SlideShare uma empresa Scribd logo
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.Moore Stephens Prisma PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NORMAS DE AUDITORIA
NBC TA 500
Evidência de Auditoria
Outubro de 2012
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
EVIDÊNCIA
DE
AUDITORIA
NBC TA 500
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
SUMÁRIO
• INTRODUÇÃO
• OBJETIVO
• DEFINIÇÕES
• REQUISITOS
• APLICAÇÃO E OUTROS
• MATERIAIS EXPLICATIVOS
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
Esta Norma deve ser lida em conjunto
com a NBC TA 200.
INTRODUÇÃO:
Esta Norma define o que constitui evidência de auditoria em uma
auditoria de demonstrações contábeis e trata da responsabilidade
do auditor na definição e execução de procedimentos de auditoria
para a obtenção de evidência de auditoria apropriada e suficiente
que permita a obtenção de conclusões razoáveis para fundamentar
a opinião do auditor.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
OBJETIVO
O objetivo do auditor é definir e executar procedimentos de
auditoria que permitam a consecução de evidência adequada
(qualidade) e suficiente (quantidade) que lhe possibilite obter
conclusões razoáveis para fundamentar sua opinião. Uma
evidência é considerada adequada quando for relevante e
confiável para suportar a opinião do auditor.
A suficiência está relacionada com a quantidade de evidência
necessária para suportar essa opinião e é afetada pela avaliação
do auditor dos riscos de distorção relevante e também pela
qualidade dessa evidência.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
DEFINIÇÕES
Distorção é a diferença entre o valor, a classificação, a
apresentação ou a divulgação de uma demonstração contábil
relatada e o valor, a classificação, a apresentação ou a divulgação
que é exigida para que o item esteja de acordo com a estrutura de
relatório financeiro aplicável. As distorções podem originar-se de
erro ou fraude.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
DEFINIÇÕES
Risco de distorção relevante é o risco de que as demonstrações
contábeis contenham distorção relevante antes da auditoria (NBC
TA 200).
Consiste em dois componentes, descritos a seguir no nível das
afirmações:
(i) risco inerente;
(ii) risco de controle.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
DEFINIÇÕES (NBC TA 200)
(i) risco inerente é a suscetibilidade de uma afirmação a respeito
de uma transação, saldo contábil ou divulgação, a uma distorção
que possa ser relevante, individualmente ou em conjunto com
outras distorções, antes da consideração de quaisquer controles
relacionados;
(ii) risco de controle é o risco de que uma distorção que possa
ocorrer em uma afirmação sobre uma classe de transação, saldo
contábil ou divulgação e que possa ser relevante, individualmente
ou em conjunto com outras distorções, não seja prevenida,
detectada e corrigida tempestivamente pelo controle interno da
entidade.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
DEFINIÇÕES
Evidência de auditoria compreende as informações, incluindo as
contidas nos registros que suportam as demonstrações contábeis
e outras, utilizadas pelo auditor para fundamentar sua opinião
com o menor grau de risco de auditoria possível.
Risco de auditoria é o risco de que o auditor expresse uma
opinião não apropriada quando as demonstrações contábeis
apresentam Distorção relevante.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
QUALIDADE DA EVIDÊNCIA
A qualidade de toda evidência de auditoria é afetada pela
relevância e confiabilidade das informações em que ela se baseia.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
RELEVÂNCIA
A relevância trata da relação lógica ou da influência sobre a
finalidade do procedimento e a matéria sob auditoria e pode ser
afetada pelo direcionamento do teste
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
RELEVÂNCIA – EXEMPLO
Se a finalidade de um procedimento é verificar se há
superavaliação na existência ou valorização das contas a pagar,
testar as contas a pagar registradas pode ser um procedimento
relevante. Por outro lado, para testar se há subavaliação na
existência ou valorização das contas a pagar, testar as contas a
pagar registradas não seria relevante, mas testar informações
como desembolsos subsequentes, faturas não pagas, faturas de
fornecedores e exceções apontadas nos relatórios de recebimento
de mercadorias podem ser relevantes.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
CONFIABILIDADE DAS INFORMAÇÕES
A confiabilidade das informações é influenciada pela sua fonte e
sua natureza, e as circunstâncias nas quais são obtidas, incluindo
os controles sobre sua elaboração e manutenção, quando
relevante. Embora possam existir exceções, generalizações sobre
a confiabilidade da evidência de auditoria podem ser úteis.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
Assim, a evidência:
 é mais confiável quando obtida de fontes independentes;
 gerada internamente é mais confiável quando os controles
internos relacionados são efetivos;
 obtida diretamente pelo auditor é mais confiável do que a
obtida indiretamente ou por inferência;
 em forma de documentos é mais confiável do que a evidência
obtida verbalmente;
 fornecida por documentos originais é mais confiável do que a
fornecida por fotocópias ou fac-símiles ou por documentos
que foram filmados,digitalizados ou transpostos de outra
maneira para forma eletrônica.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
EVIDÊNCIAS COM A UTILIZAÇÃO DE UM ESPECIALISTA
Quando as evidências forem obtidas com a utilização de um
especialista, o auditor deve, em relação a esse profissional:
(a) avaliar a competência, habilidades e objetividade;
(b) obter entendimento do trabalho e
(c) avaliar a adequação do trabalho.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
UTILIZAÇÃO DE UM ESPECIALISTA
Quando a utilização de especialistas (cálculos atuariais, avaliações
ou dados de engenharia, entre outros), a natureza, época e
extensão dos procedimentos de auditoria podem ser afetados por
assuntos como:
 natureza e complexidade do assunto relacionado ao
especialista;
 riscos de distorção relevante no assunto;
 disponibilidade de fontes alternativas de evidência;
 natureza, alcance e objetivos do trabalho do especialista;
 se o especialista é empregado pela entidade ou é contratado;
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
UTILIZAÇÃO DE UM ESPECIALISTA - continuação
 extensão em que a administração pode exercer controle ou
influência sobre o trabalho do especialista;
 se o especialista está sujeito a padrões de desempenho técnico
ou outras exigências profissionais;
 natureza e extensão de controles dentro da entidade sobre o
trabalho do especialista;
 conhecimento e experiência do auditor sobre a área de
atuação do especialista;
 experiência prévia do auditor com o trabalho desse
especialista.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
A competência, habilidades e objetividade de um especialista
podem ser constatadas a partir de:
 experiência pessoal com trabalho anterior;
 discussões com o especialista;
 discussões com outros que estejam familiarizados com o
trabalho desse especialista;
 conhecimento das qualificações desse especialista;
 dissertações publicadas ou livros escritos por esse especialista;
 um especialista do auditor, se aplicável, que o auxilie na
obtenção de evidência referente às informações apresentadas
pelo especialista da administração.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
PROCEDIMENTOS PARA SE OBTER EVIDÊNCIA
Como exigido e explicado adicionalmente pela NBC TA 315 –
identificação/avaliação riscos e pela NBC TA 330 – Resposta aos
riscos, a evidência de auditoria é conseguida pela execução de:
 procedimentos de avaliação de riscos; e
 procedimentos adicionais de auditoria, que abrangem:
(a) testes de controles, quando exigidos pelas normas de
auditoria ou definidos pelo auditor; e
(b) procedimentos substantivos, inclusive testes de detalhes e
procedimentos analíticos substantivos.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
TESTES DE CONTROLE
Os testes de controle são definidos para avaliar a eficácia
operacional dos controles na prevenção, detecção e correção de
distorções relevantes. Os procedimentos são definidos para
detectar distorções relevantes. A definição de procedimentos
substantivos inclui a identificação de condições relevantes para o
propósito do teste que constituem distorção na afirmação
relevante.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
PROCEDIMENTOS PARA OBTENÇÃO DE EVIDENCIAS
Os procedimentos de auditoria para obter evidência a seguir
elencados podem ser utilizados, de forma isolada ou conjunta,
como procedimentos de avaliação de riscos, testes de controles
ou procedimentos substantivos, dependendo do contexto:
(a) inspeção, (b)observação, (c) confirmação, (d) recálculo, (e)
reexecução, (f) indagação(entrevista) e (g)procedimentos
analíticos.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
PROCEDIMENTOS PARA OBTENÇÃO DE EVIDENCIAS
(a) Inspeção: é o exame de registros ou documentos, internos ou
externos, em qualquer meio, ou o exame físico de um ativo. Por
exemplo, a inspeção de itens do estoque, que pode acompanhar a
observação da contagem do estoque.
b) Observação: é o exame do processo ou procedimento
executado no momento da sua execução. Por exemplo, a
observação pelo auditor da contagem do estoque ou da execução
de atividades de controle.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
PROCEDIMENTOS PARA OBTENÇÃO DE EVIDENCIAS
(c) Confirmação: é obtida pelo auditor como resposta escrita de
terceiro (a parte que confirma) ao auditor, em qualquer meio.
Não se restringe apenas a saldos contábeis. Por exemplo, o
auditor pode solicitar confirmação de termos de contratos ou
transações com terceiros ou sobre a ausência de acordo paralelo
(side agreement).
(d) Recálculo: realizado manual ou eletronicamente, consiste na
verificação da exatidão matemática de documentos ou registros.
Também é denominado de conferência de cálculo.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
PROCEDIMENTOS PARA OBTENÇÃO DE EVIDENCIAS
(e) Reexecução: envolve a execução independente pelo auditor
de procedimentos ou controles que foram originalmente
realizados como parte do controle interno da entidade.
(g) Indagação: consiste na busca de informações junto a pessoas
com conhecimento, financeiro e não financeiro, dentro ou fora da
entidade. Embora possa fornecer importante evidência de
auditoria e possa produzir evidência de distorção, sozinha,
geralmente não fornece evidência de auditoria suficiente da
ausência de distorção relevante no nível da afirmação nem da
eficácia operacional dos controles.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
PROCEDIMENTOS PARA OBTENÇÃO DE EVIDENCIAS
(f) Procedimentos analíticos: consistem em avaliação das
informações feitas por meio de estudo das relações plausíveis
entre dados financeiros e não financeiros. Os procedimentos
analíticos incluem também a investigação de flutuações e
relações identificadas que sejam inconsistentes com outras
informações relevantes ou que se desviem significativamente dos
valores previstos.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
MEIOS PARA SELEÇÃO DE ITENS A SEREM TESTADOS
Os meios à disposição do auditor para a seleção de itens a serem
testados nos quais serão aplicados os procedimentos descritos
são:
(a) Seleção de todos os itens;
(b) Seleção de itens específicos;
(c) Amostragem.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
MEIOS PARA SELEÇÃO DE ITENS A SEREM TESTADOS
(a) Seleção de todos os itens, sendo mais comum para testes de
detalhes, um exame de 100% pode ser apropriado quando, por
exemplo: (a) a população constitui um número pequeno de itens
de grande valor; (b) há um risco significativo e outros meios não
fornecem evidência; ou (c) a natureza repetitiva de um cálculo ou
outro processo executado automaticamente por sistema de
informação torna um exame de 100%eficiente quanto aos custos.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
MEIOS PARA SELEÇÃO DE ITENS A SEREM TESTADOS
(b) Seleção de itens específicos, que não constitui amostragem
em auditoria, depende do entendimento da entidade pelo
auditor, dos riscos avaliados de distorção relevante e das
características da população que está sendo testada. Os itens
específicos selecionados podem incluir: valor alto ou itens-chave;
todos os itens acima de certo valor; e itens para obtenção de
informação.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
MEIOS PARA SELEÇÃO DE ITENS A SEREM TESTADOS
(c) Amostragem, que se destina a possibilitar conclusões a serem
tiradas de uma população inteira com base no teste de um
extrato dela obtido.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
INCONSISTÊNCIA OU DÚVIDAS QUANTO À CONFIABILIDADE DA
EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
A obtenção de evidência de auditoria de fontes diferentes ou de
natureza diferente pode indicar que um item individual da
evidência de auditoria não é confiável, como quando a evidência
de auditoria obtida em uma fonte é incompatível com a evidência
obtida em outra.
A NBC TA 230 (trata da responsabilidade do auditor na elaboração
da documentação de auditoria), item 11, inclui uma exigência de
documentação específica se o auditor identificou informação que
seja incompatível com a conclusão final do auditor referente a um
assunto significativo.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
INCONSISTÊNCIA OU DÚVIDAS QUANTO À CONFIABILIDADE DA
EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
NBC TA 230
Natureza e finalidade da documentação de auditoria
2. A documentação de auditoria, que atende às exigências desta
Norma e às exigências específicas de documentação de
outras normas de auditoria relevantes, fornece:
(a) evidência da base do auditor para uma conclusão quanto ao
cumprimento do objetivo global do auditor (NBC TA 200); e
(b) evidência de que a auditoria foi planejada e executada em
conformidade com as normas de auditoria e exigências legais
e regulamentares aplicáveis.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
NBC TA 230
....
11. Se o auditor identificou informações referentes a um assunto
significativo que são inconsistentes com a sua conclusão final,
ele deve documentar como tratou essa inconsistência (ver
item A15).
......
A15. A exigência de documentar como o auditor tratou
inconsistência nas informações não implica que o auditor
necessite reter documentação que esteja incorreta ou
superada.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES (EXEMPLO)
...........................................
Responsabilidade dos auditores independentes
Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas
demonstrações contábeis com base em nossa auditoria,
conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais
de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de
exigências éticas pelos auditores e que a auditoria seja planejada
e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que
as demonstrações contábeis estão livres de distorção relevante.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
Responsabilidade dos auditores independentes (EXEMPLO)
Uma auditoria envolve a execução de procedimentos
selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores e
divulgações apresentados nas demonstrações contábeis. Os
procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor
incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante nas
demonstrações contábeis, independentemente se causada por
fraude ou erro.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
Responsabilidade dos auditores independentes
Nessas avaliações de risco, o auditor considera os controles
internos relevantes para a elaboração e adequada apresentação
das demonstrações contábeis da Entidade para planejar
procedimentos de auditoria que são apropriados nas
circunstâncias. Uma auditoria inclui, também, a avaliação da
adequação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das
estimativas contábeis feitas pela administração, bem como a
avaliação da apresentação das demonstrações contábeis tomadas
em conjunto.
Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e
apropriada para fundamentar nossa opinião.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
Conforme a NBC 200:
O objetivo da auditoria é aumentar o grau de confiança nas
demonstrações contábeis por parte dos usuários.
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
DÚVIDAS SOBRE O TEMA:
NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.
A Moore Stephens é uma das maiores redes de auditoria, consultoria e outsourcing
contábil do mundo. A empresa é formada por aproximadamente 630 escritórios e está
presente em mais de 100 países. Está entre as 12 maiores posições no ranking mundial,
com faturamento anual de mais de US$ 2 bilhões.
A Moore Stephens Auditores e Consultores presta serviços em auditoria, consultoria
tributária e empresarial, tecnologia de informação, outsourcing de serviços contábeis,
tributários e administrativos, e corporate finance. Há ainda determinadas divisões, com
estruturas próprias, criadas para atendimento de interesses específicos, como a Divisão
de Auditoria Interna e a Divisão de Small Business, entre outras.
Fale com a Moore Stephens: mscorp@msbrasil.com.br
Siga-nos na internet e nas redes sociais:
Homepage: www.msbrasil.com.br
Facebook: http://www.facebook.com/moorestephensbr
Twitter: http://twitter.com/#!/moorestephensbr
Linkedin:http://www.linkedin.com/companies/moore-stephens-brasil
Blog: http://msbrasil.com.br/blog/
SlideShare: http://www.slideshare.net/moorestephensb
Youtube: http://www.youtube.com/moorestephensbr
SOBRE A
MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Procedimentos de auditoria amostragem 2016
Procedimentos de auditoria  amostragem 2016Procedimentos de auditoria  amostragem 2016
Procedimentos de auditoria amostragem 2016
Universidade Federal de Viçosa
 
Aula 19 - 13. Relatórios de Auditoria
Aula 19 - 13. Relatórios de AuditoriaAula 19 - 13. Relatórios de Auditoria
Aula 19 - 13. Relatórios de Auditoria
Secretaria de Estado da Tributação do RN
 
Auditoria Contábil
Auditoria Contábil Auditoria Contábil
Auditoria Contábil
Dominus Auditoria
 
Aula 17 - 11. Papéis de Trabalho
Aula 17 - 11. Papéis de TrabalhoAula 17 - 11. Papéis de Trabalho
Aula 17 - 11. Papéis de Trabalho
Secretaria de Estado da Tributação do RN
 
Auditoria disponibilidades
Auditoria disponibilidadesAuditoria disponibilidades
Auditoria disponibilidades
Claudia Marinho
 
Nbc ta auditoria
Nbc ta auditoriaNbc ta auditoria
Nbc ta auditoria
Eronaldo Varges
 
Aula 14 - 9 Normas de Auditoria
Aula 14 - 9 Normas de AuditoriaAula 14 - 9 Normas de Auditoria
Aula 14 - 9 Normas de Auditoria
Secretaria de Estado da Tributação do RN
 
Como Elaborar Um Relatório de Auditoria Interna
Como Elaborar Um Relatório de Auditoria InternaComo Elaborar Um Relatório de Auditoria Interna
Como Elaborar Um Relatório de Auditoria Interna
Marlon de Freitas
 
Auditoria
AuditoriaAuditoria
Auditoria
Karenn Paty
 
Aulas 7 e 8 - 6 Auditoria: Controle Interno
Aulas 7 e 8 -  6 Auditoria: Controle InternoAulas 7 e 8 -  6 Auditoria: Controle Interno
Aulas 7 e 8 - 6 Auditoria: Controle Interno
Secretaria de Estado da Tributação do RN
 
Aula 18 - 12 Programas de Auditoria
Aula 18 - 12 Programas de AuditoriaAula 18 - 12 Programas de Auditoria
Aula 18 - 12 Programas de Auditoria
Secretaria de Estado da Tributação do RN
 
Auditoria interna
Auditoria internaAuditoria interna
Auditoria interna
Gilson Sena
 
Aula 5 - 4 Auditoria Interna
Aula 5 - 4 Auditoria InternaAula 5 - 4 Auditoria Interna
Aula 5 - 4 Auditoria Interna
Secretaria de Estado da Tributação do RN
 
Auditoria financeira passo a passo para realizá-la na sua empresa
Auditoria financeira passo a passo para realizá-la na sua empresaAuditoria financeira passo a passo para realizá-la na sua empresa
Auditoria financeira passo a passo para realizá-la na sua empresa
Marlon de Freitas
 
Exercícios de Auditoria - Gabaritos
Exercícios de Auditoria - GabaritosExercícios de Auditoria - Gabaritos
Exercícios de Auditoria - Gabaritos
GJ MARKETING DIGITAL
 
18 - NBC TA 240 – Fraudes
18 - NBC TA 240 – Fraudes18 - NBC TA 240 – Fraudes
18 - NBC TA 240 – Fraudes
Moore Stephens Brasil
 
Plano De Auditoria Tipo
Plano De Auditoria TipoPlano De Auditoria Tipo
Plano De Auditoria Tipo
instituto monitor
 
Técnicas E Procedimentos De Auditoria
Técnicas E Procedimentos De AuditoriaTécnicas E Procedimentos De Auditoria
Técnicas E Procedimentos De Auditoria
Marlon de Freitas
 
Auditoria contábil - situações práticas
Auditoria contábil - situações práticasAuditoria contábil - situações práticas
Auditoria contábil - situações práticas
Karla Carioca
 
Auditoria Contábil
Auditoria ContábilAuditoria Contábil
Auditoria Contábil
Antonio Quirino
 

Mais procurados (20)

Procedimentos de auditoria amostragem 2016
Procedimentos de auditoria  amostragem 2016Procedimentos de auditoria  amostragem 2016
Procedimentos de auditoria amostragem 2016
 
Aula 19 - 13. Relatórios de Auditoria
Aula 19 - 13. Relatórios de AuditoriaAula 19 - 13. Relatórios de Auditoria
Aula 19 - 13. Relatórios de Auditoria
 
Auditoria Contábil
Auditoria Contábil Auditoria Contábil
Auditoria Contábil
 
Aula 17 - 11. Papéis de Trabalho
Aula 17 - 11. Papéis de TrabalhoAula 17 - 11. Papéis de Trabalho
Aula 17 - 11. Papéis de Trabalho
 
Auditoria disponibilidades
Auditoria disponibilidadesAuditoria disponibilidades
Auditoria disponibilidades
 
Nbc ta auditoria
Nbc ta auditoriaNbc ta auditoria
Nbc ta auditoria
 
Aula 14 - 9 Normas de Auditoria
Aula 14 - 9 Normas de AuditoriaAula 14 - 9 Normas de Auditoria
Aula 14 - 9 Normas de Auditoria
 
Como Elaborar Um Relatório de Auditoria Interna
Como Elaborar Um Relatório de Auditoria InternaComo Elaborar Um Relatório de Auditoria Interna
Como Elaborar Um Relatório de Auditoria Interna
 
Auditoria
AuditoriaAuditoria
Auditoria
 
Aulas 7 e 8 - 6 Auditoria: Controle Interno
Aulas 7 e 8 -  6 Auditoria: Controle InternoAulas 7 e 8 -  6 Auditoria: Controle Interno
Aulas 7 e 8 - 6 Auditoria: Controle Interno
 
Aula 18 - 12 Programas de Auditoria
Aula 18 - 12 Programas de AuditoriaAula 18 - 12 Programas de Auditoria
Aula 18 - 12 Programas de Auditoria
 
Auditoria interna
Auditoria internaAuditoria interna
Auditoria interna
 
Aula 5 - 4 Auditoria Interna
Aula 5 - 4 Auditoria InternaAula 5 - 4 Auditoria Interna
Aula 5 - 4 Auditoria Interna
 
Auditoria financeira passo a passo para realizá-la na sua empresa
Auditoria financeira passo a passo para realizá-la na sua empresaAuditoria financeira passo a passo para realizá-la na sua empresa
Auditoria financeira passo a passo para realizá-la na sua empresa
 
Exercícios de Auditoria - Gabaritos
Exercícios de Auditoria - GabaritosExercícios de Auditoria - Gabaritos
Exercícios de Auditoria - Gabaritos
 
18 - NBC TA 240 – Fraudes
18 - NBC TA 240 – Fraudes18 - NBC TA 240 – Fraudes
18 - NBC TA 240 – Fraudes
 
Plano De Auditoria Tipo
Plano De Auditoria TipoPlano De Auditoria Tipo
Plano De Auditoria Tipo
 
Técnicas E Procedimentos De Auditoria
Técnicas E Procedimentos De AuditoriaTécnicas E Procedimentos De Auditoria
Técnicas E Procedimentos De Auditoria
 
Auditoria contábil - situações práticas
Auditoria contábil - situações práticasAuditoria contábil - situações práticas
Auditoria contábil - situações práticas
 
Auditoria Contábil
Auditoria ContábilAuditoria Contábil
Auditoria Contábil
 

Destaque

16 - NBC TA 520 Marcelo - Procedimentos Analíticos
16 - NBC TA 520 Marcelo - Procedimentos Analíticos16 - NBC TA 520 Marcelo - Procedimentos Analíticos
16 - NBC TA 520 Marcelo - Procedimentos Analíticos
Moore Stephens Brasil
 
Papéis de trabalho do auditor
Papéis de trabalho do auditorPapéis de trabalho do auditor
Papéis de trabalho do auditor
Universidade Pedagogica
 
Dicionário de Auditoria
Dicionário de AuditoriaDicionário de Auditoria
Dicionário de Auditoria
Superprovas Software
 
CPC 05 (R1) - Divulgação por Partes Relacionadas
CPC 05 (R1) - Divulgação por Partes RelacionadasCPC 05 (R1) - Divulgação por Partes Relacionadas
CPC 05 (R1) - Divulgação por Partes Relacionadas
Moore Stephens Brasil
 
NBC TA 320 - Materialidade no Planejamento e na Execução de Auditoria
NBC TA 320 - Materialidade no Planejamento e na Execução de AuditoriaNBC TA 320 - Materialidade no Planejamento e na Execução de Auditoria
NBC TA 320 - Materialidade no Planejamento e na Execução de Auditoria
Moore Stephens Brasil
 
Procedimentos analiticos de auditoria
Procedimentos analiticos de auditoriaProcedimentos analiticos de auditoria
Procedimentos analiticos de auditoria
Universidade Pedagogica
 
Teste substantivos as demonstrações financeiras
Teste substantivos as demonstrações financeirasTeste substantivos as demonstrações financeiras
Teste substantivos as demonstrações financeiras
Universidade Pedagogica
 
Revista Moore Stephens - Verbos que fazem a qualidade na prática
Revista Moore Stephens - Verbos que fazem a qualidade na práticaRevista Moore Stephens - Verbos que fazem a qualidade na prática
Revista Moore Stephens - Verbos que fazem a qualidade na prática
Moore Stephens Brasil
 
Folder sobre Cadastro do Segurado Especial
Folder sobre Cadastro do Segurado EspecialFolder sobre Cadastro do Segurado Especial
Folder sobre Cadastro do Segurado Especial
FETAEP
 
Auditoria por ahmed_sameer
Auditoria por ahmed_sameerAuditoria por ahmed_sameer
Auditoria por ahmed_sameer
Cornélio Khim Come
 
Governança corporativa trabalho_conclusão_mba_2006
Governança corporativa trabalho_conclusão_mba_2006Governança corporativa trabalho_conclusão_mba_2006
Governança corporativa trabalho_conclusão_mba_2006
Sergio Bonfantti
 
Curso Segurança e Saúde no Trabalho para Concurso AFT
Curso Segurança e Saúde no Trabalho para Concurso AFTCurso Segurança e Saúde no Trabalho para Concurso AFT
Curso Segurança e Saúde no Trabalho para Concurso AFT
Estratégia Concursos
 
NBC TR 2410 - Revisão de Informações Intermediárias Executada pelo Auditor
NBC TR 2410 - Revisão de Informações Intermediárias Executada pelo AuditorNBC TR 2410 - Revisão de Informações Intermediárias Executada pelo Auditor
NBC TR 2410 - Revisão de Informações Intermediárias Executada pelo Auditor
Moore Stephens Brasil
 
Contabilidade Geral e Auditoria Completa - MTE
Contabilidade Geral e Auditoria Completa - MTEContabilidade Geral e Auditoria Completa - MTE
Contabilidade Geral e Auditoria Completa - MTE
Neon Online
 
Contabilidade i resumo 00
Contabilidade i   resumo 00Contabilidade i   resumo 00
Contabilidade i resumo 00
geral contabil
 
Noções de Contabilidade Geral p/ Oficial de Chancelaria do MRE
Noções de Contabilidade Geral p/ Oficial de Chancelaria do MRENoções de Contabilidade Geral p/ Oficial de Chancelaria do MRE
Noções de Contabilidade Geral p/ Oficial de Chancelaria do MRE
Estratégia Concursos
 
Partes relacionadas
Partes relacionadasPartes relacionadas
Partes relacionadas
Anna Beatriz
 
CPC 12 - Ajuste a Valor Presente
CPC 12 - Ajuste a Valor PresenteCPC 12 - Ajuste a Valor Presente
CPC 12 - Ajuste a Valor Presente
Moore Stephens Brasil
 

Destaque (18)

16 - NBC TA 520 Marcelo - Procedimentos Analíticos
16 - NBC TA 520 Marcelo - Procedimentos Analíticos16 - NBC TA 520 Marcelo - Procedimentos Analíticos
16 - NBC TA 520 Marcelo - Procedimentos Analíticos
 
Papéis de trabalho do auditor
Papéis de trabalho do auditorPapéis de trabalho do auditor
Papéis de trabalho do auditor
 
Dicionário de Auditoria
Dicionário de AuditoriaDicionário de Auditoria
Dicionário de Auditoria
 
CPC 05 (R1) - Divulgação por Partes Relacionadas
CPC 05 (R1) - Divulgação por Partes RelacionadasCPC 05 (R1) - Divulgação por Partes Relacionadas
CPC 05 (R1) - Divulgação por Partes Relacionadas
 
NBC TA 320 - Materialidade no Planejamento e na Execução de Auditoria
NBC TA 320 - Materialidade no Planejamento e na Execução de AuditoriaNBC TA 320 - Materialidade no Planejamento e na Execução de Auditoria
NBC TA 320 - Materialidade no Planejamento e na Execução de Auditoria
 
Procedimentos analiticos de auditoria
Procedimentos analiticos de auditoriaProcedimentos analiticos de auditoria
Procedimentos analiticos de auditoria
 
Teste substantivos as demonstrações financeiras
Teste substantivos as demonstrações financeirasTeste substantivos as demonstrações financeiras
Teste substantivos as demonstrações financeiras
 
Revista Moore Stephens - Verbos que fazem a qualidade na prática
Revista Moore Stephens - Verbos que fazem a qualidade na práticaRevista Moore Stephens - Verbos que fazem a qualidade na prática
Revista Moore Stephens - Verbos que fazem a qualidade na prática
 
Folder sobre Cadastro do Segurado Especial
Folder sobre Cadastro do Segurado EspecialFolder sobre Cadastro do Segurado Especial
Folder sobre Cadastro do Segurado Especial
 
Auditoria por ahmed_sameer
Auditoria por ahmed_sameerAuditoria por ahmed_sameer
Auditoria por ahmed_sameer
 
Governança corporativa trabalho_conclusão_mba_2006
Governança corporativa trabalho_conclusão_mba_2006Governança corporativa trabalho_conclusão_mba_2006
Governança corporativa trabalho_conclusão_mba_2006
 
Curso Segurança e Saúde no Trabalho para Concurso AFT
Curso Segurança e Saúde no Trabalho para Concurso AFTCurso Segurança e Saúde no Trabalho para Concurso AFT
Curso Segurança e Saúde no Trabalho para Concurso AFT
 
NBC TR 2410 - Revisão de Informações Intermediárias Executada pelo Auditor
NBC TR 2410 - Revisão de Informações Intermediárias Executada pelo AuditorNBC TR 2410 - Revisão de Informações Intermediárias Executada pelo Auditor
NBC TR 2410 - Revisão de Informações Intermediárias Executada pelo Auditor
 
Contabilidade Geral e Auditoria Completa - MTE
Contabilidade Geral e Auditoria Completa - MTEContabilidade Geral e Auditoria Completa - MTE
Contabilidade Geral e Auditoria Completa - MTE
 
Contabilidade i resumo 00
Contabilidade i   resumo 00Contabilidade i   resumo 00
Contabilidade i resumo 00
 
Noções de Contabilidade Geral p/ Oficial de Chancelaria do MRE
Noções de Contabilidade Geral p/ Oficial de Chancelaria do MRENoções de Contabilidade Geral p/ Oficial de Chancelaria do MRE
Noções de Contabilidade Geral p/ Oficial de Chancelaria do MRE
 
Partes relacionadas
Partes relacionadasPartes relacionadas
Partes relacionadas
 
CPC 12 - Ajuste a Valor Presente
CPC 12 - Ajuste a Valor PresenteCPC 12 - Ajuste a Valor Presente
CPC 12 - Ajuste a Valor Presente
 

Semelhante a 12 - NBC TA 500 - Evidência de Auditoria

Como fazer uma_boa_auditoria
Como fazer uma_boa_auditoriaComo fazer uma_boa_auditoria
Como fazer uma_boa_auditoria
Oicram Santos
 
Como_fazer_uma_boa_auditoria.ppt
Como_fazer_uma_boa_auditoria.pptComo_fazer_uma_boa_auditoria.ppt
Como_fazer_uma_boa_auditoria.ppt
sandra468841
 
Trabalhos de Revisão de Demonstrações Contábeis
Trabalhos de Revisão de Demonstrações ContábeisTrabalhos de Revisão de Demonstrações Contábeis
Trabalhos de Revisão de Demonstrações Contábeis
Moore Stephens Brasil
 
Psq 00x auditorias-internas_modelo_v00
Psq 00x auditorias-internas_modelo_v00Psq 00x auditorias-internas_modelo_v00
Psq 00x auditorias-internas_modelo_v00
Marcos Henrique
 
Auditoria
AuditoriaAuditoria
AUDITORIA PARTE 1.pdf
AUDITORIA PARTE 1.pdfAUDITORIA PARTE 1.pdf
AUDITORIA PARTE 1.pdf
WILSONNUNES20
 
Etapas auditoria
Etapas auditoriaEtapas auditoria
Etapas auditoria
Anne Bezerra
 
Guiacorporativo.com.br o que é auditoria
Guiacorporativo.com.br o que é auditoriaGuiacorporativo.com.br o que é auditoria
Guiacorporativo.com.br o que é auditoria
Rodilson Silva - Green Belt
 
Auditoria iso 90011
Auditoria iso 90011Auditoria iso 90011
Auditoria iso 90011
Valeria Carneiro
 
Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001
Valeria Carneiro
 
5 auditoria financeira
5 auditoria financeira5 auditoria financeira
5 auditoria financeira
Pedro Luis Moraes
 
auditoriasinternas.pptx
auditoriasinternas.pptxauditoriasinternas.pptx
auditoriasinternas.pptx
ZE RIKI
 
Auditoria da qualidade
Auditoria da qualidadeAuditoria da qualidade
Auditoria da qualidade
Andressa Ribeiro
 
Auditoria marcelo aragao_topicos
Auditoria marcelo aragao_topicosAuditoria marcelo aragao_topicos
Auditoria marcelo aragao_topicos
Hiroshi Okawati
 
Auditoria atualizado
Auditoria atualizadoAuditoria atualizado
Auditoria atualizado
fontouramail
 
3 Auditoria - Normas
3   Auditoria - Normas3   Auditoria - Normas
3 Auditoria - Normas
Bolivar Motta
 
Ua 4
Ua 4Ua 4
Ua 4
ITHPOS
 
Auditoria Alfacastelo _ Moisés Bagagi
Auditoria Alfacastelo _ Moisés BagagiAuditoria Alfacastelo _ Moisés Bagagi
Auditoria Alfacastelo _ Moisés Bagagi
Moises Bagagi
 
Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001
José Alberto Bezerra da Silva
 
Avaliação da Conformidade
Avaliação da ConformidadeAvaliação da Conformidade
Avaliação da Conformidade
Guilherme Witte Cruz Machado
 

Semelhante a 12 - NBC TA 500 - Evidência de Auditoria (20)

Como fazer uma_boa_auditoria
Como fazer uma_boa_auditoriaComo fazer uma_boa_auditoria
Como fazer uma_boa_auditoria
 
Como_fazer_uma_boa_auditoria.ppt
Como_fazer_uma_boa_auditoria.pptComo_fazer_uma_boa_auditoria.ppt
Como_fazer_uma_boa_auditoria.ppt
 
Trabalhos de Revisão de Demonstrações Contábeis
Trabalhos de Revisão de Demonstrações ContábeisTrabalhos de Revisão de Demonstrações Contábeis
Trabalhos de Revisão de Demonstrações Contábeis
 
Psq 00x auditorias-internas_modelo_v00
Psq 00x auditorias-internas_modelo_v00Psq 00x auditorias-internas_modelo_v00
Psq 00x auditorias-internas_modelo_v00
 
Auditoria
AuditoriaAuditoria
Auditoria
 
AUDITORIA PARTE 1.pdf
AUDITORIA PARTE 1.pdfAUDITORIA PARTE 1.pdf
AUDITORIA PARTE 1.pdf
 
Etapas auditoria
Etapas auditoriaEtapas auditoria
Etapas auditoria
 
Guiacorporativo.com.br o que é auditoria
Guiacorporativo.com.br o que é auditoriaGuiacorporativo.com.br o que é auditoria
Guiacorporativo.com.br o que é auditoria
 
Auditoria iso 90011
Auditoria iso 90011Auditoria iso 90011
Auditoria iso 90011
 
Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001
 
5 auditoria financeira
5 auditoria financeira5 auditoria financeira
5 auditoria financeira
 
auditoriasinternas.pptx
auditoriasinternas.pptxauditoriasinternas.pptx
auditoriasinternas.pptx
 
Auditoria da qualidade
Auditoria da qualidadeAuditoria da qualidade
Auditoria da qualidade
 
Auditoria marcelo aragao_topicos
Auditoria marcelo aragao_topicosAuditoria marcelo aragao_topicos
Auditoria marcelo aragao_topicos
 
Auditoria atualizado
Auditoria atualizadoAuditoria atualizado
Auditoria atualizado
 
3 Auditoria - Normas
3   Auditoria - Normas3   Auditoria - Normas
3 Auditoria - Normas
 
Ua 4
Ua 4Ua 4
Ua 4
 
Auditoria Alfacastelo _ Moisés Bagagi
Auditoria Alfacastelo _ Moisés BagagiAuditoria Alfacastelo _ Moisés Bagagi
Auditoria Alfacastelo _ Moisés Bagagi
 
Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001
 
Avaliação da Conformidade
Avaliação da ConformidadeAvaliação da Conformidade
Avaliação da Conformidade
 

Mais de Moore Stephens Brasil

NBC TR 2400 - Trabalhos de Revisão de Demonstrações Contábeis
NBC TR 2400 - Trabalhos de Revisão de Demonstrações ContábeisNBC TR 2400 - Trabalhos de Revisão de Demonstrações Contábeis
NBC TR 2400 - Trabalhos de Revisão de Demonstrações Contábeis
Moore Stephens Brasil
 
CPC 01 (R1) - Redução ao Valor Recuperável de Ativos
CPC 01 (R1) - Redução ao Valor Recuperável de AtivosCPC 01 (R1) - Redução ao Valor Recuperável de Ativos
CPC 01 (R1) - Redução ao Valor Recuperável de Ativos
Moore Stephens Brasil
 
17 cpc 09 - demonstração do valor adicionado (dva)
17   cpc 09 - demonstração do valor adicionado (dva)17   cpc 09 - demonstração do valor adicionado (dva)
17 cpc 09 - demonstração do valor adicionado (dva)
Moore Stephens Brasil
 
15 - CPC 26 - Apresentação das Demonstrações Contábeis
15 - CPC 26 - Apresentação das Demonstrações Contábeis15 - CPC 26 - Apresentação das Demonstrações Contábeis
15 - CPC 26 - Apresentação das Demonstrações Contábeis
Moore Stephens Brasil
 
13 - CPC 25 - Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes
13 - CPC 25 - Provisões, Passivos Contingentes e  Ativos  Contingentes13 - CPC 25 - Provisões, Passivos Contingentes e  Ativos  Contingentes
13 - CPC 25 - Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes
Moore Stephens Brasil
 
19 - CPC 24 - Eventos Subsequentes
19 - CPC 24 - Eventos Subsequentes19 - CPC 24 - Eventos Subsequentes
19 - CPC 24 - Eventos Subsequentes
Moore Stephens Brasil
 
11 - CPC 04 (R1) - Ativo Intangível
11 - CPC 04 (R1) - Ativo Intangível11 - CPC 04 (R1) - Ativo Intangível
11 - CPC 04 (R1) - Ativo Intangível
Moore Stephens Brasil
 
9 - CPC 27 – Ativo Imobilizado
9 - CPC 27 – Ativo Imobilizado9 - CPC 27 – Ativo Imobilizado
9 - CPC 27 – Ativo Imobilizado
Moore Stephens Brasil
 
7 - CPC 18 (R2) Investimentos em coligadas e em controladas
7 - CPC 18 (R2) Investimentos em coligadas e em controladas7 - CPC 18 (R2) Investimentos em coligadas e em controladas
7 - CPC 18 (R2) Investimentos em coligadas e em controladas
Moore Stephens Brasil
 
Revista Moore Stephens - MS News - 12 anos de informação no Brasil
Revista Moore Stephens -  MS News - 12 anos de informação no BrasilRevista Moore Stephens -  MS News - 12 anos de informação no Brasil
Revista Moore Stephens - MS News - 12 anos de informação no Brasil
Moore Stephens Brasil
 
Valor Recuperável de Ativos
Valor Recuperável de Ativos  Valor Recuperável de Ativos
Valor Recuperável de Ativos
Moore Stephens Brasil
 
Palestra atlantica hotels
Palestra atlantica hotelsPalestra atlantica hotels
Palestra atlantica hotels
Moore Stephens Brasil
 
Adequação dos ativos - Moore Stephens Brasil
Adequação dos ativos - Moore Stephens BrasilAdequação dos ativos - Moore Stephens Brasil
Adequação dos ativos - Moore Stephens Brasil
Moore Stephens Brasil
 
Moore Stephens Brasil - Cultura e negócio
 Moore Stephens Brasil - Cultura e negócio  Moore Stephens Brasil - Cultura e negócio
Moore Stephens Brasil - Cultura e negócio
Moore Stephens Brasil
 
Carreira de Auditoria - Moore Stephens Brasil
Carreira de Auditoria - Moore Stephens BrasilCarreira de Auditoria - Moore Stephens Brasil
Carreira de Auditoria - Moore Stephens Brasil
Moore Stephens Brasil
 

Mais de Moore Stephens Brasil (15)

NBC TR 2400 - Trabalhos de Revisão de Demonstrações Contábeis
NBC TR 2400 - Trabalhos de Revisão de Demonstrações ContábeisNBC TR 2400 - Trabalhos de Revisão de Demonstrações Contábeis
NBC TR 2400 - Trabalhos de Revisão de Demonstrações Contábeis
 
CPC 01 (R1) - Redução ao Valor Recuperável de Ativos
CPC 01 (R1) - Redução ao Valor Recuperável de AtivosCPC 01 (R1) - Redução ao Valor Recuperável de Ativos
CPC 01 (R1) - Redução ao Valor Recuperável de Ativos
 
17 cpc 09 - demonstração do valor adicionado (dva)
17   cpc 09 - demonstração do valor adicionado (dva)17   cpc 09 - demonstração do valor adicionado (dva)
17 cpc 09 - demonstração do valor adicionado (dva)
 
15 - CPC 26 - Apresentação das Demonstrações Contábeis
15 - CPC 26 - Apresentação das Demonstrações Contábeis15 - CPC 26 - Apresentação das Demonstrações Contábeis
15 - CPC 26 - Apresentação das Demonstrações Contábeis
 
13 - CPC 25 - Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes
13 - CPC 25 - Provisões, Passivos Contingentes e  Ativos  Contingentes13 - CPC 25 - Provisões, Passivos Contingentes e  Ativos  Contingentes
13 - CPC 25 - Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes
 
19 - CPC 24 - Eventos Subsequentes
19 - CPC 24 - Eventos Subsequentes19 - CPC 24 - Eventos Subsequentes
19 - CPC 24 - Eventos Subsequentes
 
11 - CPC 04 (R1) - Ativo Intangível
11 - CPC 04 (R1) - Ativo Intangível11 - CPC 04 (R1) - Ativo Intangível
11 - CPC 04 (R1) - Ativo Intangível
 
9 - CPC 27 – Ativo Imobilizado
9 - CPC 27 – Ativo Imobilizado9 - CPC 27 – Ativo Imobilizado
9 - CPC 27 – Ativo Imobilizado
 
7 - CPC 18 (R2) Investimentos em coligadas e em controladas
7 - CPC 18 (R2) Investimentos em coligadas e em controladas7 - CPC 18 (R2) Investimentos em coligadas e em controladas
7 - CPC 18 (R2) Investimentos em coligadas e em controladas
 
Revista Moore Stephens - MS News - 12 anos de informação no Brasil
Revista Moore Stephens -  MS News - 12 anos de informação no BrasilRevista Moore Stephens -  MS News - 12 anos de informação no Brasil
Revista Moore Stephens - MS News - 12 anos de informação no Brasil
 
Valor Recuperável de Ativos
Valor Recuperável de Ativos  Valor Recuperável de Ativos
Valor Recuperável de Ativos
 
Palestra atlantica hotels
Palestra atlantica hotelsPalestra atlantica hotels
Palestra atlantica hotels
 
Adequação dos ativos - Moore Stephens Brasil
Adequação dos ativos - Moore Stephens BrasilAdequação dos ativos - Moore Stephens Brasil
Adequação dos ativos - Moore Stephens Brasil
 
Moore Stephens Brasil - Cultura e negócio
 Moore Stephens Brasil - Cultura e negócio  Moore Stephens Brasil - Cultura e negócio
Moore Stephens Brasil - Cultura e negócio
 
Carreira de Auditoria - Moore Stephens Brasil
Carreira de Auditoria - Moore Stephens BrasilCarreira de Auditoria - Moore Stephens Brasil
Carreira de Auditoria - Moore Stephens Brasil
 

12 - NBC TA 500 - Evidência de Auditoria

  • 1. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.Moore Stephens Prisma PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NORMAS DE AUDITORIA NBC TA 500 Evidência de Auditoria Outubro de 2012
  • 3. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA SUMÁRIO • INTRODUÇÃO • OBJETIVO • DEFINIÇÕES • REQUISITOS • APLICAÇÃO E OUTROS • MATERIAIS EXPLICATIVOS
  • 4. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA Esta Norma deve ser lida em conjunto com a NBC TA 200. INTRODUÇÃO: Esta Norma define o que constitui evidência de auditoria em uma auditoria de demonstrações contábeis e trata da responsabilidade do auditor na definição e execução de procedimentos de auditoria para a obtenção de evidência de auditoria apropriada e suficiente que permita a obtenção de conclusões razoáveis para fundamentar a opinião do auditor.
  • 5. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA OBJETIVO O objetivo do auditor é definir e executar procedimentos de auditoria que permitam a consecução de evidência adequada (qualidade) e suficiente (quantidade) que lhe possibilite obter conclusões razoáveis para fundamentar sua opinião. Uma evidência é considerada adequada quando for relevante e confiável para suportar a opinião do auditor. A suficiência está relacionada com a quantidade de evidência necessária para suportar essa opinião e é afetada pela avaliação do auditor dos riscos de distorção relevante e também pela qualidade dessa evidência.
  • 6. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA DEFINIÇÕES Distorção é a diferença entre o valor, a classificação, a apresentação ou a divulgação de uma demonstração contábil relatada e o valor, a classificação, a apresentação ou a divulgação que é exigida para que o item esteja de acordo com a estrutura de relatório financeiro aplicável. As distorções podem originar-se de erro ou fraude.
  • 7. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA DEFINIÇÕES Risco de distorção relevante é o risco de que as demonstrações contábeis contenham distorção relevante antes da auditoria (NBC TA 200). Consiste em dois componentes, descritos a seguir no nível das afirmações: (i) risco inerente; (ii) risco de controle.
  • 8. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA DEFINIÇÕES (NBC TA 200) (i) risco inerente é a suscetibilidade de uma afirmação a respeito de uma transação, saldo contábil ou divulgação, a uma distorção que possa ser relevante, individualmente ou em conjunto com outras distorções, antes da consideração de quaisquer controles relacionados; (ii) risco de controle é o risco de que uma distorção que possa ocorrer em uma afirmação sobre uma classe de transação, saldo contábil ou divulgação e que possa ser relevante, individualmente ou em conjunto com outras distorções, não seja prevenida, detectada e corrigida tempestivamente pelo controle interno da entidade.
  • 9. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA DEFINIÇÕES Evidência de auditoria compreende as informações, incluindo as contidas nos registros que suportam as demonstrações contábeis e outras, utilizadas pelo auditor para fundamentar sua opinião com o menor grau de risco de auditoria possível. Risco de auditoria é o risco de que o auditor expresse uma opinião não apropriada quando as demonstrações contábeis apresentam Distorção relevante.
  • 10. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA QUALIDADE DA EVIDÊNCIA A qualidade de toda evidência de auditoria é afetada pela relevância e confiabilidade das informações em que ela se baseia.
  • 11. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA RELEVÂNCIA A relevância trata da relação lógica ou da influência sobre a finalidade do procedimento e a matéria sob auditoria e pode ser afetada pelo direcionamento do teste
  • 12. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA RELEVÂNCIA – EXEMPLO Se a finalidade de um procedimento é verificar se há superavaliação na existência ou valorização das contas a pagar, testar as contas a pagar registradas pode ser um procedimento relevante. Por outro lado, para testar se há subavaliação na existência ou valorização das contas a pagar, testar as contas a pagar registradas não seria relevante, mas testar informações como desembolsos subsequentes, faturas não pagas, faturas de fornecedores e exceções apontadas nos relatórios de recebimento de mercadorias podem ser relevantes.
  • 13. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA CONFIABILIDADE DAS INFORMAÇÕES A confiabilidade das informações é influenciada pela sua fonte e sua natureza, e as circunstâncias nas quais são obtidas, incluindo os controles sobre sua elaboração e manutenção, quando relevante. Embora possam existir exceções, generalizações sobre a confiabilidade da evidência de auditoria podem ser úteis.
  • 14. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA Assim, a evidência:  é mais confiável quando obtida de fontes independentes;  gerada internamente é mais confiável quando os controles internos relacionados são efetivos;  obtida diretamente pelo auditor é mais confiável do que a obtida indiretamente ou por inferência;  em forma de documentos é mais confiável do que a evidência obtida verbalmente;  fornecida por documentos originais é mais confiável do que a fornecida por fotocópias ou fac-símiles ou por documentos que foram filmados,digitalizados ou transpostos de outra maneira para forma eletrônica.
  • 15. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA EVIDÊNCIAS COM A UTILIZAÇÃO DE UM ESPECIALISTA Quando as evidências forem obtidas com a utilização de um especialista, o auditor deve, em relação a esse profissional: (a) avaliar a competência, habilidades e objetividade; (b) obter entendimento do trabalho e (c) avaliar a adequação do trabalho.
  • 16. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA UTILIZAÇÃO DE UM ESPECIALISTA Quando a utilização de especialistas (cálculos atuariais, avaliações ou dados de engenharia, entre outros), a natureza, época e extensão dos procedimentos de auditoria podem ser afetados por assuntos como:  natureza e complexidade do assunto relacionado ao especialista;  riscos de distorção relevante no assunto;  disponibilidade de fontes alternativas de evidência;  natureza, alcance e objetivos do trabalho do especialista;  se o especialista é empregado pela entidade ou é contratado;
  • 17. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA UTILIZAÇÃO DE UM ESPECIALISTA - continuação  extensão em que a administração pode exercer controle ou influência sobre o trabalho do especialista;  se o especialista está sujeito a padrões de desempenho técnico ou outras exigências profissionais;  natureza e extensão de controles dentro da entidade sobre o trabalho do especialista;  conhecimento e experiência do auditor sobre a área de atuação do especialista;  experiência prévia do auditor com o trabalho desse especialista.
  • 18. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA A competência, habilidades e objetividade de um especialista podem ser constatadas a partir de:  experiência pessoal com trabalho anterior;  discussões com o especialista;  discussões com outros que estejam familiarizados com o trabalho desse especialista;  conhecimento das qualificações desse especialista;  dissertações publicadas ou livros escritos por esse especialista;  um especialista do auditor, se aplicável, que o auxilie na obtenção de evidência referente às informações apresentadas pelo especialista da administração.
  • 19. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA PROCEDIMENTOS PARA SE OBTER EVIDÊNCIA Como exigido e explicado adicionalmente pela NBC TA 315 – identificação/avaliação riscos e pela NBC TA 330 – Resposta aos riscos, a evidência de auditoria é conseguida pela execução de:  procedimentos de avaliação de riscos; e  procedimentos adicionais de auditoria, que abrangem: (a) testes de controles, quando exigidos pelas normas de auditoria ou definidos pelo auditor; e (b) procedimentos substantivos, inclusive testes de detalhes e procedimentos analíticos substantivos.
  • 20. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA TESTES DE CONTROLE Os testes de controle são definidos para avaliar a eficácia operacional dos controles na prevenção, detecção e correção de distorções relevantes. Os procedimentos são definidos para detectar distorções relevantes. A definição de procedimentos substantivos inclui a identificação de condições relevantes para o propósito do teste que constituem distorção na afirmação relevante.
  • 21. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA PROCEDIMENTOS PARA OBTENÇÃO DE EVIDENCIAS Os procedimentos de auditoria para obter evidência a seguir elencados podem ser utilizados, de forma isolada ou conjunta, como procedimentos de avaliação de riscos, testes de controles ou procedimentos substantivos, dependendo do contexto: (a) inspeção, (b)observação, (c) confirmação, (d) recálculo, (e) reexecução, (f) indagação(entrevista) e (g)procedimentos analíticos.
  • 22. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA PROCEDIMENTOS PARA OBTENÇÃO DE EVIDENCIAS (a) Inspeção: é o exame de registros ou documentos, internos ou externos, em qualquer meio, ou o exame físico de um ativo. Por exemplo, a inspeção de itens do estoque, que pode acompanhar a observação da contagem do estoque. b) Observação: é o exame do processo ou procedimento executado no momento da sua execução. Por exemplo, a observação pelo auditor da contagem do estoque ou da execução de atividades de controle.
  • 23. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA PROCEDIMENTOS PARA OBTENÇÃO DE EVIDENCIAS (c) Confirmação: é obtida pelo auditor como resposta escrita de terceiro (a parte que confirma) ao auditor, em qualquer meio. Não se restringe apenas a saldos contábeis. Por exemplo, o auditor pode solicitar confirmação de termos de contratos ou transações com terceiros ou sobre a ausência de acordo paralelo (side agreement). (d) Recálculo: realizado manual ou eletronicamente, consiste na verificação da exatidão matemática de documentos ou registros. Também é denominado de conferência de cálculo.
  • 24. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA PROCEDIMENTOS PARA OBTENÇÃO DE EVIDENCIAS (e) Reexecução: envolve a execução independente pelo auditor de procedimentos ou controles que foram originalmente realizados como parte do controle interno da entidade. (g) Indagação: consiste na busca de informações junto a pessoas com conhecimento, financeiro e não financeiro, dentro ou fora da entidade. Embora possa fornecer importante evidência de auditoria e possa produzir evidência de distorção, sozinha, geralmente não fornece evidência de auditoria suficiente da ausência de distorção relevante no nível da afirmação nem da eficácia operacional dos controles.
  • 25. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA PROCEDIMENTOS PARA OBTENÇÃO DE EVIDENCIAS (f) Procedimentos analíticos: consistem em avaliação das informações feitas por meio de estudo das relações plausíveis entre dados financeiros e não financeiros. Os procedimentos analíticos incluem também a investigação de flutuações e relações identificadas que sejam inconsistentes com outras informações relevantes ou que se desviem significativamente dos valores previstos.
  • 26. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA MEIOS PARA SELEÇÃO DE ITENS A SEREM TESTADOS Os meios à disposição do auditor para a seleção de itens a serem testados nos quais serão aplicados os procedimentos descritos são: (a) Seleção de todos os itens; (b) Seleção de itens específicos; (c) Amostragem.
  • 27. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA MEIOS PARA SELEÇÃO DE ITENS A SEREM TESTADOS (a) Seleção de todos os itens, sendo mais comum para testes de detalhes, um exame de 100% pode ser apropriado quando, por exemplo: (a) a população constitui um número pequeno de itens de grande valor; (b) há um risco significativo e outros meios não fornecem evidência; ou (c) a natureza repetitiva de um cálculo ou outro processo executado automaticamente por sistema de informação torna um exame de 100%eficiente quanto aos custos.
  • 28. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA MEIOS PARA SELEÇÃO DE ITENS A SEREM TESTADOS (b) Seleção de itens específicos, que não constitui amostragem em auditoria, depende do entendimento da entidade pelo auditor, dos riscos avaliados de distorção relevante e das características da população que está sendo testada. Os itens específicos selecionados podem incluir: valor alto ou itens-chave; todos os itens acima de certo valor; e itens para obtenção de informação.
  • 29. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA MEIOS PARA SELEÇÃO DE ITENS A SEREM TESTADOS (c) Amostragem, que se destina a possibilitar conclusões a serem tiradas de uma população inteira com base no teste de um extrato dela obtido.
  • 30. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA INCONSISTÊNCIA OU DÚVIDAS QUANTO À CONFIABILIDADE DA EVIDÊNCIA DE AUDITORIA A obtenção de evidência de auditoria de fontes diferentes ou de natureza diferente pode indicar que um item individual da evidência de auditoria não é confiável, como quando a evidência de auditoria obtida em uma fonte é incompatível com a evidência obtida em outra. A NBC TA 230 (trata da responsabilidade do auditor na elaboração da documentação de auditoria), item 11, inclui uma exigência de documentação específica se o auditor identificou informação que seja incompatível com a conclusão final do auditor referente a um assunto significativo.
  • 31. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA INCONSISTÊNCIA OU DÚVIDAS QUANTO À CONFIABILIDADE DA EVIDÊNCIA DE AUDITORIA NBC TA 230 Natureza e finalidade da documentação de auditoria 2. A documentação de auditoria, que atende às exigências desta Norma e às exigências específicas de documentação de outras normas de auditoria relevantes, fornece: (a) evidência da base do auditor para uma conclusão quanto ao cumprimento do objetivo global do auditor (NBC TA 200); e (b) evidência de que a auditoria foi planejada e executada em conformidade com as normas de auditoria e exigências legais e regulamentares aplicáveis.
  • 32. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA NBC TA 230 .... 11. Se o auditor identificou informações referentes a um assunto significativo que são inconsistentes com a sua conclusão final, ele deve documentar como tratou essa inconsistência (ver item A15). ...... A15. A exigência de documentar como o auditor tratou inconsistência nas informações não implica que o auditor necessite reter documentação que esteja incorreta ou superada.
  • 33. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES (EXEMPLO) ........................................... Responsabilidade dos auditores independentes Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações contábeis com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelos auditores e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis estão livres de distorção relevante.
  • 34. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA Responsabilidade dos auditores independentes (EXEMPLO) Uma auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores e divulgações apresentados nas demonstrações contábeis. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações contábeis, independentemente se causada por fraude ou erro.
  • 35. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA Responsabilidade dos auditores independentes Nessas avaliações de risco, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração e adequada apresentação das demonstrações contábeis da Entidade para planejar procedimentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias. Uma auditoria inclui, também, a avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela administração, bem como a avaliação da apresentação das demonstrações contábeis tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião.
  • 36. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA Conforme a NBC 200: O objetivo da auditoria é aumentar o grau de confiança nas demonstrações contábeis por parte dos usuários.
  • 37. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. DÚVIDAS SOBRE O TEMA: NBC TA 500 – EVIDÊNCIA DE AUDITORIA
  • 38. PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE.PRECISE. PROVEN. PERFORMANCE. A Moore Stephens é uma das maiores redes de auditoria, consultoria e outsourcing contábil do mundo. A empresa é formada por aproximadamente 630 escritórios e está presente em mais de 100 países. Está entre as 12 maiores posições no ranking mundial, com faturamento anual de mais de US$ 2 bilhões. A Moore Stephens Auditores e Consultores presta serviços em auditoria, consultoria tributária e empresarial, tecnologia de informação, outsourcing de serviços contábeis, tributários e administrativos, e corporate finance. Há ainda determinadas divisões, com estruturas próprias, criadas para atendimento de interesses específicos, como a Divisão de Auditoria Interna e a Divisão de Small Business, entre outras. Fale com a Moore Stephens: mscorp@msbrasil.com.br Siga-nos na internet e nas redes sociais: Homepage: www.msbrasil.com.br Facebook: http://www.facebook.com/moorestephensbr Twitter: http://twitter.com/#!/moorestephensbr Linkedin:http://www.linkedin.com/companies/moore-stephens-brasil Blog: http://msbrasil.com.br/blog/ SlideShare: http://www.slideshare.net/moorestephensb Youtube: http://www.youtube.com/moorestephensbr SOBRE A MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES