SlideShare uma empresa Scribd logo
Atividades do Dia:
Objetivos do Workshop:
AUDITORIA
A FINALIDADE DE UMA
AUDITORIA É VERIFICAR A
CONFORMIDADE DO SISTEMA
VOCABULÁRIO DO SIQ-CONSTRUTORAS
(ISO9000:2000)
AUDITORIA = processo sistemático, documentado e
independente, para obter evidência da
auditoria e avaliá-la objetivamente para
determinar a extensão na qual os critérios de
auditoria são atendidos.
EVIDÊNCIA DA AUDITORIA=registros, apresentação de fatos
ou outras informações, pertinentes
aos critérios de auditoria e verificáveis.
SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE = sistema de gestão
para dirigir e controlar uma organização,
no que diz respeito à qualidade.
VOCABULÁRIO DO SIQ-CONSTRUTORAS
(ISO9000:2000)
GESTÃO DA QUALIDADE = atividades coordenadas para dirigir
e controlar uma organização, no que diz
respeito à qualidade.
MELHORIA CONTÍNUA = atividade recorrente para aumentar a
capacidade de atender requisitos.
CONFORMIDADE = atendimento a um requisito.
NÃO-CONFORMIDADE=não atendimento a um requisito.
VOCABULÁRIO DO SIQ-CONSTRUTORAS
(ISO9000:2000)
AÇÃO CORRETIVA = ação para eliminar a causa de uma não-
conformidade identificada ou outra
situação indesejável.
AÇÃO-PREVENTIVA = ação para eliminar a causa de uma
potencial não-conformidade ou outra
situação potencialmente indesejável.
REGISTRO = documentos que apresenta resultados obtidos ou
fornece evidências de atividades realizadas.
VOCABULÁRIO DO SIQ-CONSTRUTORAS
(ISO9000:2000)
EVIDÊNCIA OBJETIVA = dados que apóiam a existência ou a
veracidade de alguma coisa
EFICÁCIA = extensão na qual as atividades planejadas são
realizadas e os resultados planejados, alcançados.
EFICIÊNCIA = relação entre o resultado alcançado e os
recursos usados.
VOCABULÁRIO DO SIQ-CONSTRUTORAS
(ISO9000:2000)
AUDITOR = pessoa com competência para realizar uma
auditoria.
AUDITADO = organização que está sendo auditada
AUDITOR LÍDER = pessoa designada para gerenciar uma
auditoria.
DEVE = sempre que tivermos, na Norma, o termo deve
significa que é um requisito obrigatório.
CLASSIFICAÇÃO DAS AUDITORIAS
QUANTO AO TIPO:
 AUDITORIA DE PRIMEIRA PARTE - auditoria interna
 AUDITORIA DE SEGUNDA PARTE - cliente/fornecedor
 AUDITORIA DE TERCEIRA PARTE - auditoria de certificação
QUANTO AO PROPÓSITO:
 AUDITORIA DE ADEQUAÇÃO - analisa a adequação do
programa de qualidade através da documentação
(política/procedimentos)
 AUDITORIA DE CONFORMIDADE - analisa a
documentação e sua efetividade nos locais de uso
(implementação)
CLASSIFICAÇÃO DAS AUDITORIAS
DE ACORDO COM O OBJETO:
 AUDITORIA DO SISTEMA DA QUALIDADE -documentação e
organização
 AUDITORIA DE PROCESSO -instruções e procedimentos
operacionais
 AUDITORIA DE PRODUTO -produto com suas
especificações
CLASSIFICAÇÃO DAS AUDITORIAS
CONFORME O ESCOPO:
 AUDITORIA COMPLETA - todas as funções e atividades
pertinentes ao sistema da qualidade
 AUDITORIA PARCIAL - determinada função, área, linha de
produto ou atividade de interesse
 AUDITORIA DE ACOMPANHAMENTO - verifica a implantação e
eficácia de ações corretivas previamente acordadas
CLASSIFICAÇÃO DAS AUDITORIAS
AS AUDITORIAS AINDA PODEM SER:
 PROGRAMADAS: Que respondem a um planejamento de auditoria.
 POR SOLICITAÇÃO: não programadas realizadas para obter uma
informação específica.
 PRÉ-AUDITORIA: Utilizadas para decidir se é viável realizar uma
auditoria de segunda ou de terceira parte.
 SEGUIMENTO: São utilizadas para verificar a solução dada a não
conformidades detectadas.
 SEM AVISO: São realizadas quando há suspeita de graves desvios
no Sistema de Gestão da Qualidade da organização.
ISO 9001:2000 - UMA AUDITORIA DE
PROCESSOS
 o foco são os processos da organização;
 a lista de verificação padronizada não é de grande valia na
auditoria de processos
 a lista de verificação da auditoria de processos terá que ser
preparada a partir da avaliação da documentação e terá que
obrigatoriamente estar fundamentada num mapa de processo
 na auditoria de processos poderão ser utilizados os seguintes
documentos: mapas de processo, estudos de capacidade,
especificações, evidências da qualificação das pessoas, legislação.
O QUE NÃO MUDA NA REALIZAÇÃO DE UMA AUDITORIA
 obter informação pormenorizada que permita estabelecer a
efetividade e eficiência do sistema de gestão da qualidade na
realização dos objetivos e metas estabelecidas pela alta
administração;
 detectar e corrigir desvios no sistema de gestão da qualidade
que afetam a capacidade da organização para satisfazer os
requisitos de seus clientes;
 obter informação que permita melhorar a produtividade e
rentabilidade da organização;
 verificar atendimento de regulamentos que afetam os negócios
da organização;
 estabelecer a adequação do sistema de gestão da qualidade no
que tange ao estabelecido em normas nacionais e internacionais
QUANDO DEVE OCORRER UMA AUDITORIA?
para avaliar a adaptação do sistema
da qualidade implantado;
para levantar informações visando a
melhoria para a qualidade;
para identificar áreas de
oportunidades de melhoria;
 para obter fatos para suportar
decisões gerenciais.
 PLANEJAMENTO - deve estar estipulado em procedimento a
periodicidade das auditorias internas
 PROGRAMAÇÃO – deve determinar quais aspectos são
relevantes para a auditoria. Ex: auditoria de adequação ou
conformidade?
 PLANO – deve determinar quais itens serão abordados
durante a auditoria, seu escopo e objetivo, data, local, setores
a serem auditados
PREPARAÇÃO DE UMA AUDITORIA INTERNA
 NOTIFICAÇÃO E AGENDA - a área a ser auditada deve
receber com antecedência, a notificação da auditoria, que
deverá conter todos os itens do Plano de auditoria
 CHECK LIST - o auditor elabora um check list com base nos
procedimentos e no SIQ-Construtoras
PREPARAÇÃO DE UMA AUDITORIA INTERNA
CHECK LIST
 O check list é elaborado através do
questionamento de todas as atividades
previstas em procedimentos e no SIQ-
Construtoras, desenvolvidas pela empresa
 Não é um registro da qualidade, servindo
somente como instrumento de apoio
utilizado pelo auditor para realização e
condução da auditoria
 pode conter: área a ser auditada, escopo
da auditoria, itens e questionamentos
ETAPAS DE REALIZAÇÃO DA AUDITORIA
 Reunião de abertura;
 Auditoria propriamente dita (nos postos de trabalho);
 Reunião entre auditores;
 Reunião de encerramento.
PONTOS A SEREM ABORDADOS:
 apresentação
 agradecimentos
 lembretes
 agenda
 objetivo
 conhecer os participantes
 esclarecer as etapas da auditoria
REUNIÃO DE ABERTURA
 A auditoria é realizada através de observações: visual e
auditiva;
 Utilize o check list elaborado previamente, onde estarão todos
os questionamentos referentes ao procedimento auditado, mas
não se se restrinja ao check list, outros questionamentos podem
ser elaborados durante a auditoria ;
 Tenha sempre a norma aplicável, para eventuais dúvidas;
 Requisite ao auditado todos os procedimentos aplicáveis na
área.
AUDITORIA PROPRIAMENTE DITA
DURANTE A AUDITORIA
 use perguntas abertas:por que; o que; como; de que forma;
como você assegura?
 em uma auditoria não deve existir “achismos”
 não utilize juízos apreciativos
 cuidado com o uso de algumas palavras como: “a gente”
(hoje em dia a gente sabe)
 cuidado com a forma de imposição:( você deixou de... você
deve...)
 procurar elogiar de forma adequada os elementos positivos
 toda não conformidade encontrada deve ser imediatamente
informada ao auditado.
EQUIPE DE AUDITORES
é aconselhável uma equipe com
no mínimo dois auditores;
 os auditores deverão ser
determinados com antecedência,
de acordo com o que descreve o
procedimento de auditorias
internas;
 os auditores devem estar
habilitados para realizar a
auditoria (curso de auditor
interno).
EQUIPE DE AUDITORES
Poderá ser determinado um auditor líder
para cada auditoria, que deverá:
ser responsável por todas as etapas da
auditoria;
ter autoridade para tomar decisões
finais;
participar da seleção da equipe de
auditores;
atuar como representante da equipe de
auditores;
apresentar o relatório final de auditoria.
AS SETE OBRIGAÇÕES DO AUDITOR
 comprove a implementação das metas da qualidade;
 verifique se estas coincidem com o enunciado da Política da
Qualidade e o escopo da certificação;
 verifique se as metas são conhecidas pelos colaboradores da
empresa;
 comprove quais são os os meios que foram disponibilizados
para implementar as metas;
AS SETE OBRIGAÇÕES DO AUDITOR
verifique se os indicadores da qualidades são avaliados
através de métodos objetivos de medição;
avalie a adequação dos métodos estabelecidos utilizando o
mapa de processo;
estabeleça quais são as evidencias que permitem evidenciar o
atendimento ou não atendimento dos requisitos da norma;
identifique quais processos fornecem e não fornecem valor
agregado.
O AUDITOR DEVE:
 ser aberto;
 ter a maturidade necessária;
 ter uma boa capacidade de avaliação;
 ter capacidade de coordenar e dirigir;
 ser perseverante;
 ser atento;
 poder reagir eficientemente em situações de estresse;
 não permitir que questões pessoais interfiram na auditoria;
 tratar o auditado de modo adequado para que se alcance o
objetivo da auditoria.
DEVE SER:
 de maneira moderada
 criticar o fato e não a pessoa
DEVE TER:
 Paciência
 Escuta ativa (deixar terminar de falar)
DEVE MANTER:
 Contato visual
 Postura ereta da cabeça
O AUDITOR QUANDO FOR CRITICAR
NÃO-CONFORMIDADE - não atendimento a um requisito
 a não conformidade é uma deficiência no Sistema da Qualidade,
produto ou serviço;
 as não conformidades devem ser encaradas como
oportunidades de melhoria para o SGQ da empresa;
 sempre que detectadas devem ser comunicadas ao auditado,
para evitar o efeito surpresa;
 para toda não conformidade encontrada, deve ser dado um
tratamento;
 a redação das não conformidades, deve trazer todas as
informações necessárias, para possibilitar as ações corretivas
subsequentes.
Na reunião entre auditores serão:
 lavradas as não conformidades;
 discutidos os pontos divergentes.
O relatório de auditoria deve descrever:

área auditada;

data;

itens auditados;

conformidades ou não conformidades;

comentários e observações;

conclusão final;

auditores.
REUNIÃO ENTRE AUDITORES
Nessa reunião serão :
 informadas as não conformidades lavradas
 acordados prazos para ações corretivas
 esclarecidas as dúvidas com relação aos
resultados da auditoria
 realizados os agradecimentos a todos que
colaboraram como o bom andamento da
auditoria
REUNIÃO FINAL OU DE ENCERRAMENTO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Modelo de manual da qualidade
Modelo de manual da qualidadeModelo de manual da qualidade
Modelo de manual da qualidade
Sandra Silva
 
NBC TA 300 - Planejamento da Auditoria das DCs
NBC TA 300 - Planejamento da Auditoria das DCsNBC TA 300 - Planejamento da Auditoria das DCs
NBC TA 300 - Planejamento da Auditoria das DCs
Moore Stephens Brasil
 
Auditoria disponibilidades
Auditoria disponibilidadesAuditoria disponibilidades
Auditoria disponibilidades
Claudia Marinho
 
ISO 9001
ISO 9001ISO 9001
Check List ISO 9001-2015 - Rev.0 - GSG.docx
Check List ISO 9001-2015 - Rev.0 - GSG.docxCheck List ISO 9001-2015 - Rev.0 - GSG.docx
Check List ISO 9001-2015 - Rev.0 - GSG.docx
Dandara30
 
Check list de preparação para a auditoria interna (3)
Check list de preparação para a auditoria interna (3)Check list de preparação para a auditoria interna (3)
Check list de preparação para a auditoria interna (3)
Amanda Fraga
 
Técnicas E Procedimentos De Auditoria
Técnicas E Procedimentos De AuditoriaTécnicas E Procedimentos De Auditoria
Técnicas E Procedimentos De Auditoria
Marlon de Freitas
 
Formação de Auditores Internos
Formação de Auditores InternosFormação de Auditores Internos
Formação de Auditores Internos
Rogério Souza
 
4.5.5 auditoria interna
4.5.5 auditoria interna4.5.5 auditoria interna
4.5.5 auditoria interna
Samantha Kathryn Soares Medeiros
 
Guia de Implantação da ISO 9001:2015
Guia de Implantação da ISO 9001:2015Guia de Implantação da ISO 9001:2015
Guia de Implantação da ISO 9001:2015
QUALIENG Consultoria, Auditoria e Treinamento
 
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Claudio Bernardi Stringari
 
Plano De Auditoria Tipo
Plano De Auditoria TipoPlano De Auditoria Tipo
Plano De Auditoria Tipo
instituto monitor
 
Auditoria
AuditoriaAuditoria
Sistema de gestão da Qualidade
Sistema de gestão da QualidadeSistema de gestão da Qualidade
Sistema de gestão da Qualidade
Sergio Dias
 
Aula 19 - 13. Relatórios de Auditoria
Aula 19 - 13. Relatórios de AuditoriaAula 19 - 13. Relatórios de Auditoria
Aula 19 - 13. Relatórios de Auditoria
Secretaria de Estado da Tributação do RN
 
Lista de verificação de gestão da qualidade
Lista de verificação de gestão da qualidadeLista de verificação de gestão da qualidade
Lista de verificação de gestão da qualidade
Universidade Federal Fluminense
 
Aula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da QualidadeAula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da Qualidade
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
introdução à gestão da qualidade
introdução à gestão da qualidadeintrodução à gestão da qualidade
introdução à gestão da qualidade
elliando dias
 
Auditoria interna
Auditoria internaAuditoria interna
Auditoria interna
Gilson Sena
 
Aula 4 - PDCA
Aula 4 - PDCAAula 4 - PDCA

Mais procurados (20)

Modelo de manual da qualidade
Modelo de manual da qualidadeModelo de manual da qualidade
Modelo de manual da qualidade
 
NBC TA 300 - Planejamento da Auditoria das DCs
NBC TA 300 - Planejamento da Auditoria das DCsNBC TA 300 - Planejamento da Auditoria das DCs
NBC TA 300 - Planejamento da Auditoria das DCs
 
Auditoria disponibilidades
Auditoria disponibilidadesAuditoria disponibilidades
Auditoria disponibilidades
 
ISO 9001
ISO 9001ISO 9001
ISO 9001
 
Check List ISO 9001-2015 - Rev.0 - GSG.docx
Check List ISO 9001-2015 - Rev.0 - GSG.docxCheck List ISO 9001-2015 - Rev.0 - GSG.docx
Check List ISO 9001-2015 - Rev.0 - GSG.docx
 
Check list de preparação para a auditoria interna (3)
Check list de preparação para a auditoria interna (3)Check list de preparação para a auditoria interna (3)
Check list de preparação para a auditoria interna (3)
 
Técnicas E Procedimentos De Auditoria
Técnicas E Procedimentos De AuditoriaTécnicas E Procedimentos De Auditoria
Técnicas E Procedimentos De Auditoria
 
Formação de Auditores Internos
Formação de Auditores InternosFormação de Auditores Internos
Formação de Auditores Internos
 
4.5.5 auditoria interna
4.5.5 auditoria interna4.5.5 auditoria interna
4.5.5 auditoria interna
 
Guia de Implantação da ISO 9001:2015
Guia de Implantação da ISO 9001:2015Guia de Implantação da ISO 9001:2015
Guia de Implantação da ISO 9001:2015
 
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
Aula 01 Introdução – SGQ ISO 9001:2015
 
Plano De Auditoria Tipo
Plano De Auditoria TipoPlano De Auditoria Tipo
Plano De Auditoria Tipo
 
Auditoria
AuditoriaAuditoria
Auditoria
 
Sistema de gestão da Qualidade
Sistema de gestão da QualidadeSistema de gestão da Qualidade
Sistema de gestão da Qualidade
 
Aula 19 - 13. Relatórios de Auditoria
Aula 19 - 13. Relatórios de AuditoriaAula 19 - 13. Relatórios de Auditoria
Aula 19 - 13. Relatórios de Auditoria
 
Lista de verificação de gestão da qualidade
Lista de verificação de gestão da qualidadeLista de verificação de gestão da qualidade
Lista de verificação de gestão da qualidade
 
Aula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da QualidadeAula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da Qualidade
 
introdução à gestão da qualidade
introdução à gestão da qualidadeintrodução à gestão da qualidade
introdução à gestão da qualidade
 
Auditoria interna
Auditoria internaAuditoria interna
Auditoria interna
 
Aula 4 - PDCA
Aula 4 - PDCAAula 4 - PDCA
Aula 4 - PDCA
 

Semelhante a Etapas auditoria

Auditoria
AuditoriaAuditoria
Auditoria iso 90011
Auditoria iso 90011Auditoria iso 90011
Auditoria iso 90011
Valeria Carneiro
 
Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001
Valeria Carneiro
 
Ua 4
Ua 4Ua 4
Ua 4
ITHPOS
 
auditoriasinternas.pptx
auditoriasinternas.pptxauditoriasinternas.pptx
auditoriasinternas.pptx
ZE RIKI
 
Auditoria de Software.ppt
Auditoria de Software.pptAuditoria de Software.ppt
Auditoria de Software.ppt
TacianoBalardin1
 
Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001
José Alberto Bezerra da Silva
 
Slide Auditoria - 2a. unidade -Aula (1).ppt
Slide Auditoria - 2a. unidade  -Aula (1).pptSlide Auditoria - 2a. unidade  -Aula (1).ppt
Slide Auditoria - 2a. unidade -Aula (1).ppt
Zoraide6
 
AUDITORIA PARTE 1.pdf
AUDITORIA PARTE 1.pdfAUDITORIA PARTE 1.pdf
AUDITORIA PARTE 1.pdf
WILSONNUNES20
 
ISO 9001
ISO 9001ISO 9001
ISO 9001
Beto Briscese
 
Psq 00x auditorias-internas_modelo_v00
Psq 00x auditorias-internas_modelo_v00Psq 00x auditorias-internas_modelo_v00
Psq 00x auditorias-internas_modelo_v00
Marcos Henrique
 
Como_fazer_uma_boa_auditoria.ppt
Como_fazer_uma_boa_auditoria.pptComo_fazer_uma_boa_auditoria.ppt
Como_fazer_uma_boa_auditoria.ppt
sandra468841
 
Como fazer uma_boa_auditoria
Como fazer uma_boa_auditoriaComo fazer uma_boa_auditoria
Como fazer uma_boa_auditoria
Oicram Santos
 
Gestão da Qualidade - Lei 0778 - ISO 9001.pptx
Gestão da Qualidade - Lei 0778 - ISO 9001.pptxGestão da Qualidade - Lei 0778 - ISO 9001.pptx
Gestão da Qualidade - Lei 0778 - ISO 9001.pptx
AngelaGontijo1
 
Gestao da qualidade definicoes
Gestao da qualidade definicoesGestao da qualidade definicoes
Gestao da qualidade definicoes
João Rafael Lopes
 
Slide 02.1 Auditoria1 - 2a. unidade (1).ppt
Slide 02.1 Auditoria1 - 2a.  unidade (1).pptSlide 02.1 Auditoria1 - 2a.  unidade (1).ppt
Slide 02.1 Auditoria1 - 2a. unidade (1).ppt
Zoraide6
 
SGD_Concepção e implementação.pptx
SGD_Concepção e implementação.pptxSGD_Concepção e implementação.pptx
SGD_Concepção e implementação.pptx
miguel498486
 
9. sga
9. sga9. sga
Auditoria iso14001 modulo4
Auditoria iso14001 modulo4Auditoria iso14001 modulo4
Auditoria iso14001 modulo4
Derbi Mota de Souza
 
Qualidade
QualidadeQualidade
Qualidade
José Luismar
 

Semelhante a Etapas auditoria (20)

Auditoria
AuditoriaAuditoria
Auditoria
 
Auditoria iso 90011
Auditoria iso 90011Auditoria iso 90011
Auditoria iso 90011
 
Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001
 
Ua 4
Ua 4Ua 4
Ua 4
 
auditoriasinternas.pptx
auditoriasinternas.pptxauditoriasinternas.pptx
auditoriasinternas.pptx
 
Auditoria de Software.ppt
Auditoria de Software.pptAuditoria de Software.ppt
Auditoria de Software.ppt
 
Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001Auditoria iso 9001
Auditoria iso 9001
 
Slide Auditoria - 2a. unidade -Aula (1).ppt
Slide Auditoria - 2a. unidade  -Aula (1).pptSlide Auditoria - 2a. unidade  -Aula (1).ppt
Slide Auditoria - 2a. unidade -Aula (1).ppt
 
AUDITORIA PARTE 1.pdf
AUDITORIA PARTE 1.pdfAUDITORIA PARTE 1.pdf
AUDITORIA PARTE 1.pdf
 
ISO 9001
ISO 9001ISO 9001
ISO 9001
 
Psq 00x auditorias-internas_modelo_v00
Psq 00x auditorias-internas_modelo_v00Psq 00x auditorias-internas_modelo_v00
Psq 00x auditorias-internas_modelo_v00
 
Como_fazer_uma_boa_auditoria.ppt
Como_fazer_uma_boa_auditoria.pptComo_fazer_uma_boa_auditoria.ppt
Como_fazer_uma_boa_auditoria.ppt
 
Como fazer uma_boa_auditoria
Como fazer uma_boa_auditoriaComo fazer uma_boa_auditoria
Como fazer uma_boa_auditoria
 
Gestão da Qualidade - Lei 0778 - ISO 9001.pptx
Gestão da Qualidade - Lei 0778 - ISO 9001.pptxGestão da Qualidade - Lei 0778 - ISO 9001.pptx
Gestão da Qualidade - Lei 0778 - ISO 9001.pptx
 
Gestao da qualidade definicoes
Gestao da qualidade definicoesGestao da qualidade definicoes
Gestao da qualidade definicoes
 
Slide 02.1 Auditoria1 - 2a. unidade (1).ppt
Slide 02.1 Auditoria1 - 2a.  unidade (1).pptSlide 02.1 Auditoria1 - 2a.  unidade (1).ppt
Slide 02.1 Auditoria1 - 2a. unidade (1).ppt
 
SGD_Concepção e implementação.pptx
SGD_Concepção e implementação.pptxSGD_Concepção e implementação.pptx
SGD_Concepção e implementação.pptx
 
9. sga
9. sga9. sga
9. sga
 
Auditoria iso14001 modulo4
Auditoria iso14001 modulo4Auditoria iso14001 modulo4
Auditoria iso14001 modulo4
 
Qualidade
QualidadeQualidade
Qualidade
 

Último

Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 

Etapas auditoria

  • 2. AUDITORIA A FINALIDADE DE UMA AUDITORIA É VERIFICAR A CONFORMIDADE DO SISTEMA
  • 3. VOCABULÁRIO DO SIQ-CONSTRUTORAS (ISO9000:2000) AUDITORIA = processo sistemático, documentado e independente, para obter evidência da auditoria e avaliá-la objetivamente para determinar a extensão na qual os critérios de auditoria são atendidos. EVIDÊNCIA DA AUDITORIA=registros, apresentação de fatos ou outras informações, pertinentes aos critérios de auditoria e verificáveis. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE = sistema de gestão para dirigir e controlar uma organização, no que diz respeito à qualidade.
  • 4. VOCABULÁRIO DO SIQ-CONSTRUTORAS (ISO9000:2000) GESTÃO DA QUALIDADE = atividades coordenadas para dirigir e controlar uma organização, no que diz respeito à qualidade. MELHORIA CONTÍNUA = atividade recorrente para aumentar a capacidade de atender requisitos. CONFORMIDADE = atendimento a um requisito. NÃO-CONFORMIDADE=não atendimento a um requisito.
  • 5. VOCABULÁRIO DO SIQ-CONSTRUTORAS (ISO9000:2000) AÇÃO CORRETIVA = ação para eliminar a causa de uma não- conformidade identificada ou outra situação indesejável. AÇÃO-PREVENTIVA = ação para eliminar a causa de uma potencial não-conformidade ou outra situação potencialmente indesejável. REGISTRO = documentos que apresenta resultados obtidos ou fornece evidências de atividades realizadas.
  • 6. VOCABULÁRIO DO SIQ-CONSTRUTORAS (ISO9000:2000) EVIDÊNCIA OBJETIVA = dados que apóiam a existência ou a veracidade de alguma coisa EFICÁCIA = extensão na qual as atividades planejadas são realizadas e os resultados planejados, alcançados. EFICIÊNCIA = relação entre o resultado alcançado e os recursos usados.
  • 7. VOCABULÁRIO DO SIQ-CONSTRUTORAS (ISO9000:2000) AUDITOR = pessoa com competência para realizar uma auditoria. AUDITADO = organização que está sendo auditada AUDITOR LÍDER = pessoa designada para gerenciar uma auditoria. DEVE = sempre que tivermos, na Norma, o termo deve significa que é um requisito obrigatório.
  • 8. CLASSIFICAÇÃO DAS AUDITORIAS QUANTO AO TIPO:  AUDITORIA DE PRIMEIRA PARTE - auditoria interna  AUDITORIA DE SEGUNDA PARTE - cliente/fornecedor  AUDITORIA DE TERCEIRA PARTE - auditoria de certificação
  • 9. QUANTO AO PROPÓSITO:  AUDITORIA DE ADEQUAÇÃO - analisa a adequação do programa de qualidade através da documentação (política/procedimentos)  AUDITORIA DE CONFORMIDADE - analisa a documentação e sua efetividade nos locais de uso (implementação) CLASSIFICAÇÃO DAS AUDITORIAS
  • 10. DE ACORDO COM O OBJETO:  AUDITORIA DO SISTEMA DA QUALIDADE -documentação e organização  AUDITORIA DE PROCESSO -instruções e procedimentos operacionais  AUDITORIA DE PRODUTO -produto com suas especificações CLASSIFICAÇÃO DAS AUDITORIAS
  • 11. CONFORME O ESCOPO:  AUDITORIA COMPLETA - todas as funções e atividades pertinentes ao sistema da qualidade  AUDITORIA PARCIAL - determinada função, área, linha de produto ou atividade de interesse  AUDITORIA DE ACOMPANHAMENTO - verifica a implantação e eficácia de ações corretivas previamente acordadas CLASSIFICAÇÃO DAS AUDITORIAS
  • 12. AS AUDITORIAS AINDA PODEM SER:  PROGRAMADAS: Que respondem a um planejamento de auditoria.  POR SOLICITAÇÃO: não programadas realizadas para obter uma informação específica.  PRÉ-AUDITORIA: Utilizadas para decidir se é viável realizar uma auditoria de segunda ou de terceira parte.  SEGUIMENTO: São utilizadas para verificar a solução dada a não conformidades detectadas.  SEM AVISO: São realizadas quando há suspeita de graves desvios no Sistema de Gestão da Qualidade da organização.
  • 13. ISO 9001:2000 - UMA AUDITORIA DE PROCESSOS  o foco são os processos da organização;  a lista de verificação padronizada não é de grande valia na auditoria de processos  a lista de verificação da auditoria de processos terá que ser preparada a partir da avaliação da documentação e terá que obrigatoriamente estar fundamentada num mapa de processo  na auditoria de processos poderão ser utilizados os seguintes documentos: mapas de processo, estudos de capacidade, especificações, evidências da qualificação das pessoas, legislação.
  • 14. O QUE NÃO MUDA NA REALIZAÇÃO DE UMA AUDITORIA  obter informação pormenorizada que permita estabelecer a efetividade e eficiência do sistema de gestão da qualidade na realização dos objetivos e metas estabelecidas pela alta administração;  detectar e corrigir desvios no sistema de gestão da qualidade que afetam a capacidade da organização para satisfazer os requisitos de seus clientes;  obter informação que permita melhorar a produtividade e rentabilidade da organização;  verificar atendimento de regulamentos que afetam os negócios da organização;  estabelecer a adequação do sistema de gestão da qualidade no que tange ao estabelecido em normas nacionais e internacionais
  • 15. QUANDO DEVE OCORRER UMA AUDITORIA? para avaliar a adaptação do sistema da qualidade implantado; para levantar informações visando a melhoria para a qualidade; para identificar áreas de oportunidades de melhoria;  para obter fatos para suportar decisões gerenciais.
  • 16.  PLANEJAMENTO - deve estar estipulado em procedimento a periodicidade das auditorias internas  PROGRAMAÇÃO – deve determinar quais aspectos são relevantes para a auditoria. Ex: auditoria de adequação ou conformidade?  PLANO – deve determinar quais itens serão abordados durante a auditoria, seu escopo e objetivo, data, local, setores a serem auditados PREPARAÇÃO DE UMA AUDITORIA INTERNA
  • 17.  NOTIFICAÇÃO E AGENDA - a área a ser auditada deve receber com antecedência, a notificação da auditoria, que deverá conter todos os itens do Plano de auditoria  CHECK LIST - o auditor elabora um check list com base nos procedimentos e no SIQ-Construtoras PREPARAÇÃO DE UMA AUDITORIA INTERNA
  • 18. CHECK LIST  O check list é elaborado através do questionamento de todas as atividades previstas em procedimentos e no SIQ- Construtoras, desenvolvidas pela empresa  Não é um registro da qualidade, servindo somente como instrumento de apoio utilizado pelo auditor para realização e condução da auditoria  pode conter: área a ser auditada, escopo da auditoria, itens e questionamentos
  • 19. ETAPAS DE REALIZAÇÃO DA AUDITORIA  Reunião de abertura;  Auditoria propriamente dita (nos postos de trabalho);  Reunião entre auditores;  Reunião de encerramento.
  • 20. PONTOS A SEREM ABORDADOS:  apresentação  agradecimentos  lembretes  agenda  objetivo  conhecer os participantes  esclarecer as etapas da auditoria REUNIÃO DE ABERTURA
  • 21.  A auditoria é realizada através de observações: visual e auditiva;  Utilize o check list elaborado previamente, onde estarão todos os questionamentos referentes ao procedimento auditado, mas não se se restrinja ao check list, outros questionamentos podem ser elaborados durante a auditoria ;  Tenha sempre a norma aplicável, para eventuais dúvidas;  Requisite ao auditado todos os procedimentos aplicáveis na área. AUDITORIA PROPRIAMENTE DITA
  • 22. DURANTE A AUDITORIA  use perguntas abertas:por que; o que; como; de que forma; como você assegura?  em uma auditoria não deve existir “achismos”  não utilize juízos apreciativos  cuidado com o uso de algumas palavras como: “a gente” (hoje em dia a gente sabe)  cuidado com a forma de imposição:( você deixou de... você deve...)  procurar elogiar de forma adequada os elementos positivos  toda não conformidade encontrada deve ser imediatamente informada ao auditado.
  • 23. EQUIPE DE AUDITORES é aconselhável uma equipe com no mínimo dois auditores;  os auditores deverão ser determinados com antecedência, de acordo com o que descreve o procedimento de auditorias internas;  os auditores devem estar habilitados para realizar a auditoria (curso de auditor interno).
  • 24. EQUIPE DE AUDITORES Poderá ser determinado um auditor líder para cada auditoria, que deverá: ser responsável por todas as etapas da auditoria; ter autoridade para tomar decisões finais; participar da seleção da equipe de auditores; atuar como representante da equipe de auditores; apresentar o relatório final de auditoria.
  • 25. AS SETE OBRIGAÇÕES DO AUDITOR  comprove a implementação das metas da qualidade;  verifique se estas coincidem com o enunciado da Política da Qualidade e o escopo da certificação;  verifique se as metas são conhecidas pelos colaboradores da empresa;  comprove quais são os os meios que foram disponibilizados para implementar as metas;
  • 26. AS SETE OBRIGAÇÕES DO AUDITOR verifique se os indicadores da qualidades são avaliados através de métodos objetivos de medição; avalie a adequação dos métodos estabelecidos utilizando o mapa de processo; estabeleça quais são as evidencias que permitem evidenciar o atendimento ou não atendimento dos requisitos da norma; identifique quais processos fornecem e não fornecem valor agregado.
  • 27. O AUDITOR DEVE:  ser aberto;  ter a maturidade necessária;  ter uma boa capacidade de avaliação;  ter capacidade de coordenar e dirigir;  ser perseverante;  ser atento;  poder reagir eficientemente em situações de estresse;  não permitir que questões pessoais interfiram na auditoria;  tratar o auditado de modo adequado para que se alcance o objetivo da auditoria.
  • 28. DEVE SER:  de maneira moderada  criticar o fato e não a pessoa DEVE TER:  Paciência  Escuta ativa (deixar terminar de falar) DEVE MANTER:  Contato visual  Postura ereta da cabeça O AUDITOR QUANDO FOR CRITICAR
  • 29. NÃO-CONFORMIDADE - não atendimento a um requisito  a não conformidade é uma deficiência no Sistema da Qualidade, produto ou serviço;  as não conformidades devem ser encaradas como oportunidades de melhoria para o SGQ da empresa;  sempre que detectadas devem ser comunicadas ao auditado, para evitar o efeito surpresa;  para toda não conformidade encontrada, deve ser dado um tratamento;  a redação das não conformidades, deve trazer todas as informações necessárias, para possibilitar as ações corretivas subsequentes.
  • 30. Na reunião entre auditores serão:  lavradas as não conformidades;  discutidos os pontos divergentes. O relatório de auditoria deve descrever:  área auditada;  data;  itens auditados;  conformidades ou não conformidades;  comentários e observações;  conclusão final;  auditores. REUNIÃO ENTRE AUDITORES
  • 31. Nessa reunião serão :  informadas as não conformidades lavradas  acordados prazos para ações corretivas  esclarecidas as dúvidas com relação aos resultados da auditoria  realizados os agradecimentos a todos que colaboraram como o bom andamento da auditoria REUNIÃO FINAL OU DE ENCERRAMENTO