SlideShare uma empresa Scribd logo
A moral dos Espíritos superiores se
resume, como a do Cristo, nesta
máxima evangélica:
“Fazer aos outros o que quereríamos
que os outros nos fizessem”, ou
seja, fazer o bem e não o mal.
O homem encontra neste princípio a
regra universal de conduta, mesmo
para as menores ações.
Allan Kardec - O Livro dos Espíritos - Introdução VI
 Os Espíritos de Luz nos ensinam que o
egoísmo, o orgulho, a sensualidade são
paixões que nos aproximam da natureza
animal, prendendo-nos a matéria;
 Que no mundo dos Espíritos, nada
podendo estar escondido, o hipócrita
será desmascarado e todas as suas
torpezas reveladas;
 Que o homem só se libertará quando
cultivar no coração o amor ao próximo e
o perdão;
 Que o forte deve proteção ao mais fraco;
 Que no mundo dos espíritos nada
podendo estar escondido, a presença
inevitável daqueles a quem
prejudicamos é um dos castigos a nós
reservados;
 Nos ensinam também que não há
faltas que não possam ser apagadas
pela expiação;
 Errar menos pode nos ajudar a
recuperar o tempo perdido;
 Com o trabalho poderemos vencer
nossas más tendências;
 A auto avaliação nos faz ver o
amadurecimento conquistado dando-
nos estímulo em continuar na
remodelação de nós mesmos;
 O que nos falta é força de vontade;
 É refletir os defeitos que precisam
serem corrigidos;
 É ter humildade para trilhar um novo
caminho.
1- O que é Reforma íntima?
É um processo contínuo do nosso
crescimento espiritual.
É a transformação do homem velho
cheio de tendências e erros, no homem
novo de dentro para fora.
2- Por que a reforma íntima?
Porque é o meio de nos libertarmos das
imperfeições e aprimorar o nosso
espírito.
3- Para que a Reforma Íntima?
Para transformar o homem e através dele
toda a humanidade.
4- Onde fazer a reforma Íntima?
Dentro de nós mesmos, com nossos
familiares, colegas de trabalho, amigos e
inimigos.
5- Quando fazer a reforma íntima?
O momento é agora não há o que
esperar.
6- Como fazer a reforma íntima?
 Ingressar em um trabalho Evangélico
visando o aperfeiçoamento moral, com
orientação e disciplina, apoiados pelo
plano espiritual;
 Viver coerentemente os ensinos de Jesus;
 Querer com todas as nossas
forças, mudar a nossa vida.
Qual o meio mais prático e eficaz para
se melhorar nesta vida e resistir ao
mal?
Um sábio da antiguidade vos disse:
“CONHECE-TE A SI MESMO”.
(Allan Kardec- O Livro dos Espíritos. Pergunta 919.)
Santo Agostinho afirma:
"O Conhecimento de Si Mesmo
é, portanto, a chave do progresso individual"
(Livro dos Espíritos 919-a)
 Vivemos em função de nossos
impulsos inconscientes;
 Manifestamos sem controle e sem
conhecimento nossos desejos;
 Refletimos inconscientemente um sem
número de
emoções, pensamentos, atrações, rep
ulsas, simpatias e antipatias;
 Somos todos vítimas de nossos
desejos mal conduzidos;
 Sentimos como se fossemos donos do
que queremos;
 Desrespeitamos o direito do
próximo, agindo assim interferimos
no direito dos outros;
 Provocamos
reações, violências, desajustes, conflit
os, tormentos e infelicidades;
 Vemos os defeitos dos outros e somos
incapazes de perceber os nossos;
 Justificamos nossas faltas e colocamo-
nos como vítimas;
 Esse comportamento é típico nos
seres humanos e confirma o
desconhecimento de nós mesmos;
 Uma pequena minoria já manifestam
algum esforço de libertar-se dos
defeitos derivados do egoísmo;
 Todo esforço de melhorar nesta vida
só pode ser realizado
conscientemente, por vontade própria.
 A disposição de melhorar-se pode surgir
naturalmente ou provocada pela dor;
 Percebendo o passado de
erros, trabalhamos livremente o presente
preparando um futuro melhor;
 Não basta o arrependimento, são
necessárias a expiação e a reparação;
 Tornando-se humilde se foi orgulhoso;
 Amável se foi rude;
 Caridoso se foi egoísta;
 Útil se foi inútil;
 Reabilitar-se exige modificar-se;
 Transformar o comportamento, a
maneira de ser e de agir;
 Somos colocados em choque em nosso
convívio familiar, social, trabalho em
todos os nossos contatos pessoais.
“Amar ao próximo como a si mesmo, fazer
aos outros o que quereríamos que os
outros nos fizessem, é a mais completa
expressão da caridade, pois que resume
todos os deveres para com o próximo”.
(Allan Kardec. O Evangelho Segundo o Espiritismo. Capítulo XI)
"O dever começa precisamente no momento em que
ameaçais a felicidade e a tranquilidade do vosso
próximo, e termina no limite que quereríeis alcançar
para vós mesmos".
(O Evangelho Segundo o Espiritismo. Capítulo XVII)
 O relacionamento mais direto acha-se
no meio
familiar, pais, avós, primos, irmãos, et
c.;
 Guardamos desta fase em nosso
campo emocional impressões que
repercutirão por toda nossa
existência;
 Essas reações emocionais, deixam
profundas marcas no inconsciente;
 Se são suaves e doces, deixam ternas
lembranças, se não, deixam traumas
ou más recordações por toda vida;
 Na fase escolar temos experiências
com o meio social, fora da família e
aprendemos a nos comportar em
sociedade;
 Na adolescência nossos desejos se
acentuam, o querer começa a surgir;
 Uns aceitam os desejos não
alcançados, sofrem
menos, outros, reagem com violência
e sofrem mais;
 Os mais dóceis sofrem menos, porque
menor é a carga que lhes atinge o
íntimo;
 A resignação é o meio para modelar a
nossa alma;
 O que mais nos incomoda nos outros
é o que está mais marcado dentro de
nós;
 As vidas corpóreas constituem-se um
laboratório de testes;
 Os erros nos comprometem, por isso
retardamos nossos passos;
 Conhecer-se é reconhecer nossas
limitações;
 Mesmo sendo imperfeitos, somos
obras da Criação e temos condições
de evoluir.
 Todos quantos sejam feridos na
vida, remontem pouco a pouco as
causas dos males e verão se não
poderão confessar: se eu não tivesse
feito tal coisa não estaria nesta
situação;
 Reconhecemos nossos erros só
quando a colheita chega pelos efeitos
de nossas ações;
 A semeadura é livre a colheita é
obrigatória;
 Pela dor retificamos nossos erros;
 O sofrimento provoca em nossa alma
o despertar da consciência;
 Quando enfermos, é no tratamento
que somos levados a meditar;
 Sofremos os males físicos contraídos
pela nossa invigilância;
 Muitas criaturas transformam
radicalmente depois de uma doença;
 As dores nos ensinam a nos conhecer;
 Valorizemos a nossa dor;
 Tomemos nossa cruz e caminhemos
para nossa redenção.
 A auto análise é um processo
permanente e contínuo;
 Precisamos sair da condição de
indivíduos conduzidos pelo meio, para
condutores de nós mesmos;
 É um trabalho de superar nossa
inferioridade, alcançando esferas
vibratórias mais elevadas.
Santo Agostinho nos oferece o resultado de
sua própria experiência:
(Livro dos Espíritos 919 a)
A fonte de todos os vícios.
Dele dimanam a ambição, o ciúme, a inveja, o
ódio, o orgulho e toda sorte de males que
infelicitam a Humanidade.
André Luiz
 Pluralidade das existências-
Perguntas166 a 170
 O Evangelho segundo Espiritismo-
Kardec
 Bem aventurados os Aflitos-Itens
1,2,3,4
 O Céu e o Inferno- André Luiz
 No Mundo Maior- Emmanuel

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lei de causa e efeito
Lei de causa e efeitoLei de causa e efeito
Lei de causa e efeito
Ronaldo Pereira Rodrigues
 
Justiça ou vingança?
Justiça ou vingança?Justiça ou vingança?
Justiça ou vingança?
Reinaldo Santos
 
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Grupo Espírita Cristão
 
Cuidar do corpo e do espírito
Cuidar do corpo e do espíritoCuidar do corpo e do espírito
Cuidar do corpo e do espírito
Izabel Cristina Fonseca
 
Missão do ser humano inteligente na terra
Missão do ser humano inteligente na terraMissão do ser humano inteligente na terra
Missão do ser humano inteligente na terra
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Reencarnação
ReencarnaçãoReencarnação
Reencarnação
paikachambi
 
Necessidade da vida social
Necessidade da vida socialNecessidade da vida social
Necessidade da vida social
Izabel Cristina Fonseca
 
Palestra beneficência
Palestra beneficênciaPalestra beneficência
Palestra beneficência
Denise Tamaê
 
O Homem de Bem
O Homem de BemO Homem de Bem
O Homem de Bem
igmateus
 
Fe e caridade gec 05 12-2015
Fe e caridade  gec 05 12-2015Fe e caridade  gec 05 12-2015
Fe e caridade gec 05 12-2015
Izabel Cristina Fonseca
 
Indissolubilidade do casamento
Indissolubilidade do casamento Indissolubilidade do casamento
Indissolubilidade do casamento
Henrique Vieira
 
ESDE - Módulo XVII - Roteiro 2: conhecimento de si mesmo.
ESDE - Módulo XVII - Roteiro 2: conhecimento de si mesmo.ESDE - Módulo XVII - Roteiro 2: conhecimento de si mesmo.
ESDE - Módulo XVII - Roteiro 2: conhecimento de si mesmo.
Núcleo de Promoção Humana Vinha de Luz
 
Estudos do evangelho "O egoísmo"
Estudos do evangelho "O egoísmo"Estudos do evangelho "O egoísmo"
Estudos do evangelho "O egoísmo"
Leonardo Pereira
 
Nao Julgues Compreenda
Nao Julgues CompreendaNao Julgues Compreenda
Nao Julgues Compreenda
Graça Maciel
 
Suicídio - Dor dos dois lados da vida
Suicídio - Dor dos dois lados da vidaSuicídio - Dor dos dois lados da vida
Suicídio - Dor dos dois lados da vida
Ricardo Azevedo
 
Palestra Espírita - O espiritismo como educação
Palestra Espírita - O espiritismo como educaçãoPalestra Espírita - O espiritismo como educação
Palestra Espírita - O espiritismo como educação
Divulgador do Espiritismo
 
Palestra reforma íntima
Palestra   reforma íntimaPalestra   reforma íntima
Palestra reforma íntima
KATIA MARIA FARAH V DA SILVA
 
Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17
Unesp
 
O Poder da Vontade
O Poder da VontadeO Poder da Vontade
O Poder da Vontade
Ricardo Azevedo
 
Se alguém bater na face direita
Se alguém bater na face direitaSe alguém bater na face direita
Se alguém bater na face direita
Izabel Cristina Fonseca
 

Mais procurados (20)

Lei de causa e efeito
Lei de causa e efeitoLei de causa e efeito
Lei de causa e efeito
 
Justiça ou vingança?
Justiça ou vingança?Justiça ou vingança?
Justiça ou vingança?
 
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
 
Cuidar do corpo e do espírito
Cuidar do corpo e do espíritoCuidar do corpo e do espírito
Cuidar do corpo e do espírito
 
Missão do ser humano inteligente na terra
Missão do ser humano inteligente na terraMissão do ser humano inteligente na terra
Missão do ser humano inteligente na terra
 
Reencarnação
ReencarnaçãoReencarnação
Reencarnação
 
Necessidade da vida social
Necessidade da vida socialNecessidade da vida social
Necessidade da vida social
 
Palestra beneficência
Palestra beneficênciaPalestra beneficência
Palestra beneficência
 
O Homem de Bem
O Homem de BemO Homem de Bem
O Homem de Bem
 
Fe e caridade gec 05 12-2015
Fe e caridade  gec 05 12-2015Fe e caridade  gec 05 12-2015
Fe e caridade gec 05 12-2015
 
Indissolubilidade do casamento
Indissolubilidade do casamento Indissolubilidade do casamento
Indissolubilidade do casamento
 
ESDE - Módulo XVII - Roteiro 2: conhecimento de si mesmo.
ESDE - Módulo XVII - Roteiro 2: conhecimento de si mesmo.ESDE - Módulo XVII - Roteiro 2: conhecimento de si mesmo.
ESDE - Módulo XVII - Roteiro 2: conhecimento de si mesmo.
 
Estudos do evangelho "O egoísmo"
Estudos do evangelho "O egoísmo"Estudos do evangelho "O egoísmo"
Estudos do evangelho "O egoísmo"
 
Nao Julgues Compreenda
Nao Julgues CompreendaNao Julgues Compreenda
Nao Julgues Compreenda
 
Suicídio - Dor dos dois lados da vida
Suicídio - Dor dos dois lados da vidaSuicídio - Dor dos dois lados da vida
Suicídio - Dor dos dois lados da vida
 
Palestra Espírita - O espiritismo como educação
Palestra Espírita - O espiritismo como educaçãoPalestra Espírita - O espiritismo como educação
Palestra Espírita - O espiritismo como educação
 
Palestra reforma íntima
Palestra   reforma íntimaPalestra   reforma íntima
Palestra reforma íntima
 
Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17
 
O Poder da Vontade
O Poder da VontadeO Poder da Vontade
O Poder da Vontade
 
Se alguém bater na face direita
Se alguém bater na face direitaSe alguém bater na face direita
Se alguém bater na face direita
 

Semelhante a As bases do transformar se

Em Que Estou melhorando
Em Que Estou melhorandoEm Que Estou melhorando
Em Que Estou melhorando
Idéias Luz
 
UMA JORNADA PARA DENTRO
UMA JORNADA PARA DENTROUMA JORNADA PARA DENTRO
UMA JORNADA PARA DENTRO
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
Estudo junho reforma íntima www forumespirita net
Estudo junho  reforma íntima www forumespirita netEstudo junho  reforma íntima www forumespirita net
Estudo junho reforma íntima www forumespirita net
Fórum Espírita
 
Reforma íntima sem martírio
Reforma íntima sem martírioReforma íntima sem martírio
Reforma íntima sem martírio
grupodepaisceb
 
Auto perdão = felicidade sem culpa
Auto perdão = felicidade sem culpaAuto perdão = felicidade sem culpa
Auto perdão = felicidade sem culpa
Lisete B.
 
Conhece-te a Ti mesmo e relacione-se melhor
Conhece-te a Ti mesmo e relacione-se melhorConhece-te a Ti mesmo e relacione-se melhor
Conhece-te a Ti mesmo e relacione-se melhor
Adão Salles
 
Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12
Leonardo Pereira
 
Porque adoecemos para nos curar
Porque adoecemos para nos curarPorque adoecemos para nos curar
Porque adoecemos para nos curar
M.R.L
 
Resumo CURSO REFORMA INTIMA
Resumo CURSO REFORMA INTIMAResumo CURSO REFORMA INTIMA
Resumo CURSO REFORMA INTIMA
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
Dores da Alma, a psicologia das dores humanas
Dores da Alma, a psicologia das dores humanasDores da Alma, a psicologia das dores humanas
Dores da Alma, a psicologia das dores humanas
Eduardo Ottonelli Pithan
 
A dor.pptx
A dor.pptxA dor.pptx
A dor.pptx
M.R.L
 
Escutando Sentimentos "O Seminário"
Escutando Sentimentos "O Seminário"Escutando Sentimentos "O Seminário"
Escutando Sentimentos "O Seminário"
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos! ( seminário).
Escutando sentimentos! ( seminário).Escutando sentimentos! ( seminário).
Escutando sentimentos! ( seminário).
Leonardo Pereira
 
Mente humana e necessidades para se entender
Mente humana e necessidades para se entenderMente humana e necessidades para se entender
Mente humana e necessidades para se entender
MarianaGuadalupi
 
Aula 105 EAE Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)
Aula 105 EAE Regras para a educação.  Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)Aula 105 EAE Regras para a educação.  Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)
Aula 105 EAE Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)
PatiSousa1
 
O Auto Perdão - Espiritismo
O Auto Perdão - EspiritismoO Auto Perdão - Espiritismo
O Auto Perdão - Espiritismo
Valéria Domingues
 
Conflitos existenciais e o atendimento no centro espírita(Leonardo Pereira).
Conflitos existenciais e o atendimento no centro espírita(Leonardo Pereira). Conflitos existenciais e o atendimento no centro espírita(Leonardo Pereira).
Conflitos existenciais e o atendimento no centro espírita(Leonardo Pereira).
Leonardo Pereira
 
Perdão
PerdãoPerdão
Perdo 130429173017-phpapp01
Perdo 130429173017-phpapp01Perdo 130429173017-phpapp01
Perdo 130429173017-phpapp01
apqbarros
 
Corpos, superação e degraus evolutivos
Corpos, superação e degraus evolutivosCorpos, superação e degraus evolutivos
Corpos, superação e degraus evolutivos
Dr. Walter Cury
 

Semelhante a As bases do transformar se (20)

Em Que Estou melhorando
Em Que Estou melhorandoEm Que Estou melhorando
Em Que Estou melhorando
 
UMA JORNADA PARA DENTRO
UMA JORNADA PARA DENTROUMA JORNADA PARA DENTRO
UMA JORNADA PARA DENTRO
 
Estudo junho reforma íntima www forumespirita net
Estudo junho  reforma íntima www forumespirita netEstudo junho  reforma íntima www forumespirita net
Estudo junho reforma íntima www forumespirita net
 
Reforma íntima sem martírio
Reforma íntima sem martírioReforma íntima sem martírio
Reforma íntima sem martírio
 
Auto perdão = felicidade sem culpa
Auto perdão = felicidade sem culpaAuto perdão = felicidade sem culpa
Auto perdão = felicidade sem culpa
 
Conhece-te a Ti mesmo e relacione-se melhor
Conhece-te a Ti mesmo e relacione-se melhorConhece-te a Ti mesmo e relacione-se melhor
Conhece-te a Ti mesmo e relacione-se melhor
 
Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12
 
Porque adoecemos para nos curar
Porque adoecemos para nos curarPorque adoecemos para nos curar
Porque adoecemos para nos curar
 
Resumo CURSO REFORMA INTIMA
Resumo CURSO REFORMA INTIMAResumo CURSO REFORMA INTIMA
Resumo CURSO REFORMA INTIMA
 
Dores da Alma, a psicologia das dores humanas
Dores da Alma, a psicologia das dores humanasDores da Alma, a psicologia das dores humanas
Dores da Alma, a psicologia das dores humanas
 
A dor.pptx
A dor.pptxA dor.pptx
A dor.pptx
 
Escutando Sentimentos "O Seminário"
Escutando Sentimentos "O Seminário"Escutando Sentimentos "O Seminário"
Escutando Sentimentos "O Seminário"
 
Escutando sentimentos! ( seminário).
Escutando sentimentos! ( seminário).Escutando sentimentos! ( seminário).
Escutando sentimentos! ( seminário).
 
Mente humana e necessidades para se entender
Mente humana e necessidades para se entenderMente humana e necessidades para se entender
Mente humana e necessidades para se entender
 
Aula 105 EAE Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)
Aula 105 EAE Regras para a educação.  Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)Aula 105 EAE Regras para a educação.  Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)
Aula 105 EAE Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)
 
O Auto Perdão - Espiritismo
O Auto Perdão - EspiritismoO Auto Perdão - Espiritismo
O Auto Perdão - Espiritismo
 
Conflitos existenciais e o atendimento no centro espírita(Leonardo Pereira).
Conflitos existenciais e o atendimento no centro espírita(Leonardo Pereira). Conflitos existenciais e o atendimento no centro espírita(Leonardo Pereira).
Conflitos existenciais e o atendimento no centro espírita(Leonardo Pereira).
 
Perdão
PerdãoPerdão
Perdão
 
Perdo 130429173017-phpapp01
Perdo 130429173017-phpapp01Perdo 130429173017-phpapp01
Perdo 130429173017-phpapp01
 
Corpos, superação e degraus evolutivos
Corpos, superação e degraus evolutivosCorpos, superação e degraus evolutivos
Corpos, superação e degraus evolutivos
 

Mais de paikachambi

Chacara Tia Joana
Chacara Tia JoanaChacara Tia Joana
Chacara Tia Joana
paikachambi
 
O Passe
O PasseO Passe
O Passe
paikachambi
 
Yorimá
YorimáYorimá
Yorimá
paikachambi
 
Oxossi
OxossiOxossi
Oxossi
paikachambi
 
Ogum
OgumOgum
Xangô
XangôXangô
Xangô
paikachambi
 
Yori
YoriYori
Yemanjá
YemanjáYemanjá
Yemanjá
paikachambi
 
Oxalá
OxaláOxalá
Oxalá
paikachambi
 
As Sete Energias do Universo
As Sete Energias do UniversoAs Sete Energias do Universo
As Sete Energias do Universo
paikachambi
 
Princípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do EspiritismoPrincípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do Espiritismo
paikachambi
 
Sincretismo Religioso na Umbanda
Sincretismo Religioso na UmbandaSincretismo Religioso na Umbanda
Sincretismo Religioso na Umbanda
paikachambi
 
Rituais da Umbanda e Posições Litúrgicas
Rituais da Umbanda e Posições LitúrgicasRituais da Umbanda e Posições Litúrgicas
Rituais da Umbanda e Posições Litúrgicas
paikachambi
 
Hierarquia dos Espíritos
Hierarquia dos Espíritos Hierarquia dos Espíritos
Hierarquia dos Espíritos
paikachambi
 
Moldura exercício mediúnico
Moldura   exercício mediúnicoMoldura   exercício mediúnico
Moldura exercício mediúnico
paikachambi
 
Moldura Espiritual e Roupagem
Moldura Espiritual e RoupagemMoldura Espiritual e Roupagem
Moldura Espiritual e Roupagem
paikachambi
 
Evangelho no Lar
Evangelho no LarEvangelho no Lar
Evangelho no Lar
paikachambi
 
Doutrinação
DoutrinaçãoDoutrinação
Doutrinação
paikachambi
 
Desobsessao
DesobsessaoDesobsessao
Desobsessao
paikachambi
 
Obsessão
ObsessãoObsessão
Obsessão
paikachambi
 

Mais de paikachambi (20)

Chacara Tia Joana
Chacara Tia JoanaChacara Tia Joana
Chacara Tia Joana
 
O Passe
O PasseO Passe
O Passe
 
Yorimá
YorimáYorimá
Yorimá
 
Oxossi
OxossiOxossi
Oxossi
 
Ogum
OgumOgum
Ogum
 
Xangô
XangôXangô
Xangô
 
Yori
YoriYori
Yori
 
Yemanjá
YemanjáYemanjá
Yemanjá
 
Oxalá
OxaláOxalá
Oxalá
 
As Sete Energias do Universo
As Sete Energias do UniversoAs Sete Energias do Universo
As Sete Energias do Universo
 
Princípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do EspiritismoPrincípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do Espiritismo
 
Sincretismo Religioso na Umbanda
Sincretismo Religioso na UmbandaSincretismo Religioso na Umbanda
Sincretismo Religioso na Umbanda
 
Rituais da Umbanda e Posições Litúrgicas
Rituais da Umbanda e Posições LitúrgicasRituais da Umbanda e Posições Litúrgicas
Rituais da Umbanda e Posições Litúrgicas
 
Hierarquia dos Espíritos
Hierarquia dos Espíritos Hierarquia dos Espíritos
Hierarquia dos Espíritos
 
Moldura exercício mediúnico
Moldura   exercício mediúnicoMoldura   exercício mediúnico
Moldura exercício mediúnico
 
Moldura Espiritual e Roupagem
Moldura Espiritual e RoupagemMoldura Espiritual e Roupagem
Moldura Espiritual e Roupagem
 
Evangelho no Lar
Evangelho no LarEvangelho no Lar
Evangelho no Lar
 
Doutrinação
DoutrinaçãoDoutrinação
Doutrinação
 
Desobsessao
DesobsessaoDesobsessao
Desobsessao
 
Obsessão
ObsessãoObsessão
Obsessão
 

As bases do transformar se

  • 1.
  • 2. A moral dos Espíritos superiores se resume, como a do Cristo, nesta máxima evangélica: “Fazer aos outros o que quereríamos que os outros nos fizessem”, ou seja, fazer o bem e não o mal. O homem encontra neste princípio a regra universal de conduta, mesmo para as menores ações. Allan Kardec - O Livro dos Espíritos - Introdução VI
  • 3.  Os Espíritos de Luz nos ensinam que o egoísmo, o orgulho, a sensualidade são paixões que nos aproximam da natureza animal, prendendo-nos a matéria;  Que no mundo dos Espíritos, nada podendo estar escondido, o hipócrita será desmascarado e todas as suas torpezas reveladas;  Que o homem só se libertará quando cultivar no coração o amor ao próximo e o perdão;  Que o forte deve proteção ao mais fraco;
  • 4.  Que no mundo dos espíritos nada podendo estar escondido, a presença inevitável daqueles a quem prejudicamos é um dos castigos a nós reservados;  Nos ensinam também que não há faltas que não possam ser apagadas pela expiação;  Errar menos pode nos ajudar a recuperar o tempo perdido;  Com o trabalho poderemos vencer nossas más tendências;
  • 5.  A auto avaliação nos faz ver o amadurecimento conquistado dando- nos estímulo em continuar na remodelação de nós mesmos;  O que nos falta é força de vontade;  É refletir os defeitos que precisam serem corrigidos;  É ter humildade para trilhar um novo caminho.
  • 6.
  • 7. 1- O que é Reforma íntima? É um processo contínuo do nosso crescimento espiritual. É a transformação do homem velho cheio de tendências e erros, no homem novo de dentro para fora. 2- Por que a reforma íntima? Porque é o meio de nos libertarmos das imperfeições e aprimorar o nosso espírito.
  • 8. 3- Para que a Reforma Íntima? Para transformar o homem e através dele toda a humanidade. 4- Onde fazer a reforma Íntima? Dentro de nós mesmos, com nossos familiares, colegas de trabalho, amigos e inimigos. 5- Quando fazer a reforma íntima? O momento é agora não há o que esperar.
  • 9. 6- Como fazer a reforma íntima?  Ingressar em um trabalho Evangélico visando o aperfeiçoamento moral, com orientação e disciplina, apoiados pelo plano espiritual;  Viver coerentemente os ensinos de Jesus;  Querer com todas as nossas forças, mudar a nossa vida.
  • 10. Qual o meio mais prático e eficaz para se melhorar nesta vida e resistir ao mal? Um sábio da antiguidade vos disse: “CONHECE-TE A SI MESMO”. (Allan Kardec- O Livro dos Espíritos. Pergunta 919.) Santo Agostinho afirma: "O Conhecimento de Si Mesmo é, portanto, a chave do progresso individual" (Livro dos Espíritos 919-a)
  • 11.  Vivemos em função de nossos impulsos inconscientes;  Manifestamos sem controle e sem conhecimento nossos desejos;  Refletimos inconscientemente um sem número de emoções, pensamentos, atrações, rep ulsas, simpatias e antipatias;  Somos todos vítimas de nossos desejos mal conduzidos;
  • 12.  Sentimos como se fossemos donos do que queremos;  Desrespeitamos o direito do próximo, agindo assim interferimos no direito dos outros;  Provocamos reações, violências, desajustes, conflit os, tormentos e infelicidades;
  • 13.  Vemos os defeitos dos outros e somos incapazes de perceber os nossos;  Justificamos nossas faltas e colocamo- nos como vítimas;  Esse comportamento é típico nos seres humanos e confirma o desconhecimento de nós mesmos;  Uma pequena minoria já manifestam algum esforço de libertar-se dos defeitos derivados do egoísmo;
  • 14.  Todo esforço de melhorar nesta vida só pode ser realizado conscientemente, por vontade própria.
  • 15.  A disposição de melhorar-se pode surgir naturalmente ou provocada pela dor;  Percebendo o passado de erros, trabalhamos livremente o presente preparando um futuro melhor;  Não basta o arrependimento, são necessárias a expiação e a reparação;  Tornando-se humilde se foi orgulhoso;
  • 16.  Amável se foi rude;  Caridoso se foi egoísta;  Útil se foi inútil;  Reabilitar-se exige modificar-se;  Transformar o comportamento, a maneira de ser e de agir;  Somos colocados em choque em nosso convívio familiar, social, trabalho em todos os nossos contatos pessoais.
  • 17. “Amar ao próximo como a si mesmo, fazer aos outros o que quereríamos que os outros nos fizessem, é a mais completa expressão da caridade, pois que resume todos os deveres para com o próximo”. (Allan Kardec. O Evangelho Segundo o Espiritismo. Capítulo XI) "O dever começa precisamente no momento em que ameaçais a felicidade e a tranquilidade do vosso próximo, e termina no limite que quereríeis alcançar para vós mesmos". (O Evangelho Segundo o Espiritismo. Capítulo XVII)
  • 18.  O relacionamento mais direto acha-se no meio familiar, pais, avós, primos, irmãos, et c.;  Guardamos desta fase em nosso campo emocional impressões que repercutirão por toda nossa existência;  Essas reações emocionais, deixam profundas marcas no inconsciente;  Se são suaves e doces, deixam ternas lembranças, se não, deixam traumas ou más recordações por toda vida;
  • 19.  Na fase escolar temos experiências com o meio social, fora da família e aprendemos a nos comportar em sociedade;  Na adolescência nossos desejos se acentuam, o querer começa a surgir;  Uns aceitam os desejos não alcançados, sofrem menos, outros, reagem com violência e sofrem mais;
  • 20.  Os mais dóceis sofrem menos, porque menor é a carga que lhes atinge o íntimo;  A resignação é o meio para modelar a nossa alma;  O que mais nos incomoda nos outros é o que está mais marcado dentro de nós;  As vidas corpóreas constituem-se um laboratório de testes;
  • 21.  Os erros nos comprometem, por isso retardamos nossos passos;  Conhecer-se é reconhecer nossas limitações;  Mesmo sendo imperfeitos, somos obras da Criação e temos condições de evoluir.
  • 22.  Todos quantos sejam feridos na vida, remontem pouco a pouco as causas dos males e verão se não poderão confessar: se eu não tivesse feito tal coisa não estaria nesta situação;  Reconhecemos nossos erros só quando a colheita chega pelos efeitos de nossas ações;
  • 23.  A semeadura é livre a colheita é obrigatória;  Pela dor retificamos nossos erros;  O sofrimento provoca em nossa alma o despertar da consciência;  Quando enfermos, é no tratamento que somos levados a meditar;  Sofremos os males físicos contraídos pela nossa invigilância;
  • 24.  Muitas criaturas transformam radicalmente depois de uma doença;  As dores nos ensinam a nos conhecer;  Valorizemos a nossa dor;  Tomemos nossa cruz e caminhemos para nossa redenção.
  • 25.  A auto análise é um processo permanente e contínuo;  Precisamos sair da condição de indivíduos conduzidos pelo meio, para condutores de nós mesmos;  É um trabalho de superar nossa inferioridade, alcançando esferas vibratórias mais elevadas.
  • 26. Santo Agostinho nos oferece o resultado de sua própria experiência: (Livro dos Espíritos 919 a) A fonte de todos os vícios. Dele dimanam a ambição, o ciúme, a inveja, o ódio, o orgulho e toda sorte de males que infelicitam a Humanidade.
  • 28.  Pluralidade das existências- Perguntas166 a 170  O Evangelho segundo Espiritismo- Kardec  Bem aventurados os Aflitos-Itens 1,2,3,4  O Céu e o Inferno- André Luiz  No Mundo Maior- Emmanuel