
 
Roadmapping
RoadmappingRoadmapping
Roadmapping
 
Novo modelo de aposentadoria
Novo modelo de aposentadoriaNovo modelo de aposentadoria
Novo modelo de aposentadoria
 
Ciclo de vida do produto
Ciclo de vida do produtoCiclo de vida do produto
Ciclo de vida do produto
 
O perfil do novo gestor
O perfil do novo gestorO perfil do novo gestor
O perfil do novo gestor
 
Implantação de Gestão Financeira / Clientes
Implantação de Gestão Financeira / ClientesImplantação de Gestão Financeira / Clientes
Implantação de Gestão Financeira / Clientes
 
Franchising
FranchisingFranchising
Franchising
 
Hospitalidade
HospitalidadeHospitalidade
Hospitalidade
 
Complaciance
ComplacianceComplaciance
Complaciance
 
Hospital Med 2013
Hospital Med 2013Hospital Med 2013
Hospital Med 2013
 
Análise Estratégica
Análise Estratégica Análise Estratégica
Análise Estratégica
 

Auditoria interna

  • 1. AUDITORIA INTERNA Podemos conceituar auditoria interna como um controle gerencial que funciona por meio de medição e avaliação da eficiência e eficácia de outros controles. Deve ser entendida como uma atividade de assessoramento à administração quanto ao desempenho das atribuições definidas para cada área da empresa, mediante as diretrizes políticas e objetivos por aquela determinados. A auditoria interna cumpre um papel fundamental na empresa: subsidia o administrador com dados e informações tecnicamente elaborados, relativos às atividades para cujo acompanhamento e supervisão este não tem condições de realizar; e ela o faz mediante o exame da: a) adequação e eficácia dos controles; b) integridade e confiabilidade das informações e registros; c) integridade e confiabilidade dos sistemas estabelecidos para assegurar a observância das políticas, metas, planos, procedimentos, leis, normas e regulamentos, e da sua efetiva aplicação pela empresa; d) eficiência, eficácia e economicidade do desempenho e da utilização dos recursos; dos procedimentos e métodos para salvaguarda dos ativos e a comprovação de sua existência, assim como a exatidão dos ativos e passivos; e e) compatibilidade das operações e programas com os objetivos, planos e meios de execução estabelecidos. AMBIENTE DE ATUAÇÃO DA AUDITORIA INTERNA Não deve haver limitação, no âmbito da empresa, para atuação da auditoria interna. O auditor interno deve ter acesso a todas as áreas e informações, terreno no qual e para o qual desenvolverá seu trabalho. Naquelas áreas cuja tecnologia desconhece, no todo ou em parte, deve ele assessorar-se de profissionais habilitados, a fim de entender o processo, para poder avaliá-lo e julgá-lo, possibilitando, assim, que seu relatório seja emitido corretamente. Podemos exemplificar esta condição com referência a um trabalho desenvolvido numa área de Produção. Neste caso, o auditor interno se assessorará de um engenheiro, qualificado tecnicamente para, quando solicitado e autorizado pela Diretoria, julgar determinada operação ou opinar sobre ela. Deve, ainda, prestar total apoio ao Conselho de Administração e ao Conselho Fiscal da entidade, bem como, se em empresa estatal, coordenar e controlar o atendimento ao Tribunal de Contas e aos órgãos de Controle Interno. Av. Visconde de Albuquerque, 603 - Madalena - Recife - PE CEP: 50610-090 Fone: (81) 3227-1699 | www.berconsultoria.com.br
  • 2. Os sistemas de controle não se limitam às áreas contábil e financeira, mas englobam os planos da organização e todos os métodos usados para proteger seus ativos, verificar a exatidão e fidedignidade de suas informações contábeis, financeiras, administrativas e operacionais, e promover a eficiência e eficácia operacional, bem como estimular a observância de normas e diretrizes daadministração, inclusive no âmbito das empresas controladas e coligadas. A função básica da auditoria interna, de assegurar o sistema de controle interno eficaz, não desobriga os executivos das responsabilidades de verificação e controle nos seus respectivos setores. Av. Visconde de Albuquerque, 603 - Madalena - Recife - PE CEP: 50610-090 Fone: (81) 3227-1699 | www.berconsultoria.com.br