SlideShare uma empresa Scribd logo
Doutrinar é argumentar com lógica e com base no
Evangelho, demonstrar que as atitudes incorretas
prejudicam principalmente quem as praticam, levando
o necessitado a modificar sentimentos cristalizados,
destorcidos, errôneos.
É um convite à transformação interior, um apelo à reflexão sobre
os problemas de que o espírito é portador.
DOUTRINAÇÃO
Os que
suplicam
pelo perdão
Os que
buscam
esclarecime
ntos
Os que
partiram e
não sabem
Obsessores
Sofredores
Os casos mais comuns de manifestações são de 2
categorias principais:
Os que comparecem espontaneamente
obedecendo à própria vontade, atraídos por
determinadas condições.
Os que são trazidos pelos mentores; são
espíritos perturbados, vingativos, habitantes
de zonas purgatórias.
O contato com a organização física do médium fá-los-á sentir mais
intensamente a ajuda doutrinária e vibracional destinada ao
reajuste.
Os Espíritos são atendidos
também no plano
espiritual.
Nem todos estão em
condições de serem
socorridos no plano
espiritual.
Objetivam esclarecer entidades desencarnadas a respeito de sua própria situação
espiritual, orientando-as no sentido do seu despertamento no plano invisível e o
seu subsequente equilíbrio e progresso espirituais.
Trabalhos Práticos de Espiritismo - EdgardArmond
Na tarefa de doutrinação dos Espíritos que se comunicam nas sessões
mediúnicas não existe regra fixa, pois cada caso é único. Há, entretanto,
determinadas regras que não podem deixar de ser aplicadas nessa tarefa:
Receber com atenção e
interesse as comunicações
Ouvi-las com paciência e
imbuído da melhor intenção
de ajudar
Evitar o tom de discurso e
também as longas preleções
Estabelecer em tempo
oportuno um diálogo amigo
e esclarecedor
Evitar acusações e desafios
desnecessários;
Confortar e amparar através
do esclarecimento;
Não discutir com exaltação
tentando impor seu ponto
de vista;
Ser preciso e enérgico na
hora necessária, sem ser
cruel e agressivo;
Não receber a todos como
se fossem embusteiros e
agentes do mal;
Ser claro, objetivo, honesto, amigo,
fraterno, buscando dar ao comunicante
aquilo que gostaria de receber se no lugar
dele estivesse
Envolver o comunicante em um clima
de vibrações fraternais, dando
oportunidade para que ele fale
“(...) Esta classificação, aliás, nada tem de absoluta. Apenas no seu
conjunto cada categoria apresenta caráter definido. De um grau a
outro a transição é Insensível e, nos limites extremos, os matizes se
apagam, como nos reinos da natureza, como nas cores do arco-íris,
ou, também, como nos diferentes períodos da vida do homem.”
O Livro dos Espíritos, Allan Kardec, questão 100.
Importa ainda mencionar que alguns desses tipos de entidades aqui relacionadas
comparecem também nas reuniões de educação e desenvolvimento mediúnico
(sendo mais comuns nestas), desde que estejam os médiuns em condições e que
haja necessidade dessas manifestações.
1. ESPÍRITOS QUE
NÃO CONSEGUEM
FALAR
2. ESPÍRITOS QUE
DESCONHECEM A
PRÓPRIA
SITUAÇÃO
3 . ESPÍRITOS
SUICIDAS
4. ESPÍRITOS
ALCOÓLATRAS E
TOXICÔMANOS
5. ESPÍRITOS QUE
DESEJAMTOMAR O
TEMPO DA
REUNIÃO
6. ESPÍRITOS
IRÔNICOS
7. ESPÍRITOS
DESAFIANTES
8. ESPÍRITOS
DESCRENTES
9. ESPÍRITOS
DEMENTADOS
10. ESPÍRITOS
AMEDRONTADOS
11. ESPÍRITOS QUE
AUXILIAM OS
OBSESSORES
12. ESPÍRITOS
VINGATIVOS
13. ESPÍRITOS
MISTIFICADORES
14. ESPÍRITOS
OBSESSORES
INIMIGOS DO
ESPIRITISMO
15. ESPÍRITOS
GALHOFEIROS,
ZOMBETEIROS
16. ESPÍRITOS
SOFREDORES
É o companheiro que presta ao espírito sofredor os primeiros socorros nos
serviços da enfermagem espiritual. É por excelência, o médium da palavra do
evangelho. Nas preleções que efetua a desencarnados e encarnados tem a
função de despertar consciência com seu verbo iluminativo.
Segundo observa André Luiz, a pessoa envolvida nessa tarefa não pode
esquecer que a Espiritualidade Superior confia nela e dela aguarda o cultivo de
determinados atributos como os que se seguem:
Direção e discernimento Bondade e energia
Autoridade
fundamentada no
exemplo;
Hábito de estudo e
oração
Dignidade e respeito
para com todos
Afeição sem privilégios
Brandura e firmeza Conversação construtiva
Sinceridade e
entendimento
A doutrinação, informa Herculano Pires,
existe em todos os planos, mas o trabalho
mais rude e pesado é o que se processa em
nosso mundo. Orgulhoso e inútil, e até
mesmo prejudicial, será o doutrinador que se
julgar capaz de doutrinar por si mesmo. Sua
eficiência depende sempre de sua
humildade, que lhe permite compreender a
necessidade de ser auxiliado pelos bons
Espíritos. O doutrinador que não
compreende esse princípio precisa de
doutrinação e esclarecimento, para alijar do
seu espírito a vaidade e a pretensão. Só pode
realmente doutrinar Espíritos quem tiver
amor e humildade.
“A doutrinação espírita equilibrada, amorosa, modifica a nós mesmos e aos
outros, abre as mentes para a percepção da realidade-real que nos escapa,
quando nos apegamos à ilusão das nossas pretensões individuais, geralmente
mesquinhas”.
Herculano Pires
O resultado dependerá dos métodos utilizados, que devem ser aplicados de
acordo com a circunstância e a necessidade do momento.
 As obras de Allan Kardec
 Pão Nosso – Chico Xavier/Emmanuel
 Diálogo com as sombras - Hermínio C. Miranda
 Correnteza de Luz - Camilo/RaulTeixeira
 Leis Morais daVida - Joanna de Ângelis/Divaldo P. Franco
 Diretrizes de Segurança - Divaldo P. Franco e RaulTeixeira
 Vozes do Grande Além - Espíritos Diversos/Chico Xavier
 Como doutrinar os espíritos –Wanderley Pereira
 O infinito e o finito – J. Herculano Pires
 Obsessão e Desobsessão – Suely C. Shubert

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan KardecSonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
marjoriestavismeyer
 
Médiuns e mediunidade!
Médiuns e mediunidade!Médiuns e mediunidade!
Médiuns e mediunidade!
Leonardo Pereira
 
Obsessão
ObsessãoObsessão
Obsessão
meebpeixotinho
 
2.8.3 Letargia, catalepsia e mortes aparentes
2.8.3   Letargia, catalepsia e mortes aparentes2.8.3   Letargia, catalepsia e mortes aparentes
2.8.3 Letargia, catalepsia e mortes aparentes
Marta Gomes
 
Doutrinação, desobsessão e animismo
Doutrinação, desobsessão e animismoDoutrinação, desobsessão e animismo
Doutrinação, desobsessão e animismo
Prof. Paulo Ratki
 
Mistificações
MistificaçõesMistificações
Mistificações
igmateus
 
Relações de além tumulo
Relações de além tumuloRelações de além tumulo
Relações de além tumulo
Marcos Antônio Alves
 
Vida no mundo espiritual - O fenômeno da morte
Vida no mundo espiritual   - O fenômeno da morteVida no mundo espiritual   - O fenômeno da morte
Vida no mundo espiritual - O fenômeno da morte
Denise Aguiar
 
3ª aula da natureza das comunicações - coem
3ª aula   da natureza das comunicações - coem3ª aula   da natureza das comunicações - coem
3ª aula da natureza das comunicações - coem
Wagner Quadros
 
Influência Moral do Médium e do Meio
Influência Moral do Médium e do MeioInfluência Moral do Médium e do Meio
Influência Moral do Médium e do Meio
igmateus
 
A piedade
A piedadeA piedade
A piedade
Dalila Melo
 
Ser Espirita
Ser EspiritaSer Espirita
Ser Espirita
Ricardo Azevedo
 
CURSO DE PASSES 2023
CURSO DE PASSES 2023CURSO DE PASSES 2023
QUEM SÃO OS MÉDIUNS?
QUEM SÃO OS MÉDIUNS?QUEM SÃO OS MÉDIUNS?
QUEM SÃO OS MÉDIUNS?
Jorge Luiz dos Santos
 
A QUEM MUITO FOI DADO, MUITO SERÁ.pptx
A QUEM MUITO FOI DADO, MUITO SERÁ.pptxA QUEM MUITO FOI DADO, MUITO SERÁ.pptx
A QUEM MUITO FOI DADO, MUITO SERÁ.pptx
BrunoSimoes23
 
A familia na visao espirita
A familia na visao espiritaA familia na visao espirita
A familia na visao espirita
Henrique Vieira
 
VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTEVISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
Jorge Luiz dos Santos
 
Caracteres da perfeição
Caracteres da perfeiçãoCaracteres da perfeição
Caracteres da perfeição
home
 
Reuniões Mediúnicas
Reuniões MediúnicasReuniões Mediúnicas
Reuniões Mediúnicas
KATIA MARIA FARAH V DA SILVA
 
Livro os mensageiros sinopse
Livro os mensageiros sinopseLivro os mensageiros sinopse
Livro os mensageiros sinopse
Solange Montosa
 

Mais procurados (20)

Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan KardecSonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
 
Médiuns e mediunidade!
Médiuns e mediunidade!Médiuns e mediunidade!
Médiuns e mediunidade!
 
Obsessão
ObsessãoObsessão
Obsessão
 
2.8.3 Letargia, catalepsia e mortes aparentes
2.8.3   Letargia, catalepsia e mortes aparentes2.8.3   Letargia, catalepsia e mortes aparentes
2.8.3 Letargia, catalepsia e mortes aparentes
 
Doutrinação, desobsessão e animismo
Doutrinação, desobsessão e animismoDoutrinação, desobsessão e animismo
Doutrinação, desobsessão e animismo
 
Mistificações
MistificaçõesMistificações
Mistificações
 
Relações de além tumulo
Relações de além tumuloRelações de além tumulo
Relações de além tumulo
 
Vida no mundo espiritual - O fenômeno da morte
Vida no mundo espiritual   - O fenômeno da morteVida no mundo espiritual   - O fenômeno da morte
Vida no mundo espiritual - O fenômeno da morte
 
3ª aula da natureza das comunicações - coem
3ª aula   da natureza das comunicações - coem3ª aula   da natureza das comunicações - coem
3ª aula da natureza das comunicações - coem
 
Influência Moral do Médium e do Meio
Influência Moral do Médium e do MeioInfluência Moral do Médium e do Meio
Influência Moral do Médium e do Meio
 
A piedade
A piedadeA piedade
A piedade
 
Ser Espirita
Ser EspiritaSer Espirita
Ser Espirita
 
CURSO DE PASSES 2023
CURSO DE PASSES 2023CURSO DE PASSES 2023
CURSO DE PASSES 2023
 
QUEM SÃO OS MÉDIUNS?
QUEM SÃO OS MÉDIUNS?QUEM SÃO OS MÉDIUNS?
QUEM SÃO OS MÉDIUNS?
 
A QUEM MUITO FOI DADO, MUITO SERÁ.pptx
A QUEM MUITO FOI DADO, MUITO SERÁ.pptxA QUEM MUITO FOI DADO, MUITO SERÁ.pptx
A QUEM MUITO FOI DADO, MUITO SERÁ.pptx
 
A familia na visao espirita
A familia na visao espiritaA familia na visao espirita
A familia na visao espirita
 
VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTEVISÃO ESPÍRITA DA MORTE
VISÃO ESPÍRITA DA MORTE
 
Caracteres da perfeição
Caracteres da perfeiçãoCaracteres da perfeição
Caracteres da perfeição
 
Reuniões Mediúnicas
Reuniões MediúnicasReuniões Mediúnicas
Reuniões Mediúnicas
 
Livro os mensageiros sinopse
Livro os mensageiros sinopseLivro os mensageiros sinopse
Livro os mensageiros sinopse
 

Destaque

Corpos Espirituais
Corpos EspirituaisCorpos Espirituais
Corpos Espirituais
contatodoutrina2013
 
2013-02-10-Aula-Prática do Dialogador-Rosana De Rosa
2013-02-10-Aula-Prática do Dialogador-Rosana De Rosa2013-02-10-Aula-Prática do Dialogador-Rosana De Rosa
2013-02-10-Aula-Prática do Dialogador-Rosana De Rosa
Rosana De Rosa
 
CORPO FÍSICO - ESPIRITISMO
CORPO FÍSICO - ESPIRITISMOCORPO FÍSICO - ESPIRITISMO
CORPO FÍSICO - ESPIRITISMO
Denise Aguiar
 
Duplo Etérico
Duplo EtéricoDuplo Etérico
Duplo Etérico
Eduardo Henrique Marçal
 
Evangelho no Lar
Evangelho no LarEvangelho no Lar
Evangelho no Lar
paikachambi
 
Moldura Espiritual e Roupagem
Moldura Espiritual e RoupagemMoldura Espiritual e Roupagem
Moldura Espiritual e Roupagem
paikachambi
 
Princípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do EspiritismoPrincípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do Espiritismo
paikachambi
 
Rituais da Umbanda e Posições Litúrgicas
Rituais da Umbanda e Posições LitúrgicasRituais da Umbanda e Posições Litúrgicas
Rituais da Umbanda e Posições Litúrgicas
paikachambi
 
Moldura exercício mediúnico
Moldura   exercício mediúnicoMoldura   exercício mediúnico
Moldura exercício mediúnico
paikachambi
 
Hierarquia dos Espíritos
Hierarquia dos Espíritos Hierarquia dos Espíritos
Hierarquia dos Espíritos
paikachambi
 
Sincretismo Religioso na Umbanda
Sincretismo Religioso na UmbandaSincretismo Religioso na Umbanda
Sincretismo Religioso na Umbanda
paikachambi
 
Corpos Espirituais
Corpos EspirituaisCorpos Espirituais
Corpos Espirituais
paikachambi
 
O Duplo Etérico - atualidades da ciência espírita
O Duplo Etérico - atualidades da ciência espíritaO Duplo Etérico - atualidades da ciência espírita
O Duplo Etérico - atualidades da ciência espírita
Anderson Santos
 
Slide perispírito
Slide  perispíritoSlide  perispírito
Slide perispírito
bonattinho
 

Destaque (14)

Corpos Espirituais
Corpos EspirituaisCorpos Espirituais
Corpos Espirituais
 
2013-02-10-Aula-Prática do Dialogador-Rosana De Rosa
2013-02-10-Aula-Prática do Dialogador-Rosana De Rosa2013-02-10-Aula-Prática do Dialogador-Rosana De Rosa
2013-02-10-Aula-Prática do Dialogador-Rosana De Rosa
 
CORPO FÍSICO - ESPIRITISMO
CORPO FÍSICO - ESPIRITISMOCORPO FÍSICO - ESPIRITISMO
CORPO FÍSICO - ESPIRITISMO
 
Duplo Etérico
Duplo EtéricoDuplo Etérico
Duplo Etérico
 
Evangelho no Lar
Evangelho no LarEvangelho no Lar
Evangelho no Lar
 
Moldura Espiritual e Roupagem
Moldura Espiritual e RoupagemMoldura Espiritual e Roupagem
Moldura Espiritual e Roupagem
 
Princípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do EspiritismoPrincípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do Espiritismo
 
Rituais da Umbanda e Posições Litúrgicas
Rituais da Umbanda e Posições LitúrgicasRituais da Umbanda e Posições Litúrgicas
Rituais da Umbanda e Posições Litúrgicas
 
Moldura exercício mediúnico
Moldura   exercício mediúnicoMoldura   exercício mediúnico
Moldura exercício mediúnico
 
Hierarquia dos Espíritos
Hierarquia dos Espíritos Hierarquia dos Espíritos
Hierarquia dos Espíritos
 
Sincretismo Religioso na Umbanda
Sincretismo Religioso na UmbandaSincretismo Religioso na Umbanda
Sincretismo Religioso na Umbanda
 
Corpos Espirituais
Corpos EspirituaisCorpos Espirituais
Corpos Espirituais
 
O Duplo Etérico - atualidades da ciência espírita
O Duplo Etérico - atualidades da ciência espíritaO Duplo Etérico - atualidades da ciência espírita
O Duplo Etérico - atualidades da ciência espírita
 
Slide perispírito
Slide  perispíritoSlide  perispírito
Slide perispírito
 

Semelhante a Doutrinação

( Espiritismo) # - astolfo o o filho - a doutrinacao e seus metodos
( Espiritismo)   # - astolfo o o filho - a doutrinacao e seus metodos( Espiritismo)   # - astolfo o o filho - a doutrinacao e seus metodos
( Espiritismo) # - astolfo o o filho - a doutrinacao e seus metodos
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Seminario de Mediunidade
Seminario de Mediunidade Seminario de Mediunidade
Seminario de Mediunidade
USE Jabaquara
 
Mediunidade e Obsessão - Doutrina Espírita
Mediunidade e Obsessão - Doutrina EspíritaMediunidade e Obsessão - Doutrina Espírita
Dialogando com Espíritos.pdf
Dialogando com Espíritos.pdfDialogando com Espíritos.pdf
Dialogando com Espíritos.pdf
Marta Gomes
 
( Espiritismo) # - astolfo o o filho - doutrinacao de espiritos
( Espiritismo)   # - astolfo o o filho - doutrinacao de espiritos( Espiritismo)   # - astolfo o o filho - doutrinacao de espiritos
( Espiritismo) # - astolfo o o filho - doutrinacao de espiritos
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresEvangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Antonino Silva
 
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 14 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 14 docApostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 14 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 14 doc
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 14 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -doc - 14 docApostila obsessão   lar rubataiana -doc - 14 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 14 doc
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Dialogando com Espíritos.pptx
Dialogando com Espíritos.pptxDialogando com Espíritos.pptx
Dialogando com Espíritos.pptx
Marta Gomes
 
O doutrinador Dialogo com as Sombras
O doutrinador   Dialogo com as SombrasO doutrinador   Dialogo com as Sombras
O doutrinador Dialogo com as Sombras
Prof. Paulo Ratki
 
Mediunidade e parceria-marisa_l (1)
Mediunidade e parceria-marisa_l (1)Mediunidade e parceria-marisa_l (1)
Mediunidade e parceria-marisa_l (1)
Marcelo Vicente Freire Alves
 
( Espiritismo) # - influencia do meio
( Espiritismo)   # - influencia do meio( Espiritismo)   # - influencia do meio
( Espiritismo) # - influencia do meio
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 
Seminario_mediuns obsidiados.pptx
Seminario_mediuns obsidiados.pptxSeminario_mediuns obsidiados.pptx
Seminario_mediuns obsidiados.pptx
msdbiasi
 
Identidade e evocação dos espíritos
Identidade e evocação dos espíritosIdentidade e evocação dos espíritos
Identidade e evocação dos espíritos
Power Point
 
A região do Umbral
A região do UmbralA região do Umbral
A região do Umbral
Eduardo Henrique Marçal
 
A mediunidade e o seu despertar i
A mediunidade e o seu despertar  iA mediunidade e o seu despertar  i
A mediunidade e o seu despertar i
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Da pratíca da mediunidade
Da pratíca da mediunidadeDa pratíca da mediunidade
Da pratíca da mediunidade
carlos freire
 
Espiritismo e mediunidade 06
Espiritismo e mediunidade 06Espiritismo e mediunidade 06
Espiritismo e mediunidade 06
Leonardo Pereira
 
Aula Vida Espirita
Aula Vida EspiritaAula Vida Espirita
Aula Vida Espirita
Ceile Bernardo
 

Semelhante a Doutrinação (20)

( Espiritismo) # - astolfo o o filho - a doutrinacao e seus metodos
( Espiritismo)   # - astolfo o o filho - a doutrinacao e seus metodos( Espiritismo)   # - astolfo o o filho - a doutrinacao e seus metodos
( Espiritismo) # - astolfo o o filho - a doutrinacao e seus metodos
 
Seminario de Mediunidade
Seminario de Mediunidade Seminario de Mediunidade
Seminario de Mediunidade
 
Mediunidade e Obsessão - Doutrina Espírita
Mediunidade e Obsessão - Doutrina EspíritaMediunidade e Obsessão - Doutrina Espírita
Mediunidade e Obsessão - Doutrina Espírita
 
Dialogando com Espíritos.pdf
Dialogando com Espíritos.pdfDialogando com Espíritos.pdf
Dialogando com Espíritos.pdf
 
( Espiritismo) # - astolfo o o filho - doutrinacao de espiritos
( Espiritismo)   # - astolfo o o filho - doutrinacao de espiritos( Espiritismo)   # - astolfo o o filho - doutrinacao de espiritos
( Espiritismo) # - astolfo o o filho - doutrinacao de espiritos
 
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresEvangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
 
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 14 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 14 docApostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 14 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 14 doc
 
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 14 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -doc - 14 docApostila obsessão   lar rubataiana -doc - 14 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 14 doc
 
Dialogando com Espíritos.pptx
Dialogando com Espíritos.pptxDialogando com Espíritos.pptx
Dialogando com Espíritos.pptx
 
O doutrinador Dialogo com as Sombras
O doutrinador   Dialogo com as SombrasO doutrinador   Dialogo com as Sombras
O doutrinador Dialogo com as Sombras
 
Mediunidade e parceria-marisa_l (1)
Mediunidade e parceria-marisa_l (1)Mediunidade e parceria-marisa_l (1)
Mediunidade e parceria-marisa_l (1)
 
( Espiritismo) # - influencia do meio
( Espiritismo)   # - influencia do meio( Espiritismo)   # - influencia do meio
( Espiritismo) # - influencia do meio
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Seminario_mediuns obsidiados.pptx
Seminario_mediuns obsidiados.pptxSeminario_mediuns obsidiados.pptx
Seminario_mediuns obsidiados.pptx
 
Identidade e evocação dos espíritos
Identidade e evocação dos espíritosIdentidade e evocação dos espíritos
Identidade e evocação dos espíritos
 
A região do Umbral
A região do UmbralA região do Umbral
A região do Umbral
 
A mediunidade e o seu despertar i
A mediunidade e o seu despertar  iA mediunidade e o seu despertar  i
A mediunidade e o seu despertar i
 
Da pratíca da mediunidade
Da pratíca da mediunidadeDa pratíca da mediunidade
Da pratíca da mediunidade
 
Espiritismo e mediunidade 06
Espiritismo e mediunidade 06Espiritismo e mediunidade 06
Espiritismo e mediunidade 06
 
Aula Vida Espirita
Aula Vida EspiritaAula Vida Espirita
Aula Vida Espirita
 

Mais de paikachambi

Chacara Tia Joana
Chacara Tia JoanaChacara Tia Joana
Chacara Tia Joana
paikachambi
 
O Passe
O PasseO Passe
O Passe
paikachambi
 
Yorimá
YorimáYorimá
Yorimá
paikachambi
 
Oxossi
OxossiOxossi
Oxossi
paikachambi
 
Ogum
OgumOgum
Xangô
XangôXangô
Xangô
paikachambi
 
Yori
YoriYori
Yemanjá
YemanjáYemanjá
Yemanjá
paikachambi
 
Oxalá
OxaláOxalá
Oxalá
paikachambi
 
As Sete Energias do Universo
As Sete Energias do UniversoAs Sete Energias do Universo
As Sete Energias do Universo
paikachambi
 
Obsessão
ObsessãoObsessão
Obsessão
paikachambi
 
Aula 8 mediunidade
Aula 8   mediunidadeAula 8   mediunidade
Aula 8 mediunidade
paikachambi
 
Aura
AuraAura
Plano Espiritual
Plano EspiritualPlano Espiritual
Plano Espiritual
paikachambi
 
Psicofonia
PsicofoniaPsicofonia
Psicofonia
paikachambi
 
Chakra Coronário
Chakra CoronárioChakra Coronário
Chakra Coronário
paikachambi
 
Chakra Frontal
Chakra FrontalChakra Frontal
Chakra Frontal
paikachambi
 
Chakra solar
Chakra solarChakra solar
Chakra solar
paikachambi
 
Chakra laríngeo
Chakra laríngeoChakra laríngeo
Chakra laríngeo
paikachambi
 
Chakra cardíaco
Chakra cardíacoChakra cardíaco
Chakra cardíaco
paikachambi
 

Mais de paikachambi (20)

Chacara Tia Joana
Chacara Tia JoanaChacara Tia Joana
Chacara Tia Joana
 
O Passe
O PasseO Passe
O Passe
 
Yorimá
YorimáYorimá
Yorimá
 
Oxossi
OxossiOxossi
Oxossi
 
Ogum
OgumOgum
Ogum
 
Xangô
XangôXangô
Xangô
 
Yori
YoriYori
Yori
 
Yemanjá
YemanjáYemanjá
Yemanjá
 
Oxalá
OxaláOxalá
Oxalá
 
As Sete Energias do Universo
As Sete Energias do UniversoAs Sete Energias do Universo
As Sete Energias do Universo
 
Obsessão
ObsessãoObsessão
Obsessão
 
Aula 8 mediunidade
Aula 8   mediunidadeAula 8   mediunidade
Aula 8 mediunidade
 
Aura
AuraAura
Aura
 
Plano Espiritual
Plano EspiritualPlano Espiritual
Plano Espiritual
 
Psicofonia
PsicofoniaPsicofonia
Psicofonia
 
Chakra Coronário
Chakra CoronárioChakra Coronário
Chakra Coronário
 
Chakra Frontal
Chakra FrontalChakra Frontal
Chakra Frontal
 
Chakra solar
Chakra solarChakra solar
Chakra solar
 
Chakra laríngeo
Chakra laríngeoChakra laríngeo
Chakra laríngeo
 
Chakra cardíaco
Chakra cardíacoChakra cardíaco
Chakra cardíaco
 

Doutrinação

  • 1.
  • 2. Doutrinar é argumentar com lógica e com base no Evangelho, demonstrar que as atitudes incorretas prejudicam principalmente quem as praticam, levando o necessitado a modificar sentimentos cristalizados, destorcidos, errôneos.
  • 3. É um convite à transformação interior, um apelo à reflexão sobre os problemas de que o espírito é portador.
  • 4. DOUTRINAÇÃO Os que suplicam pelo perdão Os que buscam esclarecime ntos Os que partiram e não sabem Obsessores Sofredores
  • 5. Os casos mais comuns de manifestações são de 2 categorias principais: Os que comparecem espontaneamente obedecendo à própria vontade, atraídos por determinadas condições. Os que são trazidos pelos mentores; são espíritos perturbados, vingativos, habitantes de zonas purgatórias.
  • 6. O contato com a organização física do médium fá-los-á sentir mais intensamente a ajuda doutrinária e vibracional destinada ao reajuste. Os Espíritos são atendidos também no plano espiritual. Nem todos estão em condições de serem socorridos no plano espiritual.
  • 7. Objetivam esclarecer entidades desencarnadas a respeito de sua própria situação espiritual, orientando-as no sentido do seu despertamento no plano invisível e o seu subsequente equilíbrio e progresso espirituais. Trabalhos Práticos de Espiritismo - EdgardArmond
  • 8. Na tarefa de doutrinação dos Espíritos que se comunicam nas sessões mediúnicas não existe regra fixa, pois cada caso é único. Há, entretanto, determinadas regras que não podem deixar de ser aplicadas nessa tarefa: Receber com atenção e interesse as comunicações Ouvi-las com paciência e imbuído da melhor intenção de ajudar Evitar o tom de discurso e também as longas preleções Estabelecer em tempo oportuno um diálogo amigo e esclarecedor Evitar acusações e desafios desnecessários; Confortar e amparar através do esclarecimento; Não discutir com exaltação tentando impor seu ponto de vista; Ser preciso e enérgico na hora necessária, sem ser cruel e agressivo; Não receber a todos como se fossem embusteiros e agentes do mal; Ser claro, objetivo, honesto, amigo, fraterno, buscando dar ao comunicante aquilo que gostaria de receber se no lugar dele estivesse Envolver o comunicante em um clima de vibrações fraternais, dando oportunidade para que ele fale
  • 9. “(...) Esta classificação, aliás, nada tem de absoluta. Apenas no seu conjunto cada categoria apresenta caráter definido. De um grau a outro a transição é Insensível e, nos limites extremos, os matizes se apagam, como nos reinos da natureza, como nas cores do arco-íris, ou, também, como nos diferentes períodos da vida do homem.” O Livro dos Espíritos, Allan Kardec, questão 100. Importa ainda mencionar que alguns desses tipos de entidades aqui relacionadas comparecem também nas reuniões de educação e desenvolvimento mediúnico (sendo mais comuns nestas), desde que estejam os médiuns em condições e que haja necessidade dessas manifestações.
  • 10. 1. ESPÍRITOS QUE NÃO CONSEGUEM FALAR 2. ESPÍRITOS QUE DESCONHECEM A PRÓPRIA SITUAÇÃO 3 . ESPÍRITOS SUICIDAS 4. ESPÍRITOS ALCOÓLATRAS E TOXICÔMANOS 5. ESPÍRITOS QUE DESEJAMTOMAR O TEMPO DA REUNIÃO 6. ESPÍRITOS IRÔNICOS 7. ESPÍRITOS DESAFIANTES 8. ESPÍRITOS DESCRENTES 9. ESPÍRITOS DEMENTADOS 10. ESPÍRITOS AMEDRONTADOS 11. ESPÍRITOS QUE AUXILIAM OS OBSESSORES 12. ESPÍRITOS VINGATIVOS 13. ESPÍRITOS MISTIFICADORES 14. ESPÍRITOS OBSESSORES INIMIGOS DO ESPIRITISMO 15. ESPÍRITOS GALHOFEIROS, ZOMBETEIROS 16. ESPÍRITOS SOFREDORES
  • 11. É o companheiro que presta ao espírito sofredor os primeiros socorros nos serviços da enfermagem espiritual. É por excelência, o médium da palavra do evangelho. Nas preleções que efetua a desencarnados e encarnados tem a função de despertar consciência com seu verbo iluminativo.
  • 12. Segundo observa André Luiz, a pessoa envolvida nessa tarefa não pode esquecer que a Espiritualidade Superior confia nela e dela aguarda o cultivo de determinados atributos como os que se seguem: Direção e discernimento Bondade e energia Autoridade fundamentada no exemplo; Hábito de estudo e oração Dignidade e respeito para com todos Afeição sem privilégios Brandura e firmeza Conversação construtiva Sinceridade e entendimento
  • 13. A doutrinação, informa Herculano Pires, existe em todos os planos, mas o trabalho mais rude e pesado é o que se processa em nosso mundo. Orgulhoso e inútil, e até mesmo prejudicial, será o doutrinador que se julgar capaz de doutrinar por si mesmo. Sua eficiência depende sempre de sua humildade, que lhe permite compreender a necessidade de ser auxiliado pelos bons Espíritos. O doutrinador que não compreende esse princípio precisa de doutrinação e esclarecimento, para alijar do seu espírito a vaidade e a pretensão. Só pode realmente doutrinar Espíritos quem tiver amor e humildade.
  • 14.
  • 15. “A doutrinação espírita equilibrada, amorosa, modifica a nós mesmos e aos outros, abre as mentes para a percepção da realidade-real que nos escapa, quando nos apegamos à ilusão das nossas pretensões individuais, geralmente mesquinhas”. Herculano Pires O resultado dependerá dos métodos utilizados, que devem ser aplicados de acordo com a circunstância e a necessidade do momento.
  • 16.  As obras de Allan Kardec  Pão Nosso – Chico Xavier/Emmanuel  Diálogo com as sombras - Hermínio C. Miranda  Correnteza de Luz - Camilo/RaulTeixeira  Leis Morais daVida - Joanna de Ângelis/Divaldo P. Franco  Diretrizes de Segurança - Divaldo P. Franco e RaulTeixeira  Vozes do Grande Além - Espíritos Diversos/Chico Xavier  Como doutrinar os espíritos –Wanderley Pereira  O infinito e o finito – J. Herculano Pires  Obsessão e Desobsessão – Suely C. Shubert